CONSULTA PÚBLICA Nº 004/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSULTA PÚBLICA Nº 004/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO"

Transcrição

1 CONSULTA PÚBLICA Nº 004/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PROFAZ/ES Nº do empréstimo: Contrato de Empréstimo Nº 2245-OC/BR Objeto: AQUISIÇÃO DE SWITCHES DE NÚCLEO, DISTRIBUIÇÃO E ACESSO Ref.: Pedidos de Esclarecimentos Prezados Senhores, Apresentamos a seguir os questionamentos apresentados pelas empresas interessadas, que se manifestaram durante o período de 08/07/2013 a 22/07/2013, em que o projeto básico fora submetido à consulta pública, e respostas correspondentes. Os questionamentos foram transcritos literalmente, omitindo-se apenas a identificação da empresa que submeteu o pedido de esclarecimento. A Secretaria de Estado da Fazenda agradece a todas as empresas que demonstraram interesse em fornecer o objeto a ser licitado. Atenciosamente, PATRÍCIA BRAVIM MELOTTI Pregoeira da Comissão Permanente de Licitação da SEFAZ-ES QUESTIONAMENTO 1 ITEM 1 SWITCHES DE NÚCLEO (02 unidades) Sefaz Sede Nova Os equipamentos de núcleo devem suportar protocolo para agregação do tipo "multi- chassis", baseado no padrão IEEE 802.3ad ou similar, de forma a permitir a conexão de equipamentos de acesso aos 02(dois) equipamentos de núcleo de cada localidade simultaneamente ("dual-homing"), para o estabelecimento de agregação de conexões entre o equipamento de acesso e os 02(dois) equipamentos de núcleo de cada localidade. Essa agregação não deve utilizar nenhuma variedade do protocolo Spanning Tree, e deve garantir que as duas conexões do equipamento de acesso aos 02(dois) equipamentos de núcleo de cada localidade estejam sempre ativas e transmitindo tráfego de usuários simultaneamente. Pergunta: Os Switches que pretendemos o propor suportam o protocolo de agregação IEEE 802.3ad para as portas internas, porém não dispõe de recurso Multi- Chassis. Visando uma maior competitividade no certame e consequentemente menor custo de aquisição da SEFAZ, perguntamos se o switch com tais funcionalidades poderá ser aceito? RESPOSTA 1: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o equipamento descrito não será aceito. O equipamento ofertado deverá atender na íntegra a referida especificação. 1

2 QUESTIONAMENTO 2 ITEM 1 SWITCHES DE NÚCLEO (02 unidades) Sefaz Sede Nova Deve permitir a criação de no mínimo 200 ACLs (Access Control Lists) aplicadas simultaneamente, baseadas em endereço IP de origem ou destino e tipo de serviço. Pergunta: Os Switches que pretendemos propor possibilitam a suportam até 100 Listas de Controle de Acesso (ACLs) e permitem a utilização de até 100 ACLs para identificação do fluxo de QoS através de mapas de classe. Perguntamos se o switch com tais funcionalidades poderá ser aceito? RESPOSTA 2: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o equipamento descrito não será aceito. O equipamento ofertado deverá atender na íntegra a referida especificação. QUESTIONAMENTO 3 ITEM 2 SWITCHES DE NÚCLEO (02 unidades) Datacenter Governo Os equipamentos de núcleo devem suportar protocolo para agregação do tipo "multi- chassis", baseado no padrão IEEE 802.3ad ou similar, de forma a permitir a conexão de equipamentos de acesso aos 02(dois) equipamentos de núcleo de cada localidade simultaneamente ("dual-homing"), para o estabelecimento de agregação de conexões entre o equipamento de acesso e os 02(dois) equipamentos de núcleo de cada localidade. Essa agregação não deve utilizar nenhuma variedade do protocolo Spanning Tree, e deve garantir que as duas conexões do equipamento de acesso aos 02(dois) equipamentos de núcleo de cada localidade estejam sempre ativas e transmitindo tráfego de usuários simultaneamente. Pergunta: Os Switches que pretendemos o propor suportam o protocolo de agregação IEEE 802.3ad para as portas internas, porém não dispõe de recurso Multi- Chassis. Visando uma maior competitividade no certame e consequentemente menor custo de aquisição da SEFAZ, perguntamos se o switch com tais funcionalidades poderá ser aceito? RESPOSTA 3: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o equipamento descrito não será aceito. O equipamento ofertado deverá atender na íntegra a referida especificação. QUESTIONAMENTO 4 ITEM 2 SWITCHES DE NÚCLEO (02 unidades) Datacenter Governo Deve permitir a criação de no mínimo 200 ACLs (Access Control Lists) aplicadas simultaneamente, baseadas em endereço IP de origem ou destino e tipo de serviço. Pergunta: Os Switches que pretendemos propor possibilitam a suportam até 100 Listas de Controle de Acesso (ACLs) e permitem a utilização de até 100 ACLs para identificação do fluxo de QoS através de mapas de classe. Perguntamos se o switch com tais funcionalidades poderá ser aceito? RESPOSTA 4: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o equipamento descrito não será aceito. O equipamento ofertado deverá atender na íntegra a referida especificação. QUESTIONAMENTO 5 ITEM 3 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 (20 unidades) Deve permitir a criação de no mínimo 200 ACLs (Access Control Lists) aplicadas simultaneamente, baseadas em endereço IP de origem ou destino e tipo de serviço. Pergunta: Os Switches que pretendemos propor possibilitam a suportam até 100 Listas de Controle de Acesso (ACLs) e permitem a utilização de até 100 ACLs para identificação do fluxo de QoS através de mapas de classe. Perguntamos se o switch com tais funcionalidades poderá ser aceito? RESPOSTA 5: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o equipamento descrito não será aceito. O equipamento ofertado deverá atender na íntegra a referida especificação. QUESTIONAMENTO 6 ITEM 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 2 (08 unidades) Deve permitir a criação de no mínimo 200 ACLs (Access Control Lists) aplicadas simultaneamente, baseadas em 2

3 endereço IP de origem ou destino e tipo de serviço. Pergunta: Os Switches que pretendemos propor possibilitam a suportam até 100 Listas de Controle de Acesso (ACLs) e permitem a utilização de até 100 ACLs para identificação do fluxo de QoS através de mapas de classe. Perguntamos se o switch com tais funcionalidades poderá ser aceito? RESPOSTA 6: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o equipamento descrito não será aceito. O equipamento ofertado deverá atender na íntegra a referida especificação. QUESTIONAMENTO 7 Conforme item de contextualização e justificativa para aquisição da solução, é correto o entendimento de que a infra estrutura de tecnologia de informação, ficará em dois locais físicos distintos, com distância entre os locais de cerca de 200 mts? RESPOSTA 7: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informa que o entendimento está correto. QUESTIONAMENTO 8 Caso positivo (questionamento 7), os links de fibra óptica necessários a comunicação das redes será de responsabilidade da contratante ou estão previstos no processo correlato n PRODEST? RESPOSTA 8: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ respondeu positivamente. QUESTIONAMENTO 9 Quanto a compatibilidade com os equipamentos atuais, se refere a compatibilidade técnica dos produtos ofertados, ou trata-se de compatibilidade ( marca/fabricante ) com os equipamentos fornecidos através do procedimento de compra 015/2011? RESPOSTA 9: Analisada a questão suscitada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que se refere à compatibilidade técnica dos equipamentos ofertados. QUESTIONAMENTO 10 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos solicitar suporte à futura instalação de portas 100G para expansão: Suportar para instalação futura, no mínimo, 2 (duas) interfaces 100 Gigabit Ethernet, além das portas solicitadas nos itens anteriores. Todos os módulos devem ser non-blocking, ou seja, não será aceito oversubscription através do backplane. A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade futura. RESPOSTA 10: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ entendeu pela não aceitabilidade da mesma. O equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 11 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos solicitar suporte à futura instalação de mais 16 portas 10 Gigabit para expansão: Suportar para instalação futura, no mínimo, 16 (dezesseis) interfaces 10 Gigabit Ethernet 10GBASE-SR, além das portas solicitadas nos itens anteriores. Todos os módulos devem ser non-blocking, ou seja, não será aceito oversubscription através do backplane. A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade futura. RESPOSTA 11: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu que irá solicitar suporte a futura instalação de mais 16 portas 10Gb para expansão. QUESTIONAMENTO 12 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 1.4. Independentemente do número de módulos que cada fabricante fornecerá, ao final da configuração 3

4 total deverá haver no mínimo 02 (dois) slots livres para expansão futura. Sugerimos retirar esse item porque a expansão está sendo tratada nos dois itens anteriores. RESPOSTA 12: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu remover o referido item do Projeto. QUESTIONAMENTO 13 REFERENTE AO ITEM 1 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITEM 1.5. Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 400 Mpps e 350 Gbps Full Duplex (700 Gbps) de capacidade de switching (backplane). Sugerimos aumentar o valor solicitado para: Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 930 Mpps e 600 Gbps Full Duplex (1200 Gbps) de capacidade de switching (backplane); Portas solicitadas Mpps: 24 x (portas 1 Gigabit) = x (portas 10Giga) = TOTAL = pps Portas para expansão: 16 x (portas 10Giga) = x (portas 100Giga) = TOTAL GERAL = pps Portas solicitadas Gbps: 24 x 1000 (portas 1 Gigabit) = x (portas 10Giga) = TOTAL = bps * 2 (full duplex) = bps Portas para expansão: 16 x (portas 10Giga) = x (portas 100Giga) = TOTAL GERAL = pps * 2 (full duplex) = bps A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade. RESPOSTA 13: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ alterar o Projeto para aumentar os valores para encaminhamento de pacotes de no mínimo 930 Mbps e 600 Gbps Full Duplex (1200 Gbps) de capacidade de switching (backplane). QUESTIONAMENTO 14 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 1.9. Deve possuir capacidade de configuração de até 32 (trinta e dois) troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 8 (oito) portas físicas por tronco. Sugerimos aumentar o número de troncos e/ou a quantidade de portas para 64 troncos de 32 portas. A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade. RESPOSTA 14: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ alterar o Projeto para aumentar para 64 troncos de até 12 portas. QUESTIONAMENTO 15 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS Deve permitir endereçamento de no mínimo de (trinta e dois mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. Sugerimos aumentar para 512K de endereços MAC. A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade. 4

5 RESPOSTA 15: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ alterar o Projeto para aumentar para endereços. QUESTIONAMENTO 16 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS Deve possuir memória flash que possua capacidade suficiente para armazenar no mínimo 2 (duas) versões de firmware. Solicitamos retirar o item ou alterar para o texto abaixo: Deve possuir memória flash interna com capacidade suficiente para armazenar no mínimo 2 (duas) versões de firmware ou possuir suporte à inserção de cartão de memória externo, USB ou PCMCIA. Não suportamos 2 imagens de software na memória flash interna, mas o equipamento possui dois slots PCMCIA para inserção de cartões de memória. RESPOSTA 16: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu remover o item do Projeto. QUESTIONAMENTO 17 - REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS Deve implementar no mínimo (mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a Sugerimos aumentar para 4000 VLANs. A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade. RESPOSTA 17: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o Projeto para aumentar para 4000 VLANs. QUESTIONAMENTO 18 - REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 2.1. Deve possuir fontes de alimentação redundantes internas ao equipamento e hot swappable. Sugerimos adicionar a expressão N+1 e load sharing conforme o seguinte: Deve possuir fontes de alimentação redundantes do tipo N+1 internas ao equipamento e hot swappable, em modo load sharing. A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados. RESPOSTA 18: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir fontes de alimentação redundantes do tipo N+1 internas ao equipamento e hot swappable em modo load sharing. QUESTIONAMENTO 19 - REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 2.3. Em caso de falha de uma das fontes, a(s) fonte(s) redundante(s) deve(m) garantir o funcionamento do equipamento mesmo na condição de capacidade máxima do mesmo, ou seja, com todos os slots ocupados por módulos ativos. Sugerimos alterar para: Em caso de falha de uma das fontes, a(s) fonte(s) restante(s) deve(m) garantir o funcionamento do equipamento mesmo na condição de capacidade máxima do mesmo, ou seja, com todos os slots ocupados por módulos ativos. O equipamento ofertado requer mais de um fonte para funcionar como todos os seus slots ocupados, de modo que não é a fonte redundante que mantêm o equipamento funcionando, mas as restantes. RESPOSTA 19: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Em caso de falha de uma das fontes, a(s) fonte(s) restante(s) deve(m) garantir o funcionamento do equipamento mesmo na condição de capacidade máxima do mesmo, ou seja, com todos os slots ocupados por módulos ativos. QUESTIONAMENTO 20 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos a inclusão de regras para controle de tráfego em camada 2: Implementar a criação de ACLs de Camada 2 de entrada, suportando filtragem de pacotes por endereço MAC. A sugestão visa maior controle sobre o tráfego de camada 2 e melhoria dos da qualidade dos equipamentos ofertados. 5

6 RESPOSTA 20: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu incluir no Projeto a seguinte exigência: Implementar a criação de ACLs de Camada 2 de entrada, suportando filtragem de pacotes por endereço MAC. QUESTIONAMENTO 21 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 3.5. Deve implementar facilidades de syslog, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. Sugerimos solicitar mais de um servidor de Syslog: Deve implementar facilidades de Syslog para, no mínimo, 2 servidores, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. A sugestão visa garantir redundância na coleta de log events. RESPOSTA 21: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar facilidades de Syslog para, no mínimo, 2 servidores, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. QUESTIONAMENTO 22 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 3.8. Deve possuir controle para limitação de broadcast storm. Sugerimos ampliar o escopo do item na forma abaixo: Deve possuir controles para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast. A sugestão visa ampliar o controle sobre tráfego indesejável na rede. RESPOSTA 22: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir controles para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast. QUESTIONAMENTO 23 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 4.3. Implementar roteamento dinâmico usando o protocolo RIPv2 (RFC 1723). Solicitamos alterar para: Implementar roteamento dinâmico usando o protocolo RIPv2 (RFC 1723 ou 2453). Não suportamos a RFC RESPOSTA 23: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Implementar roteamento dinâmico usando o protocolo RIPv2 (RFC 1723 ou 2453). QUESTIONAMENTO 24 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 4.4. Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo OSPF, de acordo com as RFCs, 1850, 2328, 2370, 3101 e Sugerimos alterar para: Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo OSPF, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: OSPF v2 MIB (RFC 1850), OSPF v2 (RFC 2328), OSPF Opaque LSA Option (RFC 2370), OSPF NSSA (RFC 3101) e Graceful OSPF Restart (RFC 3623). A sugestão visa melhorar a redação. RESPOSTA 24: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo OSPF, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: OSPF v2 MIB (RFC 1850), OSPF v2 (RFC 2328), OSPF Opaque LSA Option (RFC 2370), OSPF NSSA (RFC 3101) e Graceful OSPF Restart (RFC 3623). QUESTIONAMENTO 25 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos adicionar BGP4: Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo BGP4, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: BGP4 MIB (RFC 4273), Border Gateway Protocol 4 (RFC 4271), Communities and Attributes (RFC 1997), Route Flap Dampening (RFC 2439), Route Reflection (RFC 2796), BGP4 Confederations (RFC 1965) e BGP Support for Four-octet AS number space (RFC 4893). A sugestão visa prover alternativa de protocolo de roteamento dinâmico e melhorar a qualidade dos equipamentos cotados. BGP4 é suportado por todos os grandes fabricantes em seus equipamentos de primeira linha. 6

7 RESPOSTA 25: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu incluir no Projeto a seguinte exigência: Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo BGP4, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: BGP4 MIB (RFC 4273), Border Gateway Protocol 4 (RFC 4271), Communities and Attributes (RFC 1997), Route Flap Dampening (RFC 2439), Route Reflection (RFC 2796), BGP4 Confederations (RFC 1965) e BGP Support for Four-octet AS number space (RFC 4893). QUESTIONAMENTO 26 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos adicionar IS-IS: Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo IS-IS, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: OSI IS-IS Intra-Domain Routing Protocol (RFC 1142), Use of IS-IS for Routing in TCP/IP and Dual Environments (RFC 1195), Dynamic Host Exchange Mechanism for IS- IS (RFC 2763) e Domain-wide Prefix Distribution with Two-Level IS-IS (RFC 2966). A sugestão visa prover alternativa de protocolo de roteamento dinâmico e melhorar a qualidade dos equipamentos cotados. IS-IS é suportado por todos os grandes fabricantes em seus equipamentos de primeira linha. RESPOSTA 26: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu incluir no Projeto a seguinte exigência: Implementar roteamento IP em todas as suas interfaces, usando o protocolo IS-IS, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: OSI IS-IS Intra-Domain Routing Protocol (RFC 1142), Use of IS-IS for Routing in TCP/IP and Dual Environments (RFC 1195), Dynamic Host Exchange Mechanism for IS-IS (RFC 2763) e Domain-wide Prefix Distribution with Two- Level IS-IS (RFC 2966). QUESTIONAMENTO 27 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos adicionar VRF: Implementar o protocolo VRF-Lite ou Multi-VRF sem o uso de MPLS. A sugestão visa aumentar a flexibilidade de configuração da rede pela adição de instancias de roteamento. RESPOSTA 27: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu incluir no Projeto a seguinte exigência: Implementar o protocolo VRF-Lite ou Multi-VRF sem o uso de MPLS. QUESTIONAMENTO 28 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 4.7. Deve permitir roteamento em hardware atendendo às seguintes RFCs: 2460, 2461, 2462, 3587, 2375, 2464 e Sugerimos alterar para: Deve permitir roteamento IPv6 em hardware atendendo às seguintes RFCs: IPv6 Specification (RFC 2460), IPv6 Neighbor Discovery (RFC 2461), IPv6 Stateless Address Autoconfiguration (RFC 2462), IPv6 Global Unicast Address Format (RFC 3587), IPv6 Multicast Address Assignments (RFC 2375), Transmission of IPv6 over Ethernet Networks (RFC 2464) e IPv6 Router Alert Option (RFC 2711). A sugestão visa clareza do texto, já que todas as RFCs referem-se a roteamento IPv6. RESPOSTA 28: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve permitir roteamento IPv6 em hardware atendendo às seguintes RFCs: IPv6 Specification (RFC 2460), IPv6 Neighbor Discovery (RFC 2461), IPv6 Stateless Address Auto-configuration (RFC 2462), IPv6 Global Unicast Address Format (RFC 3587), IPv6 Multicast Address Assignments. QUESTIONAMENTO 29 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos adotar também PBR: Implementar o serviço Policy-Based Routing (PBR), utilizando ACLs para definir políticas de roteamento baseadas em endereços de origem. A sugestão visa flexibilizar o roteamento da rede adotando através de PBR, melhorando a qualidade dos equipamentos cotados. 7

8 RESPOSTA 29: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu incluir no Projeto a seguinte exigência: Implementar o serviço Policy-Based Routing (PBR), utilizando ACLs para definir políticas de roteamento baseadas em endereços de origem. QUESTIONAMENTO 30 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos incluir MPLS, conforme os itens abaixo: Suportar MPLS em todas as suas interfaces, de acordo com as seguintes normas: MPLS Architecture (RFC 3031), MPLS Label Stack Encoding (RFC 3032) e LDP Specification (RFC 3036). A sugestão visa flexibilizar a configuração da rede adotando protocolo de roteamento através de labels e melhorar a qualidade dos equipamentos cotados. RESPOSTA 30: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ entendeu pela não aceitabilidade da mesma. O equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 31 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos incluir MPLS, conforme os itens abaixo: Suportar os serviços VLL e VPLS de acordo com as seguintes especificações: Pseudowire Setup and Maintenance using LDP (RFC 4447) e VPLS using LDP signaling (RFC 4762). RESPOSTA 31: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ entendeu pela não aceitabilidade da mesma. O equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 32 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos incluir MPLS, conforme os itens abaixo: Suportar, no mínimo, 500 instâncias de VPNs BGP/MPLS. RESPOSTA 32: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ entendeu pela não aceitabilidade da mesma. O equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 33 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos incluir MPLS, conforme os itens abaixo: Suportar engenharia de tráfego usando RSVP-TE de acordo com as seguintes especificações: RSVP v1 Functional Specification (RFC 2205) e RSVP-TE (RFC 3209). RESPOSTA 33: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ entendeu pela não aceitabilidade da mesma. O equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 34 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos incluir MPLS, conforme os itens abaixo: Suportar VPNs de Camada 3 com MPLS usando as seguintes especificações: Multiprotocol Extensions for BGP-4 (RFC 2858), Carrying Label Information in BGP-4 (RFC 3107), BGP/MPLS IP VPNs (RFC 4364) e OSPF as the PE/CE Protocol in BGP/MPLS IP VPNs (RFC 4577). RESPOSTA 34: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ entendeu pela não aceitabilidade da mesma. O equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 35 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 5.3. Deve implementar o Internet Protocol Flow Information Export (IPFIX) ou tecnologia de exportação de fluxo semelhante em hardware para todas as portas. Sugerimos alterar para: Deve implementar o Internet Protocol Flow Information Export (IPFIX) ou sflow ou NetFlow para exportação de fluxo em 8

9 hardware para todas as portas. A sugestão visa limitar as tecnologias de fluxo suportadas aos padrões praticados no mercado pelos grandes fabricantes. RESPOSTA 35: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar o Internet Protocol Flow Information Export (IPFIX) ou sflow ou NetFlow para exportação de fluxo em hardware para todas as portas. QUESTIONAMENTO 36 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 5.6. Deve possuir porta de console para gerenciamento e configuração via linha de comando com conector RJ- 45 ou conector padrão RS-232. Sugerimos alterar para: Deve possuir porta de console do tipo RS-232 para gerenciamento e configuração via linha de comando com conector RJ-45 ou conector padrão DB-9. A sugestão visa corrigir equívoco no texto original, que especifica RS-232, o protocolo do padrão serial, como um tipo de conector. Toda porta console deve usar RS-232, o conector físico é que varia, sendo comuns DB-9 e RJ-45. RESPOSTA 36: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir porta de console do tipo RS-232 para gerenciamento e configuração via linha de comando com conector RJ-45 ou conector padrão DB-9. QUESTIONAMENTO 37 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 5.7. Deve permitir espelhamento de uma porta ou de um grupo de portas ou de VLANs para, pelo menos, 01 (uma) porta especificada, mesmo que esta resida em um outro módulo do switch. Sugerimos aumentar o número de portas de espelhamento. Deve permitir espelhamento de uma porta ou de um grupo de portas ou de VLANs para múltiplas portas, mesmo que residam em outro(s) módulo(s) do switch. A sugestão visa garantir redundância na coleta de tráfego. RESPOSTA 37: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve permitir espelhamento de uma porta ou de um grupo de portas ou de VLANs para múltiplas portas, mesmo que residam em outro(s) módulo(s) do switch. QUESTIONAMENTO 38 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 6.3. Deve possuir no mínimo 04 (quatro) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. Sugerimos aumentar para 8 filas de prioridade. A sugestão visa garantir a qualidade dos equipamentos cotados. Todos os grandes fabricantes possuem equipamentos de núcleo com 8 filas de prioridade em hardware. RESPOSTA 38: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir no mínimo 08 (oito) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. QUESTIONAMENTO 39 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. Sugerimos incluir rate limiting: Implementar a configuração de regras de controle de banda (Rate Limiting ou Traffic Policing) de entrada e saída por porta física, VLANs e ACLs. A sugestão visa garantir maior controle sobre o tráfego da rede e melhorar a qualidade dos equipamentos cotados. Todos os grandes fabricantes suportam regras de entrada e saída em seus equipamentos de primeira linha. RESPOSTA 39: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu incluir no Projeto a seguinte exigência: Implementar a configuração de regras de controle de banda (Rate Limiting ou Traffic Policing) de entrada e saída por porta física, VLANs e ACLs. 9

10 QUESTIONAMENTO 40 REFERENTE AO ITEM 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITEM 1.5. Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 400 Mpps e 350 Gbps Full Duplex (700 Gbps) de capacidade de switching (backplane). Sugerimos aumentar o valor solicitado para: Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 780 Mpps e 524 Gbps Full Duplex (1048 Gbps) de capacidade de switching (backplane); Portas solicitadas Mpps: 24 x (portas 1 Gigabit) = x (portas 10Giga) = TOTAL = pps Portas para expansão: 16 x (portas 10Giga) = x (portas 100Giga) = TOTAL GERAL = pps Portas solicitadas Gbps: 24 x 1000 (portas 1 Gigabit) = x (portas 10Giga) = Portas para expansão: 16 x (portas 10Giga) = x (portas 100Giga) = TOTAL GERAL = pps * 2 (full duplex) = bps A sugestão visa melhorar a qualidade dos equipamentos cotados e garantir escalabilidade. RESPOSTA 40: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ alterar o Projeto para aumentar os valores para encaminhamento de pacotes de no mínimo 930 Mbps e 600 Gbps Full Duplex (1200 Gbps) de capacidade de switching (backplane). QUESTIONAMENTO 41 REFERENTE AO ITEM 3 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 - SUBITEM 1.2. Todas as 48 (quarenta e oito) portas deverão possuir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af. Sugerimos solicitar PoE+ para suporte de equipamentos que requerem 30W de potencia PoE: Todas as 48 (quarenta e oito) portas deverão possuir alimentação PoE conforme os padrões IEEE 802.3af. Deverá ser possível alimentar equipamentos PoE+ em pelo menos metade das portas. Equipamentos de primeira linha do mercado possuem budget PoE de 740W para 48 portas e suportam, com o mesmo budget, PoE+ na metade das portas. RESPOSTA 41: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Todas as 48 (quarenta e oito) portas deverão possuir alimentação PoE conforme os padrões IEEE 802.3af. Deverá ser possível alimentar equipamentos PoE+ em pelo menos metade das portas. QUESTIONAMENTO 42 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.3. Deve possuir 01 (uma) porta de Uplink 10 Gigabit Ethernet 10GBASE-SR para uso em fibra multimodo. O módulo deve ser fornecido juntamente com seu respectivo conector, não sendo aceito conector que utilize tecnologia proprietária. A interface deve ter a capacidade de transmissão de dados de, no mínimo, 200 (duzentos) metros de distância de outra interface do mesmo tipo. Sugerimos solicitar 2 (duas) portas de uplink. A sugestão visa prover redundância para o uplink da borda. RESPOSTA 42: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que o equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. 10

11 QUESTIONAMENTO 43 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.5. Deve possuir capacidade de configuração de até 6 troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 4 portas físicas por tronco. Sugerimos aumentar o número de troncos para 32. A limitação do número de troncos na maioria dos casos se aplica ao equipamento e à pilha. RESPOSTA 43: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir capacidade de configuração de até 32 troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 08 portas físicas por tronco. QUESTIONAMENTO 44 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.6. Deve permitir endereçamento de no mínimo de (oito mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. Sugerimos aumentar para endereços MAC. A sugestão visa aumentar a qualidade dos equipamentos ofertados. RESPOSTA 44: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve permitir endereçamento de no mínimo de (dezesseis mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. QUESTIONAMENTO 45 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.9. Deve implementar no mínimo (mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a Sugerimos aumentar para 4000 VLANs. A sugestão visa aumentar a qualidade dos equipamentos ofertados. RESPOSTA 45: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar no mínimo (quatro mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a QUESTIONAMENTO 46 REFERENTE AO ITEM 3 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 SUBITEM 2.2. O switch e a fonte de alimentação devem produzir ruído acústico máximo de 52 (cinquenta e dois) DBA de acordo com a ISO Solicitamos alterar para 56 DBA. O equipamento ofertado possui nível de ruído superior ao especificado. RESPOSTA 46: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: O switch e a fonte de alimentação devem produzir ruído acústico máximo de 56 (cinquenta e seis) DBA. QUESTIONAMENTO 47 REFERENTE AO ITEM 3 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 SUBITEM 2.3. Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas. Sugerimos alterar para: Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. Equipamentos de primeira linha do mercado possuem budget PoE de 740W para 48 portas e suportam, com o mesmo budget, PoE+ na metade das portas. RESPOSTA 47: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. QUESTIONAMENTO 48 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 3.7. Deve implementar facilidades de syslog, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. Solicitar mais de um servidor de Syslog: Deve implementar facilidades de Syslog para, no mínimo, 2 servidores, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. A sugestão visa garantir redundância na coleta de log events. 11

12 RESPOSTA 48: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar facilidades de Syslog para, no mínimo, 2 servidores, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. QUESTIONAMENTO 49 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS Deve possuir controle para limitação de broadcast storm. Sugerimos alterar para: Deve possuir controle para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast. A sugestão visa ampliar o controle sobre tráfego indesejável na rede. RESPOSTA 49: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir controle para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast storm. QUESTIONAMENTO 50 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 4.3. Deve implementar o Internet Protocol Flow Information Export (IPFIX) ou tecnologia de exportação de fluxo semelhante em hardware para todas as portas. Sugerimos alterar para: Deve implementar o Internet Protocol Flow Information Export (IPFIX) ou sflow ou NetFlow para exportação de fluxo em hardware para todas as portas. A sugestão visa limitar as tecnologias de fluxo suportadas aos padrões praticados no mercado pelos grandes fabricantes. RESPOSTA 50: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar o Internet Protocol Flow Information Export (IPFIX) ou sflow ou NetFlow para exportação de fluxo em hardware para todas as portas. QUESTIONAMENTO 51 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 4.6. Deve possuir porta de console para gerenciamento e configuração via linha de comando com conector RJ-45 ou conector padrão RS-232. Sugerimos alterar para: Deve possuir porta de console do tipo RS-232 para gerenciamento e configuração via linha de comando com conector RJ-45 ou conector padrão DB-9. A sugestão visa corrigir equívoco no texto original, que especifica RS- 232, o protocolo do padrão serial, como um tipo de conector. Toda porta console deve usar RS-232, o conector físico é que varia, sendo comuns DB-9 e RJ-45. RESPOSTA 51: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu que o equipamento ofertado deverá possuir porta de console do tipo RS-232 para gerenciamento e configuração via linha de comando com conector RJ-45 ou conector padrão DB-9. QUESTIONAMENTO 52 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITEM 4.7. Deve permitir espelhamento de uma porta ou de um grupo de portas ou de VLANs para, pelo menos, 01 (uma) porta especificada. Sugerimos aumentar o número de portas de espelhamento e adicionar espelhamento entre elementos da pilha. Deve permitir espelhamento de uma porta ou de um grupo de portas ou de VLANs para múltiplas portas, mesmo que residam em outro(s) switch(es) da mesma pilha. A sugestão visa garantir redundância e flexibilidade na coleta de tráfego. RESPOSTA 52: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve permitir espelhamento de uma porta ou de um grupo de portas ou de VLANs para múltiplas portas, mesmo que residam em outro(s) switch(es) da mesma pilha. QUESTIONAMENTO 53 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 4.8. Deve possuir gerenciamento gráfico (web) do equipamento via HTTP de forma intuitiva e amigável (point-and-click), possibilitando, no mínimo, criar, acessar e modificar a configuração sem a necessidade da CLI (Comand Line Interface) ou semelhante, como, por exemplo, 12

13 CLI HTTP. Solicitamos que seja aceito o suporte HTTP em roadmap para o primeiro semestre de Não suportamos HTTP na versão atual. RESPOSTA 53: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que o equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 54 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 5.3. O equipamento deve possuir no mínimo 04 (quatro) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. Sugerimos aumentar para 8 filas de prioridade. A sugestão visa incrementar a qualidade dos equipamentos ofertados. Todos os grandes fabricantes possuem equipamentos de borda com 8 filas de prioridade. RESPOSTA 54: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que o equipamento deverá possuir no mínimo 08 (oito) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. QUESTIONAMENTO 55 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 6.1. O switch deve implementar empilhamento através de cabo dedicado, não utilizando interface de rede. Solicitamos a retirada deste item ou sua modificação para: O switch deve implementar empilhamento através de interface dedicada, não utilizando nenhuma das interfaces de rede solicitadas. O equipamento ofertado possui 4 interfaces SFP+ e é empilhado através de duas delas, configuradas para esse fim, utilizando protocolo proprietário. Contudo, essas interfaces são reversíveis e podem ser configuradas como interfaces 10G de uplink. Ou seja, são também interfaces de rede. RESPOSTA 55: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que o switch deverá implementar empilhamento através de cabo dedicado ou interface dedicada, não utilizando nenhuma das interfaces de rede solicitadas. QUESTIONAMENTO 56 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 6.3. Deve suportar o empilhamento de no mínimo 5 (cinco) switches. Sugerimos aumentar para 8 switches na pilha. O empilhamento de 8 switches é suportado pelos grandes fabricantes. RESPOSTA 56: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar o empilhamento de no mínimo 08 (oito) switches. QUESTIONAMENTO 57 REFERENTE AO ITEM 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 2 SUBITEM 1.2. Todas as 24 (vinte quatro) portas deverão possuir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af. Sugerimos solicitar PoE+ para suporte de equipamentos que requerem 30W de potencia PoE: Todas as 24 (vinte e quatro) portas deverão possuir alimentação PoE conforme os padrões IEEE 802.3af. Deverá ser possível alimentar equipamentos PoE+ em pelo menos metade das portas. Equipamentos de primeira linha do mercado possue budget PoE de 370W para 24 portas e suportam, com o mesmo budget, PoE+ na metade das portas. RESPOSTA 57: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Todas as 24 (vinte e quatro) portas deverão possuir alimentação PoE conforme os padrões IEEE 802.3af. Deverá ser possível alimentar equipamentos PoE+ em pelo menos metade das portas. QUESTIONAMENTO 58 REFERENTE AO ITEM 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 2 SUBITEM 2.3. Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas 13

14 portas. Sugerimos alterar para: Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. Equipamentos de primeira linha do mercado possue budget PoE de 370W para 24 portas e suportam, com o mesmo budget, PoE+ na metade das portas. RESPOSTA 58: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. QUESTIONAMENTO 59 REFERENTE AO ITEM 5 ESPELHAMENTO DE PORTAS SUBITEM 1.1. A empresa vencedora deve ter pessoal especializado, certificado e autorizado por empresa especializada em cabeamento estruturado, ou contratar empresa com estes profissionais. Deve ser realizado o espelhamento das portas dos swiths para cada andar conforme tabela abaixo. Solicitamos a retirada do item e a transferência dos serviços e produtos relacionados para outra licitação. Empresas especializadas na venda, instalação e suporte de ativos de rede não possuem necessariamente em sua linha de produtos cabeamento e conectorização, que é o nosso caso. Para fornecimento dos itens relativos a espelhamento teremos que terceirizar a contratação, afetando nossa competitividade. RESPOSTA 59: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: A empresa vencedora deve ter pessoal especializado, certificado e autorizado por empresa especializada em cabeamento estruturado, ou contratar empresa com estes profissionais. QUESTIONAMENTO 60 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO - SUBITENS 1.5. Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 400 Mpps e 350 Gbps Full Duplex (700 Gbps) de capacidade de switching (backplane). Entendemos que as capacidades de processamento apresentadas se encontram defasadas perante o mercado em decorrência do desenvolvimento de novos processadores e ASICs especializados que aumentaram a oferta de equipamentos com maior capacidade de processamento. Sendo assim, sugerimos que a redação deste requisito seja alterada para: 1.5 Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 960 (novecentos e sessenta) Mpps e 1280 (hum mil duzentos e oitenta) Gbps Full Duplex (2560 Gbps Half-duplex) de capacidade de switching (backplane). RESPOSTA 60: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar taxa de encaminhamento de pacotes de no mínimo 930 Mpps e 600 Gbps Full Duplex (1200 Gbps) de capacidade de switching (backplane). QUESTIONAMENTO 61 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO SUBITENS 1.9. Deve possuir capacidade de configuração de até 32 (trinta e dois) troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 8 (oito) portas físicas por tronco. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.9. Deve possuir capacidade de configuração de, no mínimo, 128 (cento e vinte e oito) troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com, no mínimo, 12 (doze) portas físicas por tronco. RESPOSTA 61: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir capacidade de configuração de até 64 (sessenta e quatro) troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 12 (doze) portas físicas por tronco. QUESTIONAMENTO 62 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO SUBITENS Deve permitir endereçamento de no mínimo de (trinta e dois mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. Sugerimos que o requisito seja alterado para:

15 Deve permitir endereçamento de no mínimo de (cento e cinquenta mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. RESPOSTA 62: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve permitir endereçamento de no mínimo de (cento e cinquenta mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. QUESTIONAMENTO 63 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO SUBITENS Deve implementar no mínimo (mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a Sugerimos que o requisito seja alterado para: Deve implementar no mínimo (quatro mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a RESPOSTA 63: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar no mínimo (quatro mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a QUESTIONAMENTO 64 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO SUBITENS 3.5. Deve implementar facilidades de syslog, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 3.5. Deve implementar facilidades de syslog, permitindo o envio de logs de eventos para, no mínimo, 02 (dois) servidores syslog externos via IPv4 e IPv6. RESPOSTA 64: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar facilidades de Syslog para, no mínimo, 2 servidores, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. QUESTIONAMENTO 65 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO SUBITENS 3.8. Deve possuir controle para limitação de broadcast storm. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 3.8 Deve possuir controles para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast. RESPOSTA 65: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir controles para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast. QUESTIONAMENTO 66 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO SUBITENS 6.3. Deve possuir no mínimo 04 (quatro) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. Entendemos que 04 (quatro) filas em hardware é um quantitativo muito baixo para atender aos requisitos de granularidade de qualidade de serviço (QoS) exigido nos dias de hoje. Todos os principais fabricantes implementam 08 (oito) filas e alguns fabricantes chegam a implementar 12 ou 16 filas por porta. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 6.3. Deve possuir no mínimo 08 (oito) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. RESPOSTA 66: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir no mínimo 08 (oito) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. QUESTIONAMENTO 67 REFERENTE AOS ITENS 1 E 2 SWITCHES DE NÚCLEO. A empresa interessada sugeriu a adição dos requisitos: 15

16 Deve implementar a criação de ACLs de Camada 2 de entrada, suportando filtragem de pacotes por endereço MAC; Deve implementar o roteadores virtuais, ou o protocolo VRF-Lite ou Multi-VRF sem o uso de MPLS; Deve implementar roteamento baseado em políticas ou filtros (Policy Based Routing ou Filter Based Forwarding); Deve implementar Digital Optical Monitoring (DOM); Deve implementar Time Domain Reflectometer (TDR) auxiliando no diagnóstico de cabos UTP; Deve implementar Unicast Reverse-path Forwarding (RPF); Deve implementar Bi-directional Forwarding Detection (BFD); Deve implementar Private VLANs ou recurso similar que permita restringir a comunicação entre hosts em uma mesma VLAN criando grupos; Deve implementar o padrão Multiple VLAN Registration Protocol (MVRP, IEEE 802.1ak); Deve implementar Rate Limiting; Deve implementar Policing; Deve implementar o encapsulamento de pacotes IPv4 e IPv6 em túneis GRE; Deve implementar roteamento IP usando o protocolo BGP4, de acordo com as seguintes RFCs ou superiores: Border Gateway Protocol 4 (RFC 4271), Communities and Attributes (RFC 1997), Route Flap Dampening (RFC 2439), Route Reflection (RFC 2796), BGP4 Confederations (RFC 1965) e BGP Support for Four-octet AS number space (RFC 4893); Deve permitir roteamento IPv6 em hardware atendendo às seguintes RFCs: IPv6 Multicast Address Assignments (RFC 2375), IPv6 Specification (RFC 2460), IPv6 Neighbor Discovery (RFC 2461), IPv6 Stateless Address Auto-configuration (RFC 2462), Transmission of IPv6 over Ethernet Networks (RFC 2464), IPv6 Router Alert Option (RFC 2711), IPv6 Global Unicast Address Format (RFC 3587); Deve implementar IP sobre MPLS; Deve implementar MPLS baseado em LDP; Deve implementar VPNs MPLS na camada 2 e 3; Deve implementar o protocolo Resource Reservation Protocol Traffic Engineering (RSVP-TE); Devem ser fornecidos com módulos de controle/supervisão e fabrics redundantes que possam ser trocados sem a interrupção do funcionamento do equipamento (hot-swappable). Estes módulos devem operar em regime N+1, ou seja, a falha individual de um dos módulos não deve ocasionar perda de desempenho ao equipamento. o Deve implementar Graceful Restart para os protocolos BGP e OSPF; o Deve implementar Non Stop Routing para os protocolos BGP e OSPF; o Deve permitir a atualização de firmware/software do equipamento a quente implementando o padrão In-Service Software Upgrade (ISSU), Nonstop Software Upgrade (NSSU) ou similar; RESPOSTA 67: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que os requisitos deverão ser atendidos conforme especificação do Projeto. QUESTIONAMENTO 68 REFERENTE AO ITEM 3 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 SUBITEM 1.2. Todas as 48 (quarenta e oito) portas deverão possuir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.2. Todas as 48 (quarenta e oito) portas deverão possuir alimentação PoE e PoE+ conforme os padrões IEEE 802.3af e IEEE 802.3at, sendo que o switch deve possuir PoE Budget de, no mínimo, 740 (setecentos e quarenta) Watts. RESPOSTA 68: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Todas as 48 (quarenta e oito) portas deverão possuir alimentação PoE conforme os padrões IEEE 802.3af. Deverá ser possível alimentar equipamentos PoE+ em pelo menos metade das portas. 16

17 QUESTIONAMENTO 69 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.3. Deve possuir 01 (uma) porta de Uplink 10 Gigabit Ethernet 10GBASE-SR para uso em fibra multimodo. O módulo deve ser fornecido juntamente com seu respectivo conector, não sendo aceito conector que utilize tecnologia proprietária. A interface deve ter a capacidade de transmissão de dados de, no mínimo, 200 (duzentos) metros de distância de outra interface do mesmo tipo. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.3. Deve possuir 02 (duas) portas de Uplink 10 Gigabit Ethernet com suporte a transceptores do tipo SFP+. Deverá ser fornecido 01 (um) transceptor SFP+ 10GBASE-SR para uso em fibra multimodo. O módulo deve ser fornecido juntamente com seu respectivo conector, não sendo aceito conector que utilize tecnologia proprietária. A interface deve ter a capacidade de transmissão de dados de, no mínimo, 200 (duzentos) metros de distância de outra interface do mesmo tipo. RESPOSTA 69: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que o equipamento deverá atender a todas as características técnicas conforme especificação detalhada no Projeto. QUESTIONAMENTO 70 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.5. Deve possuir capacidade de configuração de até 6 troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 4 portas físicas por tronco. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.5. Deve possuir capacidade de configuração de, no mínimo, 64 (sessenta e quatro) troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 8 portas físicas por tronco. RESPOSTA 70: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir capacidade de configuração de até 32 troncos IEEE 802.3ad (Link Aggregation) com pelo menos 08 portas físicas por tronco. QUESTIONAMENTO 71 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.6. Deve permitir endereçamento de no mínimo de (oito mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.6. Deve permitir endereçamento de no mínimo de (trinta e dois mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. RESPOSTA 71: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve permitir endereçamento de no mínimo de (dezesseis mil) endereços MAC, os quais devem ser armazenados em uma única tabela. QUESTIONAMENTO 72 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 1.9. Deve implementar no mínimo (mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.9. Deve implementar no mínimo (quatro mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a 4094 RESPOSTA 72: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar no mínimo (quatro mil) VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; Sendo que o VID pode ser definido com números que variam entre 0 a QUESTIONAMENTO 73 REFERENTE AO ITEM 3 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 SUBITEM 2.3. Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 2.3 Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. 17

18 RESPOSTA 73: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. QUESTIONAMENTO 74 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 3.7. Deve implementar facilidades de syslog, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 3.7. Deve implementar facilidades de syslog, permitindo o envio de logs de eventos para, no mínimo, 02 (dois) servidores syslog externos via IPv4 e IPv6. RESPOSTA 74: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve implementar facilidades de Syslog para, no mínimo, 2 servidores, permitindo o envio de logs de eventos para um servidor syslog externo. QUESTIONAMENTO 75 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS Deve possuir controle para limitação de broadcast storm. Sugerimos que o requisito seja alterado para: Deve possuir controle para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast storm. RESPOSTA 75: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve possuir controle para limitação de broadcast, multicast e unknown unicast storm. QUESTIONAMENTO 76 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 5.3. O equipamento deve possuir no mínimo 04 (quatro) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 5.3. O equipamento deve possuir no mínimo 08 (oito) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. RESPOSTA 76: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: O equipamento deve possuir no mínimo 08 (oito) filas em hardware por porta para priorização de tráfego. QUESTIONAMENTO 77 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 6.1. O switch deve implementar empilhamento através de cabo dedicado, não utilizando interface de rede. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 6.1. O switch deve implementar empilhamento através de, no mínimo, 02 (duas) interfaces dedicadas e exclusivas com capacidade de, no mínimo, 32 (trinta e dois) Gbps Full-duplex (64 Gbps) cada interface para empilhamento / Não será aceito o uso de interfaces de rede, SFP/SFP+, CX4, HDMI ou outro que não se configure como uma interface dedicada e exclusiva para empilhamento. RESPOSTA 77: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: O switch deve implementar empilhamento através de cabo dedicado ou interface dedicada, não utilizando nenhuma das interfaces de rede solicitadas. QUESTIONAMENTO 78 REFERENTE AOS ITENS 3 E 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 1 E 2 SUBITENS 6.3. Deve suportar o empilhamento de no mínimo 5 (cinco) switches. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 6.3. Deve suportar o empilhamento de, no mínimo, 08 (oito) switches. RESPOSTA 78: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar o empilhamento de no mínimo 08 (oito) switches. 18

19 QUESTIONAMENTO 79 REFERENTE AO ITEM 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 2. A empresa interessada sugeriu a adição dos requisitos: Deve implementar autenticação dos usuários através de portal captivo (web); Deve implementar autenticação RADIUS de dispositivos utilizando seu endereço MAC como credencial; Deve implementar Digital Optical Monitoring; Deve implementar Time Domain Reflectometer (TDR) auxiliando no diagnóstico de cabos UTP; Deve implementar Unicast Reverse-path Forwarding (RPF); Deve implementar Private VLANs ou recurso similar que permita restringir a comunicação entre hosts em uma mesma VLAN criando grupos; Deve implementar o padrão Multiple VLAN Registration Protocol (MVRP, IEEE 802.1ak); Deve implementar o protocolo Multicast Listener Discovery version 1 e 2 (MLDv1 e MLDv2) Deve implementar o protocolo Multicast Listener Discovery version 1 e 2 (MLDv1 e MLDv2) snooping Deve implementar o protocolo Multicast Source Discovery Protocol (MSDP) Deve implementar IEEE 802.1ag Ethernet OAM connectivity fault management (CFM); Deve implementar Rate Limiting; Deve implementar Policing; RESPOSTA 79: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que os requisitos deverão ser atendidos conforme especificação do Projeto. QUESTIONAMENTO 80 REFERENTE AO ITEM 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 2 SUBITEM 1.2. Todas as 24 (vinte e quatro) portas deverão possuir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 1.2. Todas as 24 (vinte e quatro) portas deverão possuir alimentação PoE e PoE+ conforme os padrões IEEE 802.3af e IEEE 802.3at, sendo que o switch deve possuir PoE Budget de, no mínimo, 740 (setecentos e quarenta) Watts. RESPOSTA 80: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Todas as 24 (vinte e quatro) portas deverão possuir alimentação PoE conforme os padrões IEEE 802.3af. Deverá ser possível alimentar equipamentos PoE+ em pelo menos metade das portas. QUESTIONAMENTO 81 REFERENTE AO ITEM 4 SWITCHES DE ACESSO TIPO 2 SUBITEM 2.3. Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas. Sugerimos que o requisito seja alterado para: 2.3 Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE e PoE + simultaneamente todas as suas portas. RESPOSTA 81: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu alterar o referido item para a seguinte redação: Deve suportar a utilização de equipamentos alimentados via PoE simultaneamente todas as suas portas e PoE+ em metade das portas. QUESTIONAMENTO 82 A empresa interessada sugeriu que os padrões RFC exigidos contenham além do número do padrão também o seu título visando facilitar a sua comprovação. RESPOSTA 82: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que os requisitos deverão ser atendidos conforme especificação do Projeto. QUESTIONAMENTO 83 A empresa interessada sugeriu que seja explicitado na redação do termo de referência que fabricantes que implementem versões mais atuais das RFCs solicitadas, nas quais conste explicitamente que estas substituem (obsoletes) as versões anteriores, poderão apresentar comprovação utilizando os novos padrões. 19

20 RESPOSTA 83: Analisada a sugestão formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ decidiu pelo acolhimento da mesma. QUESTIONAMENTO 84 REFERENTE AO ITEM 5 ESPELHAMENTO DE PORTAS. Os espelhamentos das portas metálicas (RJ45) devem ser implementados com cabeamento Cat..5e ou 6? (comentário: Cat.6 suporta 10G até 30,0m e como a solução é de espelhamento então Cat.6 atende). RESPOSTA 84: Analisado o questionamento formulado pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ esclareceu que devem ser implementados com cabeamento Cat6. QUESTIONAMENTO 85 REFERENTE AO ITEM 5 ESPELHAMENTO DE PORTAS. Devem ser fornecidos os patch cords metálicos e ópticos? Se sim, as quantidades devem ser iguais às respectivas quantidades de portas metálicas e ópticas espelhadas? RESPOSTA 85: Analisado o questionamento formulado pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ esclareceu que deverão ser fornecidos os patch cords metálicos e ópticos e que as quantidades devem ser iguais às respectivas quantidades de portas metálicas e ópticas espelhadas. QUESTIONAMENTO 86 REFERENTE AO ITEM 5 ESPELHAMENTO DE PORTAS. No Subitem 1.3 foi especificado o conector SC para os Patch Panel de fibra óptica. Considerando que a solução 10GBASE-SR utiliza portas Ethernet com o conector LC, podemos considerar que as portas dos patch panels ópticos devem ser compatíveis com as portas dos switches ofertados? RESPOSTA 86: Analisado o questionamento formulado pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ esclareceu que o conector deve ser LC. QUESTIONAMENTO 87 Determinada empresa apresentou proposta (equipamento CISCO), fazendo a ressalva de que para sua participação em futuro certame o Projeto deveria ser alterado. RESPOSTA 87: Analisada a manifestação formulada pela interessada, a equipe técnica da SEFAZ informou que tendo em vista a indicação de equipamentos da marca Cisco, sugere que a empresa faça uma revisão na sua análise, pois este fabricante tem em sua gama de produtos, equipamentos que podem atender o referido objeto em toda a sua integra. Após a avaliação dos questionamentos e sugestões recebidas, a equipe técnica da SEFAZ ainda decidiu: REFERENTE AO ITEM 1 SWITCHES DE NÚCLEO (Sefaz Nova Sede) - SUBITEM 2.2 Retirar do Projeto o referido subitem. REFERENTE AO ITEM 2 SWITCHES DE NÚCLEO (Datacenter Governo) - SUBITEM 2.2 Manter no Projeto o referido subitem tendo vista que para o Prodest é obrigatório atender o item ou fornecer Rack ou similar que transforme a ventilação do switch de frente para trás (front- to-back). 20

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos:

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos: ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 10/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) A ATA REGISTRO PREÇOS FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO SWITCH ÓPTICA E SWITCH BORDA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DO MUNICÍPIO SÃO PAULO

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TEXTO)) Aos 15 (quinze) dias do mês de junho de dois mil e nove, às 14:00 hs, na sede da Empresa

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDE WIRELESS

CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDE WIRELESS CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDE WIRELESS ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switch de Borda Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código do Material Descrição do Material

Leia mais

Switch Central de Grande Porte

Switch Central de Grande Porte Switch Central de Grande Porte GERAL 1. Estrutura de chassi modular, para instalação em gabinete padrão EIA 19, e kit completo de instalação. Os equipamentos ofertados deverão vir acompanhados de kits

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2015

CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2015 CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2015 TI APPLICATION DELIVERY CONTROLLER ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

Especificaça o Te cnica

Especificaça o Te cnica Especificaça o Te cnica Esta especificação técnica tem como objetivo possibilitar a implantação da infraestrutura de rede lógica (nível de acesso) na nova sede da DME Distribuição. A solução deverá ser

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T, 2 portas 1GbE SFP;

TERMO DE REFERÊNCIA. Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T, 2 portas 1GbE SFP; TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Fornecimento de Switches, Módulos transceiver e Cordões Óticos. LOTE 1 Item Descrição 1.1 Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T,

Leia mais

Análise e questionamentos sobre a proposta da Ziva para o PE 34/2013

Análise e questionamentos sobre a proposta da Ziva para o PE 34/2013 Análise e questionamentos sobre a proposta da Ziva para o PE 34/2013 Sobre os critérios de aceitabilidade pág 2/3 (1) Os subitens 1.1 e 1.5 da proposta excedem os preços máximos admissíveis estabelecidos

Leia mais

Sugestão acatada. A redação do item 2.43 será alterada para Implementar

Sugestão acatada. A redação do item 2.43 será alterada para Implementar DEFINIÇÕES E RESPOSTAS AS SUGESTÕES APRESENTADAS PELO REPRESENTANTE GLOBALRED, VIA E-MAIL, DATADO DE 18/03/2011, RELATIVAS À CONSULTA PÚBLICA, REALIZADA NO DIA 16/03/2010, VISANDO DISCUSSÃO DAS ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS. Com função de elemento agregador no backbone MPLS da Rede IP Multisserviços;

CARACTERÍSTICAS GERAIS. Com função de elemento agregador no backbone MPLS da Rede IP Multisserviços; Roteador Carrier Ethernet CARACTERÍSTICAS GERAIS Com função de elemento agregador no backbone MPLS da Rede IP Multisserviços; Tanto o sistema operacional quanto o hardware (envolve todos os componentes

Leia mais

ATA DA CONSULTA TÉCNICA N.

ATA DA CONSULTA TÉCNICA N. ((TITULO))ATA DA CONSULTA TÉCNICA N.º 2/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO DE SWITCH DE REDE ÓPTICA E SWITCH DE BORDA PARA OS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA 1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA Switch de 10 portas, Quantidade unidades. 1.1.1. Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação e deve ocupar uma unidade

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO

TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO Contratação de empresa especializada para fornecimento de equipamentos e instalação de Ativos de Rede, destinados à ampliação da infraestrutura física e lógica da Procuradoria

Leia mais

MPLS. Multi Protocol Label Switching

MPLS. Multi Protocol Label Switching MPLS Multi Protocol Label Switching Nome: Edson X. Veloso Júnior Engenheiro em Eletrônica Provedor de Internet desde 2002 Integrante da equipe de instrutores da MikrotikBrasil desde 2007 Certificado Mikrotik:

Leia mais

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda.

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda. REDES MPLS PARTE 1 PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Protocolos anteriores ao MPLS. Motivações para o uso de Redes MPLS. O Cabeçalho MPLS. Label Switch Router (LSR). Switched Path (LSP). Forwarding

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 005/2015

CONSULTA PÚBLICA Nº 005/2015 CONSULTA PÚBLICA Nº 005/2015 TI SERVIDORES ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULOS SWITCHES CISCO 4510 e 3750

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULOS SWITCHES CISCO 4510 e 3750 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULOS SWITCHES CISCO 4510 e 3750 AGOSTO/2013 DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA E TECNOLOGIA GERÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES OBJETO Ata de registro de Preço para aquisição de módulos de conexão

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS INFRAESTRUTURA CONVERGENTE DE TI:

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS INFRAESTRUTURA CONVERGENTE DE TI: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS INFRAESTRUTURA CONVERGENTE DE TI: 01 02 03 04 SEGURANÇA LAN SWITCHING GERÊNCIA DE REDE SERVIÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Soluções desta ATA de Registro de Preços: SEGURANÇA LAN

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DE LICITAÇÃO DA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2013 Nº DO PROCESSO DE COMPRA/PLANEJAMENTO: 2071022 000044/2013

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DE LICITAÇÃO DA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2013 Nº DO PROCESSO DE COMPRA/PLANEJAMENTO: 2071022 000044/2013 QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DE LICITAÇÃO DA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2013 Nº DO PROCESSO DE COMPRA/PLANEJAMENTO: 2071022 000044/2013 Encaminhado por: Razão Social : Altas Networks e Telecom

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado do Mato Grosso do Sul, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, comunica

Leia mais

Introdução ao MPLS. Tiago Carrijo Setti Algar Telecom

Introdução ao MPLS. Tiago Carrijo Setti Algar Telecom Introdução ao MPLS Tiago Carrijo Setti Algar Telecom Algar Telecom 60 anos de atuação Mais de 1,5 mil associados Mais de 1 milhão de clientes Companhia de capital aberto* Backbone 13 mil km de rede óptica

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO - DG DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS - DGS

DIRETORIA DE GESTÃO - DG DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS - DGS PREGÃO ELETRÔNICO N.º 070/2010 ADENDO MODIFICADOR N.º 001 DATA DE EXPEDIÇÃO: 06/01/2011 Às empresas interessadas no pregão eletrônico N.º 070/2010 AQUISIÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI, COMPOSTA DE HARDWARE,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SWITCH SWITCH CORE SUBITEM CARACTERÍSTICAS GERAIS REDE E DESEMPENHO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Quantidade: 02 unidades DESCRIÇÃO A solução deverá ser composta de um único chassis modular, com 1.0 no mínimo

Leia mais

ATAS DE REGISTRO DE PREÇO ESTADUAIS

ATAS DE REGISTRO DE PREÇO ESTADUAIS ATAS DE REGISTRO DE PREÇO ESTADUAIS ATA ESTADUAL Tribunal de Justiça de MG SWITCH CHASSI, MÓDULOS e TRANSCEIVERS Validade: 23 / 05 /2013 Pregão: 026/2012 SWITCHES CHASSI - 7 itens - Validade: 23 / 05 /

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Sobre a arquitetura Ethernet Camadas da arquitetura Ethernet Topologias para redes Ethernet IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 É a arquitetura mais comum em redes locais

Leia mais

2.1 Perímetro com a WAN

2.1 Perímetro com a WAN ANEXO I. Projeto Básico 1 ESCOPO O escopo desse projeto é implementar soluções de switch core, switch de borda, sistema de controle de acesso à rede, access points, sistemas de gerenciamento wireless,

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SUBSISTEMA DE ARMAZENAMENTO STORAGE

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SUBSISTEMA DE ARMAZENAMENTO STORAGE CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SUBSISTEMA DE ARMAZENAMENTO STORAGE ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO DE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES 1 SWITCH Todos os switches objeto deste fornecimento deverão ser do mesmo fabricante e serem entregues com todas as licenças de software necessárias à implementação de todos

Leia mais

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS 2015 1 A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS Marcelo Balbinot marcelo@alt.net.br Acessoline Telecom Agenda 2 Apresentação. A Empresa. Evolução do backbone. A tecnologia MPLS. Os serviços

Leia mais

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 20 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 22 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

Ref.: PE 74/2014 RP Nº. 052/2014 - CONTRARRAZÕES

Ref.: PE 74/2014 RP Nº. 052/2014 - CONTRARRAZÕES À PREFEITURA MUNICIPAL DE ALVORADA Secretaria de Administração Setor de Licitações A/C Sra. Pregoeira: Amanda Vanessa Lamb Finger Ref.: PE 74/2014 RP Nº. 052/2014 - CONTRARRAZÕES TECHDEC INFORMÁTICA LTDA,

Leia mais

Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL

Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL REFERENTE: CONTRUÇÃO DO FÓRUM DE RIO LARGO -AL Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL ESPECIFICAÇÕES PARA AQUISIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Especificação SWITCH DE 24 PORTAS

Leia mais

Switch Gigabit MS gerenciado em nuvem

Switch Gigabit MS gerenciado em nuvem Switch Gigabit MS gerenciado em nuvem Resumo O Meraki MS é o primeiro switch gerenciado em nuvem do mundo que traz os benefícios da nuvem: gerenciamento simplificado, complexidade reduzida, visibilidade

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching. Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 01/2002

MPLS MultiProtocol Label Switching. Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 01/2002 MPLS MultiProtocol Label Switching Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 0/2002 Por que MPLS? Fatores Motivadores O crescimento rápido da Internet e a difusão de redes

Leia mais

O Dell Force10 ExaScale Série E. Uma Nota Técnica da Dell

O Dell Force10 ExaScale Série E. Uma Nota Técnica da Dell O Dell Force10 ExaScale Série E Uma Nota Técnica da Dell Esta nota técnica serve apenas para fins informativos e pode conter erros de digitação e erros técnicos. O conteúdo é fornecido como está, sem garantias

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

Fundada em 2010 a partir de uma fusão entre duas

Fundada em 2010 a partir de uma fusão entre duas Confiabilidade, Segurança e Agilidade Desde 1994. LINHA DE PRODUTOS SMC EDGE-CORE Fundada em 2010 a partir de uma fusão entre duas grandes marcas, a SMC Edge-Core atende tanto ao mercado SOHO (Small Office

Leia mais

Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs

Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID

Leia mais

Link Aggregation IEEE 802.3ad Uma Visão Geral

Link Aggregation IEEE 802.3ad Uma Visão Geral Link Aggregation IEEE 802.3ad Uma Visão Geral Marcelo Fernandes Systems Engineer Dezembro, 2013 Introdução Link Aggregation (LA): Combinação de múltiplos enlaces físicos funcionando como um único enlace

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Cenário Atual As novas aplicações que necessitam de recurso da rede são cada vez mais comuns Transmissão de TV na Internet Videoconferências Jogos on-line A popularização

Leia mais

ATA 5 Ativos de Rede UFOP

ATA 5 Ativos de Rede UFOP ATA 5 Ativos de Rede UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Pregão 096/2014 Válida até: 17/11/2015 Item 01: TRANSCEIVER SFP 1000BASE-SX......42 unidades Preço Unitário:..... R$ 510,00 Item 02: Switch

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS. diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245

REGISTRO DE PREÇOS. diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245 REGISTRO DE PREÇOS Diovany Moreira Diovany Moreira diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245 HISTÓRICO DA EMPRESA Conectividade Armazenamento de dados Segurança Telecomunicações SISTEMA

Leia mais

Metro-LANs Ligação ao Backbone

Metro-LANs Ligação ao Backbone Metro-LANs Ligação ao Backbone Conhecimentos assumidos na apresentação Tecnologias LAN / VLAN / L2 Switching MPLS / RSVP Protocolos IGP BGP / LDP Conceitos Rede de operador (Service Provider Network) VPNs

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Multi Protocol Label Switching (MPLS) utilizado em redes IP.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Multi Protocol Label Switching (MPLS) utilizado em redes IP. MPLS Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Multi Protocol Label Switching (MPLS) utilizado em redes IP. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco (INPE 81) tendo atuado nas

Leia mais

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Protocolo MPLS Módulo - VI Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores há

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Slide 1 Técnicas para se alcançar boa qualidade de serviço Reserva de recursos A capacidade de regular a forma do tráfego oferecido é um bom início para garantir a qualidade de serviço. Mas Dispersar os

Leia mais

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Objeto: Aquisição de infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) para expansão da rede loca do CSS (aumento de pontos de rede) em atendimento

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA - ESCLARECIMENTOS DAS CONTRIBUIÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO 011/2015

CONSULTA PÚBLICA - ESCLARECIMENTOS DAS CONTRIBUIÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO 011/2015 CONSULTA PÚBLICA - ESCLARECIMENTOS DAS CONTRIBUIÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO 011/2015 Empresa 01 1ª CONTRIBUIÇÃO: Com relação à consulta pública, vimos apresentar a seguinte contribuição. Para uma maior competitividade

Leia mais

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 02/2009 (PERGUNTAS) REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SWITCH S TIPO 1, 2 e 3

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 02/2009 (PERGUNTAS) REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SWITCH S TIPO 1, 2 e 3 ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 02/2009 (PERGUNTAS) REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SWITCH S TIPO 1, 2 e 3 ((TEXTO))Aos 09 (nove) dias do mês de junho de dois mil e nove, às 14:00 hs,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011 Anexo I 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de infraestrutura tecnológica de conectividade e de segurança lógica, com fornecimento de equipamentos

Leia mais

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 1. Por meio deste aditamento, inserimos o Anexo I Especificações Técnicas.

Leia mais

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 INTERNET Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 Anexo I - página 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. VISÃO GERAL DO ESCOPO DO SERVIÇO... 3 3. ENDEREÇOS

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

Resposta: A Velocidade inicial é 512K. Os links abaixo serão automaticamente migrados.

Resposta: A Velocidade inicial é 512K. Os links abaixo serão automaticamente migrados. Questionamentos Item 2.6: É citado que os acessos terão capacidade de transmissão de 512 Kbps até 10 Gbps, porém na previsão de novos acessos existem diversos pontos com velocidade de 256 Kbps; Resposta:

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0)

Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0) Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0) Enquadramento Geral Objetivos do Percurso Dotar os formandos de conhecimentos iniciais de Routing e Switching Preparar para os exames de

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

ANOTAÇÕES DE PEDIDO DE ESCLARECIMENTO nº01 Reaviso - PREGÃO PRESENCIAL Nº 026/2013-MPAP Dia da abertura da licitação: 12/07/2013

ANOTAÇÕES DE PEDIDO DE ESCLARECIMENTO nº01 Reaviso - PREGÃO PRESENCIAL Nº 026/2013-MPAP Dia da abertura da licitação: 12/07/2013 ANOTAÇÕES DE PEDIDO DE ESCLARECIMENTO nº01 Reaviso - PREGÃO PRESENCIAL Nº 026/2013-MPAP Dia da abertura da licitação: 12/07/2013 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAPÁ, neste ato representado pelo seu

Leia mais

IPv6 A nova versão do Protocolo IP

IPv6 A nova versão do Protocolo IP IPv6 A nova versão do Protocolo IP A internet precisa continuar crescendo... Agenda A Internet e o TCP/IP Entendendo o esgotamento do IPv4 Por que IPv6? O que melhorou? Nova estrutura do IPv6 Técnicas

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015 TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral UNIDADE II Aula 6 LPCD, Redes IP/MPLS, VPN e Frame Relay Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral MPLS significa Multi Protocol Label Switching. OMPLSé um mecanismo eficiente i de encapsulamento em hardware

Leia mais

Antecedentes. Vantagens potenciais das propostas. Desvantagens das propostas. Baixo atraso em comutação e QoS

Antecedentes. Vantagens potenciais das propostas. Desvantagens das propostas. Baixo atraso em comutação e QoS MPLS Paulo Aguiar Antecedentes Redes NBMA (acesso múltiplo sem difusão): ATM e Frame-Relay Baseiam-se em comutação Usam VPI/VCI (ATM) ou DLCI (Frame Relay) Operação de comutação com atraso duas ordens

Leia mais

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS, PROCEDIMENTOS DE TESTES E PARÂMETROS DE QUALIDADE 1. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1.1 As Partes observarão

Leia mais

Termo de Referência Tecnologia da Informação

Termo de Referência Tecnologia da Informação Termo de Referência Tecnologia da Informação TERMO DE REFERÊNCIA PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TI E LICENÇAS. GERENCIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS JULHO/2015 CDG CAE 01/2015 1. DO OBJETO Aquisição de

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 15:39 horas do dia 13 de março de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas, designado pela portaria 095/2011-GAB/SEFIN após analise da documentação do Pregão

Leia mais

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy REDES DE LONGA DISTANCIA Roteamento IP & MPLS Prof. Marcos Argachoy Perfil desse tema O Roteador Roteamento IP Protocolos de Roteamento MPLS Roteador Roteamento IP & MPLS Hardware (ou software) destinado

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento Referência: Pregão Eletrônico n. 45/2014 Data: 06/3/2015 Objeto: Registro de Preços para fornecimento de equipamentos, componentes de solução de rede local, incluindo instalação

Leia mais

Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point)

Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point) 1 Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point) Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000048

Leia mais

Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS. Prof. Dr. S. Motoyama

Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS. Prof. Dr. S. Motoyama Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS Prof. Dr. S. Motoyama 1 NAT Network address translation Resto da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 Rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24 10.0.0.1 10.0.0.2 10.0.0.3 Todos os

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Proposta de Treinamento em Especificação de Switches

Proposta de Treinamento em Especificação de Switches Proposta de Treinamento em Especificação de Switches 1. APRESENTAÇÃO Os recentes movimentos de mercado em relação à contratação de bens e serviços de Tecnologia da Informação, notadamente os relacionados

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DA CONTRATAÇÃO Para atender a solicitação expressa ao processo digital 30719/2012, AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE DE DADOS WIRELESS, COM INSTALAÇÃO,

Leia mais

Faculdades NDA Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Questionário de apoio ao Módulo I

Faculdades NDA Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Questionário de apoio ao Módulo I Faculdades NDA Sistemas de Informação Questionário de apoio ao Módulo I 1) Cite alguns exemplos de aplicações de redes de computadores. 2) Cite alguns serviços que usam as redes de computadores como para

Leia mais

Sumário 1 Introdução... 19 2 O Modelo OSI... 33

Sumário 1 Introdução... 19 2 O Modelo OSI... 33 Sumário 1 Introdução... 19 1.1 Um Resumo da História da Cisco Systems... 19 1.2 Sobre a Certificação Cisco Certified Network Associate CCNA Routing and Switching (R&S)... 20 1.2.1 Por que Tornar-se um

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

MultiProtocol Label Switching - MPLS

MultiProtocol Label Switching - MPLS MultiProtocol Label Switching - MPLS Prof. S. Motoyama Rede IP Tradicional ROT - roteador ROT ROT ROT ROT ROT ROT ROT ROT ROT uvem IP ROT ROT 2 Encaminhamento de pacote na rede tradicional Prefixo Enderereço

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I 1. OBJETO 1.1. Registro de preços para eventual aquisição de produtos de informática para infraestrutura de redes da nova sede da Seção Judiciária do Espírito Santo, lote único,

Leia mais

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco 2014/1 Roteiro de Aula Correção Exercícios Aula Anterior O que é o Roteador? Componentes

Leia mais

Capítulo 5. A camada de rede

Capítulo 5. A camada de rede Capítulo 5 A camada de rede slide slide 1 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice

Leia mais