Comissão Institucional de Resíduos Químicos e Biológicos TABELAS DE INCOMPATIBILIDADES ENTRE ESPÉCIES QUÍMICAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comissão Institucional de Resíduos Químicos e Biológicos TABELAS DE INCOMPATIBILIDADES ENTRE ESPÉCIES QUÍMICAS"

Transcrição

1 TABELAS DE INCOMPATIBILIDADES ENTRE ESPÉCIES QUÍMICAS Ácidos inorgânicos 1 1 Ácidos inorgânicos Ácidos orgânicos 2 X 2 Ácidos orgânicos Bases 3 X X 3 Bases Aminas 4 X X 4 Aminas Compostos halogenados 5 X X X 5 Compostos halogenados Alcoóis, glicóis e glicoésteres 6 X 6 Alcoóis, glicóis e glicoésteres Aldeídos 7 X X X X X 7 Aldeídos Cetonas 8 X X X X 8 Cetonas Hidrocarbonetos saturados 9 9 Hidrocarbonetos saturados Hidrocarbonetos aromáticos 10 X 10 Hidrocarbonetos aromáticos Olefinas 11 X X 11 Olefinas Derivados de petróleo Derivados de petróleo Ésteres 13 X X X 13 Ésteres Monômeros e ésteres polimerizáveis 14 X X X X X X 14 Monômeros e ésteres polimerizáveis Fenóis 15 X X X X 15 Fenóis Óxidos de alcoilena 16 X X X X X X X X 16 Óxidos de alcoílena Cianidrinas 17 X X X X X X X 17 Cianidrinas Nitrilas 18 X X X X X 18 Nitrilas Amônia 19 X X X X X X X X X 19 Amônia Halogênios 20 X X X X X X X X X X X X 20 Halogênios Éteres 21 X X X 21 Éteres Fósforo 22 X X X X 22 Fósforo Enxofre fundido 23 X X X X X X 23 Enxofre fundido Anidridos ácidos 24 X X X X X X X X X X X 24 Anidridos ácidos

2 Acetileno Acetona Ácido acético Ácido cianídrico Ácido crômico [Cr (VI)] Ácido fluorídrico Ácido fórmico Ácido nítrico concentrado Ácido nítrico Ácido oxálico Ácido perclórico Ácido pícrico Ácido sulfídrico Água Cloro, bromo, flúor, cobre, prata, mercúrio Bromo, cloro, ácido nítrico e ácido sulfúrico Etilenoglicol, compostos contendo hidroxilas, óxido de cromo IV, ácido nítrico, ácido perclórico, peróxidos, permanganatos, peróxidos, anilina, líquidos e gases combustíveis Álcalis e ácido nítrico Ácido acético glacial, anidrido acético, alcoóis, matéria combustível, glicerina, naftaleno, ácido nítrico, éter de petróleo, hidrazina Amônia (anidra ou aquosa), vidro Metais em pó, agentes oxidantes Ácido acético, anilina, ácido crômico, líquidos e gases inflamáveis, gás cianídrico, substâncias nitráveis Alcoóis e outras substâncias orgânicas oxidáveis, ácido iodídrico, magnésio e outros metais, fósforo, etilfeno, ácido acético, anilina óxido Cr(IV), ácido cianídrico Prata, sais de mercúrio ou prata, agentes oxidantes Anidrido acético, alcoóis, bismuto e suas ligas, papel, graxas, madeira, óleos ou qualquer matéria orgânica, clorato de potássio, perclorato de potássio, agentes redutores Amônia aquecida com óxidos, sais de metais pesados, agentes oxidantes Ácido nítrico fumegante, ácidos oxidantes, cloratos, percloratos, permanganato de potássio Cloreto de acetileno, metais alcalinos e seus hidretos e óxidos, peróxido de bário, carbonetos, ácido crômico, oxicloreto de fósforo, pentacloreto de fósforo, pentóxido de fósforo, ácido sulfúrico, trióxido de enxofre

3 Alumínio e suas ligas (principalmente em pó) Amônia Anilina Bismuto e suas ligas Bromo Carbeto de cálcio ou de sódio Carvão ativo Cianetos Cloratos e percloratos Cloratos de potássio ou percloratos de potássio Cloratos de sódio Cloreto de zinco Cloro Cobre Óxido de cromo IV Dióxido de cloro Enxofre Soluções ácidas ou alcalinas, persulfato de amônio e água, cloratos, compostos clorados, nitratos, Hg, Cl, hipoclorito de cálcio, I 2, Br 2, HF Bromo, hipoclorito de cálcio, cloro, ácido fluorídrico, iodo, mercúrio, prata, metais em pó Ácido nítrico, peróxido de hidrogênio, nitrometano, agentes oxidantes Ácido perclórico Acetileno, amônia, butadieno, butano e outros gases de petróleo, hidrogênio, metais finamente divididos, carbetos de sódio, terebentina Umidade Hipoclorito de cálcio, oxidantes Ácidos, álcalis, agentes oxidantes, nitritos, nitratos, Hg Ácidos, alumínio, sais de amônio, cianetos, ácidos, metais em pó, enxofre, fósforo, substâncias orgânicas oxidáveis ou combustíveis, açúcar, sulfetos Ácidos ou seus vapores, matéria combustível (especialmente solventes orgânicos), fósforo, enxofre Ácidos, sais de amônio, matéria oxidável, metais em pó, anidrido acético, bismuto, alcoóis, pentóxido de fósforo, papel, madeira Ácidos, matéria orgânica Acetona, acetileno, amônia, benzeno, butadieno, butano e outros gases de petróleo, hidrogênio, metais em pó, carbonato de sódio e terebentina Acetileno, peróxido de hidrogênio Ácido acético, naftaleno, glicerina, líquidos combustíveis Amônia, sulfeto de hidrogênio, metano, fosfina Qualquer matéria oxidante

