Tradução Angelo Giusepe Meira da Costa (angico)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tradução Angelo Giusepe Meira da Costa (angico)"

Transcrição

1 Tradução Angelo Giusepe Meira da Costa (angico)

2 Do original: Entity Framework 4 In Action Copyright 2012 Editora Ciência Moderna Editor: Paulo André P. Marques Produtora Editorial: Laura Santos Souza Diagramação: Carlos Arthur Candal Tradução: Angelo Giuseppe Meira Costa (angico) Capa: Daniel Jara (Baseada na Original) Assistente Editorial: Amanda Lima da Costa Várias Marcas Registradas aparecem no decorrer deste livro. Mais do que simplesmente listar esses nomes e informar quem possui seus direitos de exploração, ou ainda imprimir os logotipos das mesmas, o editor declara estar utilizando tais nomes apenas para fins editoriais, em benefício exclusivo do dono da Marca Registrada, sem intenção de infringir as regras de sua utilização. Qualquer semelhança em nomes próprios e acontecimentos será mera coincidência. FICHA CATALOGRÁFICA MOSTARDA, Stefano. SANCTIS, Marco de. BOCHICCHIO, Daniele. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., Informática; 2. Linguagem de programação. 3. Processamento de dados I Título ISBN: CDD

3 Apresentação Eu passei muito tempo, aqui, na Microsoft, pensando em complexidade e me fazendo muitas perguntas. Eu aposto que você faz o mesmo. Quando projetamos código, nós nos fazemos perguntas como estas: Posso tornar esse código mais legível? Posso escrever este laço com menos linhas? Posso transferir o comportamento para uma classe separada? Posso arquitetar Quando projetamos interfaces de usuário, nós fazemos perguntas similares: Será que estamos pedindo ao usuário para tomar decisões demais? Arranjamos esta UI da maneira mais clara possível? Podemos tornar os estados de erro mais claros e mais fáceis de evitar? Quando projetamos sistemas, nós fazemos outras perguntas: Quantos conceitos o usuário deve aprender? Esses conceitos são mapeados para coisas que o usuário conhece e se preocupa? Será que tudo se junta de uma forma clara, sensata e consistente? Eu penso muito nessas coisas. Mas, primeiro, eu gostaria de responder a outra pergunta que muitas vezes eu me faço: quão complicada é, exatamente, a Estrutura de Entidades? A resposta é que isso depende do que você quer fazer com ela. Para ver o quanto a Estrutura de Entidades é simples, vamos gastar cinco minutos fazendo-a passar por uma simples série de etapas. Você precisará do Visual Studio 2010 (as edições Express funcionarão) e do SQL Server (novamente, as edições Express funcionarão bem). No SQL Server, crie uma base de dados chamada EntityFrameworkIsSimple. 1. Inicie o Visual Studio 2010; 2. No menu View, selecione Server Explorer; 3. No Server Explorer, adicione uma nova conexão a sua base de dados EntityFrameworkIsSimple; 4. Crie um novo projeto Console Application, e nomeie-o EntityFrameworkIsSimple; 5. Clique com o botão direito no projeto e selecione Add > New Item. No diálogo Add New Item, selecione ADO.NET Entity Data Model; 6. Clique em Add; 7. No Assistente Entity Data Model que é apresentado, selecione Empty

4 IV - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação Model e clique em Finish; 8. O designer de entidades aparecerá. Clique com o botão direito nele e selecione Add > Entity; 9. No diálogo Add Entity, ajuste o nome da entidade para Person. Isto criará automaticamente o conjunto de entidades People (o conjunto é o nome da coleção à qual você adicionará novas instâncias da classe Person); 10. Clique em OK; 11. Uma nova entidade aparecerá. Clique com o botão direito na barra Properties, dentro dela, e selecione Add > Scalar Property (ou simplesmente clique na tecla Insert); 12. Renomeie a nova propriedade para FirstName; 13. Faça isso de novo, criando uma nova propriedade chamada LastName; 14. Adicione uma outra entidade e chame-a Book; 15. Para esta nova entidade, adicione uma propriedade chamada Title; 16. Clique com o botão direito no texto Person, na entidade Person, e selecione Add > Association; 17. No diálogo Add Association, altere Multiplicity, no lado Person para * (Many), e altere o valor de Navigation Property, à direita, de Person para Authors; 18. Clique em OK; 19. Neste ponto, seu modelo deverá se parecer com este: 20. Agora, clique com o botão direito numa área vazia do designer e selecione Generate Database from Model; 21. No Assistente Generate Database que aparecerá, forneça uma conexão para sua base de dados. Como nós adicionamos uma conexão para a base de dados no início deste passo a passo, ele deverá aparecer na lista drop-down de conexões disponíveis; 22. Clique em Next; 23. A DDL para uma base de dados para guardar seu modelo será mostrada. Clique em Finish;

5 Apresentação - V 24. No editor de T-SQL que aparecerá, clique com botão direito e selecione Execute SQL. Forneça as informações de sua base de dados local, quando solicitado a se conectar. É isso aí! Temos um modelo. Temos código. Temos uma base de dados. tém para você. Vamos levar este modelo para um test drive. Vamos nomear o modelo: 1. No designer, clique com o botão direito numa área vazia da tela e selecione Properties; 2. Na janela Properties, localize a propriedade chamada Entity Container Name e altere seu valor para SimpleModel; 3. Em Program.cs, digite o seguinte código no corpo da função Main: // Cria e escreve nossos dados de amostra using (var context = new SimpleModel()) { var person1 = new Person() { First- Name = Stefano, LastName= Mostarda }; var person2 = new Person() { First- Name = Marco, LastName= De Sanctis }; var person3 = new Person() { First- Name = Daniele, LastName= Bochicchio }; var book = new Book() { Title = Microsoft Entity Framework In Action }; book.authors.add(person1); book.authors.add(person2); book.authors.add(person3); context.people.addobject(person1); context.people.addobject(person2); context.people.addobject(person3); context.books.addobject(book); context.savechanges(); } // Consulta nossos dados de amostra using (var context = new SimpleModel()) { var book = context.books.include( Authors ).First(); Console.Out.WriteLine( The authors {0} are:, book.title);

6 VI - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação foreach(person author in book.authors) { Console.Out.WriteLine( - {0} {1}, author.firstname, author.lastname); } } Console.Read(); 4. Compile e rode este código. Você deverá ver a seguinte saída: Como você pode ver, nós criamos um sistema que emite consultas e atualiza três tabelas diferentes. E nem uma única sentença join à vista! Claro que, no mundo real, temos muitas outras preocupações: Como ligamos esses tipos a elementos de UI? Como os enviamos e atualizamos através de camadas de aplicativos distribuídos? Como tratamos concorrência, consultas dinâmicas, e procedimentos armazenados? Embora a Estrutura de Entidades possa ser simples, para começar, o mundo real não é simples, e a Estrutura de Entidades tem uma série de funcionalidades para lidar com situações do mundo real. Incluir um exemplo como este pode não ser padrão para prefácio de um Entidades, e também para mostrar onde este livro entra. Entity Framework 4 A Estrutura de Entidades - em Ação levará você do tratamento de transações ao entendimento de como lidar com problemas de desempenho e usar ESQL para escrever consultas dinâmicas. E ele responderá todas as suas perguntas, ao longo do caminho mesmo as que você não sabia que tinha! Espero ver o que você fará com a Estrutura de Entidades e ouvir o que você quer que a gente faça em seguida. Os autores estão tão empolgados quanto eu para mostrar o que está por vir, no futuro! Noam Ben-Ami Gerente de Programas Equipe da Estrutura de Entidades, Microsoft

7 Prefácio Conseguimos! Escrevemos um livro sobre a Estrutura de Entidades! Não é nosso primeiro livro, mas é o primeiro escrito em inglês e distribuído o conhecimento da Estrutura de Entidades fez valer o esforço. A Estrutura de Entidades é uma excelente ferramenta que acelera o desenvolvimento de produtivo ao mesmo tempo que escrevesse menos e melhor código? A Estrutura de Entidades é uma ótima ferramenta de O/RM que está também é mantida e melhorada a cada nova liberação da Estrutura.NET. O resultado é que ela é uma excelente plataforma, hoje, e que amanhã será um destaque que provavelmente reinará sobre todas as outras plataformas de O/ RM. Quando começamos a planejar este livro, tínhamos uma clara ideia em mente: não queríamos criar um livro de referência; queríamos criar um prático. Queríamos que você lesse a respeito de problemas do mundo real e aprendesse soluções do mundo real. É por isso que desenvolvemos um exemplo e o melhoramos ao longo de todo o livro, evitando armadilhas comuns e resolvendo problemas que você enfrentaria no trabalho. Este é um livro que nós sentimos que faltava entre os que estão disponíveis. Você não encontrará uma descrição detalhada de todas as classes e propriedades aqui, mas aprenderá a melhor maneira de usá-las e a combinar funcionalidades para tirar o máximo proveito da Estrutura de Entidades. Demorou muito a escrita deste livro, mas, agora que ele está em suas mãos, podemos parar de desperdiçar noites intermináveis na frente de nossos moni- sua vez. Aproveite a leitura, arregace as mangas, e divirta-se.

8 Agradecimentos Não podemos contar todas as pessoas que contribuíram para este livro, roso obrigado. Embora não possamos nomear todos, aqui, nós gostaríamos de fazer um agradecimento especial às seguintes pessoas que foram particularmente úteis: Sebastian Stirling, nosso editor de desenvolvimento, na Manning Sebastian trabalhou conosco desde o princípio, e magistralmente transformou um punhado de palavras e imagens num livro atraente. Muito obrigado. Elisa Flasko, Gerente de Programas da equipe da Estrutura de Entidades, na Microsoft Elisa forneceu informações valiosas e direcionava nossas questões para a pessoa certa, quando não tinha as respostas. Sem ela, este livro não seria tão profundo. Muito obrigado. Noam Ben-Ami, Gerente de Programas da equipe da Estrutura de Entidades, na Microsoft Noam nos apontou para as soluções corretas de muitos problemas, e foi especialmente útil quando estivemos escrevendo o capítulo 13. Ele também escreveu a apresentação de nosso livro. Muito obrigado. Alessandro Gallo, ASP Insider, consultor e autor principal do ASP.NET Ajax in Action, da Manning Alessandro não contribuiu para o conteúdo deste livro, mas foi a fagulha que deu partida a tudo. Muito obrigado. Muitas pessoas, na Manning, trabalharam duro para tornar este livro possível. Antes de mais nada, um especial obrigado a Michael Stephens e Marjan Bace por acreditarem em nós. Outros que contribuíram foram Karen Tegtmeyer, Mary Piergies, Maureen Spencer, Andy Carroll, Dottie Marsico, Tiffany Taylor, Susan Harkins, Janet Vail e Cynthia Kane. Nossos revisores merecem menção especial suas sugestões foram valiosas. Agradecemos a Jonas Bandi, David Barkol, Timothy Binkley-Jones, Margriet Bruggeman, Nikander Bruggeman, Gustavo Cavalcanti, Dave Corun, Freedom Dumlao, Rob Eisenberg, Marc Gravell, Berndt Hamboeck, Jason Jung, Lester Lobo, Darren Neimke, Braj Panda, Christian Siegers, Andrew Seimer, Alex Thissen, Dennis van der Stelt e Frank Wang. Gostaríamos de agradecer, também, a Deepak Vohra, nosso revisor técnico, pelo excelente fé em nosso livro. Esperamos que ele ajude em seu trabalho diário, e que ele

9 X - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação encoraje você a se apaixonar pelo mundo dos O/RMs. Além das pessoas que já mencionamos, há outras que são importantes em nossas vidas. Mesmo que elas não tenham contribuído para o livro, contribuíram para nos manter na linha, durante o processo de escrita. Nós as reconhecemos abaixo. STEFANO MOSTARDA Gostaria de agradecer a minha mulher, Sara, pelo seu apoio e paciência, - Gabriele, Gianni e Riccardo. É claro que eu não posso deixar de mencionar o Filippo, que já comprou uma cópia do livro. E um muito obrigado a William e Annalisa pela sua amizade e valioso apoio. MARCO DE SANCTIS Meu muito obrigado a Stefano e Daniele. Foi um privilégio trabalhar com gente tão inteligente e divertida. E obrigado a toda a equipe da ASPItalia. Sinto-me orgulhoso de ser parte dela. Um agradecimento especial a minha família, e a Barbara, pelo seu apoio DANIELE BOCHICCHIO Gostaria de agradecer à minha mulher, Noemi, pelo seu apoio e paciên- a meus pais, por me permitirem brincar com computadores quando eu era criança, e à minha família por me apoiar. Um obrigado especial a Stefano pela oportunidade de ajudar neste livro. E obrigado a ambos, Stefano e Marco, por compartilharem sua paixão pela

10 Sobre este Livro A Estrutura de Entidades é a ferramenta recomendada pela Microsoft para leitura e persistência de dados numa base de dados relacionais. Com este Este livro levará você do nível de aprendiz ao de mestre na tecnologia da Estrutura de Entidades. Você pode pensar nele como um passeio guiado pelas funcionalidades e melhores práticas da Estrutura de Entidades. Quando tiver terminado de ler o Entity Framework 4 Estrutura de Entidades- em Ação, vos que se baseiam na Estrutura de Entidades para persistir dados funcionais. Quem deve ler este livro? Este livro foi escrito para todos os desenvolvedores da Estrutura de Entidades, não importando se você desenvolve pequenos aplicativos domésticos, ou os maiores sistemas empresariais. Tudo, desde aplicativos de bibliotecas domésticas de DVDs até soluções de e-commerce que interagem com muitos ciar da Estrutura de Entidades, e este livro mostrará como. Roteiro Este livro guiará você pela criação de um aplicativo a partir do zero, e mostrará como manter-se melhorando-o com várias funcionalidades da Estrutura de Entidades. Esta jornada pela Estrutura de Entidades cobrirá todas as funcionalidades da Estrutura, ao longo do curso de dezenove capítulos, agrupados em quatro partes. Na parte 1, nós apresentamos os fundamentos do padrão O/RM e mostraremos os fundamentos da Estrutura de Entidades, à medida que criamos as bases para um aplicativo. O capítulo 1 fornece uma visão geral de alto nível do padrão O/RM e dos

11 XII - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação por que as ferramentas de O/RM são tão úteis e como a Estrutura de Entidades realiza suas funções. O capítulo 2 mostra como você pode criar um aplicativo a partir do zero, e como persistir objetos na base de dados. Primeiro, você aprenderá duas maneiras de projetar um aplicativo usando a Estrutura de Entidades. Depois, quando o aplicativo estiver criado, você aprenderá a ler, manipular e persistir da adoção da Estrutura de Entidades. Na parte 2 do livro, nós discutimos os principais blocos de construção da Estrutura de Entidades em detalhes: mapeamento, consulta e persistência. O capítulo 3 aborda os conceitos básicos de consulta. Aqui você aprenderá sobre o principal componente que habilita a Estrutura de Entidades a trabalhar com objetos. Você também descobrirá como a Estrutura de Entidades permite que você escreva consultas contra o modelo que atingirão com sucesso a base de dados. O capítulo 4 foca a consulta com o LINQ para Entidades. Neste capítulo, - será capaz de realizar qualquer tipo de consulta. O capítulo 5 discute o mapeamento entre entidades do modelo e da base de dados. Aqui você aprenderá a fazer isso visualmente com o designer, mas mapeamento da Estrutura de Entidades. O capítulo 6 explora o ciclo de vida das entidades. Você aprenderá como a Estrutura de Entidades trata as entidades, em que estado uma entidade pode seus objetos para persistência na base de dados. O capítulo 7 discute a persistência de objetos na base de dados. No capítulo 6 você aprendeu a preparar entidades para persistência; aqui, você aprenderá realmente a salvá-las. Este assunto tem muitas complexidades e armadilhas, especialmente onde entidades relacionadas estão envolvidas. Este capítulo foca nesses problemas potenciais, de modo que você possa entendê- entidade da maneira que precisar. O capítulo 8 aborda as funcionalidades de concorrência e transação da Estrutura de Entidades. Na primeira parte do capítulo, você será apresentado ao conceito de concorrência e aos problemas que ele resolve quando dados

12 Sobre este Livro - XIII são salvos na base de dados. Depois, você aprenderá como a Estrutura de aprenderá como a Estrutura de Entidades gerencia transações para persistir múltiplas entidades, e como você pode estender o tempo de vida de uma transação para executar comandos personalizados. A parte 3 do livro mostrará como tirar proveito das funcionalidades mais avançadas da Estrutura de Entidades. O capítulo 9 apresenta o SQL de Entidades. O SQL de Entidades é outra linguagem de consultas da Estrutura de Entidades, e ainda é a mais poderoso (embora menos atraente que o LINQ para Entidades). Neste capítulo, tomaremos os exemplos do LINQ para Entidades do capítulo 4 e os reescreveremos no SQL de Entidades. Você poderá vê-los lado a capítulo, você terá um conhecimento completo de todas as técnicas de consulta que a Estrutura de Entidades oferece. O capítulo 10 abrange os procedimentos armazenados. Aqui você vai aprender como fazer com que a Estrutura de Entidades chame procedimentos armazenados para consultar e atualizar entidades, em vez de fazê-la gerar SQL junto de procedimentos armazenados e fazer com que a Estrutura de Entidades O capítulo 11 discute vistas e funções embutidas em mapeamento. Você verá como criar vistas internas que podem ser facilmente consultadas, e como criar funções que podem ser reutilizadas quando consultando com o LINQ de escrever consultas que são fáceis de manter e reutilizar. O capítulo 12 discute como recuperar informações de mapeamento. O capítulo 5 explica como mapear suas classes de modelo para tabelas e vistas da base de dados; neste capítulo, você aprenderá a recuperar esta informação de mapeamento. Você também verá alguns exemplos do mundo real que demonstrarão por que esta técnica é valiosa. Depois de terminar este capítulo, você será capaz de escrever código genérico poderoso que pega dados de arquivos de mapeamento. O capítulo 13 cobre a geração de código. Aqui, você descobrirá como a Estrutura de Entidades é integrada ao Visual Studio, e como essa integração permite que você crie código e até mesmo gere scripts de base de dados a partir de informações de mapeamento. Você também descobrirá como personalizar o designer da Estrutura de Entidades dentro do Visual Studio. Depois de terminar este capítulo, você será capaz de personalizar completamente o

13 XIV - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação Na parte 4 do livro, nós mostraremos como usar melhor a Estrutura de Entidades com diferentes tipos de aplicativos: aplicativos Windows, web e de serviços web. O capítulo 14 discute o design de aplicativos. Você aprenderá o clássico padrão de três camadas e depois partirá para o padrão de Modelo de Domínio. será capaz de criar um aplicativo em camadas e bem projetado. O capítulo 15 explica como integrar a Estrutura de Entidades em aplicativos ASP.NET. Neste capítulo, você lerá sobre os controles ASP.NET e sobre as melhores práticas para manipulação de objetos. Isto permitirá que você crie aplicativos web usando os padrões corretos. O capítulo 16 discute como criar aplicativos de serviços web. Aqui, você ços web, e como e quando usá-las, em vez de recorrer a outras técnicas. Ao web com a Estrutura de Entidades. O capítulo 17 explica como integrar a Estrutura de Entidades em aplicativos Windows. Aqui, você descobrirá como permitir que suas classes de as capacidades de ligação de dados de aplicativos Windows Form e WPF. Ao envolvem esses tipos de aplicativos. O capítulo 18 cobre o teste. Aqui, você aprenderá a testar o código que acessa a base de dados e seus repositórios, e a criar baterias de testes para O capítulo 19 discute o desempenho. Você aprenderá como o desempenho da Estrutura de Entidades se compara ao desempenho na abordagem do ADO. NET clássico. Você também aprenderá alguns truques e dicas para melhorar levar ao extremo o desempenho de seu código de acesso a dados. O apêndice A apresenta o LINQ. O LINQ para Entidades é a linguagem de consulta mais popular para a Estrutura de Entidades. Ele é um dialeto do LINQ, de modo que, para melhor entendê-lo, você deve ter um bom conhecimento do LINQ. É isso o que este apêndice oferece. O apêndice B apresenta algumas boas dicas da Estrutura de Entidades. Você não aprenderá novas funcionalidades, aqui, mas aprenderá a combinar funcionalidades existentes para produzir comportamentos poderosos. Este é

14 Sobre este Livro - XV seu último recurso no entendimento de quanto poder a Estrutura de Entidades oferece a você. Convenções de Código Todo o código fonte em listagens ou à parte do texto está numa fonte como esta, para separá-lo do texto comum. O código.net é fornecido tanto em C# quanto em Visual Basic, de modo que você deve se sentir à vontade com ele, qualquer que seja sua linguagem de desenvolvimento. Para linhas mais longas de código, que não cabem na página, um caractere de continuação de código ( ) é usado para indicar as linhas que estão quebradas na página, mas que não devem ser quebradas no código. Anotações de código acompanham muitas das listagens, destacando conceitos importantes. Em alguns casos, marcas numeradas fazem a ligação para explicações que seguem a listagem. Downloads do código fonte Todos os exemplos deste livro podem ser baixados no site da Editora Ciência Moderna (www.lcm.com.br). O código vem em versões para VB e para C#. O código vem com um arquivo de solução Visual Studio 2010, de modo que você só precisa do Visual Studio 2010 para rodar os exemplos. Nós não tentamos abrir o arquivo de solução com o Visual Studio Express 2010 (que é a versão gratuita), mas ele provavelmente funciona.

15 Sobre os Autores Stefano Mostarda é MVP da Microsoft, na categoria Plataforma de Dados, é arquiteto de software focado em aplicativos web e co-fundador da 5DLabs.it, uma agência de consultoria especializada em ASP.NET, Silverlight, Windows conferências italianas sobre tecnologias da Microsoft, escreveu muitos livros para o mercado italiano e é co-autor do ASP.NET 4.0 Na Prática, da Editora Ciência Moderna. Ele é um dos líderes da Rede ASPItalia e gerente de conteúdo do website LINQNItalia, dedicado ao LINQ e à Estrutura de Entidades. Marco De Sanctis tem projetado e desenvolvido aplicativos empresariais em cenários distribuídos nos últimos sete anos. Começou a desenvolver com o ASP.NET logo que este apareceu, e desde então, tornou-se arquiteto de aplicativos. Ao longo dos anos, Marco se especializou na construção de serviços distribuídos, ampliando seu conhecimento para abranger tecnologias e Estrutura de Entidades ADO.NET. Hoje, trabalha como engenheiro sênior de software de grandes empresas italianas no mercado de TI. Em seu tempo livre, é gerente de conteúdo da ASPItalia e foi recentemente nomeado MVP da Microsoft no ASP.NET. Daniele Bochicchio é co-fundador da 5DLabs, uma agência de consultoria especializada em ASP.NET, Silverlight, Windows Phone 7 e Estrutura.NET. Trabalhou em muitos projetos interessantes com muitas tecnologias encontrá-lo em eventos com foco em desenvolvedores em todo o mundo. Ele já escreveu vários livros em italiano e em inglês, incluindo o ASP.NET 4.0 in Practice, publicado pela Manning e traduzido para o português pela Editora Ciência Moderna. Daniele também é gerente de rede da ASPItalia, a maior comunidade italiana da Estrutura.NET.

16 Sobre a Ilustração de Capa Entity Framework 4 Estrutura de Entidades- em Ação é intitulada Limonaro, ou vendedor de limões. A ilustração foi tirada de uma coleção de que inclui desenhos coloridos à mão de trajes regionais italianos do século XIX. Vestindo uma camisa de linho branco, calções azuis e um chapéu de palha de abas largas, e carregando uma cesta de limões numa mão e um jarro de limonada e vilas italianas, especialmente no tempo quente do verão. A diversidade dos desenhos na coleção fala vivamente da unicidade e individualidade de cidades e províncias do mundo de apenas 200 anos atrás. Isoladas umas das outras, as pessoas falavam diferentes dialetos e línguas. Nas ruas ou posição na vida só por aquilo que elas estavam vestindo. Os códigos de vestuário mudaram, desde então, e a diversidade por região, tão rica na época, desapareceu. Agora, é difícil distinguir o habitante de um ou outro país. Talvez, procurando vê-lo de forma otimista, nós trocamos uma diversidade cultural e visual por uma vida pessoal mais variada. Ou por uma vida intelectual e técnica mais variada e interessante.

17 Sumário Resumido

18 XXII - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação

19 Sumário Parte 1 - Redefinindo sua estratégia de acesso a dados...1 O acesso a dados recarregado: a Estrutura de Entidades Introdução ao acesso a dados Desenvolvendo aplicativos com estruturas no estilo de bases de dados Usando datasets e leitores de dados como contentores de dados O problema do acoplamento forte O problema tipificação fraca O problema do desempenho Usando classes para organizar dados Usando classes para representar dados De uma única classe ao modelo de objeto Aprofundando as diferenças entre objeto e relacional A incompatibilidade de tipos de dados A incompatibilidade de associação...22 RELACIONAMENTOS UM-PARA-UM...22 RELACIONAMENTOS UM-PARA-MUITOS...23 RELACIONAMENTOS MUITOS-PARA-MUITOS A incompatibilidade de granularidade A incompatibilidade de herança A incompatibilidade de identidade...29

20 XXIV - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação Tratando as incompatibilidades Deixando que a Estrutura de Entidades facilite sua vida O que é O/RM? Os benefícios do uso da Estrutura de Entidades Quando é que o O/RM não é necessário? Como Estrutura de Entidades realiza o acesso a dados O Modelo de Dados da Entidade...39 O MODELO CONCEITUAL...40 O MODELO DE ARMAZENAMENTO...41 O MODELO DE MAPEAMENTO...41 O ARQUIVO DE MAPEAMENTO DO VISUAL STUDIO Serviços de Objetos O provedor de dados do Cliente da Entidade O LINQ para Entidades O SQL da Entidade Resumo...46 Introdução à Estrutura de Entidades Apresentando o exemplo OrderIT Projetando o modelo de OrderIT e a base de dados Comparando os projetos de baixo para cima e de cima para baixo Clientes e fornecedores Produtos Pedidos Estruturando do aplicativo Criando as montagens Projetando entidades com a abordagem de primeiro a base de dados...61

21 Sumário - XXV IMPORTANDO A BASE DE DADOS...63 CRIANDO ENTIDADES A PARTIR DO ZERO...64 MODIFICANDO ENTIDADES SIMILARES A TABELAS DA BASE DE DADOS Projetando relacionamentos Organizando o código gerado A abordagem de primeiro o modelo, no designer Uma olhadela no código Consultando a base de dados Atualizando objetos e refletindo mudanças no armazenamento..79 INSERÇÕES...79 ATUALIZAÇÕES...81 EXCLUSÕES Resumo...84 Consultando o modelo de objeto: Fundamentos Um mecanismo, muitos métodos de consulta O ponto de entrada do mecanismo de consultas: os Serviços de Objetos Configurando a string de conexão...90 CRIANDO STRINGS DE CONEXÃO NO CÓDIGO Escrevendo consultas contra as classes Consultas LINQ para Entidades e consultas LINQ padrões Recuperando dados da base de dados Entendendo o Mapa de Identidade no contexto...98 CREATEOBJECTSET<T> E RASTREAMENTO EXECUTE E RASTREAMENTO Entendendo a interação entre Serviços de Objetos e Cliente de Entidade Capturando o SQL gerado...103

22 XXVI - Entity Framework 4 - A Estrutura de Entidades - em Ação Entendendo que entidades são retornadas por uma consulta Quando uma consulta é executada? Gerenciando a base de dados a partir do contexto Resumo Parte 2 - Começando Consultando com LINQ para Entidades Qual é o futuro do LINQ para SQL? Filtrando dados Filtrando dados com base em associações FILTRANDO COM UMA ÚNICA ASSOCIAÇÃO FILTRANDO COM ASSOCIAÇÕES DE COLEÇÕES Paginando resultados Recuperando uma entidade USANDO MÉTODOS DO CONTEXTO Criando consultas dinamicamente Projetando resultados Projetando com associações PROJETANDO COM UMA ÚNICA ASSOCIAÇÃO PROJETANDO COM ASSOCIAÇÕES COLEÇÕES Projeções e rastreamento de objetos Agrupando dados Filtrando dados agregados Ordenando Ordenando com associações Juntando dados Consultando com herança...151

23 Sumário - XXVII 4.7 Usando funções Funções canônicas Funções de bases de dados Executando consultas feitas à mão Trabalhando com parâmetros USANDO LISTAS NUMERADAS USANDO PARÂMETROS CLÁSSICOS Buscando O carregamento ávido O carregamento lasso Carregamento manual adiado Escolhendo uma estratégia de carregamento Resumo Mapeando o modelo de domínio O Modelo de Dados de Entidades O Modelo de Dados de Entidades e o designer do Visual Studio Criar entidades consumíveis Escrevendo as entidades Descrevendo entidades no esquema conceitual SCHEMA EntityContainer COMPLEXTYPE E ENTITYTYPE Descrevendo a base de dados no esquema de armazenamento.189 SCHEMA ENTITYCONTAINER ENTITYTYPE Criando o arquivo de mapeamento...193

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Apostila desenvolvida pelos Professores Ricardo Santos de Jesus e Rovilson de Freitas, para as Disciplinas de Desenvolvimento de Software I e II, nas Etecs de

Leia mais

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação versão 2.0 Conteúdo 1. Introdução... 3 2 1.1 Público alvo... 3 1.2 Convenções... 3 1.3 Mais recursos... 3 1.4 Entrando em contato com a ez... 4 1.5

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

Planejando o aplicativo

Planejando o aplicativo Um aplicativo do Visual FoxPro geralmente inclui um ou mais bancos de dados, um programa principal que configura o ambiente de sistema do aplicativo, além de uma interface com os usuários composta por

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Visual COBOL é a solução líder da indústria para o desenvolvimento de aplicações COBOL e implantação em sistemas Windows, Unix e Linux. Ele combina as melhores ferramentas de desenvolvimento de sua classe

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

PARTE I A Linguagem C#

PARTE I A Linguagem C# PARTE I A Linguagem C# Capítulo 1, C# 3.0 e o.net 3.5 Capítulo 2, Iniciando: Hello World Capítulo 3, Fundamentos da Linguagem C# Capítulo 4, Classes e Objetos Capítulo 5, Herança e Polimorfismo Capítulo

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Apostila Microsoft Word 2000

Apostila Microsoft Word 2000 Apostila Microsoft Word 2000 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. INSERIR TEXTO III. SALVAR UM DOCUMENTO IV. FECHAR UM DOCUMENTO V. INICIAR UM NOVO DOCUMENTO VI. ABRIR UM DOCUMENTO VII. SELECIONAR TEXTO VIII. RECORTAR,

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração e Configuração MyABCM 4.0 Versão 4.00-1.00 2 Copyright MyABCM. Todos os direitos reservados Reprodução Proibida Índice Introdução... 5 Arquitetura, requisitos e cenários de uso do MyABCM... 7 Instalação

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Thiago Hernandes de Souza

Thiago Hernandes de Souza Thiago Hernandes de Souza SQL Avançado e Teoria Relacional Copyright Editora Ciência Moderna Ltda., 2013 Todos os direitos para a língua portuguesa reservados pela EDITORA CIÊNCIA MODERNA LTDA. De acordo

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA

COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA 73 COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA Daniel José Angotti Analista de Negócio, Repom S/A djangotti@gmail.com Carlos

Leia mais

ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas

ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas Confuso com tantos conceitos novos, com tantas siglas e acrósticos? Qual provedor usar? Devo usar DataSet ou DataReader? Se essas e outras dúvidas te atormentam,

Leia mais

O Primeiro Programa em Visual Studio.net

O Primeiro Programa em Visual Studio.net O Primeiro Programa em Visual Studio.net Já examinamos o primeiro programa escrito em C que servirá de ponto de partida para todos os demais exemplos e exercícios do curso. Agora, aprenderemos como utilizar

Leia mais

ANDRÉ ALENCAR 1 INFORMÁTICA INTERNET EXPLORER 9

ANDRÉ ALENCAR 1 INFORMÁTICA INTERNET EXPLORER 9 ANDRÉ ALENCAR 1 INFORMÁTICA INTERNET EXPLORER 9 1. JANELA PADRÃO Importante: O Internet Explorer não pode ser instalado no Windows XP. 2. INTERFACE MINIMALISTA Seguindo uma tendência já adotada por outros

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Willian Magalhães 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Microsoft Access XP Módulo Um

Microsoft Access XP Módulo Um Microsoft Access XP Módulo Um Neste primeiro módulo de aula do curso completo de Access XP vamos nos dedicar ao estudo de alguns termos relacionados com banco de dados e as principais novidades do novo

Leia mais

Guia do Programador Joel Saade

Guia do Programador Joel Saade C# Guia do Programador Joel Saade Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial,

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

Início Rápido Web. 2015 Release 1 Xojo, Inc.

Início Rápido Web. 2015 Release 1 Xojo, Inc. Início Rápido Web 2015 Release 1 Xojo, Inc. Capítulo 1 Introdução Bem-vindo ao Xojo, O jeito mais fácil de criar aplicativos multi-plataforma para Desktop e Web. Seção 1 Sobre o Início Rápido Web INICIANDO

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães O ASP.NET que é a camada de desenvolvimento de aplicações web da plataforma.net vem agradando em muito os desenvolvedores de todo o mundo desde o

Leia mais

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services - Windows SharePoint Services... Page 1 of 11 Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Ocultar tudo O Microsoft Windows

Leia mais

Início Rápido Desktop. 2015 Release 1 Xojo, Inc.

Início Rápido Desktop. 2015 Release 1 Xojo, Inc. Início Rápido Desktop 2015 Release 1 Xojo, Inc. Capítulo 1 Introdução Bem-vindo ao Xojo, O jeito mais fácil de criar aplicativos multi-plataforma para Desktop e Web. Seção 1 Sobre o Início Rápido para

Leia mais

XXIV SEMANA MATEMÁTICA

XXIV SEMANA MATEMÁTICA XXIV SEMANA ACADÊMICA DA MATEMÁTICA Minicurso: Produção de Páginas Web para Professores de Matemática Projeto de Extensão: Uma Articulação entre a Matemática e a Informática como Instrumento para a Cidadania

Leia mais

Os 10 principais benefícios do Microsoft Office Excel 2007. Autor: Leonardo Barroso Galvao

Os 10 principais benefícios do Microsoft Office Excel 2007. Autor: Leonardo Barroso Galvao Os 10 principais benefícios do Microsoft Office Excel 2007 Autor: Leonardo Barroso Galvao Os 10 principais benefícios do Microsoft Office Excel 2007 O Microsoft Office Excel 2007 é uma ferramenta poderosa

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Dominando Action Script 3

Dominando Action Script 3 Dominando Action Script 3 Segunda Edição (2014) Daniel Schmitz Esse livro está à venda em http://leanpub.com/dominandoactionscript3 Essa versão foi publicada em 2014-05-02 This is a Leanpub book. Leanpub

Leia mais

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Wyllian Fressatti 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Guia do Calc. Capítulo 11 Compartilhando e Revisando Documentos

Guia do Calc. Capítulo 11 Compartilhando e Revisando Documentos Guia do Calc Capítulo 11 Compartilhando e Revisando Documentos Direitos Autorais Este documento é protegido por Copyright 2010 por seus contribuidores listados abaixo. Você pode distribuir e/ou modificar

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

Shavlik Protect. Guia de Atualização

Shavlik Protect. Guia de Atualização Shavlik Protect Guia de Atualização Copyright e Marcas comerciais Copyright Copyright 2009 2014 LANDESK Software, Inc. Todos os direitos reservados. Este produto está protegido por copyright e leis de

Leia mais

Manual do KWallet. George Staikos Lauri Watts Desenvolvedor: George Staikos Tradução: Marcus Gama Tradução: André Marcelo Alvarenga

Manual do KWallet. George Staikos Lauri Watts Desenvolvedor: George Staikos Tradução: Marcus Gama Tradução: André Marcelo Alvarenga George Staikos Lauri Watts Desenvolvedor: George Staikos Tradução: Marcus Gama Tradução: André Marcelo Alvarenga 2 Conteúdo 1 Introdução 5 1.1 Criar uma carteira...................................... 5

Leia mais

Guia do Laboratório de Teste: Demonstre colaboração de Intranet com SharePoint Server 2013

Guia do Laboratório de Teste: Demonstre colaboração de Intranet com SharePoint Server 2013 Guia do Laboratório de Teste: Demonstre colaboração de Intranet com SharePoint Server 2013 Este documento é fornecido no estado em que se encontra. As informações e exibições expressas neste documento,

Leia mais

Otimizando o uso de conexões

Otimizando o uso de conexões Depois de implementar o aplicativo cliente/servidor, você poderá encontrar áreas em que gostaria de melhorar seu desempenho. Você pode ajustar o aplicativo para obter desempenho máximo, por exemplo, acelerando

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o Objeto DataGridView O controle DataGridView é um dos objetos utilizados para exibir dados de tabelas de um banco de dados. Ele está disponível na guia de objetos Data na janela de objetos do vb.net. Será

Leia mais

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi Fundamentos da plataforma.net André Menegassi O que é o.net Framework?.NET é uma plataforma de software para desenvolvimento de aplicações que conecta informações, sistemas, pessoas e dispositivos através

Leia mais

2QRYR&ODULRQ1(73DUWH,

2QRYR&ODULRQ1(73DUWH, 2QRYR&ODULRQ1(73DUWH, 3RU-XOLR&pVDU3HGURVR Gosto de escrever sobre FRLVDV QRYDV, sobre QRYDV WHFQRORJLDV, enfrentar desafios e pesquisas sobre o assunto. Afinal, de velho, basta eu! Como assinante da Clarion

Leia mais

Objetivos na criação do cliente/servidor

Objetivos na criação do cliente/servidor O Visual FoxPro fornece as ferramentas para você criar aplicativos cliente/servidor eficazes. Um aplicativo cliente/servidor do Visual FoxPro combina a força, velocidade, interface gráfica com o usuário

Leia mais

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados Artigo apresentado ao UNIS, como parte dos requisitos para obtenção do título de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados André Luis dos Reis Revair,

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Gerando relatórios com o ReportViewer

ASP.NET 2.0 - Gerando relatórios com o ReportViewer 1 de 5 26/8/2010 18:07 ASP.NET 2.0 - Gerando relatórios com o ReportViewer Este artigo vai mostrar como você pode gerar relatórios em suas páginas ASP.NET 2.0 usando o add-in ReportViewer para o Visual

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

Introdução aos Projectos

Introdução aos Projectos Introdução aos Projectos Categoria Novos Usuários Tempo necessário 20 minutos Arquivo Tutorial Usado Iniciar um novo arquivo de projeto Este exercício explica a finalidade ea função do arquivo de projeto

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

Unified Modeling Language UML - Notações

Unified Modeling Language UML - Notações Unified Modeling Language UML - Notações Prof. Ms. Elvio Gilberto da Silva elvio@fmr.edu.br UML Ponto de Vista É gerada com propósito geral de uma linguagem de modelagem visual usada para especificar,

Leia mais

Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap

Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap Introdução Em artigo anterior a framework na Active Delphi, apresentados o TMS Aurelius, uma framework para mapeamento objeto-relacional (ORM) e mostramos

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitor de resposta do SQL. sql_response série 1.6

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitor de resposta do SQL. sql_response série 1.6 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitor de resposta do SQL sql_response série 1.6 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para fins informativos

Leia mais

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7 Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul Informação e Comunicação: Habilitação Técnica de Nível Médio Técnico em Informática Programação Android na IDE Eclipse PROGRAMANDO ANDROID

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO RDB2LOD

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO RDB2LOD GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO RDB2LOD Em sua versão inicial, o aplicativo RDB2LOD foi desenvolvido para instalação e execução em ambiente de máquina virtual Java, e oferece suporte aos SGBDs

Leia mais

Introdução. William Braga

Introdução. William Braga Introdução I William Braga II Introdução III William Braga Rio de Janeiro. 2007 IV - Copyright 2007 da Editora Alta Books Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 5988 de 14/12/73. Nenhuma

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi.

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi. Capítulo 1 O Que é o Delphi Diferenças entre Delphi Client/Server do Delphi for Windows Características que compõem o Integrated Development Invironment (IDE) Como o Delphi se encaixa na família Borland

Leia mais

Ficha Técnica Xenos Developer Studio

Ficha Técnica Xenos Developer Studio Xenos Developer Studio Ficha Técnica Xenos Developer Studio Xenos Developer Studio Soluções de Enterprise Output Management que reduz custos associados à impressão tradicional, ao mesmo tempo em que facilita

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

19/05/2009. Módulo 1

19/05/2009. Módulo 1 ASP.NET Módulo 1 Objetivo Mostrar os conceitos fundamentais da plataforma Microsoft.Net e suas ferramentas; Apresentar os conceitos fundamentais de aplicações web e seus elementos; Demonstrar de forma

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012 Para WebReporter 2012 Última revisão: 09/13/2012 Índice Instalando componentes de pré-requisito... 1 Visão geral... 1 Etapa 1: Ative os Serviços de Informações da Internet... 1 Etapa 2: Execute o Setup.exe

Leia mais

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica.

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica. Google App Inventor: o criador de apps para Android para quem não sabe programar Por Alexandre Guiss Fonte: www.tecmundo.com.br/11458-google-app-inventor-o-criador-de-apps-para-android-para-quem-naosabe-programar.htm

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Introdução Visual Studio Fabricio Breve O que é o Visual Studio? Conjunto de ferramentas de desenvolvimento para construir: Aplicativos Web ASP.NET XML Web Services Aplicativos

Leia mais

Cogent DataHub v7.0. A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real

Cogent DataHub v7.0. A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real Cogent DataHub v7.0 A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real Cogent é reconhecida como uma líder no segmento de soluções de middleware no domínio do tempo real. E, com a introdução

Leia mais

Marco Polo Monteiro Viana. Sistemas Comerciais. Conceitos, modelagem e projeto

Marco Polo Monteiro Viana. Sistemas Comerciais. Conceitos, modelagem e projeto Marco Polo Monteiro Viana Sistemas Comerciais Conceitos, modelagem e projeto Sistemas Comerciais - Conceitos, modelagem e projeto Copyright Editora Ciência Moderna Ltda., 2013 Todos os direitos para a

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

O que há de novo no PaperPort 12? O PaperPort 12 possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos.

O que há de novo no PaperPort 12? O PaperPort 12 possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos. Bem-vindo! O Nuance PaperPort é um pacote de aplicativos para gerenciamento de documentos da área de trabalho que ajuda o usuário a digitalizar, organizar, acessar, compartilhar e gerenciar documentos

Leia mais

Programação de Computadores II: Java. / NT Editora. -- Brasília: 2014. 82p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Programação de Computadores II: Java. / NT Editora. -- Brasília: 2014. 82p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor José Jesse Gonçalves Graduado em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual de São Paulo - UNESP, de Presidente Prudente (1995), com especialização em Análise de Sistemas (1999) e mestrado

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 3.0 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para

Leia mais

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Introdução Neste Módulo aprendemos o importante recurso de Tabelas Dinâmicas e Gráficos Dinâmicos. Aprendemos a criar tabelas dinâmicas, a aplicar filtros e a fazer análise

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Dando um passeio no ASP.NET

Dando um passeio no ASP.NET Dando um passeio no ASP.NET Por Mauro Sant Anna (mas_mauro@hotmail.com). Mauro é um MSDN Regional Director, consultor e instrutor. O principal objetivo da arquitetura.net é permitir ao usuário o fácil

Leia mais

Como melhorar a performance de websites.net

Como melhorar a performance de websites.net Como melhorar a performance de websites.net Os segredos dos sites de alto desempenho Alfredo Lotar Novatec Novatec Editora Ltda. [2013]. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998.

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

Wireshark Lab: Iniciando

Wireshark Lab: Iniciando Wireshark Lab: Iniciando Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Conte-me e esqueço. Mostre-me e eu lembro. Envolva-me

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Conceitos Básicos Introdução Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Dados

Leia mais

CAPÍTULO 8 Conexões de banco de dados para programadores ASP.NET

CAPÍTULO 8 Conexões de banco de dados para programadores ASP.NET CAPÍTULO 8 Conexões de banco de dados para programadores ASP.NET Para utilizar um banco de dados com um aplicativo ASP.NET, é necessário criar uma conexão de banco de dados no Macromedia Dreamweaver MX.

Leia mais

Requisitos de Software

Requisitos de Software Requisitos de Software Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 6 Slide 1 Objetivos Apresentar os conceitos de requisitos de usuário e de sistema Descrever requisitos funcionais

Leia mais

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral MICROSOFT WORD 2007 George Gomes Cabral AMBIENTE DE TRABALHO 1. Barra de título 2. Aba (agrupa as antigas barras de menus e barra de ferramentas) 3. Botão do Office 4. Botão salvar 5. Botão de acesso à

Leia mais

Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA

Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA 1 Objetivos Apresentar de forma progressiva as diversas alternativas de persistência de dados que foram evoluindo na tecnologia Java, desde o JDBC, passando

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU $,'(GR5HSRUW0DQDJHU Neste capítulo vamos abordar o ambiente de desenvolvimento do Report Manager e como usar os seus recursos. $FHVVDQGRRSURJUDPD Depois de instalado o Report Manager estará no Grupo de

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração e Configuração MyABCM 4.2 Versão 4.20-1.00 2 Copyright MyABCM. Todos os direitos reservados Reprodução Proibida Índice Introdução... 5 Arquitetura, requisitos e cenários de uso do MyABCM... 7 Instalação

Leia mais

Microsoft Office 2007

Microsoft Office 2007 Produzido pela Microsoft e adaptado pelo Professor Leite Júnior Informática para Concursos Microsoft Office 2007 Conhecendo o Office 2007 Visão Geral Conteúdo do curso Visão geral: A nova aparência dos

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Introdução ao Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Introdução ao Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Introdução ao Windows 7 O hardware não consegue executar qualquer ação sem receber instrução. Essas instruções são chamadas de software ou programas de computador. O software

Leia mais