Vinda da Família Real Portuguesa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Vinda da Família Real Portuguesa"

Transcrição

1 Vinda da Família Real Portuguesa ASSIMILAÇÃO 1-O país que mais se beneficiou com a abertura dos Portos às Nações Amigas foi: a) Portugal b) França c) Holanda d) Inglaterra e) Espanha 2 (CEFET-PR) Os Tratados de Comércio e Navegação e de Aliança e Amizade, assinados pelo Príncipe Regente D. João no Brasil, foram inequivocamente favoráveis: a) a Portugal b) à França c) à Espanha d) à Inglaterra e) à Alemanha 3 Caracterizou a Política Externa do Período Joanino: a)a anexação da Guiana Inglesa; b)o Tratado de Utrecht c)a Guerra da Cisplatina d)a Questão Christie e)a anexação da Cisplatina 4-(UFPR-PR) A montagem de fábricas e a organização de indústrias, começaram a desenvolver-se quando em 1847 foi rompido o acordo comercial que desde 1810 prendia o Brasil a interesses: a)norte-americanos b)argentinos c)ingleses d)franceses e)portugueses 5-A transferência da Corte Portuguesa para o Brasil, em 1808, encontra-se associada, EXCETO: a)à submissão lusitana em relação aos interesses ingleses. b)à expansão napoleônica no continente europeu. c)à necessidade de recrudescimento do pacto colonial. d)à busca de segurança para o trono português. 6 O primeiro ato oficial de D. João no Brasil foi: a)abrir os portos às nações amigas; b)autorizar o funcionamento das fábricas; c)elevar o Brasil a Reino Unido; d)invadir a Cisplatina; e)assinar o tratado de Comércio e Navegação.

2 7-(MACK-SP) Foi fator decisivo para a volta de D. João VI a Portugal: a)derrota de Napoleão. b)as agitações no Rio de Janeiro. c)a Revolução Constitucionalista do Porto em d)a intenção de dar a D. Pedro a Regência do Brasil. e)a exigência de Carlota Joaquina. 8-(ALFENAS) O Bloqueio Continental, em 1807, a vinda da família real para o Brasil e a abertura dos portos em 1808, constituíram fatos importantes a)na formação do caráter nacional brasileiro. b)na evolução do desenvolvimento industrial. c)no processo de independência política. d)na constituição do ideário federalista. e)no surgimento das disparidades regionais. 9-(FGA) A Revolução do Porto de 1820 se caracterizou como um movimento de: a)consolidação da independência do Brasil; b)retorno a ordem absolutista em Portugal; c)repulsa a invasão francesa em Portugal; d)descolonização do império português na África; e)revolução liberal e constitucional. 10-(CESGRANRIO) A Revolução do Porto, em 1820, poder ser considerada decisiva para a Independência do Brasil porque: a)garantia a autonomia da colônia implementada durante a permanência do governo português no Brasil; b)fortalecia os grupos liberais radicais, cada vez mais ativos na colônia e articulados com os grandes proprietários; c)impunha à colônia um programa de reformas liberais, com a proibição do tráfico negreiro; d)transferia à colônia reformista do capitalismo industrial e do liberalismo; e)ameaçava os interesses dos grupos brasileiros, tentando reverter várias medidas tomadas por D. João no Brasil. 11-Entre as ações empreendidas pelo governo joanino durante a permanência da Corte portuguesa no Rio de Janeiro ( ), NÃO É CORRETO afirmar que houve: a)a extinção do monopólio português sobre o comércio com o Brasil. b)a concessão de vantagens econômicas aos comerciantes ingleses. c)a suspensão do tráfico intercontinental de escravos. d)a efetivação de uma política de expansão territorial e)a elevação do Brasil à condição de reino.

3 12-(UNIBH) Em 1808, 90 navios, sob bandeiras diversas, entraram no porto do Rio de Janeiro, enquanto, dois anos depois, 422 navios estrangeiros e portugueses fundearam naquele porto. Por volta de 1811, existiam na capital 207 estabelecimentos comerciais portugueses e ingleses, além dos que eram possuídos por nacionais dos países amigos de Portugal. As modificações descritas no texto estão relacionadas com: a)o período joanino e o Ato Adicional à Constituição imperial. b)a abertura dos portos e a guerra de independência da Cisplatina. c)o domínio napoleônico em Portugal e a implantação do Estado Novo. d)a abertura dos portos e os tratados de comércio e amizade com a Inglaterra. 13-(PUC MG) A presença da Corte Portuguesa no Brasil ( ) gerou grandes transformações na vida econômica, política e sócio-cultural brasileira, tais como, EXCETO: a)abertura do Banco do Brasil e da Casa da Moeda. b)mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro. c)elevação do Brasil a Reino Unido. d)inauguração de institutos científicos como o Jardim Botânico. 14-(PUC-MG) O Tratado de Comércio e Navegação de 1810, entre Inglaterra e Portugal, contribuiu para. a)fortalecer a classe dos comerciantes portugueses. b)impedir o desenvolvimento industrial do Brasil. c)implantar o sistema de companhias privilegiadas. d)intensificar as relações comerciais entre Brasil e Portugal. e)preservar o regime monárquico no Brasil. 15-(ABC-SP) A elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal e Algarves está intimamente ligada: a)o liberalismo de Dom João, desejoso de agradar aos Brasileiros. b)ao Visconde de Cairu, homem de formação Liberal. c)ao conselho do embaixador inglês lorde Strangford. d)à reação contra as pressões da burguesia lusa. e)à necessidade de legitimar a representação portuguesa no Congresso de Viena. 16-(PUC-PR) Dentre os atos de D. João, na época também conhecida como Monarquia Joanina no Brasil ( ), NÃO é correto afirmar: a)reprimiu severamente a Confederação do Equador. b)elevou o Brasil à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves. c)invadiu a Guiana Francesa como represália à invasão de Portugal por tropas napoleônicas. d)criou a Imprensa Régia, para a publicidade dos atos oficiais. e)invadiu o Uruguai, anexando-o ao Brasil com o nome de Província Cisplatina.

4 17-(CARLOS CHAGAS-BA) Os Tratados de Aliança e Amizade e de Comércio e Navegação (1810), celebrados entre a Inglaterra (lorde Strangford) e Portugal (príncipe Dom João), costumam ser vistos com restrições, entre outros motivos, porque. a)admitiram a criação de tarifas alfandegárias preferenciais para os produtos ingleses, inferiores às pagas por produtos portugueses. b)autorizaram a continuação do trabalho escravo, ao mesmo tempo que ampliaram o tráfico nas colônias portuguesas na África. c)permitiram que a Inglaterra estabelecesse postos livres em Recife, Salvador e Rio de Janeiro. d)apoiaram a política de expansão imperialista que o príncipe regente Dom João realizava no Prata. e)criavam diversas condições restritivas ao desenvolvimento e à exportação de produtos da agricultura tropical. 18-Abertura de Portos foi um ato historicamente previsível, mas ao mesmo tempo impulsionado pelas circunstâncias do momento. Portugal estava ocupado por tropas francesas e o comércio não podia ser feito através dele. Para a Coroa, era preferível legalizar o extenso contrabando existente entre Colônia e a Inglaterra e receber os tributos devidos. (Boris Fausto). A Abertura de Portos produziu inúmeras transformações EXCETO: a)a escalada inglesa pelo controle do mercado colonial brasileiro, consolidada nos Tratados de b)a necessidade do governo Joanino de conciliar os interesses dos grandes proprietários brasileiros e comerciantes reinóis. c)que a medida foi acompanhada da revogação dos decretos de proibição da produção de manufaturas na Colônia. d)que a presença inglesa não anulou nossos esforços de industrialização, em virtude das tarifas protecionistas e do pequeno volume de importações inglesas. e)a questão da escravidão, que interessava à Inglaterra nesse momento, foi incluída nos tratados e acordos entre Portugal e Inglaterra. 19-(UFMG) A abertura dos portos do Brasil, logo após a chegada de D. João VI, foi responsável pela entrada no país de uma grande quantidade de mercadorias inglesas, que passaram a dominar o mercado brasileiro. Essa situação decorreu a)da assinatura de tratados com a Inglaterra, que permitiram a importação desses produtos. b)da estrutura industrial brasileira, que se baseava na produção de alimentos e tecidos. c)da montagem de uma rede ferroviária, que facilitou a distribuição dos produtos ingleses no mercado brasileiro. d)do desenvolvimento urbano acentuado, que acarretou o aumento da demanda por produtos sofisticados. e)do incentivo fiscal à importação de produtos agrícolas.

