ORIENTAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO"

Transcrição

1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO CONSTRUÇÃO DE REDES POR TERCEIROS MANUAL DO CONSTRUTOR EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 1 / 50

2 A P R E S E N T A Ç Ã O A presente instrução normativa foi elaborada para orientar as Empreiteiras de Construções de Redes, Prefeituras, Incorporadoras, etc., no sentido de melhorar a qualidade das redes de distribuição e dar melhores condições de atendimento aos clientes. Este novo procedimento visa, entre outros motivos, conferir uma maior agilidade no atendimento ao cliente. Esta instrução normaliza os serviços executados por terceiros nas redes e ramais de distribuição que são interligados ao sistema da REDE - CELTINS, visando reduzir o nível de defeitos causados e aumentando a confiabilidade e a segurança das redes construídas. Palmas, Agosto de Claudinei Crepaldi Departamento de Planejamento e Engenharia Alexandre Lazarin Demarco Departamento de Planejamento e Engenharia Herivelto Calles Louzada Superintendente de Engenharia EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 2 / 50

3 SUMÁRIO Objetivo Campo de Aplicação Normas e/ou Documentos Complementares Requisitos Básicos Condições Gerais Anexos EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 3 / 50

4 1 OBJETIVO Esta instrução normativa objetiva informar e orientar nos procedimentos a serem adotados na construção de redes particulares, situadas em vias públicas ou rurais, e todo o processo de energização e eventual doação da rede à REDE - Celtins. O objetivo final é que o interessado na obra de eletrificação contrate diretamente com empresas cadastradas e especializadas em topografia, projetos e construção de redes elétricas, com observância dos padrões técnicos da REDE - Celtins. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Esta instrução aplica-se às Empreiteiras de Construção de Redes, Prefeituras, Incorporadoras, Agentes Financeiros e consumidores em geral que estejam interessados em obra de eletrificação. 3 NORMAS E/OU DOCUMENTOS COMPLEMENTARES Na aplicação desta norma é necessário consultar as seguintes normas: 3.1 Normas da REDE - CELTINS: -Materiais padronizados da distribuição; - Montagem de redes aéreas de distribuição com postes de concreto duplo T tensões 13,8 e 34,5 KV; - Critérios básicos para projetos de redes aéreas de distribuição; - Fornecimento de energia elétrica em tensão primária de distribuição 13,8 KV; - Fornecimento de energia elétrica em tensão primária de distribuição 34,5 KV; - Montagem de redes aéreas de distribuição rural trifásica poste concreto duplo T 13,8 e 34,5 KV; - Critérios básicos para projetos de redes aéreas de distribuição rural; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 4 / 50

5 3.2 Normas da ABNT -NBR 5422 Projetos de linhas aéreas de transmissão de energia elétrica; - NBR 5433 Redes de distribuição aérea rural de energia elétrica Padronização; - NBR 5434 Redes de distribuição aérea urbana de energia elétrica Padronização. 4 REQUISITOS BÁSICOS 4.1 As empresas aptas a elaborar levantamento topográficos, projetos e construção de redes de distribuição deverão estar previamente cadastradas na REDE - CELTINS para prestação de serviços em Redes de Distribuição. 4.2 Os materiais a serem fornecidos pela empresa construtora, para aplicação na obra, deverão observar rigorosamente as especificações e padrões da REDE - Celtins, devendo ainda serem adquiridos de fabricantes cadastrados, conforme lista constante no ANEXO VIII, a qual será atualizada trimestralmente. 4.3 Os projetos deverão ser elaborados em rigorosa conformidade com os padrões da REDE - CELTINS. 4.4 Quando a rede for em via pública urbana, a doação da rede à REDE - CELTINS será obrigatória, conforme ANEXO XI. 5 CONDIÇÕES GERAIS 5.1 Do Cadastramento Os candidatos ao cadastramento deverão atender aos requisitos mínimos exigidos para habilitação, conforme relação existente na Coordenação de Investimento da REDE- Celtins. As empresas cadastradas estarão habilitadas a executar projetos e obras de redes de distribuição para terceiros, observando o disposto nos documentos técnicos do item 3, que poderão ser adquiridos junto às agências comerciais ou diretamente nas áreas técnicas das regionais da REDE - CELTINS. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 5 / 50

6 Este procedimento de construção somente se aplica a extensões de redes que não impliquem em desligamento, ou extensão ou melhoramentos que resultem em desligamento único e exclusivamente da unidade consumidora do cliente interessado. A intervenção no sistema elétrico somente poderá ser efetuado por prepostos da REDE - Celtins. O prazo de validade do cadastro é de 01(um) ano. 5.2 Dos Procedimentos Contratação: O cliente que optar pelo atendimento de sua(s) obra(s) pelo sistema de construção de redes por terceiros, negocia a contratação do levantamento topográfico, projeto e construção com uma empreiteira escolhida dentre as cadastradas, outorgando procuração a mesma para tratar da aprovação do projeto junto à REDE - Celtins. A empresa contratada, antes de iniciar o projeto, deverá verificar junto à REDE - CELTINS se existe disponibilidade de energia, através da carta modelo constante no ANEXO I; de posse da carta resposta à solicitação de disponibilidade de energia, conforme modelos constantes nos ANEXOS I, II ou III, a empresa contratada deverá providenciar toda a documentação necessária incluindo as autorizações de passagem ( ANEXO XX) quando a rede passar por terrenos particulares, inclusive a do próprio cliente para derivações de novos consumidores( ANEXO XXI). Devera ser apresentado o licenciamento ambiental (Licença previa, Licença de Instalação e autorização para supressão de vegetação) ou parecer técnico do órgão competente informando que a obra não necessita de licenciamento e deverão ser também apresentadas as aprovações de travessia, quando a rede necessitar de cruzar via pública, estradas de rodagens Estaduais, Federais, Rios, Linhas de transmissão, etc.. Estas autorizações, quando necessárias, deverão ser fornecidas pelos órgãos competentes(dnit, DERTINS, CAPITANIA DOS PORTOS, ELETRONORTE, FURNAS, ETC.). O projeto deverá ser apresentado para aprovação da REDE - Celtins mediante Solicitação de Aprovação de Projeto (ANEXO IV). Aprovado o projeto a REDE - Celtins emitirá Carta de Aprovação de Projeto (ANEXO V), com as informações necessárias à construção. O projeto deve ser composto de: -Anotação de Responsabilidade Técnica do Projeto (ART); - Quatro (04) cópias do projeto; - Memorial descritivo do projeto; - Memorial de cálculo do projeto; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 6 / 50

