COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA"

Transcrição

1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 002/2013 DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O CURSO DE ODONTOLOGIA A Magnífica Senhora Reitora do CENTRO UNIVERSITÁRIO EURO AMERICANO, Ma. CRISTINA NITZ DA CRUZ, no uso de suas atribuições, com o intuito de proporcionar ao discente do Curso de Odontologia maior integratividade no âmbito acadêmico, além de estimular a pesquisa de campo nas diversas áreas de interesse, RESOLVE tornar público o presente Edital para preenchimento de vagas destinadas à pesquisa e à iniciação científica. CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Entende-se por Programa de Iniciação Científica as atividades de apoio às pesquisas desenvolvidas pelo aluno regularmente matriculado no Curso de Odontologia do Centro Universitário Euro-Americano, com a orientação de um dos professores ou do coordenador de um dos temas de pesquisa. Parágrafo único. As atividades do Bolsista de Iniciação Científica consistem em: a) Participação das reuniões do Grupo de Pesquisa; b) Aprofundar nos conhecimentos sobre os temas de pesquisa que serão abordados pelo grupo; c) Participação na elaboração dos projetos de pesquisa; d) Receber treinamento para a coleta de dados; e) Participação na coleta de dados; f) Participação no processamento dos dados coletados; g) Participação na análise e discussões dos resultados obtidos; h) Colaborar na elaboração dos documentos científicos, tais como: publicação de Artigo Científico, Relatórios Científicos ou Trabalho de Conclusão de Curso; e i) Participação em eventos científicos. CAPÍTULO II - DA CARACTERIZAÇÃO Art O Programa de Iniciação Científica é uma atividade auxiliar de Ensino e Pesquisa exercida por alunos regularmente matriculados no Curso de Odontologia do Centro Universitários Euro-Americano e que preencham as condições deste Edital. Art Os discentes poderão ser aproveitados em atividades de ensino e pesquisa do Curso de Odontologia do Centro Universitário Euro-Americano, exercendo funções de colaboração, de acordo com seu rendimento escolar e acadêmico. 1

2 CAPÍTULO III - DOS OBJETIVOS Art. 4. São objetivos principais do Programa de Bolsa de Iniciação Científica do Centro Universitário UNIEURO: a) Estimular a participação do aluno na vida acadêmica, em atividades de pesquisa científica e de ensino em apoio à docência e à pesquisa; b) Ampliar o nível de conhecimentos e habilidades no campo da pesquisa científica; c) Proporcionar um melhor rendimento escolar ao acadêmico bolsista; d) Contribuir para a melhoria da qualidade do ensino e da pesquisa do Curso de Odontologia e à Instituição como um todo; e) Contribuir para estimular a produção científica no Curso de Odontologia da Instituição; f) Ampliar a participação de docentes, discentes e bolsistas nos eventos científicos; e g) Identificar e encaminhar liderança para projeções de superação profissional superior em cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado. Art. 5º. São atribuições do bolsista: CAPÍTULO IV - DAS ATRIBUIÇÕES a) Participar da elaboração do plano de trabalho do grupo e da pesquisa com os professores do grupo ao qual estiver vinculado; b) Auxiliar o professor Coordenador de Tema de Pesquisa na realização de trabalhos práticos e experimentais, na preparação de material instrumental e nas atividades de laboratório; c) Contribuir na coleta de dados das pesquisas a serem desenvolvidas pelo grupo; d) Cumprir as horas semanais de atividades como bolsista, conforme horários pré-estabelecidos; e) Apresentar, ao término de cada semestre, do período letivo, um relatório das atividades desenvolvidas, em que constem a avaliação do seu desempenho, da orientação recebida e das condições em que desenvolveu suas atividades; f) Tornar público o horário e o local onde prestará atendimento aos discentes, junto ao professor Coordenador do Tema de Pesquisa ao qual está vinculado; g) Cumprir com os demais deveres do corpo discente especificado no Regimento Geral do UNIEURO. CAPÍTULO V DAS VEDAÇÕES Art. 6º. Fica terminantemente proibido ao bolsista, sob pena de perda do benefício: a) Substituir o professor na regência da(s) pesquisa(s); b) Executar funções administrativas; c) Exercer atividades como bolsista no seu horário de aula; 2

3 d) Elaborar ou corrigir documentos científicos sem a orientação do(s) professor (es); e e) Acumular monitorias e bolsas. CAPÍTULO VI DA DURAÇÃO DO PROGRAMA CIENTÍFICO Art. 7º. O início das atividades do Programa de Bolsa em Iniciação Científica será no período de Outubro a Julho de 2014, conforme datas a serem estabelecidas previamente. Parágrafo único: Após a divulgação dos alunos selecionados para o PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, os mesmos deverão, junto ao Coordenador responsável do tema ao qual ficará vinculado, apresentar, até a data prevista no caput, uma prévia do projeto de pesquisa, sob pena de perda da vaga que deverá ser destinada ao próximo classificado, caso não haja o cumprimento da entrega do projeto de pesquisa no prazo estipulado. CAPÍTULO VII DA CARGA HORÁRIA Art. 8º. A carga horária para o aluno bolsista será de 12 (doze) horas/aula semanais, assim distribuídas: 04 (quatro) horas/aula de forma presencial, em reuniões do grupo de pesquisa; e 08 (oito) horas/aula em atividades complementares conforme orientação e sob supervisão do professor Coordenador do tema de pesquisa. Parágrafo primeiro: O professor Coordenador de Tema de Pesquisa encaminhará o formulário de frequência mensal para a Coordenação de Pesquisa e Iniciação Científica do UNIEURO, referente aos alunos sob a sua coordenação. Parágrafo segundo: Perderá a qualidade de bolsista o discente que não frequentar o mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) das horas mensais, sendo excluído do Programa de Bolsa. Parágrafo terceiro: Ao final do semestre letivo o bolsista entregará, relatório técnico sobre as atividades desenvolvidas e o professor fará relatório avaliativo sobre o desempenho do mesmo, à Coordenação de Pesquisa e Iniciação Científica do UNIEURO. CAPÍTULO VIII - DAS INSCRIÇÕES: Art. 9º. As inscrições poderão ser efetuadas no período de 02 ao 20 de Setembro de 2013, no protocolo de cada Unidade, mediante requerimento (colocando telefone(s) para contato(s)), anexando uma foto (3X4), carta de auto-apresentação e apresentação do currículo Parágrafo primeiro: Cada aluno poderá candidatar-se apenas a uma área de atuação ou grupo de pesquisa, sendo que, em existindo outros pedidos do discente, será considerado para efeito de solicitação de inscrição o primeiro pedido. 3

4 Parágrafo segundo: Serão disponibilizadas 3 (três) vagas para Bolsista de Iniciação Científica para o Curso de Odontologia. CAPÍTULO IX - DAS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS À INSCRIÇÃO Art. 10. São requisitos para inscrição no Programa de Bolsa de Iniciação Científica: a) Ser aluno regulamente matriculado no Curso de Odontologia a partir do: 2º Semestre para o Tema de Pesquisa: Levantamento dos processos éticos juntos ao Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal e perfil dos cirugiões-dentistas envolvidos. 3º Semestre para o Tema de Pesquisa: Levantamento epidemiológico de cárie dentária em escolares do Distrito Federal. b) Estar cumprindo regularmente o contrato de prestação de serviços educacionais; c) Possuir média igual ou superior a 7 (sete) pontos nas disciplinas cursadas da matriz curricular, a qual está vinculado; d) Não estar exercendo atividades de bolsista em outro grupo de pesquisa ou monitor em uma disciplina; e e) Não estar cursando o último semestre do curso. CAPÍTULO X DOS OBJETOS DE AVALIAÇÃO DOS CANDIDATOS Art. 11. Os candidatos ao Programa de Bolsa de Iniciação Científica serão avaliados da seguinte forma: a) Análise do histórico escolar; b) Análise de currículo; e c) Entrevista com o professor Coordenador de tema de pesquisa do grupo escolhido. CAPÍTULO XI DA INSCRIÇÃO DEFINITIVA Art. 12. Para o segundo semestre de 2013, os professores responsáveis pelos Temas de Pesquisas deverão referendar a inscrição dos selecionados mediante assinatura na ficha de inscrição. CAPÍTULO XII DA BOLSA AUXÍLIO Art. 13. Os alunos selecionados assinarão um contrato de bolsista na Coordenação do Núcleo de Pesquisa e Iniciação Científica da Instituição. Será ofertada, ao aluno bolsista, uma bolsa-auxílio no importe de R$ 200,00 (duzentos reais mensais). 4

5 Parágrafo primeiro: O discente selecionado para participação do Programa de Bolsa de Iniciação Científica não terá qualquer vínculo de caráter trabalhista e previdenciário junto à Instituição. Parágrafo segundo: O discente selecionado que não renovar sua matrícula para o 1º semestre de 2014, dentro do prazo previsto no Calendário Acadêmico, perderá a vaga junto ao Programa, ocasião em que o próximo da lista de aprovados será chamado, desde que esteja devidamente matriculado. Parágrafo terceiro: O discente que não renovar a matrícula para o 1º semestre de 2014, dentro do prazo previsto no Calendário Acadêmico, perderá a condição de bolsista, tendo todos os benefícios oriundos do Programa de Bolsa cancelados. Parágrafo quarto: Os alunos que não foram selecionados para o Programa de Bolsaauxílio, poderão pertencer aos grupos de pesquisas que foram criados e participar das atividades em qualidade de Iniciação Científica não-remunerada (Voluntária), como se estabelece no Regimento Institucional de Iniciação Científica. CAPÍTULO XIII DOS TEMAS DE PESQUISA E SEUS PROFESSORES RESPONSÁVEIS Art. 14. São dois, os temas e pesquisas a serem escolhidas pelo candidato no ato de sua solicitação: 1. Levantamento dos processos éticos juntos ao Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal e perfil dos cirugiões-dentistas envolvidos. Prof. Resp. do Tema de Pesquisa: Dra. Patrícia Alvarez Ruiz Spyere do Nascimento. 2. Levantamento epidemiológico de cárie dentária em escolares do Distrito Federal. Prof. Resp. do Tema de Pesquisa: M.Cs. Denise de Lima Costa Furlanetto. Parágrafo único: Não será permitido, ao discente selecionado para participação do Programa de Bolsa, alteração de sua tema selecionado, sob pena de perda do benefício. CAPÍTULO XIV DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 15. O ato de inscrição do candidato importará no conhecimento e aceitação total dos critérios e regras estabelecidas neste Edital, sobre os quais não poderá alegar desconhecimento. Ao final de cada período letivo será expedido ao Bolsista um Certificado de Bolsista de Iniciação Científica assinado pelo Coordenador de Pesquisa e Iniciação Científica da UNIEURO e do Curso, cujas horas de atividades, na qualidade de bolsista, serão contabilizadas como horas de atividades complementares. Art. 16. Os casos não previstos neste Edital serão tratados pela Coordenação de Pesquisa e Iniciação Científica do UNIEURO. Brasília, 02 de Setembro_ de M.Sc. CRISTINA NITZ DA CRUZ REITORA CENTRO UNIVERSITÁRIO EURO-AMERICANO 5

REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA

REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA BARRETOS 2010 REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA Art. 1 - O Programa de Monitoria da Faculdade Barretos, destinado a alunos regularmente matriculados, obedecerá às normas

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA MONITORES Nº 001/2015

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA MONITORES Nº 001/2015 1/5 Av. Presidente Vargas, 725 Centro Tel.: (67)3437-3838 Ponta Porã MS. EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA MONITORES As Faculdades Magsul, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto

Leia mais

MINUTA DO EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS OU REMUNERADOS

MINUTA DO EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS OU REMUNERADOS MINUTA DO EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS OU REMUNERADOS O IESUR/FAAr torna público o presente Edital de Seleção de Monitores Voluntários ou Remunerados para o anos de, em conformidade com o

Leia mais

EDITAL nº 09/15 PROGRAMA DE BOLSAS DE SUSTENTABILIDADE/RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 2015.

EDITAL nº 09/15 PROGRAMA DE BOLSAS DE SUSTENTABILIDADE/RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 2015. EDITAL nº 09/15 PROGRAMA DE BOLSAS DE SUSTENTABILIDADE/RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 2015. A REITORA do Centro Universitário Estácio do Ceará, no uso de suas atribuições

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR. O CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições regimentais; RESOLVE:

CONSELHO SUPERIOR. O CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições regimentais; RESOLVE: CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº. 48, de 15 de fevereiro de 2013. Revoga a Resolução nº 6, de 05 de dezembro de 2007 que implantou a Monitoria na Faculdade e aprova o Regulamento da Monitoria na Faculdade

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA MONITORES N 002/2015

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA MONITORES N 002/2015 EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA MONITORES N 002/2015 O Reitor do CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS CEULP, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto na Resolução de n 374/2010

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) RESOLUÇÃO N.º 700/2009 Publicada no D.O.E. de 07-07-2009, p.16 Altera a Resolução nº 507/07 CONSU, que aprova o Regulamento de Monitorias

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA Cachoeira, março de 2011 REGULAMENTO DE MONITORIA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA CAPÍTULO l DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As presentes normas têm por objetivo organizar e disciplinar a monitoria, no âmbito

Leia mais

EDITAL Nº 88/2015 PROGRAD SELEÇÃO DE MONITORES PIMI 2015/2

EDITAL Nº 88/2015 PROGRAD SELEÇÃO DE MONITORES PIMI 2015/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROGRAMAS ESPECIAIS EM EDUCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA Av. NS 15, 109 Norte, sala 219, Bloco IV 77001-090 Palmas/TO

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 02/2015

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 02/2015 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 02/2015 A Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ) CAPÍTULO I DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1 - As normas que seguem visam orientar pesquisadores e bolsistas vinculados a projetos

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 1 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 A Coordenação do Curso de Ciências Contábeis, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

Regulamento do Programa de Monitoria dos Cursos de Graduação da Faculdade ASCES

Regulamento do Programa de Monitoria dos Cursos de Graduação da Faculdade ASCES Regulamento do Programa de Monitoria dos Cursos de Graduação da Faculdade ASCES 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1. Este documento determina as normas estabelecidas para o Programa de Monitoria a ser desenvolvido

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2014

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2014 1 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2014 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção e do Curso de Engenharia Civil, da

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MONITORES

PROCESSO SELETIVO DE MONITORES PROCESSO SELETIVO DE MONITORES A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), por meio da Pró-Reitoria de Ensino (PRE), torna pública a abertura das inscrições para seleção de Monitores do Programa Institucional

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03/2015

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03/2015 1 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03/2015 A Coordenação do Curso de Ciências Contábeis, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CÂMARA DE MONITORIA NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - Complementar a formação acadêmica do aluno, na área de seu

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 014/2009-CEP O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO APROVOU E EU, REITOR, SANCIONO A SEGUINTE RESOLUÇÃO:

R E S O L U Ç Ã O Nº 014/2009-CEP O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO APROVOU E EU, REITOR, SANCIONO A SEGUINTE RESOLUÇÃO: R E S O L U Ç Ã O Nº 014/2009-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia 9/11/2009. Aprova novo Regulamento do Programa Monitoria para os Cursos

Leia mais

CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção e do Curso de Engenharia Civil, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Art. 5 o do Regulamento de Monitoria,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO FASIPE CENTRO EDUCACIONAL LTDA. Mantenedora Faculdade Cenecista de Sinop Facenop/FASIPE Mantida REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO SINOP / MATO GROSSO 2014

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2015

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2015 1 A Coordenação do Curso de Administração, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Art. 5 o do Regulamento de Monitoria, Anexo da Resolução de 21 de dezembro

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DA FANESE

PROGRAMA DE MONITORIA DA FANESE EDITAL nº01/2014.2 Edital de abertura de seleção de alunos para Monitoria das Disciplinas a Distancia da Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe FANESE. I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1. O Núcleo

Leia mais

LABORATÓRIO AGÊNCIA MODELO TOTEM

LABORATÓRIO AGÊNCIA MODELO TOTEM CONCURSO DE MONITORIA LABORATÓRIO AGÊNCIA MODELO TOTEM EDITAL N. º 009/2013 (ALUNOS DO 2º AO 6º PERÍODOS DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA) I. DAS VAGAS, BOLSA DE MONITORIA, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA.

Leia mais

EDITAL Nº 06/2015 PROGRAMA DE MONITORIA

EDITAL Nº 06/2015 PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 06/2015 PROGRAMA DE MONITORIA Seleção de monitores para o Programa de Monitoria Acadêmica da Faculdade de Quatro Marcos - FQM 1. ABERTURA A Faculdade de Quatro Marcos FQM, em São José dos Quatro

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA

REGULAMENTO DA MONITORIA REGULAMENTO DA MONITORIA FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC SUMÁRIO TÍTULO I... 1 DA MONITORIA... 1 CAPÍTULO I... 1 DA CARACTERIZAÇÃO... 1 CAPÍTULO II... 2 DOS OBJETIVOS... 2 CAPÍTULO III... 2 DO

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 1 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA Nº 03 /2015 A Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS 2015 1) DOS OBJETIVOS O Programa de Monitoria de Graduação visa dar suporte às atividades acadêmicas

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA BOLSA DE EXTENSÃO N.º 18/2015

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA BOLSA DE EXTENSÃO N.º 18/2015 EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA BOLSA DE EXTENSÃO N.º 18/25 A Faculdade da Serra Gaúcha FSG, no uso de suas atribuições e de acordo com a Resolução Institucional n.º /25 realizará o Concurso

Leia mais

EDITAL N 26/2014 DE 21 de maio de 2014

EDITAL N 26/2014 DE 21 de maio de 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - IFMA CAMPUS SÃO JOÃO DOS PATOS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ENSINO DDE DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA FACIIP REGULAMENTO

PROGRAMA DE MONITORIA FACIIP REGULAMENTO PROGRAMA DE MONITORIA FACIIP REGULAMENTO Capitulo I Do Programa Art.1 O presente regulamento do Programa de Monitoria estabelece as regras para o exercício da monitoria por alunos regularmente matriculados

Leia mais

EDITAL Nº 11/2014. Processo Seletivo de Bolsistas para Monitoria em Ensino a Distância

EDITAL Nº 11/2014. Processo Seletivo de Bolsistas para Monitoria em Ensino a Distância UDF - CENTRO UNIVERSITÁRIO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL Nº 11/2014 Processo Seletivo de Bolsistas para Monitoria em Ensino a Distância A Pró-Reitora, no uso de suas atribuições regimentais e tendo em

Leia mais

Faculdade Figueiredo Costa FIC Núcleo de Apoio Acadêmico NAPA PROGRAMA DE MONITORIA PROM

Faculdade Figueiredo Costa FIC Núcleo de Apoio Acadêmico NAPA PROGRAMA DE MONITORIA PROM Faculdade Figueiredo Costa FIC Núcleo de Apoio Acadêmico NAPA PROM 1 APRESENTAÇÃO Hodiernamente, um profissional, de qualquer que seja a área, deve estar em constante processo de atualização, ele jamais

Leia mais

Edital de Monitoria do Curso de Nutrição

Edital de Monitoria do Curso de Nutrição Edital de Monitoria do Curso de Nutrição 2014.1 REGULAMENTO DA MONITORIA A prática de monitoria consiste na atuação docente de alunos que auxiliam outros alunos no processo de ensino-aprendizagem. O Curso

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA

REGULAMENTO DE MONITORIA INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO CNPJ: 63.083.869/0001-67 FACULDADE DE TAQUARITINGA REGULAMENTO DE MONITORIA 2015 REGULAMENTO DA FUNÇÃO DE MONITORIA A função de Monitor está previsto no artigo

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC -

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - REGULAMENTO PARA OS PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAMEC CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1. O Programa de

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIAS ÁREA DE SAÚDE

PROGRAMA DE MONITORIAS ÁREA DE SAÚDE ÁREA DE SAÚDE EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA Nº 0/05 A Faculdade da Serra Gaúcha FSG, no uso de suas atribuições e de acordo com a Diretriz Institucional n.º 03/0 realizará

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES SOBRE A MONITORIA

NORMAS REGULAMENTARES SOBRE A MONITORIA NORMAS REGULAMENTARES SOBRE A MONITORIA Art. 1º A FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST admitirá, sem vínculo empregatício, alunos dos seus Cursos de Graduação nas funções de Monitor, tendo como finalidade

Leia mais

Regulamento do Programa de Iniciação Científica Estácio FAMAP CAPÍTULO III. Da Natureza e Finalidades

Regulamento do Programa de Iniciação Científica Estácio FAMAP CAPÍTULO III. Da Natureza e Finalidades Regulamento do Programa de Iniciação Científica Estácio FAMAP CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidades Art. 1º. A iniciação científica é um instrumento que introduz o estudante de graduação com potencial promissor

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS MANUAL DE MONITORIA ACADÊMICA Com base na Resolução CSA 02/07, que estabelece Monitoria Acadêmica Centro de

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA ESTÁGIO FACULDADES FUTURÃO

REGULAMENTO BOLSA ESTÁGIO FACULDADES FUTURÃO REGULAMENTO BOLSA ESTÁGIO FACULDADES FUTURÃO A Diretora Geral da Faculdades Futurão, mantida por CENTEFF Centro Técnico e Faculdades Futurão, faz saber aos interessados que a IES oferece Bolsa de Estágio

Leia mais

NORMAS PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE UNIGRAN CAPITAL

NORMAS PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE UNIGRAN CAPITAL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIBIC NORMAS PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE UNIGRAN CAPITAL Capítulo I Da Natureza e das Finalidades Art. 1º Por Iniciação Científica

Leia mais

Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro. Fundação Educacional de Além Paraíba

Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro. Fundação Educacional de Além Paraíba Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro Fundação Educacional de Além Paraíba Regulamento de Monitoria Art. 1º A Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro admitirá, sem vínculo empregatício,

Leia mais

Lourisvaldo Valentim da Silva Presidente do CONSU

Lourisvaldo Valentim da Silva Presidente do CONSU RESOLUÇÃO Nº 928/2012 - Aprova o Regulamento do Programa de Bolsas de Extensão (PROBEX). Pró-Reitoria de Extensão (PROEX). O CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSU) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no

Leia mais

EDITAL Nº 03 01 de Junho de 2015

EDITAL Nº 03 01 de Junho de 2015 FACULDADE EVANGÉLICA DO PIAUÍ CREDENCIADA PELO MEC-PORTARIA Nº 2.858-13/09/2004 C.N.P.J 03.873.844/0001-35 EDITAL Nº 03 01 de Junho de 2015 A Coordenação do Curso de Bacharelado em Serviço Social da Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GRADE CURRICULAR 2008-2010 RIO CLARO 2010 1 REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I Da Origem, Finalidades e das Modalidades Art. 1º -

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, em anexo, o Regulamento dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da FAE Centro Universitário.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, em anexo, o Regulamento dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da FAE Centro Universitário. RESOLUÇÃO CONSEPE 09/2009 APROVA O REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso das

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE CURTA DURAÇÃO 2º SEMESTRE/2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE CURTA DURAÇÃO 2º SEMESTRE/2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE CURTA DURAÇÃO 2º SEMESTRE/2015 ABERTURA A Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV DIREITO SP) torna pública a abertura das inscrições para os

Leia mais

ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES

ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES EDITAL DE SELEÇÃO DISCENTE PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE EXTENSÃO BLOG CASA COR 2015 A Universidade Potiguar UnP, através da Escola de Comunicação e Artes, torna público

Leia mais

E D I T A L. 1º Para os casos de transferência externa serão aceitas, apenas, as inscrições para áreas afins.

E D I T A L. 1º Para os casos de transferência externa serão aceitas, apenas, as inscrições para áreas afins. EDITAL NRCA-SJP N.º 09/2015 DISPÕE SOBRE OS PROCESSOS DE INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS. O Coordenador do Núcleo

Leia mais

ITPA C P O R TO. Coppex. Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão

ITPA C P O R TO. Coppex. Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Coppex ITPA C P O R TO Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PROBEX NORMAS E POLÍTICAS DE FOMENTO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente

Leia mais

EDITAL Nº 01 13 DE AGOSTO DE 2015

EDITAL Nº 01 13 DE AGOSTO DE 2015 FACULDADE EVANGÉLICA DO PIAUÍ CREDENCIADA PELO MEC-PORTARIA Nº 2.858-13/09/2004 C.N.P.J 03.873.844/0001-35 EDITAL Nº 01 13 DE AGOSTO DE 2015 A Coordenação do Curso de Pedagogia da Faculdade Evangélica

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO & GRADUAÇÃO DIRETORIA DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DE MONITORIA

INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO & GRADUAÇÃO DIRETORIA DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DE MONITORIA PROJETO DE MONITORIA Goiânia GO 2013 IP5p Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG 2014 Projeto de monitoria /Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG: Organizadora: Silvana de Brito Arrais Dias.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU RESOLUÇÃO N.º 507/2007 Publicada no D.O.E. de 08/09-12-2007, pág. 24 Altera a Resolução Nº. 634/04 CONSEPE, que aprova o Regulamento de

Leia mais

Os requisitos são estabelecidos pela Resolução do Conselho Universitário n.º 001/2013:

Os requisitos são estabelecidos pela Resolução do Conselho Universitário n.º 001/2013: PROGRAMA PROGRAMA DE INCENTIVO À EXTENSÃO PIEX/FSA E D I T A L N.º 02/2013 A Fundação Santo André torna público o Edital N.º 02/2013 referente à abertura de 02 vagas para atuar junto ao REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MEIO AMBIENTE - UNIARA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: DINÂMICA REGIONAL E ALTERNATIVAS DE SUSTENTABILIDADE. CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO MESTRADO ACADÊMICO EM DIREITO DA REGULAÇÃO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FGV DIREITO RIO RIO DE JANEIRO 2015 SUMÁRIO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 25/11-CEPE R E S O L V E:

RESOLUÇÃO Nº 25/11-CEPE R E S O L V E: RESOLUÇÃO Nº 25/11-CEPE Fixa normas para execução do Programa Bolsa Extensão da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO da Universidade Federal do Paraná, órgão normativo,

Leia mais

EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE MONITORIA - UNIFEMM

EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE MONITORIA - UNIFEMM EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE MONITORIA - UNIFEMM Artigo Primeiro - O Centro Universitário de Sete Lagoas - UNIFEMM, informa que no período de 26 a 29/10/2015, de 09 às 18.00 horas,

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE CURTA DURAÇÃO 2º SEMESTRE/2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE CURTA DURAÇÃO 2º SEMESTRE/2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE CURTA DURAÇÃO 2º SEMESTRE/2015 ABERTURA A Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV DIREITO SP) torna pública a abertura das inscrições para os

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO DE GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO DE GRADUAÇÃO Aprovado no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) e Conselho de Administração Superior (CAS) em 18 de junho de 2015, Processo

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE TEIXEIRA DE FREITAS EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO EDITAL N. 03.2015

FACULDADE PITÁGORAS DE TEIXEIRA DE FREITAS EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO EDITAL N. 03.2015 FACULDADE PITÁGORAS DE TEIXEIRA DE FREITAS EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO EDITAL N. 03.2015 A Coordenação do Curso de Direito da Faculdade Pitágoras de Teixeira de Freitas,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NÚCLEO DE CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS - NUCSA DEPARTAMENTO ACADEMICO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL Nº 001/2014

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NÚCLEO DE CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS - NUCSA DEPARTAMENTO ACADEMICO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL Nº 001/2014 PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO NÚCLEO DE CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS - NUCSA DEPARTAMENTO ACADEMICO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL Nº 001/2014 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 1 A Fundação Universidade

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO Art. 1º A monitoria é uma atividade acadêmica, no âmbito da graduação, que pretende oferecer ao aluno experiência de iniciação à docência. 1º A monitoria

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL N º 04/2015 - CÂMPUS CHAPECÓ CHAMADA PÚBLICA 2015 Edital de Abertura de Vagas para Monitoria de Ensino e Bolsistas para Laboratórios e Serviços Administrativos RETIFICAÇÃO - 1 EXECUÇÃO: ABRIL/2015

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PEDAGOGIA

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PEDAGOGIA EDITAL DG N.º 07/2012 PROGRAMA DE MONITORIA PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PEDAGOGIA A Direção da Faculdade Internacional Signorelli, no uso de suas atribuições,

Leia mais

FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA FASI DIRETORIA DE EXTENSÃO

FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA FASI DIRETORIA DE EXTENSÃO FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA FASI DIRETORIA DE EXTENSÃO EDITAL PARA SELEÇÃO DE MONITORIA ACADÊMICA 05/23 A Diretoria de Extensão e a Coordenação do Curso de Graduação em Farmácia, no uso de suas atribuições

Leia mais

Artº 3º - O concurso será realizado semestralmente em data e horário estipulado em edital. Parágrafo único O concurso vigora por um semestre.

Artº 3º - O concurso será realizado semestralmente em data e horário estipulado em edital. Parágrafo único O concurso vigora por um semestre. A FIPEN, estimulada pela oportunidade de qualificar seus alunos para, no futuro, atuarem na função docente, cumprindo o que determina seu Regimento, disciplina o programa de monitoria do modo seguinte:

Leia mais

EDITAL Nº 03 de 06 de agosto de 2015

EDITAL Nº 03 de 06 de agosto de 2015 EDITAL Nº 03 de 06 de agosto de 2015 Dispõe sobre a oferta de vagas para participar da Comissão da Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Sabará, como cômputo de horas de atividades complementares.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas São Paulo, 20 de maio de 2009. ASSUNTO: NORMA ADMINISTRATIVA PARA A REALIZAÇÃO DE MONITORIA NO CCSA Prezado(a) Aluno(a), Considerando: I. a importância da monitoria como um dos meios para a operacionalização

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA

REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA REGULAMENTO DE MONITORIA FAESA Página 1 de 11 1. CONCEITO / FINALIDADE : A monitoria consiste na atividade de apoio aos alunos das disciplinas de oferta regular do currículo as quais os coordenadores de

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA DA FACULDADE DO NORTE GOIANO

REGULAMENTO DE MONITORIA DA FACULDADE DO NORTE GOIANO 1-19 FACULDADE DO NORTE GOIANO REGULAMENTO DE MONITORIA DA FACULDADE DO NORTE GOIANO Porangatu/GO 2012 SUMÁRIO 2-19 CAPÍTULO I - DA NATUREZA E OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO II - DOS REQUISITOS... 3 CAPÍTULO

Leia mais

EDITAL N.º 01/2015 - CONSEPE

EDITAL N.º 01/2015 - CONSEPE EDITAL N.º 01/2015 - CONSEPE A Direção da Faculdade Herrero torna públicos os procedimentos e normas para inscrição e seleção de Projetos de Iniciação Científica 2015/16. Este Edital está em conformidade

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SALVADOR 2014 REGULAMENTO DA MONITORIA A prática de monitoria consiste na atuação docente de alunos que auxiliam outros alunos

Leia mais

CNPJ: 41.478.561/0003-40 Av. Colares Moreira, n 443 Renascença São Luís/MA CEP 65075-970 Tel.: (98) 4009-7070 www.undb.edu.br

CNPJ: 41.478.561/0003-40 Av. Colares Moreira, n 443 Renascença São Luís/MA CEP 65075-970 Tel.: (98) 4009-7070 www.undb.edu.br A coordenação do curso de Sistemas de Informação realiza por meio do presente Edital o lançamento do Projeto de Pesquisa UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO AO PASSAGEIRO DE TRANSPORTE PÚBLICO, e convoca a comunidade

Leia mais

Portaria nº 69, de 30/06/2005

Portaria nº 69, de 30/06/2005 Câmara dos Deputados Centro de Documentação e Informação - Legislação Informatizada Portaria nº 69, de 30/06/2005 O PRIMEIRO-SECRETÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 7, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 7, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 7, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2015. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, considerando a Resolução nº

Leia mais

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. CONSELHO PEDAGÓGICO - COP RESOLUÇÃO Nº. 13/2008, DE 03 DE ABRIL DE 2008 Aprova o Regulamento de Monitoria Faculdade de Lucas do Rio Verde. O Presidente do Conselho Pedagógico - COP, face ao disposto no

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Conceituação e Objetivos

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Conceituação e Objetivos 1 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Conceituação e Objetivos O Programa de Bolsas de Iniciação Científica da FIAR é um programa centrado na iniciação científica de novos talentos entre alunos

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 45/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo do Programa de Integralização de Créditos para a Conclusão do Curso Superior de Teologia Vestibular 1º semestre de 2016 O REITOR

Leia mais

EDITAL COPE/PROME/NUPEX/FAMAZ 2015-2B-ENGENHARIA CIVIL CONCESSÃO DE VAGAS NO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA DE ENSINO (PROME)

EDITAL COPE/PROME/NUPEX/FAMAZ 2015-2B-ENGENHARIA CIVIL CONCESSÃO DE VAGAS NO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA DE ENSINO (PROME) FACULDADE METROPOLITANA DA AMAZÔNIA - FAMAZ NÚCLEO GESTOR DE PESQUISA E EXTENSÃO NUPEX COORDENADORIA DE PESQUISA - COPE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA DE ENSINO - PROME EDITAL COPE/PROME/NUPEX/FAMAZ

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É MONITORIA

INTRODUÇÃO O QUE É MONITORIA MANUAL DE MONITORIA Maceió Alagoas 1 INTRODUÇÃO A Facima oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de Monitorias. Apenas será considerado monitor o aluno que

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO E MARKETING INSTITUTO BRASILEIRO DE SAÚDE. EDITALn 02/2015. CAMPUS 2 SAÚDE e CAMPUS 1- GASTRONOMIA

INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO E MARKETING INSTITUTO BRASILEIRO DE SAÚDE. EDITALn 02/2015. CAMPUS 2 SAÚDE e CAMPUS 1- GASTRONOMIA INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO E MARKETING INSTITUTO BRASILEIRO DE SAÚDE EDITALn 02/2015 CAMPUS 2 SAÚDE e CAMPUS 1- GASTRONOMIA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA O Instituto Brasileiro de Gestão e Marketing

Leia mais

FACULDADE METODISTA GRANBERY FMG NÚCLEO DE PESQUISA - NPq EDITAL 02/10. Edital de Chamada de Projetos de Iniciação Científica

FACULDADE METODISTA GRANBERY FMG NÚCLEO DE PESQUISA - NPq EDITAL 02/10. Edital de Chamada de Projetos de Iniciação Científica FACULDADE METODISTA GRANBERY FMG NÚCLEO DE PESQUISA - NPq EDITAL 02/10 Edital de Chamada de Projetos de Iniciação Científica O Diretor da Faculdade Metodista Granbery, nos termos da legislação vigente,

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PRÓ-CIÊNCIA) CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PRÓ-CIÊNCIA) CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS REGULAMENTO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PRÓ-CIÊNCIA) CAPÍTULO DOS OBJETIVOS Art. 1. O Programa Institucional de Iniciação Científica (Pró-Ciência) tem por objetivo geral o desenvolvimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO Campus Universitário Viçosa MG 36570-000 Telefone: (31)3899-2367 Fax: (31)3899-1236 e:mail: mobilidade.pre@ufv.br

Leia mais

CRONOGRAMA DATA ATIVIDADE LOCAL. Período de inscrições e protocolo dos documentos

CRONOGRAMA DATA ATIVIDADE LOCAL. Período de inscrições e protocolo dos documentos PROGRAMA ANUAL DE CAPACITAÇÃO CONTINUADA DE PROFISSIONAIS EM EAD PACC CURSO DE TUTORIA EM EAD Processo Seletivo Simplificado para contratação de tutores a distância Edital n. 13/2014 CRONOGRAMA DATA ATIVIDADE

Leia mais

EDITAL Nº 09/2015/PROCULT

EDITAL Nº 09/2015/PROCULT EDITAL Nº 09/2015/PROCULT SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA BOLSA DE CULTURA DO NÚCLEO DE LÍNGUAS E CULTURAS ESTRANGEIRAS (NLC) NO ÂMBITO DA PRÓ- REITORIA DE CULTURA 2016 A Pró-Reitoria de Cultura torna pública

Leia mais

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE BRASILEIRA MULTIVIX-Vitória,

Leia mais

Título I. Da Monitoria

Título I. Da Monitoria MONITORIA O programa de monitoria tem como objetivo dar oportunidade de aprimoramento na formação do aluno e ainda despertar a valorização do ensino aprendizado de sua prática bem como estimular a seguir

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO DE MONITORIA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 01 DE 12 DE AGOSTO DE 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO DE MONITORIA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 01 DE 12 DE AGOSTO DE 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE COMISSÃO DE MONITORIA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 01 DE 12 DE AGOSTO DE 2015 EMENTA: Estabelece critérios para a operacionalização da Monitoria Voluntária, com vistas ao ano

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL EDITAL DE ABERTURA DE VAGAS PARA PROFESSOR-MONITOR DO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL, N 2 DE 03 DE SETEMBRO DE 2012. A Coordenação do Projeto Cursinho

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC SUMÁRIO CAPÍTULO I... 1 DO PROGRAMA DE BOLSAS... 1 CAPÍTULO II... 1 DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO III...

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE DISCENTE PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE EXTENSÃO

EDITAL DE SELEÇÃO DE DISCENTE PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE EXTENSÃO EDITAL DE SELEÇÃO DE DISCENTE PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO DE EXTENSÃO O Diferencial do profissional de Secretariado Executivo dentro do contexto empresarial" EDITAL 001/2014 COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA

PROGRAMA DE MONITORIA PROGRAMA DE MONITORIA 17/12/2006 PROJETO DE MONITORIA FACIS A FACIS, com atuação na área da Saúde, vem desde sua criação procurando iniciativas de promoção do desenvolvimento e aprimoramento dos alunos

Leia mais

Regulamento de Monitoria do Curso de Medicina da UNOESTE. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO

Regulamento de Monitoria do Curso de Medicina da UNOESTE. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO Regulamento de Monitoria do Curso de Medicina da UNOESTE. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente Regulamento estabelece as finalidades, objetivos, atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA GABINETE DO REITOR RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Nº 008/90

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA GABINETE DO REITOR RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Nº 008/90 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA GABINETE DO REITOR RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Nº 008/90 Dispõe sobre o Sistema de Monitoria na UnB. O REITOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, Presidente do

Leia mais