VEJA AINDA NESSA EDIÇÃO: DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DO TRABALHO, evento realizado pela SSST/SRTE/SP e AGU/SP nas páginas 6 e 7.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VEJA AINDA NESSA EDIÇÃO: DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DO TRABALHO, evento realizado pela SSST/SRTE/SP e AGU/SP nas páginas 6 e 7."

Transcrição

1 QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DO FGTS A Secretaria da Inspeção do Trabalho SIT criou um projeto de qualificação profissional do Auditor Fiscal do Trabalho na área do FGTS, que está sendo desenvolvido com êxito no Estado de São Paulo. Os primeiros resultados indicam um acentuado aumento de arrecadação, já no primeiro trimestre deste ano. O colega Marco Antonio Melchior, Chefe da Seção de Fiscalização do Trabalho SFISC no Estado de São Paulo, da SRTE/SP, foi entrevistado pelo O ELO e conta como é esse projeto, veja nas páginas 3, 4 e 5. Chefe da Seção de Fiscalização do Trabalho no Estado de São Paulo Foto: Vaneide Vilela / Sinpait VEJA AINDA NESSA EDIÇÃO: DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DO TRABALHO, evento realizado pela SSST/SRTE/SP e AGU/SP nas páginas 6 e 7. 31º ENAFIT ENCONTRO NACIONAL DE AUDITORES FISCAIS DO TRABALHO em Vitória/ES, veja na página 9.

2 O ELO Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 O ELO UNINDO PELA INFORMAÇÃO Boletim Informativo do SINPAIT Publicação Mensal Distribuição Gratuita Editorial BRASIL NÃO PODE REGREDIR NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DIRETOR RESPONSÁVEL Jesus José Bales Assistente Luci Helena Lipel Reportagens Jornalista Responsável Dalísio Domingues dos Santos MTB DIRETORIA EXECUTIVA PRESIDENTE JESUS JOSÉ BALES Vice de Política de Classe Luci Helena Lipel - José Vieira Rocha Junior 1º Vice de Administração Solange Aparecida de Andrade - Antonio Fojo da Costa 2º Vice Presidente de Administração Roseli Nieto Piovesan Vera Galvão Moraes 3º Vice Presidente de Administração Erasmo Torres Ramos André Napoli de Nardiello 1º Vice Presidente de Planejamento Mário Kaminski Armando Barizan 2º Vice Presidente de Planejamento Yllen Fábio Blanes de Araújo Regina Candellero Castilho Nami Haddad 3º Vice Presidente de Planejamento Renato Miranda de Moraes Carvalho Hilda Engler Raggio Bergamasco Vice Presidente de Normatização Beatriz Cardoso Montanhana Sandra Morais de Brito Costa Vice Presidente de Comunicação Dalísio Domingues dos Santos Ivete Cassiani Furegatti Vice Presidente de Cultura Vera Olímpia Gonçalves Maria de Lourdes Rodrigues Pereira Vice Presidente de Parlamentares Edir José Vernaschi Alfredo Medeiros de Oliveira Vice Presidente de Relações Públicas Miriam Ugliara Barone Inayá Brás Medeiros Vice Presidente de Inspeção do Trabalho Ruy Antonio de Arruda Pereira Rubens Chiapeta Álvares Vice Presidente de Medicina do Trabalho Geraldo da Silva Pereira Ettore Paulo Pinotti Vice Presidente de Segurança do Trabalho Joaquim Gomes Pereira Mônica Hahne Negrão Vice Presidente de Aposentados Adriano Salles Toledo de Carvalho Maria Marly do Nascimento Jungers Vice Presidente Sindicais e Convênios José Maria Coutinho Cyro Fessel Fazzio Vice Presidente Sociais Darcy Rizzo Hungueria Jane Claudete da Cunha Duarte Vice Presidente do Interior Eduardo Caldas Rebouças Décio Francisco Gonçalves da Rocha Vice Presidente Internacionais Lucíola Rodrigues Jaime Nilsa Maria Leis Di Ciero CONSELHO FISCAL EFETIVOS Antonio Picinini, Erlon Martinho Pontes, Felix Suriano Domingues Neto, Rivaldo Ribeiro da Costa e Rubens de Souza Brittes CONSELHO FISCAL SUPLENTES Bruno Clemente Domingos, João de Souza Bomfim, João Saochuk, João Víspico e Josepha da Silva Neiva. SINPAIT Sindicato Paulista dos Auditores da Inspeção do Trabalho Fundado em 19/05/1953 R. Avanhandava, 133 4º andar cjs. 41/42 Bela Vista São Paulo/SP CEP: Tels: (11) / / Fax: (11) / Reprodução: As matérias publicadas só poderão ser reproduzidas com autorização expressa do SINPAIT, sujeitando, os infratores, às penalidades legais. Responsabilidades: As matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores, não refletindo, necessariamente, a opinião do SINPAIT. Editoração, Criação e Impressão: Graphcollor Gráfica e Editora Ltda (11) Tiragem: 3500 ISSN X Um trágico acontecimento em Bangladesh, país asiático, que ceifou a vida de mais de mil trabalhadores, vem como um alerta sombrio, ao Brasil, no que toca a importância e urgência de implementar uma sólida política de prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. No dia 24 de abril passado ocorreu o desmoronamento da fábrica Rana Plaza, na periferia de Daka, capital de Bangladesh, uma das maiores tecelagens do país. A planta industrial ocupava um quarteirão inteiro, em oito andares, ainda que tivesse autorização para manter apenas cinco andares. No momento da queda, cerca de três mil pessoas trabalhavam em seu interior. Vinte dias após o desmoronamento bombeiros ainda encontravam corpos soterrados no local. Por que aconteceu a tragédia? Simplesmente porque Bangladesh, um país miserável, não tem qualquer política de prevenção de acidentes. Mesmo sendo péssimas as condições de trabalho, em todo o país, não há inspeção do trabalho em bases profissionais, conforme o modelo aprovado pela Organização Internacional do Trabalho, além da queixa geral dos empregadores contra o comportamento pouco ético desses agentes do Governo. Um mês antes da catástrofe, uma inspeção do corpo de bombeiros constatou fissuras na estrutura do prédio, considerando-o condenado para qualquer uso. Mas o alerta não foi levado em conta. Dos três mil trabalhadores que estavam em seu interior, quando o edifício ruiu, cerca de mil morreram em meio aos escombros. Ocorre que Bangladesh, hoje, é o segundo maior polo da indústria têxtil em todo o mundo, ficando atrás apenas da China. O seu peso é decisivo na produção mundial de confecções. Grande parte das confecções da Rana Plaza mostra a etiqueta de marcas internacionais famosas. Manchadas pelo sangue de trabalhadores mortos, ou feridos, muitas peças de confecção, recolhidas nos escombros já estavam etiquetadas com grifes européias muito conhecidas. Várias delas, em seus desfiles de lançamento, fazem questão de se apresentar no politicamente correto, externando apoio a causas nobres, como a inclusão dos deficientes, a proteção do meio ambiente, a união gay, mas nunca mencionando a situação dos trabalhadores e trabalhadoras que costuram suas peças, em Bangladesh. Algumas dessas marcas, como Benetton, Kik, Zara, C&A, Carrefour, chegaram a assinar um acordo na sede da OIT, na Suíça, comprometendo-se a melhorar as condições de proteção aos trabalhadores, ainda que outras organizações poderosas, como o Wal-Mart, não tenham firmado o acordo. Segundo o jornal Folha de São Paulo, algumas peças produzidas em Bangladesh são vendidas no exterior, inclusive no Brasil, a preço acima do valor do salário mínimo local, que é de R$75! Assim, uma camisa costurada em Bangladesh custa mais, numa loja de Roma, ou Nova Iorque, que o salário mensal pago ao costureiro! Então, certamente, os principais culpados por uma tragédia desse porte são, justamente, as grandes empresas estrangeiras, européias e norte-americanas, que fazem seus investimentos nesse país miserável porque a mão de obra é extremamente barata, dócil, indefesa e não há qualquer controle oficial, não há fiscalização de nada, principalmente no que toca à proteção dos trabalhadores. No ano passado ocorreu outra catástrofe de igual porte, em Bangladesh. Um incêndio na fábrica Tazreen Fashions causou a morte de 112 trabalhadores. Em Bangladesh a classe operária morre como mosca, desprotegida diante das condições medievais de trabalho que lhe são impostas. As leis trabalhistas e ambientais são mínimas, fracas e confusas, não há sindicatos fortes e independentes, e a força de trabalho local é numerosa, suportando qualquer sacrifício para ter um lugar dentro da fábrica. Mesmo porque o salário mínimo já começou a subir de modo firme, na China e, assim, grandes grupos empresariais do ocidente já estão abandonando o território chinês e se transferindo para Bangladesh, Índia, Paquistão, e demais países asiáticos de grande população, leis frouxas e precário desenvolvimento social. Essa é a face cruel da globalização. O capital se desloca para onde haja mão de obra farta e de baixo custo. O Brasil, que nos últimos trinta anos havia conseguido importantes avanços na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, infelizmente tem regredido e as estatísticas mais recentes provam que esse grave problema está de volta. Em São Paulo, colegas auditores fiscais do Trabalho que tem investigado oficinas de confecções semi-clandestinas, onde se pratica o trabalho escravo urbano, tem constatado irregularidades graves também na área de saúde e segurança. Nosso país vive momento de pleno emprego, o que é altamente positivo, mas não podia ter negligenciado na prevenção. O governo está desenvolvendo projetos de grandes obras, como a hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, que será a terceira maior do mundo, a transposição das águas do rio São Francisco, obras que estão ensejando enormes correntes migratórias, concentrando milhares de trabalhadores, e tudo isso exige a implementação de uma sólida política de prevenção de acidentes e, da mesma forma, a presença de equipes da Auditoria Fiscal do Trabalho, acompanhando de perto o que se passa nesses imensos canteiros de obra. Infelizmente o número de auditores é extremamente pequeno para essa demanda de proporções gigantescas. Mas, na correlação custo-benefício, ainda é muito melhor, sobretudo mais econômico, e humanitário, prevenir que chorar pelas vítimas depois do desastre. 2 VISITE NOSSO SITE:

3 Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 O ELO FGTS: QUALIFICAÇÃO DO AFT FAZ CRESCER ARRECADAÇÃO Fotos: Vaneide Vilela / Sinpait O projeto de qualificação profissional do AFT, na área do FGTS, gerado pela SIT, está sendo desenvolvido com êxito no estado de São Paulo. Seus primeiros resultados positivos já podem ser aferidos, com acentuado aumento de arrecadação, sobretudo no primeiro trimestre deste ano. O colega AFT Marco Antonio Melchior, chefe da fiscalização do Trabalho no Estado de São Paulo, analisa com entusiasmo, esse fato, e tem certeza que, daqui para a frente, será constante o processo de aprimoramento, tornando o auditor fiscal do trabalho não só altamente produtivo, como impulsionando o avanço técnico da auditoria em todos seus segmentos. Essa primeira experiência com o FGTS está sendo muito boa. A auditoria fundiária é um dos principais pilares da inspeção do trabalho brasileira, salientou Marco Antonio. Já funciona o STAR Desde o início de maio corrente já está em funcionamento o STAR-Sistema Técnico de Apoio em Rede, que é um auxiliar permanente do AFT em seu trabalho de campo, em todas suas dúvidas sobre os sistemas, sempre que está procedendo a auditoria fundiária nas empresas. O colega Marco Antonio Melchior recebeu em seu gabinete de trabalho, na sede central da SRTE/ SP, à rua Martins Fontes, 109, na manhã do dia 29 de abril passado, a reportagem do ELO, com os colegas AFTs Jesus Jose Bales, Luci Helena Lipel e Dalisio dos Santos, quando discorreu sobre o importante programa de aperfeiçoamento técnico que está sendo feito junto aos AFTs no Estado de São Paulo. A SIT colocou a qualificação profissional do AFT como ponto prioritário na modernização e aperfeiçoamento da auditoria fiscal do Trabalho em todo o país. Lembro que de todos os recursos do FGTS levantados pela auditoria fiscal, 1% do total arrecadado/notificado está sendo destinado à qualificação, à realização de cursos e treinamentos e a equipar a Auditoria-Fiscal do Trabalho. Isso dá uma idéia da importância que o Governo está atribuin- ACOMPANHE NOSSO DIA-A-DIA NO SITE: 3

4 O ELO Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 do à especialização em nossa área fiscal, o mesmo acontecendo com o próprio Conselho que administra e zela pelo Fundo. Em 2012 começamos em todo o Estado de São Paulo um programa de qualificação para cerca de 280 AFTs, mais da área de legislação, voltado para a auditoria do Fundo de Garantia. O curso foi de junho a novembro do ano passado. Sua abrangência geográfica foi ampla, agrupando as 26 regionais em 5 polos. Foram formadas equipes de monitores, coordenados pelo colega Marcus Vinicius Medina, lotado em Campinas e coordenador regional de treinamento para o Estado paulista. O colega Medina foi o responsável pela formação dos monitores que, depois, repassaram o curso para os colegas nos polos regionais. O curso é de excelente conteúdo técnico. Abrange todos os aspectos, todas as dúvidas, todos os procedimentos quanto à forma de se fazer o levantamento fundiário. Tenho certeza que todos os colegas auditores, no Estado de São Paulo, estão dominando plenamente esse grande e complexo campo de nossa atividade. Afinal, a fiscalização, o levantamento fundiário, por sua própria natureza, é que nos deu a condição de auditores fiscais. No início de maio corrente entrou em funcionamento o Sistema Técnico de Apoio em Rede, criado pela Coordenação Regional de Treinamento da SRTE/SP, mais uma iniciativa do Marcus Vinicius Medina, durante o curso, o qual consiste num apoio integral, e imediato, ao AFT, no seu trabalho de campo, quando audita o FGTS na empresa. O STAR consiste num plantão estadual, diário, oferecido nos polos regionais, onde equipe de AFT está sempre pronta a atender a solicitação do AFTs, sendo a comunicação instantânea por , ou Skype. Os auditores/auditoras plantonistas estão preparados para esclarecer, na hora, a dúvida levantada. Mas, ainda assim, se o esclarecimento não for possível, de imediato será contatado o coordenador regional de treinamento, quando a solução será encontrada. A auditoria do FGTS, no Estado de São Paulo, está A auditoria do FGTS, no Estado de São Paulo, está blindada, tecnicamente, contra qualquer vazamento, qualquer equívoco. Com isso está ganhando agilidade e segurança blindada, tecnicamente, contra qualquer vazamento, qualquer equívoco. Com isso está ganhando agilidade e segurança. Cresce arrecadação O colega Marco Antonio já tem estatística comprovando o crescimento da arrecadação fundiária no Estado de São Paulo, em decorrência do aprimoramento técnico dos colegas AFTs. Neste primeiro trimestre de 2013 tivemos o melhor resultado de arrecadação desde 2000, quando comparado com outros trimestres, apurado pelo SFIT. São Paulo volta a ter seu peso, sua expressão, perante o país. Em 2012 a meta a ser alcançada era de R$ 225 milhões e São Paulo alcançou R$ ,08. Para este ano de 2013 a meta é de R$275 milhões, mas podemos antecipar a superação da meta porque no primeiro trimestre foi alcançada uma das melhores arrrecadações dos últimos anos. É uma pena não termos um número maior de auditores fiscais. Chefias de outros estados de modo frequente nos notificam para fiscalizar unidades empresariais locais, vez que o CNPJ da matriz é de São Paulo. Poderíamos fazer aqui a fiscalização de todo o grupo empresarial mas, às vezes, por falta de pessoal, temos de aquiescer que o levantamento seja feito no Estado notificante. Essa carência de um quadro maior de AFTs, correlato às necessidades de nosso Estado, é um problema que nos atinge de modo constante. Entendo que foi tomado um rumo certo para melhorar a auditoria fiscal do FGTS. O auditor trabalha com a internet. Onde estiver contata o colega plantonista que tem a condição de ajudá-lo, tecnicamente, de imediato. Se esta forma de trabalho se consolidar, certamente poderá ser levada aos colegas em outros pontos do país, desde que reconheçam sua utilidade. Aqui está dando certo. Outra providência que tem apresentado bons resultados é a realização, a cada três meses, de reuniões de chefias em todo o Estado. As che- 4 VISITE NOSSO SITE:

5 Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 O ELO fias de legislação e saúde e segurança procuram estar presentes, com frequência, nas gerências regionais. Notamos que os AFTs sediados no interior, talvez por convivência mais próxima com toda a atividade de fiscalização, tem se mostrado interessados, mesmo entusiastas, nessa busca da interação profissional, para conseguir melhor eficiência no serviço. Muitas vezes, por estar só, na sua cidade, o AFT do interior defronta-se com problemas de toda natureza. Então, mesmo sendo de legislação, tem de encaminhar e resolver, por exemplo, as questões em saúde e segurança que, às vezes, são complicadas, inclusive no trabalho rural. E, nesse momento, vemos que, na prática, não existe essa dicotomia de auditor especialista, ou generalista. Diante da realidade, do fato que acaba de ocorrer, o auditor fiscal do trabalho tem de agir, exercer suas competências e, obviamente, dar solução adequada ao problema. Em síntese, o AFT, em qualquer circunstância, tem de proteger o trabalhador. Estando sozinho, e a questão apresentada sendo complexa, o bom senso é que vai lhe indicar o melhor caminho. É assim que nasce a experiência. O diálogo está muito bom com todos, bastante proveitoso e esclarecedor. Só reitero nossas limitações quanto ao número reduzido de AFTs para nosso Estado. A gerência regional de São José do Rio Preto, por exemplo, passa momento muito difícil com a falta de auditores. E essa é uma das principais cidades de nosso Estado devido sua grande pujança econômica. Estamos atentos às dificuldades e sabemos que se impõe urgência na solução. Nossa equipe de planejamento tem procurado ouvir os colegas em cada região, em cada local de trabalho. A opinião de cada um é fundamental na feitura de um bom planejamento da ação fiscal. Sabemos que há colegas atuando em até quatro projetos, quando o ideal seria apenas um, ou dois. O problema é que até 2015 temos de cumprir metas quantitativas, mas todos têm se esforçado para manter a boa qualidade nas ações fiscais. Espera-se que logo estejam definidos os treinanentos para as áreas de saúde e segurança, ainda que cursos para setores específicos continuem sendo feitos com frequência. Mas a grade nacional ainda não foi passada. Para atenuar dificuldades operacionais só nos resta ter garra, vontade de fazer e fazer bem feito. O bom serviço público tem muito a ver com o idealismo. E nada a ver com a vaidade, o individualismo, o corpo mole, o pessimismo. Penso que é nossa consciencia moral que nos conduz. Aprendizes No ano passado a Superintendência Paulista fez uma grande campanha de inserção de aprendizes. Em 2012 a auditoria fiscal de nossa Estado incluiu aprendizes, superando as expectativas. Neste ano temos a meta de inserir Esta área, de grande importância social, está sendo muito exigida, sobretudo por parte de sindicatos e entidades de apoio à adolescência e juventude, disse Marquinho. A colega AFT Luci Helena Lipel, que é plantonista no setor de aprendizagem e inclusão pessoa com deficiência no mercado de trabalho, confirmou a informação do colega Marquinho, dizendo que é cada vez maior a presença de empresas nos plantões fiscais do 8º andar da SRTE/ SP, atendendo notificações e procurando o enquadramento legal. Notamos que a conscientização das empresas avançou muito, nos últimos tempos. Isso é uma conquista da Auditoria Fiscal do Trabalho, porque sua atuação, muito mais orientadora, esclarecedora, que repressiva, tem levado empregadores a entender a importância da iniciação profissional do adolescente e do aproveitamento, para o trabalho, da pessoa com deficiência, concluiu Luci. (D.S.) ACOMPANHE NOSSO DIA-A-DIA NO SITE: 5

6 O ELO Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DO TRABALHO Fotos: SEGUR / SRTE / SP A Seção de Segurança e Saúde no Trabalho da Superintendência Regional do Trabalho no Estado de São Paulo, com o apoio da Advocacia-Geral da União de São Paulo realizou, no dia 30 de abril de 2013, evento alusivo ao DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DO TRABALHO, constituído de palestras técnicas sobre Análise de Acidentes do Trabalho Graves e Fatais. Na sessão solene de abertura estiveram presentes: representante do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, o Coordenador Nacional do Projeto de Análises de Acidentes do Trabalho, a Chefe da Seção de Segurança e Saúde no Trabalho SRTE/SP, a Organização Internacional do Trabalho OIT no Brasil, os representantes da Advocacia Geral da União AGU/SP, bem como o Superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Estado de São Paulo. As palestras sobre ANÁLISE DE ACIDENTES DO TRABA- LHO GRAVES E FATAIS, foram proferidas por técnicos altamente capacitados da área de Segurança e Saúde no Trabalho da seguinte forma: - Os Acidentes de Trabalho no Brasil no Cenário Mundial, proferida pelo consultor da OIT no Brasil, o médico do Trabalho Zuher Handar; - A busca do êxito nas ações regressivas acidentárias fundamentadas nas análises de Acidentes de Trabalho elaboradas pelos Auditores Fiscais do Trabalho, explanada pela Procuradora Federal da Advocacia-Geral da União de São Paulo Renata Ferrero Pallone; - Panorama geral do registro de Acidentes de Trabalho na Previdência com destaque para o custo dos Acidentes de Trabalho, apresentada pelo Coordenador Geral de Política de Seguro Contra Acidentes do Trabalho e Relacionamento Interinstitucional do Ministério da Previdência Social Luiz Eduardo Alcântara de Melo. Para encerrar as palestras técnicas e para abrilhantar o desfecho do evento em memória ao Dia Mundial das Vítimas de Acidentes do Trabalho, com a missão de empreender continuamente de uma forma transparente e participativa todos os esforços e todas as ações necessárias para evitar a ocorrência de Acidentes do Trabalho, contamos com a palestra sobre: O papel da Auditoria Fiscal do Trabalho na análise e redução de Acidentes de Trabalho, proferida pela Chefe da Seção de Segurança e Saúde no Trabalho no Estado de São Paulo SRTE/ SP, Auditora Fiscal do Trabalho e engenheira de Segurança, Viviane de Jesus Forte. O evento foi muito concorrido e contou com a presença de mais de 200 (duzentas pessoas) na platéia, sendo que mais de 60% eram profissionais da área de Segurança e Saúde no Trabalho, entre eles: engenheiros, médicos, técnicos de segurança, enfermeiros, técnicos de enfermagem e estudantes da área. Origem Em 28 de Abril de 1996, a Confederação Internacional de Organizações Sindicais Livres (CIOSL) acendeu um memorial de Vela & Incenso na Organização das Nações Unidas para a comemoração do 1º Dia Internacional para realçar o compromisso dos trabalhadores contra insustentáveis formas de produção. Desde então, indivíduos e organizações ao redor do mundo estão se envolvendo nas cerimônias do dia 28 de abril para pagar tributo aos trabalhadores mortos, acidentados e portadores de doenças ocupacionais. O dia 28 de abril é lembrado em várias partes do mundo como o Dia em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças Relacionadas ao Trabalho. Originou a partir da explosão de uma mina no estado da Virgínia, Estados Unidos, em 28 de abril de 1969, onde morreram 78 mineiros. Em 2003, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu o dia para dar maior visibilidade às questões relacionadas à segurança e saúde nos locais de trabalho. Dessa forma, a exemplo de anos anteriores, o MOVIMEN- TO 28 DE ABRIL, formado por diversas entidades da sociedade civil organizada, está propondo algumas atividades visando celebrar esta importante data. Neste ano, os debates ocorre- 6 VISITE NOSSO SITE:

7 Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 O ELO rão em torno do tema SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO: UM INSTRUMENTO PARA A MELHORIA CONTÍNUA. É um método preventivo para aplicar as medidas de segurança e saúde, que consta de quatro passos e incorpora o princípio de melhoria contínua. Seus princípios se baseiam no ciclo Planejar, Fazer, Verificar, Atuar. também surge o símbolo de tornar cinzas o obsoleto e o comportamento inaceitável, que deram origem à queima. A Cinza na Cera Quente é um símbolo do desperdício da queima e da decadência. É frequentemente manifestado no ar, terra, água e poluição do ambiente de trabalho, mas é qualquer resto após a morte e destruição que resulta da queima. É dito conter o desespero e lamentação que sobreviveu à queima e expressa a emoção resultante, reações remanescentes e los. Das cinzas, vem motivação para a mudança, ação consciente e a emergência de novas esperanças e aba- aspirações. A Cera Derretida & a Fragrância: a cera corrente resulta do calor do pavio da vela na vela sólida e a fragrância resulta da brasa quente do incenso e a liberação do mel da cera das abelhas. É dito que contém a nova essência da existência. Seu derramamento é o exemplo supremo da transformação. Com eles, a queima destrutiva é feita para prover a fonte de luz e caminho cheiroso. O cheiro sutil do mel é tido como expressão do espírito da vida e esperança. Viviane de Jesus Forte Chefe da Seção de Segurança no Trabalho da SRTE/SP A Cerimônia da Vela & Incenso (seus significados mitológicos) A Vela & o Mel: A vela internacional é feita de cera natural do favo de mel das abelhas. É um símbolo escolhido de transformação. A cerimônia da vela é feita para irradiar entendimento e dimensões escondidas da vida e trabalho. O mel, o qual é parte da cera da abelha, contém o espírito da vida como unidade básica e significativa das coisas. Além disso, é o exemplo supremo da doçura natural. O Pavio da Vela & Vara do Incenso: retratam a fina linha do tempo nas nossas vidas. A revelação de cada momento de combustão da cerimônia do dia 28 de Abril segrega as possibilidades de direções futuras dos padrões mais destrutivos do passado. Tanto o pavio quanto a vara são feitos de fibra de plantas. Eles denotam a emergência da vida da nossa história inconsciente, a qual é frequentemente encoberta em segredo, ou permanecem escondidas no reino do silêncio, opressão ou repressão. Cada ano a vara do incenso ilumina onde mudanças são mais necessárias (1996: trabalhadores fábrica de brinquedos, 1997: trabalhadores asiáticos, 1998: trabalhadores infantis, 1999: trabalhadoras femininas, 2000: trabalhadores jovens, 2001: locais de trabalhos seguros e sustentáveis). A Chama & a Brasa resultam da queima da matéria em energia transformada. Elas contêm uma mensagem dominante da cerimônia do dia 28 de Abril. Os pontos de combustão do sofrimento, da dor e da morte. Ele foca todas as queimas e sofrimentos das nossas vidas e a destruição da própria vida, onde vivemos e onde trabalhamos. O calor da queima é associado com o impacto nas vítimas e o sofrimento das comunidades. No entanto, da queima do dia 28 de Abril também gera a rejeição dos princípios correntes, os quais contribuíram para o sofrimento. Assim, através da chama e brasa do dia 28 de Abril O Íntimo da Chama & o Íntimo da Brasa: A chama da vela e a brasa do incenso contêm uma relação íntima com nosso ser individual. Eles falam de mudanças simples e profundas transformações. Eles falam de força interior e cuidado geral. A vela & o incenso do dia 28 de Abril, juntos, simbolizam entre cada um de nós nossa própria chama interna, a qual também expressa a possibilidade desta transformação única de energia. A Árvore da Vida simboliza a passagem de gerações da vela à próxima. É feita de bronze e é remanescente de uma era mais primitiva, aproximadamente 5000 anos atrás, quando o trabalho humano ficou mais especializado pela primeira vez. A Árvore da Vida carrega a memória de todos trabalhadores por anos passados que morreram ou foram acidentados em seu trabalho. Os reflexos da luz por entre o íntimo do centro da vela ilumina o passado remoto do qual as árvores criaram suas raízes. Isto é relativo a outras árvores-símbolos da história humana (por exemplo: a árvore do conhecimento do bem e do mal, as árvores da iniciação Shamanic, e até mesmo as árvores de Natal dos tempos atuais). Assim como elas, o alcance dos seus galhos denotam um consentimento para união maior e coletiva, frente a uma nova luz que é lançada da queima da chama. A Tremulação da Luz e Sombra representa as forças interativas e contraditórias que precisam se materializar em mudança social. Apesar de ser o instrumento da cerimônia do dia 28 de Abril para lamentar os mortos e recordar os acidentados, a tremulação fala da transformação de nossas energias para dar apoio à vida e para nossa existência. A Vela Internacional permanece acesa até o dia 1º de Maio. O Dia Internacional de Lamento termina como a celebração da vida nas celebrações do 1º de Maio organizado pelos trabalhadores ao redor do mundo. O 1º de Maio é uma lembrança de que a chama interior deve ser protegida e preservada. Pela luz da vela em todos os países com a chama interior em cada pessoa Texto: Viviane de Jesus Forte Chefe da Seção de Segurança no Trabalho da SRTE/SP Colaboração: Suzy Paes Técnica em Comunicação SRTE/SP ACOMPANHE NOSSO DIA-A-DIA NO SITE: 7

8 O ELO Edição Nº 296 Abr / Mai de 2013 BOLIVIANOS OCUPAM SRTE/SP EM BUSCA DA CTPS Há quase dois meses ocorre um grande afluxo de imigrantes bolivianos à sede da Superintendência Regional do Trabalho, na rua Martins Fontes, 109, no centro de São Paulo, procurando conseguir sua Carteira de Trabalho. É que em meados de abril corrente a chefia da Fiscalização do Trabalho da SRTE/SP manteve reunião com dirigentes da Associação dos Empresários Coreanos de Confecção do Bom Retiro, na capital paulista, quando foi exigido dos empresários que passassem a registrar, de modo imediato, o contrato de trabalho de todos seus empregados. Praticamente a totalidade dos chamados oficineiros de confecção, do Bom Retiro, é composta de bolivianos, tanto os donos das oficinas, quanto os trabalhadores. E todos produzem, sobretudo, para empresários coreanos que fazem a intermediação, passando a produção para redes de lojas, algumas delas de grifes conhecidas, com sede no exterior. Os colegas AFTs Marco Antonio Melchior, chefe da Fiscalização do Trabalho, Renato Bignani e Luiz Alexandre Faria, que coordenam, em São Paulo, o combate ao chamado trabalho escravo urbano, com destaque para a área de confecção, disseram aos empresários coreanos que não tinham como fugir da solidariedade aos oficineiros, no que toca à caracterização do vínculo empregatício com os trabalhadores bolivianos. Cientes disso, os empregadores orientais concordaram em proceder o registro de todos esses tecelões e costureiros andinos, exigindo a pronta exibição da carteira de trabalho. Corrida à CTPS Convocados a exibir a CTPS para o registro do contrato, os bolivianos correram, em grande número, à sede da Superintendência Paulista, a fim de obter o documento. Pelo tratado do Mercosul e da Unasul, firmado pelo governo brasileiro, os trabalhadores sul-americanos que emigram para o Brasil tem o direito à CTPS para poder trabalhar na legalidade. No entanto, as instalações da superintendência se mostraram pequenas para acolher, de modo repentino, centenas de bolivianos. Foi necessário fixar o número máximo de 45 emissões de carteira por dia. Ainda, assim, o fluxo continuava congestionando na seção de atendimento a estrangeiros no início do mês de maio. A situação social na Bolívia continua muito difícil, com bolsões de extrema pobreza em várias regiões do país, o que tem estimulado a emigração. Até alguns anos atrás, ela era o maior rumo à Argentina, mas na última década ela tomou a direção do Brasil, mesmo porque a Argentina também enfrenta dificuldades econômicas, com a inflação em alta. A regularização dessa mão de obra boliviana nas confecções coreanas do Bom Retino foi uma vitória da Auditoria Fiscal do Trabalho paulista. Antes da fiscalização, a situação geral desses trabalhadores, dentro das confecções, era lastimável. Sem registro de empregado, sem documentos pessoais, trazidos quase clandestinamente para o Brasil, eram explorados de forma desumada, pelos tomadores, cumprindo jornadas diárias de até 20 horas. Agora, com o contrato de trabalho anotado e a CTPS na mão, passaram a ser mais respeitados e não podem ser ameaçados de deportação, sob o argumento de que estariam clandestinos no país. Muitos desses desses trabalhadores, quando ouvidos, mostram-se satisfeitos com a situação em que estão vivendo, em São Paulo. Reconhecem que aqui seus filhos tem escola pública para frequentar, bons logradouros públicos para o lazer e se continuam trabalhando muito e ganhando pouco, ainda assim admitem estar vivendo melhor que na Bolívia, onde a miséria ronda muitos lares em boa parte do país. (D.S.) SÃO PAULO APROVA LEI CONTRA TRABALHO ESCRAVO O governo paulista saiu na frente para acabar, de vez, com o trabalho ultrajante, o chamado trabalho escravo. No último dia 13 de maio, data nacional da aprovação da Lei Áurea, que acabou com a escravidão em nosso país, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou a promulgação da Lei nº , de autoria do deputado Carlos Bezerra Júnior (PSDB), que pune com o cancelamento da inscrição estadual, na Secretaria da Fazenda do Estado, as empresas que forem flagradas empregando pessoas em condições semelhantes à escravidão. A nova lei expressa que a decisão de colegiado (segunda instância) da Justiça Criminal, Civil ou do Trabalho, é suficiente para iniciar o processo de cassação de inscrição no cadastro de contribuintes do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A grande mudança da lei é que agora basta uma decisão colegiada da Justiça. É como o princípio da Ficha Limpa. Não há, mais, a necessidade de transitar em julgado para se iniciar a punição, disse o governador Alckmin. Fiscalização do Trabalho inspirou a lei Foi o aumento da fiscalização, sobretudo nas oficinas de confecções, na capital paulista, desenvolvida pelos auditores fiscais do Trabalho, bem como a ação articulada de todas as autoridades da área trabalhista, junto à Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae-SP), que inspiraram o governo paulista a criar uma lei que desestimule empresários nessa prática cruel do chamado trabalho escravo, seja urbano, ou rural. No ano passado São Paulo registrou 10 casos de resgate envolvendo 59 pessoas. Até maio deste ano já houve 9 casos, com 97 pessoas resgatadas. Foi muito divulgado um dos casos, ocorrido em março, que identificou o trabalho escravo na produção das marcas Cori, Luigi Bertolli e Emme, que formam o Grupo GEP. Conforme relato do jornal O Estado de S. Paulo, os trabalhadores eram contratados da empresa Silobai, responsável por repassar a confecção a outras oficinas, comandadas por bolivianos. A legislação é clara: a punição deve atingir tanto os responsáveis diretos como os indiretos pela contratação da mão de obra. Líderes empresariais do comércio paulista também aplaudiram o endurecimento da lei. O economista Marcel Solimeo, da Associação Comercial de São Paulo, enfatizou: Temos de comemorar o endurecimento da legislação para empresas que contratam mão de obra escrava. Mas há que ter cuidado. Há empresa com mais de mil fornecedores que não sabem exatamente a forma de cada um trabalhar. Também se deve diferenciar trabalho escravo, de trabalho informal. Coube ao colega AFT Luiz Alexandre Faria (SRT-Sp) iniciar o combate ao que chamou, pela primeira vez, de trabalho escravo urbano. Para isso foi criado um grupo especial de fiscalização, coordenado por ele, que desenvolveu fiscalizações de importância, com intensa repercussão, atingindo empresas poderosas, como as Pernambucanas, Zara, Marisa, C & A. E foram essas fiscalizações que trouxeram a público uma verdadeira chaga social, em São Paulo, a exploração de trabalhadores migrantes sul-americanos, sobretudo bolivianos, paraguaios e peruanos. Esse importante trabalho de fiscalização alcançou êxito, pois essa mão de obra estrangeira foi indenizada, legalizada, obteve a CTPS e passou a ter seu contrato de trabalho anotado. (D.S.) 8 VISITE NOSSO SITE:

A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho no Brasil

A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho no Brasil A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho no Brasil Pesquisa revela que a CIPA é uma ferramenta indispensável para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho e melhorias nas condições

Leia mais

A INSPEÇÃO DO TRABALHO SEM NÚMEROS, MAS EM VALORES.

A INSPEÇÃO DO TRABALHO SEM NÚMEROS, MAS EM VALORES. A INSPEÇÃO DO TRABALHO SEM NÚMEROS, MAS EM VALORES. Com a missão de proteger milhares de crianças sacrificadas pelas duras condições de trabalho nas fábricas, nasce em 17 de janeiro de 1891 a Inspeção

Leia mais

Manual da Aprendizagem

Manual da Aprendizagem Manual da Aprendizagem Preparado pelo Centro Social Betesda (CSB) INTRODUÇÃO Aprendizagem é uma ação promovida para incentivar a aplicação prática da Lei 10.097, que regulariza o trabalho de adolescentes

Leia mais

Relatório Pacto Global. Princípio 1: As empresas devem dar apoio e respeitar a proteção aos direitos humanos proclamados internacionalmente;

Relatório Pacto Global. Princípio 1: As empresas devem dar apoio e respeitar a proteção aos direitos humanos proclamados internacionalmente; Relatório Pacto Global Princípios de Direitos Humanos Princípio 1: As empresas devem dar apoio e respeitar a proteção aos direitos humanos proclamados internacionalmente; Um dos valores que sustentam a

Leia mais

A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO

A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO José Carlos Batista - Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE-ES RESUMO: a mulher teve e tem uma grande participação na construção do direito do

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

Página 1 de 5 O ART. 429, CLT E A COTA APRENDIZ Márcio Archanjo Ferreira Duarte 1. INTRODUÇÃO A figura da aprendizagem adveio originalmente do Decreto nº. 13.064, de 12 de junho de 1918, que aprovava naquela

Leia mais

PROJETO: REDUÇÃO DA INFORMALIDADE POR MEIO DO DIÁLOGO SOCIAL RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO:

PROJETO: REDUÇÃO DA INFORMALIDADE POR MEIO DO DIÁLOGO SOCIAL RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO: PROJETO: REDUÇÃO DA INFORMALIDADE POR MEIO DO DIÁLOGO SOCIAL CONVÊNIO FOMIN/BID ATN/ME 11684-BR RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO: VISITAS DE SENSIBILIZAÇÃO AOS ATORES SOCIAIS DO POLOTO DE BARES E RESTAURANTES

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

DISCURSO DO SECRETÁRIO-GERAL DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, JOSÉ MIGUEL INSULZA, NA SESSÃO DE ABERTURA DA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS

DISCURSO DO SECRETÁRIO-GERAL DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, JOSÉ MIGUEL INSULZA, NA SESSÃO DE ABERTURA DA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS DISCURSO DO SECRETÁRIO-GERAL DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, JOSÉ MIGUEL INSULZA, NA SESSÃO DE ABERTURA DA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS Mar del Plata, 4 de novembro de 2005. Senhor Presidente da Nação

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

A MODERNIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

A MODERNIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Seminário: Mão de Obra Estrangeira no Brasil e Brasileira no Exterior A MODERNIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA 12 de maio de 2011 - Rio de Janeiro/RJ EMIGRAÇÃO Atualmente

Leia mais

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 CNPJ: 61.460.077/0001-39 / INSCR: 105.657.106.110 Gestão

Leia mais

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015

DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015 DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015 Senhores Deputados, meu pronunciamento é em caráter excepcional. Eu tenho uma história de vida

Leia mais

28 de ABRIL. Defenda-se: Conheça a CAT e exija seus direitos! Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho

28 de ABRIL. Defenda-se: Conheça a CAT e exija seus direitos! Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho 28 de ABRIL Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho Pela humanização da perícia médica no INSS Defenda-se: Conheça a CAT e exija seus direitos! Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias

Leia mais

Ano 1 - nº 1 - Set/15

Ano 1 - nº 1 - Set/15 Ano 1 - nº 1 - Set/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José Aníbal créditos

Leia mais

Quinta-feira, 26 de março de 2015

Quinta-feira, 26 de março de 2015 Quinta-feira, 26 de março de 2015 TRT-CE e Ministério Público realizam ação contra o trabalho infantil O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, em parceria com o Ministério Público do Trabalho e diversas

Leia mais

Código. de Conduta do Fornecedor

Código. de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor 03/2014 Índice 1. Considerações... 03 2. Decisões... 04 3. Diretrizes... 05 3.1. Quanto à Integridade nos Negócios... 05 3.2. Quanto aos Direitos Humanos Universais... 06

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2016 Gestão 2014/2017

PLANO DE AÇÃO 2016 Gestão 2014/2017 INTRODUÇÃO O Plano de Ação do Sindicato-Apase adota como referencial de elaboração as Teses aprovadas no XI Fórum Sindical/2015, referendadas na Assembleia Geral Extraordinária Deliberativa de 11/12/2015.

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica Rogério Reis Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica CRESCIMENTO ECONÔMICO DA REGIÃO SUL IMPULSIONA MERCADO PARANAENSE POR ADRIANE DO VALE redacao@cipanet.com.br FOTOS

Leia mais

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende *

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado é a expressão da participação da sociedade na vida pública mais significativa da atualidade. Os movimentos de participação

Leia mais

Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração"

Resumo executivo do Livro Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT PROGRAMA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL IPEC Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil

Leia mais

Apresentação da Concessão

Apresentação da Concessão MEDICINA E ENGENHARIA DO TRABALHO Apresentação da Concessão Cuidar da Saúde e Segurança do Trabalhador é a nossa Especialidade! APRESENTAÇÃO TENHA SEU PRÓPRIO NEGÓCIO COM RETORNO GARANTIDO O mercado de

Leia mais

S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 6

S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 6 S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 6 ALIMENTAÇÃO. Com data-base em 1º de setembro, o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação (Setor de Derivados de Milho e Soja), representando

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 316B DE 1999 I RELATÓRIO

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 316B DE 1999 I RELATÓRIO COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 316B DE 1999 Dispõe sobre a obrigatoriedade dos shopping centers contarem com ambulâncias ou UTIs móveis para transporte de vítimas de emergências.

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

trabalho Bianca Pyl/Repórter Brasil (costura) + Fábio Cruz/Agência Brasil (construção)

trabalho Bianca Pyl/Repórter Brasil (costura) + Fábio Cruz/Agência Brasil (construção) trabalho Bianca Pyl/Repórter Brasil (costura) + Fábio Cruz/Agência Brasil (construção) escravo urbano Os geógrafos (mas não só eles) sabem bem que o rural e o urbano são mundos conectados. O modelo de

Leia mais

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos / / Fique ligado Notícias / Especiais Promenino Fundação Telefônica 10/12/2012 Os desafios da fiscalização do trabalho infantil Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

24/04/2007. Presidência da República Secretaria de Comunicação Social Discurso do Presidente da República

24/04/2007. Presidência da República Secretaria de Comunicação Social Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura dos atos normativos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) Palácio do Planalto, 24 de abril de 2007 Excelentíssimo senador Renan Calheiros,

Leia mais

Como é calculado o salário do aprendiz?

Como é calculado o salário do aprendiz? Como é calculado o salário do aprendiz? 1º PASSO - Cálculo da hora nua: Hora nua = salário mínimo / 150 horas (n. de horas/mês) * 150 = 30 horas semanais x 5 semanas Ex.: 424,00 / 150 = 2,826 Salário base

Leia mais

Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos

Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos Senhor Ministro Chris Alexander, Senhoras e senhores, Primeiramente, gostaria cumprimentar a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

Leia mais

RRelevância do curso. OObjetivo do curso. FFundamentação Teórica: ATENDIMENTO E POSTURA NO AMBIENTE DE TRABALHO. Público-alvo

RRelevância do curso. OObjetivo do curso. FFundamentação Teórica: ATENDIMENTO E POSTURA NO AMBIENTE DE TRABALHO. Público-alvo Vigilantes, vigias, porteiros ou interessados em ingressar nessas funções. A empresa que presta serviços de vigilância tem a grande preocupação de manter a segurança de seu cliente, mas também de não receber

Leia mais

NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (205.000-5) DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho,

Leia mais

Como contratar seu empregado

Como contratar seu empregado MEI - Microempreendedor Individual: Como contratar seu empregado O que você precisa para contratar o seu empregado? Para você que já se tornou MEI Microempreendedor Individual e precisa contratar um empregado,

Leia mais

Abrangência da terceirização

Abrangência da terceirização Reportagem especial explica os pontos polêmicos do projeto da terceirização A proposta que regulamenta a terceirização no Brasil e derrubou a reunião da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

Leia mais

Antônio Carlos Bento Ribeiro

Antônio Carlos Bento Ribeiro Antônio Carlos Bento Ribeiro Acredito que a Academia pode e deve participar do processo de renovação do Direito do Trabalho no Brasil. Centrada essencialmente nas transformações que têm afetado o mundo

Leia mais

Marcha Global contra o Trabalho Infantil Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil na Agricultura Washington DC, EUA 28-30 julho, 2012

Marcha Global contra o Trabalho Infantil Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil na Agricultura Washington DC, EUA 28-30 julho, 2012 Marcha Global contra o Trabalho Infantil Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil na Agricultura Washington DC, EUA 28-30 julho, 2012 MARCO DE AÇÃO A Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil

Leia mais

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE- OBRA INFANTIL!

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE- OBRA INFANTIL! Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República Carlos Lupi Ministro do Trabalho e Emprego André Figueiredo Secretário-Executivo Ruth Beatriz de Vasconcelos Vilela Secretária de Inspeção do Trabalho

Leia mais

Combate ao trabalho escravo ainda é desafio no Brasil

Combate ao trabalho escravo ainda é desafio no Brasil Quarta-feira, 30 de outubro de 2013 26.10.2013 20h54 Combate ao trabalho escravo ainda é desafio no Brasil São 200 mil em condições análogas à escravidão Fiscal durante resgate de trabalhadores em condições

Leia mais

CHAPA 1 - MOVIMENTO PELA RECONSTRUÇÃO DA AUDITORIA FISCAL DO TRABALHO RS VISÃO

CHAPA 1 - MOVIMENTO PELA RECONSTRUÇÃO DA AUDITORIA FISCAL DO TRABALHO RS VISÃO CHAPA 1 - MOVIMENTO PELA RECONSTRUÇÃO DA AUDITORIA FISCAL DO TRABALHO RS VISÃO Fortalecer a carreira da Auditoria-Fiscal do Trabalho, de maneira estruturada e privilegiando a participação coletiva, é o

Leia mais

UGT participará de evento do TRT 2

UGT participará de evento do TRT 2 UGT participará de evento do TRT 2 O presidente Ricardo Patah estará presente e convida a todas as entidades filiadas que participem e exponham seus materiais e suas bandeiras de LUTA! 28 de Abril Dia

Leia mais

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Aline Barbosa Pinheiro Prof. Andréia Alexandre Hertzberg Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Graduação Tecnológica

Leia mais

MANUAL DO ESTAGIÁRIO WWW.CIEESC.ORG.BR

MANUAL DO ESTAGIÁRIO WWW.CIEESC.ORG.BR MANUAL DO ESTAGIÁRIO WWW.CIEESC.ORG.BR SEJA BEM VINDO! É com muito prazer que o CIEE-SC recebe você como estagiário. O estágio é o seu primeiro passo para uma carreira de sucesso. Grandes executivos começaram

Leia mais

Contribuições à Criação e Organização de um Núcleo de Voluntariado

Contribuições à Criação e Organização de um Núcleo de Voluntariado Terceiro Setor Contribuições à Criação e Organização de um Núcleo de Voluntariado Para que possamos atuar com voluntários, em projetos sociais, em instituições públicas ou privadas é fundamental que se

Leia mais

X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS

X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS PAINEL : FERRAMENTA PARA A GESTÃO DA ÉTICA E DOS DIREITOS HUMANOS RONI ANDERSON BARBOSA INSTITUTO OBSERVATORIO SOCIAL INSTITUCIONAL

Leia mais

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados Comunicação e Reputação 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados 1 Introdução Ao contrário do que alguns podem pensar, reputação não é apenas um atributo ou juízo moral aplicado às empresas.

Leia mais

CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONSELHOS MUNICIPAIS DE JUVENTUDE

CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONSELHOS MUNICIPAIS DE JUVENTUDE CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONSELHOS MUNICIPAIS DE JUVENTUDE Belo Horizonte Fevereiro 2012 ANTÔNIO AUGUSTO JUNHO ANASTASIA Governador do Estado de Minas Gerais ALBERTO PINTO COELHO JÚNIOR Vice Governador

Leia mais

Ministério do Trabalho publica Cartilha do Estágio

Ministério do Trabalho publica Cartilha do Estágio Ministério do Trabalho publica Cartilha do Estágio O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) torna pública esta Cartilha esclarecedora sobre a nova Lei do Estágio com o objetivo de orientar Estudantes,

Leia mais

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil.

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Indústria É assim que e Comércio a gente segue Exterior em frente. Introdução Atualmente, muitos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

Doar Faz Bem. Capa. Ações que reverberam. Manual de Doações. nazareuniluz.org.br. Nazaré Uniluz

Doar Faz Bem. Capa. Ações que reverberam. Manual de Doações. nazareuniluz.org.br. Nazaré Uniluz Capa Doar Faz Bem Ações que reverberam Manual de Doações www. - (11) 4597-7109 / 4597-7103 / 96473-2851 www. - (11) 4597-7109 / 4597-7103 / 96473-2851 Este Manual foi criado com o intuito de inspirar,

Leia mais

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 A oitava reunião mensal do ano da Comissão Trabalhista e de Gestão Empresarial superou as expectativas. 50 representantes

Leia mais

ONG BRASI O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

ONG BRASI O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil ONG BRASI 2012 O DIÁLOGO ABRE CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Dezembro de 2013 3 EXPEDIENTE Presidenta

Leia mais

Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa

Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE PIAGET CPA Edição nº 01 Abril de 2015 Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa Alunos, docentes e funcionários avaliaram a instituição. Veja o resultado

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Sindilojas, 24 de julho de 2014 Legislação da CIPA Decreto-lei nº 7.036 de 10/11/1944 (Lei de Acidentes do Trabalho): Art. 82. Os empregadores, cujo número

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

PARTICIPAÇÃO, A DIFERENÇA QUE VOCÊ PODE FAZER!

PARTICIPAÇÃO, A DIFERENÇA QUE VOCÊ PODE FAZER! 1 PARTICIPAÇÃO, A DIFERENÇA QUE VOCÊ PODE FAZER! AUTOR E APRESENTADOR: Cristina Garvil Diretora da Superintendência de Água e Esgotos de Ituiutaba SAE Arquiteta, Mestranda em Engenharia de Produção com

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

MENSAGEM DA EQUIPE NOVOS FILIADOS. Patrulha Mirim de Cordeirópolis, que fica no interior do Estado de São

MENSAGEM DA EQUIPE NOVOS FILIADOS. Patrulha Mirim de Cordeirópolis, que fica no interior do Estado de São MENSAGEM DA EQUIPE Próximos do final do ano, olhamos para trás e constatamos o quanto crescemos em 2012. Crescemos tecnicamente e, principalmente, na união e organização de nossos filiados. 2012 foi um

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012 Dispõe sobre procedimentos para a divulgação e fiscalização do cumprimento da legislação

Leia mais

Cidadania em quadrinhos A educação zelando pelos direitos da criança e do

Cidadania em quadrinhos A educação zelando pelos direitos da criança e do Projeto: adolescente. Cidadania em quadrinhos A educação zelando pelos direitos da criança e do Organização responsável pela execução: Instituto Educar da Infância e da Juventude CNPJ:03.135.626/0001 01

Leia mais

Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no REDOM

Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no REDOM Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no De: Mario Avelino [mailto:marioavelino@domesticalegal.org.br] Enviada em: quarta-feira, 9 de setembro de 2015 23:50 Para:

Leia mais

A Conjuntura dos Regimes Próprios de Previdência Social no Brasil

A Conjuntura dos Regimes Próprios de Previdência Social no Brasil Seminário Gestão Municipal e os Fundos de Previdência A Conjuntura dos Regimes Próprios de Previdência Social no Brasil Reflexos na Gestão Municipal Certificado de Regularidade Previdenciária CRP e Certidão

Leia mais

I Fórum Políticas Públicas do Idoso"

I Fórum Políticas Públicas do Idoso I Fórum Políticas Públicas do Idoso" O idoso no mundo Em 2050, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 30% da população mundial será de idosos; 2 bilhões dos habitantes do planeta terão mais de

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 81 O Ajuste Fiscal e as ONGs 08 de maio de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO.

REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO. REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO. A Revista Motoboy Magazine tem o prazer de realizar o Prêmio Motoboy Magazine Top Motofrete 2013, a fim de prestigiar o trabalho de empresas em prestação

Leia mais

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com.

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com. Outubro 2012 NATAL www.unirn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110 30 anos de história no RN www.unirn.com.br COOPERATIVA LÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE ANS - n.º 34531-8 Palavra

Leia mais

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv

Comunicar PAPA. Jornal. Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano. Administração Pública. www.governo.cv Jornal Comunicar Administração Pública Governo de Cabo Verde Edição Gratuita Mensal nº18 Setembro de 2010 Edição Especial www.governo.cv www.governo.cv PAPA Bento XVI recebe José Maria Neves no Vaticano

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2013 Nota Descritiva 2 2013 Câmara dos Deputados. Todos os direitos reservados. Este trabalho poderá ser reproduzido ou transmitido na íntegra,

Leia mais

Apresentação. Torne-se um Empreendedor Individual e traga para o seu negócio todos os benefícios da formalização. Guia do Empreendedor Individual

Apresentação. Torne-se um Empreendedor Individual e traga para o seu negócio todos os benefícios da formalização. Guia do Empreendedor Individual Apresentação Muitos brasileiros trabalham informalmente por conta própria, ou seja, não têm nenhum tipo de registro. E por isso ficam sem acesso a diversos benefícios, como a Previdência Social, cursos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 36 Discurso por ocasião do jantar

Leia mais

Presidente da CBF participa de reunião na Câmara dos Deputados

Presidente da CBF participa de reunião na Câmara dos Deputados Frente Parlamentar em Defesa dos Conselheiros Tutelares é reinstalada na Câmara dos Deputados Com o objetivo de discutir e acompanhar as demandas dos Conselhos Tutelares na Câmara dos Deputados, foi reinstalada

Leia mais

Evento acontece na cidade de Caxambu e começa nesta sexta (18)

Evento acontece na cidade de Caxambu e começa nesta sexta (18) https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/178 3-educacao-amplia-interlocucao-com-representantes- do-movimento-sindical Notícia veicula no site Portal da Educação em 17/02/11 Secretária Ana Lúcia

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 75, DE 8 DE MAIO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 75, DE 8 DE MAIO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 75, DE 8 DE MAIO DE 2009 Disciplina a fiscalização das condições de trabalho no âmbito dos programas de aprendizagem. A Secretária de Inspeção do Trabalho, no uso de sua competência,

Leia mais

Uma Política Nacional de Esporte

Uma Política Nacional de Esporte Uma Política Nacional de Esporte Todas as ações do Governo Federal na área do esporte seguem, hoje, uma Política Nacional de Esporte, algo inédito no Brasil. São conceitos e ações desenvolvidos pelo Ministério

Leia mais

Crianças/Adolescentes ocupados por U.F e por Faixa Etária

Crianças/Adolescentes ocupados por U.F e por Faixa Etária Erradicação do Trabalho Infantil Brasília, 2 de fevereiro de 21 Introdução Esta nota apresenta um quadro do trabalho infantil no período de 26 a 28, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 Altera a Lei 11.907 de 02 de fevereiro de 2009, para estabelecer a jornada de trinta horas para os integrantes da carreira de Perito Médico Previdenciário e da Carreira de Supervisor

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES PCTI 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES PCTI 2014 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO PROGRAMA DE COMBATE AO TRABALHO INFANTIL (PCTI) GESTÃO REGIONAL RELATÓRIO DE ATIVIDADES PCTI 2014 www.trt7.jus.br/trabalhoinfantil SEMANA CEARENSE

Leia mais

Everaldo Baldin. cipa entrevista. 22 cipacaderno informativo de prevenção de acidentes www.cipanet.com.br

Everaldo Baldin. cipa entrevista. 22 cipacaderno informativo de prevenção de acidentes www.cipanet.com.br Everaldo Baldin Prot-Cap: quatro décadas de empreendedorismo PARA EVERALDO BALDIN, O SEGREDO DO SUCESSO DA EMPRESA ESTÁ NA QUALIDADE DO ATENDIMENTO E NO FOCO NO MERCADO DE EPI POR VIVIANE FARIAS redacao6@cipanet.com.br

Leia mais

Acidentes, Flagelos e Descaso em Osasco e Região

Acidentes, Flagelos e Descaso em Osasco e Região Acidentes, Flagelos e Descaso em Osasco e Região A data em memória às vitimas de acidentes de trabalho, 28 de abril, surgiu no Canadá por iniciativa do movimento sindical, espalhando-se por diversos países,

Leia mais

Nossa Missão, Visão e Valores

Nossa Missão, Visão e Valores Nossa Missão, Visão e Valores Missão Acolher e mobilizar os imigrantes na luta por direitos, cidadania e empoderamento social e político; Combater o trabalho escravo, a xenofobia, o tráfico de pessoas

Leia mais

Código de Conduta Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin

Código de Conduta Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin Código de Conduta Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin 1 Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin Introdução O objetivo deste Código de Conduta é orientar os nossos fornecedores

Leia mais

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante FenacorPrev

Plano de Previdência Complementar. Manual do Participante FenacorPrev Plano de Previdência Complementar Manual do Participante FenacorPrev Índice Introdução... 3 O Programa de Previdência FenacorPrev... 3 Contribuições... 4 Investimentos... 5 Benefício Fiscal... 6 Benefícios

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO E GESTÃO EMPRESARIAL

INDICADORES DE DESEMPENHO E GESTÃO EMPRESARIAL INDICADORES DE DESEMPENHO E GESTÃO EMPRESARIAL INDICADORES DE DESEMPENHO E GESTÃO EMPRESARIAL 2007, SEBRAE/RS Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio Grande do Sul É proibida a duplicação

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO pág. 3. 2. CERTIFICAÇÃO DE FORNECEDORES ABVTEX pág. 4. 3. AUDITORIA pág. 7. 4. DOCUMENTO DE CERTIFICAÇÃO pág. 10

1. APRESENTAÇÃO pág. 3. 2. CERTIFICAÇÃO DE FORNECEDORES ABVTEX pág. 4. 3. AUDITORIA pág. 7. 4. DOCUMENTO DE CERTIFICAÇÃO pág. 10 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO pág. 3 2. CERTIFICAÇÃO DE FORNECEDORES ABVTEX pág. 4 3. AUDITORIA pág. 7 4. DOCUMENTO DE CERTIFICAÇÃO pág. 10 5. CANCELAMENTO OU SUSPENSÃO DA CERTIFICAÇÃO pág. 10 6. PRAZO PARA

Leia mais

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Edição: agosto/2014 1 ÍNDICE Visão, Missão e Valores 6 Fornecedores e prestadores de serviço 14 Objetivos 7 Brindes, presentes e entretenimento 15 Princípios

Leia mais