DENGUE. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa /

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DENGUE. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa 3235-5436/9959-2986"

Transcrição

1 DENGUE A Secretaria de Saúde do Estado do Espírito Santo confirmou a primeira morte causada por dengue hemorrágica no ano de A vítima era moradora da Serra (terceiro município em números de casos no ano) e morreu no dia 28 de fevereiro. Só nos dois primeiros meses do ano quase 10 mil pessoas foram infectadas no estado, segundo dados divulgados pela própria Secretaria de Saúde. A pesquisa realizada pela Futura Pesquisa e Consultoria revela que a população está assustada com a doença. A grande maioria (70%) dos entrevistados confessa ter medo de pegar dengue, haja vista que quase 60% conhecem alguém que já teve a doença nos últimos 12 meses e 6,5% dos entrevistados foram infectados pelo vírus da dengue nesse mesmo período, sendo que 6% tiveram o tipo comum do vírus. Talvez por isso, a maioria esmagadora (99%) permite que os agentes de saúde entrem em sua residência para verificar se existe algum foco da dengue. Esses números atingem 100% no município de Cariacica e Vila Velha. O consentimento da entrada na residência também é maior entre jovens de 17 a 19 anos e entre pessoas acima de 50 anos. A maior resistência ao combate à dengue está em pessoas do nível superior das classes A e B. Aqueles que não aceitam a intervenção dos agentes, citam o medo como um dos motivos. A sociedade civil e o setor público movem várias ações e campanhas visando aumentar a informação sobre a doença, afinal este é o melhor meio de combate à dengue. No que se refere à informação sobre as formas de proliferação do mosquito da dengue, 7% afirmam não terem conhecimento sobre o assunto, 26% acreditam que é em água limpa e parada, 15% em água limpa, 55% afirmam que é em água parada e 9% acreditam ser em água suja e parada. No que tange aos sintomas, um percentual pequeno (5,5%), porém, relevante, respondeu que não sabe. Dos municípios da Grande Vitória, esse dado cai para 4%, enquanto a Serra é o município onde o desconhecimento é maior (7%). Dos sintomas apresentados, o que mais teve menções foi dor de cabeça (54%), seguido de dor no corpo (18%) e diarréia (13%). No entanto, sintomas importantes para detectar o desenvolvimento da doença, tais como, febre, dor no fundo do olho e manchas vermelhas praticamente não são lembrados pelos entrevistados. Ainda em relação a informação, 20% não sabem como deve ser o tratamento para a doença. Entre o público de 16 a 17 anos, a metade dos informantes não soube responder à questão, ao contrário da faixa etária entre 40 e 49 anos, na qual o nível de respondentes que afirmou não ter conhecimento sobre as formas de tratamento é a menor (9,5%). Ingerir muito líquido foi a resposta mais indicada como forma de tratamento (28%), 27% citaram a ingestão de antitérmicos e analgésicos, enquanto 12% consideram o repouso e a ingestão de soro como as medidas adequadas. De forma geral, as mulheres mostram-se melhor informadas quando o assunto é dengue. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa /

2 RESULTADO GERAL O (a) Sr.(a) teve dengue nos últimos doze meses? Opções 2009 Sim 6,5 Não 93,2 NS/NR 0,2 Total 100 Que tipo de dengue? Opções 2009 Comum 92,3 Hemorrágica 3,8 Os dois tipos 3,8 Total 100 O (a) Sr.(a) tem medo de pegar dengue? Opções 2009 Sim 74,9 Não 23,8 NS/NR 1,3 Total 100 O (a) Sr.(a) conhece alguém que teve dengue nos últimos doze meses? Opções 2009 Sim 58,0 Não 41,8 NS/NR 0,2 Total 100 2

3 O(a) Sr.(a) sabe como o mosquito da dengue se desenvolve? Se sim, como? (Espontânea) (até 3 opções de respostas) Opções 2009 Em água parada 55,0 Em água limpa e parada 25,8 Em água limpa 15,0 Em água suja e parada 9,0 Não sabe 7,0 Outro 9,8 NR 3,5 Total 100 O(a) Sr.(a) permite que os agentes de saúde entrem em sua residência para verificar se existe algum foco da dengue? Opções 2009 Sim 99,2 Não 0,5 NS/NR 0,2 Total 100 Por quê? (Espontânea) (até 3 opções de respostas) Opções 2009 Por medo 50,0 Não confia nos agentes 0,0 Porque não possuem identificação 0,0 Acredita que não existe foco de dengue na casa 0,0 Não gosta de que as pessoas vejam o que tem dentro da residência 0,0 Outros 50,0 NS/NR 0,0 Total 100 3

4 O(a) sr.(a) sabe quais são os principais sintomas que determinam se as pessoas estão com dengue? Se sim, qual(is) é(são)? (Espontânea) Opções 2009 Fraqueza 73,8 Dor de cabeça 61,0 Dor no corpo 58,2 Febre 31,0 Diarréia 13,2 Manchas vermelhas pelo corpo 7,8 Não sabe 5,5 Enjôo (vômito) 5,0 Dor no fundo dos olhos 1,0 Outros 7,8 NR 7,8 Total 100 O(a) sr.(a) sabe qual deve ser o tratamento para dengue? (Espontânea) (até 3 opções de respostas) Opções 2009 Ingerir bastante líquidos 28,2 Antitérmicos e analgésicos (tylenol) 27,2 Não sabe 20,0 Soro caseiro ou industrializado 12,2 Repouso 12,0 Evitar refrigerantes 0,5 Evitar bebidas alcoólicas 0,2 Outros 24,8 NR 6,8 Total 100 4

5 CRUZAMENTOS O (a) sr.(a) teve dengue nos últimos doze meses? Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Sim 5,0 7,0 7,1 6,9 6,5 Não 95,0 92,0 92,9 93,1 93,2 NS/NR 0,0 1,0 0,0 0,0 0,2 Sexo Opções Masculino Feminino Total Sim 4,7 8,1 6,5 Não 94,8 91,9 93,2 NS/NR 0,5 0,0 0,2 Total Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Sim 5,0 6,9 2,9 12,0 6,8 5,0 4,9 6,5 Não 95,0 93,1 97,1 87,0 93,2 95,0 95,1 93,2 NS/NR 0,0 0,0 0,0 1,1 0,0 0,0 0,0 0, Escolaridade Sim 8,1 6,2 4,3 0,0 6,5 Não 91,9 93,3 95, ,2 NS/NR 0,0 0,5 0,0 0,0 0,2 5

6 Renda Familiar Sim 6,8 7,4 4,4 8,3 6,5 Não 93,2 92,6 94,4 91,7 93,2 NS/NR 0,0 0,0 1,1 0,0 0,2 6

7 Que tipo de dengue? Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Comum 80, ,7 92,3 Hemorrágica 20,0 0,0 0,0 0,0 3,8 Os dois tipos 0,0 0,0 0,0 14,3 3,8 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Sexo Opções Masculino Feminino Total Comum ,2 92,3 Hemorrágica 0,0 5,9 3,8 Os dois tipos 0,0 5,9 3,8 NS/NR 0,0 0,0 0,0 Total Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Comum ,9 80, ,3 Hemorrágica 0,0 0,0 0,0 9,1 0,0 0,0 0,0 3,8 Os dois tipos 0,0 0,0 0,0 0,0 20,0 0,0 0,0 3,8 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, Escolaridade Comum 81, ,0 92,3 Hemorrágica 9,1 0,0 0,0 0,0 3,8 Os dois tipos 9,1 0,0 0,0 0,0 3,8 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Total ,0 100 Renda Familiar Comum 90,9 90, ,3 Hemorrágica 9,1 0,0 0,0 0,0 3,8 Os dois tipos 0,0 10,0 0,0 0,0 3,8 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 7

8 Região O(a) sr.(a) tem medo de pegar dengue? Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Sim 81,1 69,9 72,8 75,5 74,9 Não 18,9 28,0 26,1 22,3 23,8 NS/NR 0,0 2,2 1,1 2,1 1,3 Sexo Opções Masculino Feminino Total Sim 67,0 82,3 74,9 Não 30,8 17,2 23,8 NS/NR 2,2 0,5 1,3 Total Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Sim 89,5 63,0 77,5 76,5 75,0 73,7 66,7 74,9 Não 10,5 33,3 22,5 22,2 22,1 26,3 30,8 23,8 NS/NR 0,0 3,7 0,0 1,2 2,9 0,0 2,6 1, Escolaridade Sim 76,0 76,4 68, ,9 Não 23,2 22,0 30,3 0,0 23,8 NS/NR 0,8 1,6 1,5 0,0 1,3 8

9 Renda Familiar Sim 72,2 80,2 70,9 81,8 74,9 Não 27,2 19,0 26,7 9,1 23,8 NS/NR 0,7 0,8 2,3 9,1 1,3 9

10 O (a) Sr.(a) conhece alguém que teve dengue nos últimos doze meses? Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Sim 54,0 66,0 55,6 56,4 58,0 Não 46,0 33,0 44,4 43,6 41,8 NS/NR 0,0 1,0 0,0 0,0 0,2 Sexo Opções Masculino Feminino Total Sim 58,6 57,4 58,0 Não 40,8 42,6 41,8 NS/NR 0,5 0,0 0,2 Total Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Sim 60,0 65,5 53,3 69,6 60,3 47,5 43,9 58,0 Não 40,0 34,5 46,7 29,3 39,7 52,5 56,1 41,8 NS/NR 0,0 0,0 0,0 1,1 0,0 0,0 0,0 0, Escolaridade Sim 53,7 57,2 69,6 0,0 58,0 Não 46,3 42,3 30, ,8 NS/NR 0,0 0,5 0,0 0,0 0,2 Renda Familiar Sim 50,0 66,2 62,2 41,7 58,0 Não 50,0 33,8 36,7 58,3 41,8 NS/NR 0,0 0,0 1,1 0,0 0,2 10

11 O(a) sr.(a) sabe como o mosquito da dengue se desenvolve? Se sim, como? (Espontânea) Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Não sabe 5,0 7,0 11,1 5,0 7,0 Em água limpa e parada 32,0 25,0 33,3 12,9 25,8 Em água limpa 23,0 17,0 12,1 7,9 15,0 Em água parada 54,0 52,0 48,5 65,3 55,0 Em água suja e parada 6,0 14,0 7,1 8,9 9,0 Outro 5,0 5,0 10,1 18,8 9,8 NR 2,0 6,0 2,0 4,0 3,5 Total 127,0 126,0 124,2 122,8 125,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta Sexo Opções Masculino Feminino Total Não sabe 6,8 7,2 7,0 Em água limpa e parada 28,3 23,4 25,8 Em água limpa 15,2 14,8 15,0 Em água parada 54,5 55,5 55,0 Em água suja e parada 8,4 9,6 9,0 Outro 10,5 9,1 9,8 NR 4,2 2,9 3,5 Total 127,7 122,5 125,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Não sabe 15,0 10,3 6,7 6,5 2,7 5,0 12,2 7,0 Em água limpa e parada 10,0 31,0 22,9 20,7 28,8 40,0 29,3 25,8 Em água limpa 5,0 6,9 11,4 16,3 23,3 15,0 17,1 15,0 Em água parada 55,0 51,7 61,9 64,1 49,3 47,5 36,6 55,0 Em água suja e parada 15,0 10,3 5,7 9,8 8,2 17,5 4,9 9,0 Outro 10,0 6,9 10,5 6,5 12,3 15,0 7,3 9,8 NR 0,0 0,0 1,9 4,3 4,1 2,5 9,8 3,5 Total 110,0 117,2 121,0 128,3 128,8 142,5 117,1 125,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta 11

12 Escolaridade Não sabe 11,0 6,2 1,4 0,0 7,0 Em água limpa e parada 27,2 20,6 37,7 0,0 25,8 Em água limpa 18,4 12,4 14, ,0 Em água parada 44,1 59,8 62, ,0 Em água suja e parada 10,3 10,3 2,9 0,0 9,0 Outro 7,4 12,4 7,2 0,0 9,8 NR 5,1 3,6 0,0 0,0 3,5 Total 123,5 125,3 126,1 200,0 125,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta Renda Familiar Não sabe 9,9 4,4 3,3 25,0 7,0 Em água limpa e parada 21,6 25,0 35,6 16,7 25,8 Em água limpa 14,8 14,0 17,8 8,3 15,0 Em água parada 52,5 58,1 54,4 58,3 55,0 Em água suja e parada 8,0 10,3 10,0 0,0 9,0 Outro 8,6 12,5 7,8 8,3 9,8 NR 3,7 3,7 3,3 0,0 3,5 Total 119,1 127,9 132,2 116,7 125,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta 12

13 O(a) sr.(a) permite que os agentes de saúde entrem em sua residência para verificar Região se existe algum foco da dengue? Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Sim 99,0 99,0 99, ,2 Não 1,0 0,0 1,0 0,0 0,5 NS/NR 0,0 1,0 0,0 0,0 0,2 Sexo Opções Masculino Feminino Total Sim 99,0 99,5 99,2 Não 0,5 0,5 0,5 NS/NR 0,5 0,0 0,2 Total Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Sim ,0 98,9 98, ,2 Não 0,0 0,0 1,0 0,0 1,4 0,0 0,0 0,5 NS/NR 0,0 0,0 0,0 1,1 0,0 0,0 0,0 0, Escolaridade Sim ,0 98, ,2 Não 0,0 0,5 1,4 0,0 0,5 NS/NR 0,0 0,5 0,0 0,0 0,2 Renda Familiar Sim ,3 97, ,2 Não 0,0 0,7 1,1 0,0 0,5 NS/NR 0,0 0,0 1,1 0,0 0,2 13

14 Por quê? (Espontânea) (até 3 opções de respostas) Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Não confia nos agentes 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Porque não possuem identificação 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Por medo 100 0,0 0,0 0,0 50,0 Acredita que não existe foco de dengue na casa 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Não gosta de que as pessoas vejam o que tem dentro da residência 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Outros 0,0 0, ,0 50,0 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Total 100 0, ,0 100 Sexo Opções Masculino Feminino Total Não confia nos agentes 0,0 0,0 0,0 Porque não possuem identificação 0,0 0,0 0,0 Por medo 0, ,0 Acredita que não existe foco de dengue na casa 0,0 0,0 0,0 Não gosta de que as pessoas vejam o que tem dentro da residência 0,0 0,0 0,0 Outros 100 0,0 50,0 NS/NR 0,0 0,0 0,0 Total Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Não confia nos agentes 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Porque não possuem identificação 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Por medo 0,0 0,0 0,0 0, ,0 0,0 50,0 Acredita que não existe foco de dengue na casa 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Não gosta que as pessoas vejam o que tem dentro da 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 residência Outros 0,0 0, ,0 0,0 0,0 0,0 50,0 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, Escolaridade Não confia nos agentes 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Porque não possuem identificação 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Por medo 0,0 0, ,0 50,0 Acredita que não existe foco de dengue na casa 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Não gosta de que as pessoas vejam o que tem dentro da residência 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Outros 0, ,0 0,0 50,0 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Total 0, ,

15 Renda Familiar Não confia nos agentes 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Porque não possuem identificação 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Por medo 0,0 0, ,0 50,0 Acredita que não existe foco de dengue na casa 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Não gosta de que as pessoas vejam o que tem dentro da residência 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Outros 0, ,0 0,0 50,0 NS/NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Total 0, ,

16 O(a) sr.(a) sabe quais são os principais sintomas que determinam se as pessoas estão com dengue? Se sim, qual(is) Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Não sabe 4,0 5,0 7,1 5,9 5,5 Diarréia 10,0 17,0 12,1 13,9 13,2 Dor de cabeça 52,0 56,0 56,6 52,5 54,2 Dor no corpo 24,0 15,0 17,2 16,8 18,2 Dor no fundo dos olhos 1,0 0,0 0,0 0,0 0,2 Enjôo (vômito) 2,0 0,0 0,0 1,0 0,8 Febre 2,0 0,0 2,0 5,9 2,5 Fraqueza 5,0 2,0 4,0 4,0 3,8 Manchas vermelhas pelo corpo 0,0 1,0 0,0 0,0 0,2 Outros 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Sexo Opções Masculino Feminino Total Não sabe 6,8 4,3 5,5 Diarréia 13,6 12,9 13,2 Dor de cabeça 53,9 54,5 54,2 Dor no corpo 14,7 21,5 18,2 Dor no fundo dos olhos 0,0 0,5 0,2 Enjôo (vômito) 0,5 1,0 0,8 Febre 2,6 2,4 2,5 Fraqueza 5,8 1,9 3,8 Manchas vermelhas pelo corpo 0,0 0,5 0,2 Outros 0,0 0,0 0,0 NR 0,0 0,0 0,0 Total

17 Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Não sabe 5,0 10,3 1,9 5,4 2,7 7,5 14,6 5,5 Diarréia 25,0 24,1 10,5 13,0 11,0 2,5 22,0 13,2 Dor de cabeça 35,0 27,6 61,0 63,0 65,8 40,0 39,0 54,2 Dor no corpo 30,0 27,6 21,9 8,7 16,4 22,5 17,1 18,2 Dor no fundo dos olhos 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 2,5 0,0 0,2 Enjôo (vômito) 0,0 6,9 0,0 0,0 0,0 2,5 0,0 0,8 Febre 0,0 0,0 1,9 5,4 1,4 5,0 0,0 2,5 Fraqueza 5,0 3,4 2,9 2,2 1,4 15,0 2,4 3,8 Manchas vermelhas pelo corpo 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 2,4 0,2 Outros 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, Escolaridade Não sabe 8,1 4,1 2, ,5 Diarréia 15,4 13,4 8,7 0,0 13,2 Dor de cabeça 56,6 54,6 49,3 0,0 54,2 Dor no corpo 11,8 19,6 27,5 0,0 18,2 Dor no fundo dos olhos 0,0 0,5 0,0 0,0 0,2 Enjôo (vômito) 0,0 1,0 1,4 0,0 0,8 Febre 2,9 2,1 2,9 0,0 2,5 Fraqueza 2,2 3,6 7,2 0,0 3,8 Manchas vermelhas pelo corpo 0,7 0,0 0,0 0,0 0,2 Outros 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Renda Familiar Não sabe 4,9 8,1 2,2 8,3 5,5 Diarréia 16,0 11,0 13,3 0,0 13,2 Dor de cabeça 57,4 53,7 51,1 41,7 54,2 Dor no corpo 14,2 19,1 23,3 25,0 18,2 Dor no fundo dos olhos 0,0 0,0 1,1 0,0 0,2 Enjôo (vômito) 0,0 0,7 2,2 0,0 0,8 Febre 1,9 4,4 1,1 0,0 2,5 Fraqueza 2,5 2,9 4,4 25,0 3,8 Manchas vermelhas pelo corpo 0,6 0,0 0,0 0,0 0,2 Outros 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 NR 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 17

18 O(a) sr.(a) sabe qual deve ser o tratamento para dengue? (Espontânea) (até 3 opções de respostas) Região Opções Vitória Vila Velha Serra Cariacica Total Não sabe 16,0 9,0 29,3 25,7 20,0 Repouso 9,0 14,0 13,1 11,9 12,0 Ingerir bastante líquidos 20,0 44,0 22,2 26,7 28,2 Evitar refrigerantes 1,0 1,0 0,0 0,0 0,5 Evitar bebidas alcoólicas 0,0 1,0 0,0 0,0 0,2 Antitérmicos e analgésicos (tylenol) 21,0 32,0 25,3 30,7 27,2 Soro caseiro ou industrializado 9,0 14,0 11,1 14,9 12,2 Outros 34,0 20,0 21,2 23,8 24,8 NR 11,0 8,0 6,1 2,0 6,8 Total 121,0 143,0 128,3 135,6 132,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta Sexo Opções Masculino Feminino Total Não sabe 25,7 14,8 20,0 Repouso 12,0 12,0 12,0 Ingerir bastante líquidos 19,9 35,9 28,2 Evitar refrigerantes 1,0 0,0 0,5 Evitar bebidas alcoólicas 0,0 0,5 0,2 Antitérmicos e analgésicos (tylenol) 23,0 31,1 27,2 Soro caseiro ou industrializado 8,9 15,3 12,2 Outros 24,6 24,9 24,8 NR 7,3 6,2 6,8 Total 122,5 140,7 132,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta Faixa Etária Opções De 16 a 17 De 18 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a 59 De 60 anos anos anos anos anos anos anos acima Total Não sabe 50,0 37,9 22,9 12,0 9,6 15,0 26,8 20,0 Repouso 0,0 10,3 13,3 17,4 12,3 10,0 4,9 12,0 Ingerir bastante líquidos 5,0 41,4 23,8 32,6 28,8 32,5 26,8 28,2 Evitar refrigerantes 0,0 0,0 0,0 1,1 1,4 0,0 0,0 0,5 Evitar bebidas alcoólicas 0,0 3,4 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,2 Antitérmicos e analgésicos (tylenol) 5,0 13,8 14,3 34,8 38,4 45,0 26,8 27,2 Soro caseiro ou industrializado 15,0 3,4 13,3 14,1 9,6 12,5 14,6 12,2 Outros 25,0 6,9 29,5 29,3 26,0 15,0 22,0 24,8 NR 10,0 6,9 7,6 7,6 5,5 7,5 2,4 6,8 Total 110,0 124,1 124,8 148,9 131,5 137,5 124,4 132,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta 18

19 Escolaridade Não sabe 27,9 18,6 7, ,0 Repouso 7,4 13,9 15,9 0,0 12,0 Ingerir bastante líquidos 28,7 29,4 24,6 0,0 28,2 Evitar refrigerantes 0,0 0,5 1,4 0,0 0,5 Evitar bebidas alcoólicas 0,0 0,5 0,0 0,0 0,2 Antitérmicos e analgésicos (tylenol) 21,3 32,0 26,1 0,0 27,2 Soro caseiro ou industrializado 14,7 10,8 11,6 0,0 12,2 Outros 19,9 23,2 39,1 0,0 24,8 NR 5,9 7,2 7,2 0,0 6,8 Total 125,7 136,1 133, ,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta Renda Familiar Não sabe 26,5 19,1 8,9 25,0 20,0 Repouso 9,3 14,0 12,2 25,0 12,0 Ingerir bastante líquidos 29,0 25,0 34,4 8,3 28,2 Evitar refrigerantes 0,0 0,7 1,1 0,0 0,5 Evitar bebidas alcoólicas 0,6 0,0 0,0 0,0 0,2 Antitérmicos e analgésicos (tylenol) 19,8 34,6 31,1 16,7 27,2 Soro caseiro ou industrializado 14,2 9,6 12,2 16,7 12,2 Outros 22,8 20,6 33,3 33,3 24,8 NR 7,4 6,6 6,7 0,0 6,8 Total 129,6 130,1 140,0 125,0 132,0 *O entrevistado podia citar mais de uma opção de resposta 19

20 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS O uso desta pesquisa é livre, a partir de 30 de março de 2009 desde que sejam indicados: a fonte (Futura), a metodologia e o endereço eletrônico onde pode ser acessada: (www. futuranet.ws) Área de abrangência: Grande Vitória, considerando Vitória, Vila Velha, Cariacica e Serra. entrevistas com cotas por faixa etária, sexo e município de moradia. Período de realização: 22 e 23 de dezembro de 2008 Margem de erro: 4,9 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança de 95%, Os cruzamentos por Renda Familiar expressam cortes por classe sendo classificadas como: D/E Até 830 reais C De 831 a reais A/B Acima de reais 20

PLANOS DE SAÚDE. Leandro de Souza Lino

PLANOS DE SAÚDE. Leandro de Souza Lino 1 PLANOS DE SAÚDE Leandro de Souza Lino Na atualidade, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a qualidade de vida e, por sua vez, com a saúde. Assim, a necessidade de ter planos de saúde se faz

Leia mais

DELIVERY. Revieni Chisté Zanotelli. Revieni Chisté Zanotelli é economista e analista de pesquisas da Futura

DELIVERY. Revieni Chisté Zanotelli. Revieni Chisté Zanotelli é economista e analista de pesquisas da Futura DELIVERY Revieni Chisté Zanotelli O serviço de entrega de produtos (delivery) foi criado para proporcionar comodidade às pessoas e, também, para aqueles que estão sem tempo de ir até ao estabelecimento

Leia mais

DOAÇÃO DE SANGUE. Raquel Rocha Gomes

DOAÇÃO DE SANGUE. Raquel Rocha Gomes DOAÇÃO DE SANGUE Raquel Rocha Gomes O dia 25 de novembro é nacionalmente comemorado como o dia do doador de sangue. Aproveitando esse tema, a Futura realizou uma pesquisa com os moradores da Grande Vitória

Leia mais

MAIS DE 70% NÃO SABEM DENUNCIAR UMA OBRA IRREGULAR

MAIS DE 70% NÃO SABEM DENUNCIAR UMA OBRA IRREGULAR MAIS DE 70% NÃO SABEM DENUNCIAR UMA OBRA IRREGULAR Emmanuelle Serrano Queiroz O tema fiscalização de obras está bastante estampado na mídia devido aos vários acontecimentos. Pelo fato de o assunto ter

Leia mais

PLANO DE SAÚDE SETEMBRO DE 2011 1

PLANO DE SAÚDE SETEMBRO DE 2011 1 PLANO DE SAÚDE SETEMBRO DE 2011 1 CRESCEU O NÚMERO DE USUÁRIOS DE PLANOS DE SAÚDE Emmanuelle Serrano Queiroz Segundo reportagem publicada pela revista Exame, o crescimento dos gastos com saúde é tendência

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS E INVASÃO DE PRIVACIDADE

NOVAS TECNOLOGIAS E INVASÃO DE PRIVACIDADE NOVAS TECNOLOGIAS E INVASÃO DE PRIVACIDADE Leandro de Souza Lino Com o advento das novas tecnologias, como telefones celulares equipados com câmeras fotográficas e/ou filmadoras, além das câmeras de segurança

Leia mais

MAIORIA NÃO CONVERSA COM A FAMÍLIA SOBRE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS

MAIORIA NÃO CONVERSA COM A FAMÍLIA SOBRE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS MAIORIA NÃO CONVERSA COM A FAMÍLIA SOBRE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Emmanuelle Serrano Queiroz No Brasil, a doação de órgãos é, sem dúvida, um tema que sempre está em discussão, principalmente no que se refere às

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS E INVASÃO DE PRIVACIDADE

NOVAS TECNOLOGIAS E INVASÃO DE PRIVACIDADE NOVAS TECNOLOGIAS E INVASÃO DE PRIVACIDADE Leandro de Souza Lino Com a onda de violência que gira em torno dos grandes centros urb, é cada vez mais comum encontrar câmeras de segurança instaladas em diversos

Leia mais

REDES SOCIAIS NA INTERNET

REDES SOCIAIS NA INTERNET 1 REDES SOCIAIS NA INTERNET Leandro de Souza Lino O maior acesso das pessoas à internet, e, consequentemente, o crescimento das redes sociais virtuais, alteram toda a relação entre as pessoas, já que crescem

Leia mais

MULHER NO MERCADO DE TRABALHO

MULHER NO MERCADO DE TRABALHO MULHER NO MERCADO DE TRABALHO Tâmara Freitas Barros A mulher continua a ser discriminada no mercado de trabalho. Foi o que 53,2% dos moradores da Grande Vitória afirmaram em recente pesquisa da Futura,

Leia mais

A PRINCIPAL JUSTIFICATIVA PARA A NÃO DOAÇÃO DE ÓRGÃOS É O MEDO

A PRINCIPAL JUSTIFICATIVA PARA A NÃO DOAÇÃO DE ÓRGÃOS É O MEDO A PRINCIPAL JUSTIFICATIVA PARA A NÃO DOAÇÃO DE ÓRGÃOS É O MEDO Inayara Soares da Silva No Brasil, eiste a carência de doadores de órgãos, o que acaba dificultando os processos de transplante em todo o

Leia mais

LOJAS DE RUA GANHAM A PREFERÊNCIA DO CONSUMIDOR NA HORA DE FAZER COMPRAS Inayara Soares da Silva

LOJAS DE RUA GANHAM A PREFERÊNCIA DO CONSUMIDOR NA HORA DE FAZER COMPRAS Inayara Soares da Silva LOJAS DE RUA GANHAM A PREFERÊNCIA DO CONSUMIDOR NA HORA DE FAZER COMPRAS Inayara Soares da Silva A atual praticidade na hora de fazer compras e procurar alguns tipos de serviço leva o consumidor a optar

Leia mais

BULLYING. Patrícia Gonoring

BULLYING. Patrícia Gonoring BULLYING Patrícia Gonoring A tragédia de Realengo, em que Wellington Menezes de Oliveira, o responsável pelo massacre, teria sido vítima de bullying na mesma escola em que mais tarde se transformara de

Leia mais

ASSALTO E MEDO. Dihego Pansini

ASSALTO E MEDO. Dihego Pansini ASSALTO E MEDO Dihego Pansini As relações humanas têm se aprofundado cada vez mais nas últimas décadas. Nesse processo, um dos grandes desafios do ser humano moderno é aprender a lidar com as diferenças

Leia mais

Aquecimento Global e Desastres Naturais

Aquecimento Global e Desastres Naturais Aquecimento Global e Desastres Naturais Tyago Hoffmann Tema constante na mídia nos últimos, o aquecimento global foi o tema da presente pesquisa da Futura, realizada com os capixabas da Grande Vitória.

Leia mais

O(a) Sr.(a) acompanhou o campeonato estadual deste ano?

O(a) Sr.(a) acompanhou o campeonato estadual deste ano? FUTEBOL CAPIXABA Andressa Assis e Luiz Henrique Borges A Futura foi às ruas para saber a opinião dos moradores da Grande Vitória sobre os times de futebol capixaba. E, segundo se deduz das entrevistas,

Leia mais

VOLUNTARIADO. Dihego Pansini de Souza

VOLUNTARIADO. Dihego Pansini de Souza VOLUNTARIADO Dihego Pansini de Souza No dicionário Aurélio, o significado da palavra voluntário é aquele que age espontaneamente; derivado da vontade própria, em que não há coação. Sobre a palavra voluntariado,

Leia mais

INTERNET E EDUCAÇÃO. Tâmara Barros. Tâmara Barros é estatística e analista de pesquisas da Futura 3235-5440 tamara@futuranet.ws

INTERNET E EDUCAÇÃO. Tâmara Barros. Tâmara Barros é estatística e analista de pesquisas da Futura 3235-5440 tamara@futuranet.ws INTERNET E EDUCAÇÃO Tâmara Barros A internet propiciou um novo ambiente de comunicação online e instantâneo, eliminando distâncias e permitindo trocas de informações a um custo acessível. Com a popularização

Leia mais

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros UNIÃO HOMOAFETIVA Tâmara Barros O relacionamento entre pessoas do mesmo sexo ainda é uma questão controversa para a maior parte da população da Grande Vitória, conforme pode ser averiguado através de pesquisa

Leia mais

DENGUE. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa 3235-5436/9959-2986

DENGUE. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa 3235-5436/9959-2986 DENGUE A Secretaria de Saúde do Estado do Espírito Santo confirmou a primeira morte causada por dengue hemorrágica no ano de 2009. A vítima era moradora da Serra (terceiro município em números de casos

Leia mais

MAIS DA METADE DOS CAPIXABAS NÃO POSSUI PLANO DE SAÚDE

MAIS DA METADE DOS CAPIXABAS NÃO POSSUI PLANO DE SAÚDE MAIS DA METADE DOS CAPIABAS NÃO POSSUI PLANO DE SAÚDE Emmanuelle Serrano Queiroz Em alguns países, as despesas com saúde já correspondem a mais de 10% do PIB. E, um fator que será determinante para o aumento

Leia mais

O MELHOR DO VERÃO. Dihego Pansini de Souza

O MELHOR DO VERÃO. Dihego Pansini de Souza O MELHOR DO VERÃO Dihego Pansini de Souza O verão é uma temporada muito esperada para passeios turísticos, férias, viagens e outros atrativos de lazer. O Instituto Futura buscou investigar quais são os

Leia mais

Aquecimento Global: estar informado ainda não é o bastante

Aquecimento Global: estar informado ainda não é o bastante Aquecimento Global: estar informado ainda não é o bastante Simone Cardoso O aquecimento global, tema tão recorrente na mídia e na mente de ambientalistas e estudiosos, é assunto do último levantamento

Leia mais

QUAL É O PAPEL DO ESTADO BRASILEIRO?

QUAL É O PAPEL DO ESTADO BRASILEIRO? QUAL É O PAPEL DO ESTADO BRASILEIRO? Tyago Ribeiro Hoffmann Desde o início da década de 1990 no Brasil, quando se iniciaram as privatizações de empresas públicas, que diversos estudiosos e a população

Leia mais

CELULAR CONTINUA NA MODA

CELULAR CONTINUA NA MODA CELULAR CONTINUA NA MODA Emmanuelle Serrano Queiroz Novas tecnologias são lançadas no mercado diariamente e pensando nisso a Futura foi às ruas da Grande Vitória para descobrir a opinião dos moradores

Leia mais

O papel das empresas e o lucro. 20 de Setembro de 2009

O papel das empresas e o lucro. 20 de Setembro de 2009 O papel das empresas e o lucro 1 20 de Setembro de 2009 O papel das empresas e o lucro Roberta Atherton Magalhães Dias No ano de 2005, a Futura realizou uma pesquisa que avaliava, na percepção dos capixabas,

Leia mais

MORADORES DE RUA E FLANELINHAS

MORADORES DE RUA E FLANELINHAS 1 MORADORES DE RUA E FLANELINHAS Leandro de Souza Lino À margem da sociedade, a quantidade de moradores de rua tem sido crescente no cotidiano das grandes cidades. E aliado a isso, a presença de flanelinhas

Leia mais

TRADIÇÕES RELIGIOSAS

TRADIÇÕES RELIGIOSAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS Emmanuelle Serrano Queiroz Leandro de Souza Lino A religião é resultado da forma como escolhemos para nos ligar a Deus, e as Igrejas são as instituições que nos ajudam a fazer essa

Leia mais

CORRUPÇÃO E DANÇAS DAS CADEIRAS NO GOVERNO DILMA

CORRUPÇÃO E DANÇAS DAS CADEIRAS NO GOVERNO DILMA CORRUPÇÃO E DANÇAS DAS CADEIRAS NO GOVERNO DILMA Tyago Ribeiro Hoffmann A Futura foi às ruas da Grande Vitória para colher a opinião dos capixabas sobre a corrupção no Governo Federal e constatou que 90,5%

Leia mais

Hábitos de Leitura. Tâmara Freitas Barros

Hábitos de Leitura. Tâmara Freitas Barros Hábitos de Leitura Tâmara Freitas Barros Um contingente de 671 mil moradores da Grande Vitória, o que corresponde a 60% da população acima de 16, não tem o costume de ler. Essa é apenas uma das constatações

Leia mais

CUIDADOS COM A BELEZA

CUIDADOS COM A BELEZA CUIDADOS COM A BELEZA Dihego Pansini Getúlio Cantão Quando observamos os padrões de beleza determinados pela sociedade no decorrer dos, podemos perceber que a mesma possui uma característica de transitoriedade,

Leia mais

Segurança na Rede - 1-21. Simone Cardoso

Segurança na Rede - 1-21. Simone Cardoso Segurança na Rede Simone Cardoso No final do ano passado, o congresso aprovou a criação da Lei da Carolina Dieckman, que pune os responsáveis por crimes virtuais. Na época a atriz que dá nome a lei federal,

Leia mais

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil 2ª Pesquisa de opinião pública sobre Energia Elétrica Brasil Julho de 2015 Pesquisa de opinião pública sobre Energia elétrica Brasil Junho de 2014 IBOPE Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação

Leia mais

Pesquisa de Satisfação do Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas

Pesquisa de Satisfação do Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas Pesquisa de Satisfação do Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas Estudo realizado pelo Instituto Futura a pedido da Vale. Novembro de 2013 Pesquisa de Satisfação do Trem de Passageiros

Leia mais

RESTRIÇÃO À UTILIZAÇÃO DAS SACOLAS PLÁSTICAS É CONTROVERSA

RESTRIÇÃO À UTILIZAÇÃO DAS SACOLAS PLÁSTICAS É CONTROVERSA RESTRIÇÃO À UTILIZAÇÃO DAS SACOLAS PLÁSTICAS É CONTROVERSA Roberta Atherton Diversas capitais brasileiras já aprovaram leis que limitam ou proíbem a utilização de sacolas plásticas em estabelecimentos

Leia mais

abastecimento de água e imagem da COPASA Montes Claros

abastecimento de água e imagem da COPASA Montes Claros Avaliação do Serviço o de abastecimento de água e imagem da COPASA Montes Claros Pesquisa realizada entre 24 e 28 de Abril de 2010 Informações Metodológicas Tipo de pesquisa: Survey, utiliza-se de questionário

Leia mais

ELEITORAL VILA VELHA 2 TURNO

ELEITORAL VILA VELHA 2 TURNO ELEITORAL VILA VELHA 2 TURNO Outubro de 2012 ÍNDICE 1 METODOLOGIA... 3 2 ELEIÇÃO 2 TURNO... 4 2.1 - Transferência de votos... 5 3 AVALIAÇÃO POLÍTICA... 7 4 SERVIÇOS... 9 REALIZADORES... 11 2 1 METODOLOGIA

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu Assunto: Orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as Ações Preventivas na Área de Saúde Pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Èrica Silva Data: 12-11-2013 Duração: 14h30min

Leia mais

Boletim Epidemiológico Volume 01, Nº 2, 04 de Julho 2013.

Boletim Epidemiológico Volume 01, Nº 2, 04 de Julho 2013. Boletim Epidemiológico Volume 0, Nº 2, 04 de Julho 20. Influenza O controle da Influenza no país continua sendo feito por monitoramento - vigilância de Síndrome Gripal (SG) e da Síndrome Respiratória Aguda

Leia mais

LOPPIANO ENGENHARIA LTDA. Rua dos Andradas, 107 - Centro 13300-170 - Itu SP Fone: (11) 4022-7415 DENGUE

LOPPIANO ENGENHARIA LTDA. Rua dos Andradas, 107 - Centro 13300-170 - Itu SP Fone: (11) 4022-7415 DENGUE DENGUE A palavra dengue tem origem espanhola e quer dizer "melindre", "manha". O nome faz referência ao estado de moleza e prostração em que fica a pessoa contaminada pelo arbovírus (abreviatura do inglês

Leia mais

FALTA DE TEMPO IMPEDE A REALIZAÇÃO DE TRABALHO VOLUNTÁRIO

FALTA DE TEMPO IMPEDE A REALIZAÇÃO DE TRABALHO VOLUNTÁRIO FALTA DE TEMPO IMPEDE A REALIZAÇÃO DE TRABALHO VOLUNTÁRIO Priscila Zanotti Pizol No dia 28 de agosto é comemorado o Dia Nacional do Voluntariado. Para participar de um trabalho voluntário é preciso solidariedade,

Leia mais

Período de incubação nos seres humanos, varia de 3 a 15 dias, mais comum de 5 a 6 dias, isto significa que o paciente vai sentir os sintomas depois

Período de incubação nos seres humanos, varia de 3 a 15 dias, mais comum de 5 a 6 dias, isto significa que o paciente vai sentir os sintomas depois DENGUE DENGUE : DOENÇA QUE MATA DENGUE FORMAS CLÍNICAS DA DENGUE Assintomática Oligossintomática Dengue clássica Dengue grave Febre hemorrágica Dengue com Complicações transmissão Dengue é transmitida

Leia mais

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares.

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Dengue Dengue Agente Infectante Arbovirus Vetor / Transmissão Picada do mosquito Aedes Aegypti Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Profilaxia

Leia mais

Apresentação. O que é Dengue Clássica?

Apresentação. O que é Dengue Clássica? Apresentação É no verão que acontecem as maiores epidemias de dengue devido ao alto volume de chuva. O Santa Casa Saúde, por meio do Programa Saúde Segura, está de olho no mosquito aedes aegypti e na sua

Leia mais

ELEITORAL CARIACICA 2 TURNO

ELEITORAL CARIACICA 2 TURNO ELEITORAL CARIACICA 2 TURNO Outubro de 2012 ÍNDICE 1 METODOLOGIA... 3 2 ELEIÇÃO 2 TURNO... 4 2.1 Transferência de votos... 6 3 AVALIAÇÃO POLÍTICA... 8 4 SERVIÇOS... 10 REALIZADORES... 12 2 1 METODOLOGIA

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER Fevereiro/2009 2 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas têm medo de denunciar os agressores O destaque da terceira

Leia mais

Reforma Política. Pesquisa telefônica realizada pelo IBOPE Inteligência a pedido do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil

Reforma Política. Pesquisa telefônica realizada pelo IBOPE Inteligência a pedido do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil Reforma Política Pesquisa telefônica realizada pelo IBOPE Inteligência a pedido do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil Introdução 2 Objetivos Abrangência Geográfica Método de coleta Datas

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Relatório Técnico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA O Estatuto do Idoso três anos depois da promulgação 16 a 22 de agosto de 2006 Dados Técnicos Pesquisa Pesquisa de opinião pública de abrangência restrita ao

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

COMÉRCIO DE RUA É O PREFERIDO ENTRE OS MORADORES DA GRANDE VITÓRIA

COMÉRCIO DE RUA É O PREFERIDO ENTRE OS MORADORES DA GRANDE VITÓRIA COMÉRCIO DE RUA É O PREFERIDO ENTRE OS MORADORES DA GRANDE VITÓRIA Priscila Zanotti Pizol e Luciana Zamprogne A Futura foi às ruas para saber mais a respeito do setor varejista da Grande Vitória, conhecer

Leia mais

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil 2ª Pesquisa de opinião pública sobre Energia Elétrica Brasil Outubro/ 2015 Pesquisa de opinião pública sobre Energia elétrica Brasil Junho de 2014 IBOPE Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água no Brasil METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para subsidiar o planejamento

Leia mais

PESQUISA ELEITORAL ESTADUAL

PESQUISA ELEITORAL ESTADUAL PESQUISA ELEITORAL ESTADUAL Setembro de 2010 1-25 ÍNDICE 1 METODOLOGIA... 3 2 CARACTERIZAÇÃO DO ENTREVISTADO... 4 3 ELEIÇÃO MAJORITÁRIA... 7 4 PROGRAMA ELEITORAL... 19 5 AVALIAÇÕES E APOIOS... 22 Realizadores...

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O CIDADÃO E O CONGRESSO NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O CIDADÃO E O CONGRESSO NACIONAL PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O CIDADÃO E O CONGRESSO NACIONAL Junho/2009 2 Cidadão reconhece importãncia do Senado O DataSenado realizou nova pesquisa de opinião pública, em junho de 2009. Com

Leia mais

É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS!

É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS! Filiado a: Dengue, Chikungunya e Zika Vírus É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS! AEDES AEGYPTI Aedes Aegypti e Aedes Albopictus são as duas espécies de mosquito que podem transmitir Dengue,

Leia mais

1. DENGUE. Gráfico 1 Incidência de casos de dengue por Distrito Sanitário em Goiânia 2015, SE 21. Fonte: IBGE 2000 e SINAN/DVE/DVS/SMS- Goiânia

1. DENGUE. Gráfico 1 Incidência de casos de dengue por Distrito Sanitário em Goiânia 2015, SE 21. Fonte: IBGE 2000 e SINAN/DVE/DVS/SMS- Goiânia 1. DENGUE Em 2015, até a 21ª semana epidemiológica foram notificados 54.675 casos com incidência de 3.871,2/100.000 habitantes e quando comparado ao mesmo período do ano anterior observa-se um aumento

Leia mais

Atitudes pela Educação Novembro de 2014

Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Realização: Instituto Paulo Montenegro IBOPE Inteligência Parceiros da pesquisa: Todos Pela Educação Fundação Itaú Social Fundação Maria Cecília Souto Vidigal Fundação

Leia mais

Apresentação Mobilização no combate à dengue

Apresentação Mobilização no combate à dengue Apresentação Mobilização no combate à dengue Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública do mundo. Com a temporada de chuvas, os riscos de surtos da doença ficam ainda

Leia mais

E. E. DR. JOÃO PONCE DE ARRUDA DENGUE: RESPONSABILIDADE DE TODOS RIBAS DO RIO PARDO/MS

E. E. DR. JOÃO PONCE DE ARRUDA DENGUE: RESPONSABILIDADE DE TODOS RIBAS DO RIO PARDO/MS E. E. DR. JOÃO PONCE DE ARRUDA DENGUE: RESPONSABILIDADE DE TODOS RIBAS DO RIO PARDO/MS MAIO/2015 E. E. DR. JOÃO PONCE DE ARRUDA E.E. DR. João Ponce de Arruda Rua: Conceição do Rio Pardo, Nº: 1997 Centro.

Leia mais

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. Junho / 2014 Metodologia Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.126 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas

Leia mais

Indicadores CNI ISSN 2317-7012 Ano 5 Número 1 Março de 2015. Pesquisa CNI-Ibope AVALIAÇÃO DO GOVERNO. Março / 2015

Indicadores CNI ISSN 2317-7012 Ano 5 Número 1 Março de 2015. Pesquisa CNI-Ibope AVALIAÇÃO DO GOVERNO. Março / 2015 Indicadores CNI ISSN 217-7012 Ano 5 Número 1 Março de 2015 Pesquisa CNI-Ibope AVALIAÇÃO DO GOVERNO Março / 2015 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Presidente: Robson Braga de Andrade DIRETORIA DE

Leia mais

ICS. Índice de Confiança Social 2015

ICS. Índice de Confiança Social 2015 ICS Índice de Confiança Social 2015 Introdução Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação de questionário estruturado, por meio de entrevistas face-a-face. Local da pesquisa Brasil. Universo A pesquisa

Leia mais

Cuidados com o corpo

Cuidados com o corpo Cuidados com o corpo Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem por cento

Leia mais

IMPACTOS DA CRISE NA ALIMENTAÇÃO

IMPACTOS DA CRISE NA ALIMENTAÇÃO IMPACTOS DA CRISE NA ALIMENTAÇÃO Raquel Rocha Gomes Em conjuntura de crise econômica mundial a Futura foi as ruas verificar hábitos de consumo alimentares do capixaba e o quanto esses hábitos foram ou

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

Clipping Eletrônico Domingo dia 26/10/2014

Clipping Eletrônico Domingo dia 26/10/2014 Clipping Eletrônico Domingo dia 26/10/2014 Jornal Diário do Amazonas Sociedade Pág. 19-26 de outubro de 2014 Jornal Em Tempo Saúde e Bem Estar Pág. F1-26 de outubro de 2014 Jornal Em Tempo Saúde e Bem

Leia mais

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa: 623 casos, gerando um erro máximo de 3,9%

Leia mais

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Metodologia COLETA Entrevistas domiciliares com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA Município de São Paulo. UNIVERSO moradores de 16 anos ou mais. PERÍODO DE CAMPO de 26 de setembro a 1º de outubro

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012 Pesquisa CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria Executiva - DIREX José Augusto Coelho

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O PROCESSO DE CREDENCIAMENTO/ LEGALIZAÇÃO DE ARMAS E MUNIÇÕES NO PAÍS NOVEMBRO DE 2006 OPP478 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA Levantar junto à população

Leia mais

LEPTOSPIROSE. Deise Galan. Consultora - Departamento de Doenças Transmissíveis e Análise de Saúde Organização Pan-Americana da Saúde

LEPTOSPIROSE. Deise Galan. Consultora - Departamento de Doenças Transmissíveis e Análise de Saúde Organização Pan-Americana da Saúde LEPTOSPIROSE Deise Galan Consultora - Departamento de Doenças Transmissíveis e Análise de Saúde Organização Pan-Americana da Saúde Falso Apenas os ratos transmitem a leptospirose Os ratos são os principais

Leia mais

SMSA divulga resultado do LIRAa de Outubro de 2015

SMSA divulga resultado do LIRAa de Outubro de 2015 SMSA divulga resultado do LIRAa de Outubro de 2015 O Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti LIRAa, de outubro de 2015, demonstra que 0,6% dos imóveis pesquisados em Belo Horizonte conta com a presença

Leia mais

SENSUS. Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE. 03 a 07 de Novembro de 2010

SENSUS. Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE. 03 a 07 de Novembro de 2010 Pesquisa e Consultoria Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE 03 a 07 de Novembro de 2010 Rua Grão Pará 737, 4 andar Cep 30150-341 Belo Horizonte MG Tel. 31-33042100

Leia mais

Moradores denunciam demora no combate à dengue no ABC

Moradores denunciam demora no combate à dengue no ABC 1 de 5 Moradores denunciam demora no combate à dengue no ABC Maria Teresa Orlandi Apesar do risco iminente de uma epidemia de dengue chegar à região, as prefeituras têm demorado para detectar e extirpar

Leia mais

ATCHIM!! Gripe Suína. Influenza A. Conheça essa doença que está assustando todo mundo...

ATCHIM!! Gripe Suína. Influenza A. Conheça essa doença que está assustando todo mundo... ATCHIM!! Gripe Suína Influenza A Conheça essa doença que está assustando todo mundo... Coordenadoria de Assistência Social da Universidade de São Paulo Divisão de Promoção Social Educação em Saúde São

Leia mais

METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. METODOLOGIA METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.085 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas foram

Leia mais

Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo

Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo Dezembro 200 2 Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo

Leia mais

PROJETO DENGUE: VAMOS ACABAR COM ISSO-DIGA SIM A SAÚDE!

PROJETO DENGUE: VAMOS ACABAR COM ISSO-DIGA SIM A SAÚDE! 1 PROJETO DENGUE: VAMOS ACABAR COM ISSO-DIGA SIM A SAÚDE! JUSTIFICATIVA: O ano de 2015 começa com aumento dos casos de dengue, em relação a 2010. Tendo em vista a epidemia que assola muitas cidades do

Leia mais

TODOS CONTRA A DENGUE

TODOS CONTRA A DENGUE TODOS CONTRA A DENGUE A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus da família Flaviridae e transmitida ao homem principalmente pelo mosquito Aedes aegypti. Essa doença afeta milhões de pessoas

Leia mais

Job: 11/1217 PROJETO ÁGUA

Job: 11/1217 PROJETO ÁGUA Job: 11/1217 PROJETO ÁGUA Introdução Introdução Com objetivo de compreender melhor o uso da água e o nível de consciência da população em relação aos problemas relativos ao tema, o WWF solicitou ao Ibope

Leia mais

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Pesquisa Impactos da Escassez de Água Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Perfil Foram ouvidas 487 empresas localizadas no Estado do Rio de Janeiro A maioria é de pequeno porte (76,8%);

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS FEVEREIRO DE 2008 JOB294 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

FEBRE AMARELA: Informações Úteis

FEBRE AMARELA: Informações Úteis FEBRE AMARELA: Informações Úteis Quando aparecem os sintomas? Os sintomas da febre amarela, em geral, aparecem entre o terceiro e o sexto dia após a picada do mosquito. Quais os sintomas? Os sintomas são:

Leia mais

GRIPE SUÍNA. Raquel Rocha Gomes

GRIPE SUÍNA. Raquel Rocha Gomes GRIPE SUÍNA Raquel Rocha Gomes Considerando-se o aumento do número de casos da nova gripe H1N1, que tem se espalhado por todo mundo e inclusive já registrou casos suspeitos e confirmados em Vitória, a

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA JUNHO DE 2007 Dados Técnicos Pesquisa Pesquisa de opinião pública nacional Universo Eleitores e potenciais eleitores brasileiros que

Leia mais

AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO

AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO Andressa Malagutti Assis A partir de fevereiro, o salário mínimo teve um aumento de 15,87%,passando de R$ 415,00 para R$ 465,00. Segundo o Ministério do Trabalho, com o aumento

Leia mais

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 DOCUMENTO PARA O PÚBLICO EM GERAL Coordenação: Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Associação Médica Brasileira (AMB) Apoio e participação:

Leia mais

Taxa de incidência da dengue, Brasil e regiões, 1998-2001

Taxa de incidência da dengue, Brasil e regiões, 1998-2001 1 reintrodução da dengue no Brasil em 1986 pelo Estado do Rio de Janeiro um sério problema de Saúde Pública, com 8 epidemias associadas aos sorotipos 1, 2 e 3 taxas de incidência: novo aumento a partir

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O DIA MUNDIAL SEM CARRO SETEMBRO/ OUTUBRO DE 2007 JOB939 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

TV VITÓRIA/FLEXCONSULT

TV VITÓRIA/FLEXCONSULT CERTIFICADA PELA ABEP/ESOMAR* PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA ESTADUAL TV VITÓRIA/FLEXCONSULT IMAGEM DO GOVERNADOR RENATO CASAGRANDE Junho-Julho de 2012 * O Certificado de Qualidade da ABEP/ESOMAR (Associação

Leia mais

ICS Índice de Confiança Social 2015. Brasil - Argentina

ICS Índice de Confiança Social 2015. Brasil - Argentina ICS Índice de Confiança Social 2015 Brasil - Argentina Introdução Metodologia - Brasil Pesquisa quantitativa com aplicação de questionário estruturado, por meio de entrevistas face-a-face. Local da pesquisa

Leia mais

Previdência Privada no Mercado Brasileiro. Nobody s Unpredictable

Previdência Privada no Mercado Brasileiro. Nobody s Unpredictable Previdência Privada no Mercado Brasileiro Nobody s Unpredictable Objetivos e Características 2 Objetivos e metodologia Metodologia Quantitativa, por meio de pesquisa amostral com questionário estruturado

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Pesquisa revela o maior medo dos paulistas.

Pesquisa revela o maior medo dos paulistas. Pesquisa revela o maior medo dos paulistas. Pesquisa analisou o maior medo dos paulistas de acordo com seu sexo, faixa etária, estado civil, escolaridade, renda, ocupação e também por região. De acordo

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS O presente levantamento mostra a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nos municípios brasileiros. Para realizar a comparação de forma mais precisa,

Leia mais