Panorama Energético Perspectivas para 2030

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Panorama Energético Perspectivas para 2030"

Transcrição

1 Panorama Energético Perspectivas para 23

2 Em nosso Panorama Energético Perspectivas para 23, vemos muitos aspectos positivos recuperação e crescimento econômicos, melhores padrões de vida, redução na pobreza e novas tecnologias promissoras no setor energético. No entanto, também vemos um tremendo desafio: como atender às necessidades de uma população global crescente e, ao mesmo tempo, reduzir o impacto do uso da energia sobre o meio ambiente. A dimensão deste desafio já é enorme. Hoje, o uso de energia per capita varia drasticamente ao redor do mundo, mas equivale a uma média de 2. unidades térmicas britânicas (BTU) por dia. Globalmente, isto equivale a 15 bilhões de BTU por segundo. Em 23, a demanda mundial por energia será muito maior quase 35% maior do que era em 25. Atender a esta demanda de maneira economicamente eficaz e ecologicamente responsável é um desafio enfrentado por governos, indústrias e consumidores em todo o mundo. Isso exigirá um conjunto integrado de soluções que inclui a expansão de todas as fontes econômicas de energia. Ao mesmo tempo, também será necessário melhorar eficiências e mitigar emissões através do emprego de novas tecnologias e de combustíveis de queima mais limpa, como o gás natural. Atualizado todos os anos, o Panorama Energético é uma análise abrangente das tendências de longo prazo de demanda e oferta, das emissões e tecnologias energéticas. A ExxonMobil usa o Panorama para nortear suas decisões de longo prazo em termos de investimentos. Nós o compartilhamos publicamente para incentivar uma melhor compreensão sobre nossa empresa, o setor onde atuamos e os desafios energéticos em todo o mundo.

3 Importância da energia Antes de considerar as diversas tendências de demanda, oferta e emissões energéticas que constituem o panorama energético mundial até 23, vale a pena ponderar sobre a importância da energia em todos os aspectos das nossas vidas. Fundamentalmente, o panorama energético trata de pessoas - bilhões de pessoas, e suas famílias, que usam energia para melhorar suas vidas cotidianas. Em escala nacional e internacional, é a essência das economias modernas. Para as nações desenvolvidas, fontes confiáveis de energia impulsionam as tecnologias e os serviços que enriquecem e prolongam a vida. A energia aciona computadores avançados, melhora meios de transporte, expande as comunicações, equipamentos e procedimentos médicos de vanguarda e muito mais. Para as nações em desenvolvimento, a expansão de fontes de oferta de energia confiáveis e financeiramente acessíveis apoia, e até mesmo acelera, mudanças que melhoram e salvam vidas. A energia confiável se traduz na expansão da indústria, na modernização da agricultura, na ampliação do comércio e em melhores transportes. Estes são os componentes básicos do crescimento econômico que geram os empregos que ajudam pessoas a saírem da pobreza e a criarem melhores vidas para seus filhos. Por estes e outros motivos, as questões energéticas são de importância vital e exigem nossa compreensão. Esta publicação inclui afirmações baseadas em previsões. As condições futuras reais (incluindo condições econômicas e a oferta e demanda de energia) podem diferir substancialmente devido a alterações tecnológicas, ao desenvolvimento de novas fontes de oferta, a eventos políticos, alterações demográficas e a outros fatores discutidos neste documento (e no item 1 do último relatório da ExxonMobil sobre o Formulário 1-K). Este material não pode ser reproduzido sem permissão da Exxon Mobil Corporation.

4 Transição para energia/tecnologia moderna Demanda energética (EUA) percentagem (%) Madeira Carvão Petróleo G Primeiro poço de petróleo perfurado em Titusville, PA (EUA) 1869 Início da Rodovia Transcontinental (EUA) 1879 Primeira lâmpada incandescente comercializada 1884 Primeira turbina a vapor 1896 Abertura da hidrelétrica de Niagara Falls (EUA)

5 ás Hidráulica Nuclear Fontes renováveis modernas Fonte: Energy Information Administratio Primeiro carro a gasolina produzido em massa 197 Primeiro posto de gasolina drive-in 1916 Invenção do primeiro aparelho de rádio 1927 Charles Lindbergh cruza o Atlântico voando sem escalas 1933 Philo Farnsworth desenvolve a televisão eletrônica 1936 Completada barragem de Hoover (EUA) 1947 Primeiro poço off-shore sem visão da costa 1952 Primeiro serviço de aviação jet comercial 1954 Inventada moderna célula solar de silício

6 n Primeiro vôo do Concorde supersônico 1969 Homem pisa na Lua 1975 Padrões de economia de combustíveis votados no Congresso dos EUA 1979 É lançada no Japão a primeira rede comercial de celulares com cobertura urbana 198 Primeira fazenda de vento com 2 turbinas construída em New Hampshire 1981 IBM lança computador pessoal 1992 Início do Programa Energy Star nos EUA 1991 Primeira bateria de lítio comercial 21 Se estabelece a sequência do genoma humano 25 EUA misturam etanol na gasolina 23 Primeira sonda de águas profundas maior que 3 mil metros 29 Os rec cobrem cer a novas téc (Fonte: Colo

7 Evolução da energia e da tecnologia ursos de gás natural dos EUA agora ca de 1 anos de demanda atual graças nicas de exploração rado School of Mines) Fontes de energia e tecnologias evoluem com o tempo e influenciam umas às outras. Em 185, a madeira era a maior fonte de energia dos EUA. Já em 19, com a evolução da mineração, o carvão havia passado a predominar e a impulsionar a recém industrializada nação. O acesso à energia possibilitou o crescimento do país como uma economia industrial e, por sua vez, o crescimento industrial e a riqueza por ele criada resultaram no aumento da demanda energética dos EUA. Na década de 5, o petróleo começou a passar à frente do carvão, uma vez que o aumento na aquisição de veículos e o surgimento das companhias aéreas comerciais geraram novas necessidades por combustíveis para transporte. A energia hidrelétrica passou a ser utilizada. E o gás natural, considerado praticamente sem valor uma geração antes, ajudou a atender às necessidades industriais e de aquecimento de uma nação cada vez mais próspera. De 195 a 2, vimos a introdução da energia nuclear e a primeira aparição significativa dos combustíveis renováveis modernos. O gás natural também passou a alimentar geradores de energia. Os avanços tecnológicos ajudaram a fazer com que a produção e o uso de energia fossem mais limpos e mais eficientes. Até 23, nossas fontes de oferta de energia continuarão a crescer e se diversificar. Esta diversificação reforça a segurança energética através da redução no risco de interrupções de qualquer fonte individual. Embora as mudanças energéticas e tecnológicas sejam evolucionárias, elas muitas vezes apresentam impactos revolucionários. Mercados livres, comércio aberto e estruturas jurídicas, normativas e tributárias estáveis facilitam estas transformações positivas.

