CARACTERÍSTICAS GERAIS. Com função de elemento agregador no backbone MPLS da Rede IP Multisserviços;

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARACTERÍSTICAS GERAIS. Com função de elemento agregador no backbone MPLS da Rede IP Multisserviços;"

Transcrição

1 Roteador Carrier Ethernet CARACTERÍSTICAS GERAIS Com função de elemento agregador no backbone MPLS da Rede IP Multisserviços; Tanto o sistema operacional quanto o hardware (envolve todos os componentes físicos incorporados) deverão ser de um único fabricante; Obrigatoriamente o sistema operacional deverá ser modular, não permitindo a fragmentação de memória. Deverá possuir separação dos planos de controle e encaminhamento (Control Plane e Data Plane). Deverá ser entregue a última versão do sistema operacional. Não serão admitidos sistemas operacionais monolíticos; O sistema operacional deverá suportar a atualização parcial dos módulos que o compõem, isto é,não será necessária a sua atualização total diante da disponibilidade de atualizações em umdeterminado módulo do sistema operacional; A placa processadora principal incorporada na plataforma deverá conter o máximo de memória RAM possível, evitando necessidade de upgrades; O plano de encaminhamento (Packet Forward Engine) deverá ser executado exclusivamente em hardware dedicado e distribuído para essa finalidade; Tanto o hardware como o software devem possuir Switching Performance / Routing Performance / Label Swaping Performance com recursos IPv4 e IPv6 (Dual Stack); Deve possuir, pelo menos, uma porta USB e/ou PCMCIA e/ou Compact Flash, e por meio desta porta ser possível carregar e instalar o sistema operacional; Deve possuir uma memória flash interna (compact flash, disk/nand) de forma a armazenar cópias do sistema operacional, configurações, arquivos de recuperação rápida do sistema/equipamento, além de logs gerados pelo sistema operacional e informações de atividades de resolução de problemas como debugs e core dump; Deve possuir memória com capacidade suficiente para armazenar, no mínimo, uma nova versãode sistema operacional que tenha o tamanho de duas vezes o sistema operacional na versãoatual, atendendo simultaneamente a todas as funcionalidades exigidas nesta especificação; O sistema operacional deverá ter a capacidade de armazenar localmente no equipamento, alémda configuração atual, pelo menos 40 configurações salvas, de forma que o operador doequipamento, a seu critério, possa escolher e recarregar as configurações anteriores e ativalas (rollback de configuração); Página 1 de 9

2 Deve possuir mecanismo de rollback automático, com tempo estipulado para o retorno da configuração prévia caso não seja confirmada a alteração de configuração; Deve possuir padronização NEBS-compliance (Network Equipment Building System); Deve possuir Certificado de Homologação na Anatel; CAPACIDADE, DESEMPENHO E INTERFACES Deverá ser capaz de comutar 80 Gigabits por segundo de tráfego full-duplex, ou o equivalente a 160 Gigabits comutados por segundo de tráfego Half-duplex. Será considerado o montante de tráfego entrante e sainte de cada uma das portas físicas definidas a seguir, operando na capacidade máxima; Deverá ser possível a configuração de endereçamento IP diretamente nas interfaces definidas a seguir, tornando cada interface um ambiente de roteamento independente, e também a configuração de interfaces VLAN, e posteriormente o aprovisionamento em múltiplas portas, também sob referência ao item 1.2 subitem g; Deve possuir taxa de encaminhamento de pacotes mínima de 60 Mpps (sessenta milhões de pacotes por segundo) obrigatoriamente baseada em hardware, para IPv4 e IPv6; O equipamento fornecido deverá ser modular, possibilitando a inserção de módulos de interface nos padrões 10GE e 1GE; O equipamento deverá possuir 04 (quatro) portas de 10GE XFP ou SFP+, ambos para fibra multímodo até 300m com conector LC. O equipamento deverá possuir 20 (vinte) portas de 1GE SFP; As interfaces obrigatoriamente deverão estar populadas, com os seguintes componentes: 12 (doze) x 1GE SFP-SX (1000BaseSX); 08 (oito) x 1GE SFP-TP (1000BaseT); Página 2 de 9

