EXAME DO EMPREGO DAS TICs EM SALA DE AULA: PRIMEIROS RESULTADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXAME DO EMPREGO DAS TICs EM SALA DE AULA: PRIMEIROS RESULTADOS"

Transcrição

1 EXAME DO EMPREGO DAS TICs EM SALA DE AULA: PRIMEIROS RESULTADOS Alessandra DUTRA 1 Letícia Jovelina STORTO 2 Vanderley Flor da ROSA 3 RESUMO: O presente artigo propõe avaliar como tem ocorrido o emprego das TICs nas escolas públicas de ensino fundamental no norte do Paraná. Para isso, aplicamos, como instrumento de coleta de dados, um questionário a professores da rede pública das cidades de Londrina e Cambé. O questionário é composto por seis questões objetivas e uma subjetiva. Os resultados mostram que, embora a maioria dos professores acredite que o uso das TICs facilite o processo de ensino-aprendizagem, alguns ainda resistem à sua utilização em sala de aula. Além disso, os números indicam que a TV Pendrive, fornecida a todas as escolas da rede pública do Paraná e presente em muitas salas de aula, é utilizada raramente por um número significativo de professores, os quais não costumam recorrer a recursos midiáticos, como projetor multimídia, retroprojetor ou outros. PALAVRAS-CHAVE: Ensino-aprendizagem; Letramento digital; Ensino fundamental. ABSTRACT: This article proposes to evaluate how the use of information technology and communication (TIC s) has been occurred in elementary public schools in northern of Paraná. For this, we applied as an instrument of data collection, a questionnaire to teachers in public schools in the cities of Londrina and Cambe. The questionnaire consists of six objective questions and one subjective. The results show while most teachers believe that the use of TIC s improves the process of teaching and learning, some are still resisting using in the classroom. Moreover, the numbers indicate that TV Pendrive, provided to all public schools in Paraná and present in all classrooms, it is rarely used by a significant number of teachers, who do not usually use media resources such as data projectors, and other overhead. KEYWORDS: Teaching and learning; Digital literacy; Elementary school. 1 Introdução A reflexão a respeito das questões que envolvem o processo de ensino e aprendizagem tem se modificado nas últimas décadas por causa das novas tecnologias, as quais estão cada vez mais presentes nas salas de aula. Há uma década, a mídia utilizada em sala limitava-se ao uso do videocassete, mas hoje os estudantes levam seus próprios computadores para as aulas, há TV multimídia (TV Pendrive) em muitas escolas públicas e nossos alunos têm cada vez 1 Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Londrina. Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/Araraquara; ou 2 Professora de cursos de Especialização da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Londrina. Doutoranda em Estudos da Linguagem pela UEL; ou 3 Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Cornélio Procópio. Doutor em Educação pela UNESP/Marilia; 1

2 mais informação a respeito de como empregar os recursos tecnológicos a seu favor. No estado do Paraná, por exemplo, a rede pública de ensino fundamental e médio recebeu, em suas salas de aulas, televisores classificados como TV Pendrive (imagem ilustrativa em anexo), ou seja, televisores de 29 polegadas com entradas para VHS, DVD, cartão de memória e pendrive e saídas para caixas de som e projetor multimídia. Além disso, cada professor recebeu um dispositivo pendrive para poder utilizá-los. Com esse dispositivo, o docente pode salvar objetos de aprendizagem para usar em sala de aula. Além disso, foram disponibilizados na página eletrônica do Ministério da Educação do governo do estado do Paraná (http://www.educacao.pr.gov.br/), Portal Dia a Dia Educação, materiais para consulta e uso do professor, como livro didático 4, dissertações e teses, vídeos, áudios, entre outros. Segundo o portal, os objetos referidos são recursos que podem complementar e apoiar o processo de ensino e aprendizagem, tais como vídeos, fotografias, músicas. Mesmo com tanta tecnologia, não podemos, contudo, ignorar a importância que o professor desempenha nesse novo processo de ensino e aprendizagem que se instaura. O presente trabalho pretende apresentar resultados de estudos realizados com professores da rede pública de ensino do Paraná com a finalidade de verificar suas crenças a respeito da utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) em aulas de aula, além de examinar se e como eles as empregam. Para tanto, o trabalho fundamentou-se nas teorias do Letramento Digital. Partimos da hipótese de que, embora haja recursos tecnológicos para que o professor aprimore sua prática docente, fatores como excesso de aulas, número elevado de alunos em sala e a falta de conhecimento para lidar com as TICs impedem que o professor as utilize de modo mais frequente e adequado. 2 Fundamentação Teórica Na atualidade, a educação tem sofrido muitas transformações. Uma delas é a presença das novas tecnologias de informação e comunicação que permeiam a vida dos indivíduos. Com esse advento, o processo de ensino-aprendizagem e todo o contexto escolar precisam se adequar. O crescente aumento na utilização das novas ferramentas tecnológicas (computador, Internet, cartão magnético, caixa eletrônico etc.) na vida social tem exigido dos cidadãos a aprendizagem de comportamentos e raciocínios específicos. Por essa razão, alguns estudiosos começam a falar no surgimento de um novo tipo, paradigma ou modalidade de letramento, que têm chamado de letramento digital (XAVIER, 2011, online). Pensar em adentrar em uma sala de aula da maioria das escolas do país com giz apenas não faz mais sentido para os alunos e também para os professores. A tecnologia já não pode estar ausente das escolas. Com isso, há a necessidade de se repensar no papel do professor, na sua formação permanente e no uso das novas tecnologias com o intuito de formar alunos críticos e reflexivos. Hoje, pensar em educação sem a presença das mídias interativas é algo impossível de se imaginar, por outro lado não é a tecnologia que subsidia um ensino de qualidade, que promova o crescimento pessoal e profissional dos indivíduos e que conduza o país ao crescimento econômico. 4 Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/file/livro_e_diretrizes/livro/portugues/seed_port _e_book.pdf >. Acesso em set

3 Segundo Moran (2009, p. 13), a expectativa é que as novas tecnologias trarão soluções rápidas para o ensino. Isso porque elas permitem ampliar o conceito de aula, de espaço, de tempo, de comunicação audiovisual, e estabelecer pontes novas entre o virtual e o visual, entre o estar juntos e o estar conectados a distância. Mas quem dera ensinar dependesse somente de tecnologias. Sem dúvida, elas são importantes, porém não resolvem questões inerentes ao processo de ensino-aprendizagem. Tais questões são desafios maiores que, nós, professores, enfrentamos em todas as épocas e particularmente agora, momento em que estamos pressionados pela transição do modelo de gestão industrial para o da informação e do conhecimento. O mesmo autor ainda difere ensino de educação. Segundo ele, o primeiro organiza-se em torno de uma série de atividades didáticas para ajudar os alunos a compreender áreas específicas do conhecimento; já o segundo, além de ensinar, é ajudá-los a integrar ensino e vida, conhecimento e ética, reflexão e ação, a ter uma visão holística de totalidade. Todavia, muitos problemas atrapalham tanto o ensino de qualidade quanto a educação: salas numerosas, professores com excessiva carga horária e jornada de trabalho, salários incompatíveis com o que seria o ideal, muitos alunos desinteressados, violência presente nas escolas, infraestrutura muitas vezes deficitária, entre outros. No entanto, é necessário que o professor enfrente os problemas existentes no contexto escolar e tente colocar em prática seu trabalho no sentido de proporcionar aos alunos ensino e educação de qualidade. O trabalho com os recursos tecnológicos permearão e proporcionarão subsídios para trabalhar e formar cidadãos nas duas instâncias: no ensino e na educação. No ensino porque, quando o professor utiliza a informática para implementar seu trabalho em sala de aula, ele o faz para trabalhar conteúdos de sua disciplina, para que o aluno adquira conhecimentos específicos de uma ou mais áreas. Ao mesmo tempo, proporciona ao educando conhecimento tecnológico, de modo a contribuir, assim, para a democratização do acesso à informação. Dessa maneira, todos os envolvidos têm a oportunidade de construir conhecimento científico, por meio da interação com os recursos midiáticos, ou seja, dependendo do trabalho que o professor realiza integra o aluno à vida, leva-o à reflexão e fazendo com que ele tenha uma visão maior, mais ampla e, ainda assim, mais focada. O fato de as novas tecnologias permearem todo o processo educacional faz com que o papel do professor e todo o percurso trilhado pela linguagem oral e escrita não possam ser deixados de lado. Behrens (2009, p. 74) afirma que, na era digital, o professor tem a possibilidade de romper barreiras dentro de sala de aula, na qual se criam possibilidades de encontros presenciais e virtuais, que levam o aluno a acessar informações disponibilizadas no universo da sociedade do conhecimento. Segundo a autora, o docente serve-se da informática como instrumento de sua prática pedagógica, consciente de que a lógica de consumo não pode ultrapassar a lógica da produção de conhecimento. Nesse aspecto, o computador e a rede devem estar a serviço da escola e da aprendizagem. Cabe salientar que o trabalho com os recursos midiáticos não exclui ou descarta o percurso realizado pela linguagem oral e escrita como também não dispensa o professor, fundamental mediador no processo de ensino-aprendizagem. Além disso, a aprendizagem torna-se muito mais significativa quando parte das situações vividas cotidianamente pelos alunos, os quais utilizam assiduamente os recursos midiáticos disponíveis, como computadores conectados à rede mundial, MPs, celulares, entre outros. Eles se sentem mais à vontade ao pesquisar em textos a partir de links da internet, o chamado hipertexto, do que somente em livros tradicionais. Aprendemos com mais facilidade quando há interesse ou real necessidade. No entanto, ensinar com as novas mídias só será uma revolução se mudarmos simultaneamente os paradigmas convencionais com os quais estamos acostumados e que 3

4 mantêm distantes professores e alunos. Caso contrário, conseguiremos dar um verniz de modernidade, sem mexer no essencial. 3 Procedimentos Metodológicos Para a realização da pesquisa, foi elaborado um questionário como instrumento de coleta de dados composto por seis questões objetivas e uma discursiva. Esse questionário foi prontamente respondido por professores do ensino fundamental de escolas públicas de Londrina e Cambé, cidades situadas no norte do estado do Paraná. Os professores responderam também a perguntas a respeito de sexo, idade, tempo de magistério, disciplina ministrada, escola(s) em que atua e formação. Ressaltamos que, para essa análise preliminar, não foram verificadas essas variáveis, isto é, a análise pauta-se nas respostas do grupo total de professores sem qualquer distinção entre eles. 4 Análise dos Dados A primeira questão do questionário buscava saber se o professor costuma empregar os recursos midiáticos em suas aulas e com qual frequência. 1. Você costuma utilizar alguma Tecnologia de Informação ou Comunicação TIC (televisão, vídeo, projetor multimídia, retroprojetor, aparelho de som etc.) em suas aulas? ( ) sempre ( ) quase sempre ( ) às vezes ( ) raramente ( ) nunca Gráfico 1 Nas respostas a essa pergunta, verificamos que os professores pouco empregam os recursos midiáticos em sala de aula, isso porque cerca de 46% dos docentes questionados disseram que às vezes utilizam esses recursos e cerca de 14% afirmaram utilizá-los raramente. 20% responderam que sempre ou quase sempre os empregam, número considerado pequeno diante do contexto escolar que vivenciamos na atualidade e do número muito expressivo de possibilidades que esses recursos apresentam para a prática docente. Além do fato de que, no estado do Paraná, as escolas públicas têm muitas ferramentas midiáticas, a principal delas é, como 4

5 já dissemos, a TV Pendrive, a qual projeta imagens, sons, vídeos, slides, texto e outros, funcionando como um projetor multimídia muito rico. Cabe salientar que nenhum informante afirmou nunca ter utilizado tais ferramentas, o que consideramos bastante positivo. A segunda questão indagava a respeito dos tipos de recursos midiáticos empregados em sala e a frequência da utilização de cada um deles. É preciso salientar que, após consultar o Núcleo Regional de Ensino de Londrina, decidimos investigar o emprego da TV Pendrive, do aparelho de som e do retroprojetor por serem os principais recursos tecnológicos disponíveis nas escolas paranaenses. A análise do emprego do projetor multimídia (muito conhecido como datashow) deve-se ao fato de o considerarmos um interessante instrumento para uso em sala de aula por possibilitar a projeção de imagens, sons, vídeos e outros. 2. Quais ferrramentas elencadas abaixo você costuma utilizar em sala de aula. Assinale a frequência e explique o porquê dessa frequência de uso. ( ) TV pendrive ( ) sempre ( ) quase sempre ( ) às vezes ( ) raramente ( ) nunca Motivo: ( ) Aparelho de som ( ) sempre ( ) quase sempre ( ) às vezes ( ) raramente ( ) nunca Motivo: ( ) Televisão, Vídeo, DVD ( ) sempre ( ) quase sempre ( ) às vezes ( ) raramente ( ) nunca Motivo: ( ) Retroprojetor ( ) sempre ( ) quase sempre ( ) às vezes ( ) raramente ( ) nunca Motivo: ( ) Projetor Multimídia (datashow) ( ) sempre ( ) quase sempre ( ) às vezes ( ) raramente 5

6 ( ) nunca Motivo: Tabela 1: Tipos de TICs utilizados e frequência de uso. TV pendrive Aparelho de TV, Vídeo, Projetor Retroprojetor Som DVD Multimídia Sempre 0 % 0 % 0 % 0 % 0 % Quase sempre 20 % 6 % 40 % 0 % 0 % Às vezes 34 % 34 % 46 % 13 % 6 % Raramente 20 % 20 % 14 % 13 % 14 % Nunca 26 % 40 % 0 % 74 % 80 % Observação: A tabela apresenta os valores aproximados. Observamos que os professores da rede pública do Norte do Paraná pouco empregam recursos midiáticos em suas aulas, principalmente aqueles considerados mais modernos, como o projetor multimídia (o datashow), que nunca foi utilizado na prática docente por 73% dos professores questionados, e a TV Pendrive, nunca empregada por 26% dos participantes da pesquisa. Isso se deve à falta de conhecimento de como esse instrumento funciona e à ausência daquele nas escolas públicas do estado. Deve-se também ao fato de a TV Pendrive passar slides, substituindo, assim, o projetor multimídia, o qual, por seu turno, exige o emprego em conjunto de um computador. Chamou-nos a atenção o número bastante expressivo de professores que nunca utilizaram o retroprojetor em aulas. Esse instrumento é bem conhecido por alunos e professores, além de ser empregado já há algum tempo na prática docente e de estar disponível em todas as escolas paranaenses. O seu pouco emprego deve-se ao fato de, primeiro, ele ter de ser levado para sala de aula, o que pode ser considerado por muitos professores desgastante e, segundo, por ele exigir a produção de transparências, o que gera certo custo extra para os docentes. A TV Pendrive é empregada com a ajuda de um pendrive, oferecido a todos os professores pelo governo sem custo algum. Essa ferramenta, que veio substituir o disquete e o CD-ROM, possibilita a troca constante de materiais, a sua formatação (apagamento de todos os dados salvos, ou seja, limpeza geral do drive), o que permite sua reutilização, e também salvar muitos arquivos, como vídeos, músicas, slides, textos etc. Já as transparências não. O professor precisa de várias delas para projetar um texto ou imagens, além de custarem em torno de R$1,50 cada uma. Além disso, depois de gravado, seu conteúdo não pode ser apagado para sua reutilização, e muitas escolas não as oferecem para o uso do professor. A terceira pergunta indagava acerca do que pensa o professor a respeito das TICs. 3. Você acredita que o emprego das multimídias facilita o processo de ensino e aprendizagem? ( ) muito ( ) razoável ( ) pouco ( ) nada Por quê? 6

7 Gráfico 2 Nas respostas para essa pergunta, verificamos que: 53% dos docentes questionados acreditam que o uso dos recursos facilita muito o processo de ensino e aprendizagem; 40% afirmam que facilita razoavelmente; e 7% acreditam que facilita pouco. Nenhum professor disse que não facilita em nada. Isso demonstra que ainda não há consenso a respeito das TICs em aulas, o que pode diminuir a recorrência de sua utilização nas escolas. Ademais, percebese uma incoerência: os docentes concordam que o emprego das TICs facilita o processo de ensino e aprendizagem, porém a minoria os emprega frequentemente em suas aulas. A questão seguinte buscava determinar o que pensam os professores acerca do gosto dos estudantes pelo uso das TICs. 4. Você considera que os alunos apreciam o emprego de recursos de multimídias em sala de aula? ( ) muito ( ) razoável ( ) pouco ( ) nada Por quê? Em relação à preferência dos alunos, 53% dos entrevistados afirmaram que os alunos apreciam muito os recursos e 47% disseram que os alunos apreciam razoavelmente. Aqui percebemos nova incoerência no discurso dos professores, os quais acreditam que os alunos apreciam o trabalho docente com o auxílio das TICs, mas, ainda assim, os professores preferem não as utilizar em sala de aula. O professor P05 afirmou que: Por fazer parte do cotidiano dos alunos, acredito que eles conseguem se concentrar melhor quando recursos multimídia são utilizados. Isso mostra a preocupação do professor em contextualizar a prática docente com as vivências rotineiras dos seus alunos, de modo a tornar suas aulas mais interessantes. Porém, 7

8 se os alunos se concentram mais com aulas mais midiáticas, por que não empregar as TICs em sala de aula com mais frequência? Os docentes dizem que lhes falta tempo para preparar materiais e conhecimento de como suar as ferramentas. Contudo, como já dissemos, a página eletrônica do governo oferece materiais e um tutorial de uso da TV Pendrive. Outro docente, P33, argumentou que: Porque chama mais a atenção, é mais agradável do que uma exposição apenas oral. Essa resposta demonstra a preocupação docente em tornar suas aulas mais atrativas aos estudantes, auxiliando, assim, o processo de ensino-aprendizagem, já que aluno interessado ouve e participa mais, aprendendo mais por consequência. A quinta pergunta era a respeito dos momentos das aulas em que as ferramentas de multimídia são utilizadas pelos docentes. 5. Em quais momentos você emprega esses recursos em sala de aula? ( ) explicação de teoria ( ) resolução de exercícios ( ) exemplificação ( ) motivação e/ou fechamento de aula ( ) todo o tempo ( ) outro. Qual? Dos professores que responderam ao questionário: 60% afirmaram que empregam as ferramentas multimídias em explicações de teoria; 20% na resolução de problemas; 53% em exemplificações; 46% na motivação dos alunos; nenhum professor respondeu que as emprega o tempo todo ou em outro momento da aula. Gráfico 3 Por meio das respostas, observamos que muitos professores utilizam em mais de um momento as TICs em suas aulas, mas que predomina a sua utilização em explicações, em exemplificações e na motivação dos estudantes. Surpreendeu-nos o uso pouco expressivo desses recursos em exemplificações e o número elevado de professores que os utiliza na exposição teórica. A sexta questão perguntava a respeito do objetivo com que o professor emprega esses recursos. 6. Com que objetivo você utiliza esses recursos? 8

9 ( ) para auxiliar a aula ( ) para substituir apostilas e/ou livros ( ) para exibir áudio e/ou vídeo ( ) para facilitar a exibição de exemplos ( ) para substituir o quadro ( ) outro. Qual? Em relação ao questionamento a respeito de o porquê de esses recursos serem utilizados, verificamos que, em geral, os professores usam-nos com a intenção de auxiliar a aula, de exibir áudio e/ou vídeo, de projetar imagens ou de facilitar a exemplificação. Gráfico 4 Esperávamos não encontrar muitos docentes que utilizassem essas ferramentas para substituir o quadro ou materiais didáticos. Verificamos exatamente o contrário. Os professores, em sua grande maioria, recorrem a esses instrumentos como apoio de aula ou na exibição audiovisual. O que demonstra um uso adequado dos recursos, já que eles não vieram substituir o quadro ou o material didático, tampouco o professor, mas acrescentar, estimular, ampliar. Não basta que o professor empregue TICs em aulas, é preciso que ele saiba como e quando empregá-las. A última pergunta do questionário queria saber se o professor acredita que esses recursos vão substituir seu papel nas aulas: 7. Para você, esses recursos podem substituir o trabalho do professor? Justifique. Como esperávamos 93% dos pesquisados afirmaram que tais recursos não substituem o professor, apenas 7% disseram que eventualmente sim. Muitos docentes manifestaram a consciência do papel mediador desenvolvido pelos professores; papel esse que não pode ser substituído por instrumentos tecnológicos quaisquer que sejam. O professor P15 defende que: Não. Acredito que os recursos multimídia auxiliam o trabalho do professor na aplicação e exposição do conteúdo. Sempre é necessária a mediação. A maioria dos professores argumentou que os recursos auxiliam, orientam, exemplificam e colaboram com o processo de ensino-aprendizagem, mas que é sempre necessária a presença do professor para solucionar dúvidas e agir como mediador. 9

10 5 Considerações Finais A partir da visão de democratização do acesso às novas tecnologias, praticamente todas as escolas públicas do Paraná foram equipadas com laboratórios, microcomputadores e com TVs Pendrive, os quais estão disponíveis para alunos e professores fazerem uso. No entanto, verificamos que, embora os docentes tenham interesse em aplicar as TICs em sala de aula, encontram alguns percalços, como a falta de conhecimento técnico, falta de tempo para preparo e pesquisa para elaboração das aulas e também ausência de técnicos especializados para dar suporte às escolas. Referências BEHRENS, M. A. Projetos de aprendizagem colaborativa. In: MORAN, J. M.; MASSETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. São Paulo: Papirus, MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas. In: MORAN, J. M.; MASSETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. São Paulo: Papirus, PARANÁ. Secretaria da Educação. Portal dia a dia educação. Disponível em: <http://www.educacao.pr.gov.br/>. Acesso em out XAVIER, A. C. S. Letramento digital e ensino. Disponível em: <http://www.ufpe.br/nehte/artigos/letramento%20digital%20e%20ensino.pdf>. Acesso em out

11 Anexo A: Portal Dia a Dia Educação Anexos Anexo B: Portal Dia a Dia Educação Língua Portuguesa 11

12 Anexo C: Fotografia da TV Pendrive Fonte: 12

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO METODOLOGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UM OLHAR A PARTIR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Flávia Nascimento de Oliveira flavinhamatematica@hotmail.com Rivânia Fernandes da Costa Dantas rivafern@hotmail.com

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Suzana Aparecida Portes FC UNESP- Bauru/SP E-mail: suzanaapportes@gmail.com Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani FC UNESP- Bauru/SP E-mail:

Leia mais

OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR

OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR Fundação Universidade Federal do Tocantins Maria Jose de Pinho mjpgon@mail.uft.edu.br Professora orientadora do PIBIC pedagogia Edieide Rodrigues Araújo Acadêmica

Leia mais

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Rose Maria Bastos Farias (UFAL) rmbfarias@hotmail.com RESUMO: Trata-se de uma pesquisa

Leia mais

TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA

TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA MELLO, Rosângela Menta SEED/PR rosangelamenta@seed.pr.gov.br Eixo Temático: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou com financiamento Resumo Apresentamos

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Sabrine Denardi de Menezes da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Vicente do Sul RESUMO: A

Leia mais

Formação de professores para o uso das TIC: um estudo de caso sobre os cursos presenciais de Letras no Vale do Paraíba

Formação de professores para o uso das TIC: um estudo de caso sobre os cursos presenciais de Letras no Vale do Paraíba 1 Formação de professores para o uso das TIC: um estudo de caso sobre os cursos presenciais de Letras no Vale do Paraíba Sílvia Helena Santos Vasconcellos 1 Resumo O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS COMO PARCEIRAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA.

AS NOVAS TECNOLOGIAS COMO PARCEIRAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA. AS NOVAS TECNOLOGIAS COMO PARCEIRAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA. MORAES, Camilla Santos 1 Palavras-chave: ensino-aprendizagem de inglês, novas tecnologias, ensino mediado pelo computador.

Leia mais

APRENDENDO A CONVERTER VÍDEOS

APRENDENDO A CONVERTER VÍDEOS Professor-tutor/Assessor da CRTE: Nilton Sérgio Rech Nome do Cursista: Claudia Gasperin Colégio: Escola Estadual do Campo Zulmiro Trento Unidade: 03 Data: 15/09/2011 Atividade: Atividade a ser Implementada

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Nicia Cristina Rocha Riccio nicia@ufba.br Introdução Com o advento das tecnologias de informação e comunicação (TICs) a Educação a Distância (EAD) ganha

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO Luciano Bernardo Ramo; Maria Betania Hermenegildo dos Santos Universidade Federal da Paraíba. luciano_bernardo95@hotmail.com

Leia mais

A Educação a Distância como ferramenta para estimular e melhorar o desempenho dos alunos da E.E.E.F.M. Advogado Nobel Vita em Coremas - PB

A Educação a Distância como ferramenta para estimular e melhorar o desempenho dos alunos da E.E.E.F.M. Advogado Nobel Vita em Coremas - PB A Educação a Distância como ferramenta para estimular e melhorar o desempenho dos alunos da E.E.E.F.M. Advogado Nobel Vita em Coremas - PB MSc. Robson Silva Cavalcanti Coremas, 13 Outubro de 2011 Objetivo

Leia mais

ENSINO DE FÍSICA EM ANGICAL DO PIAUÍ PI: EM BUSCA DA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES E DE METODOLOGIAS EFICAZES

ENSINO DE FÍSICA EM ANGICAL DO PIAUÍ PI: EM BUSCA DA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES E DE METODOLOGIAS EFICAZES ENSINO DE FÍSICA EM ANGICAL DO PIAUÍ PI: EM BUSCA DA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES E DE METODOLOGIAS EFICAZES MARCELA NEIVA SOUSA 1 SAMARA MARIA VIANA DA SILVA 2 RESUMO O presente artigo tem como objetivo investigar

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DOCENTE: SUBSÍDIOS PARA UMA REFLEXÃO

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DOCENTE: SUBSÍDIOS PARA UMA REFLEXÃO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DOCENTE: SUBSÍDIOS PARA UMA REFLEXÃO Monique da Silva de Araujo UNESA monique_msa@yahoo.com.br Daniela Punaro Baratta de Faria UNESA daniela.punaro@gmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CLAUDIOMAR PINHEIRO DA SILVA A EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MÍDIAS NA ESCOLA PÚBLICA.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CLAUDIOMAR PINHEIRO DA SILVA A EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MÍDIAS NA ESCOLA PÚBLICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CLAUDIOMAR PINHEIRO DA SILVA A EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MÍDIAS NA ESCOLA PÚBLICA. CURITIBA 2015 CLAUDIOMAR PINHEIRO DA SILVA A EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MÍDIAS NA ESCOLA PÚBLICA.

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA PELOS DOCENTES COMO UMA FERRAMENTA DE ENSINO

A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA PELOS DOCENTES COMO UMA FERRAMENTA DE ENSINO A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA PELOS DOCENTES COMO UMA FERRAMENTA DE ENSINO Maria Dasdores Vieira de França marri_ce@hotmail.com Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de

Leia mais

O emprego da lousa digital no processo de aprendizagem de alunos de licenciatura e do ensino médio

O emprego da lousa digital no processo de aprendizagem de alunos de licenciatura e do ensino médio O emprego da lousa digital no processo de aprendizagem de alunos de licenciatura e do ensino médio Filipe Cesar da Silva Discente da Universidade do Sagrado Coração (USC) felipe_mirc@hotmail.com Melissa

Leia mais

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS Mário Sérgio de Andrade Mendonça, mariomendonc@gmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br UEMS Universidade Estadual

Leia mais

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias

Leia mais

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke Instituto Federal do Paraná Licenciatura em Física Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke SUMÁRIO 1 Introdução... 2 2 Justificativa... 4

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

A importância de videoaulas na educação

A importância de videoaulas na educação A importância de videoaulas na educação Leonardo Senna Zelinski Silvia Leticia Ludke Resumo: Este artigo apresentará análise da necessidade da produção de videoaulas para divulgação online, visando principalmente

Leia mais

UM NOVO OLHAR PARA CIÊNCIA QUÍMICA: O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM COMO POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO DE FUTUROS CIENTISTAS

UM NOVO OLHAR PARA CIÊNCIA QUÍMICA: O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM COMO POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO DE FUTUROS CIENTISTAS UM NOVO OLHAR PARA CIÊNCIA QUÍMICA: O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM COMO POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO DE FUTUROS CIENTISTAS Brasília DF, 06/2010 Letícia Campos Honório - Universidade Católica de Brasília

Leia mais

Filme: Ilha das Flores

Filme: Ilha das Flores Filme: Ilha das Flores Gênero: Documentário, Experimental Diretor: Jorge Furtado Elenco: Ciça Reckziegel Ano: 1989 Duração: 13 min Cor: Colorido Bitola: 35mm País: Brasil Disponível no Porta Curtas: www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?cod=647

Leia mais

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE ¹C. J. F. Souza (ID); ¹M. Y. S. Costa (ID); ²A. M. Macêdo (CA)

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 1 CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 04/2007 Mílada Tonarelli Gonçalves CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária

Leia mais

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE

PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE Producing Educational Video-Lessons from Video Software Available for Free Roberto Guimarães Dutra de Oliveira,

Leia mais

Sua Escola, Nossa Escola

Sua Escola, Nossa Escola Sua Escola, Nossa Escola Episódio: Andréa Natália e o Ensino na Fronteira Ponta Porã Resumo Esse vídeo integra a série Sua Escola, Nossa Escola, composta por dezessete programas, os quais mostram experiências

Leia mais

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO RESUMO Arlam Dielcio Pontes da Silva UFRPE/UAG Gerciane

Leia mais

Conecta Positivo 2014 MANTER E INOVAR. Assessoria da Área de Informática Educativa

Conecta Positivo 2014 MANTER E INOVAR. Assessoria da Área de Informática Educativa Conecta Positivo 2014 MANTER E INOVAR Assessoria da Área de Informática Educativa http://tinyurl.com/avaliacao-spe Assessoria da Área de Informática Educativa Marileusa G. de Souza mgsouza@positivo.com.br

Leia mais

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Jocélia Germano

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

2 - Embasamento teórico Revista Tecnologias na Educação Ano 6 - número 11 Dezembro 2014 -http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/

2 - Embasamento teórico Revista Tecnologias na Educação Ano 6 - número 11 Dezembro 2014 -http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/ As tecnologias digitais e a necessidade da formação continuada de professores de Ciências e Biologia para tecnologia: um estudo realizado em uma escola de Belo Horizonte Karine Santos Sanches 1 Amanda

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos Marli Fátima Vick Vieira 1 ; Gicele Vieira Prebianca 2 ; Tháfila Krum de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO ANGELA CRISTINA NUNES GUEDES HUERTAS ORIENTADOR: PROFESSOR: PAULO GUILHERMETI O ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL:

Leia mais

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA Fernanda Mara Cruz (SEED/PR-PG-UFF) Introdução Os processos de ensinar e aprender estão a cada dia mais inovadores e com a presença de uma grande variedade

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM Fernanda Maura M. da Silva Lopes 1 Lorena Luquini de Barros Abreu 2 1 Universidade Salgado de Oliveira/ Juiz

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS PELOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA DAS ESCOLAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE MARINGÁ

O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS PELOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA DAS ESCOLAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE MARINGÁ O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS PELOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA DAS ESCOLAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE MARINGÁ Resumo MELO, Antonio Claudemir de claudemirmelo@hotmail.com BERTONCELLO, Ludhiana

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO Eletiva VOCÊ EM VÍDEO E.E. Princesa Isabel Número da sala e sessão Professor(es) Apresentador(es): Adriana Prado Aparecida Pereira da Silva Realização: Foco A Escola Estadual Princesa Isabel, por meio

Leia mais

Guia do Aluno - Disciplinas On-line (DOL)

Guia do Aluno - Disciplinas On-line (DOL) GUIA DO ALUNO Seja bem-vindo(a) às disciplinas On-line (DOL) dos cursos de gradução do Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU) e das Faculdades Maurício de Nassau! Agora que você já está matriculado(a)

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

AS SALAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E A PRATICA DOCENTE.

AS SALAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E A PRATICA DOCENTE. AS SALAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E A PRATICA DOCENTE. Introdução Carlos Roberto das Virgens Sirlene de Souza Benedito das Virgens Antonio Sales Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul Não faz muito

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1

Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1 Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1 Charlotte Couto Melo 2 Gláucia da Silva Brito 3 Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR. Resumo As mudanças

Leia mais

Projeto de Redesenho Curricular

Projeto de Redesenho Curricular AÇÕES DAS ESCOLAS PARTICIPANTES DO ProEMI COM TI Equipamentos midiáticos e tecnológicos adquiridos pelo PROEMI EE DONA ELISA DE COMPOS LIMA NOVELLI - DER ITARARÉ Objetivos Projeto de Redesenho Curricular

Leia mais

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA 1. DO OBJETO Constitui-se como objeto da Ata de Registro de Preço a aquisição de materiais didáticos e paradidáticos em tecnologia educacional para

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim

Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim Conselheira do Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior EAD NO BRASIL 1ª Fase: Década de 60 Ensino

Leia mais

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA Autor - Juliana ALVES - IFTM 1 Coautor - Andriza ASSUNÇÃO IFTM 2 Coautor - Aparecida Maria VALLE IFTM 3 Coautor - Carla Alessandra NASCIMENTO

Leia mais

A FORMAÇÃO DOCENTE PARA AQUISIÇÃO DE HABILIDADES NO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS

A FORMAÇÃO DOCENTE PARA AQUISIÇÃO DE HABILIDADES NO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS TIC Y EDUCACIÓN A FORMAÇÃO DOCENTE PARA AQUISIÇÃO DE HABILIDADES NO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS Vanessa de Fátima Silva Moura 1 Teresinha de Jesus Nogueira 2 Sibelle Gomes Lima 3 Maria Fernanda

Leia mais

Maria Elizabeth de Almeida fala sobre tecnologia na sala de aula

Maria Elizabeth de Almeida fala sobre tecnologia na sala de aula Maria Elizabeth de Almeida fala sobre tecnologia na sala de aula Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida alerta que o currículo escolar não pode continuar dissociado das novas possibilidades tecnológicas

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas. A INTERAÇÃO DOS PROFESSORES DO CURSO DE FISIOTERAPIA COM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO PEDAGÓGICO Heloisa Galdino Gumueiro Ribeiro 1, Prof. Dirce Aparecida Foletto De Moraes 2

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FORMANDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA O ACESSO A INTERNET: O CURSO DE WEB DESIGN E A

Leia mais

UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Thayna Rhayssa Batista da Silva¹, Joaklebio Alves da Silva, Luiz Antonio de Sales 1. thaynarbs@bol.com.br

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DOS FATORES QUE DIFICULTAM A ATUAÇÃO DO DOCENTE NA MODALIDADE EAD NO ENSINO SUPERIOR

IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DOS FATORES QUE DIFICULTAM A ATUAÇÃO DO DOCENTE NA MODALIDADE EAD NO ENSINO SUPERIOR 1 IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DOS FATORES QUE DIFICULTAM A ATUAÇÃO DO DOCENTE NA MODALIDADE EAD NO ENSINO SUPERIOR Ribeirão Preto-SP - 05/2009 Edilson Carlos Caritá - Universidade de Ribeirão Preto UNAERP

Leia mais

REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA Guilherme Garcez Cunha, UNIPAMPA Campus Dom Pedrito, guilhermecunha@unipampa.edu.br; Franciele B. de O. Coelho,

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo Artes Audiovisuais: Estratégia cooperativa na modalidade Educação Jovem e Adulta - EJA STEFANELLI, Ricardo 1 Instituto Federal de Educação Tecnológica de São Paulo RESUMO O presente trabalho na disciplina

Leia mais

SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH

SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH Anderson Clavico Moreira Profª. Ms. Deise Deolindo Silva short_acm@hotmail.com deisedeolindo@hotmail.com Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE Resumo O estudo objetiva discutir os desafios dos cursos de formação de professores frente à inserção

Leia mais

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO GUIA DO ALUNO EAD GUIA DO ALUNO EAD Guia do Aluno Seja bem-vindo(a) às disciplinas EAD! Agora que você já está matriculado na disciplina online, chegou o momento de ficar por dentro de informações muito

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL 1 NRE: TOLEDO 2 COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO VEREADOR SAMUEL BENCK EFM 3 AUTOR: Fernanda Mesquita Santiago 4 DOCENTE: Nilton Sérgio Rech 5 TÍTULO: Salvando imagens do Portal Dia a Dia no Pendrive para uso

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS TDICs PARA O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS*

AS CONTRIBUIÇÕES DAS TDICs PARA O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS* AS CONTRIBUIÇÕES DAS TDICs PARA O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS* Layanna Martha Pires de Araujo 1 Silvania Cápua Carvalho 2 Resumo: O presente artigo visa mostrar como as Tecnologias Digitais da Informação

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA Camila Nicola Boeri Universidade de Aveiro Portugal camilaboeri@hotmail.com Márcio Tadeu Vione IFMT - Campus Parecis - MT mtvione@gmail.com

Leia mais

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo Ciência, Educação e Tecnologia Teleaula 6 Profa. Mônica Caetano Vieira da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor

Leia mais

ANÁLISE DO USO DAS MÍDIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO ESTADO DE ALAGOAS

ANÁLISE DO USO DAS MÍDIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO ESTADO DE ALAGOAS ANÁLISE DO USO DAS MÍDIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO ESTADO DE ALAGOAS Olindina maria moura da silva (UFAL) hollyn.moura@hotmail.com RESUMO:

Leia mais

www.educacao.ba.gov.br

www.educacao.ba.gov.br Esta cartilha digital tem o objetivo de apresentar aos professores e estudantes da Rede Pública de Ensino as Mídias e Tecnologias Educacionais Livres da Secretaria de Educação da Bahia disponibilizados

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Nilce Fátima Scheffer - URI-Campus de Erechim/RS - snilce@uri.com.br

Leia mais

PROPOSTA DE ATIVIDADE

PROPOSTA DE ATIVIDADE PROPOSTA DE ATIVIDADE 1- Título: O Planeta Terra em Alerta, os principais problemas ambientais das grandes metrópoles 2- Autor: Marcia Andréia Veit 3- Aplicativo utilizado: Internet e Impress 4- Disciplina:

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA

RELATO DE EXPERIÊNCIA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA Instituição/Escola: Centro Estadual de Educação Básica Para Jovens e Adultos de Toledo Nome do Autor: Jaqueline Bonetti Rubini Coautor: Nilton Sérgio Rech E-mail para contato: jaquelinebonetti@hotmail.com

Leia mais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais UNIPLAC fabiterezo@hotmail.com 1. Introdução Com o advento dos computadores, dos programas de desenho, das impressoras

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO IVINHEMA MS ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO Planejamento anual de atividades a serem desenvolvidas pelo Professor Gerenciador de

Leia mais

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE Florianópolis - SC Abril 2015 Aline Linhares F. Silveira. IEA e-learning- aline.silveira@iea.com.br

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 NOVA ANDRADINA MS MARÇO DE 2015 ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 Plano de ação a ser desenvolvido no ano letivo de 2015, pelo

Leia mais

T E C N O LO G I A E D U C AC I O N A L LOUSA EDUCACIONAL INTERATIVA

T E C N O LO G I A E D U C AC I O N A L LOUSA EDUCACIONAL INTERATIVA T E C N O LO G I A E D U C AC I O N A L LOUSA EDUCACIONAL INTERATIVA w w w. h o m e l a b. c o m.b r APRESENTAÇÃO Nos últimos anos, o perfil dos alunos no mundo tem mudado em consequência dos estímulos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD)

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) PADILHA, Emanuele Coimbra; SELVERO, Caroline Mitidieri Graduada em Letras-Espanhol pela Universidade Federal de Santa Maria UFSM. E-mail: emanuelecp@hotmail.com

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning.

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. Autor(a): Gliner Dias Alencar Coautor(es): Joaquim Nogueira Ferraz Filho, Marcelo Ferreira de Lima, Lucas Correia de Andrade, Alessandra

Leia mais

Boletim CPA/UFRPE Curso de Zootecnia Unidade Acadêmica de Garanhuns Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014

Boletim CPA/UFRPE Curso de Zootecnia Unidade Acadêmica de Garanhuns Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014 Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014 Apresentando o Boletim CPA: É com enorme satisfação que a Comissão Própria de Avaliação (CPA/UFRPE), responsável por coordenar os processos internos de avaliação

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia. 1 O PAPEL DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: Um Estudo de Caso no pólo UNOPAR, Machadinho do Oeste - RO Izaqueu Chaves de Oliveira 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo compreender a importância

Leia mais