Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ;

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ;"

Transcrição

1 Certificação pela Norma ISO 14001: Meio Ambiente em Empresas de Saúde

2 NORMA ISO Gestão Ambiental Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ; Melhoria negócios. continua de suas operações e

3 NORMA ISO Gestão Ambiental

4 NORMA ISO SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL EM ORGANIZAÇÕES DE SÁUDE Desenvolver ações para a proteção ambiental; Prevenção da poluição; Promover o desenvolvimento sustentável; Avaliar periodicamente seu desempenho ambiental, em busca de oportunidades de melhoria, com objetivo de proporcionar uma qualidade de vida melhor para as futuras gerações, Economia de recursos, Gestão de Custos.

5 MEIO AMBIENTE DEFINIÇÕES Circunvizinhança em que uma organização opera, incluindo-se ar, água, recursos naturais, flora, fauna, seres humanos e suas inter- relações. ASPECTO AMBIENTAL Elementos das atividades, produtos ou serviços de uma organização que podem interagir com o meio ambiente. Exemplo: consumo de água, consumo de material de assistência ao paciente, emissão de efluentes líquidos, etc. IMPACTO AMBIENTAL Qualquer mudança para o meio ambiente, seja adversa, benéfica, total ou parcial. Resultante das atividades, produtos ou serviços da organização. Exemplo: esgotamento de recurso natural não renovável, contaminação do solo, contaminação / alteração da qualidade da água.

6 ASPECTO AMBIENTAL IMPACTO AMBIENTAL RELAÇÃO CAUSA X EFEITO

7 ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS SERVIÇOS DE SAÚDE ATIVIDADE 1.Assistência ao paciente ASPECTO AMBIENTAL Consumo de Recursos Naturais (Água, Energia e materiais diversos de assistência ao paciente ) IMPACTO AMBIENTAL Esgotamento de Recursos Naturais não Renováveis (RNNR) Descarte de Resíduos Sólidos Infectante Descarte de Resíduos Sólidos Comuns Contaminação do Solo Contaminação do solo e alteração da qualidade do ar 2.Utilização de álcool, cidex opa, medicamentos, e outros Consumo de material químico Descarte de Resíduos Químicos Esgotamento de Recursos Naturais não Renováveis (RNNR) Contaminação e alteração da qualidade do solo, do ar e da água

8 ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS SERVIÇOS DE SAÚDE ATIVIDADE ASPECTO AMBIENTAL Emissão de Efluentes Líquidos IMPACTO AMBIENTAL Contaminação e alteração da qualidade da água. 3.Manutenção da rede de gases e Equipamentos (ar comprimido, gerador, ar condicionado) 4.Controle de Infecção hospitalar 5.Assistência da Equipe Multidisciplinar 6.Assistência ao Paciente- Medicina Ocupacional e Segurança do Trabalho Emissão de Gases Medidas de Prevenção para Controle de Infecção Hospitalar Promover assistência médico hospitalar Prevenção de acidentes, Contaminação e alteração da qualidade do ar Melhoria/prejuízo dos indicadores de Infecção hospitalar Conscientização em saúde preventiva, promoção a cidadania e melhoria na qualidade de vida Conscientização em saúde preventiva, promoção a cidadania e melhoria na qualidade de vida

9 PROGRAMAS DE OBJETIVOS E METAS ASPECTO SETOR OBJETIVO AMBIENTAL AÇÕES 1. Revisão geral da Rede Elétrica (NR10) 2. Sensor de presença 1 - Consumo de energia elétrica Todos os setores Racionalizar o consumo de energia elétrica/ Consumo Consciente 3. Programas de Manutenções Preventivas para os diversos Equipamentos principalmente Ar Condicionado 4. Substituição de equipamentos antigos 5. Programas de treinamentos técnico para usuários dos diversos equipamento de alto consumo. 6. Campanhas de Conscientização 1. Revisão geral da Rede Hidraulica 2. Instalação de redutores de pressão 3. Utilização de vazos sanitários com caixas 2 - Consumo de água Todos os setores Racionalizar o consumo de água/ Consumo Consciente acopladas. 4. Torneiras com sensores 5. Monitoramento diário do consumo de água 6. Serviço de hotelaria, Enfermagem observam vazamentos 7. Campanhas de Conscientização

10 PROGRAMAS DE OBJETIVOS E METAS ASPECTO SETOR OBJETIVO AMBIENTAL 3 - Descarte de resíduo sólidos 4 - Consumo de Materiais Diversos Unidades Assistenciais e Engenharia Clinica e Predial Todos os setores 1- Racionalizar a segregação de resíduos sólidos infectantes 2-Racionalizar a segregação de resíduo sólido comum 3- Reciclar os resíduos Racionalizar o consumo de materiais diversos / Consumo Consciente AÇÕES 1. Campanhas de Conscientização para descarte de resíduos de acordo com classificação do tipo de resíduo 2. Monitoramento diário do descarte de resíduos de acordo com a sua Classificação, por parte da equipe de Higiene e de Enfermagem. 3. Ações do Consumo de Materiais 1. Campanhas de Conscientização para Consumo Consciente dos materiais, não desperdício. 2. Comissão de padronização e avaliação da qualidade dos materiais gerais. 3. Implantação de Softwares de controle e dispensação de mat./med. Ex: Sistema SAP, Código de barras, entre outros. 4. Kits diversos

11 PROGRAMAS DE OBJETIVOS E METAS ASPECTO SETOR OBJETIVO AMBIENTAL AÇÕES 1. Campanhas de Conscientização para descarte de resíduos 5 - Emissão de efluentes líquidos Unidades Assistenciais e Engenharia Predial Otimizar os controles ambientais para emissão de efluentes líquidos químicos (medicamentos e soluções) 2. Sobras de soluções proibidas descartar na rede de esgoto 3. Análise de Efluentes trimestral 1. Treinamentos técnicos 2. Processo de Vigilância 6 - Medidas de prevenção para transmissão de infecção Todos os setores Manter e aprimorar as ações e controle preconizados pelo SCIH 3. Programas de controle de agentes multi-resistentes e outros 4. Supervisão sistemática da aplicação das Normas gerais do SCIH.

12 PROGRAMAS DE OBJETIVOS E METAS ASPECTO SETOR OBJETIVO AMBIENTAL 7- Diversos Aspectos Ambientais Todos os setores 1. Treinamento de Conscientização Ambiental para Colaboradores 2. Prevenir Riscos Ambientais 3. Prevenir Risco de Incêndio 4. Prevenir Riscos ao Paciente 5. Prevenir Riscos aos Colaboradores 6. Reduzir desperdícios de Recursos Naturais AÇÕES 1. Participação obrigatórios dos novos colaboradores na Integração 2. Treinamento da Equipe de Brigada, Simulados de abandono em situações de Incêndio 3. Simulados de Riscos ambientais, vazamento /derramamento de soluções químicas 4. Campanhas de prevenção de riscos ao funcionários, CIPA e outros 5. Campanhas de conscientização contra desperdícios em geral

13 RESULTADOS ALCANÇADOS

14 Consumo de Energia

15 Consumo de Água

16 Resíduos Infectantes

17 Reciclagem dos Resíduos

18 Consumo de Materiais diversos

19 Análise de Efluentes

20 O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM Desenvolver uma visão ampla e atualizada daquilo que acontece no mundo; Perceber a importância da correlação entre a assistência ao paciente e a preservação e a racionalização do uso dos recursos naturais disponíveis;

21 O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM TAMBÉM PASSA: Interagir com os funcionários de uma forma mais organizada e racional, buscando um pleno envolvimento desses no processo; A compreender a importância de ações que trazem como resultado a preservação do meio ambiente, com a conseqüente melhora na qualidade de vida de toda a comunidade.

22 CONCLUSÃO: Na prática, o que a norma oferece é : gestão de uso e disposição de recursos; É reconhecida mundialmente como um meio de controlar custos; reduz os riscos e melhora o desempenho.

23 ... a Terra agradece!!!! Obrigada.

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Aspectos e Impactos Ambientais

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Aspectos e Impactos Ambientais PÁG. 1/8 1. OBJETIVO Definir a sistemática para identificação e avaliação contínua dos aspectos ambientais das atividades, produtos, serviços e instalações a fim de determinar quais desses tenham ou possam

Leia mais

Anexo 4 Apêndice 1 SISTEMA DE MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO

Anexo 4 Apêndice 1 SISTEMA DE MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO DO CONTRATO Anexo 4 Apêndice SISTEMA DE MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO Dezembro 0 . ÍNDICE DE DESEMPENHO (ID) A avaliação do desempenho gerencial e operacional da CONCESSIONÁRIA será realizada através

Leia mais

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE

PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE NAS UNIDADES DE SAÚDE 118 IABAS Relatório de Gestão Rio de Janeiro 2010/2011/2012 Programa de Sustentabilidade nas Unidades de Saúde O Programa de Sustentabilidade promove

Leia mais

GRSS GERÊNCIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO INTO. Robson Carlos Monteiro Gerente de Resíduos

GRSS GERÊNCIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO INTO. Robson Carlos Monteiro Gerente de Resíduos GRSS GERÊNCIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO INTO Robson Carlos Monteiro Gerente de Resíduos O INTO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA Hospital criado através s de portaria MS nº. n 1820,

Leia mais

A Pró-Saúde procura colaborar ativamente com a recuperação ambiental do município, por intermédio da gestão do Hospital Municipal de Cubatão,

A Pró-Saúde procura colaborar ativamente com a recuperação ambiental do município, por intermédio da gestão do Hospital Municipal de Cubatão, Panorama Cubatão sempre teve um papel de destaque no Brasil. Sua localização geográfica fez a cidade alcançar o desenvolvimento comercial, agrícola e, posteriormente, o industrial. Desde então, sofreu

Leia mais

Sistema de Produção e Escoamento de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos

Sistema de Produção e Escoamento de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos Sistema de Produção e Escoamento de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos (Unidade de Tratamento e Processamento de Gás Monteiro Lobato UTGCA) 3º Relatório Semestral Atividades de Saúde

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NA PRÁTICA ASSISTENCIAL Patrícia Bezerra da Silva. São Paulo, 14 de abril de 2016

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NA PRÁTICA ASSISTENCIAL Patrícia Bezerra da Silva. São Paulo, 14 de abril de 2016 RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NA PRÁTICA ASSISTENCIAL Patrícia Bezerra da Silva São Paulo, 14 de abril de 2016 HOSPITAL DR. MIGUEL SOEIRO Missão Oferecer aos nossos clientes as melhores soluções em saúde;

Leia mais

Assim sendo, apresenta-se, ao final do presente capítulo, as diretrizes orientadoras de cada um dos programas previstos.

Assim sendo, apresenta-se, ao final do presente capítulo, as diretrizes orientadoras de cada um dos programas previstos. II.7 MEDIDAS MITIGADORAS E COMPENSATÓRIAS E PROGRAMAS DE CONTROLE E MONITORAMENTO Com base na avaliação e descrição dos impactos ambientais decorrentes da atividade de desenvolvimento e produção do Campo

Leia mais

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL São Paulo, 26/09/2011 VALÉRIA APARECIDA FARIA Bióloga Especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade

Leia mais

PREVENTIVA DA ENGENHARIA PREDIAL

PREVENTIVA DA ENGENHARIA PREDIAL EPR01 1 de 5 ROTINA Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial ATN 1 Objetivo A presente rotina visa estabelecer o método de controle das

Leia mais

PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar. Prof. Ricardo Henrique de L Silva

PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar. Prof. Ricardo Henrique de L Silva Classificação Conceito de Higiene dos riscos Industrial ambientais PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar Prof. Ricardo Henrique de L Silva ricardo.henrique@caruaru.ifpe.edu.br O QUE O PPRA? PARA QUE SERVE

Leia mais

Selo de Qualidade e Sustentabilidade para Lavanderias - SQS REFERENCIAL NORMATIVO REF.001

Selo de Qualidade e Sustentabilidade para Lavanderias - SQS REFERENCIAL NORMATIVO REF.001 Selo de Qualidade e Sustentabilidade para Lavanderias - SQS REFERENCIAL NORMATIVO REF.001 Versão Jul.2011 1. Introdução Este programa da Qualidade, Meio Ambiente e Segurança em Lavanderias SQS estabelece

Leia mais

LEVANTAMENTO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS

LEVANTAMENTO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS Setor: Operacional LEVANTAMENTO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS Data: 18/12/2015 Rev. 01 Procedimento: P-11 Seq. Atividade Aspecto Impacto Situação Incidência Abrangência A B C A+B+C Severidade Frequência

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

APIR- Aspectos / Perigos e Impactos / Riscos

APIR- Aspectos / Perigos e Impactos / Riscos Administrativas APIR- Aspectos / Perigos e Impactos / Riscos RG-083 Rev. 1 20/09/2012 CONTRATO / FRENTE DE TRABALHO: GESTÃO ATNAS ESCOPO: APOIO TÉCNICO / ADMINISTRATIVO E TRANSPORTE DE PESSOAS ALTERAÇÃO

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS CIESP COTIA GMA GRUPO DE MEIO AMBIENTE RONALD FERFILA BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO Valor desconhecido Estima-se a geração de 2,9 milhões de toneladas por ano de resíduos perigosos

Leia mais

Relatório de Certificação Metodologia ONA

Relatório de Certificação Metodologia ONA Relatório de Certificação Metodologia ONA IDENTIFICACAO DO AVALIADO Razão Social: Henrique Tommasi Netto Análises Clínicas Nome Fantasia: Tommasi Laboratório Endereço: Rua São João Batista, 200 Trevo de

Leia mais

Em caso de serviços específicos possui equipes diferenciadas para cada atendimento.

Em caso de serviços específicos possui equipes diferenciadas para cada atendimento. A ROMEC é conhecida por sua experiência em assessoria e consultoria em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente. Conta com uma equipe multidisciplinar de profissionais altamente capacitados e oferecemos assessoria

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA PR.11 Revisão: 00 Página 1 de 4 1. OBJETIVO Estabelecer e manter planos

Leia mais

MÓDULO 4 LICENCIAMENTO AMBIENTAL E MEDIDAS MITIGADORAS

MÓDULO 4 LICENCIAMENTO AMBIENTAL E MEDIDAS MITIGADORAS Preparado por: PEAT Programa de Educação Ambiental dos Trabalhadores MÓDULO 4 LICENCIAMENTO AMBIENTAL E MEDIDAS MITIGADORAS A realização deste programa é uma medida de mitigação exigida pelo licenciamento

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS Gerenciamento e Controle

RESÍDUOS SÓLIDOS Gerenciamento e Controle RESÍDUOS SÓLIDOS Gerenciamento e Controle GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS GERENCIAMENTO Segundo a resolução CONAMA 302/02 o gerenciamento de resíduos sólidos é definido como: O conjunto de atividades ligadas

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código interno: 12044 (1,5L) Aplicação: Desinfetante para Roupas Empresa: BOMBRIL S/A - Marginal Direita da Via Anchieta, km14 -

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

I Seminário Estadual Hospitais Saudáveis. A aplicação da NR-32 na prevenção de acidentes de trabalho no Gerenciamento dos Resíduos Biológicos

I Seminário Estadual Hospitais Saudáveis. A aplicação da NR-32 na prevenção de acidentes de trabalho no Gerenciamento dos Resíduos Biológicos I Seminário Estadual Hospitais Saudáveis A aplicação da NR-32 na prevenção de acidentes de trabalho no Gerenciamento dos Resíduos Biológicos NR - 32 Portaria nº n 485 11 de novembro de 2005 DOU 16.11.2005

Leia mais

Como implantar ações sustentáveis em sua gráfica Requisitos Básicos. Eng. Márcia Biaggio

Como implantar ações sustentáveis em sua gráfica Requisitos Básicos. Eng. Márcia Biaggio Como implantar ações sustentáveis em sua gráfica Requisitos Básicos Eng. Márcia Biaggio O Tripé da Sustentabilidade - Medidas a curto, médio e longo prazo - Aspecto e Impacto - 3 R s - Compra responsável

Leia mais

AÇÕES SOCIAIS CATEGORIA SAÚDE

AÇÕES SOCIAIS CATEGORIA SAÚDE VOLTADO À COMUNIDADE MAMAMÓVEL VOLTADOS AOS COLABORADORES FITNESS VIVENDO COM SAÚDE GINÁSTICA LABORAL(GL) PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE PROBLEMAS RELACIONADOS AO USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL Comissão Gestora do Plano de Gestão de Logística Sustentável Rodovia CE 292, KM 15, Gisélia Pinheiro - CEP 63.115-500 - Crato - Ceará Fone (88) 3586 8100 1. Introdução

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base [informe a unidade/complexo] Anexo 1 do PGS-3209-46-63 Data - 07/10/2013 Análise Global: - [informe o número e data da análise] p. 1/27 Sumário

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA 1 MÁRIO GOMES FILHO Graduação: Engenharia Civil - 1983 Pós : Educação Ambiental 1999 Pós : Gestão Ambiental 2002 2 A empresa Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado

Leia mais

A GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO UM CAMINHO SEM VOLTA. Luciene P. da Silva Potenciano

A GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO UM CAMINHO SEM VOLTA. Luciene P. da Silva Potenciano A GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO UM CAMINHO SEM VOLTA Luciene P. da Silva Potenciano Enfermeira do Trabalho IMPLANTAÇÃO DA NR 32 EM GOIÁS Introdução Antes da NR32 não havia padronização que desse resposta a inúmeros

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral)

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N. PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL 7.1. PROGRAMA DE PROTEÇÃO DO TRABALHADOR E SEGURANÇA DO AMBIENTE DE TRABALHO

7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL 7.1. PROGRAMA DE PROTEÇÃO DO TRABALHADOR E SEGURANÇA DO AMBIENTE DE TRABALHO 7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL O plano de controle e monitoramento técnico e ambiental tem como objetivo propor soluções para controlar e/ou atenuar os impactos ambientais adversos gerados

Leia mais

Planejamento e Coordenação

Planejamento e Coordenação Planejamento e Coordenação A Direção do órgão se propôs a economizar água e energia em face dos Decretos Federal nº 3.300 e Estadual nº 45.805 (15 de maio de 2001) e SRHSO 31 que determina a redução de

Leia mais

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Transcrito pela Nutri Safety * O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO o disposto nos artigos 155

Leia mais

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa.

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. 1. INTRODUÇÃO Prof. Carlos Maurício Duque dos Santos Mestre e Doutorando em Ergonomia pela Escola Politécnica

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

Fundação Vanzolini O GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NA SAÚDE E A ACREDITAÇÃO. Departamento de Certificação

Fundação Vanzolini O GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NA SAÚDE E A ACREDITAÇÃO. Departamento de Certificação Fundação Vanzolini O GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NA SAÚDE E A ACREDITAÇÃO Departamento de Certificação A FUNDAÇÃO VANZOLINI Fundada em 1967 pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE S AMBIENTAIS Importância PPRA O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores;

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio São Paulo, 10 de Março de 2003 Índice 0 INTRODUÇÃO...4 0.1 ASPECTOS GERAIS...4 0.2 BENEFÍCIOS DE

Leia mais

Gestão de Águas: Garantia para as gerações atual e futura

Gestão de Águas: Garantia para as gerações atual e futura Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014 Gestão de Águas: Garantia para as gerações atual e futura Robert Bosch Ltda. Gestão de Águas: Garantia para as gerações atual e futura 2 Força

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS EM CONDOMINIOS Miguel Tadeu Campos Morata Engenheiro Químico Pós Graduado em Gestão Ambiental Considerações Iniciais Meta - A sobrevivência e perpetuação do seres humanos no Planeta. Para garantir a sobrevivência

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS 9.1 - Do Objeto e Campo de Aplicação Item 9.1 da NR 9 alterado pelo art. 1º da Portaria SSST nº 25 - DOU 30/12/1994 - Republicada

Leia mais

TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE

TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE PESSOAS TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE BREVE HITÓRICO Empresa de construção pesada fundada em 1977; 2003: Início do programa de qualidade: SEG Sistema de Excelência em Gestão; 2004: ISO 9001; 2006: Certificações

Leia mais

N o s s o Objetivo. V isão

N o s s o Objetivo. V isão INTRODUÇÃO Po r tfólio O custo global para os empregadores, decorrentes de acidentes do trabalho com ferimentos pessoais, doenças relacionadas ao trabalho e impactos ao meio ambiente absorve grande parte

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Juliana A. Nepomuceno Eng. de Seg. do Trabalho Cood. SESMT/SES SESMT O que é? Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho EQUIPES

Leia mais

VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS 15ANOS

VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS 15ANOS VI CICLO DE PALESTRAS COPAGRESS 15ANOS Especialistas Ambientais: Psicóloga - Elci de Souza Santos Farmacêutica Hospitalar - Nilce da Silva Santana Moura Belo Horizonte, 23 de agosto de 2013 CONCIENTIZAÇÃO

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS

Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS Luís Eduardo Magalhães-BA Março/2015 Werther Brandão Secretário Municipal de Saúde Luziene de Souza Silva

Leia mais

Laboratório Nacional de Computação Científica Ações de Sustentabilidade

Laboratório Nacional de Computação Científica Ações de Sustentabilidade Laboratório Nacional de Computação Científica Ações de Sustentabilidade PLANO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLS LNCC 2013 Petrópolis, 05 de agosto de 2013 Pedro Leite da Silva Dias Diretor Alexandre Grosjgold

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA 1. OBJETIVO GERAL As instruções técnicas contidas no presente Termo de Referência objetivam estabelecer os procedimentos e os

Leia mais

NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados O objetivo desta NR é estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento

Leia mais

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Parceria: O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a RIO/92, assinaram a Agenda 21, que

Leia mais

EQUIPAMENTOS MÉDICO- HOSPITALARES: Higienização, Operação e Cuidados

EQUIPAMENTOS MÉDICO- HOSPITALARES: Higienização, Operação e Cuidados II Seminário de Prevenção e Controle de Infecção em Serviços de Saúde em Santa Catarina EQUIPAMENTOS MÉDICO- HOSPITALARES: Higienização, Operação e Cuidados MINISTRANTE: Engº Alisson Tolotti IEB-UFSC Vinculado

Leia mais

GERENCIAMENTO de Casos Especiais

GERENCIAMENTO de Casos Especiais GERENCIAMENTO de Casos Especiais Gerenciamento de Casos Especiais.indd 1 19/10/2015 15:32:28 Gerenciamento de Casos Especiais Objetivo: Facilitar o atendimento aos clientes que apresentam dificuldades

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento estabelece a sistemática de medição e monitoramento nas instalações da OGX. ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3

SUMÁRIO. Este procedimento estabelece a sistemática de medição e monitoramento nas instalações da OGX. ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3 OGX Procedimento de Gestão Denominação: Medição e Monitoramento SUMÁRIO Este procedimento estabelece a sistemática de medição e monitoramento nas instalações da OGX. ÍNDICE 1 Objetivo: 3 2 Aplicação e

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS MODELO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NOME DA EMPRESA PERÍODO Dia / Mês / Ano a Dia / Mês / Ano 1 SUMÁRIO 3 IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 4 4 OBJETIVO GERAL CONDIÇÕES PRELIMINARES 5 DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - 2016

PLANO DE AÇÃO - 2016 PLANO DE AÇÃO - 2016 I - MATERIAL DE CONSUMO Papel A4 Branco - Consumo Quantidade de resmas de papel utilizadas no TJMG 269.733 Redução de 5% do consumo - fomentar a utilização de correio eletrônico para

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

Padrões de Conduta e Ética em Negócios para Terceiros

Padrões de Conduta e Ética em Negócios para Terceiros Todas as atividades de negócios na Bristol-Myers Squibb (BMS) estruturam-se sobre a base do nosso compromisso com a integridade e o cumprimento de todas as leis, regulamentações, diretrizes e códigos de

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços Procedimento de Segurança para Execução de Serviços 1. OBJETIVO: Este procedimento tem como objetivo estabelecer requisitos básicos de segurança na execução de serviços realizados por empresa contratada

Leia mais

Resíduos de Serviços de Saúde

Resíduos de Serviços de Saúde Programa de Gerenciamento dos Serviços de Saúde no Brasil Resíduos de Serviços de Saúde PGRSS PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Responsabilidade civil: Art. 3 da Lei de Introdução

Leia mais

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV. PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015 AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.: CK AX0003/00-Q5-RL-1001-15 2 ÍNDICE PÁG. 1 - INTRODUÇÃO...

Leia mais

Especializados. Serviços. Artigo 162 da CLT

Especializados. Serviços. Artigo 162 da CLT Prof. Cícero Wilrison Eng Mecânico e de Segurança do Trabalho Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Artigo 162 da CLT As empresas, de acordo com normas a serem expedidas

Leia mais

XI Semana de Estudos da Engenharia Ambiental UNESP Rio Claro, SP.

XI Semana de Estudos da Engenharia Ambiental UNESP Rio Claro, SP. BENEFÍCIOS DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA UNIVERSIDADE: APLICAÇÃO DO MÉTODO PDCA COMO MINIMIZAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS. Clauciana Schmidt Bueno de Moraes, Andrew Maranhão Ventura Dadario, Priscilla

Leia mais

A NR-20 e o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em instalações administrativas

A NR-20 e o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em instalações administrativas A NR-20 e o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em instalações administrativas Autora Patrícia Lins de Paula A NR-20, Norma Regulamentadora 20 do Ministério do Trabalho e Emprego, trata

Leia mais

IMPACTO AMBIENTAL: A BASE DO GESTOR AMBIENTAL

IMPACTO AMBIENTAL: A BASE DO GESTOR AMBIENTAL IMPACTO AMBIENTAL: A BASE DO GESTOR AMBIENTAL MICHEL EPELBAUM Nesta edição, discutiremos a avaliação de impacto ambiental, como ponto de partida do gestor ambiental, de modo a priorizar investimentos e

Leia mais

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica Programa 0011 PREVENÇÃO E CONTROLE DO CÂNCER E ASSISTÊNCIA ONCOLÓGICA Objetivo Indicador(es) Promover a prevenção, a detecção precoce dos tipos de câncer prevalentes e a assistência à população para reduzir

Leia mais

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36

PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 PLANO DE GOVERNO TULIO BANDEIRA PTC 36 GESTÃO PÚBLICA Garantir ampla participação popular na formulação e acompanhamento das políticas públicas; Criação do SOS Oprimidos, onde atenda desde pessoas carentes

Leia mais

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP Laura Schiesari Diretora Técnica AGENDA I. A ANAHP II. Melhores Práticas Assistenciais III. Monitoramento

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código interno: 7500 (12 X 500 ml) Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 Aplicação: detergente para pré-lavagens.

Leia mais

REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL DO PORTO DE SANTOS

REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL DO PORTO DE SANTOS Regularização Ambiental do Porto de Santos REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL DO PORTO DE SANTOS CHECK-LIST DE INFORMAÇÕES - TERMINAIS/ARRENDATÁRIOS Terminal: Teaçu Armazéns Gerais S/A Data da visita: Responsável

Leia mais

Gestão da Qualidade e Meio Ambiente

Gestão da Qualidade e Meio Ambiente Com o objetivo de desenvolver a consciência ambiental em nossos fornecedores, visando a propagação e a prática da política ambiental da empresa e o atendimento aos requisitos do sistema de gestão ambiental,

Leia mais

Módulo 3 Conceitos: identificação, registros, avaliação de significância de aspectos e impactos ambientais, analise de risco e controles / Exercícios

Módulo 3 Conceitos: identificação, registros, avaliação de significância de aspectos e impactos ambientais, analise de risco e controles / Exercícios Módulo 3 Conceitos: identificação, registros, avaliação de significância de aspectos e impactos ambientais, analise de risco e controles / Exercícios Registros de aspectos ambientais Três fases podem ser

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Laudo Ergonômico Laudo de Periculosidade/Insalubridade Laudo

Leia mais

www.cpsol.com.br MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

www.cpsol.com.br MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATANTE: (Nome da Contratante), com sede em (...), na Rua (...), nº.

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ÁGUA IMPORTÂNCIA DO TEMA 03/02/2011 TESIS. Pobreza? Conflitos Pobreza? Pobreza? Pobreza? Aquecimento global?

CONSERVAÇÃO DE ÁGUA IMPORTÂNCIA DO TEMA 03/02/2011 TESIS. Pobreza? Conflitos Pobreza? Pobreza? Pobreza? Aquecimento global? PROGRAMAS DE CONSERVAÇÃO DE ÁGUA TESIS Tecnologia e Consultoria de Sistemas em Engenharia ltda Carla Araujo Sautchuk Aquecimento global? Aquecimento Aquecimento global? Aquecimento global? Aquecimento

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP 2014 1. INTRODUÇÃO Com o decorrer do tempo e os avanços tecnológicos tornando

Leia mais

CUIDANDO DA NOSSA CASA: AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

CUIDANDO DA NOSSA CASA: AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO HOSPITAL ESTADUAL CENTRAL BENÍCIO TAVARES PEREIRA GERENCIAMENTO: ASSOCIAÇÃO CONGREGAÇÃO DE SANTA CATARINA CUIDANDO DA NOSSA CASA: AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NOÇÕES DE OHSAS 18001:2007 CONCEITOS ELEMENTARES SISTEMA DE GESTÃO DE SSO OHSAS 18001:2007? FERRAMENTA ELEMENTAR CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE CRÍTICA 4.3 PLANEJAMENTO A P C D 4.5 VERIFICAÇÃO

Leia mais

Soluções inteligentes para indústrias, que o ambiente agradece.

