VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS 15ANOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS 15ANOS"

Transcrição

1 VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS 15ANOS Especialistas Ambientais: Psicóloga - Elci de Souza Santos Farmacêutica Hospitalar - Nilce da Silva Santana Moura Belo Horizonte, 23 de agosto de 2013

2 CONCIENTIZAÇÃO 2

3 SENSIBILIZAÇÃO INTERAÇÃO REFLEXÃO 3

4 COMPROMETIMENTO 4

5 MUDANÇA DE PARADIGMAS Sua responsabilidade não termina no final do ato técnico, mas com o encaminhamento correto dos resíduos gerados no 5 procedimento.

6 DEFINIÇÃO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE São todos os relacionados com atendimento à saúde humana ou animal, inclusive os gerados nos serviços de assistência domiciliar, de trabalhos de campo e estabelecimentos de ensino e pesquisa na área de saúde. Ex: Hospitais, Clínicas, Laboratórios, Necrotérios, Funerárias, Farmácias, Serviços de Acupuntura e de Tatuagem, etc. 6

7 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES Conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados a partir de bases científicas e técnicas, normativas e legais que norteiam as ações para gerenciar os resíduos em todos os setores do complexo hospitalar. DESPERTE PARA UMA NOVA CULTURA DO LIXO 7

8 ASPECTOS IMPORTANTES NA GESTÃO DE RSS Deve ser realizado em parceria com os diversos setores existentes na instituição: Diretoria Planejamento CCIH Enfermagem Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho Serviço de Limpeza Setor de compras Engenharia e outros setores da Instituição Agentes internos e externos 8

9 OBJETIVOS GERAIS DO PGRSS Minimizar a geração de resíduos; Prevenir e controlar acidentes de trabalho; Racionalizar desperdícios; Reduzir custos financeiros; Ampliar os procedimentos de reciclagem; Preservar a saúde pública, do trabalhador, o meio ambiente e os recursos naturais. 9

10 OBJETIVO ESPECÍFICO Minimizar as dificuldades de implantação e implementação do PGRSS, incluindo as etapas de manejo, segregação, acondicionamento, transporte, tratamento e destino final dos resíduos conforme os requisitos da legislação sanitária e ambiental vigentes. 10

11 CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS A1 A2 A3 A4 GRUPO A A5 GRUPO B GRUPO C GRUPO D GRUPO E 11

12 VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS O DESAFIO DA CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS QUE ATUAM COM OS RESÍDUOS DE SAÚDE Tipo: JPG 12

13 Introdução Os serviços geradores de RSS devem manter um programa de educação continuada, independente do vínculo empregatício existente, que deve que deve contemplar todos os temas pertinentes ao Gerenciamento de RSS. PGRSS 13

14 COMO CAPACITAR OS PROFISSIONAIS? Capacitar multiplicadores? Capacitação in loco/em serviço? Capacitação por área/equipe? Capacitação à distância? 14

15 Qual a metodologia ideal para capacitação em gestão de RSS?? Uso de cartilhas e cartazes educadores? Campanhas de época envolvendo o tema RSS? Promover Palestras com profissionais externos ou internos? Promover capacitação focada do coletor? 15

16 Dúvidas Frequentes dos Profissionais de Saúde Questionamentos???? Quais resíduos precisam ser destruídos/ tratados? O que fazer com materiais médicos hospitalares sem possibilidades de uso? Documentos confidenciais? Quais são eles? Que cuidados se dever para destruí-los? 16

17 COLETA SELETIVA? CAPACITAR PARA RECICLAGEM: O que pode? Cuidados necessários? Enviar para onde? RESOLUÇÃO CONAMA Nº 275 DE 25 DE ABRIL

18 SAÚDE OCUPACIONAL Capacitar para gerenciar riscos e prevenir acidentes de trabalho, principalmente com perfuro cortantes...

19 Resultados Redução dos acidentes de trabalho por descarte inadequado de resíduos entre os coletores e higienizadores; Criação dos Cursos de: Gerenciamento de Ambientes de Saúde e Especialização em Gestão de Resíduos de Serviços de Saúde; Capacitação específica para diversos grupos de profissionais; Orientação e cuidados com os resíduos perigosos; Elaboração de POPs específicos para orientar os procedimentos de manejo dos diversos resíduos gerados nos serviços de saúde; Melhoria na segregação de resíduos, aumentando o quantitativo de recicláveis

20 Resultados: O lixo vira um luxo DECORAÇÕES DE ÉPOCA 20

21 REFLEXÃO Tente adivinhar o que são as imagens a seguir. 21

22 O que é isso? 22

23 Isso não é uma pintura. 23

24 São 106 mil latas de alumínio, jogadas no lixo a cada 30 segundos. 24

25 O que é isso? 25

26 26 1 milhão de copos plásticos, jogados no lixo a cada 6 horas em vôos comerciais.

27 O que é isso? 27

28 60 mil sacolas plásticas, descartadas a cada 5 segundos. 28

29 O que é isso? 29

30 2 milhões de garrafas plásticas, jogadas fora a cada 5 minutos. 30

31 O que é isso? 31

32 170 mil pilhas são produzidas a cada minutos.

33 O que é isso? 33

34 426 mil celulares que saem de circulação diariamente. 34

35 Isso é ARTE DO LIXO. Essas fotos são parte da exposição "Running the Numbers, an American Self Portait", do fotógrafo Chris Jordan, e chamaram a atenção para os milhões de objetos que se acumulam no planeta, bem distante do alcance dos nossos olhos. Os números mencionados foram descobertos em estudos sobre quantidades de lixo descartado, considerando apenas o caso dos Estados Unidos. Agora, imagine se todos os países fossem considerados!... 35

36 A degradação ambiental é resultado do efeito cumulativo das ações de cada um de nós... Por isso, a solução também está em cada um de nós. Colabore com o planeta! Pense antes de consumir! GIA Grupo de Impacto Ambiental Adaptado de: Superinteressante, Edição 247, Dez/2007. Fotos: 36

37 REFERÊNCIAS BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária-ANVISA. Resolução da diretoria colegiada-rdc nº 306 de 07 de dezembro de Brasília, 2004; BRASIL. Lei nº , de 2 de agosto de Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; /_ato /2010/lei/l12305.htm BRASIL. Ministério de Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Resolução n. 358 de 29 de abril de 2005; BRASIL. Ministério de Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Resolução n. 275 de 25 de abril de 2001; CUSSIOL, N. A. M. Disposição final de resíduos potencialmente infectantes de serviçosde saúde em célula especial e por co-disposição com resíduos sólidos urbanos. Belo Horizonte: Tese (Doutorado em Saneamento, Meio Ambiente e Recurso Hídricos)- Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental e Departamento de Engenharia Hidráulica e Recursos Hídricos. Universidade Federal de Minas Gerais, 2005.Disponível na World Wide Web: < Pesquisa Google imagens consulta no período de 22/07/2013 a31/07/2013; Gerenciamento de Resíduos Experiência prática do Hospital das Clínicas/UFMG, ; Gerenciamento de Resíduos Experiência prática do Hospital Alberto Cavalcante/FHEMIG, ; 37

38 GERENCIAR RESÍDUOS É DEVER DE TODOS E RESPONSABILIDADE DE CADA UM 38

39 39

Resíduos de Serviços de Saúde

Resíduos de Serviços de Saúde Programa de Gerenciamento dos Serviços de Saúde no Brasil Resíduos de Serviços de Saúde PGRSS PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Responsabilidade civil: Art. 3 da Lei de Introdução

Leia mais

SÍNTESE DA RDC 306/04 ANVISA/MS

SÍNTESE DA RDC 306/04 ANVISA/MS SÍNTESE DA RDC 306/04 ANVISA/MS NATAL/OUT/2013 RDC 306/04/ANVISA RESIDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE - RSS REGULAMENTAÇÃO HARMONIZAÇÃO ENTRE CONAMA E ANVISA Aprimorar, atualizar e complementar RDC 306/04/ANVISA

Leia mais

Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS

Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS Luís Eduardo Magalhães-BA Março/2015 Werther Brandão Secretário Municipal de Saúde Luziene de Souza Silva

Leia mais

Reportagem Gestão de Resíduos

Reportagem Gestão de Resíduos 22 Reportagem Gestão de Resíduos Conexão 32 Setembro/Outubro 2010 23 Enfermagem na gestão de resíduos Uma das etapas mais complexas da segurança e da limpeza hospitalar está relacionada à gestão dos Resíduos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº- 5, DE 28 DE JUNHO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº- 5, DE 28 DE JUNHO DE 2012 Ministério da Justiça CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA - CNPCP RESOLUÇÃO Nº- 5, DE 28 DE JUNHO DE 2012 CONSIDERANDO a ausência de preocupação com o tratamento dado aos resíduos gerados

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES - RS BRASIL PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES Elaborado por: COMITE DE COORDENAÇÃO DO

Leia mais

DECRETO Nº 10.296 DE 13 DE JULHO DE 2000

DECRETO Nº 10.296 DE 13 DE JULHO DE 2000 DECRETO Nº 10.296 DE 13 DE JULHO DE 2000 Aprova as Diretrizes Básicas e o Regulamento Técnico para apresentação e aprovação do Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde no Município de Belo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE (P- GRSS) 1. DADOS GERAIS 1.1. Identificação do Empreendedor - Identificação - Endereço Completo - Telefone de Contato - Correio

Leia mais

TEMA - 1 Princípios da PNRS

TEMA - 1 Princípios da PNRS TEMA - 1 Princípios da PNRS Prof. Dr. Fernando Joaquim Ferreira Maia Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais (DECISO/UFRPE) Coordenador do Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa em Direito e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGIRS) 1. DADOS GERAIS 1.1. Identificação do Empreendedor - Identificação - Endereço Completo 1.2. Profissional de Contato - Identificação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) 1 - DIRETRIZ GERAL O presente Termo de Referência tem o objetivo de orientar os empreendimentos, sujeitos ao

Leia mais

I-070 - DIAGNÓSTICO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM BELÉM/PA

I-070 - DIAGNÓSTICO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM BELÉM/PA I-070 - DIAGNÓSTICO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM BELÉM/PA Lana Tais da Silva Coelho (1) Estudante do curso de Engenharia Ambiental do Instituto de

Leia mais

Considerando a necessidade de minimizar os impactos negativos causados ao meio ambiente pelo descarte inadequado de pilhas e baterias;

Considerando a necessidade de minimizar os impactos negativos causados ao meio ambiente pelo descarte inadequado de pilhas e baterias; NOVA RESOLUÇÃO DE PILHAS E BATERIAS Estabelece os limites máximos de chumbo, cádmio e mercúrio para pilhas e baterias comercializadas em território nacional e os critérios e padrões para o seu gerenciamento

Leia mais

A RESPONSABILIDADE PÓS CONSUMO E O PAPEL DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE CIVIL SJCAMPOS 24/10/2015

A RESPONSABILIDADE PÓS CONSUMO E O PAPEL DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE CIVIL SJCAMPOS 24/10/2015 A RESPONSABILIDADE PÓS CONSUMO E O PAPEL DO PODER PÚBLICO E DA SOCIEDADE CIVIL SJCAMPOS 24/10/2015 * Dados da Abrelpe 2009 e 2010 e IBGE (Contagem da população 2009 e Censo 2010) PROBLEMAS A SEREM ENFRENTADOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE TERMO DE REFERÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

Leia mais

PERCEPÇÃO QUANTO AOS RISCOS INERENTES AO MANEJO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) DOS TRABALHADORES DE UM HOSPITAL PÚBLICO EM JI-PARANÁ/RO

PERCEPÇÃO QUANTO AOS RISCOS INERENTES AO MANEJO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) DOS TRABALHADORES DE UM HOSPITAL PÚBLICO EM JI-PARANÁ/RO PERCEPÇÃO QUANTO AOS RISCOS INERENTES AO MANEJO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) DOS TRABALHADORES DE UM HOSPITAL PÚBLICO EM JI-PARANÁ/RO Katerine Vanessa Prado da Silva*, Margarita María Dueñas

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso A Importância do Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde

Trabalho de Conclusão de Curso A Importância do Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde Trabalho de Conclusão de Curso A Importância do Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde Cirlene Meireles da Silva Curso de Ciências Biológicas Belo Horizonte MG 2010 Cirlene Meireles da

Leia mais

Estudo de caso: Projeto Reciclart

Estudo de caso: Projeto Reciclart 2014 Estudo de caso: Projeto Reciclart Solange Costa Miranda Nascimento Gerente de Resíduo - HGNI 4/9/2014 Estudo de Caso Reciclagem de resíduos Comum Política dos 3 R s Projeto Reciclart HGNI HGNI - Hospital

Leia mais

Vital Ribeiro Centro de Vigilância Sanitária Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo vribeiro@cvs.saude.sp.gov.br 11 30654800

Vital Ribeiro Centro de Vigilância Sanitária Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo vribeiro@cvs.saude.sp.gov.br 11 30654800 Vital Ribeiro Centro de Vigilância Sanitária Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo 11 30654800 I SEMINÁRIO ESTADUAL HOSPITAIS SAUDÁVEIS Prêmio Amigo do Meio Ambiente Parceria com a ong SAÚDE SEM DANO,

Leia mais

MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Laudo Ergonômico Laudo de Periculosidade/Insalubridade Laudo

Leia mais

VI CICLO DE PALESTAS DA COPAGRESS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

VI CICLO DE PALESTAS DA COPAGRESS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE VI CICLO DE PALESTAS DA CO Aplicação do Manual de Regulamento Orientador para a Construção dos Indicadores de Monitoramento, Avaliação e Controle de Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

Leia mais

GRSS GERÊNCIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO INTO. Robson Carlos Monteiro Gerente de Resíduos

GRSS GERÊNCIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO INTO. Robson Carlos Monteiro Gerente de Resíduos GRSS GERÊNCIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO INTO Robson Carlos Monteiro Gerente de Resíduos O INTO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA Hospital criado através s de portaria MS nº. n 1820,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO

DIAGNÓSTICO DA COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO DIAGNÓSTICO DA COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO Cinthia Martins dos SANTOS Programa de Pós Graduação em Engenharia do Meio Ambiente, Escola de Engenharia,

Leia mais

Apresentação da empresa. Esquema de estruturação da nova unidade de negócios do grupo All Safety International

Apresentação da empresa. Esquema de estruturação da nova unidade de negócios do grupo All Safety International ASS -ALL SAFETY SERVICES Apresentação da empresa Esquema de estruturação da nova unidade de negócios do grupo All Safety International OBJETIVO: GESTÃO INTEGRADA DE RISCOS 1 CONSULTORIA E ASSESSORIA COMPLETA

Leia mais

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE REGIÃO SUDESTE. Diretriz 01: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços de saúde nos estabelecimentos.

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE REGIÃO SUDESTE. Diretriz 01: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços de saúde nos estabelecimentos. RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE REGIÃO SUDESTE Diretriz 01: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços de saúde nos estabelecimentos Estratégias: 1. Elaboração de manuais visando a compatibilização entre

Leia mais

Edos trabalhadores dos

Edos trabalhadores dos GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ Lúcio Gonçalo de Alcântara SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ Jurandi Frutuoso Silva COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA AVALIAÇÃO E CONTROLE Diana Carmem Almeida Nunes de Oliveira

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA 1 MÁRIO GOMES FILHO Graduação: Engenharia Civil - 1983 Pós : Educação Ambiental 1999 Pós : Gestão Ambiental 2002 2 A empresa Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado

Leia mais

RESPONSÁVEL PELA APRESENTAÇÃO ORAL: Lourival Rodrigues dos Santos

RESPONSÁVEL PELA APRESENTAÇÃO ORAL: Lourival Rodrigues dos Santos TÍTULO DO TRABALHO: Sustentabilidade e Viabilidade do Tratamento de Resíduos de Serviço de Saúde pelo sistema de autoclavagem a experiência do município de Penápolis (SP ) TEMA : III Resíduos Sólidos NOME

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA A presente proposta articula um conjunto de sugestões, cenários e arranjos institucionais e sociais,

Leia mais

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha -

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha - Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - Farroupilha - 1ª Audiência Pública Convênio de cooperação técnica Prefeitura Municipal de Farroupilha/UCS Farroupilha, 14 de dezembro de 2013.

Leia mais

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-234 - INTERVENÇÃO EDUCACIONAL PARA O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE GERADOS NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE, FEIRA DE SANTANA, BAHIA. Evanice Leal Leite Lima Bióloga, Especialista

Leia mais

5. Criar mecanismos de incentivo para facilitar que as empresas atendam o PNRS.

5. Criar mecanismos de incentivo para facilitar que as empresas atendam o PNRS. 3.5. RESÍDUOS INDUSTRIAIS Diretrizes 01 : A principal diretriz da Política Nacional de Resíduos Sólidos para os resíduos sólidos industriais (RSI) é a eliminação completa dos resíduos industriais destinados

Leia mais

A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1

A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1 A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1 Marivana Da Silva Rigo 2, Liane Maria Fiorim Comerlato 3, Angela De Fátima Linck De Jesus 4. 1 Atividades desenvolvidas na Escola Municipal Fundamental

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS MODELO BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

Leia mais

Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015.

Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015. Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015. Senhor Presidente, Encaminho nesta Casa Legislativa, para apreciação e votação dos nobres Edis, o projeto de lei legislativa nº 009/2015, que INSTITUI O PROGRAMA

Leia mais

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PORTO ALEGRE

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PORTO ALEGRE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PORTO ALEGRE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA SANTA CASA: SAÚDE PÚBLICA COMPROMETIDA COM A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Responsável pelo trabalho: Bruna Vallandro Trolli Vieira - Analista

Leia mais

Fase extra-estabelecimentoestabelecimento de saúde

Fase extra-estabelecimentoestabelecimento de saúde GESTÃO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE Fase extra-estabelecimentoestabelecimento de saúde INTRODUÇÃO A política de gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde - RSS

Leia mais

Painel I A LEI DE RESÍDUOS SÓLIDOS E SEUS IMPACTOS

Painel I A LEI DE RESÍDUOS SÓLIDOS E SEUS IMPACTOS Painel I A LEI DE RESÍDUOS SÓLIDOS E SEUS IMPACTOS Tema: A importância da Lei e os prazos José Valverde Machado Filho 28.04.2014 Apresentação Eventos e Mídias; Indicadores: geração, coleta e destinação;

Leia mais

Projeto de Incentivo à Reciclagem

Projeto de Incentivo à Reciclagem Projeto de Incentivo à Reciclagem Boas Práticas em Meio Ambiente Apresentação: O objetivo do seguinte projeto tem a finalidade de auxiliar a implementação da Coleta Seletiva e posteriormente envio para

Leia mais

Município de Capanema - PR

Município de Capanema - PR LEI Nº. 1.557, DE 20 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre a política municipal de resíduos sólidos do Município de Capanema e dá outras providências. A Câmara Municipal de Capanema, Estado do Paraná, aprovou

Leia mais

Relatório de Educação Ambiental Canteiro de Obras

Relatório de Educação Ambiental Canteiro de Obras APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO JIRAU AHE JIRAU Relatório de Educação Ambiental Canteiro de Obras 1º SEMESTRE ENESA ENGENHARIA LTDA 088 - UHE-JIRAU PORTO VELHO-RO 1 Sumário 1.0 INTRODUÇÃO... 3 2.0 ATIVIDADES

Leia mais

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE. Diretriz original: 1: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços de saúde nos estabelecimentos.

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE. Diretriz original: 1: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços de saúde nos estabelecimentos. RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Diretriz original: 1: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços de saúde nos estabelecimentos. Proposta consolidada Diretriz 01: Fortalecer a gestão dos resíduos de serviços

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO ABILUMI

MINUTA DE RESOLUÇÃO ABILUMI MINUTA DE RESOLUÇÃO ABILUMI O CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE - CONAMA, no uso de suas atribuições e competências que lhe foram concedidas pela Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentadas

Leia mais

Denise Duque Estrada Carvalho. Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde -PGRSS

Denise Duque Estrada Carvalho. Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde -PGRSS Denise Duque Estrada Carvalho Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde -PGRSS Belo Horizonte MG 2010 Denise Duque Estrada Carvalho Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

Leia mais

PROJETO DE REDUÇÃO DOS RESÍDUOS INFECTANTES NAS UTI S DO HOSPITAL ESTADUAL DE DIADEMA

PROJETO DE REDUÇÃO DOS RESÍDUOS INFECTANTES NAS UTI S DO HOSPITAL ESTADUAL DE DIADEMA Hospital Estadual Diadema Prêmio Amigo do Meio Ambiente 2013 PROJETO DE REDUÇÃO DOS RESÍDUOS INFECTANTES NAS UTI S DO HOSPITAL ESTADUAL DE DIADEMA Hospital Estadual de Diadema Responsáveis: João Paulo

Leia mais

Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS

Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS Documento que aponta e descreve ações a relativas ao manejo dos resíduos sólidos, s observadas suas características, no âmbito dos estabelecimentos, contemplando os

Leia mais

Aspectos Legais 10/8/2012

Aspectos Legais 10/8/2012 Aspectos Legais Docente: Prof. Ednaldo Anthony Jesus e Silva CRF-1845 MT No Brasil, a Legislação de Biossegurança(lei nº 11.105, de 24 de março e 2005): Regulamenta os incisos II, IV e V do 1 o do art.

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação)

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação) Educação ambiental e participação comunitária Modelo de projeto (estruturação) A problemática da coleta seletiva 3.2. Concepção geral do sistema projetado 3.3. Objetivos gerais 3.4. Objetivos específicos

Leia mais

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Parceria: O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a RIO/92, assinaram a Agenda 21, que

Leia mais

Projeto Construindo a Ecocidadania- percepções acercadas atividades de Educação Ambiental.

Projeto Construindo a Ecocidadania- percepções acercadas atividades de Educação Ambiental. Projeto Construindo a Ecocidadania- percepções acercadas atividades de Educação Ambiental. Tatiana Peixoto Gonçalves Universidade Federal do ABC (UFABC) discente do Bacharelando em Ciência e Tecnologia

Leia mais

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 Autora: Profa. Dra. Melissa Furlan Cursos: Direito e Engenharia Ambiental Área de Pesquisa: Meio Ambiente Título do artigo: O destino

Leia mais

HOSPITAL MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA AÇÕES AMBIENTAIS DO HOSPITAL MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA

HOSPITAL MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA AÇÕES AMBIENTAIS DO HOSPITAL MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA PRÓ-SAÚDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR HOSPITAL MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA Araucária - Paraná AÇÕES AMBIENTAIS DO HOSPITAL MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA Fagner A. Lopes Assessor de Comunicação

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PERCEPÇÃO E DOS ASPECTOS ESTRUTURAIS QUANTO AOS RESIDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO ANGARI, JUAZEIRO-BA.

IDENTIFICAÇÃO DE PERCEPÇÃO E DOS ASPECTOS ESTRUTURAIS QUANTO AOS RESIDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO ANGARI, JUAZEIRO-BA. IDENTIFICAÇÃO DE PERCEPÇÃO E DOS ASPECTOS ESTRUTURAIS QUANTO AOS RESIDUOS SÓLIDOS NO BAIRRO ANGARI, JUAZEIRO-BA. Roberta Daniela da Silva Santos (1) Anne Kallyne dos Anjos Silva (2) Simone do Nascimento

Leia mais

Projeto de Educação Ambiental. Comece por você - Seja um Modelo de Educação e Ação Ambiental

Projeto de Educação Ambiental. Comece por você - Seja um Modelo de Educação e Ação Ambiental Projeto de Educação Ambiental Comece por você - Seja um Modelo de Educação e Ação Ambiental Objetivos do Projeto Objetivo principal: Implantar projeto de educação ambiental para a gestão institucional

Leia mais

A Logística Reversa diante da PNRS e do PGRSS

A Logística Reversa diante da PNRS e do PGRSS A Logística Reversa diante da PNRS e do PGRSS Situação Atual O descarte de medicamentos em desuso, vencidos ou sobras é realizado muitas vezes pela população no lixo comum ou diretamente na rede de esgoto.

Leia mais

Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ;

Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ; Certificação pela Norma ISO 14001: Meio Ambiente em Empresas de Saúde NORMA ISO 14001 Gestão Ambiental Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos

Leia mais

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária Meio ambiente: a conscientização começa pela educação Implementação da Coleta Seletiva Solidária A guardiã da natureza Judith Cortesão "... Quem conhece ama, quem ama protege. Uma das descobertas mais

Leia mais

III-018 - CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE EM CLÍNICA ODONTOLÓGICA: UM ESTUDO DE CASO

III-018 - CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE EM CLÍNICA ODONTOLÓGICA: UM ESTUDO DE CASO 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina III-018 - CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO Protocolo 052/2010 FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E ETENSÃO 1. Instruções 1 Deverão ser entregues 2 (duas) cópias impressas e 1 (uma) cópia via e-mail (na extensão.doc), encaminhados para

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Gerenciamento de Resíduos de Medicamentos no HCFMRP-USP

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Gerenciamento de Resíduos de Medicamentos no HCFMRP-USP HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Gerenciamento de Resíduos de Medicamentos no HCFMRP-USP Serviço de Gerenciamento Ambiental Daniela Saldanha

Leia mais

Procedimento Administrativo IV 1.30.001.005532/2011-08 RECOMENDAÇÃO MPF/PRRJ/GAB/AMLC N 01/2012

Procedimento Administrativo IV 1.30.001.005532/2011-08 RECOMENDAÇÃO MPF/PRRJ/GAB/AMLC N 01/2012 Procedimento Administrativo IV 1.30.001.005532/2011-08 RECOMENDAÇÃO MPF/PRRJ/GAB/AMLC N 01/2012 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelos Procuradores da República abaixo firmados, no uso de suas atribuições

Leia mais

RESULTADOS E CONCLUSÕES

RESULTADOS E CONCLUSÕES Torres, G. R. ; BORGES, S. S. ; BECKER, H. ; CAVALCANTE, D. A. ; OLIVEIRA, E. S.. Programa de Gerenciamento de Resíduos da Universidade Federal do Ceará: a sustentabilidade socioambiental implementada

Leia mais

PROJETO RIO MAMANGUAPE CAPACITA SUJEITOS SOCIAIS RESPONSÁVEIS PELO MANUSEIO DA ÁGUA EM SUA ÁREA DE ABRANGÊNCIA¹

PROJETO RIO MAMANGUAPE CAPACITA SUJEITOS SOCIAIS RESPONSÁVEIS PELO MANUSEIO DA ÁGUA EM SUA ÁREA DE ABRANGÊNCIA¹ PROJETO RIO MAMANGUAPE CAPACITA SUJEITOS SOCIAIS RESPONSÁVEIS PELO MANUSEIO DA ÁGUA EM SUA ÁREA DE ABRANGÊNCIA¹ ARAÚJO, Maria Zélia. Técnica - Coordenadora da área de Educação Ambiental/COOPACNE/professora

Leia mais

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO.

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 DECRETO Nº 7.404/2010 O QUE MUDA COM A LEI 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros

Leia mais

Prognóstico Ambiental dos Resíduos de Construção Civil do Município de Biritiba-Mirim, SP

Prognóstico Ambiental dos Resíduos de Construção Civil do Município de Biritiba-Mirim, SP Prognóstico Ambiental dos Resíduos de Construção Civil do Município de Biritiba-Mirim, SP Barbara Almeida Souza (Centro Universitário Senac SP) Graduanda de Engenharia Ambiental. basouza2@gmail.com Maurício

Leia mais

INDICADORES DE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL GTPS

INDICADORES DE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL GTPS INDICADORES DE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL GTPS CRITÉRIOS OBRIGATÓRIOS I. Da obrigatoriedade do registro de todos os trabalhadores conforme CLT b. Há uma declaração assinada sobre o tema (modelo GTPS)? II. Das

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO DESCARTE ADEQUADO DE PILHAS E BATERIAS

A IMPORTÂNCIA DO DESCARTE ADEQUADO DE PILHAS E BATERIAS Eixo Temático: Educação Ambiental, Educação culturas populares e Educação no campo. A IMPORTÂNCIA DO DESCARTE ADEQUADO DE PILHAS E BATERIAS Jaqueline Araújo de OLIVEIRA¹; Anne Mírian da Silva GOMES¹; Maria

Leia mais

Prefeitura Municipal de Alta Floresta - MT

Prefeitura Municipal de Alta Floresta - MT PROJETO DE LEI 1.717/2014 SÚMULA: DISPÕE SOBRE A COLETA SELETIVA DE LIXO, COM O REAPROVEITAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS, RECICLÁVEIS OU REUTILIZÁVEIS, GERADOS NO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA/MT, E DÁ OUTRAS

Leia mais

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito -

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito - POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE - Não seja portador de Preconceito - 2014 1 OBJETO As Políticas Institucionais de Acessibilidade Não seja portador de preconceito tem como objetivo promover ações

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PGRSI

TERMO DE REFERÊNCIA PGRSI TERMO DE REFERÊNCIA PGRSI Termo de Referência para apresentação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos para Empreendimentos Industriais PGRSI. 1. OBJETIVO Em atendimento à Política Estadual de Resíduos

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Logística Reversa e os Acordos Setoriais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Logística Reversa e os Acordos Setoriais POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Logística Reversa e os Acordos Setoriais PALESTRANTE: ZILDA VELOSO PALESTRA: PAINEL: DATA : A Logística Reversa e os Acordos Setoriais 19 de maio de 2015, às 16h15

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

Gestão de Resíduos Sólidos no ambiente corporativo

Gestão de Resíduos Sólidos no ambiente corporativo Proposta de estruturação da Gestão de Resíduos Sólidos no ambiente corporativo Taís Saraiva Pinheiro Raísa Prota Lins Bezerra (raisaprota@gmail.com) Cacilda Michele Rocha Natália de Souza Cavalcanti Soaya

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE EUSÉBIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE AMMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE EUSÉBIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE AMMA 1. OBJETIVO TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE GERENCIMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) Este Termo de Referência estabelece as condições exigíveis para a elaboração e a apresentação de Projeto

Leia mais

O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE*

O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE* O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE* Janaína Verônica Lahm 1 Elizabeth Maria Lazzarotto INTRODUÇÃO: A preocupação com o meio ambiente começou somente no final do século passado,

Leia mais

RESUMO TÍTULO: GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO.

RESUMO TÍTULO: GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO. RESUMO TÍTULO: GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO. Relacionar de forma concreta o homem e o meio ambiente leva-nos a constatar que a influência do meio ambiente

Leia mais

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS Prof. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva Profª. Drª. Marluce Miguel de Siqueira Orientadora VITÓRIA 2013 INTRODUÇÃO O consumo de substâncias

Leia mais

26º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

26º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-323 - AVALIAÇÃO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM UNIDADES PRISIONAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Cícero Antonio Antunes Catapreta (1) Eng. Civil, Mestre e Doutor em

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 47/CT/2015 Assunto: Administração de Radiofármaco Palavras chaves: Oncologia; Radiofármaco; Punção Venosa. I Solicitação recebida pelo Coren/SC: A punção venosa para aplicação

Leia mais

III-235 - COMUNICAÇÃO AMBIENTAL NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

III-235 - COMUNICAÇÃO AMBIENTAL NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS III-235 - COMUNICAÇÃO AMBIENTAL NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Sandra Maria Furiam Dias (1) Engenheira Civil. Doutora em Saúde Pública pela FSP/USP. Professora Adjunta do Departamento de

Leia mais

1. Nome da Prática inovadora: Coleta Seletiva Uma Alternativa Para A Questão Socioambiental.

1. Nome da Prática inovadora: Coleta Seletiva Uma Alternativa Para A Questão Socioambiental. 1. Nome da Prática inovadora: Coleta Seletiva Uma Alternativa Para A Questão Socioambiental. 2. Caracterização da situação anterior: O município de Glória de Dourados possui 9.927 habitantes (IBGE-2011),

Leia mais

COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E INTEGRAÇÃO CAMPUS EMPRESA IF-SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS MURIAÉ

COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E INTEGRAÇÃO CAMPUS EMPRESA IF-SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS MURIAÉ Em Busca dos 3Rs (REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR) 1. EQUIPE Coordenadora: Andrea Procópio Lourenço Técnica em Assuntos Educacionais Mariana Silva de Paiva Engenheira Agrônoma Professora Ana Tereza César

Leia mais

Sugestões para o PGRSS. Qualidade tem nome e cargo. nº 9 junho/2005

Sugestões para o PGRSS. Qualidade tem nome e cargo. nº 9 junho/2005 nº 9 junho/2005 Qualidade tem nome e cargo O gerente da qualidade é um profissional cada vez mais em evidência no laboratório clínico. Nesta entrevista, uma especialista no assunto, a médica Debora Shcolnik,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DC 4019 04/10/2013 Rev. 01 1. Dados Legais Parecer 473 de 24/11/2009. DECRETO No 2.929, de 21 de dezembro de 2009. Parecer 144

Leia mais

Consulta Pública nº 01/2016

Consulta Pública nº 01/2016 MAPA CONCEITUAL MATRIZ POR COMPETÊNCIAS Figura 1. Mapa conceitual da estrutura de matriz por competências As ações-chave podem ser desdobradas ainda (de acordo com o nível de especificidade de uma matriz

Leia mais

PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADAS AOS RESIDUOS SOLIDOS DE UMA UNIDADE ESCOLAR DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ

PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADAS AOS RESIDUOS SOLIDOS DE UMA UNIDADE ESCOLAR DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADAS AOS RESIDUOS SOLIDOS DE UMA UNIDADE ESCOLAR DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ Fabiana Bassani (1) Tecnóloga Ambiental Universidade Tecnológica Federal do Paraná; Mestre

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JAN ANTONIN BATA

ESCOLA ESTADUAL JAN ANTONIN BATA 1 ESCOLA ESTADUAL JAN ANTONIN BATA PROJETO TODOS PELO PLANETA Preservação do Meio Ambiente e do Espaço Escolar BATAYPORÃ MS 2015 2 ESCOLA ESTADUAL JAN ANTONIN BATA PROJETO TODOS PELO PLANETA Preservação

Leia mais

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013 NATAL/RN NOV/2013 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RSS Documento que aponta e descreve ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos nos estabelecimentos assistenciais de saúde Considerando as Características

Leia mais

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar Gizelma de A. Simões Rodrigues SBS Hospital Sírio Libanês Instituição Filantrópica de saúde, ensino e pesquisa. Hospital de alta complexidade Matriz 172.000 m² 5.900

Leia mais

X-Araújo-Brasil-1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PARA EMPRESAS CONSTRUTORAS DA CIDADE DE JOÃO PESSOA PB (BRASIL)

X-Araújo-Brasil-1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PARA EMPRESAS CONSTRUTORAS DA CIDADE DE JOÃO PESSOA PB (BRASIL) X-Araújo-Brasil-1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PARA EMPRESAS CONSTRUTORAS DA CIDADE DE JOÃO PESSOA PB (BRASIL) Nelma Mirian Chagas de Araújo¹ Engenheira civil pela UFPB

Leia mais

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18.1. Introdução O quadro de saúde da região da área de influência direta do empreendimento traduzido pelas condições

Leia mais

Instruções para o Preenchimento do PGRSS

Instruções para o Preenchimento do PGRSS ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Instruções para o Preenchimento do PGRSS I Finalidade

Leia mais

GESTÃO DOS RESÍDUOS RECICLÁVEIS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DE RIO GRANDE/RS DIAGNÓSTICO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL

GESTÃO DOS RESÍDUOS RECICLÁVEIS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DE RIO GRANDE/RS DIAGNÓSTICO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 GESTÃO DOS RESÍDUOS RECICLÁVEIS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS DE RIO GRANDE/RS DIAGNÓSTICO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Claís Maria da Silva Bachini(*), Welithon Oliveira da

Leia mais

REVISTA DIGITAL REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

REVISTA DIGITAL REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO REVISTA DIGITAL Saúde e Segurança do Trabalho - Direito do Trabalho e Previdenciário REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Odemiro J B Farias Esse Texto da Portaria de Regulamentação

Leia mais

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE VALINHOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES INSTITUCIONAL

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE VALINHOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES INSTITUCIONAL IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE VALINHOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES INSTITUCIONAL Valinhos 2013 Introdução: A finalidade deste manual é aprimorar a relação entre a Santa Casa de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA EDITAL PROCESSO SELETIVO

CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA EDITAL PROCESSO SELETIVO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA EDITAL PROCESSO SELETIVO De ordem do Exmo. Professor Luis Carlos de Souza Vieira, Magnífico Reitor do Centro Universitário Newton Paiva, mantido pelo Instituto Cultural

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Resíduos dos Serviços de Saúde, Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, Manuseio, Gestão.

PALAVRAS-CHAVE: Resíduos dos Serviços de Saúde, Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, Manuseio, Gestão. III-152 - DIAGNÓSTICO DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE DO HOSPITAL METROPOLITANO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM Miroslawa Luczynski (1) Engenheira Sanitarista

Leia mais