Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur"

Transcrição

1 Prof André Montillo

2 Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur

3 Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Elementos Ósseos Cabeça do Fêmur Trocanter Maior Colo do Fêmur Acetábulo 137 Linha Intertrocantérica Trocanter Menor

4 Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Articulação Cápsula Articular Cápsula Articular Linha Intertrocantérica Crista Intertrocantérica Vista Anterior Vista Posterior

5 Fraturas Proximal do Fêmur: Prognóstico: Região do Colo do Fêmur (Intra-articular) Região Transtrocanteriana do Fêmur (Extra-articular)

6 Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Vascularização Fóvea Artéria Retinacular Posterior (Subsinoviais) Artéria Circunflexa Femoral Medial Artéria Circunflexa Femoral Lateral Artéria Femoral Profunda Artéria Circunflexa Femoral Lateral Vista Anterior Vista Posterior

7 Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Inserções Musculares Músculo Glúteo Médio Trocanter Maior Músculo Iliopsoas Trocanter Menor

8 Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Estrutura Óssea Osso Esponjoso Osso Cortical

9 Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Relações Articulares: Intra-articulares: Colo Femoral Extra-articulares: Região Transtrocantérica Vascularização: Cabeça Femoral: Artéria do Ligamento Redondo Artéria Retinacular Posterior: Subsinovial o Ramo da Artéria Circunflexa Femoral Medial» Ramo da Artéria Femoral Profunda Estrutura Óssea: Região Proximal do Fêmur: Osso Esponjoso

10 Fraturas do Colo Femoral: Generalidades: É uma Fratura Intra-articular São freqüentes Pacientes Idosos Mais freqüente nas mulheres Estrutura óssea: Osso Esponjoso São fraturas Osteoporóticas: insuficiência Trauma: baixa energia cinética Queda da própria altura Movimentos bruscos em rotação do quadril Nos jovens: São raras Trauma de Alta Energia Cinética Politraumatizado Lesões associadas: Politrauma

11 Classificação: Anatômica: Basocervicais Mediocervicais Subcapitais Fraturas do Colo Femoral: Classificação de Garden: Fraturas Subcapitais Tipo I: fratura impactada em valgo Tipo II: fratura completa sem desvios dos fragmentos Tipo III: fratura desviada em varo Tipo IV: fratura completamente desviada A Classificação de Garden considera o desvio da fratura, sendo assim, avalia a estabilidade da fratura e o estado da vascularização da cabeça femoral

12 Fraturas do Colo Femoral: Classificação: Garden

13 Fraturas do Colo Femoral: Classificação: Garden Tipo I Tipo II Tipo III Tipo IV

14 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico Clínico: Esta relacionado com a Anatomia: Intra-articular Dor articular Limitação funcional Raramente apresenta hematoma Deformidades em membro inferior menos evidente: Encurtamento do membro inferior Rotação externa do membro inferior Oligossintomáticos Deambulando: a sintomatologia se torna evidente no exame físico Dor em joelho Menores Alterações Sistêmicas

15 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico Clínico:

16 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico Clínico:

17 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico Clínico:

18 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem: Raio X Panorâmica de Bacia: AP AP com Rotação Interna: Melhor visualização do colo femoral Raio X de Quadril: AP AP com Rotação Interna: Melhor visualização do colo femoral RNM do Quadril: Para avaliar as Fraturas Impactadas e Incompletas TC e TC com montagem em 3D Para avaliar fraturas Impactadas e Incompletas

19 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

20 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

21 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

22 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

23 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

24 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

25 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

26 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

27 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

28 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

29 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

30 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

31 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

32 Fraturas do Colo Femoral: Diagnóstico por Imagem:

33 Prognóstico: Fraturas do Colo Femoral: Morbidade: Complicações Locais / Processo de Consolidação: Haverá lesão das Artérias Retinaculares Posteriores Segmentar Tardio da Cabeça Femoral Necrose Avascular da Cabeça Femoral Pseudoartrose Morbidade Alta Mortalidade: Complicações Sistêmicas: A Fratura é Intra-articular O Sangramento fica contido pela cápsula articular Menor perda sanguínea: menor Hipovolemia (hipotensão arterial) Menores distúrbios Tromboembólicos Menor Restrição no leito: Menos Complicações Pulmonares Mortalidade Baixa

34 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral: Conservador: menor indicação pela morbidade alta Fraturas Incompletas Cirúrgico: maior indicação Fixação da Fratura: Fraturas Incompletas Fraturas Impactadas em Valgo Fraturas Sem Desvio Prótese Total ou Parcial do Quadril: Fraturas Desviadas Fraturas Impactadas em Varo Paciente Aguardando o Tratamento Cirúrgico: Luvas d água em calcanhar: prevenir a escara de contato Luvas d água em cabeça da fíbula: prevenir a neuropráxia do Nervo Fibular Popliteu Externo Bota Anti-rotatória Tração Cutânea ou Tração Esquelética

35 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral: Nos pacientes idosos o tratamento cirúrgico com a colocação de prótese de quadril é geralmente o mais indicado pelo risco de complicação local (Morbidade Alta) e os riscos clínicos de um novo procedimento cirúrgico caso evolua com complicação local na fratura Nos pacientes jovens devemos indicar o tratamento cirúrgico com redução e fixação da fratura, mesmo sabendo do risco de complicação local, porque as próteses apresentam um tempo de duração que diminui muito com a vida ativa do jovem e o menor risco clínico de um novo procedimento cirúrgico no jovem

36 Tratamento: Bota Anti-rotatória Fraturas do Colo Femoral:

37 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

38 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

39 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

40 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

41 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

42 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

43 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

44 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

45 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

46 Tratamento: Fraturas do Colo Femoral:

47 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Generalidades: É uma Fratura Extra-articular Na região proximal do fêmur é a fratura mais freqüentes São fraturas freqüentes Pacientes Idosos Mais freqüente em mulheres Trauma: baixa energia cinética Queda da própria altura Movimentos bruscos em rotação do quadril Osso Esponjoso: Fraturas Osteoporóticas (insuficiência) No jovem: Menor freqüência Relacionadas com traumas de alta energia Politraumatizado

48 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Classificação: Tronzo (avalia a estabilidade de Fratura) Tipo I: fratura simples sem desvio Tipo II: fratura simples com desvio Tipo III: fratura com comprometimento do trocanter menor e com a ponta do calcar no interior do canal medular e pode haver fratura do trocanter maior Tipo IV: fratura com comprometimento do trocanter menor e a ponta do calca fora do canal medular e pode haver fratura do trocanter maior Tipo V: fratura simples com o traço de fratura invertido Avaliação da Estabilidade da Fratura: Fraturas Estáveis: Tipo I e II Fraturas Instáveis: Tipos III, IV e V

49 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Classificação: Tronzo (avalia a estabilidade de Fratura) Tipo I Tipo II

50 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Classificação: Tronzo (avalia a estabilidade de Fratura) Tipo III

51 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Classificação: Tronzo (avalia a estabilidade de Fratura) Tipo III Tipo IV

52 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Classificação: Tronzo (avalia a estabilidade de Fratura) Tipo V

53 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico Clínico: Esta Relacionado com a Anatomia: Extra-articular Deformidades Evidentes: ação do Músculo Glúteo Médio Encurtamento do membro inferior Quadro Clínico Clássico das Rotação Externa do membro inferior Fraturas Transtrocanterianas Intensa Dor articular Impotência Funcional articular Restrição ao Leito: Maior Risco de Complicações Pulmonares Sangramento Não contido pela Cápsula Articular: Hematoma Evidente na região trocanteriana Distúrbios Hemodinâmicos: Hipovolemia (hipotensão arterial) Maior risco de Fenômenos Troboembólicos

54 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico Clínico:

55 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico Clínico:

56 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico Clínico:

57 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico Clínico:

58 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem: Raio X Panorâmica de Bacia: Facilmente diagnosticada AP Lowenstein: por motivos clínicos de difícil realização Raio X de Quadril: AP RNM do Quadril: raros casos Para avaliar as Fraturas Impactadas e Incompletas TC e TC com montagem em 3D: raros casos Para avaliar fraturas Impactadas e Incompletas

59 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

60 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

61 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

62 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

63 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

64 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

65 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

66 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

67 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

68 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

69 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

70 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

71 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Diagnóstico por Imagem:

72 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Prognóstico: Morbidade: Complicações Locais / Processo de Consolidação: É uma Região de Osso Esponjoso Ricamente Vascularizada Não há Comprometimento no Processo de Consolidação Pseudoartrose é Muito Rara Não há Risco de Necrose da Cabeça Femoral Morbidade Baixa Mortalidade: Complicações Sistêmicas: Risco de Vida no paciente A Fratura é Extra-articular O Sangramento Não fica contido pela cápsula articular Maior perda sanguínea: Hipovolemia Evidente (hipotensão arterial) Maiores distúrbios Tromboembólicos Maior Restrição no leito: Menos Complicações Pulmonares Maior Risco de Óbito: pacientes Idosos Mortalidade Alta

73 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Tratamento: Conservador: Fraturas Incompletas Cirúrgico: o mais precoce possível Fixação da Fratura: Placa e Parafuso Deslizante de Richard (DHS) Fraturas Estáveis Fraturas Instáveis Paciente Aguardando o Tratamento Cirúrgico: Luvas d água em calcanhar: prevenir a escara de contato Luvas d água em cabeça da fíbula: prevenir a neuropráxia do Nervo Fibular Popliteu Externo Bota Anti-rotatória Tração Cutânea Tração Esquelética

74 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Tratamento:

75 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Tratamento:

76 Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur: Tratamento:

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão André Montillo UVA Lesões Traumáticas do Membro Superior Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão e Braço Fratura da Escápula Fratura da Clavícula Luxação Acrômio-clavicular

Leia mais

Fraturas no Idoso. Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril

Fraturas no Idoso. Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril Fraturas no Idoso Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fraturas

Leia mais

Síndromes Dolorosas do Quadril: Bursite Trocanteriana Meralgia Parestésica

Síndromes Dolorosas do Quadril: Bursite Trocanteriana Meralgia Parestésica André Montillo UVA Anatomia do Quadril Anatomia do Quadril Síndromes Dolorosas do Quadril: Bursite Trocanteriana Meralgia Parestésica Definição: Bursite Trocanteriana É o Processo Inflamatório da Bursa

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA QUESTÃO 21 Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: a) O politrauma é a uma das principais causas

Leia mais

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Prof André Montillo Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Lesões do Joelho: Lesões de Partes Moles: Lesão Meniscal: Medial e Lateral Lesão Ligamentar: o Ligamentos Cruzados: Anterior e Posterior o

Leia mais

Cinesioterapia\UNIME Docente:Kalline Camboim

Cinesioterapia\UNIME Docente:Kalline Camboim Cinesioterapia\UNIME Docente:Kalline Camboim Cabeça do fêmur com o acetábulo Articulação sinovial, esferóide e triaxial. Semelhante a articulação do ombro, porém com menor ADM e mais estável. Cápsula articular

Leia mais

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Anatomia Atlas Axis Anatomia AP Perfil Mecanismo de Trauma Trauma axial em flexão Trauma axial - neutro Fraturas do Côndilo Occipital Os côndilos occipitais são

Leia mais

Processo de Consolidação das Fraturas Consolidação Óssea

Processo de Consolidação das Fraturas Consolidação Óssea André Montillo UVA Processo de Consolidação das Fraturas Consolidação Óssea O Tecido ósseo é o único que no final de sua cicatrização originará tecido ósseo verdadeiro e não fibrose como os demais tecidos

Leia mais

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Prof André Montillo Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Lesões do Joelho: Lesões Ósseas: Fratura Distal do Fêmur Fratura da Patela Fratura Proximal da Tíbia: Platô Tibial Anatomia: Lesões Traumáticas

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

7/4/2011 ABORDAGEM AO PACIENTE TRAUMATIZADO GRAVE: Reconhecer as lesões músculoesqueléticas. Reconhecer a biomecânica do trauma.

7/4/2011 ABORDAGEM AO PACIENTE TRAUMATIZADO GRAVE: Reconhecer as lesões músculoesqueléticas. Reconhecer a biomecânica do trauma. TRAUMATISMOS DOS MEMBROS Atendimento Inicial e Imobilizações ABORDAGEM AO PACIENTE TRAUMATIZADO GRAVE: Manter as prioridades da avalição ABC Não se distrair com lesões músculo-esqueléticas dramáticas que

Leia mais

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Quarta-feira, 25 de agosto Grupo A Quarta-feira, 25 de agosto Grupo B 13:30-13:40 Abertura Moderador: R. Canto Apresentação do Curso e dos instrutores

Leia mais

01 - BRANCA PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/QUADRIL CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 24 de Outubro de 2015

01 - BRANCA PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/QUADRIL CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 24 de Outubro de 2015 PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/QUADRIL CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 24 de Outubro de 2015 NOME: HOSPITAL: ( ) R1 ( ) R2 ( ) R3 ( ) R4 ( ) Não Residentes 1)

Leia mais

FRATURAS DA PATELA. ANATOMIA: É o maior sesamóide do corpo. O centro de ossificação surge com 2-3 anos

FRATURAS DA PATELA. ANATOMIA: É o maior sesamóide do corpo. O centro de ossificação surge com 2-3 anos FRATURAS DE JOELHO FRATURAS DA PATELA ANATOMIA: É o maior sesamóide do corpo O centro de ossificação surge com 2-3 anos Anomalioas da ossificação estão relacionadas a um centro acessório localizado no

Leia mais

DENSIDADE. Aspecto Anatômico

DENSIDADE. Aspecto Anatômico Prof André Montillo O Fator Determinante para Definir uma Imagem DENSIDADE São as Variadas Densidades dos Tecidos Orgânicos que Reproduzem as Diferentes Imagens nos Exames por Imagem Aspecto Anatômico

Leia mais

Propedêutica: Tripé Propedêutico: Ordem de Procedimentos com o Objetivo de Diagnosticar Corretamente e Definir o Tratamento Adequado de uma Patologia.

Propedêutica: Tripé Propedêutico: Ordem de Procedimentos com o Objetivo de Diagnosticar Corretamente e Definir o Tratamento Adequado de uma Patologia. Prof André Montillo Ordem de Procedimentos com o Objetivo de Diagnosticar Corretamente e Definir o Tratamento Adequado de uma Patologia. Tripé Propedêutico: Anamnese Exame Físico Exames Complementares

Leia mais

PONTO-FINAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

PONTO-FINAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA PONTO-FINAL CUO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DERIÇÃO: Cursos presenciais Vale 3,0 pontos para a Revalidação do TEOT PROGRAMAÇÃO: OSTEONECROSE DA CABEÇA BELÉM/ PA 18.05.2007 SEXTA-FEIRA 20:00-20:20

Leia mais

EXAME DO JOELHO P R O F. C A M I L A A R A G Ã O A L M E I D A

EXAME DO JOELHO P R O F. C A M I L A A R A G Ã O A L M E I D A EXAME DO JOELHO P R O F. C A M I L A A R A G Ã O A L M E I D A INTRODUÇÃO Maior articulação do corpo Permite ampla extensão de movimentos Suscetível a lesões traumáticas Esforço Sem proteção por tecido

Leia mais

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc 1 TRM Traumatismo Raqui- Medular Lesão Traumática da raqui(coluna) e medula espinal resultando algum grau de comprometimento temporário ou

Leia mais

TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM)

TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM) Protocolo: Nº 63 Elaborado por: Manoel Emiliano Última revisão: 30/08/2011 Revisores: Samantha Vieira Maria Clara Mayrink TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM) DEFINIÇÃO: O Trauma Raquimedular (TRM) constitui o conjunto

Leia mais

ANATOMIA. ! O labrum é uma estrutura cartilaginosa que tem como função aumentar a concavidade de glenóide, criando maior estabilidade física da artic.

ANATOMIA. ! O labrum é uma estrutura cartilaginosa que tem como função aumentar a concavidade de glenóide, criando maior estabilidade física da artic. LUXAÇÃO GLENOUMERAL ANATOMIA! A artic. é considerada a mais instável do corpo humano,devido ao pequeno contato entre as superfícies: glenóide rasa e pequena e cabeça do úmero 3 x maior! O labrum é uma

Leia mais

Hospital Universitário Cajuru. Pontifícia Universidade Católica Paraná

Hospital Universitário Cajuru. Pontifícia Universidade Católica Paraná Hospital Universitário Cajuru Pontifícia Universidade Católica Paraná Grupo de Cirurgia Quadril Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fraturas Peri Protéticas Conceitos

Leia mais

Fratura da Porção Distal do Úmero

Fratura da Porção Distal do Úmero Fratura da Porção Distal do Úmero Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo O cotovelo é composto de 3 ossos diferentes que podem quebrar-se diversas maneiras diferentes, e constituem

Leia mais

Fraturas e Luxações do Cotovelo em Adultos:

Fraturas e Luxações do Cotovelo em Adultos: Fraturas e Luxações do Cotovelo em Adultos: Fraturas do cotovelo em adultos: l As fraturas correspondem 31.8% dos traumas em cotovelo no adulto; l Freqüência: cabeça do rádio 39,4%; luxação do cotovelo

Leia mais

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM O QUE É OSTEOPOROSE? Em termos simples, é a descalcificação do osso. O osso se enfraquece e fica mais fácil de quebrar. É um

Leia mais

[213] 96. LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS

[213] 96. LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS Parte IV P R O T O C O L O S D E T R A U M A [213] rotina consiste em infundir 20 ml/kg em bolus de solução de Ringer e reavaliar o paciente em seguida. Manter a pressão sistólica entre 90 e 100 mmhg.

Leia mais

Lesoes Osteoarticulares e de Esforco

Lesoes Osteoarticulares e de Esforco Lesoes Osteoarticulares e de Esforco Dr.Roberto Amin Khouri Ortopedia e Traumatologia Ler/Dort Distúrbio osteoarticular relacionado com o trabalho. Conjunto heterogênio de quadros clínicos que acometem:

Leia mais

Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério

Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério grupoquadrilhuc@hotmail.com Conceito É uma doença degenerativa crônica caracterizada

Leia mais

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade 1 O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade há vários anos. Faz parte integral da filosofia de

Leia mais

Alterações ósseas e articulares

Alterações ósseas e articulares Alterações ósseas e articulares Renato Cesar Sacchetto Tôrres Júlio César Cambraia Veado Índice Alterações nutricionais e metabólicas Osteopenia Osteopatia hipertrófica (pulmonar) Hipervitaminose A Osteopatia

Leia mais

MMII: Perna Tornozelo e Pé

MMII: Perna Tornozelo e Pé MMII: Perna Tornozelo e Pé Perna:Estruturas anatômicas Articulações visualizadas Incidências 1- AP Indicação Patologias envolvendo fraturas, corpos estranhos ou lesões ósseas. Perfil Indicação - Localização

Leia mais

Patologias dos membros inferiores

Patologias dos membros inferiores Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias dos membros inferiores Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Doenças do quadril Doenças do joelho Doenças do pé e tornozelo Introdução Doenças

Leia mais

Última revisão: 08/08/2011 TRACIONADOR DE FÊMUR

Última revisão: 08/08/2011 TRACIONADOR DE FÊMUR Protocolo: Nº 72 Elaborado por: Antônio Osmar Wilhma Castro Ubiratam Lopes Manoel Emiliano Luciana Noronha Última revisão: 08/08/2011 Revisores: Manoel Emiliano Ubiratam Lopes Wilhma Alves Luciana Noronha

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica do Joelho Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica do Joelho Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica do Joelho Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação Tibiofemoral: É uma articulação

Leia mais

Ligamento Cruzado Posterior

Ligamento Cruzado Posterior Ligamento Cruzado Posterior Introdução O Ligamento Cruzado Posterior (LCP) é classificado como estabilizador estático do joelho e sua função principal é restringir o deslocamento posterior da tíbia em

Leia mais

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA Prof. Rodrigo Aguiar O sistema músculo-esquelético é formado por ossos, articulações, músculos, tendões, nervos periféricos e partes moles adjacentes. Em grande

Leia mais

SÍNDROMES DOLOROSAS 1 de 5 FATORES PREDISPONENTES QUADRO CLÍNICO EXAMES PARA DIAGNÓSTICO ESTRUTURA COMPROMETIDA PATOLOGIA

SÍNDROMES DOLOROSAS 1 de 5 FATORES PREDISPONENTES QUADRO CLÍNICO EXAMES PARA DIAGNÓSTICO ESTRUTURA COMPROMETIDA PATOLOGIA SÍNDROMES DOLOROSAS 1 de 5 Impacto Tendão do Manguito Rotador Tipos de Acrômio e Artrose Acrômio- Clavicular Dor periarticular e impotência funcional a partir de 30º de abdução, sendo clássico, o arco

Leia mais

r o e la e raumato o.la Princípios e Pratica Sizínio Hebert Renato Xavier ARTes M:DICAS

r o e la e raumato o.la Princípios e Pratica Sizínio Hebert Renato Xavier ARTes M:DICAS r o e la e raumato o.la, Princípios e Pratica Sizínio Hebert Renato Xavier ARTes M:DCAS Capítulo 34 Fraturas e luxações do quadril no adulto Carlos Alberto Souza Macedo FRATURAS DO COLO DO FÊMUR Considerações

Leia mais

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão André Montillo UVA Lesões Traumáticas do Membro Superior Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão Fratura Distal do Úmero Fratura da Cabeça do Rádio Fratura do Olecrâneo

Leia mais

Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para :

Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para : JOELHO JOELHO RM do Joelho Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para : ligamentos, meniscos e tendões músculos, vasos e tecido adiposo osso cortical ( hipointenso

Leia mais

PROTESE TOTAL QUADRIL Dr. Gladyston Introdução ATQ procedimento alívio dor, ganho funcional e melhora qualidade de vida Sucesso depende: Escolha paciente ideal Uso de implantes adequados Habilidade técnica

Leia mais

Fraturas do Anel Pélvico: Bacia Generalidades: Representam 3% das fraturas nas emergências Mais freqüentes nos jovens Politraumatizado: Traumas de

Fraturas do Anel Pélvico: Bacia Generalidades: Representam 3% das fraturas nas emergências Mais freqüentes nos jovens Politraumatizado: Traumas de Prof André Montillo Fraturas do Anel Pélvico: Bacia Generalidades: Representam 3% das fraturas nas emergências Mais freqüentes nos jovens Politraumatizado: Traumas de Alta Energia Fraturas: Instabilidade:

Leia mais

Hospital Universitário Cajuru Pontifícia Universidade Católica Paraná

Hospital Universitário Cajuru Pontifícia Universidade Católica Paraná Hospital Universitário Cajuru Pontifícia Universidade Católica Paraná Métodos de Fixação para Fraturas Instáveis da Pelve Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fratura

Leia mais

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE)

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) DESCRIÇÃO: Aulas interativas ao vivo pela internet. Participe ao vivo, respondendo as enquetes e enviando suas perguntas. Vale pontos para a Revalidação

Leia mais

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular Provas de função muscular MMII Graduação de força muscular Grau 0:Consiste me palpar o músculo avaliado e encontrar como resposta ausência de contração muscular. Grau 1:Ao palpar o músculo a ser avaliado

Leia mais

Artrodese do cotovelo

Artrodese do cotovelo Artrodese do cotovelo Introdução A Artrite do cotovelo pode ter diversas causas e existem diversas maneiras de tratar a dor. Esses tratamentos podem ter sucesso pelo menos durante um tempo. Mas eventualmente,

Leia mais

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001 26/09/2011 12:52:37 Página: 1 COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC: Central Nacional de Estabelecimento: 2273276 MS INTO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA

Leia mais

LESOES MENISCAIS Ricardo Yabumoto Curitiba, 09 de Abril de 2007 Introdução Forma aproximada de C Integram o complexo biomecânico do joelho Servem de extensões da tíbia para aprofundar as superfícies articulares,

Leia mais

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001 23/05/2012 10:23:44 Gestor: - Secretaria Estadual da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul Página: 1 PASSO FUNDO COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC:

Leia mais

PRÓTESE NÃO CONVENCIONAL

PRÓTESE NÃO CONVENCIONAL PRÓTESE NÃO CONVENCIONAL PARA RECONSTRUÇÃO DE MEMBROS INFERIORES FEMUR PROXIMAL/FEMUR PROXIMAL EXPANSIVA Técnica Cirúrgica - 30.30 Prótese Não Convencional para Reconstrução de Membros Inferiores Femur

Leia mais

ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE

ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE Sínfise púbica Classificação: sínfise Movimentos permitidos: mobilidade bidimensional e rotação de uns poucos milímetros em conjunto com a deformação da pelve quando na sustentação

Leia mais

EXAME DO QUADRIL E DA PELVE

EXAME DO QUADRIL E DA PELVE EXAME DO QUADRIL E DA PELVE Jefferson Soares Leal O quadril é composto pela articulação coxofemural e a pelve pelas articulações sacroilíacas e pela sínfise púbica. O exame do quadril e da pelve devem

Leia mais

Curso de Fisioterapia

Curso de Fisioterapia Curso de Fisioterapia PHILIPE TAVARES INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS CIRURGICO DA FRATURA DIAFISÁRIA DE FÊMUR COM A UTILIZAÇÃO DE HASTE INTRAMEDULAR Rio de Janeiro 2009 2 PHILIPE TAVARES INTERVENÇÃO

Leia mais

Sandro Reginaldo Presidente da SBOT-GO

Sandro Reginaldo Presidente da SBOT-GO ORTOPÉDICA PARA O JORNALISTA ESPORTIVO AGRADECIMENTOS Secretaria Municipal de Esporte e Lazer Agradecemos o apoio imprescindível do presidente da Associação Brasileira de Traumatologia Desportiva e médico

Leia mais

Residência em Ortopedia e Traumatologia

Residência em Ortopedia e Traumatologia Residência em Ortopedia e Traumatologia FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG NOVO COLEGA DR. ARTUR CRUZ 05 MAIO - 2008 CURSO AO RIO GRANDE 27º NÚMERO UNIDADE DO TRAUMA TELEFONES DA URGENCIA

Leia mais

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP)

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) INTRODUÇÃO O ligamento cruzado posterior (LCP) é um dos ligamentos menos lesados do joelho. A compreensão dessa lesão e o desenvolvimento de novos tratamentos

Leia mais

JOELHO. Introdução. Carla Cristina Douglas Pereira Edna Moreira Eduarda Biondi Josiara Leticia Juliana Motta Marcella Pelógia Thiago Alvarenga

JOELHO. Introdução. Carla Cristina Douglas Pereira Edna Moreira Eduarda Biondi Josiara Leticia Juliana Motta Marcella Pelógia Thiago Alvarenga JOELHO Carla Cristina Douglas Pereira Edna Moreira Eduarda Biondi Josiara Leticia Juliana Motta Marcella Pelógia Thiago Alvarenga Introdução Articulação muito frágil do ponto de vista mecânico e está propensa

Leia mais

Manual de cuidados pré e pós-operatórios

Manual de cuidados pré e pós-operatórios 1. Anatomia O quadril é uma articulação semelhante a uma bola no pegador de sorvete, onde a cabeça femoral (esférica) é o sorvete e o acetábulo (em forma de taça) é o pegador. Esse tipo de configuração

Leia mais

Introdução. O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e. humano.

Introdução. O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e. humano. Introdução O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e constituem necessidades básicas do ser humano. Movimentação do paciente Para que o paciente se sinta confortável

Leia mais

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função.

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função. Lesões Meniscais Introdução O menisco é uma das estruturas mais lesionadas no joelho. A lesão pode ocorrer em qualquer faixa etária. Em pessoas mais jovens, o menisco é bastante resistente e elástico,

Leia mais

BANDAGEM FUNCIONAL. Prof. Thiago Y. Fukuda

BANDAGEM FUNCIONAL. Prof. Thiago Y. Fukuda BANDAGEM FUNCIONAL Prof. Thiago Y. Fukuda INTRODUÇÃO (BANDAGEM) Refere-se à aplicação de algum tipo de fita protetora que adere à pele de determinada articulação. A bandagem quando aplicada corretamente,

Leia mais

Dismetrias dos membros inferiores

Dismetrias dos membros inferiores Dismetrias dos membros inferiores Abordagem terapêutica Serviço de Ortopedia Miguel Pádua Figueiredo Ricardo Pinto da Rocha Pedro Beckert Noto que o meu filho tem uma perna mais curta... Abordagem Medição

Leia mais

COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO

COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO) Roberto Sergio Martins A síndrome do túnel do carpo (STC) é a neuropatia de origem compressiva mais frequente, incidindo em cerca de 1%

Leia mais

Úlceras de pressão. Profº. Jorge Bins-Ely - MD - PhD

Úlceras de pressão. Profº. Jorge Bins-Ely - MD - PhD UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO SERVIÇO DE CIRURGIA PLÁSTICA HU/UFSC DISCIPLINA DE TÉCNICA OPERATÓRIA E CIRURGIA EXPERIMENTAL - TOCE Úlceras de pressão Profº. Jorge Bins-Ely

Leia mais

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão André Montillo UVA Lesões Traumáticas do Membro Superior Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão Lesões do Ombro e Braço Fratura da Escápula Fratura da Clavícula Luxação

Leia mais

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral INTRODUÇÃO Oque é Luxação Gleno Umeral? Luxação é o termo empregado quando há perda de contato entre os ossos que compõem uma articulação. No caso do ombro a articulação

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PROVA PRÁTICA DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2009 CIRURGIA DE MÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PROVA PRÁTICA DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2009 CIRURGIA DE MÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PROVA PRÁTICA DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2009 CIRURGIA DE MÃO ESPECIALIDADES COM PRÉ-REQUISITO DE 2 ANOS DE ORTOPEDIA OU CIRURGIA PLÁSTICA 1 QUESTÃO 1 - Na figura abaixo:

Leia mais

Crescimento guiado para correção de joelhos unidos e pernas arqueadas em crianças

Crescimento guiado para correção de joelhos unidos e pernas arqueadas em crianças INFORMAÇÃO AO PACIENTE Crescimento guiado para correção de joelhos unidos e pernas arqueadas em crianças O sistema de crescimento guiado eight-plate quad-plate INTRODUÇÃO As crianças necessitam de orientação

Leia mais

LESÕES DO LIGAMENTO CRUZADO POSTERIOR. www.cesarmar)ns.com.br

LESÕES DO LIGAMENTO CRUZADO POSTERIOR. www.cesarmar)ns.com.br LESÕES DO LIGAMENTO CRUZADO POSTERIOR www.cesarmar)ns.com.br INCIDÊNCIA - 5-10% (Harner, 1997) - Freq. não diagnosticada ( Shelbourne, 1997) - + de 90% são associadas a outros lig. - Lesões LCM afastar

Leia mais

Luxação Congênita do Quadril (Displasia Acetabular) Doença de Legg-Perthes-Calvet Epifisiólise. Prof André Montillo UVA

Luxação Congênita do Quadril (Displasia Acetabular) Doença de Legg-Perthes-Calvet Epifisiólise. Prof André Montillo UVA Luxação Congênita do Quadril (Displasia Acetabular) Doença de Legg-Perthes-Calvet Epifisiólise Prof André Montillo UVA Patologia Evolução Fisiológica A Partir dos 4 anos de idade haverá uma Obstrução da

Leia mais

Entorse do. 4 AtualizaDOR

Entorse do. 4 AtualizaDOR Entorse do Tornozelo Tão comum na prática esportiva, a entorse pode apresentar opções terapêuticas simples. Veja como são feitos o diagnóstico e o tratamento desse tipo de lesão 4 AtualizaDOR Ana Paula

Leia mais

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR Anatomia O ligamento cruzado anterior (LCA) é um dos ligamentos mais importantes para a estabilidade do joelho. Considerado um ligamento intra-articular, sua função

Leia mais

CONSTITUIÇÃO ANATÔMICA DO JOELHO E SUAS PRINCIPAIS LESÕES

CONSTITUIÇÃO ANATÔMICA DO JOELHO E SUAS PRINCIPAIS LESÕES CONSTITUIÇÃO ANATÔMICA DO JOELHO E SUAS PRINCIPAIS LESÕES DEISE SANTOS 1 MARCIA JOSIANE CARDOSO 2 VALTER ANTUNES NEUMANN 3 LUCIANO LEAL LOUREIRO 4 RESUMO O joelho é uma das articulações mais importantes

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM LOMBALGIA EPIDEMIOLOGIA 65-80% da população, em alguma fase da vida, terá dor nas costas. 30-50% das queixas reumáticas

Leia mais

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Quadril Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O quadril, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a bacia. As pessoas leigas

Leia mais

(07001456) CONSULTA EM CIRURGIA ORTOPEDICA

(07001456) CONSULTA EM CIRURGIA ORTOPEDICA COMUNICADO CIRCULAR Nº 003/11-CR Manaus, 24 de março de 2011. DA: COORDENAÇÃO ESTADUAL DE REGULAÇÃO PARA: DIRETORES ESTABELECIMENTOS SOLICITANTES Prezados Diretores, Considerando a otimização dos serviços

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Zimmer (Argentina) Revisão Modular de Quadril O primeiro objetivo de uma revisão de quadril é estabelecer uma fixação, dessa maneira se alivia

Leia mais

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP INTRODUÇÃO Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP Desde que os cirurgiões ortopédicos começaram a utilizar câmeras de vídeo, chamadas artroscópios, para visualizar, diagnosticar e tratar problemas dentro da

Leia mais

Fraturas e Luxações Prof Fabio Azevedo Definição Fratura é a ruptura total ou parcial da estrutura óssea 1 Fraturas Raramente representam causa de morte, quando isoladas. Porém quando combinadas a outras

Leia mais

Luxação da Articulação Acrômio Clavicular

Luxação da Articulação Acrômio Clavicular Luxação da Articulação Acrômio Clavicular INTRODUÇÃO As Luxações do ombro são bem conhecidas especialmente durante a prática de alguns esportes. A maior incidencia de luxção do ombro são na verdade luxação

Leia mais

O Grupo de Cirurgia do Joelho tem como objetivo principal ajudar e tratar os pacientes com patologias do joelho a restabelecer a sua função com foco

O Grupo de Cirurgia do Joelho tem como objetivo principal ajudar e tratar os pacientes com patologias do joelho a restabelecer a sua função com foco 1 O Grupo de Cirurgia do Joelho tem como objetivo principal ajudar e tratar os pacientes com patologias do joelho a restabelecer a sua função com foco na sua qualidade de vida. O grupo é composto por uma

Leia mais

Sessão Cardiovascular

Sessão Cardiovascular Sessão Cardiovascular Dr Carlos Jader Feldman Priscila Schenkel R3 26/10/2012 Sexo feminino, 46 anos Hemiplegia à esquerda Dissecção arterial 3 camadas: -intima, média, adventícia Dissecção = ruptura na

Leia mais

EXAME DO JOELHO. Inspeção

EXAME DO JOELHO. Inspeção EXAME DO JOELHO Jefferson Soares Leal O joelho é a maior articulação do corpo e está localizado entre os dois maiores ossos do aparelho locomotor, o fêmur e a tíbia. É uma articulação vulnerável a lesões

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS E SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DISCIPLINA: FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA LOCOMOTOR

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS E SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DISCIPLINA: FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA LOCOMOTOR UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS E SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DISCIPLINA: FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA LOCOMOTOR APOSTILA DE FISIOPATOLOGIA DO SISTEMA LOCOMOTOR I Prof.

Leia mais

Princípios do tratamento das fraturas

Princípios do tratamento das fraturas Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Princípios do tratamento das fraturas Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Tratamento conservador - indicações - imobilizações - redução incruenta

Leia mais

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS Técnica Cirúrgica 8.30 - ALPHA - Cemented Femoral Prosthesis Prótese Femoral Cimentada ALPHA Colaboradores Dr. Flávio Turíbio Dr. Milton Roos Material INOX ASTM F.138

Leia mais

1. Fraturas Perda de continuidade do osso. Podem ser discretas ou grosseiras.

1. Fraturas Perda de continuidade do osso. Podem ser discretas ou grosseiras. Conceitos básicos O osso longo é dividido em: A) Epífise Segmento articular do osso. Parte do osso que fica dentro da articulação. Conta com a cartilagem articular. B) Metáfise Segmento osso que une a

Leia mais

Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento

Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento MARINA VERAS Reumatologia REUMATISMOS DE PARTES MOLES INTRODUÇÃO Também denominado de reumatismos extra-articulares Termo utilizado para definir um

Leia mais

Patologia Cirúrgica da Anca

Patologia Cirúrgica da Anca Patologia Cirúrgica da Anca Conceitos gerais Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Serviço de Ortopedia do CHUC Texto de apoio para os alunos do 5º ano do Mestrado Integrado de Medicina, Ano

Leia mais

UNIDADE DO TRAUMA ORTOPÉDICO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

UNIDADE DO TRAUMA ORTOPÉDICO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Hospital Universitário Miguel Riet Corrêa - Rua Visconde de Paranaguá, 102 Rio Grande, RS CEP 96200/190 Telefone: (53)3233

Leia mais

Anatomia da Medula Vertebral

Anatomia da Medula Vertebral Anatomia da Medula Vertebral Anatomia da Vértebra Disco Intervertebral Anatomia da Coluna Vertebral Características Gerais: Corpo Vertebral Foramens Vertebrais: Forame Medular: Medula Vertebral Forames

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia

Ortopedia e Traumatologia Ortopedia e Traumatologia Fixação Interna Orthofix A Orthofix é uma companhia reconhecida mundialmente no desenvolvimento de soluções para fixação externa e interna na área de Traumatologia e Ortopedia.

Leia mais

Dr. Josemir Dutra Junior Fisioterapeuta Acupunturista Acupunturista Osteopata Especialista em Anatomia e Morfologia. Joelho

Dr. Josemir Dutra Junior Fisioterapeuta Acupunturista Acupunturista Osteopata Especialista em Anatomia e Morfologia. Joelho Dr. Josemir Dutra Junior Fisioterapeuta Acupunturista Acupunturista Osteopata Especialista em Anatomia e Morfologia Joelho O joelho é a articulação intermédia do membro inferior, é formado por três ossos:

Leia mais

DISCIPLINA DE EMERGÊNCIAS EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA 6º ANO

DISCIPLINA DE EMERGÊNCIAS EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA 6º ANO DISCIPLINA DE EMERGÊNCIAS EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA 6º ANO - 2012 - Período: 04/06/2012 a 24/06/2012 Coordenador: Prof. Dr. Carga Horária: 3 semanas 120 horas Grupo: 2C OBJETIVOS Os alunos do último

Leia mais

Urgências Ortopédicas em Clínica Pediátrica. Dr. Celso Rizzi Ortopedista Pediátrico do INTO

Urgências Ortopédicas em Clínica Pediátrica. Dr. Celso Rizzi Ortopedista Pediátrico do INTO Urgências Ortopédicas em Clínica Pediátrica Dr. Celso Rizzi Ortopedista Pediátrico do INTO Placa de Crescimento Epífise Metáfise Diáfise Metáfise Placa de Crescimento Epífise Osso Imaturo na Criança Fraturas

Leia mais

Doença de Paget. Definição:

Doença de Paget. Definição: Definição: É uma doença sistêmica de origem desconhecida que determina alteração no Processo de Remodelação Óssea. Apresenta um forte componente genético. Se caracteriza por um aumento focal no remodelamento

Leia mais

COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR

COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR Maria de Fátima Leandro Marques¹; Suely Aragão Azevêdo Viana² ¹ Bióloga do Centro de Assistência Toxicológico do Hospital

Leia mais

DOR NA PERNA EM ATLETAS. Ricardo Yabumoto

DOR NA PERNA EM ATLETAS. Ricardo Yabumoto DOR NA PERNA EM ATLETAS Ricardo Yabumoto São raros os relatos de prevalência das fraturas de estresse por esporte específico ( 10% de todas as lesões esportivas) 4,7% a 15,6% das lesões entre corredores.

Leia mais

Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz

Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz Afecções Ósseas Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz Definição estados patológicos que se manifestam sobre o esqueleto apendicular e axial

Leia mais

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Joelho Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O joelho, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a tíbia (osso da perna). Também

Leia mais