5 20-(UFSC) O decreto de abertura dos portos, em 1808, apresentou-nos ao comércio mundial, vendendo a ele, diretamente, nossa produção; com a liberdade de manufatura, abriu-se a possibilidade da fabricação de uma série de produtos, com a criação do Banco do Brasil surgiu nosso primeiro sistema de crédito e fomentaram-se as transações. Embora nem sempre estas medidas tenham alcançado em toda a sua extensão os fins visados, elas serviram, contudo, para criar uma consciência nacional para valorizar nossos produtos e para fazer-nos despontar no cenário internacional. Os acontecimentos acima foram causados principalmente pela: a)invasão de Napoleão Bonaparte às colônias portuguesas. b)vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil. c)emancipação política do Brasil. d)expansão da economia cafeeira na região de São Paulo. 21 (FUVEST-SP) A vinda da Família Real ao Brasil está diretamente ligada ao seguinte episódio: a)a adesão portuguesa ao Bloqueio Continental decretado por Napoleão; b)o desafio de Portugal ao decreto napoleônico do Bloqueio Continental e sua aliança com a Inglaterra; c)a habilidade diplomática de D. João que fez aliança com a França e Inglaterra para sair da Europa em guerra; d)o apoio português às tropas franco-hispânicas para evitar as guerras de independência na América; e)a articulação entre os fazendeiros de café do vale do Paraíba e as Cortes portuguesas para independência do Brasil. 22 (FATEC-SP) Apesar da liberdade para a instalação de indústrias manufatureiras no Brasil, decretada por D. João, através do alvará datado de 1 o de abril de 1808, estas não se desenvolveram. Isto se deveu, entre outras razões, à: a)impossibilidade de competir com produtos manufaturados provenientes dos Estados Unidos, que dominavam o mercado interno; b)impossibilidade de escoamento da produção da Colônia, uma vez que Portugal, intermediário entre a Colônia e a Europa, estava ocupado pelos franceses; c)canalização de todos os recursos para lucrativa lavoura cafeeira, não havendo, por parte dos latifundiários, interesse em investir na indústria; d)concorrência dos produtos ingleses, que gozavam de privilégios especiais no mercado brasileiro; e)dificuldade de obtenção de matéria-prima(algodão) na Europa, aliada à impossibilidade de produzi-la no Brasil.

6 APERFEIÇOAMENTO 23-(UFPE) Assinale a alternativa que define o papel da abertura dos portos no processo de descolonização. a)a abertura dos portos às nações amigas anulou a política mercantilista desenvolvida por Portugal, junto à sua antiga colônia na América, tornando-a de imediato independente. b)as novas condições criadas pela Revolução Industrial na Inglaterra e, conseqüentemente, o controle que este país exercia sobre o comércio internacional e os transportes marítimos não permitiam a Portugal, seu antigo aliado, exercer o pacto colonial. c)a política de portos abertos na América era muito importante para as colônias e negativa para as metrópoles. d)a abertura dos portos possibilitou ao Brasil negociar livremente com todas as nações, inclusive com a França. e)através da abertura dos portos, o Brasil pôde definir uma política protecionista de comércio à sua nascente indústria naval. 24-(UFMG) Assinale a alternativa que apresenta uma transformação decorrente da vinda da família real para o Brasil. a)fechamento cultural, devido às Guerras Napoleônicas, provocado pela dificuldade de intercâmbio com a França, país que era então berço da cultura iluminista ocidental. b)diminuição da produção de gêneros para abastecimento do mercado interno, devido ao aumento significativo das exportações provocado pela Abertura dos Portos. c)mudança nas formas de sociabilidade, especialmente nos núcleos urbanos da região centro-sul, devido aos novos costumes trazidos pela Corte e imitados pela população. d)formação de novos parceiros comerciais, em situação de equilíbrio, decorrente da aplicação das novas taxas alfandegárias estabelecidas nos Tratados de Amizade e Comércio. 25-(ESPM) Acontecimentos políticos europeus sempre tiveram grande influência no processo da constituição do estado brasileiro. Assim, pode-se relacionar a elevação do Brasil à situação de Reino Unido a Portugal e Algarves, ocorrida em 1815, a)às tentativas de aprisionamento de D. João VI, pelas forças militares de Napoleão Bonaparte. b)à Doutrina Monroe, que se caracterizava pelo lema: "a América para os americanos". c)ao Bloqueio Continental decretado nesse momento por Napoleão Bonaparte e que pressionava o Brasil a interromper seu comércio com os ingleses. d)ao Congresso de Viena, que se encontrava reunido naquele momento e se constituía em uma rearticulação de forças políticas conservadoras. e)a política de expansionismo econômico e à tentativa de dominar o mercado brasileiro, desenvolvida pelos ingleses após a Revolução Industrial.

7 26-(FGA) "As notícias repercutiam como uma declaração de guerra, provocando tumultos e manifestações de desagrado. Ficava claro que as Cortes intentavam reduzir o país à situação colonial e era evidente que os deputados brasileiros, constituindo-se em minoria (75 em 205, dos quais compareciam efetivamente 50), pouco ou nada podiam fazer em Lisboa, onde as reivindicações brasileiras eram recebidas pelo público com uma zoada de vaias. À medida que as decisões das Cortes portuguesas relativas ao Brasil já não deixavam lugar para dúvidas sobre suas intenções, crescia o partido da Independência." (Emília Viotti da Costa. Introdução ao Estudo da Emancipação Política). O texto acima refere-se diretamente: a)aos movimentos emancipacionistas: às Conjurações e à Insurreição Pernambucana; b)à necessidade das Cortes portuguesas de reconhecer à Independência do Brasil; c)à tensão política provocada pelas propostas de recolonização das Cortes portuguesas; d)à repercussão da Independência do Brasil nas Cortes portuguesas; e)às consequências imediatas à proclamação da Independência. 27-(FUVEST-SP) Durante o período em que a Corte esteve instalada no Rio de Janeiro, a Coroa Portuguesa concentrou sua política externa na região do Prata, daí resultando: a)a constituição da Tríplice Aliança que levaria à Guerra do Paraguai. b)a incorporação da Banda Oriental ao Brasil, com o nome de Província Cisplatina. c)a formação das Províncias Unidas do Rio da Prata, com destaque para a Argentina. d)o fortalecimento das tendências republicanas no Rio Grande do Sul, dando origem à Guerra dos Farrapos. e)a coalizão contra Juan Manuel de Rosas que foi obrigado a abdicar de pretensões sobre o Uruguai. 28-(UFPB) Foi lançado no Brasil o filme Carlota Joaquina que satiriza eventos e personagens da monarquia lusa na América. Entre esses personagens está o regente D. João que, no dizer de Caio Prado Jr. era homem pacífico e indolente por natureza. Fonte: História Econômica do Brasil. 40 a ed. São Paulo, Brasiliense, 1993, p A respeito da presença da Corte portuguesa no Brasil entre 1808 e 1821, do ponto de vista histórico, pode-se afirmar que: a)a presença do regente no Rio de Janeiro, sob a proteção da Inglaterra, rompeu com o pacto colonial. b)a presença portuguesa no Brasil estreitou os laços de união da metrópole com a Inglaterra, garantindo posteriormente uma política mais firme e autônoma de Portugal frente às demais nações européias. c)os comerciantes portugueses foram os principais beneficiados com a abertura dos portos brasileiros às nações amigas. d)o retorno da Corte portuguesa deu-se imediatamente após o fim do domínio francês sobre Portugal. e)até 1822, com a independência brasileira, não houve modificação administrativa ou econômica na colônia, deixando-a D. João, da mesma forma como a encontrou.

8 29-(FATEC-SP) Incapaz de se defender contra o invasor e na iminência de vir a perder a soberania, o regente Dom João acaba por aceita a sugestão insistente de seus conselheiros, entre eles o conde de Linhares, elo de ligação com lorde Strangford, plenipotenciário inglês em Lisboa e principal patrocinador da idéia de transferência da Família Real para o Brasil. O autor se refere à vinda da Corte portuguesa, que, na realidade, trouxe benefícios principalmente a)a Portugal, pois o controle direto do governo da colônia possibilitou uma política econômica que favoreceu as finanças portuguesas. b)à Inglaterra, que passou a ter, no mercado da colônia, privilégios alfandegários especiais, fato que colocou o Brasil na sua total dependência econômica. c)ao Brasil, porque, após o profícuo período da administração de Dom João e sua volta a Portugal, a economia brasileira estava firmemente estabilizada. d)a todas as nações, pois o decreto de abertura dos portos possibilitou a colocação de seus produtos no mercado brasileiro a taxas mínimas. e)a todas as nações europeias que, beneficiando-se da abertura de novos mercados na América, puderam reorganizar-se para destruir o exército de Napoleão. 30-(PUCCAMP-SP) A transmigração da família real portuguesa para o Brasil em 1808, repercutiu de forma significativa, no que se refere à participação do Brasil no mercado mundial, porque: a)organizou-se uma legislação visando à contenção das importações de artigos supérfluos que naquela época começavam a abarrotar o porto do Rio de janeiro. b)o Ministério de D. João colocou em execução um projeto de cultivo e exportação do algodão visando a substituir a exportação norte-americana, prejudicada para Guerra de independência. c)o tráfico de escravos negros para o Brasil foi extinto em troca do direito dos comerciantes portugueses abastecerem, com exclusividade, algumas das colônias ing1esas, como a Guiana. d)o corpo diplomático joanino catalisou rebeliões na Província Cisplatina, favorecendo assim, a exportação de couro sulino para a Europa. e)foi promulgada a Abertura dos Portos e realizados Tratados com a Inglaterra. 31-(CESGRANRIO) A transferência da corte portuguesa para o Brasil, em 1808, acelerou transformações que favoreceram o processo de independência. Entre essas transformações, podemos citar corretamente a(s): a)ampliação do território com a incorporação definitiva de Caiena e da Cisplatina. b)implantação, na colônia, de vários órgãos estatais e de melhoramentos como estradas. c)redução da carga tributária sobre a colônia, favorecendo-lhe a expansão econômica. d)política das Cortes portuguesas de apoio à autonomia colonial e)restrições comerciais implantadas por interesse dos comerciantes portugueses.

9 32-A transferência da Corte portuguesa para o Brasil, em 1808, proporcionou: a)a ampliação do controle metropolitano sobre as atividades coloniais e o maior enquadramento do Brasil às estruturas do Antigo Sistema Colonial. b)o estabelecimento de interesses convergentes entre membros da burocracia imperial, proprietários rurais e comerciantes, base sociopolítica decisiva para o processo de emancipação política. c)a mudança da capital do Vice-reino do Brasil para o Rio de Janeiro e a compensação da perda do poderio político baiano, por meio de uma ampla autonomia econômica autorizada a toda a região nordestina. d)a emergência de uma burguesia mercantil interessada em modernizar o Brasil pelo rompimento dos laços coloniais com Portugal e a abolição imediata da escravidão. e)maior dispersão dos domínios portugueses na América, em função das rivalidades regionais acentuadas e ampliadas com a elevação da cidade do Rio de Janeiro à condição de capital do império colonial. 33 (UFU-MG) A transferência da Corte Portuguesa alterou o estatuto colonial brasileiro, com a adoção de inúmeras medidas, entre elas a assinatura da Carta Régia de 1808, que permitia a abertura dos portos brasileiros para o exterior. Essa abertura dos portos significou para o Brasil: a)a proibição de instalação de manufaturas que pudessem concorrer com os produtos ingleses; b)a manutenção do Pacto Colonial, garantindo ao Brasil o estatuto de colônia portuguesa; c)a penetração do Brasil no mercado internacional, como parceiro igual das grandes potências mundiais; d)um passo no processo de emancipação política do Brasil e seu ingresso na órbita de influência britânica; e)a afirmação da economia brasileira, que deixa de ser área de influência norteamericana. 34-(UEL-PR) A transferência da Corte de D. João VI para a colônia portuguesa teve apoio do governo britânico, uma vez que: a)portugal negociou o domínio luso na Península Ibérica com a Inglaterra, em troca de proteção estratégica e bélica na longa viagem marítima ao Brasil. b)em meio à crescente Revolução Industrial, os negociantes ingleses precisavam expandir seus mercados rumo às Américas, já que o europeu era insuficiente. c)o bloqueio continental imposto por Napoleão fechou o comércio inglês com o continente europeu; a instalação do governo luso no Brasil propiciou a retomada dos negócios luso-anglicanos. d)o exército napoleônico invadiu Portugal visando a instituir o regime democrático republicano de paz e comércio, em franca oposição ao expansionismo da monarquia britânica.

10 35-As últimas décadas do século XVIII e os primeiros anos do seguinte dão a nítida impressão de uma aceleração no ritmo da história na trajetória da América Portuguesa com resultados cumulativos provocados por fatores internos, que agiam há décadas, conjugados com efeitos e repercussões de fatores externos à realidade colonial. Podem ser apontados como fatores internos e externos que contribuíram para as transformações na colônia, respectivamente: a)a influência das ideias liberais entre as elites locais e a difusão da Revolução Industrial entre os novos países; b)o crescente endividamento do Brasil com Portugal devido ao déficit da balança comercial e a influência dos interesses ingleses; c)o receio da difusão das ideias jacobinas entre as classes populares e de uma intervenção da Santa Aliança na América; d)a aliança entre D. Pedro e as elites locais e o declínio dos preços de gêneros agrícolas no mercado internacional; e)o desejo das elites coloniais de não perder as vantagens obtidas com a presença de D. João VI no Brasil e a influência da independência dos EUA. 36-Como conseqüência do Bloqueio Continental, em 22 de janeiro de 1808, da família real portuguesa desembarcou no Rio de Janeiro. Sua vinda: a)trouxe à colônia portuguesa um maior número de proibições e taxações de impostos, que, anos depois, levariam à Independência. b)deu à cidade do Rio de Janeiro o estatuto de capital de todo o império lusitano e, com a abertura dos portos, ocasionou o rompimento do monopólio metropolitano. c)abriu caminho para o comércio brasileiro, uma vez que os portos foram abertos a outras nações, fator que iniciou o desenvolvimento industrial do Brasil. d)confirmou a tradição portuguesa de tolerância colonial, uma vez que D. João VI abriu a possibilidade de crescimento econômico aos colonos portugueses e de liberdade aos escravos. e)enxugou o número de funções políticas e administrativas existentes no Rio de Janeiro, transformando a cidade num espaço menos burocrático Estimativa de habitantes do Brasil, do século XVI ao XIX (em mil habitantes) I II III IV V VI VII Ano Hab István Jancsó et.al.cronologia de História do Brasil colonial. São Paulo: FFLCH- USP, 1994, p.8. Adaptado.

11 A partir da tabela acima, e considerando-se os momentos de crescimento populacional nela apontados, pode-se dizer corretamente que a passagem de: a)i a II relaciona-se à implementação das capitanias hereditárias, e de V a VI ao crescimento da mineração. b)ii a III relaciona-se ao início da cultura açucareira, e de IV a V à consolidação da pecuária. c)ii a III relaciona-se às bandeiras paulistas, e de V a VI aos tratados comerciais com a Inglaterra. d)iv a V relaciona-se às descobertas de ouro em Minas Gerais, e de VI a VII à vinda da Corte portuguesa. e)iii a IV relaciona-se ao início da colonização do sul da América, e de VI a VII à independência do Brasil. 38 (FGV-SP) O estabelecimento da família real portuguesa no Brasil, a partir de 1808: a)significou apenas o deslocamento do imenso aparelho burocrático português sem nenhum desdobramento no processo de emancipação política brasileira. b)interrompeu os vínculos entre os grupos estabelecidos em torno da Coroa Portuguesa e aqueles dedicados às diversas atividades econômicas coloniais. c)deu início à campanha abolicionista, devido à atuação dos letrados portugueses junto aos integrantes da aristocracia escravista colonial. d)criou vínculos estreitos entre os grupos dominantes da América espanhola e da América portuguesa, unidos contra as agressões e usurpações patrocinadas por Napoleão Bonaparte. e)deu início à chamada "interiorização da metrópole" e permitiu uma aproximação entre os membros da burocracia imperial e grupos dominantes coloniais. 39-As guerras napoleônicas de fins do século XVIII e princípios do século XIX provocaram um grande impacto na América Ibérica porque, EXCETO: a)a França napoleônica passou a exercer um controle direto sobre quase toda a Península Ibérica. b)o comércio britânico com muitas regiões da América Ibérica veio a se expandir e, mais tarde, a se consolidar. c)a transferência da Corte Joanina e de seu governo para o Brasil criou o cenário no qual emergiu a independência. d)as lideranças nativas vão assumir o mando político em virtude da situação observada em Portugal e Espanha. 40 (MACK-SP) Assinale a alternativa que caracteriza o processo da independência brasileira: a)o caráter violento da independência brasileira marcado pelas lutas internas entre oligarquias regionais; b)o caráter relativamente pacífico e elitizante da independência que mantém a estrutura sócioeconômica dos tempos coloniais, evitando também a divisão do território; c)a apropriação do aparelho administrativo estatal pelos brasileiros que foi seguida de radicais alterações na economia e na organização social do país; d)a longa luta contra os portugueses realizada pelas camadas populares, que possibilitou a ascensão do povo ao poder, após a independência; e)o aparecimento de várias lideranças políticas na guerra da independência, que terminou por provocar a fragmentação do país após a emancipação.