Soluções inteligentes para indústrias, que o ambiente agradece. Soluções inteligentes para indústrias, que o ambiente agradece. Novos ambientes Gaia Ambiental A empresa GAIA Gerenciamento e Educação Ambiental Ltda. foi fundada no ano de 2000 visando basicamente a prestação

Leia mais

Boas Práticas de Funcionamento em Serviços de Saúde

Boas Práticas de Funcionamento em Serviços de Saúde - ANVISA Gerência de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES Boas Práticas de Funcionamento em Serviços de Saúde Resolução ANVISA RDC nº. 63 de 25 de novembro de 2011 IV SEMINÁRIO DE PREVENÇÃO E CONTROLE

Leia mais

Gestão Ambulatorial. Saúde Ocupacional. Roberta Q. P. B. Muller Carioba Gerente Ambulatorial Micelli Soluções em Saúde 26/09/2011

Gestão Ambulatorial. Saúde Ocupacional. Roberta Q. P. B. Muller Carioba Gerente Ambulatorial Micelli Soluções em Saúde 26/09/2011 Gestão Ambulatorial Saúde Ocupacional Roberta Q. P. B. Muller Carioba Gerente Ambulatorial Micelli Soluções em Saúde 26/09/2011. Definição Ambulatório Regulamento Técnico para Planejamento, Programação,

Leia mais

1 - Abastecimento de água 1. O estabelecimento utiliza água da rede pública?

1 - Abastecimento de água 1. O estabelecimento utiliza água da rede pública? QUESTIONÁRIO PARA DIAGNÓSTICO DE ASPECTOS AMBIENTAIS E MANEJO DE RESÍDUO DAS UNIDADE DE SAÚDE. A) Aspectos Ambientais Avaliação da estrutura Responda os itens abaixo com a seguinte legenda: Sim = S Não

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite ENGº DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ PAUMGARTTEN

Leia mais

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12.

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12. POL 5.3.1.16-1 1 / 12 POL 5.3.1.16-1 2 / 12 POL 5.3.1.16-1 3 / 12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. DA VALEC S.A.... 6 3. OBJETIVOS PROPOSTOS E METAS PARA O PRIMEIRO ANO... 7 4. NORMAS AMBIENTAIS PROPOSTAS...

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Práticas de sustentabilidade Ações que tenham como objetivo a construção de um novo modelo de cultura institucional visando a inserção de critérios de sustentabilidade

Leia mais

HOSPITAL REGIONAL DE COTIA- SECONCI- SP OSS

HOSPITAL REGIONAL DE COTIA- SECONCI- SP OSS HOSPITAL REGIONAL DE COTIA- SECONCI- SP OSS GESTÃO DE ROUPARIA HOSPITALAR. IMPLANTAÇÃO DE MEDIDAS SUSTENTÁVEIS PARA REDUÇÃO DO CONSUMO DE ÁGUA E DE CUSTOS. Autores: Daniele da Silva Porto E-mail: daniele.porto@hrc.org.br

Leia mais

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES E ABREVIAÇÕES GESTÃO DE RESÍDUOS

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES E ABREVIAÇÕES GESTÃO DE RESÍDUOS Versão: 03 Página 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes para a segregação, coleta e transporte interno, armazenamento temporário, transporte e destinação dos resíduos sólidos gerados, de acordo

Leia mais

CARTA ABERTA DE COMPROMISSO

CARTA ABERTA DE COMPROMISSO CARTA ABERTA DE COMPROMISSO Prezado Sr. Secretário Geral, A Responsabilidade Social Empresarial é prioridade da Unimed Sul Capixaba Cooperativa de Trabalho Médico desde 2003. É intrínseca aos valores da

Leia mais

REVISTA DIGITAL REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

REVISTA DIGITAL REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO REVISTA DIGITAL Saúde e Segurança do Trabalho - Direito do Trabalho e Previdenciário REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Odemiro J B Farias Esse Texto da Portaria de Regulamentação

Leia mais

Levantamento das ações de redução de gastos desenvolvidas no Programa de Eficiência do Gasto (PEG) na UFSJ

Levantamento das ações de redução de gastos desenvolvidas no Programa de Eficiência do Gasto (PEG) na UFSJ Levantamento das ações de redução de gastos desenvolvidas no Programa de Eficiência do Gasto (PEG) na UFSJ Pró Reitoria de Planejamento - PPLAN São João del Rei, 20 de novembro de 2013 Em atendimento ao

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO. Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue do HEMOAL

TÍTULO DO PROJETO. Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue do HEMOAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde TÍTULO DO PROJETO Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue

Leia mais

PRINCÍPIO 01 Apoiar e respeitar a proteção dos direitos humanos proclamados internacionalmente.

PRINCÍPIO 01 Apoiar e respeitar a proteção dos direitos humanos proclamados internacionalmente. PRINCÍPIO 01 Apoiar e respeitar a proteção dos direitos humanos proclamados internacionalmente. Compromisso: Os trabalhos da Unimed Santos são orientados pela ética e transparência valor que permeia toas

Leia mais