Web Coverage Service

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Web Coverage Service"

Transcrição

1 Web Coverage Service Protótipo GIL, Nuno Resumo Esta comunicação tem a sua origem no desenvolvimento de um protótipo WebGIS realizado no âmbito de uma das cadeiras do mestrado em Sistemas de Informação Geográfica ministrado pela University College London (www.ge.ucl.ac.uk). Este protótipo está, neste momento, a ser desenvolvido e aperfeiçoado no contexto de um tema de dissertação do mesmo mestrado. O principal objectivo do estudo foi o de levar a cabo a implementação do referido protótipo baseado na especificação Web Coverage Service (WCS) do Open GIS Consortium (OGC, Para isso, foi utilizado software open-source e free for use, procedendo-se, posteriormente, à sua avaliação. O protótipo poderá servir, ou servirá, como ponto de partida para as agências espaciais membros do Committee for Earth Observing Satellites (CEOS, poderem disponibilizar os seus próprios dados de uma forma inter-operável. Desta forma, demonstra-se que é possível a implementação de um sistema com a mais-valia da interoperabilidade a custos bastante reduzidos. PALAVRAS-CHAVE: Coverage, Inter-operabilidade, OGC, OpenGIS, WCS, WebGIS INTRODUÇÃO Até há pouco tempo atrás, o típico Sistema de Informação Geográfica (SIG) era caracterizado como sendo um sistema capaz de facilitar diversas funcionalidades para a manipulação de dados geo-referenciados. Entre estas estavam incluídas o input de dados, o seu armazenamento, obtenção, gestão, manipulação, análise e output (Aronoff, 1989). Com a generalização do uso da Internet e com o seu consequente desenvolvimento, os SIG deixaram de ser sistemas monolíticos, fechados e centralizados. Assiste-se agora, cada vez mais, ao desenvolvimento de um novo conceito, o de Distributable Geographic Information Services (GIServices). O desenvolvimento da tecnologia SIG passou pela transição de sistemas do tipo mainframe e computador pessoal para os actuais Distributable GIServices, que tanto incluem wired Internet GIServices como wireless Internet GIServices. A nova arquitectura possibilita a ligação e interacção simultâneas entre múltiplos servidores e sistemas de tipo diversificado, sem as tradicionais restrições de sistemas cliente / servidor (Peng e Tsou, 2003). O conceito de Distributable GIServices, sugerido por Peng e Tsou (2003), é baseado na definição de uma aplicação SIG centrada na comunicação dinâmica e distribuída de serviços através de uma rede (wired ou wireless) como meio principal de acesso a dados, disseminação de informação espacial e condução de análises baseadas em SIG. Este tipo de ferramenta permite a uma variedade de clientes o acesso remoto a dados geo-espaciais e ferramentas de processamento alojadas em servidores, sem restrições de tipos temporal e geográfico. Estes clientes podem ser do tipo computador pessoal, computador portátil, Personal Digital Assistant (PDA) ou ainda telefone celular. Adicionalmente às funcionalidades disponíveis nos SIG tradicionais, estes sistemas podem beneficiar da utilização de variados protocolos de comunicação suportados pela plataforma de rede, tais como: HTTP, WAP, FTP, entre outros. O presente artigo irá centrar-se principalmente em Distributable GIServices baseados em redes wired, ou seja Internet que comunicam via World Wide Web. Serão então denominados WebGIS. Contudo, a velocidade do desenvolvimento dos SIG on-line revela que uma concepção orientada simplesmente pela tecnologia é problemática, dificultando o seu subsequente desenvolvimento. Derivado a este vazio na existência de standards, foram criadas, em 1994, duas organizações independentes, o Open GIS Consortium e o ISO/TC 211 Technical Committee (Buehler e McKee, 1998; Rowley, 1998 referenciados em Tsou e Buttenfield, 2002). O seu principal objectivo é o de promover a interoperabilidade entre dados geo-espaciais (Brodeur et al, 2003), sendo interoperabilidade definida por Goodchild et al (1997) como a possibilidade de dois sistemas poderem transferir/comunicar entre eles dados, software e outras quaisquer componentes de relevo. Descreve-se de seguida a tecnologia utilizada na implementação de um protótipo baseado numa das recentes especificações do OGC, o Web Coverage Service (WCS). Este protótipo foi desenvolvido com o intuito de servir uma

2 pequena porção de um hillshaded Digital Elevation Model (DEM), obtido através do projecto GTOPO30 1. Este projecto possibilita o acesso a um DEM global, com resoluções verticais e horizontais de aproximadamente 1 km. A área seleccionada engloba o Reino Unido tendo sido processada recorrendo ao ArcGIG 8.3 e ao ERDAS IMAGINE 8.6. No fim do documento, apresentam-se alguns resultados preliminares de aplicação do protótipo, sendo questionado até que nível a tecnologia WCS já está suficientemente madura e aperfeiçoada para ser utilizada de forma generalizada pela comunidade geográfica com menos conhecimentos na óptica do programador. WEB COVERAGE SERVICE - CONCEITO Como já foi referido anteriormente, o OGC e o ISO/TC 211 Technical Committee têm um papel activo na promoção da interoperabilidade, através da definição de standards. Em particular, O OGCdefiniu nos últimos anos um número de especificações utilizadas na criação de sistemas WebGIS, entre as quais se incluem o Web Map Service (WMS), o Web Feature Service (WFS) e o Web Coverage Service (WCS). A última das especificações identificadas será fruto de detalhe no presente texto. Um sistema WebGIS é materializado na forma de comunicação cliente / servidor através de protocolos pré-definidos, na qual o cliente envia um pedido ao servidor sob a forma de um Uniform Resource Locator (URL). Posteriormente o servidor interpreta o pedido, obtendo de seguida os dados pretendidos, manipulando-os consoante ordem do cliente e enviandoos para serem então visualizados por este. Figura 1. Arquitectura cliente / servidor Fonte: [Acesso: 13 Maio 2004] O WCS, tal como definido pelo OGC (2003), é um serviço que suporta a comunicação electrónica (baseada na arquitectura cliente / servidor) de dados geo-espaciais existentes sob a forma de coberturas multi-dimensionais. Estas são compostas por valores ou propriedades referentes a localizações geográficas espaçadas de forma regular através de um, dois ou três eixos de um sistema de coordenadas geográfico, podendo também conter informação temporal, regular ou irregularmente espaçada. Nesta sua versão 1.0.0, o WCS encontra-se limitado à descrição e solicitação de coberturas do tipo simples nas quais, em cada localização, se encontra ou um único valor (tal como elevação), ou um conjunto de valores definidos de forma homogénea (p.ex. reflectâncias electromagnéticas) (Evans, 2003). Em oposição ao WMS, que disponibiliza a comunicação de imagens criadas do lado do servidor, e ao WFS, que disponibiliza informação geo-espacial vectorial (Peng e Tsou, 2003), o WCS possibilita o acesso a conjuntos de informação geo-espacial detalhada e não simples imagens, que poderão posteriormente ser utilizados das mais variadas formas. Entre estas incluem-se a simples visualização pelo cliente e a possibilidade da sua utilização como input em modelos científicos (Evans, 2003). À semelhança do que acontece com o WMS e o WFS, também este serviço possibilita a selecção de porções de informação guardadas no servidor baseada em critérios espaciais. Para possibilitar a comunicação dos dados (coberturas), o WCS define três operações (Evans, 2003): 1. GetCapabilities: operação emitida pelo ciente e através da qual é devolvido um ficheiro do tipo extensible Markup Language (XML) no qual são descritas as capacidades do servidor, em termos de operações suportadas (p.ex. interpolação) e dados armazenados. Esta operação é de implementação obrigatória em qualquer software que suporte WCS. 2. GetCoverage: operação emitida pelo cliente e através da qual é devolvida a cobertura especificada. Esta operação é também de implementação obrigatória em qualquer software que suporte WCS. 3. DescribeCoverage: operação emitida pelo cliente, através da qual é devolvida a descrição completa de uma ou mais coberturas alojadas num servidor WCS. O output é materializado sob a forma de um ficheiro XML. Esta operação tem carácter opcional. Contudo, e devido ao grande volume das coberturas e tempo inerente à sua 1 Mais informação disponível em [Acesso: 14 Abril 2004]

3 transferência via Internet, é vantajoso a sua inclusão em qualquer aplicação que suporte WCS. Desta forma, o utilizador pode aperceber-se da informação contida na cobertura antes mesmo de a importar. No início deste projecto, foi efectuada uma pesquisa com o objectivo de identificar as diversas aplicações com licenças do tipo open-source ou free for use e que, no momento, suportavam o referido WCS. Procedeu-se de seguida à sua instalação e teste com o objectivo de efectuar uma avaliação qualitativa das mesmas. Duas aplicações foram testadas: deegree, desenvolvida em conjunto pela GIS and Remote Sensing Unit do Department of Geography, University of Bonn e pela lat/lon, e outra denominada NWGISS, desenvolvida e disponibilizada pelo Laboratory of Advanced Information Technology and Standards, na George Mason University. Para concluir o desenvolvimento do protótipo, foi elaborado um cliente Web (recorrendo a simples HTML) cuja interacção com o servidor é apenas possível através do envio de pedidos sob a forma de URL e da obtenção quer de ficheiros do tipo XML quer do tipo cobertura. DEEGREE De uma forma geral, deegree é um projecto constituído por um grupo de aplicação do tipo Java, podendo ser utilizadas isoladamente ou em conjunto. Estas, suportam variadas especificações do OGC. Além das já mencionadas, estão ainda incluídas o Web Coordinate Transformation Service, Web Gazetteer Service, Web Terrain Service e Catalog Service. No WebSite do projecto (http://deegree.sourceforge.net/) estão disponíveis o código fonte e versões pré-compiladas para Microsoft Windows e Linux. De um ponto de vista conceptual, deegree tem de ser reutilizável, independente da plataforma de funcionamento, baseado em componentes e inter-operável. A leitura e escrita de dados é suportada em variados formatos: ORACLE Spatial, PostGres / PostGIS, MySQL, ESRI shapefiles, GML e raster (JPEG, PNG, BMP, entre outros) (Fitzke et al, 2003). Em particular, o deegree WCS na sua versão é baseada na especificação WCS 1.0.0, suportando as operações GetCapabilities e GetCoverage, e os formatos TIFF, GIF, BMP, PNG, JPEG e IMG (IDRISI), quer como input quer como output. Em virtude dos ficheiros raster apresentarem normalmente grandes dimensões (na ordem das centenas de Mb), existe a necessidade de serem optimizados de forma a poderem posteriormente ser transferidos através da Internet. Exactamente por esta razão, deegree vem equipado com uma ferramenta que possibilita a criação de mosaicos de rasters (TileImageTree) e a sua fácil indexação quer através de quadtrees, quer de um método de indexação baseado no registo da coordenada do canto inferior esquerdo de cada um dos ficheiros. Desta forma, apenas é enviada ao cliente a sub-área que este solicitar (Fitzke et al, 2003). Após a aplicação estar operacional, existe no servidor um ficheiro capabilities.xml que será enviado ao cliente cada vez que este utilizar a opção GetCapabilities. Este ficheiro contém também apontadores para outro ficheiro, gvdesc.xml, onde está definida a estrutura de indexação resultante da utilização da aplicação TileImageTree acima referida. O facto do deegree ser composto por um conjunto de aplicações Java (servlets), significa que o próprio deegree WCS é um servlet, ou seja, uma pequena aplicação localizada no servidor. Esta aplicação é despoletada de cada vez que um cliente envia um pedido que é a si dirigido. Estes servlets são geridos por um servlet executor. No presente caso escolheu-se o Apache Tomcat como servlet executor, na sua versão , uma vez que se encontra amplamente disseminado sendo também disponibilizado gratuitamente. Como descrito no diagrama abaixo representado, o cliente envia um simples URL ao servidor. Este pedido é primeiramente recebido pelo servidor Web e depois comunicado ao servlet executor. O deegree WCS é então encarregue de obter os dados requeridos pelo cliente, manipulá-los (se for caso disso) e finalmente enviá-los. Figura 2. deegree, arquitectura da aplicação Este sistema foi instalado num servidor com as seguintes características: Sistema Operativo: Microsoft Windows Server 2003, standard edition Processador: Pentium III CPU 497 MHz Memória RAM: 512 Mb Servidor Web: Internet Information Services 6.0 Servlet executor: Apache Tomcat NWGISS

4 O NASA Web GIS Software suite (NWGISS) é composto por um conjunto de componentes WebGIS: Web Map Service, Web Coverage Service, Catalog Service, Multi-Protocol Geoinformation Client e uma toolbox, baseados em especificações do OGC, possibilitando o acesso a ficheiros do tipo HDF-EOS (Hierarchical Data Format Earth Observing System) através da Internet. Esta aplicação suporta três tipos distintos de dados HDF-EOS: ponto, swath e grid. A toolbox é constituída por uma ferramenta de importação / exportação entre formatos HDF-EOS e outros formatos SIG comummente utilizados e por outra ferramenta que possibilita a criação automática de um ficheiro XML capabilities.xml. As componentes atrás descritas podem ser utilizadas de forma individual ou conjunta (Liping et al, 2001). Todas estas componentes também se encontram disponíveis no WebSite do projecto (http://www.laits.gmu.edu/), contudo apenas existem versões previamente compiladas. O NWGISS WCS, implementado sobre as especificações WCS, versões 0.5 e 0.6 do OGC, permite aos clientes o acesso a coberturas HDF-EOS através das três operações definidas pelo OGC, GetCapabilities, GetCoverage e DescribeCoverage. Esta aplicação possibilita como input apenas dados no formato HDF-EOS. Como output, outros formatos, além do atrás mencionado, são disponibilizados: binário, HDF-EOS, NITF (National Image Transfer Format) e GeoTIFF. A geo-rectificação das coberturas, o acesso a sub-áreas das mesmas e a possibilidade de utilização de variados sistemas de coordenadas são também suportados de modo instantâneo nesta aplicação (Yang e Di, 2002). Após a aplicação estar operacional, existe no servidor um ficheiro capabilities.xml, que será enviado ao cliente cada vez que este utilizar a opção GetCapabilities, e ficheiros describecoverage.xml, com informação sobre cada uma das coberturas disponíveis. O NWGISS WCS é uma aplicação CGI que corre via Common Gateway Interface. Serve de aplicação middleware entre o servidor Web e o servidor de dados. Neste caso, o cliente envia um pedido do tipo URL para o servidor. Este pedido é recebido pelo servidor Web que invoca posteriormente o WCS via CGI. A aplicação obtém os dados requeridos do servidor de dados, manipula-os, consoante ordem do cliente, e envia-os a este. Figura 3. NWGISS WCS, arquitectura da aplicação Este sistema foi instalado num servidor com as seguintes características: Sistema Operativo: SuSE 9 Linux distribution Processador: Pentium 4 CPU 2.66 GHz Memória RAM: 512 Mb Servidor Web: Apache 2.0 Devido ao facto de nem todos os componentes pré-compilados do NWGISS WCS estarem disponíveis para o mesmo sistema operativo, não houve a possibilidade de instalação completa desta aplicação. Contudo, a operação GetCapabilities foi testada com um ficheiro demonstração. COMPARAÇÃO DEEGREE WCS, NWGISS WCS No presente capítulo resumem-se as características de cada um dos sistemas analisados, apresentando-se de seguida alguns pontos fortes e fracos de cada um deles. Deve-se porem enfatizar que as aplicações utilizadas são elas próprias protótipos e que não foi objectivo deste trabalho a extensão das suas funcionalidades recorrendo a programação. Devido à impossibilidade de criação do ficheiro capabilities.xml por parte da aplicação NWGISS WCS, o protótipo foi apenas implementado recorrendo ao deegree WCS.

5 deegree WCS NWGISS WCS Comentários Versão Especificação WCS Sistemas Operativos (SO) suportados Windows e Linux Windows, Unix, Linux Nem todas as componentes estão disponíveis em todos os SO Formato de Input suportado Formato de Output suportado Operações WCS disponibilizadas TIFF, GIF, BMP, PNG, JPEG e IMG TIFF, GIF, BMP, PNG, JPEG e IMG GetCapabilities e GetCoverage HDF-EOS Binário, HDF-EOS, NITF, e GeoTIFF GetCapabilities, GetCoverage e DescribeCoverage HDF-EOS não é suportado pela maioria dos SIG existentes e não foi possível a utilização do formato IMG como input HDF-EOS não é suportado pela maioria dos SIG existentes e não foi possível a utilização do formato IMG como output Gestão dos dados Indexação com criação de mosaicos Formato binário Tabela 1. NWGISS WCS, arquitectura da aplicação Vantagens Desvantagens deegree WCS Versões pré-compiladas para Windows Código fonte pode ser compilado em outros SO Suporte de variados formatos de input e output Ferramenta de indexação Software open-source Compatível com WCS DescribeCoverage não suportado Código fonte ilegível para um leigo Necessidade de configuração do Apache Tomcat Impossibilidade de obter dados no formato IMG NWGISS WCS Versões pré-compiladas para Windows, Unix e Linux Suporte de todas as operações definidas pelo WCS Suporta vários formatos de output Suporta geo-rectificação e variados sistemas de coordenadas Free for use software Compatível com WCS 0.7 Apenas suporta formato HDF-EOS como input Componentes não estão todas disponíveis em todos os SO acima descritos Impossibilidade de obtenção do código fonte Tabela 2. NWGISS WCS, arquitectura da aplicação CLIENTE Optou-se pela implementação de um cliente estático sob a forma de página Web. Nesta foi colocada informação sobre o projecto, bem como hiper-ligações teste dirigidas ao servidor. Apresentam-se de seguida um extracto do ficheiro capabilities.xml, devolvido após o envio de uma operação GetCapabilities e uma captura de ecrã, na qual se visualiza o resultado de uma operação GetCoverage. URL enviado: Resultado: <?xml version="1.0" encoding="iso88591"?> <wcs:wcscapabilities xmlns:wcs="http://www.opengis.net/wcs"> <Service> <Name>WebCoverageServer</Name>

6 <Title>deegree WCS</Title> <Abstract>Web Coverage Service maintained by the lat/lon GmbH</Abstract> <OnlineResource>http:// :8080/deegree?</OnlineResource> </Service> <wcs:coveragelayerlist> <wcs:gridcoveragelayer descriptorresource="file:///c:/deegreewcs/webinf/data/gvdesc.xml"> <wcs:layerid>dem</wcs:layerid> <wcs:title>dem</wcs:title> <wcs:latlonboundingbox minx=" " miny=" " maxx=" " maxy=" " /> <wcs:srs>epsg:4326</wcs:srs>... URL enviado: S=EPSG:4326&BBOX=-20,45,20,70&WIDTH=600&HEIGHT=400&FORMAT=jpg Resultado: CONCLUSÃO Figura 4. Resultado da operação GetCoverage Este projecto possibilitou o desenvolvimento de um protótipo WCS utilizado para servir um Digital Elevation Model de dimensões reduzidas (área do Reino Unido). Para a sua implementação, foram analisadas duas aplicações WCS disponíveis em fase embrionária, deegree WCS e NWGISS WCS. Devido ao facto da última estar apenas disponível em versão pré-compilada e de nem todas as suas ferramentas estarem disponíveis para o mesmo sistema operativo, optou-se por proceder à sua instalação apenas com dados de demonstração. Esta instalação teve como principal finalidade a posterior análise comparativa entre ambas as aplicações. Desta forma, o protótipo foi desenvolvido tendo apenas por base a aplicação deegree WCS. Nesta fase, a tecnologia WCS ainda não se encontra suficiente madura para ser facilmente utilizada por alguém sem conhecimentos na óptica da programação. Ambos os projectos analisados derivam de investigação, tendo sido

7 recentemente lançada a primeira aplicação comercial a suportar o serviço (IONIC Red Spider Web ). A não disponibilização do código fonte, no que diz respeito ao NWGISS WCS, deixa qualquer utilizador impossibilitado de proceder a alterações, não havendo outra alternativa a não ser a de esperar pela disponibilização de outras versões por parte do LAITS. Caso contrário é o que sucede com a aplicação deegree WCS, onde o código fonte é acessível. Desta forma, através de programação, é possível a sua expansão e melhoramento. De qualquer forma, a existência de iniciativas deste tipo, possibilita a criação de um servidor WCS a custos bastante reduzidos. Este projecto encontra-se neste momento a ser aperfeiçoado sob a forma da tese de mestrado do autor. Espera-se, aquando da conclusão da mesma, ter criado um sistema que possibilite o acesso a Modelos Digitais de Terreno de toda a África e Europa provenientes da Shuttle Radar Topography Mission e do programa Landsat. Um dos maiores desafios será o da gestão de tamanha quantidade de informação, tendo sempre subjacente a sua comunicação eficaz via Internet. AGRADECIMENTOS Agradeço a Alois Ndambuki, Neil Kashishian, Adam Bradley, Ariana Simplício, Joana Rodrigues, Hugo Fonseca e Luís Figueira todo o contributo prestado neste trabalho. BIBLIOGRAFIA ARONOFF, S., Geographic Information Systems: A Management Perspective. Otawa: WDL Publications. BRODEUR, J. et al, Revisiting the Concept of Geospatial Data Interoperability within the Scope of Human Communication Processes. Transactions in GIS. 7(2), BUEHLER, K. e MCKEE, L. (eds), The Open GIS Guide: Introduction to Interoperable Geoprocessing and the OpenGIS Specification. 3ª ed. Wayland: Open GIS Consortium, Inc. Referenciado em: TSOU, M. H. e BUTTENFIELD, B. P., A Dynamic Architecture for Distributed Geographic Information Services. Transactions in GIS. 6(4), EVANS, JOHN D. (eds), Web Coverage Service (WCS), Version [online]. Open GIS Consortium. [Acesso: 10 Maio 2004]. GOODCHILD, M. et al, Interoperating GISs: Report of a specialist meeting held under the auspices of the Varenius Project Panel on Computational Implementations of Geographic Concepts [online]. Santa Barbara: National Center for Geographical Analysis. [Acesso: 10 Maio 2004]. DI, L. et al, The Prototypical NASA HDF-EOS Web GIS Software Suite (NWGISS). In: Proceedings of Earth Science Technology Conference (ESTC). College Station, Maryland, FITZKE et al, deegree Web Coverage Service [online]. Bonn: lat/lon e Dep. Geography, Bonn University. [Acesso: 10 Maio 2004]. PENG, Z. R. e TSOU, M. H., Internet GIS: Distributes Geographic Information Services for the Internet and Wireless Networks. New Jersey: John Wiley & Sons, Inc. ROWLEY, J., Draft business case for the harmonization between ISO/TC 211 and the Open GIS Consortium, Inc. Geneva: International Organization for Standardization Report No ISO / TC 211-N472 Referenciado em : TSOU, M. H. e BUTTENFIELD, B. P., A Dynamic Architecture for Distributed Geographic Information Services. Transactions in GIS. 6(4), YANG, W. e DI, L., Serving NASA HDF-EOS Data through NWGISS Coverage Server. In: Proceedings of the NASA Earth Science Technologies Conference. Pasadena, CA, Nuno GIL Nuno Gil é licenciado em Engenharia do Território pelo Instituto Superior Técnico, Universidade Técnica de Lisboa (2000), estando neste momento a frequentar o mestrado em Geographic Information Science, University College London. A sua experiência profissional em Sistemas de Informação Geográfica esteve ligada a projectos de consultoria na área da tecnologia de comunicação UMTS, na Siemens S.A., e posteriormente na área do planeamento e transportes, na CISED Consultores e TIS.pt S.A. 2 Mais informação disponível em [Acesso: 14 Abril 2004]

PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA SERVIÇOS WEB

PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA SERVIÇOS WEB SERVIÇOS WEB World Wide Web Evolução de simples páginas com conteúdo estático para páginas com conteúdos dinâmicos (extraídos, principalmente, de Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados SGBD) Tecnologias

Leia mais

SIGWeb Builder: Um Software Livre para Desenvolvimento de SIG Webs

SIGWeb Builder: Um Software Livre para Desenvolvimento de SIG Webs SIGWeb Builder: Um Software Livre para Desenvolvimento de SIG Webs Helder Guimarães Aragão 1,2,3, Jorge Campos 1 1 GANGES Grupo de Aplicações e Análises Geoespaciais Mestrado em Sistemas e Computação -

Leia mais

Serviços de rede INSPIRE: visualização e descarregamento

Serviços de rede INSPIRE: visualização e descarregamento Serviços de rede INSPIRE: visualização e descarregamento Implementação utilizando o MapServer Danilo Furtado Laboratório Nacional de Engenharia Civil Agenda 1. Serviço de visualização INSPIRE View Service

Leia mais

Disseminação e Compartilhamento de Dados Geoespaciais na Web

Disseminação e Compartilhamento de Dados Geoespaciais na Web Disseminação e Compartilhamento de Dados Geoespaciais na Web Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Diego Mendes Rodrigues Gerente Serviços e Soluções ERDAS diego.rodrigues@sccon.com.br Santiago

Leia mais

Introdução Padrões OGC Instalação Configuração Formatos de Saída Aplicação AGENDA

Introdução Padrões OGC Instalação Configuração Formatos de Saída Aplicação AGENDA Introdução ao Introdução Padrões OGC Instalação Configuração Formatos de Saída Aplicação AGENDA INTRODUÇÃO GeoServer GeoTools INTRODUÇÃO GeoServer Servidor de informação geoespacial OGC; Utilizado para

Leia mais

Serviço de visualização (INSPIRE View Service) Como implementar um serviço de visualização utilizando tecnologia Open Source: MapServer

Serviço de visualização (INSPIRE View Service) Como implementar um serviço de visualização utilizando tecnologia Open Source: MapServer Serviço de visualização (INSPIRE View Service) Como implementar um serviço de visualização utilizando tecnologia Open Source: MapServer Danilo Furtado dfurtado@igeo.pt myesig2010 Lisboa 2010 1 Agenda 1.

Leia mais

SIGWeb Builder: Uma Ferramenta Visual para Desenvolvimento de SIG Webs

SIGWeb Builder: Uma Ferramenta Visual para Desenvolvimento de SIG Webs SIGWeb Builder: Uma Ferramenta Visual para Desenvolvimento de SIG Webs Helder Aragão, Jorge Campos GANGES Grupo de Aplicações e Análises Geoespaciais Mestrado em Sistemas e Computação - UNIFACS Salvador

Leia mais

Guia de apoio à utilização. de serviços WFS

Guia de apoio à utilização. de serviços WFS Guia de apoio à utilização de serviços WFS maio de 2015 Ficha Técnica Referência: For ArcGIS for Desktop 10.3 Esri Portugal Sistemas e Informação Geográfica, S.A. Rua Julieta Ferrão, nº 10 10º 1600-131

Leia mais

Geoprocessamento e Internet

Geoprocessamento e Internet Geoprocessamento e Internet Lúbia Vinhas Divisão de Processamento de Imagens INPE Internet A internet é um sistema de global que liga bilhões de redes de computadores administradas, mantidas e sustentadas

Leia mais

OpenJUMP. Pontos fracos do OpenJUMP

OpenJUMP. Pontos fracos do OpenJUMP OpenJUMP No início foi chamado apenas de JUMP (JAVA Unified Mapping Platform), e se tornou popular no mundo livre de SIG(Sistema de informação Geográfica), desenhado por Vivid Solutions. Atualmente é desenvolvido

Leia mais

Nota 4 Técnica Campinas, SP

Nota 4 Técnica Campinas, SP Nota 4 Técnica Campinas, SP dezembro, 2014 Infraestrutura de Dados Espaciais do MATOPIBA Jaudete Daltio 1 Carlos Alberto de Carvalho 2 1 Mestre em ciência da computação e analista de TI da Embrapa - GITE.

Leia mais

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source 1 02 DESTINATÁRIOS Todos os que trabalhando ou que virão a trabalhar com tecnologia

Leia mais

QGIS: Plataformaintegradaparadisponibilizaçãode GeoWebservices

QGIS: Plataformaintegradaparadisponibilizaçãode GeoWebservices 1 QGIS: Plataformaintegradaparadisponibilizaçãode GeoWebservices V Jornadas Ibéricas de Infraestruturas de Dados Espaciais Lisboa 5-7 novembro2014 2 Danilo Furtado (dfurtado@dgterritorio.pt) Direção-Geral

Leia mais

Geoprocessamento e Padrões OGC

Geoprocessamento e Padrões OGC Geoprocessamento e Padrões OGC Martin Pereira 36 slides Agenda Geoprocessamento Definição Histórico SIG OGC Definição Importância Histórico Padrões Slide 2 de 36 Geoprocessamento Definição Disciplina do

Leia mais

Serviço de visualização (INSPIRE View Service) Como implementar um servidor WMS utilizando tecnologia Open Source: MapServer

Serviço de visualização (INSPIRE View Service) Como implementar um servidor WMS utilizando tecnologia Open Source: MapServer Serviço de visualização (INSPIRE View Service) Como implementar um servidor WMS utilizando tecnologia Open Source: MapServer Danilo Furtado dfurtado@igeo.pt 2 as Jornadas SASIG Évora 2009 1 Agenda 1. Serviço

Leia mais

A utilização do MapServer como ferramenta de aprendizagem de WebSIG. Nelson Mileu 1

A utilização do MapServer como ferramenta de aprendizagem de WebSIG. Nelson Mileu 1 A utilização do MapServer como ferramenta de aprendizagem de WebSIG Nelson Mileu 1 Resumo - Este trabalho descreve a utilização do software MapServer na disciplina de WebSIG, ministrada no segundo semestre

Leia mais

SIG e sua interoperabilidade utilizando servidores de WEB. Jonas Bezerra de Melo Junior 1 Ana Lucia Bezerra Candeias 2

SIG e sua interoperabilidade utilizando servidores de WEB. Jonas Bezerra de Melo Junior 1 Ana Lucia Bezerra Candeias 2 SIG e sua interoperabilidade utilizando servidores de WEB Jonas Bezerra de Melo Junior 1 Ana Lucia Bezerra Candeias 2 1,2 Universidade Federal de Pernambuco Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas

Leia mais

Visão Geral. Autodesk Geospatial e Optimização de Processos de Desenho

Visão Geral. Autodesk Geospatial e Optimização de Processos de Desenho O novo AutoCAD Map 3D é a plataforma líder para engenharia, infraestruturas, cartografia e SIG. O AutoCAD MAP 3D permite efectuar a ponte entre CAD e GIS, ao permitir o acesso directo aos dados independentemente

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

SIGMACast: Sistema de Informação Geográfica focado em aplicações meteorológicas e ambientais

SIGMACast: Sistema de Informação Geográfica focado em aplicações meteorológicas e ambientais SIGMACast: Sistema de Informação Geográfica focado em aplicações meteorológicas e ambientais Cíntia Pereira de Freitas¹; Wagner Flauber Araujo Lima¹ e Carlos Frederico de Angelis¹ 1 Divisão de Satélites

Leia mais

Software livre como aporte em Transferência de tecnologia para o Instituto de Investigação Agronômica de Moçambique. Resumo

Software livre como aporte em Transferência de tecnologia para o Instituto de Investigação Agronômica de Moçambique. Resumo Software livre como aporte em Transferência de tecnologia para o Instituto de Investigação Agronômica de Moçambique Resumo A Embrapa, junto a outras instituições, iniciou um projeto de fortalecimento da

Leia mais

Metadados. Data 01/08/06

Metadados. Data 01/08/06 Metadados Data 01/08/06 Assuntos Clearinghouse Portal geodata.gov Metadados geoespaciais Padrões de documentação Padrão FGDC e perfis de metadados Implementação / Tarefas Clearinghouse Criada pela Executive

Leia mais

Serviços de Dados Geográficos INSPIRE

Serviços de Dados Geográficos INSPIRE Serviços de Dados Geográficos INSPIRE Danilo Furtado dfurtado@dgterritorio.pt Agenda 1. Introdução 2. Fundamentos sobre Serviços de Dados Geográficos 3. Ferramentas Open Source para Serviços de Rede 4.

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

Arquiteturas, Padrões e Serviços para Geoprocessamento. Lúbia Vinhas 13/05/2008

Arquiteturas, Padrões e Serviços para Geoprocessamento. Lúbia Vinhas 13/05/2008 Arquiteturas, Padrões e Serviços para Geoprocessamento Lúbia Vinhas 13/05/2008 Desejo saber estatísticas sobre áreas queimadas. Desejo fazer análises por localização, por classes de uso ou ainda por seleção

Leia mais

Contributos para a. geográfica em Portugal. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt

Contributos para a. geográfica em Portugal. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt Contributos para a reutilização da informação geográfica em Portugal Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt Tópicos Enquadramento Bases para a reutilização da informação geográfica Próximos passos

Leia mais

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web João Alexandre Oliveira Ferreira Dissertação realizada sob a orientação do Professor Doutor Mário de Sousa do Departamento de Engenharia

Leia mais

Criação de Serviços de Dados Geográficos com software Open Source:

Criação de Serviços de Dados Geográficos com software Open Source: Criação de Serviços de Dados Geográficos com software Open Source: serviços INSPIRE de visualização WMS e de descarregamento WFS Danilo Furtado dfurtado@dgterritorio.pt 1 Agenda 1. Serviços de Dados Geográficos

Leia mais

Unidade 4 Concepção de WEBSITES. Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1.

Unidade 4 Concepção de WEBSITES. Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1. Unidade 4 Concepção de WEBSITES Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1. Sobre o conteúdo 1 Regras para um website eficaz sobre o conteúdo Um website é composto

Leia mais

Geoprocessamento com Software Livre. Anderson Maciel Lima de Medeiros Consultor em Geotecnologias

Geoprocessamento com Software Livre. Anderson Maciel Lima de Medeiros Consultor em Geotecnologias Geoprocessamento com Software Livre Anderson Maciel Lima de Medeiros Consultor em Geotecnologias SUMÁRIO O que é Software Livre? A GLP GNU Geoprocessamento Algumas Geotecnologias Geotecnologias Livres

Leia mais

SIGMC Explorer. O Explorador de Informação Espacial do Município de Cantanhede. MACHADO, João Oliveira. Resumo

SIGMC Explorer. O Explorador de Informação Espacial do Município de Cantanhede. MACHADO, João Oliveira. Resumo SIGMC Explorer O Explorador de Informação Espacial do Município de Cantanhede MACHADO, João Oliveira Resumo O Sistema de Informação Geográfica (SIG) nas autarquias tem vindo a afirmar-se como um componente

Leia mais

Visualização de Informação Geográfica na WEB. O exemplo do Atlas de Portugal.

Visualização de Informação Geográfica na WEB. O exemplo do Atlas de Portugal. Visualização de Informação Geográfica na WEB. O exemplo do Atlas de Portugal. INSPIRE e a Infra-estrutura Nacional de Informação Geográfica 17 de Novembro de 2006 1 Tópicos Atlas de Portugal na WEB A proposta

Leia mais

PORTAL DE COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO SNIRH PORTAL TO SHARE GEOGRAFICAL INFORMATION FROM SNIRH

PORTAL DE COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO SNIRH PORTAL TO SHARE GEOGRAFICAL INFORMATION FROM SNIRH PORTAL DE COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO SNIRH Maurício Silva 1 & Marco Silva 2 & Sergio Barbosa 3 Resumo O presente artigo apresenta os desenvolvimentos criados para a construção e disponibilização

Leia mais

DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS BASEADOS EM LOCALIZAÇÃO VIA WEB SERVICES

DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS BASEADOS EM LOCALIZAÇÃO VIA WEB SERVICES DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS BASEADOS EM LOCALIZAÇÃO VIA WEB SERVICES GRACE KELLY DE CASTRO SILVA, PATRÍCIA MARIA PEREIRA e GEOVANE CAYRES MAGALHÃES (ORIENTADOR) CPqD Centro de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Clientes. Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Ministério das Cidades. Agência Nacional de Águas. Correios IMBEL

Clientes. Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Ministério das Cidades. Agência Nacional de Águas. Correios IMBEL Helton UCHOA OpenGEO A OpenGEO é uma empresa de Engenharia e Tecnologia que atua em 3 grandes segmentos: Sistemas de Gestão Corporativa (ERP & GRP), Geotecnologias e Treinamentos; Em poucos anos, a OpenGEO

Leia mais

Padrões OGC e Serviços Web Geoespaciais. Open Geospatial Consortium

Padrões OGC e Serviços Web Geoespaciais. Open Geospatial Consortium Padrões OGC e Serviços Web Geoespaciais Clodoveu Davis Open Geospatial Consortium O OGC idealizou uma arquitetura de software para acesso distribuído a dados geo-espaciais e recursos de geoprocessamento

Leia mais

Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação Geográfica

Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação Geográfica Rua Julieta Ferrão, 10-10.ºA 1600-131 Lisboa Tel.: 21 781 66 40 Fax: 21 793 15 33 info@esri-portugal.pt www.esri-portugal.pt Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação

Leia mais

Acesso à informação geográfica através do SNIG e da iniciativa IGEO. Direção-Geral do Território Paulo Patrício

Acesso à informação geográfica através do SNIG e da iniciativa IGEO. Direção-Geral do Território Paulo Patrício Acesso à informação geográfica através do SNIG e da iniciativa IGEO Direção-Geral do Território Paulo Patrício Serviços de Conjuntos de Dados Geográficos Serviços de Conjuntos de Dados Geográficos: informação

Leia mais

A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território]

A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território] A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território] Objetivo Apresentar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no domínio da harmonização de

Leia mais

MIG - Metadados para Informação Geográfica

MIG - Metadados para Informação Geográfica MIG - Metadados para Informação Geográfica Introdução à Norma ISO 19115 Henrique Silva, Instituto Geográfico Português, hsilva@igeo.pt Lisboa, 14 de Fevereiro de 2008 Metadados para Informação Geográfica

Leia mais

Aplicações de SIG na WEB

Aplicações de SIG na WEB Aplicações de SIG na WEB O atlas do ambiente dinâmico MACHADO, João; CABRAL, Pedro e PAINHO, Marco RESUMO Um dos principais focos do desenvolvimento actual de ferramentas de Sistemas de Informação Geográfica

Leia mais

Estudo Sobre Armazenamento de Modelagem Digital de Terreno em Banco de Dados Geográficos

Estudo Sobre Armazenamento de Modelagem Digital de Terreno em Banco de Dados Geográficos Estudo Sobre Armazenamento de Modelagem Digital de Terreno em Banco de Dados Geográficos Eduilson L. N. C. Carneiro, Gilberto Câmara, Laércio M. Namikawa Divisão de Processamento de Imagens (DPI) Instituto

Leia mais

M-GIS Sistema Móvel Interoperável de Informação Geográfica

M-GIS Sistema Móvel Interoperável de Informação Geográfica M-GIS Sistema Móvel Interoperável de Informação Geográfica Jorge Cardoso ½, Artur Rocha ½, João Correia Lopes ¾ ¾ ½ INESC Porto, R. Dr. Roberto Frias, 4200-465 Porto. http://www.inescporto.pt/ {jcsc,artur.rocha,jlopes}@inescporto.pt

Leia mais

Governo Federal / Governo Estadual. Imagem suportando a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais INDE Carlos Toledo

Governo Federal / Governo Estadual. Imagem suportando a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais INDE Carlos Toledo Governo Federal / Governo Estadual Imagem suportando a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais INDE Carlos Toledo Plenária Desafios comuns Governança de dados espaciais; Informação geográfica é um ativo

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

11 O Open Geospatial Consortium

11 O Open Geospatial Consortium 11 O Open Geospatial Consortium Clodoveu A. Davis Jr. Karla A. V. Borges Ligiane Alves de Souza Marco Antonio Casanova Paulo de Oliveira Lima Júnior 11.1 Introdução Este capítulo resume o modelo conceitual,

Leia mais

PROGRAMAS COMPUTACIONAIS LIVRES, GRATUITOS E DE CÓDIGO-ABERTO ABORDAGEM CONCEITUAL RELACIONADA A TECNOLOGIAS DA GEOINFORMAÇÃO

PROGRAMAS COMPUTACIONAIS LIVRES, GRATUITOS E DE CÓDIGO-ABERTO ABORDAGEM CONCEITUAL RELACIONADA A TECNOLOGIAS DA GEOINFORMAÇÃO PROGRAMAS COMPUTACIONAIS LIVRES, GRATUITOS E DE CÓDIGO-ABERTO ABORDAGEM CONCEITUAL RELACIONADA A TECNOLOGIAS DA GEOINFORMAÇÃO IVACELI DOS SANTOS BEZERRA 1 LUCILENE ANTUNES CORREIA MARQUES DE SÁ 2 Universidade

Leia mais

Criação de um WebSIG do Município de Mossoró, RN, utilizando a tecnologia AlovMap.

Criação de um WebSIG do Município de Mossoró, RN, utilizando a tecnologia AlovMap. Criação de um WebSIG do Município de Mossoró, RN, utilizando a tecnologia AlovMap. Jarbas Nunes Vidal Filho 1, Denis Freire Lopes Nunes 1, Francisco Paulo de Freitas Neto 1, Roberto Alves da Costa Junior

Leia mais

Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP)

Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP) Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP) Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/03/2014 1.0 Criação do documento Frederico dos Santos Soares APRESENTAÇÃO O presente documento tem como

Leia mais

GEOEXÉRCITO: SISTEMA TÁCTICO-ESTRATÉGICO PARA O EXÉRCITO PORTUGUÊS

GEOEXÉRCITO: SISTEMA TÁCTICO-ESTRATÉGICO PARA O EXÉRCITO PORTUGUÊS GEOEXÉRCITO: SISTEMA TÁCTICO-ESTRATÉGICO PARA O EXÉRCITO PORTUGUÊS 1. Introdução Luis Nunes 1 ; Alberto Silva 2 1 Instituto Geográfico do Exército 2 Instituto Superior Técnico (lnunes@igeoe.pt ; alberto.silva@acm.org)

Leia mais

Integração de Sistemas de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Utilizando GML

Integração de Sistemas de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Utilizando GML Integração de Sistemas de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Utilizando GML Novembro/2003 Agenda Introdução Contexto Problema Objetivo Solução Integração de Sistemas de Telecom Rede Externa de

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

CAPÍTULO 2 ARQUITETURAS CLIENTE-SERVIDOR PARA DISSEMINAÇÃO DE DADOS GEOGRÁFICOS: UMA REVISÃO

CAPÍTULO 2 ARQUITETURAS CLIENTE-SERVIDOR PARA DISSEMINAÇÃO DE DADOS GEOGRÁFICOS: UMA REVISÃO CAPÍTULO 2 ARQUITETURAS CLIENTE-SERVIDOR PARA DISSEMINAÇÃO DE DADOS GEOGRÁFICOS: UMA REVISÃO Existem várias maneiras com as quais dados geográficos podem ser distribuídos pela Internet, todas fundamentadas

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto C O M P U T A Ç Ã O M Ó V E L 2 0 0 7 / 2 0 0 8 Enunciado do Projecto 17 de Março de 2008 1. Objectivos Desenvolver uma aplicação num domínio aplicacional específico que envolva replicação e sincronização

Leia mais

MEDRAL Geotecnologias 2011. Apresentação UNESP

MEDRAL Geotecnologias 2011. Apresentação UNESP Apresentação UNESP Julho de 2012 MEDRAL Geotecnologias Nossa História A Medral nasceu em 25 de abril de 1961, em Dracena (SP), oferecendo soluções de engenharia para o setor energético Aos poucos, a empresa

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE FERRAMENTAS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA INTEGRAÇÃO VIA WEB SERVICES

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE FERRAMENTAS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA INTEGRAÇÃO VIA WEB SERVICES ESTUDO COMPARATIVO ENTRE FERRAMENTAS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA INTEGRAÇÃO VIA WEB SERVICES BRUNO UMEDA GRISI 1 FABIANA SOARES SANTANA 2 ANTONIO MAURO SARAIVA 3 MARCOS NOGUEIRA 4 ALBERT

Leia mais

Serviços de Dados Geográficos INSPIRE com GeoServer

Serviços de Dados Geográficos INSPIRE com GeoServer Serviços de Dados Geográficos INSPIRE com GeoServer 2015 Danilo Furtado (dfurtado@dgterritorio.pt) Direção-Geral do Território Divisão de Gestão de Recursos Informáticos Membro do Grupo de Trabalho SNIG

Leia mais

Manual de utilizador

Manual de utilizador Manual de utilizador Índice Introdução... 1 NOTAS IMPORTANTES... 1 Declarações Legais... 3 Instalação e Configuração... 5 Requisitos do Sistema... 5 Instalação... 5 Activação... 7 Actualização Automática...

Leia mais

Software Livre na Implantação do CTM Integrado a um Banco de Dados Geográfico

Software Livre na Implantação do CTM Integrado a um Banco de Dados Geográfico Software Livre na Implantação do CTM Integrado a um Banco de Dados Geográfico Helton Nogueira Uchoa (1) Luiz Carlos Teixeira Coelho Filho (1) Paulo Roberto Ferreira (2) (1) Opengeo Consultoria de Informática

Leia mais

INSPIRE Metadados e Serviços de Pesquisa

INSPIRE Metadados e Serviços de Pesquisa INSPIRE Metadados e Serviços de Pesquisa II Jornadas de Software Aberto para Informação Geográfica Henrique Silva, hsilva@igeo.pt Metadados e Serviços de Pesquisa Metadados são as informações que descrevem

Leia mais

Bolsa de Integração na Investigação

Bolsa de Integração na Investigação Bolsa de Integração na Investigação Avaliação da precisão de um Modelo Digital de Terreno de alta resolução obtido por filtragem de dados LiDAR num povoamento de Eucaliptos: Bruno Baeta Magalhães Baptista

Leia mais

Mapserver Servidor de Mapas. João Araujo

Mapserver Servidor de Mapas. João Araujo Mapserver Servidor de Mapas João Araujo Por que fazer mapas? Mapas têm tido papel prepoderante nas atividades humanas por milhares de anos. Desde o início, mapas eram usados para mostrar onde as coisas

Leia mais

Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento

Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Conceitos GIS e Software Livre Ferramentas: Jump Qgis Thuban MapServer

Leia mais

FCA - EDITORA DE INFORMÁTICA I

FCA - EDITORA DE INFORMÁTICA I 1 O PHP e a World Wide Web... XXXIII 1.1 Introdução... XXXIII 1.2 Breve apresentação do PHP... 1 1.3 Acesso a documentos na web... 1 1.4 HTML estático versus HTML dinâmico... 2 1.5 PHP, o que é?... 4 1.6

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados

Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados Professora: Sheila Cáceres Computador Dispositivo eletrônico usado para processar guardar e tornar acessível informação. Tópicos de Ambiente

Leia mais

SOFTWARES DE GEOPROCESSAMENTO

SOFTWARES DE GEOPROCESSAMENTO SOFTWARES DE GEOPROCESSAMENTO Ferramentas Proprietário para SIG É um conjunto de aplicativos computacionais de Sistemas de Informações Geográficas (SIGs) desenvolvido pela empresa norte americana Esri

Leia mais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Bakker, M. P. R. Cartografia: noções básicas. Rio de Janeiro: Ministério da Marinha - Diretoria de Hidrografia e Navegação, 1965. 242p. Burrough, P.A. Principles of geographical

Leia mais

O Sistema Nacional de Informação Geográfica. Rui Pedro Julião Subdirector-General rpj@igeo.pt. snig.igeo.pt

O Sistema Nacional de Informação Geográfica. Rui Pedro Julião Subdirector-General rpj@igeo.pt. snig.igeo.pt O Sistema Nacional de Informação Geográfica Rui Pedro Julião Subdirector-General rpj@igeo.pt snig.igeo.pt Tópicos Enquadramento IDE Contexto Antecedentes GeoPORTAL Estrutura Funcionalidades Próximos passos

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

Guia de funcionamento do projector em rede

Guia de funcionamento do projector em rede Guia de funcionamento do projector em rede Tabela de conteúdos Preparação...3 Ligar o projector ao seu computador...3 Ligação sem fios (para alguns modelos)... 3 QPresenter...5 Requisitos mínimos do sistema...5

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO. Série Ponto

UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO. Série Ponto UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO Série Ponto POR QUE NOVO CONCEITO? O que é um WEBPLC? Um CP na WEB Por que usar INTERNET? Controle do processo de qualquer lugar WEBGATE = conexão INTERNET/ALNETII WEBPLC

Leia mais

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc. Implementar servidores de Web/FTP e DFS Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Conteúdo programático Introdução ao protocolo HTTP Serviço web

Leia mais

Designing Service Architectures for Distributed Geoprocessing: Challenges and Future Directions

Designing Service Architectures for Distributed Geoprocessing: Challenges and Future Directions UERJ Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação em Eng. de Computação Área de Concentração: Geomática Designing Service Architectures for Distributed Geoprocessing: Challenges and

Leia mais

Programa de transformação de coordenadas baseado em software livre

Programa de transformação de coordenadas baseado em software livre WebTranscoord Programa de transformação de coordenadas baseado em software livre SILVA, Henrique; MEDEIRO, Ana; VASCONCELOS, Manuela PALAVRAS-CHAVE O WebTransCoord é a nova versão do TransCoord PRO, agora

Leia mais

Seminário sobre Diretiva INSPIRE A interoperabilidade e a Diretiva INSPIRE na perspetiva Intergraph

Seminário sobre Diretiva INSPIRE A interoperabilidade e a Diretiva INSPIRE na perspetiva Intergraph Seminário sobre Diretiva INSPIRE A interoperabilidade e a Diretiva INSPIRE na perspetiva Intergraph Intergraph Corporation Security, Government, and Infrastructure Division (Geospatial Business Unit) Carlos

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

SNIG: Geoportal GeoWebServices (GWS) e Metadados. Henrique Silva. Instituto Geográfico Português

SNIG: Geoportal GeoWebServices (GWS) e Metadados. Henrique Silva. Instituto Geográfico Português SNIG: Geoportal GeoWebServices (GWS) e Metadados Henrique Silva Instituto Geográfico Português Novo versão do Geoportal O que é novo: Visual do Geoportal; Novo visualizador de geoserviços WMS (versão beta);

Leia mais

INTEROPERABILIDADE DE SIG ATRAVÉS DE WEB SERVICES

INTEROPERABILIDADE DE SIG ATRAVÉS DE WEB SERVICES INTEROPERABILIDADE DE SIG ATRAVÉS DE WEB SERVICES Jonas Bezerra de Melo Junior 1 Ana Lucia Bezerra Candeias 2 1 Universidade Federal de Pernambuco Pós-Graduação em Ciencias Geodésicas e Tecnologias da

Leia mais

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem 1 JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem orientada a objectos. Tal como em ASP e PHP, os ficheiros

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Introdução à Internet Paulo Santos v. 2.0-2012 1 Índice 1 Introdução à Internet... 3 1.1 Conceitos base... 3 1.1.1 O que é a internet?... 3 1.1.2 O que é preciso para aceder à internet?... 3 1.1.3 Que

Leia mais

Guia de Depósito Teses

Guia de Depósito Teses Guia de Depósito Teses Descreva o documento que está a depositar Página 1 Se seleccionar todas as opções nesta página, visualizará um formulário diferente, modificado com o intuito de capturar informações

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE IMAGENS ORBITAIS PARA WEBMAPPING

ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE IMAGENS ORBITAIS PARA WEBMAPPING ESTRUTURAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE IMAGENS ORBITAIS PARA WEBMAPPING RAFAELA S. NIEMANN 1 ; SOPHIA D. RÔVERE 2 ; WILSON A. HOLLER 3 N 10508 RESUMO A organização de imagens de satélite direcionada à implementação

Leia mais

Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical

Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical DEFINIÇÃO DE SIG As definições são condicionadas pelo ambiente em que surgem e pela realidade

Leia mais

INTERNET. TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores)

INTERNET. TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores) TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores) A cada computador integrado na rede é atribuído um número IP que o identifica

Leia mais

Internet Access Quality Monitor. Bruno Pires Ramos Prof. Vasco Soares Prof. Alexandre Fonte

Internet Access Quality Monitor. Bruno Pires Ramos Prof. Vasco Soares Prof. Alexandre Fonte Internet Access Quality Monitor Bruno Pires Ramos Prof. Vasco Soares Prof. Alexandre Fonte Escola Superior de Tecnologia - Maio 2008 2 Índice Objectivos Estado da Arte Sistema IAQM Tecnologias Utilizadas

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE DADOS OCEANOGRÁFICOS NO BRASIL: OPORTUNIDADES TECNOLÓGICAS Versus LACUNAS CULTURAIS. Rafael M. Sperb

INFRAESTRUTURA DE DADOS OCEANOGRÁFICOS NO BRASIL: OPORTUNIDADES TECNOLÓGICAS Versus LACUNAS CULTURAIS. Rafael M. Sperb INFRAESTRUTURA DE DADOS OCEANOGRÁFICOS NO BRASIL: OPORTUNIDADES TECNOLÓGICAS Versus LACUNAS CULTURAIS Rafael M. Sperb CONTEXTO Desenvolvimento do Macroprojeto do Instituto Nacional de Pesquisas Oceânicas

Leia mais

Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software

Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software Spider-PM: Uma Ferramenta de Apoio à Modelagem de Processos de Software Renan Sales Barros 1, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1 1 Faculdade de Computação Instituto de Ciências Exatas e Naturais (ICEN)

Leia mais

POTENCIALIDADES E APLICAÇÕES DE SERVIDORES DE DADOS GEOGRÁFICOS INTEROPERÁVEIS

POTENCIALIDADES E APLICAÇÕES DE SERVIDORES DE DADOS GEOGRÁFICOS INTEROPERÁVEIS POTENCIALIDADES E APLICAÇÕES DE SERVIDORES DE DADOS GEOGRÁFICOS INTEROPERÁVEIS ROMILDO TOSCANO DE BRITO NETO MARCELLO BENIGNO BORGES BARROS FILHO Universidade Federal da Paraíba - UFPB Instituto Federal

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação. Principais tipos de serviços da Internet

Tecnologias da Informação e Comunicação. Principais tipos de serviços da Internet Tecnologias da Informação e Comunicação Principais tipos de serviços da Internet Introdução à Internet Serviços básicos Word Wide Web (WWW) Correio electrónico (e-mail) Transferência de ficheiros (FTP)

Leia mais

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. m-gis: Mobile GIS. INESC Porto. Jorge Carlos dos Santos Cardoso

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. m-gis: Mobile GIS. INESC Porto. Jorge Carlos dos Santos Cardoso Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Informática e Computação m-gis: Mobile GIS INESC Porto Relatório do Estágio Curricular da LEIC 2002/2003 Jorge Carlos dos Santos

Leia mais

Processo de constituição do Nó Local de Castelo Branco da IDE-OTALEX

Processo de constituição do Nó Local de Castelo Branco da IDE-OTALEX Processo de constituição do Nó Local de Castelo Branco da IDE-OTALEX Ampliação do âmbito territorial da IDE-OTALEX à região Centro CABACEIRA, Suzete 1 ; ROQUE, Natália 2 ; FERNANDEZ, Paulo 3 ; QUINTA-NOVA,

Leia mais

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos.

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. 1. Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. O conceito de base de dados faz hoje parte do nosso

Leia mais

Web. Web. Web. Web. Unidade 4. Conceitos básicosb. Publicação. Web: Frontpage Programa de animação gráfica. Programa de edição

Web. Web. Web. Web. Unidade 4. Conceitos básicosb. Publicação. Web: Frontpage Programa de animação gráfica. Programa de edição Criação de páginas p Unidade 4 UNIDADE 4: Criação de Páginas P Conceitos básicosb Técnicas de implantação de páginas p Criação de páginas p Programa de edição : Frontpage Programa de animação gráfica :

Leia mais

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviços HP Dados técnicos O Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Leia mais

Microsoft Office FrontPage 2003

Microsoft Office FrontPage 2003 Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação Microsoft Office FrontPage 2003 1 Microsoft Office FrontPage 2003 O Microsoft

Leia mais

Guia de instalação JMap 5.0

Guia de instalação JMap 5.0 Guia de instalação JMap 5.0 Instalação JMap A instalação de JMap é normalmente feita em um servidor que será acessado pelo conjunto de usuários. Durante a instalação, todos os componentes de JMap são instalados

Leia mais