12 41-"... quando o príncipe regente português, D. João, chegou de malas e bagagens para residir no Brasil, houve um grande alvoroço na cidade do Rio de Janeiro. Afinal era a própria encarnação do rei [...] que aqui desembarcava. D. João não precisou, porém, caminhar muito para alojar-se. Logo em frente ao cais estava localizado o Palácio dos Vice-Reis". (Lilian Schwarcz. As Barbas do Imperador). O significado da chegada de D. João ao Rio de Janeiro pode ser resumido como: a)decorrência da loucura da rainha Dona Maria I, que não conseguia se impor no contexto político europeu. b)fruto das derrotas militares sofridas pelos portugueses ante os exércitos britânicos e de Napoleão Bonaparte. c)inversão da relação entre metrópole e colônia, já que a sede política do império passava do centro para a periferia. d)alteração da relação política entre monarcas e vice-reis, pois estes passaram a controlar o mando a partir das colônias. e)imposição do comércio britânico, que precisava do deslocamento do eixo político para conseguir isenções alfandegárias. 42-No contexto da independência política do Brasil de Portugal, é correto afirmar que: a)no Congresso de Viena, os adversários de Napoleão I tomaram várias decisões a favor do liberalismo. b)a Revolução Constitucionalista do Porto (1820) defendia a ampliação do poder real. c)o regresso de D. João VI a Lisboa significou a vitória da burguesia liberal portuguesa. d)ao jurar a Constituição de 1824, D. Pedro I aderiu às teses democráticas de Gonçalves Ledo. e)a abertura dos portos e os tratados de 1810 favoreceram os comerciantes portugueses. 43-(MACK-SP) Adotar em toda a extensão os princípios do liberalismo econômico significaria destruir as próprias bases sobre as quais se apoiava a Coroa. Manter intacto o sistema colonial era impossível nas novas condições. Daí as contradições de sua política econômica. (Emília Viotti da Costa). Sobre a política econômica adotada por D. João VI durante a permanência da Corte portuguesa no Brasil, é correto afirmar que: a)permanecia a proibição à produção das manufaturas nacionais e o estabelecimento de fábricas no Brasil, que representariam uma possível concorrência aos produtos ingleses. b)proibia a entrada e a venda de vinhos estrangeiros no Brasil, estabelecendo tarifas favoráveis aos vinhos portugueses, que continuaram a ser os mais consumidos. c)a abertura dos portos às nações amigas, em 1808, concedia liberdade de comércio à colônia, mas não extinguia o monopólio português exercido em nossa economia. d)com a assinatura dos Tratados de 1810, consolidou-se a dominação econômica inglesa sobre o nosso país, apesar de os súditos britânicos residentes no Brasil não terem garantia de liberdade religiosa. e)as medidas tomadas durante esse período acentuaram as divergências entre os interesses da elite nacional, as exigências britânicas e as necessidades dos comerciantes metropolitanos.

13 44-Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto a seguir, na ordem em que aparecem. Com a transferência da Corte portuguesa para o Brasil, uma das primeiras medidas tomadas por Dom João foi a.... Como resultado dessa medida, o pacto colonial foi na prática eliminado. No campo da política externa, as atenções do novo Império luso-brasileiro miraram os dois extremos da fronteira da América portuguesa, ou seja, a... e a..., onde aconteceram intervenções militares. Durante o período joanino, houve ainda a abertura do Brasil ao olhar estrangeiro, que teve como decorrência a vinda de expedições científicas e artísticas ao país, dentre as quais se destacou a.... a)assinatura do Tratado de 1810 com a Inglaterra - Guiana Inglesa - Cisplatina - Missão Francesa b)abertura dos portos às nações amigas - Guiana Inglesa - Cisplatina - Missão Holandesa c)assinatura do Tratado de 1810 com a Inglaterra - Guiana Francesa - Argentina - Missão Inglesa d)abertura dos portos às nações amigas - Guiana Francesa - Cisplatina - Missão Francesa e)assinatura do Tratado de 1810 com a Inglaterra - Guiana Holandesa - Argentina - Missão Inglesa 45-(PUCCAMP-SP) Muitos franceses, principalmente professores, cientistas, arquitetos, escultores e pintores vieram ao Brasil no século XIX a partir da instalação da Corte portuguesa no Rio de Janeiro. Pode-se explicar a presença desses franceses no país com o argumento de que: a)a maioria deles chegou ao Brasil com o intuito de colonizar as regiões desabitadas do interior do país, constituindo núcleos de exploração de produtos tropicais, que seriam comercializados na Europa. b)eles tinham como missão convencer o rei D. João VI a romper relações diplomáticas com a Inglaterra, uma vez que este país tinha estabelecido o Bloqueio Continental, impedindo as relações comerciais entre França e Brasil. c)grande parte deles desembarcou no Rio de Janeiro estimulados por D. João VI, que tinha como um dos seus grandes projetos trazer uma missão artística francesa, com o objetivo de constituir no Brasil uma base de desenvolvimento cultural. d)todos esses franceses chegaram ao Brasil como refugiados políticos, uma vez que os mesmos discordavam da política cultural do imperador Napoleão Bonaparte, que perseguia os artistas contrários às suas determinações políticas. e)parte significativa da população francesa emigrou para o Brasil em razão dos intensos combates ocorridos durante a Comuna de Paris, instalando-se principalmente nos Estados do Maranhão e do Pará e trabalhando na extração da borracha.

14 46-(UFR-RJ) A citação a seguir destaca a chegada da corte portuguesa ao Rio de Janeiro, em 1808, como um início de uma fase de grandes mudanças para a cidade que perdia então a sua imagem colonial. Para o Rio de Janeiro, principalmente, era toda uma fase de sua história que agora terminava. Fase de grandes transformações realizadas sob o impacto das necessidades de toda ordem despertadas pela chegada e instalação da Corte portuguesa. Em pouco mais de uma década, a cidade passara por um processo de modernização material e atualização cultural, perdendo muito de sua aparência colonial para transformar-se numa metrópole. (FALCÓN, F. C.; MATTOS, I. R. de. "O Processo de Independência no Rio de Janeiro". In: MOTA, C. G. (org) Dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972). Entre as medidas que favoreceram essas transformações podem ser assinaladas: a)o início da construção do Paço Imperial, a sede do governo, a criação da Imprensa Régia e a instalação da iluminação a gás. b)a construção da primeira estrada de ferro do Brasil, a criação do Banco do Brasil e a fundação da Imperial Academia de Música. c)o estabelecimento da Intendência Geral de Polícia, a fundação do Banco do Brasil e a criação da Imprensa Régia. d)a criação da Imprensa Régia, a instalação da iluminação a gás e a construção da primeira estrada de ferro do Brasil. e)a permissão de instalação de manufaturas no Brasil, o estabelecimento da Intendência Geral de Polícia e a construção da primeira estrada de ferro do Brasil. 47-O texto a seguir refere-se às tensas sessões das Cortes de Lisboa de 22 e 23 de março de 1822, quando o deputado português Ferreira de Moura atacou violentamente as propostas dos treze deputados paulistas, consideradas por ele nocivas ao princípio da união entre Portugal e o Brasil. Leia o texto com atenção e depois responda. "Que homens são estes de São Paulo? São porventura homens a cuja voz a América se agita, e se aplaca? São homens a quem toda a América haja de seguir como um rebanho de gado após o que vai adiante, que salta primeiro a parede do aprisco? Não; não são desta laia os homens, de que se trata. São homens que excitam à rebelião e ao crime; são uns poucos de facciosos, com quem não é lícito, nem político transigir um momento". (Diários das Cortes, sessão de 23 de março de Apud ALEXANDRE, Valentim, Os sentidos do Império: Questão nacional e questão colonial na crise do Antigo Regime Português. Porto: Afrontamento, p. 617). A respeito de São Paulo, durante a primeira década do século XIX, é correto afirmar: a)o desenvolvimento da cafeicultura no Vale do Paraíba e a substituição da mão-deobra escrava pelo trabalho livre assalariado dinamizaram a economia paulista e favoreceram a disseminação dos valores liberais entre os seus dirigentes. b)a produção voltada essencialmente para o mercado externo era a principal característica da economia paulista, sobressaindo-se a exportação de café. c)a transferência da sede da monarquia portuguesa para o Rio de Janeiro dinamizou o circuito de rotas de comércio de abastecimento, que tinham em São Paulo um dos seus pólos. d)a articulação política entre a monarquia sediada no Rio de Janeiro e os grupos dirigentes paulistas permitiu alterar a forma da participação inglesa em São Paulo, que passou a contar com investimentos britânicos que estimularam a sua produção industrial. e)a economia paulista passou por intenso crescimento, graças à mecanização de sua agricultura, resultante da abertura dos portos e da permissão para importar máquinas.

15 48-(UFU) Leia o documento a seguir e procure responder: Alvará de 1º de abril de 1808 revogando a proibição que havia de fábricas e manufaturas no Estado do Brasil e Domínios Ultramarinos. Eu, o Príncipe Regente, faço saber aos que o presente alvará virem: Que desejando promover e adiantar a riqueza nacional; e vendo um dos mananciais dela, as Manufaturas, e a Indústria, que multiplicam e melhoram e dão mais valor aos Gêneros e produtos da agricultura, das Artes, e aumentam a população, dando que fazer a muitos braços, e fornecendo meios de subsistência muitos dos maus vassalos, que por falta se entregariam aos vícios da ociosidade! E convindo remover todos os obstáculos, que podem inutilizar e frustar tão vantajosos proveitos! Sou servido abolir, revogar toda e qualquer proibição que haja a este respeito no Estado do Brasil e nos Meus Domínios Ultramarinos; e ordenar que daqui em diante seja lícito a qualquer dos Meus Vassalos, qualquer que seja o país em que habitem, estabelecer todo o gênero de manufaturas, sem excetuar alguma, fazendo os seus trabalhos em pequeno, ou em grande, como entenderem que mais lhes convém, para o que hei por bem derrogar o Alvará de cinco de janeiro de mil setecentos e oitenta e cinco, a quaisquer leis, ou Ordens, que o contrário decidem... dado no Palácio do Rio de Janeiro em primeiro de abril de Dom João VI, com ao Alvará de 10 de abril de 1808, revoga o alvará de Dona Maria I, de 1785, que proibia a instalação de manufaturas no Brasil. a)se a afirmação confirma o texto. b)se a afirmação contradiz o texto. c)se parte da afirmação confirma o texto e parte contradiz. d)se parte da afirmação foge ao texto. e)se parte de afirmação confirma e parte foge. 49- Não se tratou, contudo, de forma alguma, de uma iniciativa individual,supostamente contrária aos interesses da Corte portuguesa e boicotada pela Grã-Bretanha, como muitas vezes se tem escrito a respeito. O projeto carlotista foi, na verdade, uma das principais alternativas políticas que se abriram no panorama de grave crise sentida igualmente pelos Impérios ibéricos. Andréa Slemian & João Paulo Pimenta. O nascimento político do Brasil. Rio de Janeiro: DP&A, 2003, p.25. Adaptado. O projeto carlotista implicou a possibilidade de que: a)o Brasil se transformasse em colônia da Grã-Bretanha, pois foi esta potência a responsável pela segurança da chegada da Corte portuguesa da qual D. Carlota era parte ao Brasil. b)os territórios espanhóis da América reconhecessem D. Carlota, esposa de D. João de Portugal, como regente, já que seu irmão, o rei da Espanha, estava impossibilitado de governar. c) as principais monarquias européias reconhecessem direitos políticos e econômicos de potências menores, como Portugal e Espanha, porque estavam em guerra contra a Grã- Bretanha. d)a Corte portuguesa pudesse se transferir para o Brasil sem sofrer retaliações por parte da França, pois Portugal acabara de se tornar aliado da Grã-Bretanha, que, por seu turno, estava em guerra contra a França. e)os Impérios ibéricos firmassem uma aliança política e econômica que, na verdade, não incomodaria tanto a Grã-Bretanha, já que os dois eram potências neutrais em meio às guerras contra Napoleão.

16 50-(PUC RS) Leia o texto: 21 de janeiro de 1822 Fui à terra fazer compras com Glennie. Há muitas casas inglesas, tais como seleiros e armazéns, de secos e molhados; mas, em geral, os ingleses aqui vendem as suas mercadorias em grosso a retalhistas nativos ou franceses. Quanto a alfaiates, penso que há mais ingleses do que franceses, mas poucos de uns e outros. Há padarias de ambas as nações (...). As ruas estão, em geral, repletas de mercadorias inglesas. A cada porta as palavras Superfino de Londres saltam aos olhos: algodão estampado, panos largos, (...), mas, acima de tudo, ferragens de Birmingham, podemse obter um pouco mais caro do que em nossa terra nas lojas do Brasil, além de sedas, crepes e outros artigos da China. Mas qualquer cousa comprada a retalho numa loja inglesa ou francesa é, geralmente falando, muito cara. (GRAHAM, Maria. Diário de uma viagem ao Brasil. São Paulo: Edusp, 1990). O texto acima, de Maria Graham, uma inglesa que esteve no Brasil em 1821, remete-nos a um contexto que engloba: a)os efeitos da abertura dos portos e dos tratados de b)o processo de globalização da economia no Brasil. c)as reformas econômicas do Marquês de Pombal. d)a suspensão do Tratado de Methuen, com a ampliação da influência inglesa no Brasil. e)os efeitos da mineração, que contribuíram para interligar as várias regiões do Brasil ao Exterior. APROFUNDAMENTO 51-(UFES) No início do século XIX, a transformação do Brasil em sede da monarquia portuguesa levou D. João VI a adotar medidas que mudaram o contexto sócioeconômico da antiga colônia. Dentre essas medidas, podemos destacar: I.a organização da maçonaria, constituída por grandes latifundiários e comerciantes do Rio de Janeiro. II.a criação do Banco do Brasil, da Casa da Moeda e do Jardim Botânico. III.a convocação de uma Assembleia Constituinte, que estabeleceu a liberdade de comércio para os comerciantes nacionais. IV.a criação da faculdade de medicina na Bahia, da imprensa régia, da escola nacional de belas artes e da biblioteca pública no Rio de Janeiro. V.a assinatura de tratados de comércio e navegação com a Inglaterra, os quais favoreciam a comercialização de produtos portugueses pelas baixas tarifas alfandegárias. Assinale a opção que contém as afirmativas corretas: a)i e II b)i e V c)ii e IV d)iii e IV e)iv e V

17 52 (UNB-DF) Assinale de acordo com o código abaixo: a)i, II e III corretas; b)i, II e III incorretas; c)i e II corretas; d)i e III corretas e)ii e III corretas. I.A vinda da Família Real para o Brasil deriva do conjunto de circunstâncias históricas europeias, mas em última análise representa também uma hábil manobra da diplomacia britânica. II.Os primeiros atos de D. João no Brasil marcam uma ruptura no processo colonial, estabelecido durante três séculos. III.A Abertura dos Portos brasileiros ao comércio internacional resultou da interrupção do comércio ultramarino português, devido à ocupação inimiga em Portugal. 53-(CEFET-PR) O ano de 1810 foi marcado pela assinatura de acordos entre a Coroa portuguesa, instalada no Brasil, e a monarquia inglesa. Destacam-se, entre esses acordos, o Tratado de Aliança e Amizade e o Tratado de Comércio e Navegação. São medidas acordadas nestes tratados: I.A nomeação de juízes ingleses para julgar os súditos britânicos que viviam no Brasil. II.A entrega da esquadra Portuguesa à Inglaterra. III.A liberdade de culto para os ingleses que, em sua maioria, eram anglicanos. IV.A cobrança de taxa de 15% na importação de mercadorias inglesas (taxa mais baixa que os 16% cobrados das mercadorias portuguesas). Analise as proposições e assinale: a)se apenas as proposições I, II e III b)se apenas as proposições II, III e IV forem corretas c)se apenas as proposições I, III e IV forem corretas d)se apenas as proposições III e IV forem corretas e)se apenas as proposições II e III forem corretas 54-Os auxiliares de D. João VI saíram pelas ruas do Rio de Janeiro em busca das melhores residências e desalojavam os seus ocupantes, para que lá se alojassem membros da corte ou comitiva real. Analise as afirmações que versam sobre o período de permanência da família real portuguesa nas terras brasileiras. I.A extinção do monopólio colonial imposto ao Brasil acarretou problemas a D. João VI que culminaram com seu retorno a Portugal. II.A abertura dos portos brasileiros permitiu a entrada de grande número de estrangeiros que se espantaram com muitos hábitos locais, como o costume das mulheres ricas viverem escondidas e mal eram vistas, mas este costume foi mudado com a vinda da corte pro Brasil. III.As realizações culturais de D. João VI estavam, na verdade marcadas pela mentalidade colonialista e não tinham preocupação de beneficiar o povo brasileiro. Está(ão) correta(s): a)somente a II b)somente a II e III c)somente a I e III d)todas e)nenhuma.

18 55-(PUCCAMP-SP) Na limpidez transparente de um universo sem culpa, entrevemos o contorno de uma terra sem males definitivos ou irremediáveis, regida por uma encantadora neutralidade moral. Lá não se trabalha, não se passa necessidade, tudo se remedeia. Na sociedade parasitária e indolente, que era a dos homens livres do Brasil de então, haveria muito disto, graças à brutalidade do trabalho escravo, que o autor elide junto com outras formas de violência. (...) Por isso, tomamos com reserva a ideia de que as Memórias de um sargento de milícias são um panorama documentário do Brasil joanino (...). (Antonio Candido, Dialética da malandragem. "Memórias de um sargento de milícias"). Analise as afirmações sobre o período a que o texto se refere. I.A Coroa portuguesa suspendeu todas as concessões de futuras sesmarias, até o estabelecimento de um novo regime de propriedade legal da terra. Essas medidas favoreciam diretamente os interesses ingleses. II.O governo português autorizou o livre-comércio entre o Brasil e as demais nações não aliadas da França; o imposto de importação a ser pago nas alfândegas brasileiras pelos produtos estrangeiros foi fixado em 24%; os produtos portugueses pagavam 16%. III.Portugal, ao mesmo tempo que deu aos produtos ingleses tarifa preferencial de 15% no Brasil, inferior a dos seus próprios artigos, comprometeu-se a limitar o tráfico de escravos. IV.O governo foi responsável pela implantação de diversas academias e obras culturais no Brasil e pela contratação de artistas e professores estrangeiros. V.Os acordos realizados com a Inglaterra impulsionaram a imigração europeia para o Brasil, deslocando o eixo econômico do Nordeste para a região Sudeste, no final do século XIX. É correto o que está afirmado SOMENTE em: a)i, II e IV. b)i, II e V. c)i, III e IV. d)ii, III e IV. e)ii, III e V. 56-(FIC-PR) Leia o texto a seguir e avalie as afirmativas: O ano de 1808 marca para o Novo Mundo uma época inteiramente inédita. A América já conhecia as revoluções. As Treze Colônias inglesas se haviam unido para se separarem da Metrópole, e haviam organizado uma república federal independente. A revolução fermentava por toda a parte. Vimos já que não era estranha ao Brasil, e desde certo tempo se incubava nas possessões espanholas, sob o olhar benevolente da Inglaterra (...) O que era uma novidade era a emigração de uma Corte europeia para ultramar, a transferência para além do Atlântico da sede de um dos impérios do Velho Mundo. 01)As revoluções já conhecidas na América eram de caráter autonomista. No Brasil essa manifestação teve como exemplo mais famoso, mas não único, a Inconfidência Mineira, que consistia em um ideário marcado por posições iluministas, porém sem abrir mão de alguns privilégios coloniais, como, por exemplo, a mão de obra escrava. Afinal, muitos dos conspiradores eram ricos proprietários escravocratas. 02)A época inteiramente inédita caracteriza-se pela diferente forma de relações da sociedade colonial açucareira quanto àquela fomentada pela mineração. A primeira, agrária, constituída por uma estrutura patriarcal de baixa densidade populacional diferencia-se da outra, urbana, de burguesia incipiente e população crescente. Todavia, ambas se caracterizaram por intensa miscigenação, diferente do que ocorreu com a imigração europeia patrocinada pela economia do café. 04)A chegada da Corte portuguesa ao Brasil trouxe transformações que modernizaram o país, como a criação do Banco do Brasil, do Correio Nacional, do Jardim Botânico, etc. No entanto, a mais polêmica foi a higienização do Rio de Janeiro, pelo saneamento básico do centro e pela vacinação contra a varíola, que causou a Revolta da Vacina, pois as pessoas não compreendiam a importância da higiene e da saúde pública. 08)Essas revoltas beneficiavam a Inglaterra, pois aos ingleses interessava que as possessões espanholas fossem livres, de modo a poder comercializar, de forma independente com cada novo Estado, os produtos que sua indústria em rápido desenvolvimento, fabricava. Por outro lado, sem suas colônias a Espanha teve sua economia enfraquecida, permitindo à Inglaterra assumir o controle de seu império ultramarino. 16)Durante as conquistas napoleônicas foi estabelecida uma aliança entre a Espanha e a França contra a Inglaterra. Isso deixou Portugal isolado no continente e sob a ameaça de anexação por parte da Espanha, que, desde a União Ibérica, alimentava esse objetivo. Para concretizá-lo seria necessária a morte da família real portuguesa, que, sob tal perigo, não teve outra opção que a de se refugiar no Brasil.

