Taxas e Diárias. Nos casos de utilização do Centro cirúrgico por pacientes externos será igualmente cobrada a Taxa de Admissão e Registro.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Taxas e Diárias. Nos casos de utilização do Centro cirúrgico por pacientes externos será igualmente cobrada a Taxa de Admissão e Registro."

Transcrição

1 Instruções Gerais Taxas e Diárias A Tabela de Taxas e Diárias do DF é normatizada pelo SBH Sindicato Brasiliense de Hospitais do DF, dirigida aos convênios que tem vinculo com a rede Hospitalar/DF filiados ao mesmo. A Unidade de Referência convencionada para o cálculo dos preços é a US (Unidade de Serviço), no valor de R$ 0,70. A US será quantificada para cada item da Tabela e, em cada caso, multiplicada pelo o respectivo valor vigente, o que determinará o preço final. Do Atendimento O 1º atendimento é o ato de acolhimento do Paciente, seguido de prestação de serviços médico-hospitalares e efetuado mediante apresentação do respectivo documento de identificação emitido pelo FIOSAÚDE, acompanhado da Cédula de Identidade Pública. Da internação A internação inicia-se com a identificação, preenchimento da documentação necessária, abertura ou desarquivamento do prontuário e, reserva e preparo da acomodação para o paciente, colocando a sua disposição toda a infraestrutura hospitalar disponível. Será cobrada a cada internação a Taxa de Admissão e Registro que visa cobrir as despesas de recepção, abertura ou desarquivamento do prontuário, registro e anotações de toda a documentação exigida, reserva e preparo do respectivo alojamento. Nos casos de utilização do Centro cirúrgico por pacientes externos será igualmente cobrada a Taxa de Admissão e Registro. Das Diárias Entende-se por Diária Hospitalar a ocupação de um leito de internação por qualquer período de tempo, até no máximo 24 (vinte quatro) horas. A primeira Diária é indivisível e inicia-se no momento da internação do paciente; As Horas Excedentes ao encerramento da última diária serão cobradas por hora, conforme a presente tabela, não podendo ultrapassar o valor de 1 (uma) Diária; No caso de transferência do paciente para UTI, os familiares poderão continuar ocupando o apartamento, desde que façam opção explícita e se responsabilizem pelas despesas decorrentes; Nas internações que necessitarem de isolamento do paciente as Diárias serão acrescidas de 30% (trinta por cento). Inclui-se no valor das diárias: a) Ocupação do espaço físico; b) Utilização das camas com as roupas necessárias e dos móveis específicos de casa alojamento; c) Limpeza e desinfecção do ambiente, alimentação completa para o paciente, inclusive dieta especial, prescrita pelo médico assistente, exceto, alimentação enteral e parenteral; 1

2 d) Atendimento de enfermagem para a boa evolução do paciente, exceto, os procedimentos incluídos nos serviços especiais previstos nesta tabela. Inclui-se, exclusivamente, na diária de Apartamento Tipo A, Tipo B, Especial e Suíte acomodação para 01(um) acompanhamente. Inclui-se, excepcionalmente, na diária de UTI: a) Utilização dos seguintes Equipamentos/Instrumentos Especiais: Desfribrilador (Cardioversor), Monitor Cardíaco, Aspirador, Capacete de HOOD, Berço Aquecido e Incubadora. b) Atendimento Integral de enfermagem. A dieta prescrita, inclusive o jejum do paciente não altera o valor da diária. A alimentação do acompanhante, quando solicitada e fornecida, será cobrada de acordo com Tabela Própria do Contratado. Nas diárias de um modo geral, não estão incluídas as Taxas de uso dos Equipamentos/Instrumentos Especiais, nem os serviços profissionais pela manipulação dos mesmos, exceto quando expressamente previstos na presente Tabela. Dos Tipos de Acomodação Os alojamentos hospitalares para efeito da presente Tabela estão divididos e compostos da seguinte forma: -Apartamento Especial e/ou Suíte aposentos dotados de maior conforto e requinte, de composição variável; - Apartamento tipo A aposento com 1 leito e acomodação par 1 acompanhante, banheiro privativo, mobiliário necessário ao paciente, telefone; televisão e/ou frigobar; - Apartamento tipo B aposento com 1 leito e acomodação para 1 acompanhante, banheiro privativo, mobiliário necessário ao paciente e telefone; - Enfermaria aposento com mais de 01 (um) leito, banheiro coletivo e mobiliário necessário ao paciente; - Berçário ou Alojamento Conjunto aposento com um ou mais leitos, exclusivamente, para recém-nascidos, composto com berços e mobiliários necessários ao atendimento proposto. - Unidade de Terapia Intensiva aposento com um ou mais leitos, exclusivamente, para pacientes, composto com camas, móveis e estar equipada com os aparelhos indispensáveis ao bom atendimento e segurança do paciente; Nomenclatura Fator Qdt. US Valor Diária Suíte Dia 1033 R$ 723,10 Apartamento Especial Dia 669 R$ 468,30 Apartamento Tipo A Dia 526 R$ 368,20 Apartamento Tipo B Dia 416 R$ 291,20 Enfermaria Dia 263 R$ 184,10 Berçário ou Alojamento Conjunto Dia 110 R$ 77,00 UTI Dia R$ 951,30 Horas Excedentes Diária Suíte Hora 86 R$ 60,20 2

3 Horas Excedentes Apartamento Especial Hora 56 R$ 39,20 Apartamento Tipo A Hora 44 R$ 30,80 Apartamento Tipo B Hora 35 Enfermaria Hora 22 R$ 15,40 Berçário ou Alojamento Conjunto Hora 9 R$ 6,30 UTI Hora 113 R$ 79,10 Sala de Observação em Pronto Socorro Aposento composto por um ou mais leitos, exclusivamente para Pacientes, contendo camas ou macas. Situa-se em ambulatório ou pronto socorro, sendo destinada a observação do paciente após atendimento ou exame. 1) Inclui-se no valor da taxa de Sala de Observação a utilização do aposento e atendimento de enfermagem, exceto, nos procedimentos incluídos nos Serviços Especiais previstos nesta Tabela. 1.1 O valor da taxa cobre uma permanência de até 6 (seis) horas. Havendo necessidade de prorrogação deste prazo será cobrada Hora Excedente conforme presente Tabela. Até 6 Horas Uso 60 R$ 42,00 Horas excedente Sala de Observação em Pronto-Socorro Hora 10 R$ 7,00 Sala de Recuperação Pós Anestésica Aposento composto por um ou mais leitos, exclusivamente para Pacientes em observação após o ato cirúrgico, até sua transferência para o alojamento reservado ou alta hospitalar. O tempo de permanência varia de acordo com o tipo de anestesia utilizada e situa-se no Centro Cirúrgico ou Obstétrico. 1) Inclui-se no valor da utilização da Sala de Recuperação Pós Anestésica, a utilização do aposento e atendimento de enfermagem, exceto nos procedimentos incluídos nos Serviços Especiais previstos nesta Tabela. Nomenclatura Fator Qdt. US Valor Bloqueio de Plexo Uso 60 R$ 42,00 Peridural e/ou Raquidiana Uso 80 R$ 56,00 Geral Uso 100 R$ 70,00 Taxas de Sala de Cirurgia Visam cobrir, exclusivamente, o custo do espaço físico, móveis e equipamentos permanentes da sala, esterilização e uso do instrumental cirúrgico básico, não cobrindo os equipamentos/instrumentos Especiais constantes desta Tabela. 3

