Desempenho dos Aprovados no Vestibular da UFPA antes e após a Política de Cotas: Uma Aplicação de Regressão Quantílica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desempenho dos Aprovados no Vestibular da UFPA antes e após a Política de Cotas: Uma Aplicação de Regressão Quantílica"

Transcrição

1 Desempenho dos Aprovados no Vestibular da UFPA antes e após a Política de Cotas: Uma Aplicação de Regressão Quantílica 1. Introdução Diogo Braga Mendes¹ Charlene de Carvalho Silva² Marinalva Cardoso Maciel³ As vagas das Universidades no Brasil são disputadas todos os anos através de um processo seletivo (vestibular). Essa seleção faz parte de um processo meritocrático, onde o candidato que obtiver o maior desempenho é classificado. No ano de 2008 houve uma mudança no processo seletivo da Universidade Federal do Pará (UFPA). Foi introduzida a política de cotas, que surgiu como um dos mecanismos das políticas de Ações Afirmativas, num contexto marcado pela intensa desigualdade proveniente da fragmentação social do trabalho, que cada vez mais se reflete na exigência do maior grau de escolarização dos indivíduos. A implementação da política de cotas nas diversas universidades públicas brasileiras, tem sido acompanhada de processos constantes de avaliação e alguns resultados já começam a vir a público. Eles revelam que o desempenho escolar dos alunos oriundos da política de cotas é igual ou superior ao dos alunos que entram pelo vestibular dito universal. Dados da UNB, UERJ, UNEB, e UFBA, comprovam tal situação (GUIMARÃES, 2001). Em um estudo recente, no primeiro ano da adoção da política de cotas da UFPA considerando a nota padronizada final dos aprovados no PSS 2008, Silva et al. (2009) apontam que os cotistas e não cotistas tiveram desempenho estatisticamente iguais em 34 dos 72 cursos analisados. Nesse contexto o presente trabalho pretende avaliar os fatores que determinam o desempenho de estudantes aprovados nos vestibulares de 2007 e O propósito de escolha dos anos sob estudo é a possibilidade de verificar se houve diferença nesses determinantes antes e após a implantação do sistema de cotas. Para tanto será utilizada a técnica de Regressão Quantílica, que é uma técnica adequada para a análise de dados heterogêneos como é o caso dos dados em questão. 2. Modelo de ingresso aos cursos da UFPA e a implantação da política de cotas. A Universidade Federal do Pará ao longo dos anos aplicou várias formas de avaliação. Seu modelo de ingresso aos cursos de graduação é chamado de Processo Seletivo Seriado (PSS), a nova metodologia que foi colocada em prática pela primeira vez no Vestibular em 2004 tem como objetivo acompanhar o aluno no domínio das habilidades inerentes a sua formação no ensino médio. Desta forma, o PSS é realizado em três etapas, correspondentes a cada ano do ensino médio. A implantação do Processo Seletivo Seriado não exclui o candidato que está cursando ou que concluiu o ensino médio, neste caso, ele faz as três etapas num único ano ou opta pelo seriado. 1. Mestre em Estatística pelo PPGME, UFPA 2. Mestranda em Estatística, UFPA 3. Universidade Federal do Pará

2 A proposta do sistema de cotas na UFPA foi regulamentada pela Resolução n o de 5 de agosto de 2005, estipulando um período de cinco anos de implementação, nos quais disponibilizará 50% das vagas de cada curso aos candidatos que estudaram todo o ensino médio em escola pública (cotas sociais) e dentro desse percentual, no mínimo 40% serão para os estudantes que se autodeclararem pretos ou pardos (cotas raciais) e optarem pelo sistema de cotas. Os demais candidatos, que ingressarem sem nenhuma cota, são considerados não-cotistas. O ingresso dos primeiros cotistas e não-cotistas foi no PSS 2008, onde foram oferecidas vagas para os 73 cursos de graduação do campus de Belém. 3. Regressão Quantílica A técnica de Regressão Quantílica foi introduzida por Koenker e Basset em 1978 sendo apresentada como uma extensão da noção de percentis (quantis) em um modelo de locação para uma classe mais geral de modelos lineares onde os quantis da variável resposta condicionado ao valor de suas covariáveis têm a forma linear. Schulze (2004) formaliza a técnica considerando a variável aleatória Y caracterizada pela seguinte função quantil para qualquer quantil (0, 1): Desse modo tem-se, por exemplo, que Q(0,5) é a mediana, Q(0,25) é o primeiro quartil e Q(0,10) é o primeiro decil. Empiricamente, a função quantil obtida a partir de uma amostra aleatória Y 1, Y 2,..., Y n, é dada por: (3.1), 0 < < 1 (3.2) Para se obter um determinado quantil amostral, os valores observados são ordenados para se verificar qual a observação que atinge o limite do quantil requerido. Este era o procedimento de resolução padrão. Konker e Basset (1978) inovaram ao propor a resolução da seguinte função objetivo para se obter os quantis amostrais: (3.3) onde é um número tal que: Na solução de Koenker e Basset (1978) a ordenação seria substituída pela ponderação, onde as (3.4) observações maiores que um valor ótimo desconhecido são ponderadas por e as observações abaixo do valor ótimo são ponderadas por (1 ). Na extensão para o modelo de regressão quantílica considera-se x i (i = 1,..., n) um conjunto de regressores. Analogamente à função condicional média, a função quantílica condicional linear é definida como: Que pode ser estimada resolvendo a equivalente da função objetivo (3.3) para o caso: (3.5) (3.6) 4. Dados e Resultados

3 Os dados analisados foram cedidos pelo Centro de Processos Seletivos (CEPS) da UFPA. O desempenho será mensurado pela Nota Padronizada Final (NPF) dos candidatos classificados nos PSS s 2007 e 2008 nos 73 cursos da UFPA, ou seja, um ano antes e o primeiro ano de implantação da política de cotas. As variáveis utilizadas na análise como determinantes do desempenho no modelo de Regressão Quantílica foram retiradas do questionário que o candidato preenche no ato de sua inscrição no vestibular. Essas covariáveis são: gênero (feminino = 1), idade, raça (negro/parda = 1), origem (Belém = 1), instituição (pública = 1) e demanda 1 (16 cursos mais concorridos = 1). As Figuras 1 e 2 apresentam os coeficientes estimados das regressões quantílicas para os anos de 2007 e 2008, respectivamente. Os gráficos mostram o impacto de cada covariável para os diferentes quantis da distribuição condicional da NPF dos candidatos aprovados. As estimativas estão representadas pela linha cheia e o intervalo de 95% de confiança pela área sombreada. Figura 1 Estimativas da Regressão Quantílica para o PSS 2007 Nota-se uma relação inversa entre a idade e as notas dos candidatos aprovados nos dois anos estudados, ou seja, os candidatos aprovados com maiores notas, em geral, são mais novos em ambos os vestibulares, entretanto a idade teve um peso maior na distribuição condicional das notas do PSS É possível também identificar um impacto negativo do sexo feminino representado pelos coeficientes negativos em todos os quantis analisados. Em 2007 o efeito foi quase constante ao longo dos quantis da distribuição condicional das NPF, entretanto em 2008 o efeito apresentou leve 1 Como a demanda dos cursos na UFPA é bastante heterogênea, foi construída uma variável dummy para identificar os 16 cursos mais concorridos em ambos os vestibulares, sendo que em 2008, os cursos mais concorridos tiveram demanda (candidatos/vaga) acima de 11 e em 2007, acima de 10 candidatos por vaga.

4 crescimento ao longo dos quantis indicando que a divergência entre sexos se reduz sistematicamente para níveis maiores da distribuição das notas no PSS Figura 2 Estimativas da Regressão Quantílica para o PSS 2008 Tanto no PSS 2007 quanto no PSS 2008 a origem do candidato não influencia o seu desempenho no vestibular, exceto nos quantis mais elevados onde os candidatos aprovados com pontuações mais elevadas são em geral da capital paraense. O efeito raça/cor não apresentou significância estatística nos quantis inferiores da distribuição condicional de NPF em 2007, tendo um efeito negativo regular para os demais quantis, ou seja, para 60% dos candidatos com maior nota, ser negro ou pardo representava uma redução no seu desempenho no PSS em relação aos candidatos com outra raça/cor. Em 2008 essa variável não impactou nem positiva nem negativamente o desempenho dos candidatos aprovados no PSS, sendo uma boa indicação da redução de disparidades raciais. Candidatos oriundos da rede pública têm em geral, desempenho inferior aos candidatos de escola particular e esse efeito é decrescente ao longo dos quantis da distribuição condicional das NPF. Como o impacto é negativo há uma indicação de que os candidatos da escola pública vão piorando seu desempenho relativamente aos estudantes de escola particular quanto mais elevada for o nível de pontuação na NPF. Destaca-se ainda que, em termos de magnitude, o efeito de 2008 é o dobro do efeito de Intuitivamente deve ser considerado que, com a introdução do sistema de cotas em 2008, só foram aprovados os candidatos de escola particular com NPF bastante altas relativamente aos aprovados de escola pública, o que pode estar interferindo nos coeficientes estimados. A variável dummy demanda (16 cursos mais concorridos), é indicadora de um nível superior de desempenho e, portanto, espera-se que candidatos aprovados nesses cursos tenham melhores

5 desempenhos quando comparados ao demais. Em 2007, a estimativa reflete um crescimento sistemático dos coeficientes, significativamente positivos, para esta variável ao longo dos quantis da distribuição condicional de NPF, ou seja, quanto maior o quantil da distribuição condicional de NPF melhor o desempenho do candidato de cursos mais procurados em relação ao desempenho de candidatos de cursos de menor demanda. Entretanto em 2008, apesar do efeito permanecer positivo, há uma redução em termos de magnitude em comparação com os resultados de Em especial deve-se destacar que o efeito demanda em 2008 é quase constante em toda a distribuição condicional de NPF, sendo este um importante resultado a favor da política de cotas, considerando que na situação de 2007, os alunos de escola pública tinham pouca chance de ingressar em um curso de grande demanda. 5. Considerações Finais Todas as Universidades Federais de Ensino Superior (IFES) têm implementado algum tipo de Política de cotas em seus processos seletivos, trazendo a tona uma questão interessante e pelo ponto de vista social intrigante é mesmo necessário, corrigir desigualdades através desta política? Qual a dimensão do impacto desta implementação? haverá um prejuízo por parte dos não-cotistas dentro da universidade pela entrada de candidatos com desempenho inferior?. Questões como essas e outras vem norteando debates e diversos estudos institucionais e governamentais. Este trabalho buscou contribuir para esse debate apresentando alguns fatores que impactam o desempenho de candidatos aprovados no processo seletivo da Universidade Federal do Pará em dois momentos: antes e depois da implantação da política de cotas. De acordo com os resultados de regressão quantílica, de forma geral houve um aumento no desempenho dos candidatos aprovados no PSS 2008 em relação ao desempenho do PSS de Em relação aos determinantes, inicialmente se tem a impressão que, para a maioria dos fatores analisados não houve diferença no comportamento dos seus efeitos sobre o desempenho nos PSS de 2007 para Uma análise mais cuidadosa, entretanto, mostra que a diferença começa a aparecer em termos de magnitude. Houve uma redução do impacto para as variáveis: idade, gênero feminino e curso com grande demanda. Em contrapartida houve um aumento no impacto da variável que representa a procedência de escola pública, desconsiderando o sentido dos efeitos (positivo ou negativo). 6. Referências Bibliográficas COSTA, A. L. V. Ação Afirmativa e o Combate as Desigualdades Raciais no Brasil: Em busca do Caminho das Pedras. Tese de Doutorado, IUPERJ: KOENKER, R.; BASSET, G. Regression quantiles. Econometrica. 46: PIOVESAN, F. Ações afirmativas da perspectiva dos direitos humanos. Cadernos de Pesquisa, v.35, nº 124, p Proposta de Ação Afirmativa da Universidade Federal do Pará de Integração de Grupos Étnicos. Grupo de Trabalho de Políticas de Acesso à Universidade. Disponível em: em: 06/01/08. SCHULZE, N. Applied Quantile Regression: Microeconometric, Financial, and Environmental Analyses. PHD Dissertation. Universitat Tübingen

Opinião N15 ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DOS COTISTAS DOS CURSOS DE MEDICINA E DIREITO NO BRASIL

Opinião N15 ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DOS COTISTAS DOS CURSOS DE MEDICINA E DIREITO NO BRASIL Opinião N15 ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DOS COTISTAS DOS CURSOS DE MEDICINA E DIREITO NO BRASIL MÁRCIA MARQUES DE CARVALHO 1 E GRAZIELE DOS SANTOS CERQUEIRA 2 As políticas de ação afirmativa no acesso

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 1) Como funciona o vestibular da UFPA? PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 A partir do Processo Seletivo 2014 (PS 2014), a UFPA passa a adotar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como única fase do vestibular.

Leia mais

A medida da lei de cotas para o ensino superior

A medida da lei de cotas para o ensino superior Versão 2, 1/12/2008 A medida da lei de cotas para o ensino superior Simon Schwartzman Qual o verdadeiro alcance da lei de cotas para o ensino superior aprovada pelo Congresso Nacional no Dia da Consciência

Leia mais

O impacto do INCLUSP no ingresso de estudantes da escola pública na USP

O impacto do INCLUSP no ingresso de estudantes da escola pública na USP VERSÃO: 03-04-2008 2 O impacto do INCLUSP no ingresso de estudantes da escola pública na USP 1. Apresentação do Programa O Programa de Inclusão Social da USP (INCLUSP) foi concebido a partir da preocupação

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 73, DE 1.999 (DA SRA. NICE LOBÃO)

PROJETO DE LEI N.º 73, DE 1.999 (DA SRA. NICE LOBÃO) PROJETO DE LEI N.º 73, DE 1.999 (DA SRA. NICE LOBÃO) Autor: DEPUTADA NICE LOBÃO Relator:DEPUTADO CARLOS ABICALIL Dispõe dobre o ingresso nas universidades federais e dá outras providências. RELATÓRIO Dispõe

Leia mais

Como o ambiente de negócios impacta os investimentos e a produtividade? 1

Como o ambiente de negócios impacta os investimentos e a produtividade? 1 Como o ambiente de negócios impacta os investimentos e a produtividade? 1 Luiz Ricardo Cavalcante 2 Ambiente de negócios é o nome genericamente atribuído às condições que circunscrevem, em um determinado

Leia mais

Análise Bayesiana do Sistema de Cotas da UFBA

Análise Bayesiana do Sistema de Cotas da UFBA Análise Bayesiana do Sistema de Cotas da UFBA Lilia Carolina C. da Costa Universidade Federal da Bahia Marina Silva Paez Universidade Federal do Rio de Janeiro Antonio Guimarães, Nadya Araujo Guimarães

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO Nº. 200/2004-CONEPE PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA A adoção da reserva

Leia mais

Minuta de Resolução Programa de Ações Afirmativas da Udesc

Minuta de Resolução Programa de Ações Afirmativas da Udesc Minuta de Resolução Programa de Ações Afirmativas da Udesc O Reitor da Universidade do Estado de Santa Catarina no uso de suas atribuições e considerando: - a autonomia didático-científica, administrativa

Leia mais

ipea A ESCOLARIDADE DOS PAIS E OS RETORNOS À EDUCAÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO 1 INTRODUÇÃO 2 DADOS

ipea A ESCOLARIDADE DOS PAIS E OS RETORNOS À EDUCAÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO 1 INTRODUÇÃO 2 DADOS A ESCOLARIDADE DOS PAIS E OS RETORNOS À EDUCAÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO Lauro Ramos* Maurício Cortez Reis** 1 INTRODUÇÃO O conjunto de evidências empíricas apresentadas por Ferreira e Veloso (23) mostra

Leia mais

AÇÃO AFIRMATIVA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: PASSADO E FUTURO

AÇÃO AFIRMATIVA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: PASSADO E FUTURO Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa AÇÃO AFIRMATIVA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: PASSADO E FUTURO João Feres Júnior IESP-UERJ Veronica Toste Daflon IESP-UERJ Passado A distribuição nacional

Leia mais

ANÁLISES E APONTAMENTOS ACERCA DAS RESERVAS DE VAGAS PARA ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS ADOTADAS NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS IFG

ANÁLISES E APONTAMENTOS ACERCA DAS RESERVAS DE VAGAS PARA ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS ADOTADAS NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS IFG Processos de Seleção ANÁLISES E APONTAMENTOS ACERCA DAS RESERVAS DE VAGAS PARA ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS ADOTADAS NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS IFG 2010/2-2011/2 GOIÂNIA JUNHO DE 2012 MEC MINISTÉRIO DA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA Professor: Ernesto Friedrich de Lima Amaral Disciplina: Avaliação

Leia mais

Aula 5 Técnicas para Estimação do Impacto

Aula 5 Técnicas para Estimação do Impacto Aula 5 Técnicas para Estimação do Impacto A econometria é o laboratório dos economistas, que busca reproduzir o funcionamento do mundo de forma experimental, como se faz nas ciências naturais. Os modelos

Leia mais

Aula 5 Metodologias de avaliação de impacto

Aula 5 Metodologias de avaliação de impacto Aula 5 Metodologias de avaliação de impacto Metodologias de Avaliação de Impacto Objetiva quantificar as mudanças que o projeto causou na vida dos beneficiários. Plano de Aula Método experimental: regressão

Leia mais

SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA SISU ESCOLHA DO CURSO, NOTA DE CORTE PARA A APROVAÇÃO, LISTAS DE ESPERA, RECLASSIFICAÇÕES E PROCEDIMENTOS DE MATRÍCULA

SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA SISU ESCOLHA DO CURSO, NOTA DE CORTE PARA A APROVAÇÃO, LISTAS DE ESPERA, RECLASSIFICAÇÕES E PROCEDIMENTOS DE MATRÍCULA SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA SISU ESCOLHA DO CURSO, NOTA DE CORTE PARA A APROVAÇÃO, LISTAS DE ESPERA, RECLASSIFICAÇÕES E PROCEDIMENTOS DE MATRÍCULA Olá, Caro Aluno do PVS! Para começar, vamos lembrar que,

Leia mais

LEVANTAMENTO SOBRE A POLÍTICA DE COTAS NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD/UFMS

LEVANTAMENTO SOBRE A POLÍTICA DE COTAS NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD/UFMS LEVANTAMENTO SOBRE A POLÍTICA DE COTAS NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD/UFMS 5 Educação Superior Karoline dos Reis Macedo 1 Carina Elisabeth Maciel 2 Pôster Resumo: Este texto é parte da pesquisa

Leia mais

EDITAL FACEPE 14/2008 PROGRAMA DE BOLSAS DE INCENTIVO ACADÊMICO - BIA

EDITAL FACEPE 14/2008 PROGRAMA DE BOLSAS DE INCENTIVO ACADÊMICO - BIA EDITAL FACEPE 14/2008 PROGRAMA DE BOLSAS DE INCENTIVO ACADÊMICO - BIA A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Pernambuco FACEPE convida as universidades públicas de Pernambuco, federais ou estaduais,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis EDITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis EDITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis EDITAL Mestrado em Ciências Contábeis TURMA 2015 O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ATIVIDADES DISCURSIVAS 1 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS

ATIVIDADES DISCURSIVAS 1 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS ATIVIDADES DISCURSIVAS 1 E NED Núcleo de Estudos Dirigidos ED 2/ ED Comunicação e Expressão 2012/2 Prof. Cleuber Cristiano de Sousa ATIVIDADE DISCURSIVA 1 Habilidade: ED 2: Compreender e expressar Temáticas

Leia mais

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007 Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho

Leia mais

M a n u a l d o S i s u 2 0 1 4 P á g i n a 1

M a n u a l d o S i s u 2 0 1 4 P á g i n a 1 M a n u a l d o S i s u 2 0 1 4 P á g i n a 1 O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) consiste num ambiente virtual criado e gerenciado pelo Ministério da Educação desde 2010. Funciona com um processo seletivo

Leia mais

M a n u a l d o S i s u 2 0 1 6 P á g i n a 1

M a n u a l d o S i s u 2 0 1 6 P á g i n a 1 M a n u a l d o S i s u 2 0 1 6 P á g i n a 1 O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) consiste num ambiente virtual criado e gerenciado pelo Ministério da Educação desde 2010. Funciona com um processo seletivo

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADA FEDERAL ALICE PORTUGAL - PCdoB/BA

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADA FEDERAL ALICE PORTUGAL - PCdoB/BA Pronunciamento da deputada Alice Portugal (PCdoB/BA) na sessão da Câmara dos Deputados do dia 26 de abril de 2006, em defesa da adoção do sistema de cotas sociais e raciais nas universidades públicas brasileiras.

Leia mais

SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADO - SISU

SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADO - SISU SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADO - SISU Nádina Aparecida Moreno nadina@uel.br Pró-reitora de Planejamento Martha Ap. Santana Marcondes marthamarcondes@uel.br Diretora de Avaliação e Acompanhamento Institucional

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR N 05/2014 COVEST CONCURSO VESTIBULAR 2014/2

EDITAL COMPLEMENTAR N 05/2014 COVEST CONCURSO VESTIBULAR 2014/2 EDITAL COMPLEMENTAR N 05/2014 COVEST CONCURSO VESTIBULAR 2014/2 O REITOR da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, no uso de suas atribuições legais, torna pública as alterações no Edital n. 001/2014

Leia mais

O PROVÃO PASSA NO VESTIBULAR

O PROVÃO PASSA NO VESTIBULAR O PROVÃO PASSA NO VESTIBULAR Roberto Leal Lobo e Silva Filho Maria Beatriz de Carvalho Melo Lobo Comparação com exames da OAB reforça os resultados do Exame Nacional de Cursos O Exame Nacional de Cursos

Leia mais

Edição Número 214 de 06/11/2012. Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 21, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2012

Edição Número 214 de 06/11/2012. Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 21, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2012 Edição Número 214 de 06/11/2012 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 21, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o Sistema de Seleção Unificada - Sisu. O MINISTRO DE ESTADO DA

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2011

CONCURSO VESTIBULAR 2011 Em 1º de julho, foi aprovado pela (UFSM) o novo modelo do Concurso Vestibular, constituído pelo Processo Seletivo da UFSM e pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O Processo Seletivo da UFSM é dividido

Leia mais

O aproveitamento acadêmico dos estudantes de Engenharia Mecânica ingressos pelo sistema de cotas

O aproveitamento acadêmico dos estudantes de Engenharia Mecânica ingressos pelo sistema de cotas UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA O aproveitamento acadêmico dos estudantes de Engenharia

Leia mais

RAÇA E EDUCAÇÃO: PERFIL DOS CANDIDATOS COTISTAS AUTONOMEADOS NEGROS DE ESCOLA PÚBLICA DO PROGRAMA

RAÇA E EDUCAÇÃO: PERFIL DOS CANDIDATOS COTISTAS AUTONOMEADOS NEGROS DE ESCOLA PÚBLICA DO PROGRAMA RAÇA E EDUCAÇÃO: PERFIL DOS CANDIDATOS COTISTAS AUTONOMEADOS NEGROS DE ESCOLA PÚBLICA DO PROGRAMA UFGInclui. BASTOS, Rachel Benta Messias (8ªt. Doutorado FE/UFG;rachelbenta@hotmail.com) RESENDE, Anita

Leia mais

QUADRO RESUMO. Figura: Fonte UOL. Segundo o IBGE, a soma do percentual de pretos, pardos e indígenas no estado de Minas Gerais é de 53,6%.

QUADRO RESUMO. Figura: Fonte UOL. Segundo o IBGE, a soma do percentual de pretos, pardos e indígenas no estado de Minas Gerais é de 53,6%. O IFMG E A LEI DAS COTAS Atendendo a Lei nº 12.711 de 29/08/2012, o Decreto nº 7.284 de 11/10/2012 e a Portaria Normativa nº 18 MEC de 11/10/2012 o IFMG reservará, no Vestibular e Exame de Seleção 2013/2,

Leia mais

Ações afirmativas no vestibular da UFPR entre 2005 a 2012: de poli tica afirmativa racial a poli tica afirmativa de gênero

Ações afirmativas no vestibular da UFPR entre 2005 a 2012: de poli tica afirmativa racial a poli tica afirmativa de gênero Emerson Urizzi Cervi * Ações afirmativas no vestibular da UFPR entre 2005 a 2012: de poli tica afirmativa racial a poli tica afirmativa de gênero Affirmative actions at the UFPR admission exam between

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DE ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DE ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DE ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 124/2010/CONEPE Altera Art. 12 da Resolução nº 68/2010/CONEPE, quanto

Leia mais

ANÁLISE DO PERFIL E DESEMPENHO DOS CANDIDATOS AO VESTIBULAR DA UNESPAR/FECILCAM COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DA ESTATÍSTICA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO

ANÁLISE DO PERFIL E DESEMPENHO DOS CANDIDATOS AO VESTIBULAR DA UNESPAR/FECILCAM COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DA ESTATÍSTICA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO ISSN 2175-4195 ANÁLISE DO PERFIL E DESEMPENHO DOS CANDIDATOS AO VESTIBULAR DA UNESPAR/FECILCAM COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DA ESTATÍSTICA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO Gislaine Aparecida Periçaro, UNESPAR/FECILCAM,

Leia mais

Instrução Normativa xx de... 2014.

Instrução Normativa xx de... 2014. REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PARA CAPACITAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PÓS-DOUTORADO

Leia mais

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO Estudo da proporção e o nível de conhecimento dos alunos de graduação do período vespertino do Campus II da UFG sobre o Programa Coleta Seletiva Solidária 1 Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.198, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.198, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.198, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 Regulamenta o Processo Seletivo Simplificado e a contratação

Leia mais

TAXA DE EVASÃO NOS CURSOS DE LICENCIATURA A DISTÂNCIA DA UFPB

TAXA DE EVASÃO NOS CURSOS DE LICENCIATURA A DISTÂNCIA DA UFPB TAXA DE EVASÃO NOS CURSOS DE LICENCIATURA A DISTÂNCIA DA UFPB Antonio Marcos Moreira DE/CCEN/UFPB-marcos@de.ufpb.br Renata P. L. Jeronymo M. Pinto DE/CCEN/UFPB-renata@de.ufpb.br Jodavid de Araujo Ferreira

Leia mais

Abril. Levantamento das políticas de ação afirmativa. Evolução temporal e impacto da Lei nº 12.711 sobre as universidades federais

Abril. Levantamento das políticas de ação afirmativa. Evolução temporal e impacto da Lei nº 12.711 sobre as universidades federais Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa Levantamento das políticas de ação afirmativa Abril 2014 Evolução temporal e impacto da Lei nº 12.711 sobre as universidades federais Verônica Toste

Leia mais

Palavras-chave: Ações afirmativas. Perfil de Estudantes. Trajetória Acadêmica. Educação Superior.

Palavras-chave: Ações afirmativas. Perfil de Estudantes. Trajetória Acadêmica. Educação Superior. A trajetória acadêmica e o perfil dos estudantes, em cursos de alta demanda pós-ações afirmativas: o caso da Universidade Federal da Bahia Ana Cristina do Espírito Santo 1 Georgina Gonçalves dos Santos

Leia mais

Política de Cotas na UFJF Análise dos Resultados 2006-2008

Política de Cotas na UFJF Análise dos Resultados 2006-2008 Política de Cotas na UFJF Análise dos Resultados 26-28 Antonio Fernando Beraldo Lourival Batista de Oliveira Jr. Juliana Fernandes de Melo Carlos Costa Histórico Resolução Nº. 16 de 4/11/24 do Conselho

Leia mais

CANDIDATO: Gostaria de saber o que é o Sistema de Reserva de Vagas.

CANDIDATO: Gostaria de saber o que é o Sistema de Reserva de Vagas. CANDIDATO: Gostaria de saber o que é o Sistema de Reserva de Vagas. COMPERVE: É um sistema criado pelo Governo que destina um percentual de vagas para alunos de escola pública. No caso da Escola de Enfermagem

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Edição Número 18 de 27/01/2010 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Institui e regulamenta o Sistema de Seleção Unificada, sistema informatizado

Leia mais

Estatística dos aprovados na Receita Federal em 2014. Você também pode chegar lá!

Estatística dos aprovados na Receita Federal em 2014. Você também pode chegar lá! Estatística dos aprovados na Receita Federal em 2014. Você também pode chegar lá! Olá pessoal, tudo bem? Trago para vocês uma avaliação das notas dos candidatos aprovados no último concurso para Auditor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA. NOVO ENEM E SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA. NOVO ENEM E SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA. NOVO ENEM E SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA I. NOVO ENEM. POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO PARA SELEÇÃO DE INGRESSANTES NA EDUCAÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e o número de vagas do Processo Seletivo/2014 para o Curso de Medicina da Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

SISTEMA DE COTAS NO VESTIBULAR

SISTEMA DE COTAS NO VESTIBULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO SERVIÇO DE SELEÇÃO, ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO SISTEMA DE COTAS NO VESTIBULAR 2005 ANÁLISE DOS RESULTADOS SALVADOR, JUNHO DE 2005 VESTIBULAR

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA VESTIBULAR PARA CURSOS QUE EXIGEM CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA EDITAL Nº 1 CURSOS HE, DE 8 DE JANEIRO DE 2016

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA VESTIBULAR PARA CURSOS QUE EXIGEM CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA EDITAL Nº 1 CURSOS HE, DE 8 DE JANEIRO DE 2016 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA VESTIBULAR PARA CURSOS QUE EXIGEM CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA EDITAL Nº 1 CURSOS HE, DE 8 DE JANEIRO DE 2016 A Universidade de Brasília (UnB), tendo em vista o disposto

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2015

EDITAL PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2015 EDITAL PROCESSO SELETIVO CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS De ordem do Senhor Reitor do Centro Universitário Lusíada - UNILUS, Dr. Nelson Teixeira, torno público que estarão abertas as inscrições para

Leia mais

SIPS. Paulo Corbucci

SIPS. Paulo Corbucci SIPS Educação Paulo Corbucci Brasília lia,, 28 de fevereiro de 2011 SOBRE O SIPS O Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), é uma

Leia mais

anped 25ª reunião anual

anped 25ª reunião anual II CONCURSO NEGRO E EDUCAÇÃO Projeto - RAÇA E EDUCAÇÃO: OS EXCLUÍDOS DO ENSINO SUPERIOR Autora Delcele Mascarenhas Queiroz Orientador - Prof. Dr. Jocélio T. dos Santos A pesquisa examina as desigualdades

Leia mais

22/6/2014 - das 14h às 18h. Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

22/6/2014 - das 14h às 18h. Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. UNITINS CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 NÍVEL SUPERIOR COMISSÃO DE CONCURSO E SELEÇÃO REDAÇÃO 22/6/2014 - das 14h às 18h Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Art. 1º As instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação reservarão em cada concurso seletivo para ingresso nos

Art. 1º As instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação reservarão em cada concurso seletivo para ingresso nos Art. 1º As instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação reservarão em cada concurso seletivo para ingresso nos cursos de graduação, por curso e turno, no mínimo 50% (cinqüenta

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde Índice RESUMO EXECUTIVO...

Leia mais

EDITAL Nº 12/2015 CURSO TURNO MODALIDADE DURAÇÃO FASE VAGAS MATUTINO BACHARELADO 10 SEMESTRES 1ª 16 FÍSICA NOTURNO LICENCIATURA 8 SEMESTRES 1ª 24

EDITAL Nº 12/2015 CURSO TURNO MODALIDADE DURAÇÃO FASE VAGAS MATUTINO BACHARELADO 10 SEMESTRES 1ª 16 FÍSICA NOTURNO LICENCIATURA 8 SEMESTRES 1ª 24 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CAMPUS CONCÓRDIA Rod. SC 283 km 08 Vila Fragosos Concórdia SC - CEP 89.700-000 Fone: (49) 3441-4800/3441-4834

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida empresas e consultores

Leia mais

EDITAL 97 - CONCURSO DE SELEÇÃO 2013.2 DOUTORADO ACADÊMICO

EDITAL 97 - CONCURSO DE SELEÇÃO 2013.2 DOUTORADO ACADÊMICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BOTÂNICA) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO QUINTA DA BOA VISTA S/N. SÃO CRISTÓVÃO CEP 20940-040 RIO DE JANEIRO, RJ BRASIL pgbotufrj@gmail.com EDITAL

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2/2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2/2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2/2015 A Diretoria Executiva do curso preparatório Galt Vestibulares, no uso de suas atribuições, torna pública e estabelece as normas e as condições de habilitação às vagas

Leia mais

EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN - TURMA 2016 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN - TURMA 2016 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS - CTC FACULDADE DE TECNOLOGIA - FAT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO - DENP EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LOGÍSTICA

Leia mais

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas 1 AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas Ernesto F. L. Amaral 19 e 28 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

UERJ, torna público o presente Edital, com normas, rotinas e procedimentos para ingresso no Curso de

UERJ, torna público o presente Edital, com normas, rotinas e procedimentos para ingresso no Curso de UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Centro Biomédico Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes Programa de Pós-graduação em Biociências O Programa de Pós-graduação em Biociências, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte Prof. Antonio Carlos Fedato Filho Prof. Guilherme Augusto de Melo Rodrigues Monitorando e conhecendo melhor os trabalhos

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA NUTRICIONAL - TURMA 2015 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA NUTRICIONAL - TURMA 2015 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO BIOMÉDICO INSTITUTO DE NUTRIÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA NUTRICIONAL EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA NUTRICIONAL - TURMA 2015

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R

Leia mais

EDITAL Nº 04/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2014/2

EDITAL Nº 04/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2014/2 EDITAL Nº 04/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2014/2 A Comissão Coordenadora do Processo Seletivo das Faculdades Integradas de Vitória FDV, para conhecimento de todos os interessados, torna público

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. RESOLUÇÃO Nº xx/06 I - DAS NORMAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. RESOLUÇÃO Nº xx/06 I - DAS NORMAS GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº xx/06 Dispõe sobre as Políticas de Inclusão Social e Ação Afirmativa da UFES. I - DAS NORMAS GERAIS Art. 1º. O Processo Seletivo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE GESTÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE GESTÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE GESTÃO Edital Turma por Contrato FEC Fundação Euclides da Cunha O DIRETOR DA ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Desigualdade Racial e políticas públicas no Brasil

Desigualdade Racial e políticas públicas no Brasil Desigualdade Racial e políticas públicas no Brasil Documento para a Audiência Pública sobre as políticas de ação afirmativa de acesso ao ensino superior- STF Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Risco de Mercado

Metodologia de Gerenciamento de Risco de Mercado Metodologia de Gerenciamento de Risco de Mercado O Gerenciamento de Risco de Mercado das Carteiras geridas pela Rio Verde Investimentos é efetuado pela Administradora dos Fundos, no caso BNY Mellon Serviços

Leia mais

CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2011 3º ANO DO ENSINO MÉDIO

CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2011 3º ANO DO ENSINO MÉDIO CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2011 3º ANO DO ENSINO MÉDIO DATA ATIVIDADE AGOSTO 01 Início das aulas-2º Semestre 1/8 à 15/9 Inscrições no ITA 8/8 à 12/8 Início da Apostila 01 13/8 à 15/10 A Hora do Vestibular-Biblioteca

Leia mais

AFIRMATIVA. Por Dentro da UFOP. Ouro Preto 25 de abril de 2009

AFIRMATIVA. Por Dentro da UFOP. Ouro Preto 25 de abril de 2009 POLÍTICA DE AÇÃO AFIRMATIVA Por Dentro da UFOP Ouro Preto 25 de abril de 2009 Debate sobre as ações afirmativas no ensino superior Democratização do acesso a este importante nível de ensino. Está diretamente

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO VESTIBULAR UNIFESP/2002

EDITAL DO CONCURSO VESTIBULAR UNIFESP/2002 EDITAL DO CONCURSO VESTIBULAR UNIFESP/2002 REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO/ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o aprovado pelo Conselho de Graduação

Leia mais

EDITAL N.º 242/2015 RETIFICAÇÃO DO EDITAL N.º 213/2015

EDITAL N.º 242/2015 RETIFICAÇÃO DO EDITAL N.º 213/2015 EDITAL N.º 242/2015 RETIFICAÇÃO DO EDITAL N.º 213/2015 A Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA retifica o Edital nº 213/2015, referente ao período de matrícula para ingresso no Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

Cotas Socioeconômicas sim, Étnicas não

Cotas Socioeconômicas sim, Étnicas não Este é um tema atual de debate na sociedade brasileira, motivado principalmente pela discussão das cotas étnicas e, a partir do Projeto de Lei nº 3627/04, com ênfase nas socioeconômicas (origem dos alunos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº. 35/2012 Estabelece sistema de reserva de vagas no Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

1. REQUISITOS AOS CANDIDATOS: Atender os requisitos dos artigos 5º e 6º da Portaria CAPES nº. 086 de 03 de julho de 2013

1. REQUISITOS AOS CANDIDATOS: Atender os requisitos dos artigos 5º e 6º da Portaria CAPES nº. 086 de 03 de julho de 2013 ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA EEL/USP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE MATERIAIS - PPGEM EDITAL PARA A SELEÇÃO DE PÓS DOUTORADO Encontram-se abertas na EEL-USP, inscrições para o Programa de

Leia mais

O CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DA UFCG CAMPUS SOUSA: CONTEXTUALIZAÇÃO E PERFIL DISCENTE

O CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DA UFCG CAMPUS SOUSA: CONTEXTUALIZAÇÃO E PERFIL DISCENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE (UFCG) CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS (CCJS) UNIDADE ACADÊMICA DE DIREITO E SERVIÇO SOCIAL (UADSS) GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS MARXISTAS EM SERVIÇO SOCIAL

Leia mais

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO CONTEXTO DA LEI DE COTAS PARA O ENSINO SUPERIOR (LEI Nº 12.711/12).

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO CONTEXTO DA LEI DE COTAS PARA O ENSINO SUPERIOR (LEI Nº 12.711/12). ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO CONTEXTO DA LEI DE COTAS PARA O ENSINO SUPERIOR (LEI Nº 12.711/12). Geórgia Dantas Macedo Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) georgiacg@gmail.com INTRODUÇÃO Este

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. RESOLUÇÃO nº 01/02

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. RESOLUÇÃO nº 01/02 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO nº 01/02 Estabelece normas para o Vestibular da UFBA e dá outras providências.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de Ingresso Seriado para acesso aos Cursos de Graduação de

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 034/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 034/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 034/2015 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e o número de vagas para a realização do Processo Seletivo de Inverno 2015 para o curso de Medicina da Universidade de Taubaté.

Leia mais

M a n u a l d o P r o U n i 2014 P á g i n a 1

M a n u a l d o P r o U n i 2014 P á g i n a 1 M a n u a l d o P r o U n i 2014 P á g i n a 1 O Programa Universidade para Todos (Prouni) foi criado pelo Governo Federal em 2004 e tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais

Leia mais

O MULTICULTURALISMO E OS DIREITOS DE COTAS NA EDUCAÇÃO.

O MULTICULTURALISMO E OS DIREITOS DE COTAS NA EDUCAÇÃO. O MULTICULTURALISMO E OS DIREITOS DE COTAS NA EDUCAÇÃO. SANTOS, Gustavo Abrahão Dos 1 A diversidade cultural entre os discentes nas escolas brasileiras é repleta de características sócio econômicas, aos

Leia mais

Monitoramento das Ações Afirmativas no Brasil: O que monitorar e Como?

Monitoramento das Ações Afirmativas no Brasil: O que monitorar e Como? Comissão de Ação Afirmativa/UFSC Monitoramento das Ações Afirmativas no Brasil: O que monitorar e Como? Marcelo H. R. Tragtenberg (FSC/UFSC) Rio de Janeiro, 22 de novembro de 2012 O QUE MONITORAR NAS I

Leia mais

EDITAL N 004/GAB/CSFS/2014, de 13 de Fevereiro de 2014.

EDITAL N 004/GAB/CSFS/2014, de 13 de Fevereiro de 2014. EDITAL N 004/GAB/CSFS/2014, de 13 de Fevereiro de 2014. CONVOCAÇÃO DE CANDIDATOS REMANESCENTES NA LISTA DE ESPERA DO VESTIBULAR UNIFICADO 2014 PARA INGRESSO NO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA

Leia mais

I FÓRUM DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NA UFMT

I FÓRUM DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NA UFMT MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL I FÓRUM DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NA UFMT 4 a 6 de março de 2013 O I Fórum de Assistência Estudantil

Leia mais

Sumário Executivo. Avaliação Econômica do Programa Mais. Centro de Integração Empresa Escola (CIEE/RJ)

Sumário Executivo. Avaliação Econômica do Programa Mais. Centro de Integração Empresa Escola (CIEE/RJ) Sumário Executivo Avaliação Econômica do Programa Mais Centro de Integração Empresa Escola (CIEE/RJ) O objetivo deste documento é descrever os resultados da avaliação de impacto realizada para o Programa

Leia mais

10 anos de cotas. Decano de Ensino de Graduação Coordenação de Avaliação - DTG / DEG Centro de Seleção e de Promoção de Eventos

10 anos de cotas. Decano de Ensino de Graduação Coordenação de Avaliação - DTG / DEG Centro de Seleção e de Promoção de Eventos 10 anos de cotas Decano de Ensino de Graduação Coordenação de Avaliação - DTG / DEG Centro de Seleção e de Promoção de Eventos Quantidade de estudantes cotistas registrados e desligados nos períodos -

Leia mais

Exercícios Resolvidos sobre Amostragem

Exercícios Resolvidos sobre Amostragem Exercícios Resolvidos sobre Amostragem Observe agora, nestes Exercícios Resolvidos, como alguns parâmetros estatísticos devem ser construídos para formar amostras fidedignas de certas populações ou fenômenos

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DIRETORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS- DAAC COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE COTAS

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DIRETORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS- DAAC COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE COTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD DIRETORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS- DAAC COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE COTAS RELATÓRIO DE COTAS DO ANO LETIVO DE 2007 A Comissão de Acompanhamento da Política

Leia mais

1. Introdução. 1.1 Introdução

1. Introdução. 1.1 Introdução 1. Introdução 1.1 Introdução O interesse crescente dos físicos na análise do comportamento do mercado financeiro, e em particular na análise das séries temporais econômicas deu origem a uma nova área de

Leia mais

Universalizar a educação primária

Universalizar a educação primária Universalizar a educação primária META 2 terminem um ciclo completo de ensino. Garantir que, até 2015, todas as crianças, de ambos os sexos, Escolaridade no Estado de São Paulo O aumento sistemático das

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM ORÇAMENTO DE CAPITAL

ELABORAÇÃO DE UM ORÇAMENTO DE CAPITAL ELABORAÇÃO DE UM ORÇAMENTO DE CAPITAL 1. Introdução Uma empresa é administrada para satisfazer os interesses e objetivos de seus proprietários. Em particular, a organização de atividades econômicas em

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Câmpus Camboriú

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Câmpus Camboriú EDITAL Nº 032/GDG/IFC-CAM/2015, 02 DE MARÇO DE 2015 O Diretor-Geral do, no uso das suas atribuições legais resolve: 1. DETERMINAR o período para efetivação de inscrição para Processo Seletivo e das Matrículas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CIG-PROPLAN SETEMBRO, 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CIG-PROPLAN SETEMBRO, 2013 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CIG-PROPLAN ANÁLISE DO IGC DA UFPE 2007-2012 SETEMBRO, 2013 Apresentação Este relatório contém o resultado da análise do Índice Geral de Cursos (IGC) da UFPE durante

Leia mais

Universidade: Universo desigual

Universidade: Universo desigual 1 POLÍTICAS AFIRMATIVAS EM MATO GROSSO: EM QUESTÃO O PROJETO POLÍTICAS DA COR NA UFMT SOUZA, Elaine Martins da Silva UFMT ses_martins@yahoo.com.br GT-21: Afro-Brasileiros e Educação Agência Financiadora:

Leia mais