Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO QUALIFICAÇÃO COOPERATIVISTA SESCOOP/GO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO QUALIFICAÇÃO COOPERATIVISTA SESCOOP/GO"

Transcrição

1 CASA NOVA Sistema OCB/SESCOOP-GO inaugura nova sede em abril 3 Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO ANO V Nº 31 JANEIRO/FEVEREIRO/2011 QUALIFICAÇÃO COOPERATIVISTA SESCOOP/GO Entidade reafirma sua importância no desenvolvimento das cooperativas em Goiás: em 2010 foram pessoas beneficiadas 4 e 5 RAMO SAÚDE Câmara de Goiânia aprova fim da bitributação das cooperativas médicas 6

2 GOIAS COOPERATIVO // JANEIRO/FEVEREIRO/ OCB-GO Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado de Goiás Av. Deputado Jamel Cecílio, 3427 Jardim Goiás CEP: Goiânia-Goiás - Fone: (62) Fax: (62) CNPJ: / CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente: Antonio Chavaglia (Comigo) Vice-presidente: Antonio Carlos Borges (Agrovale) Secretário: Haroldo Max de Sousa (Centroleite) Membro: Fábio Batista Veloso (Coopmego) Membro: Vanderval Lima Ferreira (Sicoob Goiás Central) Membro: Dejan Rodrigues Nonato (Unicred Brasil Central) Membro: Marcos Mariath Rangel (Sicoob Credicor) Membro: José Abel Alcanfor Ximenes (Unimed Cerrado) Membro: Karla Jorama Tavares Brandão (Uniodonto Goiânia) CONSELHO FISCAL CONSELHEIROS EFETIvOS: Membro: Welber DÁssis Macedo e Silva (Copal) Membro: Adilson Ferreira de Moraes (Comiva) Membro: Vanderval José Ribeiro (Sicoob do Vale) CONSELHEIROS SupLENTES: Membro: Ênio Freitas de Sene (Sicredi Quirinópolis) Membro: João Batista Pereira Machado (Federação das Uniodontos) Membro: Rodrigo Penna de Siqueira (Sicoob Coopercred) Superintendente: Valéria Mendes da Silva SESCOOP/GO Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Goiás Av. Deputado Jamel Cecílio, Jardim Goiás CEP: Goiânia-Goiás - Fone: (62) Fax: (62) CNPJ: / CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente: Antonio Chavaglia CONSELHEIROS EFETIvOS: Membro: Haroldo Max de Sousa (Centroleite) Membro: Sizenando da Silva Campos Jr. (Unimed Goiânia) Membro: Euclécio Dionízio Mendonça (Complem) Membro: Amarildo Moraes de Oliveira (Comigo) CONSELHEIROS SupLENTES: Membro: Antonio Carlos Borges (Agrovale) Membro: João Batista da Paixão Jr. (Cooperbelgo) Membro: Renato Nobile (Sescoop Nacional) Membro: Edmar Queiroz da Silva (Comigo) CONSELHO FISCAL CONSELHEIROS EFETIvOS: Membro: Astrogildo Gonçalves Peixoto (Coapil) Membro: Pedro Jaime de Araújo Caldas (Sicredi Planalto Central GO) Membro: João Gonçalves Vilela (Cagel) CONSELHEIROS SupLENTES: Membro: Carlos Henrique Arruda Duarte (Coacal) Membro: Rubens da Cruz Santana (Coval) Membro: Danúbio Antônio de Oliveira (Unimed Anápolis) Superintendente: Valéria Mendes da Silva REDAÇÃO E EDIÇÃO: Edson Wander (Mtb /SP) DIAGRAMAÇÃO: Flávio Comunicação FOTOGRAFIAS: Arquivo Sistema OCB/SESCOOP-GO e divulgação IMPRESSÃO: Poligráfica / Tiragem: 4 mil exemplares DISTRIBUIÇÃO: Publicação dirigida às cooperativas e entidades ligadas direta ou indiretamente ao cooperativismo no estado de Goiás. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não correspondendo necessariamente à opinião do Sistema OCB/SESCOOP-GO. Permitida a reprodução total ou parcial dos textos, desde que citada a fonte. Este jornal está disponível em versão eletrônica no site do Sistema OCB/SESCOOPGO: Editorial Novo ano, nova preparação ANTONIO CHAvAgLIA / Presidente do Sistema OCB/SESCOOP-GO A temporada de balanços cooperativistas se avizinha. Como é de conhecimento público, os balanços de cooperativas ocorrem, como determina a legislação, até o final de março. E o que se prevê desses números é um quadro que confirma o cenário de recuperação econômica experimentado pelo país no ano passado, depois do furacão financeiro vivido pelo mundo a partir da quebra de bancos em Wall Street. Nossa esperança é para que essa retomada seja consolidada neste ano, com a geração de mais emprego e renda no campo e na cidade. Geração de mais emprego e renda invariavelmente empurra as sociedades cooperativas um pouco mais para frente, especialmente aquelas que se preparam para os novos tempos. E quando falamos em preparação no cooperativismo, lembramos de imediato de qualificação e, então, nos vem à mente a figura do Sescoop, essa entidade que cresce cada vez mais em importância na vida das cooperativas brasileiras. De nossa parte, em Goiás, o SESCOOP/GO, motivo principal dessas nossas primeiras páginas do ano, vem cumprindo fielmente seu papel de ser a âncora do crescimento sustentado das cooperativas goianas. Com um misto de sensibilidade e competência, regados a muito trabalho, a entidade voltou a experimentar um crescimento promissor em todos os seus índices. Fez isso aproveitando a melhora na renda das cooperativas, mas também por saber incutir nos dirigentes e gestores a importância de capacitar, treinar, reciclar, subsidiar, enfim, o crescimento pessoal e coletivo de todos que tocam o dia a dia dos empreendimentos cooperativos. Ou seja, o SESCOOP/GO não voltou a crescer porque teve mais recursos, voltou a crescer porque tem aprendido a usar bem os seus recursos, orientando as cooperativas a usar melhor aquilo que é delas, foi feito e existe em função delas. Nesse sentido, outra esperança nossa neste ano que se inicia é que esse movimento conscientizador da importância de se preparar para o melhor continue em todos os n íveis da organização cooperativista em nosso estado. Outros assuntos relevantes desta edição nos são igualmente prazerosos de anunciar. Como a tão sonhada ampliação de nossa sede (ver na página ao lado). A vitória política das cooperativas do ramo Saúde na capital também é alvissareira. Uma conquista que muita luta e dedicação envolveu a todo corpo representativo do setor no estado e que deve servir de exemplo para os outros ramos. Oxalá que essa sensibilidade da prefeitura de Goiânia de reconhecer a bitributação do trabalho médico cooperado se espalhe por todos os outros municípios de Goiás onde o cooperativismo se faz presente. Em suma, o ano começa bem, mas é importante que nos preparemos para o que der e vier. Boa leitura e saudações cooperativistas O SESCOOP/GO, motivo principal dessas nossas primeiras páginas do ano, vem cumprindo fielmente seu papel de ser a âncora do crescimento sustentado das cooperativas goianas.

3 GOIAS COOPERATIVO // JANEIRO/FEVEREIRO/ Nova sede do Sistema OCB/SESCOOP-GO Mais e melhor espaço para o cooperativismo de Goiás CASA NOVA Obra vai melhorar serviços prestados às cooperativas, ressalta o presidente Antonio Chavaglia Prédio com mais 2322 m2 de área construída terá salas com divisórias articuláveis para se transformar em auditório para 300 pessoas O cooperativismo goiano ganhará, a partir de maio, uma moderna e espaçosa sede. Com mais de metros quadrados de área construída, será inaugurada a ampliação da sede do Sistema OCB/SESCOOP-GO, em área anexa à atual sede, no Jardim Goiás, em Goiânia. A obra foi erguida em 12 meses e será entregue no dia 29 de abril. Além das salas que abrigarão os departamentos administrativos do Sistema OCB/SESCOOP-GO, a sede terá espaços próprios destinados a atividades de diferentes portes das cooperativas. Três salas de treinamento, com capacidade para 90 pessoas cada e dotadas de sistemas audiovisuais, terão divisórias acústicas articuladas para conversão desses ambientes em auditório ou salão de eventos para até 300 pessoas. O estacionamento do prédio terá vaga para 45 veículos. A obra foi feita pela Mather Construtora, vencedora da licitação. Segundo o presidente do Sistema OCB/SESCOOP-GO, Antonio Chavaglia, a nova sede chega para suprir uma carência da casa em sediar atividades próprias e das cooperativas, principalmente eventos de maior porte. Nosso objetivo com este novo prédio é oferecer às cooperativas um espaço que atenda às necessidades de treinamento e capacitação de pessoal, um espaço que proporcione a elas a realização de seus eventos com todo o conforto e praticidade. E vamos aproveitar as novas dependências para melhorar os serviços que prestamos a elas no dia a dia, comentou Chavaglia.

4 Mais Qualificação SESCOOP/GO beneficiou mais de 37 mil pessoas em 2010 O presidente do Sistema OCB/SESCOOP-GO, Antonio Chavaglia (ao microfone), fala durante o III Fórum de Presidentes e Diretores Cooperativistas, um dos grandes eventos de formação realizado pela entidade em 2010 Número de cooperativas atendidas e ações de promoção social também cresceram OServiço Nacional de Aprendizagem do Cooperativsmo no Estado de Goiás (SESCOOP/GO) voltou a melhorar seus índices de desempenho e aumentou em 12% o número de pessoas beneficiadas com seu plano de atividades em Segundo relatório enviado à unidade nacional, a entidade fechou o exercício do ano passado com cooperativistas atendidos em diversos cursos de capacitação e atividades de promoção social (em 2009 foram 33,4 mil beneficiadas). O número de cooperativas atendidas cresceu ainda mais: foram 151, alta de 49% em relação ao ano anterior (quando foram registradas 102 cooperativas atendidas). A par com o crescimento do número de cooperativas e pessoas atendidas, o SESCOOP/GO fez crescer também o número de atividades realizadas, registrando no ano passado 363 atividades, alta de 9% sobre Se tomarmos um comparativo dos últimos cinco anos, esse crescimento vai a 22% (saiu de 297 para 363). O valor total investido em 2010 foi de R$ 2,5 milhões. Segundo a superintendente do Sistema OCB/SESCOOP-GO, Valéria Mendes da Silva, a volta do crescimento dos indicadores da entidade em 2010, depois de uma retração em 2009, reflete a retomada da própria economia brasileira pós-crise financeira internacional, o que Número de atividades realizadas Número de pessoas beneficiadas Número de cooperativas atendidas Horas de atividades realizadas EM ASCENSÃO Evolução dos números do SESCOOP/GO impulsionou também o setor cooperativista. A OCB-GO experimentou um aumento do número de novas cooperativas registradas em seus quadros, especialmente as dos setores de serviços urbanos. E no geral, os balanços das cooperativas foram melhores do que os de 2009, ainda que a retomada não tenha sido regular em todos os ramos. Isso fez com que o SESCOOP/GO pudesse melhorar seu planejamento ampliando o número de atividades, comentou Valéria