4 Os Portes Cirúrgicos foram classificados tomando-se como base os portes anestésicos da Tabela de Honorários Médicos da AMB, vigente, exceto: a) pequeno ato médico realizado fora do centro cirúrgico = Porte 0 b) curetagem uterina = Porte 2 c) parto normal = Porte 3 d) cesariana = Porte 3 Na cirurgias infectadas, por acarretarem isolamento da sala, despesas adicionais de reesterilização, risco de perda ou postergação de cirurgias subseqüentes, as taxas de sala terão acréscimo de 100% (cem por cento) do seu valor. a) em se tratando de pequena cirurgias realizadas fora do centro cirúrgico esse acréscimo dependera de justificativa do médico assistente. Quando ocorrerem duas ou mais cirurgias pela mesma via de acesso, a Taxa de Sala a ser cobrada será correspondente a 100% (cem por cento) da taxa de maior porte, acrescida de 50% (cinqüenta por cento) do valor da taxa da segunda cirurgia e 25% (vinte por cento) das taxas das demais cirurgias; Quando ocorrerem duas ou mais cirurgias por vias de acesso diferentes a Taxa de Sala a ser cobrada será correspondente a 100% (cem por cento) da taxa de maior porte, acrescida de 70% (setenta por cento) do valor da taxa da segunda cirurgia e 25% (vinte e cinco por cento), das taxas das demais cirurgias. Quando forem realizadas cirurgias de porte 0 (zero) no centro cirúrgico, a taxa de sala a ser cobrada será equivalente ao porte 1 devidamente justificada pelo médico assistente. Porte 0 Uso 161 R$ 112,70 Porte 1 Uso 376 R$ 263,20 Porte 2 Uso 564 R$ 394,80 Porte 3 Uso 752 R$ 526,40 Porte 4 Uso 940 R$ 658,00 Porte 5 Uso R$ 789,69 Porte 6 Uso R$ 921,20 Porte 7 Uso R$ 1.052,10 Pequeno Ato Médico Fora do Cento Cirúrgico Uso 161 R$ 112,70 Parto Normal Uso 752 R$ 526,40 Cesariana Uso 752 R$ 526,40 Curetagem Uterina Uso 564 R$ 394,80 Sala de Exames/Tratamentos Especializados Visa cobrir exclusivamente, o custo do espaço físico e acomodação para o paciente, nos diversos procedimentos. A Taxa de Sala de Quimioterapia visa cobrir o custo do preparo e manipulação de produtos quimioterápicos que requeiram ambiente e técnica especiais. 4

5 Quimioterapia Sessão 80 56,00 Hemodinâmica Sessão R$ 1.050,00 Endoscopia Exame 121 R$ 84,70 Gesso Sessão 110 R$ 77,00 Sala de Nutrição Parental Sessão 125 R$ 87,50 Sala de Serviços Especiais Visa cobrir os custos de manipulação profissional onde são empregadas técnicas especiais. A taxa de instrumentação cirúrgica será cobrada na proporção de 10% (dez por cento) do valor de cada ato cirúrgico, desde que a ocorrência do instrumentador seja registrada no respectivo Boletim Anestésico. Aspiração Sessão 6 R$ 4,20 Esvaziamento Manual de Megacolon Sessão 239 R$ 167,30 Imobilização Provisória Sessão 89 R$ 62,30 Injeção - Ambulatório / Pronto-Socorro Aplicação 10 R$ 7,00 Instalação de Soro com Equip. Amb./ PS Sessão 35 R$ 24,50 Instalação de Tenda Sessão 48 R$ 33,60 Instrumentação Cirúrgica Sessão A Calcular xxxxxxxx Irrigação Contínua Dia 30 R$ 21,00 Lavagem e Aspiração Traqueal Sessão 8 R$ 5,60 Lavagem Gástrica Sessão 77 R$ 53,90 Lavagem Intestinal Sessão 77 R$ 53,90 Preparo de Alimentação Enteral Dia 100 R$ 70,00 Preparo de Alimentação Parental Dia 376 R$ 263,20 Retirada de Gesso Sessão 20 R$ 14,00 Retirada de Imobilização Provisória Sessão 10 R$ 7,00 Sondagem Gástrica Sessão 40 R$ 28,00 Sondagem Retal Sessão 40 R$ 28,00 Sondagem Vesical Sessão 77 R$ 53,90 Outros Serviços A Taxa para Remoção em ambulância comum visa cobrir o custo de um deslocamento inicial de até 50 (cinqüenta) quilômetros cujo valor equivalerá ao de 50 (cinqüenta) litros de gasolina. O quilometro excedente equivalerá a 1 (um) litro de gasolina por quilômetro rodado. A Taxa de Necrotério visa cobrir os custos de limpeza, conservação e utilização do espaço físico destinado a abrigar o corpo até a sua transferência para outro local. A Taxa de Sala de Autopsia/Embalsamento visa cobrir, exclusivamente, o custo do espaço físico, móveis e equipamentos permanentes da sala, esterilização e utilização do instrumental próprio, limpeza e conservação do local. Demais Taxas, visam cobrir custos conforme negociação ou tabela vigente do estado. 5

6 Remoção em Ambulância Comum Uso A Calcular Quilômetro Rodado Km A Calcular Necrotério Uso 60 R$ 42,00 Sala de Necrópsia / Embalsamento Uso 200 R$ 140,00 Refeição para Acompanhante Unidade Tab./Hosp. Troca de Alojamento Por Solicitação do Paciente Sessão 70 R$ 49,00 Equipamentos/ Instrumentos Especiais As Taxas para Utilização de Equipamentos/Instrumentos Especiais visam cobrir exclusivamente, os custos de instalação, limpeza e esterilização, quando necessária; o desgaste e depreciação, como também a manutenção sistemática dos mesmos. Aparelho de Raio X no Centro Cirúrgico / UTI Uso 100 R$ 70,00 Artroscópio Uso 394 R$ 275,80 Aspirador Sessão 55 R$ 38,50 Bandeja de Infiltração / Punção Articular Uso 89 R$ 62,30 Bandeja Dissecção / Punção Lombar Uso 68 R$ 47,60 Bandeja Punção Sub-Clávia Uso 32 R$ 22,40 Berço Aquecido Hora 9 R$ 6,30 Bisturi Elétrico Uso 73 R$ 51,10 Bisturi Elétrico Bipolar Uso 100 R$ 70,00 Bomba de Circ. Extra Corpórea Sessão 400 R$ 280,00 Bomba de Infusão Dia 100 R$ 70,00 Capacete de Hood Dia 10 R$ 7,00 Capinógrafo Uso 65 R$ 45,50 Cardiotacógrafo Hora 176 R$ 123,20 Cicloergometria Uso 50 R$ 35,00 Colchão D água ou Ar Dia 21 R$ 14,70 Criocautério Bipolar Uso 65 R$ 45,50 Dermatomo a Gás Uso 160 R$ 112,00 Dermatomo Elétrico Uso 80 R$ 56,00 Desfibrilador (Cardioversor) Sessão 50 R$ 35,00 Ecocardiógrafo Exame 125 R$ 87,50 Eletrocardiógrafo Exame 26 R$ 18,20 Eletroencefalográfo Exame 40 R$ 28,00 Endoscópio Digestivo (Cirurgia) Cirúrgica 300 R$ 210,00 Endoscópio Digestivo (Exame) Exame 240 R$ 168,00 Endoscópio Ginecológico (Exame) Exame 140 R$ 98,00 Endoscópio Respiratório (Cirurgia) Cirúrgica R$ 840,00 Endoscópio Respiratório (Exame) Exame 240 R$ 168,00 Endoscópio Urológico (Cirurgia) Cirúrgica R$ 840,00 Endoscópio Urológico (Exame) Exame 400 R$ 280,00 Fototerapia Hora 10 R$ 7,00 6

7 Garrote Pneumático Uso 40 R$ 28,00 Halo Craniano Dia 40 R$ 28,00 Holter Exame 60 R$ 42,00 Vídeo Artroscópio Uso R$ 840,00 Vídeo Endoscópio Urológico (Exame) Exame 615 R$ 430,50 Vídeo Endoscópio Urológico (Cirurgia) Cirúrgica R$ 1.050,00 Incubadora Hora 20 R$ 14,00 Ionizador Hora 10 R$ 7,00 Laparoscópio Uso R$ 1.344,70 Laser Cirúrgico Uso 200 R$ 140,00 Lupa Cirúrgica Uso 100 R$ 70,00 Mapa Exame 60 R$ 42,00 Marca Passo Temporário Dia 355 R$ 248,50 Microscópio Cirúrgico Uso 200 R$ 140,00 Monitor Hora 17 R$ 11,90 Nebulizador Sessão 21 R$ 14,70 Oxímetro Hora 10 R$ 7,00 Pacote de Curativo Uso 44 R$ 30,80 Quadro Balcânico Exame 21 R$ 14,70 Respirador Hora 26 R$ 18,20 Serra Elétrica Uso 60 R$ 42,00 Tração Esquelética Dia 40 R$ 28,00 Trépano Elétrico Uso 60 R$ 42,00 Serviços Administrativos A Taxa de Registro e Expediente em Pronto Socorro, visa cobrir os custos de recepção, encaminhamento do paciente, abertura de prontuário ou ficha de atendimento, registros e anotações diversas, assim como todo o material de expediente utilizado, sendo cobrada em todos os atendimentos de Pronto Socorro, exceto quando exclusivamente, para consulta médica e nebulizações subseqüentes no mesmo paciente. A Taxa de Admissão e Registro terá acréscimo de 20% somente quando a internação for realizada em caráter de urgência. Registro e Expediente em Pronto Socorro Sessão 30 R$ 21,00 Admissão e Registro Sessão 208 R$ 145,60 Atestado e/ou Declarações Unidade 10 R$ 7,00 Gases Medicinais Os Gases Medicinais serão cobrados por hora indivisível. Os valores serão informados periodicamente pelo SBH, nos quais são considerados, para efeito dos cálculos, a vasão necessária a cada forma de utilização. Excepcionalmente, o Oxigênio sob Cateter utilizado para nebulização, será cobrado na proporção de 15 (quinze) minutos para cada sessão. 7

8 Oxigênio na UTI Hora A Calcular xxxx Oxigênio no Centro Cirúrgico Hora A Calcular xxxx Oxigênio Sob Cateter Hora A Calcular xxxx Oxigênio Sob Cateter para Nebulização Sessão A Calcular xxxx Ar Comprimido na UTI Hora A Calcular xxxx Ar Comprimido no Centro Cirúrgico Hora A Calcular xxxx Ar Comprimido Sob Cateter Hora A Calcular xxxx Protóxido Hora A Calcular xxxx Gás Carbônico Hora A Calcular xxxx Nitrogênio Hora A Calcular xxxx Materiais / Medicamentos Exceto o expressamente previsto na presente Tabela, nenhum tipo de Material Descartável, Gases Medicinais e/ou Medicamentos está incluído nos valores aqui estabelecidos. Disposições Gerais: 1) As contas Nosocomiais das entidades conveniadas, serão confeccionadas tomando-se como parâmetros os preços vigentes na data do respectivo faturamento e constantes dos instrumentos: a) a presente tabela de preços de Serviços hospitalares SBH; b) o caderno Nacional de Preços de Produtos Farmacêuticos da ABIFARMA e/ou Guia Farmacêutico BRASINDICE; c) A Tabela de Honorários Médicos FioSaúde d) A Tabela de Preços de Materiais Descartáveis SBH; e) A Tabela de Preços de Gases Medicinais SBH; f) As Notas Fiscais de produtos e/ou serviços não previstos nos instrumentos acima. 2) Os materiais descartáveis serão cobrados pelo preço estabelecido na Tabela de Materiais Descartáveis do SBH; 2.1 Os materiais que porventura não estiverem incluídos na Tabela SBH, serão cobrados pelo valor da nota fiscal de aquisição, acrescidos de 35 % (trinta e cinco por cento) a título de despesas operacionais e taxa de comercialização. 3) Os medicamentos serão cobrados com base no Caderno Nacional de Preços de Produtos Farmacêuticos publicado periodicamente pela ABIFARMA e no Guia Farmacêutico BRASÍNDICE para os produtos não previstos no primeiro. 3.1 Os medicamentos não disponíveis na farmácia hospitalar que forem adquiridos no comércio varejista, serão cobrados pelo valor da nota fiscal de aquisição. 4) As Órteses, Próteses e Materiais Especiais serão cobrados pelo valor da nota fiscal do fornecedor, acrescido de 35% (trinta e cinco por cento) a título de despesas operacionais e taxa de comercialização. 5) Serão considerados especiais os atendimentos de emergência iniciados após às 19:00 h até 07:00 horas do dia seguinte nos dias úteis e nos sábados e, em qualquer horário nos domingos e feriados. 5.1 em face do elevado custo operacional gerado pelo aumento dos encargos trabalhistas e tarifas públicas, nestes 8

9 horários todas as taxas previstas na presente Tabela terão acréscimo de 20% (vinte por cento), exceto na Taxa de Registro e Expediente em Pronto Socorro. 9

Secretaria de Gestão do STF-Med INSTRUÇÕES SOBRE TAXAS E DIÁRIAS DA TABELA PRÓPRIA PARA CONVÊNIOS E CREDENCIAMENTOS DO STF-MED

Secretaria de Gestão do STF-Med INSTRUÇÕES SOBRE TAXAS E DIÁRIAS DA TABELA PRÓPRIA PARA CONVÊNIOS E CREDENCIAMENTOS DO STF-MED Secretaria de Gestão do STF-Med INSTRUÇÕES SOBRE TAXAS E DIÁRIAS DA TABELA PRÓPRIA PARA CONVÊNIOS E CREDENCIAMENTOS DO STF-MED I. DO ATENDIMENTO O atendimento é o ato de acolhimento do paciente, seguido

Leia mais

INSTRUÇÕES DA TABELA DE SERVIÇOS HOSPITALARES

INSTRUÇÕES DA TABELA DE SERVIÇOS HOSPITALARES INSTRUÇÕES DA TABELA DE SERVIÇOS HOSPITALARES 1. DO ATENDIMENTO: 1.1. O atendimento é o ato de acolhimento do paciente, seguido da prestação de serviços médico-hospitalares, e será efetuado mediante apresentação

Leia mais

HOME HOSPITAL ORTOPÉDICO E MEDICINA ESPECIALIZADA LTDA ANEXO 1

HOME HOSPITAL ORTOPÉDICO E MEDICINA ESPECIALIZADA LTDA ANEXO 1 HOME HOSPITAL ORTOPÉDICO E MEDICINA ESPECIALIZADA LTDA ANEXO 1 Lista Referencial de Valores de Diárias, Taxas, Utilização de Equipamentos, Serviços Hospitalares e Gasoterapia 1) LISTA REFERENCIAL DE VALORES:

Leia mais

DESCRIÇÃO ATUAL UNIDADE

DESCRIÇÃO ATUAL UNIDADE TUSS DESCRIÇÃO ATUAL UNIDADE 60000511 APARTAMENTO ESPECIAL DIA 60000519 APARTAMENTO ESPECIAL 60000559 APARTAMENTO TIPO A 60000581 SUÍTE 60000611 BERÇÁRIO OU ALOJAMENTO CONJUNTO 60000635 ENFERMARIA DIA

Leia mais

CENTRO DIAGNÓSTICO AFONSO PENA

CENTRO DIAGNÓSTICO AFONSO PENA LIS CENTRO DIAGNÓSTICO AFONSO PENA CONSULTAS (HORÁRIO COMERCIAL): R$ 50,00 CONSULTAS À NOITE, FERIADO E FINAL DE SEMANA: R$ 70,00 1.1 Enfermaria 1.2 Apartamento Privativo Padrão 1.3 Apartamento Privativo

Leia mais

Tabela Própria para Convênios e Credenciamentos. Instruções de TAXAS E DIÁRIAS Anexo III

Tabela Própria para Convênios e Credenciamentos. Instruções de TAXAS E DIÁRIAS Anexo III TRE-SAÚDE Tabela Própria para Convênios e Credenciamentos Instruções de TAXAS E DIÁRIAS Anexo III TRE-SAÚDE Tabela Própria para Convênios e Credenciamentos I. DO ATENDIMENTO 1. O atendimento é o ato de

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA AO PESSOAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE DE CREDENCIAMENTO NA ÁREA DE SAÚDE SCLS

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA AO PESSOAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE DE CREDENCIAMENTO NA ÁREA DE SAÚDE SCLS POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA AO PESSOAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE DE CREDENCIAMENTO NA ÁREA DE SAÚDE SCLS 115, Bl. D, Lj. 36 Térreo - Asa Sul CEP 70.385-340 BRASÍLIA-DF

Leia mais

PRINCIPAIS CÓDIGOS TUSS UTILIZADOS PELA CASSEB (EXTRAIDOS DOS MANUAIS TISS 3.02 DA ANS) CÓDIGO TUSS DESCRIÇÃO TUSS

PRINCIPAIS CÓDIGOS TUSS UTILIZADOS PELA CASSEB (EXTRAIDOS DOS MANUAIS TISS 3.02 DA ANS) CÓDIGO TUSS DESCRIÇÃO TUSS PRINCIPAIS CÓDIGOS TUSS UTILIZADOS PELA CASSEB (EXTRAIDOS DOS MANUAIS TISS 3.02 DA ANS) DESCRIÇÃO CASSEB CÓDIGO TUSS DESCRIÇÃO TUSS DIÁRIAS ENFERMARIA 60000694 DIÁRIA DE ENFERMARIA DE 3 LEITOS COM BANHEIRO

Leia mais

DE PARA CÓDIGO PRÓPRIO - TUSS

DE PARA CÓDIGO PRÓPRIO - TUSS DE PARA CÓDIGO PRÓPRIO - TUSS NOMENCLATURA DO PROCEDIMENTO CÓDIGO PRÓPRIO CÓDIGO TUSS NOMENCLATURA DO PROCEDIMENTO TUSS 8001 - DIARIAS DIARIA APARTAMENTO LUXO 80011012 60000511 DIARIA APARTAMENTO SIMPLES/SEMI-PRIVATIVO

Leia mais

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando:

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: PORTARIA Nº 1.091/MS/GM, DE DE 25 DE AGOSTO DE 1999 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: - a necessidade de organização da assistência neonatal, para assegurar melhor

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS

TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS Instruções Gerais: TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS 01. A presente Tabela de Honorários Médicos foi elaborada com base em critérios uniformes para todas as especialidades e tem como finalidade estabelecer

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO LIVRE ESCOLHA

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO LIVRE ESCOLHA PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO LIVRE ESCOLHA A modalidade Livre Escolha consiste no reembolso de despesas médicas e/ou hospitalares de procedimentos constantes da Tabela de Reembolso do PAS-SERPRO

Leia mais

ANEXO K Anexo ao Edital de Convocação 001/2013

ANEXO K Anexo ao Edital de Convocação 001/2013 ANEXO K Anexo ao Edital de Convocação 001/2013 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMNE 6ª RM 19ª CIRCUNSCRIÇÃO DE SERVIÇO MILITAR (JRS de Aracaju / 1908) Lista Referencial de Procedimentos Hospitalares

Leia mais

Mapeamento de Diárias para Codificação TUSS Diárias

Mapeamento de Diárias para Codificação TUSS Diárias Mapeamento de Diárias para Codificação TUSS Diárias Codigo Nome Cod TUSS Descr 80011063 DIÁRIA DAY CLINIC APARTAMENTO 60000775 DIÁRIA DE HOSPITAL DIA APARTAMENTO 80014003 DIÁRIA DAY CLINIC ENFERMARIA (

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ ANEXO I EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N 008/2014 PARA CREDENCIAMENTO DE HOSPITAIS E CLÍNICAS HABILITADOS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE, ASSIM COMPREENDIDOS OS CENTROS DE INFUSÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS;

Leia mais

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO MANUAL DE FISCALIZAÇÃO ROTEIROS DE VISTORIAS O médico fiscal, quando no exercício das vistorias, deverá sempre apresentar sua carteira de identidade funcional (emitida pelo Conselho Regional) e ofício

Leia mais

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando:

O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: PORTARIA Nº 3.432/MS/GM, DE 12 DE AGOSTO DE 1998 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando: a importância na assistência das unidades que realizam tratamento intensivo

Leia mais

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA 1- INTRODUÇÃO Quando uma pessoa sofre agravo agudo à saúde, deve ser acolhido em serviço do SUS mais próximo de sua ocorrência, seja numa Unidade de Saúde

Leia mais

SERVIÇOS MÉDICOS E COMPLEMENTARES: NORMAS E ROTINAS (SOMENTE ACESSÍVEIS AOS CAMPI DO INTERIOR)

SERVIÇOS MÉDICOS E COMPLEMENTARES: NORMAS E ROTINAS (SOMENTE ACESSÍVEIS AOS CAMPI DO INTERIOR) SERVIÇOS MÉDICOS E COMPLEMENTARES: NORMAS E ROTINAS (SOMENTE ACESSÍVEIS AOS CAMPI DO INTERIOR) Preliminarmente, cabe lembrar que a concessão dos Serviços Médicos e Complementares pela Universidade de São

Leia mais

TABELA DIÁRIAS/TAXAS, MATERIAIS E MEDICAMENTOS REEMBOLSO

TABELA DIÁRIAS/TAXAS, MATERIAIS E MEDICAMENTOS REEMBOLSO 1.1-80.01.000-8 DIÁRIAS TABELA DIÁRIAS/TAXAS, MATERIAIS E MEDICAMENTOS REEMBOLSO 1 SERVIÇOS HOSPITALARES 80.01.103-9 Apartamento Standard Dia 193,44 1-Diárias de Apartamento Standard, Berçário, 80.01.106-3

Leia mais

TABELA - TAXAS e DIÁRIAS - TIPO C BERÇÁRIO OU ALOJAMENTO CONJUNTO dia R$ 55, UTI dia R$ 679,50

TABELA - TAXAS e DIÁRIAS - TIPO C BERÇÁRIO OU ALOJAMENTO CONJUNTO dia R$ 55, UTI dia R$ 679,50 DIÁRIAS TABELA - TAXAS e DIÁRIAS - TIPO C DESCRIÇÃO USO VALOR Valor da US R$ 0,50 Valor da US desde 01/11/09 00.001 SUÍTE dia R$ 516,50 00.002 APTO ESPECIAL dia R$ 334,50 00.003 APTO TIPO A dia R$ 263,00

Leia mais

TABELA DE PREÇOS SISTEMA PACOTE NIPOMED. Diária de Enfermaria... R$ 430,00 Diária de Apartamento... R$ 580,00 Diária de UTI... R$ 1.

TABELA DE PREÇOS SISTEMA PACOTE NIPOMED. Diária de Enfermaria... R$ 430,00 Diária de Apartamento... R$ 580,00 Diária de UTI... R$ 1. ATUALIZADO EM 2011 TABELA DE PREÇOS SISTEMA PACOTE NIPOMED CONSULTA NIPOMED 52,00 CONSULTA PART - 150.00 Pacotes de Diárias Clínicas: Diária de Enfermaria... R$ 430,00 Diária de Apartamento... R$ 580,00

Leia mais

Manual do Prestador SEPACO. Autogestão. ANS - no 41.696-7

Manual do Prestador SEPACO. Autogestão. ANS - no 41.696-7 Manual do Prestador Autogestão ANS - no 41.696-7 SEPACO Prezado prestador, Este manual tem como objetivo formalizar a implantação das rotinas administrativas do Sepaco Autogestão, informando as características

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS HOSPITALARES PARA CONVÊNIO - TIPO "C" DIÁRIAS R$

TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS HOSPITALARES PARA CONVÊNIO - TIPO C DIÁRIAS R$ TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS HOSPITALARES PARA CONVÊNIO - TIPO "C" NOMENCLATURA FATOR DIÁRIAS R$ SUÍTE dia R$ 299,57 APTO ESPECIAL dia R$ 194,01 APTO TIPO A dia R$ 152,54 APTO TIPO B dia R$ 120,64 ENFERMARIA

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS HOSPITALARES PARA CONVÊNIO - TIPO "B" DIÁRIAS R$

TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS HOSPITALARES PARA CONVÊNIO - TIPO B DIÁRIAS R$ TABELA DE PREÇOS DE SERVIÇOS HOSPITALARES PARA CONVÊNIO - TIPO "B" NOMENCLATURA FATOR DIÁRIAS R$ SUÍTE dia R$ 361,55 APTO ESPECIAL dia R$ 234,15 APTO TIPO A dia R$ 184,10 APTO TIPO B dia R$ 145,60 ENFERMARIA

Leia mais

FISCO. Saúde. Atendimento. Hospitalar GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1

FISCO. Saúde. Atendimento. Hospitalar GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1 FISCO Saúde ANS 41.766-1 Atendimento Hospitalar GUIA DE PROCEDIMENTOS Prezados Associados, Pra facilitar a comunicação e dirimir as principais dúvidas sobre a utilização dos nossos serviços, o FISCO SAÚDE

Leia mais

4. DOS DEVERES 1. DA EMPRESA

4. DOS DEVERES 1. DA EMPRESA 1. APRESENTAÇÃO O Manual Nacional de Acidente do Trabalho tem por finalidade estabelecer normas, regras e diretrizes que norteiem o INTERCÂMBIO de Acidente do Trabalho entre todas as UNIMEDs do país, consolidando

Leia mais

CAURJ CAIXA ASSISTENCIAL UNIVERSITÁRIA DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTO APROVADO EM 27/04/2005 PLANO AMBULATORIAL

CAURJ CAIXA ASSISTENCIAL UNIVERSITÁRIA DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTO APROVADO EM 27/04/2005 PLANO AMBULATORIAL CAURJ CAIXA ASSISTENCIAL UNIVERSITÁRIA DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTO APROVADO EM 27/04/2005 PLANO AMBULATORIAL REGULAMENTO DO PLANO AMBULATORIAL DA CAURJ* (*ENTIDADE REGISTRADA SOB O Nº. 34.782 PLANO REGISTRADO

Leia mais

Abrangência. >400.000 conceitos definidos. >1.400.000 relações semânticas

Abrangência. >400.000 conceitos definidos. >1.400.000 relações semânticas Dr. João de Lucena Gonçalves Consultor Técnico da CNS consultoria@ahcrj.com.br () 53-0540 Fonação-audição TROCA Linguagem Palavras SINTAXE Frases Conceitos SEMÂNTICA ANS UMLS SNOMED CT ICD TROCA SINTAXE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMP - 11ª R M HOSPITAL MILITAR DE ÁREA DE BRASÍLIA

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMP - 11ª R M HOSPITAL MILITAR DE ÁREA DE BRASÍLIA ANEXO (Cont. do Anexo III III Manual de de Auditoria - Credenciamento - Credenciamento 001-2013- fl. nº. 001-2013 1 de 021 ) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMP - 11ª R M HOSPITAL MILITAR DE ÁREA

Leia mais

Manual de Orientação ao Cliente

Manual de Orientação ao Cliente Manual de Orientação ao Cliente Prezado Cliente O Hospital IGESP reúne em um moderno complexo hospitalar, os mais avançados recursos tecnológicos e a excelência na qualidade do atendimento prestado por

Leia mais

GESTÃO DE BENEFICIOS E VANTAGENS. Manual de Procedimentos

GESTÃO DE BENEFICIOS E VANTAGENS. Manual de Procedimentos GESTÃO DE BENEFICIOS E VANTAGENS Manual de Procedimentos --------------------------ELABORAÇÃO------------------------------- Rilka Batista Suyanne Saboia -----------------------------FORMATAÇÃO--------------------------

Leia mais

SulAmérica Saúde PME

SulAmérica Saúde PME SulAmérica Saúde PME SulAmérica Saúde PME Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais ANS - Nº 000043 0057.8013.0797 Índice Condições Gerais do Contrato de Seguro Saúde PME Modalidade Ambulatorial

Leia mais

SulAmérica Saúde PME Hospitalar com Obstetrícia. Condições Gerais 03 a 29 vidas

SulAmérica Saúde PME Hospitalar com Obstetrícia. Condições Gerais 03 a 29 vidas SulAmérica Saúde PME Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais 03 a 29 vidas Versão 05 Vigência Fevereiro/2014 Contrato nº 0058.0044.0597 Cod.553 Cod.553 SulAmérica Saúde PME Índice SulAmérica Saúde

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E REDES ASSISTENCIAIS ANEXO I DE ACORDO COM O ESTABELECIDO PELA PORTARIA Nº 3432 /GM/MS, DE 12 DE AGOSTO DE 1998, REFERENTE

Leia mais

AUDITORIA EM ENFERMAGEM. UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes

AUDITORIA EM ENFERMAGEM. UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes AUDITORIA EM ENFERMAGEM UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes Conceito AUDITORIA é uma avaliação sistemática e formal de

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde Unidade de Tecnologia da Organização de Serviços de Saúde

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde Unidade de Tecnologia da Organização de Serviços de Saúde I ESTRUTURA SIM NÃO NA Área física de acordo com a RDC n 50/02 Localização em área de circulação restrita AREA ADMINISTRATIVA Área exclusiva para a recepção de pacientes Barreira física entre circulação

Leia mais

Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário COMISSÃO DE CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR

Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário COMISSÃO DE CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR PROGRAMA PREVENÇÃO E CONTROLE DE Sumário COMISSÃO DE CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR ORGANIZAÇÃO DA CCIH Estrutura Atividades FUNCIONAMENTO Coleta de Dados Análise dos Dados Divulgação dos Dados Recursos

Leia mais

SABESPREV SAÚDE REEMBOLSO DE DESPESAS MÉDICAS

SABESPREV SAÚDE REEMBOLSO DE DESPESAS MÉDICAS Além de disponibilizar uma ampla rede de recursos credenciados, a Sabesprev ainda possibilita aos seus beneficiários o reembolso de despesas com serviços de saúde em regime de livre escolha, quando o beneficiário

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA nº 7-2010/PR

PORTARIA NORMATIVA nº 7-2010/PR PORTARIA NORMATIVA nº 7-2010/PR Implementa alteração no serviço de Assistência Hospitalar Domiciliar - AHD, no âmbito do Programa IPASGO Domiciliar e revoga PN 004-2009/PR. O Presidente do Instituto de

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032/04 PR, de 31de maio de 2004. Publicada no DOE em 1 /07/04, vigência a partir de 31/05/04.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032/04 PR, de 31de maio de 2004. Publicada no DOE em 1 /07/04, vigência a partir de 31/05/04. Alterações: Alterado o inciso IV do art. 5 pela IN 042/05 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032/04 PR, de 31de maio de 2004. Publicada no DOE em 1 /07/04, vigência a partir de 31/05/04. Institui critérios para os

Leia mais

DELIBERAÇÃO nº 717/2008

DELIBERAÇÃO nº 717/2008 DELIBERAÇÃO nº 717/2008 Dispõe sobre carga horária e assistência farmacêutica em estabelecimentos hospitalares e similares. O Presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná CRF- PR, no

Leia mais

REVISÃO: Diretoria Hospital João XXIII; Gerência de enfermagem: Gerência do bloco cirúrgico; Coordenação urgência e emergência DATA: 07/01/2013

REVISÃO: Diretoria Hospital João XXIII; Gerência de enfermagem: Gerência do bloco cirúrgico; Coordenação urgência e emergência DATA: 07/01/2013 Hospital João XXIII Plano Atendimento a Desastres Hospital João XXIII TÍTULO: Plano de Atendimento a Desastres Hospital João XXIII PALAVRAS-CHAVE: Desastres, Crise, e PS ELABORAÇÃO: Diretoria Hospital

Leia mais

PROGRA M A DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PAS/SERPRO MANUAL DO USUÁRIO IMPORTANTE

PROGRA M A DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PAS/SERPRO MANUAL DO USUÁRIO IMPORTANTE PROGRA M A DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PAS/SERPRO MANUAL DO USUÁRIO IMPORTANTE O PAS/SERPRO em Convênio de Reciprocidade com a CASSI foi criado de maneira a possibilitar o acesso de todos os empregados e seus

Leia mais

ANEXO 14 -NORMAS PARA PROJETOS FÍSICOS DEESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DESAÚDE DEFINIÇÕES IM PORTANTES PARA O CADASTRAM ENTO

ANEXO 14 -NORMAS PARA PROJETOS FÍSICOS DEESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DESAÚDE DEFINIÇÕES IM PORTANTES PARA O CADASTRAM ENTO ANEXO 14 -NORMAS PARA PROJETOS FÍSICOS DEESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DESAÚDE Resolução - RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002 Substitui a Portaria MS nº1.884,de 11/11/1994 Este glossário se complementa

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICO - ADMINISTRATIVAS SISTEMA DE CREDENCIAMENTO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA PSIQUIÁTRICA

MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICO - ADMINISTRATIVAS SISTEMA DE CREDENCIAMENTO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA PSIQUIÁTRICA 1 MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICO - ADMINISTRATIVAS SISTEMA DE CREDENCIAMENTO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA PSIQUIÁTRICA REGISTRO ANS 31547-8 Unidade de serviço = R$ 0,36 2 INSTRUÇÕES TÉCNICO-ADMINISTRATIVAS PROGRAMA

Leia mais

SERVMED SAÚDE MANUAL DE PREENCHIMENTO TISS

SERVMED SAÚDE MANUAL DE PREENCHIMENTO TISS SERVMED SAÚDE MANUAL DE PREENCHIMENTO TISS MAIO/2007 Blumenau-SC, 18 de maio de 2007. À Rede Credenciada Prezados Credenciados: Como é de conhecimento de todos, dia 31 de maio de 2007 é o prazo que a Agência

Leia mais

Manual de orientação ao paciente para internação

Manual de orientação ao paciente para internação Manual de orientação ao paciente para internação Aos nossos clientes O Hospital São José agradece a sua preferência por nossos serviços. Esperamos que sua estada em nossas dependências seja rápida e tranqüila,

Leia mais

H O S P I T A L S ÃO P AULO RIBEIRÃO PRETO - SP

H O S P I T A L S ÃO P AULO RIBEIRÃO PRETO - SP H O S P I T A L S ÃO P AULO RIBEIRÃO PRETO - SP Localização dos Leitos Ala Pavimento Leito de 01 a 08 Câmara Hiperbárica Monoplace Leito de e 01 a 08 Leito de 01 a 02 Quarto 201 a 204 Quarto 205 a 207

Leia mais

Instrumento de Comercialização de Planos de Saúde

Instrumento de Comercialização de Planos de Saúde De 30 à 99 vidas Com Coparticipação 1. DAS PARTES: 1.1. Celebra(m) o presente instrumento, na qualidade de CONTRATANTE(S), a(s) pessoa(s) jurídica(s) abaixo qualificada(s): RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA:

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 07/2015 PLANTÃO MÉDICO DE ESPECIALIDADES

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 07/2015 PLANTÃO MÉDICO DE ESPECIALIDADES EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 07/2015 PLANTÃO MÉDICO DE ESPECIALIDADES O Município de Não-Me-Toque comunica aos interessados que está procedendo ao CHAMAMENTO PÚBLICO no horário das 8:15 às 11:33h e das

Leia mais

I SEMINÁRIO DE TENDÊNCIAS & RISCOS DA SAÚDE NO BRASIL. O Impacto da TUSS PORTO ALEGRE 19-04-2013. Dr. João de Lucena Gonçalves CNS

I SEMINÁRIO DE TENDÊNCIAS & RISCOS DA SAÚDE NO BRASIL. O Impacto da TUSS PORTO ALEGRE 19-04-2013. Dr. João de Lucena Gonçalves CNS I SEMINÁRIO DE TENDÊNCIAS & RISCOS DA SAÚDE NO BRASIL O Impacto da TUSS PORTO ALEGRE 19-04-2013 Dr. João de Lucena Gonçalves CNS ANS - DIDES COPISS GRUPOS DE TRABALHO CONTEÚDO E ESTRUTURA COMUNICAÇÃO

Leia mais

EDITAL REFERENTE À PROVA PARA CERTIFICAÇÃO ANEPS DE AGENTES DE CRÉDITO

EDITAL REFERENTE À PROVA PARA CERTIFICAÇÃO ANEPS DE AGENTES DE CRÉDITO Através desse edital, a Associação Nacional das Empresas Prestadores de Serviço (ANEPS) e o Instituto Totum (empresa parceira da ANEPS responsável pela execução das provas) tornam públicas as condições

Leia mais

Secretaria da Administração do Estado da Bahia

Secretaria da Administração do Estado da Bahia ELABORAÇÃO VALOR REFERENCIAL PROCEDIMENTO: HISTEROSCOPIA JULHO/2008 GOVERNADOR DO ESTADO JAQUES WAGNER SECRETÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO MANOEL VITÓRIO DA SILVA FILHO REALIZAÇÃO COORDENADOR GERAL SONIA MAGNÓLIA

Leia mais

Remuneração Hospitalar. Modelo com Diária e Atendimento Semi-Global

Remuneração Hospitalar. Modelo com Diária e Atendimento Semi-Global Remuneração Hospitalar Modelo com Diária e Atendimento Semi-Global Sobre a Unimed Vitória UNIMED VITÓRIA / ES 310.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 20.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.380 MÉDICOS COOPERADOS; 208 PRESTADORES

Leia mais

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem THAÍLA TANCCINI Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares Porto Alegre 2011 2 THAÍLA TANCCINI Relatório de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM AMBULATÓRIO ESTABELECIMENTO: DATA DA INSPEÇÃO:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS O sistema GSUS é uma aplicação WEB para gestão operacional da assistência de saúde executada a nível hospitalar ou ambulatorial, tendo como foco

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM SAMANTHA CORREA VASQUES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM SAMANTHA CORREA VASQUES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM SAMANTHA CORREA VASQUES RELATÓRIO ESTÁGIO CURRICULAR III- SERVIÇOS DA REDE HOSPITALAR: UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS ANESTÉSICA PORTO ALEGRE

Leia mais

ANEXO I Termo de Credenciamento Tabela de Diárias, Taxas Hospitalares e Gases Medicinais Instruções 1. Para as Diárias Hospitalares: No valor das diárias estão inclusos: Leito próprio, banheiro privativo,

Leia mais

Painel 1: Modelo de Remuneração por Serviço A Evolução do Fee for Service para Pacotes

Painel 1: Modelo de Remuneração por Serviço A Evolução do Fee for Service para Pacotes Painel 1: Modelo de Remuneração por Serviço A Evolução do Fee for Service para Pacotes Geferson Alcântara Antunes Superintendente de Recursos Hospitalares Unimed Vitória Bacharel Administrador Hospitalar

Leia mais

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM HOSPITALAR Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM Chefia do Serviço de Enfermagem Supervisor de Enfermagem Enfermeiro Encarregado de Unidade/Setor Enfermeiros em Unidade de Terapia Intensiva

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.918, DE 9 DE JUNHO DE 1998.

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.918, DE 9 DE JUNHO DE 1998. MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.918, DE 9 DE JUNHO DE 1998. O Ministro de Estado da Saúde no uso de suas atribuições, considerando: - a importância na assistência das unidades que

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO COMPLEMENTAR DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - FCAS

REGULAMENTO DO FUNDO COMPLEMENTAR DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - FCAS REGULAMENTO DO FUNDO COMPLEMENTAR DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - FCAS Versão aprovada na 2ª reunião do Conselho Deliberativo da Cemig Saúde em 22.10.2010. Em vigor a partir de 01.10.2010. Alterada na 10ª reunião

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 227 de 05 de Abril de 2002.

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 227 de 05 de Abril de 2002. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Portaria nº 227 de 05 de Abril de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 640, de

Leia mais

Valor total do protocolo diferente do valor total das guias Protocolo 1199 Outros

Valor total do protocolo diferente do valor total das guias Protocolo 1199 Outros 1.1. Glosas, negativas e demais mensagens Grupo Descrição da Elegibilidade 1001 Número da carteira inválido Elegibilidade 1002 Número do Cartão Nacional de Saúde inválido Elegibilidade 1003 A admissão

Leia mais

TABELA DE MENSAGENS GLOSAS

TABELA DE MENSAGENS GLOSAS TABELA DE MENSAGENS GLOSAS Grupo Elegibilida 1001 Número da carteira inválido Elegibilida 1002 Número do Cartão Nacional Saú inválido Elegibilida 1003 A admissão do Beneficiário no prestador ocorreu antes

Leia mais

P O R T A R I A N.º 331/99.

P O R T A R I A N.º 331/99. P O R T A R I A N.º 331/99. Dispõe sobre Regulamentação O DIRETOR GERAL DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES DO ESTADO DE GOIÁS - IPASGO, usando de suas atribuições legais, R E S O

Leia mais

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO RELATÓRIO DE INSPEÇÃO AMBULÂNCIA 1. Identificação do Estabelecimento Razão Social: Nome Fantasia: CNPJ: Endereço: Bairro: Município: CEP: Fone: Fax: E-mail: Diretor Administrativo: CPF: Responsável Técnico:

Leia mais

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA:

ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: C o b e r t u r a C o n t r a t u a l ABRANGÊNCIA DO PLANO EMPRESARIAL HOSPITALAR COM/SEM OBSTETRÍCIA: -ATENDIMENTO 24 horas; I - AS CONSULTAS DE URGÊNCIA serão realizadas com médico plantonista no HOSPITAL

Leia mais

TRANSPORTE NEONATAL INTER E INTRA-HOSPITALAR ENFERMAGEM

TRANSPORTE NEONATAL INTER E INTRA-HOSPITALAR ENFERMAGEM TRANSPORTE NEONATAL INTER E ENFERMAGEM INTRA-HOSPITALAR Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro Qualquer tipo de transporte deve ser realizado com segurança,

Leia mais

Portaria nº 255, de 03 de julho de 2007.

Portaria nº 255, de 03 de julho de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 255, de 03 de julho de 2007.

Leia mais

O curso de Pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica tem 368 horas de atividades presenciais, organizadas em quatro módulos.

O curso de Pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica tem 368 horas de atividades presenciais, organizadas em quatro módulos. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA E ENGENHARIA CLÍNICA 1. ORGANIZAÇÃO E MÓDULOS O curso de Pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica tem 368 horas de atividades presenciais, organizadas

Leia mais

PLANO BÁSICO DE LOCAL

PLANO BÁSICO DE LOCAL PLANO BÁSICO DE LOCAL Município de Biritiba-mirim 1. EMPRESA ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. 2. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço Local Município de Biritiba-mirim. 3. MODALIDADE DO STFC

Leia mais

DECRETO Nº 7.767, DE 27 DE JUNHO DE 2012

DECRETO Nº 7.767, DE 27 DE JUNHO DE 2012 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação DECRETO Nº 7.767, DE 27 DE JUNHO DE 2012 Estabelece a aplicação de margem de preferência em licitações realizadas no âmbito da administração pública

Leia mais

COMUNICADO 2 CREDENCIAMENTO TSE Nº 1/2015

COMUNICADO 2 CREDENCIAMENTO TSE Nº 1/2015 COMUNICADO 2 CREDENCIAMENTO TSE Nº 1/2015 Respostas aos questionamentos da Unimed Seguros PERGUNTA 1: Podemos entender que poderão participar do processo de credenciamento todas as empresas interessadas

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S/A Telebrás ANEXO I 1. OBJETIVO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1. O objetivo deste documento é estabelecer as condições para contratação de empresa especializada na prestação de serviços

Leia mais

ATO DELIBERATIVO N. 33

ATO DELIBERATIVO N. 33 ATO DELIBERATIVO N. 33 De 13 de agosto de 2001. Dispõe sobre normas para internação psiquiátrica e atendimento psiquiátrico em hospital-dia. O Conselho deliberativo do PRÓ-SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

ANEXO II MANUAL DO CREDENCIADO

ANEXO II MANUAL DO CREDENCIADO ANEXO II MANUAL DO CREDENCIADO ESTE MANUAL TEM POR OBJETIVO FORNECER ORIENTAÇÃO GERAL AOS PROFISSIONAIS E INSTITUIÇÕES CREDENCIADAS DO SISTEMA DE ASSISTÊNCIA MÉDICA SUPLETIVA DA CESAN. O FIEL CUMPRIMENTO

Leia mais

LISTA REFERENCIAL BELÉM / PARÁ

LISTA REFERENCIAL BELÉM / PARÁ LISTA REFERENCIAL BELÉM / PARÁ 1 SUMÁRIO DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 1. APRESENTAÇÃO:... 4 2. AUDITORIA:... 5 3. PRONTUÁRIO:... 5 4. PROCESSO DE COBRANÇA DE CONTAS MÉDICAS:... 7 5. GLOSAS E RECURSO DE GLOSA:...

Leia mais

Rua Virgilio de Melo Franco, 465 - Tabajaras

Rua Virgilio de Melo Franco, 465 - Tabajaras Rua Virgilio de Melo Franco, 465 - Tabajaras MODALIDADE DO PLANO LICITADO E COBERTURAS O Plano licitado é o Ambulatorial Hospitalar com Obstetrícia Coletivo Empresarial, com atendimento em Rede Própria

Leia mais

3, 4 5, 6 e 7 7 e 8 9 e 10

3, 4 5, 6 e 7 7 e 8 9 e 10 PLANO REFERÊNCIA - 466057119 PLANO EXATO ENFERMARIA 466429129 PLANO EXATO APARTAMENTO 466433127 PLANO BÁSICO 10 APARTAMENTO 466431121 PLANO CLÁSSICO - 466432129 PLANO ESPECIAL 100 466430122 PLANO EXECUTIVO

Leia mais

ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS 1 1. Estrutura Física / Equipamentos de Garagens e Pátios de Estacionamento 1.1. Especificação do Padrão das Garagens e Pátios de Estacionamento

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-0 APROVADA EM MAR/20 Nº 01/09 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico das

Leia mais

GRM-COM-014/08 MISSÃO

GRM-COM-014/08 MISSÃO GRM-COM-014/08 MISSÃO "Proporcionar serviços de cuidados com a saúde, de qualidade, inovadores e humanizados, a preços justos, de forma ética, valorizando o trabalho médico e os colaboradores APRESENTAÇÃO

Leia mais

COM CORREÇÃO PELO ÍNDICE DE INFLAÇÃO MENSAL - INPC VALORES A SEREM COBRADOS NO MÊS DE SETEMBRO DE 2011. I Supervisão.

COM CORREÇÃO PELO ÍNDICE DE INFLAÇÃO MENSAL - INPC VALORES A SEREM COBRADOS NO MÊS DE SETEMBRO DE 2011. I Supervisão. 1 \TABELA DE HONORÁROS MÍNMOS COM CORREÇÃO PELO ÍNDCE DE NFLAÇÃO MENSAL - NPC VALORES A SEREM COBRADOS NO MÊS DE SETEMBRO DE 2011. ATVDADES AÇÕES DESENVOLVDAS QUADROS VALORES Administrativas Consultoria

Leia mais

REGULAMENTO LAR DE IDOSOS DO SBSI SAMS

REGULAMENTO LAR DE IDOSOS DO SBSI SAMS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICO-SOCIAL LAR DE IDOSOS SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO SUL E ILHAS REGULAMENTO LAR DE IDOSOS DO SBSI SAMS Lar de Idosos. Rua de Lisboa 431, 2995-566 Brejos de Azeitão. Telefone

Leia mais

ANEXO I. Área física mínima para UPA

ANEXO I. Área física mínima para UPA ANEXO I ÁREA FÍSICA DA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA Para o planejamento e a definição da área física mínima e dos ambientes necessários na Unidade de Pronto Atendimento - UPA, foram levados em consideração

Leia mais

1.1.2. A CONTRATADA se responsabilizará apenas pelo custo de mão-de-obra de conserto empregada no local, no momento do atendimento emergencial.

1.1.2. A CONTRATADA se responsabilizará apenas pelo custo de mão-de-obra de conserto empregada no local, no momento do atendimento emergencial. SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA AUTO 24 HORAS 1.1. SOCORRO LOCAL 1.1.1. A CONTRATADA disponibilizará um socorro de emergência para o veículo impossibilitado de se locomover em decorrência de PANE MECÂNICA OU ELÉTRICA.

Leia mais

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Empresa Municipal de Informática S.A. - IplanRio Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Leia mais

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR 1. DA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: 1.1. A assistência domiciliar caracteriza-se pela prestação de serviços médicos e terapias adjuvantes na residência do paciente

Leia mais

Plano de Saúde do Supremo Tribunal Federal. Manual de Prestadores. Hospitais

Plano de Saúde do Supremo Tribunal Federal. Manual de Prestadores. Hospitais Plano de Saúde do Supremo Tribunal Federal Manual de Prestadores Hospitais sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVOS... 3 3. ROTINA MENSAL... 3 3.1. Faturamento de contas... 3 3.2. Códigos de Tabelas TISS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Resolução Nº 039/08 (Texto atualizado) CONSELHO UNIVERSITÁRIO Dispõe sobre Normas referentes a Concurso Público para Ingresso na Carreira Docente da Universidade Federal do Piauí e dá outras Providências.

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Processo 50618.000923/2008-47 1. OBJETO 01.01. Contratação de empresa para fornecimento de combustível para abastecimento dos veículos a serviço da Superintendência Regional

Leia mais

Secretaria da Administração do Estado da Bahia

Secretaria da Administração do Estado da Bahia ELABORAÇÃO VALOR REFERENCIAL: PROCEDIMENTOS ESPECIAIS CLÍNICA DA DOR FEVEREIRO/ 2011 ELABORAÇÃO DO VALOR REFERENCIAL: CLÍNICA DA DOR FEVEREIRO DE 2011 GOVERNADOR DO ESTADO JAQUES WAGNER SECRETÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

CONTRATO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ANIMAL PLANO PETMEDIC

CONTRATO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ANIMAL PLANO PETMEDIC CONTRATO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ANIMAL PLANO PETMEDIC QUALIFICAÇÃO Nome: DO(A) CONTRATANTE: Filiação: / Data de nascimento: / / CPF: RG: Órgão emissor: Endereço: Nº Complemento: Bairro: CEP Cidade: UF:

Leia mais