3 As interfaces deverão estar em condições de operar segundo os seguintes padrões: IEEE BASE-T; IEEE 802.3ab BASE-T; IEEE 802.3ae - 10GBASE-SR; IEEE 802.3u - 100BASE-TX; IEEE 802.3z BASE-SX, 1000BASE-LX. Deve suportar instâncias L3VPN; Deve suportar no mínimo endereços MAC de forma agregada, considerando o somatório da capacidade de endereços MAC dos linecards incorporados ao equipamento. Deve suportar rotas unicast em IPv4; Deve suportar rotas unicast em IPv6; O equipamento não deverá apresentar degradação de desempenho quando features de ACL(filtros de segurança até a camada 4), de QoS (marcação e priorização) e diretivas MPLS forem ativadas; Deve possuir suporte para Ethernet OAM (Operations, Administration, and Maintenance), abrangendo as definições de LFM (Link Fault Management) e de CFM (Connectivity Fault Management); Deve possuir suporte para CFM (Connectivity Fault Management) em portas de interface pertencentes a uma instância VPLS; Deve possuir protocolo de proteção de redes Metro Ethernet baseadas em VLAN no padrão ERPS (Ethernet Ring Protection Switching) ou RPL (Ring Protection Link). Devem prover proteção de arquitetura linear de 1+1 e 1:1; Deve possuir mecanismos de alta disponibilidade para ambiente de roteamento para alto desempenho em backbone: Fast Re-Route (FRR) MPLS: Gracefull Restart Helper para BGP, OSPF e LDP. Página 3 de 9

4 Deve possuir, pelo menos, os seguintes mecanismos de controle de tráfego: Traffic Policing; Traffic Shaping; Priority Queuing. Deve possuir mecanismos de roteamento baseado em políticas (Policy Based Routing); Deve possuir mecanismos de Unicast Reverse Path Forwarding (URPF, RFC 3704); Deve possuir a capacidade de tratar pelo menos 6 rotas estáticas e/ou default para o mesmo destino, de forma a balancear o tráfego sem a necessidade de protocolos de roteamento dinâmicos; Deve possuir os métodos de sincronismo Synch-E, UART, para o recurso Synchronization and Precise Timing Mechanisms ; PROTOCOLOS E PADRÕES Os equipamentos fornecidos devem atender e possuir os seguintes padrões IEEE e IETF: IEEE 802.1ad Q-in-Q; IEEE 802.1ag Service Layer OAM; IEEE 802.1ah Provider Backbone Bridges; IEEE 802.1ad Link Aggregation IEEE 802.1D MAC Bridges; IEEE 802.1p Priority; IEEE 802.1Q (GVRP); IEEE 802.1s (MSTP); IEEE 802.1v VLAN classification by Protocol and Port; IEEE 802.1w Rapid Reconfiguration of Spanning Tree; IEEE 802.3ac (VLAN Tagging Extension); Página 4 de 9

5 IEEE 802.3ad Link Aggregation (LAG); IEEE 802.3ad Link Aggregation Control Protocol (LACP); IEEE 802.3ag Ethernet OAM; IEEE 802.3ah Ethernet in First Mile over Point to Point Fiber EFMF; IEEE 802.3x Flow Control; RFC User Datagram Protocol (UDP); RFC 791 Internet protocol (IP); RFC Internet control message protocol (ICMP); RFC Transmission control protocol (TCP); RFC An Ethernet Address Resolution Protocol; RFC A Standard for the Transmission of IP Datagrams over Ethernet Networks; RFC Using ARP to Implement Transparent Subnet Gateways; RFC Use of OSI IS-IS for routing in TCP/IP and dual environments; RFC 1701 ou RFC 2784 Generic Routing Encapsulation (GRE); RFC Definition of the Differentiated Services Field in the IPv4 and IPv6 Headers; RFC An Architecture for Differentiated Services; RFC Assured Forwarding PHB Group; RFC An Expedited Forwarding PHB; RFC A Two Rate Three Color Marker; RFC 1058 ou RFC 2453 Routing Information Protocol (RIP); RFC A Simple Network Management Protocol (SNMP); RFC ICMP Router Discovery Messages; RFC Classless Inter-Domain Routing (CIDR); RFC 1850 ou RFC 4750 OSPF Version 2 Management Information Base; RFC BGP Communities Attribute; Página 5 de 9

6 RFC Internet Group Management Protocol, Version 2; RFC OSPF Version 2; RFC Graceful OSPF Restart; RFC VRRP; RFC Protocol Independent Multicast-Sparse Mode (PIM-SM); RFC The OSPF Opaque LSA Option; RFC Protection of BGP Sessions via the TCP MD5 Signature Option; RFC BGP Route Flap Damping; RFC RIPv2; RFC Layer Two Tunneling Protocol L2TP; RFC BGP Route Reflection - An Alternative to Full Mesh IBGP; RFC Route Refresh Capability for BGP-4; RFC Multiprotocol Label Switching Architecture; RFC MPLS Label Stack Encoding; RFC 3036 ou RFC LDP Specification; RFC Traffic Engineering (TE) Extensions to OSPF Version 2; RFC Graceful Restart Mechanism for Label Distribution Protocol; RFC Multi-Protocol Label Switching (MPLS) Support of Differentiated Services; RFC RSVP-TE: Extensions to RSVP for LSP Tunnels; RFC BGP/MPLS IP Virtual Private Networks (VPNs); RFC 4456 ou, RFC 2796 BGP Route Reflection: An Alternative to Full Mesh Internal BGP (IBGP); RFC OSPF as the Provider/Customer Edge Protocol for BGP/MPLS IP Virtual Private Networks (VPNs); Página 6 de 9

7 RFC Graceful Restart Mechanism for BGP; RFC Graceful Restart Mechanism for BGP with MPLS; RFC Virtual Private LAN Service (VPLS) using BGP for Auto-Discovery and Signaling; RFC Virtual Private LAN Service (VPLS) using Label Distribution Protocol (LDP) Signaling; RFC Virtual Router Redundancy Protocol (VRRP) Version 3 for IPv4 and IPv6; RFC Neighbor Discovery for IP Version 6 (IPv6); RFC IPv6 Stateless Address Autoconfiguration; RFC Internet Control Message Protocol (ICMPv6); RFC Use of BGP-4 Multiprotocol Extensions for IPv6 Inter-Domain Routing; RFC OSPF for IPv6; RFC 3513 ou, RFC 4291 Internet Protocol Version 6 (IPv6) Addressing Architecture; RFC Multicast Listener Discovery Version 2 (MLDv2) for IPv6; RFC IPv6 Global Unicast Address Format; RFC Protocol Independent Multicast - Sparse Mode (PIM-SM); RFC Internet Group Management Protocol, Version 3; Internet draft draft-ietf-isis-ipv Routing IPv6 with IS-IS - IETF Tools; Internet draft draft-rosen-vpn-mcast-07.txt - Multicast in MPLS/BGP VPNs; Internet draft draft-ietf-l3vpn-2547bis-mcast-10.txt - Multicast in MPLS/BGP IP VPNs; Internet draft draft-ietf-l3vpn-2547bis-mcast-bgp-08.txt - BGP Encodings and Procedures for Multicast in MPLS/BGP IP VPNs. Protocol Independent Multicast deverão ser suportados as seguintes RFCs: RFC Protocol Independent Multicast - Sparse Mode (PIM-SM); RFC Protocol Independent Multicast - Bidirectional PIM; RFC Protocol Independent Multicast - Dense Mode (PIM-DM) ou RFC Página 7 de 9

8 Protocol Independent Multicast - Source-Specific Multicast (PIM-SSM); Deve suportar os protocolos SSHv1/2 e Telnet para acesso à administração do equipamento, tantoquanto os protocolos FTP, TFTP ou SCP para transferência de arquivos de configuração e/ou arquivos de logs armazenadas no equipamento; Deve possuir protocolo de autenticação, para controle do acesso administrativo ao equipamento, que possua pelo menos as seguintes características: Programar mecanismos de AAA (Authentication, Authorization e Accounting). Criptografar todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso. Permitir controlar quais comandos os usuários ou grupos de usuários podem emitir em determinados elementos de rede. Utilizar o protocolo TCP para prover maior confiabilidade ao tráfego dos pacotes envolvidos no controle administrativo. Registrar os comandos executados por um dado usuário e as eventuais tentativas não autorizadas de execução de comandos (accounting). Autenticação via Radius ou Tacacs/Tacacs+; Deve possuir administração e configuração através de interface de linha de comando (CLI) com pelos menos dois níveis administrativos, sendo que no nível avançado será possível travar o direito de alteração de configurações quando outros usuários com perfil de administrador acessar o equipamento; Deve possuir o protocolo de gerenciamento SNMPv1/2/3, MIB-II, para gerência do equipamento e nativamente 2 grupos RMON (Alarms e Events) conforme RFC 1757 ou, suportar a implementação; Deve possuir uma porta de console para o gerenciamento no padrão RS-232, com conector RJ- 45 ou DB-9 e interface específica para gerência no padrão FastEthernet (fora da banda); Deve possuir a capacidade de geração de sflow ou flow proprietário para IPv4, com suporte ao monitoramento dos links agregados ao equipamento. A operação não deverá causar nenhum impacto na performance do processador central; Página 8 de 9

9 Deve possuir recursos de Object Tracking para identificação de Delay, Jitter, continuidade fim a fim e perdas de pacotes envolvendo os protocos ICMP, HTTP, UDP e TCP. Também será possível definir thresholds para alertas via SNMP trap e/ou armazenamento de logs no equipamento; Deve possuir o protocolo SNTP (Simple Network Time Protocol), em conformidade com o Padrão RFC 2030 ou RFC Simple Network Time Protocol (SNTP) Version 4 for IPv4, IPv6 and OSI ou ao protocolo NTP (Network Time Protocol); QUALIDADE DE SERVIÇO (QOS) Deve possuir QoS para classificação de tráfego, marcação e remarcação do campo TOS do IPv4 e Experimental bits MPLS. A classificação deverá ser capaz de identificar protocolos, palyloadtype e selecionar pacotes através de listas de acesso. As diretivas de inspeção/policiadores deverão ser aplicadas em cada interface nos sentidos de entrada e saída referenciado as filas de QoS; Deve possuir a marcação de tráfego baseado no campo DiffServ (Differentiated Services), conforme RFC Definition of the Differentiated Services Field (DS Field) in the IPv4 and IPv6 Headers e An Architecture for Differentiated Service; Deve possuir a classificação, marcação e remarcação baseada nível 3; Deve possuir no hardware dos módulos de interface, pelo menos 8 filas de QoS por porta com no mínimo 2 filas priority queue; Deve suportar a priorização de tráfego por tipo de protocolo e por serviços da pilha TCP/IP e DSCP. Suportar Traffic Policing, Traffic Shaping e Priority Queuing; Deve possuir mecanismos de QoS WRR (Weighted Round Robin) ou MDRR (Modified Deficit Round Robin) e, WRED (Weighted Random Early Detection); Deve possuir a facilidade de priorização de tráfego através do protocolo IEEE 802.1p. Página 9 de 9

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

Switch Central de Grande Porte

Switch Central de Grande Porte Switch Central de Grande Porte GERAL 1. Estrutura de chassi modular, para instalação em gabinete padrão EIA 19, e kit completo de instalação. Os equipamentos ofertados deverão vir acompanhados de kits

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 004/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO

CONSULTA PÚBLICA Nº 004/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO CONSULTA PÚBLICA Nº 004/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Especificaça o Te cnica

Especificaça o Te cnica Especificaça o Te cnica Esta especificação técnica tem como objetivo possibilitar a implantação da infraestrutura de rede lógica (nível de acesso) na nova sede da DME Distribuição. A solução deverá ser

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switch de Borda Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código do Material Descrição do Material

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA 1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA Switch de 10 portas, Quantidade unidades. 1.1.1. Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação e deve ocupar uma unidade

Leia mais

Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL

Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL REFERENTE: CONTRUÇÃO DO FÓRUM DE RIO LARGO -AL Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL ESPECIFICAÇÕES PARA AQUISIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Especificação SWITCH DE 24 PORTAS

Leia mais

DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO

DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO Nº: 085/2012 PREGÃO PRESENCIAL Nº: 039/2012 OBJETO: FORNECIMENTO PARCELADO DE ATIVOS DE REDE COMPOSTOS POR SWITCHES, CABOS E INTERFACES PARA MANUTENÇÃO E AMPLIAÇÃO

Leia mais

Switch de borda L3 com 48 portas, sendo 2 portas de 10Gbps

Switch de borda L3 com 48 portas, sendo 2 portas de 10Gbps Switch de borda L3 com 48 portas, sendo 2 portas de 10Gbps ARQUITETURA 1. Permitir instalação em gabinete de 19" (dezenove polegadas). 2. LEDs de identificação de atividades de status do sistema, de cada

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T, 2 portas 1GbE SFP;

TERMO DE REFERÊNCIA. Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T, 2 portas 1GbE SFP; TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Fornecimento de Switches, Módulos transceiver e Cordões Óticos. LOTE 1 Item Descrição 1.1 Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T,

Leia mais

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Objeto: Aquisição de infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) para expansão da rede loca do CSS (aumento de pontos de rede) em atendimento

Leia mais

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 1. Por meio deste aditamento, inserimos o Anexo I Especificações Técnicas.

Leia mais

Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com Criado em 1974 Protocolo mais utilizado em redes locais Protocolo utilizado na Internet Possui arquitetura aberta Qualquer fabricante pode adotar a sua

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES 1 SWITCH Todos os switches objeto deste fornecimento deverão ser do mesmo fabricante e serem entregues com todas as licenças de software necessárias à implementação de todos

Leia mais

ATA DA CONSULTA TÉCNICA N.

ATA DA CONSULTA TÉCNICA N. ((TITULO))ATA DA CONSULTA TÉCNICA N.º 2/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO DE SWITCH DE REDE ÓPTICA E SWITCH DE BORDA PARA OS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SWITCH SWITCH CORE SUBITEM CARACTERÍSTICAS GERAIS REDE E DESEMPENHO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Quantidade: 02 unidades DESCRIÇÃO A solução deverá ser composta de um único chassis modular, com 1.0 no mínimo

Leia mais

Introdução ao MPLS. Tiago Carrijo Setti Algar Telecom

Introdução ao MPLS. Tiago Carrijo Setti Algar Telecom Introdução ao MPLS Tiago Carrijo Setti Algar Telecom Algar Telecom 60 anos de atuação Mais de 1,5 mil associados Mais de 1 milhão de clientes Companhia de capital aberto* Backbone 13 mil km de rede óptica

Leia mais

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos:

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos: ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 10/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) A ATA REGISTRO PREÇOS FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO SWITCH ÓPTICA E SWITCH BORDA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DO MUNICÍPIO SÃO PAULO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011 Anexo I 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de infraestrutura tecnológica de conectividade e de segurança lógica, com fornecimento de equipamentos

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO - DG DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS - DGS

DIRETORIA DE GESTÃO - DG DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS - DGS PREGÃO ELETRÔNICO N.º 070/2010 ADENDO MODIFICADOR N.º 001 DATA DE EXPEDIÇÃO: 06/01/2011 Às empresas interessadas no pregão eletrônico N.º 070/2010 AQUISIÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI, COMPOSTA DE HARDWARE,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SEMA I N S TRUME N TO CONVOC ATÓR IO

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SEMA I N S TRUME N TO CONVOC ATÓR IO I. Regência legal: GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA I N S TRUME N TO CONVOC ATÓR IO S EÇÃO A PREÂMBULO Esta licitação obedecerá, integralmente, as disposições da Lei Estadual nº 9.433/05 (alterada pelas Leis

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Teoria e Prática Douglas Rocha Mendes Novatec Copyright 2007, 2016 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Teoria e Prática Douglas Rocha Mendes Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o autor...15 Prefácio...16 Capítulo 1 Introdução às Redes de Computadores...17 1.1 Introdução... 17

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

DmSwitch 3000 Series maio de 2015

DmSwitch 3000 Series maio de 2015 DmSwitch 3000 Series maio de 2015 DmSwitch 3000 Metro Ethernet Series A linha de produtos DmSwitch 3000 oferece soluções confiáveis de alto desempenho para ambientes Metro Ethernet LAN e Redes Corporativas.

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching. Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 01/2002

MPLS MultiProtocol Label Switching. Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 01/2002 MPLS MultiProtocol Label Switching Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 0/2002 Por que MPLS? Fatores Motivadores O crescimento rápido da Internet e a difusão de redes

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE COMUNICAÇÂO DE DADOS (SWITCHS e ACESSÓRIOS), de

Leia mais

Minuta do Termo de Referência

Minuta do Termo de Referência Minuta do Termo de Referência 1. OBJETO Fornecimento de equipamentos com serviço de manutenção e suporte durante o período de 5 anos; LOTE 1 Item Descrição Quantidade 1.1 Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet

Leia mais

Antecedentes. Vantagens potenciais das propostas. Desvantagens das propostas. Baixo atraso em comutação e QoS

Antecedentes. Vantagens potenciais das propostas. Desvantagens das propostas. Baixo atraso em comutação e QoS MPLS Paulo Aguiar Antecedentes Redes NBMA (acesso múltiplo sem difusão): ATM e Frame-Relay Baseiam-se em comutação Usam VPI/VCI (ATM) ou DLCI (Frame Relay) Operação de comutação com atraso duas ordens

Leia mais

Sumário 1 Introdução... 19 2 O Modelo OSI... 33

Sumário 1 Introdução... 19 2 O Modelo OSI... 33 Sumário 1 Introdução... 19 1.1 Um Resumo da História da Cisco Systems... 19 1.2 Sobre a Certificação Cisco Certified Network Associate CCNA Routing and Switching (R&S)... 20 1.2.1 Por que Tornar-se um

Leia mais

Deve ter capacidade de fazer balaceamento de carga para os servidores de aplicações em diferentes redes (camada 3).

Deve ter capacidade de fazer balaceamento de carga para os servidores de aplicações em diferentes redes (camada 3). 2.11. 2.12. - WSDL scanning - Recursive payload - External entity attack - Buffer overflows - Denial of service A solução WAF será encarregada do gerenciamento dos certificados digitais para todas as aplicações

Leia mais

PREGÃO-e Nº 05/2009 (RETIFICADO)

PREGÃO-e Nº 05/2009 (RETIFICADO) AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO-e Nº 05/2009 (RETIFICADO) A ABDI, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, mediante a Pregoeira designada

Leia mais

ANEXO III. INFOVIA.RJ 2.0, Rede IP Multiserviços do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Versão: 0.0

ANEXO III. INFOVIA.RJ 2.0, Rede IP Multiserviços do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Versão: 0.0 ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0, Rede IP Multiserviços do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Versão: 0.0 1 1 ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS - REDE INFOVIA.RJ 2.0 1.1 CARACTERISTICAS BASICAS COMUNS A TODOS OS

Leia mais

GWM 1420 N. INFORMÁTICA - networks. Roteador ADSL 2+ Wireless N 150 Mbps BANDA LARGA. Características

GWM 1420 N. INFORMÁTICA - networks. Roteador ADSL 2+ Wireless N 150 Mbps BANDA LARGA. Características INFORMÁTICA - networks BANDA LARGA GWM 1420 N A solução mais inteligente em banda larga. O Roteador GWM 1420 N Intelbras é um 3 em 1 que integra a função de modem ADSL 2+ de alta velocidade, roteador Wireless

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado do Mato Grosso do Sul, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, comunica

Leia mais

ANEXO I-d ESPECIFICAÇÕES DAS FUNCIONALIDADES DOS ROTEADORES

ANEXO I-d ESPECIFICAÇÕES DAS FUNCIONALIDADES DOS ROTEADORES ANEXO I- ESPECIFICAÇÕES DAS FUNCIONALIDADES DOS ROTEADORES Os roteaores everão ser fornecios, instalaos, mantios, gerenciaos e operaos pela CONTRATADA e everá ser garantio o esempenho e os níveis e serviços

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4

1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4 Índice de figuras XVII Índice de tabelas XXII Agradecimentos XXIII Nota prévia XXIV 1- Introdução 1 1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4 2 -

Leia mais

QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações

QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações Mário Meireles Teixeira mario@deinf.ufma.br Motivação Atualmente, funcionam sobre as redes IP aplicações cujos requisitos elas não foram projetadas para atender

Leia mais

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda.

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda. REDES MPLS PARTE 1 PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Protocolos anteriores ao MPLS. Motivações para o uso de Redes MPLS. O Cabeçalho MPLS. Label Switch Router (LSR). Switched Path (LSP). Forwarding

Leia mais

IPv6 - Introdução Internet Protocol versão 6

IPv6 - Introdução Internet Protocol versão 6 Leonardo Jalkauskas IPv6 - Introdução Internet Protocol versão 6 Agosto 2010 Redes de Computadores e Telecomunicações 2 IPv6 Internet Protocol versão 6 Características e Limitações do IPv4 Objetivos e

Leia mais

1.1 Transmissão multimídia em redes

1.1 Transmissão multimídia em redes 1.1 Transmissão multimídia em redes Pode-se dividir a parte de transmissão multimídia em redes de computadores como mostra a figura 1, ou seja, a parte de conferência (que requer interatividade) e a parte

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 067/2013

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 067/2013 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 067/2013 No dia 06 (seis) do mês de novembro de 2013 (dois mil e treze), o MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito no CNPJ sob o nº

Leia mais

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TEXTO)) Aos 15 (quinze) dias do mês de junho de dois mil e nove, às 14:00 hs, na sede da Empresa

Leia mais

ANEXO DO EDITAL ANEXO VI

ANEXO DO EDITAL ANEXO VI ANEXO DO EDITAL ANEXO VI Caderno Técnico de Tecnologia da Informação 1 ÍNDICE 1. Introdução... 7 2. Disposições Gerais... 8 3. Escopo... 9 4. Normas Técnicas e Segurança... 10 4.1. Normas Técnicas Aplicáveis...

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 5 Multiprotocol Label Switching (MPLS) Sumário Definição; Histórico;

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO - 29/09/2009 URGENTE. Necessita este Conselho de proposta estimativa de preço nos moldes das descrições abaixo:

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO - 29/09/2009 URGENTE. Necessita este Conselho de proposta estimativa de preço nos moldes das descrições abaixo: SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO - 29/09/2009 URGENTE Prezados Senhores, Necessita este Conselho de proposta estimativa de preço nos moldes das descrições abaixo: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. OBJETO Contratação

Leia mais

ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0

ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0 ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0 REDE IP MULTISERVIÇOS DO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Versão: 2.0 7-AGO-09 1 1 EQUIPAMENTOS CONCENTRADORES DATA CENTER PRODERJ 1.1 CARACTERÍSTICAS GERAIS Possuir no mínimo

Leia mais

Linux Controle de Redes

Linux Controle de Redes André Stato Filho Linux Controle de Redes Visual Books Sumário 1ª Parte - IP Tables... 15 1 Protocolo... 17 1.1 Modelo de Referência OSI... 17 1.1.1 Camada Física... 18 1.1.2 Camada de Enlace... 18 1.1.3

Leia mais

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Nome: Guilherme M. Ramires Analista de Sistemas Pós-Graduado em Tecnologia e Gerenciamento de Redes de Computadores CEO

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

Metro-LANs Ligação ao Backbone

Metro-LANs Ligação ao Backbone Metro-LANs Ligação ao Backbone Conhecimentos assumidos na apresentação Tecnologias LAN / VLAN / L2 Switching MPLS / RSVP Protocolos IGP BGP / LDP Conceitos Rede de operador (Service Provider Network) VPNs

Leia mais

Termo de Referência Tecnologia da Informação

Termo de Referência Tecnologia da Informação Termo de Referência Tecnologia da Informação TERMO DE REFERÊNCIA PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TI E LICENÇAS. GERENCIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS JULHO/2015 CDG CAE 01/2015 1. DO OBJETO Aquisição de

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS. diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245

REGISTRO DE PREÇOS. diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245 REGISTRO DE PREÇOS Diovany Moreira Diovany Moreira diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245 HISTÓRICO DA EMPRESA Conectividade Armazenamento de dados Segurança Telecomunicações SISTEMA

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN V3PN Voice, Video and Integrated Data IP V3PN Voice, Video and Integrated Data Palestrante André Gustavo Lomônaco Diretor de Tecnologia da IPPLUS Tecnologia Mestre em Engenharia Elétrica Certificado Cisco

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET. Termo de Referência para Equipamentos de Redes Ópticas Passivas - GPON. Versão 2.

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET. Termo de Referência para Equipamentos de Redes Ópticas Passivas - GPON. Versão 2. COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET Termo de Referência para Equipamentos de Redes Ópticas Passivas - GPON Versão 2.0 Revisão STE 26/01/2016 SUMÁRIO 1. OBJETIVO...3 2. INTRODUÇÃO...3 3. DEFINIÇÕES...3

Leia mais

Serviços Diferenciados na Internet

Serviços Diferenciados na Internet Serviços Diferenciados na Internet FEUP/DEEC/RBL 2002/03 José Ruela Serviços Diferenciados na Internet O IETF desenvolveu um modelo de Serviços Diferenciados - Differentiated Services (DiffServ) - que

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Cenário Atual As novas aplicações que necessitam de recurso da rede são cada vez mais comuns Transmissão de TV na Internet Videoconferências Jogos on-line A popularização

Leia mais

C O N S U L T A P Ú B L I C A

C O N S U L T A P Ú B L I C A C O N S U L T A P Ú B L I C A VA L I D A Ç Ã O D A E S P E C I F I C A Ç ÃO T É C N I C A E L E VA N T A M E N T O DE P R E Ç O S P A R A A Q U I S I Ç Ã O DE R O T E A D O R E S C A R R I E R E T H E

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS 2015 1 A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS Marcelo Balbinot marcelo@alt.net.br Acessoline Telecom Agenda 2 Apresentação. A Empresa. Evolução do backbone. A tecnologia MPLS. Os serviços

Leia mais

Sugestão acatada. A redação do item 2.43 será alterada para Implementar

Sugestão acatada. A redação do item 2.43 será alterada para Implementar DEFINIÇÕES E RESPOSTAS AS SUGESTÕES APRESENTADAS PELO REPRESENTANTE GLOBALRED, VIA E-MAIL, DATADO DE 18/03/2011, RELATIVAS À CONSULTA PÚBLICA, REALIZADA NO DIA 16/03/2010, VISANDO DISCUSSÃO DAS ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

MPLS Multi-Protocol Label Switching

MPLS Multi-Protocol Label Switching MPLS Multi-Protocol Label Switching Adilson Eduardo Guelfi Volnys Borges Bernal Luis Gustavo G. Kiatake Agenda Introdução Arquitetura de Rede Conceitos MPLS Conclusões Introdução MPLS is the enabling technology

Leia mais

EDITAL CARTA CONVITE N.º 005/2012 MENOR PREÇO GLOBAL DATA DE ABERTURA: 03 ABRIL DE 2012 HORÁRIO: SALA DE REUNIÃO DA COMODORIA PLENÁRIO ENDEREÇO:

EDITAL CARTA CONVITE N.º 005/2012 MENOR PREÇO GLOBAL DATA DE ABERTURA: 03 ABRIL DE 2012 HORÁRIO: SALA DE REUNIÃO DA COMODORIA PLENÁRIO ENDEREÇO: EDITAL CARTA CONVITE N.º 005/2012 TIPO: MENOR PREÇO GLOBAL DATA DE ABERTURA: 03 ABRIL DE 2012 HORÁRIO: 15H LOCAL: SALA DE REUNIÃO DA COMODORIA PLENÁRIO ENDEREÇO: SCEN TRECHO 02 CONJ. 04 ASA NORTE BRASÍLIA-DF

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Switch Switch de Datacenter

Switch Switch de Datacenter Switch Switch de Datacenter Série QSW-6500 1. DESCRIÇÃO GERAL Os switches de Datacenter QSW-6500 de nova geração contam com 40G e tem software e firmware com design modificado, blocos de alimentação modulados