7 - Memorial de cálculo da malha de aterramento na área rural; - Croqui de situação; - Relação de materiais, por tipo(modelo/referência) e fabricante; - Licenciamento ambiental (quando aplicável); - Autorizações de passagens e travessia(quando aplicável); - Aceitação da prefeitura da instalação e consumo da rede de iluminação pública( quando aplicável); - Autorização municipal em conformidade com a lei de uso do solo( quando aplicável); - Autorização para derivação de novos consumidores; - Termo de manutenção de rede ou Termo de Manutenção de Rede e Responsabilidade Civil pela ocupação e travessia de faixa de domínio Validade do Projeto O projeto aprovado terá validade de 12(doze) meses Dos Materiais A REDE - Celtins se reserva ao direito de inspecionar os materiais em depósito, na obra, antes ou após a sua aplicação. Caso seja detectado qualquer tipo de falha nos materiais, a empresa será advertida e será obrigada a corrigir/substituir os itens rejeitados, bem como o pagamento dos custos dos ensaios. Em caso de reincidência a empresa será suspensa do cadastro por 90(noventa) dias, e, em caso de uma segunda reincidência, a empresa será excluída do cadastro da REDE - Celtins. Caso os ensaios sejam solicitados pela REDE - Celtins, a empresa construtora deverá enviar uma listagem completa contendo as seguintes informações: -Descrição do material; - Quantidade de cada item; - Referência Comercial( marca/modelo); - Fabricante; - Local onde se encontram Garantia dos Materiais Empregados A concordância da REDE - Celtins para a utilização dos materiais não exime a empresa construtora da responsabilidade, qualidade, segurança e garantia dos mesmos, quando instalados na rede. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 7 / 50

8 Todos os materiais, após aplicados, deverão ser garantidos por um período mínimo, conforme Termo de Garantia ( ANEXO VI). No caso de eventual defeito por falha do material, no período de garantia, a REDE - Celtins providenciará a normalização do sistema, cobrando da empresa construtora os custos relativos ao material, mão-de-obra e deslocamento de pessoal, com base nos valores de custos de distribuição, atualizados até a data do efetivo pagamento. Para possibilitar a identificação do construtor, deverá ser pintado nos postes o número do projeto aprovado, na cor preta, gabarito 40 x 20 cm, na altura de 4,5 metros do engastamento do poste Informações Importantes Para transformadores de distribuição, independente de quem realiza os ensaios, a empresa contratada deverá sempre apresentar os ensaios de rotina realizados pelo fabricante do transformador. Os relatórios de ensaios de recebimento deverão ser conforme a seguir indicado: -Laboratório do Fabricante assinado por inspetor credenciado; NOTA: - Laboratório Idôneo(de fé publica ou certificado) assinado pelo responsável; - Laboratórios Credenciados na REDE - Celtins assinado pelo responsável; - Laboratório da REDE - Celtins assinado por técnico da REDE - Celtins; Exemplo de laboratórios idôneos: LAC(Curitiba), IEL(São Paulo),CEPEL(Rio de Janeiro), UFCG(Paraíba) e USP(São Paulo) Do Comissionamento A regularização da obra será providenciada para que a rede possa ser liberada para energização, após aprovação do comissionamento. Durante o período de construção da rede, a REDE - Celtins se reserva o direito de efetuar a fiscalização, sempre que entender necessário. Após conclusão dos serviços a empresa responsável pela obra emitirá um documento de conclusão onde constará Termo de Garantia -ANEXO VI e Relação de Materiais Por Fabricante empregados na obra ANEXO IX. Ao final da construção a empresa deverá emitir para a REDE - Celtins o Pedido de Comissionamento - ANEXO XII. Este pedido deverá ser emitido com uma antecedência mínima de 10(dez) dias da data prevista para sua realização. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 8 / 50

9 A REDE - Celtins procederá o devido comissionamento da rede, emitindo no final do mesmo um relatório com eventuais irregularidades encontradas, conforme modelo Relatório de Comissionamento ANEXO XV. De posse do relatório de comissionamento devidamente aprovado, o interessado solicitará a interligação da rede recém- construída ao sistema elétrico da REDE - Celtins, quando será avaliada a conveniência da incorporação da rede ao patrimônio da REDE - Celtins, conforme Instrução de Serviço para Incorporação por Doação de Redes Novas Construídas por Terceiros - ANEXO X. Após assinatura do contrato, por ambas as partes, será autorizada a energização da rede. Caso a doação não seja de interesse da REDE - Celtins, a energização se dará após a emissão do Relatório e Comissionamento de Obra (ANEXO XV), aprovado. 6 ANEXOS ANEXO I ANEXO II Carta para Solicitação de Disponibilidade de Energia Carta Resposta de Disponibilidade de Energia sem Restrição ANEXO III Carta Resposta Disponibilidade de Energia com restrição Pedido para Trafo > 75 KVA ANEXO IV ANEXO V ANEXO VI ANEXO VII ANEXO VIII ANEXO IX ANEXO X ANEXO XI ANEXO XII ANEXO XIII Solicitação de Aprovação de Projeto Carta de Aprovação do Projeto Termo de Garantia Termo de Compromisso Relação de Fabricantes Cadastrados por Classe de Material Relação de Materiais, por Fabricantes, Empregados na Obra Instrução de Serviço para Incorporação por Doação de Redes Novas Construídas por Terceiros Contrato de Doação de Rede Elétrica que Celebram Pedido de Comissionamento Boletim de Inspeção de Material ANEXO XIV Orientação Técnica para Comissionamento de Obras ANEXO XV ANEXO XVI Relatório de Comissionamento de Obra Relatório de Documentos Constantes na Pasta do Processo de Doação de Redes EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 9 / 50