4 Flúor Fósforo Fósforo branco Fósforo vermelho Hidreto de lítio e alumínio Hidrocarbonetos (benzeno, butano, gasolina, propano, terebentina, etc) Hidroperóxido de cumeno Hipoclorito de cálcio Iodo Líquidos inflamáveis Lítio Magnésio (principal/em pó) Mercúrio Metais alcalinos e alcalinos terrosos Nitrato Nitrato de amônio Nitrito Maioria das substâncias (armazenar separado) Cloratos, percloratos, nitratos, ácido nítrico, enxofre Ar (oxigênio) ou qualquer matéria oxidante Matéria oxidante Ar, hidrocarbonetos cloráveis, dióxido de carbono, acetato de etila, água Flúor, cloro, bromo, peróxido de sódio, ácido crômico, peróxido de hidrogênio Ácidos (minerais ou orgânicos) Amônia ou carvão ativo Acetileno, amônia, (anidra ou aquosa) e hidrogênio Nitrato de amônio, peróxido de hidrogênio, ácido nítrico, peróxido de sódio, halogênios Ácidos, umidade no ar, água Carbonatos, cloratos, óxidos ou oxalatos de metais pesados (nitratos, percloratos, peróxidos fosfatos e sulfatos) Acetileno, amônia, metais alcalinos, ácido nítrico com etanol, ácido oxálico Dióxido de carbono, tetracloreto de carbono, halogênios, hidrocarbonetos clorados, água Matéria combustível, ésteres, fósforo, acetato de sódio, cloreto de estanho, água, zinco em pó Ácidos, cloratos, cloretos, chumbo, nitratos metálicos, metais em pó, compostos orgânicos, metais em pó, compostos orgânicos combustíveis finamente divididos, enxofre, zinco Cianeto de sódio, cianeto de potássio

5 Nitrito de sódio Óxido de mercúrio Permanganato de potássio Peróxidos Peróxidos (orgânicos) Peróxido de bário Peróxido de hidrogênio Peróxido de sódio Potássio Prata Sódio Zinco em pó Zircônio (principal/em pó) Compostos de amônia, nitratos de amônio, outros sais de amônio Enxofre Benzaldeído, glicerina, etilenoglicol, ácido sulfúrico, enxofre, piridina, dimetilformamida, ácido clorídrico, substâncias oxidáveis Metais pesados, substâncias oxidáveis, carvão ativado, amoníaco, aminas, hidrazina, metais alcalinos Ácido (inorgânico ou orgânico) Compostos orgânicos combustíveis, matéria oxidável, água Crômio, cobre, ferro, maioria dos metais ou seus sais, alcoóis, acetona, substâncias orgânicas Ácido acético glacial, anidrido acético, alcoóis benzaldeído, dissulfeto de carbono, acetato de etila, etileno glicol, furfural, glicerina, acetato de etila e outras substâncias oxidáveis, metanol, etanol Ar (unidade e/ou oxigênio), água Acetileno, compostos de amônia, ácido nítrico com etanol, ácido oxálico, ácido tartárico Ar (unidade e/ou oxigênio), água Ácidos, água Tetracloreto de carbono e outros carbetos, pralogenados, peróxidos, bicarbonato de sódio, água

Manual de Segurança do Laboratório de Química

Manual de Segurança do Laboratório de Química Manual de Segurança do Laboratório de Química Universidade Federal do Pampa Campus Caçapava do Sul 1 INTRODUÇÃO O Manual de Segurança do Laboratório de Química foi elaborado com o objetivo de fornecer

Leia mais

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo.

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo. ANEXO IV ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS. No laboratório, almoxarifado e em locais em que se tenha que armazenar ou manipular substâncias químicas, deve-se ter em conta sua composição, pois muitas delas

Leia mais

IT - 27 MEDIDAS DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS PERIGOSOS

IT - 27 MEDIDAS DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS PERIGOSOS IT - 27 MEDIDAS DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS PERIGOSOS SUMÁRIO ANEXOS 1 Objetivo A - Tabela de incompatibilidade entre produtos 2 Aplicação B - Programa de matérias 3 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

IT - 27 MEDIDAS DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS PERIGOSOS

IT - 27 MEDIDAS DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS PERIGOSOS IT - 27 MEDIDAS DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS PERIGOSOS SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas ANEXO A - Tabela de incompatibilidade entre produtos B - Programa de matérias

Leia mais

MANUAL de SEGURANÇA. REGRAS BÁSICAS Em LABORATÓRIO

MANUAL de SEGURANÇA. REGRAS BÁSICAS Em LABORATÓRIO MANUAL de SEGURANÇA e REGRAS BÁSICAS Em LABORATÓRIO PRINCIPAIS REGRAS DE SEGURANÇA NOS LABORATÓRIOS 1. Usar sempre óculos de segurança no local de trabalho 2. Fornecer óculos de segurança a todos os visitantes

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE FÍSICA E QUÍMICA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE FÍSICA E QUÍMICA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE FÍSICA E QUÍMICA 1. INTRODUÇÃO As partes práticas das disciplinas química geral e Física I são executadas no laboratório e têm como finalidade desenvolver

Leia mais

- Descarte de Resíduos em Ambientes Laboratoriais -

- Descarte de Resíduos em Ambientes Laboratoriais - - Descarte de Resíduos em Ambientes Laboratoriais - 1 - Acondicionamento dos Resíduos Bombona plástica (5 litros e 20 litros) e/ou frasco de vidro âmbar (1litro); Verificar as condições do recipiente (vedação,

Leia mais

Classifique seu Resíduo Laboratorial

Classifique seu Resíduo Laboratorial Normas para Coleta, Tratamento e Armazenagem de Resíduos Químicos da UFPR 1) Classifique o resíduo laboratorial de acordo com a Tabela 1. 2) As classes de resíduos químicos e os seus tratamentos estão

Leia mais

MANUAL DE CONDUTA EM LABORATÓRIO DE QUÍMICA E NORMAS DE SEGURANÇA

MANUAL DE CONDUTA EM LABORATÓRIO DE QUÍMICA E NORMAS DE SEGURANÇA MANUAL DE CONDUTA EM LABORATÓRIO DE QUÍMICA E NORMAS DE SEGURANÇA Manual Elaborado por: José Maurício M. Pires. Bacharel em Química pela UFV, Licenciado em Química pela Unifran. MSc em Geoquímica Ambiental

Leia mais

Manual e regras básicas de segurança para os laboratórios de ensino do Curso de Engenharia Ambiental

Manual e regras básicas de segurança para os laboratórios de ensino do Curso de Engenharia Ambiental Manual e regras básicas de segurança para os laboratórios de ensino do Curso de Engenharia Ambiental Telefones de emergência: Bombeiros 193 ou 3711-2323 Vigilância 7618 ou 7400 SIS (Serviço Integrado de