5 GOIAS COOPERATIVO // JANEIRO/FEVEREIRO/2011 4/5 Cooperativas aumentam participação A superintendente Valéria Mendes ressaltou também que a maior participação de cooperativas, cooperados e seus familiares e funcionários das cooperativas nas atividades do SESCOOP/GO deve-se principalmente a uma decisão das direções das cooperativas. Temos procurado aprimorar nosso trabalho com a adoção de novas e melhores ferramentas de gestão dos cursos e treinamentos, como fizemos com adoção do GDH, que é uma ferramenta digital, em linguagem web, que tem facilitado a inscrição e o acompanhamento dos projetos das cooperativas junto ao SESCOOP/GO. Mas acho que nada disso surtiria efeito sem a conscientização dos diretores cooperativistas sobre a importância de aproveitar os recursos disponíveis para qualificar suas equipes e seus quadros de cooperados. E é isso o que temos observado em Goiás. Cada vez mais os dirigentes sabem que não haverá desenvolvimento sustentado no setor se não tivermos gente capaz de tocar com competência o dia a dia das cooperativas, afirma Valéria. Segundo ela, a mensuração dos resultados foi novamente feita a partir de questionários específicos aplicados aos participantes e cooperativas atendidas. Nas mais de três centenas de atividades realizadas, entraram cursos e encontros diversos para os mais diferentes ramos da atividade cooperativista. Outro dado relevante para a compreensão do aumento dos índices do SESCOOP/GO em 2010 foi que o ano marcou novamente uma agenda cheia de grandes eventos do Sistema OCB/SESCOOP-GO. São eventos que atraem os maiores públicos e abarcam também participantes e instituições não necessariamente vinculadas à Casa do Cooperativismo em Goiás. Dentre esse eventos destacaram-se o 3º Fórum Goiano de Presidentes e Diretores Cooperativistas, o 5º Seminário Estadual de Cooperativismo, o 8º Jogos Intercooperativos (Intercoop) e o 5º Encontro Estadual de Mulheres Cooperativistas. Realizar eventos de capacitação e promoção social que vão além do nosso público direto e abarcam também aquelas pessoas que estão no entorno geográficos de nossas cooperativas faz parte de nosso princípio doutrinário, que é o interesse pela comunidade, finalizou Valéria. COOPERJOVEM Programa atende a mais de oito mil pessoas Programa que leva ensinamentos de cidadania e cooperativismo às salas de aula de escolas públicas com apoio das cooperativas, o Cooperjovem já atende a quase oito mil alunos em Goiás. Segundo último relatório do SESCOOP/GO, que coordena o programa no estado, o Cooperjovem está implantado em oito municípios de Goiás com apoio de sete cooperativas e beneficia pessoas, entre alunos e professores em 32 escolas da rede oficial de ensino. O Cooperjovem consiste em aplicar o conteúdo cooperativista de forma interdisciplinar na grade curricular. Coordenado em todo o país pela unidade nacional do Sescoop, o programa provê material didático específico de apoio ao trabalho do professor em sala de aula, para o qual ele conta com a participação direta das cooperativas (no chamado apadrinhamento da scola pela cooperativa). O programa insere-se no espaço da chamada parte diversificada de ensino, criada com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB Lei 9.394/1996). Essa parte diversificada foi concebida para que as escolas pudessem contemplar, em seu currículo escolar, PROJETO SORRISO 6,3 mil beneficiados O Projeto Sorriso, campanha sócioeducacional promovida pela Cooperativa de Trabalho dos Cirurgiões Dentistas de Goiânia (Uniodonto Goiânia) com o apoio do SESCOOP/GO, fechou o ano passado com pessoas beneficiadas (entre crianças e adultos). O número é quase o dobro das beneficiadas em O balanço de 2010 do projeto, repassado ao SESCOOP/GO, contabiliza 30 ações realizadas que levam orientação para saúde bucal a crianças, jovens e adultos em diversos bairros da região metropolitana de Goiânia. Além da doação de kits de escovação (com escova, FUTUROS COOPERATIVISTAS Alunos participantes do Cooperjovem durante desfile cívico em Piracanjuba conteúdos que refletissem a realidade local onde estão inseridas, sem prejuízo da base nacional comum. No Cooperjovem, o professor tem uma importância fundamental, já que é ele quem trabalha o conteúdo em sala de aula e envolver os alunos na cultura da cooperação. O Sescoop reconhece esse esforço e já criou inclusive uma premiação voltada para o professor e outra para o aluno que participam do programa. Os números do Cooperjovem no Brasil, segundo dados de 2010 do Sescoop, são: 15 estados, 153 municípios, 65 cooperativas, 408 escolas, alunos e professores. SORRISO SAUDÁVEL No Projeto Sorriso, as crianças aprendem de forma lúdica a cuidar da higiene bucal creme e fio dental), as atividades contemplam palestras e lições de higiene de forma lúdica com teatro de fantoches e sessões de escovação orientada.

6 Cooperativismo de Saúde Aprovado fim da bitributação Projeto do Executivo de Goiânia aprovado pelos vereadores altera Código Tributário para corrigir distorção na cobrança do ISS das cooperativas médicas O s médicos cooperados de Goiânia comemoram uma conquista histórica para o ramo de Saúde. No dia 17 de janeiro, os vereadores da capital aprovaram o projeto de Lei Complementar 211/2011, de autoria do Executivo, que decreta o fim da duplicidade do pagamento de imposto das cooperativas médicas da cidade. A lei altera o Código Tributário do município para permitir que possa haver uma dedução na base de cálculo do Imposto Sobre Serviço (ISS) pago pelas cooperativas aos seus médicos cooperados e prestadores de serviços (clínicas e hospitais). A alíquota do imposto não foi alterada, seguindo em 5%. A reivindicação era um anseio antigo do cooperativismo médico em todo o país (várias cidades promulgaram leis semelhantes) e em Goiânia contou com apoio da OCB-GO, cujo presidente EM PLENÁRIO Vereadores da capital na abertura da sessão que aprovou adequação da cobrança tributária dos médicos cooperados Antonio Chavaglia participou de audiências em 2008 com o então exprefeito Iris Rezende (PMDB) para tratar do assunto. Rezende renunciou ao posto no ano passado para disputar as eleições para Governo do Estado (vencida por seu oponente Marconi Perillo PSDB), deixando em seu lugar o vice Paulo Garcia (PT), que é medico cooperado e ex-presidente da Unimed Goiânia Agora o imposto será pago, diz presidente da Unimed Goiânia Segundo o presidente da Unimed Goiânia, Sizenando da Silva Campos Jr., a lei atende às cooperativas médicas, mas também aos próprios cofres públicos, já que havia uma disputa judicial em torno da questão que vinha levando as cooperativas a depositar em juízo os valores devidos. Confira a entrevista que Campos Jr. concedeu ao Goiás Cooperativo sobre o assunto: De que forma essa redução tributária pode contribuir para o fortalecimento do trabalho médico cooperado na capital? Finalmente, foi reconhecido que havia uma bitributação e agora, o imposto será pago, o que antes não acontecia por causa dos processos judiciais. E serão adequadamente tributados, respeitando-se a cadeia produtiva da saúde suplementar: cooperados, hospitais, clínicas em geral e laboratórios. Assim, ganham todos, o poder público e as cooperativas. Ao pôr um fim nas demandas judiciais, a lei contribui sobremaneira para o desenvolvimento e o fortalecimento do exercício da medicina, do trabalho do médico cooperado e do próprio cooperativismo com economia de gastos com advogados e de exigências técnico-financeiras por parte da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), além de estimular outras Casas Legislativas e prefeituras a seguirem o mesmo caminho. Os efeitos da nova lei valem só para cooperados ou incluem os prestadores de serviço e parceiros da Unimed Goiânia? O grande efeito da lei é quanto à tributação do ISS das sociedades cooperativas, que passa a permitir a dedução na base de cálculo dos custos assistenciais, ou seja, dos valores pagos aos cooperados e prestadores no cumprimento da assistência aos beneficiários de planos de saúde. A alíquota permaneceu a mesma: 5%. A Unimed Goiânia acompanhará a regulamentação da lei? Há uma previsão de quando ela começa efetivamente a valer? A Lei Complementar 211 de 24/01/11 já foi publicada no Diário Oficial do Município, em 26 de janeiro de 2011, com vigência a partir da publicação. Não há necessidade de regulamentação.

7 GOIAS COOPERATIVO // JANEIRO/FEVEREIRO/ Investimento cooperativista Cooperativas ampliam armazenagem à produção cooperada Maioria do novos armazéns para grãos estarão à disposição dos produtores cooperados já na safra atual C om a armazenagem de grãos no limite da produção em Goiás, conforme avaliação de produtores e analistas de mercado, as cooperativas no estado têm se esforçado para erguer ou ampliar suas capacidades estáticas nos últimos anos. Os investimentos miram a produção cooperada principalmente de milho e soja em diversas regiões do estado. A Cooperativa Mista Agropecuária do Vale do Araguaia (Comiva) inaugura nos próximos dias, já para a safra deste ano (2010/2011), um armazém com capacidade para 15 mil toneladas em Portelândia, cidade a 35 km de sua sede, em Mineiros. Segundo Fernando Oliveira, gerente de novos negócios da cooperativa e coordenador da obra, o armazém atenderá inicialmente à produção cooperada na região dos municípios de Portelândia, Mineiros e Santa Rita do Araguaia, mas uma segunda etapa do empreendimento já está programada. Nessa segunda etapa vamos elevar essa capacidade para 60 mil toneladas, tudo voltado primordiamente para nossos cooperados, informa o executivo da cooperativa que conta com 1170 produtores cooperados. RIO VERDE E CATALÃO A Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo), a maior do ramo agropecuário do Centro-Oeste e uma das maiores do país, já investiu R$ 29 milhões desde o início do ano passado em três novos armazéns. O último deles, conta Aguilar Ferreira Mota, vice-presidente de Operações da Comigo, está localizado em SILAGEM Obras do novo armazém da Comiva, em Portelândia: espaço para 15 mil toneladas Montividiu e está praticamente pronto para receber a produção da safra atual. O novo graneleiro foi projetado para guardar 90 mil toneladas de grãos e está equipado para recepcionar 200 toneladas/hora, tudo funcionando de maneira automatizada. As duas outras unidades armazenadoras da Comigo foram inauguradas em 2010 nas cidades de Caiapônia (com capacidade para 450 mil sacas) e Rio Verde (1,5 milhão de sacas). Em Catalão, a Coacal (Cooperativa Agropecuária de Catalão) incluiu um projeto de armazém para recebimento de milho na construção de sua nova sede no Distrito Mínero-industrial da cidade (Dimic). O principal negócio da Coacal é leite, mas a cooperativa quer atender à crescente produção de milho para consumo próprio de seus 584 produtores cooperados, diz o presidente Carlos Henrique Arruda Duarte. O armazém de 12 mil toneladas inclui-se no projeto da nova sede, que prevê a ampliação do laticínio e novas unidades para a fábrica de ração, misturador de sal e sede administrativa da cooperativa. O projeto total está orçado em R$ 8,5 milhões e as obras estão previstas para começar nos próximos dias. O presidente Duarte prevê que o projeto total da transferência da sede esteja concluído em dois anos, mas parte dele já estará operando dentro de seis meses.

