A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar. Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar. Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes"

Transcrição

1 A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes

2 PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPLEMENTAR Evitamos conversar sobre morte e dinheiro. A previdência cuida de ambos. Ivan Ernandes O instrumento de fomento da economia e criação de riqueza O mantenedor de rendimentos dos individuais A influência na Despesa Pública A visão social

3 Marco Regulatório no Brasil Em 15 de julho de 1977 foi publicada a Lei nº 6.435*. Formaliza-se a previdência complementar no país Inicia-se o processo de crescimento do sistema. O sistema forma as reservas garantidoras dos benefícios, baseado no regime de capitalização * Revogada pela Lei Complementar nº 109/2001, de 29 de maio

4 Principais objetivos Desenvolver o mercado de capitais no país e Estimular o crescimento econômico

5 A longevidade Quero envelhecer. Especialmente quando considero a alternativa. Millôr Fernandes. Perfil demográfico da América Latina Em 2010 a proporção era de 36 idosos (60 anos e mais de idade) para cada 100 jovens (idades até 15 anos). Em 2050 deverá ser de 150 idosos para cada 100 jovens. No Brasil: Projeções para 2050 indicam que idosos serão 28,7% da população. Fonte: Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal)

6 O Brasil está constituído como uma república federativa. Possui vinte e seis estados e o Distrito Federal. Cada estado congrega vários municípios, no total de

7 Pirâmide Populacional Brasileira 1980 Homens Mulheres Milhares > Pirâmide Populacional Brasileira 2011 Homens Mulheres Milhares >

8 Pirâmide Populacional Brasileira 2031 Homens Mulheres > Milhares

9 Regime Geral Obrigatório (inclui regime próprio nacional) 31,2 milhões de participantes Regime de Caixa R$365 bilhões em pagamentos R$313,7 bilhões de arrecadação Déficit em 2013 R$ 51,3 bilhões Fonte: Previdência Social

10 Benefícios Pagos Pelo Regime Geral (em milhões) 30,00 28,00 26,00 24,00 22,00 20,00 18,00 16,00 19,5 6,8 20,5 6,9 21,2 7,1 21,6 7,3 22,1 7,5 22,8 7,7 23,5 8,0 24,4 8,2 25,2 8,5 26,0 8,7 27,0 9,0 14,00 12,00 10,00 8,00 6,00 12,8 13,6 14,0 14,3 14,6 15,0 15,5 16,2 16,7 17,3 18,1 4,00 2,00,00 2,3 2,6 2,8 2,9 3,1 3,3 3,5 3,7 3,9 4,0 4, Urbano Rural Assistencial Fonte: Previdência Social

11 Número de Benefícios Pagos Pelo Regime Geral Fonte: Previdência Social

12 Benefícios do Regime Geral em 2013 Esteja certo de que duas coisas que vão te encontrar: a morte e os impostos. Benjamim Franklin A Previdência Social pagou R$365 bilhões a 31,2 milhões de benefícios (previdenciários, acidentários e assistenciais) O valor médio foi de R$1 mil (supera 400 USD). A maior parte (69,3%) com valor de até um salário mínimo

13 BENEFÍCIO MÁXIMO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL 100% 90% 80% 70% 60% Salário mínimo: R$ 722 Teto do benefício INSS: R$ (5,8 salários mínimos) 50% 40% 30% % % 0%

14 A Previdência Básica Capitalizada no Brasil Regimes Próprios Sub Nacionais 5 milhões de participantes 2,5 milhões de assistidos R$ 174,5 bilhões em patrimônio Fonte: Previdência Social

15 Entidades Abertas Acessível a qualquer cidadão Tem fins lucrativos 75 entidades 13,5 milhões de participantes ativos 94,7 mil assistidos R$ 374,2 bilhões em patrimônio Fonte: FENAPREVI

16 Entidades fechadas Destinadas a grupos fechados Sem fins lucrativos 330 fundos de pensão planos de benefícios 2,4 milhões de participantes 3,8 milhões de dependentes 704 mil assistidos R$ 638,5 bilhões em patrimônio Fonte: ABRAPP

17 Sistema Patrimônio (em R$ bilhões) (em % do PIB) Patrimônio dos sistemas próprios R$ 174,5 3,6 Patrimônio do sistema fechado R$ 638,5 13,3 Patrimônio do sistema aberto R$ 374,2 7,8 Total: R$ 1.187,2 24,7 Seguros R$ 97,8 2,0 Total: R$ 1.285,0 26,8 PIB Brasil 2013: R$ 4.800,0 Fonte: Previdência Social, ABRAPP, PREVIC e SUSEP

18 Esse patrimônio é investido no país Financia o governo Cria riquezas Cria empregos Permite alongamento da dívida pública Financia infraestrutura. Inicia processo de internacionalização

19 População total no Brasil: 202 milhões População Economicamente Ativa (PEA): 87,2 milhões Mais de 7 % tem salários acima do teto empresas com faturamento anual entre R$ 100 milhões e R$ 500 milhões sindicatos e outras entidades representativas em geral

20 Implantada a previdência complementar dos servidores nacionais São Paulo saiu na frente e também implantou a sua Outros estados já aprovaram a lei de criação. Outros ainda estão a estudar a implantação.

21 Estado de São Paulo Cidade de São Paulo Estado do Rio de Janeiro PIB R$1,25 tri R$443 bi R$407 bi Habitantes 41 mi 10 mi 16 mi Servidores Ativos 538 mil 132 mil 285 mil Fonte: IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, dados de recenseamento e Coordenação de Contas Nacionais, Contas Regionais do Brasil, dados de Produto Interno Bruto e Anuário Estatístico da Previdência Social, para servidores ativos, todos de 2010.

22 Especialistas estimam que o sistema de previdência complementar dobre de tamanho em 10 anos. Nada mal atingir 50% do PIB. Ainda que se considere a distância dos Estados Unidos, que hoje detém perto de 80%. E da Holanda, que supera 100%.

23 Rua dos Guajajaras, nº 581, 14º andar Belo Horizonte (MG) Brasil

SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira

SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira Carlos Alberto Caser Vice-Presidente da ABRAPP Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar Diretor-Presidente da FUNCEF

Leia mais

PANORAMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL

PANORAMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social PANORAMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL Seminário Técnico - CPLP Timor Leste, 06 e 07 de fevereiro de 2008 ASPECTOS CONCEITUAIS

Leia mais

FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES

FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES AS MUDANÇAS DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES www.pepevargas.com.br dep.pepevargas@camara.gov.br AS MUDANÇAS DO REGIME GERAL DE

Leia mais

Alternativas para a aposentadoria no Brasil. Sérgio Rosa Diretor Presidente Brasilprev sergio.rosa@brasilprev.com.br

Alternativas para a aposentadoria no Brasil. Sérgio Rosa Diretor Presidente Brasilprev sergio.rosa@brasilprev.com.br Alternativas para a aposentadoria no Brasil Sérgio Rosa Diretor Presidente Brasilprev sergio.rosa@brasilprev.com.br A Brasilprev é... Nossos números:... Líder de mercado em captação líquida... a 3ª maior

Leia mais

DADOS DEMOGRÁFICOS 1

DADOS DEMOGRÁFICOS 1 DADOS DEMOGRÁFICOS 1 1 DIMINUIÇÃO DA TAXA DE FECUNDIDADE 2 AUMENTO DA EXPECTATIVA DE VIDA 3 ENVELHECIMENTO POPULACIONAL 2 2050 81,3 anos, sendo 78,2 anos para homens e 84,5 anos para mulheres. Revisão

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA Visão geral de previdência Agenda 4Conceitos assistência, previdência, seguro 4Regimes e grandes números 4Sustentabilidade 4Previdência privada 4Saúde-Previdência 2 CONCEITOS

Leia mais

Macro, Micro Economia e Previdência Previdência: o desafio da longevidade. Marco Antônio Barros

Macro, Micro Economia e Previdência Previdência: o desafio da longevidade. Marco Antônio Barros Macro, Micro Economia e Previdência Previdência: o desafio da longevidade Marco Antônio Barros Previdência Social - histórico Fim do imposto inflacionário Envelhecimento da população: aumento da longevidade

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social As Entidades Fechadas de participantes desta pesquisa, conhecidas como Fundos de Pensão, fazem parte do Sistema de. Os Fundos de Pensão desenvolveram-se e modernizaram-se ao longo dos últimos anos graças

Leia mais

Marco Antonio Rossi. A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios

Marco Antonio Rossi. A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios Marco Antonio Rossi A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Cenários Indicadores de Desenvolvimento 4. Desafios e Oportunidades 5.

Leia mais

Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde Universais

Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde Universais Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde Universais Sistemas de Saúde Comparados Conformação dos sistemas de saúde é determinada por complexa interação entre elementos históricos, econômicos, políticos e

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

Uma Breve análise da FUNPRESP e a PL 1992/2007: mais uma vitória do capital financeiro

Uma Breve análise da FUNPRESP e a PL 1992/2007: mais uma vitória do capital financeiro Uma Breve análise da FUNPRESP e a PL 1992/2007: mais uma vitória do capital financeiro * Fernando Marcelino A mundialização financeira, desde meados da década de 1960, em conjunto com uma série de medidas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA PROTECÇÃO SOCIAL COMPLEMENTAR. Palestrante: Manuel Moreira

A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA PROTECÇÃO SOCIAL COMPLEMENTAR. Palestrante: Manuel Moreira A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA PROTECÇÃO SOCIAL COMPLEMENTAR Palestrante: Manuel Moreira OBJECTIVOS DA SEGURANÇA SOCIAL A segurança social tem o fim primordial de libertar os membros da sociedade das preocupações

Leia mais

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010 DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE Porto Alegre, novembro de 2010 REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Os servidores públicos ocupantes de cargo

Leia mais

ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO VERA MARTINS DA SILVA

ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO VERA MARTINS DA SILVA ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO VERA MARTINS DA SILVA CEPAM MAIO 2015 Saúde (ações preventivas X curativas) Previdenciária (aumento do custo do sistema) Produtivo (tendência à redução da capacidade produtiva

Leia mais

Seminário Mercer Resultados da Pesquisa junto aos Aposentados da Previdência Complementar (1.551 respondentes)

Seminário Mercer Resultados da Pesquisa junto aos Aposentados da Previdência Complementar (1.551 respondentes) Seminário Mercer Resultados da Pesquisa junto aos Aposentados da Previdência Complementar (1.551 respondentes) 22 DE MAIO DE 2014 Mercer São Paulo Renda familiar Idade Até R$ 4.160,00 Idade Entre R$ 4.160,00

Leia mais

Cenário Econômico e Produtividade

Cenário Econômico e Produtividade Cenário Econômico e Produtividade junho/2015 Prof. José Pio Martins Economista Reitor da Universidade Positivo Introdução Missões do gestor Gerenciar o dia a dia Preparar a organização para o futuro Dar

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

Nome: n o : Geografia. Exercícios de recuperação

Nome: n o : Geografia. Exercícios de recuperação Nome: n o : Ensino: Fundamental Ano: 7 o Turma: Data: Professor(a): Maria Silvia Geografia Exercícios de recuperação 1) Para a geografia, qual é o conceito de região? 2) Entre os aspectos utilizados para

Leia mais

DESAFIOS e RUMOS. da Saúde Suplementar

DESAFIOS e RUMOS. da Saúde Suplementar e RUMOS da Saúde Suplementar Perspectivas de Saúde Suplementar Na visão de uma Seguradora Especializada Operadoras O Mercado de Saúde Suplementar Modalidade Qtde. Beneficiários (%) Receita (%) Despesa

Leia mais

SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL

SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL Subseção DIEESE/CUT-Nacional São Paulo, 02 de agosto de 2014 Sindicato dos Trabalhadores(as) na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo - SINDSEP

Leia mais

Pela revogação das Medidas Provisórias 664 e 665

Pela revogação das Medidas Provisórias 664 e 665 Boletim Econômico Edição nº 56 fevereiro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Pela revogação das Medidas Provisórias 664 e 665 As duas medidas visam economizar R$ 18 bilhões

Leia mais

Potencial Econômico dos Clientes dos Corretores de Seguros Independentes do Estado de São Paulo Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.

Potencial Econômico dos Clientes dos Corretores de Seguros Independentes do Estado de São Paulo Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com. Potencial Econômico dos Clientes dos Corretores de Seguros Independentes do Estado de São Paulo Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Julho/2005 1) Introdução O objetivo deste estudo foi avaliar

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PARA SERVIDORES PÚBLICOS CARLOS HENRIQUE FLORY

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PARA SERVIDORES PÚBLICOS CARLOS HENRIQUE FLORY PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PARA SERVIDORES PÚBLICOS CARLOS HENRIQUE FLORY Abril de 2012 CONCEITO DE PREVIDÊNCIA Constituição Federal Art. 12 = SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA ASSISTÊNCIA SAÚDE Previdência

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Universidade Federal de Mato Grosso Pró-Reitoria Administrativa Secretaria de Gestão de Pessoas PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Cuiabá-MT Abril/2014 O QUE

Leia mais

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Elaboração: Maurício Tadeu Barros Morais Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Agenda 1. Mercado Brasileiro principais

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

A IMPORTÂNCIA DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR O REGIME DE PREVIDENCIA O Regime de Previdência Complementar - RPC, integrante do Sistema de Previdência Social, apresenta-se como uma das formas de proteção ao trabalhador brasileiro. É desvinculado do

Leia mais

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Indicadores de Desenvolvimento 4. Cenários 5. O Agregado de Oportunidades 6. Seguros

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos)

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) O que muda Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) 1. Por que é necessário criar a Fundação de Previdência Complementar do Servidor

Leia mais

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

Cenário econômico-político do Brasil: momento atual e perspectivas

Cenário econômico-político do Brasil: momento atual e perspectivas Simpósio UNIMED 2015 Cenário econômico-político do Brasil: momento atual e perspectivas Mansueto Almeida 28 de agosto de 2015 Indústria: o que aconteceu? Produção Física da Indústria de Transformação 2002-

Leia mais

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011.

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. Brasil esteve entre os países que mais avançaram na crise Variação do PIB, em % média

Leia mais

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década 1 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO PROFESSOR BAHIA TEXTO DE CULTURA GERAL FONTE: UOL COTIDIANO 24/09/2008 Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década Fabiana Uchinaka Do UOL Notícias

Leia mais

FUNPRESP? O que é a. Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007.

FUNPRESP? O que é a. Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007. O que é a FUNPRESP? Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007. Esse projeto prevê a limitação das aposentadorias dos servidores

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Aliança / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Aliança / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Aliança / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 0,06% ao ano, passando de 37.188 para 37.415 habitantes.

Leia mais

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro A CONTRIBUIÇÃO DO CDES PARA O DEBATE DA CONSOLIDAÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

Leia mais

O MERCADO DE SEGURO DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA PARA 2014 NA VISÃO DA FENAPREVI. Osvaldo do Nascimento Presidente da FenaPrevi

O MERCADO DE SEGURO DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA PARA 2014 NA VISÃO DA FENAPREVI. Osvaldo do Nascimento Presidente da FenaPrevi O MERCADO DE SEGURO DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA PARA 2014 NA VISÃO DA FENAPREVI Osvaldo do Nascimento Presidente da FenaPrevi 1 CENÁRIO INTERNACIONAL 2 CENÁRIO INTERNACIONAL 3 CENÁRIO INTERNACIONAL 4 CENÁRIO

Leia mais

Pessoas que cuidam de pessoas

Pessoas que cuidam de pessoas Pessoas que cuidam de pessoas Agenda Cenário Econômico Mundial Ranking PIB 2012 15,68 8,22 5,96 3,40 2,60 2,44 2,39 2,02 2,01 1,82 Estados Unidos China Japão Alemanha França Reino Brasil Rússia Itália

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência 1 Brasil Entre as Maiores Economias do Mundo Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência O Mundo do Seguro e Previdência Desafios

Leia mais

DATUSPREV CHEGOU O MOMENTO DE APROVEITAR!

DATUSPREV CHEGOU O MOMENTO DE APROVEITAR! DATUSPREV INFORMATIVO CHEGOU O MOMENTO DE APROVEITAR! Quem já cumpriu 5 anos de contribuição pode solicitar o benefício de aposentadoria programada? Essas e mais informações pra você neste Informativo.

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE DA SEGURIDADE SOCIAL NO BRASIL TENDO EM CONTA OS MODELOS CONTRIBUTIVOS E NÃO CONTRIBUTIVOS

A SUSTENTABILIDADE DA SEGURIDADE SOCIAL NO BRASIL TENDO EM CONTA OS MODELOS CONTRIBUTIVOS E NÃO CONTRIBUTIVOS A SUSTENTABILIDADE DA SEGURIDADE SOCIAL NO BRASIL TENDO EM CONTA OS MODELOS CONTRIBUTIVOS E NÃO CONTRIBUTIVOS Semana Internacional de la Seguridad Social 2012 Promoviendo una Cultura de Prevención Quito,

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.5- Previdência Privada

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.5- Previdência Privada Conhecimentos Bancários Item 2.3.5- Previdência Privada Conhecimentos Bancários Item 2.3.5- Previdência Privada A previdência privada é uma aposentadoria que não está ligada ao sistema do Instituto Nacional

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Previdência Associativa

Previdência Associativa Previdência Associativa Previdência Associativa Fatores Críticos de Sucesso Denise Maidanchen Expectativas Governo: crescimento da Previdência Fechada Associações: fortalecimento do vínculo, crescimento

Leia mais

Proposta de ajustes nas despesas do FAT e da Previdência. 29 de Dezembro de 2014

Proposta de ajustes nas despesas do FAT e da Previdência. 29 de Dezembro de 2014 Proposta de ajustes nas despesas do FAT e da Previdência 29 de Dezembro de 2014 Políticas para o Mercado de Trabalho nos governos Lula e Dilma 2 Aumento do poder de negociação dos trabalhadores, com forte

Leia mais

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde:

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde: Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas Prof. Marcos Mendes 26 de novembro de 2015 A Regulação da Saúde no Brasil é Realizada pelo Ministério da Saúde: Diretamente sobre os sistemas públicos

Leia mais

NFSP (% PIB) ' 8. indexador: dezembro (%) 9. produto potencial (% a.a.) 15. idade (%) 24. anual (%) 24

NFSP (% PIB) ' 8. indexador: dezembro (%) 9. produto potencial (% a.a.) 15. idade (%) 24. anual (%) 24 Sumário de tabelas TABELA 1.1 Taxas de crescimento - médias por período (% a.a.) 5 TABELA 1.2 Indicadores sociais 6 TABELA 1.3 Brasil - Dívida externa - fim de período (US$ bilhões) 7 TABELA 1.4 Necessidades

Leia mais

ESTUDO SOBRE OS DIAS E ANOS TRABALHADOS PARA PAGAR TRIBUTOS DURANTE A VIDA DO BRASILEIRO

ESTUDO SOBRE OS DIAS E ANOS TRABALHADOS PARA PAGAR TRIBUTOS DURANTE A VIDA DO BRASILEIRO ESTUDO SOBRE OS DIAS E ANOS TRABALHADOS PARA PAGAR TRIBUTOS DURANTE A VIDA DO BRASILEIRO GILBERTO LUIZ DO AMARAL JOÃO ELOI OLENIKE LETÍCIA MARY FERNANDES DO AMARAL VIGGIANO EM 2008 BRASILEIRO NASCE CONDENADO

Leia mais

Envelhecimento da população residente em Portugal e na União Europeia

Envelhecimento da população residente em Portugal e na União Europeia Dia Mundial da População 11 julho de 15 1 de julho de 15 Envelhecimento da população residente em e na União Europeia Para assinalar o Dia Mundial da População (11 de julho), o Instituto Nacional de Estatística

Leia mais

Perspectivas do Mercado de Seguros de Pessoas. Lauro Vieira de Faria

Perspectivas do Mercado de Seguros de Pessoas. Lauro Vieira de Faria Perspectivas do Mercado de Seguros de Pessoas Lauro Vieira de Faria Estrutura da apresentação Seguros de pessoas: Brasil x Mundo Desenvolvimentos recentes Desafios a frente Oportunidades Brasil: 7ª economia

Leia mais

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal José Luís Albuquerque Subdirector-Geral do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social (MTSS) VIII

Leia mais

Assessoria e Consultoria Atuarial. Luiz Claudio Kogut Atuário Miba 1.308 (41)3322-2110 kogut@actuarial.com.br 28 de Março de 2015

Assessoria e Consultoria Atuarial. Luiz Claudio Kogut Atuário Miba 1.308 (41)3322-2110 kogut@actuarial.com.br 28 de Março de 2015 Assessoria e Consultoria Atuarial Luiz Claudio Kogut Atuário Miba 1.308 (41)3322-2110 kogut@actuarial.com.br 28 de Março de 2015 Apresentação Luiz Claudio Kogut Bacharel em Ciências Atuariais MIBA 1.308

Leia mais

Empreendendo em um Mercado de OPORTUNIDADES

Empreendendo em um Mercado de OPORTUNIDADES Empreendendo em um Mercado de OPORTUNIDADES Enrico Giovanni Oliveira Ventura Vitória, 23 de julho de 2015 EMPREENDENDO EM UM MERCADO DE OPORTUNIDADES 2 EMPREENDENDO EM UM MERCADO DE OPORTUNIDADES 3 O MERCADO

Leia mais

04/12/2013. Paulo Josef Gouvêa da Gama MIBA/MTE Nº 978. Consumo x Poupança

04/12/2013. Paulo Josef Gouvêa da Gama MIBA/MTE Nº 978. Consumo x Poupança Paulo Josef Gouvêa da Gama MIBA/MTE Nº 978 Consumo x Poupança 1 Garantia do futuro Desejos e necessidades presentes 2 Garantia do futuro Desejos e necessidades presentes Fecundidade Transição Demográfica

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

Desafios para Sustentabilidade do RPPS da União. Brasília, 15 de outubro de 2014 raul_velloso@uol.com.br

Desafios para Sustentabilidade do RPPS da União. Brasília, 15 de outubro de 2014 raul_velloso@uol.com.br Desafios para Sustentabilidade do RPPS da União Brasília, 15 de outubro de 2014 raul_velloso@uol.com.br jan/05 mai/05 set/05 jan/06 mai/06 set/06 jan/07 mai/07 set/07 jan/08 mai/08 set/08 jan/09 mai/09

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

Princípios de Previdência. Eduardo Luiz S. Silva Diretor do Instituto IDEAS Supervisor de Outsourcing da SFR-PREVITEC

Princípios de Previdência. Eduardo Luiz S. Silva Diretor do Instituto IDEAS Supervisor de Outsourcing da SFR-PREVITEC Princípios de Previdência Eduardo Luiz S. Silva Diretor do Instituto IDEAS Supervisor de Outsourcing da SFR-PREVITEC Por que pensar em Previdência Complementar? Rejuvenescimento do quadro de pessoal; Reter

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 A potencialidade de consumo dos brasileiros deve chegar a R$ 3,730 trilhões neste ano, ao mesmo tempo em que revela significativo aumento dos

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

INTEGRAÇÃO DO SISTEMA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR COM OUTROS PRODUTOS. THIAGO FELIPE GONÇALVES Membro da CTNA

INTEGRAÇÃO DO SISTEMA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR COM OUTROS PRODUTOS. THIAGO FELIPE GONÇALVES Membro da CTNA INTEGRAÇÃO DO SISTEMA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR COM OUTROS PRODUTOS THIAGO FELIPE GONÇALVES Membro da CTNA Palestrante do Congresso: Sensações O conselho do Papa... Perfil da Família Brasileira até a

Leia mais

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014 Debates GVsaúde Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões Denise Eloi Maio/2014 Sistema de Saúde Suplementar 1.274 operadoras de planos de saúde com beneficiários Mais

Leia mais

Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz. Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento

Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz. Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento Cenário A Seguradora Aegon realizou, no período entre janeiro e fevereiro de 2015, uma pesquisa entre quinze

Leia mais

Reforma Previdenciária e Sustentabilidade Fiscal

Reforma Previdenciária e Sustentabilidade Fiscal MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria do Tesouro Nacional Reforma Previdenciária e Sustentabilidade Fiscal Joaquim Vieira Ferreira Levy Secretário do Tesouro Nacional Brasil: Pilares do Crescimento Responsabilidade

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro

A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro Resultado do ajuste fiscal: Dados acumulados de janeiro a agosto/2015 revelam deterioração

Leia mais

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS ESTUDOS & pesquisas INFORMAÇÃO DEMOGRÁFICA E SOCIoeconômica 5 SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2000 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Fernando Henrique Cardoso

Leia mais

Mais cinemas para mais brasileiros.

Mais cinemas para mais brasileiros. Mais cinemas para mais brasileiros. ...NUM CINEMA PERTO DE VOCÊ! O Brasil já teve uma grande e descentralizada rede de salas de cinema. Em 1975, eram quase 3.300 salas, uma para cada 30 mil habitantes,

Leia mais

Diagnóstico Qualitativo e Propostas para o Regime Previdenciário dos Servidores Públicos por Gilberto Guerzoni Filho

Diagnóstico Qualitativo e Propostas para o Regime Previdenciário dos Servidores Públicos por Gilberto Guerzoni Filho Diagnóstico Qualitativo e Propostas para o Regime Previdenciário dos Servidores Públicos por Gilberto Guerzoni Filho 1. REGIME PREVIDENCIÁRIO OU ADMINISTRATIVO O principal problema do regime previdenciário

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Previdência 20 Maioria dos brasileiros apoia mudanças na previdência Sete em cada dez brasileiros reconhecem que o sistema previdenciário brasileiro apresenta

Leia mais

Programas Sociais. A recente experiência paulistana

Programas Sociais. A recente experiência paulistana Programas Sociais A recente experiência paulistana Mapa da fome no Brasil na década de 1950 Fonte: Banco Central do Brasil Fonte: CASTRO, Josué. Geografia da Fome. São Paulo: Brasiliense, 1957 10.000 9.000

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde

Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Francine Leite Apresentação Este trabalho introduz o tema Envelhecimento

Leia mais

PRINCÍPIOS e recomendações para um novo modelo previdenciário

PRINCÍPIOS e recomendações para um novo modelo previdenciário Confederação Confederação Confederação Confederação Confederação da Agricultura e Nacional do Nacional da Nacional das Nacional do Pecuária do Brasil Comércio Indústria Instituições Transporte Financeiras

Leia mais

Programas Sociais. A recente experiência paulistana

Programas Sociais. A recente experiência paulistana Programas Sociais A recente experiência paulistana DIAGNÓSTICO A cidade tem hoje mais de um milhão de desempregados e perdeu, entre 1991 e 2000, 570 mil postos de trabalho na indústria Na última década,

Leia mais

Medidas Provisórias 664 e 665 ( Pacote Levy ): mudanças no seguro-desemprego, abono salarial, auxílio-doença, pensão por morte OTAVIO PINTO E SILVA

Medidas Provisórias 664 e 665 ( Pacote Levy ): mudanças no seguro-desemprego, abono salarial, auxílio-doença, pensão por morte OTAVIO PINTO E SILVA Medidas Provisórias 664 e 665 ( Pacote Levy ): mudanças no seguro-desemprego, abono salarial, auxílio-doença, pensão por morte OTAVIO PINTO E SILVA Pacote Levy No dia 30 de dezembro de 2014, o Governo

Leia mais

O papel da CAIXA na viabilização dos Programas Habitacionais

O papel da CAIXA na viabilização dos Programas Habitacionais O papel da CAIXA na viabilização dos Programas Habitacionais AGENDA I NÚMEROS CAIXA III PROGRAMAS DE HABITAÇÃO SOCIAL III.I PMCMV, Operações Coletivas, Crédito Solidário, PAR Valores Contratados 2003 A

Leia mais

seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e das últimas décadas, uma significativa mudança na sua composição populacional. O povo brasileiro está

seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e das últimas décadas, uma significativa mudança na sua composição populacional. O povo brasileiro está O Sr. LUIZ BITTENCOURT (PMDB-GO) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, o Brasil vem apresentando, ao longo das últimas décadas, uma significativa mudança na sua

Leia mais

Anexo de Metas Fiscais Lei de Diretrizes Orçamentárias 2006 (Art. 4º, 2º, inciso IV, alínea a, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo de Metas Fiscais Lei de Diretrizes Orçamentárias 2006 (Art. 4º, 2º, inciso IV, alínea a, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo de Metas Fiscais Lei de Diretrizes Orçamentárias 2006 (Art. 4º, 2º, inciso IV, alínea a, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo IV.8 Projeção dos Benefícios Assistenciais da Lei

Leia mais

Resultado do Tesouro Nacional. Brasília 29 de Março, 2012

Resultado do Tesouro Nacional. Brasília 29 de Março, 2012 Resultado do Tesouro Nacional Fevereiro de 2012 Brasília 29 de Março, 2012 Resultado Fiscal do Governo Central Receitas, Despesas e Resultado do Governo Central Brasil 2011/2012 R$ Bilhões 86,8 59,6 65,9

Leia mais

A popularização e expansão do mercado de capitais. Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010

A popularização e expansão do mercado de capitais. Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010 A popularização e expansão do mercado de capitais Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010 POPULARIZAÇÃO Objetivos dos Programas de Popularização Divulgar os segmentos de atuação da

Leia mais

Programa CAIXA Melhor Crédito

Programa CAIXA Melhor Crédito Programa CAIXA Melhor Crédito Corte histórico de juros na CAIXA São Paulo, 09 de Abril de 2012 1 Pilares do Programa CAIXA Melhor Crédito 1. Redução acentuada das taxas de juros 2. Maior volume de recursos

Leia mais

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS Atualmente, no Brasil, aproximadamente 3000 municípios possuem Regimes Próprios de Previdência. Ao final do ano

Leia mais

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL Julho/2013 Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Os brasileiros efetivamente são apaixonados por futebol e quando foi divulgado que

Leia mais

PERGUNTAS & RESPOSTAS

PERGUNTAS & RESPOSTAS PL nº 1992, DE 2007 FUNPRESP PERGUNTAS & RESPOSTAS 1. ORÇAMENTO: PL sem dotação orçamentária? O governo enviou, no dia 06 de fevereiro, de 2012 um projeto de lei (PLN nº 1, de 2012; MSG nº 24/2012) que

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Saiba o que muda com as novas regras para seguro-desemprego, auxíliodoença e pensão por morte.

Saiba o que muda com as novas regras para seguro-desemprego, auxíliodoença e pensão por morte. Saiba o que muda com as novas regras para seguro-desemprego, auxíliodoença e pensão por morte. O governo federal publicou na noite da terça-feira, 30 de dezembro de 2014, em edição extraordinária do Diário

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL As conquistas mais definitivas da Previdência Social, como um sistema do trabalhador para o trabalhador, estão ligadas às lições aprendidas com os próprios segurados, no tempo e no espaço Extraído do Livro

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

Palestra: Atualizações trabalhista e previdenciária 2015

Palestra: Atualizações trabalhista e previdenciária 2015 Palestra: Atualizações trabalhista e previdenciária 2015 Professor: Johnatan Abreu março de 2015 INTRODUÇÃO Principais mudanças para 2015 1 MP 664 Alterações Previdenciária; 2 MP 665 Alterações Trabalhista;

Leia mais

Conceitos básicos de. Previdência Complementar

Conceitos básicos de. Previdência Complementar CALVO E FRAGOAS ADVOGADOS Conceitos básicos de Previdência Complementar Advogado: José Carlos Fragoas ROTEIRO DE APRESENTAÇÃO 1. Apresentação 2. Embasamento Legal 3. Princípios da Previdência Privada contidos

Leia mais

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Organização Internacional

Leia mais