Conselho Missionário da Igreja. O que é? Como organizar?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conselho Missionário da Igreja. O que é? Como organizar?"

Transcrição

1 Conselho Missionário da Igreja O que é? Como organizar?

2 O que é? Como organizar? É o agente da Missão é o Corpo de Cristo e o comprometimento da Igreja surge a partir da oração, estudo dos princípios bíblia e conscientização de seu membros e liderança. É um grupo formado por irmãos escolhidos pelo pastor, igreja ou segundo o governo local, disposto a ser Instrumentos nas mãos de Deus, com propósito de conscientizar, desafiar, motivar e mobilizar toda A Igreja para o cumprimento da Grande Comissão.

3 Perfil dos membros para compor o CMI: - Maturidade Espiritual; - Participação ativa na igreja.; - Interesse por missões; -- Disponibilidade de tempo para os trabalhos; -- Responsabilidade no cumprimento das tarefas assumidas; - Vida de oração Toda a Igreja e a Igreja toda é que faz Missão Se você não sabe aonde pretende chegar, como você espera chegar lá?

4 Propósitos do CMI Estabelecer os objetivos que se pretende alcançar com a formação do Conselho Missionário. -Conscientizar: *Missão Urbanas ou Nacionais > Índice de igrejas existentes no Brasil; > Índice de cidades com o menor n de Evangélicos; > Índice de povos existentes no Brasil, onde estão; > Índice Homossexuais, prostitutas, drogados, alcoólicos, mendigos, doentes (AIDS, tuberculose, lepra...); > Índice de jovens, casais (divorciados), adolescentes grávidas, encarcerados; > Índice de avanço da obra missionária na cidade, estado, Brasil e no Mundo. E a necessidade de pessoas para trabalhar nesses ministérios!

5 *Missão Urbanas ou Nacionais > Índice de igrejas existentes no Brasil; > Índice de cidades com o menor n de Evangélicos; > Índice de povos existentes no Brasil, onde estão; > Índice Homossexuais, prostitutas, drogados, alcoólicos, mendigos, doentes (AIDS, tuberculose, lepra...); > Índice de jovens, casais (divorciados), adolescentes grávidas, encarcerados; > Índice de avanço da obra missionária na cidade, estado, Brasil e no Mundo. E a necessidade de pessoas para trabalhar nesses ministérios!

6 * Missão Transcultural (Etnias) > Índice de pessoas no mundo; > Índice de nações, povos, línguas,bíblias, > Índice de Tradução da Bíblia; > Índice de missionários no mundo; > Janela 10/40, 4/14 > Índice de oferta para missões Transculturais; > Índice de povos para adotar.... > Animista, Budistas, Muçulmanos; > Oferta missionária de Fé; > Agência Missionária. > Outros E a necessidade financeira para missões Não existem igrejas pobres por fazer missões Existem igrejas pobres por não fazer missões

7 Apoio e sustento de novas frentes missionárias; Seleção e envio de missionários; A igreja a conhecer profundamente as implicações da obra missionária e sua fundamentação bíblica; Através de áreas-alvo em que a igreja irá concentrar seus esforços e estratégias que serão usadas para alcançar estas áreas; Projetos de plantação de igrejas em outras cidades e culturas; Novas vocações através de projetos de curto prazo.

8 Manter a igreja informada, e atualizada sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo, não apenas três vezes por ano durante as campanhas de missões, mas sim, semanalmente. Através de: Oração Objetivo: Despertar, motivar e manter um movimento de oração pró-missões. Atividades Organizar reuniões e campanhas de oração para todos os membros da igreja; Preparar um calendário de oração, confeccionar a página de oração dominical da igreja, preparar e decorar a sala de oração dominical da igreja.

9 Promoção e Eventos Missionários Objetivo Despertar e divulgar o movimento de missões na igreja, através de informações, congressos,campanhas, seminários e outros meios que proporcionem o comprometimento da igreja com a obra de missões. Atividades Elaboração de boletins, confecção de cartazes e mapas,apresentação de gráficos e estatísticas, promoção de campanhas missionárias, organização do congresso de missões e conferências missionárias.

10 Assistência Ministerial Objetivo Acompanhar o trabalho do corpo de missionários, providenciado-lhes a assistência necessária, facilitando o contato entre missionário e igreja, e vice-versa. Atividades Catalogação e manutenção atualizada do banco de dados do corpo de missionários da igreja e apoiados pela igreja; Promoção da comunicação entre a igreja, agência e o missionário, divulgar suas cartas, necessidades e pedidos de oração, corresponder-se e motivar a igreja a corresponder-se com seus obreiros, divulgar as datas de aniversário e endereços. Confecção e Manutenção de um mural missionário.

11 Resultados Projetos realizados; Respostas das orações; Dinheiro Aplicado Para isto podem ser usados vários meios, agências,sites, jornais, revistas,cursos, palestras, consultas e os próprios missionários com quem a igreja mantém contato funcionam como excelente fonte de informação.

12 Finanças Objetivos Levantar, planejar e controlar finanças para o sustento missionário. Atividades Administração do Fundo Missionário, Promoção da Oferta Missionária de Fé Motivação da igreja, criando estratégias de envolvimento financeiro com a obra missionária.

13 Ensino Objetivo Atividades : Ajudar a igreja a conhecer profundamente as implicações da obra missionária e sua fundamentação bíblica. Cursos e seminários de missões, aplicações de conteúdo missionário nas classes da E.B.D. e demais departamentos da igreja. Buscar informações sobre povos não alcançados, e áreas mais necessitadas. Pesquisar possibilidades de acesso e informações sobre culturas e costumes.

14 Treinamento Objetivos Selecionar, orientar, treinar e acompanhar candidatos ao campo missionário. Atividades Desenvolvimento de um programa de avaliação e orientação do candidato através de literatura, seminários, participação em atividades da igreja, bem como em suas congregações. Estabelecer critérios para envolvimento do candidato com as atividades missionárias da igreja, proporcionando Treinamento e atividades práticas.

15 Estratégias Definir áreas-alvo em que a igreja irá concentrar seus esforços e estratégias que serão usadas para alcançar estas áreas. Isto é apenas o resumo das atividades deste conselho e apenas o primeiro passo a ser dado. A simples criação deste, não tornará sua igreja uma igreja missionária. Isto só começará a acontecer, quando em seu coração você se tornar um missionário.

16 Organização Oração Orar pela criação do CMI em dias e horários determinados, se possível com as pessoas que farão parte do CMI.

17 Atribuições da Diretoria Do Presidente: Convocar e presidir as reuniões do CMI; Assinar as atas juntamente com o secretário; Orientar o trabalho do departamento; Organizar e manter o CMI; Elaborar com o tesoureiro o relatório financeiro mensal e anual; Prestar relatório de suas atividades à igreja; Manter e assinar correspondências de sua área; Coordenar e supervisionar o trabalho de todas as Comissões do CMI.

18 Do Secretário: Redigir as Atas das reuniões; Redigir textos e providenciar contatos para convocação de reuniões. Do Tesoureiro: Preparar com a diretoria o orçamento anual; Receber, contabilizar e guardar as ofertas destinadas ao CMI; Efetuar pagamentos autorizados; Apresentar relatórios mensais e anuais.

19 Das Comissões ou Assessorias do CMI De Informação e Intercessão Objetivo - Informar a Igreja às atividades dos missionários; - Pedidos de oração pelas necessidades dos missionários e da obra missionária; - Interceder e louvar a Deus, incentivando o envolvimento entre os membros da Igreja e os missionários. Atividades - Promover reuniões de oração e de jejum; - Organizar boletim informativo do CMI; - Controlar e fazer o Momento Missionário na EBD; - Promover intercessão em favor da Obra Missionária; - Promover e controlar o contato mútuo entre Agências, Juntas Missionárias e membros das Igrejas.

20 De Apoio ao Missionário Objetivo Cuidar de todos os detalhes da vida e da família do missionário para que haja condições de execução do ministério. Atividades -Manter comunicação periódica e acompanhar os missionários no campo através de contatos, cartas, visitas, etc.

21 De Finanças Objetivo Fazer o planejamento e controle financeiro do CMI na Obra Missionária; Dinheiro não dá em árvore

22 Atividades Fazer o orçamento anual; Definir e reajustar os convênios, bolsas e benefícios de cada seminarista e missionário; Fazer campanhas financeiras conforme necessidades especiais; Controlar o orçamento; Gerir o sustento dos missionários regional, Nacional e Internacional; Verificar as necessidades e administrar as despesas de escritório (cartas, materiais de expediente,secretaria, móveis, etc.); Manter e administrar despesas da biblioteca (livros, jornais, revistas, etc); Suprir gastos com transporte; Suprir emergência dos missionários; Cuidar da reciclagem, atualização de obreiros, etc; Promover a oferta missionária de fé.

23 De Educação Missiológica da Igreja Objetivo Ajudar a Igreja a conhecer profundamente a implicação da Obra Missionária e da vida dos missionários Atividades Curso de Missões (Através da JAMI); Consulta Missionária; Classe de Escola dominical Introdução à Missão ; Desenvolver e publicar materiais de educação missiológica; Promover leitura de livros missionários; Promover um curso de treinamento de líderes; (Através da JAMI) Promover projetos educacionais de Missão; Incentivar viagens de férias para que os crentes possam conhecer alguns campos missionários; Organizar a biblioteca e videoteca missionária

24 Alvos e Estratégias do Conselho de Missões - Serão definidos anualmente e mensalmente através de reuniões e se necessário, alterados e ou cancelados; -- Mensalmente deverá haver um encontro de toda a equipe para oração e jejum para que reafirme diante do Senhor os alvos a serem atingidos. Sobre os Campos Missionários em que a Igreja investirá -Serão definidas as áreas alvo que a igreja investirá seus esforços e as estratégias para se alcançar estas áreas.

25 Conferências Missionárias O CMI é responsável pelo planejamento, coordenação e promoção das Conferências missionárias. Toda a informação a esse respeito pode ser encontrada no capítulo que trata sobre Conferência Missionária Transcultural. Disposições Gerais O CMI criará e destituirá, sempre que necessário,tantas outras Comissões ou Assessorias quantas lhe convier, para a execução de suas atividades.cada comissão poderá ter um ou mais membros da Igreja em sua supervisão sendo este responsável pela mesma,diante da Diretoria.

26 Sugestão de um Pacto entre os integrantes do CMI e Comissões. Este pacto está firmado no conhecido Pacto de Wesley e seus companheiros, por se tratar de uma observância sumamente saudável quando se tem em vista a santidade requerida para o desenvolvimento de trabalho de tamanha responsabilidade como é o que se faz num CMI. (W.Martins Gomes) Wesley, o avivalista, propôs um dia aos seus companheiros: Vamos fazer um pacto solene diante de Deus, de que nunca falaremos mal uns dos outros e de quem quer que seja. E nem falaremos mal uns dos outros entre nós. Qualquer diferença resolverá face a face, na presença de Deus. E não comentaremos essa diferença com os outros, a menos que nela estejamos todos incluídos. Só a resolveremos com todos presentes. Não discutiremos o problema com alguns, sem que o implicado esteja presente. Local e data. Ass..

27

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DIRETORIA

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DIRETORIA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DIRETORIA NOME CARGO DESCRIÇÃO Claudemir da Silva 1º Dirigente - Dirigir as atividades espirituais e administrativas da Congregação, por delegação do Pastor da Igreja a que estiver

Leia mais

COMPETÊNCIA AÇÕES ESTRATÉGICAS

COMPETÊNCIA AÇÕES ESTRATÉGICAS Planejamento Estratégico da UFMBB para o ano de 2012 Ênfase: Desafiadas a ser padrão de integridade Tema: Ser como Cristo - meu ideal Divisa: "Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam

Leia mais

MULHER CRISTÃ EM AÇÃO

MULHER CRISTÃ EM AÇÃO MULHER CRISTÃ EM AÇÃO Moças Jovens senhoras A organização Mulher Cristã em Ação(MCA) destina-se a todas as mulheres, membro da igreja ou não, sem considerar idade ou estado civil Meia Idade Terceira Idade

Leia mais

JOVENS COM UMA MISSÃO JOCUM ARACAJU PROJETO INTERCESSÃO INTERCESSORES E GRUPOS DE INTERCESSÃO

JOVENS COM UMA MISSÃO JOCUM ARACAJU PROJETO INTERCESSÃO INTERCESSORES E GRUPOS DE INTERCESSÃO JOVENS COM UMA MISSÃO JOCUM ARACAJU PROJETO INTERCESSÃO INTERCESSORES E GRUPOS DE INTERCESSÃO Miss. Gustavo Lima Silva (Beréu) & Wanessa S. B. Santos Silva (Brasil) Recife, 2010. SUMÁRIO INTRODUÇÃO...

Leia mais

Igreja: comunidade missionária a serviço do povo - 1

Igreja: comunidade missionária a serviço do povo - 1 Igreja: comunidade missionária a serviço do povo - 1 Igreja Metodista Colégio Episcopal A Igreja Metodista e sua organização no trabalho com crianças. Em nível local, distrital, regional e geral. 2 - Igreja

Leia mais

MACRO DIRETRIZ GRANDE COMISSÃO - Envolver o elemento feminino e as crianças das igrejas batistas do Brasil na obra de evangelismo e missões.

MACRO DIRETRIZ GRANDE COMISSÃO - Envolver o elemento feminino e as crianças das igrejas batistas do Brasil na obra de evangelismo e missões. Planejamento Estratégico da UFMBB para o ano de 2013 Tema: VALORIZEMOS A NOVA GERAÇÃO Texto Bíblico: Eduque a criança no caminho que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele Provérbios 22.6

Leia mais

Ministério de Mulheres que oram, Heroínas da Fé

Ministério de Mulheres que oram, Heroínas da Fé Ministério de Mulheres que oram, Heroínas da Fé Pr. Presidente : Raul C. Batista e Miss. Ruthe Ribeiro Ministra do MMO: Lourdes Ramalho Assembléia de Deus de Imperatriz- MA Liderança Pr. Raul C. Batista

Leia mais

SECRETARIA GERAL DO TRABALHO MASCULINO TEMA: "Sacerdócio Real".

SECRETARIA GERAL DO TRABALHO MASCULINO TEMA: Sacerdócio Real. SECRETARIA GERAL DO TRABALHO MASCULINO TEMA: "Sacerdócio Real". "José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto a fonte; seus galhos se estendem sobre o muro." Gen. 49:22 UPH EM AÇÃO Sugestão para programações

Leia mais

Multiplicação de Células

Multiplicação de Células Multiplicação de Células O objetivo principal da Célula Sub-metas: 1. Definir uma Data 2. Aumentar a presença de Deus 3. Levantar um novo Líder 4. Firmar novos membros 5. Encontrar um novo Anfitrião Multiplicar

Leia mais

DICAS DA COORDENADORA ESTADUAL DE JCA

DICAS DA COORDENADORA ESTADUAL DE JCA DICAS DA COORDENADORA ESTADUAL DE JCA Queridas irmãs, é com temor e tremor que estou diante deste desafio do trabalho junto a JCA, mas sei que quem nos capacita é o Senhor da obra; certo de contar com

Leia mais

NOVE FORMAS DE SE TORNAR UMA IGREJA GUIADA POR PROPÓSITO. Como Equilibrar os Cinco Propósitos. Níveis de Compromisso

NOVE FORMAS DE SE TORNAR UMA IGREJA GUIADA POR PROPÓSITO. Como Equilibrar os Cinco Propósitos. Níveis de Compromisso NOVE FORMAS DE SE TORNAR UMA IGREJA GUIADA POR PROPÓSITO Como Equilibrar os Cinco Propósitos INTRODUÇÃO Comece a ver cinco grupos-alvo a quem você ministra: CÍRCULOS DE COMPROMISSO Alvo EVANGELISMO ADORAÇÃO

Leia mais

Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão:

Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão: II) NOSSA VISÃO Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão: A) Adorar a Deus em espírito e verdade Queremos viver o propósito para o qual Deus

Leia mais

Intercessão. Missionária. Como e Por que Interceder por Missões

Intercessão. Missionária. Como e Por que Interceder por Missões Intercessão Missionária Como e Por que Interceder por Missões A Importância da Intercessão por Missões - Estamos em uma guerra Há necessidade de intercessores! - Nossa guerra não é pelo controle político

Leia mais

Plano Estratégico IEIA Sra domonte

Plano Estratégico IEIA Sra domonte Plano Estratégico IEIA Sra domonte 2015/2016 SUMARIO Pressupostos Visão e missão Objectivos gerais Objectivos por unidade estratégica Estratégia Cronograma de atividades Orçamento (Budget) Planta da igreja

Leia mais

UMA ESCOLA SABATINA MISSIONÁRIA

UMA ESCOLA SABATINA MISSIONÁRIA UMA ESCOLA SABATINA MISSIONÁRIA Uma das principais funções da Escola Sabatina é levar os membros a cumprirem a missão. Desde o início, havia uma clara certeza de sua função missionária: Há, na Escola Sabatina,

Leia mais

Dons Espirituais. A maior causa de nossa fraqueza espiritual como um povo é a falta de fé real nos dons espirituais. (Review and Herald 14/08/1868).

Dons Espirituais. A maior causa de nossa fraqueza espiritual como um povo é a falta de fé real nos dons espirituais. (Review and Herald 14/08/1868). Dons Espirituais Por que é importante conhecer o tema? Somos admoestados a conhecê-los. (I Corintios 12:1). Somos motivados a usá-los. (I Timóteo 4:10). Somos responsáveis pelo uso. (I Pedro 4:10). A maior

Leia mais

Apresentação. Esperamos que este material possa ser de grande valia para você e. sua igreja. Deus os abençoe, Prs. Fernando e Jane Camargo

Apresentação. Esperamos que este material possa ser de grande valia para você e. sua igreja. Deus os abençoe, Prs. Fernando e Jane Camargo 1 Apresentação Lançamos este material voltado para o Culto do terceiro Domingo. Ele traz ferramentas com materiais de apoio para quatorze Cultos de Missões dedicados aos países em que a Igreja do Evangelho

Leia mais

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. -0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre os critérios e os procedimentos para promoção, organização e participação da ANAC em eventos internos e externos. A DIRETORIA DA AGÊNCIA

Leia mais

AMANDO A CRIAÇÃO DE DEUS

AMANDO A CRIAÇÃO DE DEUS AMANDO A CRIAÇÃO DE DEUS...Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores.... Apocalipse 7:3 Responsáveis pelo Projeto: Marisa Freitas Bispa da REMNE Samuel Luiz Superintendente do Distrito NE2

Leia mais

MANUAL DO MISSIONÁRIO

MANUAL DO MISSIONÁRIO MANUAL DO MISSIONÁRIO INTRODUÇÃO O Manual de Missionário tem como função orientar os missionários quanto à dinâmica de campo bem como informá-los sobre as principais áreas de trabalho. Os anexos visam

Leia mais

DESENVOLVENDO MEMBROS MADUROS

DESENVOLVENDO MEMBROS MADUROS DESENVOLVENDO MEMBROS MADUROS Movendo Pessoas da Congregação para os Comprometidos para que não mais sejamos como meninos Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.

Leia mais

Igreja Presbiteriana do Brasil Confederação Nacional das SAFs. Quedriênio 2014/2018

Igreja Presbiteriana do Brasil Confederação Nacional das SAFs. Quedriênio 2014/2018 Igreja Presbiteriana do Brasil Confederação Nacional das SAFs Quedriênio 2014/2018 Tema do quadriênio: Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia boas-novas! (Is 52.7) O desafio do TF também

Leia mais

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos Art.1º A Diretoria Regional (DR) da SBEM-RN é órgão executivo

Leia mais

Implementação e avaliação

Implementação e avaliação Seção 3 Implementação e avaliação ESTUDO BÍBLICO Respondendo às mudanças No início de Neemias 4, vemos que algumas pessoas se opuseram ao projeto. Qual foi a resposta de Neemias? (versículo 9) Como Neemias

Leia mais

REGIMENTO. Capítulo I - DAS FINALIDADES E OBJETIVOS. Capítulo II - DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO. Capítulo I - DAS FINALIDADES E OBJETIVOS. Capítulo II - DA ORGANIZAÇÃO REGIMENTO Capítulo I - DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Art.1º - O 18º Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem / SENPE, promovido Associação Brasileira de Enfermagem / ABEn Nacional e realizado pela Associação

Leia mais

Modelo de Plano de Ação

Modelo de Plano de Ação Modelo de Plano de Ação Para a implementação da Estratégia Multimodal da OMS para a Melhoria da Higiene das Mãos Introdução O Modelo de Plano de Ação é proposto para ajudar os representantes de estabelecimentos

Leia mais

RECAPITULANDO... MATEUS 28:18-20

RECAPITULANDO... MATEUS 28:18-20 MÓDULO 1 RECAPITULANDO... MATEUS 28:18-20 18 Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os

Leia mais

Convenção das Igrejas Batistas Independentes www.cibi.org.br. Os Batistas Independentes como opção de igreja para os brasileiros

Convenção das Igrejas Batistas Independentes www.cibi.org.br. Os Batistas Independentes como opção de igreja para os brasileiros Convenção das Igrejas Batistas Independentes www.cibi.org.br Os Batistas Independentes como opção de igreja para os brasileiros 1 Alvo Principal Colocar os Batistas Independentes como opção de igreja para

Leia mais

JOVENS COM UMA MISSÃO

JOVENS COM UMA MISSÃO Querido (a) Candidato (a), Obrigado por entrar em contato conosco e pelo seu interesse em participar da Escola de Treinamento e Discipulado (ETED). Desde já, sinta- se bem vindo! Você tem em suas mãos

Leia mais

Faculdade Figueiredo Costa FIC Núcleo de Apoio Acadêmico NAPA PROGRAMA DE MONITORIA PROM

Faculdade Figueiredo Costa FIC Núcleo de Apoio Acadêmico NAPA PROGRAMA DE MONITORIA PROM Faculdade Figueiredo Costa FIC Núcleo de Apoio Acadêmico NAPA PROM 1 APRESENTAÇÃO Hodiernamente, um profissional, de qualquer que seja a área, deve estar em constante processo de atualização, ele jamais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DA IGREJA METODISTA 1ª REGIÃO ECLESIÁSTICA SEDE REGIONAL

ASSOCIAÇÃO DA IGREJA METODISTA 1ª REGIÃO ECLESIÁSTICA SEDE REGIONAL Rio de Janeiro, 29 de fevereiro de 2008. CGE/011/08 Aos/Às Pastores e Pastoras Estimados/as irmãos e irmãs Jesus Cristo é o Senhor! Encaminho esta carta através do seu pastor/a, visto não possuirmos ainda

Leia mais

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964.

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 11, de 1966. Entrada em vigor (art. 6º, 1º) a 2 de maio de 1966. Promulgado

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

Treinamento Missionário realidade ou ficção? JAMI Consulta Missionária Bruce R. e Ann E. C. Borquist Abril 2007

Treinamento Missionário realidade ou ficção? JAMI Consulta Missionária Bruce R. e Ann E. C. Borquist Abril 2007 Treinamento Missionário realidade ou ficção? JAMI Consulta Missionária Bruce R. e Ann E. C. Borquist Abril 2007 Mito #1 Treinamento é desnecessário. O que é necessário é só o chamado e a capacitação de

Leia mais

ACORDO COOPERATIVO PROJETO UNIASIA.

ACORDO COOPERATIVO PROJETO UNIASIA. INTRODUÇÃO Por ter Deus, o Senhor da Seara chamado seu filho para a Obra Missionária, a Igreja Enviadora e a Horizontes América Latina, como organização missionária, todos nós de comum acordo, a fim de

Leia mais

MOVIMENTO DE CURSILHO DE CRISTANDADE GRUPO EXECUTIVO REGIONAL - GER - NE II

MOVIMENTO DE CURSILHO DE CRISTANDADE GRUPO EXECUTIVO REGIONAL - GER - NE II MOVIMENTO DE CURSILHO DE CRISTANDADE GRUPO EXECUTIVO REGIONAL - GER - NE II REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1 O Grupo Executivo Regional GER. do Movimento de Cursilhos de Cristandade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

Perguntas que não querem calar & Respostas que todos querem ouvir

Perguntas que não querem calar & Respostas que todos querem ouvir Perguntas que não querem calar & Respostas que todos querem ouvir Participe você também... 1 Qual a diferença entre Clube de Jovens, Sociedade de Jovens, Departamento Jovem e Ministério Jovem? Ministério

Leia mais

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ANOTAÇÕES Como Planejar Um Culto Sensível Aos Não-crentes INTRODUÇÃO Uma das características do ministério de Jesus é que ele atraía muitas pessoas A Bíblia diz que "Numerosas

Leia mais

SEGUE- ME 2016. Nome: RG: Data de Nascimento: Idade: Sexo: Nacionalidade: Cidade: UF: CEP Telf.: Email:

SEGUE- ME 2016. Nome: RG: Data de Nascimento: Idade: Sexo: Nacionalidade: Cidade: UF: CEP Telf.: Email: SEGUE- ME 2016 FICHA de INSCRIÇAO Este documento tem como objetivo conhecê- lo melhor, por tanto, contamos com sua colaboração para responder as seguintes perguntas com sinceridade e clareza. Suas informações

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 1 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA CAPÍTULO I DO NOME, FINALIDADE E LEMA. Art. 1 - O Conselho de Educação Religiosa (CER) é um departamento interno da Igreja Presbiteriana Betel que

Leia mais

DECLARAÇÃO DE MISSÃO Proclamar o Cristo Vivo e ajudar as pessoas que nele crêem a se tornarem seus discípulos

DECLARAÇÃO DE MISSÃO Proclamar o Cristo Vivo e ajudar as pessoas que nele crêem a se tornarem seus discípulos PIBRJ DECLARAÇÃO DE MISSÃO Proclamar o Cristo Vivo e ajudar as pessoas que nele crêem a se tornarem seus discípulos DECLARAÇÃO DE VISÃO Ser uma família de fé, que recebe as pessoas como são e se esforça

Leia mais

PROJETO FRANÇA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO E PLANTAÇÃO DE IGREJA NO SUL DA FRANÇA

PROJETO FRANÇA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO E PLANTAÇÃO DE IGREJA NO SUL DA FRANÇA .1 PROJETO DE REVITALIZAÇÃO E PLANTAÇÃO DE IGREJA NO SUL DA AMBIENTAÇÃO Cumprir a grande missão de Deus dada à sua Igreja e a cada um de seus servos é uma atitude de obediência, amor a Ele na pessoa de

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE PESQUISA NA FAMA. Título I. Da Natureza, Caracterização, Fins e Objetivos

NORMAS GERAIS PARA A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE PESQUISA NA FAMA. Título I. Da Natureza, Caracterização, Fins e Objetivos NORMAS GERAIS PARA A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE PESQUISA NA FAMA Título I Da Natureza, Caracterização, Fins e Objetivos Art. 1 - A COORDENAÇÃO DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO - CPPE é o órgão

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO I V S E M I N Á R I O D E E X E C U Ç Ã O F I N A N C E I R A D E P R O J E T O S F I N A N C I A D O S C O M R E C U R S O S E X T E R N O S MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE

Leia mais

Estamos sempre cientes da necessidade constante de avaliação, revisão, desenvolvimento e melhoramento dos currículos.

Estamos sempre cientes da necessidade constante de avaliação, revisão, desenvolvimento e melhoramento dos currículos. FILOSOFIA DO IMFORM 1 - ÀS ESCRITURAS: O IMFORM tem um compromisso com a interpretação e aplicação precisa e cuidadosa das Sagradas Escrituras. A Bíblia é a Palavra de Deus e a única regra de fé e prática

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA APLICADA SPA da Fafich/UFMG

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA APLICADA SPA da Fafich/UFMG REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA APLICADA SPA da Fafich/UFMG CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E ATRIBUIÇÕES Art. 1 o ) O Serviço de Psicologia Aplicada, órgão complementar vinculado à Faculdade de Filosofia

Leia mais

Objetivo. Justificativa

Objetivo. Justificativa Objetivo Levar ao conhecimento da comunidade evangélica, informações pertinentes a temas que tem sido as armas que Satanás mais tem utilizado para aprisionar as ovelhas do rebanho de Deus. Justificativa

Leia mais

PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL

PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL Guia do Al-Anon C-12 PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL Este Guia define as funções e responsabilidades da Junta de Curadores dos Grupos Familiares Al-Anon do Brasil, bem

Leia mais

PRIORIDADES REGIÃO DE ÁFRICA

PRIORIDADES REGIÃO DE ÁFRICA PRIORIDADES REGIÃO DE ÁFRICA PARTE 1 - INTRODUÇÃO PREFÁCIO: Quatro anos atrás Dr. Eugénio Duarte iniciou um processo que fez com que África falasse do seu futuro. Estes diálogos levaram-nos a rever o ministério

Leia mais

O Departamento de Comunicação na Igreja Adventista

O Departamento de Comunicação na Igreja Adventista O Departamento de Comunicação na Igreja Adventista 26 Pontes de Esperança De Silver Springs a Puerto Williams A Igreja Adventista do Sétimo Dia é reconhecida mundialmente por sua organização. A descentralização

Leia mais

Calendário Regional de atividades

Calendário Regional de atividades Calendário Regional de atividades 2015 Calendário Regional de Atividades 2015 Igreja Metodista 3ª Região Eclesiástica página 1 de 13 21 a 25 JUNAME 2015 Promoção: Confederação Metodista de Juvenis / Local:

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

Igreja "em saída" missionária

Igreja em saída missionária Mês das Missões O mês de outubro é, para a Igreja, o período no qual são intensificadas as iniciativas de animação e cooperação em prol das Missões em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar

Leia mais

Lição 8 Trabalhar com Líderes

Lição 8 Trabalhar com Líderes Lição 8 Trabalhar com Líderes Já havia mais de um ano que o António se tornara membro da sua igreja. Ele tinha aprendido tanto! Começou a pensar nos líderes da igreja que o tinham ajudado. Pensava naqueles

Leia mais

5. É altamente recomendado que Rotaract Clubs mencionem após seu nome, patrocinado pelo Rotary Club de (nome).

5. É altamente recomendado que Rotaract Clubs mencionem após seu nome, patrocinado pelo Rotary Club de (nome). Declaração de Normas do Rotaract 1. O programa Rotaract foi desenvolvido e estabelecido pelo Rotary International. A autoridade pela elaboração e execução dos dispositivos estatutários, requisitos de organização,

Leia mais

Estado de Santa Catarina CÂMARA MUNICIPAL DE PALHOÇA Setor de Expediente

Estado de Santa Catarina CÂMARA MUNICIPAL DE PALHOÇA Setor de Expediente PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 98/2012. NAEP. Dispõe sobre a criação do Núcleo de Atendimento Especializado da Rede Municipal de Ensino de Palhoça. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PALHOÇA, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

810 CONSTITUIÇÃO DA JUVENTUDE NAZARENA INTERNACIONAL

810 CONSTITUIÇÃO DA JUVENTUDE NAZARENA INTERNACIONAL 810 CONSTITUIÇÃO DA JUVENTUDE NAZARENA INTERNACIONAL Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé,na pureza. I Timóteo 4:12 810.1.

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

CIBI - CONVENÇÃO DAS IGREJAS BATISTAS INDEPENDENTES

CIBI - CONVENÇÃO DAS IGREJAS BATISTAS INDEPENDENTES Programa Os Batistas Independentes como opção de igreja para os brasileiros Abril de 2012 Programa Brasil 2020 1 O programa Brasil 2020, tem como alvo principal colocar os Batistas Independentes como opção

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA _ LEI Nº 429/07 Cria a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia. Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI REGULAMENTO DA CLÍNICA ESCOLA E SERVIÇOS DE PSICOLOGIA - CESP Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/15 de 08/04/15. CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGULAMENTO Art. 1º A Clínica Escola de Psicologia é o ambiente

Leia mais

Programa 7ASR de Especialização em Liderança Jovem. Programação

Programa 7ASR de Especialização em Liderança Jovem. Programação Sexta a Noite Programa 7ASR de Especialização em Liderança Jovem Programação Entendendo os jovens Adventistas de hoje; Trabalhando com mentes universitárias; Sábado de manhã Como liderar a geração que

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES A RESPONSABILIDADE É PESSOAL A CEEN é uma igreja que tem a responsabilidade de informar e ensinar os valores e princípios de Deus,

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE EMPRÉSTIMO SOLIDÁRIO

SOLICITAÇÃO DE EMPRÉSTIMO SOLIDÁRIO IDENTIFICAÇÃO SOLICITAÇÃO DE EMPRÉSTIMO SOLIDÁRIO PROJETO RECEBIDO EM: / / Nome da IGREJA Endereço CNPJ Complemento Estado Cidade CEP Tel. Fax E-mail site REPRESENTANTES LEGAIS NOMES CARGO CPF Pastor/a

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Curricular, baseado na lei nº 6.494,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008. DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008. Regulamenta o artigo 66, do Estatuto dos Servidores Públicos de São Leopoldo, Lei nº 6.055 de 14 de Setembro de 2006, Da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes-

Leia mais

Tema: Como Administrar a Visão.

Tema: Como Administrar a Visão. Tema: Como Administrar a Visão. Textos: Provérbios 24.3-4. Introdução. A visão é organizada e não pode funcionar corretamente se não tiver organização. Por isso é importante que cada líder tenha em mente

Leia mais

Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua.

Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua. Identificação da empresa: Viação Santa Cruz S/A Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua. Data: Implantação em 2009 aos dias atuais Categoria: Adesão dos Colaboradores

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras providências. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA

COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 002/2013 DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O CURSO DE ODONTOLOGIA A Magnífica Senhora Reitora do CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015 PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015 O programa Talentos da Educação é uma iniciativa da Fundação Lemann para apoiar pessoas talentosas e comprometidas com a melhoria da educação no Brasil. A proposta é

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes MISSÃO Somos uma rede nacional escoteira de

Leia mais

REQUESITOS PARA AS CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM

REQUESITOS PARA AS CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM CARTÃO LÍDER J.A. REQUESITOS PARA AS CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM As classes de Liderança Jovem são oferecidas a Jovens Adventistas batizados com mais de 16 anos de idade. Cada nível de liderança deve ser

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 Disciplina o afastamento de servidores docentes e técnico-administrativos

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Manual de Missões Nazarenas Internacionais Edição Global. Introdução

Manual de Missões Nazarenas Internacionais Edição Global. Introdução Manual de Missões Nazarenas Internacionais Edição Global Introdução Esse Manual para Missões Nazarenas Internacionais (MNI) é uma versão global para uso das Igrejas do Nazareno fora da Região dos EUA/Canadá.

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 VISÃO GERAL Objetivo 1 - No âmbito da seção escoteira, apoiar a correta aplicação do método escoteiro, em especial as práticas democráticas previstas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM CAPÍTULO I Natureza, Finalidade, Sede e Foro Art. 1º - A Comissão Nacional de Residência em Enfermagem - CONARENF, criada pela Portaria

Leia mais

EDITAL N. 02 PARA SELEÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE JUSTIÇA E CIDADANIA DO NÚCLEO DE JUSTIÇA COMUNITÁRIA DE GOIÁS

EDITAL N. 02 PARA SELEÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE JUSTIÇA E CIDADANIA DO NÚCLEO DE JUSTIÇA COMUNITÁRIA DE GOIÁS EDITAL N. 02 PARA SELEÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE JUSTIÇA E CIDADANIA DO NÚCLEO DE JUSTIÇA COMUNITÁRIA DE GOIÁS 1. DA ABERTURA 1.1. A Prefeitura Municipal de Goiás convida toda comunidade Vilaboense,

Leia mais

Deus está implantando o Seu Reino aqui na Terra e Ele tem deixado bem claro qual é a visão dele para nós:

Deus está implantando o Seu Reino aqui na Terra e Ele tem deixado bem claro qual é a visão dele para nós: Visão do MDa Na visão do MDA, é possível à Igreja Local ganhar multidões para Jesus sem deixar de cuidar bem de cada cristão é o modelo de discipulado um a um em ação. O MDA abrange diversos fatores desenvolvidos

Leia mais

(MEC) 2005/2006 PROJETO MANCHETE

(MEC) 2005/2006 PROJETO MANCHETE PRIMEIRA IGREJA BATISTA DO RIO DE JANEIRO Relatório do Ministério de Educação Cristã (MEC) 2005/2006 PROJETO MANCHETE Relatores: Clare Victoria Cato Daniel Antunes de Oliveira Ernestina Alencar (Coordenadora

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva

PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva A Casa de Acolhimento e Orientação à Crianças e Adolescentes (CAOCA), em parceria com a Secretaria de Assistência Social de Vitória (Semas),

Leia mais

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II Centro Comunitário Vila Gaúcha Projeto Experimental II Apresentação da Empresa O Centro Comunitário Vila Gaúcha presta atendimento regular em Educação Infantil, Serviço de Apoio Sócio Educativo, Trabalho

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Projeto Universitários Lassalistas em Missão

Projeto Universitários Lassalistas em Missão Projeto Universitários Lassalistas em Missão Apresentação O projeto Universitários Lassalistas em Missão surge como proposta aos Centro Universitários e Faculdades Lassalistas para oferecer aos acadêmicos

Leia mais

Associação Missionária Independente

Associação Missionária Independente Associação Missionária Independente INFORMAÇÕES PRELIMINARES A POSSÍVEIS CANDIDATOS PREZADO CANDIDATO A AMI é uma missão de posição Batista Fundamentalista e há alguns requisitos para ingressar. Para darmos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM REGIMEN TO INTERNO CAPÍTULO I Das finalidades e objetivos Art. 1º A 9ª JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA doravante denominado (9ª. JBEGG), acontecerá na cidade de Fortaleza, de

Leia mais

CONSULTA DE PARCERIA EMK-WELTMISSION 10 A 13 DE Maio, 2015 Freudenstadt

CONSULTA DE PARCERIA EMK-WELTMISSION 10 A 13 DE Maio, 2015 Freudenstadt CONSULTA DE PARCERIA EMK-WELTMISSION 10 A 13 DE Maio, 2015 Freudenstadt Quem somos? Igreja Metodista Missão: Participar na ação de Deus em Seu propósito de salvar o mundo. Visão: Comunidade Missionária

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE INFORMÁTICA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Aprovado na 22ª reunião do Conselho de Unidade (CONSUN) da Faculdade de Informática realizada dia 30 de

Leia mais

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008

RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008 RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e móvel celular do Supremo Tribunal Federal O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 217-5699 PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA DIREÇÃO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE NATAL PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 217-5699 PREFEITURA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 10.629, de 25 de setembro de 2013 EMENTA:Cria no âmbito do Município de Itabuna, o Programa VIV-À-RTE, vinculado administrativamente à Fundação Marimbeta- Sítios de Integração da Criança

Leia mais

MANUAL DO COORDENADOR. Boas Vindas para os Coordenadores... 2 Organograma... 3 Funções... 4

MANUAL DO COORDENADOR. Boas Vindas para os Coordenadores... 2 Organograma... 3 Funções... 4 MANUAL DO COORDENADOR Índice: Boas Vindas para os Coordenadores... 2 Organograma... 3 Funções... 4 Observações importantes para o Coordenador... 6 Finanças... 8 Diretrizes para eventos de médio e grande

Leia mais

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Introdução A Seção de Leitura da IFLA tem o prazer de apresentar algumas sugestões práticas para as bibliotecas

Leia mais