Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor"

Transcrição

1 Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Outubro-2010

2 ESTADO BRASILEIRO SUBSIDIÁRIO COM A PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL NA PRESTAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS DE FORMA COMPLEMENTAR E SUBSIDIÁRIA ATUAÇÃO DO ESTADO NA PROTEÇÃO LEGAL DOS DIREITOS SOCIAIS COM INCLUSÃO NA CARTA MAGNA E INCENTIVO DA SUA EXECUÇÃO POR ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR

3 Formas de fomento às entidade de interesse social Desoneração tributária das entidades do Terceiro Setor por meio de imunidades e isenções Política de incentivos fiscais Transferências orçamentárias e parcerias com o Terceiro Setor

4 Regime fiscal IMUNIDADE TRIBUTÁRIA - limitação constitucional do poder de tributar a) artigo 150,inciso VI, alínea c e 4º da Constituição Federal patrimônio, renda e serviços das instituições de educação e assistência social, sem fins lucrativos, atendidos os requisitos da lei e relacionados com as atividades essenciais das entidades b) artigo 195, 7º da Constituição Federal - contribuição para a seguridade social as entidades beneficentes de assistência social que atendam às exigências estabelecidas em lei ISENÇÃO TRIBUTÁRIA Artigo 176 do CTN, exclusão do tributo por lei especificando as condições e requisitos exigidos para a concessão, os tributos a que se aplica e, sendo o caso, o prazo de sua duração

5 Incentivos Fiscais Estímulo do Poder Público em favor das entidades do Terceiro Setor para obterem recursos à execução de suas finalidades de interesse social, e de incentivar a solidariedade e participação da comunidade na efetivação dos direitos sociais Realizado por meio de desoneração de tributos do contribuinte (federais, estaduais ou municipais) Há diversas modalidades, podendo, se dar por meio de apoio a um projeto (doação/patrocínio), doação a um Fundo Público, ou doação para entidade com autorização legal de receber o benefício

6 Incentivo Cultural Lei nº 8.313, de Dirigido a projetos culturais aprovados pelo Ministério da Cultura Comissão Nacional de Incentivo a Cultura Modalidades: doação (numerário, bens ou serviço) vedada a publicidade, e patrocínio (numerário) com permissão de publicidade, com distinção de percentuais de dedução (maior para doação) Previsão de incentivos diferenciados: a) artigo 18 da Lei nº 8.313/91, com apoio direto de projetos ou destinação de recursos ao FNC- Fundo Nacional da Cultura, a segmentos determinados (artes cênicas, livros de valor artístico, literário ou humanístico, música erudita ou instrumental, circulação de exposição de artes plásticas, e doações de acervos para bibliotecas públicas e para museus); b) artigo 26 da Lei nº 8.313/91 - para os demais segmentos culturais, com possibilidade da pessoa jurídica abater como despesa operacional, e de acumular com outros benefícios fiscais, em especial, doações a entidade de utilidade pública (art. 26, 3º) Permissão do incentivo ser utilizado em favor de instituição cultural sem fins lucrativos, criada pelo doador/patrocinador (artigo 27, 2º)

7 Lei de Incentivo à atividade audiovisual Lei nº 8.685/1993 Lei de Fomento ao Esporte Lei nº /2006 e Lei nº /2007 Doação para instituições de ensino e pesquisa criadas por autorização de lei federal, sem fins lucrativos, observados os requisitos dos incisos I e II do art.213, da CF Doação para entidade civil, sem fins lucrativos, que preste serviços gratuitos em benefícios de empregados da pessoa jurídica doadora, e respectivos dependentes, ou em benefício da comunidade onde atuem, e reconhecida de Utilidade Pública Federal Incentivos fiscais para entidades qualificadas como OSCIP isenção de IR, desde que não remunerem os seus dirigentes, e podem ser beneficiárias de doações dedutíveis de pessoas jurídicas (condicionada a renovação anual da qualificação) art. 59 da MP , de 2001 Incentivos fiscais estaduais e municipais no Município de Curitiba ao esporte e cultura (dedução de IPTU e ISSQN)

8 Fundos Públicos do Estatuto da Criança e do Adolescente Lei nº 8.069/90 e Lei nº 8.242/91 doação ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente, abatimento no IR no percentual de 6% para pessoa física e 1% para pessoa jurídica (limites estabelecidos por Decreto do Presidente da República) Fundo Nacional da Cultura Lei nº 8.313/1991 Lei de Entorpecentes Lei nº /2006 instituiu o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas-SISNAD, com previsão legal de criação de benefícios fiscais a entidades que executem políticas públicas de combate às drogas (artigos 24 e 68)

9 Repasses de recursos ao Terceiro Setor Subvenções sociais - transferências correntes de recursos para atender despesas de custeio e manutenção de entidades privadas que exerçam atividade de natureza continuada nas áreas de cultura, assistência social, saúde e educação (artigo 16 da Lei nº 4.380/64) Auxílios transferência de capital derivadas da lei orçamentária destinada a atender despesas de investimentos ou inversões financeiras, sem contraprestação direta de bens ou serviços (artigo 12, 6º da Lei nº 4.830/64) Contribuições transferência corrente (custeio/manutenção) ou de capital (investimentos e inversões) depende de lei específica

10 FOMENTO POR MEIO DE PARCERIAS COM AS ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR Contratos Convênios Termos de Parceria Contratos de Gestão

11 CONTRATO ADMINISTRATIVO Contratação direta com dispensa de licitação Lei n 8.666/93, artigo: 1. inciso XIII instituição brasileira com finalidade de pesquisa, ensino ou desenvolvimento institucional, ou instituição dedicada à recuperação social do preso, sem fins lucrativos 2. inciso XXIV - organizações sociais objeto: atividades contempladas no contrato de gestão Direitos e obrigações recíprocas

12 Convênio Ajuste de vontade entre a Administração Pública e a entidade do Terceiro Setor, para a realização de objetivos de interesse comum dos partícipes (definição de Hely Lopes Meirelles) artigo 116, da Lei nº 8.666/93 Obrigatório plano de trabalho projeto Recursos materiais, verbas, utilização de bens

13 Termo de Parceria Firmado com Organização da Sociedade de Interesse Público OSCIP Lei nº 9.790/99 entidade privada sem fins lucrativos com qualificação federal junto ao Ministério da Justiça, para fomento e execução de atividade de interesse público (artigo 3º da Lei nº 9.790/99) Participação de Conselhos de Políticas Públicas da área de atuação na celebração, acompanhamento e fiscalização Controle de resultado quanto ao alcance da finalidade

14 Contrato de Gestão Firmado com entidade qualificada como Organização Social Lei nº 9.637/98 Repasse de recursos orçamentários, bens públicos e cessão de servidores Participação do Estado administração da Organização Social pela indicação de membros natos do conselho de administração Vício de inconstitucionalidade, está sub judice sub judice ADI DF (negada liminar em Medida Cautelar)

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br INCENTIVOS FISCAIS Contexto MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

TERCEIRO SETOR. Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado

TERCEIRO SETOR. Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado TERCEIRO SETOR Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado Modalidade de apoio e financiamento por parte do Estado ESPÉCIE Auxílios Contribuições Subvenções PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade Atividade planejada e complexa: envolve marketing, comunicação,

Leia mais

Projetos Culturais, Esportivos e Sociais: como aproveitar melhor os incentivos fiscais

Projetos Culturais, Esportivos e Sociais: como aproveitar melhor os incentivos fiscais A B B C Projetos Culturais, Esportivos e Sociais: como aproveitar melhor os incentivos fiscais MARCELO DE AGUIAR COIMBRA Graduado e Mestre em Direito pela USP/Doutorando pela Universidade de Colônia, Alemanha.

Leia mais

Soluções Culturais INCENTIVO FISCAL POR DENTRO DAS LEIS

Soluções Culturais INCENTIVO FISCAL POR DENTRO DAS LEIS Soluções Culturais INCENTIVO FISCAL POR DENTRO DAS LEIS LEI ROUANET LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA LEI Nº 8131/91; LEI 9.874/99 E A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 2228-1/2001 Soluções Culturais O que é? Neste

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS OBJETIVO 1. Esta norma estabelece critérios e procedimentos específicos de avaliação, de registro dos componentes e variações

Leia mais

Como incentivar? Incentivos fiscais para doações livres. Incentivos fiscais para doações/patrocínio a projetos chancelados

Como incentivar? Incentivos fiscais para doações livres. Incentivos fiscais para doações/patrocínio a projetos chancelados Incentivos Fiscais Como incentivar? Incentivos fiscais para doações livres Incentivos fiscais para doações/patrocínio a projetos chancelados Incentivos fiscais para doações a fundos públicos Incentivos

Leia mais

Guia para Boas Práticas

Guia para Boas Práticas Responsabilidade Social Guia para Boas Práticas O destino certo para seu imposto Leis de Incentivo Fiscal As Leis de Incentivo Fiscal são fruto da renúncia fiscal das autoridades públicas federais, estaduais

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS

INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS MARCONDES WITT Auditor-Fiscal e Delegado-Adjunto da Receita Federal do Brasil em Joinville I like to pay taxes, with them I buy civilization.

Leia mais

Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social. (1) renúncia fiscal

Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social. (1) renúncia fiscal Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social Associação Fundação Privada Associação Sindical Partidos Políticos (1) renúncia fiscal Subvencionada 1 Entidades

Leia mais

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006 Governo do Estado Institui o Programa de Ação Cultural - PAC, e dá providências correlatas. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

CONTEÚDO JURÍDICO DAS LEIS DE INCENTIVO FISCAL

CONTEÚDO JURÍDICO DAS LEIS DE INCENTIVO FISCAL CONTEÚDO JURÍDICO DAS LEIS DE INCENTIVO FISCAL DEMAREST ADVOGADOS - CARLOS EDUARDO ORSOLON (CEORSOLON@DEMAREST.COM.BR) - RICARDO VALIM (RVALIM@DEMAREST.COM.BR) 29 DE MAIO DE 2014 INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações importantes para o Contador da Empresa

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações importantes para o Contador da Empresa Informações importantes para o Contador da Empresa É a lei que institui o Programa Nacional de Apoio à Cultura PRONAC, visando à captação de recursos para investimentos em projetos culturais. As pessoas

Leia mais

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter desportivo e dá outras providências. * V. Dec. 6.180/2007 (Regulamenta a Lei 11.438/2006).

Leia mais

Investimento cultural e o Sistema Jurídico Brasileiro Laura Fragomeni

Investimento cultural e o Sistema Jurídico Brasileiro Laura Fragomeni Investimento cultural e o Sistema Jurídico Brasileiro Laura Fragomeni PANORAMA HISTÓRICO BRASILEIRO: Históricamente o Brasil viveu 20 (vinte) anos de regime militar. Neste período houve um grande esforço

Leia mais

NBC T 10.16. Entidades que recebem subvenções, contribuições, auxílios e doações AUDIT

NBC T 10.16. Entidades que recebem subvenções, contribuições, auxílios e doações AUDIT NBC T 10.16 Entidades que recebem subvenções, contribuições, auxílios e doações AUDIT NBC T 10.16 - Entidades que recebem subvenções, contribuições, auxílios e doações Foco do seminário em: Conceito (conceituando

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações Importantes para o Empresário Patrocinador

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações Importantes para o Empresário Patrocinador Informações Importantes para o Empresário Patrocinador Se sua empresa deseja Patrocinar um dos projeto culturais, aprovados pelo Ministério da Cultura por meio por da Lei Rouanet. Isso significa que como

Leia mais

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Permite o apoio financeiro a projetos culturais credenciados pela Secretaria de Cultura de São Paulo, alcançando todo o estado. Segundo a Secretaria, o Proac visa a: Apoiar

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Texto compilado Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter

Leia mais

GESTÃO CONTÁBIL PAPEL DO CONTADOR TERCEIRO SETOR CREDIBILIDADE CAPTAÇÃO DE RECUROS PÚBLICOS GERAÇÃO E DIVULGAÇÃO INFORMAÇÕES PARA TODOS INTERESSADOS

GESTÃO CONTÁBIL PAPEL DO CONTADOR TERCEIRO SETOR CREDIBILIDADE CAPTAÇÃO DE RECUROS PÚBLICOS GERAÇÃO E DIVULGAÇÃO INFORMAÇÕES PARA TODOS INTERESSADOS 18º CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTABILIDADE PAINEL 7: CONTROLE E TRANSPARÊNCIA NA GESTÃO DE ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR GESTÃO CONTÁBIL PAPEL DO CONTADOR TERCEIRO SETOR CREDIBILIDADE GERAÇÃO E DIVULGAÇÃO

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS OS INCENTIVOS FISCAIS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS OS INCENTIVOS FISCAIS CAPTAÇÃO DE RECURSOS OS INCENTIVOS FISCAIS OS INCENTIVOS FISCAIS Incentivos fiscais são instrumentos utilizados pelo governo para estimular atividades específicas, por prazo determinado (projetos). Existem

Leia mais

Captação de Recursos. Fernando Cavalcanti 04.Jun.2013. Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais!

Captação de Recursos. Fernando Cavalcanti 04.Jun.2013. Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais! Captação de Recursos Fernando Cavalcanti 04.Jun.2013 Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais! Como Captar Recursos? Existem diversas maneiras das organizações conseguirem

Leia mais

Introdução... 3 Certificações da FFM... 4

Introdução... 3 Certificações da FFM... 4 MANUAL DE BENEFÍCIOS FISCAIS DOAÇÕES EFETUADAS À FFM São Paulo SP 2014 Índice Introdução... 3 Certificações da FFM... 4 1. Doações a Entidades sem Fins Lucrativos... 5 1.1. Imposto de Renda e Contribuições

Leia mais

Incentivo Fiscal. Uma abordagem sobre a sua utilização em projetos sociais. PJW

Incentivo Fiscal. Uma abordagem sobre a sua utilização em projetos sociais. PJW Incentivo Fiscal Uma abordagem sobre a sua utilização em projetos sociais. PJW Objetivo Conhecer as principais leis de incentivo fiscal e sua utilização com foco em ações sociais. Compreender as dificuldades

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil 9ª Região Fiscal - Paraná e Santa Catarina DRF Cascavel - PR CONHECER PARA GERENCIAR

Leia mais

MANUAL DO PATROCINADOR

MANUAL DO PATROCINADOR MANUAL DO PATROCINADOR Neste manual você irá encontrar informações sobre os serviços que o trevo criativo oferece aos patrocinadores, além de informações sobre o funcionamento e benefícios das leis de

Leia mais

SOARES & FALCE ADVOGADOS

SOARES & FALCE ADVOGADOS SOARES & FALCE ADVOGADOS ASPECTOS LEGAIS DA CAPTAÇÃO DE RECURSOS VIA BAZARES E VENDA DE PRODUTOS NAS ORGANIZAÇÕES Michael Soares 03/2014 BAZAR BENEFICENTE E VENDA DE PRODUTOS NAS ORGANIZAÇÕES Quais os

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador MOZARILDO CAVALCANTI I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador MOZARILDO CAVALCANTI I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTES, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 65, de 2012 (Projeto de Lei nº 1.263, de 2003, na origem), de autoria do Deputado Leonardo Monteiro,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter desportivo e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA LEI Nº 931/2010 Dispõe sobre incentivo fiscal para a realização de projetos culturais no Município de Juranda, Estado do Paraná, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE JURANDA, ESTADO DO PARANÁ,

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO 001858/2011 ORIGEM Prefeitura Municipal de Umbaúba NATUREZA Consulta INTERESSADO Anderson Fontes Farias RELATOR Conselheiro REINALDO MOURA FERREIRA AUDITOR Parecer nº 204/2011 Alexandre Lessa

Leia mais

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS OBJETIVOS Dotar as Promotorias de Justiça

Leia mais

APLICAÇÃO DA LEI DE LICITAÇÕES A ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR: OS e OSCIP

APLICAÇÃO DA LEI DE LICITAÇÕES A ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR: OS e OSCIP APLICAÇÃO DA LEI DE LICITAÇÕES A ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR: OS e OSCIP Paulo Modesto (UFBA) http://www.direitodoestado.com.br Salvador, 03 de agosto de 2006 AMBIGUIDADE DA EXPRESSÃO TERCEIRO SETOR Terceiro

Leia mais

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO 1 INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO CAPITULO I - DA DENOMINAÇÃO, DOS FINS, DA SEDE E DO PRAZO Art. 2º Para a consecução dos seus

Leia mais

ENTIDADES PARAESTATAIS

ENTIDADES PARAESTATAIS ENTIDADES PARAESTATAIS I) CONCEITO Embora não empregada na atual Constituição Federal, entidade paraestatal é expressão que se encontra não só na doutrina e na jurisprudência, como também em leis ordinárias

Leia mais

Consórcio Público. Administração Indireta

Consórcio Público. Administração Indireta Ordem Social Ordem Econômica Administração Direta Autarquia Fundação Publica Fundação Publica Empresa Pública Sociedade Economia Mista Subsidiária Consórcio Público Administração Indireta 1 Consórcio público

Leia mais

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais:

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: A. Doação à AMARRIBO, que possui o título de OSCIP; B. Doação/Patrocínio de Projeto

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS Índice Item CONTETO 1 6 ALCANCE 7 8 RECONHECIMENTO 9 10 REGISTROS CONTÁBEIS 11 22 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 23 25 CONTAS DE

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 Inclui as doações aos Fundos controlados pelos Conselhos de Assistência Social na permissão para dedução do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas.

Leia mais

Incentivos Fiscais: Cultura. Marcelo de Aguiar Coimbra mcoimbra@cfaadvogados.com.br

Incentivos Fiscais: Cultura. Marcelo de Aguiar Coimbra mcoimbra@cfaadvogados.com.br Incentivos Fiscais: Cultura Marcelo de Aguiar Coimbra mcoimbra@cfaadvogados.com.br Data 28 de Outubro de 2008 Curriculum Vitae Graduado e Mestre em Direito pela USP/Doutorando pela Universidade de Colônia,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

26/09/2014. A Via Crucis" judicial do CEBAS e a remuneração dos dirigentes

26/09/2014. A Via Crucis judicial do CEBAS e a remuneração dos dirigentes A Via Crucis" judicial do CEBAS e a remuneração dos dirigentes 1 Josenir Teixeira Advogado Mestre em Direito UniFMU FADISP Pós-Graduado em Direito Processual Civil UniFMU Pós-Graduado em Direito Empresarial

Leia mais

Exceção: Art. 156, 3º, II, CF c/c LC 116/03 Vedação da incidência de ISS na exportação de serviços para o exterior.

Exceção: Art. 156, 3º, II, CF c/c LC 116/03 Vedação da incidência de ISS na exportação de serviços para o exterior. Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Tributário / Aula 12 Professor: Mauro Lopes Monitora: Carolina Meireles (continuação) 8) Princípio da vedação de isenção heterônoma Art. 151,

Leia mais

O contrato de gestão. Valéria Alpino Bigonha Salgado. Organização Social

O contrato de gestão. Valéria Alpino Bigonha Salgado. Organização Social O contrato de gestão e a gestão por resultados Valéria Alpino Bigonha Salgado Organização Social Organização social Contrato de gestão Objetivo do contrato: estabelecer as atribuições, responsabilidades

Leia mais

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL 30/10/2015 Prezados clientes, A Câmara dos Deputados aprovou na noite de 28.10.2015, o Projeto de Lei de Conversão ( PLV ) nº 21/2015, referente à Medida

Leia mais

Incentivos Fiscais para captação de recursos

Incentivos Fiscais para captação de recursos Incentivos Fiscais para captação de recursos a) Dedutibilidade das doações A partir de 1º de janeiro de 1996, a Lei 9.249, de 26 de dezembro de 1996, limitou a dedutibilidade de algumas despesas operacionais,

Leia mais

Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão

Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão Módulo 2: Leis de incentivo André Fonseca Santo André / maio 2009 Pronac Programa Nacional de Apoio à Cultura (1991) estabeleceu três mecanismos de

Leia mais

Conveniada com o Poder Público

Conveniada com o Poder Público Conveniada com o Poder Público Entidade privada sem fins lucrativos, com o qual a administração federal pactua a execução de programa, projeto/atividade ou evento mediante a celebração de convênio. Associação

Leia mais

MODALIDADES PARTICIPATIVAS DE CONTRIBUIÇÃO AO INSTITUTO COI. 1. Doação ao ICOI, que possui o título de OSCIP

MODALIDADES PARTICIPATIVAS DE CONTRIBUIÇÃO AO INSTITUTO COI. 1. Doação ao ICOI, que possui o título de OSCIP MODALIDADES PARTICIPATIVAS DE CONTRIBUIÇÃO AO INSTITUTO COI 1. Doação ao ICOI, que possui o título de OSCIP 2. Doação/Patrocínio de Projeto Cultural por pessoa jurídica (art. 18 da Lei Rouanet) e 3. Doação/Patrocínio

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 866, DE 2015 (Do Sr. Izalci)

PROJETO DE LEI N.º 866, DE 2015 (Do Sr. Izalci) *C0052108A* C0052108A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 866, DE 2015 (Do Sr. Izalci) Cria o Fundo Nacional de Apoio ao Sistema Socioeducativo DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA;

Leia mais

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais:

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: A. Doação à AMARRIBO, que possui o título de OSCIP; B. Doação/Patrocínio de Projeto

Leia mais

Copyright 2015 Declarando.

Copyright 2015 Declarando. Este Guia tem como objetivo democratizar o conhecimento em relação ao Imposto de Renda Pessoa Física, trazendo informações claras mas sem perder a seriedade com as fontes e o compromisso com a construção

Leia mais

RENÚNCIA FISCAL DO IMPOSTO DE RENDA

RENÚNCIA FISCAL DO IMPOSTO DE RENDA DICAS PARA UTILIZAÇÃO DE RENÚNCIA FISCAL DO IMPOSTO DE RENDA Oportunidades e Legislação Parceria ÍNDICE EDITORIAL Uma oportunidade de contribuir com a transformação social 1. O QUE É RENÚNCIA FISCAL 1.1

Leia mais

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Nossa equipe atende empresas que investem em responsabilidade

Leia mais

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL 22/12/2015 ATENÇÃO 1 Declaração de Imunidade Tributária Municipal deve ser enviada até 31.12.2015 Nos termos da Instrução Normativa nº 07/2015 da Secretaria

Leia mais

POR QUE AS SUBVENÇÕES SOCIAIS NÃO SÃO ALCANÇADAS PELO MROSC

POR QUE AS SUBVENÇÕES SOCIAIS NÃO SÃO ALCANÇADAS PELO MROSC artigo POR QUE AS SUBVENÇÕES SOCIAIS NÃO SÃO ALCANÇADAS PELO MROSC Mariana Moreira * Kleyton Rogério Machado Araújo ** A Lei federal 13.019/2014, ou Marco Regulatório das Organizações Sociais (MROSC),

Leia mais

ITG 2002: Os principais desafios na implementação das novas práticas na visão da Auditoria Independente.

ITG 2002: Os principais desafios na implementação das novas práticas na visão da Auditoria Independente. ITG 2002: Os principais desafios na implementação das novas práticas na visão da Auditoria Independente. Evelyse Amorim Lourival Amorim Florianópolis, 11 de novembro de 2014 ITG 2002 Introdução e Principais

Leia mais

Organizações Sociais. Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade de Interesse Público (OSCIP) ENTES DE COOPERAÇÃO. Antes.

Organizações Sociais. Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade de Interesse Público (OSCIP) ENTES DE COOPERAÇÃO. Antes. Professor Luiz Antonio de Carvalho Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade de Interesse Público (OSCIP) lac.consultoria@gmail.com 1 Segundo o PDRAE-1995 O Projeto Organizações Sociais e Publicização

Leia mais

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 Cria o Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso, dispõe sobre os Bens Apreendidos e Adquiridos com Produtos de Tráfico Ilícito de Drogas ou

Leia mais

Gestão Financeira e Contábil para o Terceiro Setor. Transparência, Prestação de Contas e Orçamento

Gestão Financeira e Contábil para o Terceiro Setor. Transparência, Prestação de Contas e Orçamento Gestão Financeira e Contábil para o Terceiro Setor Transparência, Prestação de Contas e Orçamento Reflexão Como acontece a Gestão Financeira e Contábil na minha Entidade? Gestão Assim, como nas entidades

Leia mais

ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO

ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E REGIME TRIBUTÁRIO PROF. SERGIO MONELLO 08/10/2013 Para as desonerações tributárias, as entidades podem ser divididas em dois campos: 1) as imunes 2) as isentas 2 IMUNIDADE

Leia mais

OAB 140º - 1ª Fase Extensivo Final de Semana Disciplina: Direito Tributário Professor Alessandro Spilborghs Data: 10/10/2009

OAB 140º - 1ª Fase Extensivo Final de Semana Disciplina: Direito Tributário Professor Alessandro Spilborghs Data: 10/10/2009 TEMAS ABORDADOS EM AULA Aula 2: Princípios (continuação), Imunidade Tributaria. I. PRINCÍPIOS 1. Irretroatividade - Art. 150, III a CF A Lei Tributária não se aplica há fatos geradores anteriores a data

Leia mais

SUBVENÇÃO SOCIAL A ENTIDADE PRIVADA

SUBVENÇÃO SOCIAL A ENTIDADE PRIVADA SUBVENÇÃO SOCIAL A ENTIDADE PRIVADA Autoria: Sidnei Di Bacco Advogado Questão interessante diz respeito aos requisitos legais a serem cumpridos pelos municípios para repassar subvenção social a entidades

Leia mais

Cartilha de Informações: Doações e Patrocínios.

Cartilha de Informações: Doações e Patrocínios. Cartilha de Informações: Doações e Patrocínios. O Instituto Abramundo é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) e com isso pode receber doações e incentivos para a execução de seus

Leia mais

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social Decreto n o 2.173, de 5 de março de 1997 aprova o Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social. Decreto n

Leia mais

Imunidade Tributária e Isenções de Impostos

Imunidade Tributária e Isenções de Impostos Imunidade Tributária e Isenções de Impostos Tomáz de Aquino Resende Procurador de Justiça Coordenador do Centro de Apoio ao Terceiro Setor de Minas Gerais Primeiro, é necessário estabelecermos a diferença

Leia mais

VEJA AQUI, DE QUE FORMA: DEDUTIBILIDADE DE IMPOSTO DE RENDA DAS SOCIEDADES DOADORAS PARA OSCIPS:

VEJA AQUI, DE QUE FORMA: DEDUTIBILIDADE DE IMPOSTO DE RENDA DAS SOCIEDADES DOADORAS PARA OSCIPS: FAÇA UMA DOAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA (IRPJ) DE SUA EMPRESA AO ESPORTE CLUBE 2014 ( OSCIP- ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE INTERESSE PÚBLICO) CNPJ 09.146.936/0001-08 QUALIFICAÇÃO COMO OSCIP- MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

Leia mais

Editorial. Stella Cintra Diretora-presidente

Editorial. Stella Cintra Diretora-presidente Editorial Em Março, com o início do período para envio das declarações de Imposto de Renda de 2009, recebemos algumas mensagens de colaboradores perguntando sobre a possibilidade de desconto dos valores

Leia mais

Estado do Pará MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO CONJUNTO Nº 010/2015-MP/PGJ/CGMP

Estado do Pará MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO CONJUNTO Nº 010/2015-MP/PGJ/CGMP PROVIMENTO CONJUNTO Nº 010/2015-MP/PGJ/CGMP Define os documentos e modelos de demonstrações contábeis exigidos para prestação de contas finalística das entidades do terceiro setor sujeitas ao velamento

Leia mais

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO ASSUNTO: Consulta Operações personalizadas de vendas que realiza. PARECER Nº 097/06/GETRI/CRE/SEFIN SÚMULA: OPERAÇÕES DE VENDAS PERSONALIZADAS PELO SENAC-RO À EXCEÇÃO DAS VENDAS DE LIVROS, QUE GOZAM DE

Leia mais

ISEE. Apresentação Lei de Incentivo ao Esporte Lei 11438/06. Fonte: Ministério do Esporte

ISEE. Apresentação Lei de Incentivo ao Esporte Lei 11438/06. Fonte: Ministério do Esporte ISEE Apresentação Lei de Incentivo ao Esporte Lei 11438/06 2011 Introdução - A Lei de Incentivo ao Esporte prevê a possibilidade de PF e PJ destinarem uma parcela do imposto de renda devido em benefício

Leia mais

DECRETO No- 7.988, DE 17 DE ABRIL DE 2013

DECRETO No- 7.988, DE 17 DE ABRIL DE 2013 DECRETO No- 7.988, DE 17 DE ABRIL DE 2013 Regulamenta os arts. 1º a 13 da Lei nº 12.715, de 17 de setembro de 2012, que dispõem sobre o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica - PRONON e o Programa

Leia mais

Novas formas de prestação do serviço público: Gestão Associada Convênios e Consórcios Regime de parceria- OS e OSCIPS

Novas formas de prestação do serviço público: Gestão Associada Convênios e Consórcios Regime de parceria- OS e OSCIPS Novas formas de prestação do serviço público: Gestão Associada Convênios e Consórcios Regime de parceria- OS e OSCIPS Material de apoio para estudo: slides trabalhados em sala de aula com acréscimo de

Leia mais

OFICINA DE CONHECIMENTO GESTÃO E SUSTENTABILIDADE PARA O TERCEIRO SETOR

OFICINA DE CONHECIMENTO GESTÃO E SUSTENTABILIDADE PARA O TERCEIRO SETOR OFICINA DE CONHECIMENTO GESTÃO E SUSTENTABILIDADE PARA O TERCEIRO SETOR TERCEIRO SETOR O TERCEIRO SETOR PODE SER CONCEITUADO COMO AQUELE COMPOSTO PELO CONJUNTO DE ENTIDADES QUE TENHA COMO OBJETIVO E FINALIDADE

Leia mais

RELATÓRIO DA CÂMARA TÉCNICA Nº. 06/13

RELATÓRIO DA CÂMARA TÉCNICA Nº. 06/13 Brasília, 21 de março de 2013. RELATÓRIO DA CÂMARA TÉCNICA Nº. 06/13 Origem: Valdir Coscodai. Interessado: Valdir Coscodai. Assunto: Consulta sobre o reconhecimento das receitas de doações e subvenções

Leia mais

DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE E IDOSO: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Programa Nacional de Educação Fiscal

DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE E IDOSO: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Programa Nacional de Educação Fiscal DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE E IDOSO: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL Programa Nacional de Educação Fiscal Superintendência da Receita Federal do Brasil em São Paulo Outubro

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação Fl. 101 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 4 Data 6 de fevereiro de 2014 Origem DRF/BSB/DF (E PROCESSO Nº 10104.720008/2013 12) ASSUNTO: NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DA RESOLUÇÃO CFC No. 1.409/12 ITG 2002

INTERPRETAÇÃO DA RESOLUÇÃO CFC No. 1.409/12 ITG 2002 INTERPRETAÇÃO DA RESOLUÇÃO CFC No. 1.409/12 ITG 2002 NO CONTEXTO OPERACIONAL DEVE TER OS REQUISITOS QUE ENQUADRAM A ENTIDADE COMO SEM FINS LUCRATIVOS: A) pessoas jurídicas de direito privado sem finalidade

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes

Escola de Formação Política Miguel Arraes Escola de Formação Política Miguel Arraes Curso de Atualização e Capacitação Sobre Formulação e Gestão de Políticas Públicas Módulo III Gestão das Políticas Públicas Aula 5 Parcerias na gestão e execução

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS DO IR DEVIDO

INCENTIVOS FISCAIS DO IR DEVIDO INCENTIVOS FISCAIS DO IR DEVIDO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA INTRODUÇÃO: Poderão utilizar os INCENTIVOS FISCAIS objetos desta apresentação: As pessoas físicas que entregarem

Leia mais

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Tomáz de Aquino Resende Promotor de Justiça. Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Tutela de Fundações de Minas Gerais.

Leia mais

OSCIP. Introdução Formas Associativas Títulos e certificados Lei Nº 9637/99 Regime tributário

OSCIP. Introdução Formas Associativas Títulos e certificados Lei Nº 9637/99 Regime tributário OSCIP Introdução Formas Associativas Títulos e certificados Lei Nº 9637/99 Regime tributário ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP S (LEI Nº 9.790/99) A Lei nº 9.790/99, também denominada

Leia mais

Texto 3 Projetos e captação de recursos:

Texto 3 Projetos e captação de recursos: Texto 3 Projetos e captação de recursos: O resultado traduz o processo Uma organização não governamental, assim como uma empresa, precisa de recursos financeiros para conseguir fazer o que se propõe. A

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS E GERAÇÃO DE RENDA PARA ONGs

INCENTIVOS FISCAIS E GERAÇÃO DE RENDA PARA ONGs INCENTIVOS FISCAIS E GERAÇÃO DE RENDA PARA ONGs Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel danilotiisel@socialprofit.com.br Michel Freller michel@criando.net TEMAS DE HOJE Mobilização

Leia mais

QUEM PODE HABILITAR-SE NO SICONV?

QUEM PODE HABILITAR-SE NO SICONV? O QUE É SICONV? Criado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o SICONV Sistema de Convênio, tem como uma das finalidades, facilitar as apresentações de projetos aos programas ofertados pelo

Leia mais

LEIS DE INCENTIVOS FISCAIS

LEIS DE INCENTIVOS FISCAIS segunda-feira, 11 de julho de 2011. LEIS DE INCENTIVOS FISCAIS Leis e Benefícios Com Responsabilidade Social Introdução Todos sabem que as instituições de Utilidade Pública Federal e as Organizações da

Leia mais

>Lei nº 9.615, de 24 de Março de 1998 - Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências.

>Lei nº 9.615, de 24 de Março de 1998 - Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências. 1) FUNDAMENTO LEGAL: Objetivando expressar nosso Parecer Técnico sobre a legislação que fundamenta o incentivo fiscal de âmbito federal para projetos de atividades de caráter desportivo, procedemos ao

Leia mais

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI N Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC, altera as Leis n. 7.998, de 11 de janeiro de 1990, n. 8.121, de 24 de julho de 1991 e n. 10.260, de 12 de julho

Leia mais

Criada em 1999 em Campinas, a Direção Cultura Produções. principalmente empresas, artistas e entidades do terceiro setor.

Criada em 1999 em Campinas, a Direção Cultura Produções. principalmente empresas, artistas e entidades do terceiro setor. Histórico Criada em 1999 em Campinas, a Direção Cultura Produções realiza projetos em diversificados setores, atendendo principalmente empresas, artistas e entidades do terceiro setor. Em 2010 abriu escritório

Leia mais

Secretaria da Receita Federal do Brasil. Missão. Valores

Secretaria da Receita Federal do Brasil. Missão. Valores Secretaria da Receita Federal do Brasil Missão Exercer a administração tributária e o controle aduaneiro, com justiça fiscal e respeito ao cidadão, em benefício da sociedade. Respeito ao cidadão Integridade

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA POLÍTICA ESTADUAL DE APOIO AO COOPERATIVISMO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA POLÍTICA ESTADUAL DE APOIO AO COOPERATIVISMO LEI N. 1.598, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2004 Institui a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado do Acre decreta

Leia mais

COMO SE TORNAR UM PARCEIRO DO CORPO CIDADÃO? Junte-se a nós!

COMO SE TORNAR UM PARCEIRO DO CORPO CIDADÃO? Junte-se a nós! COMO SE TORNAR UM PARCEIRO DO CORPO CIDADÃO? O Corpo Cidadão utiliza diversos mecanismos de incentivo fiscal, fontes de financiamento, parcerias, doações, programas de voluntariado e cria ações de marketing

Leia mais

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Maceió -Setembro/2013 HISTÓRICO PORTARIA GM/MS nº 3.916/98 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS ESTABELECEU DIRETRIZES

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

O que é associação sem fins lucrativos? Como constituir e como é tributada?

O que é associação sem fins lucrativos? Como constituir e como é tributada? O que é associação sem fins lucrativos? Como constituir e como é tributada? Parecer: I - Conceitos e objetivos: Associação Sem Fins Lucrativos: Associação é uma entidade de direito privado, dotada de personalidade

Leia mais

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO Esta Chamada Pública de Apoio Institucional visa à seleção de projetos a serem apoiados pelo CAU/BR na modalidade de Apoio à Assistência

Leia mais

Instrução Normativa Conjunta MINC/MF n 1, de 13.06.95

Instrução Normativa Conjunta MINC/MF n 1, de 13.06.95 Instrução Normativa Conjunta MINC/MF n 1, de 13.06.95 Dispõe sobre os procedimentos de acompanhamento, controle e avaliação a serem adotados na utilização dos benefícios fiscais instituídos pela Lei n

Leia mais

Auditoria das Demonstrações Contábeis das Fundações no ES.

Auditoria das Demonstrações Contábeis das Fundações no ES. VIII ENCONTRO DE AUDITORES E PERITOS DO ES Auditoria das Demonstrações Contábeis das Fundações no ES. Klaus Xavier de Oliveira. Auditoria das Demonstrações Contábeis das Fundações no ES As opiniões ou

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Para mais informações, acesse o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários, 5ª edição. https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/arquivos/artigos/parte_i_-_pco.pdf

Leia mais

No Brasil as entidades de interesse social só podem se constituir juridicamente na forma de associação ou fundação.

No Brasil as entidades de interesse social só podem se constituir juridicamente na forma de associação ou fundação. Gestão e Sustentabilidade para o 3 Setor Orientações Técnicas CONCEITOS No Brasil as entidades de interesse social só podem se constituir juridicamente na forma de associação ou fundação. Pessoa Jurídica:

Leia mais