Leia mais

Tabela de Resistência Química de compostos de PVC

Tabela de Resistência Química de compostos de PVC Tabela de Resistência Química de compostos de VC ignificado dos símbolos que denotam o desempenho do composto: : Resistência química satisfatória; : Ataque ou absorção parcial. A resistência pode ser considerada

Leia mais

(Segregação, Armazenamento e Rotulagem)

(Segregação, Armazenamento e Rotulagem) 680È5,2 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO 3. RESPONSABILIDADE 4. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 5. DEFINIÇÕES 6. CONDIÇÕES GERAIS PARA ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS 7. CONDIÇÕES GERAIS PARA SEGREGAÇÃO

Leia mais

Símbolos de periculosidade

Símbolos de periculosidade Símbolos de periculosidade Símbolos de perigo são utilizados para rotular substâncias perigosas após a Legislação em substâncias perigosas. A Legislação em substâncias perigosas regulamenta a proteção

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS UFPR

DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS UFPR 2009 DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS UFPR Regina Célia Zanelatto Divisão de Gestão Ambiental Prefeitura da Cidade Universitária Pró-Reitora de Administração DIAGNÓSTICO DE RESÍDUOS DA UFPR A Divisão de Gestão

Leia mais

Normas para Coleta, Tratamento e Armazenagem de Resíduos Químicos da UFPR.

Normas para Coleta, Tratamento e Armazenagem de Resíduos Químicos da UFPR. Normas para Coleta, Tratamento e Armazenagem de Resíduos Químicos da UFPR. 1) Classifique o resíduo laboratorial de acordo com a Tabela 1. 2) As classes de resíduos químicos e os seus tratamentos estão

Leia mais

Tabela de Incompatibilidade

Tabela de Incompatibilidade Tabela de Incompatibilidade Nome do Produto Fórmula Incompatibilidade Tipo de Incompatível Ácido acético CH 3 C OH O CrO 3, KMnO 4, H 2 O 2 Acetona CH 3 C CH 3 O HNO 3, H 2 SO 4, CrO 3 Acetileno H C C

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP UFMG/PRA/DGA-PGRQ/AC 01/2014. Acondicionamento de Resíduos Químicos das Unidades Geradoras.

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP UFMG/PRA/DGA-PGRQ/AC 01/2014. Acondicionamento de Resíduos Químicos das Unidades Geradoras. Página 2 de 18 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2 RESULTADOS ESPERADOS... 3 3 APLICAÇÃO E RESPONSABILIDADES... 3 4 RECURSOS NECESSÁRIOS... 4 5 DEFINIÇÕES... 4 6 PROCEDIMENTOS... 5 6.1 Procedimentos Gerais... 5

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS LABORATORIAIS

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS LABORATORIAIS PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Programa de Gerenciamento de Resíduos PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS LABORATORIAIS P.G.R

Leia mais

Elaborada por: Sandra Mara Vieira de Camargo Gavetti Assistente de Suporte Acadêmico I

Elaborada por: Sandra Mara Vieira de Camargo Gavetti Assistente de Suporte Acadêmico I Elaborada por: Sandra Mara Vieira de Camargo Gavetti Assistente de Suporte Acadêmico I 2013 Índice 1. Conhecendo o laboratório...1 1.1. O Laboratório de Biologia e Microbiologia - Unesp Sorocaba...1 1.2.

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação

Coordenação Geral de Acreditação Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO DOS ESCOPOS DE ACREDITAÇÃO VOLTADOS AOS LABORATÓRIOS DE ENSAIOS QUE ATUAM NA ÁREA DE ATIVIDADE: MEIO AMBIENTE, SUBÁREAS DE ATIVIDADE: ÁGUAS,

Leia mais

Capítulo 1: Introdução à Química Ambiental 23. Parte I: AR E ENERGIA 37 Capítulo 2: A Química da Estratosfera: A Camada de Ozônio 39

Capítulo 1: Introdução à Química Ambiental 23. Parte I: AR E ENERGIA 37 Capítulo 2: A Química da Estratosfera: A Camada de Ozônio 39 Capítulo 1: Introdução à Química Ambiental 23 A NATUREZA DA QUÍMICA AMBIENTAL E A ORGANIZAÇÃO DESTE LIVRO 24 UM ESTUDO DE CASO: OS PRODUTOS QUÍMICOS TÓXICOS E OS RECÉM-NASCIDOS 25 ABORDAGENS PARA A PREVENÇÃO

Leia mais

Produtos em Graflex. Placas de Grafite Graflex TJB, TJE, TJR

Produtos em Graflex. Placas de Grafite Graflex TJB, TJE, TJR Produtos em Graflex Placas de Grafite Graflex TJB, TJE, TJR Juntas Graflex Junta Auto-Adesiva - GR3110I Fitas de Grafite Graflex TJI, TJH e TJZ Anéis de Graflex tabela de compatibilidade química - graflex

Leia mais

Área de Atividade/Produto Classe de Ensaio/Descrição do Ensaio Norma e/ou Procedimento

Área de Atividade/Produto Classe de Ensaio/Descrição do Ensaio Norma e/ou Procedimento Folha: 1 de 5 Determinação de Cor Aparente - Espectrometria UV / VIS LQ: 2,5 PtCo/L Determinação de Aspecto - APPPEARANCE LQ: não se aplica Determinação de Turbidez por Turbidimetria LQ: 0,4 NTU Determinação

Leia mais

IVPU-Z IBIRÁ é fabricada em poliuretano com reforço de espiral em aço zincado. Possui alta flexibilidade, ótima resistância à abrasão.

