N.º 35-3.º Trimestre de 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "N.º 35-3.º Trimestre de 2010"

Transcrição

1 GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu N.º 35-3.º Trimestre de CENFIM - Novos desafios 4 Decorridos os primeiros 25 anos de história do CENFIM, é com o maior orgulho que todas as pessoas, empresas e instituições que têm contribuído para a consolidação deste verdadeiro caso de sucesso se associam à comemoração de tão importante efeméride O CENFIM é hoje uma referência de qualidade e excelência no domínio da formação e qualificação em Portugal. E é igualmente um verdadeiro cúmplice das empresas do sector metalúrgico e metalomecânico no esforço de qualificação dos respectivos colaboradores. O sucesso destes 25 anos de actividade não pode porém inebriar-nos. Não obstante a excelência dos resultados atingidos e o cumprimento dos objectivos a que se propôs, o CENFIM não pode deixar cristalizar-se Para poder ser útil às empresas e consequente para a economia, uma instituição com as características e as responsabilidades do CENFIM tem de submeter-se a um esforço sistemático de inovação. Numa palavra, deve a cada momento saber reinventar-se. O que foi efectuado é perfeito. Mas o que falta fazer é seguramente o mais importante Os novos desafios do CENFIM deverão corresponder àqueles que são os desafios das empresas do sector metalúrgico e metalomecânico. Nesse sentido, a formação ministrada pelo CENFIM deverá tender a converter-se em instrumentos a que as empresas poderão recorrer para viabilização do cumprimento dos seus objectivos e satisfação das suas necessidades. A internacionalização das empresas portuguesas constitui hoje um verdadeiro desígnio nacional. A grande prioridade do país é a de aumentar as exportações É sabido que as empresas têm feito um enorme esforço nesse domínio. Precisam no entanto de adquirir e/ou aperfeiçoar as suas próprias competências em tal âmbito. O CENFIM pode e deve pois apetrechar-se dos meios e instrumentos indispensáveis para ajudar as empresas a serem mais eficazes no domínio da internacionalização, contribuindo para uma melhor qualificação dos recursos humanos nessa área. A inovação é igualmente um eixo fundamental para o sucesso das empresas portuguesas. Apenas com um investimento contínuo na inovação aos mais diversos níveis, poderão empresas de um país como Portugal ser competitivas nos mercados globais. continua na pág. 2

2 Nesse âmbito, para além do mais, é fundamental redefinir o conceito de inovação, adaptando-o à realidade das PME. Não tenho dúvidas de que o CENFIM é a entidade ideal para efectuar esse trabalho. Finalmente, é sabido que, cada vez mais, os empresários portugueses sentem necessidade de acções de formação que lhes sejam especificamente dirigidas. Naturalmente esperam do CENFIM a disponibilização crescente desse serviço. Estas serão três áreas em que o CENFIM poderá e deverá investir ao longo dos próximos anos. São desafios a que o CENFIM deverá responder. As empresas do sector estão obviamente disponíveis para colaborar. E estão além disso absolutamente interessadas. Faltará apenas que o Estado cumpra igualmente as suas obrigações. Estamos certos de que assim sucederá e que nomeadamente através do IEFP continuará a acarinhar o CENFIM. Ainda assim, não posso deixar de sublinhar dois pontos que me parecem fundamentais quando se trata de avaliar qualquer política de formação. O primeiro passa por relembrar que as acções de formação profissional têm como principais utentes as próprias empresas. Nesse sentido, não faz qualquer sentido que a definição conceptual da formação e a respectiva gestão corrente não sejam de uma vez por todas confiadas às empresas e suas associações. O segundo é também o reforço de uma ideia em que as associações do sector têm insistido: a única formação profissional que serve as empresas e a economia é a formação substantiva. Quanto à importância da certificação formal de competências não obstante algumas virtualidades, terá de ser encarada como meramente residual. E é tempo de as prioridades serem revistas nesse âmbito pelo poder político. Aníbal Campos - Presidente da Direcção da AIMMAP - Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal. O CENFIM - Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica, procede regularmente à Aval iação Após Venda, e emite relatórios semestrais dando informação da monitorização após a frequência das acções de formação e empregabil idade. Podemos, assim, avaliar como as empresas e formandos, nossos cl ientes, passado um tempo que varia de três a doze meses, estão satisfeitos com a acção de formação frequentada e/ou da sua empregabil idade. É este um instrumento fundamental para a orientação estratégica e as melhorias concretas que se podem introduzir na organização ou nas nossas ações de formação. O último relatório de Maio de 2010, outro está a ser produzido, e relativo a 2009, refere um l igeiro decréscimo de respostas, mesmo assim obtendo 35%, num universo de 6003 inquéritos enviados, número estatist icamente correcto para aferir da val idade do estudo. Relativamente à classif icação das Ações de Formação obtivemos os seguintes resultados: Classificação das Acções: Excelente Muito Bom Bom Suficiente Insuficiente Formação Inicial Formação Contínua Formandos 67% 33% Empresas Formandos Empresas 5% 67% 37% 33% 44% 14% 4% 19% 46% 27% 4% Perguntados sobre melhorias a introduzir, foram recebidas 269 propostas, sendo 250 de formandos e 19 de empresas. Nestas são sugeridas as seguintes Sugestões, que, depois de anal isadas por cada Unidade Orgânica, são consideradas para a Melhoria. Sugestões de Melhoria Estrutura do curso Recursos técnicos e pedagógicos 16% Instalações e conforto Recrutamento e selecção Marketing Processos administrativos Outros Outros números podem ser fornecidos, como a opinião sobre os nossos serviços pelos formandos e empresas: FORMANDOS FORMANDOS Avaliação dos Nossos Serviços: Excelente Bom Suficiente Insuficiente Acompanhamento e colaboração prestados 51% 10% 10% 8% 3% 1% Instalações Instrumentos e pedagógicos equipamentos e didáticos Formação Inicial MBom 100% 33% 33% Excelente MBom Bom Suficiente Insuficiente 67% 67% 59% 40% 39% 41% 1% Formação Contínua 53% 6% 57% 4% 1% 2

3 Formação Inicial Formação Contínua Avaliação dos nossos serviços: EMPRESAS Excelente Bom Suficiente Insuficiente Acompanhamento e colaboração prestados Acompanhamento e colaboração prestados MBom 33% 67% 33% Importância se dá ao factor dos Programas, Conteúdos e Metodologias, com os seguintes resultados: 62% 4% 1% Pelo nosso estudo a empregabilidade, tendo em consideração os números já disponíveis de 2010, coloca-se no intervalo entre 80% a 90%, com tendência crescente (consideramos também empregabil idade os formandos que continuam a estudar, com números de 14% no global, e 69% em Cursos EFJ e CET). Como conclusões finais, do extenso relatório de 160 páginas, o CENFIM evidencia uma melhoria sustentável, f icando entre o Muito Bom e Bom, não desprezando o Excelente, que gradualmente tem vindo a diminuir conferindo maior credibil idade às respostas, e aproximando-se de uma curva estatística mais correta, prestando um serviço de qual idade e obtendo números notáveis na empregabil idade, nos casos em que é apl icada. Os serviços correspondem, assim como os formadores. É necessário, no entanto, um esforço mais concentrado, no tratamento das propostas de melhoria dos nossos cl ientes, onde, de facto, ainda não se atingiram números sat isfatórios. Os valores obtidos quanto à empregabil idade, considerando também os Cursos Educação e Formação de Jovens - EFJ e Cursos de Especial ização Tecnológica - CET tem tendência a aumentar, considerando os anos de 2004 a 2009, e têm a seguinte caracterização: O Animador do Processo de Aval iação - António Sá, tem seguido atentamente o percurso efectuado e incentivado este processo de recolha de dados, no sentido da noss a Política de Gestão, concernente à Melhoria Contínua. O CENFIM possui pessoal e instrumentos adequados para fornecer este serviço a qualquer organização, dadas quase duas décadas de experiência. Lurdes Gomes - Técnica Especial ista do DQASO Joaquim Armindo - Director do DQASO - Departamento da Qual idade, Ambiente e Segurança e Saúde Ocupacional Percentagem de empregabilidade FINAL ACÇÃO 72% 66% 82% 84% 67% 61% 6 MESES APÓS 41% 56% 91% 88% 80% 82% 1 ANO APÓS 25% 76% 89% 89% 81% 96% O CENFIM viu renovada a sua acredi-tação pela DGERT, desde 7 de Julho de 2010, em todos os domínios, a saber:. Diagnóstico de necessidades de formação;. Planeamento de intervenções ou actividades format ivas;. Concepção de intervenções, programas, instrumentos e suportes formativos;. Organização e promoção das intervenções ou actividades formativas;. Desenvolvimento/execução de intervenções ou actividades formativas;. Acompanhamento e Avaliação das intervenções ou actividades formativas;. Outras formas de intervenção. Destaca-se que pela primeira vez o CENFIM é acreditado no domínio de Outras formas de intervenção, ficando, assim, com acreditação total nos domínios. 3

4 A crença de que somos responsáveis pelo crescimento e melhoria da sociedade da qual fazemos parte, em todas as suas dimensões e, conscientes que esse crescimento e melhoria começam com o Conhecimento, é que nos motivam a compart ilhar a experiência adquirida na introdução de mudanças das atitudes de pessoas, através da assimilação de 5 conceitos simples, conhecidos como 5S. A Metodologia dos 5S ou Programa dos 5S, como também é conhecido, é um conjunto de cinco conceitos simples que, ao serem praticados, são capazes de modif icar o humor das pessoas, o ambiente de trabalho, a maneira de conduzir as act ividades rotineiras e as suas at itudes no dia-a-dia. O termo 5S é derivado de cinco palavras japonesas, todas iniciadas com a letra S. Na interpretação dos ideogramas que representam essas palavras, do japonês para o inglês, conseguiu-se encontrar palavras que iniciavam com a letra S e que tinham um significado aproximado do original em japonês. Assim o CENFIM, após leitura de diversos art igos e elaboração e divulgação de uma brochura sobre o tema, em 2006, adoptou como palavras em português para a sua Metodologia:. 1ºS SEIRI - Sentido de Organização - classificar tudo e el iminar o que não é preciso, ou seja, ter somente o que é út il e na quantidade correcta ;. 2ºS SEITON - Sentido de Arrumação - um lugar para cada coisa e cada coisa no seu lugar ;. 3ºS SEISO - Sentido de Limpeza - a melhor l impeza é aquela que não precisamos l impar, ou seja, o ambiente mais l impo não é o que mais se l impa, mas sim o que menos se suja ;. 4ºS SEIKETSU - Sentido de Normal ização - adoptar boas práticas de trabal ho e reconhecer o que é preciso ser feito ;. 5ºS SHITSUKE - Sentido de Autodiscipl ina - manter tudo arrumado e organizado. O processo de implementação iniciou-se em Janeiro de 2009, com a primeira Acção de Sensibil ização aos colaboradores internos do Núcleo do Porto, tendo esta Unidade Orgânica aceite o difícil desafio de iniciar esta metodologia. Durante o primeiro semestre de 2010, outros Núcleos do CENFIM deram inicio ao processo, com a real ização de uma acção de Sensibil ização à Metodologia dos 5S aos seus colaboradores internos, pelo Departamento da Qualidade, Ambiente e Segurança e Saúde Ocupacional do CENFIM, que teve duração de 2 horas. Os Núcleos envolvidos foram os de Torres Vedras, Santarém e Trofa, que têm marcadas as suas primeiras verificações no 2º semestre do ano. Outras acções de sensibilização seguem-se no 2º semestre, nos Núcleo de Lisboa, Caldas da Rainha e Marinha Grande conforme planeado. Praticar os 5S, é prat icar "bons hábitos". Apesar da simplicidade dos conceitos e da facil idade de apl icação na prática, a sua implementação efectiva não const itui uma tarefa simples. Isto 5º S - SHITSUKE Sentido de Autodisciplina 4º S - SEIKETSU Sentido de Normalização 1º S - SEIRI Sentido de Organização 5S 3º S - SEISO Sentido de Limpeza 2º S - SEITON Sentido de Arrumação porque a essência dos conceitos é a promoção de mudança de atitudes e hábitos das pessoas. Hábitos e at itudes, construídos e incorporados pela convivência e experiência das pessoas ao longo de suas vidas. Ao tomarmos conhecimento desses conceitos, sentimo-nos seduzidos a iniciar já a sua implementação. Mas certamente, as atitudes e hábitos decorrentes da prát ica do 5S vão-se chocar com os nossos hábitos e atitudes incorporados na nossa maneira de ser e agir. É a dif iculdade de "romper" com os conceitos e pré-conceitos enraizados em todos nós. É preciso que seja criado um cl ima adequado e condições de alavancagem desta mudança. É preciso dar suporte àqueles que conseguem "romper" e ajudar aqueles que ainda não o fizeram. No entanto, a prát ica destes conceitos de maneira forçada, pode promover uma mudança apenas aparente, existente até que cesse a força que o impel iu a adoptar aquela atitude de falsa mudança. Assim a implementação e manutenção da Metodologia dos 5S precisa ser sistematizada e planeada em todos os passos, se quisermos garantir a longevidade da mudança incorporada pela adopção daqueles conceitos simples. A procura de procedimentos seguros conduz à elaboração de padrões operacionais ideais, o que é garantido quando os padrões operacionais são observados, constituindo, assim, uma boa ferramenta para obtenção de condições ambientais seguras, onde as pessoas podem exercer a sua função confortavelmente, além de constituir um instrumento poderoso de educação na adopção de atitudes pró-act ivas, na busca da melhoria do ambiente de trabalho e, consequente melhoria cont inua do sistema de gestão. O CENFIM pela sua prática está pronto a implementar a metodologia dos 5S, em qualquer empresa ou organização. Sílvia Soares - Coordenadora da Área da Segurança e Saúde do CENFIM 4

5 Ao longo dos anos de evolução na programação de máquinas CNC habituámo-nos a ver os operadores e programadores CNC usarem essencialmente dois métodos: a programação directa na máquina, util izando os ciclos fixos do comando ou, em maquinagem de formas mais complexas, o recurso aos diversos softwares de CAM (Computer Aided Manufacturing). Na programação de máquinas CNC não concordo que esta seja executada essencialmente por operadores pendurados no teclado da máquina, usando os ciclos fixos do comando, mas também não concordo que toda a programação tenha que ser feita através de softwares de CAM. Considero que existe uma terceira via, pouco util izada na indústria e pouco explorada nos diversos cursos de CNC que é a programação paramétrica. Neste tipo de programação é possível desenvolver programações dinâmicas, vivas, ou seja, o valor de uma coordenada X, Y ou Z ou o valor de um parâmetro tecnológico, Velocidade de Corte, Avanço ou Velocidade de Rotação passa a ser atribuída a um parâmetro apresentado no cabeçalho do programa, podendo ser alterado e modif icado sempre que a situação assim o exige. Se pretendermos optimizar um programa de CNC ou adaptá-lo para a maquinagem de outras formas devemos recorrer a parâmetros em que vejamos os seus valores serem alterados de forma dinâmica. Se, por exemplo, tivermos uma coordenada X+20 espalhada várias vezes ao longo de um programa e se tivermos que a alterar, teremos que percorrer todo o programa e efectuar as devidas alterações. Todos compreendemos que esta alteração será lenta e propicia a erros, mas se pelo contrário definirmos um parâmetro inicial, e tomando como exemplo para este o comando HEIDENHAIN, definimos no cabeçalho um parâmetro Q1 = +20, então sempre que eu necessitar de usar esse valor ao longo do programa usaremos o parâmetro Q1 e sempre que necessitarmos de alterar esse valor basta irmos ao cabeçalho do programa e alterarmos o valor para o valor pretendido. Não concebo que qualquer programa, feito manualmente, não use parâmetros, é essencial que isso aconteça para a sua organização ou optimização, seja qual for o comando usado. Na minha opinião, em qualquer programa de CNC adequa-se o uso de parâmetros, sempre que estivermos a d igitar um valor que consideramos que possa vir a ser alterado por uma qualquer razão, então definimos um parâmetro no cabeçal ho do programa com o valor pretendido e sempre que necessitarmos de o alterar ou optimizar faço-o num único local. O diálogo ente os comandos das máquinas e os operadores será cada vez mais evoluído, não deveremos ficar presos aos ciclos f ixos do próprio comando. Actualmente já dispomos no mercado de comandos que usam l inguagens de alto nível, à semelhança de qualquer l inguagem de programação usada em computador. As funções como IF, GOTO, FOR, WHILE, CASE, REPEAT, etc. estão já à muito tempo disponíveis em diversos comandos usados nas d iversas máquinas CNC. É muito importante que passemos a tirar part ido destas funções dinâmicas, em vez de optarmos constantemente por valores rígidos, de forma a podermos obter programas mais optimizados e d inâmicos para que os mesmos possam ser rapidamente adaptados para a maquinagem de outras peças. Um exemplo, porquê escrever várias vezes, ao longo de um programa CNC, uma velocidade de corte igual a 150m/min, e porque não definirmos um parâmetro no início do programa, exemplo Q2=150, e sempre que precisarmos de digitar esse valor colocamos somente Q2. Qual a vantagem disto? Outro exemplo, se por uma questão de optimização da maquinagem chegarmos à conclusão que o valor ideal da velocidade de corte é de 145 m/min, então é suficiente alterarmos o parâmetro usado para o valor de 145 m/min, ou seja, torna-se sem dúvida muito mais fácil a sua optimização. Resumindo é importante que comecemos a olhar para um programa de CNC como algo vivo, que podemos modificar e opt imizar com mais facil idade. Temos que sobretudo aumentar o nosso léxico de comunicação com as máquinas CNC, e isso só será possível com recurso a funções de programação de l inguagens de alto nível. Quando estiver a programar uma máquina de CNC e precisar, por exemplo, de digitar Z+2 para cota de segurança, porque não criar um parâmetro, por exemplo Q3, com o valor de 2. Depois, sempre que necessitar de alterar o posicionamento do plano de segurança de 2 para 1.5, basta chegar ao parâmetro e digitar o valor correcto. Os exemplos apresentados abaixo são demonstrativos do desbaste e do acabamento de uma cavidade semi-esférica com recurso a três estratégias diferentes, circular, radial e espiral para um comando HEIDENHAIN. São exemplos, que podem ser facilmente adaptados a diferentes t ipos de comandos, interessantes para a comparação entre as diferentes estratégias de acabamento no que concerne aos tempos de maquinagem e estados finais de acabamentos. 0 BEGIN PGM DESBASTE MM 1 BLK FORM 0.1 Z X+0 Y+0 Z-50 2 BLK FORM 0.2 X+100 Y+100 Z+0 3 TOOL CALL 17 Z S L M6 5 FN 0: Q1 = +50 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM XX 6 FN 0: Q2 = +50 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM YY 7 FN 0: Q3 = +0 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM ZZ 8 FN 0: Q4 = +40 ; RAIO DA ESFERA 9 FN 0: Q5 = +2 ; INCREMENTO 10 FN 0: Q6 = +0.2 ; SOBREESPESSURA PARA ACABAMENTO 11 FN 0: Q7 = +10 ; RAIO DA FRESA ESFÉRICA 12 FN 0: Q40 = FN 1: Q8 = +Q FN 2: Q20 = +Q4 - +Q6 15 CALL LBL 2 16 L M30 17 LBL 2 18 Q30 = SQRT ((Q20 * Q20) - (Q7 * Q7)) 19 FN 1: Q40 = +Q40 + +Q5 20 Q50 = SQRT ((Q20 * Q20) - (Q40 * Q40)) 21 FN 12: IF +Q40 LT +Q30 GOTO LBL 1 22 CALL LBL 3 23 LBL 0 24 LBL 1 Desbaste da cavidade semi-esférica 5