10 ANEXO XVII Solicitação de Fiscalização de Obra ANEXO XVIII Termo de Manutenção de Rede ANEXO IXX Termo de Manutenção de Rede e Responsabilidade Civil pela Ocupação e Travessia De Faixa de Domínio ANEXO XX Autorização de Passagem ANEXO XXI Autorização para Derivação de Novos Consumidores. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 10 / 50

11 ANEXO I MODELO DE CARTA PARA SOLICITAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ENERGIA Local e data À REDE - CELTINS Regional de... Assunto: Disponibilidade de Energia. Solicito informar se existe Disponibilidade de Energia na área...(urbana ou Rural)da Cidade de...para atender... consumidor(es), conforme qualificação e especificações técnicas apresentadas no Diagrama Unifilar anexo. Atenciosamente, Nome do Interessado: Responsável pelo Pedido: Telefone: EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 11 / 50

12 INTEGRANTE DO ANEXO I Apresentar DIAGRAMA UNIFILAR contendo as seguintes informações: 1 REDE EXISTENTE NA QUAL SE PRETENDE FAZER A LIGAÇÃO: - Número da estrutura da qual se fará a derivação(quando os postes forem numerados); - Coordenadas geográficas em UTM com a identificação do fuso; - Tensão de isolamento e de operação da rede e bitola do condutor no ponto onde será derivada a rede; - Nomes de pelo menos 2(dois) consumidores existentes ou próximos ao local onde se pretende ligar o ramal(ex.: nome do proprietário, nome da fazenda, sítio, industria, etc.) e seus respectivos códigos de identificação junto à REDE - Celtins (n.º. marcado na caixa de medição); - Distância aproximada dos consumidores vizinhos até o ponto de derivação; - Distância do ponto de derivação do ramal projetado até o final do ramal existente; - Código de identificação do consumidor se for para aumento da potência do transformador instalado; - Para ramais monofásicos: distância do ponto de derivação do ramal projetado até a linha trifásica existente. Indicação de todos os transformadores existentes, suas respectivas potências e os respectivos códigos de identificação junto à REDE - Celtins. 2 REDE A CONSTRUIR: - Localizar a propriedade que será atendida, com a respectiva distância até o ponto de derivação; - Cargas a serem instaladas em cada propriedade a ser ligada e a demanda prevista; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 12 / 50

13 - Bitola do condutor e tensão de isolação e operação; - Atividade a ser desenvolvida na propriedade; - Acesso rodoviário (Croqui de localização). ANEXO II MODELO DE CARTA RESPOSTA DISPONIBILIDADE SEM RESTRIÇÃO Local e Data Ilmo. Sr. Cidade-Estado Em atendimento à sua correspondência solicitando disponibilidade de energia, para uma carga de...kva, informamos que existe disponibilidade de energia elétrica para atendimento a... localizada na área...da cidade de... O prazo para a presente disponibilidade de fornecimento é de 03(três) meses e nesse período deverá ser apresentado o projeto executivo da obra de eletrificação, para análise de REDE - Celtins. Após a aprovação do projeto, a execução da obra deverá ficar a cargo de firma cadastrada na REDE - Celtins, concretizando-se a ligação no prazo máximo de 03(Três) meses. Isso não ocorrendo, nova análise de disponibilidade deverá ser solicitada à REDE - Celtins. Atenciosamente, Superintendente Regional EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 13 / 50

14 ANEXO III MODELO DE CARTA RESPOSTA DISPONIBILIDADE DE ENERGIA COM RESTRIÇÃO PEDIDO PARA TRAFO > 75 KVA Local e Data Carta n.º Ilmo. Sr. Cidade- estado Em atendimento à sua correspondência solicitando disponibilidade de energia para atendimento a... Temos as seguintes informações: 1)- A ligação poderá ser efetivada para um transformador de no máximo...kva, desde que não seja utilizada energia elétrica no horário compreendido entre 17h30min e 21h30min ( Horário de Ponta), pois, nesse horário o sistema elétrico da Região esta SOBRECARREGADO; 2)- Fora desse horário de ponta poderemos dispor de uma demanda equivalente ao transformador a ser instalado; 3)- Haverá necessidade de um CONTRATO DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA, entre a REDE - Celtins e a..., para isso solicitamos o preenchimento e devolução da planilha de dados enviada em anexo, informando também se a ligação será definitiva ou temporária; 4)- O prazo para a presente disponibilidade de fornecimento é de 03(três) meses, nesse período deverão ser apresentados, para análise da REDE - Celtins, os projetos executivos da rede de alta tensão e do posto de transformação; 5)- Após aprovação do projeto, a execução da obra deverá ficar a cargo de firma cadastrada na REDE - CELTINS, concretizando-se a ligação no prazo máximo de 03(três) meses. Isso não ocorrendo, nova análise de disponibilidade deverá ser solicitada à REDE - Celtins. Maiores informações contatar com o Gerente Técnico da Regional... pelo telefone... Atenciosamente, EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 14 / 50

15 Superintendente Regional ANEXO IV SOLICITAÇÃO DE APROVAÇÃO DE PROJETO Local e data À CIA. DE ENERGIA ELÉTRICA DO ESTADO DO TOCANTINS Celtins Superintendência Regional de... Cidade / Estado ASSUNTO : Aprovação de projeto. Eu, (nome do proprietário), domiciliado (endereço do proprietário), solicito a aprovação do projeto(descrição e localização do projeto). Seguem em anexo: - Quatro(04) cópias do projeto; - Memorial descritivo do projeto; - Memorial do cálculo do projeto; - Memorial de cálculo de aterramento(quando necessário); - Croqui de situação; - Relação de materiais com fabricantes e referência; - Procuração para o profissional ou empresa responsável; - Autorização de passagem; - Autorização de travessia(quando aplicável); - Licenciamento ambiental (quando aplicável); - Termo de aceitação da prefeitura da instalação e consumo da rede de iluminação pública; - ART do projeto; - Planta do loteamento aprovado pela Prefeitura(quando aplicável); - Carta de disponibilidade de energia(resposta); - Autorização para derivação de novos consumidores. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 15 / 50

16 Atenciosamente Nome: (nome do proprietário) CPF: (CPF do proprietário) ANEXO V CARTA DE APROVAÇÃO DO PROJETO Local e data CARTA N.º: Ilmo. Sr. Nome do proprietário Endereço do proprietário Cidade/Estado Assunto: APROVAÇÃO DO PROJETO... Em resposta a vossa carta datada de / / na qual solicita aprovação do projeto...(descrição do Projeto), para atender...(fazenda, industria, residência, etc.), estamos lhe devolvendo 04(quatro) vias do mesmo aprovado para construção, o qual deverá ser executado em até 12(doze) meses a partir da data de emissão desta carta. As informações necessárias para conclusão do processo de comissionamento e interligação da obra se encontram na norma técnica Construção de Redes por Terceiros. Para quaisquer outros esclarecimentos, procurar esta superintendência, ou através do telefone... Atenciosamente... EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 16 / 50

17 ANEXO VI TERMO DE GARANTIA Eu, ( nome do proprietário), atesto para os devidos fins que todo o material utilizado e constante da relação em anexo, está de acordo com as especificações solicitadas pela REDE - Celtins e constantes do projeto. Neste momento me comprometo, pelo prazo de 15(quinze) anos para os materiais em concreto, 10(dez) anos para os materiais em madeira e 2(dois) anos para os demais materiais, a efetuar as devidas substituições de quaisquer materiais ou equipamentos que esteja fora das especificações solicitadas e afirmadas em projeto, ou que venham a falhar nesse período, assumindo todo e qualquer ônus desta substituição. Local e data Nome: (nome do proprietário) CPF : (N.º do CPF do proprietário) EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 17 / 50

18 ANEXO VII TERMO DE COMPROMISSO Eu, (nome do proprietário), abaixo assinado, proprietário do imóvel rural denominado...situado no município de..., venho por meio deste ratificar o requerimento de eletrificação do referido imóvel, assumindo o compromisso de executar a troca dos equipamentos elétricos(transformador, pára-raios, chaves fusíveis, etc.) e instalar equipamento de proteção na Rede de Distribuição rural que serve a minha propriedade, às minhas custas e sem qualquer reclamação contra a REDE - Celtins, caso venha a ocorrer mudança na tensão de operação da Rede de...(nome da rede da REDE - Celtins), de 13,8 para 34,5 KV. Declaro ainda, que me responsabilizarei por eventuais despesas decorrentes da adaptação de minhas instalações elétricas, após o ponto de entrega de energia, em caso de necessidade de adaptação aos padrões vigentes da REDE - Celtins. Estou ciente e de acordo que as mudanças supra- citadas, poderão ocorrer a qualquer tempo, atendendo conveniências técnicas da REDE - Celtins. Local e data Assinatura do proprietário assinatura do cônjuge Nome: Nome: Testemunhas: 1- Assinatura 2 Assinatura Nome: Nome: RG: SSP/ RG: SSP Identificação do Proprietário Identificação da Propriedade Nome: Endereço: Telefone: CGC/CPF: Nome: Localização: Código do INCRA: Data: RG: EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 18 / 50

19 ANEXO XIII RELAÇÃO DE FABRICANTES CADASTRADOS POR CLASSE DE MATERIAL 1 FERRAGENS EM FERAL, EM AÇO GALVANIZADO a) Fabricantes: FORJASUL, ROMANGOLE, MECRIL, JUMIL, ACEMIL e PLP; b) Materiais: afastador de armação secundária, armação secundária, arruela quadrada, chapa para estai, cinta para poste duplo T, haste de âncora, olhal para parafuso, parafuso, pino para isolador, porca quadrada sextavada, sapatilha, sela para cruzeta, mão francesa, suporte para transformador, suporte para pára-raios e ganho de suspensão. 2 FERRAGENS PREFORMADAS, ALÇA E EMENDA a) Fabricantes: PLP, RITZ, SADE, ETELCO e IBRAP; b) Materiais: alça preformado, laço preformado, emenda preformada e seccionador preformado. 3 CONDUTORES DE ALUMÍNIO a) Fabricantes: FICAP, ALCOA, FORUKAWA, ETELCO, PIRELLI, SIEMENS, ALCATEL, INBRAC e ALCAN; b) Materiais: cabo multiplexado, cabo nú CA, Fio nú CA, fita de proteção de alumínio. 4 CONDUTORES DE COBRE a) Fabricantes: ALCOA, SIEMENS, INDUSCABOS, PIRELLI, FURUKAWA, FICAP, ALCATEL, ROMANGOLE, HELFONT e FRENOFLEX; b) Materiais: cabo multiplexado, cabo de controle, fios e cabo isolados, fios e cabos nú. 5 BRAÇO PARA ILUMINAÇÃO a) Fabricantes: ILUMATIC, ROMANGOLE, SECCIONAL BRASIL S.A, LISY IND. e COMÉRCIO; b) Material: braço de iluminação. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 19 / 50

20 6 MATERIAL DE CONCRETO a) Fabricantes: consultar o site - Celtins/info_consultanormas.asp b) Materiais: postes de concreto (seção circular e duplo T), placa de concreto (tora). 7 CRUZETA DE CONCRETO a) Fabricantes: consultar o site b) Material: cruzeta concreto ( 90x90x2400mm). 8 TORA OU MOURÃO DE MADEIRA a) Fabricantes: TRAMASUL, CEIMA, UNIFOR e CONSTRUTIL; b) Material: tora ou mourão. 9 ISOLADORES DE PORCELANA a) Fabricantes: SANTA TEREZINHA, PORCELANA VERA CRUZ, SANTANA e GERMER S.A; b) Materiais: isolador de disco, isolador de pino e isolador roldana. 10 ISOLADORES DE VIDRO a) Fabricantes: ELETROVIDRO S.A, RAYCHEM, CERAMICA SANTANA, CERAMICA SÃO JOSÉ e ELETROMETARLUGICA; b) Materiais: isolador de pino e isolador de disco; 11 LUMINÁRIAS PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA a) Fabricantes: HELFONT, LINSA, ILUMATIC, PHILIPS, LUMIFLUOR e TECNOWATT; b) Materiais: luminárias externa aberta e luminária externa fechada. 12 REATOR PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA a) Fabricantes: INEPAR, INTRAL, HELFONT, LINSA, GE, ILUMATIC, PHILIPS e PETERCO; b) Materiais: reator para lâmpada vapor de mercúrio e vapor de sódio. 13 LÂMPADA PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA a) Fabricantes: PHILIPS, GE, OSTAM e SILVANIA; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 20 / 50

21 b) Materiais: lâmpadas vapor de sódio, lâmpadas mista e lâmpadas vapor de mercúrio. 14 RELÉS FOROELÉTRICOS a) Fabricantes: ILUMATIC, LINSA, HELFONT, TECNOWATT e STIELETRONICA; b) Materiais: relé fotoelétrico e base para relé fotoelétrico. 15 CHAVES FUSÍVEIS / SECCIONADORAS a) Fabricantes: LORENZETTI, INEPAR, MAURIZIO, DELMAR, AEL, STELETRONICA e S&C; b) Materiais: chave fusível, cartucho porta-fusível, seccionadora monopolar e chave religadora. 16 ELO FUSÍVEIS a) Fabricantes: INDEL e DELMAR; b) Material: elos fusíveis. 17 CONECTORES DE ALUMÍNIO E COBRE, EXCETO INPACTO a) Fabricantes: FORJASUL, DELTA, INTELLI, MAGNET, ELIND e FRAMATOME; b) Materiais: conector terminal, conector estribo, conector de aterramento e grampo de linha viva. 18 CONECTORES DE IMPACTO a) Fabricantes: AMP, INCESA, INTELLI, KRON, E FRAMATOME; b) Materiais: conector tipo cunha de impacto e conectores tipo cunha para ramal de serviço. 19 HASTE DE TERRA a) Fabricantes: COPPÉRCIO, INTELLI, INCESA, MAGNET e ÉRICO; b) Material: haste de aterramento de cobre ou cobreado. 20 PÁRA-RAIOS a) Fabricantes: AEL, LORENZETTI, DELMAR, INEPAR e BALESTRO; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 21 / 50

22 b) Materiais: pára-raios válvula 12kV, 10ka (ZnO ou SIC) e pára-raios válvula 30kV, 10ka(ZnO). 21 TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO a) Fabricantes: Todos, porém há necessidade de se fazer ensaios nos laboratórios credenciados pela REDE-Celtins; b) Material: transformadores de distribuição. 22 CHAVE MAGNÉTICA E IGNITOR a) Fabricantes: ILUMATIC, INEPAR, HELFONT, LINSA, PHILIPS e GE; b) Materiais: chave magnética e ignitor. 23 CAPACITOR a) Fabricantes: INDUCON, INEPAR e ABB; b) Material: capacitores de potência. 24 CARTUCHO PARA CONECTORES TIPO CUNHA a) Fabricantes: AMP, INSESA, KRON, INTELLI e FRAMATOME; b) Material: cartuchos vermelho, amarelo e verde. 25 INSTRUMENTOS INDICADORES a) Fabricantes: KRON, HARTMANN BRAUN, LIER e ENGRO; b) Materiais: voltímetro, amperímetro e waltímetro. 26 TRANSFOMADORES PARA INSTRUMENTOS a) Fabricantes: BALTEAU, MPE, IMG, HARTMANN BRANN, BALESTRO e SERTA; b) Materiais: transformadores de potencial TP e transformadores de correntes TC. 27 MUFLAS TERMINAIS E EMENDAS a) Fabricantes: FICAP, KIT, RAYCHEM, PIRELLI e 3M; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 22 / 50

23 b) Materiais: emenda a fita para condutores, emenda reta para condutores e terminações 12/20kV ou 20/35kV. ANEXO IX RELAÇÃO DE MATERIAIS POR FABRICANTES EMPREGADOS NA OBRA NOME DO FABRICANTE DESCRIÇÃO DO MATERIAL REFERÊNCIA OU MODELO EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 23 / 50

24 ANEXO X INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA INCORPORAÇÃO POR DOAÇÃO DE REDES NOVAS CONSTRUIDAS POR TERCEIROS ORGÃOS ENVOLVIDOS: DAC: Departamento de Atendimento ao Cliente. OBJETIVO: Estabelecer procedimentos para a incorporação por doação de redes novas construídas por terceiros em vias públicas ou áreas particulares. CONCEITUAÇÃO: Incorporação por doação é o ato de registrar a documentação da rede nova no Ativo Imobilizado da Empresa, não considerando esse Ativo para efeito de cálculo da tarifa. INFORMAÇÕES GERAIS: 1 Os critérios técnicos para construção de redes novas por terceiros, em vias públicas ou em áreas particulares, estão definidos na presente orientação técnica de distribuição; 2 Quando a rede situar-se em via pública urbana a doação à REDE - Celtins será obrigatória; 3 Quando a rede estiver localizada em área particular, a incorporação por doação será realizada desde que atenda aos requisitos técnicos da presente Orientação Técnica, seja do interesse do seu proprietário e da REDE - Celtins; 4 As redes devem satisfazer às condições específicas da localidade( nível de tensão primária/secundária, tipos de postes, tipo de condutores, etc.. PROCEDIMENTOS: 1 O Departamento de Projeto e Construção (DPC) são responsáveis por: EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 24 / 50

25 a) Elaborar orçamento da rede e fazer abertura e encerramento da Ordem de Imobilização(ODI); b) Promover as alterações cadastrais no gerenciamento de redes(sistel) e atualização do Diagrama Unifilar da localidade, após a efetivação da incorporação da rede de distribuição; 2 Para a efetiva incorporação da Rede de Distribuição, o proprietário deve apresentar a seguinte documentação e informações: a) Nome dos proprietários de terrenos atravessados pela rede, com as respectivas qualificações: e estado civil, cônjuge, profissão, CPF, endereço, denominação dos imóveis e da extensão das faixas de servidão dos trechos atravessando propriedades particulares e respectivas autorizações de passagens; b) Cópia dos respectivos documentos de propriedade dos imóveis atravessados pela rede ou autorização de passagem com firma reconhecida; c) Declaração da Prefeitura Municipal concordando em assumir as despesas com o consumo de energia elétrica da rede de iluminação pública, por ventura existente; d) Em se tratando de pessoa jurídica, apresentar ainda: - Contrato Social ou Estatuto; - Qualificação do representante legal (identidade, CPF, nacionalidade, estado civil e endereço completo. e) Em caso de pessoa física, apresentar também: - Procuração específica; - Qualificação completa; em caso de haver cônjuge, obtenção da assinatura deste no contrato; - Titularidade do imóvel onde se encontra a rede ou Certidão passada em Cartório comprovando o direito de propriedade; f) Em caso de poder público municipal, apresentar a Lei Municipal, aprovada pela Câmara de Vereadores, autorizando a doação. 3 O Atendimento da Agência providencia a assinatura, por parte da REDE - Celtins, do CONTRATO DE DOAÇÃO DE REDE ELÉTRICA(ANEXO XI), em 04(quatro) vias, com a seguinte destinação: - Proprietário; - Divisão de redes e linhas, 02 vias, sendo posteriormente uma via irá para a Contabilidade junto com o encerramento da ODI; - Arquivo de controle na Agência. 4 A doação da rede somente será efetivada após apresentação do Relatório de Comissionamento da Obra devidamente aprovado; EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 25 / 50

26 5 Após assinatura do ANEXO XI CONTRATO DE DOAÇÃO DE REDE ELÉTRICA pelo proprietário e representante legal da REDE - Celtins, fica estabelecida para efeito operacional a incorporação da rede ao patrimônio da Empresa; 6 O Departamento de Projeto e Construção providencia a abertura da Ordem de Imobilização e demais documentos exigidos pela Contabilidade, bem como o respectivo encerramento; 7 A energização da rede somente ocorrerá após assinatura do CONTRATO DE DOAÇÃO DE REDE ELÉTRICA; 8 A aprovação do Contrato de doação deverá ser feita pelo Diretor Superintendente Geral. EMISSÃO: REVISÃO: Junho/09 FOLHA : 26 / 50

ORIENTAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ORIENTAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO CONSTRUÇÃO DE REDES POR TERCEIROS MANUAL DO CONSTRUTOR EMISSÃO: REVISÃO: novembro 2014 FOLHA : 1 / 45 A P R E S E N T A Ç Ã O A presente instrução normativa foi elaborada

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL T Í T U L O ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA R3 DCMD 01/09/2014 01/10/2014 CONTROLE DE REVISÃO Data Responsáveis Descrição 01/09/2014 R3 Elaboração: Eng. Alberto J.

Leia mais

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A descrição das atividades tem como propósito facilitar o relacionamento entre a CONTRATANTE e a CONTRATADA, na medida em que visa

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Foram alterados os Modelos dos Contratos dos Anexos I e II

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Foram alterados os Modelos dos Contratos dos Anexos I e II Incorporação de Redes Particulares de Distribuição de Energia Elétrica Processo Planejar, Ampliar e Melhorar o Sistema Elétrico Atividade Planejar o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR01.01-00.001

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares Check-List Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Diretoria de Serviços Operacionais 1. RESUMO Relação de documentos

Leia mais

NT - CRITÉRIOS PARA PROJETOS DE REDES E LINHA AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO IT - APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO E SUBESTAÇÃO REBAIXADORA

NT - CRITÉRIOS PARA PROJETOS DE REDES E LINHA AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO IT - APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO E SUBESTAÇÃO REBAIXADORA Página 1 de 1. OBJETIVO 2. ÂMBO DE APLICAÇÃO 3. NORMAS E/OU DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. ANEXOS 6. VIGÊNCIA. APROVAÇÃO Página 2 de 1. OBJETIVO Esta norma estabelece as condições exigíveis

Leia mais

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ES.DT.PDN.03.05.001 PROJETO E CONSTRUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO POR TERCEIRO 01

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ES.DT.PDN.03.05.001 PROJETO E CONSTRUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO POR TERCEIRO 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.03.05.001 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3

Leia mais

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.007 CONSTRUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO POR TERCEIRO 01

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.007 CONSTRUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO POR TERCEIRO 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.007 01 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA - ES SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. APLICAÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS

Leia mais

Submódulo 12.3. Manutenção do sistema de medição para faturamento

Submódulo 12.3. Manutenção do sistema de medição para faturamento Submódulo 12.3 Manutenção do sistema de medição para faturamento Rev. Nº. 0 1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Atendimento à Resolução

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS, LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da realização dos serviços 03 5.2. Condições

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES NTD-22 CONTROLE DE VERSÕES NTD 22- REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES Nº.: DATA VERSÃO 01 04/2010 Original INDICE

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição com Processo Atividade Realizar Novas Ligações Executar Ligação AT Código Edição Data SM04.08-00.005 2ª Folha 1 DE 10 11/11/2010 HISTÓRICO

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL PROCEDIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº R0 DATA DATA DA VIGÊNCIA 15/07/2013 Histórico de Revisões Revisão Alterações Data R0 - Versão Inicial. 21/06/2013 Página 2 de 10 1. ENCAMINHAMENTO Para apresentação

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA EXECUÇÃO DE EXTENSÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDER A ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE PORTO ALEGRE 1. GENERALIDADES O

Leia mais

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa.

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa. O SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO, COM OPERAÇÃO Processo: PROJETO E CONSTRUÇÃO Subprocesso: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR PCI.00.05 1/9 Primeira 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios e requisitos necessários

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO E-62.014

ESPECIFICAÇÃO E-62.014 ESPECIFICAÇÃO E-62.014 Transformador de Corrente com Tensão Igual ou Superior a 69 kv Processo: Medição e Perdas Versão: 0.0 Início de Vigência: 30-01-2014 Órgão de Origem: Divisão de Medição e Proteção

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 450 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 800 450 450 11 metros = 1700 12 metros = 1800 11 ou 12 metros 100 11 metros = 1300 12

Leia mais

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins.

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins. NT 6.010 Requisitos Mínimos Para Interligação de Gerador de Consumidor Secundário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FERRAGENS E ACESSÓRIOS. LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25522

ESPECIFICAÇÃO DE FERRAGENS E ACESSÓRIOS. LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25522 DIRETORIA TECNICA DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DIVISÃO DE LINHAS ESPECIFICAÇÃO DE FERRAGENS E ACESSÓRIOS LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25522

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJETIVO 03 2. ÂMBITO 03 3. CONCEITOS 03 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 5.1. Condições de Serviços 04 5.2. Identificação dos transformadores 04 5.3.

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

AS NORMAS ABNT. ABNT NBR IEC 60335-2-76 Trata especificamente sobre equipamentos eletrificadores de cercas. Foi publicada em 03/12/2007

AS NORMAS ABNT. ABNT NBR IEC 60335-2-76 Trata especificamente sobre equipamentos eletrificadores de cercas. Foi publicada em 03/12/2007 AS NORMAS ABNT INTRODUÇÃO ABNT NBR IEC 60335-2-76 Trata especificamente sobre equipamentos eletrificadores de cercas. Foi publicada em 03/12/2007 NBR NM-IEC 335-1 Trata sobre a segurança de equipamentos

Leia mais

- verificar a adequação de novos sistemas e a precisão dos seus projetos;. - detectar as alterações naturais ou provocadas em sistemas existentes;

- verificar a adequação de novos sistemas e a precisão dos seus projetos;. - detectar as alterações naturais ou provocadas em sistemas existentes; 1. OBJETIVO Estabelecer os procedimentos a serem seguidos nas medições das resistências de sistemas de aterramento instalados na rede de distribuição. Essas medições são necessárias para: - verificar a

Leia mais

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV ELABORADO

Leia mais

MICROGERAÇÃO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUIDA

MICROGERAÇÃO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUIDA MICROGERAÇÃO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUIDA Versão: 01 Data: 12/01/2013 SUMÁRIO 1. Objetivo 03 2. Normas e Regulamentos Complementares 03 3. Definições 04 3.1. Acesso 04 3.2 Acordo Operativo 04 3.3. Condições

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos Instalação de Banco de Capacitores em Baixa Tensão Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligações BT Código Edição Data SM04.14-01.008 2ª Folha 1 DE 9 26/10/2009 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA NTD-14 NTD 14 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA CONTROLE DE VERSÕES NTD-14 - MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Nº.: DATA VERSÃO 1 13/07/4 0 2 03/9 1 NTD 14 MONTAGEM

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL PROCEDIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº R1 DATA DATA DA VIGÊNCIA 15/07/2013 Histórico de Revisões Revisão Alterações Data R0 - Versão Inicial. 21/06/2013 R1 - Acrescentado Medição Agrupada, Cabinas e Postos

Leia mais

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO TECNOLOGIA, QUALIDADE E ENERGIA A SERVIÇO DA ECONOMIA. Engelétrica Indústria, Comércio e Serviços Elétricos Ltda. Rua Xavier da Rocha, 10 Vila Prudente

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 13/08/2007 Inclusão dos itens 4.9, 4.10 e substituição do ANEXO III e IV.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 13/08/2007 Inclusão dos itens 4.9, 4.10 e substituição do ANEXO III e IV. Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição, com Processo Atendimento aos Clientes Atividade Código Edição Data SM01.00-00.007 7ª Folha 1 DE 15 21/07/2010 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 12/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Informações ENE065 http://www.ufjf.br/ivo_junior/ ENE065_NOTURNO Generalidades Sistema Elétrico de Potência

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda.

Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda. Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda. NORMA PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA REDE DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA BT MULTIPLEXADA 1ª edição Versão 1.0 out/09 [Digite texto] MEDIDAS DE CONTROLE Revisão:

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-17/09/2012 22/10/2012 ENGENHARIA E SISTEMAS TÉCNICOS (DTES-ES) APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI (DTES-ES) SUMÁRIO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-313.0002 PROCEDIMENTOS PARA

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice:

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice: MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI Índice: 1 - Generalidades 2 - Rede aérea de Alta Tensão 3 - Rede Secundária 4 - Aterramentos 5 - Posto de Transformação

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

Número: TERMO DE REFERÊNCIA PRL 001/2012. Data: PRL Gerência do Programa Luz para Todos 26/01/2012 1.0 - OBJETO/FINALIDADE:

Número: TERMO DE REFERÊNCIA PRL 001/2012. Data: PRL Gerência do Programa Luz para Todos 26/01/2012 1.0 - OBJETO/FINALIDADE: 1.0 - OBJETO/FINALIDADE: Aquisição de 7.812 Unidades de Medição Eletrônica de Energia Elétrica, 1 elemento, 1 fase, 3 fios, 240V e 15(100)A para implantação em padrões de entrada de unidades consumidoras

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 4 NOTA TÉCNICA 6.008 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA COM INTERRUPÇÃO

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 49

COMUNICADO TÉCNICO Nº 49 Página 1 de 13 COMUNICADO TÉCNICO Nº 49 PADRÃO DE ENTRADA INDIVIDUAL ECONÔMICO COM POSTE DE AÇO E CAIXA DE POLICARBONATO TIPO PP Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

INTENÇÃO DE CONTRATAÇÃO ISGH / 2014 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM EQUIPAMENTOS

INTENÇÃO DE CONTRATAÇÃO ISGH / 2014 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM EQUIPAMENTOS INTENÇÃO DE CONTRATAÇÃO ISGH / 2014 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM EQUIPAMENTOS O Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar/ISGH, Organização Social administradora do Hospital

Leia mais

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D

Leia mais

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO.

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. Introdução A energia elétrica que alimenta as indústrias, comércio e nossos lares é gerada principalmente em usinas hidrelétricas, onde a passagem

Leia mais

ETEM 41. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE TRANSFORMADORES DE POTENCIAL COM TENSÃO MÁXIMA IGUAL OU SUPERIOR A 69 kv Revisão, 2 de setembro de 2011

ETEM 41. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE TRANSFORMADORES DE POTENCIAL COM TENSÃO MÁXIMA IGUAL OU SUPERIOR A 69 kv Revisão, 2 de setembro de 2011 ETEM 41 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE TRANSFORMADORES DE POTENCIAL COM TENSÃO MÁXIMA IGUAL OU SUPERIOR A 69 kv Revisão, 2 de setembro de 2011 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...4 1.1 TABELAS DE CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS GARANTIDAS...4

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MANUTENÇÃO CORRIVA EM TRANSFORMADORES DE SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 02 5.1. Local da Realização dos Serviços

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA /2010 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica R substitui a R02 e visa estabelecer instruções técnicas para

Leia mais

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador.

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador. CAPÍTULO 8 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS 8.1 CONCEITO O transformador, representado esquematicamente na Figura 8.1, é um aparelho estático que transporta energia elétrica, por indução eletromagnética, do primário

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS NTC - 001 NORMA DE COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS NTC - 001 NORMA DE COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS NTC - 001 NORMA DE COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA Outubro 2008 Companhia Energética de Alagoas-CEAL Superintendência de Projetos e Obras-SPP Gerencia de Projetos e Obras

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA INDICE 1- OBJETIVO...

Leia mais

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013 GÃO ELETRONICO 000/0 999/0 0/0/0 MESES ATÉ 0/0/ JOÃO DE BARRO COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA - ME FORNECIMENTO DE RECARGAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO GLP, EM RECIPIENTES (BOTIJAS) DE CAPACIDADE KG E 0KG.9,00.9,00

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 41 De acordo com a NBR 5410, em algumas situações é recomendada a omissão da proteção contra sobrecargas. Dentre estas situações estão, EXCETO: a) Circuitos de comando.

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 9 Divisão da Instalação em Circuitos Porto Alegre - 2012 Tópicos Quadros de distribuição Disjuntores Divisão da instalação elétrica

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822 LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA N O 21/2015 1. Informações gerais sobre o local da vistoria: Imóvel sito a rua Jornalista Irineu Marinho nº 441 Icaraí Niterói RJ Nome do Condomínio: Edifício Luanda CNPJ/MP:

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO

LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO ELETRIFICADOR DE CERCA EC- rural MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO Esta página foi intencionalmente deixada em branco. CUIDADOS NA INSTALAÇÃO

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estrutura CE2H TR (2º Nível) Poste de Concreto de Seção Circular 7. Estrutura CE2H

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

NTD-12 MONTAGEM DE REDES AÉREAS SECUNDÁRIAS ISOLADAS COM CABOS MULTIPLEXADOS

NTD-12 MONTAGEM DE REDES AÉREAS SECUNDÁRIAS ISOLADAS COM CABOS MULTIPLEXADOS NTD-1 APRESENTAÇÃO 4 1. OBJETIVO 5. AMPLITUDE 5 3. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO 5 4. CONCEITUAÇÃO 5 4.1. REDE DE DISTRIBUIÇÃO 5 4.. REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA RDU 5 4.3. REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0022 CRUZETAS DE CONCRETO ARMADO

Leia mais

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 30 / 08 / 2012 1 de 19 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 4.1 Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT... 3 4.2 Agência Nacional de Energia

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO INSTRUÇÃO DE CÓDIGO TÍTULO VERSÃO IT.DT.PDN.03.14.011 INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3

Leia mais

ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO ANEXO III 1. ATIVIDADES DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA (FATORES BÁSICOS GLOBAIS) Poste a Instalar Completo: Corresponde à instalação de um poste equipado, podendo incluir

Leia mais

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha Isolantes de Índice Instruções Gerais EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) 5 8 Luvas Isolantes de Borracha 10 Mangas Isolantes de Borracha 12 EPC s (Equipamentos de Proteção Coletiva) 14 Manta Isolante

Leia mais

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de trabalho de Meio Ambiente

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de trabalho de Meio Ambiente Histórico de Alterações Nº de Revisão Data de Revisão Alteração Efetuada 1-Foi incluída no item 2.REFERENCIAS, a citação à PGR-4.3.2. 2-Foi alterado o texto do item 3, onde foi referenciada a definição

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.04.03 REDE MULTIPLEXADA BT - CONSTRUÇÃO

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.04.03 REDE MULTIPLEXADA BT - CONSTRUÇÃO Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Condições Gerais 5. Requisitos Ambientais 6. Lançamento de Condutores 7. Fixação Definitiva do Condutor 8. Identificação de Fases

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/01/2013 29/01/2013 APROVADO POR SEBASTIÃO J. SANTOLIN - DTES- SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais