Biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas"

Transcrição

1 Biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas Gestão operacional de lavouras transgênicas nas fazendas: Eficiência e Custos Aurelio Pavinato CEO SLC Agrícola S.A.

2 Agenda 1 - Rotação de culturas 2 Manejo de ervas daninhas 3 Manejo de pragas 4 Custo benefício das tecnologias 5 Conclusões

3 Agenda 1 - Rotação de culturas 2 Manejo de ervas daninhas 3 Manejo de pragas 4 Custo benefício das tecnologias 5 Conclusões

4 1. ROTAÇÃO DE CULTURAS Importância na formação de blocos de lavouras; Identificação de quais são os pontos de entrada e saída de pragas ao longo da safra; Ampliação no portfólio de herbicidas e Inseticidas Fonte: SLC Agricola Fazenda Parnaíba

5 1. ROTAÇÃO DE CULTURAS 1.1. Manejo da Rotação Qualquer cultura sucessora ao Algodão, que não seja bem manejada é problema! ROTAÇÃO ALGODÃO-MILHO ROTAÇÃO ALGODÃO-SOJA

6 Agenda 1 - Rotação de culturas 2 Manejo de ervas daninhas 3 Manejo de pragas 4 Custo benefício das tecnologias 5 Conclusões

7 2. MANEJO DE ERVAS DANINHAS 2.1 Tecnologia WS e LL : Diversificação de princípios ativos para manejo de resistência Manejo de Pré-Emergentes: Uso de Trifluralina + Diuron + Clomazone + S- Metalochlor. Manejo de Pós-Emergentes: Piritiobaque-sódico (Staple). O Staple auxilia muito no controle de Amaranthus.

8 2. MANEJO DE HERBICIDAS 2.1. Tecnologia WS e LL: Testes em Algodão WS com a aplicação de Glufosinato (não totalmente sistêmico, apresenta apenas marcador PAT). FMX 975WS Com Glufosinato Sem Glufosinato Fonte: SLC Agricola

9 2. MANEJO DE HERBICIDAS 2.1. Tecnologias WS e LL: Dificuldades de Controle (Problemas): Mentrasto (Sapezal/MT) Apaga-fogo(Região do Parecis/MT) Fonte: SLC Agricola

10 2. MANEJO DE HERBICIDAS 2.2.Tecnologias RR Flex e GL: Manejo de Pré-Emergentes: Uso de Trifluralina + Diuron + Clomazone. Manejo de Pós-Emergentes: Glufosinato de Amônio + Glifosate + Glifosate (Algodão 1ª Safra) Glufosinato de Amônio + Glifosate (Algodão 2ª Safra) Indispensável o uso da trifluralina, para o manejo de capim amargoso resistente ao glifosate. Nas Cultivares RF, é necessário a associação com Envoke ou Staple no Algodão 2ª Safra.

11 2. MANEJO DE HERBICIDAS 2.3. Tecnologias RR Flex (CP4-EPSPS) e GL(2mEPSPS): Dificuldades de Controle (Problemas): Capim Amargoso(Bahia) Amargoso Resistente ao Glifosate; Importância do uso da Trifluralina para o controle do Amargoso; Amaranthus palmeri (MT)? (Indispensável o uso de Trifluralina) Fonte: SLC Agricola Fazenda Piratini/BA Fonte: IMA mt, 2015

12 2. MANEJO DE HERBICIDAS 2.4. Tecnologia CONVENCIONAL: Manejo de Pré-Emergentes: Uso de Trifluralina + Diuron + Clomazone + S-Metalochlor. Manejo de Pós-Emergentes: Trifloxissulfuron sódico (Envoke) + Piritiobaque sódico (Staple) Jato Dirigido: Diuron + S-Metalochlor + Glifosate ***Necessidade de Capina Dificuldade de Manejo com as principais plantas daninhas Infestantes: MT, MS: Apaga Fogo, Caruru, Buva, Mentrasto, Leiteiro (ALS), Picão (ALS); BA, GO: Capim Amargoso, Caruru, Joá Bravo. MA: Vassourinha de Botão, Caruru, Picão (ALS), Leiteiro (ALS).

13 2. MANEJO DE HERBICIDAS 2.4. Tecnologia CONVENCIONAL: Dificuldades de Controle (Herbicidas Inibidores de ALS): Picão-preto (Sapezal) Leiteiro (Sapezal) Fonte: SLC Agricola

14 PERSPECTIVAS FUTURAS (HERBICIDAS): Tecnologia Enlist: o Melhoria no controle de plantas daninhas; o Problema no controle da própria soqueira e plantas tigueras do Algodão na cultura da Soja, e do próprio Algodão; o Com o aumento do Bicudo nas regiões produtoras, voltaremos para o manejo mecânico da soqueira? o Não descartar o uso de pré-emergentes, afim de evitar o aparecimento de plantas invasoras resistentes ao 2,4D e ao Glifosate; Fonte: SLC Agricola (Fotos tiradas em beira de rodovias)

15 Agenda 1 - Rotação de culturas 2 Manejo de ervas daninhas 3 Manejo de pragas 4 Custo benefício das tecnologias 5 Conclusões

16 CENÁRIO ATUAL 1 Regiões tropicais com grande pressão de pragas; 2 Múltiplas gerações por ciclo e em várias culturas; 3 Facilidade de surgimento de novas pragas; 4 Inseticidas mais seletivos.

17 3. MANEJO DE PRAGAS: 3.1. Tecnologia Bollgard 2 e TwinLink (Cry 1Ab Cry 2Ae): Problemas Futuros: Frequência de Resistência de Indivíduos: Quantas lagartas carregam o gene de resistência para as toxinas bt? Helicoverpa armigera 1 em Cry 1Ac 1 em 81 Cry 2Ab 1 em 81 Vip 3A Com as Tecnologias VtPRO e Powercore falhando, como será o comportamento das tecnologias Bollgard 2 e TwinLink? Proteínas não expressas em todo ciclo. Fonte: CSIRO Australia, 2014

18 3. MANEJO DE PRAGAS: 3.2. Eficiência das biotecnologias para o controle de lagartas Tecnologias Bt disponíves para cultivo e respectivos graus de resistência relativos* esperados para as diferentes pragas-alvo que atacam a cultura no MT. Tecnologia Proteína(s) Inseticida(s) ou Toxina(s) Lagarta- Elasmo Elasmopalpus lignosellus Lagarta- Curuquerê Alabama argillacea Lagarta-Falsa- Medideira Pseudoplusia includens Lagarta-da- Maça Heliothis virescens Lagarta-da- Espiga Helicoverpa zea Lagarta- Armigera Helicoverpa armigera Lagarta-Militar Spodoptera frugiperda Lagarta- Eridania Spodoptera eridania Lagarta- Rosada Pectinophora gossypiella Bollgard Cry1Ac MR AR S AR S S AS AS AR Bollgard II Cry1Ac + Cry2Ab2 MR AR AR AR AR AR MR MR AR TwinLink Cry1Ab + Cry2Ae MR AR AR AR AR AR MR MR AR WideStrike Cry1Ac + Cry1F MR AR AR AR S S S AR AR *em relação ao dano médio de variedades modificadas e suas convencionais: VERMELHO - Alta Suscetibilidade (AS); LARANJA - Suscetibilidade (S); AMARELO - Moderada Resistência (MR); AZUL - Alta Resistência (AR); VERDE - Imunidade (I). **ATENÇÃO: (1) informações de campo indicam que em algumas regiões e ou sob algumas condições climáticas a proteína Cry1F está apresentando falhas de controle para S.frugiperda(Degrande, 2013); (2) resistência de populações da praga a Cry1F foi confirmada em todo o Brasil (Farias et al, 2014). Fonte: Anais do Congresso Norte-Americano de Algodão (Proceedings of the Beltwide Cotton Conferences) e Anais do Congresso Australiano de Algodão (Australian Cotton Conference Proceedings) e Thomazoni et al. (2013)

19 3. MANEJO DE PRAGAS: 3.3. Tecnologia WS (Cry 1Ac Cry 1F): Spodoptera (Spodoptera spp.) DIFICULDADES: 1- Baixa expressão gênica do Bacillus thuringiensis em tecidos meristemáticos(pólen> Flores>Ponteiro); 2- Hábito das lagartas protegendo-se internamente na flor ou brácteas; 3- Dificuldade de aplicação e chegada do inseticida, em função da proteção pela flor, e estruturas florais; 4- Migração Milho Algodão (Como intervir?); 5- Dose letal do Cristal. (Quanto isso influencia na resistência dos Lepidópteros?) Maior dose letal, maior probabilidade de resistência?

20 % de Ataque 3. MANEJO DE PRAGAS 3.4. Tendência da infestação por biotecnologia: 210 Flutuação do complexo de lagartas - Fazenda Panorama/BA DAE Polinômio (Infestação GL) Polinômio (Infestação WS) Polinômio (Infestação GLT)

21 3. MANEJO DE PRAGAS: 3.5. Tecnologia Bollgard 2 e Twinlink: Helicoverpa (Helicoverpa spp.) DIFICULDADES: 1- Hábito mais agressivo, maior severidade de ataque, mesmo após a formação das maçãs; 2- Produtos (Inseticidas) com menor eficiência no Campo. 3- Dose letal do Cristal. (Quanto isso influencia na resistência dos Lepidópteros?) Maior dose letal, maior probabilidade de resistência?

22 3. MANEJO DE PRAGAS: 3.6. Tecnologia Bollgard 2 e TwinLink Problemas (Presente e Futuro): Bicudo (Anthonomus grandis) OBS: Redução do uso de Inseticidas, diminuindo a supressão de outras pragas.

23 3. MANEJO DE PRAGAS: 3.7. Tecnologia Bollgard 2 e TwinLink : Problemas (Presente e Futuro): OBS: Aumento dos índices de Mosca Branca (Policultivos).

24 3. MANEJO DE PRAGAS 3.8. Distribuição dos refúgios: MODELO 1: Dificuldades: *Implantação MODELO 2: *Maior Facilidade no MIP e na Aplicação Fonte: SLC Agricola Fazenda Paladino/BA

25 3. MANEJO DE PRAGAS 3.8. Distribuição dos refúgios: Convencional (Refúgio 20%) Bt (Widestrike) Importância do uso correto dos refúgios para manutenção da tecnologia; Fonte: SLC Agricola Fazenda Paiaguás/MT

26 3. MANEJO DE PRAGAS 3.8. Distribuição dos refúgios: REFÚGIO 5% - Não Aplicado (Maranhão) Redução do potencial produtivo. FM975WS = FM944GL = Fonte: SLC Agricola (FZPB)

27 PERSPECTIVAS FUTURAS (INSETICIDAS): Tecnologia (Vip3A) Ultimo Trait para empilhamento nos próximos 8 anos; Australia manteve o Cry 1Ac por 11 anos e ainda mantém eficiência até hoje. Lançamento do VIP3A no Algodão em 15/16. Qual o modelo de refúgio ideal, analisando um sistema de policultivos entre Soja, Milho e Algodão apresentando o mesmo Trait? (Cry 1Ac, VIP3A); Doses letais por proteína: Comportamento da alimentação das lagartas; Postura dos ovos na flor ou nas brácteas;

28 Agenda 1 - Rotação de culturas 2 Manejo de ervas daninhas 3 Manejo de pragas 4 Custo benefício das tecnologias 5 Conclusões

29 CUSTO DO TRAIT X CUSTO DOS INSETICIDAS (sem custo operacional): Não contemplado o custo com a operação $237,60 $170,95 $170, $285,71 $285,71 $285, $105,00 $160,00 $160,00 0 $- $- $- WS GLT B2RF GL LL CONV. Trait (Bt) U$/ha INSETICIDAS *Gastos médios na SLC Agricola Fonte: SLC Agricola

30 CUSTO DO TRAIT X CUSTO DOS HERBICIDAS (sem custo operacional): 250 Não contemplado o custo com a capina $146,10 $117,74 $97,70 $117,74 $152,00 $168, $80,00 $80,00 $80,00 $40,00 $40,00 $- WS GLT B2RF GL LL CONV. Trait (Herb.) U$/ha HERBICIDAS *Gastos médios na SLC Agricola Fonte: SLC Agricola

31 Agenda 1 - Rotação de culturas 2 Manejo de ervas daninhas 3 Manejo de pragas 4 Custo benefício das tecnologias 5 Conclusões

32 5. CONCLUSÕES: Necessidade de Piramidação de traits para o controle de lagartas (Longevidade); Novos Traits em cultivares de qualidade, produtividade e rendimento (Vip3A, por exemplo, resistência a percevejos, nectariless cotton, Enlist); Vida longa para as tecnologias no Brasil: refúgios que sejam funcionais, práticos e que preservem as tecnologias; Viabilização das rotações de culturas, sem dificuldade na destruição de soqueiras, rebrotas e tigueras (resistência a herbicidas);

33 DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO AGRICOLA E PESQUISA Aurélio Pavinato Diretor Presidente CEO Matriz - Porto Alegre /RS Tel: +55 (51) Cel: +55 (51) OBRIGADO

Objetivos desta tarde 04/03/2013. Helicoverpa no Sistema: dinâmica e controle difícil

Objetivos desta tarde 04/03/2013. Helicoverpa no Sistema: dinâmica e controle difícil Helicoverpa no Sistema: dinâmica e controle difícil MANEJO REGIONAL: proposta coletiva e de ampla adesão Paulo E. Degrande, UFGD Foto: R. Inoue Foto: Luciano Biancini Objetivos desta tarde Manejar a Helicoverpa

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ANO III / Nº 80 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ALERTA PARA O CONTROLE DO BICUDO DO ALGODOEIRO A presença do bicudo foi relatada e identificada

Leia mais

Mesa Redonda- Sala 4 BIOTECNOLOGIAS NO ALGODOEIRO: EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

Mesa Redonda- Sala 4 BIOTECNOLOGIAS NO ALGODOEIRO: EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Mesa Redonda- Sala 4 BIOTECNOLOGIAS NO ALGODOEIRO: EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS : EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS 1- Transgenias disponíveis, variedades, problemas e perspectivas

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 DESAFIOS FITOSSANITÁRIOS NO MANEJO DE LAVOURAS WORKSHOP APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS - FBA Engº Agrº EZELINO CARVALHO INTRODUÇÃO O objetivo desta apresentação é dialogar sobre os problemas fitossanitários

Leia mais

Desafios fitossanitários do cultivo da soja no Mercosul: INSETOS PRAGAS Desafios para o Brasil

Desafios fitossanitários do cultivo da soja no Mercosul: INSETOS PRAGAS Desafios para o Brasil Desafios fitossanitários do cultivo da soja no Mercosul: INSETOS PRAGAS Desafios para o Brasil Edson Hirose Embrapa Soja 1 As principais pragas Da Soja? 2 Principais pragas x fase de desenvolvimento da

Leia mais

ESTRATÉGIAS MAIS EFICIENTES PARA O MANEJO DE LEPIDÓPTEROS NOS SISTEMAS DO CERRADO. Walter Jorge dos Santos YEHOSHUA HAMASHIACH

ESTRATÉGIAS MAIS EFICIENTES PARA O MANEJO DE LEPIDÓPTEROS NOS SISTEMAS DO CERRADO. Walter Jorge dos Santos YEHOSHUA HAMASHIACH ESTRATÉGIAS MAIS EFICIENTES PARA O MANEJO DE LEPIDÓPTEROS NOS SISTEMAS DO CERRADO. Walter Jorge dos Santos CERRADO BRASILEIRO & CENÁRIOS > oportunidades e desafios! HOSPEDEIROS CULTIVADOS SIMULTANEOS E/OU

Leia mais

P a n o r a m a dos insetos pragas das culturas de soja, milho e algodão na Defesa Sanitária Vegetal para Mato Grosso do Sul

P a n o r a m a dos insetos pragas das culturas de soja, milho e algodão na Defesa Sanitária Vegetal para Mato Grosso do Sul P a n o r a m a dos insetos pragas das culturas de soja, milho e algodão na Defesa Sanitária Vegetal para Mato Grosso do Sul PAULO E. DEGRANDE Universidade Federal da Grande Dourados O CONVITE versus FALAR

Leia mais

ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo SEMEANDO O FUTURO

ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo SEMEANDO O FUTURO ManeJo de Insetos na soja Intacta RR2 PRo A cultura da soja está exposta, durante gemmatalis (lagarta todo o seu ciclo, ao ataque de diferentes Pseudoplusia includens espécies de insetos. Esses insetos

Leia mais

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO Segundo o Dicionário Aurélio, planejamento é o ato ou efeito de planejar (Fazer o plano ou planta de traçar); Trabalho de preparação

Leia mais

CIRCULAR TÉCNICA. Helicoverpa armigera: perigo iminente aos cultivos de algodão, soja e milho do estado de Mato Grosso

CIRCULAR TÉCNICA. Helicoverpa armigera: perigo iminente aos cultivos de algodão, soja e milho do estado de Mato Grosso CIRCULAR TÉCNICA Nº 5 / 2013 Julho de 2013 Publicação periódica de difusão científica e tecnológica editada pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e dirigida a profissionais envolvidos com o

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL ANO III / Nº 70 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 01 A 13 DE JANEIRO DE 2014 Este Relatório apresenta algumas informações negativas para a situação fitossanitária do algodão

Leia mais

Algodão segunda safra no Mato Grosso do Sul. André Luis da Silva

Algodão segunda safra no Mato Grosso do Sul. André Luis da Silva Algodão segunda safra no Mato Grosso do Sul André Luis da Silva Introdução Situação da cultura do algodoeiro no estado do MS. Situação da cultura do algodoeiro no Grupo Schlatter. Principais desafios.

Leia mais

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS DE ALGODÃO NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS DE ALGODÃO NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS DE ALGODÃO NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO Wanderley Katsumi Oishi Consultor Agrícola Quality Cotton Cons. Agronômica Ltda. Cenário do Manejo das Variedades Transgênicas

Leia mais

MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO. MAURO BRAGA Pesquisador

MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO. MAURO BRAGA Pesquisador MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO MAURO BRAGA Pesquisador Sistemas agrícolas Insetos e ácaros na soja Insetos no milho Inseticidas: manejo melhor Sistemas agrícolas Sistemas agrícolas

Leia mais

O produtor pergunta, a Embrapa responde

O produtor pergunta, a Embrapa responde Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento O produtor pergunta, a Embrapa responde José Carlos Cruz Paulo César Magalhães Israel

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.01 9 de abril de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 6 Figuras Figura 1. Adoção da

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 73 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O plantio de algodão

Leia mais

Mas que negócio é esse de resistência de insetos?

Mas que negócio é esse de resistência de insetos? O milho Bt é obtido por meio da transformação genética de plantas de milho com genes da bactéria Bacillus thuringiensis, os quais promovem a expressão de proteínas com ação inseticida. Um trabalho que

Leia mais

RESULTADOS DE PESQUISA

RESULTADOS DE PESQUISA RESULTADOS DE PESQUISA 02 2013 ALTA INFESTAÇÃO DE LAGARTAS NA CULTURA DO MILHO BT Eng. Agr. M. Sc. José Fernando Jurca Grigolli 1 ; Eng. Agr. Dr. André Luis Faleiros Lourenção 2 INTRODUÇÃO As tecnologias

Leia mais

Leonardo Melgarejo - GEA/NEAD-MDA - melgarejo.leonardo@gmail.com

Leonardo Melgarejo - GEA/NEAD-MDA - melgarejo.leonardo@gmail.com Pressupostos incorretos Métodos/amostras inadequados Descaso à evidências Fragilização de normativas Excesso de confiança DEBATE SOBRE AS Reflexões e Propostas da MESA DE CONTROVÉRSIAS SOBRE TRANSGÊNICOS

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB13.02 16 de dezembro de 2013 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

Papel do Monitoramento no Manejo de Resistência (MRI)

Papel do Monitoramento no Manejo de Resistência (MRI) Papel do Monitoramento no Manejo de Resistência (MRI) Samuel Martinelli Monsanto do Brasil Ltda 1 I WORKSHOP DE MILHO TRANSGÊNICO 07-09 DE MARÇO DE 2012 SETE LAGORAS,MG Conceito de resistência Interpretação

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Marcelo C. Picanço Prof. de Entomologia Universidade Federal de Viçosa Telefone: (31)38994009 E-mail: picanco@ufv.br Situação do Controle de Pragas de Grandes

Leia mais

Audiência Pública Nº 02/2007

Audiência Pública Nº 02/2007 Audiência Pública Nº 02/2007 Requerimentos da CIBio da Monsanto do Brasil Ltda. para liberação comercial de algodão geneticamente modificado: Processo n o 01200.004487/04-48 - Algodão MON 1445 Processo

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.03 16 de dezembro de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

Guia de Produtos 2014. Região Sul

Guia de Produtos 2014. Região Sul Guia de Produtos 2014 Sul Eleita em 2013 a melhor empresa brasileira de sementes * *Revista Globo Rural Supervisores regionais Índice Mato Grosso do Sul Nicolas Alves Cornacioni (67) 8118 6043 nicolas.cornacioni@coodetec.com.br

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012 Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012 Núcleo 1 Matrinchã, Jussara e região. Os trabalhos estão concentrados

Leia mais

Ações de manejo da. Helicoverpa armigera. Realização:

Ações de manejo da. Helicoverpa armigera. Realização: Ações de manejo da Helicoverpa armigera Realização: Quem é a praga? A Helicoverpa armigera é uma praga exótica, polífaga, que se alimenta de várias culturas agrícolas e plantas daninhas. Na fase de larva

Leia mais

A lagarta Helicoverpa armigera

A lagarta Helicoverpa armigera A lagarta Helicoverpa armigera Na última safra, um ataque severo de lagartas do Gênero Helicoverpa foi observado nas lavouras de algodão, soja e milho na região Norte. Inicialmente, várias suposições foram

Leia mais

Mesorregião MT-RO Mato Grosso - Rondônia. Catálogo Soja

Mesorregião MT-RO Mato Grosso - Rondônia. Catálogo Soja Mesorregião MT-RO Mato Grosso - Rondônia Catálogo Soja 2013 Cultivares de Soja Marca Pionee r Mesorregião MT-RO Diversidade genética e qualidade A DuPont Pioneer, com mais de 85 anos de melhoramento, é

Leia mais

Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013.

Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013. Ano II 20 de maio de 2013. Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013. A Ampasul participou do 11º Encontro dos cotonicultores da região de Paranapanema/SP e pode ver que naquela região os produtores

Leia mais

Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo. Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP

Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo. Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP Holambra Agrícola Assessoria e Consultoria S/C Ltda Nome Função MSc Guido Aguilar Sanchez A.

Leia mais

Índice 2 ALGODÃO TECNOLOGIA NO CAMPO PARA UMA INDÚSTRIA DE QUALIDADE

Índice 2 ALGODÃO TECNOLOGIA NO CAMPO PARA UMA INDÚSTRIA DE QUALIDADE SETEMBRO/2010 Índice Um Pouco de História Origem 4 Domesticação 5 Evolução 5 No Brasil 5 Genética Melhoramento convencional 6 No Brasil 7 Foco nas pesquisas 7 Biotecnologia 8 Presente 8 Futuro 8 O Conselho

Leia mais

Eficiência de eventos transgênicos de resistência a insetos em soja e milho

Eficiência de eventos transgênicos de resistência a insetos em soja e milho Abril a Junho de 2015 201 Eficiência de eventos transgênicos de resistência a insetos em soja e milho Fernando Afonso Bedin 1, Eloir José Assmann 2, Leandra Regina Texeira Polo 3 e Ivan Schuster 4 Resumo:

Leia mais

Palavras-chaves: Algodão, controle biológico, levantamento de pragas.

Palavras-chaves: Algodão, controle biológico, levantamento de pragas. FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DE PRAGAS DO ALGODOEIRO COLORIDO BRS VERDE EM CATALÃO - GO. Nilton Cezar Bellizzi 2,4 ; David Hudson lopes Junior 1,4 ; Roberli Ribeiro Guimarães 3,4 ; Juliana Costa Biscaia 3,4

Leia mais

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas Controle Biológico Postura no coleto Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br Posturas nas folhas Proteção Ambiental: Controle Biológico Agrotóxicos Produtividade x Saúde do Trabalhador Rural Fonte:

Leia mais

Passo a passo na escolha da cultivar de milho

Passo a passo na escolha da cultivar de milho Passo a passo na escolha da cultivar de milho Beatriz Marti Emygdio Pesquisadora Embrapa Clima Temperado (beatriz.emygdio@cpact.embrapa.br) Diante da ampla gama de cultivares de milho, disponíveis no mercado

Leia mais

DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA

DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA O AMBIENTE AGRÍCOLA Fatores climáticos Plantas hospedeiras Pragas Práticas culturais MUDANÇA NAS PRÁTICAS CULTURAIS 1977 1987

Leia mais

Cultura do algodoeiro (Gossypium ssp.)

Cultura do algodoeiro (Gossypium ssp.) Cultura do algodoeiro (Gossypium ssp.) Março de 2013 Originário da Ìndia Origem e histórico O algodoeiro americano teria sua origem no México e no Peru Em 1576, os índio usavam a pluma para fazer cama

Leia mais

Manejo Inicial de Pragas na Cultura do Milho Verão. Eng. Agro. Fabricio Bona Passini Gerente de Agronomia Unidade Comercial Sul

Manejo Inicial de Pragas na Cultura do Milho Verão. Eng. Agro. Fabricio Bona Passini Gerente de Agronomia Unidade Comercial Sul Manejo Inicial de Pragas na Cultura do Milho Verão Eng. Agro. Fabricio Bona Passini Gerente de Agronomia Unidade Comercial Sul Agenda Porque estamos tendo problemas com alta pressão inicial de pragas na

Leia mais

Cultivar Grandes Culturas Ano XIV Nº 160 Setembro 2012 ISSN - 1516-358X. Nossas capas. Destaques. Expediente. Índice

Cultivar Grandes Culturas Ano XIV Nº 160 Setembro 2012 ISSN - 1516-358X. Nossas capas. Destaques. Expediente. Índice Cultivar Grandes Culturas Ano XIV Nº 160 Setembro 2012 ISSN - 1516-358X Destaques Nossas capas Mobilidade surpreendente...18 Como lidar com o aumento progressivo de pragas como lagartas, percevejos, mosca-branca

Leia mais

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO LEANDRO CARLOS FERREIRA 1,3 ; ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,3 RESUMO: O sistema de cultivo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ÁREA DE REFÚGIO SEMEANDO O FUTURO

A IMPORTÂNCIA DA ÁREA DE REFÚGIO SEMEANDO O FUTURO A IMPORTÂNCIA DA ÁREA DE REFÚGIO INTRODUÇÃO Desde o início da atividade agrícola e da domesticação das plantas há cerca de 9 mil anos, o homem realiza o melhoramento genético das plantas cultivadas com

Leia mais

Plano de Supressão da praga Helicoverpa armigera no Estado do Piauí (02/01/2014)

Plano de Supressão da praga Helicoverpa armigera no Estado do Piauí (02/01/2014) Plano de Supressão da praga Helicoverpa armigera no Estado do Piauí (02/01/2014) CONTEÚDO INTRODUÇÃO MEDIDAS EMERGENCIAIS PARA O MANEJO DE Helicoverpa armigera 1. Uso de plantas geneticamente modificadas

Leia mais

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Helicoverpa armigera Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Controle Biológico com ênfase a Trichogramma Postura no coleto Posturas nas folhas Trichogramma Manejo Integrado de Pragas com ênfase

Leia mais

Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes Transgênicas de Milho 1 João Carlos Garcia 2 e Rubens Augusto de Miranda 2

Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes Transgênicas de Milho 1 João Carlos Garcia 2 e Rubens Augusto de Miranda 2 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes Transgênicas de Milho 1 João Carlos Garcia 2 e Rubens Augusto

Leia mais

Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná

Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná Capim-marmelada e leiteiro são exemplos de grandes problemas que aconteceram nas lavouras de soja no início dos anos 80. Nesta mesma década, foram

Leia mais

Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes de Milho

Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes de Milho Milho e Sorgo Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes de Milho Sete Lagoas Março 2012 Economia do Uso de Novas Tecnologias A escolha racional do agricultor: Aumento da produtividade dos

Leia mais

& ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $""4

& ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $4 ! "#$""$% & ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $""4 1. INTRODUÇÃO As vespinhas pertencentes ao gênero Trichogramma são insetos diminutos (tamanho médio entre 0,2 a 1,5 mm) pertencentes à ordem Hymenoptera

Leia mais

MANUAL DE PRAGAS DO MILHO, SOJA E ALGODÃO.

MANUAL DE PRAGAS DO MILHO, SOJA E ALGODÃO. MANUAL DE PRAGAS DO MILHO, SOJA E ALGODÃO. Nota Este documento técnico tem por finalidade difundir o conhecimento entre influenciadores, revendas e produtores, sem finalidade comercial. Foram compiladas

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

8ºCongresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo

8ºCongresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo EFICIÊNCIA DE DIFERENTES EVENTOS TRANSGÊNICOS NO CONTROLE DE PRAGAS EM MILHO Leila Cristina Rizatti da Silva 1 ; Aildson Pereira Duarte 2 ; Rogério Soares de Freitas 3 ; Melina Zacarelli Pirotta 4 ; Marcos

Leia mais

Organismos Geneticamente Modificados (OGM) Paulo Monjardino

Organismos Geneticamente Modificados (OGM) Paulo Monjardino Organismos Geneticamente Modificados (OGM) Paulo Monjardino O que são OGM? Organismos que são manipulados geneticamente por técnicas de biotecnologia molecular com vista a introduzir-se ou suprimir-se

Leia mais

Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems

Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems ABCBio (Associação Brasileira das empresas de Controle Biológico) foi fundada em 2007, com a missão de congregar as empresas de

Leia mais

Tecnologias de Manejo Manejo do Milho Tiguera com a Tecnologia Milho Roundup Ready 2

Tecnologias de Manejo Manejo do Milho Tiguera com a Tecnologia Milho Roundup Ready 2 Importante Com o foco no controle de plantas daninhas e lagartas, as culturas geneticamente modificadas ganharam espaço na preferência do produtor rural, pela redução nos custos de produção, comodidade

Leia mais

SOJA BT E O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS. Antonio Cesar S. dos Santos Londrina, 06 de Julho de 2016

SOJA BT E O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS. Antonio Cesar S. dos Santos Londrina, 06 de Julho de 2016 SOJA BT E O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS Antonio Cesar S. dos Santos Londrina, 6 de Julho de 216 Agenda Introdução (Área Plantada de Transgênicos Global e Brasil) Produtos aprovados

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DO MS BALANÇO GERAL SAFRA 2012/2013 RELATÓRIO SEMANAL DE 23 A 30 DE SETEMBRO DE 2013.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DO MS BALANÇO GERAL SAFRA 2012/2013 RELATÓRIO SEMANAL DE 23 A 30 DE SETEMBRO DE 2013. ANO II / Nº56 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DO MS BALANÇO GERAL SAFRA 2012/2013 RELATÓRIO SEMANAL DE 23 A 30 DE SETEMBRO DE 2013. Uma safra inteira se passou desde o início dos trabalhos do Programa Fitossanitário

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 112. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 112. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 20 DE ABRIL A 17 DE MAIO DE 2015 INFORMATIVO Nº 112 1 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Na Região de Chapadão do Sul,

Leia mais

COMBATE Á PRAGA AUSTRÁLIA

COMBATE Á PRAGA AUSTRÁLIA COMBATE Á PRAGA HELICOVERPA ARMINGERA AUSTRÁLIA Av. Mogiana, 2589 Ribeirão Preto SP Brasil 14076.410 Fone/Fax: (16) 3628 1453 Email: robison@diniscor.com.br 1 P á g i n a PONTOS DE DESTAQUE A lagarta HELICOVERPA

Leia mais

AÇÕES EMERGENCIAIS PROPOSTAS PELA EMBRAPA PARA O MANEJO INTEGRADO DE Helicoverpa spp. EM ÁREAS AGRÍCOLAS

AÇÕES EMERGENCIAIS PROPOSTAS PELA EMBRAPA PARA O MANEJO INTEGRADO DE Helicoverpa spp. EM ÁREAS AGRÍCOLAS AÇÕES EMERGENCIAIS PROPOSTAS PELA EMBRAPA PARA O MANEJO INTEGRADO DE Helicoverpa spp. EM ÁREAS AGRÍCOLAS Conteúdo: 1. Diagnóstico 2. Ações emergenciais 2.1. Estabelecimento de um consórcio para manejo

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO EM PLANTIO DIRETO. Rodolfo Bianco

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO EM PLANTIO DIRETO. Rodolfo Bianco MANEJO DE PRAGAS DO MILHO EM PLANTIO DIRETO Rodolfo Bianco IAPAR, CP 481, CEP 86001-970, Londrina, PR, Brasil. Fone: (43) 3376-2307. E-mail: rbianco@iapar.br Introdução No sistema de cultivo convencional,

Leia mais

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5.1 Controle de Pragas PRINCIPAIS PRAGAS -Lagarta elasmo -Vaquinhas - Mosca branca -Ácaro branco -Carunchos LAGARTA ELASMO Feijão da seca aumento da população

Leia mais

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD. Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD. Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja ( e de informações) É TER VISÃO DE SISTEMA, MANEJO DA ÁREA/DA PROPRIEDADE - VISÃO EMPRESARIAL É UMA DE TRABALHO É gerenciar -

Leia mais

Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br.

Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br. Avaliação de Pragas em uma Cultura de Milho para Produção de Sementes. BELLIZZI, N. C. 1, WINDER, A. R. S. 2, PEREIRA JUNIOR, R. D. 2 e BARROS, H. A. V. 2. 1 Docente do Curso de Agronomia da Universidade

Leia mais

CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS

CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS Transformação Genética Vegetal Prof. Fernando Domingo Zinger INTRODUÇÃO A transformação genética é a transferência (introdução) de um ou vários genes em um organismo sem que

Leia mais

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica 10º Congresso Brasileiro de Algodão Foz do Iguaçu - PR, Setembro/2015 OBJETIVOS Discutir

Leia mais

05 Luís Eduardo Magalhães-BA, Outubro de 2013

05 Luís Eduardo Magalhães-BA, Outubro de 2013 05 Luís Eduardo Magalhães-BA, Outubro de 2013 Comunicado Técnico O campo de validação da Círculo Verde Pesquisa, localizado na Fazenda Mimoso em Luís Eduardo Magalhães/BA, tem como objetivo validar novas

Leia mais

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Exemplares desta publicação podem ser solicitados à: Embrapa Agropecuária Oeste Área de Comunicação Empresarial - ACE BR 163,

Leia mais

RESISTÊNCIA DE INSETOS

RESISTÊNCIA DE INSETOS RESISTÊNCIA DE INSETOS Meio ambiente A PLANTAS GENETICAMENTE MODIFICADAS Relevância da implantação de estratégias pró-ativas para o manejo da resistência Samuel Martinelli Engenheiro Agrônomo, M. S., Doutorando

Leia mais

CONTROLE CULTURAL COMO MÉTODO DE CONVIVÊNCIA COM AS PRAGAS DO ALGODOEIRO

CONTROLE CULTURAL COMO MÉTODO DE CONVIVÊNCIA COM AS PRAGAS DO ALGODOEIRO Sala Especializada 4 - Pragas emergentes no sistema algodoeiro CONTROLE CULTURAL COMO MÉTODO DE CONVIVÊNCIA COM AS PRAGAS DO ALGODOEIRO Jorge Braz Torres 1 ; Cristina Schetino Bastos 2 ; Eduardo Moreira

Leia mais

PLANTAS TRANSGÊNICAS

PLANTAS TRANSGÊNICAS Plantas Transgênicas 15 PLANTAS TRANSGÊNICAS 5.2 A transformação genética é a transferência (introdução) de um ou vários genes em um organismo sem que haja a fecundação ou o cruzamento. Os organismos transformados

Leia mais

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL

Leia mais

7.5. PRINCIPAIS PRAGAS DO MILHO E SEU CONTROLE

7.5. PRINCIPAIS PRAGAS DO MILHO E SEU CONTROLE 7.5. PRINCIPAIS PRAGAS DO MILHO E SEU CONTROLE 1 Pragas de solo 1.1 - Cupins Importância econômica -se alimentam de celulose e possuem hábitos subterrâneos. Sintomas de danos -Atacam as sementes, destruindo-as

Leia mais

Manejo inicial de pragas na cultura da soja. Eng. Agr. Marden A. de Oliveira Coordenador de Agronomia DuPont Pioneer

Manejo inicial de pragas na cultura da soja. Eng. Agr. Marden A. de Oliveira Coordenador de Agronomia DuPont Pioneer Manejo inicial de pragas na cultura da soja Eng. Agr. Marden A. de Oliveira Coordenador de Agronomia DuPont Pioneer Objetivo Apresentar as principais pragas da cultura da soja, discutindo a biologia e

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro Potencial da Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) no controle da Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae). Willian Sabino RODRIGUES¹; Gabriel de Castro JACQUES²;

Leia mais

Cultivar Grandes Culturas Ano XIV Nº 155 Abril 2012 ISSN - 1516-358X

Cultivar Grandes Culturas Ano XIV Nº 155 Abril 2012 ISSN - 1516-358X Cultivar Grandes Culturas Ano XIV Nº 155 Abril 2012 ISSN - 1516-358X Destaques Nossa capa Na soja e no algodão...24 O surto de lagartas do gênero Spodoptera em duas das principais culturas agrícolas brasileiras

Leia mais

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Plantas cultivadas em sistema de aquaponia Alface Cebolinha

Leia mais

SOJA TRANSGÊNICA NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS ANOS

SOJA TRANSGÊNICA NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS ANOS SOJA TRANSGÊNICA NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS ANOS ANTÔNIO CARLOS ROESSING Doutor em Economia Rural e pesquisador da Embrapa Soja. Endereço: Rod. Carlos João Strass. Caixa

Leia mais

Soja Transgênica no Brasil: situação atual e perspectivas para os próximos anos

Soja Transgênica no Brasil: situação atual e perspectivas para os próximos anos Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Soja Transgênica no Brasil: situação atual e perspectivas para os próximos anos Antonio Carlos Roessing Joelsio José Lazzarotto 2

Leia mais

SELEÇÃO DE PLANTAS DANINHAS TOLERANTES E RESISTENTES AO GLYPHOSATE. Leandro Vargas¹, Dionisio Gazziero 2

SELEÇÃO DE PLANTAS DANINHAS TOLERANTES E RESISTENTES AO GLYPHOSATE. Leandro Vargas¹, Dionisio Gazziero 2 SELEÇÃO DE PLANTAS DANINHAS TOLERANTES E RESISTENTES AO GLYPHOSATE Leandro Vargas¹, Dionisio Gazziero 2 ¹Eng.-Agr o., D. S., Pesquisador da Embrapa Trigo. Caixa Postal 451. Passo Fundo, RS. vargas@cnpt.embrapa.br

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Agosto/2015.

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Agosto/2015. Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Agosto/2015. Núcleo 1: Matrinchã, Jussara e região (Artur Pagnoncelli).

Leia mais

O que são os «OGM s»???

O que são os «OGM s»??? O que são os «OGM s»??? Em Portugal, como em toda a União Europeia, apenas está autorizada a libertação deliberada no ambiente para o cultivo do milho geneticamente modificado, ou como vulgarmente é denominado,

Leia mais

Sistemas de plantio direto e pacotes tecnológicos para as cultivares de algodão da COODETEC e demais no Mato Grosso

Sistemas de plantio direto e pacotes tecnológicos para as cultivares de algodão da COODETEC e demais no Mato Grosso Sistemas de plantio direto e pacotes tecnológicos para as cultivares de algodão da COODETEC e demais no Mato Grosso Aditivo 2 Pragas e biodiversidade nos sistemas de cultivo algodoeiros do Mato Grosso

Leia mais

Plantio de cana-de-açúcar

Plantio de cana-de-açúcar Plantio de cana-de-açúcar Época de plantio 1. Cana de ano e meio - Janeiro a maio; - Tempo de colheita (13 a 20 meses); - Variedades de ciclo precoce, médio e tardio; - Pode ser feito em solos de baixa,

Leia mais

A cultura do Algodão

A cultura do Algodão UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais Curso de Agronomia Departamento de Fitotecnia A cultura do Algodão (Gossypium hirsutum L.) Prof. Lucio Zabot Santa Maria, Novembro de 2007

Leia mais

Palavras-chaves: Algodão, controle biológico, levantamento de pragas.

Palavras-chaves: Algodão, controle biológico, levantamento de pragas. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GO IÁS CONTROLE DE PRAGAS DO ALGODOEIRO COLORIDO BRS MARROM COM INSETICIDAS BIOLÓGICOS EM IPAMERI - GO. Nilton Cezar Bellizzi,4 ; David Hudson lopes Junior,4 ; Roberli Ribeiro

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE 2,4-D Fonte: Força-tarefa - Dow AgroSciences/Basf/Milenia

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE 2,4-D Fonte: Força-tarefa - Dow AgroSciences/Basf/Milenia PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE 2,4-D Fonte: Força-tarefa - Dow AgroSciences/Basf/Milenia O 2,4-D nome simplificado do ácido diclorofenoxiacético, é um dos herbicidas mais comuns e antigos do mundo. Foi desenvolvido

Leia mais

BASF Cana Crescer a cada desafio

BASF Cana Crescer a cada desafio BASF Cana Crescer a cada desafio Pag. 1 Pag. 2 Soluções integradas por todo o ciclo da cana-de-açúcar. Pag. 3 Cada dia nos desafia a crescer. Pag. 4 Buscar oportunidades para produzir mais, melhor e com

Leia mais

As Vantagens oferecidas pelas Plantas Geneticamente Modificadas (PGMs)

As Vantagens oferecidas pelas Plantas Geneticamente Modificadas (PGMs) Elementos para discussão do CONSEA 1 Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos no Brasil Leonardo Melgarejo 2 Dez anos após a introdução da primeira variedade de soja transgênica no Brasil, a CTNBio contabiliza

Leia mais

Planejamento e Manejo de Lavouras Transgênicas de Algodão nos Sistemas de Produção

Planejamento e Manejo de Lavouras Transgênicas de Algodão nos Sistemas de Produção Planejamento e Manejo de Lavouras Transgênicas de Algodão nos Sistemas de Produção Wanderley Katsumi Oishi Consultor Agrícola Quality Cotton Cons. Agronômica Ltda. Situação Atual da Destruição Química

Leia mais

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade Como toda nova ciência ou tecnologia, ela gera dúvidas e receios de mudanças. Isto acontece desde os tempos em que Galileo afirmou que era a Terra que girava em torno do Sol ou quando Oswaldo Cruz iniciou

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 108. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 108. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 23 DE FEVEREIRO A 9 DE MARÇO DE 2015 INFORMATIVO Nº 108 1 Neste período foi realizada mais uma rodada de reuniões dos GTA (Grupo de Trabalho do

Leia mais

ADHESION LEVEL TO THE STRATEGIC PLAN OF CONTROL OF BOLL WEEVIL (Anthonomus grandis) IN DIFFERENT FARMS FROM THE REGION OF IPAMERI, GOIÁS

ADHESION LEVEL TO THE STRATEGIC PLAN OF CONTROL OF BOLL WEEVIL (Anthonomus grandis) IN DIFFERENT FARMS FROM THE REGION OF IPAMERI, GOIÁS NÍVEL DE ADESÃO AO PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE DO BICUDO-DO-ALGODOEIRO (Anthonomus grandis) EM DIFERENTES PROPRIEDADES NA REGIÃO DE IPAMERI, GOIÁS (*) Márcio Antônio de Oliveira e Silva (Fundação GO

Leia mais

INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO. Carlos Alberto Domingues da Silva 2011

INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO. Carlos Alberto Domingues da Silva 2011 INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO Carlos Alberto Domingues da Silva 2011 INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO PRODUÇÃO DE HONEYDEW POR INSETOS E SUAS RELAÇÕES COM A PEGAJOSIDADE

Leia mais

PROSPECÇÃO DE GENES REGULATÓRIOS E ESTRUTURAIS DE BOTÃO FLORAL DE ALGODOEIRO MORGANNA POLLYNNE N. PINHEIRO

PROSPECÇÃO DE GENES REGULATÓRIOS E ESTRUTURAIS DE BOTÃO FLORAL DE ALGODOEIRO MORGANNA POLLYNNE N. PINHEIRO UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco Programa de Pós Graduação em Melhoramento Genético de Plantas PROSPECÇÃO DE GENES REGULATÓRIOS E ESTRUTURAIS DE BOTÃO FLORAL DE ALGODOEIRO MORGANNA POLLYNNE

Leia mais

Breve Introdução sobre os OGM

Breve Introdução sobre os OGM DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO AGROALIMENTAR E RURAL DIVISÃO DE SANIDADE VEGETAL E SEGURANÇA ALIMENTAR Breve Introdução sobre os OGM O cultivo de variedades de milho geneticamente modificadas

Leia mais

C.n o. 1. Londrina 14 de Julho de 2008

C.n o. 1. Londrina 14 de Julho de 2008 C.n o. 1 Londrina 14 de Julho de 2008 Ao Sr Coordenador Dr. Jairon Alcir Santos do Nascimento Coordenador Geral da CTNBio Assunto: Parecer Ad Hoc Liberação Comercial -Milho Geneticamente Modificado Resistente

Leia mais

PRAGAS E INSETOS BENÉFICOS DA SOJA

PRAGAS E INSETOS BENÉFICOS DA SOJA guia de campo de PRAGAS E INSETOS BENÉFICOS DA SOJA 2008 Alexandre de Sene Pinto José Roberto Postali Parra Heraldo Negri de Oliveira Patrocínio: Monsanto do Brasil Ltda. CP 2 1 Copyright, CP 2, 2008 aspinn@uol.com.br

Leia mais

x- Novas e futuras alternativas de controle de plantas

x- Novas e futuras alternativas de controle de plantas x- Novas e futuras alternativas de controle de plantas daninhas Décio Karam I IPesquisador da Embrapa Milho e Sorgo e Presidente da Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas daninhas, biênio 2006/2008.

Leia mais