Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Configuração de Roteadores e Switches CISCO"

Transcrição

1 Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Protocolo MPLS Módulo - VI

2 Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores há 18 anos, Técnico/Tecnólogo em Redes (SENAC/FIAP), atuando em projetos de médio/grande porte, profissional certificado Microsoft Windows, GNU/Linux, CISCO e Furukawa, trabalhando em projetos de Design de Redes para instituições Acadêmicas e Financeiras, especialista em interoperabilidade entre plataformas operacionais e serviços de redes.

3 Professor do Curso de GNU/Linux Ubuntu Desktop

4 Bibliografia Sugerida

5 Filmografias Sugeridas

6 Parceiros Profº. Isleide Wilson Profº. Leandro Ramos Profº. Jefferson Costa Profissional da área de TI, atuando em desenvolvimento de softwares, banco de dados e Pacotes office. Profissional da área de TI, atuando em hardware, redes, cabeamento e soluções Microsoft. Profissional da área de TI, atuando em segurança da informação, análise forense e soluções GNU/Linux e Microsoft.

7 Parceiros HC Profº. Helio Cezarei Profº. Edilson Silva Profº. Robson Vaamomde Profissional da área de TI, atuando em hardware, redes, cabeamento e GNU/Linux. Profissional da área de TI, atuando em desenvolvimento de softwares e banco de dados. Profissional da área de TI, atuando em hardware, redes, cabeamento e soluções e GNU/Linux.

8 CISCO Brasil Suporte Roteadores Suporte Switches

9 Blog CCNA Moroni Vieira NET Finders Brail Cisco Redes DL Tec Cisco Blog TI Redes Marcelo Eiras Edvan Barros Comutadores Rota Default Projeto de Redes Webgrafia Sugerida

10 Sumário MPLS (Multi Protocol Label Switching) Mas o que são os Labels? Label Switch Router Protocolos de distribuição de Labels Créditos e Material de Apoio

11 MPLS (Multi Protocol Label Switching) O protocolo MPLS (Multi Protocol Label Switching) foi criado para permitir o encapsulamento de diversos protocolos de rede, para ser encaminhado por Roteadores baseando-se apenas no endereço do Label ao invés do endereço de rede. A tecnologia está sendo largamente utilizada pelos Provedores de Internet oferecendo diversos Serviços orientado a redes em apenas uma única rede convergida, com o MPLS em seu Backbone como a utilização de Redes Privadas (VPNs MPLS), Qualidade de Serviço (QoS), Any Transport over MPLS (AToM) e Engenharia de tráfego (MPLS-TE).

12 MPLS (Multi Protocol Label Switching) Ele é chamado de Multiprotocolo pois é utilizado com qualquer protocolo da camada de Rede e em certos cenários permite até o transporte de protocolos da Camada de Enlace sobre MPLS, apesar de quase todo o foco estar voltado no uso do MPLS com o IP. O objetivo de uma rede MPLS dentro dos Provedores de Serviço não é o de conectar diretamente a sistemas finais. Ao invés disto ela é uma rede de trânsito, para transporte de pacotes.

13 MPLS (Multi Protocol Label Switching) Em sua função básica os Roteadores do Backbone chamados de Provider Routers (P) encaminham o tráfego baseando-se apenas nos Labels. Já os roteadores que são responsáveis por receber os pacotes IP e encapsulá-los com Labels em uma rede MPLS são chamados de Provider Edge Routers (PE).

14 MPLS (Multi Protocol Label Switching) A terminologia dada aos equipamentos em uma rede MPLS é muito importante para identificarmos a função de cada equipamento na topologia e a sua função na arquitetura. De certa forma, um cliente ao comprar uma comunicação entre as filiais utilizando um link MPLS privado (MPLS VPN), não terá necessariamente em seus roteadores o encaminhamento de pacotes via Labels e muito menos a troca deles. Os roteadores designados para clientes, chamados de Customer Edge Routers (CE) possuem a função de prover conectividade na rede MPLS situados na borda do cliente (saída para rede).

15 MPLS (Multi Protocol Label Switching) A conectividade entre PE e CE poderá ser tanto provida por roteamento estático ou via IGP.

16 Mas o que são os Labels? Em uma tradução literal, poderíamos dizer que Label teria a atribuição de um rotulo. Em sua função no modo Frame o Label é inserido na frente do cabeçalho da camada de rede. Um pacote pode ter um ou mais rótulos dependendo do serviço oferecido na rede MPLS.

17 Mas o que são os Labels? O Label é um identificador, de tamanho fixo e significado local. Todo pacote ao entrar numa rede MPLS recebe um Label. Desta forma os roteadores só analisam os Labels para encaminhar os pacotes. O cabeçalho MPLS deve ser posicionado depois de qualquer cabeçalho da camada de enlace e antes do cabeçalho da camada de rede, ele é conhecido como Shim Header pelo seu posicionamento entre os 2 cabeçalhos e é carinhosamente chamado de protocolo da camada 2,5. do Modelo OSI :p

18 Mas o que são os Labels?

19 Mas o que são os Labels? CE (Customer Edge Router) possui a função de prover conectividade na rede MPLS e é situado na borda do cliente (saída para rede). Não encaminha e nem troca labels. PE (Provider Edge Router) é responsável pela conexão entre uma rede IP (rede do cliente) e a rede MPLS (rede da Operadora/Provider) P (Provider Edge Router) é responsável pelo encaminhamento de pacotes baseando-se nos labels.

20 Mas o que são os Labels?

21 Label Switch Router Diversas documentações também atribuem um nome mais genérico para roteadores que tratam o recebimento e encaminhamento de pacotes MPLS, chamados de Label Switch Routers(LSR). Na topologia, os LSR podem ser chamados de: Ingress LSRs responsáveis por receber um pacote não rotulado e inserir o Label Egress LSRs responsáveis por receber um pacote rotulado e remover o Label Intermediate LSRs responsáveis por inserir encaminhar e trocar Labels.

22 Label Switch Router Os Roteadores LSRs são responsáveis por três operações principais para encaminhamento de pacotes e/ou labels: POP (remover o label), PUSH (inserir o label) ou SWAP (trocar o label). A sequência de Roteadores LSRs que são responsáveis pela comutação de um pacote rotulado em uma rede MPLS, é chamada de LSP (Label Switched Path).

23 Label Switch Router O LSP é definido como o caminho por onde os pacotes irão passar numa rede MPLS. No momento em que um pacote entra numa rede MPLS, este é associado a uma classe de equivalência (FEC) e assim é criado um LSP relacionado a esta FEC. Como a criação de uma LSP só ocorre na entrada de uma rede MPLS, os LSR ( Label Switch Router) da nuvem só terão o trabalho de fazer as trocas dos rótulos (swap), encaminhando assim o pacote de acordo com o LSP determinado anteriormente, não havendo mais a necessidade de fazer o roteamento dos pacotes (somente a comutação via Label).

24 Protocolos de distribuição de Labels Atualmente são utilizados 2 principais protocolos para distribuição de Rótulos em uma rede MPLS. 1. Label Distribution Protocol (LDP) 2. Resource Reservation Protocol Traffic Engineering (RSVP-TE) 3. O vinculo de Rótulos é a associação de um Label a um prefixo (rota). O LDP trabalha em conjunto com um IGP (OSPF, IS-IS, etc) para anunciar os vínculos de Labels (binding) para as rotas, como por exemplo, em um backbone.

25 Protocolos de distribuição de Labels

26 Protocolos de distribuição de Labels Resumidamente é atribuído um valor de Label para cada prefixo. No exemplo abaixo segue o exemplo da configuração do LDP em um Roteador P com o processo OSPF.

27 Créditos e Material de Apoio Site:

28 Créditos e Material de Apoio Site:

29 ROG - Redes Orientada a Gambiarras "Solicitamos que todos os usuários fechem seus aplicativos, principalmente: facebook, twitter, youtube, etc. Estamos passando por algumas instabilidade na rede, informaremos sobre a volta dos serviços em breve" Setor de TIG (Tecnologia da Informação em Gambiarras)

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Protocolos de Roteamento Módulo - V Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores

Leia mais

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Endereçamento IPV4 - CIDR Módulo - II Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores

Leia mais

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Endereçamento IPv6 Módulo - III Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores

Leia mais

Procedimentos em TI www.procedimentosemti.com.br Prof. Robson Vaamonde

Procedimentos em TI www.procedimentosemti.com.br Prof. Robson Vaamonde Conceitos Básicos sobre Servidores e Serviços de Rede Introdução a Servidores e Serviços de Rede Módulo - I v2.0-10/09/2015 Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura

Leia mais

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS 2015 1 A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS Marcelo Balbinot marcelo@alt.net.br Acessoline Telecom Agenda 2 Apresentação. A Empresa. Evolução do backbone. A tecnologia MPLS. Os serviços

Leia mais

Redes WAN MPLS. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha

Redes WAN MPLS. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Redes WAN MPLS Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Vantagens do Multiprotocol Label Switching (MPLS) em relação às redes IP puras: Possibilitar a utilização de switches no roteamento Principalmente

Leia mais

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda.

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda. REDES MPLS PARTE 1 PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Protocolos anteriores ao MPLS. Motivações para o uso de Redes MPLS. O Cabeçalho MPLS. Label Switch Router (LSR). Switched Path (LSP). Forwarding

Leia mais

MPLS. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha

MPLS. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Vantagens do Multiprotocol Label Switching (MPLS) em relação às redes IP puras: Possibilitar a utilização de switches no roteamento principalmente em backbones

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching. Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 01/2002

MPLS MultiProtocol Label Switching. Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 01/2002 MPLS MultiProtocol Label Switching Trabalho de Redes de Computadores I Autor: Fabricio Couto Inácio Período: 0/2002 Por que MPLS? Fatores Motivadores O crescimento rápido da Internet e a difusão de redes

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

MPLS Multi-Protocol Label Switching

MPLS Multi-Protocol Label Switching MPLS Multi-Protocol Label Switching Adilson Eduardo Guelfi Volnys Borges Bernal Luis Gustavo G. Kiatake Agenda Introdução Arquitetura de Rede Conceitos MPLS Conclusões Introdução MPLS is the enabling technology

Leia mais

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy REDES DE LONGA DISTANCIA Roteamento IP & MPLS Prof. Marcos Argachoy Perfil desse tema O Roteador Roteamento IP Protocolos de Roteamento MPLS Roteador Roteamento IP & MPLS Hardware (ou software) destinado

Leia mais

MPLS. Multi Protocol Label Switching

MPLS. Multi Protocol Label Switching MPLS Multi Protocol Label Switching Nome: Edson X. Veloso Júnior Engenheiro em Eletrônica Provedor de Internet desde 2002 Integrante da equipe de instrutores da MikrotikBrasil desde 2007 Certificado Mikrotik:

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Multi Protocol Label Switching (MPLS) utilizado em redes IP.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Multi Protocol Label Switching (MPLS) utilizado em redes IP. MPLS Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Multi Protocol Label Switching (MPLS) utilizado em redes IP. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco (INPE 81) tendo atuado nas

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral UNIDADE II Aula 6 LPCD, Redes IP/MPLS, VPN e Frame Relay Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral MPLS significa Multi Protocol Label Switching. OMPLSé um mecanismo eficiente i de encapsulamento em hardware

Leia mais

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalar o Ubuntu Desktop v14.04 LiveCD Módulo - III versão: 1.3-29/05/2014 Professor do Curso de GNU/Linux Ubuntu Desktop Prof. Robson Vaamonde,

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 5 Multiprotocol Label Switching (MPLS) Sumário Definição; Histórico;

Leia mais

Introdução ao MPLS. Tiago Carrijo Setti Algar Telecom

Introdução ao MPLS. Tiago Carrijo Setti Algar Telecom Introdução ao MPLS Tiago Carrijo Setti Algar Telecom Algar Telecom 60 anos de atuação Mais de 1,5 mil associados Mais de 1 milhão de clientes Companhia de capital aberto* Backbone 13 mil km de rede óptica

Leia mais

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalar o Ubuntu Desktop v14.04 Windows Installer Ubuntu Windows 7 WUBI Módulo - VII versão 1.3-29/05/2014 Professor do Curso de GNU/Linux Ubuntu

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Cenário Atual As novas aplicações que necessitam de recurso da rede são cada vez mais comuns Transmissão de TV na Internet Videoconferências Jogos on-line A popularização

Leia mais

PROTOCOLO MPLS. Alexandre Urtado de Assis aua@cbpf.br. Tatiana Lopes Ferraz ferraz@cbpf.br. Marcelo Portes Alburqueque marcelo@cbpf.

PROTOCOLO MPLS. Alexandre Urtado de Assis aua@cbpf.br. Tatiana Lopes Ferraz ferraz@cbpf.br. Marcelo Portes Alburqueque marcelo@cbpf. PROTOCOLO MPLS Alexandre Urtado de Assis aua@cbpf.br Tatiana Lopes Ferraz ferraz@cbpf.br Marcelo Portes Alburqueque marcelo@cbpf.br Márcio Portes Albuquerque mpa@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br RESUMO

Leia mais

Modelo para Análise e Otimização de Backbone para Tráfego IPv6 utilizando MPLS-TE

Modelo para Análise e Otimização de Backbone para Tráfego IPv6 utilizando MPLS-TE Modelo para Análise e Otimização de Backbone para Tráfego IPv6 utilizando MPLS-TE Roberto J. L. Mendonça 1, Alessandra B. S. Almeida 2 1 Superintendência de Operações Serviço Federal de Processamento de

Leia mais

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Comandos Básicos Módulo - II v1.3-08/06/2014 Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes

Leia mais

Tendências em TI Aula: 01 versão: 1.1 30/06/2014

Tendências em TI Aula: 01 versão: 1.1 30/06/2014 Tendências em TI Aula: 01 versão: 1.1 30/06/2014 Robson Vaamonde http://www.vaamonde.com.br http://www.procedimentosemti.com.br Professor do Curso Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de

Leia mais

Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS. Prof. Dr. S. Motoyama

Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS. Prof. Dr. S. Motoyama Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS Prof. Dr. S. Motoyama 1 NAT Network address translation Resto da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 Rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24 10.0.0.1 10.0.0.2 10.0.0.3 Todos os

Leia mais

MultiProtocol Label Switching - MPLS

MultiProtocol Label Switching - MPLS MultiProtocol Label Switching - MPLS Prof. S. Motoyama Rede IP Tradicional ROT - roteador ROT ROT ROT ROT ROT ROT ROT ROT ROT uvem IP ROT ROT 2 Encaminhamento de pacote na rede tradicional Prefixo Enderereço

Leia mais

Download e Instalação do GNU/Linux Elastix UCS VoIP 2.4.0 x64

Download e Instalação do GNU/Linux Elastix UCS VoIP 2.4.0 x64 Download e Instalação do GNU/Linux Elastix UCS VoIP 2.4.0 x64 Instalação Básica do GNU/Linux Elastix UCS VoIP Módulo - I versão: 1.3-25/07/2014 Professor do Curso de Elastix UCS VoIP Prof. Robson Vaamonde,

Leia mais

Aplicação de Seamless MPLS nas Redes de Acesso

Aplicação de Seamless MPLS nas Redes de Acesso Aplicação de Seamless MPLS nas Redes de Acesso Filipe M. S. Serpa Brandão 1, Sergio C. Oliveira 2 1 FITec Fundações para Inovações Tecnológicas Universidade de Pernambuco (UPE) Recife, Brasil 2 Universidade

Leia mais

Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 07 versão: 1.1 30/06/2014

Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 07 versão: 1.1 30/06/2014 Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 07 versão: 1.1 30/06/2014 Robson Vaamonde http://www.vaamonde.com.br http://www.procedimentosemti.com.br Professor do Curso Prof. Robson Vaamonde, consultor

Leia mais

Certificação Cisco 5.0 R&S CCNAX 200-120 v2 CCENT (ICND-1 & ICND-2) v2. Prof. Robson Vaamonde SENAC Tatuapé

Certificação Cisco 5.0 R&S CCNAX 200-120 v2 CCENT (ICND-1 & ICND-2) v2. Prof. Robson Vaamonde SENAC Tatuapé Certificação Cisco 5.0 R&S CCNAX 200-120 v2 CCENT (ICND-1 & ICND-2) v2 Prof. Robson Vaamonde SENAC Tatuapé Prof. Robson Vaamonde Consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores há 18 anos, técnico

Leia mais

MUM Brasil 2013. Autenticação através de MPLS/VPLS. Eduardo Braum. Fernando Klabunde

MUM Brasil 2013. Autenticação através de MPLS/VPLS. Eduardo Braum. Fernando Klabunde Eduardo Braum Fernando Klabunde Índice da apresentação * A estrutura da empresa * Problemas vividos * Soluções estudadas e adotadas * MPLS * VPLS * Estudos de caso * Implementação * Considerações finais

Leia mais

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalar o Ubuntu Desktop v14.04 Dual Boot Windows 7 Módulo - VI versão: 1.3-29/05/2014 Professor do Curso de GNU/Linux Ubuntu Desktop Prof. Robson

Leia mais

Antecedentes. Vantagens potenciais das propostas. Desvantagens das propostas. Baixo atraso em comutação e QoS

Antecedentes. Vantagens potenciais das propostas. Desvantagens das propostas. Baixo atraso em comutação e QoS MPLS Paulo Aguiar Antecedentes Redes NBMA (acesso múltiplo sem difusão): ATM e Frame-Relay Baseiam-se em comutação Usam VPI/VCI (ATM) ou DLCI (Frame Relay) Operação de comutação com atraso duas ordens

Leia mais

Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom. Joelson Tadeu Vendramin

Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom. Joelson Tadeu Vendramin Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom Joelson Tadeu Vendramin Agenda Evolução da rede óptica da Copel Backbone: (Synchronous Digital Hierarchy) e DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing)

Leia mais

Apostila 05. MPLS - Definição. MPLS - Definição. MPLS - RFCs

Apostila 05. MPLS - Definição. MPLS - Definição. MPLS - RFCs Apostila 05 Multiprotocol t l Label Switching (MPLS) MPLS - Definição O MPLS ou Multiprotocol Label Switching É uma arquitetura t de rede, que tem como principal i característica a utilização de labels

Leia mais

9. MULTIPROTOCOL LABEL SWITCHING (MPLS)

9. MULTIPROTOCOL LABEL SWITCHING (MPLS) 9. MULTIPROTOCOL LABEL SWITCHING (MPLS) 9.1 INTRODUÇÃO Representa a convergência de duas técnicas usadas em redes de dados: datagrama e circuito virtual. IP: o envio de datagramas é feito através de caminhos

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. VPN: Redes Privadas Virtuais O objetivo deste tutorial é apresentar os tipos básicos de Redes Privadas Virtuais (VPN's) esclarecendo os significados variados que tem sido atribuído a este termo. Eduardo

Leia mais

Modelagem e Análise de Desempenho de Uma Rede Baseada em Tecnologia MPLS

Modelagem e Análise de Desempenho de Uma Rede Baseada em Tecnologia MPLS Modelagem e Análise de Desempenho de Uma Rede Baseada em Tecnologia MPLS Aujor Tadeu Cavalca Andrade Tadeu@lrg.ufsc.br Carlos Becker Westphall Westphall@lrg.ufsc.br Laboratório de Redes e Gerência LRG

Leia mais

Implantação de HVPLS (Hierarchical Virtual Private LAN Services) na rede GIGA

Implantação de HVPLS (Hierarchical Virtual Private LAN Services) na rede GIGA Implantação de HVPLS (Hierarchical Virtual Private LAN Services) na rede GIGA Adelmo Avancini Luciano Martins 08 de dezembro de 2006 www.cpqd.com.br Agenda Projeto GIGA Topologia da rede GIGA VPLS no mercado

Leia mais

Capítulo IV - QoS em redes IP. Prof. José Marcos C. Brito

Capítulo IV - QoS em redes IP. Prof. José Marcos C. Brito Capítulo IV - QoS em redes IP Prof. José Marcos C. Brito Mecanismos básicos Classificação Priorização Policiamento e conformação Gerenciamento de congestionamento Fragmentação Dejjiter buffer Reserva de

Leia mais

Multiprotocol Label Switching. Protocolos em Redes de Dados- Aula 08 -MPLS p.4. Motivação: desempenho. Enquadramento histórico

Multiprotocol Label Switching. Protocolos em Redes de Dados- Aula 08 -MPLS p.4. Motivação: desempenho. Enquadramento histórico Multiprotocol Label Switching Protocolos em Redes de Dados - Aula 08 - MPLS Luís Rodrigues ler@di.fc.ul.pt DI/FCUL Objectivo: Conciliar as tecnologias baseadas em comutação (switching) com o encaminhamento

Leia mais

Avaliação de desempenho de VPNs sobre redes MPLS-Linux

Avaliação de desempenho de VPNs sobre redes MPLS-Linux UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO FHILIPE GUIMARÃES DE LINHARES OUTRAS APOSTILAS EM: www.projetoderedes.com.br Avaliação de desempenho de

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

Configuração de Roteadores e Switches CISCO

Configuração de Roteadores e Switches CISCO Configuração de Roteadores e Switches CISCO Introdução ao CISCO IOS Comandos Básicos Módulo - III v1.3-08/06/2014 Professor do Curso de CISCO Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de Redes

Leia mais

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati Redes de Computadores Mauro Henrique Mulati Roteiro Roteamento na Internet OSPF BGP IPv6 Revisão MPLS Roteamento na Internet IGP: Interior Gateway Protocol (Protocolo de Gateway Interior) Algoritmo de

Leia mais

Serviços Diferenciados Baseado na Tecnologia MPLS em Redes Heterogêneas

Serviços Diferenciados Baseado na Tecnologia MPLS em Redes Heterogêneas Serviços Diferenciados Baseado na Tecnologia MPLS em Redes Heterogêneas Roberto Alexandre Dias Gerência de Tecnologia de Informações - Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Av. Mauro

Leia mais

Francisco Tesifom Munhoz X.25 FRAME RELAY VPN IP MPLS

Francisco Tesifom Munhoz X.25 FRAME RELAY VPN IP MPLS X.25 FRAME RELAY VPN IP MPLS Redes remotas Prof.Francisco Munhoz X.25 Linha de serviços de comunicação de dados, baseada em plataforma de rede, que atende necessidades de baixo ou médio volume de tráfego.

Leia mais

Engenharia de Tráfego em Redes IP sobre Tecnologia MPLS: Otimização Baseada em Heurísticas.

Engenharia de Tráfego em Redes IP sobre Tecnologia MPLS: Otimização Baseada em Heurísticas. Engenharia de Tráfego em Redes IP sobre Tecnologia MPLS: Otimização Baseada em Heurísticas. Tese submetida à Universidade Federal de Sanat Catarina como parte dos requisitos para a obtenção do grau de

Leia mais

UMA SOLUÇÃO DE AUTENTICAÇÃO FIM A FIM PARA O LDP (LABEL DISTRIBUTION PROTOCOL)

UMA SOLUÇÃO DE AUTENTICAÇÃO FIM A FIM PARA O LDP (LABEL DISTRIBUTION PROTOCOL) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Morvan Daniel Müller UMA SOLUÇÃO DE AUTENTICAÇÃO FIM A FIM PARA O LDP (LABEL DISTRIBUTION PROTOCOL) Dissertação

Leia mais

Download e Instalação do Citrix XenServer 6.2.0 x64

Download e Instalação do Citrix XenServer 6.2.0 x64 Download e Instalação do Citrix XenServer 6.2.0 x64 Instalação Básica do Citrix XenServer Bare-Metal Hypervisor 6.2.0 x64. Módulo - I versão: 1.3-25/07/2014 Professor do Curso de Citrix XenServer 6.2.0

Leia mais

Protocolos em Redes de Dados. Enquadramento histórico. Modo de funcionamento FEC. Antecedentes IP Switching Tag Switching. Exemplo de.

Protocolos em Redes de Dados. Enquadramento histórico. Modo de funcionamento FEC. Antecedentes IP Switching Tag Switching. Exemplo de. Multiprotocol Label Switching Aula 07 FCUL 2005-20056 Objectivo: Conciliar as tecnologias baseadas em comutação (switching) com o encaminhamento IP. Aplicações: Aumentar o desempenho. Engenharia de tráfego.

Leia mais

Aula 08 MPLS 2004-2005 FCUL. Protocolos em Redes de Dados. Luís Rodrigues. Enquadramento. Modo de funcionamento. Antecedentes MPLS.

Aula 08 MPLS 2004-2005 FCUL. Protocolos em Redes de Dados. Luís Rodrigues. Enquadramento. Modo de funcionamento. Antecedentes MPLS. Aula 08 FCUL 2004-2005 Multiprotocol Label Switching Objectivo: Conciliar as tecnologias baseadas em comutação (switching) com o encaminhamento IP. Aplicações: Aumentar o desempenho. Engenharia de tráfego.

Leia mais

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN V3PN Voice, Video and Integrated Data IP V3PN Voice, Video and Integrated Data Palestrante André Gustavo Lomônaco Diretor de Tecnologia da IPPLUS Tecnologia Mestre em Engenharia Elétrica Certificado Cisco

Leia mais

Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 02 versão: 1.1 30/06/2014

Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 02 versão: 1.1 30/06/2014 Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 02 versão: 1.1 30/06/2014 Robson Vaamonde http://www.vaamonde.com.br http://www.procedimentosemti.com.br Professor do Curso Prof. Robson Vaamonde, consultor

Leia mais

THIAGO SANTOS DE AMORIM SIMULAÇÃO DE REDE MPLS UTILIZANDO O NETKIT

THIAGO SANTOS DE AMORIM SIMULAÇÃO DE REDE MPLS UTILIZANDO O NETKIT THIAGO SANTOS DE AMORIM SIMULAÇÃO DE REDE MPLS UTILIZANDO O NETKIT Palmas - TO 2010 THIAGO SANTOS DE AMORIM SIMULAÇÃO DE REDE MPLS UTILIZANDO O NETKIT Relatório apresentado como requisito parcial da disciplina

Leia mais

Avaliação de desempenho de VPNs sobre redes MPLS-Linux

Avaliação de desempenho de VPNs sobre redes MPLS-Linux UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO FHILIPE GUIMARÃES DE LINHARES Avaliação de desempenho de VPNs sobre redes MPLS-Linux Trabalho de Graduação.

Leia mais

Aplicação de QoS sobre MPLS em equipamentos Cisco

Aplicação de QoS sobre MPLS em equipamentos Cisco UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS, GERÊNCIA E SEGURANÇA DE REDES DE COMPUTADORES ROGER FONSECA NOGUEIRA Aplicação de QoS sobre MPLS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. Renato Cesconetto dos Santos

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. Renato Cesconetto dos Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Renato Cesconetto dos Santos Um estudo do Uso da Tecnologia MPLS em Backbones no Brasil Dissertação submetida

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO GABRIEL LUCIANI PASCOAL MULTI PROTOCOL LABEL SWITCHING MPLS ANÁLISE COMPARATIVA COM REDES ATM E FRAME-RELAY

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO GABRIEL LUCIANI PASCOAL MULTI PROTOCOL LABEL SWITCHING MPLS ANÁLISE COMPARATIVA COM REDES ATM E FRAME-RELAY FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO GABRIEL LUCIANI PASCOAL MULTI PROTOCOL LABEL SWITCHING MPLS ANÁLISE COMPARATIVA COM REDES ATM E FRAME-RELAY SÃO PAULO 2012 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Gabriel

Leia mais

QoS através de túneis TE. MUM Brasil São Paulo Novembro/2011. Sérgio Souza

QoS através de túneis TE. MUM Brasil São Paulo Novembro/2011. Sérgio Souza QoS através de túneis TE MUM Brasil São Paulo Novembro/2011 Sérgio Souza 1 Sérgio Souza Profissional e empresário em Tecnologia da Informação, com atuação em gerência de redes desde 1996. Consultoria em

Leia mais

Estudo e Implementação de MPLS/BGP IPv6 VPNs em GNU/Linux

Estudo e Implementação de MPLS/BGP IPv6 VPNs em GNU/Linux UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RENATO WESTPHAL Estudo e Implementação de MPLS/BGP IPv6 VPNs em GNU/Linux Trabalho de Graduação. Prof.

Leia mais

CENTRO DE INFORMATICA CCNA. Cisco Certified Network Associate

CENTRO DE INFORMATICA CCNA. Cisco Certified Network Associate CENTRO DE INFORMATICA CCNA Cisco Certified Network Associate E ste currículo ensina sobre redes abrange conceitos baseados em tipos de redes práticas que os alunos podem encontrar, em redes para residências

Leia mais

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições

Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalando e Configurando o Ubuntu Desktop e suas Edições Instalar o Ubuntu Desktop v14.04 Conhecendo o Ubuntu Desktop Módulo - II versão: 1.3-29/05/2014 Professor do Curso de GNU/Linux Ubuntu Desktop

Leia mais

Implantação de Hierarchical Virtual Private LAN Services (HVPLS) na Rede GIGA

Implantação de Hierarchical Virtual Private LAN Services (HVPLS) na Rede GIGA Implantação de Hierarchical Virtual Private LAN Services (HVPLS) na Rede GIGA Luciano Martins *, Adelmo Alves Avancini, Atílio Eduardo Reggiani, Rege Romeu Scarabucci A rede experimental do Projeto GIGA

Leia mais

TRABALHO DE TELEFONIA IP

TRABALHO DE TELEFONIA IP 1 Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores TRABALHO DE TELEFONIA IP QoS - Serviços Diferenciados Equipe: Afonso Sousa Jhonatan Cavalcante Israel Bezerra Wendel Marinho Professor: Fabio Fortaleza/2014.1

Leia mais

Simulando redes complexas com o GNS3

Simulando redes complexas com o GNS3 Simulando redes complexas com o GNS3 Elias Knebel¹, Gerson Battisti¹ ¹Departamento de Ciências Exatas e Engenharias Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI) elias_knebel@yahoo.com.br,

Leia mais

Walter Cunha Tecnologia da Informação Redes WAN

Walter Cunha Tecnologia da Informação Redes WAN Walter Cunha Tecnologia da Informação Redes WAN Frame-Relay 1. (FCC/Pref. Santos 2005) O frame-relay é uma tecnologia de transmissão de dados que (A) opera no nível 3 do modelo OSI. (B) tem velocidade

Leia mais

Mutiprotocol Label Switching (MPLS)

Mutiprotocol Label Switching (MPLS) Mutiprotocol Label Switching (MPLS) Paradigima de Roteamento Tradicional Sabemos que a arquitetura tradicional de roteamento utiliza como base o IP de destino de um pacote para tomar a descisão de roteamento

Leia mais

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva Prof. Marcel Santos Silva Embora os roteadores possam ser usados para segmentar os dispositivos de LAN, seu principal uso é como dispositivos de WAN. Os roteadores têm interfaces de LAN e WAN. As tecnologias

Leia mais

Nesse módulo será vista a estratégia de roteamento e engenharia de tráfego denominada MPLS: Multi-Protocol LABEL Switching.

Nesse módulo será vista a estratégia de roteamento e engenharia de tráfego denominada MPLS: Multi-Protocol LABEL Switching. MPLS Multi-Protocol LABEL Switching Nesse módulo será vista a estratégia de roteamento e engenharia de tráfego denominada MPLS: Multi-Protocol LABEL Switching. O MPLS é, atualmente, uma das tecnologias

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes (Continuação) 2 Camada de Rede 3 NAT: Network Address Translation restante da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24

Leia mais

Redes Multiple Protocol Label Switching (MPLS) Redes de Longa Distância e Alta Velocidade. Prof. Dr. Ruy de Oliveira IFMT

Redes Multiple Protocol Label Switching (MPLS) Redes de Longa Distância e Alta Velocidade. Prof. Dr. Ruy de Oliveira IFMT Redes Multiple Protocol Label Switching (MPLS) Redes de Longa Distância e Alta Velocidade Prof. Dr. Ruy de Oliveira IFMT Multi Protocol Label Switching - MPLS Mecanismo eficiente de encapsulamento Pacotes

Leia mais

Estudo Experimental da Tecnologia MPLS: Avaliação de Desempenho, Qualidade de Serviço e Engenharia de Tráfego

Estudo Experimental da Tecnologia MPLS: Avaliação de Desempenho, Qualidade de Serviço e Engenharia de Tráfego Estudo Experimental da Tecnologia MPLS: Avaliação de Desempenho, Qualidade de Serviço e Engenharia de Tráfego Roberto Willrich (INE-UFSC) Roberto A. Dias (CEFET-SC), Fernando Barreto, Renato D. V. de Oliveira,

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos

Redes de Computadores I Conceitos Básicos Redes de Computadores I Conceitos Básicos (11 a. Semana de Aula) Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2011.02 v1 2011.11.03 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Algoritmos

Leia mais

Roberto Adão radao@multirede.co.ao

Roberto Adão radao@multirede.co.ao Roberto Adão radao@multirede.co.ao A Empresa Multirede 16 anos de experiência em consultoria e educação em tecnologia da informação Casos de sucesso em projetos pioneiros nas maiores redes de comunicação

Leia mais

Funcionalidade Escalabilidade Adaptabilidade Gerenciabilidade

Funcionalidade Escalabilidade Adaptabilidade Gerenciabilidade Projeto de Redes Requisitos Funcionalidade -- A rede precisa funcionar. A rede precisa permitir que os usuários desempenhem os seus deveres profissionais. A rede precisa oferecer conectividade de usuário-para-usuário

Leia mais

Capítulo 5. A camada de rede

Capítulo 5. A camada de rede Capítulo 5 A camada de rede slide slide 1 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - QoS e Engenharia de Tráfego www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Em oposição ao paradigma best-effort (melhor esforço) da Internet, está crescendo

Leia mais

Aplicando políticas de QoS. MUM Brasil São Paulo Outubro/2008. Sérgio Souza

Aplicando políticas de QoS. MUM Brasil São Paulo Outubro/2008. Sérgio Souza Aplicando políticas de QoS MUM Brasil São Paulo Outubro/2008 Sérgio Souza Nome: País: Sergio Souza Brasil Tecnólogo em Processamento de Dados Consultor independente atuando há vários anos em implementação,

Leia mais

IoT (Internet of Things) Uso na prática!!! Prof. Robson Vaamonde SENAC Tatuapé

IoT (Internet of Things) Uso na prática!!! Prof. Robson Vaamonde SENAC Tatuapé IoT (Internet of Things) Uso na prática!!! Prof. Robson Vaamonde SENAC Tatuapé Consultor de Infraestrutura de Redes de Computadores há 18 anos, técnico e tecnólogo em Redes de Computadores pelo Senac

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO

CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO Instrutor: Rinaldo Vaz Analista de Redes Responsável técnico pelo AS 28135 Versão do material: 1.0 1.1 INTRODUÇÃO autor: Rinaldo Vaz rinaldopvaz@gmail.com

Leia mais

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Enlace Ponto-a-Ponto Um emissor, um receptor, um enlace: Sem controle de acesso ao meio; Sem necessidade de uso de endereços MAC; X.25, dialup link, ISDN. Protocolos

Leia mais

VPN - VIRTUAL PRIVATE NETWORK REDES VIRTUAIS PRIVADAS

VPN - VIRTUAL PRIVATE NETWORK REDES VIRTUAIS PRIVADAS VPN - VIRTUAL PRIVATE NETWORK REDES VIRTUAIS PRIVADAS Alfredo Alves da Silva Neto, Técnico em Eletrônica,CCNA-M4 pela academia Cisco Poli - UPE 2009 MCTIP MCTS MCT - Infra Estrutura Servidores e Virtualização

Leia mais

Tolerância a falhas em VPNs BGP/MPLS/VRF usando DMVPNs

Tolerância a falhas em VPNs BGP/MPLS/VRF usando DMVPNs Emerson Gomes Tolerância a falhas em VPNs BGP/MPLS/VRF usando DMVPNs Proposta de TCC2 apresentada à Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações do Instituto Federal de Santa

Leia mais

Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes 1 Protocolos Roteáveis e Roteados Protocolo roteado: permite que o roteador encaminhe dados entre nós de diferentes redes. Endereço de rede:

Leia mais

MPLS Uma abordagem de QoS utilizando roteadores MPLS

MPLS Uma abordagem de QoS utilizando roteadores MPLS Universidade Católica de Brasília Curso de Bacharelado em Ciências da Computação Projeto Final I Monografia MPLS Uma abordagem de QoS utilizando roteadores MPLS Alunos: Geovani Sorrentino 97/5602-7 Igor

Leia mais

Protocolo OSPF. O p e n S h o r t e s t P at h F i r s t. E s pec i a li s ta

Protocolo OSPF. O p e n S h o r t e s t P at h F i r s t. E s pec i a li s ta Ebook Exclusivo Protocolo OSPF O p e n S h o r t e s t P at h F i r s t E s pec i a li s ta em S e rv i ços G e r e n c i a do s Segurança de de Perímetro Sumário Introdução P.3 Ententendendo o Protocolo

Leia mais

UNIVERSIDADE SALVADOR UNIFACS NÚCLEO DE PESQUISA INTERDEPARTAMENTAL EM REDES DE COMPUTADORES (NUPERC) MESTRADO EM REDES DE COMPUTADORES

UNIVERSIDADE SALVADOR UNIFACS NÚCLEO DE PESQUISA INTERDEPARTAMENTAL EM REDES DE COMPUTADORES (NUPERC) MESTRADO EM REDES DE COMPUTADORES UNIVERSIDADE SALVADOR UNIFACS NÚCLEO DE PESQUISA INTERDEPARTAMENTAL EM REDES DE COMPUTADORES (NUPERC) MESTRADO EM REDES DE COMPUTADORES MARCOS PORTNOI CR-LDP: ASPECTOS E FUNCIONAMENTO Salvador BA 2005

Leia mais

Roteamento Estático (2)

Roteamento Estático (2) Roteamento Estático (2) Rotas Alternativas Alternative Routes Rotas Alternativas (cont.) Suponha que: Um novo novo link seja adicionado entre Pooh e Eeyore; Por uma decisão administrativa, todos os pacotes

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL - ESAB CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM REDES DE COMPUTADORES ADRIANO ANTUNES PRATES

ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL - ESAB CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM REDES DE COMPUTADORES ADRIANO ANTUNES PRATES ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL - ESAB CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM REDES DE COMPUTADORES ADRIANO ANTUNES PRATES OTIMIZAÇÃO DE REDES WAN POR MEIO DO MPLS JANUÁRIA - MG 2011 ADRIANO ANTUNES PRATES

Leia mais

Um Estudo do MPLS e sua Importância para o REMA

Um Estudo do MPLS e sua Importância para o REMA SALVADOR Um Estudo do MPLS e sua Importância para o REMA Ana Júlia Freitas Pinheiro 1 e-mail: anajulia@ufba.br Claudio Guido S. Cardoso 1 e-mail: claudioc@ufba.br Gustavo Bittencourt Figueiredo 12 e-mail:

Leia mais

Prof. Rodrigo Coutinho Revisão Comutação Comutação é a forma como serão alocados os recursos p/ transmissão na rede Comutação de circuitos Pressupõe existência de caminho físico dedicado Iniciada quando

Leia mais

ANDRE LUIZ MONFREDINHO MPLS MONOGRAFIA

ANDRE LUIZ MONFREDINHO MPLS MONOGRAFIA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO SEMIPRESENCIAL EM CONFIGURAÇÃO E GERENCIAMENTO DE SERVIDORES E EQUIPAMENTOS DE REDES ANDRE LUIZ MONFREDINHO

Leia mais

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Equipamentos de Redes Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Placas de Rede Placas de Rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de

Leia mais

Redes de Alto Desempenho

Redes de Alto Desempenho Redes de Alto Desempenho Professor Guerra Faculdades Santa Cruz Ab.guerra@gmail.com Protocolo BGP Conceitos de Internet a Internet é um conjunto de redes distintas, agrupadas em estruturas autônomas (AS);

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo A camada de rede.1 Introdução.2 O que há dentro de um roteador.3 IP: Protocolo da Internet Endereçamento IPv. Roteamento.5 Roteamento na Internet (Algoritmos

Leia mais

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Professor Rene - UNIP 1 Introdução do capitulo Função do roteador Roteamento estático O roteador é um computador com uma finalidade

Leia mais