AEXPECTATIVA DE VIDA DOS PACIENTES QUE DE-

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AEXPECTATIVA DE VIDA DOS PACIENTES QUE DE-"

Transcrição

1 onco-ortopedia Tratamento irúrgico das Metástases Ósseas rquivo pessoal r. Reynaldo Jesus-Garcia Professor livre-docente, associado do epartamento de Ortopedia da Escola Paulista de Medicina Unifesp chefe do Setor de Oncologia Ortopédica da Escola Paulista de Medicina e do Instituto de Oncologia Pediátrica - GR- IOP-Unifesp ortopedista oncologista do Hospital Israelita lbert Einstein. Fellowship epartment of Surgery M.. nderson ancer enter Houston-Tx. US ontato: EXPETTIV E VI OS PIENTES QUE E- SENVOLVEM METÁSTSES NO ESQUELETO E- PENE NEOPLSI PRIMÁRI, O STTUS O paciente e do estádio da doença. Nos últimos anos, houve uma melhora acentuada nas técnicas de tratamento cirúrgico para se conseguir uma fixação estável imediata das fraturas patológicas, a despeito do extenso grau de destruição óssea. Há necessidade de se conseguir uma osteossíntese que permita carga total eomáximo de função, o mais rapidamente possível. utilização de técnicas de síntese interna bloqueada ou não bloqueada e de endopróteses são as melhores indicações. s técnicas em que é necessário aguardar muitos meses para a consolidação, ou a integração do auto ou do homoenxerto, não melhoram a qualidade de vida dos pacientes e tendem a falhar na evolução. Os pacientes portadores de metástases ósseas de câncer de tireoide, próstata, mama e rim costumam beneficiar-se com as cirurgias das metástases. Esses pacientes, que apresentam maior tempo de sobrevida, são um desafio nos casos de reconstruções de fraturas patológicas, principalmente naqueles em que há progressão local da doença após o tratamento ortopédico. falha ou a complicação na evolução do tratamento cirúrgico do paciente, que prossegue com uma não consolidação da fratura, seguramente levará à soltura do material de síntese. destruição óssea habitualmente extensa inviabiliza, em geral, a utilização dos métodos ortopédicos convencionais de tratamento das fraturas, razão pela qual métodos chamados de não convencionais devem ser utilizados. importância da fixação estável e o uso do cimento acrílico de metilmetacrilato, com o objetivo de funcionar como uma cola biológica, proporcionam estabilidade imediata e alívio da dor, mesmo considerando a ampla destruição óssea. O cimento pode ser utilizado isoladamente ou em conjunto com materiais de osteossíntese como as hastes intramedulares, placas e parafusos, com o objetivo final de se conseguir uma estrutura com múltiplos pontos de fixação. Sempre que possível, a fixação de toda a extensão do osso é fundamental, previne nova fratura e, consequentemente, nova cirurgia nos pacientes com eventual progressão da doença ou nova metástase. Metástase óssea de câncer de mama. paciente evoluiu com múltiplas metástases e fratura intertrocantérica, fixada com uma haste bloqueada proximal. Em () nota-se a fixação da fratura. Observe que a metade distal do fêmur ficou desprotegida, sem osteossíntese. Em (), evidenciase na radiografia em perfil o fêmur com múltiplas lesões osteolíticas. ois anos após a fixação, a paciente apresentou uma fratura da extremidade distal do fêmur (). Fidler (1) verificou que o risco de ocorrência de uma fratura patológica estava muito relacionado ao grau de destruição da cortical. Postulou alguns fatores de risco: mais do que 50% de envolvimento da circunferência da cortical de um osso longo; uma lesão osteolítica envolvendo mais do que 2,5 cm da cortical óssea; dor persistente após a irradiação. 28 março/abril 2013 Onco&

2 Esses fatores levam a um aumento de aproximadamente 50% da incidência de fraturas patológicas. Em 1989, Mirels publicou uma tabela que se transformou em ferramenta indispensável para avaliação do risco de fratura em pacientes com metástases ósseas (2). Local ritério 1 ponto 2 pontos 3 pontos Tamanho extremidade superior < 1/3 da largura do osso extremidade inferior 1/3-2/3 da largura do osso peritrocantérica > 2/3 da largura do osso Tipo lesão osteoblástica lesão mista lesão osteolítica or mínima moderada funcional (importante) Escore de Mirels para previsão da fratura em lesões com fraturas patológicas iminentes. O risco de uma fratura cresce após a soma de 7 pontos. soma de 8 pontos implica um risco de fratura de 15% e a soma de mais de 9 pontos representa um risco de 33%. Em pacientes com metástases únicas, principalmente no caso de câncer do rim, indicamos a ressecção da lesão, com as mesmas técnicas utilizadas para os tumores primários. Outro cuidado importante no tratamento das lesões metastáticas é a avaliação da vascularização da lesão. Metástases de câncer do rim, da tireoide e do mieloma devem ter avaliados os benefícios de uma embolização prévia ao tratamento cirúrgico, principalmente quando localizados na coluna e na pelve. Metástase óssea de câncer de mama. Lesão óssea no membro superior (1 ponto), comprometendo entre 1/3 e 2/3 do diâmetro do osso (2 pontos), osteolítica (3 pontos) com queixa de dor importante (2 pontos) apresentando um total de 8 pontos de Mirels e 15% de chance de fratura. Note em () que há lesão na região lateral da cortical da diáfise do úmero, mas ainda não há sinais de fratura. No entanto, em (), algumas semanas após, já se pode evidenciar o traço de fratura. Em (), o tratamento cirúrgico escolhido foi a utilização de uma haste bloqueada. epois da estabilização adequada ou da substituição protética, especialmente em fraturas de ossos longos, a radioterapia, em tumores radiossensíveis, é parte essencial do tratamento, a fim de inibir o maior crescimento do tumor residual e também diminuir as complicações potenciais junto ao material de síntese com risco de nova fratura em áreas não protegidas pelo material de síntese ou pelo cimento. Murray et al. (3) estudaram os efeitos da radioterapia no cimento acrílico e não encontraram mudanças significativas nas características do material após sua utilização. O uso da radioterapia após o procedimento cirúrgico está associado ao melhor controle da lesão. Os pacientes que não são submetidos à radioterapia pós-operatória apresentam maior risco de revisão cirúrgica e maior incidência de falha nos implantes. interferência negativa na consolidação ocorre na ausência de uma fixação rígida devido à presença da condrogênese, muito sensível à radioterapia. Entretanto, quando uma fixação rígida é conseguida, a etapa de condrogênese praticamente não acontece e a consolidação ocorre mesmo na presença de irradiação. É importante a definição da extensão e da área total do tratamento radioterápico. Nos pacientes submetidos à fixação com hastes intramedulares, irradiamos todo o osso, na tentativa de destruir eventuais implantes metastáticos e células que podem ter sido disseminados com a introdução da haste no canal medular. onsolidação da fratura No passado, acreditava-se que a fratura não apresentaria potencial para consolidação. No entanto, a observação do tratamento cirúrgico, que aconteceu com a maior sobrevida dos pacientes, mostrou um número significativo de fraturas com evolução para a consolidação. Essa consolidação depende de uma série de fatores, incluindo: o tipo histológico do tumor primário; o tempo de sobrevida do paciente; a localização da fratura e o comprometimento dos tecidos moles adjacentes, além de aspectos relacionados à forma e a qualidade da osteossíntese utilizada no tratamento e a estabilização conseguida na fratura. Geralmente, uma fratura patológica tem o potencial de sofrer consolidação se a vida do paciente for suficientemente longa para isso. Por exemplo, o Pacientes que não são submetidos a radioterapia pós-operatória apresentam maior risco de revisão cirúrgica e maior incidência de falha nos implantes Onco& março/abril

3 iagnóstico Taxa de consolidação da fratura patológica submetida à cirurgia âncer de próstata 70% Mieloma múltiplo 67% arcinoma renal 44% âncer de mama 37% âncer de pulmão 0% onsolidação da fratura patológica decorrente de metástases ósseas, de acordo com o diagnóstico do tumor primário. tumor de próstata é um dos tumores mais responsivos ao tratamento oncológico, evoluindo para a consolidação. Isso provavelmente resulta na diferença entre o tempo de sobrevida em relação ao efeito biológico do tumor na consolidação. O reconhecimento precoce das lesões ósseas com risco iminente de fratura permite ao ortopedista a análise do melhor método de tratamento profilático. fixação profilática, antes da ocorrência da fratura, permite utilização de técnicas mais estáveis, cirurgias mais rápidas e menor disseminação local do tumor. Metástase óssea de câncer de mama no úmero. Note em () que a lesão evoluiu para destruição das corticais, neoformação óssea importante, inclusive com reação periosteal e finalmente com fratura. Em () osteossíntese com haste bloqueada, incluindo toda extensão do osso. Em () nota-se que, após 8 meses, a fratura mostra sinais de consolidação e há formação de calo ósseo. Fraturas do membro superior evemos salientar que muitos pacientes dependem dos membros superiores para a deambulação, visto que utilizam bengalas, muletas ou andadores. Mesmo pacientes em cadeira de rodas necessitam para sua mobilidade das extremidades superiores com um mínimo de função. s lesões da clavícula e da escápula, mesmo aquelas da glenoide, devem ser tratadas sem cirurgia. No entanto, as fraturas da cabeça e do colo do úmero são de tratamento exclusivamente cirúrgico. São fraturas que, devido à mobilidade, não consolidam com a imobilização e ocasionam dor persistente por várias semanas e perda total definitiva da função do membro. Metástase óssea de câncer de rim. Paciente portador de múltiplas lesões ósseas que evoluiu com fratura da extremidade proximal do úmero. Na urgência, foi realizada a osteossíntese estruturada com cimento acrílico e placa e parafusos. Em (), evidencia-se a fratura na região epifisária do úmero, na qual havia lesão osteolítica. Em (), osteossíntese com placa, parafusos e cimento. Em (), reconstrução tridimensional da região proximal do úmero. Indicamos preferencialmente, para as fraturas da extremidade proximal do úmero, as placas com parafusos e cimento ou as endopróteses não convencionais, com grande vantagem dos pontos de vista oncológico e funcional. s endopróteses têm como principal indicação o controle imediato da dor e um excelente controle local do tumor. Preferimos a estabilização interna das fraturas patológicas na região diafisária do úmero, por meio de hastes intramedulares bloqueadas. Não realizamos a fresagem do canal, evitando, assim, a eventual disseminação de células tumorais (4). Quando a perda óssea é muito importante, inviabilizando a colocação de uma haste intramedular, podemos recorrer a um espaçador (prótese diafisária), fixado com cimento acrílico na região proximal e distal do osso. No entanto, esse tipo de espaçador costuma apresentar soltura e ocasionar dor, se houver a progressão do tumor na região proximal e distal à prótese. Lesões mais distais comprometendo o olécrano ou a articulação do cotovelo podem exigir a substituição por uma prótese não convencional de cotovelo, construída sob medida para cada caso. Essa localização de comprometimento é rara e poucas vezes necessitamos desse tipo de reconstrução (5, 6). Fraturas da pelve e do membro inferior doença metastática óssea na pelve e nas extremidades inferiores é significativa por sua alta incidência e pela importante magnitude do impacto negativo na qualidade de vida dos pacientes. orresponde ao segundo lugar em frequência, depois das metástases da coluna, mas o primeiro em necessidade de tratamento cirúrgico. s técnicas de reconstrução das fraturas patológicas ou das lesões em risco iminente de fratura devem ser rígidas e duráveis, permitindo a imediata carga de peso na extremidade, se possível, sem a utilização de nenhum método de auxílio para a deambulação. 30 março/abril 2013 Onco&

4 a mesma forma que em outras lesões metastáticas, a utilização da radioterapia em lesões radiossensíveis permite melhor controle local das metástases ósseas após a cirurgia. No caso dos ossos longos, principalmente após a utilização de hastes intramedulares, todo o comprimento do osso deve ser protegido com a haste e incluído no campo de irradiação. óssea impede uma cirurgia reconstrutiva, a substituição total da articulação é o procedimento de escolha. É importante reconhecer com precisão o grau da destruição óssea periacetabular para analisarmos qual área de osso será suficiente para manter o metilmetacrilato em posição, de forma que todo o processo de reconstrução seja capaz de suportar os esforços da atividade normal (7,8). Metástase óssea de Schwanomma em ilíaco. Note em () a destruição do ilíaco. Nesse caso, o tratamento proposto é a radioterapia da lesão. O prognóstico do paciente era reservado, devido às metástases viscerais, como evidenciado em () no fígado. Metástase de câncer de mama no acetábulo. evido ao comprometimento de vários locais do esqueleto, optou-se pela cimentação percutânea do acetábulo com a dilatação da lesão osteolítica com um balão e posterior injeção percutânea de cimento. Em (), fotografia do controle radioscópico do início da infusão de cimento após dilatação da lesão com balão. s fraturas que ocorrem na pelve, exceto na área do acetábulo, raramente necessitam de estabilização cirúrgica. maior parte dos pacientes pode ser tratada apenas por radioterapia. Raramente há necessidade de osteossíntese dos ossos da pelve, devido à instabilidade que a pseudartrose ocasionará, impedindo a deambulação do paciente. Metástases e fraturas do colo do fêmur orresponde ao terceiro local em termos de frequência de metástases ósseas, mas é o primeiro em número de fraturas que necessitam de tratamento cirúrgico. proximadamente 50% das fraturas da região proximal do fêmur, ocasionadas por metástases ósseas, não evoluem para a consolidação. Esse é um dos principais motivos para a indicação da cirurgia. s cirurgias consistem em osteossíntese com a utilização de cimento ou endopróteses. Sempre que possível, preferimos utilizar próteses não convencionais cimentadas com hastes longas com o objetivo de proteger a maior extensão possível do osso. Preferimos as próteses parciais, quando substituímos somente a cabeça do fêmur, sem trocar o acetábulo. Metástase óssea de câncer de próstata. O paciente, já submetido à radioterapia da próstata, sofreu uma fratura da asa do ilíaco direito ao fazer uma movimentação com seu quadril. Imagens da tomografia com reconstrução 3- de frente () e em obliqua (). evido à dor e à instabilidade, foi necessária a osteossíntese do ilíaco () lgumas lesões líticas no ilíaco, principalmente nos casos de tumores com bom prognóstico, podem necessitar de tratamento cirúrgico, com curetagem e cimentação, principalmente nos casos em que, com a progressão, pode haver o risco de afundamento do acetábulo. protrusão da cabeça femoral pode fazer parte do quadro na destruição do acetábulo. Exceto nos casos em que a extensa destruição Metástase óssea de câncer de pulmão na região proximal do fêmur. Em () e (), note a destruição ocasionada pela metástase, com crescimento extraósseo e desaparecimento de parte do pequeno trocânter e da região medial e posterior, que ocasionava dor e limitação do movimento, com risco iminente de fratura. Em (), tratamento cirúrgico com endoprótese não convencional. 32 março/abril 2013 Onco&

5 Para as fraturas subtrocantéricas, indicamos as hastes intramedulares bloqueadas, curtas ou longas, com pinos-parafusos deslizantes em direção ao colo do fêmur, bloqueados por parafusos (pinos) de segurança distais. curetagem do tumor e o preenchimento da falha óssea com cimento acrílico podem ser necessários, para garantir a estabilidade da osteossíntese. Nos pacientes com grande destruição óssea, pode ser necessária a utilização de uma endoprótese. Metástase óssea de câncer de mama. Paciente evoluiu para fratura da região proximal do fêmur. Foi utilizada a artroplastia parcial, com acetábulo tipo bipolar. Em (), radiografia de frente do quadril esquerdo da paciente com lesão importante, comprometendo grande parte do colo do fêmur. Em (), radiografia do quadril, imediatamente após a queda e fratura do colo do fêmur, no local previamente comprometido pela metástase. Em (), radiografia da endoprótese com acetábulo bipolar, que substituiu a extremidade proximal do fêmur. Fraturas subtrocantéricas (abaixo da linha dos trocânteres) s forças de compressão na região subtrocantérica do fêmur podem exceder até seis vezes o peso do corpo. Toda essa força e peso são suportados pela parede cortical posteromedial do fêmur. reconstrução deve prever essa sobrecarga de peso, e devem ser estimados esses momentos de força a que será imposto à osteossíntese. Metástase óssea de câncer de mama, com comprometimento da região trocantérica, principalmente do pequeno trocânter, com risco iminente de fratura. Note em (), na ressonância magnética, o comprometimento da região do pequeno trocânter. Em (), a osteossíntese realizada com haste bloqueada. Note o pequeno trocânter comprometido pelo tumor. Em () e (), imagens da haste em visão de frente e de perfil. Metástase óssea de câncer de bexiga. Fratura patológica da região subtrocantérica, submetida ao tratamento com haste intramedular bloqueada. Note em () e () fratura da região subtrocantérica; em () haste bloqueada utilizada para a fixação da fratura. Em (), ressonância magnética ponderada em T1, em que se observam várias vértebras com baixo sinal, que correspondem às outras metástases do tumor primário de bexiga. iáfise femoral s fraturas da diáfise femoral são rotineiramente fixadas com hastes intramedulares, em geral bloqueadas e de maior calibre possível. Podese ou não utilizar o uso de cimento acrílico, injetado na forma líquida. No entanto, algumas vezes, mesmo utilizando as hastes bloqueadas, há a necessidade de abertura do foco de fratura, para a complementação com o cimento acrílico (9). Onco& março/abril

6 Metástases ósseas de câncer de mama. Paciente com importante comprometimento do esqueleto, que evoluiu com dor incapacitante na metade distal posterior do fêmur. s radiografias () e () mostram as lesões osteolíticas provocadas pelos implantes metastáticos. O tratamento profilático foi a fixação com uma haste retrógrada, bloqueada proximal e distalmente ( e ). Note as lesões osteolíticas principalmente na cortical posterior, distal do fêmur. Fraturas da tíbia São pouco frequentes (aproximadamente 5%) e, por sua localização, são rapidamente diagnosticadas. Geralmente são tratadas com curetagem seguida de preenchimento com cimento e placas de sustentação. Na diáfise, o tratamento das metástases ósseas deve ser realizado pela fixação com hastes intramedulares bloqueadas (10). s metástases localizadas na mão e nos pés, as acrometástases, são raras e geralmente tratadas com amputação dos raios comprometidos seguida de radioterapia. Na EPM, encontramos os seguintes resultados após a revisão de 588 fraturas patológicas ou fraturas iminentes do esqueleto: Metástase óssea de câncer de reto. O paciente evoluiu com dor no joelho e risco iminente de fratura. Em () e (), ressonância da lesão na extremidade proximal da tíbia. Em ( e ), radiografias da lesão que foi ressecada e substituída por cimento e fixada com placa e parafusos. 70% de osteossíntese mais cimento ou endoprótese; 30% de tratamento não cirúrgico. taxa de sobrevida global do grupo operado foi de: 75% de sobrevida em 6 meses; 65% de sobrevida em 12 meses; 97% obtiveram alívio da dor quando operados. sobrevida nos pacientes portadores de fraturas patológicas em relação ao tumor primário: mama = 22,6 meses próstata = 29,3 meses rim = 11,8 meses pulmão: 6 a 12 meses tireoide: >5 anos. Referências bibliográficas 1 - Fidler M. Incidence of fracture through metastases in long bones. cta Orthop Scand, 1981, ec; 52(6): Mirels H. Metastatic disease in long bones: proposed scoring system for diagnosing impending pathologic fractures. lin Orthop Relat Res, 2003; 415(S4): Murray J, ruels M, Lindberg R. Irradiation of polymethylmethacrylate. In vitro gamma radiation effect. J one Joint Surg m, 1974,Mar; 56(2): Frassica FJ, Frassica. Evaluation and treatment of metastases to the humerus. lin Orthop Relat Res, 2003; 415: Kitagawa Y, Thai M, hoong PF. Reconstructions of the shoulder following tumour resection. J Orthop Surg (Hong Kong), 2007; 15(2): Thai M, Kitagawa Y, hoong PF. Outcome of surgical management of bony metastases to the humerus and shoulder girdle: a retrospective analysis of 93 patients. Int Semin Surg Oncol, 2006; (3): Wunder JS, Ferguson P, Griffin M, Pressman, ell RS. cetabular metastases: planning for reconstruction and review of results. ORR, 2003; 415:S187-S Quinn RH, renga J. Perioperative morbidity and mortality after reconstruction for metastatic tumors of the proximal femur and acetabulum. J rthoplasty, 2006; 21(2): Ward WG, Holsenbeck S, orey FJ, Spang J, Howe. Metastatic disease of the femur: surgical treatment. ORR, 2003; 415:S230-S Kelly M, Wilkins RM, Eckardt JJ, Ward WG. Treatment of metastatic disease of the tibia.orr, 2003; 415:S. 34 março/abril 2013 Onco&

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Prof André Montillo Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Elementos Ósseos Cabeça do Fêmur Trocanter Maior Colo

Leia mais

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Quarta-feira, 25 de agosto Grupo A Quarta-feira, 25 de agosto Grupo B 13:30-13:40 Abertura Moderador: R. Canto Apresentação do Curso e dos instrutores

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM)

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem 01. Radiografia anteroposterior do terço proximal da perna esquerda. Imagem 02. Ressonância magnética do mesmo paciente, no plano coronal

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA QUESTÃO 21 Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: a) O politrauma é a uma das principais causas

Leia mais

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP)

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) INTRODUÇÃO O ligamento cruzado posterior (LCP) é um dos ligamentos menos lesados do joelho. A compreensão dessa lesão e o desenvolvimento de novos tratamentos

Leia mais

Radioterapia para Metástases em Coluna Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Radioterapia para Metástases em Coluna Aspectos Clínicos Indicações

Leia mais

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA Prof. Rodrigo Aguiar O sistema músculo-esquelético é formado por ossos, articulações, músculos, tendões, nervos periféricos e partes moles adjacentes. Em grande

Leia mais

Hospital Universitário Cajuru. Pontifícia Universidade Católica Paraná

Hospital Universitário Cajuru. Pontifícia Universidade Católica Paraná Hospital Universitário Cajuru Pontifícia Universidade Católica Paraná Grupo de Cirurgia Quadril Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fraturas Peri Protéticas Conceitos

Leia mais

Tumores ósseos e sarcomas dos tecidos moles Bone tumor and soft tissue sarcomas

Tumores ósseos e sarcomas dos tecidos moles Bone tumor and soft tissue sarcomas Tumores ósseos e aparelho locomotor Tumores ósseos e sarcomas dos tecidos moles Bone tumor and soft tissue sarcomas Reynaldo Jesus Garcia Filho * RESUMO Quando avaliamos um paciente portador de doença

Leia mais

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE)

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) DESCRIÇÃO: Aulas interativas ao vivo pela internet. Participe ao vivo, respondendo as enquetes e enviando suas perguntas. Vale pontos para a Revalidação

Leia mais

PONTO-FINAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

PONTO-FINAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA PONTO-FINAL CUO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DERIÇÃO: Cursos presenciais Vale 3,0 pontos para a Revalidação do TEOT PROGRAMAÇÃO: OSTEONECROSE DA CABEÇA BELÉM/ PA 18.05.2007 SEXTA-FEIRA 20:00-20:20

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001 23/05/2012 10:23:44 Gestor: - Secretaria Estadual da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul Página: 1 PASSO FUNDO COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC:

Leia mais

Fraturas no Idoso. Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril

Fraturas no Idoso. Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril Fraturas no Idoso Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fraturas

Leia mais

Médico Neurocirurgia da Coluna

Médico Neurocirurgia da Coluna Médico Neurocirurgia da Coluna Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 01 Um homem de 55 anos de idade foi internado. Tinha histórico de câncer de pulmão operado, vinha apresentando uma dor constante

Leia mais

Fraturas e Luxações do Cotovelo em Adultos:

Fraturas e Luxações do Cotovelo em Adultos: Fraturas e Luxações do Cotovelo em Adultos: Fraturas do cotovelo em adultos: l As fraturas correspondem 31.8% dos traumas em cotovelo no adulto; l Freqüência: cabeça do rádio 39,4%; luxação do cotovelo

Leia mais

Artrodese do cotovelo

Artrodese do cotovelo Artrodese do cotovelo Introdução A Artrite do cotovelo pode ter diversas causas e existem diversas maneiras de tratar a dor. Esses tratamentos podem ter sucesso pelo menos durante um tempo. Mas eventualmente,

Leia mais

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP INTRODUÇÃO Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP Desde que os cirurgiões ortopédicos começaram a utilizar câmeras de vídeo, chamadas artroscópios, para visualizar, diagnosticar e tratar problemas dentro da

Leia mais

TEMA: Abiraterona (Zytiga ) para tratamento de câncer de próstata avançado sem quimioterapia prévia.

TEMA: Abiraterona (Zytiga ) para tratamento de câncer de próstata avançado sem quimioterapia prévia. NTRR 158/2014 Solicitante: Juíz: Dra. Solange Maria de Lima Oliveira Juiza da 1ª Vara Cível de Itaúna. Data: 04/07/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0338.14.006.873-9

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Zimmer (Argentina) Revisão Modular de Quadril O primeiro objetivo de uma revisão de quadril é estabelecer uma fixação, dessa maneira se alivia

Leia mais

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001 26/09/2011 12:52:37 Página: 1 COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC: Central Nacional de Estabelecimento: 2273276 MS INTO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

Processo de Consolidação das Fraturas Consolidação Óssea

Processo de Consolidação das Fraturas Consolidação Óssea André Montillo UVA Processo de Consolidação das Fraturas Consolidação Óssea O Tecido ósseo é o único que no final de sua cicatrização originará tecido ósseo verdadeiro e não fibrose como os demais tecidos

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

PRÓTESE NÃO CONVENCIONAL

PRÓTESE NÃO CONVENCIONAL PRÓTESE NÃO CONVENCIONAL PARA RECONSTRUÇÃO DE MEMBROS INFERIORES FEMUR PROXIMAL/FEMUR PROXIMAL EXPANSIVA Técnica Cirúrgica - 30.30 Prótese Não Convencional para Reconstrução de Membros Inferiores Femur

Leia mais

Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério

Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério grupoquadrilhuc@hotmail.com Conceito É uma doença degenerativa crônica caracterizada

Leia mais

Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012

Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012 Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012 Abordagens combinadas envolvendo parotidectomia e ressecção do osso temporal as vezes são necessárias como parte de ressecções

Leia mais

Manual de cuidados pré e pós-operatórios

Manual de cuidados pré e pós-operatórios 1. Anatomia O quadril é uma articulação semelhante a uma bola no pegador de sorvete, onde a cabeça femoral (esférica) é o sorvete e o acetábulo (em forma de taça) é o pegador. Esse tipo de configuração

Leia mais

PROTESE TOTAL QUADRIL Dr. Gladyston Introdução ATQ procedimento alívio dor, ganho funcional e melhora qualidade de vida Sucesso depende: Escolha paciente ideal Uso de implantes adequados Habilidade técnica

Leia mais

MS/DATASUS 24/04/2015 15:00:39 M330455001

MS/DATASUS 24/04/2015 15:00:39 M330455001 24/04/2015 15:00:39 Gestor: - Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro Página: 1 Estabelecimento: 2269341 SMS HOSPITAL MUNICIPAL JESUS AP 22 3315101123851 0403010101 DERIVACAO VENTRICULAR PARA PERITONEO

Leia mais

Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz

Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz Afecções Ósseas Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz Definição estados patológicos que se manifestam sobre o esqueleto apendicular e axial

Leia mais

Cirurgia Radical para Metástases em Coluna. Dr Marcos Maldaun

Cirurgia Radical para Metástases em Coluna. Dr Marcos Maldaun Cirurgia Radical para Metástases em Coluna Dr Marcos Maldaun metástases a coluna é local mais frequente de metástases ósseas 90% pacientes com câncer metastases espinhais em autópsias 30% pacientes com

Leia mais

[213] 96. LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS

[213] 96. LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS Parte IV P R O T O C O L O S D E T R A U M A [213] rotina consiste em infundir 20 ml/kg em bolus de solução de Ringer e reavaliar o paciente em seguida. Manter a pressão sistólica entre 90 e 100 mmhg.

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia

Ortopedia e Traumatologia Ortopedia e Traumatologia Fixação Interna Orthofix A Orthofix é uma companhia reconhecida mundialmente no desenvolvimento de soluções para fixação externa e interna na área de Traumatologia e Ortopedia.

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Joelho Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O joelho, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a tíbia (osso da perna). Também

Leia mais

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS Técnica Cirúrgica 8.30 - ALPHA - Cemented Femoral Prosthesis Prótese Femoral Cimentada ALPHA Colaboradores Dr. Flávio Turíbio Dr. Milton Roos Material INOX ASTM F.138

Leia mais

sistema de artroplastia total de quadril

sistema de artroplastia total de quadril sistema de artroplastia total de quadril sistema de artroplastia total de quadril Sobrevida.% Sobrevida.% 100.00 100.00 99.00 99.00 98.00 98.00 97.00 97.00 96.00 96.00 95.00 95.00 94.00 94.00 93.00 93.00

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Impacto Fêmoro Acetabular e Lesões do Labrum

Impacto Fêmoro Acetabular e Lesões do Labrum Impacto Fêmoro Acetabular e Lesões do Labrum O termo Impacto Fêmoro Acetabular (I.F.A.) refere-se a uma alteração do formato e do funcionamento biomecânico do quadril. Nesta situação, ocorre contato ou

Leia mais

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA ANEXO I - DA DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA GRANDES FRAGMENTOS 1 Parafuso cortical em aço inoxidável antimagnético, diâmetro da rosca de 4,5mm, diâmetro do núcleo de 3,0mm, hexágono interno de 3,5mm

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo:

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Análise dos dados e indicadores de qualidade 1. Análise dos dados (jan ( janeiro eiro/2000 a setembro/201 /2015) Apresenta-se aqui uma visão global sobre a base

Leia mais

Adriano de Souza. 29/06/12 Currículo do Sistema de Currículos Lattes (Adriano de Souza) Nome. Nome em citações bibliográficas.

Adriano de Souza. 29/06/12 Currículo do Sistema de Currículos Lattes (Adriano de Souza) Nome. Nome em citações bibliográficas. Adriano de Souza Possui graduação em medicina pela Escola de Ciências Médicas de Volta Redonda (1993). Seu mestrado profissionalizante em metodologia cientica emcontra-se em andamento.atualmente coordena

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

Câncer do pâncreas. Orlando Jorge Martins Torres Professor Livre-Docente UFMA

Câncer do pâncreas. Orlando Jorge Martins Torres Professor Livre-Docente UFMA Câncer do pâncreas Orlando Jorge Martins Torres Professor Livre-Docente UFMA Diagnóstico A tomografia helicoidal com dupla fase é o melhor exame de imagem para diagnosticar e estadiar uma suspeita de carcinoma

Leia mais

Luxação da Articulação Acrômio Clavicular

Luxação da Articulação Acrômio Clavicular Luxação da Articulação Acrômio Clavicular INTRODUÇÃO As Luxações do ombro são bem conhecidas especialmente durante a prática de alguns esportes. A maior incidencia de luxção do ombro são na verdade luxação

Leia mais

Sobrevida Mediana Classe I: 7,1 meses Classe II: 4,2 meses Classe III: 2,3 meses

Sobrevida Mediana Classe I: 7,1 meses Classe II: 4,2 meses Classe III: 2,3 meses Tratamento das Metástases Cerebrais Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Tratar ou Não Tratar? Piora do prognóstico Déficits neurológicos

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Ossos

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Ossos Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Ossos Resumo da aula Classificação Estrutura óssea Funções Remodelagem Cargas Torque/ Momento Stress em função da Geometria Óssea Resumo da aula Esqueleto axial

Leia mais

Fratura da Porção Distal do Úmero

Fratura da Porção Distal do Úmero Fratura da Porção Distal do Úmero Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo O cotovelo é composto de 3 ossos diferentes que podem quebrar-se diversas maneiras diferentes, e constituem

Leia mais

TUMORES OSSEOS EM CABEÇA E PESCOÇO

TUMORES OSSEOS EM CABEÇA E PESCOÇO CABEÇA E PECOÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ HOSPITAL WALTER CANTÍDIO Residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço TUMORES OSSEOS EM Geamberg Macêdo Agosto - 2006 TUMORES ÓSSEOS BÊNIGNOS OSTEOMA CONDROMAS

Leia mais

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS METÁSTASES HEPÁTICAS Carcinoma Metastático do Fígado METÁSTASES HEPÁTICAS Neoplasia primeira

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA CARTILAGEM

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA CARTILAGEM CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA CARTILAGEM Radiológicos Classificação de Tönnis de osteoartrose da anca Grau 0 Sem sinais de osteoartrose Grau I Esclerose aumentada, ligeira diminuição do espaço articular, sem

Leia mais

Última revisão: 08/08/2011 TRACIONADOR DE FÊMUR

Última revisão: 08/08/2011 TRACIONADOR DE FÊMUR Protocolo: Nº 72 Elaborado por: Antônio Osmar Wilhma Castro Ubiratam Lopes Manoel Emiliano Luciana Noronha Última revisão: 08/08/2011 Revisores: Manoel Emiliano Ubiratam Lopes Wilhma Alves Luciana Noronha

Leia mais

Doença de Paget. Definição:

Doença de Paget. Definição: Definição: É uma doença sistêmica de origem desconhecida que determina alteração no Processo de Remodelação Óssea. Apresenta um forte componente genético. Se caracteriza por um aumento focal no remodelamento

Leia mais

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho Câncer de Próstata Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho O que é próstata? A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA Pinheiro, A.C ¹, Aquino, R. G. F. ¹, Pinheiro, L.G.P. ¹, Oliveira, A. L. de S. ¹, Feitosa,

Leia mais

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade 1 O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade há vários anos. Faz parte integral da filosofia de

Leia mais

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal O QUE É? O NEUROBLASTOMA Coluna Vertebral Glândula supra-renal O NEUROBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O NEUROBLASTOMA? O neuroblastoma é um tumor sólido maligno, o mais frequente em Pediatria

Leia mais

Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira

Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira METÁSTASES CEREBRAIS INTRODUÇÃO O SIMPLES DIAGNÓSTICO DE METÁSTASE CEREBRAL JÁ PREDIZ UM POBRE PROGNÓSTICO.

Leia mais

CARCINOMA MAMÁRIO COM METÁSTASE PULMONAR EM FELINO RELATO DE CASO

CARCINOMA MAMÁRIO COM METÁSTASE PULMONAR EM FELINO RELATO DE CASO CARCINOMA MAMÁRIO COM METÁSTASE PULMONAR EM FELINO RELATO DE CASO HOFFMANN, Martina L. 1 ; MARTINS, Danieli B. 2 ; FETT, Rochana R. 3 Palavras-chave: Carcinoma. Felino. Quimioterápico. Introdução O tumor

Leia mais

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Quadril Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O quadril, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a bacia. As pessoas leigas

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS UnB/CESPE INCA A respeito do carcinoma basocelular, julgue os itens a seguir. Com relação aos melanomas, julgue os itens subsequentes. 41 O carcinoma basocelular é um tumor nevoide

Leia mais

Sandro Reginaldo Presidente da SBOT-GO

Sandro Reginaldo Presidente da SBOT-GO ORTOPÉDICA PARA O JORNALISTA ESPORTIVO AGRADECIMENTOS Secretaria Municipal de Esporte e Lazer Agradecemos o apoio imprescindível do presidente da Associação Brasileira de Traumatologia Desportiva e médico

Leia mais

VALOR UNIT. VALOR TOTAL ORTOSÍNTESE R$ 29,000 R$ 232,000 SUBITON R$ 69,000 R$ 690,000 SUBITON R$ 189,000 R$ 1.134,000 IMPLANTEC R$ 40,000 R$ 320,000

VALOR UNIT. VALOR TOTAL ORTOSÍNTESE R$ 29,000 R$ 232,000 SUBITON R$ 69,000 R$ 690,000 SUBITON R$ 189,000 R$ 1.134,000 IMPLANTEC R$ 40,000 R$ 320,000 INTERESSADO: 1 ARRUELA 3.5/4.0 mm em aço UND 10 HEXAGON R$ 8,000 R$ 80,000 2 ARRUELA 4.5/6.5 mm - em aço UND 16 HEXAGON R$ 8,000 R$ 128,000 3 4 5 BLOQUEADOR DE CIMENTO P - em polietileno UND 8 BLOQUEADOR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Escola Paulista de Medicina Departamento de Diagnóstico por Imagem Adenocarcinoma de Pâncreas Bruno Sérgio de Souza Bernardes Sólidos: Tumores do Pâncreas Classificação

Leia mais

implantes ortopédicos deficiências das articulações

implantes ortopédicos deficiências das articulações implantes ortopédicos deficiências das articulações quando um paciente se queixa de dor na articulação (da anca ou joelho) a causa mais usual é a artrite. a substituição da articulação natural por uma

Leia mais

Ligamento Cruzado Posterior

Ligamento Cruzado Posterior Ligamento Cruzado Posterior Introdução O Ligamento Cruzado Posterior (LCP) é classificado como estabilizador estático do joelho e sua função principal é restringir o deslocamento posterior da tíbia em

Leia mais

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função.

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função. Lesões Meniscais Introdução O menisco é uma das estruturas mais lesionadas no joelho. A lesão pode ocorrer em qualquer faixa etária. Em pessoas mais jovens, o menisco é bastante resistente e elástico,

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

Urgências Ortopédicas em Clínica Pediátrica. Dr. Celso Rizzi Ortopedista Pediátrico do INTO

Urgências Ortopédicas em Clínica Pediátrica. Dr. Celso Rizzi Ortopedista Pediátrico do INTO Urgências Ortopédicas em Clínica Pediátrica Dr. Celso Rizzi Ortopedista Pediátrico do INTO Placa de Crescimento Epífise Metáfise Diáfise Metáfise Placa de Crescimento Epífise Osso Imaturo na Criança Fraturas

Leia mais

Módulo: Câncer de Rim Localizado

Módulo: Câncer de Rim Localizado Módulo: Câncer de Rim Localizado Caso 1 CAL, 56 anos, masculino Paciente médico, obeso (IMC = 41; peso 120 kg) Antecedentes clínicos: nefrolitíase Antecedentes cirúrgicos: Laparotomia mediana por divertículo

Leia mais

Descobrindo o valor da

Descobrindo o valor da Descobrindo o valor da Ocâncer de mama, segundo em maior ocorrência no mundo, é um tumor maligno que se desenvolve devido a alterações genéticas nas células mamárias, que sofrem um crescimento anormal.

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO

MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO COMPLICAÇÕES EM ESVAZIAMENTO CERVICAL UBIRANEI O. SILVA INTRODUÇÃO Incidência melanoma cutâneo: 10% a 25% Comportamento

Leia mais

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS Por Paulo Alencar # e Rogério Fuchs * # Cirurgião Ortopedista, médico do Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba,

Leia mais

Metástase óssea: revisão da literatura

Metástase óssea: revisão da literatura Revisão de Literatura Metástase óssea Artigo submetido em 29/06/04; aceito para publicação em 05/01/05 Metástase óssea: revisão da literatura Bone metastases: literature review Walter Meohas 1, Danielle

Leia mais

Tumor Estromal Gastrointestinal

Tumor Estromal Gastrointestinal Tumor Estromal Gastrointestinal Pedro Henrique Barros de Vasconcellos Hospital Cardoso Fontes Serviço de Cirurgia Geral Introdução GIST é o tumor mesenquimal mais comum do TGI O termo foi desenvolvido

Leia mais

Dados Pessoais: História social e familiar. Body Chart. Questões especiais Exames Complementares Rx (23/08/2012) placa de fixação interna a nível da

Dados Pessoais: História social e familiar. Body Chart. Questões especiais Exames Complementares Rx (23/08/2012) placa de fixação interna a nível da Dados Pessoais: Nome: M. Idade: 29 Morada: Contacto: Médico: Fisioterapeuta: Profissão: Técnica de comunicação Diagnóstico Médico: Síndrome de Kienbock História Clínica: 2009-1 mês após uma mudança de

Leia mais

Bases Biomecânicas do Treinamento Osteogênico. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Bases Biomecânicas do Treinamento Osteogênico. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Bases Biomecânicas do Treinamento Osteogênico Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Questão Qual é a melhor atividade física para o aumento da densidade óssea em todo o corpo? Natação? Corrida? Tênis?

Leia mais

Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama

Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama O câncer de mama - 2º tipo de câncer mais freqüente no mundo e o mais comum

Leia mais

Autópsia-Carcinoma de Reto

Autópsia-Carcinoma de Reto Autópsia-Carcinoma de Reto RESULTADO DE EXAME ANATOMOPATOLÓGICO N.º PG 163 NOME: PCQ RESID.: CIDADE: São Paulo - SP FONE: ( ) SEXO M IDADE 31 COR P PROFISSÃO: PEDIDO pelo Dr Clínica Cirúrgica TEL. ( )

Leia mais

Fraturas da Diáfise do Fêmur: Generalidades: É a fratura que compromete o fêmur abaixo do trocanter menor até o tubérculo dos adutores É uma fratura

Fraturas da Diáfise do Fêmur: Generalidades: É a fratura que compromete o fêmur abaixo do trocanter menor até o tubérculo dos adutores É uma fratura Prof André Montillo Generalidades: É a fratura que compromete o fêmur abaixo do trocanter menor até o tubérculo dos adutores É uma fratura Muito Importante porque compromete o maior e o mais resistente

Leia mais

O que é Impacto Fêmoro-acetabular. Autores: O que é o quadril? Dr. Henrique Berwanger Cabrita

O que é Impacto Fêmoro-acetabular. Autores: O que é o quadril? Dr. Henrique Berwanger Cabrita O que é Impacto Fêmoro-acetabular PUBLICADO POR QUADRIL RECIFE Autores: Dr. Henrique Berwanger Cabrita Doutor em Ortopedia pela Universidade de São Paulo Assistente do Grupo de Quadril do Instituto de

Leia mais

Maria da Conceição Muniz Ribeiro

Maria da Conceição Muniz Ribeiro Maria da Conceição Muniz Ribeiro Os miomas são a principal causa de histerectomia em nosso meio, sendo responsável por um terço do total de indicações de histerectomia. Aproximadamente 30 a 50% de todas

Leia mais

Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR

Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR Versão eletrônica atualizada em fev/2012 Março - 2009 1. Conceito, Etiologia e Epidemiologia 1. Trauma raquimedular é a lesão da medula espinhal que provoca

Leia mais

Artroscopia do Cotovelo

Artroscopia do Cotovelo Artroscopia do Cotovelo Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo Artroscopia é uma procedimento usado pelos ortopedistas para avaliar, diagnosticar e reparar problemas dentro

Leia mais

Maria da Conceição M. Ribeiro

Maria da Conceição M. Ribeiro Maria da Conceição M. Ribeiro Segundo dados do IBGE, a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste da estrutura entre as vértebras que, na prática, funcionam

Leia mais

22ª Imagem da Semana: Fotografia e radiografia da face

22ª Imagem da Semana: Fotografia e radiografia da face 22ª Imagem da Semana: Fotografia e radiografia da face Enunciado Paciente do sexo feminino, 34 anos. Diagnóstico de glomerulonefrite aos 12 anos de idade, em tratamento de substituição hemodialitica há

Leia mais

Entorse do. 4 AtualizaDOR

Entorse do. 4 AtualizaDOR Entorse do Tornozelo Tão comum na prática esportiva, a entorse pode apresentar opções terapêuticas simples. Veja como são feitos o diagnóstico e o tratamento desse tipo de lesão 4 AtualizaDOR Ana Paula

Leia mais

Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo

Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo INTRODUÇÃO Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo Bursite do olécrano é a inflamação de uma pequena bolsa com líquido na ponta do cotovelo. Essa inflamação pode causar muitos problemas no cotovelo.

Leia mais

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral INTRODUÇÃO Oque é Luxação Gleno Umeral? Luxação é o termo empregado quando há perda de contato entre os ossos que compõem uma articulação. No caso do ombro a articulação

Leia mais

Patologias dos membros inferiores

Patologias dos membros inferiores Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias dos membros inferiores Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Doenças do quadril Doenças do joelho Doenças do pé e tornozelo Introdução Doenças

Leia mais

RETALHOS LIVRES PARA O COTOVELO E ANTEBRAÇO

RETALHOS LIVRES PARA O COTOVELO E ANTEBRAÇO RETALHOS LIVRES PARA O COTOVELO E ANTEBRAÇO Mário Yoshihide Kuwae 1, Ricardo Pereira da Silva 2 INTRODUÇÃO O antebraço e cotovelo apresentam características distintas quanto a cobertura cutânea, nas lesões

Leia mais

Residência em Ortopedia e Traumatologia

Residência em Ortopedia e Traumatologia Residência em Ortopedia e Traumatologia FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG NOVO COLEGA DR. ARTUR CRUZ 05 MAIO - 2008 CURSO AO RIO GRANDE 27º NÚMERO UNIDADE DO TRAUMA TELEFONES DA URGENCIA

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Essencial para a utilização bem sucedida da prótese para o amputado da extremidade inferior:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Essencial para a utilização bem sucedida da prótese para o amputado da extremidade inferior: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CIRURGIA VASCULAR 21. Essencial para a utilização bem sucedida da prótese para o amputado da extremidade inferior: I. Reserva cardiopulmonar. II. Coto construído corretamente.

Leia mais

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração?

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Hugo Nary Filho responde O tratamento do edentulismo maxilar, com a utilização de implantes osseointegráveis, vem experimentando

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014 PORTARIA 13/2014 Dispõe sobre os parâmetros do exame PET-CT Dedicado Oncológico. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL-IPERGS, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

CURRICULUM VITAE FORMAÇÃO ACADÊMICA. Residência Ortopedia e Traumatologia IOT Instituto de Ortopedia e Traumatologia Passo Fundo RS 1992 a 1995

CURRICULUM VITAE FORMAÇÃO ACADÊMICA. Residência Ortopedia e Traumatologia IOT Instituto de Ortopedia e Traumatologia Passo Fundo RS 1992 a 1995 CURRICULUM VITAE Luiz Henrique Penteado da Silva CRM: 19805 Quadril Pelve Trauma IOT Instituto de Ortopedia e Traumatologia - www.iotrs.com.br Rua Uruguai, 2050 CEP: 99010-112 Passo Fundo RS quadril@iotrs.com.br

Leia mais

TIBIAL LOCKING NAIL. Técnica Cirúrgica 72.30 - Haste Tibial Intramedular

TIBIAL LOCKING NAIL. Técnica Cirúrgica 72.30 - Haste Tibial Intramedular TIBIAL LOCKING NAIL Técnica Cirúrgica 72.30 - Tibial Locking Nail COLABORADORES: Dr. Geraldo Motta Filho MATERIAL: Aço inox NBR ISO 5832-1 Indicações Para fixação intramedular das fraturas da tíbia. Esta

Leia mais

1. CONSIDERAÇÕES SOBRE A MARCHA EM CASOS DE FRATURAS DO MEMBRO INFERIOR.

1. CONSIDERAÇÕES SOBRE A MARCHA EM CASOS DE FRATURAS DO MEMBRO INFERIOR. 1. CONSIDERAÇÕES SOBRE A MARCHA EM CASOS DE FRATURAS DO MEMBRO INFERIOR. Quando ocorre uma fratura envolvendo o membro inferior, a reeducação do padrão de marcha normal até o nível da função anterior à

Leia mais