FLUXOGRAMAS DE PROCESSOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FLUXOGRAMAS DE PROCESSOS"

Transcrição

1 FLUXOGRAMAS DE PROCESSOS AGÊNCIA GOIANA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL - AGDR 3ª Revisão GOIÂNIA-GO Setembro/203

2 Marconi Ferreira Perillo Júnior GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS José Eliton de Figuerêdo Júnior VICE - GOVERNADOR Giuseppe Vecci SECRETÁRIO DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO Lêda Borges de Moura PRESIDENTE DA AGÊNCIA GOIANA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL Júlio César Monteiro Guimarães CHEFE DE GABINETE Itamar Leão DIRETOR DE GESTÃO, PLANEJAMENTO E FINANÇAS Paula Pinto Silva de Amorim DIRETORA TÉCNICA Elaboração Érika Soares Tannús Revisão Cíntia Maria Gondim Villac Colaboração Altair Lopes Gomes de Almeida Anna Paula Alves de Melo Edmundo Castro Borges Eliane Maria Di Oliveira Moraes Elisa Chaud Faria Gilson Pereira da Silva Jaine Braz Silva Lúcio Warley Lippi Marcelo Torres da Silva Marcus Vinícius Santana Amaral Maria Auxiliadora Moreira de Oliveira Paulo Barbosa de Oliveira Sabrina Pinheiro Ferreira Thiago Sávio Alves da Silva Valéria Kristina David Duarte

3 SUMÁRIO FLUXOGRAMA I Procedimento de elaboração de empenhos do Fundo Rotativo... 4 FLUXOGRAMA II Fluxograma Processo de Compras Fundo Rotativo... 5 FLUXOGRAMA III Fluxograma Processo de Contratação de Serviços Fundo Rotativo... 8 FLUXOGRAMA IV Fluxograma de solicitação de Diária Fundo Rotativo... FLUXOGRAMA V Processo de Prestação de Contas de solicitação de Diárias Fundo Rotativo.. 2 FLUXOGRAMA VI - Processo Folha de Pagamento GEGP... 3 FLUXOGRAMA VII Processo de Férias GEGP... 6 FLUXOGRAMA VIII - Processo de Licença GEGP... 7 FLUXOGRAMA IX - Processo de Licença para tratar de interesse particular - GEGP... 8 FLUXOGRAMA X Processo de Licença para freqüência em curso de Doutorado, Mestrado, Especialização, Treinamento ou Aperfeiçoamento - GEGP... 9 FLUXOGRAMA XI - Processo de Licença Prêmio GEGP... 2 FLUXOGRAMA XII Processo de Concessão de Diferenças Salariais - GEGP FLUXOGRAMA XIII Processo de Integração de Servidor recém chegado ao órgão - GEGP FLUXOGRAMA XIV - Processo de Prestação de Contas Trimestral Art. 30 TCE - GEGP FLUXOGRAMA XV Processo de Pagamento FLUXOGRAMA XVI Processo de Pagamento da Folha de Pessoal FLUXOGRAMA XVII Processo de Prestação de Contas Mensal dos Movimentos Contábeis da Execução Orçamentária e Financeira FLUXOGRAMA XVIII - Processo de Prestação de Contas Anual TCE... 3 FLUXOGRAMA XIX Processo de Prestação de Contas Trimestral Art FLUXOGRAMA XX - Processo de Contratação Direta I (Manutenção Administrativa) GALS FLUXOGRAMA XXI - Processo Contratação Direta II (Manutenção Administrativa) GALS FLUXOGRAMA XXII Processo de Contratação Direta III (Inexigibilidade e demais casos de Dispensa) - GALS FLUXOGRAMA XXIII Cadastramento no ComprasNet - GALS FLUXOGRAMA XXIV Aditivo Contratual (Atividades Meio) - GJUR... 4 FLUXOGRAMA XXV Aditivo Contratual (Atividades Fim) GJUR FLUXOGRAMA XXVI Processo de Licitação CPL FLUXOGRAMA XXVII Pregão Presencial Lei n / Pregoeiro... 5 FLUXOGRAMA XXVIII Pregão Eletrônico Decreto n / Pregoeiro FLUXOGRAMA XXIX Convite, Tomada de Preços e Concorrência CPL FLUXOGRAMA XXX Contratação Direta Diretoria Técnica FLUXOGRAMA XXXI Convênios GLOSSÁRIO...6

4 2 INTRODUÇÃO Fluxograma é um tipo de diagrama que contêm símbolos padronizados, que mostra a sequência lógica das etapas e realização de um processo de trabalho, e pode ser entendido mais simplificadamente como uma representação esquematizada de um processo, muitas vezes feito através de gráficos que ilustram de forma descomplicada a transição de informações entre os elementos que o compõem. Pode-se entendê-lo, na prática, como a documentação dos passos necessários para a execução de um processo qualquer. É uma das ferramentas da qualidade, com a finalidade de representar o fluxo de processos executado por diversas unidades administrativas compostas na estrutura da Agência Goiânia de Desenvolvimento Regional AGDR, podendo ser entendido como uma ferramenta de trabalho a ser desenvolvida em diversos processos internos, objetivando assim a melhoria nos processos, bem como a adoção de normas e procedimentos adequados ao alcance dos resultados almejados de cada unidade administrativa, propiciando a visão integrada da sequência do processo, os detalhes críticos, as oportunidades de melhoria, os pontos de controle, as documentações necessárias e a interação com os subprocessos. Adotou-se a utilização do software Microsoft Visio 200 para elaboração dos Fluxogramas de Processos da AGDR. As unidades administrativas representadas compõem a estrutura organizacional básica e complementar instituída no regulamento, mediante Lei nº 7.257, de 25 de janeiro de 20. Para elaboração dos Fluxogramas foram instituídas as seguintes SIGLAS abaixo representando as unidades administrativas envolvidas em cada processo representado em anexo, assim sendo: SIGLA DESCRIÇÃO CGE Controladoria Geral do Estado DGPF Diretoria de Gestão, Planejamento e Finanças GALS Gerência de Apoio Logístico e de Suprimentos GCOM Gerência de Comunicação GEGP Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Planejamento e Finanças GIPP Gerência de Integração de Políticas Públicas e Projetos Especiais GJUR Gerência Jurídica GLIC Gerência de Licitações Contratos SCI Superintendência de Controle Interno UCI Unidade de Controle Interno

5 BOLOGIA PARA FLUXOGRAMAS DESCRITIVOS Processo Decisão Documento Dados Processo predefinido Dados armazenados Armazenamento interno Dados sequenciais (software) Dados diretos Entrada manual (material/serviço) Cartão Fita papel Exibição Operação manual Executor Início/Fim Fim Continuação Transferência de controle Conector (sentido de circulação de documentos/ informações) Informação verbal Fonte: D ASCENÇÃO, Luiz Carlos M. Organização, sistemas e métodos: análise, redesenho e informações de processos administrativos. º ed. São Paulo: Atlas, 200.

6 FLUXOGRAMA I 4 Fluxograma Procedimento de elaboração de empenhos do Fundo Rotativo Fundo Rotativo Procedimento Anual Fundo Rotativo Início Gestor do Fundo Rotativo Solicita PDF e PPT. Após liberação da SEGPLAN, elabora declaração de adequação orçamentária e financeira (anexo III) e colhe assinatura do ordenador de despesas. Elabora memorando à solicitando abertura de processo para efetuar empenhos relativos ao Fundo Rotatiivo Solicita empenho no SIOFI e expede rascunho do empenho e encaminha para análise e autorização da CGE CGE Autoriza procedimento e encaminha ao protocolo para autuação Analisa e aprova empenho? Protocolo Autoriza procedimento e encaminha ao Gestor do Fundo Rotativo Gestor do Fundo Rotativo Solicita adequação e encaminha ao Gestor do Fundo Rotativo Atende orientações e remete à CGE para liberação da Nota de Empenho Devolve processo autorizado para o Gestor do Fundo Rotativo Gestor do Fundo Rotativo Inclui nota de empenho no processo Nota de Empenho 2 Elabora anexo I requisição de despesa, colhe assinatura do ordenador de despesas e encaminha Processo à Efetua o mesmo procedimento após a aplicação total dos recursos solicitados na requisição de despesa, conforme cont. 2 2 Fim Faz enquadramento da despesa (anexo II) e encaminha ao Gestor do Fundo Rotativo Gestor do Fundo Rotativo

7 FLUXOGRAMA II 5 Fluxograma Processo de Compras Fundo Rotativo (Compras até conforme Lei nº /93) Fundo Rotativo Unidade Administrativa DGPF GALS Gestor do Fundo Rotativo Protocolo Início Encaminha memorando para DGPF solicitando compra(aquisição) de material, produto ou bem Memorando Comunica Unidade Administrativa solicitante Autoriza? Encaminha memorando para a GALS Verifica a possibilidade/ viabilidade da aquisição e indica a forma para sua realização: se pelo Fundo Rotativo ou não. Aquisição pelo Fundo Rotativo? Informa a GALS sobre a indisponibilidade Tem disponibilidade financeira? Envia memorando ao Protocolo para autuar processo Autua processo de e envia via SEPNET ao Gestor do Fundo Rotativo Processo Memorando Realiza a aquisição/ contratação de acordo com o fluxograma XX. Envia memorando ao Gestor do Fundo Rotativo Memorando Requisição de despesa Preenche requisição de despesa (Anexo I) Colhe assinatura do responsável da unidade administrativa requisitante e do Ordenador de despesa Orçamentos Efetua 3 orçamentos, classifica menor preço Dá continuidade ao processo, se possível, por dispensa de licitação. Fluxograma XX.

8 FLUXOGRAMA II 6 Fluxograma Processo de Compras Fundo Rotativo (Compras até conforme Lei nº /93) Fundo Rotativo Unidade Administrativa DGPF Gerência de Apoio Logístico e de Suprimentos Gestor do Fundo Rotativo Protocolo Confere se material e nota fiscal estão conforme solicitação Verifica a regularidade fiscal da ª empresa colocada Informa a empresa que material/nota fiscal não confere com solicitação Verifica Regularidade fiscal da empresa 2ª colocada Anexa Orçamentos e certidões ao Processo Solicita adequação do Pedido ou NF Entrega material ao responsável da Unidade Administrativa requisitante Verifica 3ª colocada Informa a empresa via telefone, fax ou e solicita a aquisição do material/bem Material entregue ao responsável Unidade Administrativa requisitante Atesta Nota Fiscal e a encaminha ao Gestor do Fundo Rotativo para pagamento Material Nota Fiscal Recebe material juntamente com nota fiscal Material Encaminha material e NF para conferência da GALS Nota Fiscal 2

9 FLUXOGRAMA II 7 Fluxograma Processo de Compras Fundo Rotativo (Compras até conforme Lei nº /93) Unidade Administrativa Supervisão de Contabilidade Gestor do Fundo Rotativo CGE Fundo Rotativo Gerência de Apoio Logístico Realiza conferência da fatura/nota fiscal 2 CGE Emite parecer sobre a retenção de tributos, conforme IN. 00/2009 AGDR Encaminha os autos ao Gestor do Fundo Rotativo para pagamento Anexa Nota Fiscal ao Processo elabora despacho e encaminha à Supervisão de Contabilidade para conferência do contador Preenche cheque com via carbonada e recibo para empresa Entrega cheque à empresa e pega assinatura no recibo de entrega Encaminha Processo ao Gestor do Fundo Rotativo para adequar orientações Análise e autorização? Encaminha Processo ao Gestor do Fundo Rotativo Efetua dedução de despesa e emite OP de ressarcimento OP Encaminha processo à CGE para análise e validação da OP de ressarcimento Processo Arquiva processo para futura apreciação da CGE e TCE Prestação de contas mensal e trimestral Fim

10 FLUXOGRAMA III 8 Fluxograma Processo de Contratação de Serviços Fundo Rotativo (Serviços até o limite previsto, conforme Lei nº /93) Fundo Rotativo Unidade Administrativa DGPF GALS Gestor do Fundo Rotativo Protocolo Início Encaminha memorando para DGPF solicitando contratação de serviço Memorando Comunica Unidade Administrativa solicitante Autoriza? Encaminha memorando para a GALS Verifica a possibilidade/ viabilidade da contratação e indica a forma para sua realização: se pelo Fundo Rotativo ou não. Aquisição pelo Fundo Rotativo? Informa a GALS sobre a indisponibilidade Tem disponibilidade financeira? Envia memorando ao Protocolo para autuar processo Autua processo de e envia via SEPNET ao Gestor do Fundo Rotativo Processo Memorando Realiza a contratação de acordo com o fluxograma XX. Envia memorando ao Gestor do Fundo Rotativo Requisição de despesa Preenche requisição de despesa (Anexo I) Colhe assinatura do responsável da unidade administrativa requisitante e do Ordenador de despesa Memorando Dá continuidade ao processo, se possível, por dispensa de licitação. Fluxograma XX. Orçamentos Efetua 3 orçamentos, classifica menor preço

11 FLUXOGRAMA III 9 Fluxograma Processo de Contratação de Serviços Fundo Rotativo (Serviços até o limite previsto, conforme Lei nº /93) Fundo Rotativo Unidade Administrativa DGPF Gerência de Apoio Logístico e de Suprimentos Gestor do Fundo Rotativo Protocolo Confere se serviço executado e nota fiscal estão conforme solicitação Verifica a regularidade fiscal da ª empresa colocada Informa a empresa que serviço/nota fiscal não confere com solicitação Verifica Regularidade fiscal da empresa 2ª colocada Anexa Orçamentos e certidões ao Processo Solicita adequação do Pedido ou NF Atesta Nota Fiscal e a encaminha ao Gestor do Fundo Rotativo para pagamento Verifica 3ª colocada Informa a empresa via telefone, fax ou e solicita a realização do serviço Nota Fiscal Recebe nota fiscal e a encaminha para GALS Nota Fiscal 2

12 FLUXOGRAMA III 0 Fluxograma Processo de Contratação de Serviços Fundo Rotativo (Serviços até o limite previsto, conforme Lei nº /93) Unidade Administrativa Supervisão de Contabilidade Gestor do Fundo Rotativo CGE Fundo Rotativo Gerência de Apoio Logístico 2 CGE Realiza conferência da fatura/nota fiscal Emite parecer sobre a retenção de tributos, conforme IN. 00/2009 AGDR Encaminha os autos ao Gestor do Fundo Rotativo para pagamento Anexa Nota Fiscal ao Processo elabora despacho e encaminha à Supervisão de Contabilidade para conferência do contador Preenche cheque com via carbonada e recibo para empresa Entrega cheque à empresa e pega assinatura no recibo de entrega Encaminha Processo ao Gestor do Fundo Rotativo para adequar orientações Análise e autorização? Encaminha Processo ao Gestor do Fundo Rotativo Efetua dedução de despesa e emite OP de ressarcimento OP Encaminha processo à CGE para análise e validação da OP de ressarcimento Processo Arquiva processo para futura apreciação da CGE e TCE Prestação de contas mensal e trimestral Fim

13 FLUXOGRAMA - IV Fluxograma - Processo de Diária Fundo Rotativo Diretoria/Gerência Gestor do Fundo Rotativo Protocolo Gerência de Apoio Logístico e Suprimentos Início Gestor do Fundo Rotativo Protocolo GALS Servidor Solicita diária via memorando a Chefia imediata responsável Memorando contendo data, hora prevista da saída/chegada, motivo da viagem e necessidade de veículo/motorista. Justifica a indisponibilidade financeira a unidade requisitante Verifica existência de saldo orçamentário? Encaminha cópia do memorando à Gerência de Apoio Logístico e Suprimentos Envia memorando ao Protocolo para autuar processo Autua processo de fornecimento de diária e envia via SEPNET ao Gestor do Fundo Rotativo 2 Informa a falta de veículo ou motorista à Unidade requisitante e ao Gestor do Fundo Verifica a disponibilidade de veículo e motorista? Verifica condições do veículo e dá providências Arquiva memorando e informa a indisponibilidade de viagem Chefia imediata responsável Autoriza viagem? Envia memorando ao Gestor do Fundo Rotativo 2 Preenche Requisição de Despesa, Ordem de Deslocamento conforme Lei 7.4 de 6 Ago de 200 e Portaria conforme IN nº VII/ TCE Preenche cheque e via carbonada, Recibo para servidor e ANEXO V (conforme IN nº VII) Entrega cheque a servidor e pega assinatura do Recibo de entrega Liquida despesa no SIOFI e AFT e emite Rascunho da OP Cheque, Recibo e ANEXO V Requisição de Despesa, OD e Portaria Após análise e liberação da CGE GFR envia OP ao Banco Arquiva temporariamente processo para futura análise do TCE Memorando Ordem de Abastecimento Ordem de Tráfego Elabora memorando solicitando diária para motorista e encaminha ao GFR Elabora e emite Ordem de abastecimento Elabora e emite Ordem de Tráfego Fim Encaminha Processo a CGE para análise e posterior liberação do rascunho da OP Processo

14 FLUXOGRAMA - V Fluxograma Processo de Prestação de Contas - Solicitação de Diária 2 Fundo Rotativo Gerência/Diretoria Gestor do Fundo Rotativo CGE Servidor Gestor do Fundo Rotativo CGE Elabora relatório de viagem Relatório de Viagem Preenche requisição de despesa (anexo I) Requisição de Despesa Análise e autorização? Anexa NF ou Recibos e Ordem de Tráfego Anexa NF ou CF de combustível para ressarcimento quando houver Ordem de Tráfego NF s ou Recibo contendo carimbo CNPJ e assinatura Anexa Recibo, cópia de cheque via carbonada, ANEXO V (conforme INº VII) Efetua Dedução Orçamentária Financeira Recibo, cópia de cheque e Anexo V Encaminha ao GFR para adequar orientações Encaminha processo Ao Gestor do Fundo Rotativo Encaminha ao Gestor do Fundo Rotativo Anexa OP de ressarcimento de Diária/ Combustível Ordem de Pagamento - OP Encaminha processo a CGE para análise e autorização Processo Arquiva processo para futura apreciação do TCE Processo Prestação de contas mensal e trimestral Fim

15 FLUXOGRAMA - VI 3 Fluxograma - Processo de Folha de Pagamento Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Gestão de Pessoas SEGPLAN Protocolo Gerência de Planejamento e Finanças Início Gerência de Gestão de Pessoas Verifica inclusões e disposições de servidores (Comissionados, Celetistas e Estatutários) do referido mês e devidas documentações Apostila de Posse, Ficha Financeira, Ficha Contratual e Cópia do Diário Oficial Superintendên -cia Central de Recursos Humanos Executa Cálculo da Folha de Pagamento do Governo do Estado de Goiás pelo Sist. de Folha de Pagamento Sistema de Folha de Pagamento Verifica exonerações do mês Comparativo da Folha de Pagamento impresso Comparativo da Folha Verifica 3º salário de cada servidor pelo mês de aniversário, quinquênios e licenças. Verifica calendário de férias mensal e requerimento de férias Coloca dados no Sistema de Folha de Pagamento do Governo do Estado (conforme código das rubricas do Sist. Folha de Pagto.) Dados conforme código das rubricas rubricas Folha de Pagamento Imprimi rubricas incluídas na Folha de Pagamento

16 FLUXOGRAMA - VI 4 Fluxograma - Processo de Folha de Pagamento Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Gestão de Pessoas SEGPLAN Protocolo Gerência de Planejamento e Finanças Superintendên -cia Central de Recursos Humanos Protocolo Junta toda documentação comprobatória dos dados incluídos no sistema Documentos comprobatórios Efetua Conferência Manual do Comparativo da Folha de Pagt. conforme data e hora marcada Autua processo de Folha de Pagamento e envia via SEPNET à Gerência de Gestão de Pessoas Efetua comparativo da Folha no Sistema de Folha de Pagamento Comparativ o da Folha de Pagamento Conferência OK? Comparativo da Folha é impresso Comparativo Realiza correções necessárias Folha de Pagamento vai para Emissão na Diretoria de Informática na SEFAZ Responsável pela Gerência de Gestão de Pessoas Folha de Pagamento Folha de Pagamento é emitida e conclusa retorna para Gerência de Gestão de Pesoas na AGDR Elabora Requisição de Despesa Encaminha para Assinaturas do Ordenador de Despesa e DGPF Encaminha ao Protocolo para autuar processo 2

17 FLUXOGRAMA - VI 5 Fluxograma - Processo de Folha de Pagamento Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Gestão de Pessoas SEGPLAN Protocolo Gerência de Planejamento e Finanças 2 Gerência de Planejamento e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas Insere documentação, Requisição de Despesa, Comparativo da Folha, Resumo dos Proventos e descontos, Resumo dos Descontos do INSS, Consignações, Resumo dos servidores Comissionaods, Estatutários, Celetistase Decisões Judiciais Requisição de Despesa Comparativo da Folha Resumo dos Proventos e descontos Resumo dos Descontos do INSS Consignações Efetua pagamento conforme Fluxograma do Processo de Pagamento da Folha de Pessoal Fim Envia para Gerência de Planejamento e Finanças- Resumo dos Comis. Estatutários e Celetistas Decisões Judiciais Processo de Folha de Pagamento

18 FLUXOGRAMA - VII 6 Fluxograma Processo de Férias (Lei nº 0.460/ Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Goiás e de suas Autarquias). Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Unidade Administrativa Servidor Solicita autorização férias verbal à chefia responsável imediata Servidor 3 * Observação: Lei n /88 Capítulo II Art. 2. º Para o primeiro período aquisitivo, serão exigidos 2 (doze) meses de exercício. 2º As férias poderão, a pedido do funcionário e a critério da Administração, ser concedidas em dois períodos, um dos quais não poderá ser inferior a dez dias corridos, devidamente previsto na escala anual de férias. 3º O funcionário perceberá, proporcionalmente a cada período, no mês de seu efetivo gozo, a parcela de gratificação de um terço da remuneração a que tem direito em razão do período total de férias. Preenche Requisição de Férias na Gerência de Gestão de Pessoas Requisição de Férias Levaà Chefia imediata para autorizar Férias Requisição de Férias Chefia imediata Autoriza? Agenda outra data em comum acordo Assina requisição de Férias e entrega a servidor Servidor Encaminha Requisição de Férias autorizada pela Chefia imediata à Gerência de Gestão de Pessoas Requisição de Férias Gerência de Gestão de Pessoas Toma ciência e inclui férias na Folha de Pagamento, mencionado valor e período solicitado, em observância a Lei nº 0.460/88 Fim

19 FLUXOGRAMA - VIII 7 Fluxograma Processo de Licenças Art. 25, I, II e III (Lei nº 0.460/ Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Goiás e de suas Autarquias). Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Unidade Administrativa Servidor Solicita licença mediante requerimento no órgão de origem Poderá ser concedida a licença para servidor efetivo nos casos previstos no Art. 25, I a VII, da Lei nº 0.460/88 e para servidor comissionado só poderá ser concedida licenças para tratamento de saúde, à gestante e por motivo de doença da família. Servidor submete se a inspeção médica na Junta Médica do Governo do Estado de Goiás Junta Médica do Governo do Estado de Goiás Emite laudo ou atestado, a partir de cuja data terá início o afastamento, ressalvada hipótese prevista no Art. 27 da Lei n / 88 (a partir do impedimento) Laudo ou atestado Servidor Entrega laudo ou atestado da Junta Médica ao Órgão onde está lotado Laudo ou atestado Gerência de Gestão de Pessoas Verifica laudo ou atestado e inclui na Folha de Pagamento Fim

20 FLUXOGRAMA - IX 8 Fluxograma Processo de Licença para tratar de interesses particulares Art. 25, VII (Lei nº 0.460/ Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Goiás e de suas Autarquias). Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Unidade Administrativa Servidor Solicita licença mediante requerimento no órgão de origem Orgão de origem CAPÌTULO III Das Licenças SEÇÃO VII Da Licença para tratar de interesses particulares Art. 240 O funcionário poderá obter licença sem vencimentos para tratar de interesses particulares, a juízo da administração. º O funcionário aguardará em exercício a concessão da licença. 2º A licença poderá ser concedida pelo prazo de 4 (quatro) anos, prorrogável por igual período, ficando vedado o cômputo, para quaisquer efeitos, de tempo de serviço prestado à iniciativa privada, ou de contribuição como segurado facultativo, durante o período de afastamento. 3º O disposto desta seção não se aplica aos funcionários em estágio probatório. Autua processo via SEPNET e encaminha ao órgão de lotação para autorização Órgão de Lotação Gerência de Gestão de Pessoas Justifica a não concessão da licença e informa servidor Autoriza? Autoriza expressamente em documento a concessão de licença para tratar de interesses particulares Verifica parecer, inclui licença no Sistema de Folha de Pagamento, mencionando período autorizado, inclui informações no sistema de ponto e dossiê do servidor Fim Encaminha ao órgão de origem para parecer final Orgão de Origem Emite parecer final sobre a licença e encaminha à Gerência de Gestão de Pessoas do órgão de lotação para devidas providências

21 FLUXOGRAMA - X 9 Fluxograma Processo de Licença para frequência a Curso de Doutorado, Mestrado, Especialização, Treinamento ou Aperfeiçoamento Art. 249 (Lei nº 0.460/ Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Goiás e de suas Autarquias). Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Unidade Administrativa Servidor Solicita licença mediante requerimento no órgão de lotação contendo em anexo comprovação de matricula em doutorado, mestrado, especialização, treinamento ou aperfeiçoamento profissional Titular do órgão de lotação Encaminha a Gerência de Gestão de Pessoas para verificação dos dados da licença CAPÌTULO III Das Licenças SEÇÃO IX Da Licença para freqüência a Curso de Doutorado, Mestrado, Especialização e tratar de interesses particulares Art. 249 Para a consecução dos objetivos de que trata os Capítulos II e III do Título V deste Estatuto, poderá ser concedida licença ao funcionário matriculado em curso de doutorado, mestrado, de especialização, treinamento e aperfeiçoamento profissional, a realizar se fora da sede de lotação. º O doutorado, o mestrado, a especialização, o treinamento ou o aperfeiçoamento profissional deverão visar o melhor aproveitamento do funcionário no serviço público. 2º Compete ao Secretário de Administração, por solicitação do titular do órgão de lotação do funcionário, conceder a licença prevista neste artigo. 3º Em casos de acumulação de cargos somente será concedida licença quando o curso visar o aproveitamento do funcionário em relação a ambos. 4º Realizando se o curso na mesma localidade da lotação do funcionário, ou em outra de fácil acesso, em lugar da licença poderá ser concedida simples dispensa do expediente, nos dias e horários necessários à frequência regular do curso. 5º Considera se como de efetivo exercício o período de afastamento do funcionário motivado pela licença concedida nos termos desta seção, mediante comprovação de frequência no curso respectivo, fornecida pelo dirigente do órgão encarregado de sua ministração. Gerência de Gestão de Pessoas Emite parecer a informando a dispensa integral do servidor por se tratar de localidade diferente da localidade de lotação do servidor, considerando como efetivo exercício o período de afastamento do servidor Verifica se a localidade do curso é a mesma de lotação do servidor? Emite parecer a informando os dias e horários os quais não afetará o horário de expediente do servidor Verifica se curso afetará o horário de expediente? Emite parecer informando licença e dispensa do expediente, nos dias e horários necessários à frequência regular do curso

22 FLUXOGRAMA X 20 Fluxograma Processo de Licença para Frequência a Curso de Doutorado, Mestrado, Especialização, Treinamento ou Aperfeiçoamento Art. 249 (Lei nº 0.460/988. Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Goiás e de suas Autarquias). Unidade Administrativa Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas Encaminha processo ao Secretário de Administração para concessão de licença prevista no art. 249 da Lei 0.460/988 Secretário de Administra ção Concede licença e remete os autos a Gerência de Gestão de Pessoas do órgão de lotação Gerência de Gestão de Pessoas Verifica conceção, inclui licença no Sistema de Folha de Pagamento, mencionando período autorizado, inclui informações no sistema de ponto e dossiê do servidor Fim

23 FLUXOGRAMA - XI 2 Fluxograma Processo de Licença Prêmio Art. 243 (Lei nº 0.460/ Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Goiás e de suas Autarquias). Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Unidade Administrativa Servidor Solicita licença mediante requerimento no órgão de origem Art. 243 A cada qüinqüênio de efetivo exercício prestado ao Estado, na condição de titular de cargo em provimento efetivo, o funcionário terá direito a licença prêmio de 3(três) meses, a ser usufruída ininterruptamente, com todos os direitos e vantagens do cargo. Art. 247 Para apuração do qüinqüênio computar se á, também, o tempo de serviço prestado anteriormente em outro cargo estadual, desde que entre um e outro não haja interrupção de exercício gozado por prazo superior a 30 (trinta) dias. Art. 248 Para efeito de aposentadoria será contado em dobro o tempo de licença prêmio que o funcionário não houver gozado. Órgão de Origem Autua processo via SEPNET e encaminha à Superintendência Central de Recursos Humanos Superintendê ncia Central de Recursos Humanos Efetua contagem do tempo de serviço, em observância ao Art. 245, I, II e III e Art. 246, I ao VI da Lei nº 0.460/988 Apuração do quinquênio? O K? Emite parecer e encaminha ao órgão de lotação para informar ao servidor Computa quinquênio, elabora e encaminha parecer ao órgão de lotação Gerência de Gestão de Pessoas Verifica parece ou despacho e inclui dados do servidor no dossiê, informa Sistema de Controle de Ponto e Folha de Pagamento Fim

24 FLUXOGRAMA - XII 22 Fluxograma Processo de Concessão de Diferenças Salariais (Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas) Unidade Administrativa Gerência de Gestão de Pessoas Elabora memorando solicitando a elaboração financeiraàgerência de Planejamento e Finanças Memorando Autua processo de Concessão de Diferença Salarial e envia via SEPNET a Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Planejamento e Finanças Elabora planilha financeira, contendo valores devidos e descontos e encaminha a Gerência de Gestão de Pessoas Planilha financeira Encaminha a Superin. Central de Recursos Humanos SEGPLAN para conferência e autorização Superintendên cia Central de Recursos Humanos SEGPLAN Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Autoriza? Encaminha a para autorização Autoriza e encaminha para Gerência de Gestão de Pessoas Elabora Ofício à Sup. Central de Recursos Humanos Segplan Solicita adequação das informações ao Órgão requisitante Encaminha processo a Gerência de Gestão de Pessoas do Órgão requisitante e informa devidas rubricas para pagamento Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Gestão de Pessoas Monta processo e encaminha ao protocolo para autuar Processo Insere no Sistema de Folha de Pagamento do Governo do Estado de Goiás os valores autorizados pela SEGPLAN Fim Diferenças salariais do mês anterior Diferenças salariais de servidor que trabalhou sem receber remuneração Demais diferenças que por ventura o servidor tenha direito. Protocolo

25 FLUXOGRAMA - XIII 23 Fluxograma Integração de servidor recém chegado ao Órgão Unidade Administrativa: Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Unidade Administrativa Início Servidor Apresenta se à Gerência de Gestão de Pessoas do órgão de lotação com documentação exigida para posse e documentação pessoal Apostila de Posse, Ficha Financeira, Ficha Contratual, Cópia do Diário O ficial e Documentação Pessoal Gerência de Gestão de Pessoas GEGP Monta dossiê do servidor com a documentação exigida para posse e documentação pessoal, e dados Ipasgo Dossiê Entrevista o servidor Apresenta servidor para a e demais Diretorias Verifica com a Gestão do órgão a lotação do servidor de acordo com perfil Apresenta servidor aos colegas de trabalho Encaminha servidor a Unidade Administrativa de lotação FIm

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES 5. SIGLAS 6. CONDIÇÕES GERAIS 7. RESPONSABILIDADES 8. ANEXOS 1. OBJETIVO Este procedimento é estabelecido e mantido para uniformizar

Leia mais

PROCESSO: DESCENTRALIZAÇÃO

PROCESSO: DESCENTRALIZAÇÃO DEOF/GEROF/SGPF/SES-GO PROCESSO: DESCENTRALIZAÇÃO LÍDER (dono do processo responsável pela sua sobrevivência): Nome Telefones E-mail's Observação *Luciano Dalat Siqueira 62 3201-3727 luciano.siqueira@saude.go.gov.br

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*)

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) Disciplina no âmbito do IFPR as Orientações acerca da Execução Orçamentária e Financeira, relativas à Concessão de Suprimentos

Leia mais

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Administração Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Processo 1 de 10 Glossário de Termos e Siglas CATMAT Sistema de

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO. INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 11-2012/SEGPLAN

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO. INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 11-2012/SEGPLAN Publicada no DOE do dia 25/02/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 11-2012/SEGPLAN Regulamenta os procedimentos para abertura de processos, juntada, cópia e demais rotinas de tramitação de processos e documentos

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 002, de 12 de março de 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 002, de 12 de março de 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 002, de 12 de março de 2014. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO - PROAD Disciplina no âmbito da UDESC os procedimentos

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE COMPRAS

PROCEDIMENTOS DE COMPRAS PROCEDIMENTOS DE COMPRAS Estas instruções têm como objetivo a padronização dos procedimentos para a realização das compras de materiais de consumo, bens permanentes e prestações de serviços necessários

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PADRÃO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO

PROCEDIMENTO GERENCIAL PADRÃO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 2/14 SUMÁRIO 1. RESUMO DO PROCESSO... 3 2. FLUXOGRAMA... 4 3. OBJETIVO... 5 4. APLICAÇÃO...

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL REGULAMENTO PARA SOLICITAÇÃO, CONCESSÃO E USUFRUTO DA LICENÇA PARA CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS DE QUE TRATA A NS Nº 570 de 22/05/2006 CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 1.1 A licença

Leia mais

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI Dispõe sobre as atribuições dos agentes de compras

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para conferir processos de pagamento.

Estabelecer critérios e procedimentos para conferir processos de pagamento. CONFERIR PROCESSOS DE PAGAMENTO SEM RETENÇÃO DE TRIBUTOS Proposto por: Diretor da Divisão de Conferência e Liquidação da Despesa (DILID) Analisado por: Diretor do Departamento Financeiro (DEFIN) Aprovado

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento da remuneração de férias dos servidores do Instituto

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº. 003

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº. 003 INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº. 003 UCCI Unidade Central de Controle Interno SCI Sistema de Controle Interno Versão: 1.0 Aprovada em: 31/10/2011 Unidade Responsável: Unidade Central de Controle Interno I -

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 024, DE 8 DE MAIO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

DECON PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO (PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO) 04/2015

DECON PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO (PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO) 04/2015 DECON PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO (PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO) 04/2015 PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE TERMO ADITIVO DE PRORROGAÇÃO DE VIGÊNCIA EM CONTRATOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROCEDIMENTO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010.

INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010. AUDITORIA GERAL DO ESTADO ATOS DO AUDITOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010. Estabelece normas de organização e apresentação das prestações de contas de convênios que impliquem

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS MA

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS MA E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE portabilidadeconsignado@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM margemconsignado@bancodaycoval.com.br

Leia mais

DECRETO Nº 39.842, DE 19 DE SETEMBRO DE 2013. CONSIDERANDO o disposto no inciso XII do art. 91 da Lei nº 6.123, de 20 de julho de 1968, e alterações;

DECRETO Nº 39.842, DE 19 DE SETEMBRO DE 2013. CONSIDERANDO o disposto no inciso XII do art. 91 da Lei nº 6.123, de 20 de julho de 1968, e alterações; DECRETO Nº 39.842, DE 19 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta a participação dos servidores efetivos, civis e militares, e empregados públicos em cursos de capacitação e eventos de natureza científi ca e técnica,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS,

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. Institui o Fundo Municipal de Saúde e da outras providencias.. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de folgas compensatórias e o gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade dos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece procedimentos administrativos para fins de Registro de Atestado de obra/serviço no Crea-RS, conforme disposto na Resolução do Confea

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS ANEXO I AO DECRETO Nº 732, DE 6 DE MARÇO DE 2014. PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS Data: / / Nº: SECRETARIA MUNICIPAL DE SOLICITAÇÃO DE COMPRAS DE BENS E SERVIÇOS / TERMO DE REFERÊNCIA (art. 14 da Lei nº

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE CURSO E OFERTA DE TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE CURSO E OFERTA DE TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE CURSO E OFERTA DE TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO (Conforme a Resolução 42/03-COUN, de 05 de novembro de 2003 e suas alterações). I. PROCEDIMENTO PARA CRIAÇÃO DE NOVO CURSO: A. ABERTURA

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 0086/2009. CONSIDERANDO a implantação do Plano de Capacitação dos Agentes Universitários;

RESOLUÇÃO CA Nº 0086/2009. CONSIDERANDO a implantação do Plano de Capacitação dos Agentes Universitários; RESOLUÇÃO CA Nº 0086/2009 Regulamenta o afastamento do serviço para capacitação dos Agentes Universitários da Carreira Técnica Universitária e dá outras providências. CONSIDERANDO a implantação do Plano

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES End: Rua Siqueira Campos, S-64 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9576 Email: compras@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Dr. Luis Carlos Rinaldi Atribuições

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

3LEI Nº 438 DE 09 DE SETEMBRO DE 2014

3LEI Nº 438 DE 09 DE SETEMBRO DE 2014 3LEI Nº 438 DE 09 DE SETEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a consignação em folha de pagamento de agente político e servidor da administração municipal do executivo e do legislativo e dá outras providências. O

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 031/2015 PROCESSO CLASSIFICATÓRIO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIDADE ORGANIZACIONAL CAMPUS BENTO GONÇALVES DO IFRS O Diretor-Geral da Unidade Organizacional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 *******************************

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* Promulgo a presente Resolução de conformidade com a legislação vigente. Em 30 de agosto de 2013. Silvio Rodrigues de Oliveira =Presidente da Câmara=

Leia mais

Art. 1º Nomear o (a) empregado (a) público (a) LUIS FILIPE DA CUNHA FRANCO para o cargo de ASSESSOR DE DIRETORIA do CONRERP RS/SC 4ª Região.

Art. 1º Nomear o (a) empregado (a) público (a) LUIS FILIPE DA CUNHA FRANCO para o cargo de ASSESSOR DE DIRETORIA do CONRERP RS/SC 4ª Região. PORTARIA Nº 005/2014 Nomeia Empregado Público aprovado no Processo Seletivo Público 001/13, para preenchimento da vaga de ASSESSOR DE DIRETORIA. O CONSELHO REGIONAL DE PROFISSIONAIS DE RELAÇÕES PÚBLICAS

Leia mais

Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho

Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 4.1.1 - FLUXOGRAMA ORÇAMENTO LEGISLAÇÃO. Planejamento e Orçamento PPA Audiência Pública Legislativo Apreciação Executivo - Sanção Audiência Pública LDO Legislativo -

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SACRAMENTO-MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE SACRAMENTO-MG LEI Nº 1.189, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010 CRIA O EMPREGO PÚBLICO DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS; O SETOR DE TESOURARIA; ALTERA OS ANEXOS I, III, V, VII E VIII, DA LEI MUNICIPAL Nº. 947, DE 17 DE JUNHO

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES DO PJERJ 1 OBJETIVO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES DO PJERJ 1 OBJETIVO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES DO PJERJ Proposto por: Diretor da Divisão de Acompanhamento das Despesas de Pessoal do Poder Judiciário (DIPJU)

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009.

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. ALTERA O MODELO DE CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO - CTC, DISCIPLINA PROCEDIMENTOS QUANTO À SUA EXPEDIÇÃO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO DA DIRETORIA DE PESSOAL. Título: Macroprocesso da Capacitação

PROCEDIMENTO DA DIRETORIA DE PESSOAL. Título: Macroprocesso da Capacitação PROCEDIMENTO DA DIRETORIA DE PESSOAL Título: Macroprocesso da Capacitação UNIFEI Procedimento: 15 DIRETORIA DE PESSOAL Objetivo: apresentar as etapas do macroprocesso da capacitação dos servidores da UNIFEI.

Leia mais

DECRETO N.º 10.224, DE 30 DE JANEIRO DE 2001. (DOE n.º 5.439 de 31 de janeiro de 2001 p.3/5)

DECRETO N.º 10.224, DE 30 DE JANEIRO DE 2001. (DOE n.º 5.439 de 31 de janeiro de 2001 p.3/5) DECRETO N.º 10.224, DE 30 DE JANEIRO DE 2001. (DOE n.º 5.439 de 31 de janeiro de 2001 p.3/5) Dispõe sobre o registro diário das entradas e saídas dos servidores em exercício nos órgãos e entidades do Poder

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei No. 10.435 de 24 de abril de 2002 Pró-Reitoria de Administração

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei No. 10.435 de 24 de abril de 2002 Pró-Reitoria de Administração EDITAL DE SELEÇÃO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS COM INTERESSE EM PARTICIPAR DE TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EM NÍVEL DE EDUCAÇÃO FORMAL - QUALIFICAÇÃO A PRAD e o Departamento de Pessoal

Leia mais

RH EM AÇÃO INFORMATIVO Nº 01

RH EM AÇÃO INFORMATIVO Nº 01 RH EM AÇÃO INFORMATIVO Nº 01 A Superintendência de Administração de Recursos Humanos/SEDUC, em consonância com a política de gestão e valorização de pessoas, desenvolvida pela Secretaria de Estado da Educação,

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL SP

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL SP E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE portabilidadeconsignado@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM margemconsignado@bancodaycoval.com.br

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01 01/06/2006 Emissão inicial 05/06/2007 Primeira Revisão Elaborado: 05/06/2007 Superintendente e ou Gerente da unidade Revisado: 05/06/2007

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CAIXA DE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO DA AERONÁUTICA GABINETE ADMINISTRATIVO DATAS NS Nº 038G/DE/2014 10/09/2014 10/09/2014 GERAL

COMANDO DA AERONÁUTICA CAIXA DE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO DA AERONÁUTICA GABINETE ADMINISTRATIVO DATAS NS Nº 038G/DE/2014 10/09/2014 10/09/2014 GERAL COMANDO DA AERONÁUTICA CAIXA DE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO DA AERONÁUTICA GABINETE ADMINISTRATIVO DATAS EMISSÃO EFETIVAÇÃO DISTRIBUIÇÃO NS Nº 038G/DE/2014 10/09/2014 10/09/2014 GERAL ASSUNTO ANEXOS 1 DISPOSIÇÕES

Leia mais

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA NACIONAIS NO ÂMBITO DA FIOCRUZ BAHIA. Órgão Gestor

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA NACIONAIS NO ÂMBITO DA FIOCRUZ BAHIA. Órgão Gestor 18/11/2009 Órgão Elaborador 13:35 Núcleo de Planejamento Órgão Gestor Núcleo de Planejamento Órgão Aprovador Diretoria REVISÃO 00 DATA: SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de Aplicação 3. Siglas Utilizadas 4.

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS COM FUNDAMENTAÇÃO BASE LEGAL, EMITIDA PELO ÓRGÃO (ORIGINAL);

DECLARAÇÃO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS COM FUNDAMENTAÇÃO BASE LEGAL, EMITIDA PELO ÓRGÃO (ORIGINAL); PROTOCOLO GERAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÕES: 1. APOSENTADORIA REQUERIMENTO ASSINADO PELO SERVIDOR E COM VISTO DO CHEFE IMEDIATO (ORIGINAL); OBS.: APOSENTADORIA COMPULSÓRIA - NÃO É NECESSÁRIO

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR DECRETO Nº 4.076, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2008. Alterada pelo Decreto nº 16.190, de 13 de outubro de 2011. REGULAMENTA A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DO PODER EXECUTIVO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/15 A Coordenadoria do Sistema de Controle Interno do Município, considerando: - O volume de recursos recebidos pelo Município a título de repasse de outros entes da Federação via Convênio ou Contrato

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE.

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE. GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE. Gerência de Contabilidade Março/2014 APRESENTAÇÃO A finalidade deste guia é orientar

Leia mais

EMPENHO. O pagamento de despesas através de empenho é composto de etapas esplanadas no fluxograma anexo.

EMPENHO. O pagamento de despesas através de empenho é composto de etapas esplanadas no fluxograma anexo. EMPENHO O empenho da despesa é o ato emanado de autoridade competente que cria para o Estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição (Art 58 da Lei 4.320/64). Nos comentários à

Leia mais

Orientações Básicas. FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS

Orientações Básicas. FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS 1 FAPERGS Edital 16/2013 Orientações Básicas Execução Financeira dos Recursos de Subvenção Econômica FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS 2 1. Regras Básicas Vedado alteração do objeto do Termo de Subvenção

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 Dispõe sobre a concessão, aplicação e prestação de contas de suprimento de fundos no âmbito do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina

Leia mais

Brasília, 16 de julho de 2015. Boletim de Serviço da FUNAI Ano 28 Número 07. SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais...

Brasília, 16 de julho de 2015. Boletim de Serviço da FUNAI Ano 28 Número 07. SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais... p. 1 SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais...05 PORTARIA Nº 659/PRES, de 15 de julho de 2015. PRESIDÊNCIA Dispõe sobre a regulamentação quanto à concessão de licença por motivo de doença em

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002 NORMA PARA PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA, EM TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EDUCAÇÃO FORMAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Estabelece critérios para participação

Leia mais

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015.

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. Atualiza o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações, instituído no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da

Leia mais

EDITAL 01/2014 - PIQPG/PRPI/CQA PIQPG / 2014

EDITAL 01/2014 - PIQPG/PRPI/CQA PIQPG / 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO EDITAL 01/2014 - PIQPG/PRPI/CQA PIQPG / 2014 Programa de Incentivo para Qualificação em Cursos de Pós-Graduação dos

Leia mais

CONSIDERANDO a implantação do Sistema Digital de Consignações e a crescente demanda de averbações de consignações em folha de pagamento;

CONSIDERANDO a implantação do Sistema Digital de Consignações e a crescente demanda de averbações de consignações em folha de pagamento; DECRETO Nº 1843-R, DE 25 DE ABRIL DE 2007. Altera as disposições sobre consignação em folha de pagamento, nos termos do Art. 74 da Lei Complementar nº. 46 de 31 de Janeiro de 1994, e nos termos das Alíneas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS 2015 1) DOS OBJETIVOS O Programa de Monitoria de Graduação visa dar suporte às atividades acadêmicas

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de bolsa de estudo para curso de língua estrangeira no âmbito do Tribunal Superior

Leia mais

REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO

REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO 1 REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO O Professor Dr. Marcus Vinícius Crepaldi, Diretor Geral da Faculdade de Tecnologia do Ipê FAIPE no uso das atribuições que lhe confere o Regimento Interno e, considerando

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ DIRETORIA DE CONTAS MUNICIPAIS Prestação de Contas de Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista Municipais Prestação de Contas Anual Instrução Normativa n 22/2008 INSTRUÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL REGULAMENTO GERAL PARA AFASTAMENTO DE SERVIDOR DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO PARA

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO Resolução nº 004, de 25 de março de 2015 Estabelece requisitos a serem observados para obtenção de apoio financeiro ou institucional junto ao CRMV-PE.

Leia mais

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos:

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos: Orientações para Solicitação e Prestação de Contas de Diárias de acordo com o Decreto nº 3328-R, de 17 de junho de 2013. DIÁRIAS Diárias são indenizações pagas antecipadamente para cobrir despesas com

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA 1- Objeto da Licitação: Prestação de serviço para contratação de seguro de vida em grupo para os empregados da Empresa Municipal de Informática S.A - IplanRio, visando

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e, DECRETO N.º 2297 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Dispõe sobre procedimentos para concessão de licenças médicas para os servidores públicos

Leia mais

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 #Estabelece procedimentos para registro, no SICONV, de informações referentes a Convênios com OBTV. O Coordenador da Administração Geral, no uso de suas atribuições,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 89, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 89, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 89, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2011 Estabelece procedimentos para apreensão e guarda de documentos, livros, materiais, equipamentos e assemelhados por Auditor- Fiscal do Trabalho e aprova

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos complementares relativos à jornada de trabalho e ao controle de assiduidade e pontualidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o afastamento do país e concessão de passagens para servidores da UNIRIO. O Conselho de

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA GRE Nº 003, DE 18 DE MAIO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA GRE Nº 003, DE 18 DE MAIO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA GRE Nº 003, DE 18 DE MAIO DE 2011 Dispõe sobre a padronização de atos processuais e a uniformização de procedimentos, visando a otimização e a racionalização da tramitação dos processos

Leia mais

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc.

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. LEI N. 084/91 Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. Faço saber que a Câmara

Leia mais

MANUAL FINANCEIRO TÍTULO: VIAGEM AO EXTERIOR 037.007.002.007

MANUAL FINANCEIRO TÍTULO: VIAGEM AO EXTERIOR 037.007.002.007 a MANUAL FINANCEIRO SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Referências 4. Condições gerais 5. Rotina 6. Responsabilidades 7. Anexos A, C e E (normativos) 8. Anexos B, D e F (informativos) 1. OBJETIVO

Leia mais

III - nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem;

III - nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem; GLOSSÁRIO Classificação Funcional Programática A Classificação Funcional Programática é o agrupamento das ações do governo em grandes áreas de sua atuação, para fins de planejamento, programação e elaboração

Leia mais

Brasileira (UNILAB).

Brasileira (UNILAB). RESOLUÇÃO N 029/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Aprova o Regimento da Unidade de Auditoria Interna da Brasileira (UNILAB). Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro- O VICE-REITOR, PRO

Leia mais

PORTARIA CNMP-PRESI Nº 78, DE 9 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA CNMP-PRESI Nº 78, DE 9 DE JULHO DE 2015. PORTARIA CNMP-PRESI Nº 78, DE 9 DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre o Plano de Incentivo ao Estudo de Idioma Estrangeiro - PLI, do Conselho Nacional do Ministério Público. O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet é cópia não controlada.

ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet é cópia não controlada. Proposto por: Equipe da Divisão de Apropriação e Análise Contábil (DECON/DIANA) Analisado por: Diretor do Departamento Contábil (DECON) Aprovado por: Diretor da Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação

Leia mais

Código: MAP-DIFIN-003 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX. Custo

Código: MAP-DIFIN-003 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX. Custo Código: MAP-DIFIN-003 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX Elaborado por: Gerência de Execução Orçamentária Aprovado por: Diretoria de Finanças e Informação de Custo 1 OBJETIVO Padroniza e orienta os

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS AOS COLABORADORES PO. 12 00 1 / 7 1. OBJETIVOS O Crea-GO, visando atrair e melhorar o índice de retenção de colaboradores, institui a concessão de benefícios, mediante a adoção

Leia mais

Registro de Fatos Administrativos e Contábeis

Registro de Fatos Administrativos e Contábeis PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P. TJAM 18 Registro de Fatos Administrativos e Elaborado por: Rosineide

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO

GABINETE DO MINISTRO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 265, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2001 O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso de suas atribuições, e considerando o disposto no art. 8º do Decreto nº

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2009 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO PROPLAN Disciplina no âmbito da UDESC os procedimentos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 425/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007)

RESOLUÇÃO Nº 425/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Publicação: 29/08/03 RESOLUÇÃO Nº 425/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Cria a Superintendência da Gestão de Recursos Humanos, estabelece seu Regulamento e dá outras providências. A CORTE SUPERIOR

Leia mais

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe acerca da Política de uso do ponto eletrônico e da jornada de trabalho dos servidores públicos do Poder Executivo município de Querência - MT. atribuições,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO 1 LEI Nº. 949/2010 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E DISPÕE SOBRE A DECLARAÇÃO MENSAL DO IMPOSTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA - ISSQN. O Prefeito Municipal de São Mateus,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PLANO PM 48/48 P - MODALIDADE:

Leia mais