Norma Portuguesa. Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:2004) NP EN ISO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Norma Portuguesa. Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:2004) NP EN ISO 14001 2004"

Transcrição

1 Norma Portuguesa NP Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:) Systèmes de management environnemental Exigences et lignes directrices pour son utilisation (ISO 14001:) Environmental management systems Requirements with guidance for use (ISO 14001:) ICS DESCRITORES Engenharia do ambiente; sistemas de gestão ambiental; técnicas de gestão; política de gestão; garantia da qualidade; planeamento; especificações; instruções de utilização; auditoria da qualidade; conformidade; formação profissional; documentos; registos (documentos); definições CORRESPONDÊNCIA Versão portuguesa da : HOMOLOGAÇÃO Termo de Homologação nº 225/, de ELABORAÇÃO CT 150 (IA) 2ª EDIÇÃO Março de 2005 CÓDIGO DE PREÇO X009 Instituto Português da Rua António Gião, 2 PT CAPARICA Tel. (+ 351) Fax. (+ 351) PORTUGAL URL: ualidade

2 Preâmbulo nacional Ao longo da presente Norma são utilizados os seguintes termos: - "deve" ou "devem" quando se pretende dar um cariz de exigência (traduz "shall"); - "deverá" ou "deverão" quando se pretende dar um cariz de aconselhamento/conveniência (traduz "should"); - "pode" ou "podem" quando se pretende dar um cariz de capacidade para (traduz "can"); - "poderá" ou "poderão" quando se pretende dar um cariz de alternativa a (traduz "may").

3 NORMA EUROPEIA EUROPÄISCHE NORM NORME EUROPÉENNE EUROPEAN STANDARD Novembro ICS: Substitui a :1996 Versão Portuguesa Sistemas de gestão ambiental - Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:) Umweltmanagementsysteme Anforderungen mit Anleitung zur Anwendung (ISO 14001:) Systèmes de management environnemental Exigences et lignes directrices pour son utilisation (ISO 14001:) CEN Comité Europeu de Normalização Europäisches Komitee für Normung Comité Européen de Normalisation European Committee for Standardization Environmental management systems Requirements with guidance for use (ISO 14001:) A presente Norma é a versão portuguesa da Norma Europeia :, e tem o mesmo estatuto que as versões oficiais. A tradução é da responsabilidade do Instituto Português da Qualidade. Esta Norma Europeia foi ratificada pelo CEN em 13 de Novembro de. Os membros do CEN são obrigados a submeter-se ao Regulamento Interno do CEN/CENELEC que define as condições de adopção desta Norma Europeia, como norma nacional, sem qualquer modificação. Podem ser obtidas listas actualizadas e referências bibliográficas relativas às normas nacionais correspondentes junto do Secretariado Central ou de qualquer dos membros do CEN. A presente Norma Europeia existe nas três versões oficiais (alemão, francês e inglês). Uma versão noutra língua, obtida pela tradução, sob responsabilidade de um membro do CEN, para a sua língua nacional, e notificada ao Secretariado Central, tem o mesmo estatuto que as versões oficiais. Os membros do CEN são os organismos nacionais de normalização dos seguintes países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. Secretariado Central: rue de Stassart 36, B-1050 Bruxelas Direitos de reprodução reservados aos membros do CEN Ref. nº : PT

4 p. 4 de 33 Índice Página Preâmbulo nacional... 2 Preâmbulo... 5 Nota de endosso... 5 Introdução Objectivo e campo de aplicação Referências normativas Termos e definições Requisitos do sistema de gestão ambiental Requisitos gerais Política ambiental Planeamento Implementação e operação Verificação Revisão pela Gestão Anexo A (informativo) Linhas de orientação para a utilização da presente Norma Anexo B (informativo) Correspondência entre a ISO 14001: e a ISO 9001: Bibliografia... 33

5 p. 5 de 33 Preâmbulo Este documento (:) foi elaborado pelo Comité Técnico ISO/TC 207 Environmental management, em colaboração com o CMC. A esta Norma Europeia deve ser atribuído o estatuto de Norma Nacional, seja por publicação de um texto idêntico, seja por adopção, o mais tardar em Maio de 2005, e as normas nacionais divergentes devem ser anuladas o mais tardar em Maio de Este documento substitui a :1996. De acordo com o Regulamento Interno do CEN/CENELEC, a presente Norma deve ser implementada pelos organismos nacionais de normalização dos seguintes países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. Nota de endosso O texto da ISO 14001: foi aprovado pelo CEN como : sem qualquer modificação.

6 p. 6 de 33 Introdução As organizações, de todos os tipos, estão cada vez mais preocupadas em atingir e demonstrar um desempenho ambiental sólido, através do controlo dos impactes das suas actividades, produtos e serviços no ambiente, em coerência com a sua política e objectivos ambientais. Estas preocupações surgem no contexto do aparecimento de legislação cada vez mais restritiva, do desenvolvimento de políticas económicas e de outras medidas que fomentam cada vez mais a protecção ambiental, e de um crescimento generalizado das preocupações de partes interessadas sobre questões ambientais e de desenvolvimento sustentável. Muitas organizações levaram a cabo levantamentos ou auditorias ambientais, para avaliar o seu desempenho ambiental. No entanto, estes levantamentos e auditorias poderão não ser, por si só, suficientes para dar a uma organização a garantia de que o seu desempenho ambiental não só cumpre, como continuará a cumprir, os requisitos legais e os da sua política. Para que sejam eficazes, é necessário que tais levantamentos e auditorias sejam realizados no contexto de um sistema de gestão estruturado e integrado na organização. As Normas Internacionais referentes à gestão ambiental destinam-se a proporcionar às organizações os elementos de um sistema de gestão ambiental (SGA) eficaz, que possam ser integrados com outros requisitos de gestão, a fim de ajudar essas organizações a atingir os objectivos ambientais e económicos. Estas normas, tal como outras Normas Internacionais, não pretendem criar barreiras não tarifárias ao comércio nem ampliar ou alterar as obrigações legais de uma organização. A presente Norma especifica os requisitos para um sistema de gestão ambiental que permita à organização desenvolver e implementar uma política e objectivos, tendo em consideração requisitos legais e informação sobre aspectos ambientais significativos. Pretende-se que esta Norma seja aplicável a organizações de todos os tipos e dimensões e se adapte a diversas condições geográficas, culturais e sociais. A Figura 1 representa a base da abordagem a seguir. O sucesso do sistema depende do compromisso de todos os níveis e funções da organização, e especialmente da Gestão de topo. Um sistema deste tipo permite a uma organização desenvolver uma política ambiental, estabelecer objectivos e processos para atingir os compromissos da política, actuar conforme necessário para melhorar o seu desempenho e demonstrar a conformidade do sistema com os requisitos desta Norma. A finalidade global desta Norma é apoiar a protecção ambiental e a prevenção da poluição, em equilíbrio com as necessidades sócio-económicas. Deverá salientar-se que muitos dos requisitos podem ser considerados simultaneamente ou reavaliados em qualquer altura. A segunda edição desta Norma está focalizada na clarificação da primeira edição, e teve em consideração as disposições da ISO 9001, com o objectivo de reforçar a compatibilidade entre as duas normas, para benefício dos seus utilizadores. Para facilitar a utilização, as sub-secções da secção 4 desta Norma e as do Anexo A têm numeração relacionada. Por exemplo, e A.3.3 referem-se ambas a objectivos, metas e programa(s), e e A.5.5 referem-se ambas a auditorias internas. Além disso, o Anexo B identifica correspondências técnicas gerais entre a ISO 14001: e a ISO 9001:2000 e vice versa. Existe uma distinção importante entre esta Norma, que descreve os requisitos para um sistema de gestão ambiental de uma organização e que pode ser utilizada para uma certificação/registo e/ou para autodeclaração do sistema de gestão ambiental de uma organização, e um guia de aplicação não certificável, concebido para auxiliar de forma genérica uma organização a estabelecer, implementar ou melhorar um sistema de gestão ambiental. A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, incluindo questões com implicações estratégicas e de competitividade. A demonstração da implementação bem sucedida desta Norma pode ser utilizada por uma organização para assegurar às partes interessadas que tem implementado um sistema de gestão ambiental adequado.

7 p. 7 de 33 As orientações relativas às técnicas de gestão ambiental estão incluídas noutras Normas Internacionais, em particular as normas relativas a gestão ambiental nos documentos estabelecidos pelo ISO/TC 207. Qualquer referência a outras Normas Internacionais é meramente para informação. Revisão pela Gestão Verificação Melhoria contínua Política ambiental Planeamento Implementação e operação NOTA: Esta Norma é baseada na metodologia conhecida por Planear-Executar-Verificar-Actuar ( PDCA 1 ). Esta metodologia pode ser simplificadamente descrita como: Planear: estabelecer os objectivos e os processos necessários para atingir resultados, de acordo com a política ambiental da organização; Executar: implementar os processos; Verificar: monitorizar e medir os processos face à política ambiental, objectivos, metas, requisitos legais e outros requisitos, e relatar os resultados; Actuar: empreender acções para melhorar continuamente o desempenho do sistema de gestão ambiental. Muitas organizações gerem as suas operações através da aplicação de um sistema de processos e respectivas interacções, o que pode ser designado como a abordagem por processos. A ISO 9001 promove a utilização deste tipo de abordagem. Como o PDCA pode ser aplicado a todos os processos, as duas metodologias são consideradas compatíveis. Figura 1 Modelo de sistema de gestão ambiental para esta Norma 1 PDCA: Plan-Do-Check-Act

8 p. 8 de 33 A presente Norma contém apenas os requisitos que podem ser objectivamente auditados. As organizações que necessitem de orientações mais gerais sobre uma ampla gama de questões relacionadas com sistemas de gestão ambiental devem consultar a ISO A presente Norma não estabelece requisitos absolutos de desempenho ambiental para além dos compromissos, estabelecidos na política ambiental, de cumprimento dos requisitos legais aplicáveis e de outros requisitos que a organização subscreva, de prevenção da poluição e de melhoria contínua. Assim, duas organizações com operações semelhantes, mas com desempenhos ambientais diferentes, podem ambas estar em conformidade com os requisitos desta Norma. A adopção e a implementação, de forma sistemática, de um conjunto de técnicas de gestão ambiental podem contribuir para obter resultados óptimos para todas as partes interessadas. No entanto, a adopção desta Norma, por si só, não garantirá resultados ambientais óptimos. Para se alcançarem objectivos ambientais, o sistema de gestão ambiental pode incentivar as organizações a considerar a implementação das melhores técnicas disponíveis, sempre que seja adequado e economicamente viável e ter inteiramente em conta a eficácia económica dessas técnicas. A presente Norma não inclui requisitos específicos para outros sistemas de gestão, como os da qualidade, segurança e saúde no trabalho, gestão financeira ou gestão de risco, embora os seus elementos possam ser alinhados ou integrados com os de outros sistemas de gestão. É possível a uma organização adaptar o(s) seu(s) sistema(s) de gestão existente(s) com vista a estabelecer um sistema de gestão ambiental em conformidade com os requisitos desta Norma. Salienta-se, no entanto, que a aplicação de diversos elementos do sistema de gestão poderá diferir segundo a finalidade pretendida e as diversas partes interessadas. O nível de detalhe e a complexidade do sistema de gestão ambiental, a extensão da documentação e os recursos que lhe são atribuídos, dependem de um conjunto de factores, tais como o âmbito do sistema, a dimensão da organização e a natureza das suas actividades, produtos e serviços. Este poderá ser o caso, em particular, para pequenas e médias empresas.

9 p. 9 de 33 1 Objectivo e campo de aplicação Esta Norma especifica os requisitos relativos a um sistema de gestão ambiental, para permitir que uma organização desenvolva e implemente uma política e objectivos, tendo em conta os requisitos legais e outros requisitos que a organização subscreva, e informação sobre os aspectos ambientais significativos. Aplica-se aos aspectos ambientais que a organização identifica como sendo aqueles que pode controlar e aqueles que pode influenciar. Esta Norma não define por si só critérios específicos de desempenho ambiental. A presente Norma Internacional é aplicável a qualquer organização que pretenda: a) estabelecer, implementar, manter e melhorar um sistema de gestão ambiental; b) assegurar-se da conformidade com a sua política ambiental; c) demonstrar conformidade com esta Norma 1) efectuando uma auto-avaliação e auto-declaração, ou 2) procurando obter a confirmação da sua conformidade por entidades com interesse na organização, tais como clientes, ou 3) procurando obter a confirmação da sua auto-declaração por uma parte externa à organização, ou 4) procurando obter a certificação/registo do seu sistema de gestão ambiental por uma organização externa. Todos os requisitos desta Norma têm como finalidade ser incorporados em qualquer sistema de gestão ambiental. O grau de aplicação depende de diversos factores, tais como a política ambiental da organização, a natureza das suas actividades, produtos e serviços e sua localização e as condições em que funciona. Esta Norma fornece também, no Anexo A, linhas de orientação informativas sobre a sua utilização. 2 Referências normativas Não são citadas quaisquer referências normativas. Esta secção é incluída de forma a manter uma numeração de secções idêntica à edição anterior (ISO 14001:1996). 3 Termos e definições Para os fins da presente Norma, aplicam-se os seguintes termos e definições: 3.1 auditor pessoa com competência para realizar uma auditoria [ISO 9000:2000, 3.9.9] 3.2 melhoria contínua processo recorrente de aperfeiçoamento do sistema de gestão ambiental (3.8), por forma a atingir melhorias no desempenho ambiental (3.10) global, de acordo com a política ambiental (3.11) da organização (3.16) NOTA: Não é necessário que o processo se aplique, simultaneamente, em todas as áreas de actividade.

10 p. 10 de acção correctiva acção para eliminar a causa de uma não conformidade (3.15) detectada 3.4 documento informação e respectivo meio de suporte NOTA 1: O meio de suporte pode ser papel, magnético, electrónico ou disco óptico de computador, fotografia ou amostra de referência, ou uma combinação destes. NOTA 2: Adaptado da ISO 9000:2000, ambiente envolvente na qual uma organização (3.16) opera, incluindo o ar, a água, o solo, os recursos naturais, a flora, a fauna, os seres humanos, e as suas inter-relações NOTA: Neste contexto, a envolvente vai do interior da organização (3.16) ao sistema global. 3.6 aspecto ambiental elemento das actividades, produtos ou serviços de uma organização (3.16) que pode interagir com o ambiente (3.5) NOTA: Um aspecto ambiental significativo tem, ou pode ter, um impacte ambiental (3.7) significativo. 3.7 impacte ambiental qualquer alteração no ambiente (3.5), adversa ou benéfica, resultante, total ou parcialmente, dos aspectos ambientais (3.6) de uma organização (3.16) 3.8 sistema de gestão ambiental SGA parte do sistema de gestão de uma organização (3.16) utilizada para desenvolver e implementar a sua política ambiental (3.11) e gerir os seus aspectos ambientais (3.6) NOTA 1: Um sistema de gestão é um conjunto de elementos inter-relacionados, utilizados para estabelecer uma política e objectivos e para atingir esses objectivos. NOTA 2: Um sistema de gestão inclui a estrutura organizacional, as actividades de planeamento, as responsabilidades, as práticas, os procedimentos (3.19), os processos e os recursos. 3.9 objectivo ambiental finalidade ambiental geral, consistente com a política ambiental (3.11), que uma organização (3.16) se propõe atingir 3.10 desempenho ambiental resultados mensuráveis da gestão dos aspectos ambientais (3.6) de uma organização (3.16) NOTA: No contexto de sistemas de gestão ambiental (3.8), os resultados podem ser medidos face à política ambiental (3.11), aos objectivos ambientais (3.9), às metas ambientais (3.12) e a outros requisitos de desempenho ambiental da organização (3.16).

11 p. 11 de política ambiental conjunto de intenções e de orientações gerais de uma organização (3.16), relacionadas com o seu desempenho ambiental (3.10), como formalmente expressas pela Gestão de topo NOTA: A política ambiental fornece um enquadramento para actuação e para o estabelecimento de objectivos ambientais (3.9) e metas ambientais (3.12) meta ambiental requisito de desempenho detalhado, aplicável à organização (3.16) ou a partes desta, que decorre dos objectivos ambientais (3.9) e que tem de ser estabelecido e concretizado de modo a que esses objectivos sejam atingidos 3.13 parte interessada pessoa ou grupo interessado ou afectado pelo desempenho ambiental (3.10) de uma organização (3.16) 3.14 auditoria interna processo sistemático, independente e documentado para obtenção de evidências de auditoria e respectiva avaliação objectiva, com vista a determinar em que medida os critérios de auditoria ao sistema de gestão ambiental estabelecidos pela organização (3.16) são cumpridos NOTA: Em muitos casos, particularmente em organizações de menor dimensão, a independência pode ser demonstrada através da ausência de responsabilidade pela actividade a ser auditada não conformidade não satisfação de um requisito [ISO 9000:2000, 3.6.2] 3.16 organização companhia, sociedade, firma, empresa, autoridade ou instituição, ou parte ou combinação destas, de responsabilidade limitada ou com outro estatuto, pública ou privada, que tenha a sua própria estrutura funcional e administrativa NOTA: Para as organizações com mais de uma unidade operacional, cada uma destas unidades poderá ser definida como uma organização acção preventiva acção para eliminar a causa de uma não conformidade (3.15) potencial 3.18 prevenção da poluição utilização de processos, práticas, técnicas, materiais, produtos, serviços ou energia para evitar, reduzir ou controlar (separadamente ou em combinação) a produção, emissão ou descarga de qualquer tipo de poluente ou resíduo, com vista à redução dos impactes ambientais (3.7) adversos NOTA: A prevenção da poluição pode incluir a redução ou eliminação na origem, alterações de processos, produtos ou serviços, utilização eficiente dos recursos, substituição de materiais e energia, reutilização, recuperação, reciclagem e tratamento procedimento modo especificado de realizar uma actividade ou um processo NOTA 1: Os procedimentos podem ou não estar documentados.

12 p. 12 de 33 NOTA 2: Adaptado da ISO:9000:2000, registo Documento (3.4) que expressa resultados obtidos ou que fornece evidência das actividades realizadas NOTA: Adaptado da ISO:9000:2000, Requisitos do sistema de gestão ambiental 4.1 Requisitos gerais A organização deve estabelecer, documentar, implementar, manter e melhorar continuamente um sistema de gestão ambiental de acordo com os requisitos da presente Norma, e determinar como irá cumprir tais requisitos. A organização deve definir e documentar o âmbito do seu sistema de gestão ambiental. 4.2 Política ambiental A Gestão de topo deve definir a política ambiental da organização e garantir que, no âmbito definido para o seu sistema de gestão ambiental, esta política: a) é adequada à natureza, à escala e aos impactes ambientais das suas actividades, produtos e serviços; b) inclui um compromisso de melhoria contínua e de prevenção da poluição; c) inclui um compromisso de cumprimento dos requisitos legais aplicáveis e de outros requisitos que a organização subscreva relativos aos seus aspectos ambientais; d) proporciona o enquadramento para estabelecer e rever os objectivos e metas ambientais; e) está documentada, implementada e mantida; f) é comunicada a todas as pessoas que trabalham para a organização ou em seu nome; e g) está disponível ao público. 4.3 Planeamento Aspectos ambientais A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para: a) identificar os aspectos ambientais das suas actividades, produtos e serviços, no âmbito definido para o sistema de gestão ambiental, que pode controlar e aqueles que pode influenciar, tendo em consideração desenvolvimentos novos ou planeados, ou actividades, produtos e serviços novos ou modificados; e b) determinar os aspectos que têm ou podem ter impacte(s) significativo(s) sobre o ambiente (i.e. aspectos ambientais significativos). A organização deve documentar esta informação e mantê-la actualizada. A organização deve assegurar que os aspectos ambientais significativos são tomados em consideração no estabelecimento, implementação e manutenção do seu sistema de gestão ambiental.

13 p. 13 de Requisitos legais e outros requisitos A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para: a) identificar e ter acesso aos requisitos legais aplicáveis e a outros requisitos que a organização subscreva, relacionados com os seus aspectos ambientais; e b) determinar como estes requisitos se aplicam aos seus aspectos ambientais. A organização deve assegurar que estes requisitos legais aplicáveis e outros requisitos que a organização subscreva são tomados em consideração no estabelecimento, implementação e manutenção do seu sistema de gestão ambiental Objectivos, metas e programa(s) A organização deve estabelecer, implementar e manter objectivos e metas ambientais documentados, a todos os níveis e funções relevantes dentro da organização. Os objectivos e metas devem ser mensuráveis, sempre que possível, e consistentes com a política ambiental, incluindo os compromissos relativos à prevenção da poluição, ao cumprimento dos requisitos legais aplicáveis e outros requisitos que a organização subscreva, e à melhoria contínua. Ao estabelecer e rever os seus objectivos e metas, a organização deve ter em conta os requisitos legais e outros requisitos que a organização subscreva, e os seus aspectos ambientais significativos. Deve também considerar as suas opções tecnológicas e os seus requisitos financeiros, operacionais e de negócio, bem como os pontos de vista das partes interessadas. Para atingir os seus objectivos e metas, a organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais programas. Este(s) programa(s) deve(m) incluir: a) a designação das responsabilidades para atingir os objectivos e metas, aos níveis e funções relevantes da organização; e b) os meios e os prazos de realização. 4.4 Implementação e operação Recursos, atribuições, responsabilidades e autoridade A Gestão deve garantir a disponibilidade dos recursos indispensáveis para estabelecer, implementar, manter e melhorar o sistema de gestão ambiental. Estes recursos incluem os recursos humanos e aptidões específicas, as infra-estruturas da organização e os recursos tecnológicos e financeiros. As atribuições, as responsabilidades e a autoridade devem ser definidas, documentadas e comunicadas, de forma a proporcionar uma gestão ambiental eficaz. A Gestão de topo da organização deve nomear um ou mais representantes específicos que, independentemente de outras responsabilidades, deve(m) ter atribuições, responsabilidades e autoridade definidas, para: a) assegurar que o sistema de gestão ambiental é estabelecido, implementado e mantido, em conformidade com os requisitos da presente Norma; b) relatar à Gestão de topo o desempenho do sistema de gestão ambiental, para efeitos de revisão, incluindo recomendações para melhoria.

14 p. 14 de Competência, formação e sensibilização A organização deve assegurar que qualquer (quaisquer) pessoa(s) que execute(m) tarefas para a organização ou em seu nome, que tenha(m) potencial para causar impacte(s) ambiental(is) significativo(s) identificado(s) pela organização, é (são) competente(s) com base numa adequada escolaridade, formação ou experiência. A organização deve manter os registos associados. A organização deve identificar as necessidades de formação associadas aos seus aspectos ambientais e ao seu sistema de gestão ambiental. A organização deve providenciar formação ou desenvolver outras acções para responder a estas necessidades, e deve manter os registos associados. A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para as pessoas que trabalham para a organização ou em seu nome, estarem sensibilizadas para: a) a importância da conformidade com a política ambiental, os procedimentos e os requisitos do sistema de gestão ambiental; b) os aspectos ambientais significativos e impactes relacionados, reais ou potenciais, associados ao seu trabalho, e para os benefícios ambientais decorrentes da melhoria do seu desempenho individual; c) as suas atribuições e responsabilidades para atingir a conformidade com os requisitos do sistema de gestão ambiental; e d) as consequências potenciais de desvios aos procedimentos especificados Comunicação No que se refere aos seus aspectos ambientais e ao seu sistema de gestão ambiental, a organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para: a) comunicação interna entre os vários níveis e funções da organização; b) receber, documentar e responder a comunicações relevantes de partes interessadas externas. A organização deve decidir acerca da comunicação externa sobre os seus aspectos ambientais significativos e deve documentar a sua decisão. Se a organização decidir comunicar, deve estabelecer e implementar (um) método(s) para esta comunicação externa Documentação A documentação do sistema de gestão ambiental deve incluir: a) a política ambiental, os objectivos e metas; b) uma descrição do âmbito do sistema de gestão ambiental; c) uma descrição dos principais elementos do sistema de gestão ambiental e suas interacções, e referências a documentos relacionados; d) documentos, incluindo registos, requeridos por esta Norma; e e) documentos, incluindo registos, definidos como necessários pela organização para assegurar o planeamento, a operação e o controlo eficazes dos processos relacionados com os seus aspectos ambientais significativos.

15 p. 15 de Controlo dos documentos Os documentos requeridos pelo sistema de gestão ambiental e pela presente Norma devem ser controlados. Os registos são um tipo específico de documentos e devem ser controlados de acordo com os requisitos constantes em A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para: a) aprovar os documentos quanto à sua adequação antes da respectiva emissão; b) rever e actualizar, conforme necessário, e reaprovar os documentos; c) assegurar que são identificadas as alterações e o estado actual da revisão dos documentos; d) assegurar que as versões relevantes dos documentos aplicáveis estão disponíveis nos locais de utilização; e) assegurar que os documentos permanecem legíveis e facilmente identificáveis; f) assegurar que os documentos de origem externa definidos pela organização como necessários ao planeamento e operação do sistema de gestão ambiental são identificados e a sua distribuição controlada; e g) prevenir a utilização involuntária de documentos obsoletos, e identificá-los devidamente caso estes sejam retidos por qualquer motivo Controlo operacional A organização deve identificar e planear as operações que estão associadas aos aspectos ambientais significativos identificados, consistentes com a sua política ambiental e os seus objectivos e metas, de forma a garantir que estas operações são realizadas sob condições especificadas: a) estabelecendo, implementando e mantendo um ou mais procedimentos documentados para controlar as situações nas quais a sua inexistência possa conduzir a desvios à política ambiental e aos objectivos e metas; b) definindo critérios operacionais no(s) procedimento(s); e c) estabelecendo, implementando e mantendo procedimentos relacionados com os aspectos ambientais significativos identificados dos bens e serviços utilizados pela organização, e comunicando os procedimentos e requisitos aplicáveis aos fornecedores, incluindo subcontratados Preparação e capacidade de resposta a emergências A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para identificar as situações de emergência potenciais e os acidentes potenciais que podem ter (um) impacte(s) no ambiente, e como dar resposta a estas situações. A organização deve responder às situações de emergência e aos acidentes reais, e prevenir ou mitigar os impactes ambientais adversos associados. A organização deve examinar periodicamente e, quando necessário, rever os seus procedimentos de preparação e resposta a emergências, em particular após a ocorrência de acidentes ou situações de emergência. A organização deve também testar periodicamente tais procedimentos, sempre que praticável.

16 p. 16 de Verificação Monitorização e medição A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para monitorizar e medir, de uma forma regular, as características principais das suas operações que possam ter um impacte ambiental significativo. Este(s) procedimento(s) deve(m) incluir a documentação da informação para acompanhar o desempenho, os controlos operacionais aplicáveis e a conformidade com os objectivos e metas ambientais da organização. A organização deve assegurar que é utilizado equipamento de monitorização e medição calibrado ou verificado e que este é sujeito a manutenção, devendo manter os registos associados Avaliação da conformidade Em coerência com o seu compromisso de cumprimento, a organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para avaliar, periodicamente, a conformidade com os requisitos legais aplicáveis. A organização deve manter registos dos resultados das avaliações periódicas A organização deve avaliar o cumprimento dos outros requisitos que subscreva. A organização poderá optar por combinar esta avaliação com a avaliação de conformidade legal referida em ou estabelecer um ou mais procedimentos separados. A organização deve manter registos dos resultados das avaliações periódicas Não conformidades, acções correctivas e acções preventivas A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para tratar as não conformidades reais e potenciais e para implementar as acções correctivas e as acções preventivas. Este(s) procedimento(s) deve(m) definir requisitos para: a) a identificação e correcção da(s) não conformidade(s) e a implementação de acções para minimizar os seus impactes ambientais; b) a investigação da(s) não conformidade(s), a determinação da(s) sua(s) causa(s) e a implementação das acções necessárias para evitar a sua recorrência; c) a avaliação da necessidade de acções para prevenir não conformidade(s) e a implementação das acções apropriadas, destinadas a evitar a sua ocorrência; d) o registo dos resultados de acções correctivas e de acções preventivas implementadas; e e) a revisão da eficácia de acções correctivas e de acções preventivas implementadas. As acções implementadas devem ser adequadas à magnitude dos problemas e aos impactes ambientais identificados. A organização deve assegurar que são efectuadas todas as alterações necessárias à documentação do sistema de gestão ambiental.

17 p. 17 de Controlo dos registos A organização deve estabelecer e manter registos, na medida em que sejam necessários para demonstrar a conformidade com os requisitos do seu sistema de gestão ambiental e desta Norma, e para demonstrar os resultados obtidos. A organização deve estabelecer, implementar e manter um ou mais procedimentos para a identificação, o armazenamento, a protecção, a recuperação, a retenção e a eliminação dos registos. Os registos devem ser e manter-se legíveis, identificáveis e rastreáveis Auditoria interna A organização deve assegurar que as auditorias internas ao sistema de gestão ambiental são realizadas em intervalos planeados para: a) determinar se o sistema de gestão ambiental 1) está em conformidade com as disposições planeadas para a gestão ambiental, incluindo os requisitos desta Norma; e 2) foi adequadamente implementado e é mantido; e b) fornecer à Gestão informações sobre os resultados das auditorias. O(s) programa(s) de auditorias deve(m) ser planeado(s), estabelecido(s), implementado(s) e mantido(s) pela organização, tendo em conta a importância ambiental da(s) operação(ões) em questão e os resultados de auditorias anteriores. Devem ser estabelecidos, implementados e mantidos um ou mais procedimentos de auditoria de forma a considerar: as responsabilidades e os requisitos para o planeamento e realização das auditorias, para relatar os resultados e para manter os registos associados; a determinação dos critérios, do âmbito, da frequência e dos métodos de auditoria. A selecção dos auditores e a realização das auditorias deve assegurar a objectividade e a imparcialidade do processo de auditoria. 4.6 Revisão pela Gestão A Gestão de topo deve rever o sistema de gestão ambiental da organização a intervalos planeados, de forma a assegurar que continua adequada, suficiente e eficaz. Estas revisões devem incluir a avaliação de oportunidades de melhoria e a necessidade de alterações ao sistema de gestão ambiental, incluindo a política ambiental e os objectivos e metas ambientais. Devem ser mantidos registos das revisões pela Gestão. As entradas para as revisões pela Gestão devem incluir: a) os resultados das auditorias internas e avaliações de conformidade com os requisitos legais e com outros requisitos que a organização subscreva; b) as comunicações de partes interessadas externas, incluindo reclamações; c) o desempenho ambiental da organização; d) o grau de cumprimento dos objectivos e metas; e) o estado das acções correctivas e preventivas;

18 p. 18 de 33 f) as acções de seguimento resultantes de anteriores revisões pela Gestão; g) alterações de circunstâncias, incluindo desenvolvimentos nos requisitos legais e outros requisitos relacionados com os seus aspectos ambientais; e h) recomendações para melhoria. As saídas das revisões pela Gestão devem incluir quaisquer decisões e acções relativas a possíveis alterações da política ambiental, dos objectivos, das metas e de outros elementos do sistema de gestão ambiental, em coerência com o compromisso de melhoria contínua.

19 p. 19 de 33 A.1 Requisitos gerais Anexo A (informativo) Linhas de orientação para a utilização da presente Norma As informações adicionais apresentadas neste anexo são estritamente informativas e destinam-se a evitar interpretações erróneas dos requisitos contidos na secção 4 desta Norma. Estas informações são consistentes com os requisitos da secção 4, não tendo como finalidade adicionar, retirar ou de qualquer forma alterar tais requisitos. Pretende-se que a implementação de um sistema de gestão ambiental, tal como descrito pela presente Norma, resulte numa melhoria do desempenho ambiental. Assim, esta Norma baseia-se no pressuposto de que a organização irá periodicamente rever e avaliar o seu sistema de gestão ambiental, para identificar oportunidades de melhoria e a sua implementação. A evolução, a extensão e a escala temporal deste processo de melhoria contínua são determinadas pela organização, à luz das circunstâncias económicas e de outras circunstâncias. As melhorias introduzidas no sistema de gestão ambiental têm em vista obter melhorias adicionais no desempenho ambiental. A presente Norma requer que a organização: a) estabeleça uma política ambiental apropriada; b) identifique os aspectos ambientais decorrentes das suas actividades, produtos ou serviços, passados, presentes ou planeados, a fim de determinar os impactes ambientais significativos; c) identifique os requisitos legais aplicáveis e outros requisitos que a organização subscreva; d) identifique as prioridades e estabeleça os objectivos e metas ambientais adequados; e) estabeleça uma estrutura e um ou mais programas para implementar a política e para atingir os objectivos e metas; f) promova o planeamento, o controlo, a monitorização, as acções preventivas e correctivas e as actividades de auditoria e revisão, de modo a assegurar, simultaneamente, que a política é cumprida e que o sistema de gestão ambiental permanece adequado; e g) seja capaz de se adaptar à alteração de circunstâncias. Uma organização sem um sistema de gestão ambiental deverá estabelecer, inicialmente, a sua situação no que diz respeito ao ambiente através de um levantamento ambiental. A finalidade deste levantamento deverá ser a de considerar todos os aspectos ambientais da organização como base para o estabelecimento do sistema de gestão ambiental. Este levantamento deverá abranger quatro áreas chave: a identificação dos aspectos ambientais, incluindo os associados a condições normais de operação, a condições anómalas, incluindo as de arranque e paragem, e a situações de emergência e acidentes; a identificação dos requisitos legais aplicáveis e de outros requisitos que a organização subscreva; a análise das práticas e procedimentos de gestão ambiental existentes, incluindo os que se relacionam com actividades de compra e subcontratação;

20 p. 20 de 33 a avaliação de situações de emergência e acidentes anteriores. Os instrumentos e métodos para a realização do levantamento poderão incluir listas de verificação, entrevistas, inspecção e medição directas, resultados de auditorias anteriores ou de outros levantamentos, dependendo da natureza das actividades da organização. Uma organização tem a liberdade e a flexibilidade para definir as suas fronteiras, e poderá optar por implementar a presente Norma em toda a organização ou apenas em algumas das suas unidades operacionais ou actividades específicas. A organização deverá definir e documentar o âmbito do seu sistema de gestão ambiental. A definição do âmbito tem como finalidade clarificar as fronteiras da organização a que o sistema de gestão ambiental se irá aplicar, especialmente se a organização é parte de uma organização mais alargada num determinado local. Uma vez definido o âmbito, todas as actividades, produtos e serviços da organização que façam parte desse âmbito deverão ser incluídos no sistema de gestão ambiental. De notar que, quando se define o âmbito, a credibilidade do sistema de gestão ambiental irá depender da selecção das fronteiras da organização. Se uma parte da organização for excluída do âmbito do seu sistema de gestão ambiental, a organização deverá ser capaz de justificar a exclusão. Se a presente Norma for implementada numa unidade operacional específica, as políticas e os procedimentos desenvolvidos por outras partes da organização podem ser utilizados para satisfazer os requisitos desta Norma, desde que estes se apliquem à unidade operacional em causa. A.2 Política ambiental A política ambiental é a força motriz para a implementação e melhoria do sistema de gestão ambiental da organização, para que esta possa manter e melhorar potencialmente o seu desempenho ambiental. Esta política deverá, portanto, reflectir o compromisso da Gestão de topo de cumprimento dos requisitos legais e de outros requisitos aplicáveis, de prevenção da poluição e de melhoria contínua. A política ambiental constitui a base sobre a qual a organização estabelece os seus objectivos e metas. A política ambiental deverá ser suficientemente clara para ser passível de ser compreendida pelas partes interessadas internas e externas, e deverá ser periodicamente analisada e revista, de forma a reflectir alterações de condições e de informação. A sua área de aplicação (i.e. âmbito) deverá ser claramente identificada e deverá reflectir a natureza única, a escala e os impactes ambientais das actividades, produtos e serviços, no âmbito definido para o sistema de gestão ambiental. A política ambiental deverá ser comunicada a todas as pessoas que trabalham para a organização ou em seu nome, incluindo os subcontratados que trabalham nas instalações da organização. A comunicação da política aos subcontratados pode ser efectuada através de outras formas alternativas à própria declaração da política, tais como regulamentos, directivas e procedimentos, e poderão, portanto, apenas incluir partes pertinentes da política. A Gestão de topo da organização deverá definir e documentar a sua política ambiental no contexto da política ambiental da organização corporativa mais alargada de que esta faça parte, e com o aval desta última. NOTA: A Gestão de topo geralmente consiste na pessoa ou grupo de pessoas que dirige e controla a organização ao seu mais alto nível. A.3 Planeamento A.3.1 Aspectos ambientais A sub-secção tem como finalidade fornecer à organização um processo para identificação dos aspectos ambientais e para determinação daqueles que são significativos, os quais deverão ser considerados prioritários pelo sistema de gestão ambiental da organização.

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos (ISO 9001:2008) NP EN ISO 9001 2008

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos (ISO 9001:2008) NP EN ISO 9001 2008 Norma Portuguesa NP Sistemas de gestão da qualidade Requisitos (ISO 9001:) Systèmes de management de la qualité Exigences (ISO 9001:) Quality management systems Requirements (ISO 9001:) ICS 03.120.10 DESCRITORES

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade e Auditorias (Mestrado em Engenharia Alimentar) Gestão da Qualidade (Mestrado em Biocombustívies) ESAC/João Noronha Novembro

Leia mais

Linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão da qualidade e/ou de gestão ambiental (ISO 19011:2002)

Linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão da qualidade e/ou de gestão ambiental (ISO 19011:2002) Norma Portuguesa NP Linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão da qualidade e/ou de gestão ambiental (ISO 19011:2002) Lignes directrices pour l'audit des systèmes de management de la qualité

Leia mais

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP 4397 2008

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP 4397 2008 Norma Portuguesa NP 4397 Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos Systèmes de gestion de la sécurité et santé du travail Exigences Occupational health and safety management systems

Leia mais

CÓPIA PARA TREINAMENTO

CÓPIA PARA TREINAMENTO CÓPIA PARA TREINAMENTO NBR ISO 14001:2004 Sumário Página Prefácio IV - 2 Introdução V- 2 1 Objetivo e campo de aplicação 5 2 Referências normativas 5 3 Termos e definições 5 4 Requisitos do Sistema de

Leia mais

ABNT NBR ISO 14001 NORMA BRASILEIRA. Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso

ABNT NBR ISO 14001 NORMA BRASILEIRA. Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 14001 Segunda edição 31.12.2004 Válida a partir de 31.01.2005 Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso Environmental management systems - Requirements

Leia mais

Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e calibração (ISO/IEC 17025:2005)

Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e calibração (ISO/IEC 17025:2005) Norma Portuguesa NP Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e calibração (ISO/IEC 17025:) Exigences générales concernant la compétence des laboratoires d'étalonnages et d'essais (ISO/IEC

Leia mais

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003.

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003. NORMA ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003. http://www.ibamapr.hpg.ig.com.br/14001iso.htm ii Índice INTRODUÇÃO...3

Leia mais

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso Página 1 NORMA ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) INTRODUÇÃO 1 ESCOPO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 4.0. Generalidades

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

Norma Portuguesa NP EN ISO 22000:2005. Sistemas de gestão da segurança alimentar. Food safety management systems

Norma Portuguesa NP EN ISO 22000:2005. Sistemas de gestão da segurança alimentar. Food safety management systems Norma Portuguesa NP EN ISO 22000:2005 Sistemas de gestão da segurança alimentar Requisitos para qualquer organização que opere na cadeia alimentar Food safety management systems Requirements for any organization

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso

Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 14001 Segunda edição 31.12.2004 Válida a partir de 31.01.2005 Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso Environmental management systems - Requirements

Leia mais

NBR ISO 14001 SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL - ESPECIFICAÇÀO E DIRETRIZES PARA USO

NBR ISO 14001 SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL - ESPECIFICAÇÀO E DIRETRIZES PARA USO Sumário NBR ISO 14001 SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL ESPECIFICAÇÀO E DIRETRIZES PARA USO 1 Objetivos e campo de aplicação 2 Referências normativas 3 Definições 4 Requisitos do sistema de gestão ambiental

Leia mais

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena E1819 V6 Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena REHABILITATION OF LUENA WATER SUPPLY SYSTEM PGA PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL (PGA) ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN (EMP) Adjudicante: Financial

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 14000 e, com o atual processo de

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

NBR ISO 14001 Sistemas de gestão ambiental - Especificação e diretrizes para uso

NBR ISO 14001 Sistemas de gestão ambiental - Especificação e diretrizes para uso ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas OUT 1996 NBR ISO 14001 Sistemas de gestão ambiental - Especificação e diretrizes para uso Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900

Leia mais

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES A nova norma ISO 9001, na versão de 2008, não incorpora novos requisitos, mas apenas alterações para esclarecer os requisitos

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

CHECK-LIST - NP EN ISO 9001

CHECK-LIST - NP EN ISO 9001 4 Sistemas de gestão da qualidade 4.1 Requisitos gerais A organização deve estabelecer, documentar, implementar e manter um sistema de gestão da qualidade e melhorar continuamente a sua eficácia de acordo

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental SGA

Sistema de Gestão Ambiental SGA SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL 1. INTRODUÇÃO Um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) constitui uma parte do sistema global de gestão de uma organização que visa o controlo dos seus aspectos ambientais, através

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Controlo da Qualidade Aula 05

Controlo da Qualidade Aula 05 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da qualidade:. evolução do conceito. gestão pela qualidade total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9001:2000 Evolução do conceito 2 gestão pela qualidade

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

Auditorias da Qualidade

Auditorias da Qualidade 10 páginas sobre s da Qualidade "Não olhes para longe, despreocupando-se do que tens perto." [ Eurípedes ] VERSÃO: DATA de EMISSÃO: 9-10-2009 AUTOR: José Costa APROVAÇÃO: Maria Merino DESCRIÇÃO: Constitui

Leia mais

Vital para a Competitividade da sua Organização

Vital para a Competitividade da sua Organização ISO 27001 Segurança da Informação Vital para a Competitividade da sua Organização Quem Somos? Apresentação do Grupo DECSIS Perfil da Empresa Com origem na DECSIS, Sistemas de Informação, Lda., fundada

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

Prefácio. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional.

Prefácio. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional. Esta Norma OHSAS foi elaborada de acordo com as regras estabelecidas nas Diretrizes ISO/IEC,

Leia mais

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria PROGRAMA Qualidade Produto Marca Própria - Distribuição Princípios da Qualidade/ ISO 9001 Certificação/Processo de Certificação

Leia mais

NP EN ISO 9001:2008. 06 de Maio de 2008. Dulce Pacheco. Orador: Carla Pinto

NP EN ISO 9001:2008. 06 de Maio de 2008. Dulce Pacheco. Orador: Carla Pinto NP EN ISO 9001:2008 Principais alterações 06 de Maio de 2008 Dulce Pacheco Orador: Carla Pinto Local e Data: Coimbra, 30 Janeiro 2008 ISO 9001:2008 Principais alterações ç Motivações e processo de desenvolvimento

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br N786-1 ISO CD 9001 Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento N786-1 ISO CD 9001 para treinamento - Rev0 SUMÁRIO Página Introdução 4 0.1 Generalidades 4 0.2 Abordagem

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Cartão Europeu de Seguro de Doença Nº: 20/DSPCS DATA: 18/05/04 Para: Todos os serviços dependentes do Ministério da Saúde Contacto

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE TRABALHO

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE TRABALHO SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA A E SAÚDE NO TRABALHO Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) Implementação do SGA e do SGSST ao nível das grandes empresas da R.A.A. Mestranda Cristina

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição)

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) Implementação do SGA e do SGSST ao nível das grandes empresas da R.A.A. Mestranda Cristina

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO OHSAS 18001 SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO IMPORTANTE: A BSI-OHSAS 18001 não é uma Norma Britânica. A BSI-OHSAS 18001 será cancelada quando da inclusão do seu conteúdo

Leia mais

Últimos desenvolvimentos na série de normas ISO 9000 INTRODUÇÃO

Últimos desenvolvimentos na série de normas ISO 9000 INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A série de normas ISO 9000 foi inicialmente publicada em 1987, e desde então já sofreu dois ciclos de melhoria, incluindo uma revisão menor em 1994 e uma modificação mais profunda em 2000. A

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeir o Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

A ISO 50001. Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013

A ISO 50001. Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013 Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013 Agenda Introdução aos Sistemas de Gestão de Energia Princípios da ISO 50001 Relação entre a ISO 50001 e outras normas como a ISO 14001 ou a ISO 9001 2 O problema económico

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

a qualidade em suas mãos www.iso4all.com.br

a qualidade em suas mãos www.iso4all.com.br a qualidade em suas mãos www.iso4all.com.br ISO/DIS 9001:2015 Tradução livre* Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Sumário Prefácio... 5 Introdução... 6 0.1 Generalidades... 6 0.2 A Norma ISO para

Leia mais

ABNT NBR 16001 NORMA BRASILEIRA. Responsabilidade social Sistema da gestão Requisitos. Social responsibility Management system Requirements

ABNT NBR 16001 NORMA BRASILEIRA. Responsabilidade social Sistema da gestão Requisitos. Social responsibility Management system Requirements NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 16001 Primeira edição 30.11.2004 Válida a partir de 30.12.2004 Responsabilidade social Sistema da gestão Requisitos Social responsibility Management system Requirements Palavras-chave:

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11.

ABNT NBR ISO 9001. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos. Quality management systems Requirements ' NORMA BRASILEIRA. Segunda edição 28.11. ' NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001 Segunda edição 28.11.2008 Válida a partir de 28.12.2008 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Quality management systems Requirements Palavras-chave: Sistemas

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO Pág. 2 de 16 Se está a receber este documento, isto já significa que é alguém especial para a UEM Unidade de Estruturas Metálicas SA. Convidamo-lo

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG)

Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG) Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG) Política de Prevenção de Acidentes Graves Revisão Revisão Identificação e avaliação dos riscos de acidentes graves

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos MB Consultoria Av. Constantino Nery, Nº 2789, Edifício Empire Center, Sala 1005 a 1008 Manaus - Amazonas - Brasil CEP: 69050-002 Telefones: (92) 3656.2452 Fax: (92) 3656.1695 e-mail: mb@netmb.com.br Site:

Leia mais

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação.

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação. Objectivos Gerais Definir o que é a Qualidade; Determinar a evolução da qualidade. Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL Sumário 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências normativas...2 3.

Leia mais

Ecogestão e auditoria ambiental

Ecogestão e auditoria ambiental Ecogestão e auditoria ambiental Regulamento (CE) n. 761/2001 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 19 de Março de 2001, que permite a participação voluntária de organizações num sistema comunitário de

Leia mais

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ Índice 1.0. Objectivo. 2 2.0. Campo de aplicação... 2 3.0. Referências e definições....... 2 4.0. Responsabilidades... 3 5.0. Procedimento... 4 5.1. Política da Qualidade 4 5.2. Processos de gestão do

Leia mais

Auditorias. Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2005

Auditorias. Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2005 Auditorias Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2005 Termos e definições Auditoria Processo sistemático, independente e documentado para obter evidências de auditoria e respectiva avaliação objectiva

Leia mais

Transição da escola para o emprego: Princípios-chave e Recomendações para Responsáveis Políticos

Transição da escola para o emprego: Princípios-chave e Recomendações para Responsáveis Políticos Transição da escola para o emprego: Princípios-chave e Recomendações para Responsáveis Políticos No final do ano de 1999 a Agência Europeia iniciou um projecto de investigação, a nível Europeu, sobre o

Leia mais

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente;

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente; ISO 9000 A série ISO 9000 é uma concentração de normas que formam um modelo de gestão da Qualidade para organizações que podem, se desejarem, certificar seus sistemas de gestão através de organismos de

Leia mais

Catálogo Serviços Auditorias - Consultadoria

Catálogo Serviços Auditorias - Consultadoria Catálogo Serviços Auditorias - Consultadoria Contactos: www.silliker.pt info@silliker.pt Tel: 227 150 820 Fax: 227 129 812 Auditorias Consultadoria A Silliker Portugal desenvolve soluções de consultadoria

Leia mais

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE

14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE 14 ANEXO 02 - NORMA ISO 9001:2000 - INTERPRETAÇÃO LIVRE Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade da direção

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

PREFÁCIO. Leça da Palmeira, Dezembro de 2003. Luís Fonseca Director Geral. 3 de 80

PREFÁCIO. Leça da Palmeira, Dezembro de 2003. Luís Fonseca Director Geral. 3 de 80 PREFÁCIO Como entidade líder de mercado na certificação de Sistemas de Gestão em Portugal e representante Portuguesa na rede IQNet, uma rede internacional de entidades certificadoras líder mundial da actividade,

Leia mais

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 18001 - GUIA3/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos

Leia mais

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR Princípios aplicáveis ao desenvolvimento dos Sistemas de Gestão de Riscos e de Controlo Interno das Empresas de Seguros As melhores práticas internacionais na regulamentação

Leia mais

ISO 9001:2008. A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000:

ISO 9001:2008. A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000: A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000: ISO 9001:2008 Esta nova edição decorre do compromisso da ISO em rever e actualizar as Normas,

Leia mais

Material para os Discentes da Universidade da Madeira. NP EN ISO 9000, 9001 e 9004. Elaborado em 2005 por. Herlander Mata-Lima

Material para os Discentes da Universidade da Madeira. NP EN ISO 9000, 9001 e 9004. Elaborado em 2005 por. Herlander Mata-Lima Material para os Discentes da Universidade da Madeira NP EN ISO 9000, 9001 e 9004 Elaborado em 2005 por Herlander Mata-Lima 1 NORMAS ISO 9000 As normas ISO 9000 servem de base para as organizações, independentemente

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

PREFÁCIO. Porto, Julho de 2009. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

PREFÁCIO. Porto, Julho de 2009. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 14001 - GUIA2/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos

Leia mais

A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior

A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior O SNESup e o Núcleo de Estudantes de Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra realizaram mais um debate integrado

Leia mais

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Norma ISO 9000 Norma ISO 9001 Norma ISO 9004 FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO REQUISITOS LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA MELHORIA DE DESEMPENHO 1. CAMPO

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES Eng. ZULMAR TEIXEIRA Rio, 19/10/2010 PRINCÍPIOS DA GESTÃO MODERNA III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES SUCESSO DO EMPREENDIMENTO ABORDAGEM DE PROCESSO SÉCULO XXI O SÉCULO DO DESAFIO O

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS Introdução O presente documento pretende apresentar uma visão geral das principais conclusões e recomendações do estudo da European Agency

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Capítulo 0 Índice Ref.: MGA.C00 Rev.: 00 1. Índice 1. Índice... 1 2. Registo de Alterações... 1 3. Capítulo 0 Índice... 1 4. Capítulo 1 Apresentação da Empresa... 1 5. Capítulo 2 Requisitos do Sistema

Leia mais

As Normas ISO 9000 ISO

As Normas ISO 9000 ISO As Normas ISO 9000 A Organização Internacional de Normalização ISO é uma Federação Mundial de Organismos Nacionais de normalização, criada em Fevereiro de 1947, sedeada em Genebra e que conta com mais

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

PE-CONS 3619/3/01 REV 3

PE-CONS 3619/3/01 REV 3 PE-CONS 3619/3/01 REV 3 relativa à avaliação dos efeitos de determinados planos e programas no ambiente O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação Câmara Municipal do Funchal Divisão de Atendimento e Informação INDICE Promulgação Âmbito Exclusões Hierarquia da documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Política da Qualidade Missão e Visão Apresentação

Leia mais

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV

CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV CASSTM NOTA 376/03 ANEXO 2REV DOCUMENTO 3 DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS TITULARES DOS CARTÕES EUROPEUS DE SEGURO DE DOENÇA OU DE DOCUMENTOS EQUIVALENTES NA SEQUÊNCIA DAS ALTERAÇÕES DO PONTO I DA ALÍNEA A)

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.8.2009 COM(2009) 411 final Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à assinatura do Acordo sobre certos aspectos dos serviços aéreos entre a Comunidade

Leia mais