6 25 L X+Q1 Y+Q2 Z+Q8 F MAX M13 26 CYCL DEF 5.0 CAVIDADE CIRC. 27 CYCL DEF 5.1 DIST CYCL DEF 5.2 PROF. -Q5 29 CYCL DEF 5.3 INCR. Q5 F CYCL DEF 5.4 RAIO Q50 31 CYCL DEF 5.5 F600 DR+ 32 CYCL CALL 33 FN 2: Q8 = +Q8 - +Q5 34 FN 12: IF +Q40 LT +Q30 GOTO LBL 2 35 LBL 0 36 LBL 3 37 FN 2: Q40 = +Q40 - +Q5 38 FN 2: Q5 = +Q30 - +Q40 39 FN 2: Q40 = +Q Q50 = SQRT ((Q20 * Q20) - (Q40 * Q40)) 41 L X+Q1 Y+Q2 Z+Q8 F MAX M13 42 CYCL DEF 5.0 CAVIDADE CIRC 43 CYCL DEF 5.1 DIST CYCL DEF 5.2 PROF. -Q5 45 CYCL DEF 5.3 INCR. Q5 F CYCL DEF 5.4 RAIO Q50 47 CYCL DEF 5.5 F600 DR+ 48 CYCL CALL 49 L Z+100 F MAX 50 L M30 51 LBL 0 52 END PGM DESBASTE MM 11 FN 0: Q40 = +0 ; VALOR INCREMENTAL 12 CYCL DEF 7.0 PONTO ZERO 13 CYCL DEF 7.1 X+Q1 14 CYCL DEF 7.0 PONTO ZERO 15 CYCL DEF 7.1 Y+Q2 16 LBL 1 17 FN 0: Q60 = L Z+Q5 F MAX 19 L X-Q10 Y+0 F MAX M3 20 L Z-Q5 F CYCL DEF 10.0 ROTACAO 22 CYCL DEF 10.1 ROT+Q40 23 FN 1: Q40 = +Q CALL LBL 2 25 FN 12: IF +Q40 LT +180 GOTO LBL 1 26 L M30 27 LBL 0 28 LBL 2 29 CC X+0 Z-Q5 30 LP PR+Q10 PA-Q60 F FN 1: Q60 = +Q FN 12: IF +Q60 LT +270 GOTO LBL 2 33 LBL 0 34 END PGM ACABAMENTO MM Q10 Q60 Parâmetros usados Raio da esfera - Raio da ferramenta Ângulo do varrimento circular ZX Q40 Q8 Q20 Q50 Parâmetros usados Cota em ZZ da caixa cilíndrica a maquinar Cota de posicionamento em ZZ para a maquinação das caixas Raio da esfera - Sobreespessura para acabamento Raio das sucessivas caixas cilíndricas a maquinar Acabamento circular de uma cavidade semi-esférica Acabamento radial da cavidade semi-esférica 0 BEGIN PGM ACABAMENTO MM 1 BLK FORM 0.1 Z X+0 Y+0 Z-50 2 BLK FORM 0.2 X+100 Y+100 Z+0 3 TOOL CALL 16 Z S L M6 5 FN 0: Q1 = +50 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM XX 6 FN 0: Q2 = +50 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM YY 7 FN 0: Q3 = +0 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM ZZ 8 FN 0: Q4 = +40 ; RAIO DA ESFERA 9 FN 0: Q5 = +5 ; RAIO DA FERRAMENTA 10 Q10 = Q4 - Q5 0 BEGIN PGM CIRCULAR MM 1 BLK FORM 0.1 Z X+0 Y+0 Z-50 2 BLK FORM 0.2 X+100 Y+100 Z+0 3 TOOL CALL 16 Z S L M6 5 FN 0: Q1 = ; RAIO DA ESFERA 6 FN 0: Q2 = +5 ; RAIO DA FERRAMENTA 7 FN 0: Q3 = +45 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM XX 8 FN 0: Q4 = +45 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM YY 9 FN 0: Q5 = +0 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM ZZ 10 FN 0: Q20 = +90 ; ANGULO DE INICIO PARA O POSICIONAMENTO 11 FN 0: Q21 = +1 ;ANGULO DE INICIO PARA O VARRIMENTO CIRCULAR 12 FN 2: Q10 = +Q1 - +Q2 ; RAIO A PECORRER 13 FN 2: Q70 = +Q3 - +Q10 14 FN 0: Q50 = +Q10 15 CYCL DEF 7.0 PONTO ZERO 6

7 16 CYCL DEF 7.1 Z+0 17 L X+Q3 Y+Q4 Z+Q2 F MAX M13 18 L Z-Q2 F MAX 19 CALL LBL 1 20 L M30 21 LBL 1 22 CC X+Q3 Y+Q4 23 L X+Q70 Y+Q4 F C X+Q70 Y+Q4 DR+ F L IX+0.5 F CALL LBL 2 27 FN 12: IF +Q20 LT +179 GOTO LBL 1 28 L Z+200 F MAX 29 L M30 30 LBL 0 30 LBL 2 31 CC Z-Q2 X+Q3 32 FN 1: Q21 = +Q ;INCREMENTO 0.1 GRAUS 33 FN 1: Q20 = +Q ;INCREMENTO 0.1 GRAUS 34 Q50 = COS Q21 * Q10 35 Q51 = SIN Q21 * Q10 36 FN 2: Q52 = +Q2 - -Q51 37 L Z-Q52 F FN 2: Q70 = +Q3 - +Q50 39 L X+Q70 F LBL 0 45 END PGM CIRCULAR MM Acabamento em espiral da cavidade semi-esférica 0 BEGIN PGM ESPIRAL-ESF MM 1 BLK FORM 0.1 Z X+0 Y+0 Z-40 2 BLK FORM 0.2 X+88 Y+88 Z+0 3 TOOL CALL 15 Z S L M6 5 Q1 = 44 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM XX 6 Q2 = 44 ; CENTRO DA CAVIDADE ESFÉRICA EM YY 7 Q3 = 0 ; INICIO DE ESFERA EM ZZ 8 Q4 = 1 ; DISTÂNCIA DE SEGURANÇA 9 Q5 = 34 ; RAIO DA ESFERA 10 Q6 = 34 ; PROFUNDIDADE DA ESFERA 11 Q7 = 0.02 ; INCREMENTO EM ZZ 12 Q8 = 2 ; INCREMENTO ANGULAR NO PLANO XY 13 Q9 = 0 ; SOMATÓRIO DOS INCREMENTOS EM Z 14 Q10 = 0 ; SOMATÓRIO DOS INCREMENTOS ANGULARES 15 Q11 = 5 ; RAIO DA FERRAMENTA 16 Q21 = Q2 Q11 17 Q51 = 0.01 ; INÍCIO DO INCREMENTO EM ZZ 18 Q52 = 0.15 ; FINAL DO INCREMENTO EM ZZ 19 Q7 = Q51 20 Q30 =360 / Q8 ; NÚMERO DE INCREMENTOS EM 360 GRAUS 21 Q31 = Q7 / Q30 ; VALOR EM Z POR CADA INCREMENTO ANGULAR 22 Q10 = Q8 23 Q9 = Q7 24 L X+Q1 Y+Q2 F MAX M13 25 L Z+Q3 F L Y+Q21 F CALL LBL 1 28 Q9 = Q6 29 Q60 = SQRT ((Q5 ^ 2) ((Q5 Q9) ^ 2)) 30 Q70 = (Q60 + Q11) * SIN Q10 31 Q71 = (Q60 + Q11) * COS Q10 32 Q80 = Q1 - Q70 33 Q81 = Q2 - Q71 34 Q82 = Q3 Q9 35 CC X+Q1 Y+Q2 36 L X+Q80 Y+Q81 Z+Q82 F C X+Q80 Y+Q81 DR- 38 TOOL CALL 0 39 L M6 40 L M30 41 LBL 1 42 Q60 = SQRT ((Q5 ^ 2) ((Q5 Q9) ^ 2)) 43 Q70 = (Q60 + Q11) * SIN Q10 44 Q71 = (Q60 + Q11) * COS Q10 45 Q80 = Q1 - Q70 46 Q81 = Q2 - Q71 47 Q82 = Q3 Q9 48 L X+Q80 Y+Q81 Z+Q82 F Q10 = Q10 + Q8 50 Q9 = Q9 + Q31 51 Q91 = Q5 - Q9 52 Q92 = Q91 Q5 53 Q93 = ACOS Q92 54 Q7 = Q51 + SIN Q93 * Q52 55 Q31 =Q7 Q30 56 FN 12 : IF + Q9 LT +Q6 GOTO LBL1 57 LBL 0 58 END PGM ESPIRAL ESF MM Américo Costa - Licenciado em Eng.ª Mecânica pela Universidade do Porto - Técnico de Formação do CENFIM - Núcleo de Ermesinde O Núcleo do Porto do CENFIM, atribuiu numa cerimónia um LOUVOR ao formando Flávio Sousa, da turma que terminou dia 14 de Setembro o 3º ano do curso de Desenho de Construções Mecânicas, por este, não ter faltado qualquer hora (Justif icada ou Injustif icada) durante os 3 anos de duração deste curso do Sistema de Aprendizagem. Este formando não teve sequer um minuto de atraso durante o período mencionado. Com uma assiduidade e pontual idade perfeitas, o formando também se dist inguiu pelas notas obtidas, educação e maturidade. O CENFIM, reconhece publicamente a sua sat isfação pelo feito alcançado e agradece todo o empenho e dedicação do jovem formando que é, sem margem para dúvidas, um exemplo a seguir. 7

8 Consulte as opções disponíveis para si, e cand idate-se: Para se candidatar, visite a secção Programa GRUNDTVIG do site e candidate-se em Cursos de Formação Contínua. UM CASO PRÁTICO NO CENFIM: O Programa Sectorial Grundtvig - Cursos de Formação Contínua para pessoal l igado à Educação de Adultos é financiado com o apoio da Comissão. O Programa Sectorial Grundtvig é um subprograma do Programa Aprendizagem ao Longo da Vida (PROALV), que procura melhorar a qual idade e reforçar a dimensão europeia da educação de adultos através da real ização de diferentes actividades de cooperação a nível europeu. Assim, o Programa Sectorial Grundtvig atende às necessidades de ensino e de aprendizagem dos intervenientes em todas as formas de educação de adultos, bem como dos estabelecimentos e organizações que fornecem ou promovem essa educação. O Programa Sectorial Grundtvig inclui 2 tipos de act ividades de cooperação, geridos pela Agência Nacional, designadamente:. Parcerias de Aprendizagem Grundtvig. Bolsas de formação contínua para profissionais no âmbito da educação de adultos Têm por objectivo possibil itar a visita a outro país europeu a fim de part icipar em actividades de formação de natureza formal ou informal, (incluindo acções de recolha de informação com outra componente de formação), na área da educação de adultos. A actividade de formação deverá contribuir para a melhoria das competências profissionais do cand idato e do trabalho desenvolvido na instituição., Curso: Project Management of European Training and Educational Projects, Organizado por: e-isotis - Information Society Open To Impairments, sediada em Atenas, Local ização: Atenas, Datas: 12 a 16/04/2010, Participantes: 2 colaboradores do DPEE - Departamento de Projectos do CENFIM O Curso teve 5 objectivos específicos : 1. Introdução à Identidade UE e sua estrutura; 2. Introdução aos Programas UE, com especial enfoque apl icados aos campos da Educação, Formação Profissional e Cultural; 3. Princípios da Gestão de Projectos Europeus; 4. Princípios da Gestão Financeira de Projectos; 5. Princípios da Valorização de Projectos. Esta formação, através do próprio programa e das experiências partil hadas com os outros participantes permit iu aos participantes do CENFIM promoverem um enriquecimento pessoal e curricular, contribuindo assim para melhorar as suas apt idões e capacidades profissionais. No âmbito do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida - Programa Sectorial Grundtvig, existem mais oportunidades, nas mais diversas áreas de actuação de Formadores e Técnicos, com intervenções diversas na formação de Adultos. Qualquer cidadão Europeu pode, a título pessoal, candidatar-se aos cursos financiados pelo programa Sectorial Grundtvig. A actividade de formação poderá assumir várias formas, nomeadamente: / Cursos estruturados, retirados de Comenius-Grundtvig Training Database; / Estágios práticos / job shadowing / períodos de estudo em instituições/organizações estrangeiras; / Conferências, feiras, seminários, workshops de natureza europeia no âmbito da educação de adultos. A l ista dos cursos encontra-se em Comenius-Grundtvig Training Database: 8

9 Júri, a quem aproveitamos para reforçar aqui o nosso agradecimento pela forma como enobreceram o evento, a difícil tarefa de escolher os melhores projectos. O Jurado que assistiu na integra à apresentação dos projectos, foi constituído por: Joaquim Menezes da OPEN/Iberomoldes, Jorge Costa do Instituto Português da Juventude, Francisco Banha da Gesentrepreneur e FNABA, João Paulo Leonardo da revista INVEST e pelo CENFIM - Manuel Grilo, Rui Águia de Moura, Augusto Queirós e Vitor Lapa, que após reunião de aval iação, assim del iberou: Integrado na agenda das celebrações do 25º Aniversário, real izou-se no dia 27 de Julho a final do Concurso de Ideias de Negócio "Empreender Sem Fim", que decorreu na OPEN- Associação para as Oportunidades Específicas de Negócio, na Marinha Grande estando presentes cerca de 80 participantes, entre concorrentes e jurados. O CENFIM entendeu trazer o Empreendedorismo para dentro da sala de formação, numa perspectiva transversal, envolvendo não só os formandos mas também a equipa formadora, numa aposta clara na sua pro-actividade para com o mercado de trabalho e no fomento do espírito empreendedor, tendo para o efeito lançado este projecto-piloto com o apoio técnico da GesEntrepreneur. Este projecto-piloto iniciado em Janeiro deste ano, envolveu apenas 4 dos 13 Núcleos do CENFIM, apresentou duas vertentes diferenciadas; a 1ª centrada no Núcleo de Lisboa apenas nos cursos EFA - Educação e Formação de Adultos e na 2ª l inha de acção estiveram envolvidos cerca de 150 Jovens e 20 Formadores dos Núcleos de Caldas da Rainha, Oliveira de Azeméis e Porto. O projecto Empreender Sem Fim envolveu 4 partes distintas tendo culminado com esta grande final, muito concorrida e muito disputada. O balanço deste projecto é positivo, pois foram superadas as expectativas iniciais, em particular na vertente dos cursos de Jovens do sistema de Aprendizagem. A expectativa inicial era a apresentação na f inal de cerca de 6/7 projectos e fomos surpreendidos com cerca de 31 projectos, o que nos obrigou à real ização de uma semi-final local, que permit iu apurar para a final nacional, um total de 12 projectos (4 por Núcleo) envolvendo 36 jovens empreendedores. Se é verdade que todos os projectos foram vencedores pelo envolvimento das equipas que os construíram, coube contudo ao Beach Friend é o nome da ideia de negócio vencedora, concebida por Telmo Rocha e Marcelo Barbosa, do Núcleo do CENFIM do Porto. Trata-se de um pequeno veículo movido a energia solar que faz a l impeza automática de l ixo nas areias da praia. O Beach Friend tem a particularidade de se al imentar através de energia solar durante o dia e trabal hando à noite através de sensores de GPS. Os segundos classificados foram os formandos Marco Pereira, Ricardo Henriques, Ricardo Santos e Diogo Inácio, do Núcleo de CENFIM das Caldas da Rainha, com a ideia Piri-Piri, que consiste num assador de porco metál ico, que se eleva com energia hidrául ica, estando l igado directamente à canal ização e equipado com carris que deslocam o recipiente do carvão conforme as diferentes fases da confecção. Em terceiro lugar ficou a ideia Eco-Inclusão, proveniente do Núcleo do CENFIM de Oliveira de Azeméis. Preocupados com os cidadãos com l imitações motoras e sensoriais, Flávio Laranjeira, Vítor Pinto, Nuno Freitas e Pedro Ferreira ideal izaram ecopontos adaptados e apetrechados com sensores, l inguagem Braille e mecanismos electrónicos que permitem a separação dos diferentes tipo de l ixo. Muito trabalho, muita ansiedade, muita alegria mas também algum desalento fizeram deste d ia um dia de festa e convívio entre os formandos e formadores de diversos Núcleos. Acreditamos que estes projectos poderão de facto relevar o espírito empreendedor dos jovens formandos do CENFIM e pretendemos que este tipo de projectos possa funcionar como mais uma ferramenta diferenciadora da nossa formação sempre orientada para o mercado. Considerando os resultados positivos, tencionamos implementar este projecto a nível nacional, logo que estejam reunidas as condições económicas para o efeito. 9

10 No dia 23 de Junho de 2010, o CENFIM - Núcleo de Ermesinde, real izou uma palestra intitulada de Sexual idade na Adolescência - uma sexual idade responsável, organizada pelas técnicas de Acompanhamento PsicoPedagógico, Sofia Príncipe e Joana Conde. Como convidado tivemos o enfermeiro José Miguel Meneses - actualmente desenvolvendo funções no Hospital Magalhães Lemos no Porto e no Hospital Pedro Hispano em Matosinhos - que, de forma clara, explorou temas como as Infecções Sexualmente Transmissíveis - IST, as Doenças Sexualmente Transmissíveis - DST e os Métodos Contraceptivos. No final da sessão respondeu atenciosamente às questões levantadas pelos alunos. Acreditamos que o object ivo do CENFIM foi cumprido, pelo interesse, curiosidade e atenção dada à sessão por todos os participantes. Ao olharmos para a real idade profissional das empresas de hoje, assistimos cada vez mais a uma grande compet itividade que apela à idiossincrasia mult ifacetada, isto é, à necessidade de sermos únicos e competentes na diversidade de tarefas nas quais mergulhamos. Por este motivo, desenvolver e opt imizar competências para o futuro, passa por saber comunicar, saber transmitir, saber falar e estar. Atendendo à necessidade de interpretar a real idade e percepcionar as dificuldades que os Formandos enfrentam, o Coordenador da área Técnica e do Curso de Manutenção Industrial / Mecatrónica I - José Ol iveira organizou uma actividade no dia 22 de Junho no Auditório do Núcleo de Caldas da Rainha, onde decorreram as Apresentações dos Relatórios de Estágio dos 12 Formandos que integram uma das Acções deste Curso de Aprendizagem em Alternância. Para além do grupo de Formandos, outros intervenientes fizeram parte desta actividade, nomeadamente uma mesa de Júri composta pelo Coordenador da Acção, pelo Coordenador da Aprendizagem e pela Responsável pelo Acompanhamento Psicopedagógico, que partil haram o seu parecer/aval iação das apresentações, assinalando as pospostas de melhoria, bem como um públ ico composto por Formandos de outras Acções de Aprendizagem e dos Curso de Educação e Formação de Adultos. Esta é, sem dúvida, uma actividade a ter cont inuidade neste Núcleo, porque por um lado, os Formandos desenvolvem competências e por outro, dão a conhecer a sua prática em contexto de trabalho. Alunos do Instituto Superior Técnico - Projecto FST, foram campeões da Classe 2 da Formula Student Venceram o 1º Prémio da Classe 2 no Concurso Formula Student Electric, na prova de sustentabil idade. Conseguiram ainda o 2º lugar nas provas de Engenharia de Design e Apresentação de Negócio. Competindo contra mais de 20 Equipas um pouco de todo o mundo, conseguiram levar ao lugar mais alto do pódio o nome da sua Equipa, da sua Faculdade e de todos os seus Patrocinadores, entre os quais o CENFIM. Após um longo ano de trabalho, com muitas horas de sono perdidas e desafios superados, foi com enorme satisfação que receberam esta recompensa! A Equipa está radiante com este feito, e extremamente motivada para começar a construção do FST 04 e, já no mês de Setembro. O Projecto FST desenvolveu de raiz um carro de corrida com propulsão totalmente eléctrica, de alta performance, que atinge os 100Kms por hora em cerca de 5 segundos. 10

11 No dia 13 de Abril de 2010 foi inaugurado no Lobito - Angola o Centro de Formação Prof issional da Sonamet. Como corolário duma colaboração entre o CENFIM e a SONAMET que remonta a 2002, fomos convidados a prestar toda a assessoria técnica necessária à sua implementação, desde a criação do seu sistema organizativo, até ao apoio técnico específico nas áreas da Soldadura e da Caldeiraria. Para este apoio específico, conta o Centro com 5 técnicos de formação do CENFIM - 3 na soldadura e 2 na caldeiraria. A necessidade de criação de um quadro de Formadores locais trouxe até Portugal um grupo de 4 técnicos do CFPS - Centro de Formação Profissional da Sonamet: Adel ino Munucapui, Cleulio Guedes, Francisco Almeida e Marley Sousa para a frequência de dois Cursos de Formação de Formadores de Soldadura e Caldeiraria. Cada um dos cursos conteve uma componente técnica de cerca de 350 horas e uma componente pedagógica de cerca de 100 horas, num total de 450 horas. Estes dois cursos que decorreram de Março a Junho nos Núcleos do CENFIM do Porto para a área da soldadura, Sines com a componente técnica da caldeiraria e Lisboa com a componente pedagógica, foram coroados de êxito, tanto pela qual idade e empenho dos formandos como pela capacidade técnica e organizativa dos Núcleos. Naturalmente que, apesar de todo o acompanhamento prestado pelos nossos colaboradores, os 3 meses de permanência longe de casa, da famíl ia e dos amigos trouxeram uma palavra muito conhecida de todos nós: saudade. E é essa saudade que é cantada por um dos nossos amigos Marley de Sousa, no poema África. ÁFRICA Minha terra minha mãe, Terra dos remendos e dos catendós Minha África das quitotas, Que agora é tudo batota África, Terra do pirão com peixe seco, E dos bairros cheios de becos Do sábado do calulú com feijão de óleo de palma, Das esquinas que atormentam a minha alma Minha terra dos cupapatas, E dos quintais cheios de sucata Ai que saudade, Saudade das mulatas Das crianças nas ruas com os carros de lata, Mas que saudade, Das ruas cheias de poeira, Da vaidade sinto saudade Da mamãe com a sua peneira Do pilão até o Macau África minha terra, Mesmo que em ti não encontro encosto De ti já mais desgosto. Do velho hábito de falar boato Desde a negra zungeira Até as disbundas que terminam em bebedeira, Da mamãe quitandeira Acusada de feiticeira Como eu me lembro de ti, Porque já mais te esqueci. África dos pobres Mas com a alma sempre nobre De ti sinto saudade Ai que saudade Sei que é verdade Que desde a minha mocidade A todos desejei fel icidade. Marley de Sousa - Angola No corrente ano, na Edição da FILDA - Feira Internacional de Angola que decorreu de 20 a 25 de Julho, Portugal esteve representado com pavilhão próprio e mais de 100 empresas expositoras. Face á actividade que tem desenvolvido e a perspect ivada para o futuro, o CENFIM esteve representado em Stand conjunto com a ANEMM e a AIDA - Associação Industrial do Destrito de Aveiro, tendo merecido a visita e o estabelecimento de contactos de inúmeras empresas e entidades Angolanas interessadas no tema da Formação Profissional. No âmbito das comemorações do dia de Portugal na FILDA, o nosso Stand recebeu a visita de Sua Excelência o Senhor Presidente da Repúbl ica Portuguesa - Aníbal Cavaco Silva. Também por ocasião da cimeira da CPLP o Primeiro Ministro de Portugal - José Sócrates, acompanhado pelo Ministro da Indústria, Geologia e Minas de Angola - Joaquim David, visitaram o Stand em que o CENFIM esteve presente. 11

12 Amadora - Curso de Electromecânicos de Equipamentos Industriais e com a Escola da Apelação - Curso de Fabricação e Montagem de Estruturas Metál icas - Serralheiro Civil. Podemos afirmar, que estes protocolos foram um sucesso. Sucesso este, expresso nas inscrições dos formandos que terminaram os cursos, na acção de Aprendizagem de Desenho e Projecto de Construções Mecânicas. O Núcleo de Lisboa final izou em Julho, com a entrega dos certif icados, os 3 Protocolos de Formação de Cursos de Educação e Formação de Jovens Tipo 2, que desenvolveu com a Escola António da Costa de Almada - Curso de Desenho e Projecto de Construções Mecânicas, com a Escola Roque Gameiro da Como esta parceria com as Escolas se revelou um projecto interessante o Núcleo de Lisboa vai iniciar, em Setembro, mais 4 Protocolos, novamente com a Escola António da Costa e com duas novas Escolas: Francisco Arruda e Luis António Verney. Todas com Cursos de Educação e Formação de Jovens, tipo 2 na área de Desenho e a Escola Luis António Verney com mais um curso na área de Fabricação e Montagem de Estruturas Metál icas - Serralharia Civil. O dia 16 de Julho foi um d ia muito especial para todos os que coabitaram o espaço do Núcleo do Porto do CENFIM. Foi com muita honra e orgulho que foi mostrado à sociedade o que fazemos. Neste dia os formandos também foram formadores, proporcionando uma Mostra no âmbito das profissões associadas à Metalomecânica, Electromecânica e Energia, desde as ofertas para os mais jovens - Sistema de Aprendizagem - às ofertas para os mais experientes Formação por UFCD's. Ao final da tarde decorreram mais outras cerimónias nomeadamente: A de entrega de certif icados:. aos ex-formandos que concluíram os seus Cursos em 2009:, Desenho de Construções Mecânicas, Manutenção Industrial - Mecatrónica. aos Adultos que concluíram o seu processo RVCC. aos Jurados deste Núcleo que participaram nos Concursos Regionais promovidos pelo CENFIM. A de entrega do Livro dos 25 ANOS do CENFIM. aos funcionários, ex-funcionários, formadores no activo e que estão com o CENFIM desde a 1ª hora e ao jovem Medalha de Bronze no Campeonato Mundial de Profissões. Foi com muito orgulho que no dia 21 de Julho o Núcleo de Caldas da Rainha reuniu todos os Formandos e Formadores que participaram no Concurso das Profissões do CENFIM. Após o reconhecimento da dedicação e empenho demonstrado na fase de preparação e nos dias em que o Concurso decorreu, o Núcleo proporcionou um momento de homenagem a toda a equipa que tão dignamente o representou. Para que este momento fosse possível, foram convidados todos os Formandos e Formadores das várias Acções a decorrer para uma forte salva de palmas àqueles que elevaram o nome e a Actividade do Núcleo. A Directora do Núcleo - Cristina Botas fez a abertura da sessão, apresentando a todos os presentes os objectivos principias do Concurso, as Profissões representadas e classificações obt idas pelos Formandos, em seguida passou a palavra aos Formandos para que testemunhassem as experiências mais significativas da sua participação. Após este momento, os Formadores envolvidos no processo também deram o seu testemunho por forma a cativar e a motivar os presentes para futuras part icipações. Este dia fica assinalado pelo reconhecimento do trabalho e dedicação desta equipa para levar o nome da nossa casa o mais longe possível. Muitos Parabéns a todos e continuem a trabal har! 12

13 Uma das boas práticas adoptada por vários Núcleos, a partir da implementação do Projecto F1 - O Formando em 1º, diz respeito às sessões de divulgação para Psicólogos, Orientadores Profissionais e outros Técnicos de Escolas e Instituições que trabalham com jovens, onde se dá a conhecer a oferta formativa dos Núcleos, as instalações, nomeadamente laboratórios e oficinas, onde os nossos Formandos adquirem competências técnicas, sendo esta uma das mais-val ias da Formação ministrada no CENFIM. Foi no inicio de Julho, que o Núcleo de Caldas da Rainha abriu as suas portas a este tipo de prof issionais, considerando-os como uma fonte privilegiada no recrutamento de novos candidatos. A sessão moderada pela Directora do Núcleo, contou com a participação do Coordenador da Formação Inicial, do Coordenador da Formação Continua, bem como da Psicóloga e responsável pelo Acompanhamento Psicopedagógica dos Formandos no Núcleo, tendo sido apresentadas as diversas modal idades de Formação, tanto para Jovens como para Adultos, bem como as etapas do Processo de Selecção e as actividades desenvolvidas no âmbito do Acompanhamento Psicopedagógico. Esta é uma prática a manter, uma vez que aumenta a proximidade entre as escolas e o CENFIM, potenciando desta forma a divulgação da Actividade Formativa e a captação de novos candidatos para as diversas modal idades de Formação, nomeadamente para a Aprendizagem, onde o recrutamento de jovens se tem tornado ao longo dos anos, um constrangimento à actividade dos técnicos responsáveis pelos processos de selecção em cada Núcleo. O Jogo do Município é uma iniciativa anual da Autarquia Torriense com o objectivo central de promover a consciência crítica e democrática nos Jovens do Concelho. A participação do Núcleo do CENFIM de Torres Vedras tem sido, desde sempre uma das mais activas e de maior val ia para a discussão das temát icas escolhidas. O tema deste ano foi: Linhas de Torres: passado, presente e que futuro? Nesta edição anual part iciparam todas as Escolas do ensino regular, Escolas Profissionais e Centros de Formação Profissional do concelho de Torres Vedras, tendo sido a l ista vencedora a concurso a dos Formandos do CENFIM. Para além de um fim-de-semana radical e de uma visita à Assembleia da República, os nossos jovens tiveram ainda d ireito a um prémio extra: Participação num Intercâmbio Bilateral em França, que decorreu entre 16 a 30 de Julho de 2010! Orgulhamo-nos deste feito e fel icitamos todos os Formandos do 2ºD - Curso de Manutenção Industrial - Mecatrónica, assim como os respectivos Pais e Encarregados de Educação. Encabeçaram a l ista vencedora, os Formandos: António Santos; Daniel Pais; David Matos; Gonçalo Santos; Jorge Conde; Pedro Firmino e Ricardo Padeiro. Os jovens foram acompanhados nesta viagem pelo Formador - Nuno Andrade Santos e pela Psicóloga - Olga Reis que trabalharam activamente e empenhadamente com os jovens ao longo do ano na preparação e real ização desta participação na ed ição do Jogo do Município O apreço e reconhecimento do CENFIM, aos técnicos envolvidos que desde sempre têm colaborado activamente no Jogo do Município da Câmara Municipal de Torres Vedras, que têm sabido motivar os nossos Formandos da formação inicial para a participação act iva nas diversas fases em que o mesmo se constitui, e sempre com resultados que muito nos dignif icam. Sendo o resultado deste ano o culminar disso mesmo. Fel icitações a todos os participantes e para o ano o CENFIM que consiga dar continuidade a mais uma boa presença. 13

14 No âmbito do domínio de Desenho de Máquinas, a turma AT2f de Desenho de Construções Mecânicas, do Núcleo do Porto do CENFIM, real izou uma visita de estudo à empresa TEGOPI - Indústria Metalomecânica SA, no dia 10 de Setembro. Na visita o grupo foi acompanhado pelo ex-formando Pedro Fiúza, que actualmente faz parte integrante dos quadros da empresa e uma das nossas referências porque foi Campeão Regional, Campeão Nacional e participou no Concurso Mundial das Profissões na Finlând ia, onde levou o nome do CENFIM e o seu prestígio na área de Desenho Industrial CAD. Esta visita teve como principal objectivo aprofundar os conhecimentos técnicos na área das construções metál icas. Conforme afirmaram os formandos, tratou-se de uma visita bastante produtiva, part icularmente em relação às Pontes Rolantes, pois tem sido uma área alvo de estudo. No âmbito da Física-Quimica os jovens final istas do 3º Ano do curso Técnico de Gás do Núcleo do Porto do CENFIM, visitaram o Pavilhão da Água, onde real izaram experiências práticas, ficando a perceber mel hor algumas das leis da Física e da Química. Puderam observar jactos de água controlados por painéis solares, mecanismos movidos a água e interagir com estes mecanismos, a magia dos sons vinda das mais diversas proveniências, ilusões de óptica, jogos com arco íris enfim uma manhã plena de emoções. Pretendeu-se com esta actividade social izar os formandos, dar a conhecer as tendências artísticas modernas e o urbanismo da cidade do Porto. Para além destes objectivos a visita pretendeu ainda contribuir para renovar o interesse pelo trabalho, através da alteração do ritmo escolar e incentivar os formandos à investigação. No âmbito da Discipl ina de Mundo Actual real izou-se no dia 13 de Setembro uma visita de estudo ao Porto Histórico. Participaram na referida visita os formandos da turma AT2g do CENFIM, Núcleo do Porto. Estes formandos frequentam actualmente o Curso de Técnico de Sistemas Energéticos na modal idade de Aprendizagem. Com a observação directa dos edifícios e monumentos históricos, os jovens ficaram sensibil izados para a defesa do Património Cultural e reconheceram a importância do Porto como Património Mundial da Humanidade. A visita terminou nas Caves do Vinho do Porto - Porto Calém, ficando os formandos a conhecer a história do Vinho do Porto e do Douro Vinhateiro. Os formandos do 3º ano do Curso de Manutenção Industrial, do Núcleo do Porto do CENFIM, integrados num programa de sensibil ização e respeito pela diferença, desenvolvido pela psicóloga e formadora do módulo Desenvolvimento Pessoal e Social - Mariana Santalha, proporcionaram uma tarde diferente, aos jovens da APPACDM - Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental. No dia 13 de Julho, no Parque da Cidade foi muito gratif icante ver os jovens do CENFIM e da APPACDM, praticarem algumas actividades de lazer ao ar l ivre, tais como caça ao tesouro e um jogo de futebol, promovendo assim a amizade, o convívio e a integração destes jovens na sociedade. 14

15 também expl icada a importância da Luz e do Som num estúdio de televisão. Previamente ensaiado nas aulas, foi posto em prática o programa Cenfim's got Talent. Desta forma os formandos puderam trabalhar com os equipamentos do estúdio e pôr em prát ica os conhecimentos adquiridos no início da visita, criando o seu próprio programa de televisão. No âmbito do módulo Os media do domínio Comunicar em Inglês, foi organizada uma visita de estudo para as turmas de 3º ano de Desenho de Construções Mecânicas e Manutenção Industrial Mecatrónica do CENFIM - Porto. Esta visita consistiu na ida ao Museu dos Transportes e Telecomunicações, situado na Alfândega do Porto, no dia 29 de Junho de 2010 e revelou-se enriquecedora e interessante. À hora marcada, os formandos foram apresentados aos guias, que os levaram para a oficina da Televisão. Nesta oficina os formandos começaram por ser guiados pelo interior de um estúdio de televisão, onde aprenderam a trabalhar com os equipamentos da Regi e perceberam a sua ligação aos cameramen. Foi-lhes Concluída a produção do programa de televisão, os formandos foram guiados até à oficina Rád io. Mais uma vez foi-lhes expl icado o funcionamento de um programa de rádio e os formandos puseram em prática um outro trabal ho preparado no domínio de Inglês. Cantaram canções traduzidas de Português para Inglês, a sua apresentação foi incumbida a dois colegas que foram responsáveis pela locução. Terminada a visita os formandos ficaram com a recordação dos programas gravados e mostraram satisfação pelo resultado f inal dos mesmos. Segundo o seu testemunho, a visita foi produtiva e agradável, pois a interacção com os equipamentos de produção permitiram-l hes viver o ambiente de um verdadeiro programa de televisão e rádio. Foi isso que a turma do 2º ano de Técnico de Sistemas Energéticos - Técnico de Gás do CENFIM - Núcleo do Porto, partiu à descoberta, contextual izar a Matemática com a Arte, Arquitectura e Música. A Casa da Música surpreende, na forma, na estrutura, nos materiais e nas funcional idades. Uma entrada de 30m de pé direito, um edifício que se desdobra de forma assimétrica em 7 níveis acima do solo e 3 pisos abaixo. Planos de betão branco exposto, entrecortados por vidro, azulejos e veludo, contrastando o cinza do alumínio, escovado no chão e perfurado nas paredes, terraços com tectos de vidro e passadeiras suspensas, a Casa da Música, é um espaço que desafia os visitantes e permite uma constante descoberta. Vereação da Autarquia, aceitou estar presente tendo-se apresentando com um Stand expositor de toda a actividade do CENFIM, com particular destaque para a act ividade desenvolvida no Núcleo de Sines. Real izou-se nos passados dias 3 a 5 de Setembro de 2010, a tradicional Feira do Monte em Santiago do Cacém. Esta Feira, habitual montra das actividades económicas desta importante região, apresenta uma dimensão que ultrapassa não somente as fronteiras do Concelho como adquire mesmo âmbito internacional. O CENFIM aproveitando o simpático convite formulado pela O objectivo visado com a nossa presença foi claramente conseguido. Foram inúmeros os visitantes, particulares, empresas e mesmo técnicos de estabelecimentos de ensino, públ icos e privados, a quem foi disponibil izada informação, tendo-se dessa actividade conseguido resultados d irectos no incremento muito positivo de procura de formação em especial no domínio da formação continua. Efectivamente foram 3 d ias de intensa actividade, os quais se constituíram numa acção de importância ímpar em termos de divulgação do CENFIM. No final do evento houve um louvor especial, por parte da Autarquia, dirigido à equipa do CENFIM e o convite antecipado para estar presente na próxima edição do certame. 15

16 Decorreu no dia 25 de Maio o habitual almoço de confraternização do Núcleo de Sines do CENFIM. O evento teve lugar no espaço onde funcionam as oficinas, o qual foi apropriadamente ordenado para esse fim, tendo-se const ituído num momento muito agradável e até com algumas surpresas. Estiveram presentes o Director do CENFIM - Manuel Grilo, o Director do Núcleo - José Frias Gomes, o Coordenador da Formação - Pedro Martins, bem como todos os colegas que actualmente colaboram no dia-a-dia deste Núcleo, para além naturalmente dos Formandos, os verdadeiros protagonistas deste evento. A todos quantos estiveram presentes deixamos o nosso muito obrigado pelo contributo, para um ambiente de confraternização e alegria, também pilares fundamentais de um ambiente de trabalho, que se requer participat ivo, colaborante e empenhado. Uma palavra de especial apreço às nossas colegas Ana Dulce, Linda Sobralinho e Marisa Ferraz pela enorme dedicação e empenhamento, que colocaram na real ização desta sardinhada. Aproveitando a circunstância de o dia 25 de Maio ser igualmente o Dia de África, foram ainda todos os presentes obsequiados pelo, Formador Estagiário Marley de Sousa da Petromar - Angola, com um l indíssimo poema de sua autoria, muito a propósito. Também uma palavra de apreço aos Formandos do Curso de EFA - Serralheiros Tubistas, em fase de conclusão do respectivo curso, a quem desejamos as maiores fel icidades pessoais e profissionais nunca esquecendo que deveremos sempre lutar pelo que mais desejamos, com lealdade mas com determinação, como muito bem diria Gabriel Garcia Marquez: Procura d izer sempre o que sentes e faz o que pensas. Não serás recordado pelos pensamentos secretos. Passado um ano de trabalho, com horários a cumprir e muitas tarefas a desempenhar, toda a equipa de Formandos, Formadores e Colaboradores do Núcleo de Caldas da Rainha, bem como alguns Colaboradores do Núcleo de Peniche arrumaram as ferramentas de trabalho e envolveram-se de corpo e alma nas várias actividades organizadas pelo Núcleo, no dia 30 de Julho, últ imo dia de Formação antes das tão desejadas férias de Verão. Durante o período da manhã, um dos grupos fez-se à estrada, rumo ao Kartódromo no Bombarral para colocarem o capacete e arregaçarem as mangas para uma corrida entre os participantes, outro grupo calçou as chuteiras e fez sair o Cristiano Ronaldo que há em si, num torneio de Futebol 7 que decorreu no Complexo Desportivo Municipal de Caldas da Rainha, um terceiro grupo montou uma sala central de informática no Auditório, onde testaram a sua perícia e perspicácia no jogo de CS 1.6 e por último, os restantes grupos prepararam o almoço, outros ainda ficaram a jogar cartas, damas, a pesquisar na Internet.ou simplesmente a observar. Para recarregar baterias após muita actividade, todos participaram no almoço convívio, envolvendo-se posteriormente nos diversos jogos tradicionais d isponíveis no Núcleo, nomeadamente saltar à corda, jogo das latas, jogo da malha, jogo da corda, entre outros. Foi com muita diversão e brincadeira, num espírito de verdadeira união e harmonia que nos despedimos da Formação e respiramos a brisa do Verão que adivinhava a chegada do tão esperado mês de Agosto! Real izou-se entre 22 de Julho a 22 de Agosto de 2010, o torneio de futebol inter-empreas da região de Sines. A equipa do CENFIM - Núcleo de Sines, constituída por formandos dos seus cursos de soldadura e serralharia, conseguiu um destaque muito especial, tendo obtido não somente uma excelente classificação por equipas, conseguindo igualmente óptimos desempenhos, alguns deles premiados, a nível individual, circunstâncias que contribuíram claramente para um melhor reconhecimento deste Centro de Formação e designadamente da qual idade do trabalho, técnico e humano, que vem sendo desenvolvido. Assim sendo, uma vez mais se comprova, que o CENFIM, não só l idera uma das mais importantes instituições de formação profissional, como motiva, incent iva e dispõe ao alcance dos seus formandos outro tipo de formação extra curricular. Para além do 2º lugar do Torneio Inter-Empresas, conseguiu-se o prémio para o melhor guarda-redes do torneio bem como para o melhor jogador em campo. Parabéns à equipa! 16

17 Este ano o Núcleo de Lisboa real izou a Semana Animada, de 21 a 25 de Junho, onde se real izaram para além de habitual Torneio de Futebol entre as turmas, outras actividades como a visual ização de uma Peça de Teatro intitulada Violência no namoro interpretada pelos alunos da Escola Psicossocial de Lisboa e um Peddy-Paper, organizado pelos formandos das Turmas de Desenho e Projecto de Construções Mecânicas - TDCM-9 e EFATDCM-1. Integrado ainda nesta semana, convidámos o formando Bruno Silva, Fotografo Profissional, que se encontra a tirar um Curso de Educação e Formação de Adultos na área de Instaladores de Sistemas Solares Térmicos, a real izar uma Exposição dos seus trabalhos. Exposição esta que esteve patente de 20 de Junho a 31 de Julho. Cumulativamente, foi real izado para os formandos interessados, um Workshop de Fotografia no dia 22 de Julho. Esta semana, culminou com o tradicional Almoço Convívio entre formandos, formadores e colaboradores do CENFIM, com um momento inicial de homenagem à colaboradora Maria da Luz Lancha, que se reformou mas que sempre primou por ser um apoio importante a todos os formandos e formadores. Foram também entregues os certif icados às acções de Electromecânica de Equipamentos Industriais - CEFEL1, Fabricação e Montagem de Estruturas Metál icas - Serralheiro Civil - EFAMAT1 e CEFMAT2, para premiar os jovens que participaram nos Concursos das Profissões do CENFIM e para recompensar, também, os jovens que se encontram no Quadro de Honra. interpessoais entre formadores e formandos; e conhecer os l imites individuais através do confronto com situações novas. O grupo de final istas do 3º Ano do Nível III dos Cursos de Manutenção Industrial/Mecatrónica e de Maquinação e Programação do Núcleo do CENFIM da Trofa organizou nos dias 02 e 03 de Julho, o IV Campo de Montanha para Final istas, na aldeia de Turismo Rural de Póvoa Dão, em Viseu. Esta actividade complementar à formação teve como object ivos: promover a interacção entre os formandos dos vários cursos; fortalecer os laços afectivos entre os formandos; fomentar o espírito e o trabalho de equipa; desenvolver as relações Os formandos final istas, em conjunto com os formadores, constituíram equipas e efectuaram actividades que permit iram também o contacto com a natureza assim como testaram as capacidades de perícia em actividades tais como: Prova de Orientação Diurna, Sl ide, Tiro com Arco, Paralelas, Tiro com Zarabatana, Prova de Orientação Nocturna, BTT e Paintball. Os formandos tiveram ainda oportunidade de desenvolver outras actividades trad icionais como futebol, desportos aquáticos em piscina, torneio de cartas, Karaoke, etc. 17

18 No âmbito das Comemorações do 25º aniversário do CENFIM irão ser real izados pelos Núcleos do CENFIM, durante os meses de Outubro e Novembro, Jantares Temáticos - espaço privilegiado para encontro com os Empresários do Sector Metalúrgico, Metalomecânico, Electromecânico e afins, nos quais serão apresentados temas actuais e de forte interesse. O CENFIM foi convidado para ser parceiro de competição donde terá a incumbência de organizar e gerir profissões do EuroSkil ls, no 2º Campeonato Europeu das Profissões que decorrerá de 9 a 12 de Dezembro de 2010, no Parque das Nações No Euroskills, o CENFIM terá a responsabil idade do cluster do sector metalúrgico, metalomecânico e electromecânico, garantindo os equipamentos, através de patrocinadores, as ferramentas, as matérias-primas e a logística necessários à real ização das provas. Irão estar a Concurso 5 Jovens concorrentes do CENFIM nas profissões de:. Fresagem CNC. Electromecânica Industrial. CAD - Desenho Assistido por Computador. Mecatrónica - 2 concorrentes (equipas) No dia 9 de Dezembro de 2010, no âmbito do EuroSkills o CENFIM vai real izar um seminário subordinado à temát ica de O Contexto Tecnológico do Sector Metalúrgico e Electromecânico no Centro de Reuniões da FIL, sala 1- Parque das Nações, o qual abrangerá a general idade das profissões que estarão em concurso no sector da Produção, Engenharia & Tecnologia, sector este onde o CENFIM se encontra envolvido na organização. TIPO DE ACTIVIDADE CÓDIGO DA ACÇÃO FORMAÇÃO CONTÍNUA CÓDIGO DO CURSO INÍCIO FIM TOTAL DE HORAS PREÇO * NÚCLEOS Construções Metálicas Soldadura tig 141 nível 1 iiw (2) Q2ED Out Nov Electricidade / Electrónica Informática / Tecnologias de Informação e Comunicação Informática - competências informáticas de base Q2FK Out Out Informática - competências informáticas de base Q2FK Out Nov Informática na óptica do utilizador - fundamentos Q2FI Out Nov Informática na óptica do utilizador - fundamentos Q2FI Nov Nov Arcos de Valdevez Manutenção Industrial Conceitos básicos de hidráulica Q2FE Out Nov

19 Construções Metálicas Preparação de soldadores para certificação T2ED Nov Nov Informática / Tecnologias de Informação e Comunicação Informática na óptica do utilizador - fundamentos Q2FI Out Nov Construções Metálicas Soldadura tig 141 nível 3 iiw (2) Q2FD Nov Dez Ermesinde Soldadura eam -111 nível 2 iiw (1) Q2FD Out Out Soldadura eam -111 nível 2 iiw (1) Q2FD Out Out Soldadura eam -111 nível 2 iiw (1) Q2FD Out Out Soldadura eam -111 nível 2 iiw (2) Q2FD Out Nov Caldas da Rainha Construções Metálicas Soldadura eam -111 nível 2 iiw (2) Q2FD Out Nov Soldadura eam -111 nível 2 iiw (4) Q2FD Nov Dez Soldadura eam -111 nível 2 iiw (4) Q2FD Nov Dez Soldadura tig nível 1 iiw (3) Q2ED Out Nov Lisboa Soldadura tig 141 nível 2 iiw (1) Q2ED Nov Dez Soldadura tig 141 nível 2 iiw (2) Q2ED Nov Dez Electricidade / Electrónica Electrificação de quadros de automatismos - comando e controlo de motores assíncronos Q2FK Nov Nov Electrificação de quadros eléctricos de distribuição e força motriz Q2FK Out Nov Projecto / Desenho Desenho técnico - conjuntos, cortes e secções Q2FA Nov Jan Qualidade e Ambiente Segurança e higiene no trabalho - trabalhador designado T2EF41 04-Out Nov Administrativo, Comercial e Marketing Gestão do tempo Q2FG Nov Nov Cam 3d - maquinação assistida por computador Q2FC Out Nov Construções Mecânicas Programação em linguagem iso de fresadoras cnc Q2FC Out Nov Serralharia mecânica Q2FC Out Nov Electricidade / Electrónica Informática / Tecnologias de Informação e Comunicação Electrificação de quadros de automatismos - comando e controlo de motores assíncronos Q2FK Out Nov Noções de electricidade Q2FK Nov Nov Informática na óptica do utilizador - fundamentos Q2FI Nov Nov Manutenção Industrial Automatismos industriais-hidráulica Q2FE Out Out Marinha Grande Não Tipificado Língua estrangeira - continuação Q2FZ Out Nov Projecto / Desenho Qualidade e Ambiente Desenho técnico - projecções ortogonais Q2FA Nov Nov Modelação de sólidos Q2FA Out Nov Auditorias ao sistema de gestão da qualidade Q2FF Nov Dez Segurança e higiene no trabalho - trabalhador designado T2EF41 11-Out Nov Qualidade e Ambiente Segurança e higiene no trabalho - trabalhador designado T2EF41 06-Out Nov Oliveira de Azeméis Climatização princípios e instalação Q2FJ Out Dez Energia Informática / Tecnologias de Informação e Comunicação Construções Metálicas Práticas de instalação e montagem - instalação de sistemas de ar condicionado Q2FJ Out Nov Soldador de tubagem em cobre e polietileno P2EJ08 15-Nov Dez Aplicações informáticas folha de cálculo Q2FI Nov Dez Soldadura mag/ff -135/136 - nível 2 iiw (2) Q2FD Nov Nov Soldadura tig 141 nível 2 iiw (3) Q2FD Nov Dez Soldadura tig 141 nível 3 iiw (1) Q2FD Out Nov Porto Electricidade / Electrónica Informática - competências informáticas de base Q2FK Out Out Formação de Base Usar a matemática para analisar e resolver problemas e situações problemáticas Q2FL Nov Dez Manutenção Industrial Introdução à pneumática Q2FE Out Nov Santarém Projecto / Desenho Desenho técnico - normas, traçados e projecções Q2FA Out Nov Qualidade e Ambiente Sensibilização para a higiene e segurança T2EF18 18-Out Nov

20 68176 Construções soldadas de estruturas metálicas em chapa fina Q2FD Nov Nov Estruturas metálicas em chapa fina para condutas Q2FD Nov Dez Soldadura eam -111 nível 1 iiw (2) Q2FD Out Out Soldadura eam -111 nível 1 iiw (3) Q2FD Out Nov Soldadura eam -111 nível 2 iiw (1) Q2FD Nov Nov Construções Metálicas Soldadura eam -111 nível 2 iiw (2) Q2FD Nov Dez Soldadura eam -111 nível 2 iiw (3) Q2FD Dez Dez Sines Projecto / Desenho Administrativo, Comercial e Marketing Soldadura tig 141 nível 1 iiw (2) Q2ED Dez Jan Soldadura tig nível 1 iiw (3) Q2ED Out Out Soldadura tig 141 nível 2 iiw (3) Q2FD Out Out Soldadura tig 141 nível 3 iiw (2) Q2FD Out Nov Desenho técnico - estruturas metálicas e planificação Q2FA Nov Nov Desenho técnico tubagem metálica industrial (isometria) (2) Q2EA Out Out Gestão do tempo Q2FG Out Nov Construções Mecânicas Metrologia Q2FC Out Nov Construções Metálicas Preparação de soldadores para certificação T2ED Nov Nov Energia Instalador de sistemas de energia renováveis P2EJ23 06-Out Out Torres Vedras Formação de Base Fundamentos de cultura língua e comunicação Q2FL Out Nov Manutenção Industrial Automatismos industriais-hidráulica Q2FE Out Out Energia Projecto de sistema solar fotovoltaico - construção Q2FJ Out Dez Projecto de sistema solar fotovoltaico - instalação Q2FJ Out Dez Trofa TIPO DE ACTIVIDADE Formação / Educação CÓDIGO DA ACÇÃO FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE FORMAÇÃO CÓDIGO DO CURSO INÍCIO FIM TOTAL DE HORAS PREÇO * NÚCLEOS Animação de grupos em formação T3LH Nov Dez Caldas da Rainha Animação de grupos em formação T3LH Nov Dez Porto TIPO DE ACTIVIDADE CÓDIGO DA ACÇÃO APRENDIZAGEM CÓDIGO DO CURSO INÍCIO FIM TOTAL DE HORAS PREÇO Energia Instalação de Sistemas Solares Térmicos T1BJ Out Jun Gratuito Manutenção Industrial Manutenção industrial (mecatrónica) T1BE Out Jul Gratuito NÚCLEOS Caldas da Rainha * O preço destas acções têm desconto de 30% para as Empresas Associadas da ANEMM e AIMMAP Propriedade: CENFIM - Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica. SEDE: Rua do Açúcar, LISBOA. Telef.: Fax: ZONA NORTE: Rua Conde da Covilhã, Nº PORTO. Apartado PORTO. Telef.: /77 Fax: Internet: Concepção e Execução Gráfica: Assessoria de Comunicação e Marketing - CENFIM Distribuição Gratuita. Periodicidade Trimestral. Depósito Legal: /02. ISSN: Impressão: Gráfica Central de Almeirim, Lda.. Tiragem: exemplares. 20

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Apresentação dos seguintes projectos: 1) Câmara de Lobos.

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

ÍNDICE: Novembro de 2009

ÍNDICE: Novembro de 2009 ÍNDICE: 1. Início Ano Lectivo 2. Portugal Tecnológico 3. Gripe A Plano Contingência 4. Espaço de Leitura 5. Sonangol 6. Novos Órgãos Sociais da ETLA 7. Medalha de Mérito Concelho de Santiago do Cacém 8.

Leia mais

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO O Capítulo 36 da Agenda 21 decorrente da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada em 1992, declara que a educação possui um papel fundamental na promoção do desenvolvimento

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DO DESPORTO APLICADAS AO FUTEBOL Luanda, 29 de Agosto

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento (Programa Gerir Formação e Consultoria para Pequenas Empresas)

IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento (Programa Gerir Formação e Consultoria para Pequenas Empresas) IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento (Programa Gerir Formação e Consultoria para Pequenas Empresas) APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional Emprego,

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA Extracto do PARECER TÉCNICO emitido pelo Especialista da Formação PREÂMBULO O presente Parecer tem como objectivo a análise do Projecto de Investigação

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info.

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info. FICHA TÉCNICA Título Organização Curso Relatório de Avaliação Final Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais Entidade Leader Consulting, 08 de Dezembro

Leia mais

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA A Formação no ISQ A actividade de Formação do ISQ tem sido uma forte aposta enquanto factor determinante para o desenvolvimento e melhoria de desempenho dos sectores tecnológicos

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Ideias finais (Concurso Nacional de Ideias Cidades Criativas )

Ideias finais (Concurso Nacional de Ideias Cidades Criativas ) Ideias finais (Concurso Nacional de Ideias Cidades Criativas ) O Concurso "Cidades Criativas", iniciativa dirigida a jovens alunos de Área de Projecto do 12.º ano, chegou ao fim. Durante cerca de nove

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Use a ferramenta Project Geometry geometria dos rasgos interiores. O sketch criado deve conter todos os contornos do modelo 3D.

Use a ferramenta Project Geometry geometria dos rasgos interiores. O sketch criado deve conter todos os contornos do modelo 3D. Pretende-se aqui exempl ificar a maquinagem de contornos 2D em PowerMILL A modelação 3D do componente é executada em Autodesk Inventor e depois exportada em formato DXF para o PowerMILL Vamos usar esta

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2009 Agenda EM DESTAQUE Estágios e Suplemento ao Diploma- uma aposta no futuro! Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Manz

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade No passado dia 15 de Novembro, a Share Associação para a Partilha de Conhecimento e a Faculdade de Ciências da Universidade de

Leia mais

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020»

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» 29.Abril.2014 Idanha-a-Nova DUECEIRA GAL/ELOZ. Entre serra da LOusã e Zêzere Histórico > projecto cooperação

Leia mais

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL Perspectiva das Entidades Empregadoras Julho 2011 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento e Qualidade

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO

PROJETO DE INTERVENÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES CANDIDATURA A DIRETOR PROJETO DE INTERVENÇÃO (2013-2017) Pedro Paulo da Costa Cerqueira Amares, maio de 2013 As organizações, tal como os organismos vivos, têm os seus

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

(Só faz fé a versão proferida)

(Só faz fé a versão proferida) Exmo. Senhor Presidente do Centro Desportivo e Cultural de Londres, Exmo. Senhor Embaixador, Exmo. Senhor Cônsul Geral, Exmo. Senhor Adido Social, Exmo. Senhor Conselheiro das Comunidades Madeirenses,

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA Nô Pintcha Pa Dizinvolvimentu UE-PAANE - Programa de Apoio aos Actores Não Estatais TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA PARA FORMADOR EM CONTABILIDADE, GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACCENDO

APRESENTAÇÃO ACCENDO APRESENTAÇÃO ACCENDO "A Accendo é uma empresa que funciona com uma rede de parceiros e associados, vocacionada para o desempenho de todas as actividades ligadas à formação profissional essencialmente a

Leia mais

Plano tecnológico? Ou nem tanto?

Plano tecnológico? Ou nem tanto? Plano tecnológico? Ou nem tanto? WEB: ÉDEN?APOCALIPSE? OU NEM TANTO? Plano Tecnológico Mas, Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, além deste Contrato, o Novo Contrato para a Confiança, o nosso

Leia mais

Projecto Integrado da Baixa da Banheira

Projecto Integrado da Baixa da Banheira Projecto Integrado da Baixa da Banheira 1. INTRODUÇÃO O Projecto Integrado da Baixa da Banheira nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal da Moita e o ICE tendo em vista induzir as Associações da

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO (PPEC) REVISÃO DAS REGRAS

PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO (PPEC) REVISÃO DAS REGRAS PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO (PPEC) REVISÃO DAS REGRAS Intervenção do Senhor Presidente da CIP Confederação da Indústria Portuguesa, Eng.º Francisco van Zeller, na Audição Pública (CCB, 04/04/2008)

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016 PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016 2 PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL COORDENAÇÃO Prof. Doutor Paulo Lopes Henriques Prof.ª Doutora Carla Curado Prof. Doutor Pedro Verga Matos APRESENTAÇÃO Este

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8B/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Cursos de Formação em Alternância na Banca Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Relatório Cursos terminados entre 2006 e 2009 Projecto realizado em parceria e financiado pelo Instituto de Emprego

Leia mais

Senhor Presidente. Senhoras e Senhores Deputados. Senhoras e Senhores Membros do Governo

Senhor Presidente. Senhoras e Senhores Deputados. Senhoras e Senhores Membros do Governo Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhoras e Senhores Membros do Governo O actual momento de crise internacional que o mundo atravessa e que, obviamente, afecta a nossa Região, coloca às

Leia mais

DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira

DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional Plurifundos da Região Autónoma da Madeira (POPRAM

Leia mais

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras ESCOLA TECNOLÓGICA DO LITORAL ALENTEJANO ETLA Localização A Escola Tecnológica do Litoral Alentejano fica situada no Complexo Petroquímico da empresa Repsol na ZILS. Perto da realidade industrial, a sua

Leia mais

Curso de Gestão Para Empresários e Directores

Curso de Gestão Para Empresários e Directores Curso de Gestão Para Empresários e Directores Sob a direcção do Doutor José Nunes Maia, Professor Aposentado do ISCTE Lisboa, a MoreData pretende dar início à 1ª edição do Curso de Gestão para Empresários

Leia mais

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Em primeiro lugar gostaria de expressar o meu agradecimento

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

MASTER EM DIRECÇÃO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL E DE MARKETING OBJECTIVOS DO PROGRAMA A Escola de Negócios EUDEM apresenta o seu programa MCIM - Master em Direcção de Comércio Internacional e de Marketing,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 Adão Augusto, Consultor 12-02-2015 1. Contextualização. Os projectos sociais fazem parte de um sistema complexo de relações que envolvem

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL

CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros da Educação, ou os seus representantes, de Angola, Brasil,

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO DO PROJECTO

SUMÁRIO EXECUTIVO DO PROJECTO SUMÁRIO EXECUTIVO DO PROJECTO A Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa - APCL propõe-se desenvolver um projecto, designado CLEAN, que consiste na criação de um Centro de Limpeza Ecológica de Automóveis

Leia mais

UNIVERSIDADE POPULAR DO PORTO

UNIVERSIDADE POPULAR DO PORTO ACÇÃO DE FORMAÇÃO OS ARQUIVOS DO MUNDO DO TRABALHO TRATAMENTO TÉCNICO ARQUIVÍSTICO RELATÓRIO FINAL Enquadramento A acção de formação Os arquivos do mundo do trabalho tratamento técnico arquivístico realizou-se

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

Do ensino modular ao ensino por elearning uma evolução natural para o Ensino Profissional

Do ensino modular ao ensino por elearning uma evolução natural para o Ensino Profissional Título Do ensino modular ao ensino por elearning uma evolução natural para o Ensino Profissional Autora Ana Paula Salvo Paiva (Doutorada em Ciências da Educação pela Universidade Católica Portuguesa) apaula.sintra.paiva@gmail.com

Leia mais

I CIPPEB - CONGRESSO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA

I CIPPEB - CONGRESSO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA SEMANA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA Mestranda Rita Aparecida Nunes de Souza da Luz PROGEPE UNINOVE Resumo O objetivo desse trabalho é relatar a experiência

Leia mais

Projecto Mil Escolas e Portal www.aguaonline.net Feira do Ambiente de Paços de Ferreira 10 a 13 Setembro de 2009

Projecto Mil Escolas e Portal www.aguaonline.net Feira do Ambiente de Paços de Ferreira 10 a 13 Setembro de 2009 www.aguaonline.net Projecto Mil Escolas e Portal www.aguaonline.net Feira do Ambiente de Paços de Ferreira 10 a 13 Setembro de 2009 Administrador da Águas do Douro e Paiva, Prof. Arménio Pereira, em visita

Leia mais

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos,

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos, REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO DA ENERGIA GABINETE DO MINISTRO INTERVENÇÃO DE S.EXA SALVADOR NAMBURETE, MINISTRO DA ENERGIA, POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA FÁBRICA DE CONTADORES DA ELECTRO-SUL

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

PROJETO ESCOLA PARA PAIS

PROJETO ESCOLA PARA PAIS PROJETO ESCOLA PARA PAIS Escola Estadual Professor Bento da Silva Cesar São Carlos São Paulo Telma Pileggi Vinha Maria Suzana De Stefano Menin coordenadora da pesquisa Relator da escola: Elizabeth Silva

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS - DOCUMENTO 15 Extractos dos Referentes Externos e Internos que suportam o Referencial 2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS REFERENTES EXTERNOS LEGISLAÇÃO Lei nº 31/2002 de 20 de Dezembro CAPÍTULO I Sistema

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Iniciativa Move-te, faz Acontecer

Iniciativa Move-te, faz Acontecer Iniciativa Move-te, faz Acontecer Entidades Promotoras: Associação CAIS (Projecto Futebol de Rua): Fundada em 1994, a Associação CAIS tem como Missão contribuir para o melhoramento global das condições

Leia mais

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas GUIA DO VOLUNTÁRIO Sociedade Central de Cervejas ÍNDICE 1. A RESPONSABILIDADE SOCIAL NA SCC: O NOSSO COMPROMISSO... 3 2. O NOSSO COMPROMISSO COM O VOLUNTARIADO... 4 2.1 A ESTRUTURAÇÃO DO VOLUNTARIADO EMPRESARIAL...

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República Continuarei a percorrer o País, de Norte a Sul, a apelar à união de esforços, a levar uma palavra de esperança e a mostrar bons exemplos de resposta à crise. Discurso de Sua Excelência o Presidente da

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 A - INTRODUÇÃO O ano de 2013 que agora termina, foi decisivo para a continuidade da Fundação do Desporto. O Governo, através do Sr. Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal 18 DE FEVEREIRO A 13 DE MARÇO DE 2008 A inducar (http://www.inducar.pt) é uma organização de direito

Leia mais

Desenvolvimento de ligadores eléctricos efectuando simulações computacionais baseadas no Método dos Elementos Finitos

Desenvolvimento de ligadores eléctricos efectuando simulações computacionais baseadas no Método dos Elementos Finitos Desenvolvimento de ligadores eléctricos efectuando simulações computacionais baseadas no Método dos Elementos Finitos 1. INTRODUÇÃO O objectivo deste trabal ho consiste em tentar prever, a carga de rotura

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008 AREA DE FORMAÇÃO - ESTRUTURAÇÃO DA ÁREA Foi possível no decorrer de 2008 encontrar na ÁREA DE FORMAÇÃO uma estabilidade ao nível dos recursos humanos que proporcionou

Leia mais

PHC Recursos Humanos CS

PHC Recursos Humanos CS PHCRecursos Humanos CS DESCRITIVO Optimize a selecção e recrutamento, proceda à correcta descrição de funções, execute as avaliações de desempenho e avalie as acções de formação. PHC Recursos Humanos CS

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

EDITAL Nº 21/10. Regulamento

EDITAL Nº 21/10. Regulamento MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL EDITAL Nº 21/10 Regulamento - - - Frederico Fernandes Pereira, Presidente da Assembleia Municipal do Barreiro, torna público que, por deliberação deste órgão

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

12. Da discussão e dos seminários, surgiu um consenso sobre as ideias seguintes

12. Da discussão e dos seminários, surgiu um consenso sobre as ideias seguintes Conclusões «Inovação e sustentabilidade ambiental. A inovação e a tecnologia como motor do desenvolvimento sustentável e da coesão social. Uma perspectiva dos governos locais». 1. O Fórum irá estudar,

Leia mais

2. Enquadramento metodológico

2. Enquadramento metodológico 1. A Agenda 21 LOCAL 1. Em 1992, no Rio de Janeiro, a Conferência das Nações Unidas sobre Ambiente e Desenvolvimento (CNUAD) aprovou um Plano de Acção para o Século 21, intitulado Agenda 21. Realizada

Leia mais

MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Acta n.º3/2004

MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Acta n.º3/2004 MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Acta n.º3/2004 Aos dez dias do mês de Maio do ano de 2004, no Auditório Municipal da Quinta das Pratas, reuniu o Conselho Municipal de Educação do Concelho

Leia mais