8 GOIAS COOPERATIVO // JANEIRO/FEVEREIRO/ GIRO COOPERATIVO Comigo amplia instalações para nova edição da Tecnoshow A Tecnoshow Comigo, grande feira de transferência de tecnologia rural do Centro- Oeste promovida em Rio Verde pela Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo), chega aos 10 anos. Para continuar ampliando os bons números da feira, a cooperativa está investindo em melhorias no Centro Tecnológico Comigo (CTC), sede do evento cuja nova edição está marcada para 12 a 16 de abril. A expectativa da diretoria da Comigo é bater novos recordes de público e negócios. Em 2010, a Tecnoshow Comigo recebeu 350 expositores, 61 mil visitantes e movimentou R$ 210 milhões em negócios. A feira chega aos 10 anos bem consolidada e mantendo um bom ritmo de crescimento. O que estamos fazendo é melhorar a infraestrutura para fazer com que as pessoas tenham conforto e praticidade para usufruir de tudo o q ue ela proporciona, principalmente para o nosso produtor, comentou o presidente da Comigo, Antonio Chavaglia (presidente também do Sistema OCB/SESCOOP-GO). Dentre as melhorias que estão sendo implementadas destacamse a construção do Restaurante 2 (com 1.100m²), a loja agropecuária da Comigo, cuja área é de 600m² também está ganhando piso e cobertura definitivos, e construção de mais um conjunto de sanitários feminino e masculino, estruturado para atender a portadores de necessidades especiais. No dia 8 de fevereiro, o presidente da Comigo, Antonio Chavaglia, esteve em Brasília para convidar o ministro da Agricultura Wagner Rossi, para participar da solenidade de abertura da feira. Sicoob Goiás Coapil realizou campanha pelo crédito consignado Em 2010, os aposentados e pensionistas do INSS tomaram R$ 26,8 bilhões em empréstimos consignados, modalidade de crédito pessoal com desconto em folha. Foram 10,1 milhões de contratos, número 18% maior do que o registrado em 2009, segundo informou o Ministério da Previdência. O aumento desse tipo de crédito vem aguçando o interesse das instituições financeiras e a Cooperativa de Crédito Rural de Piracanjuba (Sicoob Goiás Coapil) também enxerga no segmento uma boa oportunidade. A cooperativa, que está prestes a obter autorização do OCB lança blog para divulgar ações no Congresso Banco Central para operar com livre admissão, realizou no final janeiro uma campanha exclusiva voltada para aposentados e pensionistas do INSS. Com material voltado para esse público, a campanha começou com entrevistas do presidente do Sicoob Goiás Coapil (Astrogildo Gonçalves Peixoto) a rádios de Piracanjuba e visita a espaços cativos dos aposentados da cidade. Promotores da cooperativa estiveram na feira de produtores rurais e no Centro de Convivência da Melhor Idade, espaço mantido pela prefeitura. Na divulgação, além dos informativos, os aposentados ganharam uma camiseta e uma sacola ecológica, materiais que a cooperativa adquiriu da Oficina Pró-Egresso, projeto social de reeducandos de presos da Unidade Prisional de Piracanjuba. A Assessoria Parlamentar da OCB (Aspar/OCB) desenvolveu um instrumento de interação com seu público: o blog OCB no Congresso. O blog busca facilitar o acesso às publicações produzidas pela assessoria a respeito do andamento dos trabalhos legislativos. Algumas publicações, como a "Agenda Legislativa do Cooperativismo" e o estudo "Eleições 2010" estarão disponíveis para download. Outros serão publicados de maneira periódica. Publicações como a "Agenda Semanal de Deliberações", o "Relatório Mensa l" e os "Discursos Parlamentares", também enviados por , estarão sempre atualizados. Outra inovação será a publicação diária do "Quadro de Medidas Provisórias", permitindo que os interessados tenham acesso a todas as informações em um só lugar. Para facilitar a compreensão sobre a tramitação das proposições, a Aspar divulgará também a série "Entendendo o Processo Legislativo", que deve aprofundar as explicações já trazidas pela publicação "Noções Básicas sobre Processo Legislativo". A ferramenta será utilizada ainda para a divulgação de notícias em tempo real e análises semanais a respeito de temas em destaque na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. O endereço do blog é: cooperativo.coop.br

Mais SESCOOP/GO RAMO SAÚDE NA LUTA POR REVISÃO DO ROL DA ANS. 7 COOPERMODEL CRESCE A PARTIR DE RIO VERDE. 3 4/5

Mais SESCOOP/GO RAMO SAÚDE NA LUTA POR REVISÃO DO ROL DA ANS. 7 COOPERMODEL CRESCE A PARTIR DE RIO VERDE. 3 4/5 2008 será um ano movimentado na agenda do cooperativismo goiano. Confira PÁGINA 8 Ano 3, nº 13, Janeiro/Fevereiro/2008 Jornal do Sistema OCB/SESCOOP GO Mais SESCOOP/GO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM

Leia mais

APROVADO PLANO DE TRABALHO DO COOPERATIVISMO GOIANO PARA 2011

APROVADO PLANO DE TRABALHO DO COOPERATIVISMO GOIANO PARA 2011 Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO INTERCOOPERAÇÃO 5º Encontro Goiano de Mulheres Cooperativistas incentivou a troca de experiências ANO IV Nº 30 NOVEMBRO/DEZEMBRO/2010 www.ocbgo.org.br PÁGINAS 6 e 7 APROVADO

Leia mais

COOPERATIVISMO DE BASE TECNOLÓGICA E INTEGRADA

COOPERATIVISMO DE BASE TECNOLÓGICA E INTEGRADA SESCOOP/GO Uma década capacitando o cooperativismo de Goiás PÁGINA 3 Ano 4, nº 21, MAIO/JUNHO - 2009 Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO A Casa do Cooperativismo COOPERATIVISMO DE BASE TECNOLÓGICA E INTEGRADA

Leia mais

Sistema AG subsidia prestação de contas das cooperativas 7. Investimento das cooperativas foi de R$ 49 milhões 6 GESTÃO COOPERATIVISTA

Sistema AG subsidia prestação de contas das cooperativas 7. Investimento das cooperativas foi de R$ 49 milhões 6 GESTÃO COOPERATIVISTA GESTÃO COOPERATIVISTA Sistema AG subsidia prestação de contas das cooperativas 7 www.ocbgo.org.br Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO ANO V Nº 32 MARÇO/ABRIL 2011 DIRIGENTES APROVAM CONTAS E ELEGEM NOVO CONSELHO

Leia mais

Professor Fernando Rosa, de Piracanjuba, entre os vencedores 3 PRÊMIO COOPERJOVEM ANO V Nº 36 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

Professor Fernando Rosa, de Piracanjuba, entre os vencedores 3 PRÊMIO COOPERJOVEM ANO V Nº 36 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011 PRÊMIO COOPERJOVEM Professor Fernando Rosa, de Piracanjuba, entre os vencedores 3 Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO www.ocbgo.org.br ANO V Nº 36 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011 APROVADO PLANO DE TRABALHO DO COOPERATIVISMO

Leia mais

OCB-GO discutiu com Seagro investimentos do projeto Goiás-China 3. Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO

OCB-GO discutiu com Seagro investimentos do projeto Goiás-China 3. Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO ESTRATÉGIA OCB-GO discutiu com Seagro investimentos do projeto Goiás-China 3 www.ocbgo.org.br Jornal do Sistema OCB/SESCOOP-GO ANO V Nº 33 MAIO/JUNHO 2011 INA UG UR AÇÃO E P OSSE CASA NOVA, NOVA DIRETORIA

Leia mais

Presidente: Haroldo Max de Sousa

Presidente: Haroldo Max de Sousa CENTROLEITE: Fone comercial: (62) 3281-4999 Email: presidente@centroleite.com.br OCB-GO: Fone comercial: (62) 3240-2610 Email: presidente@ocbgo.org.br Presidente: Haroldo Max de Sousa FAZENDA TAMBO Município:

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

CENSO DO COOPERATIVISMO GOIANO. SESCOOP/GO reuniu secretárias de cooperativas em 1º Encontro

CENSO DO COOPERATIVISMO GOIANO. SESCOOP/GO reuniu secretárias de cooperativas em 1º Encontro SESCOOP/GO reuniu secretárias de em 1º Encontro www.ocbgo.org.br CAPACITAÇÃO 8 2012 Ano Internacional das Cooperativas Jornal do Sistema ANO VI Nº 40 JULHO/AGOSTO 2012 CENSO DO COOPERATIVISMO GOIANO Mais

Leia mais

FLAMBOYANT SHOPPING CENTER

FLAMBOYANT SHOPPING CENTER FLAMBOYANT SHOPPING CENTER Nome do Projeto: Stand Flamboyant Social Período e Local de Implementação: Implementado a parir de 28 de Outubro de 2003. O stand está localizado em um dos principais pontos

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SE É DESENVOLVIMENTO É PRIORIDADE DO SEBRAE LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA REGULAMENTAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA LG REGULAMENTADA LG REGULAMENTADA

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

Gerência de Comunicacão

Gerência de Comunicacão Gerência de Comunicacão Quem somos? Representação política e institucional Representação sindical Educação cooperativista, promoção social e monitoramento Gecom Marketing Publicidade e propaganda Assessoria

Leia mais

goiás cooperativo Dirigentes aprovam contas e plano de trabalho 2013 PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2012

goiás cooperativo Dirigentes aprovam contas e plano de trabalho 2013 PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2012 Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Goiás capacite-se SESCOOP/GO lança agenda anual de treinamento e desenvolvimento. 3 goiás Ano VII 44 Março-Abril de 2013 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO Cooperativismo Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO GESTÃO: Samuel José dos Santos Diretor Presidente Marco Antonio da C.Guimarães - Diretor Operacional João Gonçalves dos Santos Diretor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa. Câmpus Restinga Junho, 2013. Desenvolvimento Institucional

Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa. Câmpus Restinga Junho, 2013. Desenvolvimento Institucional Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa Câmpus Restinga Junho, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO O presente relatório deve ser considerado como um Anexo ao Diagnóstico das Prioridades

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

I CIPPEB - CONGRESSO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA

I CIPPEB - CONGRESSO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA SEMANA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA Mestranda Rita Aparecida Nunes de Souza da Luz PROGEPE UNINOVE Resumo O objetivo desse trabalho é relatar a experiência

Leia mais

2009, um ano de grandes realizações e conquistas

2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009 foi um ano de grandes realizações e conquistas para o Serviço Social da Indústria (SESI), entidade que integra o Sistema Federação das Indústrias no

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO 1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO Organização Estadual: Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais - Ocemg Data de realização do seminário: 17 de

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

CAPITULO I DA POLÍTICA MUNICIPAL DO COOPERATIVISMO.

CAPITULO I DA POLÍTICA MUNICIPAL DO COOPERATIVISMO. LEI Nº 1.827/2009. EMENTA: Institui a política de apoio e incentivo ao desenvolvimento do Cooperativismo no âmbito do município de Santa Cruz do Capibaribe/PE e dá outras providências. A MESA DIRETORA

Leia mais

17/11/2015 Governo lança programa Goiás Mais Competitivo

17/11/2015 Governo lança programa Goiás Mais Competitivo Giro 17/11/2015 06:00 Jarbas Rodrigues Jr. Desafios para Goiás estar entre os cinco Estados mais competitivos O governador Marconi Perillo (PSDB) lançou o programa Goiás Mais Competitivo com a meta de

Leia mais

Caio Henrique Salgado

Caio Henrique Salgado Giro 30/11/2015 06:00 Caio Henrique Salgado Início da gestão por OSs nas escolas pode ficar para segundo semestre Integrantes do governo estadual avaliam que o início da gestão por Organizações Sociais

Leia mais

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO 1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO Organização Estadual: OCB/SESCOOP-TO Data de realização do seminário: 23/04/2010 Local: Sede da OCB/SESCOOP-TO Palmas-TO Número de participantes:

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar,

PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar, PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar, no Município de São Paulo, como um direito constitucional

Leia mais

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS ON-LINE Alterada dia 13/01/2015-13h00 Venha fazer parte do sucesso de vendas de camisetas que mais cresce na Internet... Já são mais de 100 micro-franqueados e franqueados no Brasil!

Leia mais

GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO

GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO Dr. Erlanderson de O. Teixeira Planejamento Tributário Teses tributárias Gerenciamento de Passivos Parcelamento www.erlandeson.com.br GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO Carga Tributária Brasileira Porque pagar os

Leia mais

Facebook/Cearpa Sorriso

Facebook/Cearpa Sorriso Facebook/Cearpa Sorriso Facebook/Weider Santana @joelmaqueirozz Facebook/Cila Vilela Facebook/Gorette Rocha @inpev ENGAJAMENTO 29 ENGAJAMENTO G4-26 e DMA @eliandersonzte O inpev articula os elos da cadeia

Leia mais

Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final

Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final www.aciaanapolis.com.br Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final De 1º a 07 de Fevereiro de 2014 - Ano 09 - Nº 224 - Diretoria 2013/2015 Diretoria da Associação Comercial e Industrial

Leia mais

Edital do XII Concurso de Projetos. Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil

Edital do XII Concurso de Projetos. Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil Edital do XII Concurso de Projetos Desenvolvimento Institucional das Organizações e Grupos de Mulheres e Meninas Negras no Nordeste do Brasil O ELAS, Fundo de Investimento Social, organização sediada no

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação do Ministério da Educação, as Atividades Complementares passaram a figurar como importante componente dos Cursos Superiores

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012. Assunto: Rio+20

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012. Assunto: Rio+20 Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012 Seção: Ser Sustentável Pág.: http://bit.ly/okj5q9 Assunto: Rio+20 Veículo: Site Correio Braziliense Data: 14/06/2012 Seção: Ser Sustentável Pág.: http://bit.ly/okj5q9

Leia mais

Curso de Desenvolvimento em Negócios Sociais e Inclusivos

Curso de Desenvolvimento em Negócios Sociais e Inclusivos Curso de Desenvolvimento em Negócios Sociais e Inclusivos O curso de Desenvolvimento de Negócios Sociais e Inclusivos visa a despertar o interesse de pessoas que queiram empreender na área social. Trata-se

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 07 1 / 8 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto aos públicos interno e externo do Crea GO de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Jornalismo REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Jornalismo REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta as Atividades Complementares do Curso de Jornalismo do Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

Leia mais

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Atração de Investimentos, Promoção Comercial e Projeção Internacional Eduardo Bernis Secretaria Municipal de Desenvolvimento Belo Horizonte

Leia mais

Início da implementação do programa Brasil Sem Miséria pelas prefeituras.

Início da implementação do programa Brasil Sem Miséria pelas prefeituras. Ao longo do mês Início da implementação do programa Brasil Sem Miséria pelas prefeituras. Merece destaque também a ação da Polícia Federal e Força Nacional nos Estados e Municípios onde ocorreram mortes

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES E PROJETOS EXECUTADOS EM 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES E PROJETOS EXECUTADOS EM 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES E PROJETOS EXECUTADOS EM 2004 A Fundação Aprender, no ano de 2004, procurou cumprir as etapas previstas no Planejamento 2003, levando a efeito iniciativas no sentido de ampliar

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem 1) COMO FUNCIONA? O PROBLEMA OU SITUAÇÃO ANTERIOR Anteriormente, todos os resíduos recicláveis ou não (com exceção do papelão), ou seja, papel, plásticos, vidros,

Leia mais

A Sombra do Imposto. Todos pagamos altos tributos, mas não vemos o dinheiro aplicado em serviços públicos de qualidade. www.sombradoimposto.org.

A Sombra do Imposto. Todos pagamos altos tributos, mas não vemos o dinheiro aplicado em serviços públicos de qualidade. www.sombradoimposto.org. A Sombra do Imposto Todos pagamos altos tributos, mas não vemos o dinheiro aplicado em serviços públicos de qualidade. www.sombradoimposto.org.br Expediente A Sombra do Imposto - Cartilha produzida pela

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

Formação Profissional

Formação Profissional Formação Profissional Gerência - Alexandre Ambrogi Coordenação Flávia Afonso Coordenadora de Cursos Livres e Aprendizagem Lucilla Panacioni Araujo - Coordenadora de Cursos In Company www.sescoopsp.coop.br

Leia mais

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza FOME ZERO O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza Seminário Internacional sobre Seguro de Emergência e Seguro Agrícola Porto Alegre, RS -- Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 Alguns

Leia mais

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Introdução A Seção de Leitura da IFLA tem o prazer de apresentar algumas sugestões práticas para as bibliotecas

Leia mais

10/2011 750364/2010 SDH/PR

10/2011 750364/2010 SDH/PR Cotação Prévia de Preço n 10/2011 Convênio nº 750364/2010 SDH/PR Projeto: Desenvolver processos de educação popular, visando a garantia dos direitos humanos e fortalecimento da cidadania, na perspectiva

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

29/12/2015 Risco de inadimplência da Celg D

29/12/2015 Risco de inadimplência da Celg D Giro 29/12/2015 06:00 Jarbas Rodrigues Jr. Fitch alerta para o endividamento e o risco de inadimplência da Celg D A agência de avaliação de risco Fitch Ratings alertou para o risco de inadimplência e o

Leia mais

Antonio Bulhões Deputado Federal - PRB/SP

Antonio Bulhões Deputado Federal - PRB/SP Caros amigos e amigas, Comemoramos, no último dia 1º de Outubro, o Dia Internacional da Terceira Idade. Por essa razão, estamos trazendo uma matéria referente ao Estatuto do Idoso, que contém informações

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

História e evolução do cooperativismo Brasileiro Os sete princípios A importância do cooperativismo para a economia social brasileira

História e evolução do cooperativismo Brasileiro Os sete princípios A importância do cooperativismo para a economia social brasileira História e evolução do cooperativismo Brasileiro Os sete princípios A importância do cooperativismo para a economia social brasileira Recife PE Junho de 2006 Breve história do cooperativismo 1844 1899

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social O XVIII Concurso do ELAS Fundo de Investimento Social, em parceria com a MAC AIDS Fund, visa fortalecer, por meio de apoio técnico e

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO Brasília, 11 de setembro de 2010 TEMA 1 DIRETRIZES E HORIZONTES DA RELAÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL DO SISTEMA COOPERATIVISTA 1.1 - FORTALECER A REPRESENTAÇÃO

Leia mais

Relatório de Pesquisa de monitoramento de resultados de ações conjuntas ABDI -ANVISA SEBRAE

Relatório de Pesquisa de monitoramento de resultados de ações conjuntas ABDI -ANVISA SEBRAE Relatório de Pesquisa de monitoramento de resultados de ações conjuntas ABDI -ANVISA SEBRAE Dezembro -2012 2012 - Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - ABDI Relatório de Pesquisa de monitoramento

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

22 o. Prêmio Expressão de Ecologia

22 o. Prêmio Expressão de Ecologia 22 o. Prêmio Expressão de Ecologia 2014-2015 Feira Feira Comunidade troca lixo reciclável por alimentos Feira Fotos: Projeto: Lixo que Vale: Faça Sua Parte, Faça a Diferença Organização: Prefeitura Municipal

Leia mais

PLANO DE AÇÃO Nº 1 INOVADAY

PLANO DE AÇÃO Nº 1 INOVADAY PLANO DE AÇÃO Nº 1 INOVADAY 1 I. CONTEXTUALIZAÇÃO O presente documento detalha o Plano de Trabalho 2013/2015 do CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM, e se enquadra dentre as Ações e Metas previstas no

Leia mais

G.C.P - GUIA DE CREDENCIAMENTO PROFISSIONAL

G.C.P - GUIA DE CREDENCIAMENTO PROFISSIONAL G.C.P - GUIA DE CREDENCIAMENTO PROFISSIONAL I - Adquira o Kit de Trabalho e Tenha sua Franquia Individual em sua Cidade. II Conheça nosso Marketing de Rede. Fácil de fazer, fácil de divulgar. III Na última

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151. Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151. Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151 Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB O Centro de Assessoria do Assuruá apresenta abertura de Edital de

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO Nº 01/2014 ANEXO I. Formulário para Solicitação de Patrocínio

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO Nº 01/2014 ANEXO I. Formulário para Solicitação de Patrocínio CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO Nº 01/2014 ANEXO I Formulário para Solicitação de Patrocínio Procedimentos para o envio de projeto ao CAU/GO: 1. Após preencher o Formulário para Solicitação de Patrocínio

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO AO REGULAMENTO DO 1º PRÊMIO COMIGO DE JORNALISMO REGULAMENTO GERAL

TERMO DE ADITAMENTO AO REGULAMENTO DO 1º PRÊMIO COMIGO DE JORNALISMO REGULAMENTO GERAL TERMO DE ADITAMENTO AO REGULAMENTO DO 1º PRÊMIO COMIGO DE JORNALISMO A Promotora do Prêmio Comigo de Jornalismo alterou os itens [1.1 e 1.2], tornando-se necessário ajustar o Regulamento do mesmo, que

Leia mais

Uma Experiência Empreendedora da Educação Cooperativa

Uma Experiência Empreendedora da Educação Cooperativa Uma Experiência Empreendedora da Educação Cooperativa Prá colher, temos que plantar, compadre, temos que pensar no futuro. José Dionízio Leite É TICA L IDERANÇA L IBERDADE O RGANIZAÇÃO S OLIDARIEDADE

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Instituto de Estudos Socioambientais do Sul da Bahia Título do projeto: Strengthening Enforcement of Environmental Laws in the Atlantic

Leia mais

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO. Número de participantes:

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO. Número de participantes: 1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO Organização Estadual: Sistema OCB/SESCOOP-RR Data de realização do seminário: 17 de Junho de 2010 Local: Auditório do Sistema FAERR/SENAR-RR

Leia mais

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA A - Empresa Com um terreno de 1.000.000 m² e 354.000 m² de área construída, o Centro Comercial Leste Aricanduva surgiu em 1991 com a inauguração do primeiro shopping center

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social A Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG é uma unidade de apoio e assessoramento da Instituição, diretamente ligada ao Gabinete da Reitoria, que dentre suas

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Edital Nº 001/2013 COTAÇÃO PRÉVIA TIPO MELHOR TÉCNICA

Edital Nº 001/2013 COTAÇÃO PRÉVIA TIPO MELHOR TÉCNICA Edital Nº 001/2013 COTAÇÃO PRÉVIA TIPO MELHOR TÉCNICA Dispõe sobre o cadastramento e seleção de Consultores para atuar nos projetos desenvolvidos pela entidade, no âmbito do Desenvolvimento Sustentável,

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS ON-LINE Plano Promo ADQUIRA JÁ O SEU! Até dia 01/05/2015 Alterada dia 26/02/2015-16h00 Venha fazer parte do sucesso de vendas de camisetas que mais cresce na Internet... Já são

Leia mais

III Seminário de Gestão e. Arrecadação Municipal

III Seminário de Gestão e. Arrecadação Municipal III Seminário de Gestão e iza Arrecadação Municipal Modernização dos Instrumentos de Arrecadação Fontes de Financiamento para Fazendas Públicas Municipais. Temas abordados no evento: 1. Alternativas de

Leia mais

Perguntaram à teóloga alemã. Dorothee Sölle: Como a senhora explicaria a um menino o que é felicidade?

Perguntaram à teóloga alemã. Dorothee Sölle: Como a senhora explicaria a um menino o que é felicidade? Perguntaram à teóloga alemã Dorothee Sölle: Como a senhora explicaria a um menino o que é felicidade? Não explicaria, Daria uma bola para que ele jogasse... ESPORTE EDUCAÇÃO CULTURA QUALIFICAÇÃO PLACAR

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

ACORDO DE DOAÇÃO TF 91.515. TERMO DE REFERÊNCIA nº 009/2009

ACORDO DE DOAÇÃO TF 91.515. TERMO DE REFERÊNCIA nº 009/2009 PROJETO NACIONAL DE AÇÕES INTEGRADAS PÚBLICO-PRIVADAS PARA BIODIVERSIDADE PROBIO II FUNDO NACIONAL PARA O MEIO AMBIENTE (Global Environmental Facility - GEF) ACORDO DE DOAÇÃO TF 91.515 TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

MINAS GERAIS 12/04/2008. Diário do Judiciário. Portaria 2.176/2008

MINAS GERAIS 12/04/2008. Diário do Judiciário. Portaria 2.176/2008 MINAS GERAIS 12/04/2008 Diário do Judiciário Chefe de Gabinete: Dalmar Morais Duarte 11/04/2008 PRESIDÊNCIA Portaria 2.176/2008 Institucionaliza o Programa Conhecendo o Judiciário do Tribunal de Justiça.

Leia mais

Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras

Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras MARINGÁ-PR 13/10/2014 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Objetivo da Certificação de Unidade Armazenadoras Fortalecimento da

Leia mais

Não é só dentro de casa que o Programa Visão Educa está fazendo sucesso... Clique aqui

Não é só dentro de casa que o Programa Visão Educa está fazendo sucesso... Clique aqui Não é só dentro de casa que o Programa Visão Educa está fazendo sucesso... A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) acaba de aprovar o programa desenvolvido pela Visão Prev. Essa

Leia mais

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste O que é FCO? O Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) é um fundo de crédito criado pela Constituição Federal de 1988 com o objetivo de promover

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais