Parágrafo 2º As operações de crédito contratadas a taxas prefixadas passam a ser informadas, a partir de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parágrafo 2º As operações de crédito contratadas a taxas prefixadas passam a ser informadas, a partir de 01.07.95"

Transcrição

1 CIRCULAR Nº 2568/95 Altera a classificação de fatores de risco de operações ativas, bem como os procedimentos para contabilização de operações de cessão de crédito e de receitas e despesas a apropriar. A Diretoria do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em , tendo em vista o disposto no art. 2º, Parágrafo 2º, do Regulamento Anexo IV da Resolução nº 2.099, de , e com fundamento no art. 4º, inciso XII, da Lei nº 4.595, de , por competência delegada pelo Conselho Monetário Nacional, por ato de , D E C I D I U: Art. 1º Fica alterada a classificação de fatores de risco de operações ativas, de que trata o art. 2º, Parágrafo 1º, do Regulamento Anexo IV à Resolução nº 2.099, de , conforme a tabela anexa a esta Circular. Art. 2º As rendas e despesas a apropriar, decorrentes, respectivamente, de operações ativas e passivas com remuneração prefixada, devem ser registradas em subtítulo de uso interno do próprio título ou subtítulo contábil utilizado para registrar a operação no Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional - COSIF. Parágrafo 1º O disposto neste artigo não se aplica as rendas de operações de crédito classificadas em atraso ou em créditos em liquidação, não reconhecidas como receita efetiva nos termos da regulamentação em vigor, bem como as de operações de arrendamento mercantil e de câmbio, as quais devem continuar sendo registradas no título específico de rendas e despesas a apropriar. Parágrafo 2º As operações de crédito contratadas a taxas prefixadas passam a ser informadas, a partir de Parágrafo 3º Para a data-base de , além da Estatística Econômico-Financeira, documento nº 15, código CADOC 4150, em meio magnético e na forma ora definida, a instituição deve encaminhar também esse documento preenchido na forma vigente até a data-base de , por meio de correio eletrônico ou correspondência, ao Banco Central do Brasil - Departamento de Cadastro e Informações - DECAD, no mesmo prazo previsto para remessa a este Órgão do balancete da data-base de Art. 3º As operações de crédito e de arrendamento mercantil objeto de cessão dos respectivos direitos, com ou sem coobrigação, devem ser registradas na cessionária conforme a modalidade da operação original, observada a atividade predominante do tomador do crédito ou do arrendatário. Parágrafo único. Os direitos creditórios cedidos de que trata este artigo devem ser informados pela cessionária por meio da Estatística Econômico-Financeira, documento nº 15, do COSIF. Art. 4º O resultado da cessão de operações de crédito e de arrendamento mercantil deve ser apurado pela instituição cedente na data da contratação da operação, mediante baixa do título contábil utilizado para registro da operação original. Parágrafo 1º O resultado positivo ou negativo da operação referida neste artigo deve ser apropriado, respectivamente, como acréscimo ou estorno das rendas de operações de crédito ou rendas de operações de arrendamento mercantil. Parágrafo 2º Na hipótese de ocorrência de resultado negativo superior ao valor das rendas já apropriadas no semestre, referidas no parágrafo anterior, a diferença deve ser registrada em DESPESAS DE CESSÃO DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO ou DESPESAS DE CESSÃO DE CRÉDITOS DE ARRENDAMENTO. Parágrafo 3º As cessões com coobrigação de que trata este artigo devem ser registradas pelos cedentes em COOBRIGAÇÕES EM CESSÕES DE CRÉDITO, código , em contrapartida de RESPONSABILIDADES POR COOBRIGAÇÕES EM CESSÕES DE CRÉDITO, código Parágrafo 4º As operações cedidas, que permanecerem em poder do cedente para cobrança, devem ser registradas como cobrança simples por conta de terceiros. (artigo revogado pela Res. 3213/03) Parágrafo 5º No caso de a instituição cedente vir a assumir os pagamentos relativos as operações cedidas com coobrigação, por inadimplemento do tomador do crédito ou arrendatário, o crédito decorrente deve ser classificado no titulo contábil utilizado para registro da operação original, observada a situação do crédito. Art. 5º A contabilização das cessões de outros direitos creditórios deve ser efetuada na forma prevista nesta Circular.

2 Art. 6º Ficam revogados as Circulares nºs 1.391, de , 1.739, de , e 1.743, de , o item 9 da Circular nº 1.398, de , e o item do COSIF. Art. 7º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de , devendo os saldos remanescentes das operações de cessão de crédito existentes nessa data serem reclassificados, ate , na forma deste normativo. Brasília, 4 de maio de 1995 Cláudio Ness Mauch Diretor de Normas e Organização do Sistema Financeiro Fatores de Ponderação de Risco RISCO NULO - Fator de Ponderação 0% Valores em moeda corrente Caixa ANEXO TABELA DE CLASSIFICACAO DOS ATIVOS Reservas livres em espécie depositadas no Banco Central Reservas Livres Aplicações em operações compromissadas com recursos próprios - posição bancada - títulos públicos federais e de instituições financeiras ligadas Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Obrigações do Tesouro Nacional Bônus do Tesouro Nacional Letras do Banco Central Notas do Banco Central Bônus do Banco Central CDB - Instituição Financeira Ligada LC - Instituição Financeira Ligada LI - Instituição Financeira Ligada Aplicações em operações compromissadas com recursos de terceiros - posição financiada Revendas a Liquidar - Posição Financiada Aplicações em depósitos interfinanceiros com recursos próprios em instituições financeiras ligadas Ligadas Ligadas - Vinculados ao Crédito Rural Ligadas (-) Ligadas Ligadas Depósitos voluntários no Banco Central de sociedades de crédito imobiliário Aplicações Voluntárias no Banco Central Aplicações em moedas estrangeiras no Banco Central - câmbio Banco Central - Excesso de Posição Banco Central - Excesso de Posição Aplicações em títulos de renda fixa intermediados - títulos públicos federais e de instituições financeiras ligadas Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Obrigações do Tesouro Nacional Bônus do Tesouro Nacional Letras do Banco Central CDB - Instituição Financeira Ligada

3 LC - Instituição Financeira Ligada LI - Instituição Financeira Ligada LH - Instituição Financeira Ligada Aplicações em títulos de renda fixa - carteira própria - títulos públicos federais e de instituições financeiras ligadas Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Obrigações do Tesouro Nacional Bônus do Tesouro Nacional Letras do Banco Central Notas do Banco Central Bônus do Banco Central CDB - Instituição Financeira Ligada LC - Instituição Financeira Ligada LI - Instituição Financeira Ligada LH - Instituição Financeira Ligada Aplicações em TDEs Ligadas Títulos Emitidos pelo Tesouro Nacional Provisão para desvalorização de títulos de renda fixa da carteira própria Títulos Públicos Federais - Tesouro Nacional Títulos Emitidos pelo Tesouro Nacional no Exterior Títulos Públicos Federais - Banco Central Títulos de Emissão de Instituições Financeiras Ligadas Aplicações em títulos de renda fixa vinculados a operações compromissadas - títulos públicos federais e de instituições financeiras ligadas Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Obrigações do Tesouro Nacional Bônus do Tesouro Nacional Letras do Banco Central Notas do Banco Central Bônus do Banco Central CDB - Instituição Financeira Ligada LC - Instituição Financeira Ligada LI - Instituição Financeira Ligada Provisão para desvalorização de títulos de renda fixa da carteira própria vinculados a operações compromissadas Títulos Públicos Federais - Tesouro Nacional Títulos Públicos Federais - Banco Central Títulos de Emissão de Instituições Financeiras Ligadas Títulos públicos federais depositados no Banco Central Banco Central - Depósitos para Capital em Títulos Banco Central - Reservas Compulsórias em Títulos Banco Central - Títulos Vinculados a Assistência Financeira Banco Central - Títulos Vinculados a Recursos Externos Valores depositados no Banco Central Banco Central - Depósitos em Moedas Estrangeiras Banco Central - Depósitos para Capital em Dinheiro Banco Central - Recolhimento de Recursos do Crédito Rural Reservas Compulsórias em Espécie no Banco Central Banco Central - Recolhimentos Obrigatórios Banco Central - Outros Depósitos Provisão para desvalorização de créditos vinculados Créditos Vinculados - Banco Central

4 Valor do imposto incidente sobre quaisquer rendimentos que devam ser tributados na fonte e do imposto pago a título de antecipação e que a instituição tenha o direito de compensar Imposto de Renda a Compensar Imposto de Renda a Recuperar RISCO REDUZIDO - Fator de Ponderação 20% Depósitos bancários de livre movimentação mantidos em bancos Depósitos Bancários Aplicações temporárias em ouro físico Aplicações em Ouro Depósitos e créditos, bem como cédulas e moedas em moedas estrangeiras Disponibilidades em Moedas Estrangeiras Cheques e outros papeis encaminhados ao serviço de compensação Serviço de Compensação de Cheques e Outros Papeis Créditos tributários decorrentes de despesas contabilizadas no período que sejam dedutiveis em exercícios subsequentes - prescrevem em 4 (quatro) anos Créditos Tributários - Imposto de Renda e Contribuição Social RISCO REDUZIDO - Fator de Ponderação 50% Aplicações em operações compromissadas com recursos próprios - posição bancada - títulos estaduais e municipais e de instituições financeiras Títulos Estaduais e Municipais Certificados de Deposito Bancário Letras de Câmbio Letras Imobiliárias Aplicações em depósitos interfinanceiros com recursos próprios em instituições financeiras, bem como sua provisão Não Ligadas Não Ligadas - Vinculados ao Crédito Rural Não Ligadas (-) Não Ligadas Não Ligadas Aplicações em depósitos de poupança pelas cooperativas de crédito Aplicações em Depósitos de Poupança Aplicações em moedas estrangeiras no exterior Aviso Prévio Prazo Fixo Aviso Prévio Prazo Fixo Aplicações em títulos de renda fixa intermediados - títulos públicos estaduais e municipais e de instituições financeiras Títulos Estaduais e Municipais Certificados de Depósito Bancário Letras de Cambio Letras Imobiliárias Letras Hipotecárias Aplicações em títulos de renda fixa - carteira própria - títulos públicos estaduais e municipais e de instituições financeiras Títulos Estaduais e Municipais Certificados de Deposito Bancário Letras de Câmbio Letras Imobiliárias Letras Hipotecárias Aplicações em cotas de fundos de investimento, em TDEs e em DER Cotas de Fundos de Investimento

5 Não Ligadas Aplicações em Depósitos Especiais Remunerados - Conversões da Lei n /90 Aplicações em títulos e valores mobiliários no exterior Títulos Emitidos pelo Governo de Outros Países Títulos de Renda Fixa - Empresas Estatais do Brasil Títulos de Renda Variável - Empresas Estatais do Brasil Provisão para desvalorização de títulos de renda fixa da carteira própria Títulos de Emissão de Instituições Financeiras não Ligadas Títulos Públicos Estaduais e Municipais Títulos Emitidos pelo Governo de Outros Países Títulos Emitidos por Empresas Estatais do Brasil no Exterior Aplicações em títulos de renda fixa vinculados a operações compromissadas - títulos públicos estaduais e municipais e de instituições financeiras Títulos Estaduais e Municipais Certificados de Deposito Bancário Letras de Cambio Letras Imobiliárias Provisão para desvalorização de títulos de renda fixa da carteira própria vinculados a operações compromissadas Títulos de Emissão de Instituições Financeiras não Ligadas Títulos Públicos Estaduais e Municipais Títulos de renda fixa bloqueados Títulos de Renda Fixa Bloqueados Depósitos mantidos em bancos oficiais, vinculados a convênios para repasses de linhas de crédito ou de prestação de serviços Bancos Oficiais - Depósitos Vinculados a Convênio Valores vinculados ao SFH relativos a depósitos em fundo administrado pela CEF e saldos de créditos junto ao FGTS SFH - Depósitos no FAHBRE SFH - FGTS a Ressarcir Provisão para desvalorização de créditos vinculados Créditos Vinculados - Bancos Oficiais Créditos Vinculados - FAHBRE Créditos Vinculados - FGTS Créditos decorrentes de repasses de recursos a outras instituições financeiras Outras Instituições Devedores por Repasses de Recursos Externos Devedores por Repasses a Agentes Financeiros Devedores por Repasses de Outros Recursos Provisão para desvalorização de repasses interfinanceiros Outros Financiamentos habitacionais em situação normal Financiamentos Habitacionais Habitacionais Operações de cambio de compra/venda de moeda estrangeira e de ouro (não de importação e exportação), e dos respectivos adiantamentos, bem como dos valores em moedas estrangeiras referentes a fretes e prêmios de seguro sobre exportação pagos antecipadamente a liquidação da respectiva operação de cambio de exportação Financeiro (-) Financeiro Ouro Financeiro (-) Ouro (-) Financeiro Financeiro

6 (-) De Instituições Financeiras Financeiro Ouro (-) Financeiro (-) Ouro Valores em Moedas Estrangeiras a Receber Financeiro Ouro Valores a receber de operações realizadas em bolsas de valores, de mercadorias e de futuros Caixas de Registro e Liquidação Operações com Ativos Financeiros e Mercadorias a Liquidar Valor das captações interfinanceiras a serem liquidadas e resgatadas posteriormente junto a CETIP por conta de outras instituições Captações Interfinanceiras de Terceiros a Liquidar Aplicações Interfinanceiras de Terceiros a Resgatar Valor das cartas de crédito de exportação confirmadas, no Pais Créditos de Exportação Confirmados Instituições Autorizadas a Funcionar pelo Banco Central Coobrigações em Cessões de Crédito RISCO NORMAL - Fator de Ponderação 100% Aplicações em operações compromissadas com recursos próprios - posição bancada - debentures e outros títulos Debentures Outros Aplicações em títulos de renda fixa intermediados Debêntures Obrigações da Eletrobrás Títulos da Divida Agraria Outros Aplicações em títulos de renda fixa - carteira própria Debêntures Obrigações da Eletrobrás Títulos da Divida Agraria Debêntures - SIDERBRAS (-) Rendas a Apropriar - Resolução Outros Aplicações em ações Títulos de Renda Variável Aplicações em títulos que tenham vinculação com produtos agrícolas, pecuários e agro-industriais Aplicações em "Commodities" Aplicações em títulos e valores mobiliários no exterior Outros Títulos de Renda Fixa Outros Títulos de Renda Variável Outros Títulos de renda fixa de sociedades em regime especial Títulos e Valores Mobiliários de Sociedades em Regime Especial Provisão para desvalorização de títulos de renda fixa da carteira própria Títulos Públicos Federais - Outros Aplicações em "Commodities" Outros no Exterior Outros no Pais Títulos de renda fixa da carteira própria vinculados a operações compromissadas - debêntures e outros títulos Debêntures Debêntures - SIDERBRAS Outros

7 Provisão para desvalorização de títulos de renda fixa da carteira própria vinculados a operações compromissadas Títulos Públicos Federais - Outros Outros Operações vinculadas a bolsas de valores, de mercadorias e de futuros Vinculados a Negociação e Intermediação de Valores Títulos aceitos como moeda de privatização Vinculados a Aquisição de Ações de Empresas Estatais Valores vinculados ao SFH SFH - Bônus - Adquirentes Finais - DL 2.164/ SFH - Cotas do Fundo de Estabilização SFH - Depósitos no FAL SFH - Fundo de Compensação de Variações Salariais SFH - Transferência de Depósitos de Poupança Crédito Rural - Proagro a Receber Provisão para desvalorização de créditos vinculados Créditos Vinculados - PROAGRO Créditos Vinculados - SFH Créditos decorrentes de repasses de recursos do crédito rural a cooperativa de crédito Cooperativas de Crédito Rural Provisão para desvalorização de repasses interfinanceiros Cooperativas de Crédito Rural Créditos decorrentes de transações com correspondentes Relações com Correspondentes Operações de financiamento e empréstimo Empréstimos e Títulos Descontados Financiamentos Financiamentos Rurais e Agro-industriais Financiamentos de Empreendimentos Imobiliários Financiamentos Sem Cobertura do FCVS - Decreto / Financiamentos Hipotecários Empreendimentos Imobiliários - Anteriores ao DL 2.291/ Empreendimentos Imobiliários - Posteriores ao DL 2.291/ Hipotecários Financiamentos Imobiliários em Atraso Financiamentos de Títulos e Valores Mobiliários Financiamentos de Infraestrutura e Desenvolvimento Operações de Crédito em Liquidação Operações de arrendamento Arrendamentos a Receber Subarrendamentos a Receber Valores Residuais a Realizar Créditos de Arrendamento Mercantil em Liquidação Operações de avais e fianças honradas Avais e Fianças Honrados Operações de cambio Exportação - Letras a Entregar Exportação - Letras Entregues (-) Exportação Exportação - Letras a Entregar Exportação - Letras Entregues (-) Exportação Cambiais e Documentos a Prazo em Moedas Estrangeiras Importação (-) De Clientes Importação

8 (-) Importação Rendas a Receber de Adiantamentos Concedidos Rendas a Receber de Importações Financiadas Rendas a Receber de Importações Financiadas - Taxas Flutuantes Exportação Importação Valores a receber relativos a rendas de comissões, corretagens e de outros serviços prestados Rendas a Receber Negociação e intermediação de operações em bolsas de valores, de mercadorias e de futuros Bolsas - Depósitos em Garantia Certificados de Investimento para Conversão Devedores - Conta Liquidações Pendentes Fundo de Garantia para Liquidação de Operações Operações em Margem - Oscilações de Valores Vendas a Termo a Receber Operações de "Swap" - Diferencial a Receber Outros Créditos por Negociação e Intermediação de Valores Créditos específicos da CEF e BNDES Créditos Específicos Operações especiais do Banco do Brasil com o Tesouro Nacional Operações Especiais Valores específicos da CEF Valores Específicos Créditos diversos Adiantamentos e Antecipações Salariais Adiantamentos para Pagamentos de Nossa Conta Adiantamentos por Conta de Imobilizações Cheques a Receber Créditos Decorrentes de Contratos de Exportação Depósitos para Aquisição de Telefones Devedores por Compra de Valores e Bens Devedores por Depósitos em Garantia Opções por Incentivos Fiscais Pagamentos a Ressarcir Participações Pagas Antecipadamente Títulos e Créditos a Receber Valores a Receber de Sociedades Ligadas Devedores Diversos - Exterior Devedores Diversos - País Outros créditos em liquidação de créditos diversos Outros Créditos em Liquidação Investimentos temporários e bens não de uso próprio Outros Valores e Bens Ativo permanente menos as participações em instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central, no País e no exterior Instituições não Financeiras Instituições não Financeiras Instituições não Financeiras Outras Participações - MEP Administradoras de Consorcio - MEP Administradoras de Consorcio Outras Participações Ações de Empresas Privatizadas Administradoras de Consórcio Outras Participações Investimentos por Incentivos Fiscais Títulos Patrimoniais Ações e Cotas Outros Investimentos Imobilizado de Uso Imobilizado de Arrendamento Diferido Coobrigações e riscos em garantias prestadas Créditos Abertos para Importação Créditos Abertos para Importação - Taxas Flutuantes Outras Entidades Beneficiários de Outras Coobrigações

Anexo ao Ato Declaratório Executivo Cofis n o 20/2015 Manual de Orientação do Leiaute da ECF Atualização: Março de 2015

Anexo ao Ato Declaratório Executivo Cofis n o 20/2015 Manual de Orientação do Leiaute da ECF Atualização: Março de 2015 A.1.1.1.2. L100B - Financeiras 1.0.3.9.9.99.99 ATIVO GERAL 01012014 S 1 01 1.1.0.0.0.00.00 ATIVO 01012014 S 1.0.0.0.0.00.00 2 01 1.1.1.0.0.00.00 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 01012014 S 1.1.0.0.0.00.00

Leia mais

Anexo ao Ato Declaratório Executivo Cofis n o 20/2015 Manual de Orientação do Leiaute da ECF Atualização: Março de 2015

Anexo ao Ato Declaratório Executivo Cofis n o 20/2015 Manual de Orientação do Leiaute da ECF Atualização: Março de 2015 2.05.01.01.05 Fundos Especiais de Domiciliados e Residentes no País 01012014 A 2.05.01.01 5 03 2.05.01.02 PATRIMÔNIO SOCIAL REALIZADO - DE RESIDENTE/DOMICILIADO NO EXTERIOR 01012014 S 2.05.01 4 03 2.05.01.02.01

Leia mais

CÓDIGOS TÍTULOS CONTÁBEIS ATRIBUTOS

CÓDIGOS TÍTULOS CONTÁBEIS ATRIBUTOS 1 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO UBDKIFJACTSWEROLMNHZ - - - 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES UBDKIFJACTSWEROLMNHZ - - - 1.1.1.00.00-9 Caixa UBDKIFJACTSWER-LMNHZ - - - 1.1.1.10.00-6 CAIXA

Leia mais

Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias

Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias 1 - Os títulos e valores mobiliários adquiridos por instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

e) atualizar a Seção "Função e Funcionamento das Contas - 2", do Capítulo "Elenco de Contas - 2";

e) atualizar a Seção Função e Funcionamento das Contas - 2, do Capítulo Elenco de Contas - 2; CARTA-CIRCULAR N 2.030 REVISÃO E ATUALIZAÇÃO DO PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL (COSIF) Comunicamos que, com fundamento no artigo 4º, inciso XII, da Lei nº 4.595, de 31.12.64,

Leia mais

CIRCULAR Nº 2568 DECIDIU:

CIRCULAR Nº 2568 DECIDIU: CIRCULAR Nº 2568 Altera a classificação de fatores de risco de operações ativas, bem como os procedimentos para contabilização de operações de cessão de crédito e de receitas e despesas a apropriar. A

Leia mais

1.6.9.70.00-7 (-) PROVISÃO PARA FINANCIAMENTOS DE INFRAESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO

1.6.9.70.00-7 (-) PROVISÃO PARA FINANCIAMENTOS DE INFRAESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO CARTA-CIRCULAR Nº 2899/2000 Altera, no COSIF, procedimentos para registro das operações de crédito e constituição de provisão para fazer face aos créditos de liquidação duvidosa. Tendo em vista o disposto

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 2.999, DE 2 DE ABRIL DE 2002

CARTA-CIRCULAR Nº 2.999, DE 2 DE ABRIL DE 2002 BANCO CENTRAL DO BRASIL Diretoria de Normas e Organização do Sistema Financeiro Departamento de Normas do Sistema Financeiro CARTA-CIRCULAR Nº 2.999, DE 2 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2999. 1.4.3.00.00-2 Repasses Interfinanceiros; 3.0.1.30.00-5 BENEFICIÁRIOS DE GARANTIAS PRESTADAS;

CARTA-CIRCULAR N 2999. 1.4.3.00.00-2 Repasses Interfinanceiros; 3.0.1.30.00-5 BENEFICIÁRIOS DE GARANTIAS PRESTADAS; CARTA-CIRCULAR N 2999 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados na remessa de informações no âmbito da Central de Risco de Credito. Para fins da prestação das informações de que trata a Circular

Leia mais

CIRCULAR N 2009. Documento normativo revogado pela Circular 2271, de 29/01/1993, a partir de 30/06/1993. Às administradoras de consórcio

CIRCULAR N 2009. Documento normativo revogado pela Circular 2271, de 29/01/1993, a partir de 30/06/1993. Às administradoras de consórcio CIRCULAR N 2009 30/06/1993. Documento normativo revogado pela Circular 2271, de 29/01/1993, a partir de Às administradoras de consórcio Estabelece a obrigatoriedade da elaboração e remessa de demonstrações

Leia mais

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Balanço Patrimonial - Conglomerado Prudencial em 30 de Junho ATIVO 2014 CIRCULANTE 1.893.224 Disponibilidades

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 2921

CARTA-CIRCULAR Nº 2921 CARTA-CIRCULAR Nº 2921 Cria desdobramentos de subgrupo, títulos e subtítulos, elimina subtítulos e altera função de títulos no COSIF. Tendo em vista o disposto no item 4 da Circular n. 1.540, de 6 de outubro

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01.

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01. Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 111.90 111.90.01 111.91 111.91.01 111.91.02 111.91.03 111.91.04 111.91.05 111.91.06 111.91.07

Leia mais

4. Operações Interfinanceiras de Liquidez, Operações com Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos

4. Operações Interfinanceiras de Liquidez, Operações com Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos 1 4. Operações Interfinanceiras de Liquidez, Operações com Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos 1. Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias 1 - Os títulos e valores mobiliários

Leia mais

2. Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros

2. Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 35. Instrumentos Financeiros 1. Conceitos 1 - Para fins de registro contábil, considera-se: (Res 3534 art 2º) a) instrumento

Leia mais

CCS - Cadastro de Clientes do SFN Orientação sobre Produtos - Fase I. Versão 1.0.3

CCS - Cadastro de Clientes do SFN Orientação sobre Produtos - Fase I. Versão 1.0.3 CCS - Cadastro de Clientes do SFN Orientação sobre Produtos - Fase I Versão 1.0.3 Banco Central do Brasil, junho de 2007 1. OBJETIVO Este documento visa orientar as IF envolvidas na Fase I do Cadastro

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

Dispõe sobre o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF).

Dispõe sobre o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF). Instrução Normativa RFB nº 907, de 9 de janeiro de 2009 DOU de 13.1.2009 Dispõe sobre o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF). A SECRETÁRIA

Leia mais

I - com atributos UBDKIFJACTSWEROLMNHZ e códigos ESTBAN e de publicação 130 e 140, respectivamente:

I - com atributos UBDKIFJACTSWEROLMNHZ e códigos ESTBAN e de publicação 130 e 140, respectivamente: CARTA-CIRCULAR 3.026 -------------------- Cria e mantém títulos e subtítulos no Cosif, esclarece acerca dos critérios a serem observados para o ajuste decorrente da aplicação do disposto nas Circulares

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DE IF S DATA: 25/03/2010 O CAPITAL É CONSTITUÍDO EM MOEDA CORRENTE OU TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS SUBSCRIÇÃO MÍNIMA - 50%

CONSTITUIÇÃO DE IF S DATA: 25/03/2010 O CAPITAL É CONSTITUÍDO EM MOEDA CORRENTE OU TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS SUBSCRIÇÃO MÍNIMA - 50% DATA: 25/03/2010 PROFs. SÔNIA LIMA VALTUIR CONSTITUIÇÃO DE IF S DE ACORDO LEI 4.595/64 O CAPITAL É CONSTITUÍDO EM MOEDA CORRENTE OU TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS SUBSCRIÇÃO MÍNIMA - 50% 1 A INTEGRALIZAÇÃO

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. Bancos Comerciais. Bancos Comerciais. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. Bancos Comerciais. Bancos Comerciais. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Mercado Financeiro Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 5ª aula Início da aula Instituições Operadoras Livro Como esticar seu dinheiro Ricardo

Leia mais

DIRETORIA COLEGIADA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA FINANCEIRO E DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO

DIRETORIA COLEGIADA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA FINANCEIRO E DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIRETORIA COLEGIADA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA FINANCEIRO E DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO CARTA-CIRCULAR Nº 3.389, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Altera e consolida os procedimentos

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

RESOLUÇÃO N 2519. Art. 1º Alterar o art. 11 do Regulamento anexo à Resolução nº 1.980, de 30.04.93, que passa a vigorar com a seguinte redação:

RESOLUÇÃO N 2519. Art. 1º Alterar o art. 11 do Regulamento anexo à Resolução nº 1.980, de 30.04.93, que passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUÇÃO N 2519 Documento normativo revogado pela Resolução 3.005, de 30/07/2002. Dispõe sobre o direcionamento dos recursos captados em depósitos de poupança pelas entidades integrantes do Sistema Brasileiro

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1748. Documento normativo revogado pela Resolução 2682, de 21/12/1999, a partir de 01/03/2000.

RESOLUÇÃO Nº 1748. Documento normativo revogado pela Resolução 2682, de 21/12/1999, a partir de 01/03/2000. RESOLUÇÃO Nº 1748 01/03/2000. Documento normativo revogado pela Resolução 2682, de 21/12/1999, a partir de Altera e consolida critérios para inscrição de valores nas contas de créditos em liquidação e

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1 Sandra Figueiredo 1. Aspectos econômicos e jurídicos das instituições financeiras O Aparecimento das instituições financeiras foi motivado pelas relações

Leia mais

AULA 03. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo II

AULA 03. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo II AULA 03 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo II BNDES No subsistema operativo, existem instituições que não captam depósitos à vista, como o BNDES. O Banco Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.005 de 30 de julho de 2002.

RESOLUÇÃO Nº 3.005 de 30 de julho de 2002. RESOLUÇÃO Nº 3.005 de 30 de julho de 2002. Dispõe sobre o direcionamento dos recursos captados em depósitos de poupança pelas entidades integrantes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

Leia mais

ABCD. Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil

ABCD. Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil ABCD Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil ABCD KPMG Auditores Independentes R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 BALANCETE PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (valores expressos em milhares

Leia mais

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN)

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) 1. As normas e os procedimentos, bem como as Demonstrações Contábeis padronizadas

Leia mais

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS [Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Qname siconfi-dca-anexo1abhi : BalancoPatrimonialAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoLineItems siconfi-cor :

Leia mais

AVISO N.º 03/2012 de 28 de Março

AVISO N.º 03/2012 de 28 de Março Publicado no Diário da República, I.ª Série, n.º 60, de 28 de Março AVISO N.º 03/2012 de 28 de Março Havendo necessidade de regulamentar a concessão e a classificação das operações de créditos pelas instituições

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

Resolução nº 3.305/2005 2/8/2005 RESOLUÇÃO BACEN Nº 3.305, DE 29 DE JULHO DE 2005 DOU 02.08.2005

Resolução nº 3.305/2005 2/8/2005 RESOLUÇÃO BACEN Nº 3.305, DE 29 DE JULHO DE 2005 DOU 02.08.2005 Resolução nº 3.305/2005 2/8/2005 RESOLUÇÃO BACEN Nº 3.305, DE 29 DE JULHO DE 2005 DOU 02.08.2005 Altera a Resolução 3.121, de 2003, que estabelece as diretrizes pertinentes à aplicação dos recursos dos

Leia mais

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas.

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. Definição: Mercado de Câmbio Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. O mercado de Câmbio de TAXAS LIVRES opera com o dólar comercial. TAXAS FLUENTES opera com o dólar flutuante

Leia mais

STJ00085281 NOTA À 9." EDIÇÃO... OBRAS DO AUTOR... 1.2 Operações bancárias... 18. 1.4 Natureza dos contratos de crédito bancário...

STJ00085281 NOTA À 9. EDIÇÃO... OBRAS DO AUTOR... 1.2 Operações bancárias... 18. 1.4 Natureza dos contratos de crédito bancário... STJ00085281 SUMÁRIO NOTA À 9." EDIÇÃO.................. OBRAS DO AUTOR................... 5 7 1. CRÉDITO BANCÁRIO........ 17 1.1 Atividade creditícia dos bancos.............. 17 1.2 Operações bancárias..........................

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 Obs.: Para aprofundar os conhecimentos no Sistema Financeiro Nacional, consultar o livro: ASSAF NETO, Alexandre.

Leia mais

CIRCULAR Nº 1.278 Às Caixas Econômicas, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações de Poupança e Empréstimo

CIRCULAR Nº 1.278 Às Caixas Econômicas, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações de Poupança e Empréstimo 1 CIRCULAR Nº 1.278 Às Caixas Econômicas, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações de Poupança e Empréstimo Comunicamos que a Diretoria do Banco Central, tendo em vista o disposto no i- tem XXIII

Leia mais

Nova Sistemática de Tributação no Mercado Financeiro para 2005

Nova Sistemática de Tributação no Mercado Financeiro para 2005 Nova Sistemática de Tributação no Mercado Financeiro para 2005 Ana Carolina Pereira Monguilod e Mário Shingaki Consultores tributários da Levy & Salomão Advogados No final do ano de 2004, o Governo Federal

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.667, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013

CIRCULAR Nº 3.667, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013 CIRCULAR Nº 3.667, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013 Documento normativo revogado, a partir de 3/2/2014, pela Circular nº 3.691, de 16/12/2013. Altera a Circular nº 3.626, de 19 de fevereiro de 2013, que altera

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

ANEXO A. Informe Mensal

ANEXO A. Informe Mensal ANEXO A Informe Mensal Competência: MM/AAAA Administrador: Tipo de Condomínio: Fundo Exclusivo: Todos os Cotistas Vinculados por Interesse Único e Indissociável? Aberto/Fechado Sim/Não Sim/Não ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 58.764.189,56 169.901.510,67 169.746.419,72 58.919.280,51 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 469.845,67 62.841.447,38 62.796.662,79 514.630,26 1.1.1.00.00-9

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. PIS E COFINS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. Sumário: 1 ENTIDADES FINANCEIRAS 2 - DA ALÍQUOTA 3 - DA BASE DE CÁLCULO 3.1 Receitas Incorridas

Leia mais

UNIDADE VI Tributação sobre a transmissão de bens e direitos e operações financeiras. 1.1.1. Constituição (art. 156, inciso II e parágrafo segundo)

UNIDADE VI Tributação sobre a transmissão de bens e direitos e operações financeiras. 1.1.1. Constituição (art. 156, inciso II e parágrafo segundo) UNIDADE VI Tributação sobre a transmissão de bens e direitos e operações financeiras 1. Imposto sobre a transmissão de bens imóveis 1.1. Legislação 1.1.1. Constituição (art. 156, inciso II e parágrafo

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 937. Documento normativo revogado pela Circular 906, de 21/12/1984.

CARTA-CIRCULAR Nº 937. Documento normativo revogado pela Circular 906, de 21/12/1984. CARTA-CIRCULAR Nº 937 Documento normativo revogado pela Circular 906, de 21/12/1984. Aos Estabelecimentos Bancários Comunicamos que, tendo em vista as disposições da Circular nº 816, desta data, fica criado

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL 31 de dezembro de 2014 Sumário BALANÇO PATRIMONIAL... 4 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO... 8 FLUXO DE CAIXA... 9 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO...

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 2934

CARTA-CIRCULAR Nº 2934 CARTA-CIRCULAR Nº 2934 Documento normativo revogado pela Circular 3.280, de 09/03/2005. Altera o Regulamento sobre Contrato de Cambio e Classificação de Operações do Mercado de Cambio de Taxas Livres.

Leia mais

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior Página 1 de 5 CIRCULANTE 3.458.065,56 1.875.217,00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

ING. Demonstrações Financeiras

ING. Demonstrações Financeiras ING Demonstrações Financeiras 30/junho/2002 ÍNDICE ING BANK N.V. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE 2002 E 2001... 3 ING CORRETORA DE CÂMBIO E TÍTULOS S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

Relatório sobre a Revisão Especial das Informações Financeiras Trimestrais- IFT 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre a Revisão Especial das Informações Financeiras Trimestrais- IFT 31 de dezembro de 2012 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Relatório sobre a Revisão Especial das Informações Financeiras Trimestrais IFT 31 de dezembro de 2012 KPMG Auditores Independentes Fevereiro de

Leia mais

O que é desconto? O que é factoring? Cessão de crédito Quando um banco precisa transferir créditos e débitos? Quando um banco cede créditos? Empréstimos sindicalizados Securitizações Quando clientes cedem

Leia mais

I. OBJETIVO II. ORIENTAÇÕES GERAIS

I. OBJETIVO II. ORIENTAÇÕES GERAIS Instruções de Preenchimento das Informações do Demonstrativo de Limites Operacionais (DLO) para Cooperativas de Crédito Optantes pelo Regime Prudencial Simplificado Carta-Circular 3.471/2010 I. OBJETIVO

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

Rotina de Contabilização

Rotina de Contabilização Trata a presente rotina dos procedimentos quanto ao registro de Financiamento Concedido a Mutuários do Sistema Financeiro de Habitação SFH, em substituição a Rotina CNRC/SUNOT/CGE nº 009/2009. Considerando,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 2.471. Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.589, de 28/1/1999.

RESOLUÇÃO N 2.471. Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.589, de 28/1/1999. RESOLUÇÃO N 2.471 Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.568, de 6/11/1998. Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.589, de 28/1/1999. Prazo de renegociação prorrogado. Vide

Leia mais

PARTE. 1. AC- 1 Prof. Odair Ferreira AC- 2. Prof. Odair Ferreira AC- 4. AC- 3 Prof. Odair Ferreira. Prof. Odair Ferreira

PARTE. 1. AC- 1 Prof. Odair Ferreira AC- 2. Prof. Odair Ferreira AC- 4. AC- 3 Prof. Odair Ferreira. Prof. Odair Ferreira Risco e Mercado de Capitais Risco E Mercado De Capitais PARTE 1 AC- 1 AC- 2 l EMENTA: Estudar a gestão de risco no mercado de capitais, financeiro e de derivativos, por meio dos principais ativos negociados,

Leia mais

CIRCULAR N 2666 DECIDIU:

CIRCULAR N 2666 DECIDIU: CIRCULAR N 2666 Regulamenta as disposições da Resolução nº 2.237, de 31.01.96, que limita as operações de crédito por Antecipação de Receita Orçamentária - ARO. A Diretoria do BANCO CENTRAL DO BRASIL,

Leia mais

O Sistema Financeiro Nacional

O Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional 1 O Sistema Financeiro Nacional Foi constituído com base nas leis: 4595 de 31-12-64 Estrutura o Sistema Financeiro Nacional 4728 de 14-7- 65 Lei do Mercado de Capitais O Sistema

Leia mais

Código 1.1.1.1.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores das disponibilidades do RPPS em moeda nacional.

Código 1.1.1.1.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores das disponibilidades do RPPS em moeda nacional. $1(;2,,6(*81'2$370361ž$78$/,=$'$3(/$637036H370361ž )81d 2()81&,21$0(172'$6&217$6 Código 1.0.0.0.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores dos bens e direitos do RPPS, subagrupados

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS CONCURSO PÚBLICO PARA O CARGO DE ANALISTA EDITAL DE RE-RATIFICAÇÃO

BANCO CENTRAL DO BRASIL DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS CONCURSO PÚBLICO PARA O CARGO DE ANALISTA EDITAL DE RE-RATIFICAÇÃO BANCO CENTRAL DO BRASIL DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS CONCURSO PÚBLICO PARA O CARGO DE ANALISTA EDITAL DE RE-RATIFICAÇÃO O CHEFE DO DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DO BANCO CENTRAL DO BRASIL, tendo

Leia mais

5 de fevereiro de 2002

5 de fevereiro de 2002 5 de fevereiro de 2002 O Banco do Estado do Amazonas Bea foi privatizado em 24 de Janeiro de 2002 por R$ 182,9 milhões, equivalentes ao preço mínimo. O adquirente foi o Bradesco, um conglomerado financeiro

Leia mais

Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores

Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1980 R E S O L V E U:

RESOLUÇÃO Nº 1980 R E S O L V E U: RESOLUÇÃO Nº 1980 Aprova regulamento que disciplina direcionamento dos recursos captados pelas entidades integrantes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstismo (SBPE) e as operações de financiamento

Leia mais

Notas explicativas às Informações Financeiras Trimestrais em 30 de setembro de 2002 Em milhares de reais

Notas explicativas às Informações Financeiras Trimestrais em 30 de setembro de 2002 Em milhares de reais 1 Apresentação das Informações Trimestrais - IFT Apresentadas conforme norma do Banco Central do Brasil BACEN. 2 Práticas contábeis As Informações Financeiras Trimestrais - IFT s são de responsabilidade

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

RESOLUÇÃO N 1861. Parágrafo 2º. A garantia de que trata este artigo não é extensiva à caderneta de poupança rural.

RESOLUÇÃO N 1861. Parágrafo 2º. A garantia de que trata este artigo não é extensiva à caderneta de poupança rural. RESOLUÇÃO N 1861 Institui o regulamento do Fundo de Garantia dos Depósitos e Letras Imobiliárias (FGDLI), fixa o limite de garantia, o percentual de contribuição, a atualização da garantia e a multa por

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 ÍNDICE GERAL Página Demonstrativos Contábeis 02 Notas Explicativas da Administração 09 Resumo do Relatório do Comitê de Auditoria 112 Relatório dos Auditores

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002

Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002 kpmg Caixa Econômica Federal Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002 KPMG Auditores Independentes

Leia mais

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício.

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício. Anexo à Instrução nº 4/96 IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício. 80 - JUROS E PROVEITOS EQUIPARADOS Proveitos

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

3.1 - Estrutura do SFN

3.1 - Estrutura do SFN 1 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Estrutura do SFN 3.2 Subsistema normativo 3.3 Subsistema de intermediação 3.4 Títulos públicos negociados no MF 3.5 Principais papéis privados negociados no MF 3/4/2012

Leia mais

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade II Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Definição do mercado financeiro Representa o Sistema Financeiro Nacional Promove o fluxo de recursos através

Leia mais

CIRCULAR Nº 523. Documento normativo revogado pela Resolução 619, de 29/05/1980, a partir de 16/06/1980.

CIRCULAR Nº 523. Documento normativo revogado pela Resolução 619, de 29/05/1980, a partir de 16/06/1980. 1 CIRCULAR Nº 523 16/06/1980. Documento normativo revogado pela Resolução 619, de 29/05/1980, a partir de Comunicamos que a Diretoria do Banco Central do Brasil, tendo em vista as disposições da Resolução

Leia mais

CARTA-CIRCULAR 3.492 --------------------

CARTA-CIRCULAR 3.492 -------------------- CARTA-CIRCULAR 3.492 -------------------- Esclarece sobre procedimentos para a prestação de informações relativas ao direcionamento dos recursos captados em depósitos de poupança, de que trata a Resolução

Leia mais

até 31.08.87 100% até 30.09.87 95% até 30.10.87 90% até 30.11.87 85% até 31.12.87 80% Circular n 1214, de 4 de agosto de 1987

até 31.08.87 100% até 30.09.87 95% até 30.10.87 90% até 30.11.87 85% até 31.12.87 80% Circular n 1214, de 4 de agosto de 1987 1 06/01/1988. CIRCULAR Nº 1.214 Documento normativo revogado pela Circular 1278, de 05/01/1988, a partir de Às Sociedades de Crédito Imobiliário, Associações de Poupança e Empréstimo e Caixas Econômicas

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários Mercado Financeiro Órgãos normativo/fiscalizador Conselho Monetário Nacional Banco Central do Brasil Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional Conhecimentos Bancários

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008)

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) As Demonstrações Financeiras de 2007 do Berj foram publicadas no dia 22 de agosto de 2008, após serem auditadas PricewatershouseCoopers Auditores Independentes.

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

CARTA CIRCULAR Nº 3.687, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2014.

CARTA CIRCULAR Nº 3.687, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2014. CARTA CIRCULAR Nº 3.687, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe sobre os procedimentos para a remessa das informações relativas às exposições ao risco de mercado e à apuração das respectivas parcelas no cálculo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 351. Paulo H. Pereira Lira Presidente. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

RESOLUÇÃO Nº 351. Paulo H. Pereira Lira Presidente. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. RESOLUÇÃO Nº 351 O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL, em sessão realizada em 12 de novembro de 1975,

Leia mais

CIRCULAR Nº 2824. Documento normativo revogado pela Circular 3386, de 16/11/2008.

CIRCULAR Nº 2824. Documento normativo revogado pela Circular 3386, de 16/11/2008. CIRCULAR Nº 2824 Documento normativo revogado pela Circular 3386, de 16/11/2008. Altera procedimentos para reavaliação de imóveis de uso próprio por parte de instituições financeiras, demais instituições

Leia mais