IVPU-Z IBIRÁ é fabricada em poliuretano com reforço de espiral em aço zincado. Possui alta flexibilidade, ótima resistância à abrasão. VU-Z vácuo-ar 100% U Ficha Técnica Edição 00-08/05/015 VU-Z BRÁ VU-Z BRÁ Mangueira 100% U Descrição dos produtos Campos de Aplicação Dados do produto Metodologias Utilizadas: VU-Z BRÁ é fabricada em poliuretano

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS LABORATORIAIS

GUIA DE BOAS PRÁTICAS LABORATORIAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS FMUSP Laboratórios de Investigação Médica - LIMs GUIA DE BOAS PRÁTICAS LABORATORIAIS Gerência Técnica - LIM São Paulo 2015 5 Hospital das Clínicas da FMUSP L a b o r a t ó r i o s

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE GESTÃO AMBIENTAL - GR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE GESTÃO AMBIENTAL - GR UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE GESTÃO AMBIENTAL - GR MANUAL E REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA PARA LABORATÓRIOS Florianópolis, 1998 MANUAL E REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA PARA LABORATÓRIOS

Leia mais

Considerar a letra A como ideal

Considerar a letra A como ideal Tabela de Resistência Química Tanque Rotomoldado do Conjunto FLEX TANK CÓDIGO: (A) Resistente, nenhuma indicação de que a utilidade seria prejudicada. (B) Resistência variável, dependendo das condições

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO DE DESCARTE DE RESÍDUO NO SISTEMA FMUSP-HC

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO DE DESCARTE DE RESÍDUO NO SISTEMA FMUSP-HC Resíduos Infectantes CARTILHA DE ORIENTAÇÃO DE DESCARTE DE RESÍDUO NO SISTEMA FMUSP-HC A Diretoria Executiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), dos Laboratórios de Investigação

Leia mais

Resistência aos Meios dos Produtos PRFV

Resistência aos Meios dos Produtos PRFV Resistência aos Meios dos Produtos PRFV 2 A Acetaldeído todos / não resistente não resistente não resistente Acetato de bário todos 60 resistente resistente resistente Acetato de bário todos 60-80 não

Leia mais

Resíduos Químicos. Manejo de. Comissão de Gerenciamento de Resíduos Faculdade de Farmácia. Elaboração:

Resíduos Químicos. Manejo de. Comissão de Gerenciamento de Resíduos Faculdade de Farmácia. Elaboração: + Re d Comissão de Gerenciamento de Resíduos Faculdade de Farmácia Elaboração: Elviscley de Oliveira Silva Email: elviscley@hotmail.com Mariângela Fontes Santiago Email: mariangelafs@gmail.com Bruna Carneiro

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAL PERMANENTE

RELAÇÃO DE MATERIAL PERMANENTE RELAÇÃO DE MATERIAL PERMANENTE MATERIAL QUANTIDADE Máquina de Xérox 01 Máquina Fotográfica 01 Filmadora 01 multimídia 01 Televisores 06 Aparelhos de DVDs 05 Aparelhos de Vídeos 05 Aparelho gravador de

Leia mais

Segurança no Laboratório Visão Pessoal

Segurança no Laboratório Visão Pessoal Joel Jones Junior Flavia Martins da Silva Ricardo Bezerra Coelho SOA - Síntese Orgânica Ambiental Departamento de Química Orgânica - Instituto de Química Universidade Federal do Rio de Janeiro e-mail:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA - CFM PARTE 1 MANUAL DE REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA PARA LABORATÓRIOS DE QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA - CFM PARTE 1 MANUAL DE REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA PARA LABORATÓRIOS DE QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA - CFM PARTE 1 MANUAL DE REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA PARA LABORATÓRIOS DE QUÍMICA PARTE 2 RESÍDUOS QUÍMICOS: GERENCIAMENTO E PROCEDIMENTOS

Leia mais

Temperatura de ignição espontânea ºC

Temperatura de ignição espontânea ºC SUBSTÂNCIAS INFLAMÁVEIS DE GÁS Na tabela 1 estão relacionados 230 substâncias inflamáveis e suas características. A tabela foi construída com informações obtidas da NORMA NBR IEC 60079-20. Substância inflamável

Leia mais

Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido Nash para Indústrias Químicas

Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido Nash para Indústrias Químicas Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido Nash para Indústrias Químicas Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido NASH Tecnologia e Experiência Gardner Denver Nash atende indústrias petroquímicas,

Leia mais

A) Benzeno. B) Etano. D) Éter dimetílico. C) Glicerina. E) Tetracloreto de carbono.

A) Benzeno. B) Etano. D) Éter dimetílico. C) Glicerina. E) Tetracloreto de carbono. 01. Os "umidificantes" são usados há bastante tempo para proteger e reidratar a pele. Esses produtos são constituídos por emolientes e umectantes, cuja finalidade é aumentar o teor de água na pele, de

Leia mais

Substâncias Químicas mais comuns. Riscos e efeitos tóxicos. Risco Frase R Frase S Efeitos Tóxicos Acetato de Chumbo(II) R20/22 R33 S13 S20/21 *

Substâncias Químicas mais comuns. Riscos e efeitos tóxicos. Risco Frase R Frase S Efeitos Tóxicos Acetato de Chumbo(II) R20/22 R33 S13 S20/21 * Substâncias Químicas mais comuns. Riscos e efeitos tóxicos. Risco Frase R Frase S Efeitos Tóxicos Acetato de Chumbo(II) R20/22 R33 S13 S20/21 * Acetona R11 S9 S16 S23 S33 A inalação dos vapores pode causar

Leia mais

BORRACHA NATURAL BORRACHA NITRÍLICA # QUÍMICO NEOPRENE PVA PVC. 1 1,1,1 Tricloro etano 2 1,2 Ácido etileno dicarboxílico

BORRACHA NATURAL BORRACHA NITRÍLICA # QUÍMICO NEOPRENE PVA PVC. 1 1,1,1 Tricloro etano 2 1,2 Ácido etileno dicarboxílico COMO UTILIZAR A TABELA QUÍMICA Localize o produto químico do qual você precisa de proteção. Siga a linha horizontal e selecione a coluna com o melhor desempenho nos testes. UTILIZE A LEGENDA VERDE: a luva

Leia mais

ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS PRODUZIDOS NA FCUL

ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS PRODUZIDOS NA FCUL ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS PRODUZIDOS NA FCUL "A gestão do resíduo constitui parte integrante do seu ciclo de vida, sendo da responsabilidade do respetivo produtor. (Decreto Lei n.º 178/2006 de 5

Leia mais

SULFATO FERROSO HEPTAIDRATADO Ferrosi sulfas heptahydricus

SULFATO FERROSO HEPTAIDRATADO Ferrosi sulfas heptahydricus SULFATO FERROSO HEPTAIDRATADO Ferrosi sulfas heptahydricus FeSO 4.7H 2 O 278,01 06404.02-0 Fe 55,85 Sulfato ferroso heptaidratado Contém, no mínimo, 98,0% e, no máximo, 105,0% de FeSO 4.7H 2 O. DESCRIÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Curso de Pós-Graduação, Lato Sensu em Engenharia de Segurança do Trabalho. Juliana Salete Guarda

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Curso de Pós-Graduação, Lato Sensu em Engenharia de Segurança do Trabalho. Juliana Salete Guarda UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Curso de Pós-Graduação, Lato Sensu em Engenharia de Segurança do Trabalho Juliana Salete Guarda SAÚDE E SEGURANÇA EM LABORATÓRIO QUÍMICO: PROPOSTA DE ORIENTAÇÕES

Leia mais

Produtos de ROTOMOLDAGEM

Produtos de ROTOMOLDAGEM Produtos de ROTOMOLDAGEM 1 RESISTÊNCIA QUÍMICA DOS RESERVATÓRIOS Produro 20º 60º Produto 20º 60º Produto 20º 60º Produto 20º 60º Acetato x x Carbonato de Magnésio Fluoreto de Alumínio Óleo de Algodão Acetato

Leia mais

Reações orgânicas. Mestranda: Daniele Potulski Disciplina: Química da Madeira I

Reações orgânicas. Mestranda: Daniele Potulski Disciplina: Química da Madeira I Reações orgânicas Mestranda: Daniele Potulski Disciplina: Química da Madeira I Introdução Quase todos os compostos orgânicos tem moléculas apolares ou com baixa polaridade; Essa característica é um fator

Leia mais

Relatório de Laboratórios Certificados pela FATMA até 11/2013

Relatório de Laboratórios Certificados pela FATMA até 11/2013 Relatório de Laboratórios Certificados pela FATMA até 11/2013 Nome do Laboratório No da Certidão Validade Credenciador Matriz Descrição do Parâmetro Acquaplant Quimica do Brasil Ltda. 3/2013 20-12-2014

Leia mais

Lista de Reagentes para Doação - Campus São Carlos

Lista de Reagentes para Doação - Campus São Carlos Lista de Reagentes para Doação - Campus São Carlos Classificação Reagente Quantidade Sais de Amônio Acetato de Amônio Bifluoreto de Amônio Brometo de Trimetil-amônio Carbonato de Amônio Cloreto de Amônio

Leia mais

Lista de Reagentes para Doação - Campus São Carlos

Lista de Reagentes para Doação - Campus São Carlos Lista de Reagentes para Doação - Campus São Carlos Classificação Reagente Quantidade Sais de Amônio Acetato de Amônio Bifluoreto de Amônio Brometo de Trimetil-amônio Carbonato de Amônio Cloreto de Amônio

Leia mais

Papelões Hidráulicos NA1060 NA1092. NA1085 Tabela de Compatibilidade Química - Papelões Hidráulicos

Papelões Hidráulicos NA1060 NA1092. NA1085 Tabela de Compatibilidade Química - Papelões Hidráulicos Papelões Hidráulicos NA11 NA192 NA12 NA14 NA1M NA16 NA185 Tabela de Compatibilidade Química - Papelões Hidráulicos Os papelões hidráulicos são indicados para fabricação de juntas de vedação nos mais variados

Leia mais

GUIA DE ESPECIFICAÇÕES DO SENSOR DETECTOR DE GÁS MERIDIAN

GUIA DE ESPECIFICAÇÕES DO SENSOR DETECTOR DE GÁS MERIDIAN GUIA DE ESPECIFICAÇÕES DO SENSOR DETECTOR DE GÁS MERIDIAN ÍNDICE GUIA DE ESPECIFICAÇÕES DO SENSOR MERIDIAN SENSORES PARA GASES COMBUSTÍVEIS 3 Sensor de gás combustível por oxidação catalítica 4 Fatores

Leia mais

Texto: QUÍMICA NO COTIDIANO. Outras disciplinas que são citadas com frequência são a química molecular, a eletroquímica, a

Texto: QUÍMICA NO COTIDIANO. Outras disciplinas que são citadas com frequência são a química molecular, a eletroquímica, a Texto: QUÍMICA NO COTIDIANO Outras disciplinas que são citadas com frequência são a química molecular, a eletroquímica, a química nuclear, a radioquímica e a estereoquímica. É de costume incluir a química

Leia mais

Oxirredução. O professor recomenda: Estude pelos seguintes livros/páginas sobre a oxirredução e faça os exercícios! 26/10/2011

Oxirredução. O professor recomenda: Estude pelos seguintes livros/páginas sobre a oxirredução e faça os exercícios! 26/10/2011 Oxirredução O professor recomenda: Estude pelos seguintes livros/páginas sobre a oxirredução e faça os exercícios! Shriver Ed 4 Cap.4 p.164-190 Atkins & Jones 1 ED Cap. 12 p. 603-635 Brown Cap. 20 p. 721-754

Leia mais

POLIETILENO ANTI-CHAMA

POLIETILENO ANTI-CHAMA POLIETILENO ANTI-CHAMA TUBO DE POLIETILENO ANTI-CHAMA MATERIAL Polietileno de baixa densidade auto-extinguível APLICAÇÕES Linhas para condução de gases e líquidos. Linhas que necessitam de materiais que

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANITÁRIA PHD 2552 Tratamento de Efluentes Líquidos Industriais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANITÁRIA PHD 2552 Tratamento de Efluentes Líquidos Industriais UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANITÁRIA PHD 2552 Tratamento de Efluentes Líquidos Industriais Tratamento de Efluentes Líquidos de PETROQUÍMICA Prof.

Leia mais

Estocagem e Segurança

Estocagem e Segurança Estocagem e Segurança - Regras gerais - 1) Materiais devem ser protegidos contra furto ou roubo, contra a ação de perigos mecânicos e ameaças climáticas, bem como de animais daninhos; 2) O ambiente deve

Leia mais

Química - Profa. GRAÇA PORTO

Química - Profa. GRAÇA PORTO Disciplina: Química Química - Profa. GRAÇA PORTO ESTUDO DAS SUBSTÂNCIAS E MISTURAS Você sabe caracterizar a quanto ao sabor, a cor e ao cheiro? E o sal? Quais são as características do açúcar? Agora, tente

Leia mais

Questão 76. Questão 78. Questão 77. alternativa D. alternativa C. alternativa A

Questão 76. Questão 78. Questão 77. alternativa D. alternativa C. alternativa A Questão 76 O hidrogênio natural é encontrado na forma de três isótopos de números de massa, 1, 2 e 3, respectivamente: 1 1 H, 2 1 H e 3 1 H As tabelas periódicas trazem o valor 1,008 para a sua massa atômica,

Leia mais

ESTUDO DA MATÉRIA. QUÍMICA - Prof. Marcelo Uchida -

ESTUDO DA MATÉRIA. QUÍMICA - Prof. Marcelo Uchida - ESTUDO DA MATÉRIA QUÍMICA - Prof. Marcelo Uchida - Matéria Material ou matéria é tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Água Ar Madeira Ouro Corpo Porção limitada da matéria Barra de Ouro Tronco

Leia mais

Dispensette S NOVO! Dispensador para frascos. A nova geração! n Novo tubo de dosificação. n Novo sistema de válvulas. n Iniciação rápida

Dispensette S NOVO! Dispensador para frascos. A nova geração! n Novo tubo de dosificação. n Novo sistema de válvulas. n Iniciação rápida A nova geração! Dispensette S Dispensador para frascos F I R S T C L A S S B R A N D Idéias inovadoras com tecnologia reconhecida o novo dispensador para frascos. n Novo tubo de dosificação com ou sem

Leia mais

REAÇÕES ORGÂNICAS. Instruções: Para responder às questões de números 2 e 3, considere o aspidinol, composto orgânico de fórmula estrutural:

REAÇÕES ORGÂNICAS. Instruções: Para responder às questões de números 2 e 3, considere o aspidinol, composto orgânico de fórmula estrutural: REAÇÕES RGÂNICAS 1- (UFPEL) Considerando ambas as reações (combustão do etanol e a ocorrida no bafômetro), é correto afirmar que, A) em ambas, os átomos de oxigênio se reduzem e os de carbono se oxidam.

Leia mais

TABELA DE RESISTENCIA QUÍMICA PARA ENGATES RÁPIDOS

TABELA DE RESISTENCIA QUÍMICA PARA ENGATES RÁPIDOS TABELA DE RESISTENCIA QUÍMICA PARA ENGATES RÁPIDOS O engate rápido assim como a mangueira, tubo, tanque, bombona, entre outros também deve resistir quimicamente ao produto transportado. A tabela abaixo

Leia mais

NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 11

NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 11 NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 11 AGENTES QUÍMICOS CUJA INSALUBRIDADE É CARACTERIZADA POR LIMITE DE TOLERÂNCIA E INSPEÇÃO NO LOCAL DE TRABALHO 1. Nas atividades ou operações nas quais

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA PARA ATIVIDADES NO LACER

MANUAL DE SEGURANÇA PARA ATIVIDADES NO LACER MANUAL DE SEGURANÇA PARA ATIVIDADES NO LACER SUMÁRIO: I. INTRODUÇÃO II. SEGURANÇA III. PROCEDIMENTOS PARA DESCARTE DE RESÍDUOS GERADOS EM LABORATÓRIO IV. ALGUNS PRODUTOS QUÍMICOS PERIGOSOS I - INTRODUÇÃO

Leia mais

ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções: 1- Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões.

ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções: 1- Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões. Processo Seletivo 211 Modalidade B 3º Ano ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO Leia atentamente as instruções: 1 Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões. 2 Verifique se recebeu o caderno de

Leia mais

Reagente Quantidade Acetato de Amônio Brometo de Trimetil-amônio Carbonato de Amônio. Fluoreto de Amônio. Cloreto de Hidroxilamônio

Reagente Quantidade Acetato de Amônio Brometo de Trimetil-amônio Carbonato de Amônio. Fluoreto de Amônio. Cloreto de Hidroxilamônio S A I S D E A M Ô N I O I N D I C A D O R E S S O L V E N T E S Reagente Quantidade Acetato de Amônio Brometo de Trimetil-amônio 0, Carbonato de Amônio 1, Cloreto de Amônio 6,4 Kg Cloreto de Hidroxilamônio

Leia mais

Escola Técnica Estadual GETÚLIO VARGAS. Tipo de Ensino: Médio: x 2 Módulo/Série: 1º 2º 3º 4º

Escola Técnica Estadual GETÚLIO VARGAS. Tipo de Ensino: Médio: x 2 Módulo/Série: 1º 2º 3º 4º Escola Técnica Estadual GETÚLIO VARGAS NOME: N.º Tipo de Ensino: Médio: x 2 Módulo/Série: 1º 2º 3º 4º Conteúdo disciplinar: Química Funções Inorgânicas : ácidos, bases, sais e óxidos. PROVA: Mensal: Bimestral:

Leia mais

ÁREA DE CONHECIMENTO: LABORATÓRIO Nº 03 LABORATORIO DE FARMACOTÉCNICA MEDIDAS

ÁREA DE CONHECIMENTO: LABORATÓRIO Nº 03 LABORATORIO DE FARMACOTÉCNICA MEDIDAS UNISEPE União das Instituições de Serviço, Ensino e Pesquisa Faculdades Integradas do Vale do Ribeira Rua Oscar Yoshiaki Magário, s/n Jardim das Palmeiras CEP: 11900-000 Registro (SP) (13) 3828-2840 www.scelisul.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE Coordenação Geral de Laboratórios

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE Coordenação Geral de Laboratórios UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE Coordenação Geral de Laboratórios NORMAS INTERNAS DO LABORATÓRIO DE QUÍMICA ANALÍTICA Define as normas internas de

Leia mais

SEGURANÇA NOS LABORATÓRIOS

SEGURANÇA NOS LABORATÓRIOS SEGURANÇA NOS LABORATÓRIOS REGRAS BÁSICAS Cada aluno deverá ter o seu próprio kit de segurança, que incluirá: óculos de segurança (pode ser adquirido em qualquer casa de venda de produtos odontológicos)

Leia mais

+1 2 Nox +1 2 Carga Nox +7 8 Carga

+1 2 Nox +1 2 Carga Nox +7 8 Carga 01 Cl 2 Cl Nox = 0 Nox = 1 Cl O +1 2 Nox +1 2 Carga Cl O 4 +7 2 Nox +7 8 Carga Resposta: Respectivamente zero, 1, +1, +7. 1 02 a) NH 4 NO 3 NH 4 + cátion + NO 3 ânion N H 4 + 3 +1 Nox 3 +4 Carga N O 3

Leia mais

SERVIÇOS LABORATORIAIS. Artigo 102º - Análise microbiológica (individualizadas) 1. Bactérias totais 30,00. 2. Coliformes totais 70,00

SERVIÇOS LABORATORIAIS. Artigo 102º - Análise microbiológica (individualizadas) 1. Bactérias totais 30,00. 2. Coliformes totais 70,00 SERVIÇOS LABORATORIAIS Artigo 102º - Análise microbiológica (individualizadas) 1. Bactérias totais 30,00 2. Coliformes totais 70,00 3. Coliformes fecais 70,00 4. Pesquisa de E. Coli 180,00 5. Estreptococos

Leia mais

SISTEMAS MATERIAIS - 2012

SISTEMAS MATERIAIS - 2012 SISTEMAS MATERIAIS - 2012 1- (UFV) A obtenção de gasolina a partir do petróleo é feita por: A) destilação fracionada; B) destilação simples; C) filtração simples; D) filtração sob pressão reduzida; E)

Leia mais

Requerimento de Ligação de Águas Residuais Industriais aos Sistemas de Drenagem e Tratamento da AdG

Requerimento de Ligação de Águas Residuais Industriais aos Sistemas de Drenagem e Tratamento da AdG I Identificação do Utilizador Industrial Designação: Processo nº: N.º de Cliente AdG: Nº Contribuinte: Morada da Unidade Industrial: Código Postal: - Nome do Proprietário: Telefone: ; Fax: ; e-mail: II

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Identificação do Produto: Nome do produto: Aplicação do produto: Desincrustações e limpeza pesada. Fabricante / Fornecedor: Sevengel Indústria e Comércio Ltda.

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 6 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO CASCARDI SANEAMENTO BÁSICO LTDA S BIOLÓGICOS NORMA E /OU PROCEDIMENTO CONSUMO HUMANO, ÁGUA TRATADA E Contagem Padrão de

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 19/09/2003 C(2003) 3297 final RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO DE 19/09/2003 relativa à lista europeia das doenças profissionais RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO DE 19/09/2003

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - CEP CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES Vanessa Tressoldi Schneider Lajeado, novembro de

Leia mais

Tabela de aplicação (manual ASTM) Tubos e poços de proteção

Tabela de aplicação (manual ASTM) Tubos e poços de proteção Tratamento térmico Forno-poço Recozimento Até 1100 C Inconel 600 Até 700 C Ferro preto Acima e 1100 C Cerâmico Acima de 700 C 446 SS, Inconel 600 Metais não-ferrosos Têmpera Alumínio Até 800 C Ferro preto,

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS Ácido ídrico eto oso ito ico ato Sal nome do ácido de origem eto ito ato nome do cátion da base de origem +y B x +x A y Como pode cair no enem O etanol é considerado um

Leia mais

CÓDIGO DESCRIÇÃO UNID GRUPO PRAZO DE ENTREGA CLASS FISCAL EX CV FD

CÓDIGO DESCRIÇÃO UNID GRUPO PRAZO DE ENTREGA CLASS FISCAL EX CV FD 1004000017 ACETATO DE CALCIO H2O PA 25G FR PRODUTOS PA 05 DIAS 2915.29.00 N N N 1004000018 ACETATO DE CALCIO H2O PA 500G FR PRODUTOS PA 05 DIAS 2915.29.00 N N N 1004000023 ACETATO DE CHUMBO II NEUTRO (3H2O)

Leia mais

EVA TUBO EXTRA FLEXÍVEL

EVA TUBO EXTRA FLEXÍVEL EVA TUBO EXTRA FLEXÍVEL TUBO DE EVA EXTRA FLEXÍVEL MATERIAL EVA (Etileno com 9% de Acetato de Vinila (Etilvinilacetato)) APLICAÇÕES Linhas para condução de gases e líquidos. Laboratórios. Linhas onde seja

Leia mais

Química B Superextensivo

Química B Superextensivo GABARIT Química B Superextensivo Exercícios 01) B 02) D 03) D 04) E I Certa Existem apenas dois tipos de átomos: bolinhas maiores e bolinhas menores II Certa Par de bolinhas maiores, par de bolinhas menores

Leia mais

CO 3 H 2. (aq) e H 2. O, ocorrendo, portanto, acidose

CO 3 H 2. (aq) e H 2. O, ocorrendo, portanto, acidose 11 A maior parte do dióxido de carbono gerado no metabolismo celular, no corpo humano, por reagir rapidamente com a água contida no sangue, é conduzida pela corrente sanguínea, para eliminação nos pulmões.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE Coordenação Geral de Laboratórios

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE Coordenação Geral de Laboratórios UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE Coordenação Geral de Laboratórios NORMAS INTERNAS DO LABORATÓRIO DE QUÍMICA GERAL Define as normas internas de utilização

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E SEGURANÇA PARA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UTFPR - CÂMPUS FRANCISCO BELTRÃO

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E SEGURANÇA PARA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UTFPR - CÂMPUS FRANCISCO BELTRÃO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E SEGURANÇA PARA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UTFPR - CÂMPUS FRANCISCO BELTRÃO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E SEGURANÇA PARA UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS

Leia mais

Grupo de Ecofisiolgia e Melhoramento Florestal. Guia de Armazenamento de reagentes

Grupo de Ecofisiolgia e Melhoramento Florestal. Guia de Armazenamento de reagentes Grupo de Ecofisiolgia e Melhoramento Florestal Guia de Armazenamento de reagentes Índice 1. GUIA PARA O ARMAZENAMENTO SEGURO DE PRODUTOS QUÍMICOS 3 1.1. INTRODUÇÃO... 3 1.2. INVENTÁRIO... 3 1.3. VERIFICAÇÃO

Leia mais

PROCESSO E-07/202154/2001 QUALY LAB ANÁLISES AMBIENTAIS LTDA - 13/06/2014

PROCESSO E-07/202154/2001 QUALY LAB ANÁLISES AMBIENTAIS LTDA - 13/06/2014 Boletim de Serviço Boletim de Serviço é uma publicação do Instituto Estadual do Ambiente, destinada a dar publicidade aos atos administrativos da instituição. Presidente Isaura Maria Ferreira Frega Vice-Presidente

Leia mais

Cadex Pré-vestibular Química Volume I Série 4 Geometria molecular; polaridade; forças intermoleculares

Cadex Pré-vestibular Química Volume I Série 4 Geometria molecular; polaridade; forças intermoleculares 01 I. H 2, linear (a) II. O 2, linear (a) III. H 2 O, angular (b) IV. NH 3, piramidal (c) V. CH 4, tetraédrica (e) VI. CO 2, linear (a) VII. BF 3, trigonal (d) VIII. H 2 S, angular (b) IX. CCl 4, tetraédrica

Leia mais

Normas de Gerenciamento de Resíduos Químicos do Instituto de Química da UNICAMP

Normas de Gerenciamento de Resíduos Químicos do Instituto de Química da UNICAMP Comissão de Segurança e Ética Ambiental Instituto de Química Gerenciamento de Resíduos Normas de Gerenciamento de Resíduos Químicos do Instituto de Química da UNICAMP (Aprovadas na 224ª sessão da Congregação

Leia mais

Manual Prático de Orientação para, Tratamento, Armazenamento e Descarte de Resíduos Químicos e Biológicos.

Manual Prático de Orientação para, Tratamento, Armazenamento e Descarte de Resíduos Químicos e Biológicos. Manual Prático de Orientação para, Tratamento, Armazenamento e Descarte de Resíduos Químicos e Biológicos. A Comissão de Resíduos Químicos e Biológicos (CRQB), organizou este Manual Prático com objetivo

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 1

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 1 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 1 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 3º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Propor e explicar procedimentos padrão

Leia mais

ONU NCM CAS NOME DO PRODUTO QUÍMICO NA [ ] 1,1-Carbonildiimidazole [ ] 1,2-Dicloroetano NA

ONU NCM CAS NOME DO PRODUTO QUÍMICO NA [ ] 1,1-Carbonildiimidazole [ ] 1,2-Dicloroetano NA ONU NCM CAS NOME DO PRODUTO QUÍMICO NA 2933.29.99 [530-62-1] 1,1-Carbonildiimidazole 1184 2903.15.00 [107-06-2] 1,2-Dicloroetano NA 2914.31.00 [103-79-7] 1-Fenil-2-Propanona NA 2922.29.90 [3600-86-0] 2,5-Dimetoxifenetilamina

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PROCESSOS DE TRATAMENTO DE LIXIVIADOS DE ATERROS SANITÁRIOS E A LEGISLAÇÃO PALESTRA 4 TRATAMENTO FÍSICO QUÍMICO E BIOLÓGICO

WORKSHOP SOBRE PROCESSOS DE TRATAMENTO DE LIXIVIADOS DE ATERROS SANITÁRIOS E A LEGISLAÇÃO PALESTRA 4 TRATAMENTO FÍSICO QUÍMICO E BIOLÓGICO WORKSHOP SOBRE PROCESSOS DE TRATAMENTO DE LIXIVIADOS DE ATERROS SANITÁRIOS E A LEGISLAÇÃO PALESTRA 4 TRATAMENTO FÍSICO QUÍMICO E BIOLÓGICO Eng. Elso Vitoratto engenharia@novaeraambiental.com.br Conceito

Leia mais

De acordo com as suas propriedades químicas, os hidrocarbonetos dividem-se em três sub-

De acordo com as suas propriedades químicas, os hidrocarbonetos dividem-se em três sub- TRABAL PRÁTIC Nº6 IDENTIFICAÇÃ DE GRUPS FUNCINAIS INTRDUÇÃ idrocarbonetos são compostos que contêm apenas os elementos carbono e hidrogénio. De acordo com as suas propriedades químicas, os hidrocarbonetos

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO POLICARBONATO ALVEOLAR

BOLETIM TÉCNICO POLICARBONATO ALVEOLAR BOLETIM TÉCNICO POLICARBONATO ALVEOLAR Apresentação Sobre Policarbonato Policarbonato é um termoplástico de engenharia muito conhecido por ser transparente como vidro e resistente como o aço, derivado

Leia mais

Classificação e Gerenciamento de Resíduos Químicos. Profª Loraine Jacobs

Classificação e Gerenciamento de Resíduos Químicos. Profª Loraine Jacobs Classificação e Gerenciamento de Resíduos Químicos Profª Loraine Jacobs lorainejacobs@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs Conceitos Importantes Reuso: é o uso de um resíduo, sem

Leia mais

Reações inorgânicas Atividades 2

Reações inorgânicas Atividades 2 Reações inorgânicas Atividades 2 Introdução Os exercícios propostos abaixo abordam o conteúdo de reações inorgânicas, com os principais tipos dessas reações, dessa vez com os nomes das substâncias, para

Leia mais

Guia Básico para o Manejo de resíduos

Guia Básico para o Manejo de resíduos 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOÁS CAMPUS JATAÍ Comissão Interna de Gerenciamento de Resíduos Guia Básico para o Manejo de resíduos UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Edward Madureira Brasil Reitor Eriberto Francisco

Leia mais

Prof. Rafa - Química Cálculo Estequiométrico

Prof. Rafa - Química Cálculo Estequiométrico Prof. Rafa - Química Cálculo Estequiométrico Lista de exercícios 01. (UFBA) Hidreto de sódio reage com água, dando hidrogênio, segundo a reação: NaH + H 2 O NaOH + H 2 Para obter 10 mols de H 2, são necessários

Leia mais

) existem os seguintes números de mol de átomos: C 5 0,32; H 5 0,44; N 5 0,04; O 5 0,12. A fórmula mínima dessa substância é: a) C 6 H 9. .

) existem os seguintes números de mol de átomos: C 5 0,32; H 5 0,44; N 5 0,04; O 5 0,12. A fórmula mínima dessa substância é: a) C 6 H 9. . Resolução das atividades complementares 1 Química Q14 Fórmulas das substâncias p. 80 1 (UEL-PR) Em 6,76 g de pirodoxina (vitamina B 6 ) existem os seguintes números de mol de átomos: C 5 0,32; H 5 0,44;

Leia mais

AULA 10 EQUILÍBRIO DE SOLUBILIDADE

AULA 10 EQUILÍBRIO DE SOLUBILIDADE Fundamentos de Química Analítica (009) AULA 10 EQUILÍBRIO DE SOLUBILIDADE OBJETIVOS Definir solubilidade do soluto. Definir solução saturada, não saturada e supersaturada. Conhecer as regras de solubilidade.

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO: NOÇÕES GERAIS. LABORATÓRIO DE QUÍMICA.

MANUAL DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO: NOÇÕES GERAIS. LABORATÓRIO DE QUÍMICA. MANUAL DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO: NOÇÕES GERAIS. LABORATÓRIO DE QUÍMICA. 1 Introdução. Na escola dedicada ao ensino técnico profissionalizante, encontram se vários laboratórios para diversas áreas

Leia mais