Raphael Pereira de Morais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Raphael Pereira de Morais"

Transcrição

1 Raphael Pereira de Morais Cidade: Brasilia - DF Data de Nascimento: 20/07/1987 Estado Civil: Solteiro Telefone: (61) (61) FORMAÇÃO ACADÊMICA Superior Completo em Processos Gerenciais - Faculdade de Tecnologia e Ciências Sociais Aplicadas do UniCEUB (Conclusão: 2012) ATIVIDADES EXTRACURRICULARES Curso de Gestão de Convênios para Convernentes Escola Nacional de Administração Publica ENAP 2012 Curso de Boas Práticas na Manipulação de Alimentos Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial SENAC 2012 Empreendedor Individual SEBRAE 2010 Postura e Imagem Profissional Fundação Bradesco 2010 Administração e Planejamento de Finanças Pessoais Fundação Bradesco 2010 Curso de Educação Financeira e Qualidade de Vida Diretoria de Assistência ao Pessoal 2009 Curso de Gestão da Terceirização na Administração Pública Instituto de Desenvolvimento Empresarial IDEMP 2009 Curso de Elaboração de Acordos de Níveis de Serviço Instituto de Desenvolvimento Empresarial IDEMP 2009 Empreendedorismo e Inovação no Agronegócio EMBRAPA 2008 Curso de Formação de Pregoeiros Departamento de Logística e Servições Gerais do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 2007

2 Curso de Licitações, Contratos, Formação de Pregoeiro e Operacionalização do Sistema Integrado de Administração de Servições Gerais Departamento de Engenharia e Construção 2007 Estágio de Oficial de Munição 11º Depósito de Suprimento 2007 Estágio de Instrução e Preparação de Oficiais Temporários 12º Batalhão de Infantaria Curso de Formação de Oficiais da Reserva realizado no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva/ CMBH 2006 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXÉRCITO BRASILEIRO 11º Depósito de Suprimento Cargo Ocupado: 1º Tenente Período: Junho/2007 Junho/2014 Principais Atividades Desenvolvidas: Designado como Pregoeiro para os Processos Licitatórios da Organização Militar Responsável pela realização das licitações para aquisição de materiais de consumo, permanente e aquisição de bens e serviços necessários à Organização Militar; Responsável pela realização das licitações na modalidade pregão eletrônico referente à aquisição de gêneros do Quantitativo de Rancho e Quantitativo de Subsistência para todas as Organizações Militares do Comando Militar do Planalto. Chefe de Seção de Aquisições, Licitações e Contratos Responsável pelo planejamento e realização das compras e aquisições de todos os materiais e serviços necessários para o funcionamento da Organização Militar através de licitações e contratos administrativos. Encarregado do Suporte de Registro e Gestão Realizar e desenvolver atividades de auditoria e fiscalização interna nos aspectos administrativo, contábil e escritural da Organização Militar.

3 Encarregado do Setor de Material Responsável pela execução das atividades de recebimento, alienação de material e de contratação de obras e serviços da Organização Militar, bem como pela administração do material, a seu cargo; Realizar a gestão e contabilidade do material a seu cargo, mantendo em ordem e em dia a respectiva escrituração; Efetuar as compras ou mandar realizar os consertos ou reparações no material da Organização Militar; Fazer os pedidos de aquisição de material ou de prestação de serviços. Encarregado do Setor de Aprovisionamento Responsável pela execução das atividades de aquisição, alienação de material e de contratação de serviços do setor, bem como pela administração de todo o material sob sua responsabilidade; Dirigir os trabalhos dos refeitórios e cozinhas da Organização Militar; Receber, armazenar, conservar nas melhores condições e distribuir os gêneros alimentícios para todos os integrantes da Organização Militar; Elaborar os documentos de responsabilidade do Setor de Aprovisionamento, tais como cardápios, fichas de estoque, fichas de entrada, fichas de saída e tabela de consumo diário, semanal e mensal de todos os itens necessários à alimentação dos integrantes da Organização Militar; Responsável pelos assuntos que dizem respeito ao treinamento físico da unidade e em manter o adequado condicionamento físico da tropa para o cumprimento da missão; Auxiliar nos assuntos de administração patrimonial e de administração orçamentária, e no que couber, nas administrações financeiras e patrimonial; Coadjuvar no planejamento, na coordenação e no controle administrativo da Organização Militar; Prestar informações, ao Escalão Superior, sobre a situação financeira da Organização Militar.

4 Chefe da Seção de Comunicação Social Assessor direto do Comandante da Organização Militar nos assuntos referentes às atividades de comunicação Social, responsável por divulgar as atividades da unidade, bem como, ouvir opinião, principais anseios e preocupações dos públicos interno e externo; Auxiliar nos assuntos pertinentes a instrução e qualificação dos militares integrantes da Organização Militar; Elaborar instruções e planos de segurança e defesa do quartel. Subcomandante da 2ª Companhia de Suprimento Educar militarmente seus comandados, orientando-os no sentido da compenetração do dever, inspirando-se sempre na justiça, tanto para punir, como para recompensar; Conhecer com segurança, a personalidade, a capacidade e o preparo profissional de cada um de seus subordinados, a fim de melhor orientarse no cumprimento de sua missão, como educador, instrutor, disciplinador e avaliador. Auxiliar da Seção de Suprimento Classe II (Fardamento) Auxiliar na escrituração de controle, realizar a armazenagem e guarda dos artigos estocados nos depósitos a manutenção dos equipamentos, bem como a administração das atividades do Setor. Oficial de Munição, Explosivo e Manutenção de Armamento da Organização Militar Assessor do comando nos assuntos referentes a armamento e munição. Oficial Subalterno da 1ª Companhia de Suprimento Instrutor responsável pela formação, preparação e adestramento militar do Soldado do Efetivo Variável; Instrutor de diversas oficinas e instruções e responsável pela formação, preparação e adestramento militar dos Estagiários recém-ingressados no Estagio Básico de Sargento Temporário.

5 Oficial de Tiro Responsável pelo planejamento e execução dos diversos exercícios de tiro da Organização Militar.

Doutrina e Estratégia Militar. Ações de Caráter Sigiloso. Emprego da Força Terrestre em Operações. Logística de Material de Aviação

Doutrina e Estratégia Militar. Ações de Caráter Sigiloso. Emprego da Força Terrestre em Operações. Logística de Material de Aviação Programa 0620 Preparo e Emprego da Força Terrestre Ações Orçamentárias Número de Ações 16 24490000 Doutrina e Estratégia Militar Produto: Evento realizado Unidade de Medida: unidade UO: 52121 Comando do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O :

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 662, DE 31 DE MARÇO DE 2009 Aprova o Regimento dos Órgãos Executivos da Administração Superior. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES TÍTULO DO CARGO: Diretor Comercial Garantir as melhores condições de rentabilidade para a empresa, na prospecção, desenvolvimento, contratação de obras e serviços. Superior

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO P O R T A R I A N. º 5 0 8 D E 1 5 D E J U L H O D E 2 0 1 1. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República,

Leia mais

CFOR INTENDÊNCIA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 67 HORAS PLANO DE DISCIPLINA. APROVADO PELO BI / DEP Nº, de de

CFOR INTENDÊNCIA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 67 HORAS PLANO DE DISCIPLINA. APROVADO PELO BI / DEP Nº, de de CPOR / NPOR CFOR INTENDÊNCIA ELABORADO EM 200 ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 7 HORAS PLANO DE DISCIPLINA APROVADO PELO BI / DEP Nº, de de 1.OBJETIVOS PARTICULARES DA DISCIPLINA

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL - A NOVA GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO

SEMINÁRIO NACIONAL - A NOVA GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO SEMINÁRIO NACIONAL - A NOVA GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DIA 24 DE JULHO ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA FINANCEIRA E CONTÁBIL DO PATRIMÔNIO PÚBLICO 1 - PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO PARANÁ ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO PARANÁ ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO PARANÁ ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO Decreto nº 98.820, de 12 Jan 1990 Aprova o Regulamento de Administração do Exército (RAE)-(R-3). O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando das atribuições

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES

ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO CAPÍTULO II DAS COMPRAS Titulo

Leia mais

Câmara Municipal dos Barreiros

Câmara Municipal dos Barreiros Barreiros, 30 de Abril de 2010 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ofício nº 006/2010 SCI EXMO. SR. JOSÉ GERALDO DE SOUZA LEÃO M.D. Presidente da Câmara de Vereadores dos Barreiros NESTA O Coordenador do Sistema

Leia mais

ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 017-EME, DE 8 DE MARÇO DE 2007.

ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 017-EME, DE 8 DE MARÇO DE 2007. ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 017-EME, DE 8 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Normas para o Funcionamento do Sistema de Material do Exército (SIMATEX). O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso da competência

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS

REGULAMENTO DE COMPRAS REGULAMENTO DE COMPRAS A SPDM /PAIS Associação Paulista Para O Desenvolvimento da Medicina, vem por meio deste dar publicidade ao Regulamento Próprio utilizado contendo os procedimentos que adotará para

Leia mais

EDITAL Nº 05 DDG/CGPROG/2013

EDITAL Nº 05 DDG/CGPROG/2013 PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA CADASTRO DE INSTRUTORES DOS CURSOS DE GESTÃO DE MATERIAIS E FUNDAMENTOS DA GESTÃO DA LOGÍSTICA PÚBLICA E TEORIA GERAL DA LICITAÇÃO EDITAL Nº 05 DDG/CGPROG/2013

Leia mais

Elaboração de Editais, Termos de Referência e Projetos Básicos (conhecimentos necessários do início ao fim do processo licitatório)

Elaboração de Editais, Termos de Referência e Projetos Básicos (conhecimentos necessários do início ao fim do processo licitatório) Elaboração de Editais, Termos de Referência e Projetos Básicos (conhecimentos necessários do início ao fim do processo licitatório) A CASP Online é uma entidade especializada em capacitação para o setor

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

18- SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO 18.1- QUADRO DE INDICADORES. Superintendência de Gestão

18- SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO 18.1- QUADRO DE INDICADORES. Superintendência de Gestão CÓD PESO (%) 18- SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO 18.1- QUADRO DE INDICADORES Superintendência de Gestão QUADRO DE INDICADORES OBJETIVO ESTRATÉGICO NOME DO INDICADOR Unidade de Medida Valores de Referência (VR)

Leia mais

TABELA SALARIAL - JORNADA MENSAL DE 200 HORAS

TABELA SALARIAL - JORNADA MENSAL DE 200 HORAS TABELA SALARIAL - JORNADA MENSAL DE 200 HORAS CARGOS DE GRATIFICAÇÃO (40%) CARGO REMUNERAÇÃO Administrador de Banco de Dados JR 3.882,86 Administrador de Banco de Dados PL 4.954,72 Administrador de Banco

Leia mais

Farmácia Universitária

Farmácia Universitária Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Faculdade de Ciências Farmacêuticas Farmácia Universitária Regimento Interno Título I Da Farmácia Universitária Art. 1o A Farmácia Universitária da UNIFAL-MG,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA RELATÓRIO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA RELATÓRIO DE AUDITORIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA TIPO DE AUDITORIA : Auditoria de Gestão EXERCÍCIO : 2009 PROCESSO : 00181.000687/2010-82 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR PLANO ANUAL DE AUDITORIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR PLANO ANUAL DE AUDITORIA PLANO ANUAL DE AUDITORIA EXERCÍCIO - 2014 PLANO DE EXECUÇÃO DE AUDITORIA 1 FINALIDADE O Plano Anual de Atividades do Núcleo de Controle Interno estabelece para o exercício de 2014, o planejamento das atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA ORGANIZAÇÃO DO ALMOXARIFADO NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO

Leia mais

Levantamento de Necessidades de Treinamento LNT

Levantamento de Necessidades de Treinamento LNT SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS SECRETARIA EXECUTIVA DE RESSOCIALIZAÇÃO GÊRENCIA DE GESTÃO DE PESSOAS - GGP Levantamento de Necessidades de Treinamento LNT 2013 Gerência / Unidade

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA PLANO ANUAL DE ATDADES DE EXERCÍCO DE 2011 1 Í N D C E : NTRODUÇÃO DA FATORES CONSDERADOS NA ELABORAÇÃO DO PANT DO PLANO ANUAL DE ATDADES DE CONSDERAÇÕES GERAS ANUAL 2 N T R O D U Ç Ã O Ministério da Educação

Leia mais

PROJETO BÁSICO E TERMO DE REFERÊNCIA TEMAS AVANÇADOS 101 SOLUÇÕES PRÁTICAS PARA A CONSTRUÇÃO DOS DOCUMENTOS

PROJETO BÁSICO E TERMO DE REFERÊNCIA TEMAS AVANÇADOS 101 SOLUÇÕES PRÁTICAS PARA A CONSTRUÇÃO DOS DOCUMENTOS CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO NOVO PROJETO BÁSICO E TERMO DE REFERÊNCIA TEMAS AVANÇADOS 101 SOLUÇÕES PRÁTICAS PARA A CONSTRUÇÃO DOS DOCUMENTOS Novidade Conjunto de 101 PRÁTICAS que devem ser observadas

Leia mais

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais.

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Quem Somos A MDS soluções é uma prestadora de serviços que procura apoiar

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

TABELA SALARIAL - JORNADA MENSAL DE 200 HORAS

TABELA SALARIAL - JORNADA MENSAL DE 200 HORAS CARGO REMUNERAÇÃO Administrador de Banco de Dados JR 4.206,69 Administrador de Banco de Dados PL 5.367,94 Administrador de Banco de Dados SR 7.930,60 Advogado JR 4.206,69 Advogado PL 5.367,94 Advogado

Leia mais

Logística Empresarial e a Gestão da Cadeia de Suprimentos. Como enfrentar os desafios de um ambiente empresarial em constante mudança

Logística Empresarial e a Gestão da Cadeia de Suprimentos. Como enfrentar os desafios de um ambiente empresarial em constante mudança Logística Empresarial e a Gestão da Cadeia de Suprimentos Como enfrentar os desafios de um ambiente empresarial em constante mudança Produção e Distribuição Plantação de Ferro Produção em massa Just in

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração Anexo II a que se refere o artigo 2º da Lei nº xxxxx, de xx de xxxx de 2014 Quadro de Analistas da Administração Pública Municipal Atribuições Específicas DENOMINAÇÃO DO CARGO: DEFINIÇÃO: ABRANGÊNCIA:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA A FAMA desde o início de sua criação desenvolve atividades de ensino e pesquisa para integrar a Faculdade à sociedade com o objetivo de transformação.a FAMA tem como missão a transformação

Leia mais

Jonatas Dutra Sallaberry

Jonatas Dutra Sallaberry 1 de 10 01/08/2012 22:17 Jonatas Dutra Sallaberry Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9920574928553347 Última atualização do currículo em 01/08/2012 Mestrando em Ciências Contábeis pelo

Leia mais

EVENTO PÚBLICO ALVO OBJETIVO

EVENTO PÚBLICO ALVO OBJETIVO EVENTO O curso enfoca as diversas etapas do SICONV Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse, criado e desenvolvido pelo Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão com o objetivo de propiciar

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

HIERARQUIA DE SETORES

HIERARQUIA DE SETORES SIGA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA RELATÓRIO DE HIERARQUIA DE SETORES - 21/10/2014 REITORIA RET-GAB-GABINETE HIERARQUIA DE SETORES BJL-DG-DIRETORIA GERAL CAT-DG-DIRETORIA GERAL CSI-DG-DIRETORIA

Leia mais

ANEXO I PEÇAS EXIGIDAS PELAS IN/TCU Nº 47, DE 2004, DN/TCU Nº 62, DE 2004, IN/SFC Nº 2, DE 2000, E NE/SFC Nº 2, DE 2003.

ANEXO I PEÇAS EXIGIDAS PELAS IN/TCU Nº 47, DE 2004, DN/TCU Nº 62, DE 2004, IN/SFC Nº 2, DE 2000, E NE/SFC Nº 2, DE 2003. ANEXO I PEÇAS EXIGIDAS PELAS IN/TCU Nº 47, DE 2004, DN/TCU Nº 62, DE 2004, IN/SFC Nº 2, DE 2000, E NE/SFC Nº 2, DE 2003. Discriminação da peça I Rol de Responsáveis, assinado pela Diretoria Colegiada,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

GR TREINAMENTO E EVENTOS DE NEGÓCIO. INSCRIÇÕES até 16/03/2015

GR TREINAMENTO E EVENTOS DE NEGÓCIO. INSCRIÇÕES até 16/03/2015 Palmas, 19, 20 de março de 2015 Prof. Izaias de Carvalho INSCRIÇÕES até 16/03/2015 ASPECTOS GERAIS O CONTROLE INTERNO, é obrigatório para as Administrações Públicas e, também necessária para as Entidades

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA

GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA Os valores que lastreiam as práticas da Companhia são: transparência, prestação de contas, conformidade e equidade. Transparência refere-se em particular às informações que têm reflexo

Leia mais

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei:

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: LEI MUNICIPAL Nº 1833/2015. AUMENTA O NÚMERO DE CARGOS EM COMISSÃO, CRIA PADRÃO DE VENCIMENTO E FUNÇÕES GRATIFICADAS NO QUADRO DE CARGOS E FUNÇÕES PÚBLICAS DO MUNICÍPIO, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO

Leia mais

GESTÃO DE PATRIMÔNIO E DE MATERIAIS: Irregularidades verificadas pela Secretaria de Fiscalização do TCM/GO

GESTÃO DE PATRIMÔNIO E DE MATERIAIS: Irregularidades verificadas pela Secretaria de Fiscalização do TCM/GO GESTÃO DE PATRIMÔNIO E DE MATERIAIS: Irregularidades verificadas pela Secretaria de Fiscalização do TCM/GO Fases do processo da despesa com bens patrimoniais Incorporação, movimentação, inventário e baixa

Leia mais

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007.

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Instruções Gerais para o Funcionamento dos Hotéis de Trânsito do Exército (IG 30-52). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

ANEXO B RELAÇÃO DE OM

ANEXO B RELAÇÃO DE OM DEPARTAMENTO DECEx Departamento de Educação e Cultura do Exército Diretoria de Especialização e Extensão Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército Escola de Educação Física do Exército Escola

Leia mais

RESULTADOS REDUÇÃO AGILIDADE. para os objetivos empresariais. de custos com melhor performance empresarial. para um mundo de negócios

RESULTADOS REDUÇÃO AGILIDADE. para os objetivos empresariais. de custos com melhor performance empresarial. para um mundo de negócios RESULTADOS para os objetivos empresariais REDUÇÃO de custos com melhor performance empresarial AGILIDADE para um mundo de negócios A RRA Contabilidade e Assessoria oferece soluções empresariais completas

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Fayol e a Escola do Processo de Administração

Fayol e a Escola do Processo de Administração CAPÍTULO 4 Fayol e a Escola do Processo de Administração Empresa Função de Administração Função Comercial Função Financeira Função de Segurança Função de Contabilidade Função Técnica Planejamento Organização

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 014/2006.

ATO NORMATIVO Nº 014/2006. ATO NORMATIVO Nº 014/2006. Dispõe sobre a organização da Superintendência de Gestão Administrativa do Ministério Público do Estado da Bahia e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

GABARITO PRELIMINAR CONCURSO PÚBLICO PARA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR CNEN

GABARITO PRELIMINAR CONCURSO PÚBLICO PARA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR CNEN GABARITO PRELIMINAR CONCURSO PÚBLICO PARA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR CNEN CARGO: TL1 TECNOLOGISTA EM ANÁLISE DE SEGURANÇA 01 D 26 C 51 B 76 D 02

Leia mais

O que é o FNDE? Autarquia Federal do MEC. Orçamento: 14 bilhões em 2008

O que é o FNDE? Autarquia Federal do MEC. Orçamento: 14 bilhões em 2008 AUDITORIA INTERNA O que é o FNDE? Autarquia Federal do MEC Orçamento: 14 bilhões em 2008 CONTROLE INTERNO Função Assegurar a efetiva e regular gestão dos recursos públicos, em benefício da sociedade. Quem

Leia mais

LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS PASSO A PASSO PARA MUNICÍPIOS

LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS PASSO A PASSO PARA MUNICÍPIOS CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO NOVO LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS PASSO A PASSO PARA MUNICÍPIOS Brasília, Data a definir! Carga Horária: 24 horas/atividade Horário: das 8h30 às 18h (com

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO - SAMAS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO - SAMAS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO - SAMAS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Capitulo I - Objetivo. Artigo 1º - O presente regulamento

Leia mais

GRUPO. CEP: 57020-670 - Cel. 8830-6001. WAPPE PUBLICIDADE E EVENTOS LTDA Unidade de Cursos www.wap.com.br CNPJ: 05.823.069/0001-39

GRUPO. CEP: 57020-670 - Cel. 8830-6001. WAPPE PUBLICIDADE E EVENTOS LTDA Unidade de Cursos www.wap.com.br CNPJ: 05.823.069/0001-39 Curso de Licitações, Contratos e Sistema de Registro de Preços (SRP) - 20 e 21 de Março Módulo i- licitação Definição O dever de licitar Quem pode licitar Pressuposto Natureza jurídica e fundamentos Legislação

Leia mais

DECRETO Nº 27.438 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2006.

DECRETO Nº 27.438 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2006. DECRETO Nº 27.438 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2006. Dispõe sobre a Estrutura Organizacional da Secretaria Municipal de Fazenda e dá outras providências. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007)

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Publicação: 29/08/03 RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Cria a Superintendência Administrativa do Tribunal de Justiça e estabelece seu Regulamento. A CORTE SUPERIOR DO TRIBUNAL

Leia mais

Cargo Descrição e Requisitos Benefícios

Cargo Descrição e Requisitos Benefícios Vitória, 22 de Abril de 2012. A Selecta, empresa de Recrutamento e Seleção, divulga as vagas de emprego em aberto, com destaque para: Auxiliar Administrativo, Assistente Financeiro, Coordenador de Recursos

Leia mais

INTHEGRA TALENTOS HUMANOS CONTRATA-SE URGENTE!!!

INTHEGRA TALENTOS HUMANOS CONTRATA-SE URGENTE!!! INTHEGRA TALENTOS HUMANOS CONTRATA-SE URGENTE!!! Acesse e Cadastre-se: www.inthegrath.com.br OPERADORA DE CAIXA (Loja) - ITH 3390: Ensino Médio Completo Informática: Word e Excel Atividades: Operar caixa,

Leia mais

Esta Norma estabelece critérios e procedimentos para o controle dos bens patrimoniais do Sescoop.

Esta Norma estabelece critérios e procedimentos para o controle dos bens patrimoniais do Sescoop. SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO SESCOOP PARANÁ. CONSELHO ADMINISTRATIVO SESCOOP PARANÁ RESOLUÇÃO No. 06 de 14 de fevereiro de 2000 ORIENTA E NORMATIZA O CONTROLE DE BENS PERMANENTES

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 786/2013-PGJ, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013 (Protocolado nº 11.327/09)

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 786/2013-PGJ, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013 (Protocolado nº 11.327/09) A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 786/2013-PGJ, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013 (Protocolado nº 11.327/09) Altera o art. 4º-A do Ato Normativo nº 572/2009-PGJ, de 30 de janeiro de

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração Coordenação-Geral de Recursos Humanos

MINISTÉRIO DA FAZENDA Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração Coordenação-Geral de Recursos Humanos MINISTÉRIO DA FAZENDA QUADRO GERAL DO PLANO SETORIAL DE APRENDIZAGEM PERMANENTE - 2007 ÓRGÃO: GERÊNCIA REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO MINISTERIO DA FAZENDA NO PIAUI - GRA-PÍ Campos de Conhecimento Número

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS.

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS. ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS. 01. SERVENTE Descrição Sintética: compreende os cargos que se destinam a executar, sob supervisão, serviços de limpeza como varrer, lavar, desinfetar e arrumar as dependências

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005

DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005 DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005 Dispõe sobre o Conselho Municipal de Informática, o Sistema de Tecnologia da Informação, a aquisição e a contratação de bens e serviços de informática. JOSÉ SERRA,

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

CENTRO REGIONAL DE CACHOEIRA PAULISTA - CRA

CENTRO REGIONAL DE CACHOEIRA PAULISTA - CRA CENTRO REGIONAL DE CACHOEIRA PAULISTA - CRA CRA Secretaria Oficina Transportes 3 Limpeza Manutenção 23 Infra Estrutura 3 Compras 4 Almoxarifado 7 Pessoal 4 Serv. Social 4 Acom. Psicos. Treinamento 4 Apoio

Leia mais

MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS

MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS FL. 114 166 MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS MACROPROCESSO PROCESSO SUBPROCESSO Atermação- 1º grau Distribuição 1º e 2º graus Triagem Inicial 1º e 2º graus Providências Preliminares Redistribuição

Leia mais

MARKETING RECURSOS HUMANOS. 11 Ética e Responsabilidade social 11 Ética e Responsabilidade social 12 Monografia 12 Monografia

MARKETING RECURSOS HUMANOS. 11 Ética e Responsabilidade social 11 Ética e Responsabilidade social 12 Monografia 12 Monografia RECURSOS HUMANOS MARKETING Jacques Miranda Especialização em Criação Publicitária e Planejamento de Propaganda Daniel Serrano Especialização em Propaganda e Marketing 1. Metodologia da Pesquisa Científica

Leia mais

7º Simpósio de Ensino de Graduação AS ALTERAÇÕES GERADAS PELA APROVAÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO NBC T 16

7º Simpósio de Ensino de Graduação AS ALTERAÇÕES GERADAS PELA APROVAÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO NBC T 16 7º Simpósio de Ensino de Graduação AS ALTERAÇÕES GERADAS PELA APROVAÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO NBC T 16 Autor(es) LEONARDO GARCIA PAIS DE ARRUDA Orientador(es) ELAINE

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR Maslow e as necessidades humanas: A preocupação com a segurança. Qualificando a palavra segurança : Conceito

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA Publicada no Diário Oficial nº 1.880 de 10 de setembro de 1998 LEI COMPLEMENTAR Nº 027 DE 09 DE SETEMBRO

Leia mais

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços.

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. FRANCISCO JOSÉ COELHO BEZERRA Gestor de Registro de Preços Fortaleza 26 a 28/11/2014 SORAYA QUIXADÁ BEZERRA Gestora

Leia mais

Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos

Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos GLOSSÁRIO Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos nele apresentados, embora aplicáveis em outros contextos. Análise atividade que envolve a determinação

Leia mais

Secretarias, competências e horários de funcionamento. Secretaria de Administração, Planejamento e Gestão

Secretarias, competências e horários de funcionamento. Secretaria de Administração, Planejamento e Gestão Secretarias, competências e horários de funcionamento Secretaria de Administração, Planejamento e Gestão (Horário de funcionamento: das 07:00 as 13:00 horas) I - recebimento e processamento de reclamações,

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto 550 de 19/09/2007. ATRIBUIÇÕES: 10 - SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA 10.010 - COORDENAÇÃO GERAL

Leia mais

DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE COMPRAS ESTADUAIS

DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE COMPRAS ESTADUAIS DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DOS MODELOS DE COMPRAS ESTADUAIS Grupo de trabalho Metodologia BID ENAP Modelo colaborativo de construção e desenvolvimento do projeto com grupo multidisciplinar

Leia mais

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 DISPÕE sobre a SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA SSP, definindo suas finalidades, competências e estrutura organizacional, fixando o seu quadro de cargos

Leia mais

INFORMATIVO. 2º B Log L. Dia da Intendência. No dia 11 de abril, o Batalhão Cidade de

INFORMATIVO. 2º B Log L. Dia da Intendência. No dia 11 de abril, o Batalhão Cidade de INFORMATIVO Eletrônico 2º B Log L BATALHÃO CIDADE DE CAMPINAS Exercício EBST 2014 Coroando a fase de formação dos alunos do Estágio Básico de Sargentos Temporários, foi realizado o acampamento na Fazenda

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESPECIALISTA EM LICITAÇÕES PARA O

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria de

Leia mais

Anexo V - Descrição dos cargos de provimento efetivo da Carreira Judiciária, atribuições principais e requisitos para ingresso

Anexo V - Descrição dos cargos de provimento efetivo da Carreira Judiciária, atribuições principais e requisitos para ingresso Anexo V - Descrição dos cargos de provimento efetivo da Carreira Judiciária, atribuições principais e requisitos para ingresso (artigo 7º da Lei nº, de de de 2008.) GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES TÉCNICAS

Leia mais

PROCESSO PERMANENTE PARA CADASTRAMENTO DE INSTRUTORES PARA OS CURSOS PRESENCIAIS PROMOVIDOS PELO CENTRESAF/SP

PROCESSO PERMANENTE PARA CADASTRAMENTO DE INSTRUTORES PARA OS CURSOS PRESENCIAIS PROMOVIDOS PELO CENTRESAF/SP PROCESSO PERMANENTE PARA CADASTRAMENTO DE INSTRUTORES PARA OS CURSOS PRESENCIAIS PROMOVIDOS PELO CENTRESAF/SP O Diretor do CENTRO REGIONAL DE TREINAMENTO DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA EM SÃO PAULO,

Leia mais

Unidade orgânica/áreas de atividades. Inspetor- Geral. Subinspetor- Geral

Unidade orgânica/áreas de atividades. Inspetor- Geral. Subinspetor- Geral MODELO A MAPA DE PESSOAL 05 (Estrutura de mapa de pessoal - artigo 5º LVCR) Atribuições/Competências/Atividades Unidade orgânica/áreas de atividades Inspetor- Geral Subinspetor- Geral Diretor de Serviços

Leia mais

Luís Henrique Alves Salvador

Luís Henrique Alves Salvador Luís Henrique Alves Salvador End. Comercial: Rua Zacarias de Azevedo, 399, Edifício Trade Center sala 103, centro Maceió-AL Contatos: (82)3316-4774/8803-4774 academiadelicitacao@uol.com.br OBJETIVO Atuar

Leia mais

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc.

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. LEI N. 084/91 Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. Faço saber que a Câmara

Leia mais

QUEM SOMOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

QUEM SOMOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS PERFIL QUEM SOMOS Fundada em 07 de março de 1995 a PIERRE Engenharia e Construções Ltda., é uma empresa brasileira, sediada em Jundiaí-SP, que vem executando a prestação de serviços nos diferentes ramos

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA CIVIL GRUPAMENTO DE INFRAESTRUTURA E APOIO de SÃO JOSÉ DOS CAMPOS RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Aluno: Renato Rodrigues Teles

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1 Contratação de serviço de fornecimento de assinatura de jornais impressos e revistas, assim como acesso às matérias on line dos respectivos jornais e revistas para

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar Publicada no Diário Oficial do dia 07 de julho de 2011 Estabelece a Estrutura Administrativa do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e do Ministério Público Especial; cria, modifica e extingue órgãos

Leia mais

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes INVENTÁRIO ANUAL Exercício 2011 Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes Elaboração: Fernando de Souza Guimarães : 3409-4674 / 3409-4675 : dimat@dsg.ufmg.br Belo Horizonte, 2011 SUMÁRIO

Leia mais

Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC

Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC 1. Introdução Serão considerados projetos com recursos da UDESC para fins destas orientações aqueles que integram: 1.1 Programa de Apoio à Pesquisa

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0 SOBRE O CURSO O mercado de trabalho precisa de profissionais completos, com habilidades de gestão e que liderem equipes multidisciplinares em empresas de todos os setores econômicos

Leia mais

Missão dos Órgãos de Controle Interno, Desafios e Visão de Futuro. Renato Santos Chaves

Missão dos Órgãos de Controle Interno, Desafios e Visão de Futuro. Renato Santos Chaves Missão dos Órgãos de Controle Interno, Desafios e Visão de Futuro Renato Santos Chaves Sumário 1) Conceitos Básicos: Controle Interno e Externo, Controles Internos Administrativos, Auditoria Interna e

Leia mais