Leia mais

Jornal do Município. Prefeitura Municipal de Itajaí ATOS DA ADMINISTRAÇÃO

Jornal do Município. Prefeitura Municipal de Itajaí ATOS DA ADMINISTRAÇÃO Jornal do Município Prefeitura Municipal de Itajaí Órgão Oficial do Município de Itajaí - Ano XIII - Edição Nº 1181-11 de Janeiro/2013 ATOS DA ADMINISTRAÇÃO Extrato do Aditivo: 3º TERMO ADITIVO AO CONTRATO

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

Sumário 1 Introdução... 1 2 O Modelo OSI... 13 3 Switching e VLANs... 53

Sumário 1 Introdução... 1 2 O Modelo OSI... 13 3 Switching e VLANs... 53 Sumário 1 Introdução... 1 1.1 Um Resumo da História da Cisco Systems... 1 1.2 Sobre a Certificação Cisco Certified Network Associate CCNA... 2 1.2.1 Por que Tornar-se um CCNA?... 3 1.2.2 Perguntas Freqüentes...

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. A seguir, respostas aos questionamentos referentes à Licitação Pública Nacional nº 01/13:

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. A seguir, respostas aos questionamentos referentes à Licitação Pública Nacional nº 01/13: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes à Licitação Pública Nacional nº 01/13: 1) PERGUNTA: 1- Referente ao Anexo III Dados do Contrato, o item 16.4 menciona: Os pagamentos deverão

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Solução de QoS para Serviços Triple-Play

Solução de QoS para Serviços Triple-Play Solução de QoS para Serviços Triple-Play Carlos Eduardo Terra Barroso Departamento de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria, 156 São Domingos CEP 24.210-240 Rio de

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switches Wireless LAN (Controlador de Rede sem Fio) Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código

Leia mais

MPLS. Multi Protocol Label Switching

MPLS. Multi Protocol Label Switching MPLS Multi Protocol Label Switching Nome: Edson X. Veloso Júnior Engenheiro em Eletrônica Provedor de Internet desde 2002 Integrante da equipe de instrutores da MikrotikBrasil desde 2007 Certificado Mikrotik:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE LICITAÇÃO TSE N.º /2009 MODALIDADE : PREGÃO ANEXO I PROJETO BÁSICO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE LICITAÇÃO TSE N.º /2009 MODALIDADE : PREGÃO ANEXO I PROJETO BÁSICO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE LICITAÇÃO TSE N.º /2009 MODALIDADE : PREGÃO ANEXO I PROJETO BÁSICO Rede de Comunicação da Justiça Eleitoral BACKBONE SECUNDÁRIO

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento

Leia mais

Termo de Referência. LOTE 1 Item Descrição Quantidade

Termo de Referência. LOTE 1 Item Descrição Quantidade 1. OBJETO Termo de Referência Fornecimento de Switches, Módulos transceiver e Cordões Óticos. LOTE 1 Item Descrição Quantidade 1.1 Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas

Leia mais

O Dell Force10 ExaScale Série E. Uma Nota Técnica da Dell

O Dell Force10 ExaScale Série E. Uma Nota Técnica da Dell O Dell Force10 ExaScale Série E Uma Nota Técnica da Dell Esta nota técnica serve apenas para fins informativos e pode conter erros de digitação e erros técnicos. O conteúdo é fornecido como está, sem garantias

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

TRABALHO DE TELEFONIA IP

TRABALHO DE TELEFONIA IP 1 Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores TRABALHO DE TELEFONIA IP QoS - Serviços Diferenciados Equipe: Afonso Sousa Jhonatan Cavalcante Israel Bezerra Wendel Marinho Professor: Fabio Fortaleza/2014.1

Leia mais

Formato do Quadro Ethernet

Formato do Quadro Ethernet Metro Ethernet Formato do Quadro Ethernet Quadro IEEE 802.2 7 1 6 6 2 46-1500 4 Preâmbulo Delimitador de Início Endereço Destino Endereço Origem Tamanho Dados Verificação do Quadro SAP SAP Destino SAP

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Projeto Executivo

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Projeto Executivo MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANEXO III Modelo do Ministério Público do Trabalho Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. PREMISSAS... 3 3. SOLUÇÃO

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 INTERNET Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 Anexo I - página 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. VISÃO GERAL DO ESCOPO DO SERVIÇO... 3 3. ENDEREÇOS

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES. 2.6. Possibilidade de prover serviço de hospedagem para DNS secundário.

ESPECIFICAÇÕES. 2.6. Possibilidade de prover serviço de hospedagem para DNS secundário. 1 1. OBJETO ESPECIFICAÇÕES Contratação de serviços de telecomunicações para implementação, operação e manutenção de um circuito de acesso, síncrono, dedicado à Internet, na velocidade de 6Mbps, com disponibilidade

Leia mais