Netxplica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Netxplica http://netxplica.com"

Transcrição

1 VERSÃO ÚNICA Teste de Avaliação de Biologia e Geologia 11.º Ano de Escolaridade Evolução Biológica Sistemática dos Seres Vivos Duração do Teste: 120 minutos Na folha de respostas, indica de forma legível a versão do Teste. A ausência dessa indicação implica a classificação com zero pontos das respostas aos itens do Grupo I (1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7), do Grupo II (1, 2, 3, 4 e 5), do Grupo III (1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7) e do Grupo IV (1, 2, 3, 4, 5 e 6). Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Não é permitido o uso de corrector. Em caso de engano, deves riscar, de forma inequívoca, aquilo que pretendes que não seja classificado. Escreve de forma legível a numeração dos grupos e dos itens, bem como as respectivas respostas. As respostas ilegíveis ou que não possam ser identificadas são classificadas com zero pontos. Para cada item, apresenta apenas uma resposta. Se escreveres mais do que uma resposta a um mesmo item, apenas é classificada a resposta apresentada em primeiro lugar. Para responder aos itens de escolha múltipla, escreve, na folha de respostas: o número do item; a letra que identifica a única alternativa correcta. Para responder aos itens de associação, escreve, na folha de respostas: o número do item; a letra que identifica cada afirmação e o número que identifica o único elemento da chave que lhe corresponde. Para responder aos itens de ordenamento, escreve, na folha de respostas: o número do item; a sequência de letras que identificam os elementos a ordenar. Para responder aos itens de Verdadeiro/Falso não transcrevas as afirmações e escreve, na folha de respostas: o número do item; as letras (A), (B), (C), etc. e um V para as afirmações que considerares Verdadeiras e um F para as afirmações que considerares Falsas. As cotações dos itens encontram-se no final do enunciado da prova. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 1 / 16

2 GRUPO I Esta lesma-do-mar é movida a energia solar Tal como a alga que come, a Acetabularia acetabulum, a Elysia timida não mora nas costas portuguesas. Em Portugal continental, também há uma lesma fotossintética, só que de outra espécie - a Elysia viridis. Enquanto a alga atinge cinco centímetros de altura (é dos maiores seres unicelulares), os maiores exemplares da lesma têm apenas um de comprimento. Portanto, a lesma tem a vida facilitada quando a come: em vez de ter de abrir diversos buracos, para retirar o conteúdo de inúmeras células, só precisa de o fazer uma vez para sugar a parte onde se encontram os cloroplastos. Como é uma célula gigante, consegue ter acesso a todo o seu conteúdo de uma só vez. Os cloroplastos ingeridos pela lesma passam depois pelo seu ramificado intestino sem serem digeridos e mantêm-se funcionais nas suas células. Estes animais conseguem não só pôr os cloroplastos dentro das suas células, o que já é impressionante, como pô-los a funcionar. Nas plantas, os cloroplastos estão sob o comando de genes que se encontram no núcleo das células vegetais. Mas, uma vez ingeridos pelas lesmas, como é que são postos a trabalhar? O mistério foi esclarecido de vez em 2008, por uma equipa norte-americana, que encontrou genes do núcleo celular de uma alga dentro do núcleo das células de uma lesma-do-mar. Afinal, ao longo da evolução, alguns genes do núcleo celular das algas tinham sido transferidos para o das lesmas. Este tipo de transferência de genes já era conhecido entre bactérias, mas não entre um animal e uma planta. É por esta razão que as lesmas-do-mar são únicas entre os animais, e não por fazerem fotossíntese. Embora seja raro, conhecem-se outros animais fotossintéticos, como certos corais, que vivem associados a uma microalga (também unicelular). A diferença é que esses corais introduzem no seu interior a alga inteira, e não apenas os cloroplastos. O que é único neste grupo de lesmas-do-mar é que apenas incorporam os cloroplastos nas suas células. E, para funcionarem, têm de ter informação vinda do núcleo do animal, pois deixaram de ter o núcleo da alga. Isso é que é único. Prolongamentos da pele da lesma podem abrir ou fechar consoante a quantidade de luz ambiente. Enrolam-se como um charuto, tapando a parte verde onde estão os cloroplastos com a parte branca do corpo. Extraído e adaptado de: (fotografia de Bruno Jesus). Figura 1 A lesma-do-mar Elysia tímida e a alga Acetabularia acetabulum. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 2 / 16

3 1. Quando os cloroplastos das plantas estão sujeitos a condições de grande exposição solar, o rendimento da fotossíntese baixa. Refere duas formas da lesma-do-mar proteger os cloroplastos do excesso de luz, tornando-a ainda mais eficiente a fazer fotossíntese do que a alga a quem roubou a maquinaria. 2. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Actualmente verifica-se que há duas formas possíveis de um organismo maior do que um milímetro sobreviver: pode reduzir o seu metabolismo, o que diminui as necessidades de trocas com o meio externo, como no caso da, ou pode apresentar. (A) Acetabularia acetabulum multicelularidade (B) Acetabularia acetabulum unicelularidade (C) Elysia tímida multicelularidade (D) Elysia tímida unicelularidade 3. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Exemplares de Elysia tímida jovens, que se alimentem de algas durante as primeiras 2 semanas, subsistem se lhes for fornecida energia e CO2, sem qualquer fonte alimentar adicional, durante os 9 a 10 meses de duração do seu ciclo de vida. (A) autotroficamente... calorífica (B) autotroficamente... luminosa (C) heterotroficamente... calorífica (D) heterotroficamente... luminosa. 4. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Os cloroplastos contêm apenas o suficiente para codificar 10% das proteínas necessárias para se manterem activos. Assim, as algas Acetabularia acetabulum, possuem os restantes genes indispensáveis ao funcionamento destes organelos no seu nuclear. (A) DNA... DNA (B) DNA... RNA (C) RNA... DNA (D) RNA... RNA 5. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Foi possível observar que a fina estrutura dos cloroplastos simbióticos permaneceu intacta na Elysia tímida. Como os cloroplastos permanecem funcionais nas células da lesma, será de prever que a sequenciação do DNA desta permita identificar com sequências de DNA às dos genes encontrados nos núcleos das células da alga. (A) cloroplastos... distintas (B) cloroplastos... idênticas (C) genes... distintas (D) genes... idênticas. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 3 / 16

4 6. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Foram marcadas radioactivamente as enzimas fosforibuloquinases do Ciclo de Calvin e as proteínas psbo, componentes essenciais do fotossistema II em algas fornecidas a lesmas recém-nascidas. Meses mais tarde, será de prever o aparecimento destas moléculas radioactividade nos animais, demonstrando-se a ocorrência no genoma e a de genes iguais aos das algas, nas lesmas do mar. (A) sem... inibição (B) sem... expressão (C) com... inibição (D) com... expressão 7. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os A aplicação de 6-methylpurina na lesma, um inibidor da síntese de RNA, a quantidade das proteínas necessárias à actividade dos cloroplastos roubados, confirmando a. (A) aumenta... transcrição (B) aumenta... replicação (C) reduz... transcrição (D) reduz... replicação 8. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Algumas explicações apontam no sentido de os genes serem transferidos das células da alga para as células da lesma, juntamente com os cloroplastos ingeridos, e incorporados no próprio do animal, ou terem sido transportados por. (A) DNA... um vírus (B) DNA... uma bactéria (C) tubo digestivo... um vírus (D) tubo digestivo... uma bactéria 9. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Investigadores encontraram os genes da alga nos gâmetas de Elysia tímida (o que permite a transmissão, de geração em geração, da capacidade das lesmas manterem funcionais os cloroplastos das algas), e procuram descobrir quando e como foram estes transferidos da alga para a lesma ao longo do curso da evolução, constituindo estes resultados um argumento a favor da teoria da origem. (A) autogenética eucariótica (B) autogenética multicelular (C) endossimbiótica eucariótica (D) endossimbiótica multicelular Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 4 / 16

5 GRUPO II Evolução do esgana-gata O esgana-gata - Gasterosteus aculeatus (Lineu, 1758) - é um peixe morfologicamente inconfundível, com um comprimento máximo de 6 cm mede normalmente 4 a 5 cm em adulto. Possui muitos predadores e, consequentemente, algumas defesas, como a presença de espinhas dorsais e uma série de placas ósseas, que substituem as escamas, situadas em ambos os flancos, ao longo do corpo. A ampla distribuição mundial do esgana-gata e a grande variedade de ecossistemas que habita, fazem com que seja uma espécie altamente variável, morfológica e geneticamente. As figuras 2-I e 2-II representam duas formas extremas: espinhas dorsais desenvolvidas e couraça de placas ósseas completa (I) e espinhas dorsais pouco desenvolvidas e ausência de placas ósseas (II). Durante a época reprodutiva, os machos, de cores vermelhas intensas, atraem uma ou mais fêmeas ao ninho que constroem, através de movimentos rituais (cortejo), onde cada uma deposita 50 a 100 ovos, que são posteriormente fecundados e protegidos pelos machos. Estes, que também protegem a prole durante um período variável, acabam por morrer, tal como as fêmeas, no final da temporada reprodutiva. Normalmente, estes pequenos peixes vivem geralmente no oceano, mas, tal como o salmão, sobem os rios para desovar. Como os glaciares recuaram no fim da última Era glaciar - que ocorreu em entre dez a vinte mil anos atrás - uma série de lagos começaram a formar-se no hemisfério norte, e muitos esgana-gata mudaram-se para eles. Inicialmente, os lagos estavam ligados aos oceanos por córregos e rios, mas como os glaciares recuaram, as saídas dos lagos fecharam, deixando-os isolados. Os animais presos, desta forma, começaram a viver e evoluir exclusivamente em água doce. I II Extraído de: Figura 2 As duas formas extremas do esgana-gata. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 5 / 16

6 1. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os O nome científico Gasterosteus aculeatus (Lineu, 1758), indica que o esgana-gata pertence Gasterosteus, aculeatus e que Lineu foi quem primeiro o, em (A) à espécie... ao género... descobriu (B) à espécie... ao género... classificou (C) ao género... à espécie... descobriu (D) ao género... à espécie... classificou 2. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Os esgana-gata são unissexuados, a fecundação é e a ocorrência de parada nupcial. (A) interna... verifica-se (B) externa... verifica-se (C) interna... não se verifica (D) externa... não se verifica 3. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os As formas de esgana-gata de água doce, que vivem perto da superfície, vulneráveis ao ataque de outros peixes e aves, possuem espinhas dorsais como as representadas na figura, enquanto as variedades que habitam mais perto do fundo, onde o único predador é a larva da libélula, possuem espinhas dorsais idênticas às representadas na figura. (A) menos... I... II (B) menos... II... I (C) mais... I... II (D) mais... II... I 4. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os No final dos anos sessenta, nos Estados Unidos, a deslocação do esgoto para fora do Lago Washington, fez com que a população de esgana-gata perdesse a cobertura oferecida pela poluição e algas escuras associadas, que os protegia da fome das trutas. Quando a água do lago se tornou limpa, o pequeno peixe enfrentou uma corrida genética, evoluindo para uma forma mais protegida. Assim, a maioria dos peixes, enquanto o esgoto esteve presente e, na actualidade,. (A) era idêntica a I... possui espinhas dorsais como I e placas ósseas como II (B) era idêntica a II... possui placas ósseas como I e espinhas dorsais como II (C) possuía placas ósseas como I e espinhas dorsais como II... é idêntica a II (D) possuía espinhas dorsais como I e placas ósseas como II... é idêntica a I Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 6 / 16

7 5. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Os esgana-gata marinhos são maioritariamente idênticos a, dada a diversidade de predadores que têm. (A) I... grande (B) I... pequena (C) II... grande (D) II... pequena 6. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os A grande capacidade de sobrevivência dos esgana-gata em habitats distintos, deve-se à sua variabilidade genética, resultante de ocorridas ao longo dos tempos.. (A) elevada... alterações das condições do meio (B) elevada... mutações (C) reduzida... alterações das condições do meio (D) reduzida... mutações 7. O Gasterosteus aculeatus habita nos rios e nas regiões costeiras, enquanto o Gasterosteus pungitius vive exclusivamente nos rios. O Rhinecanthus aculeatus é um peixe marinho que vive em recifes de coral e lagoas. Já o Tachyglossus aculeatus (equidna) é um mamífero Australiano e Ruscus aculeatus uma planta que pode ser encontrada em regiões costeiras. Faz corresponder a cada uma das letras das afirmações de A a E, um número da chave. Afirmações A. Pertencem ao Domínio Eukarya. B. Pertencem ao mesmo Reino. C. Podem cruzar-se entre si e originar descendentes férteis. D. Pertencem à mesma Classe. E. Pertencem ao mesmo Género. Chave I. Gasterosteus aculeatus II. Gasterosteus aculeatus e Gasterosteus pungitius III. Gasterosteus aculeatus, Gasterosteus pungitius e Rhinecanthus aculeatus IV. Gasterosteus aculeatus, Gasterosteus pungitius, Rhinecanthus aculeatus e Tachyglossus aculeatus V. Gasterosteus aculeatus, Gasterosteus pungitius, Rhinecanthus aculeatus, Tachyglossus aculeatus e Ruscus aculeatus. 8. Uma situação em que os dados biogeográficos apoiam o evolucionismo diz respeito os Mamíferos (equidna, canguru, coala, ornitorrinco, etc.) do continente australiano. Explica, tendo em conta a Deriva Continental e a Teoria Darwinista, as diferenças encontradas nos Mamíferos australianos em relação aos dos restantes continentes, apesar de todos descenderem de ancestrais comuns. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 7 / 16

8 GRUPO III As algas são organismos simples, principalmente aquáticos, unicelulares, coloniais ou multicelulares com baixo grau de diferenciação. Possuem clorofila a e carotenóides, sendo consideradas semelhantes a plantas. Na grande diversidade de algas, são de referir as euglenas, seres unicelulares que possuem algumas características semelhantes às dos animais e outras semelhantes a características das plantas. Não apresentam parede celular e cada uma tem um flagelo, organelo locomotor. Têm cloroplastos que utilizam quando estão em presença da luz, realizando a fotossíntese. Quando se encontram num local escuro podem viver heterotroficamente, ingerindo partículas por fagocitose. A tabela I evidencia as concentrações de alguns iões nos vacúolos da Euglena e da Halicystis e na água em que essas algas vivem (mm= milimole unidade química de concentração). A tabela II compara as equações gerais da fotossíntese em euglenas e da quimiossíntese em bactérias sulfurosas anaeróbias, que vivem em fontes hidrotermais localizadas junto das dorsais oceânicas, onde o oxigénio está praticamente ausente. Iões Alga (Euglena) Concentração (mm) Alga (Halicystis) Concentração (mm) Vacúolo Água do meio Vacúolo Água do meio Sódio (Na) Potássio (K) Cloro (Cl) Alga (Euglena) Fotossíntese CO₂ + 2H₂O (CH₂O) + H₂O + O₂ Bactérias sulfurosas Quimiossíntese CO₂ + 2H₂S (CH₂O) + H₂O + 2S Tabela I Tabela II Extraído de: Figura 3 Fissão binária na euglena Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 8 / 16

9 1. Selecciona a única alternativa que permite obter uma afirmação correcta. As euglenas podem ingerir partículas por fagocitose, que é um processo de transporte em quantidade caracterizado pela (A) inclusão de macromoléculas ou agregados moleculares por invaginação da membrana plasmática, formando-se uma vesícula. (B) inclusão de macromoléculas ou agregados moleculares em que a célula emite pseudópodes que rodeiam o material, originando-se uma vesícula. (C) entrada de substâncias em solução. (D) expulsão de substâncias por um processo inverso da endocitose. 2. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os O processo de reprodução representado na figura assegura a formação de descendentes geneticamente, visto que a é o processo de divisão nuclear que ocorre. (A) diferentes meiose (B) diferentes mitose (C) iguais (clones) meiose (D) iguais (clones) mitose 3. Selecciona a única alternativa que permite obter uma afirmação correcta. Relativamente ao habitat da euglena e da Halicystis, podemos afirmar que... (A) a primeira vive em água salgada e a segunda em água doce. (B) a primeira vive em água doce e a segunda em água salgada. (C) vivem ambas em água doce. (D) vivem ambas em água salgada. 4. Selecciona a única alternativa que permite obter uma afirmação correcta. O processo responsável pela manutenção dos iões em concentrações diferentes no interior e no exterior da euglena e da Halicystis é (A) a osmose. (B) a difusão simples. (C) a difusão facilitada. (D) o transporte activo. 5. Selecciona a única alternativa que permite obter uma afirmação correcta. Quando se matam as células da euglena e da Halicystis (A) ocorre a saída de iões dos vacúolos de ambas, que se tornam hipotónicos relativamente ao meio. (B) ocorre a entrada de iões nos vacúolos de ambas, que se tornam hipertónicos relativamente ao meio. (C) as concentrações dos iões nos meios intracelular e extracelular tendem para a isotonia. (D) as concentrações dos iões nos meios intracelular e extracelular mantêm-se. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 9 / 16

10 6. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Se as células da euglena forem privadas de, ou se forem submetidas a um inibidor da síntese de, elas não acumulam iões contra o gradiente de concentração. (A) luz glicose (B) luz ATP (C) oxigénio glicose (D) oxigénio ATP 7. Classifica como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das seguintes afirmações, relativas à comparação dos processos de autotrofismo das euglenas (fotossíntese) e das bactérias sulfurosas (quimiossíntese). (A) Se colocarmos euglenas em água marcada com um isótopo de oxigénio radioactivo, o oxigénio libertado na fotossíntese não é radioactivo. (B) Se colocarmos euglenas em água normal e lhes fornecermos dióxido de carbono marcado com um isótopo radioactivo de oxigénio, este isótopo aparece nos compostos orgânicos produzidos. (C) As bactérias, quando na presença de luz, utilizam sulfureto de hidrogénio em vez de água, sintetizam compostos orgânicos e libertam enxofre. (D) Apenas nas euglenas ocorre a redução do CO2, que conduz à síntese de substâncias orgânicas. (E) Na primeira etapa da quimiossíntese, o NADH e o ATP formam-se a partir do fluxo de electrões e protões resultante da oxidação do H2S. 8. Segundo o sistema de classificação vigente até meados do século XIX, os dois grandes reinos de seres vivos eram óbvios: tudo era claramente animal ou vegetal: os animais tinham locomoção e capturavam as presas, enquanto as plantas tiravam os seus alimentos da Terra e não possuíam locomoção. Identifica, justificando, uma das limitações que este sistema apresenta, com base em dados do texto. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 10 / 16

11 GRUPO IV As plantas e a colonização do meio terrestre A primeira fase da evolução das plantas relaciona-se com a sua origem, há mais de 450 milhões de anos, a partir de ancestrais aquáticos, provavelmente uma alga verde multicelular, que evoluiu do ambiente aquático para o ambiente terrestre. Nesta primeira fase pode considerar-se a emergência de dois grupos distintos de plantas: um grupo ancestral das Briófitas actuais, constituído por organismos pouco diferenciados que não apresentam tecidos condutores para a circulação de água e de outras substâncias; um grupo de plantas vasculares que apresentam tecidos condutores e uma maior diferenciação morfológica. Posteriormente, numa segunda fase de evolução, surgiram as plantas vasculares com sementes. Mais tarde, numa terceira fase, apareceram as plantas com sementes e portadoras de flores. No meio aquático os organismos encontram dissolvidos na água dióxido de carbono, oxigénio e todos os nutrientes de que necessitam. Também a fotossíntese se pode realizar em quase todas as células dos seres fotossintéticos, não havendo necessidade de transporte dos produtos formados. No ambiente terrestre a secura do ar constitui para as plantas uma condição limitante. A passagem ao meio terrestre foi acompanhada pelo desenvolvimento de estruturas importantes no que respeita ao controlo das perdas de água por evaporação e das trocas gasosas com a atmosfera. Diferentes características, nomeadamente as relativas à reprodução, são muito importantes para a sistemática dos seres pertencentes ao Reino Plantae. Nestes seres, embora a reprodução assexuada seja frequente, são características ligadas à reprodução sexuada as mais usadas em classificação. Extraído e Adaptado de: Pearson Education Figura 4 Árvore filogenética simplificada do Reino Plantae (Divisão = Filo). Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 11 / 16

12 1. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Entre as estruturas de protecção que surgiram no ambiente terrestre podem referir-se, por exemplo:, substância impermeável que reveste a superfície externa da epiderme dos caules e das folhas das plantas, evitando excessivas perdas de água;, estruturas localizadas na superfície dos órgãos aéreos que permitem a realização de trocas gasosas entre a planta e o meio. (A) a cutina o xilema e o floema (B) a cutina os estomas (C) a parede celular o xilema e o floema (D) a parede celular os estomas 2. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os A diferenciação de tecidos especializados foi de enorme importância na evolução das plantas terrestres, relacionando-se com o aparecimento e o sucesso de plantas de porte. (A) na reprodução grande (B) na reprodução pequeno (C) no transporte grande (D) no transporte pequeno 3. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os A reprodução sexuada inclui sempre a alternância de duas fases nucleares, a haplofase e a diplofase. Nas plantas estas fases são ambas - seres haplodiplontes e correspondem respectivamente a duas gerações distintas: geração, constituída por estruturas cujas células têm núcleo haplóide; geração, constituída por estruturas cujas células têm núcleo diplóide. (A) multicelulares esporófita gametófita (B) multicelulares gametófita esporófita (C) unicelulares esporófita gametófita (D) unicelulares gametófita esporófita 4. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os Os organismos pertencentes ao Reino Plantae apresentam paredes celulares com e armazenam alimentos sob a forma de. (A) celulose amido (B) celulose glicogénio (C) quitina amido (D) quitina glicogénio Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 12 / 16

13 5. Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os A origem das plantas terrestres, a origem das plantas vasculares e a origem das plantas com sementes ocorreu, respectivamente, há milhões de anos, milhões de anos e milhões de anos. (A) (B) (C) (D) Selecciona a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os As categorias taxonómicas Angiospermae, Gimnospermae, Filicinae e Musci são, sendo esta última a que tem afinidade com todas as outras, dado que divergiu a partir do ancestral comum mais cedo (A) classes mais (B) classes menos (C) ordens mais (D) ordens menos 7. Ordena as letras de A a F, de modo a reconstituíres a sequência de acontecimentos relacionados com a evolução das plantas. A. Aparecimento de um ser vivo procarionte unicelular autotrófico. B. Aparecimento de plantas com flor. C. Aparecimento de plantas com sementes. D. Aparecimento de plantas com tecidos de transporte. E. Aparecimento de um ser vivo eucarionte unicelular autotrófico. F. Aparecimento de um ser vivo multicelular autotrófico. 8. No final do Paleozóico inicia-se o desenvolvimento das Gimnospérmicas, as quais, durante o Mesozóico, constituíram as plantas arbóreas mais comuns. A polinização nessas plantas é feita pelo vento, polinização anemófila. Com o aparecimento das flores surgiu a polinização entomófila (feita pelos insectos), que é um estádio mais avançado da evolução em relação à polinização anemófila. Refere dois tipos de alterações morfológicas das peças florais que assegurem o máximo de eficiência na permuta da informação genética entre as plantas, através da polinização cruzada. FIM Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 13 / 16

14 COTAÇÕES GRUPO I pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos Subtotal pontos GRUPO II pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos Subtotal pontos GRUPO III pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos Subtotal pontos GRUPO IV pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos Subtotal pontos TOTAL pontos Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 14 / 16

15 PROPOSTA DE CORRECÇÃO GRUPO I 1. A resposta deve abordar os seguintes tópicos (VER TABELA 2 NO FINAL): Os cloroplastos roubados beneficiam de uns prolongamentos da pele da lesma, que podem abrir-se ou fechar-se consoante a quantidade de luz ambiente. A lesma também pode simplesmente fugir das zonas com muita luz. 2-A; 3-B; 4-A; 5-D; 6-B; 7-C; 8-A; 9-C. GRUPO II 1-D; 2-B; 3-C; 4-D; 5-A; 6-B. 7. A-V; B-IV; C-I; D-III; E-II. (VER TABELA 1 NO FINAL) 8. A resposta deve abordar os seguintes tópicos (VER TABELA 2 NO FINAL): Se se considerar que há cerca de 190 M.a. a Austrália esteve ligada à América e à África, ( ) ( ) só se compreendem as diferenças encontradas nos Mamíferos australianos, em relação aos dos restantes continentes, tendo em conta que depois da separação dos continentes, os Mamíferos evoluíram independentemente. GRUPO III 1-B; 2-D; 3-B; 4-D; 5-C; 6-D. 7. A-F; B-V; C-F; D-F; E-V. 8. A resposta deve abordar os seguintes tópicos (VER TABELA 2 NO FINAL): O sistema de classificação em dois reinos não explica a posição de certos seres como a euglena ( ) ( ) fotossintético (característica das plantas) e com locomoção/nutrição por ingestão (característica dos animais). GRUPO IV 1-B; 2-C; 3-B; 4-A; 5-B; 6-B. 7. A-E-F-D-C-B. 8. A resposta deve abordar os seguintes tópicos (VER TABELA 2 NO FINAL): Existência de alterações morfológicas nas peças florais que impedem a autofecundação de modo a assegurar a polinização cruzada. Existência de alterações morfológicas nas peças florais que atraem os insectos que, ao andarem de flor em flor, possibilitam a polinização cruzada de um modo eficaz. Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 15 / 16

16 TABELA 1 TABELA 2 Evolução Biológica & Sistemática dos Seres Vivos PÁGINA 16 / 16

Biologia e Geologia. Teste Intermédio de Biologia e Geologia. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 09.03.2010

Biologia e Geologia. Teste Intermédio de Biologia e Geologia. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 09.03.2010 Teste Intermédio de Biologia e Geologia Teste Intermédio Biologia e Geologia Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 09.03.2010 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Na sua folha

Leia mais

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm A biodiversidade em diferentes ambientes http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm Unidade básica da vida a célula Quem foi Robert Hooke? Por volta de 1667, o cientista inglês

Leia mais

PROFESSOR GUILHERME BIOLOGIA

PROFESSOR GUILHERME BIOLOGIA Laranjeiras do Sul: Av. 7 de Setembro, 1930. Fone: (42) 3635 5413 Quedas do Iguaçu: Pça. Pedro Alzide Giraldi, 925. Fone: (46) 3532 3265 www.genevestibulares.com.br / contato@genevestibulares.com.br PROFESSOR

Leia mais

Bacteria Archaea Eukarya

Bacteria Archaea Eukarya PROVA PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2014/2015 Instituto Superior de Engenharia Licenciatura em Tecnologia e Segurança Alimentar Componente específica

Leia mais

Concurso Especial de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para maiores de 23

Concurso Especial de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para maiores de 23 Concurso Especial de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para maiores de 23 Prova Modelo de Biologia NOME Nas perguntas de escolha múltipla rodeie com um círculo a resposta que considera correcta (respostas

Leia mais

Prova de Avaliação de Capacidade & Prova Específica de Avaliação de Conhecimentos

Prova de Avaliação de Capacidade & Prova Específica de Avaliação de Conhecimentos Prova de Avaliação de Capacidade & Prova Específica de Avaliação de Conhecimentos Prova Escrita de Biologia Decreto-Lei n.º 43/2014, de 18 de março/ Nº2 do artigo 6º do Regulamento dos Tesp da Ualg. Prova

Leia mais

Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br

Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br A célula é a menor unidade estrutural básica do ser vivo. A palavra célula foi usada pela primeira vez em 1667 pelo inglês Robert Hooke. Com um microscópio muito

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 17 MITOCÔNDRIAS E RESPIRAÇÃO CELULAR

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 17 MITOCÔNDRIAS E RESPIRAÇÃO CELULAR BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 17 MITOCÔNDRIAS E RESPIRAÇÃO CELULAR Retículo endoplasmático Invólucro nuclear Núcleo Mitocôndria Procarionte fotossintético Cloroplasto Procarionte ancestral Eucariote ancestral

Leia mais

Tema 5. Crescimento e renovação celular. UNIDADE 1. Crescimento e renovação celular

Tema 5. Crescimento e renovação celular. UNIDADE 1. Crescimento e renovação celular Tema 5. Crescimento e renovação celular Crescimento e renovação celular Distinção entre DNA e RNA quanto às suas características estruturais e funcionais. Reconhecimento de que os organismos necessitam

Leia mais

MEMBRANA PLASMÁTICA (Modelos da Ultra-Estrutura)

MEMBRANA PLASMÁTICA (Modelos da Ultra-Estrutura) MEMBRANA PLASMÁTICA (Modelos da Ultra-Estrutura) A membrana plasmática é uma estrutura altamente diferenciada, que delimita a célula e lhe permite manter a sua individualidade relativamente ao meio externo.

Leia mais

PROFESSOR GUILHERME BIOLOGIA

PROFESSOR GUILHERME BIOLOGIA Laranjeiras do Sul: Rua 7 de Setembro, 1930. Fone: (42) 3635 5413 Quedas do Iguaçu: Pça. Pedro Alzide Giraldi, 925. Fone: (46) 3532 3265 www.genevestibulares.com.br / contato@genevestibulares.com.br PROFESSOR

Leia mais

A descoberta da célula

A descoberta da célula A descoberta da célula O que são células? As células são a unidade fundamental da vida CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula, no que diz respeito à sua estrutura e funcionamento. Kytos (célula)

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015)

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) 1- A Fábrica Celular Células de bactérias (procarióticas) e células animais (eucarióticas), apresentam semelhanças e diferenças. a) Qual a estrutura presente em ambas que

Leia mais

Biologia Celular: Transformação e armazenamento de energia: Mitocôndrias e Cloroplastos

Biologia Celular: Transformação e armazenamento de energia: Mitocôndrias e Cloroplastos FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA Biologia Celular: Transformação e armazenamento de energia: Mitocôndrias e Cloroplastos Prof. MSc Ana Paula

Leia mais

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano O termo célula foi usado pela primeira vez pelo cientista inglês Robert Hooke, em 1665. Por meio de um microscópio

Leia mais

ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS. Prof. Emerson

ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS. Prof. Emerson ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS Prof. Emerson Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: São dotadas de membrana plasmática; Contêm

Leia mais

FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA

FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA Todos os organismos necessitam de energia para realizar as suas funções vitais. A energia necessária para a vida na Terra provém praticamente toda do sol. Contudo,

Leia mais

Sistemas de Trocas Gasosas

Sistemas de Trocas Gasosas Sistemas de Trocas Gasosas 1 Generalidades os seres vivos habitam diversos tipos de ambientes, sendo fundamentalmente o terrestre, o aquático e o aéreo. As diferenças existentes entre os diversos ambientes,

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS O fluxo de energia em um ecossistema é unidirecional e necessita de uma constante renovação de energia, que é garantida pelo Sol. Com a matéria inorgânica que participa dos ecossistemas

Leia mais

Botânica Aplicada (BOT) Assunto: Célula Vegetal

Botânica Aplicada (BOT) Assunto: Célula Vegetal Botânica Aplicada (BOT) Assunto: Célula Vegetal Técnico em Agroecologia Módulo I Prof. Fábio Zanella As células são as menores unidades funcionais que formam os tecidos vegetais. Vários processos ocorrentes

Leia mais

Tradicionalmente, as plantas têm sido divididas em dois grandes grupos:

Tradicionalmente, as plantas têm sido divididas em dois grandes grupos: INTRODUÇÃO À BOTÂNICA CARACTERÍSTICAS GERAIS O Reino vegetal reúne as plantas ou vegetais, tais como, musgos, samambaias, pinheiros, árvores, arbustos, etc. São organismos eucariontes, multicelulares e

Leia mais

EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009)

EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009) INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009) Nome do Candidato Classificação Leia as seguintes informações com atenção. 1. O exame é constituído

Leia mais

Existem diversos tipos de transporte que podem ocorrer através da membrana plasmática. Vejamos abaixo:

Existem diversos tipos de transporte que podem ocorrer através da membrana plasmática. Vejamos abaixo: MEMBRANA PLASMÁTICA E TRANSPORTES MEMBRANA PLASMÁTICA A membrana plasmática é constituída de uma camada dupla de lipídeos. Nesta camada, existem moléculas de proteínas encaixadas. Essas moléculas de proteínas

Leia mais

Esse raciocínio é correto e não serve apenas para a espécie humana. Todas as espécies de seres vivos realizam a reprodução para a continuação da vida.

Esse raciocínio é correto e não serve apenas para a espécie humana. Todas as espécies de seres vivos realizam a reprodução para a continuação da vida. Você sabe qual é a importância da reprodução humana? Se alguém lhe perguntasse isso você responderia rapidamente: Para a manutenção ou perpetuação da espécie. Esse raciocínio é correto e não serve apenas

Leia mais

Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado

Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado MATRIZ PARA PROVA DE INGRESSO ESPECIFICA (BIOLOGIA) PARA OS TITULARES DE DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLOGIA E DIPLOMA DE TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL (DEC.LEI N.º 113/2014 DE 16 DE JULHO) Este documento

Leia mais

Aula 2 Os vegetais Talófita : Briófitas: Pteridófita:

Aula 2 Os vegetais Talófita : Briófitas: Pteridófita: Aula 2 Os vegetais O reino Plantae (ou Metaphyta) está representado por uma enorme diversidade de espécies, como algas, musgos, samambaias, pinheiros, mangueiras. São classificadas de acordo com a presença

Leia mais

a) intestino. b) cloaca. c) moela. d) esôfago. e) bico.

a) intestino. b) cloaca. c) moela. d) esôfago. e) bico. BIOLOGIA Um agricultor verificou que havia muita perda em sua lavoura de trigo, pois o vento derrubava várias plantas. Um vizinho o aconselhou a produzir sementes que dessem origem a plantas com entrenós

Leia mais

Por que os peixes não se afogam?

Por que os peixes não se afogam? Por que os peixes não se afogam? A UU L AL A Dia de pescaria! Juntar os amigos para pescar num rio limpinho é bom demais! Você já reparou quanto tempo a gente demora para fisgar um peixe? Como eles conseguem

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2010 1ª fase www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2010 1ª fase www.planetabio.com 1- O Índice de Massa Corporal (IMC) é o número obtido pela divisão da massa de um indivíduo adulto, em quilogramas, pelo quadrado da altura, medida em metros. É uma referência adotada pela Organização

Leia mais

Ficha de Exercícios A Célula (VERSÃO CORRIGIDA) Ano lectivo: 10º ano Turma: Data:

Ficha de Exercícios A Célula (VERSÃO CORRIGIDA) Ano lectivo: 10º ano Turma: Data: Ficha de Exercícios A Célula (VERSÃO CORRIGIDA) Ano lectivo: 10º ano Turma: Data: 1- A célula é uma importante estrutura do mundo vivo. Todos os seres vivos começam por existir sob a forma de célula. Alguns

Leia mais

BIOLOGIA. Questão 1 Padrão de resposta esperado:

BIOLOGIA. Questão 1 Padrão de resposta esperado: Questão 1 a) APENAS duas das seguintes possibilidades: (valor: 10,0 pontos) APENAS uma das seguintes possibilidades: 1. Nos procariotos a transcrição e tradução são processos que ocorrem de modo acoplado;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 02/12/2012 Candidato: GABARITO Curso Pretendido: OBSERVAÇÕES: 01 Prova SEM consulta

Leia mais

Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano

Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano Teste de avaliação Nome ----------------------------------------------------------------------- Numero -------------------------------

Leia mais

Seminário de Genética BG - 380 Principal Resumo Professores Componentes Bibliografia Links

Seminário de Genética BG - 380 Principal Resumo Professores Componentes Bibliografia Links Seminário de Genética BG - 380 Principal Resumo Professores Componentes Bibliografia Links Darwin Voltar Filogenia anatômica e fisiológica Filogênia Molecular A teoria da evolução de Darwin gerou o conceito

Leia mais

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos. Respiração e Fermentação 1. (Fuvest) O fungo 'Saccharomyces cerevisiae' (fermento de padaria) é um anaeróbico facultativo. Quando cresce na ausência de oxigênio, consome muito mais glicose do que quando

Leia mais

Professor Antônio Ruas

Professor Antônio Ruas Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: BIOLOGIA APLICADA Aula 3 Professor Antônio Ruas 1. Assuntos: Introdução à história geológica

Leia mais

SUMÁRIO. Raven Biologia Vegetal. Amostras de páginas não sequenciais e em baixa resolução. Copyright 2014 Editora Guanabara Koogan Ltda.

SUMÁRIO. Raven Biologia Vegetal. Amostras de páginas não sequenciais e em baixa resolução. Copyright 2014 Editora Guanabara Koogan Ltda. SUMÁRIO Introdução, 1 1 Botânica Introdução, 2 Evolução das plantas, 3 Evolução das comunidades, 8 Aparecimento dos seres humanos, 10 seção 1 Biologia da Célula Vegetal, 17 2 Composição Molecular das Células

Leia mais

Segundo a classificação de Whittaker (1969), as plantas são organismos eucariontes, multicelulares, autótrofos, que realizam fotossíntese.

Segundo a classificação de Whittaker (1969), as plantas são organismos eucariontes, multicelulares, autótrofos, que realizam fotossíntese. 1 2 Segundo a classificação de Whittaker (1969), as plantas são organismos eucariontes, multicelulares, autótrofos, que realizam fotossíntese. Neste caso, incluem-se as algas multicelulares (Chlorophyta,

Leia mais

5ª série / 6º ano 1º bimestre

5ª série / 6º ano 1º bimestre 5ª série / 6º ano 1º bimestre Água e o planeta Terra Hidrosfera Distribuição e importância Hidrosfera é o conjunto de toda a água da Terra. Ela cobre 2/3 da superfície terrestre e forma oceanos, mares,

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS DISCIPLINA: BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS DISCIPLINA: BIOLOGIA E GEOLOGIA 11. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS DISCIPLINA: BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º ANO... BIOLOGIA Objetivos / Finalidades Competências procedimentais e atitudinais Competências concetuais Estratégias Tempo 1 Conhecer

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto) Curso Geral e Curso Tecnológico de Química Agrupamento 1 PROVA 102/14 Págs. Duração da prova: 120

Leia mais

Escola da Apel Técnicas Laboratoriais de Biologia. Trabalho elaborado por:

Escola da Apel Técnicas Laboratoriais de Biologia. Trabalho elaborado por: Escola da Apel Técnicas Laboratoriais de Biologia Trabalho elaborado por: Cátia Lucélia Sousa e Silva 11º A 5 nº5 Turno: B Março de 2004 Objectivos No âmbito da disciplina da Técnicas Laboratoriais de

Leia mais

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, em sua versão 2012, apresentará uma redação e 180 questões objetivas, divididas nas quatro áreas do conhecimento: - Ciências

Leia mais

Microscópio de Robert Hooke Cortes de cortiça. A lente possibilitava um aumento de 200 vezes

Microscópio de Robert Hooke Cortes de cortiça. A lente possibilitava um aumento de 200 vezes CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula é a Citologia (do grego: cito = célula; logos = estudo). A invenção do microscópio no final do século XVI revolucionou a Biologia. Esse instrumento possibilitou

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2008 2ª fase www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares FUVEST 2008 2ª fase www.planetabio.com 1-Na revista Nature, em 11 de agosto de 2005, foi publicada uma carta em que os autores sugeriram que as histórias do jovem bruxo Harry Potter, escritas por J. K. Rowling, poderiam ser úteis no ensino

Leia mais

Versão 1. Teste Intermédio Biologia e Geologia. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 15.02.2008. 11.º ou 12.º Anos de Escolaridade

Versão 1. Teste Intermédio Biologia e Geologia. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 15.02.2008. 11.º ou 12.º Anos de Escolaridade Teste Intermédio Biologia e Geologia Versão 1 Teste Intermédio Biologia e Geologia Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 15.02.2008 11.º ou 12.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março

Leia mais

DISCIPLINA: Biologia dos Vegetais Inferiores? O que são VEGETAIS INFERIORES???

DISCIPLINA: Biologia dos Vegetais Inferiores? O que são VEGETAIS INFERIORES??? DISCIPLINA: Biologia dos Vegetais Inferiores? O que são VEGETAIS INFERIORES??? Vegetais inferiores? Vegetais inferiores Classificação dos organismos em cinco Reinos: Reino no. de espécies Monera bactérias

Leia mais

7 ANO AULA DE CIÊNCIAS. Professora Andressa =)

7 ANO AULA DE CIÊNCIAS. Professora Andressa =) 7 ANO AULA DE CIÊNCIAS Professora Andressa =) 7 ANO PLANTAS Apostila volume 4 Importâncias Influência nas condições ambientais Influência no clima Fonte de Alimento para grande Abrigo para inúmeras

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência

Informação Prova de equivalência à frequência Informação Prova de equivalência à frequência 2.º Ciclo do Ensino Básico 1ª e 2ª fases Ano Letivo 2014/2015 Disciplina: Ciências Naturais Duração: 90 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho 1-

Leia mais

Antigas doutrinas da Índia, da Babilônia e do Egito ensinavam que rãs, cobras e crocodilos eram gerados pelo lodo dos rios.

Antigas doutrinas da Índia, da Babilônia e do Egito ensinavam que rãs, cobras e crocodilos eram gerados pelo lodo dos rios. 1 2 Antigas doutrinas da Índia, da Babilônia e do Egito ensinavam que rãs, cobras e crocodilos eram gerados pelo lodo dos rios. Esses seres, que apareciam inexplicavelmente no lodo, eram encarados como

Leia mais

b) não é válida, se as espécies forem de classes diferentes.

b) não é válida, se as espécies forem de classes diferentes. 16 a Um ser humano adulto tem de 40 a 60% de sua massa corpórea constituída por água. A maior parte dessa água encontra-se localizada a) no meio intracelular. b) no líquido linfático. c) nas secreções

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta Questão 1 O gráfico mostra os níveis de glicose medidos no sangue de duas pessoas, sendo uma saudável e outra com diabetes melito, imediatamente após uma refeição e nas cinco horas seguintes. Essa substância

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS LAGES CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA. Aluno: Módulo I

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS LAGES CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA. Aluno: Módulo I INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS LAGES CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA Aluno: Módulo I Professor: Leandro Parussolo Unidade Curricular: Biologia Celular ATIVIDADE

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2012-2 GABARITO DA PROVA DE BIOLOGIA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2012-2 GABARITO DA PROVA DE BIOLOGIA Questão 1 Sobre as mitocôndrias, responda: a) Através da análise de DNA, demonstrou-se que muitos genes da bactéria Rickettsia prowazekii, que causa um tipo de febre, são parecidos com os genes das mitocôndrias.

Leia mais

AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS

AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS Apesar da diversidade entre os seres vivos, todos guardam muitas semelhanças, pois apresentam material genético (DNA) em que são encontradas todas as informações

Leia mais

UTILIZAÇÃO DOS NOVOS LABORATÓRIOS ESCOLARES

UTILIZAÇÃO DOS NOVOS LABORATÓRIOS ESCOLARES ESCOLA SECUNDÁRIA CAMILO CASTELO BRANCO V. N. FAMALICÃO ACÇÃO DE FORMAÇÃO UTILIZAÇÃO DOS NOVOS LABORATÓRIOS ESCOLARES Correcção Formador: Professor Vítor Duarte Teodoro Formanda: Maria do Céu da Mota Rocha

Leia mais

DNA E SÍNTESE PROTEICA

DNA E SÍNTESE PROTEICA 1- As acetabularias (fotografia à esquerda) são algas verdes marinhas, com 2 a 3 cm de altura, constituídas por uma base ou pé, onde está o núcleo, e um caulículo, na extremidade do qual se diferencia

Leia mais

Introdução à Biologia Celular e Molecular. Profa. Luciana F. Krause

Introdução à Biologia Celular e Molecular. Profa. Luciana F. Krause Introdução à Biologia Celular e Molecular Profa. Luciana F. Krause Níveis de organização Desenvolvimento da Teoria Celular Século XVII desenvolvimento das lentes ópticas Robert Hooke (1665) células (cortiça)

Leia mais

ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL. Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências 17A,17B, 17C, 17D e E.

ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL. Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências 17A,17B, 17C, 17D e E. ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências Turma: 17A,17B, 17C, 17D e E. Lista dos conteúdos Características dos Seres Vivos

Leia mais

CITOLOGIA CONHECENDO AS CÉLULAS

CITOLOGIA CONHECENDO AS CÉLULAS CITOLOGIA CONHECENDO AS CÉLULAS A história da Citologia Hans e Zaccharias Janssen- No ano de 1590 inventaram um pequeno aparelho de duas lentes que chamaram de microscópio. Robert Hooke (1635-1703)- Em

Leia mais

Trabalho Online. 3ª SÉRIE TURMA: 3101 2º Bimestre Nota: DATA: / /

Trabalho Online. 3ª SÉRIE TURMA: 3101 2º Bimestre Nota: DATA: / / Trabalho Online NOME: Nº.: DISCIPLINA: BIOLOGIA I PROFESSOR(A): LEANDRO 3ª SÉRIE TURMA: 3101 2º Bimestre Nota: DATA: / / 1. A seguir estão representados três modelos de biomembranas: a) A que constituintes

Leia mais

1- Considere as características das células A, B e C da tabela: ela indica a presença (+) ou ausência (- ) de alguns componentes.

1- Considere as características das células A, B e C da tabela: ela indica a presença (+) ou ausência (- ) de alguns componentes. Membrana Plasmática 1- Considere as características das células A, B e C da tabela: ela indica a presença (+) ou ausência (- ) de alguns componentes. Componentes celulares Célula A Célula B Célula C Membrana

Leia mais

b) As enzimas lisossômicas são proteínas produzidas pelos ribossomos e por comando genético.

b) As enzimas lisossômicas são proteínas produzidas pelos ribossomos e por comando genético. 1 BIOLOGIA Certas doenças hereditárias decorrem da falta de enzimas lisossômicas. Nesses casos, substâncias orgânicas complexas acumulam-se no interior dos lisossomos e formam grandes inclusões que prejudicam

Leia mais

A A A A A A A A A A A A A A A BIOLOGIA

A A A A A A A A A A A A A A A BIOLOGIA BIOLOGI 1 Nos últimos 10.000 anos, o nível de evaporação da água do Mar Morto tem sido maior que o de reposição. Dessa forma, a concentração de sais tem aumentado, já que o sal não evapora. principal fonte

Leia mais

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Procariontes Eucariontes Localização Organização Forma Disperso no citoplasma

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ==============================================================================================

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== Assunto: Organelas citoplasmáticas

Leia mais

Simulado Biologia UNICAMP 2014-2013

Simulado Biologia UNICAMP 2014-2013 1. (Unicamp 2014) Considere os seguintes componentes celulares: I. parede celular II. membrana nuclear III. membrana plasmática IV. DNA É correto afirmar que as células de a) fungos e protozoários possuem

Leia mais

Ciclos de Vida Unidade e diversidade

Ciclos de Vida Unidade e diversidade Aula nº 24_12-Nov Prof. Ana Reis 2008 Ciclos de Vida Unidade e diversidade Unidade vs. Diversidade dos ciclos de vida Uma das características inerentes aos seres vivos é a sua capacidade de reprodução.

Leia mais

Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Biociências e Biotecnologia Laboratório de Biotecnologia. Cianobactérias

Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Biociências e Biotecnologia Laboratório de Biotecnologia. Cianobactérias Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Biociências e Biotecnologia Laboratório de Biotecnologia Cianobactérias Disciplina: Biologia dos Vegetais Inferiores Coordenadora: Dra. Denise Dagnino

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares VUNESP 2007 questões escritas www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares VUNESP 2007 questões escritas www.planetabio.com 1- O que divide os especialistas não é mais se o aquecimento global se abaterá sobre a natureza daqui a vinte ou trinta anos, mas como se pode escapar da armadilha que criamos para nós mesmos nesta esfera

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO CITOPLASMA E METABOLISMO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO CITOPLASMA E METABOLISMO Componente Curricular: Biologia Professor: Leonardo Francisco Stahnke Aluno(a): Turma: Data: / /2015 EXERCÍCIOS DE REVISÃO CITOPLASMA E METABOLISMO 1. A respeito da equação ao lado, que representa uma

Leia mais

Exercícios para Prova 1 de Biologia 1 Trimestre

Exercícios para Prova 1 de Biologia 1 Trimestre Exercícios para Prova 1 de Biologia 1 Trimestre Pessoal a matéria da prova de Biologia é dos Módulos 1 a 5 (Edgard) e Módulo 1 (Ricardo). Parte I O Gabarito está na última folha. 1. Ordene as categorias

Leia mais

BIOLOGIA. 02 A afirmação O tecido ósseo pode ser citado como o único exemplo de tecido que não possui células vivas pode ser classificada como

BIOLOGIA. 02 A afirmação O tecido ósseo pode ser citado como o único exemplo de tecido que não possui células vivas pode ser classificada como BIOLOGIA 01 O crescimento externo dos artrópodes ocorre pelo processo denominado ecdise, caracterizado pela troca do exoesqueleto. Assinale o gráfico que melhor representa o crescimento desses animais.

Leia mais

Células procarióticas

Células procarióticas Pró Madá 1º ano Células procarióticas Citosol - composto por 80% de água e milhares de tipos de proteínas, glicídios, lipídios, aminoácidos, bases nitrogenadas, vitaminas, íons. Moléculas de DNA e ribossomos

Leia mais

BOTÂNICA PARTE I Ramo da biologia que estuda as plantas. Briófita & Pteridófita

BOTÂNICA PARTE I Ramo da biologia que estuda as plantas. Briófita & Pteridófita BOTÂNICA PARTE I Ramo da biologia que estuda as plantas. Briófita & Pteridófita BOTÂNICA (Reino Plantae) Para pertencer ao grupo das plantas o organismo deve: Ter raiz, caule e folha; Ser autótrofo fotossintetizante

Leia mais

TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA. Luis Eduardo Maggi

TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA. Luis Eduardo Maggi TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA Luis Eduardo Maggi Tipos de Transporte Passivo Difusão simples Difusão facilitada Osmose Ativo Impulsionado pelo gradiente iônico Bomba de Na/K Em Bloco Endocitose: (Fagocitose,

Leia mais

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros Necessidades básicas O planeta oferece meios que satisfaçam as necessidades básicas dos seres vivos. Necessidades básicas dos

Leia mais

Solução Comentada Prova de Biologia

Solução Comentada Prova de Biologia 11. Em relação à importância dos organismos autotróficos na modificação da atmosfera na Terra primitiva, analise as proposições abaixo e marque com V as verdadeiras e com F as falsas. 1 ( ) Com a liberação

Leia mais

Gabarito: GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO. Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D]

Gabarito: GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO. Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D] GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO Gabarito: Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D] Resposta da questão 4: [A] Resposta da questão 5: [B] Resposta da

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA DE BIOLOGIA M23-2015

PROVA ESPECÍFICA DE BIOLOGIA M23-2015 PROVA ESPECÍFICA DE BIOLOGIA M23-2015 Nome: Data: / / Curso pretendido: ASSINALAR A RESPOSTA CORRETA NA FOLHA DE RESPOSTA 1. Os centríolos exercem importantes funções no processo de: a) Transporte intracelular.

Leia mais

Matéria e energia nos ecossistemas

Matéria e energia nos ecossistemas Aula de hoje Matéria e energia nos ecossistemas Matéria e energia nos ecossistemas A forma e funcionamento dos organismos vivos evoluiu parcialmente il em respostas às condições prevalecentes no mundo

Leia mais

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.)

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Assunto: Classificação dos seres vivos Os cientistas estabeleceram um sistema

Leia mais

BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA

BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA Nota-se claramente que a prova de biologia da segunda fase da UFPR refletiu um esforço no sentido de privilegiar questões que envolvam raciocínio lógico aplicado ao domínio

Leia mais

Lista de Exercícios. Aluno(a): Nº. Pré Universitário Uni-Anhanguera. Disciplina: Biologia

Lista de Exercícios. Aluno(a): Nº. Pré Universitário Uni-Anhanguera. Disciplina: Biologia Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 3 Ano Disciplina: Biologia 1) (UFMG) Estes animais costumam estar presentes no dia-a-dia dos seres humanos:

Leia mais

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem Ciências Naturais 8º ano Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem 1 O que representa a imagem seguinte? A. Uma sucessão ecológica. B. Uma teia aliemntar. C. Uma pirâmide ecológica.

Leia mais

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Módulo 09 GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Quando ocorre o fechamento dos estômatos a condução de seiva bruta fica prejudicado bem como a entrada de gás carbônico para o processo fotossintético. 02. C O deslocamento

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL 1. (Ufrgs 2015) A coluna à esquerda, abaixo, lista dois hormônios vegetais; a coluna à direita, funções que desempenham. Associe adequadamente a coluna direita com a esquerda.

Leia mais

Prof. Felipe de Lima Almeida

Prof. Felipe de Lima Almeida Prof. Felipe de Lima Almeida No século XVI, dois holandeses, fabricantes de óculos, descobriram que duas lentes montadas em um tubo poderiam ampliar a imagem de objetos que, normalmente, não eram vistos

Leia mais

Questões complementares

Questões complementares Questões complementares 1. Definir célula e os tipos celulares existentes. Caracterizar as diferenças existentes entre os tipos celulares. 2. Existe diferença na quantidade de organelas membranares entre

Leia mais

ALUNO(a): Observe o esquema a seguir, no qual I e II representam diferentes estruturas citoplasmáticas.

ALUNO(a): Observe o esquema a seguir, no qual I e II representam diferentes estruturas citoplasmáticas. GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 3º ano ALUNO(a): Lista de Exercícios NOTA: No Anhanguera você é + Enem Questão 01) Observe o esquema a seguir, no qual I e II representam diferentes estruturas

Leia mais

Ficha 1 Estudo da Célula Disciplina: Ciências Ano: 8 Data: 1º trimestre 2014 Professor(a): Elaine Kozuki Nome do aluno:

Ficha 1 Estudo da Célula Disciplina: Ciências Ano: 8 Data: 1º trimestre 2014 Professor(a): Elaine Kozuki Nome do aluno: Ficha 1 Estudo da Célula Disciplina: Ciências Ano: 8 Data: 1º trimestre 2014 Professor(a): Elaine Kozuki Nome do aluno: 1. Diferencie e explique a diferença Célula eucariota de célula procariota quanto

Leia mais

Actividade Laboratorial Biologia 10º Ano. OBSERVAÇÃO DE CÉLULAS EUCARIÓTICAS VEGETAIS (Parte I Guião)

Actividade Laboratorial Biologia 10º Ano. OBSERVAÇÃO DE CÉLULAS EUCARIÓTICAS VEGETAIS (Parte I Guião) Actividade Laboratorial Biologia 10º Ano OBSERVAÇÃO DE CÉLULAS EUCARIÓTICAS VEGETAIS (Parte I Guião) O que se pretende 1. Seleccionar material adequado à observação de células eucarióticas vegetais 2.

Leia mais

CITOLOGIA CITOLOGIA. A história da Citologia TEORIA CELULAR 30/03/2016

CITOLOGIA CITOLOGIA. A história da Citologia TEORIA CELULAR 30/03/2016 CITOLOGIA CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula, no que diz respeito à sua estrutura e funcionamento. Kytos (célula) + Logos (estudo) As células são as unidades funcionais e estruturais básicas

Leia mais

Aulão: 20/06/2015 Conteúdo: Metabolismo Energético Profº Davi Vergara Profº Roberto Fonseca ONDA que apenas transportam energia.

Aulão: 20/06/2015 Conteúdo: Metabolismo Energético Profº Davi Vergara Profº Roberto Fonseca  ONDA que apenas transportam energia. Aulão: 20/06/2015 Conteúdo: Metabolismo Energético Profº Davi Vergara O Sol é o principal responsável pela existência de vida na Terra. A energia luminosa captada por algas e plantas é utilizada na produção

Leia mais

CONTROLE DE POLUIÇÃO DE ÁGUAS

CONTROLE DE POLUIÇÃO DE ÁGUAS CONTROLE DE POLUIÇÃO DE ÁGUAS NOÇÕES DE ECOLOGIA. A ÁGUA NO MEIO A ÁGUA É UM DOS FATORES MAIS IMPORTANTES PARA OS SERES VIVOS, POR ISSO É MUITO IMPORTANTE SABER DE QUE MANEIRA ELA SE ENCONTRA NO MEIO,

Leia mais

Superlista Bioenergética

Superlista Bioenergética Superlista Bioenergética 1. (Uerj) O ciclo dos ácidos tricarboxílicos, ou ciclo de Krebs, é realizado na matriz mitocondrial. Nesse ciclo, a acetilcoenzima A, proveniente do catabolismo de carboidratos,

Leia mais

EXAME DISCURSIVO 2ª fase

EXAME DISCURSIVO 2ª fase EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 Biologia Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Biologia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

REPRODUÇÃO MECANISMO DE PERPETUAÇÃO DAS ESPÉCIES

REPRODUÇÃO MECANISMO DE PERPETUAÇÃO DAS ESPÉCIES REPRODUÇÃO MECANISMO DE PERPETUAÇÃO DAS ESPÉCIES Reprodução: Mecanismo pelo qual os seres vivos se multiplicam. Duas modalidades de reprodução: SEXUADA ASSEXUADA REPRODUÇÃO SEXUADA Eventos fundamentais:

Leia mais

Célula Robert Hooke (século XVII) Mathias Schleiden (1838) Theodor Swann Rudolf Virchow (1858)

Célula Robert Hooke (século XVII) Mathias Schleiden (1838) Theodor Swann Rudolf Virchow (1858) Célula Introdução Robert Hooke (século XVII) deu o nome de célula (pequenos compartimentos) às pequenas cavidades separadas por paredes, que ele observou em cortiça e outros tecidos, usando microscópio

Leia mais