8 O crescimento econômico direciona a demanda energética O mundo utiliza 15 bilhões de BTU de energia a cada segundo. À medida que mais países galgam a escada econômica, mais energia se faz necessária. A atividade econômica e o crescimento populacional são direcionadores fundamentais da demanda energética. A ExxonMobil prevê que, de 25 a 23, o Produto Interno Bruto mundial se expandirá a uma taxa média de 2,7%, apesar da recente recessão. Ao mesmo tempo, espera-se que a população mundial passe dos 6,7 bilhões atuais para quase 8 bilhões de pessoas. Populações em crescimento geram novas demandas energéticas, não apenas para necessidades pessoais - como combustíveis para automóveis e eletricidade para residências - como também por energia consumida indiretamente, como no uso de edifícios públicos, transporte comercial e indústrias. O consumo indireto é responsável por dois terços da energia per capita utilizada no mundo. A ExxonMobil prevê um aumento médio de 1,2% ao ano na demanda energética mundial até 23, quando o mundo estará utilizando quase 35% mais energia do que em 25. No entanto, este total mundial não conta toda a história. As economias dos países que não fazem parte da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômicos (OCDE), como a China e a Índia, embora Energy demand to grow sharply ainda relativamente menores, crescerão a um ritmo muito mais rápido. Em conjunção a esse aumento, a expectativa é de que a demanda por energia nos países não OCDE aumente em cerca de 65% de 25 a 23. Em contraste, estima-se que a demanda energética nos Estados Unidos e em outros países da OCDE seja ligeiramente menor em 23 em comparação com 25, mesmo com um aumento médio de mais de 5% em suas economias até aquele ano. população bilhões PIB trilhões em dólares de 25 demanda de energia quatrilhões de BTUs 1,9% média de crescimento ao ano ,7% média de crescimento ao ano ,2% média de crescimento ao ano

9 A demanda mundial de energia será quase 35 % maior em 23 Growing global demand A demanda de energia vai crescer em cada setor... quatrilhões BTUs 3 2 Industrial Poder de Geração... mas a melhora na eficiência vai ajudar a mitigar o crescimento Poder de Geração Residencial/ Comercial do que era em Transporte Residencial/ Comercial Industrial Transporte Ganhos de energia Como isso é possível? O principal motivo é a maior eficiência energética. A ExxonMobil projeta ganhos de eficiência substanciais nos países da OCDE. Também enxergamos melhorias de eficiência nos países não pertencentes à OCDE, mas os crescimentos mais rápidos no PIB e nas rendas pessoais continuarão a gerar maiores demandas nesses países. O uso de eletricidade e transportes está aumentando rapidamente O setor de geração de energia elétrica será o de crescimento mais rápido, enquanto carros e SUVs mais econômicos irão desacelerar a demanda por combustíveis. Uma parte essencial da equação energética é a geração de energia elétrica. Em 23, a geração de energia elétrica será responsável por cerca de 4% de toda a demanda energética e seu maior energético continuará a ser o carvão, o combustível com a maior intensidade de carbono. O incrível aumento na demanda de energia elétrica não é causado apenas pelas demandas de alta tecnologia dos países desenvolvidos, mas também pelas necessidades mais básicas e pelo crescimento econômico de países em desenvolvimento. Os países não OCDE representam 8% do crescimento na demanda de eletricidade previsto para até 23. As rendas crescentes na China e em outros países em rápido desenvolvimento também produzirão um crescimento robusto no número de veículos globais até 23. A China, hoje, conta com apenas cerca de 3 veículos para cada 1. pessoas, em comparação a 78 para cada 1. pessoas nos Estados Unidos. Mesmo assim, no setor de transportes, uma importante mudança está a caminho. Essencialmente, todo o crescimento projetado na demanda energética vem do setor de transporte comercial caminhões pesados, aviões, navios e trens. A demanda por combustível para o transporte pessoal carros, SUVs e caminhonetes na verdade permanece estável até 23, à medida que veículos mais eficientes são lançados no mercado.

10 Os ganhos em eficiência energética até 23 reduzirão o crescimento da demanda de energia mundial em aproximadamente 65 % Efficiency: reducing demand growth energia por PIB milhões de BTUs por mil dólares de PIB (dólares de 25) ,2% Ganho de eficiência em média por ano Nível constante em 25 1,5% Ganho de eficiência em média por ano demanda de energia quatrilhões de BTUs Como seria a demanda sem ganhos de eficiência 1,2% Crescimento em média por ano 25-3 ~3 quatrilhões Os veículos convencionais à gasolina continuarão a ser a maioria até 23, seguidos por veículos a diesel mas ambas as categorias passarão a ser mais econômicas através da aplicação de tecnologias que conseguem melhorar o rendimento em até 35%. Haverá uma expansão rápida de veículos híbridos e outros veículos avançados: em 23 eles representarão 15% da frota de veículos pessoais, em comparação a menos de 1% atualmente. Em todos os setores, a demanda cresceria muito mais rapidamente se não houvessem os aperfeiçoamentos na eficiência energética. Eficiência: redução no crescimento da demanda Um dos combustíveis mais importantes será a energia economizada devido a melhores eficiências. Nosso mundo continua a se tornar energeticamente mais eficiente. De 198 a 2, a energia necessária para produzir uma unidade de PIB caiu, em média, 1,2% ao ano. Isto aconteceu devido a vários motivos, incluindo o uso de novas tecnologias que permitem economias de energia. A nossa expectativa é que os ganhos em eficiência acelerem entre 25 e 23, em comparação às tendências históricas, com uma queda média mundial no índice de energia-por-pib de 1,5% ao ano. Este ritmo mais acelerado será resultado de custos de energia mais elevados, determinações e regulamentações governamentais, avanços tecnológicos e do uso previsto de políticas públicas que imponham custos às emissões de dióxido de carbono (CO 2 ) nos países da OCDE. O aumento da eficiência resultará em uma economia significativa de energia. Na realidade, até 23, esperamos que a quantidade de energia economizada devido a melhores eficiências seja maior que a energia fornecida por qualquer fonte de oferta isolada, incluindo o petróleo. Para perceber como a eficiência energética opera para frear o aumento da demanda energética, imagine se as economias mundiais crescessem conforme o previsto até 23, mas a eficiência fosse mantida nos mesmos níveis de 25. Neste caso, a demanda energética mundial em 23 não seria 35% maior que em 25, como projetamos atualmente; ela seria cerca de 95% maior. Em outras palavras, os ganhos em termos de eficiência energética até 23 conterão o crescimento da demanda energética até 23 em cerca de 65%. Neste sentido, uma das maiores fontes de energia no futuro será encontrar maneiras de se usar a energia com mais eficiência. A eficiência não apenas desacelera a demanda, mas também ajuda a diminuir os custos dos combustíveis e reduz o aumento das emissões de CO 2.

11 Demanda e oferta globais de energia Para atender à crescente demanda, precisaremos expandir todas as fontes de energia econômicas. O petróleo, o gás natural e o carvão continuarão a atender à maioria das necessidades mundiais até 23 nenhuma outra fonte de energia se equipara a estas em termos de disponibilidade, versatilidade, acessibilidade econômica e escala. Entre elas, a que crescerá com mais rapidez será o gás natural, pois sua combustão é mais limpa e, portanto, faz com que seja uma ferramenta poderosa para reduzir o impacto do uso de energia sobre o meio ambiente. Entre os principais combustíveis, o gás natural será o que apresentará o crescimento mais rápido. Em 23, a demanda por gás natural será mais do que 55% superior à de 25. As tecnologias que possibilitaram o uso de gás não convencional ajudarão a atender a esta demanda. Este é particularmente o caso dos Estados Unidos, onde se espera que atendam a mais de 5% da demanda em 23. Em função de sua abundância e propriedades como combustível de queima limpa, a ampliação no uso do gás natural para a geração de energia elétrica pode ajudar a expandir as economias e a promover metas ambientais. A energia nuclear crescerá significativamente em suporte às necessidades cada vez maiores Global energy demand and supply de geração de energia elétrica. A energia eólica, solar e os biocombustíveis também apresentarão altos crescimentos. Em 23, cerca de 4% da eletricidade mundial será proveniente de usinas nucleares e combustíveis renováveis. As políticas climáticas que impõem um custo às emissões de CO 2 melhorarão os aspectos econômicos dos combustíveis renováveis e de baixo carbono. Mesmo com estas políticas, a energia solar enfrenta obstáculos significativos para se tornar economicamente competitiva até 23, assim como a tecnologia de sequestro e armazenamento de carbono. A composição da oferta de energia mundial muda com o tempo, à medida que novas tecnologias evoluem. Isto já era verdade em 19, quando o carvão e a madeira dominavam as economias industriais, e permanecerá verdadeiro em 23, quando a composição energética mundial será mais diversificada do que nunca. por setor quatrilhões BTUs por tipo de energia quatrilhões BTUs Vento, solar, biocombustíveis Hidro, geológico 5 Residencial/ Comercial 5 Biomassa Nuclear 4 Industrial 4 Carvão 3 Transporte 3 Gás Poder de geração 1 Petróleo

12 A demanda energética global e emissões de CO 2 Espera-se que as emissões de CO 2 relacionadas à energia, nos Estados Unidos e em outros países da OCDE, sofram reduções significativas durante o período abrangido pelo panorama; em 23, as emissões dos países da OCDE voltarão aos níveis de 198. A ExxonMobil prevê que as emissões mundiais de CO 2 aumentarão em,9% ao ano até 23, quando estarão cerca de 25% maiores do que em 25. Embora isto represente um aumento significativo, ele ainda é substancialmente menor que o crescimento projetado da demanda energética para o mesmo período. Este desenvolvimento positivo é o resultado de ganhos esperados em eficiência e de uma mudança para o uso de combustíveis de baixo carbono principalmente gás natural, energia nuclear e energia eólica. O gás natural usado na geração de energia elétrica pode resultar em até 6% menos emissões de CO 2 que o carvão. Uma vez que cada país se encontra em estágios diferentes de desenvolvimento econômico, os padrões de emissões de CO 2 variarão muito até 23. Em 24, as emissões dos países não OCDE superaram as dos países membros; em 23, os países não OCDE representarão dois terços do total mundial, apesar de suas emissões per capita e de seu uso de energia continuarem bem menores que os níveis dos países da OCDE. Global CO 2 emissions energy demand and CO 2 emissions Enquanto isso, como resultado de melhorias contínuas na eficiência e de uma mudança para o uso de combustíveis de baixo carbono, as emissões de CO 2 nos países da OCDE parecem já ter alcançado o pico, apresentando uma tendência de diminuição até 23. As emissões de CO2 nos países da OCDE devem sofrer uma redução de cerca de 15% e, em 23, chegarão aos níveis de 198. Esta é uma realização notável, considerando-se que a produção econômica dos países da OCDE triplicará neste período e que a população aumentará em cerca de 3%. Reduzir as emissões e, ao mesmo tempo, atender à demanda crescente de energia, continuará a exigir um tremendo esforço mundial, a ser sustentado por décadas. Precisaremos acelerar os ganhos em eficiência energética, expandir o acesso a combustíveis de baixo carbono e desenvolver novas tecnologias que possam mitigar o aumento das emissões. energy Emissões supply de CO 2 Quadrillion bilhões de toneladas BTUs % Average Growth per Year Emissões de CO 22 por setor bilhões de toneladas 4 4,9% média de crescimento anual Emissões de CO 22 por combustível bilhões de toneladas 4 4,9% média de crescimento anual Other 3 3 Residencial/ Comercial 3 3 Gás Gas fora da OCDE 2 2 Transporte Industrial 2 2 Petróleo 2 1 Oil OCDE Coal Geração de energia Carvão

13 Nossos principais desafios energéticos Ao analisarmos o panorama energético até 23, identificamos diversos desafios interligados. Reduzir a pobreza e melhorar padrões de vida em todo o mundo será um dos maiores esforços a serem empreendidos até 23. Um fator importante para a realização desta meta será continuar a atender às necessidades mundiais de energia de maneira segura, confiável e financeiramente acessível, mesmo frente ao crescimento populacional e econômico particularmente nos países em desenvolvimento que leva a demanda mundial a um nível quase 35% mais elevado que em 25. Através do fornecimento de energia confiável e financeiramente acessível também ajudaremos a revitalizar economias e a possibilitar ganhos econômicos amplos. Atender a esta demanda não será fácil, especialmente considerando que os recursos energéticos mundiais são cada vez mais encontrados em locais de difícil acesso e difícil produção. Será necessário que o setor de energia global opere em uma escala ainda maior que a de hoje. 6,7 bilhões de pessoas Uniões econômicas globais Uso e foco em tecnologias crescentes Expa abastec Padrões de vida díspares Necessidades enormes de energia Ganhos ambientais e preocupações Melhorar eficiência Mitigar emissões

14 Ao mesmo tempo, existe uma necessidade contínua de proteger o meio ambiente para as próximas gerações. Isto inclui adotar medidas sensatas e significativas para conter as emissões de CO 2 e, ao mesmo tempo, utilizar os recursos locais para ajudar a manter fontes de oferta garantidas. Podemos superar estes desafios interligados. Para fazer isso, precisaremos de um conjunto integrado de soluções que inclua a expansão de todas as fontes de energia econômica, a melhoria de eficiências e a mitigação das emissões por meio do uso de combustíveis de queima mais limpa, como o gás natural. Estas soluções devem ser financiadas por trilhões de dólares em investimentos em novas energias, por um enfoque de longo prazo e por constantes inovações tecnológicas. A ExxonMobil está comprometida a buscar cada uma destas soluções integradas. O Panorama Energético está disponível no nosso website, exxonmobil.com/energyoutlook. ndir imento 8 bilhões de pessoas Países fora da OCDE lideram crescimento econômico Avanços significativos em tecnologia Menos pobreza; padrões de vida melhoram Energia global precisa crescer quase 35% Progresso em objetivos ambientais

15 Principais conclusões Globalmente, a demanda de energia aumentará, em média, 1,2% ao ano, como resultado da recuperação e crescimento econômicos, bem como do aumento populacional. Em 23, a utilização mundial de energia será quase 35% maior do que era em 25. O setor de geração de energia elétrica é o maior e de mais rápido crescimento. Em 23, 4% de toda a oferta de energia será usada para produzir eletricidade. O setor de transportes é um dos que apresenta crescimento mais rápido. Em 23, os veículos pesados representarão o segmento de maior demanda no setor de transportes. A demanda energética de carros e SUVs permanecerá estável até 23, como resultado de melhores eficiências. As tendências de demanda energética serão dominadas pelo crescimento na China, Índia e outros países não membros da OCDE. Todo o crescimento na demanda energética e nas emissões de CO 2 de 25 a 23 ocorrerá em países não membros da OCDE. Nos Estados Unidos, e em outros países da OCDE, a demanda de energia permanecerá essencialmente estável, e a expectativa é a de que as emissões de CO 2 diminuam. As emissões mundiais de CO 2 aumentarão, em média,,9% ao ano um aumento significativo, mas substancialmente mais lento que o crescimento na demanda de energia, em função de ganhos em eficiência e de uma mudança para o uso de combustíveis de baixo carbono. Precisaremos expandir todas as fontes de energia economicamente viáveis para atender à demanda crescente de energia. Também precisaremos acelerar os ganhos em eficiência energética, o que pode reduzir drasticamente o índice de crescimento na demanda. O petróleo continuará a ser a maior fonte de energia, enquanto que o gás natural será o combustível fóssil de mais rápido crescimento por ser abundante, amplamente disponível e por apresentar uma queima mais limpa. Em 23, a demanda mundial por gás natural será mais que 55% superior à de 25. A energia nuclear e os combustíveis renováveis também apresentarão forte crescimento. Um dos combustíveis mais importantes é a eficiência energética. A energia economizada através de melhores eficiências será maior que a de qualquer outra fonte individual, incluindo o petróleo. A eficiência também reduz os custos dos combustíveis e emissões. A tecnologia é essencial em todas as frontes. Muitas pessoas não se dão conta de que a energia é um setor de alta tecnologia. Novas tecnologias irão, com o tempo, disponibilizar novas fontes de energia e permitir que a energia seja usada de maneira mais eficiente.

16 Sede Corporativa 5959 Las Colinas Blvd. Irving, Texas EUA exxonmobil.com Impresso inteiramente em papel reciclado. Janeiro 21 SP-124-mini PT

Importância da energia

Importância da energia Importância da energia Antes de considerar as diversas tendências de demanda, oferta e emissões energéticas que constituem o panorama energético mundial até, vale a pena ponderar sobre a importância da

Leia mais

2012 - Panorama Energético: Perspectivas para 2040

2012 - Panorama Energético: Perspectivas para 2040 212 - Panorama Energético: Perspectivas para Índice Fundamentos globais 2 Residencial/comercial 3 Transportes 4 Industrial 5 Geração de eletricidade 6 Emissões 7 Fornecimento e tecnologia 8 Conclusão 9

Leia mais

Panorama Energético: Perspectivas para 2040 Destaques

Panorama Energético: Perspectivas para 2040 Destaques 100% E 60% E 50% E Panorama Energético: Perspectivas para 2040 Destaques 2014 Panorama Energético: Perspectivas para 2040 O Panorama Energético é a visão global de longo prazo da ExxonMobil da demanda

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE

Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE Cenário de referência O estudo WETO apresenta um cenário de referência que descreve a futura situação energética

Leia mais

PANORAMA ENERGÉTICO INTERNACIONAL

PANORAMA ENERGÉTICO INTERNACIONAL SENADO FEDERAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL AGENDA RUMOS DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA 2011-2012 PANORAMA ENERGÉTICO INTERNACIONAL Prof. Dr. Rex Nazaré Alves 19 de setembro de 2011

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

Sumário Executivo. A [R]evolução Energética

Sumário Executivo. A [R]evolução Energética Sumário Executivo Ameaças climáticas e soluções As mudanças climáticas globais, conseqüências do incessante aumento dos gases de efeito estufa na atmosfera do planeta, já estão alterando ecossistemas e

Leia mais

Conceito. são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos:

Conceito. são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos: Conceito são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos: Renováveis renovação em um curto período de tempo; Não renováveis

Leia mais

Sumário resumido sobre energia

Sumário resumido sobre energia 42-28917538 I John Smith/Corbis Sumário resumido sobre energia ENERGIA! Energia faz o mundo girar. Ela faz carros, casas, escritórios, escolas e hospitais funcionarem. Sem ela, nós não teríamos formas

Leia mais

Matriz energética e emissão de gases de efeito estufa Fatos sobre o Brasil

Matriz energética e emissão de gases de efeito estufa Fatos sobre o Brasil Confederação Nacional da Indústria Matriz energética e emissão de gases de efeito estufa Fatos sobre o Brasil Edição revisada Brasília, 2008 Nota técnica Os gráficos desta cartilha foram elaborados a partir

Leia mais

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017)

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017) Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017) PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017)

Leia mais

POTENCIAL DA BIOENERGIA FLORESTAL

POTENCIAL DA BIOENERGIA FLORESTAL POTENCIAL DA BIOENERGIA FLORESTAL - VIII Congresso Internacional de Compensado e Madeira Tropical - Marcus Vinicius da Silva Alves, Ph.D. Chefe do Laboratório de Produtos Florestais do Serviço Florestal

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD)

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL RAQUEL ALVES DA SILVA CRUZ Rio de Janeiro, 15 de abril de 2008. TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL TERMOELÉTRICAS

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

Conceito e Evolução da utilização da Energia

Conceito e Evolução da utilização da Energia Energia Limpa Agenda O que é energia limpa? Tipos de energia limpa Energia Hídrica Energia Eólica Energia Geotérmica Biomassa Energia Solar Energia do Mar O Brasil neste cenário Protocolo de Kyoto Conceito

Leia mais

Energia Sustentável para Todos: grande oportunidade e caminhos a serem seguidos

Energia Sustentável para Todos: grande oportunidade e caminhos a serem seguidos 1 Energia Sustentável para Todos: grande oportunidade e caminhos a serem seguidos António Farinha, Managing Partner São Paulo, 11 de junho de 2012 2 As medidas do Sustainable Energy for All endereçam as

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol

Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol Resenha Desenvolvimento / Economia e Comércio Raphael Rezende Esteves 22 de março de 2007 1 Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol

Leia mais

Agenda Elétrica Sustentável 2020

Agenda Elétrica Sustentável 2020 Congresso Eficiência Energética Casa Alemã A Casa Ecoeficiente São Paulo, 14 de Abril de 2010 Agenda Elétrica Sustentável 2020 Estudo de Cenários para um Setor Elétrico Brasileiro Eficiente, Seguro e Competitivo

Leia mais

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear.

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Tipos de Energia Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Primaria fontes que quando empregadas diretamente num trabalho ou geração de calor. Lenha, para produzir

Leia mais

Eficiência e Inovação no sector da energia. Jorge Cruz Morais

Eficiência e Inovação no sector da energia. Jorge Cruz Morais Eficiência e Inovação no sector da energia Jorge Cruz Morais Paradigma do século XX Energia abundante Energia barata factores da alteração Preço dos combustíveis fósseis Aumento da Procura Emissões de

Leia mais

Tecnologia Alternativa Combustíveis renováveis

Tecnologia Alternativa Combustíveis renováveis 1 2 Tecnologia Alternativa Combustíveis renováveis Portaria nº 3-A/2007 de 2 de Janeiro Promoção da utilização de biocombustíveis nos transportes foi objecto do Decreto - Lei nº 62/2006 Decreto - Lei nº

Leia mais

ETENE. Energias Renováveis

ETENE. Energias Renováveis Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Fonte: http://www.noticiasagronegocios.com.br/portal/outros/1390-america-latina-reforca-lideranca-mundial-em-energias-renovaveis- 1. Conceito

Leia mais

ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO (ECEME) 4º Congresso de Ciências Militares

ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO (ECEME) 4º Congresso de Ciências Militares ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO (ECEME) 4º Congresso de Ciências Militares Ciências Militares no Século XXI Situação Atual e Desafios Futuros Geopolítica dos Recursos Naturais Fontes Alternativas

Leia mais

Fortaleza, junho de 2015

Fortaleza, junho de 2015 Fortaleza, junho de 2015 All About Energy 2015 Política de Energia e Mudança Climática Luiz Pinguelli Rosa Diretor da COPPE UFRJ * Secretário do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas Membro da Academia

Leia mais

Termoelétricas Ou Termelétricas

Termoelétricas Ou Termelétricas Termoelétricas Ou Termelétricas É uma instalação industrial usada para geração de energia elétrica/eletricidade a partir da energia liberada em forma de calor, normalmente por meio da combustão de algum

Leia mais

Volatilidade e Mudanças Estruturais Impactos na Indústria de Petróleo

Volatilidade e Mudanças Estruturais Impactos na Indústria de Petróleo Volatilidade e Mudanças Estruturais Impactos na Indústria de Petróleo Cristina Brunet de Figueiredo Coordenadora da Comissão de Responsabilidade Social do IBP Coordenadora de Comunicação e Relações Externas

Leia mais

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis Biocombustíveis Também chamados de agrocombustíveis Biomassa É o combustível obtido a partir da biomassa: material orgânico vegetal ou animal Uso tradicional: lenha, excrementos Etanol: álcool combustível.

Leia mais

Para produzir energia elétrica e

Para produzir energia elétrica e Produção de energia elétrica A UU L AL A uma notícia de jornal: Leia com atenção o texto a seguir, extraído de Seca agrava-se em Sobradinho e ameaça causar novo drama social no Nordeste Para produzir energia

Leia mais

4º Congresso Internacional de Bioenergia e 1º Congresso Brasileiro de GD e ER

4º Congresso Internacional de Bioenergia e 1º Congresso Brasileiro de GD e ER 4º Congresso Internacional de Bioenergia e 1º Congresso Brasileiro de GD e ER Painel II BIOMASSA: Disponibilidade Energética para uma Civilização Sustentável Departamento de Desenvolvimento Energético

Leia mais

Fique ligado na energia!

Fique ligado na energia! A U A UL LA 3 Fique ligado na energia! Todos os processos vitais do planeta - circulação das águas e dos ventos, a fotossíntese, entre outros - dependem de energia. A principal fonte de energia na Terra

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

20 de agosto de 2013. Xisto muda geopolítica da energia

20 de agosto de 2013. Xisto muda geopolítica da energia 20 de agosto de 2013 Xisto muda geopolítica da energia A "revolução do xisto" em curso nos Estados Unidos, que já despertou investimento de US$ 100 bilhões na indústria americana, vai resultar em uma nova

Leia mais

Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade

Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade (sem desligar as luzes) UMA PESQUISA SOBRE A PRODUTIVIDADE ENERGÉTICA NAS AMERICAS CONTINUE POR FAVOR 6 1,9 1 0,1 4 3 14 4 8 O Futuro Sem Eficiência Uma maneira

Leia mais

USO DO GÁS NATURAL DE PETRÓLEO NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

USO DO GÁS NATURAL DE PETRÓLEO NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA PÓS - GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA ADP8088 - SEMINÁRIOS EM ENGENHARIA AGRÍCOLA II USO DO GÁS NATURAL DE

Leia mais

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia Disciplina: Fontes Alternativas de Parte 1 Fontes Renováveis de 1 Cronograma 1. Fontes renováveis 2. Fontes limpas 3. Fontes alternativas de energia 4. Exemplos de fontes renováveis 1. hidrelétrica 2.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS Luis Eduardo Machado¹ Renata Sampaio Gomes ² Vanessa F. Balieiro ³ RESUMO Todos sabemos que não é possível haver regressão nas tecnologias

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2014

Balanço Energético Nacional 2014 Balanço Energético Nacional 2014 Relatório Síntese ano base 2013 Empresa de Pesquisa Energética - EPE Rio de Janeiro, RJ Maio de 2014 BEN 2014 Relatório Síntese ano base 2013 Ministério de Minas e Energia

Leia mais

O futuro do xisto nos Estados Unidos

O futuro do xisto nos Estados Unidos O futuro do xisto nos Estados Unidos Exploração do xisto nos Estados Unidos transforma matriz energética do país A INTL FCStone Inc. é uma empresa listada na Fortune 500 que fornece aos clientes pelo mundo

Leia mais

Luiz Pinguelli Rosa. SEMINÁRIO Florianópolis, junho de 2015. O Setor Elétrico no Contexto da Política de Energia e Mudança Climática

Luiz Pinguelli Rosa. SEMINÁRIO Florianópolis, junho de 2015. O Setor Elétrico no Contexto da Política de Energia e Mudança Climática SEMINÁRIO Florianópolis, junho de 2015 O Setor Elétrico no Contexto da Política de Energia e Mudança Climática Luiz Pinguelli Rosa Diretor da COPPE UFRJ * Secretário do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Leia mais

Parte A - Questões Múltipla Escolha

Parte A - Questões Múltipla Escolha Matriz Energética Professor: Marcio Luiz Magri Kimpara Parte A - Questões Múltipla Escolha LISTA DE EXERCÍCIOS 1 1) Uso de fontes renováveis de energia no mundo. Fonte: Rio de Janeiro: IBGE, 21 O uso de

Leia mais

Como se produz eletricidade Os vários meios de obtê-la transformando outros tipos de energia

Como se produz eletricidade Os vários meios de obtê-la transformando outros tipos de energia A geracao de eletricidade Como se produz eletricidade Os vários meios de obtê-la transformando outros tipos de energia valdemir cunha/horizonte Unidades geradoras da usina hidrelétrica de Promissão, no

Leia mais

OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A

OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A INDÚSTRIA DO PETRÓLEO Ricardo de Gusmão Dornelles Diretor do Departamento de Combustíveis Renováveis Jun/2009 MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL E NACIONAL - 2008 54,9 45,1 Brasil (2008)

Leia mais

O desenvolvimento de recursos energéticos renováveis e alternativos: o papel do comissário Jeff Davis Comissário Comissão de Serviços Públicos do Missouri 1 Recursos energéticos renováveis e alternativos:

Leia mais

Enfrentar a crise climática vai ajudar a resolver a crise financeira a perspectiva do Greenpeace

Enfrentar a crise climática vai ajudar a resolver a crise financeira a perspectiva do Greenpeace Enfrentar a crise climática vai ajudar a resolver a crise financeira a perspectiva do Greenpeace Manaus Av. Joaquim Nabuco, 2367, Centro CEP: 69020-031 Tel.: +55 92 4009-8000 Fax: +55 92 4009-8004 São

Leia mais

www.soumaisenem.com.br

www.soumaisenem.com.br 1. (Enem 2011) Uma das modalidades presentes nas olimpíadas é o salto com vara. As etapas de um dos saltos de um atleta estão representadas na figura: Desprezando-se as forças dissipativas (resistência

Leia mais

SUMÁRIO RELATÓRIO WIND FORCE 12

SUMÁRIO RELATÓRIO WIND FORCE 12 SUMÁRIO RELATÓRIO WIND FORCE 12 OS IMPACTOS DO AQUECIMENTO GLOBAL SÃO DE TAL MAGNITUDE QUE EU NÃO HESITARIA EM CONSIDERÁ-LOS UMA ARMA DE DESTRUIÇÃO EM MASSA. Sir John Houghton, The Guardian, 28 de julho

Leia mais

ENERGIA Fontes e formas de energia Impactos ambientais. Prof. Dra. Carmen Luisa Barbosa Guedes

ENERGIA Fontes e formas de energia Impactos ambientais. Prof. Dra. Carmen Luisa Barbosa Guedes ENERGIA Fontes e formas de energia Impactos ambientais Prof. Dra. Carmen Luisa Barbosa Guedes Disciplina: - 2014 A energia esta envolvida em todas as ações que ocorrem no UNIVERSO FONTES DE ENERGIA FONTES

Leia mais

O panorama da energia e as suas implicações na estratégia das empresas. Manuel Ferreira De Oliveira Presidente Executivo AESE 17 de Maio de 2012

O panorama da energia e as suas implicações na estratégia das empresas. Manuel Ferreira De Oliveira Presidente Executivo AESE 17 de Maio de 2012 O panorama da energia e as suas implicações na estratégia das empresas Manuel Ferreira De Oliveira Presidente Executivo AESE 17 de Maio de 2012 Macro-tendências 1 Compromisso Global com temáticas relacionadas

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL. I Relatório Síntese I ano base 2012

BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL. I Relatório Síntese I ano base 2012 BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 2013 I Relatório Síntese I ano base 2012 Brasil. Empresa de Pesquisa Energética. Balanço Energético Nacional 2013 Ano base 2012: Relatório Síntese Rio de Janeiro: EPE, 2013

Leia mais

CAPÍTULO 10 ENERGIAS RENOVÁVEIS FONTES ALTERNATIVAS

CAPÍTULO 10 ENERGIAS RENOVÁVEIS FONTES ALTERNATIVAS CAPÍTULO 10 ENERGIAS RENOVÁVEIS FONTES ALTERNATIVAS. O Sol, o vento, os mares...fontes naturais de energia que não agridem o meio ambiente. Será viável utilizá-las? A Energia renovável é aquela que é obtida

Leia mais

WORKSHOP PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ENERGIA NUCLEAR NA MATRIZ ELÉTRICA DO BRASIL

WORKSHOP PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ENERGIA NUCLEAR NA MATRIZ ELÉTRICA DO BRASIL WORKSHOP PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ENERGIA NUCLEAR NA MATRIZ ELÉTRICA DO BRASIL GESEL / SINERGIA / EDF A OPÇÃO NUCLEAR PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento

Leia mais

Visão. Brasil precisa inovar mais em tecnologias de redução de emissões de carbono. do Desenvolvimento. nº 97 4 ago 2011

Visão. Brasil precisa inovar mais em tecnologias de redução de emissões de carbono. do Desenvolvimento. nº 97 4 ago 2011 Visão do Desenvolvimento nº 97 4 ago 2011 Brasil precisa inovar mais em tecnologias de redução de emissões de carbono Por André Albuquerque Sant Anna (APE) e Frederico Costa Carvalho (AMA) Economistas

Leia mais

AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS E NÃO-RENOVÁVEIS

AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS E NÃO-RENOVÁVEIS AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS E NÃO-RENOVÁVEIS Laís Schiavon Da Rocha ¹ Rozanda Guedes Da Silva Costa ² O desenvolvimento econômico e os altos padrões de vida são processos complexos

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

ENERGIA AGENDA ATUAL. Seminário BRASIL E OS TEMAS GLOBAIS. Adilson de Oliveira

ENERGIA AGENDA ATUAL. Seminário BRASIL E OS TEMAS GLOBAIS. Adilson de Oliveira ENERGIA AGENDA ATUAL Seminário BRASIL E OS TEMAS GLOBAIS Adilson de Oliveira adilson@ie.ufrj.br REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 1. Revolução energética Independência das disponibilidades locais de energia Uso intensivo

Leia mais

Dossiê Recursos Naturais

Dossiê Recursos Naturais Dossiê Recursos Naturais ESTUDOS AVANÇADOS 12 (33), 1998 5 Energia e desenvolvimento JOSÉ GOLDEMBERG ENERGIA É um ingrediente essencial para o desenvolvimento, que é uma das aspirações fundamentais da

Leia mais

etanol e bioeletricidade!!). Ora a cana de açúcar se presta a ambas as tecnologias mencionadas. Ao converter açúcar em etanol, nas dornas de

etanol e bioeletricidade!!). Ora a cana de açúcar se presta a ambas as tecnologias mencionadas. Ao converter açúcar em etanol, nas dornas de Comentários sobre o Resumo do Segundo Seminário Internacional sobre Uso Eficiente do Etanol, realizado nos dias 17 e 18 de setembro de 2015, no Auditório do BNDES, Rio de Janeiro, RJ, organizado pelo INEE.

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores. Declaração Conjunta Brasil-Estados Unidos sobre Mudança do Clima Washington, D.C., 30 de junho de 2015

Ministério das Relações Exteriores. Declaração Conjunta Brasil-Estados Unidos sobre Mudança do Clima Washington, D.C., 30 de junho de 2015 Ministério das Relações Exteriores Assessoria de Imprensa do Gabinete Nota nº 259 30 de junho de 2015 Declaração Conjunta Brasil-Estados Unidos sobre Mudança do Clima Washington, D.C., 30 de junho de 2015

Leia mais

DEFINIÇÃO: Matriz energética é toda a energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos.

DEFINIÇÃO: Matriz energética é toda a energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos. R O C H A DEFINIÇÃO: Matriz energética é toda a energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos. O petróleo e seus derivados têm a maior participação na

Leia mais

Disponibilização e consumo de energia: implicações sobre o meio ambiente

Disponibilização e consumo de energia: implicações sobre o meio ambiente Disponibilização e consumo de energia: implicações sobre o meio ambiente Ipea Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Gesmar Rosa dos Santos Antenor Lopes Conteúdo Características gerais da Oferta Interna

Leia mais

Geração Elétrica Total. Cenário de Referência (2007)

Geração Elétrica Total. Cenário de Referência (2007) Geração Elétrica Total Cenário de Referência (2007) Greenpeace Brasil Somos uma organização global e independente que atua para defender o meio ambiente e promover a paz, inspirando as pessoas a mudarem

Leia mais

Carvão: solução para um mundo que depende da energia

Carvão: solução para um mundo que depende da energia Carvão: solução para um mundo que depende da energia Uma escolha obrigatória para ajudar a satisfazer a demanda por energia global Com o grande avanço das economias e a melhora da qualidade de vida dos

Leia mais

Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável

Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Energia Competitiva para o Nordeste: Energia Limpa e Renovável Gilberto Hollauer Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Abril de 2015 1 Sumário Política Energética

Leia mais

Energia e Mudança Climática. Elétrica

Energia e Mudança Climática. Elétrica Energia e Mudança Climática Fatos e Tendências Horizonte 2050 Papel da Geração Elétrica Nuclear Leonam dos Santos Guimarães São Paulo, 20 de maio de 2011 1 Três desafios ECONÔMICO SOCIAL 1 Garantir a disponibilidade

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

Declaração Conjunta Brasil-Alemanha sobre Mudança do Clima Brasília, 20 de agosto de 2015

Declaração Conjunta Brasil-Alemanha sobre Mudança do Clima Brasília, 20 de agosto de 2015 Declaração Conjunta Brasil-Alemanha sobre Mudança do Clima Brasília, 20 de agosto de 2015 1. A Presidenta da República Federativa do Brasil, Dilma Rousseff, e a Chanceler da República Federal da Alemanha,

Leia mais

Identificando os tipos de fontes energéticas

Identificando os tipos de fontes energéticas Identificando os tipos de fontes energéticas Observe a figura abaixo. Nela estão contidos vários tipos de fontes de energia. Você conhece alguma delas? As fontes de energia podem ser renováveis ou não-renováveis,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E VIABILIDADES DE FONTES ENERGÉTICAS

CLASSIFICAÇÃO E VIABILIDADES DE FONTES ENERGÉTICAS CLASSIFICAÇÃO E VIABILIDADES 1 INTRODUÇÃO NA PRÉ HISTÓRIA O HOMEM UTILIZAVA SUA PRÓPRIA ENERGIA PARA DESENVOLVER SUAS ATIVIDADES TRANSFERÊNCIA DO ESFORÇO PARA OS ANIMAIS 2 APÓS A INVENSÃO DA RODA: UTILIZAÇÃO

Leia mais

Flórida - EUA 12 Viagem de retorno ao Brasil EUA/Brasil Deslocamento 13 Chegada no Brasil Brasil Deslocamento

Flórida - EUA 12 Viagem de retorno ao Brasil EUA/Brasil Deslocamento 13 Chegada no Brasil Brasil Deslocamento Relatório de Viagem Nome LUIZ N. VALCAREGGI E GILMAR BOHRZ Período De 04/06/2010 até 13/06/2010 Local Evento 35º CONFERÊNCIA TÉCNICA INTERNACIONAL SOBRE CARVÃO LIMPO E SISTEMAS DE COMBUSTÍVEL E VISITA

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA. PROJETO DE LEI N o 3.986, DE 2008 I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA. PROJETO DE LEI N o 3.986, DE 2008 I - RELATÓRIO COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA PROJETO DE LEI N o 3.986, DE 2008 Altera dispositivos da Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 1996, e da Lei nº 10.848, de 15 de março de 2004, para promover a geração e o consumo

Leia mais

Energia, Riqueza e População

Energia, Riqueza e População Energia, Riqueza e População Legenda - Colunas à Esquerda: Crescimento relativo da oferta total de energia - Colunas Centrais: Crescimento relativo do Produto Interno Bruto (PIB) - Colunas à Direita: :

Leia mais

POLÍTICA DE ESTADO PARA O CARVÃO MINERAL

POLÍTICA DE ESTADO PARA O CARVÃO MINERAL POLÍTICA DE ESTADO PARA O CARVÃO MINERAL Política energética sustentável: objetivos Segurança de suprimentos Compatibilidade ambiental Mix energético balanceado Eficiência econômica Carvão mineral no mundo

Leia mais

ALEXANDRE UHLIG Instituto Acende Brasil. EXPANSÃO DA GERAÇÃO NA ERA PÓS- HIDRELÉTRICA Guia para debates

ALEXANDRE UHLIG Instituto Acende Brasil. EXPANSÃO DA GERAÇÃO NA ERA PÓS- HIDRELÉTRICA Guia para debates ALEXANDRE UHLIG Instituto Acende Brasil EXPANSÃO DA GERAÇÃO NA ERA PÓS- HIDRELÉTRICA Guia para debates QUESTÕES PARA REFLEXÃO 1 2 Qual o padrão atual da oferta de eletricidade no Brasil? Qual o padrão

Leia mais

Soluções Integradas em Petróleo, Gás e Energia BRASIL

Soluções Integradas em Petróleo, Gás e Energia BRASIL BRASIL O Brasil possui uma economia sólida, construída nos últimos anos, após a crise de confiança que o país sofreu em 2002, a inflação é controlada, as exportações sobem e a economia cresce em ritmo

Leia mais

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA DO ESTADO DE MINAS GERAIS ANO BASE 2005 O Governo do Estado, por meio da Fundação Estadual de Meio Ambiente FEAM, entidade da Secretaria Estadual de Meio

Leia mais

Energias Renováveis Tecnologias Integradas com o Sistema Nacional

Energias Renováveis Tecnologias Integradas com o Sistema Nacional Energias Renováveis Tecnologias Integradas com o Sistema Nacional Fimai/Simai/ Câmara Ítalo - Brasileira Elaborada por: Eng. Marcio Takata Novembro/ 2010 Contexto Fonte: Apresentação Solvis Energia - Tendências

Leia mais

Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética

Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética Carlos Firme 07 de Julho de 2010 Índice 1. A Biomassa no Contexto das Energias Renováveis 2. A Emergência de um novo tipo de investidor 3. Os Economics

Leia mais

Apague velhos. Acenda uma grande. hábitos. idéia.

Apague velhos. Acenda uma grande. hábitos. idéia. Apague velhos hábitos. Acenda uma grande idéia. Crise Energética Por que todos falam em crise energética? Porque a crise energética sul-americana deixou de ser um cenário hipotético para se transformar

Leia mais

ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade. Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland

ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade. Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland Sumário Introdução Desafios da mitigação de Gases de

Leia mais

DISCUTINDO O FUTURO DA SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA NO BRASIL

DISCUTINDO O FUTURO DA SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA NO BRASIL DISCUTINDO O FUTURO DA SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA NO BRASIL SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 Ciência e tecnologia para o desenvolvimento social Prof. Me. Willian J. Ferreira Prof. Dr. Getulio

Leia mais

APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO NACIONAL : Alternativas Após o Seu Esgotamento

APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO NACIONAL : Alternativas Após o Seu Esgotamento Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético - Ministério de Minas e Energia APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO NACIONAL : Alternativas Após o Seu Esgotamento Sumário

Leia mais

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Agenda Arcabouço Legal Panorama Brasil o Matriz Energética Brasileira o Biodiesel o Etanol o Novos Biocombustíveis Comentários Finais Arcabouço

Leia mais

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Anexo III da Resolução n o 1 da CIMGC Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução A atividade de projeto do Projeto de MDL das Usinas Eólicas Seabra, Novo Horizonte

Leia mais

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural Engenharia Florestal Desenvolvimento Rural 2/05/2010 Trabalho realizado por : Ruben Araújo Samuel Reis José Rocha Diogo Silva 1 Índice Introdução 3 Biomassa 4 Neutralidade do carbono da biomassa 8 Biomassa

Leia mais

Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis

Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis Um estudo de caso da Fair Finance Guide International 5 de novembro

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo O Mercado de Energia Eólica E no Brasil e no Mundo Audiência Pública P - Senado Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle Brasília/DF 19 de junho de 2008 Energia: importância

Leia mais

A Questão da Energia no Mundo Atual

A Questão da Energia no Mundo Atual A Questão da Energia no Mundo Atual A ampliação do consumo energético Energia é a capacidade que algo tem de realizar ou produzir trabalho. O aumento do consumo e a diversificação das fontes responderam

Leia mais

Mobilidade Urbana e Competidores do Motor de Combustão Interna: o desafio da eficiência versus o custo. Paulo R. Feldmann- FEA USP

Mobilidade Urbana e Competidores do Motor de Combustão Interna: o desafio da eficiência versus o custo. Paulo R. Feldmann- FEA USP Mobilidade Urbana e Competidores do Motor de Combustão Interna: o desafio da eficiência versus o custo Paulo R. Feldmann- FEA USP Nossa experiência no IEE A recarga da bateria de 1 V.E. requer 24 kwh equivalente

Leia mais

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3.1. Metodologia Neste capítulo, com base na Matriz Energética do Estado do Rio de Janeiro, é apresentada a metodologia utilizada para as estimativas de emissões de

Leia mais

SUGESTÃO PARA REDUÇÃO GLOBAL DA EMISSÃO DE POLUENTES DOS AUTOMOVEIS José Góes de Araujo Prof. Aposentado Abstract Comments about the reduction possibility of CO² on the atmosphere by the limitation of

Leia mais

MATRIZ ENERGÉTICA SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO Planejamento e Racionalidade

MATRIZ ENERGÉTICA SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO Planejamento e Racionalidade MATRIZ ENERGÉTICA SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO Planejamento e Racionalidade Instituto de Engenharia Miracyr Assis Marcato Panorama energético mundial Em 2010 o mundo, com 6,8 bilhões de habitantes e 150

Leia mais

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras Emilio Lèbre La Rovere Coordenador, CentroClima/LIMA/PPE/COPPE/UFRJ 2º Encontro dos Secretários

Leia mais

ENERGIA, MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO

ENERGIA, MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ENERGIA, MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO JOSÉ GOLDEMBERG LUZ DONDERO VILLANUEVA Arqª Simara Callegari INTRODUÇÃO O PROBLEMA Consumo diferenciado de energia Classes sociais Degradação do meio ambiente PNB

Leia mais

Estado de Mato Grosso Assembleia Legislativa

Estado de Mato Grosso Assembleia Legislativa Projeto de lei - 1o15299h Estado de Mato Grosso Assembleia Legislativa Despacho NP: 1o15299h SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS 17/10/2013 Projeto de lei nº 372/2013 Protocolo nº 6443/2013 Processo nº

Leia mais

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo A Energia e suas Fontes Fontes de Energia Renováveis Fontes de Energia Não-Renováveis Conclusões Energia: Capacidade de realizar trabalho Primeira Lei da Termodinâmica: No

Leia mais

Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo

Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo Biodiesel BIODIESEL no Brasil Jatropha Lei nº 11.097 / 2005 - Introduziu o biodiesel na matriz energética brasileira

Leia mais