Índice Introdução do Vectura SoftSwitch 2 Arquitetura OPT 3 Aspectos Gerais 6 Características 7 SOFTSWITCH Serviços 9 Hardware 11 Software 12

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice Introdução do Vectura SoftSwitch 2 Arquitetura OPT 3 Aspectos Gerais 6 Características 7 SOFTSWITCH Serviços 9 Hardware 11 Software 12"

Transcrição

1 Índice Introdução do Vectura SoftSwitch 2 Arquitetura OPT 3 Modelo Open Packet Telephony 3 Infra-estrutura da rede 3 Controle de chamadas 4 Serviços 4 Gráfico migração NGN 5 Aspectos Gerais 6 Características 7 Função Trânsito (Classe 4) 7 Função Central Local / Trânsito IP (Classes 4 e 5) 7 Mediação de Protocolos 7 Bilhetagem com formato AMA 8 Interface de operação remota 8 Serviços 9 Serviços Básicos 9 Serviços Suplementares 10 Serviços Avançados 10 Hardware 11 Arquitetura da Plataforma 11 Módulos de Interconexão 11 Outros Módulos da Plataforma 11 Software 12 Características do Software 12 Softwares Básicos 12 Alta escalabilidade 12 Plataforma 13 Operação, manutenção e supervisão 13 Comunicação amigável 14 Controle distribuído 14 Análise de desempenho 14 Arquitetura Modular 14 Sincronismo 14 Dimensionamento 15 Redundância de SoftSwitches 15 Resumo das Características Técnicas 16 Características Gerais 16 Benefícios 16 Aplicações 16 Tipos de Terminais 16 Tipos de Entroncamentos 16 Facilidades de Encaminhamento de Chamadas 16 Sinalização por Canal Comum nº 7 17 Interoperabilidade 17 Tarifação 17 Condições ambientais 17 Empacotamento 17 NGN Solutions 18 Vectura SoftSwitch 18 Vectura IP Access 18 Vectura Cable Access 18 Vectura Convergence Gateway 19 Vectura Edge Switch 19 Vectura ISP Easy Way 19 Vectura V-Services 19 Glossário de Serviços 20 Glossário de Abreviações 26 Outubro/2001 Trópico Sistemas e Telecomunicações da Amazônia Ltda. direitos reservados. As informações constantes deste material estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

2 Introdução 2 NGN e soluções para redes convergentes A unificação das redes abre possibilidades ilimitadas para novos serviços inteligentes, com a vantagem de poderem ser oferecidos também para as redes legadas. Uma infra-estrutura única sendo compartilhada e servindo como substrato para o crescimento de uma nova rede mais flexível, mais rápida, capaz de atender melhor aos clientes. Ao mesmo tempo, mantendo os investimentos já feitos e otimizando recursos já existentes para desenvolver novas fontes de receita. Voz, dados e vídeo numa infra-estrutura unificada Hoje, os avanços no desenvolvimento de protocolos e redes de dados permitem o transporte das diversas mídias com qualidade de serviço garantida. É onde surge a proposta da linha Vectura: unificação das redes e múltiplos serviços sobre a mesma infraestrutura de rede de dados. Através da linha Vectura, a Trópico oferece elementos multiacesso e multisserviço, como soluções eficientes para atender às novas demandas de comunicação de voz, dados e multimídia, acompanhando a demanda de velocidade e novos serviços. O Vectura SoftSwitch é o controlador dessas redes, um elemento estratégico capaz de garantir a qualidade das chamadas entre quaisquer redes de telecomunicações, independentemente da tecnologia de acesso adotada.

3 Arquitetura OPT 3 Linha Vectura. Transporte eficiente da informação Baseada no conceito Open Packet Telephony, ou OPT, a linha Vectura contempla uma arquitetura de padrões abertos, estruturada em camadas, provendo as funções de transporte, controle das chamadas e prestação de serviços, executadas por elementos de rede distintos. INTERFACE ABERTA/PADRÃO INTERFACE ABERTA/PADRÃO ARQUITETURA OPT CAMADA DE APLICAÇÃO DE SERVIÇOS CAMADA DE INFRA-ESTRUTURA DE DADOS Modelo Open Packet Telephony OPT O modelo em camadas OPT prevê serviços multimídia em uma rede de dados, de forma integrada com as redes atuais, onde as interfaces abertas e padronizadas garantem a interoperabilidade entre as camadas que o compõem: serviços, controle de chamadas e transporte. Projetados neste conceito, os equipamentos da linha Vectura são aplicáveis desde a camada de transporte, passando pela camada de controle e atingindo a camada de serviços. Infra-estrutura da rede Na camada de transporte estão os gateways de mídia e toda a infra-estrutura da rede de dados, tais como os comutadores e roteadores IP, que interagem com a camada de controle de chamada por meio de protocolos padrão, o MGCP (Media Gateway Control Protocol), o H.248 (o protocolo equivalente do ITU), o H.323 (protocolo legado das redes VoIP) e o SIP (Session Initiation Protocol). Para a infra-estrutura de redes, a Trópico oferece centrais de comutação com gateways integrados: o Vectura Edge Switch - e unidades de acesso remoto Vectura IP Access, garantindo uma convergência de tecnologias de acesso de assinantes e transmissão num mesmo ponto da rede.

4 Arquitetura OPT 4 Linha Vectura. Transporte eficiente da informação Complementam a solução de infra-estrutura o Vectura Cable Access, uma facilidade para operadoras de CATV prestarem serviços de telefonia; a função Vectura ISP Easy Way, que provê desvio de tráfego Internet e o Vectura Convergence Gateway, que provê a conversão de voz para VoIP em aplicações classe 4. Controle de chamadas A camada de controle de chamadas é responsável por estabelecer, supervisionar e liberar as chamadas que trafegam pela rede IP. É a parte mais estratégica da arquitetura das redes convergentes, sendo o ponto ideal para o acesso a novos serviços e interfuncionamento com o legado de outras redes. O elemento da linha Vectura que desempenha as funções dessa camada é o Vectura SoftSwitch, que representa o estado-da-arte em controle de chamadas em redes convergentes. Serviços A camada de serviços controla os serviços oferecidos aos usuários conectados à rede, representada pelo Vectura V-Services. São servidores onde reside a inteligência para a prestação de serviços, assim como as bases de dados de seus usuários. Os serviços podem ser prestados segundo o modelo da rede inteligente, quando interoperarem com esse legado, de acordo com o modelo das redes multimídia H.323. Ou, segundo o modelo próprio da Open Packet Telephony, onde os servidores utilizam o protocolo SIP (Session Initiation Protocol) e uma API (Application Program Interface) padronizada. Elementos da camada de transporte denominados servidores de mídia (mídia servers, controlados tal como os gateways) fazem o processamento da mídia, como por exemplo a reprodução e gravação de mensagens, conversão text-to-speech e reconhecimento da fala. No caso de uma rede de telefonia, para se adicionar novos serviços à rede, basta acrescentar aplicações aos servidores, de uma forma muito mais simples. E para redes distintas interligadas a uma rede IP, o compartilhamento desses serviços passa a ser perfeitamente factível e seguro, onde a estrutura V-Services é controlada pelo Vectura SoftSwtich.

5 5 Gráfico Migração NGN Vectura SoftSwitch. Controle absoluto da Rede A NGN propõe uma arquitetura de rede única com vantagens operacionais, baixo investimento, alta capacidade. Uma rede formada por um backbone único onde gateways se conectam para dar acesso aos usuários para todas as necessidades de comunicação, dados de faixa estreita ou faixa larga, e serviços multimídia sobre IP, telefonia convencional e serviços inteligentes. Nesse contexto, o Vectura SoftSwitch é o elemento estratégico da família Vectura, por ser uma plataforma de controle multiaplicação para convergência de redes. Baseado na tecnologia da Trópico, traz todas as características que a tornaram um marco na telefonia brasileira. Dentro da arquitetura da Open Packet Telephony, o Vectura SoftSwitch é o equipamento que controla as chamadas dos gateways VoIP utilizando os protocolos MGCP, H.248, H.323 ou SIP. Assim, numa configuração com diversas centrais conectadas a gateways VoIP, o Vectura SoftSwitch possibilita que qualquer central ou assinante possa se comunicar com qualquer outro ponto da rede. Com esse recurso integrado à sua rede, a operadora pode oferecer chamadas locais e de longa distância via rede IP de forma transparente e com menor custo

6 Aspectos Gerais 6 Plataforma Multiaplicação para Convergência de Redes O Vectura SoftSwitch é uma plataforma multiaplicação para convergência de redes de voz e dados, concebido de forma modular tanto em termos de componentes hardware como software, oferecendo grande versatilidade e garantia de contínua evolução. Incorporado à rede de dados IP, realiza as funções de processamento de chamada próprias de uma central telefônica mas, no entanto, não incorpora as funções de comutação, tampouco os módulos de terminais. Essas funções são realizadas por gateways externos ao equipamento, que se comunicam com este por meio da rede IP via protocolo MGCP, H.248, H323 e SIP e se interfaceiam com a rede pública por intermédio da sinalização SS7, R2 ou PRI. Os gateways interagem, de um lado, com centrais telefônicas do STFC via troncos e, de outro lado, com uma rede de dados IP, por onde a voz no modo circuito é convertida em Voz sobre IP (VoIP). As configurações possíveis do Vectura SoftSwitch permitem aplicações como Central Trânsito (classe 4), Central Trânsito/Local (classe 4 / classe 5), Ponto de Transferência de Sinalização (PTS), Ponto de Acesso a Serviços (PAS) e Gateway de Sinalização. Tudo isso totalmente compatível com os padrões das redes de telecomunicações. O Vectura SoftSwitch é implementado numa arquitetura com multiprocessamento, dotada de controle distribuído e partição de carga ativa, permitindo degradação suave em presença de falhas, sendo que a estrutura de sinalização e sincronismo são independentes. Existe redundância ativa com partição de carga nas funções de sinalização, distribuição de sincronismo e processamento de chamada, entre outras

7 Características 7 Funcionalidades e Aplicações As seguintes aplicações são previstas para o Vectura SoftSwitch Vectura SoftSwitch Trânsito (Classe 4) para controle de chamadas trânsito com origem/destino em end-points do tipo trunk gateways. Vectura SoftSwitch Trânsito/Local (Classe 4/5) para controle de chamadas trânsito com origem/destino em end-points do tipo trunk gateways e residential gateways. Função Central Local/Trânsito IP (Classes 4 e 5) O Vectura SoftSwitch pode também ser configurado de modo a operar como elemento de controle de chamadas de equipamentos trunk gateways e residential gateways. No caso de residential gateways, estes podem ser elementos tais como IADs (Integrated Access Devices), cable modems com voz, o Vectura IP Access e o Vectura Cable Access, onde os usuários são conectados diretamente a esses equipamentos, cujos serviços também são provisionados pelo Vectura SoftSwitch. Mediação de Protocolos Função Trânsito (Classe4) O Vectura SoftSwitch pode ser configurado para operar como elemento de controle de chamadas comutadas em uma rede IP com função trânsito, na qual o Vectura SoftSwitch controla trunk gateways por meio de protocolo MGCP, H.248, H323 ou SIP. A capacidade do equipamento nesta aplicação é até 5 milhões de BHCA. Em uma rede convergente é necessário que as chamadas provenientes de gateways que operam com protocolo H.323, SIP, MGCP e H.248 interfaceiem entre si. O Vectura SoftSwitch possibilita que chamadas entre equipamentos de usuários, gateways de tronco e plataformas de serviços possam ser completadas. Através da mediação entre protocolos, o equipamento possibilita conectar, supervisionar e finalizar a chamada entre dois gateways quaisquer, bilhetando todas as chamadas de forma padrão. (*) Pode ser um Servidor Interno ao SoftSwitch Medição de chamadas entre terminais MGCP Medição de chamadas entre terminais MGCP e H.323

8 Características 8 Funcionalidades e Aplicações Bilhetagem com formato AMA O Vectura SoftSwitch faz a bilhetagem automática em qualquer das aplicações citadas e de chamadas resultantes da mediação de quaisquer dos protocolos, com alta flexibilidade da programação de serviços de registro de chamadas. Pode ser programado para utilizar dois formatos para os dados de tarifação: o formato padrão de 80 bytes ou o formato flexível AMA. A bilhetagem é implementada por meio de módulos independentes, com acesso através dos periféricos usuais ou de um servidor FTP. Interface de operação remota O Vectura SoftSwitch disponibiliza interface com redes baseadas em protocolos TCP/IP, permitindo que operadores remotos acessem dados e arquivos do equipamento. A operação se torna mais econômica e segura, permitindo um monitoramento centralizado de todos os equipamentos instalados, através de uma plataforma de gerência SNMP ou de terminais baseados em linha de comando (CLI). Um recurso bastante útil para as operadoras é a transferência de arquivos de bilhetagem e multimedição, bem como uso de um ambiente centralizado, que permite a operação de gerência de forma amigável.

9 Serviços 9 Serviços disponíveis controlados pelo Vectura SoftSwitch O Vectura SoftSwitch permite disponibilizar serviços aos assinates de forma muito mais simplificada. Isso vale tanto para os serviços tradicionais de telefonia como para os novos serviços de valor agregado, que combinam voz, dados e multimídia. Serviços Básicos O Vectura SoftSwitch controla chamadas e provisiona serviços para os seguintes tipos de terminais: Conectados a residential gateway,vectura IP Access e Vectura Cable Access: - Serviço telefônico básico (POTS) - PABX Virtual (Centrex) Conectados a Vectura IP Access : - Telefone público local e/ou interurbano, por ficha ou cartão - Telefone público comunitário - Telefone semipúblico - Serviço de despertador automático - Bloqueio de chamadas originadas - Bloqueio controlado de chamadas originadas - Transferência para telefonista - Transferência temporária - Transferência automática em caso de "não responde" - Transferência automática em caso de ocupado não perturbe - Chamada em espera - Prioridade de linha - Registro detalhado de chamadas originadas - Registro detalhado para tarifação - Atendimento a consulta com ou sem transferência - Conferência - Tarifação reversa - Seguidor de chamada maliciosa - Ligação com identificação do chamador - Chamada registrada - Acesso Básico ISDN Por residential gateway entende-se um gateway de voz sobre IP onde o assinante é diretamente conectado, tais como IADs (Integrated Access Device), PLC Boxes, telefones IP, cable modem com voz, Vectura Cable Access ou Vectura IP Access. O Vectura SoftSwitch oferece os seguintes serviços suplementares aos assinantes conectados a residential gateways, Vectura IP Access e Vectura Cable Access: - Discagem abreviada - Linha direta - Linha executiva

10 Serviços 10 Serviços disponíveis controlados pelo Vectura SoftSwitch Serviços Suplementares ISDN O Vectura SoftSwitch disponibiliza também aos assinantes conectados em linhas ISDN do Vectura IP Access seguintes serviços suplementares: - Subendereçamento de terminais (SUB) - Identificação do chamador (CLIP) - Restrição da identificação do chamador (CLIR) - Portabilidade de terminais (PT) - Acesso com múltiplos números (MSN) - Retenção de chamadas (HOLD) - Chamada em espera (CW) - Linhas em busca (LH) - Sinalização usuário a usuário (IUU) - Discagem direta a ramal (DDR) - Identificação da linha conectada (COLP) - Restrição da identificação da linha conectada (COLR) - Grupo fechado de usuários (CUG) - Transferência automática de chamadas - Transferência de chamadas em caso de linha ocupada - Transferência de chamadas em caso de "não responde" - Identificação de chamada maliciosa (MCID) Serviços Avançados O Vectura SoftSwitch, por ser o elemento da camada de controle de chamadas do modelo Open Packet Communications, com o qual interagem as plataformas de execução de serviços internas ou externas via interfaces padronizadas (H.323, MGCP e SIP), permite implementar soluções de forma aberta com a introdução natural de inovações, interoperando com quaisquer tecnologias de comutação e acesso. Abrem-se então possibilidades ilimitadas para inclusão de serviços avançados, ou V-Services, que agregam diferenciais à percepção do usuário final e, conseqüentemente, sua fidelização. Alguns dos serviços avançados disponíveis são: - Pré-pago - Voic avançado - Unified Messaging - Call Screening - Portabilidade local de números - Click-to-talk - Internet Second Line (Internet Call Waiting) - Serviço One Person / One Number - Serviço 0300/ Voice Portals - Universal Access Number - VPN (redes privativas virtuais)

11 Hardware 11 Arquitetura da Plataforma Arquitetura dos Módulos Internos do Vectura SoftSwitch Arquitetura da Plataforma A arquitetura do Vectura SoftSwitch está baseada na alta modularidade de seus blocos construtivos, bem como na padronização das interfaces que os interconectam, resultando em um reduzido número de tipos de placas de circuito impresso utilizadas pelos seus vários módulos, independente da função realizada. Como exemplo, existe apenas um tipo de módulo processador para tratamento de funções de processamento de chamadas, controle e O&M. A conexão dos vários módulos com as estruturas de sinalização e sincronismo é padronizada em um único tipo de interface. Módulos de Interconexão MZ - Módulo de Sinalização, que constitui o alocador da rede local que interliga até processadores que controlam o SoftSwitch. MS - Módulo de Sincronismo, que gera os sinais de relógio com alta estabilidade para todo o equipamento e também o sincronismo externo com a rede Ss7. Outros Módulos da plataforma MA - Módulo Aplicativo, cujo processador realiza funções SW de alto desempenho, fazendo o processamento de chamadas e de protocolos. MT - Módulo de Terminais sobre os quais são conectadas as terminações e funções de nível 2 da sinalização SS7. MO - Módulo de Operação e Manutenção, que incorpora as unidades de memória de massa, interfaces com periféricos de entrada e saída, software de gerência de operação e manutenção da central. MF - Módulo de Interfuncionamento, baseado em sistema operacional Linux ou NT, que possibilita a introdução de HW/SW de terceiros à plataforma do Vectura SoftSwitch. MAT - Módulo para Acesso TCP/IP, para operação e gerência do Vectura SoftSwitch.

12 Software 12 Características do Software O software do Vectura SoftSwitch foi escrito em linguagem de alto nível e estruturado de forma modular, segundo o conceito de Bloco de Implementação (BI) software, com o objetivo de tirar o máximo proveito de reusabilidade e modularidade, permitindo flexibilidade e garantia de qualidade. Independência do hardware O BI software é projetado para desempenhar sua função independente do processador em que vai operar. Essa modularidade facilita o desenvolvimento e a manutenção do software, além de permitir grande flexibilidade na configuração do equipamento. Os processadores do Vectura SoftSwitch são carregados com subconjuntos de BI's, de acordo com as necessidades de cada funcionalidade, configurados para atender às aplicações desejadas. Como as necessidades dos usuários e companhias operadoras mudam rapidamente, o software do Vectura SoftSwitch foi estruturado e desenvolvido de modo a permitir a fácil introdução de novas funcionalidades, de forma aditiva, afetando o mínimo possível as funções já em operação. Além disso, apresenta uma grande independência com relação ao hardware, possibilitando compatibilidade com versões evolutivas do produto. Softwares básicos A rede de processadores interna ao Vectura SoftSwitch é integrada por uma camada de softwares básicos que fornecem aos aplicativos um ambiente de execução de fácil utilização, atendendo a requisitos de confiabilidade, controle em tempo real, execução concorrente e processamento distribuído. Alta escalabilidade A rede de processadores do Vectura SoftSwitch pode chegar a até processadores internos à rede, permitindo implementar estruturas escaláveis de grande porte. Para atender requisitos de controle em tempo real, a plataforma tem uma rede de interconexão própria que garante alta disponibilidade e velocidade, permitindo aos processadores se comportar como um único e grande sistema de alta confiabilidade.

13 Plataforma 13 Características da Plataforma do Vectura SoftSwitch Operação, manutenção e supervisão A desvinculação entre operação, manutenção e supervisão (OMS) e a função de processamento de chamadas permite ao Vectura SoftSwitch computar dados, emitir relatórios, sinalizar e armazenar falhas, sem comprometer a capacidade de processamento de chamadas. Isso é feito através do protocolo TCP-IP. Com isso, a operadora pode utilizar como transporte sua própria rede corporativa ou qualquer rede IP para executar as atividades operacionais no Vectura SoftSwitch. O Vectura SoftSwitch disponibiliza, por meio dessa interface de operação e de gerência, acesso a: Baseado nesta interface TCP/IP tem-se também acesso a uma solução de Gerência de Redes SNMP centralizada, que pode gerenciar não somente os elementos do Vectura SoftSwitch, mas também os equipamentos Vectura IP Access. Essa plataforma de gerência SNMP se baseia em arquiteturas padrão, sobre um ambiente Unix e HP Openview/Cisco Works e banco de dados Oracle, permitindo a configuração do sistema de gerência de acordo com as necessidades funcionais a serem implantadas, cobrindo as funcionalidades previstas de gerência de falhas, desempenho, configuração, segurança e tarifação. - Interface de CHM (comandos homem/máquina); - Coleta de relatórios; - Transferência de arquivos com informações de tráfego/desempenho, CDRs, contadores de multimedição, histórico de falhas, etc, através de um servidor de FTP; - Backup e restore da base de dados da central.

14 Plataforma 14 Características da Plataforma do Vectura SoftSwitch Comunicação amigável O Vectura SoftSwitch possui uma série de características que facilitam bastante o serviço das equipes responsáveis pela sua operação. A sua forma de estruturação física simplifica a localização e o manuseio de recursos hardware em casos de manutenção corretiva ou preventiva. A linguagem de comunicação através de linha de comando (CLI) da plataforma é amigável e composta por mnemônicos intuitivos, o que minimiza o emprego de manuais e simplifica o seu aprendizado pelo operador. Através de uma plataforma de gerência SNMP também é possível a operação dos elementos de rede através de uma interface gráfica (GUI), minimizando a necessidade de treinamento de pessoal. Por meio da própria interface de operação, é possível a utilização de menus que auxiliam na escolha e parametrização do comando ideal a ser utilizado. A integridade da operação do equipamento é garantida por mecanismos baseados em identificação de usuário, senha, grau de autoridade e especialização, que protegem o sistema contra acessos não autorizados. Controle distribuído As funções do sistema são executadas por elementos denominados módulos, cada um deles com um processador que controla as funções a ele associadas. Todos os processadores se conectam a uma estrutura redundante de rede local que permite troca de mensagens entre eles, constituindo uma rede de processadores distribuída e redundante com relação às suas funções essenciais. Isso significa que não há nenhum elemento cuja falha provoque a perda de alguma função essencial. Análise de desempenho A obtenção de relatórios de medidas de tráfego pode ser feita a qualquer momento, sem a necessidade de marcação prévia, o que permite avaliações contínuas do desempenho da rede. Isso facilita o trabalho de engenharia e de planejamento da operadora para dos seus índices de desempenho. Estão disponíveis medidas relativas a rotas, e assinantes e é possível programar, por comando, uma série de relatórios que permitem, em tempo real, uma monitorização efetiva de todo o tráfego controlado pelo Vectura SoftSwitch. Arquitetura modular Com a evolução da tecnologia, as redes de telecomunicações são cada vez mais complexas e os prazos requeridos para desenvolvimento de novos serviços cada vez mais curtos. Isso exige otimização dos recursos dedicados a seu desenvolvimento, implantação, exploração e manutenção. A forma mais eficiente de impor essa otimização é, sem dúvida, a utilização de soluções que permitam reaproveitar partes comuns no atendimento de soluções diversas. No Vectura SoftSwitch, esse princípio é aplicável a todas as fases, desde a concepção do equipamento até a manutenção da rede. Sincronismo A estrutura de sincronismo atende às necessidades de geração e distribuição de sinais de relógio, tanto para a interconexão dos módulos (sincronismo interno) quanto para a interligação do sistema Vectura SoftSwitch à rede digital de telecomunicações (sincronismo externo). Permite a geração e distribuição triplicada de sinais, possibilitando suportar quaisquer falhas simples e/ou duplas na geração e distribuição, o que representa uma altíssima disponibilidade do sistema no caso de falha na estrutura de sincronismo. As funções de sinalização entre processadores e distribuição interna de sincronismo podem ser configuradas em até quatro planos que trabalham em partição de carga e garantem, em razão da redundância utilizada, uma alta confiabilidade. O número de planos sinalização entre processadores é configurado de forma a atender as exigências de tráfego e confiabilidade em função da aplicação e capacidade de cada Vectura SoftSwitch.

15 Plataforma 15 Características da Plataforma do Vectura SoftSwitch Dimensionamento O dimensionamento da capacidade do Vectura SoftSwitch é feito de acordo as características da rede que irá controlar. Desta forma se adicionam módulos de processamento ao equipamento em função do número de assinantes controlados, número de gateways, número total de end-points, demanda de tráfego com outros softswitches e de tratamento de serviços. A capacidade de bilhetagem dechamadas e armazenamento também é dimensionada em função dos requisitos da operadora. O Vectura SoftSwitch é configurado com módulos adicionais para se obter a redundância e ter a capacidade necessárias para suportar sobrecargas de tráfego e de taxa de chamadas. Consideram-se também aspectos de otimização de custo, balanceamento de tráfego, disposição física de órgãos internos, serviços fornecidos, redução de espaço físico, requisitos operacionais e expansões possíveis. A estrutura modular do Vectura SoftSwitch permite configurações gradativas e econômicas, poupando investimentos onerosos em implantações e ampliações, pois atende desde demandas iniciais baixas, escalando a capacidade para até 600 mil end-points (residential gateways e trunk gateways). A estrutura de processamento, distribuída em até quatro planos de interconexão, pode compor uma rede de até processadores internos. Redundância de SoftSwitches Embora a arquitetura de hardware e software do Vectura SoftSwitch lhe garanta a disponibilidade de um equipamento carrier class, não apresentando um ponto único de falha que leve o equipamento a ficar fora de serviço, a Trópico oferece a possibilidade de se implementar uma redundância geográfica de SoftSwitches. Hoje, mais do que nunca, prover a rede com mecanismos que permitam o disaster recovery é um requisito obrigatório. O Vectura SoftSwitch pode oferecer mais do que isso, pode oferecer business continuity: Uma configuração redundante com dois Vectura SoftSwitches, situados estrategicamente até mesmo em diferentes cidades, é capaz de dividir ativamente a carga de processamento de chamadas, sendo que em caso de desastre, um deles ainda consegue controlar toda a rede, mantendo a continuidade do serviço sem nenhuma interrupção. Essa característica, aliada à alta confiabilidade que as redes IP oferecem com seus mecanismos de rotas alternativas, dá à NGN características de disponibilidade nunca sonhadas com as redes tradicionais.

16 16 Resumo das Características Técnicas Resumo das Características Técnicas Características gerais - SoftSwitch com função Classe 4 e Classe 5 - Controle distribuído com redundância n+1 e Partição de Carga Ativa - Partição de carga interna sem troca de mensagens de atualização entre processadores - Degradação suave em presença de falhas - Rede de interconexão de processadores e de sincronismo com múltiplos planos independentes - Todos os modos de sincronismo previstos no método mestre/escravo - Alto grau de modularidade e grande capacidade de expansão - Alta capacidade para absorção de evoluções tecnológicas - Altamente escalável para capacidade de até BHCA rotas (entrada + saída) - Conexão com a rede de dados via interface Ethernet - Protocolo MGCP/H.248/SIP/H.323 para sinalização com gateways - Total compatibilidade com a Rede de Sinalização de Canal Comum nº 7 (SS7), suportando ISUP, INAP, MTP Routing Enhancement - Transporte de protocolos SS7/ISUP na rede IP (SIGTRAN) - Ponto de Transferência de Sinalização (PTS) Integrado - Suporte ao Backhauling de SS7, R2 e PRI Benefícios - Rede trânsito otimizada para voz e dados com topologia flat - Suporte a assinantes conectados a Residential Gateways - Redução de custo de operação - Melhor aproveitamento da transmissão e comutação - Transparência na utilização de serviços - Compatibilidade e interoperabilidade com as redes existentes - Rapidez na introdução de novos serviços Aplicações - Vectura SoftSwitch Trânsito com bilhetagem automática, para controle de chamadas trânsito com origem/destino em end-points do tipo trunk gateways. - Vectura SoftSwitch Trânsito/Local com bilhetagem automática, para controle de chamadas trânsito com origem/destino em end-points do tipo trunk gateways, enterprise gateways e residential gateways. Tipos de Terminais - Residential gateway (end-points IP), com protocolo MGCP/H.248/SIP/H Enterprise gateway, com protocolo MGCP/H.248/SIP/H Outros terminais H.323 e SIP Tipos de Entroncamentos - Trunk gateway (end-points IP) via protocolo MGCP/H.248, suportando sinalização Ss7, R2 e PRI Facilidades de Encaminhamento de Chamadas - Cinco planos de encaminhamento - Marcação de origem encaminhamento de chamadas com análise de rota em função do número de origem (para trunk gateway e residential gateway) - Interceptação automática - Reencaminhamento de chamadas - Reencaminhamento de chamadas para serviço de mensagens - Possibilidade de modificação de endereço de origem ou destino em uma chamada - Tratamento e fim de seleção programáveis - Gerência de tráfego em encaminhamento na rede - Suporta planos de numeração existentes e permite alteração centralizada - Rota rápida

17 17 Resumo das Características Técnicas Resumo das Características Técnicas Sinalização por Canal Comum nº 7 - ISUP-BR com centrais da rede de telefonia - ISUP Internacional E-ISUP para conexão a outros Vectura SoftSwitches - INAP-BR - Função PAS (Ponto de Acesso a Serviços) Interoperabilidade - Compatível com gateways controláveis via MGCP/H.248/SIP/H Centrais telefônicas com Sinalização SS7/ISUP e CAS - Interoperabilidade BICC/SIP-T com softswitches de outras tecnologias Tarifação - Bilhetagem automática (Padrão 80 Bytes e AMA) - Armazenamento triplicado - Tarifação reversa para assinante e rota de saída - Programação e modificação por CHM - Transferência de dados de tarifação e medidas de tráfego remotas via TCP-IP/FTP Condições ambientais - Regime de referência temperatura: 25 C ±3 C - Regime marginal crítico temperatura: 0 C a 40 C - Gradiente de temperatura 10 C/hora - Umidade relativa: entre 45% e 70% - Gradiente de umidade: 10%/hora - Alimentação primária - Faixa de medição: -48 Vcc ± 10% - Faixa de operação: -43,2 Vcc a 57,6 Vcc Empacotamento - Estrutura mecânica modular e flexível - Bastidor com sete gavetas horizontais - Cabeamento por superestrutura aérea ou piso falso - Dimensões do bastidor: Altura = mm Largura = 630 mm Profundidade = 600 mm - Altura livre recomendável da sala = 3 metros - O número de bastidores depende da capacidade do equipamento. Recursos operacionais, gerência e supervisão - Monitorização do protocolo MGCP/H.248/SIP/H Monitoração do protocolo SS7/ISUP - Recursos de teste (conexão com gateway) - Medidas e relatórios de tráfego detalhados - Gerência SNMP - Módulo de Acesso Trópico (MAT) disponibiliza interface de CHM via servidor Telnet, coleta de relatórios, transferência de arquivos via FPT (medidas de tráfego, relatórios de rotas) - Manuais on-line

18

19

20

Índice Introdução Vectura V- Services 2 Aplicações para Voice Portal 3 V - SERVICES Outros Serviços 5 NGN Solutions 8

Índice Introdução Vectura V- Services 2 Aplicações para Voice Portal 3 V - SERVICES Outros Serviços 5 NGN Solutions 8 Índice Introdução Vectura V- Services 2 Aplicações para Voice Portal 3 Voice Portal 3 E-mail Reader 3 Agenda Pessoal 3 Diretório Pessoal 4 Serviços de Informação 4 Customização do Meu Portal 4 Conexão

Leia mais

Índice Benefícios da NGN 2 Arquitetura OPT 4 Solução Completa 7 Linha Vectura - Controle 12 Linha Vectura - Acesso 14 Linha Vectura - Serviços 19

Índice Benefícios da NGN 2 Arquitetura OPT 4 Solução Completa 7 Linha Vectura - Controle 12 Linha Vectura - Acesso 14 Linha Vectura - Serviços 19 Índice Benefícios da NGN 2 Arquitetura OPT 4 Modelo Open Packet Telephony 4 Camada de Controle 4 Camada de Transporte 5 Camada de Serviços 5 Vectura na Arquitetura OPT 6 Solução Completa 7 Longa Distância

Leia mais

EDGE SWITCH. Vectura Edge Switch representa Controle 17 conceito de comutação inteligente, que Confiabilidade permite 17

EDGE SWITCH. Vectura Edge Switch representa Controle 17 conceito de comutação inteligente, que Confiabilidade permite 17 Índice Outubro/2001 Trópico Sistemas e Telecomunicações da Amazônia Ltda. direitos reservados. As informações constantes deste material estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. Introdução Introdução

Leia mais

TRÓPICO RA. Introdução 2. Funcionalidades que são fontes de receita para a operadora 3. Usuários residenciais 5

TRÓPICO RA. Introdução 2. Funcionalidades que são fontes de receita para a operadora 3. Usuários residenciais 5 C E N T R A L TRÓPICO RA Introdução 2 Arquitetura evolucionária 2 Funcionalidades que são fontes de receita para a operadora 3 Hotéis, motéis, pousadas e hospitais 3 Bancos, operadoras logísticas e outras

Leia mais

LGW4000 Labcom Media Gateway. Labcom Media Gateway Apresentação Geral 10/11/2011

LGW4000 Labcom Media Gateway. Labcom Media Gateway Apresentação Geral 10/11/2011 LGW4000 Labcom Media Gateway Labcom Media Gateway Apresentação Geral 10/11/2011 LGW4000 Labcom Media Gateway LGW4000 é um Media Gateway desenvolvido pela Labcom Sistemas que permite a integração entre

Leia mais

MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA

MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA Flexibilidade e ECONOMIA A configuração da plataforma Active IP é bastante versátil. Por ser modular, o Active IP permite o uso de diferentes

Leia mais

Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa.

Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa. PABX Digital PABX Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa. O ACTIVE IP é PABX inovador que possibilita a utilização da telefonia IP e convencional garantindo eficiência

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul 1 ANEXO VII QUADRO DE QUANTITATIVOS E ESPECIFICAÇÕES DOS ITENS Item Produto Quantidade 1 Aparelhos IP, com 2 canais Sip, visor e teclas avançadas, 2 70 portas LAN 10/100 2 Servidor com HD 500G 4 GB memória

Leia mais

Sistema M75S. Sistema de comunicação convergente

Sistema M75S. Sistema de comunicação convergente Sistema M75S Sistema de comunicação convergente O sistema M75S fabricado pela MONYTEL foi desenvolvido como uma solução convergente para sistemas de telecomunicações. Com ele, sua empresa tem controle

Leia mais

Índice Introdução Vectura IP Access 2 Arquitetura OPT 3

Índice Introdução Vectura IP Access 2 Arquitetura OPT 3 Índice Introdução Vectura IP Access 2 Arquitetura OPT 3 Modelo Open Packet Telephony 3 Infra-estrutura da rede 3 Controle de chamadas 4 Serviços 4 Gráfico Migração NGN 5 Aspectos Gerais 6 Solução Otimizada

Leia mais

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Documento confidencial Reprodução proibida 1 Introdução Em um mundo onde as informações fluem cada vez mais rápido e a comunicação se torna cada vez mais

Leia mais

Plataforma Sentinela

Plataforma Sentinela Plataforma Sentinela A plataforma completa para segurança corporativa A plataforma Sentinela é a mais completa plataforma para monitoramento e interceptação em tempo real, gravação e bilhetagem de chamadas

Leia mais

MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA

MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA Pioneirismo tecnológico e FLEXIBILIDADE na migração O é uma plataforma de comunicação convergente, aderente às principais necessidades das

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

VoIP Peering. Operação, Tecnologia e Modelos de Negócio

VoIP Peering. Operação, Tecnologia e Modelos de Negócio VoIP Peering Operação, Tecnologia e Modelos de Negócio Histórico 2005 2004 2004 2003 2002 2001 2000 1999 1998 1996 1995 1993 Plataformas de Suporte ao Cliente Final Suporte ao protocolo SIP POP em Miami

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/15. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/15. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/15. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Constitui objeto da presente licitação o registro de preços para implantação de sistema de telefonia digital (PABX) baseado em servidor IP, com fornecimento

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

Soluções convergentes em telefonia para sua empresa. Vantagens competitivas na comunicação entre você e seus clientes.

Soluções convergentes em telefonia para sua empresa. Vantagens competitivas na comunicação entre você e seus clientes. Soluções convergentes em telefonia para sua empresa. Vantagens competitivas na comunicação entre você e seus clientes. A revolução na comunicação da sua empresa. mobilidade mobilidade Voz Voz vídeo vídeo

Leia mais

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens Callix PABX Virtual SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens Por Que Callix Foco no seu negócio, enquanto cuidamos da tecnologia do seu Call Center Pioneirismo no mercado de Cloud

Leia mais

Guia do Usuário. Embratel IP VPBX

Guia do Usuário. Embratel IP VPBX Índice Guia do Usuário EMBRATEL IP VPBX 3 Tipos de Ramais 4 Analógicos 4 IP 4 FACILIDADES DO SERVIÇO 5 Chamadas 5 Mensagens 5 Bloqueio de chamadas 5 Correio de Voz 5 Transferência 6 Consulta e Pêndulo

Leia mais

CoIPe Telefonia com Tecnologia

CoIPe Telefonia com Tecnologia CoIPe Telefonia com Tecnologia A proposta Oferecer sistema de telefonia digital com tecnologia que possibilita inúmeras maneiras de comunicação por voz e dados, integrações, recursos e abertura para customizações.

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

sentinela A plataforma completa para segurança corporativa LINHA Interceptação Monitoração Gravação Relatórios Gestão Tarifação

sentinela A plataforma completa para segurança corporativa LINHA Interceptação Monitoração Gravação Relatórios Gestão Tarifação LINHA sentinela Interceptação Monitoração Gravação Relatórios LINHA sentinela Gestão Tarifação A plataforma completa para segurança corporativa O Sentinela é uma plataforma de segurança voltada para telefonia

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center.

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center. TACTIUM IP com Integração à plataforma Asterisk Vocalix Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

Comunicação interligando vidas

Comunicação interligando vidas Comunicação interligando vidas APRESENTAÇÃO E PROPOSTA COMERCIAL 1. INTRODUÇÃO O presente documento contém o projeto técnico comercial para prestação dos serviços de locação, suporte, consultorias da área

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA Muitas organizações terceirizam o transporte das chamadas em seus call-centers, dependendo inteiramente

Leia mais

CARTA CONVITE 010/2014 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA

CARTA CONVITE 010/2014 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA CARTA CONVITE 010/2014 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA 1. Implantação de Sistema de Call Center 1.1. O software para o Call Center deverá ser instalado em servidor com sistema operacional Windows (preferencialmente

Leia mais

Possui todas as facilidades para as comunicações empresariais internas e externas:

Possui todas as facilidades para as comunicações empresariais internas e externas: Descrição: A Família TC Voice Net está dividida em 4 modalidades: TC Voice, TC Voice Net, Voice Net + e VPN Voice Net. O TC Intervox está dividido em 2 modalidades: TC Intervox Comercial e TC Intervox

Leia mais

OKTOR APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS OKTOR

OKTOR APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS OKTOR OKTOR APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS OKTOR fevereiro/2011 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 QUEM SOMOS?... 4 3 PRODUTOS... 5 3.1 SMS... 6 3.2 VOZ... 8 3.3 INFRAESTRUTURA... 12 3.4 CONSULTORIA... 14 4 SUPORTE... 14

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Fidelize sua operadora e tenha reduções imediatas

Fidelize sua operadora e tenha reduções imediatas Gateway E1-SIP µtech Gateway E1-SIP: a evolução ao seu alcance O conhecido dispositivo para interconexão de redes IP com a rede de telefonia comutada evoluiu. Além de proporcionar a integração de redes

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015

EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015 Londrina, 07 de outubro de 2015. EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015 OBJETO: Art.1º. Constitui objeto desta licitação a aquisição de 01 (uma) Plataforma de Solução

Leia mais

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência Pregão Conjunto nº 27/2007 VIDEOCONFERÊNCIA ANEXO I Termo de Referência Índice 1. Objetivo...3 2. Requisitos técnicos e funcionais...3 2.1.

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Felipe Pontes felipe.pontes@gmail.com

Planejamento Estratégico de TI. Felipe Pontes felipe.pontes@gmail.com Planejamento Estratégico de TI Felipe Pontes felipe.pontes@gmail.com VPN Virtual Private Network Permite acesso aos recursos computacionais da empresa via Internet de forma segura Conexão criptografada

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 5 VoIP Tecnologias Atuais de Redes - VoIP 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Estrutura Softswitch Funcionamento Cenários Simplificados de Comunicação em VoIP Telefonia

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Comentários MINUTA TERMO DE REFERENCIA Lote 9A ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Resposta: Fica mantido o texto da minuta do TR. 2.2 O provimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Você conectado ao mundo com liberdade APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL > ÍNDICE Sobre a TESA 3 Telefonia IP com a TESA 5 Portfólio de produtos/serviços 6 Outsourcing 6 Telefonia 7 Web

Leia mais

Tabela de Preços MARKETING B2B

Tabela de Preços MARKETING B2B 1. SOLUÇÔES DE DADOS E ACESSO A INTERNET... 2 1.1. TC IP ECONÔMICO SAT... 2 1.2. TC VPN CONNECT... 4 1.3. TC DATA... 4 1.4. TC PAC... 6 1.5. TC PAC DEDICADO... 7 1.6. TC FRAME WAY... 12 1/15 1. SOLUÇÔES

Leia mais

A EMPRESA SOLUÇÕES CORPORATIVAS SOLUÇÕES PARA OPERADORAS. Wholesale. Servidores SIP. Flat Fixo Brasil em CLI. IPBX Segurança e economia

A EMPRESA SOLUÇÕES CORPORATIVAS SOLUÇÕES PARA OPERADORAS. Wholesale. Servidores SIP. Flat Fixo Brasil em CLI. IPBX Segurança e economia A EMPRESA A ROTA BRASIL atua no mercado de Tecnologia nos setores de TI e Telecom, buscando sempre proporcionar às melhores e mais adequadas soluções aos seus Clientes. A nossa missão é ser a melhor aliada

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA

SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA DE INFRAESTRUTURA www.alidata.pt geral@alidata.pt +351 244 850 030 A Alidata conta com uma equipa experiente e especializada nas mais diversas áreas, desde a configuração de um simples terminal de trabalho

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O BlackBerry Mobile Voice System (BlackBerry MVS) leva os recursos do telefone do escritório aos smartphones BlackBerry. Você pode trabalhar

Leia mais

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009.

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009. Seja bem-vindo. AGORA VOCÊ FARÁ SUAS LIGAÇÕES COM MUITO MAIS ECONOMIA. A partir de agora, você tem acesso a todos os benefícios do telefone via cabo, que reuniu as tecnologias da Embratel e da NET o NET

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

Telefonia IP na UFSC Experiências e Perspectivas

Telefonia IP na UFSC Experiências e Perspectivas Telefonia IP na UFSC Experiências e Perspectivas BoF VoIP Experiências de Perspectivas RNP, Rio de Janeiro, 22 Agosto 2011 Edison Melo SeTIC/UFSC PoP-SC/RNP edison.melo@ufsc.br 1 Histórico Serviço VoIP4All

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS

REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS TÓPICOS - INTRODUÇÃO - HISTÓRICO - INTERNET PONTO A PONTO - INTERNET PONTO MULTIPONTO - TECNOLOGIA WI-MESH - REDE MULTISERVIÇOS IP - CASOS PRÁTICOS

Leia mais

RAZÕES PARA ADQUIRIR O TECLAN IPACK UNIFIED

RAZÕES PARA ADQUIRIR O TECLAN IPACK UNIFIED Por que adquirir o Teclan IPack Unified? Além de dispor de todos os recursos necessários às operações de telesserviços em uma única suíte, o Teclan IPack Unified proporciona economia nos custos das ligações,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

TARIFAÇÃO DE CHAMADAS DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL E INTERNACIONAL - A INFORMAÇÃO DA TARIFA NO INÍCIO DA LIGAÇÃO. Claudio Nazareno Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações,

Leia mais

Software de Tarifação para centrais PABX e ambiente Windows

Software de Tarifação para centrais PABX e ambiente Windows Software de Tarifação para centrais PABX e ambiente Windows Um tarifador fácil de usar e poderoso. Com o tarifador STI Windows Atenas você poderá controlar os gastos com telefone, reduzir custos e otimizar

Leia mais

RAZÕES PARA ADQUIRIR O TECLAN IPACK UNIFIED

RAZÕES PARA ADQUIRIR O TECLAN IPACK UNIFIED Por que adquirir o Teclan IPack Unified? Além de dispor de todos os recursos necessários às operações de telesserviços em uma única suíte, o Teclan IPack Unified proporciona economia nos custos das ligações,

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

A Simples IP agradece a oportunidade de apresentação desta proposta de prestação de serviços.

A Simples IP agradece a oportunidade de apresentação desta proposta de prestação de serviços. Ao INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ALGODÃO A/C: Sr. Claudio Fone: (65) 3321-6455 claudiopozzebom@imamt.com.br PROPOSTA COMERCIAL INSTITUTO MATOGROSSENSE DO ALGODÃO Cuiabá, 18 de Setembro de 2013. 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O Mobile Voice System ( MVS) foi projetado para unificar os recursos do telefone fixo aos smartphones e às redes

Leia mais

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS FÁBRICA DE SOFTWARE Quem somos A Fábrica de Software da Compugraf existe desde 1993 e atua em todas as etapas de um projeto: especificação, construção, testes, migração de dados, treinamento e implantação.

Leia mais

A primeira plataforma inteligente de comunicação para ambientes de negociações

A primeira plataforma inteligente de comunicação para ambientes de negociações TERMINAL OPEN TRADE A primeira plataforma inteligente de comunicação para ambientes de negociações Soluções Completas e Diferenciadas O assistente perfeito para ambientes de negociações O Open Trade é

Leia mais

Como explorar os recursos do Asterisk Epaminondas Lage

Como explorar os recursos do Asterisk Epaminondas Lage Como explorar os recursos do Asterisk Epaminondas Lage Apresentação Epaminondas de Souza Lage Epaminondas de Souza Lage popo@planetarium.com.br Formado em Engenharia Elétrica com ênfase em Sistemas Industriais

Leia mais

SOPHO Dterm. Telefones Executivos Digitais* Benefícios. Melhore o desempenho dos seus negócios

SOPHO Dterm. Telefones Executivos Digitais* Benefícios. Melhore o desempenho dos seus negócios SOPHO Dterm Telefones Executivos Digitais* Benefícios Possibilidade de escolha entre quatro modelos que oferecem serviços customizados e desempenho que atendem suas necessidades Recursos importantes acessíveis

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com O que veremos hoje... Evolução Histórica Motivação Conceitos Características

Leia mais

Evolução das Redes de Telecomunicação: Arquitetura IMS

Evolução das Redes de Telecomunicação: Arquitetura IMS Evolução das Redes de Telecomunicação: Arquitetura IMS Samuel R. Lauretti Graduado em Engenharia Elétrica pela USP-São Carlos em 1987, com Mestrado em Telecomunicações pela UNICAMP em 1993. Completou o

Leia mais

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP)

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Telefonia Tradicional PBX Telefonia Pública PBX Rede telefônica tradicional usa canais TDM (Time Division Multiplexing) para transporte da voz Uma conexão de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1º Estudo Dirigido Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1. Defina um sistema operacional de uma forma conceitual correta, através de suas palavras. R: Sistemas Operacionais são programas de

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

Anexo XIII. São Paulo, 04 de Junho de 2009. Proposta Comercial Serviço 0800 Inteligente. Prezado(a) Sr(a).

Anexo XIII. São Paulo, 04 de Junho de 2009. Proposta Comercial Serviço 0800 Inteligente. Prezado(a) Sr(a). São Paulo, 04 de Junho de 2009. Proposta Comercial Serviço 0800 Inteligente Prezado(a) Sr(a). Apresentamos a seguir a proposta comercial do Serviço 0800 Inteligente destacando as vantagens de se ter os

Leia mais

MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2

MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2 MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2 Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação Aérea (Criptofonia) OTAR (Over The Air Rekeying), para emprego na rede

Leia mais

UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Sistemas de Telecomunicações 4º período Professor: Maurício AULA 02 Telefonia Fixa

UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Sistemas de Telecomunicações 4º período Professor: Maurício AULA 02 Telefonia Fixa Introdução UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Com o aparecimento dos sistemas de comunicação móvel como a telefonia celular, o termo telefonia fixa passou a ser utilizado para caracterizar

Leia mais

Pedido de Esclarecimento 01 PE 12/2011

Pedido de Esclarecimento 01 PE 12/2011 Pedido de Esclarecimento 01 PE 12/2011 Questionamento 1 : 20.1.1.2 - Sistema de telefonia IP ITEM 04 - Deve ser capaz de se integrar e gerenciar os gateways para localidade remota tipo 1, 2 e 3 e a central

Leia mais

REDES CONVERGENTES PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM

REDES CONVERGENTES PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM REDES CONVERGENTES PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Introdução a Redes Convergentes. Camadas de uma rede convergente. Desafios na implementação de redes convergentes. Introdução a Redes Convergentes.

Leia mais

IP Communications Platform

IP Communications Platform IP Communications Platform A Promessa de Convergência, Cumprida As comunicações são essenciais para os negócios mas, em última análise, estas são conduzidas a nível pessoal no ambiente de trabalho e por

Leia mais

Serviço fone@rnp: descrição geral

Serviço fone@rnp: descrição geral Serviço fone@rnp: descrição geral Este documento descreve o serviço de Voz sobre IP da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. RNP/REF/0347 Versão Final Sumário 1. Apresentação... 3 2. Definições... 3 3. Benefícios

Leia mais

Manual de Usuário INDICE

Manual de Usuário INDICE Manual de Usuário INDICE Características do Sistema... 02 Características Operacionais... 03 Realizando o Login... 04 Menu Tarifador... 05 Menu Relatórios... 06 Menu Ferramentas... 27 Menu Monitor... 30

Leia mais

Aplicativo para configuração da interface de celular ITC 4000

Aplicativo para configuração da interface de celular ITC 4000 MANUAL DO USUÁRIO Aplicativo para configuração da interface de celular ITC 4000 Este aplicativo roda em plataforma Windows e comunica-se com a ITC 4000 via conexão USB. Através do ITC 4000 Manager, o usuário

Leia mais

ANEXO 5 PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO E PROVIMENTO DA INTERCONEXÃO

ANEXO 5 PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO E PROVIMENTO DA INTERCONEXÃO ANEXO 5 PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO E PROVIMENTO DA INTERCONEXÃO 1. OBJETIVO 1.1 As Interconexões previstas no presente Anexo 5 serão objeto de planejamento técnico contínuo e integrado entre as Partes,

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é VOIP Se você nunca ouviu falar do VoIP, prepare-se para mudar sua maneira de pensar sobre ligações de longa distância. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é um método para pegar sinais de áudio analógico,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais