Conteúdos: Linguagem literária e não literária Vivenciando o texto literário

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conteúdos: Linguagem literária e não literária Vivenciando o texto literário"

Transcrição

1 Conteúdos: Linguagem literária e não literária Vivenciando o texto literário

2 Habilidades: Compreender a distinção entre linguagem literária e linguagem não literária. Analisar alguns dos mecanismos utilizados para a criação da linguagem literária.

3 PAUTA DO DIA Acolhida Memorial/Prazer de casa Problematização Vídeo

4 PAUTA DO DIA Leitura de imagem Aprofundamento do tema Interatividades Avaliação dos professores ministrantes

5 MEMORIAL / PRAZER DE CASA (A) Como podemos perceber, o poema possui uma série de palavras cuja composição se dá em torno da palavra pé. Como essas palavras se classificam?

6 MEMORIAL / PRAZER DE CASA Nem em pé-d água Em pé-de-atleta Em pé-de-cabra Em pé-de-boi ou pé-de-galinha Em pé-de-meia Ou pé de moleque Não entra o sapatinho [...]

7 MEMORIAL / PRAZER DE CASA Resposta: Substantivos compostos.

8 MEMORIAL / PRAZER DE CASA B) Aponte como atribuiríamos o plural para as mesmas. Pés-d água, pés-de-atleta, pés-de-cabra, pés-de-boi, pés-de-galinha, pés-de-meia, pés de moleque.

9 PROBLEMATIZAÇÃO

10 PROBLEMATIZAÇÃO As duas imagens apresentam a noite, porém elas não são semelhantes. O que há de diferente entre elas?

11 LEITURA DE IMAGEM Questão 1 Durante o vídeo que assistimos, observamos que a personagem Lígia apresenta uma dúvida que é respondida por meio de dois personagens: os advogados. Baseados nesta conversa, responda:

12 LEITURA DE IMAGEM (A) Quais as características da linguagem jurídica? (B) A linguagem jurídica pode ser considerada literária?

13 LEITURA DE IMAGEM (C) Quais as características do texto literário? Você conhece algum texto que possa ser considerado literário? Cite para nós.

14 LEITURA DE IMAGEM Ficção Palavra originária do latim fictione que significa simulação, fingimento, fantasia, criação.

15 LEITURA DE IMAGEM Por isso os textos literários são chamados de obras de ficção, pois neles o autor cria uma outra realidade baseada em sua observação, e criatividade.

16 Seca no Nordeste causa migração 'fora de hora' ao interior paulista Os planos para 2012 já estavam traçados na cabeça de Antonio Romárcio Pereira, 24. Ele iria ajudar o pai e os quatro irmãos mais velhos na colheita do milho e do feijão na terra onde a família vive em Ipiranga do Piauí (PI).

17 O rapaz estava disposto a não tomar o caminho até o interior de São Paulo, como havia feito nos últimos quatro anos, para cortar cana. Mas a chuva - na verdade, a completa falta dela- arruinou a colheita e o colocou na rota dos canaviais paulistas.

18 A seca histórica no Nordeste, a pior dos últimos 50 anos, levou Pereira e outros conterrâneos para diversas cidades paulistas, que estão em plena safra da cana-de-açúcar, e até para outros Estados.[...]

19 Na região de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), o maior volume chega nos primeiros três meses do ano para garantir o emprego nas usinas de cana, cuja safra começa em abril. E a volta à terra natal só ocorre no fim do ano.

20 Neste ano, porém, segundo Peres, há migrantes [...] que chegaram em maio, junho, julho e até agosto. Boa parte, como o piauiense Pereira, foi forçada pela seca. Não há contagem oficial de quantos são [...] Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/75080-seca-no-nordestecausa-migracao-fora-de-hora-ao-interior-paulista.shtml

21 Um trecho do poema Morte e Vida Severina (Texto 1) X Uma noticia de jornal (Texto 2) Tema do Texto 1 = Tema do texto 2 Linguagem do Texto 1 Linguagem do Texto 2

22 Texto 1 Para informar ao leitor sobre a condição física precária de Severino: e iguais também porque o sangue, que usamos tem pouca tinta. Para retratar a forma como Severino vive, motivo que o leva a emigrar:

23 Somos muitos Severinos iguais em tudo e na sina: a de abrandar estas pedras suando-se muito em cima, a de tentar despertar terra sempre mais extinta,

24 a de querer arrancar algum roçado da cinza. Mas, para que me conheçam melhor Vossas Senhorias e melhor possam seguir a história de minha vida,

25 passo a ser o Severino que em vossa presença emigra.

26 Texto 2 É uma notícia de jornal, também nos deparamos com a história de um nordestino que precisa sair de sua terra, pois a seca que atinge a região em que vive não lhe dá condições de garantir o seu sustento.

27 O rapaz estava disposto a não tomar o caminho até o interior de São Paulo, como havia feito nos últimos quatro anos, para cortar cana. Mas a chuva - na verdade, a completa falta dela- arruinou a colheita e o colocou na rota dos canaviais paulistas. A seca histórica no Nordeste, a pior dos últimos 50 anos, levou Pereira e outros conterrâneos para diversas cidades paulistas...

28 Retrato da realidade de Antônio é feita de maneira objetiva: A falta de chuva destruiu a sua plantação e, por essa razão, precisa emigrar para um lugar onde tenha trabalho que possa sustentá-lo.

29 Linguagem Literária Caracteriza-se pelo trabalho realizado com a linguagem para torná-la mais expressiva as figuras de linguagem e a riqueza de conotações estão presentes mais do que em outros textos.

30 Dá-se muita importância à expressão indireta, fazendo com o texto tenha muitos significados, e esteja aberto a muitas interpretações.

31 Linguagem Literária = Arte da Palavra

32 Linguagem não Literária Caracteriza-se por ser a linguagem utilizada com o seu sentido comum, e objetivo. Aparece em textos jornalísticos, científicos, informativos, entre outros.

33 Rondel do cupuaçu - Luiz Bacellar Cupuaçu és soberano do pomolário americano

34 num cofre pardo guardas com ciúmes raros sabores vivos perfumes [...]

35 Neologismo: Pomolário Casca dura: num cofre pardo/guardas com ciúmes Cheiro forte e característico: vivos perfumes

36 Rondel uma forma de escrever poemas Surgiu na França, no século XIII. A poesia do rondel é formada por duas quadras (estrofe de quatro versos) e uma quintilha (estrofe de cinco versos).

37 Funções da literatura A literatura permite aprimorar: - o conhecimento que temos do mundo; - a formação cultural, intelectual; - o conhecimento sobre o ser humano, já que a literatura é a expressão do homem.

38 ATIVIDADE PARA TODOS OS ALUNOS Questão 1 Escreva um parágrafo, de cerca de cinco linhas, no qual destaque as diferenças entre a linguagem literária e a linguagem não literária

39 ATIVIDADE PARA TODOS OS ALUNOS Questão 2 Observe o texto abaixo:

40 ATIVIDADE PARA TODOS OS ALUNOS Construção Um grito pula no ar como um foguete. Vem da paisagem de barro úmido, calia e andaimes hirtos. O sol cai sobre as coisas em placa fervendo.

41 ATIVIDADE PARA TODOS OS ALUNOS O sorveteiro corta a rua. E o vento brinca nos bigodes do construtor. Fonte: ANDRADE, Carlos Drummond de. In: Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Aguillar, 1979

42 ATIVIDADE PARA TODOS OS ALUNOS No texto que você acabou de ler predomina a linguagem literária ou não literária? Justifique sua resposta analisando um trecho do texto.

Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos

Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos Habilidades: Reconhecer os pronomes demonstrativos como marca em relação à posição, ao espaço e ao tempo no texto; Habilidades: Compreender os pronomes

Leia mais

Linguagem Visual e Intertextualidade

Linguagem Visual e Intertextualidade Aula n ọ 06 Linguagem Visual e Intertextualidade 01. (ENEM) De acordo com a história em quadrinhos protagonizada por Hagar e seu filho Hamlet, pode-se afirmar que a postura de Hagar a) valoriza a existência

Leia mais

GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A Sistema de Ensino Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 24/6/2009 PROVA GRUPO GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A Nome: Turma: Valor da prova: 4,0 Nota: Sou água cristalina Sou água

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

Conteúdos. Vida - cuidado e convivência. Oratória e dicção. Dígrafos

Conteúdos. Vida - cuidado e convivência. Oratória e dicção. Dígrafos Conteúdos Vida - cuidado e convivência Oratória e dicção Dígrafos Habilidades Refletir sobre os cuidados que devemos ter quando convivemos uns com os outros e a prática de fazer o bem ao próximo Refletir

Leia mais

ROTEIRO DIÁRIO SEQUÊNCIA DAS ATIVIDADES/ ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS. Vinheta do Projeto

ROTEIRO DIÁRIO SEQUÊNCIA DAS ATIVIDADES/ ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS. Vinheta do Projeto Componente Curricular: Ciências Série/Ano Letivo: 9º ano/2014 Professor Ministrante: Giselle Palmeira e Silone Guimarães Carga Horária: 5 horas/aula Data: 26/03/2014 Aula: 14 Teleaula: 53 Título: Gerador

Leia mais

Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 1.1 Conteúdos: Apresentação do Plano Didático Pedagógico; Classificação das orações coordenadas sindéticas e inferência. 1.1 Habilidade:

Leia mais

Sophia de Mello Breyner Andresen: arte poética como procedimento

Sophia de Mello Breyner Andresen: arte poética como procedimento Sophia de Mello Breyner Andresen: arte poética como procedimento por Marcela Ribeiro¹ A frase-clichê A arte é pensar por imagens, negada pelo russo Vitor Chklovski em sua Arte como procedimento e enraizada

Leia mais

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro 1 www.oxisdaquestao.com.br Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro Texto de CARLOS CHAPARRO A complexidade dos confrontos da atualidade, em especial nos cenários políticos, justificaria

Leia mais

A PULSÃO DE MORTE E VIDA EM JOÃO CABRAL DE MELO NETO: UMA CRITICA SOBRE O SUJEITO NORDESTINO NA OBRA MORTE E VIDA SEVERINA.

A PULSÃO DE MORTE E VIDA EM JOÃO CABRAL DE MELO NETO: UMA CRITICA SOBRE O SUJEITO NORDESTINO NA OBRA MORTE E VIDA SEVERINA. A PULSÃO DE MORTE E VIDA EM JOÃO CABRAL DE MELO NETO: UMA CRITICA SOBRE O SUJEITO NORDESTINO NA OBRA MORTE E VIDA SEVERINA. Tatiana da Silva Manêra Prof. Marcio do Prado (Orientador) RESUMO João Cabral

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. Trabalho Avaliativo Valor: 30 % Nota: Minhas Férias Eu, minha mãe, meu pai, minha irmã (Su) e meu cachorro

Leia mais

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas.

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas. GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA SÉRIE: 1º ANO ALUNO (a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS - P1 3º BIMESTRE Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto

Leia mais

6 Estimular a Criatividade

6 Estimular a Criatividade OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 121 6 Estimular a Criatividade Como aspecto menos valorizado pela Escola, a criatividade pode estimular novas formas de o jovem se relacionar com o mundo, desenvolvendo atitudes

Leia mais

Conteúdos: Funções da Linguagem

Conteúdos: Funções da Linguagem Conteúdos: Funções da Linguagem Habilidades: Analisar a função da linguagem utilizada em diferentes gêneros textuais, de acordo com a sua finalidade comunicativa; Habilidades: Identificar e classificar

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM!

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES Silvia Eula Muñoz¹ RESUMO Neste artigo pretendo compartilhar os diversos estudos e pesquisas que realizei com orientação do Prof. Me. Erion

Leia mais

Formação de PROFESSOR

Formação de PROFESSOR Formação de PROFESSOR 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação Ricamente ilustrada e escrita em versos, a obra narra a história de Ubaldo, urubu descendente de uma família

Leia mais

Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler. Unidade I:

Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler. Unidade I: Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler Unidade I: 0 Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler Olá Alunos, Na unidade anterior conhecemos e discutimos um pouco a respeito

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 6 PORTUGUÊS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao segundo bimestre escolar ou às Unidades 3 e 4 do livro do Aluno. Avaliação - Língua Portuguesa NOME: TURMA: escola:

Leia mais

Literatura e Redação conexões possíveis

Literatura e Redação conexões possíveis Literatura e Redação conexões possíveis Desde 2005, a UFSC vem explorando os temas extraídos das obras literárias, de leitura obrigatória, para elaboração das propostas de Redação. O gêneros textuais cobrados

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS TEXTO DE APOIO

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS TEXTO DE APOIO AULA 2.2 - A SIGNIFICAÇÃO NA ARTE TEXTO DE APOIO 1. A especificidade da informação estética Teixeira Coelho Netto, ao discutir a informação estética, comparando-a à semântica, levanta aspectos muito interessantes.

Leia mais

CESPE Polícia Militar do Estado do Espírito Santo Admissão ao Curso de Formação de Soldado Combatente 2007 Nível Médio

CESPE Polícia Militar do Estado do Espírito Santo Admissão ao Curso de Formação de Soldado Combatente 2007 Nível Médio CESPE Polícia Militar do Estado do Espírito Santo Admissão ao Curso de Formação de Soldado Combatente 2007 Nível Médio Momento num café 1 Quando o enterro passou 2 Os homens que se achavam no café 3 Tiraram

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS: 1 ano Levar o estudante a realizar a escrita do próprio nome e outros nomes. Promover a escrita das letras do alfabeto. Utilizar a linguagem oral para conversar,

Leia mais

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam.

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. Convite Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. As palavras não: quanto mais se brinca com elas mais novas ficam.

Leia mais

7. o ANO FUNDAMENTAL. Prof. a Andreza Xavier Prof. o Walace Vinente

7. o ANO FUNDAMENTAL. Prof. a Andreza Xavier Prof. o Walace Vinente 7. o ANO FUNDAMENTAL Prof. a Andreza Xavier Prof. o Walace Vinente CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tempo, espaço, fontes históricas e representações cartográficas

Leia mais

Até quando uma população pode crescer?

Até quando uma população pode crescer? A U A UL LA Até quando uma população pode crescer? Seu José é dono de um sítio. Cultiva milho em suas terras, além de frutas e legumes que servem para a subsistência da família. Certa vez, a colheita do

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

4. Conceito de Paralisia Cerebral construído pelos Professores

4. Conceito de Paralisia Cerebral construído pelos Professores 4. Conceito de Paralisia Cerebral construído pelos Professores Como descrevemos no capitulo II, a Paralisia Cerebral é uma lesão neurológica que ocorre num período em que o cérebro ainda não completou

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

OS SENTIDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA CONTEMPORANEIDADE Amanda Sampaio França

OS SENTIDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA CONTEMPORANEIDADE Amanda Sampaio França OS SENTIDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA CONTEMPORANEIDADE Amanda Sampaio França amandi'a_07@hotmail.com Jaqueline dos Santos Costa santoscosta_jaqueline@hotmail.com Mirsa Gabriela gabiflorosa@hotmail.com

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 59 Discurso em ato comemorativo do

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Geografia 7 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Complete o quadro com as características dos tipos de clima da região Nordeste. Tipo de clima Área de ocorrência Características

Leia mais

Trabalhos 2015 1 Ano Profªs Carolina e Pamela 1º BIMESTRE:

Trabalhos 2015 1 Ano Profªs Carolina e Pamela 1º BIMESTRE: Trabalhos 2015 1 Ano Profªs Carolina e Pamela Cronograma de trabalhos 1º ano 1º BIMESTRE: PORTUGUÊS Tema: Livro de contos infantis Proposta: Escolher um conto infantil. Buscar informações sobre o conto,

Leia mais

O Açúcar. Leia este poema de Ferreira Gullar. Com que adoço meu café esta manhã em Ipanema.

O Açúcar. Leia este poema de Ferreira Gullar. Com que adoço meu café esta manhã em Ipanema. 8 Gramática -Revisão 8º ano DATA: /09/15: Unidade Centro Aluno (a) Professora: MARIA DO CARMO Leia este poema de Ferreira Gullar. O Açúcar O branco açúcar que adoçará meu café Nesta manhã de Ipanema Não

Leia mais

Dados da Aula: Oficina de poesia para o 4º ano do Ensino Fundamental, com duração de duas aulas.

Dados da Aula: Oficina de poesia para o 4º ano do Ensino Fundamental, com duração de duas aulas. Dados da Aula: Oficina de poesia para o 4º ano do Ensino Fundamental, com duração de duas aulas. Título da Aula: Brincando com palavras Conteúdo da Aula Tipologia textual: Poema; Verso e estrofe; Produção

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

Sequência Didática / EJA

Sequência Didática / EJA Sequência Didática / EJA COMPONENTE CURRICULAR: Língua Portuguesa EIXOS: Oralidade, Leitura e Escrita CONTEÚDO: Interpretação Textual CICLO: EJA I Ciclo I (1º, 2º, 3º Anos) INTERDISCIPLINARIDADE: Geografia

Leia mais

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO NA LOJA DE CHAPÉUS De Karl Valentin Personagens Vendedora Valentin ATO ÚNICO Bom dia, senhor. O que deseja? Um chapéu. Que tipo de chapéu? Um chapéu pra botar na cabeça. Certamente, meu senhor, um chapéu

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA. Apontar não é falta de educação

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA. Apontar não é falta de educação LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Leia o texto a seguir e responda à questão 13. Apontar não é falta de educação A apontação na língua de sinais brasileira faz parte da língua. Ela serve para diferentes

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA PROCESSO SELETIVO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE Prezado candidato(a), você recebeu o seguinte material: - um caderno de questões contendo 30 (trinta) questões

Leia mais

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS APRENDER BRINCANDO INVESTIDAS DA PRÁTICA EDUCACIONAL EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES JUNTO AO PROGRAMA INTEGRAÇÃO AABB COMUNIDADE, UMA EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS E JOVENS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DA CIDADE DE

Leia mais

Conteúdos: Ortografia: Palavra com ez, -eza, -ês, e esa Adjetivos

Conteúdos: Ortografia: Palavra com ez, -eza, -ês, e esa Adjetivos Conteúdos: Ortografia: Palavra com ez, -eza, -ês, e esa Adjetivos Habilidades: Conhecer o emprego apropriado de algumas formas ortográficas que podem causar problemas na escrita Identificar e reconhecer

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos 2. Lição Bíblica: Daniel 1-2 (Base bíblica para a história e

Leia mais

As suas principais obras

As suas principais obras Cena do Fidalgo Gil Vicente nasceu na cidade de Guimarães em 1466. É considerado o primeiro grande dramaturgo português, além de poeta. Enquanto homem de teatro, parece ter também desempenhado as tarefas

Leia mais

"Ensinar e aprender é o nosso OBJETIVO" C O L É G I O I N T E G R A D O D E O S A S C O Ensino de Educação Infantil, Fundamental e Médio

Ensinar e aprender é o nosso OBJETIVO C O L É G I O I N T E G R A D O D E O S A S C O Ensino de Educação Infantil, Fundamental e Médio Valor da Prova DEZ NOTA Aluno(a): N.º R.M.: Data: 06/03/2014 Série: 2ªA/B Período: Manhã Ensino: Médio Bim.: 1º Disciplina: Português Professor: Sérgio/Rodrigo Tarefa de Casa 1 1) Identifique e classifique

Leia mais

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS 11. Já vimos que Jesus Cristo desceu do céu, habitou entre nós, sofreu, morreu, ressuscitou e foi para a presença de Deus. Leia João 17:13 e responda: Onde está Jesus Cristo agora? Lembremo-nos que: Jesus

Leia mais

Provão. Português 5 o ano. Por que a galinha d angola tem pintas brancas? Texto

Provão. Português 5 o ano. Por que a galinha d angola tem pintas brancas? Texto Provão Português 5 o ano Texto Por que a galinha d angola tem pintas brancas? Os mais antigos contam que esta história aconteceu durante uma das piores secas ocorridas nas savanas do sul da África. O Sol,

Leia mais

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas MANUAL DE VENDAS OBRAS DO AUTOR Como planejar suas vendas sem complicar dicas de estratégias e táticas, mais formulários práticos para o planejamento de vendas, coautoria de Abigail Felicciano. 2.ª ed.

Leia mais

Projeto. Pedagógico ÁGUIA SONHADORA

Projeto. Pedagógico ÁGUIA SONHADORA Projeto Pedagógico ÁGUIA SONHADORA 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro narra a história de uma águia inquieta para alçar o primeiro voo; ainda criança, sai pela floresta

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 6 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 6 I Ir Preposição para + artigo Preposição a + artigo Eu vou Para + o = para o

Leia mais

Brasileiros esperam ganhar salário três vezes maior após fazer MBA

Brasileiros esperam ganhar salário três vezes maior após fazer MBA COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 6º Ano Profª: Margareth Rodrigues Dutra Disciplina: Língua Portuguesa Aluno(a): TRABALHO DE RECUPERAÇÃO Data de entrega: 18/12/14 Questão 1- Leia o texto a seguir. Brasileiros

Leia mais

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 FUVEST 2003 Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 Q.01 BR. Contribuindo para o cinema brasileiro rodar cada vez melhor. A Petrobras Distribuidora sempre investiu na cultura do País e acreditou no potencial

Leia mais

LINGUAGENS FORMA DO SER HUMANO CONHECER O MUNDO;

LINGUAGENS FORMA DO SER HUMANO CONHECER O MUNDO; LINGUAGENS FORMA DO SER HUMANO CONHECER O MUNDO; COMUNICAÇÃO, INTERAÇÃO SOCIAL E CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE. LINGUAGEM É TODO SISTEMA QUE SE UTILIZA DE SIGNOS E QUE SERVE COMO MEIO DE COMUNICAÇÃO. VERBAL:

Leia mais

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM CURRÍCULO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM ORALIDADE Formar frases com seqüência e sentido. Relacionar palavras que iniciam com vogais. Associar primeira letra/som em palavras iniciadas por vogal. Falar

Leia mais

Violeiro afina a viola Começando a cantoria Faz ferver sua cachola Ferver do povo a alegria

Violeiro afina a viola Começando a cantoria Faz ferver sua cachola Ferver do povo a alegria Violeiro afina a viola Começando a cantoria Faz ferver sua cachola Ferver do povo a alegria A história que eu vou contar É verdadeira, acontecida Não é preciso pensar Por nada nada da vida O tema cantado

Leia mais

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA A A Unidade IV Ciência - O homem na construção do conhecimento. 2 A A Aula 39.2 Conteúdos: Anúncio publicitário: A construção de um anúncio publicitário. 3 A A Habilidades: Relacionar linguagem verbal

Leia mais

Atividade Pedagógica Teatro de fantoches. Junho 2013

Atividade Pedagógica Teatro de fantoches. Junho 2013 Atividade Pedagógica Teatro de fantoches Junho 2013 III D Teatro de fantoches A criança que ainda não sabe ler convencionalmente pode fazê-lo por meio da escuta da leitura do professor, ainda que não possa

Leia mais

Texto I Escolha a fotografia que será tema do 'Contos do Rio'

Texto I Escolha a fotografia que será tema do 'Contos do Rio' 15 "A leitura não é uma atividade elitizada, mas uma ferramenta de transformação social dos indivíduos." (Julian Correa) Texto I Escolha a fotografia que será tema do 'Contos do Rio' Depois de uma pausa

Leia mais

O MUNDO É A CASA DO HOMEM

O MUNDO É A CASA DO HOMEM O MUNDO É A CASA DO HOMEM Nichan Dichtchekenian Há dois motivos principais que me levam a fazer esta apresentação: O primeiro é fazer um esclarecimento e uma defesa da Fenomenologia, buscando, este esclarecimento,

Leia mais

http://www.clarin.com/br/buenos-aires-presenca-grandeimaginario_0_1360664321.html

http://www.clarin.com/br/buenos-aires-presenca-grandeimaginario_0_1360664321.html http://www.clarin.com/br/buenos-aires-presenca-grandeimaginario_0_1360664321.html ENTREVISTA: VIK MUNIZ Buenos Aires tem uma presença muito grande no meu imaginário Gabriela Grosskopf Antunes Ele é um

Leia mais

DESAFIOS CRIATIVOS E FASCINANTES Aula de Filosofia: busca de valores humanos

DESAFIOS CRIATIVOS E FASCINANTES Aula de Filosofia: busca de valores humanos DESAFIOS CRIATIVOS E FASCINANTES Aula de Filosofia: busca de valores humanos Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Eu queria testar a metodologia criativa com alunos que eu não conhecesse. Teria de

Leia mais

000/000. Instruções PROVA DE SEGUNDA FASE 1º DIA FUVEST 2014 05/01/2014 (DOMINGO)

000/000. Instruções PROVA DE SEGUNDA FASE 1º DIA FUVEST 2014 05/01/2014 (DOMINGO) / / FUVEST ª Fase Primeiro Dia (5//) NOME IDENTIDADE MATÉRIAS NO TERCEIRO DIA (7//). Sóabraestecadernoquandoofiscalautorizar.. Verifique,nacapadestecaderno,seseunome estácorreto.. Antesdeiniciaraprova,verifiqueseocaderno

Leia mais

PORTUGUÊS MANEIRA DE AMAR

PORTUGUÊS MANEIRA DE AMAR PORTUGUÊS TEXTO 01 para as questões de 01 a 10. MANEIRA DE AMAR O jardineiro conversava com as flores, e elas se habituaram ao diálogo. Passava manhãs contando coisas a uma cravina ou escutando o que lhe

Leia mais

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: ESTUDOS SOCIAIS 1ª POSTAGEM ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Querido aluno, segue a orientação para esta atividade. - Ler com atenção, responder

Leia mais

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira)

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira) PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das INFORME-SE BNDES ÁREA PARA ASSUNTOS FISCAIS E DE EMPREGO AFE Nº 48 NOVEMBRO DE 2002 EDUCAÇÃO Desempenho educacional no Brasil: O que nos diz a PNAD-2001 Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou

Leia mais

A um poeta Olavo Bilac

A um poeta Olavo Bilac A um poeta Olavo Bilac Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Mas que na forma se disfarce

Leia mais

Janaina: muitas flores, uma estória. Me. Fernanda Kimie Tavares Mishima 1. Fernanda de Sousa Vieira 2. Profa. Dra. Maria Lucimar Fortes Paiva 3

Janaina: muitas flores, uma estória. Me. Fernanda Kimie Tavares Mishima 1. Fernanda de Sousa Vieira 2. Profa. Dra. Maria Lucimar Fortes Paiva 3 Janaina: muitas flores, uma estória Me. Fernanda Kimie Tavares Mishima 1 Fernanda de Sousa Vieira 2 Profa. Dra. Maria Lucimar Fortes Paiva 3 Resumo O presente trabalho traz contribuições acerca do atendimento

Leia mais

Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar

Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar Marcus J. Vieira Universidade Estadual de Londrina Uel marcus.musico@bol.com.br Resumo. Este relato descreve uma experiência em educação

Leia mais

Conteúdos: Elementos mórficos na formação de palavras: Radicais Prefixos Sufixos Palavras formadas por derivação e composição

Conteúdos: Elementos mórficos na formação de palavras: Radicais Prefixos Sufixos Palavras formadas por derivação e composição Conteúdos: Elementos mórficos na formação de palavras: Radicais Prefixos Sufixos Palavras formadas por derivação e composição Habilidades: Identificar elementos mínimos que trabalham na constituição de

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Bíblia para crianças apresenta AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

Quem tem boca vai a Roma

Quem tem boca vai a Roma Quem tem boca vai a Roma AUUL AL A MÓDULO 14 Um indivíduo que parece desorientado e não consegue encontrar o prédio que procura, aproxima-se de outro com um papel na mão: - Por favor, poderia me informar

Leia mais

Respostas: 02. 03. 01. 3º P34 M B 27/08/2008. Esta prova contém 10 questões.

Respostas: 02. 03. 01. 3º P34 M B 27/08/2008. Esta prova contém 10 questões. 3º P34 M B 27/08/2008 Esta prova contém 10 questões. INSTRUÇÕES: Verifique se sua prova está completa. Preencha corretamente todos os dados solicitados no cabeçalho. Resoluções e respostas somente a tinta,

Leia mais

Um na Estrada Caio Riter

Um na Estrada Caio Riter Um na Estrada Caio Riter PROJETO DE LEITURA 1 O autor Caio Riter nasceu em 24 de dezembro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. É bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Pontifícia

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 GIL, Bruna; BOTTON, Andressa 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Psicóloga, formada pelo Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria,

Leia mais

A amizade abana o rabo

A amizade abana o rabo RESENHA Leitor iniciante Leitor em processo Leitor fluente ILUSTRAÇÕES: Marina relata, nessa história, seu encontro com cães especiais, que fazem parte de sua vida: Meiga, Maribel e Milord. A história

Leia mais

endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português

endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Colégio Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para as questões de 1 a 3. Material: 1 xícara quase cheia de farinha

Leia mais

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA EJA Ensino Fundamental 2º Segmento Fase/Ano: 4ª Fase 6º e 7º Ano Ano Letivo: 2014 Componente Curricular: Geografia Professores do Estúdio: Jefferson Lima e Ludmila Dutra Carga

Leia mais

Aula lá fora. Episódio 9: Paranapiacaba. Palavras-chave Aula lá fora, escola, pedagogia, pesquisa, meio ambiente, formação de professores.

Aula lá fora. Episódio 9: Paranapiacaba. Palavras-chave Aula lá fora, escola, pedagogia, pesquisa, meio ambiente, formação de professores. Aula lá fora Episódio 9: Paranapiacaba Resumo Este vídeo exibe o episódio n o 9 da série Aula lá fora e trata do tema Meio ambiente. O episódio mostra as atividades desenvolvidas na preparação, realização

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES NÍVEL: FUNDAMENTAL TURNO: MANHÃ GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES SUPLETIVO 2013 QUADRO DE PROVAS PORTUGUÊS PRÉDIO: SALA: NOME COMPLETO: RG: Nº DE INSCRIÇÃO:

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro Histórias do Velho Testamento 3 a 6 anos Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro O Velho Testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

Domínio de linguagens

Domínio de linguagens ent elinhas 2maio/2007 Domínio de linguagens desenvolva... pratique... pense... 1. Leia o cartaz abaixo: Fonte: www.santosdumont.14bis.mil.br/.../view/1084.html Agora, assinale a alternativa correta: a)

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral Advento 2014 (Campanha de Preparação para o Natal) A ALEGRIA E A BELEZA DE VIVER EM FAMÍLIA. O tempo do Advento, que devido ao calendário escolar

Leia mais

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008.

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Artes & Design Curso de especialização O Lugar do Design na Leitura Disciplina: Estratégia RPG Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA Aluno (a): Turma: 2º Ano Professora: Data de entrega: Valor: 20 pontos CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Leitura e interpretação de textos

Leia mais

Guia Prático para Encontrar o Seu. www.vidadvisor.com.br

Guia Prático para Encontrar o Seu. www.vidadvisor.com.br Guia Prático para Encontrar o Seu Propósito de Vida www.vidadvisor.com.br "Onde os seus talentos e as necessidades do mundo se cruzam: aí está a sua vocação". Aristóteles Orientações Este é um documento

Leia mais

Caracterização da Escola

Caracterização da Escola 28 O CORDEL DOS TIRADENTES Flávia Helena Pontes Carneiro* helena.flavia@gmail.com *Graduada em Pedagogia, Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Professora

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

Pesquisa x Pesquisa. do Setor Editorial Brasileiro revelou uma venda de quatro bilhões de reais em livros, com

Pesquisa x Pesquisa. do Setor Editorial Brasileiro revelou uma venda de quatro bilhões de reais em livros, com A Bíblia Sagrada já vendeu, aproximadamente, 3,9 bilhões de cópias. O livro Ágape, do Padre Marcelo Rossi, já vendeu 8 milhões de exemplares. O livro erótico, Cinquenta Tons de Cinza, chegou ao número

Leia mais

Consciência Fonológica e Aquisição do Sistema de Escrita: descortinando mitos e preconceitos

Consciência Fonológica e Aquisição do Sistema de Escrita: descortinando mitos e preconceitos Consciência Fonológica e Aquisição do Sistema de Escrita: descortinando mitos e preconceitos E.E. Professora Nidelse Martins de Almeida. Sala 10 / Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): Marinalva Laurindo

Leia mais