19 57-"..." Que estava plenamente provado o crime de lesa-majestade [...] a que premeditadamente concorriam de se subtraírem da sujeição em que nasceram e que como vassalos deviam ter a dita senhora (Dona Maria I), para constituírem uma República, por meio de uma formal rebelião, pela qual assentaram de assassinar ou depor General e Ministros, a quem a mesma senhora tinha dado jurisdição e poder de reger e governar os povos da Capitania [...] Portanto condenam o réu Joaquim José da Silva Xavier, por alcunha Tiradentes, Alferes que foi da tropa paga da Capitania de Minas, a que com baraço e pregão seja conduzido pelas ruas públicas ao lugar da forca e nela morra morte natural, para sempre. E que depois de morto, lhe seja cortada a cabeça e levada a Vila Rica, onde em lugar mais público dela, seja pregada em um poste alto, até que o tempo a consuma e o seu corpo será dividido em quatro quartos e pregados em postes pelo caminho de Minas "..." (CASTRO, Therezinha de. História documental do Brasil. Rio de Janeiro, Record, p Analisando o texto, o momento e as circunstâncias em que foi escrito, assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S). 01)Trata-se da condenação de Joaquim José da Silva Xavier, conhecido como Tiradentes, que com outros não citados no trecho, foram julgados por terem participado de uma insurreição contra o governo português. 02)Segundo o texto, entre outros objetivos do movimento conspiratório, estava o de proclamar uma República. 04)A conspiração pretendia ainda a abolição da escravatura, independência das colônias americanas e a adoção dos princípios da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, proclamada na França. 08)O movimento por cuja participação foi condenado Tiradentes é conhecido, na História do Brasil, como "Revolta de Vila Rica" 16)Os réus foram condenados não só por conspirarem, mas por crime de assassinato de autoridades da Colônia e da rainha de Portugal. 32)O movimento que motivou a condenação de Tiradentes teve forte participação popular. Muitos dos que foram presos eram operários, soldados, agricultores pobres e mesmo alguns clérigos, como Frei Caneca, também condenado e executado. 58 (UFPR) A emancipação política do Brasil é um fenômeno amplo, relacionado, de um lado, com a crise do sistema colonial tradicional e com a crise das formas absolutistas de governo e, de outro lado, com as lutas liberais e nacionalistas que se sucederam na América desde os fins do século XVIII. Totalize os valores das alternativas corretas: 01)A crítica ao sistema colonial corresponde às mudanças nas relações políticas e comerciais entre metrópole e colônia, mas não implica a mudança da estrutura básica da produção. 02)A sobrevivência de monopólios e privilégios constituiu permanente motivação de discórdia e conflito e contribuiu para a efetivação de movimentos revolucionários na colônia. 04)As contradições da política de D. João VI criaram um clima favorável ao desenvolvimento de idéias liberais, tanto na metrópole como na colônia, fazendo crescer o número dos que lutavam pela implementação de formas representativas de governo. 08)A demanda crescente de produtos tropicais no mercado internacional tornara insustentável, desde a abertura dos portos, a persistência de restrições colonial que entravavam a produção. 16)Os movimentos revolucionários ocorridos no Brasil pelas ideias liberais, tais como liberdade, igualdade e livre comércio.

20 59-(CEFET-PR) O texto abaixo estabelece um paralelo entre fatos ocorridos em dois períodos históricos. Exatos 182 anos depois que D. João VI abriu os portos brasileiros às então chamadas nações amigas o presidente Fernando Collor de Melo repete o gesto semelhante e abre a economia nacional para concorrência externa. (Isto é Senhor; 1085, de 04/07/90). A partir da análise do texto, pode-se afirmar: 01)O ato de 1808 extinguia o pacto colonial, enquanto o de 1990 reformulava a política industrial brasileira. 02)O ato de 1808 teve como desdobramento o ingresso do Brasil na área de influência britânica, enquanto o de 1990 pretendia a redução progressiva nos níveis de proteção tarifária. 04)Tanto a medida de 1808 quanto a de 1990 visavam a facilitar a entrada de produtos estrangeiros no Brasil. 08)O ato de 1808 revelava o avanço do livre cambismo e da industrialização contra as resistências do mercantilismo. 16)O ato de 1990 tinha como objetivo proteger a indústria brasileira dos similares importados. 32)No ato de 1808 a expressão nações amigas visava ao favorecimento à Inglaterra. 60-A preservação no Brasil da Corte do Príncipe Regente, D. João, criou condições concretas para que a separação do Brasil em relação a Portugal se tornasse definitiva. A respeito dessa conjuntura, é correto afirmar que: 01)D. João manteve a proibição de se instalarem indústrias no Brasil. 02)A abertura dos portos brasileiros liquidou com o elemento econômico essencial do sistema colonial: o monopólio comercial. 04)A instalação da corte portuguesa no Rio de Janeiro significou a transferência das decisões políticas do Nordeste para o Sudeste. 08)Ao liberalismo comercial, que interessava aos ingleses e às elites coloniais, corresponderia, no plano político, a instalação de um Estado Nacional na antiga Colônia. 16)O Brasil foi elevado à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves. 61-Sobre o processo de independência das colônias europeias da América, é correto afirmar que: 01)O Brasil foi o único país americano a viver, após a independência, um período monárquico. 02)Os Estados Unidos da América jamais se interessaram pela independência das colônias espanholas e portuguesa na América ou pelos destinos dos países recémformados. 04)Na década de 1810, ao mesmo tempo em que diversas regiões da América Latina buscavam tornar-se independentes da Espanha, os Estados Unidos lutavam contra a Inglaterra para consolidar a sua independência. 08)No México, a luta pela independência, tem início com a sublevação de indígenas e mestiços conduzidos por religiosos.

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA http://plataformabrioli.xpg.uol.com.br/historiaresumo/2ano/epopeialusitana.pdf http://blog.msmacom.com.br/familia-real-portuguesa-quem-e-quem-na-monarquia/

Leia mais

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822).

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822). 1. (Enem 2014) A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº:

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº: Exerc íciosde Revisão Aluno(a): Nº: Disciplina:HistóriadoBrasil Prof(a).:Cidney Data: deagostode2009 2ªSériedoEnsinoMédio Turma: Unidade:Nilópolis 01. QuerPortugallivreser, EmferrosqueroBrasil; promoveaguerracivil,

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D]

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D] Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA Resposta da questão 1: Somente a proposição está correta. Com a expansão napoleônica na Europa e a invasão do exército Francês em Portugal ocorreu a vinda da corte portuguesa

Leia mais

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como:

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: 1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão

Leia mais

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL Portugal: crises e dependências -Portugal: acordos comerciais com a Inglaterra; -Exportação de produtos brasileiros; -Tratado de Methuen: redução fiscal para os

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL: CRISE DO SISTEMA COLONIAL E VINDA DA FAMÍLIA REAL

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL: CRISE DO SISTEMA COLONIAL E VINDA DA FAMÍLIA REAL PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL: CRISE DO SISTEMA COLONIAL E VINDA DA FAMÍLIA REAL * Três etapas: 1) Revoltas Nativistas 2) Revoltas Emancipacionistas 3) Período Joanino Família Real no Brasil (1808-1822)

Leia mais

03. O que foi o Bloqueio Continental? 04. Qual o interesse de Napoleão Bonaparte em estabelecer esse Bloqueio?

03. O que foi o Bloqueio Continental? 04. Qual o interesse de Napoleão Bonaparte em estabelecer esse Bloqueio? Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra Série: 2ª. Disciplina: História (p2,1ª,chamada, 3º. Bimestre) prova dia 26 setembro de 2015.

Leia mais

Transferência da Corte portuguesa. D. João VI no Brasil

Transferência da Corte portuguesa. D. João VI no Brasil Transferência da Corte portuguesa D. João VI no Brasil A Corte no Brasil? Desde o século XVII, o governo de Portugal cogitava, eventualmente, transferir a sede do Império Português para a colônia na América.

Leia mais

BRASIL NO SÉCULO XIX VINDA DA FAMÍLIA REAL INDEPENDÊNCIA

BRASIL NO SÉCULO XIX VINDA DA FAMÍLIA REAL INDEPENDÊNCIA BRASIL NO SÉCULO XIX VINDA DA FAMÍLIA REAL INDEPENDÊNCIA Vinda da Família Real esteve ligada à conjuntura européia do início do século XIX Napoleão X Inglaterra X Portugal Bloqueio Continental Convenção

Leia mais

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL De um lado, a pressão napoleônica para Portugal aderir ao bloqueio PORTUGAL De outro

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL BASES COMUNS DO SISTEMA COLONIAL PACTO-COLONIAL Dominação Política Monopólio Comercial Sistema de Produção Escravista ESTRUTURA SOCIAL DAS COLONIAS ESPANHOLAS Chapetones

Leia mais

Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real. Prof.ª viviane jordão

Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real. Prof.ª viviane jordão Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real Prof.ª viviane jordão INTRODUÇÃO Na segunda metade do século XVIII, novas ideias começaram a se difundir pela América portuguesa. Vindas da Europa,

Leia mais

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série Lista de exer PROVÍNCIA BRASILEIRA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO COLÉGIO VICENTINO SÃO JOSÉ Rua Pe. José Joaquim Goral, 182 Abranches Curitiba Fone (041) 3355-2200

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM.

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2012 Professora: Ana Claudia Martins Ribas Disciplina: História - 8º ano -Fundamental 1º BIMESTRE Conteúdos Básicos: -Povos, Movimentos e

Leia mais

Independência do Brasil

Independência do Brasil BRASIL COLÔNIA Independência do Brasil Enquanto o governo absolutista português reprimia com vigor os movimentos republicanos no Brasil, o absolutismo na Europa era contestado pela Revolução Francesa,

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes A independência foi o processo político e militar que afetou todas as regiões situadas entre os vicereinados da Nova Espanha e do Rio da

Leia mais

Imperialismo dos EUA na América latina

Imperialismo dos EUA na América latina Imperialismo dos EUA na América latina 1) Histórico EUA: A. As treze colônias, colonizadas efetivamente a partir do século XVII, ficaram independentes em 1776 formando um só país. B. Foram fatores a emancipação

Leia mais

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável História do Brasil Professora Agnes (Cursinho Etec Popular de São Roque) Política Interna O SEGUNDO REINADO (1840-1889) * Apogeu da monarquia brasileira. * Centralização política e administrativa. * Pacificação

Leia mais

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX.

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Aula 13 Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Nesta aula iremos tratar da formação dos Estados Unidos da América. Primeiramente o processo de independência dos Estados Unidos, em seguida, o processo de expansão

Leia mais

MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL

MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL A MUDANÇA DA POLÍTICA COLONIAL ESPANHOLA SE DEU EM FUNÇÃO: DO ENVOLVIMENTO DA ESPANHA NAS GUERRAS EUROPEIAS; DA DECADÊNCIA DA MINERAÇÃO; DAS DIFICULDADES QUE

Leia mais

Independência do Brasil

Independência do Brasil A UA UL LA MÓDULO 3 Independência do Brasil Nesta aula No dia 7 de setembro, comemoramos a Independência do Brasil. Por isso, é feriado nacional. Todos nós sabemos que os feriados significam algo mais

Leia mais

1554 Fundação da Vila de São Paulo de Piratininga.De início pequena agricultura de substância.(via apresamento).

1554 Fundação da Vila de São Paulo de Piratininga.De início pequena agricultura de substância.(via apresamento). HB. Expansão territorial da colônia. Expansão territorial Bandeirantes. 1554 Fundação da Vila de São Paulo de Piratininga.De início pequena agricultura de substância.(via apresamento). Mão-de-obra indígena.

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 1 A conquista da América, a história cultural dos povos indígenas e africanos e a economia açucareira...1 Módulo 2 A mineração no Período Colonial, as atividades

Leia mais

CRISE DO PRIMEIRO REINADO RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

CRISE DO PRIMEIRO REINADO RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL CRISE DO PRIMEIRO REINADO RECONHECIMENTO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL O que seria necessário, para que o Brasil, após a independência fosse reconhecido como uma Nação Livre e soberana? Seria necessário que

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789)

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789) Profª.: Lygia Mânica Costa 7ª série do E. Fundamental Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era grave e o nível de insatisfação

Leia mais

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA EUROPA Expansão dos Ideais Iluministas Revolução Francesa Fim do Antigo regime Ascensão da Burguesia ao poder Revolução Industrial

Leia mais

História do Brasil Colônia

História do Brasil Colônia História do Brasil Colônia Aula VII Objetivo: a expansão e a consolidação da colonização portuguesa na América. A) A economia política da colônia portuguesa. Em O tempo Saquarema, o historiador Ilmar R.

Leia mais

Cidade e desigualdades socioespaciais.

Cidade e desigualdades socioespaciais. Centro de Educação Integrada 3º ANO GEOGRAFIA DO BRASIL A Produção do Espaço Geográfico no Brasil nas economias colonial e primário exportadora. Brasil: O Espaço Industrial e impactos ambientais. O espaço

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão.

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão. CRISE DO ESCRAVISMO A Dinamarca foi o primeiro país Europeu a abolir o tráfico de escravos em 1792. A Grã-Bretanha veio a seguir, abolindo em 1807 e os Estados Unidos em 1808. O Brasil foi o último país

Leia mais

Brasil Império. Sétima Série Professora Carina História

Brasil Império. Sétima Série Professora Carina História Brasil Império Sétima Série Professora Carina História Confederação do Equador Local: Províncias do Nordeste. Época: 1824. Líderes da revolta: Manuel Paes de Andrade, frei Caneca e Cipriano Barata. Causas:

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA INDEPENDÊNCIA DO Colonização: espanhola até 1697, posteriormente francesa. Produção açucareira. Maioria da população:

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. 25 de janeiro de 1835, ao amanhecer o dia na cidade de Salvador, 600 negros entre libertos e escravos levantaram-se decididos

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

FAMÍLIA REAL PORTUGUESA

FAMÍLIA REAL PORTUGUESA FAMÍLIA REAL PORTUGUESA casada D Maria I a louca Filho D. João casado Príncipe Regente D. Miguel Seus filhos D Pedro I, Casado Proclamou a independência do Brasil D. Leopoldina A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA

Leia mais

Os movimentos de libertação colonial

Os movimentos de libertação colonial Os movimentos de libertação colonial Fatores determinantes Em fins do século XVIII, iniciaram-se os movimentos que tinham como objetivo libertar a colônia do domínio econômico português. Deste momento

Leia mais

A América Espanhola.

A América Espanhola. Aula 14 A América Espanhola. Nesta aula, trataremos da colonização espanhola na América, do processo de independência e da formação dos Estados Nacionais. Colonização espanhola na América. A conquista

Leia mais

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX)

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX) 1803 Os Estados Unidos compram a Louisiana da França. Cronologia 1846 a 1848 Guerra do México. Os Estados Unidos conquistam e anexam os territórios da Califórnia, Novo México, Nevada, Arizona e Utah. 1810

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO Prof. Israel Frois SÉCULO XV Território desconhecido; Era habitado por ameríndios ; Natureza praticamente intocada Riqueza imediata: Pau-Brasil (Mata Atlântica) Seus limites

Leia mais

Economia e Sociedade Açucareira. Alan

Economia e Sociedade Açucareira. Alan Economia e Sociedade Açucareira Alan Características coloniais gerais Colônia de exploração Existência de Pacto Colonial Monopólio Economia de exportação de produtos tropicais Natureza predatória extrativista,

Leia mais

Mineração e a Crise do Sistema Colonial. Prof. Osvaldo

Mineração e a Crise do Sistema Colonial. Prof. Osvaldo Mineração e a Crise do Sistema Colonial Prof. Osvaldo Mineração No final do século XVII, os bandeirantes encontraram ouro na região de Minas Gerais Grande parte do ouro extraído era de aluvião, ou seja,

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

EUA NO SÉC. XIX 1. INTRODUÇÃO A. DOUTRINA MONROE:

EUA NO SÉC. XIX 1. INTRODUÇÃO A. DOUTRINA MONROE: 1. INTRODUÇÃO A. DOUTRINA MONROE: 1) Combate às políticas de recolonização do continente americano; 2) Aproximação com a América Latina; defesa do não-intervencionismo europeu na América como expressão

Leia mais

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdo O Consulado: Economia, Educação

Leia mais

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM Organização social que vigorou na França, principalmente na época em que os reis eram absolutistas, ou seja, de meados do século XVII até a Revolução Francesa. Tal

Leia mais

MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS

MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS 3.1- A AGROMANUFATURA AÇUCAREIRA O COMPLEXO AÇUCAREIRO ( XVI / XVII ) - Pré-condições favoráveis( solo, clima, mão-deobra,mercado externo ) - Participação

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES

SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES A GUERRA DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ANTECEDENTES SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES NESSA ÉPOCA

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA TREZE COLÔNIAS Base de ocupação iniciativa privada: Companhias de colonização + Grupos de imigrantes = GRUPOS DISTINTOS [excedente da metrópole;

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

Expansão do território brasileiro

Expansão do território brasileiro Expansão do território brasileiro O território brasileiro é resultado de diferentes movimentos expansionistas que ocorreram no Período Colonial, Imperial e Republicano. Esse processo ocorreu através de

Leia mais

A COLONIZAÇÃO INGLESA NA AMÉRICA. O processo de formação dos EUA

A COLONIZAÇÃO INGLESA NA AMÉRICA. O processo de formação dos EUA A COLONIZAÇÃO INGLESA NA AMÉRICA O processo de formação dos EUA Inglaterra X Portugal e Espanha A incursão dos ingleses no processo de colonização do continente americano conta com determinadas particularidades

Leia mais

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan João Paulo I O NORDESTE COLONIAL Professor Felipe Klovan A ECONOMIA AÇUCAREIRA Prof. Felipe Klovan Portugal já possuía experiência no plantio da cana-de-açúcar nas Ilhas Atlânticas. Portugal possuía banqueiros

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

Período Joanino 1808-1821

Período Joanino 1808-1821 Período Joanino 1808-1821 Bloqueio Continental - 1806 Tratado de Fontainebleau - 1807 Guerras Napoleônicas Fatores Motivadores Invasão das tropas Napoleônicas - Espanha Invasão das tropas Napoleônicas

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Elabore um texto utilizando as palavras do quadro. França Napoleão Bonaparte Egito 18 Brumário guerra Constituição 2. Sobre

Leia mais

Expansão Territorial. Norte (Vale Amazônico): Nordeste: Drogas do Sertão / Missões. Cana-de-açúcar. Sul. Litoral.

Expansão Territorial. Norte (Vale Amazônico): Nordeste: Drogas do Sertão / Missões. Cana-de-açúcar. Sul. Litoral. Expansão Territorial Norte (Vale Amazônico): Drogas do Sertão / Missões Nordeste: Cana-de-açúcar Sertão Nordestino Litoral Sul Pecuária Fortes de defesa Pau-Brasil Missões Jesuíticas Pecuária Tratados

Leia mais

B. A partir de que fundamento os Estados Unidos reconhece a Independência do Brasil?

B. A partir de que fundamento os Estados Unidos reconhece a Independência do Brasil? Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra Série: 2ª. Disciplina: História (p1,1ª,chamada, 4º. Bimestre) prova dia 22 de outubro de 2015.

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

a) A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, era algo inimaginável para os ocidentais.

a) A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, era algo inimaginável para os ocidentais. Questões: 01. Ao final do século passado, a dominação e a espoliação assumiram características novas nas áreas partilhadas e neocolonizadas. A crença no progresso, o darwinismo social e a pretensa superioridade

Leia mais

Emancipação Política do Brasil

Emancipação Política do Brasil Emancipação Política do Brasil Brasil: Colônia de Portugal. Submetido ao Pacto Colonial só pode comerciar com a Metrópole (Portugal) Insatisfação: altos impostos e autoritarismo Revoltas No Brasil Conjuração

Leia mais

AS INVASÕES FRANCESAS

AS INVASÕES FRANCESAS AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse período Portugal passava para domínio espanhol 1ª invasão Rio

Leia mais

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 SuMÁRIo UNIDADE I O ADVENTO DO MUNDO MODERNO: POLÍTICA E CULTURA... 12 Capítulo 1 o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 A fragmentação do poder na sociedade feudal...

Leia mais

Exercícios de Congresso de Viena, Independências na América Espanhola e Primeiro Reinado

Exercícios de Congresso de Viena, Independências na América Espanhola e Primeiro Reinado Exercícios de Congresso de Viena, Independências na América Espanhola e Primeiro Reinado Material de apoio do Extensivo 1. (FGV) Entre 1814-1815, representantes das nações europeias reuniram-se no chamado

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA 2ª Série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS. -Atinge as Índias contornando a costa da África

DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS. -Atinge as Índias contornando a costa da África DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) PORTUGAL -Atinge as Índias contornando

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

Colégio SOTER - Caderno de Atividades - 8º Ano - História - 1º Bimestre

Colégio SOTER - Caderno de Atividades - 8º Ano - História - 1º Bimestre Capítulo 1 1) Qual a diferença entre as colônias do Norte e as colônias do sul, na colonização inglesa na América? 2) Explique o comércio triangular. 3) Relacione a Guerra dos Sete Anos (1767-1773), entre

Leia mais

Cap. 12- Independência dos EUA

Cap. 12- Independência dos EUA Cap. 12- Independência dos EUA 1. Situação das 13 Colônias até meados do séc. XVIII A. As colônias inglesas da América do Norte (especialmente as do centro e norte) desfrutavam da negligência salutar.

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

REVOLUÇÃO AMERICANA (1776-1781) - LISTA DE EXERCÍCIOS

REVOLUÇÃO AMERICANA (1776-1781) - LISTA DE EXERCÍCIOS 1. (Upe 2014) A passagem do século XVIII para o XIX foi marcada por um desequilíbrio nas relações entre a Europa e o Novo Mundo. As lutas políticas na América estavam ligadas à resistência contra a colonização

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR DE HISTÓRIA PROF. ROSE MARY OLIVEIRA LIMA 8º ANO ENSINO FUNDAMENTAL

MATERIAL COMPLEMENTAR DE HISTÓRIA PROF. ROSE MARY OLIVEIRA LIMA 8º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATERIAL COMPLEMENTAR DE HISTÓRIA PROF. ROSE MARY OLIVEIRA LIMA 8º ANO ENSINO FUNDAMENTAL OS VÁRIOS PROCESSOS DE EXPANSÃO DA COLONIZAÇÃO PORTUGUESA. EXTENSÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO O Brasil é o 5º maior

Leia mais

Em 1776 nascia a primeira nação livre das Américas, os Estados Unidos da América, antigas colônias inglesas.

Em 1776 nascia a primeira nação livre das Américas, os Estados Unidos da América, antigas colônias inglesas. IDADE MODERNA Revolução Americana Os cinquenta anos que se passam entre o final do século XVIII e o início do século XIX foram decisivos para o continente americano. Foi nessa época que as ideias iluministas

Leia mais

Revolução francesa. Monarquia absolutista*

Revolução francesa. Monarquia absolutista* Revolução francesa No desenrolar dos fatos históricos, alguns deles de tão marcantes, dividem os períodos da humanidade. Atualmente os seres humanos dividem a sua atuação no mundo em cinco partes. Pré-História

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia 1 Conteúdos selecionados: Nome: nº Recuperação Final de História Profª Patrícia Lista de atividades 8º ano Apostila 1: O Absolutismo; Revoluções Inglesas e colonização da América do Norte Apostila 2: Revolução

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Influência dos valores iluministas Superação do Absolutismo monárquico e da sociedade estratificada Serviu de inspiração para outras revoluções,

Leia mais

GEOGRAFIA / 2º ANO PROF. SÉRGIO RICARDO

GEOGRAFIA / 2º ANO PROF. SÉRGIO RICARDO GEOGRAFIA / 2º ANO PROF. SÉRGIO RICARDO BRASIL 1) Aspectos Gerais: Território: 8 547 403 Km 2. 5 0 maior país do mundo em extensão e população. País continental devido a sua dimensão territorial. Ocupa

Leia mais

Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA

Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA Exercícios de Iluminismo e Independência dos EUA 1. (Enem) É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer, mas a liberdade política não consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

2012 2ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

2012 2ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 2ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 8º Turma: Data: / /2012 Nota: Professora: Ivana Cavalcanti Riolino Valor da Prova: 65 pontos Orientações

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL 1ºREINADO/REGÊNCIAS/2º REINADO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL 1ºREINADO/REGÊNCIAS/2º REINADO EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL 1ºREINADO/REGÊNCIAS/2º REINADO 01) Para muitos brasileiros que vivenciaram o período regencial (1831-1840), aquele foi um tempo de impasses, mudanças

Leia mais

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR HORISTA 1) Sociologia II A Escola de Ciências Sociais / CPDOC da FGV-RJ informa a abertura de processo seletivo para a contratação de um professor horista para a disciplina

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais