Regulamento do curso de mestrado em Ciências da Educação Educação Sénior da Universidade da Madeira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento do curso de mestrado em Ciências da Educação Educação Sénior da Universidade da Madeira"

Transcrição

1 1 Regulamento do curso de mestrado em Ciências da Educação Educação Sénior da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente articulado baseia-se no regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, demais legislação aplicável e no regulamento do segundo ciclo de estudos da Universidade da Madeira. Artigo 2.º Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se ao curso de mestrado em Ciências da Educação Educação Sénior da Universidade da Madeira. Artigo 3.º Grau de Mestre 1 A Universidade da Madeira confere o grau de mestre em Ciências da Educação Educação Sénior a quem tenha obtido 120 ECTS, através da aprovação em todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do curso de mestrado e aprovação no acto público de defesa de uma dissertação ou do relatório de estágio. 2 Sem prejuízo do número anterior, o grau de mestre em Ciências da Educação Educação Sénior é conferido a todos os que demonstrem possuir as competências constantes no artigo 15º do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março. Artigo 4.º Direcção do mestrado 1. A direcção do mestrado em Ciências da Educação Educação Sénior é da responsabilidade do Director de Curso, que será um doutor em Educação que leccione nesse Mestrado.

2 2 2. As competências do Director do mestrado são as que constam do Regulamento do Segundo Ciclo de estudos da Universidade da Madeira. Artigo 5.º Conselho do curso de mestrado O Conselho de curso de mestrado tem funções de gestão pedagógica e é constituído da seguinte maneira: a) O Director de mestrado, que preside; b) Um vogal, doutor em Educação, nomeado pelo Director; c) Dois alunos, eleitos anualmente. Artigo 6.º Comissão Científica do Curso A Comissão Científica do mestrado em Ciências da Educação Educação Sénior é composta pelo Director do mestrado, que preside, e por mais dois professores do mestrado, especialistas em Educação, indicados pelo Director. Artigo 7º Condições de acesso São admitidos à candidatura os titulares do grau de licenciado ou equivalente legal. Artigo 8º Critérios de selecção e seriação 1. É critério de selecção e seriação dos candidatos a classificação da licenciatura ou a classificação profissional para a docência; 2. São critérios de desempate: a) Experiência profissional com público adulto e sénior; b) Participação em projectos educativos com público adulto e sénior; c) Publicações e comunicações científicas no campo da Educação;

3 3 d) Participação em acções de formação. Artigo 9º Prazos de candidatura, matrícula, inscrição e propina Em cada ano lectivo os órgãos competentes da Universidade fixarão o Edital de abertura do mestrado com os prazos de candidatura, matrícula, inscrição e propina. Artigo 10º Fixação de vagas 1. O número de vagas mínimo e máximo é fixado anualmente sob proposta do colégio de doutores em Educação da Universidade da Madeira. 2. Às vagas referidas no número anterior podem ser acrescidas, em casos devidamente fundamentados, vagas especiais ou supranumerárias. 3. O número de vagas especiais ou supranumerárias é fixado anualmente sob proposta do colégio de doutores em Educação da Universidade da Madeira. Artigo 11º Condições de funcionamento 1. A frequência às sessões presenciais é obrigatória, devendo cada mestrando assegurar um mínimo de 75 por cento de presenças, sem o que não poderá ser aprovado. 2. As faltas dadas nas condições previstas pela lei serão relevadas mediante comprovativo entregue à direcção do mestrado no prazo de cinco dias após o regresso às aulas. Artigo 12º Estrutura curricular, plano de estudos e créditos O ciclo de estudos conducente ao grau de mestre em Ciências da Educação Educação Sénior tem a duração de quatro semestres, correspondentes a 120 ECTS, conforme o Anexo, pressupondo: a) Um curso de especialização, constituído por um conjunto organizado de oito unidades curriculares, leccionadas ao longo do primeiro e segundo semestres;

4 4 b) Realização de um estágio profissional ou elaboração, ao longo do terceiro e quarto semestres, de uma dissertação de natureza científica. Artigo 13º Regime de precedências e de avaliação 1. A passagem para o terceiro semestre está condicionada à aprovação em todas as unidades curriculares precedentes. 2. O método de avaliação de cada unidade curricular é da responsabilidade do respectivo docente, sob a coordenação da comissão científica do mestrado. 3. As classificações finais de cada unidade curricular são expressas na escala de 0 a A classificação do curso de especialização corresponde à média ponderada das oito unidades curriculares. Artigo 14º Repetição e melhoria de nota 1. A repetição de qualquer unidade curricular far-se-á obrigatoriamente no semestre seguinte. 2. Pelas inscrições para repetição de unidades curriculares, ou melhoria de nota, são devidas propinas. 3. Em caso de repetição ou melhoria de nota, a propina relativa a cada unidade curricular corresponde a 1/8 da propina anual. Artigo 15º Segundo ano O mestrando poderá optar, no segundo ano, entre a realização de um estágio profissional ou a elaboração de uma dissertação de natureza científica. Artigo 16º Estágio profissional A realização do estágio profissional será objecto de regulamento próprio, culminando com a apresentação pública do respectivo relatório.

5 5 Artigo 16º Projecto de investigação 1. A redacção do projecto de investigação é acompanhada pelo orientador da dissertação e deverá estar concluída até ao final do terceiro semestre. 2. O projecto de investigação carece de aprovação da comissão científica do mestrado. 3. O título do projecto, uma vez aprovado, deverá ser traduzido em português, castelhano, francês e inglês e comunicado ao director do mestrado. Artigo 17º Orientador da dissertação 1. O orientador da dissertação é um especialista em Educação nomeado pela comissão científica do mestrado, depois de ouvidos o estudante do 2º ciclo e o orientador a nomear. 2. O orientador poderá ser professor ou investigador da Universidade da Madeira ou de outra instituição nacional ou estrangeira. 3. A nomeação do orientador implica a emissão, por parte deste, de uma declaração de aceitação. Artigo 18º Orientadores de estágio 1. O estágio pressupõe a existência de dois orientadores: a) O orientador da Universidade da Madeira, especialista em Educação e nomeado pela comissão científica do mestrado, depois de ouvidos o estudante do 2º ciclo e o orientador a nomear. b) O orientador da instituição onde decorrerá o estágio, designado pela instituição acolhedora. 2. A nomeação dos orientadores implica a emissão, por parte de cada um destes, de declaração de aceitação. Artigo 19º Apresentação e entrega da dissertação 1. São entregues seis exemplares da dissertação em suporte de papel. 2. Simultaneamente, são também entregues seis exemplares do curriculum-vitae do candidato.

6 6 3. Além dos exemplares em papel, a dissertação será também entregue no formato digital definido pelo Sector de Documentação e Arquivo. 4. A dissertação, quer em suporte de papel quer em suporte digital, inclui breves resumos em português, castelhano, francês e inglês. 5. A dissertação pode ser redigida em português, castelhano, francês ou inglês. Artigo 20º Apresentação e entrega do relatório de estágio 1. São entregues seis exemplares do relatório de estágio em suporte de papel. 2. Simultaneamente, são também entregues seis exemplares do curriculum-vitae do candidato. 3. Além dos exemplares em papel, o relatório será também entregue no formato digital definido pelo Sector de Documentação e Arquivo. 4. O relatório, quer em suporte de papel quer em suporte digital, inclui breves resumos em português, castelhano, francês e inglês. 5. O relatório pode ser redigido em português, castelhano, francês ou inglês. Artigo 21º Composição, nomeação e funcionamento do júri de dissertação 1. Compete à comissão científica do mestrado elaborar a proposta de constituição do júri, para aprovação pelo Reitor, nos trinta dias posteriores à respectiva entrega. 2. O júri é constituído por: a) Director do mestrado, que preside; b) Orientador da dissertação ou do estágio; c) Um professor, ou investigador doutorado, ou um especialista de reconhecido mérito, do domínio em que se insere a dissertação. 3. Sempre que possível, pelo menos um dos membros do júri pertencerá a outra instituição de ensino superior. 4. O director do mestrado poderá delegar a presidência do júri num professor ou num investigador doutorado da área científica da dissertação, de preferência pertencente à Comissão Científica do curso.

7 7 5. As deliberações do júri são tomadas por maioria dos membros que o constituem, através de votação nominal justificada, não sendo permitidas abstenções. 6. Das reuniões do júri são lavradas actas, das quais constam os votos de cada um dos seus membros e a respectiva fundamentação, que pode ser comum a todos ou a alguns membros do júri. Artigo 22º Composição, nomeação e funcionamento do júri de estágio 1. Compete à comissão científica do mestrado elaborar a proposta de constituição do júri, para aprovação pelo Reitor, nos trinta dias posteriores à entrega do relatório de estágio. 2. O júri é constituído por: a) Director do mestrado, que preside; b) Todos os orientadores de estágio da Universidade da Madeira; c) Orientador de estágio da instituição local. 3. O director do mestrado poderá delegar a presidência do júri num professor ou num investigador doutorado da área científica da dissertação, de preferência pertencente à Comissão Científica do curso. 4. As deliberações do júri são tomadas por maioria dos membros que o constituem, através de votação nominal justificada, não sendo permitidas abstenções. 5. Das reuniões do júri são lavradas actas, das quais constam os votos de cada um dos seus membros e a respectiva fundamentação, que pode ser comum a todos ou a alguns membros do júri. Artigo 23º Prazos máximos para a realização do acto público de defesa da dissertação ou do relatório de estágio 1. O prazo limite para a entrega das dissertações ou relatórios é o final do último semestre do mestrado. 2. O prazo estabelecido no Ponto 1 poderá ser alargado em casos excepcionais devidamente justificados. 3. Por cada prolongamento de 6 meses será cobrada uma propina a determinar pelos órgãos legalmente competentes, salvo nos casos especiais referidos no artigo 12º do Decreto-Lei nº 216/92, de 13 de Outubro 4. O acto público de defesa da dissertação ou do relatório de estágio terá de ocorrer até ao 90º dia depois da sua entrega. Artigo 24º

8 8 Regras sobre a defesa da dissertação ou do relatório de estágio 1. A discussão pública da dissertação ou do relatório de estágio só pode ter lugar com a presença da totalidade dos membros do júri. 2. O candidato iniciará a prova pela apresentação inicial da dissertação ou do relatório de estágio com uma duração não superior a vinte minutos. 3. Na discussão pública, cuja duração não poderá exceder noventa minutos no total, deve ser proporcionado ao candidato tempo idêntico ao utilizado pelos membros do júri. 4. Sem prejuízo do disposto nos números anteriores, compete ao presidente do júri estabelecer, no início da prova, a ordem e duração concreta de cada uma das intervenções, bem como resolver quaisquer dúvidas, arbitrar eventuais contradições, velar para que todos os direitos sejam respeitados e garantir a dignidade do acto. Artigo 25º Processo de atribuição da classificação final 1. A classificação final é calculada pela média ponderada das classificações obtidas nas unidades curriculares que constituem o curso de especialização, com o coeficiente 1, e no acto público de defesa do relatório de estágio ou da dissertação, incluindo análise do curriculum-vitae, com o coeficiente No caso de aprovação, é atribuída ao grau académico de mestre uma classificação final, expressa no intervalo da escala numérica inteira de 0 a 20, com o seu equivalente na escala europeia de comparabilidade de classificações, e a menção qualitativa correspondente: a) 10 a 13 Suficiente; b) 14 e 15 Bom; c) 16 e 17 Muito bom; d) 18 a 20 Excelente. Artigo 26º Diploma do curso de especialização 1. O curso de especialização correspondente ao conjunto de unidades curriculares dos dois primeiros semestres é titulado por um diploma emitido pelos serviços académicos da Universidade. 2. A emissão do diploma a que se refere o número anterior é acompanhada do respectivo suplemento ao diploma nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro e dos artigos 39º e 40º do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, no prazo máximo de seis meses.

9 9 Artigo 27º Titulação do grau de mestre 1. O grau de mestre é titulado por uma carta de curso emitida pelo órgão legal e estatutariamente competente da Universidade da Madeira. 2. A emissão da carta de curso, bem como das respectivas certidões, é acompanhada da emissão de um suplemento ao diploma elaborado nos termos e para os efeitos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro. 3. A carta de curso, acompanhada do suplemento ao diploma, será emitida no prazo de 180 dias após a conclusão do curso. 4. As certidões e o suplemento ao diploma serão emitidos até trinta dias depois de requeridas. Artigo 28º Propinas 1. O valor das propinas é fixado pelo órgão competente da Universidade da Madeira. 2. A desistência da frequência de uma ou mais unidades curriculares não dá direito à devolução das propinas e emolumentos pagos. Artigo 29º Casos omissos As situações não contempladas neste Regulamento seguem o preceituado no Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, e demais legislação aplicável, sendo os casos omissos decididos por despacho do Reitor, sob proposta da comissão científica do curso. Artigo 30º Entrada em vigor O presente Regulamento entra em vigor logo que aprovado pelo Senado e publicitado nos termos legais.

10 10 Anexo Plano de estudos: Curso: Ciências da Educação Educação Sénior 1º ano / 1º semestre UNIDADES CURRICULARES ÁREA CIENTÍFICA TIPO TEMPO DE TRABALHO (HORAS) TOTAL CONTACTO CRÉDI- TOS OBSER- VAÇÕES (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Tecnologia e Pedagogia Construtivista Educação Semestral TP+10 S+3 OT 7,5 Educação pela Arte - Literatura Literatura Semestral S+3 OT 7,5 Educação pela Arte Expressão Dramática Educação Semestral S+3 OT 7,5 Gerontologia Social Enfermagem Semestral TP+10 S+3 OT 7,5 1º ano / 2º semestre UNIDADES CURRICULARES ÁREA CIENTÍFICA TIPO TEMPO DE TRABALHO (HORAS) TOTAL CONTACTO CRÉDI- TOS OBSER- VAÇÕES (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Técnicas de Animação Pedagógica Educação pela Arte História da Arte e do Design Educação Semestral TP+10 S+3 OT 7,5 Arte e Design Semestral S+3 OT 7,5 Educação pela Arte - Música Educação Semestral S+3 OT 7,5 Exercício, envelhecimento e Saúde Ciências do Desporto Semestral TP+10 S+3 OT 7,5

11 11 2º ano / 1º semestre UNIDADES CURRICULARES ÁREA CIENTÍFICA TIPO TEMPO DE TRABALHO (HORAS) TOTAL CONTACTO CRÉDI- TOS OBSER- VAÇÕES (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Estágio ou Projecto de Investigação Educação Anual TP+30 P/ 30 OT+15 S 30 2º ano / 2º semestre UNIDADES CURRICULARES ÁREA CIENTÍFICA TIPO TEMPO DE TRABALHO (HORAS) TOTAL CONTACTO CRÉDI- TOS OBSER- VAÇÕES (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Estágio ou Dissertação Educação Anual TP+30 P/ 30 OT+15 S 30

REGULAMENTO GERAL DOS SEGUNDOS CICLOS DE ESTUDO DO ISCIA

REGULAMENTO GERAL DOS SEGUNDOS CICLOS DE ESTUDO DO ISCIA REGULAMENTO GERAL DOS SEGUNDOS CICLOS DE ESTUDO DO ISCIA Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento desenvolve e complementa o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º 74/2006, de

Leia mais

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM DESIGN GRÁFICO E PROJECTOS EDITORIAIS

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM DESIGN GRÁFICO E PROJECTOS EDITORIAIS REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM DESIGN GRÁFICO E PROJECTOS EDITORIAIS Artigo 1º Criação 1- A Universidade do Porto (UP), através da Faculdade de Belas Artes (FBAUP), confere

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro de 2010

Reitoria. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro de 2010 Reitoria RT-21/2010 Por proposta do Conselho Académico da Universidade do Minho, é homologado o Regulamento do Mestrado Integrado em Psicologia, anexo a este despacho. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro

Leia mais

Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 1º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Universidade do Minho Universidade do Porto- Faculdade de Ciências

Universidade do Minho Universidade do Porto- Faculdade de Ciências Universidade do Minho Universidade do Porto- Faculdade de Ciências PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM Tecnologia, Ciência e Segurança Alimentar Artigo 1º Concessão

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA (MIARQ) da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto

REGULAMENTO DO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA (MIARQ) da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto REGULAMENTO DO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA (MIARQ) da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM CIÊNCIAS DO DESPORTO Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior,

Leia mais

DESPACHO N.º GR.02/06/2014. Alteração do regulamento geral dos segundos ciclos de estudos da Universidade do Porto

DESPACHO N.º GR.02/06/2014. Alteração do regulamento geral dos segundos ciclos de estudos da Universidade do Porto DESPACHO N.º GR.02/06/2014 Alteração do regulamento geral dos segundos ciclos de estudos da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do nº 1 do artigo 40º dos estatutos

Leia mais

Doutoramento em Saúde Pública

Doutoramento em Saúde Pública Doutoramento em Saúde Pública Normas regulamentares Artigo 1.º Criação do curso A Universidade Nova de Lisboa, através da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/UNL), em cumprimento do disposto no Decreto-Lei

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações Públicas.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações Públicas. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DAS RELAÇÕES PÚBLICAS Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações

Leia mais

do Ciclo de Estudos conducentes ao Grau de Mestre em Engenharia Informática e Sistemas de Informação. Ano lectivo de 2011/2012

do Ciclo de Estudos conducentes ao Grau de Mestre em Engenharia Informática e Sistemas de Informação. Ano lectivo de 2011/2012 REGULAMENTO do Ciclo de Estudos conducentes ao Grau de Mestre em Engenharia Informática e Sistemas de Informação. Ano lectivo de 2011/2012 De acordo com o disposto no Decreto-Lei n.º 274/2006, de 24 de

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITETURA DA UNIVERSIDADE LUSÓFONA DO PORTO (MIA-ULP) Preâmbulo

REGULAMENTO DO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITETURA DA UNIVERSIDADE LUSÓFONA DO PORTO (MIA-ULP) Preâmbulo REGULAMENTO DO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITETURA DA UNIVERSIDADE LUSÓFONA DO PORTO (MIA-ULP) Preâmbulo O ciclo de estudos integrado conducente ao grau de Mestre rege-se por normas específicas do ensino

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL DE MESTRADO EM. Universidade da Madeira

REGULAMENTO DO CURSO CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL DE MESTRADO EM. Universidade da Madeira REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL Universidade da Madeira O presente articulado baseia-se no regime jurídico instituído pelo Decreto- Lei n.º 74/2006, de

Leia mais

Artigo 1.º. Enquadramento jurídico

Artigo 1.º. Enquadramento jurídico Regulamentos Regulamento geral de ciclos de Mestrado Integrado da U.Porto Secção Permanente do Senado em 28 de Setembro de 2006 1ª Alteração em 14 de Maio de 2008 2ª Alteração em 9 de Julho de 2008 Artigo

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO E TECNOLOGIA DE SANTARÉM REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO E TECNOLOGIA DE SANTARÉM REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE Aprovado reunião Conselho Científico de 3 de Dezembro de 2009 ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO E TECNOLOGIA DE SANTARÉM REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE Artigo 1º Concessão do Grau

Leia mais

Normas regulamentares do Mestrado em Filosofia

Normas regulamentares do Mestrado em Filosofia a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos Normas regulamentares do Mestrado em Filosofia I. Regulamento 1. Condições de natureza académica e curricular Podem candidatar se a este ciclo de estudos:

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular do Ciclo de Estudos. Conducente ao Grau de Mestre em Ciências da Educação

Regulamento de Estágio Curricular do Ciclo de Estudos. Conducente ao Grau de Mestre em Ciências da Educação Regulamento de Estágio Curricular do Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Ciências da Educação da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto Artigo 1º - Objectivo

Leia mais

Regulamento do Curso de Mestrado em Gestão da Saúde. Artigo 1.º. Criação do curso

Regulamento do Curso de Mestrado em Gestão da Saúde. Artigo 1.º. Criação do curso Regulamento do Curso de Mestrado em Gestão da Saúde Artigo 1.º Criação do curso A Universidade Nova de Lisboa, através da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), concede o grau de Mestre em Gestão da

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 20 de Novembro de O Reitor, A. Guimarães Rodrigues

Reitoria. Universidade do Minho, 20 de Novembro de O Reitor, A. Guimarães Rodrigues Reitoria despacho RT-100/2007 Por proposta do Conselho Académico da Universidade do Minho, é homologado o Regulamento do Ciclo de Estudos Integrado Conducente à Obtenção do Grau de Mestre em Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DOUTORAL EM MATEMÁTICA E APLICAÇÕES DAS UNIVERSIDADES DE AVEIRO E MINHO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DOUTORAL EM MATEMÁTICA E APLICAÇÕES DAS UNIVERSIDADES DE AVEIRO E MINHO REGULAMENTO DO PROGRAMA DOUTORAL EM MATEMÁTICA E APLICAÇÕES DAS UNIVERSIDADES DE AVEIRO E MINHO Artigo 1º Criação do Programa As Universidades do Aveiro e Minho, designadas por Universidades, instituem

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR. Departamento de Matemática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR. Departamento de Matemática UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Matemática Regulamento interno do 3º Ciclo de Estudos Conducentes à obtenção do Grau de Doutor em Matemática e Aplicações Artigo 1.º Criação A Universidade

Leia mais

Regulamento dos ciclos de estudos conducentes ao grau de mestre do Instituto Politécnico de Castelo Branco

Regulamento dos ciclos de estudos conducentes ao grau de mestre do Instituto Politécnico de Castelo Branco Regulamento dos ciclos de estudos conducentes ao grau de mestre do Instituto Politécnico de Castelo Branco Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento fixa as normas dos ciclos de estudos conducentes ao grau

Leia mais

Regulamentos REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS INTEGRADOS DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Enquadramento jurídico. Âmbito de aplicação

Regulamentos REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS INTEGRADOS DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Enquadramento jurídico. Âmbito de aplicação 4/ Regulamentos REGULMENT GERL DS CICLS DE ESTUDS INTEGRDS DE MESTRD D UNIVERSIDDE D PRT provado pelo despacho reitoral GR.05/11/2009, de 24 de novembro de 2009, com as correções introduzidas pelo despacho

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Educação Especial

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Educação Especial Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Educação Especial Artigo 1.º Regras sobre a admissão no ciclo de estudos, em especial as condições de natureza académica

Leia mais

Normas regulamentares do Mestrado em Português como Língua Estrangeira/Língua Segunda

Normas regulamentares do Mestrado em Português como Língua Estrangeira/Língua Segunda Normas regulamentares do Mestrado em Português como Língua Estrangeira/Língua Segunda a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos I. Regulamento 1. Condições de natureza académica e curricular Podem

Leia mais

Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE

Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM ENGENHARIA ELECTRÓNICA INDUSTRIAL E COMPUTADORES 1 Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação)

Leia mais

Regulamento do curso de mestrado em Ciências da Educação Inovação Pedagógica da Universidade da Madeira

Regulamento do curso de mestrado em Ciências da Educação Inovação Pedagógica da Universidade da Madeira 1 Regulamento do curso de mestrado em Ciências da Educação Inovação Pedagógica da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente articulado baseia-se no regime jurídico instituído

Leia mais

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL PREÂMBULO O programa de doutoramento organiza, estrutura e explicita o percurso dos estudantes de doutoramento

Leia mais

Normas regulamentares do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação

Normas regulamentares do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação Normas regulamentares do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos I. Regulamento 1. Condições de natureza académica e curricular Podem candidatar-se

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL. Artigo 1º. (Natureza e âmbito de aplicação)

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL. Artigo 1º. (Natureza e âmbito de aplicação) REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao estabelecido no artº. 32º do Regulamento do Ciclo de Estudos

Leia mais

INUAF - INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III

INUAF - INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III Colégio de Pós Graduações Regulamento do Mestrado em Psicologia Clínica Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF) confere o grau de Mestre em Psicologia Clínica. Artigo 2º Objectivos Gerais

Leia mais

(aprovado em reunião do Conselho Científico Plenário em ) Artigo 1º (Estrutura)

(aprovado em reunião do Conselho Científico Plenário em ) Artigo 1º (Estrutura) REGULAMENTO DE DOUTORAMENTO DA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA (aprovado em reunião do Conselho Científico Plenário em 11.10.2013) Artigo 1º (Estrutura) 1. O programa de doutoramento

Leia mais

MESTRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE E URBANISMO REGULAMENTO. CAPÍTULO I Estrutura. Artº 1º (Natureza, Objectivo e Perfil do Mestre)

MESTRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE E URBANISMO REGULAMENTO. CAPÍTULO I Estrutura. Artº 1º (Natureza, Objectivo e Perfil do Mestre) UNIVERSIDADE CAT ÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE ENGENHARIA MESTRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE E URBANISMO REGULAMENTO CAPÍTULO I Estrutura Artº 1º (Natureza, Objectivo e Perfil do Mestre) 1. A Universidade

Leia mais

Faculdade de Desporto da Universidade do Porto FAD[UP. Regulamento do Primeiro Ciclo de Estudos em Ciências do Desporto

Faculdade de Desporto da Universidade do Porto FAD[UP. Regulamento do Primeiro Ciclo de Estudos em Ciências do Desporto Faculdade 1 ciclo de estudos em Ciências do Desporto Faculdade de Desporto da Universidade do Porto 1 ciclo de estudos em Ciências do Desporto FAD[UP de Desporto da Universidade do Porto Regulamento do

Leia mais

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE O presente regulamento dá cumprimento ao estabelecido no Decreto-Lei n.º 115/2013,

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém. Escola Superior Agrária MESTRADO EM PRODUÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS E PARA FINS INDUSTRIAIS REGULAMENTO

Instituto Politécnico de Santarém. Escola Superior Agrária MESTRADO EM PRODUÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS E PARA FINS INDUSTRIAIS REGULAMENTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior Agrária MESTRADO EM PRODUÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS E PARA FINS INDUSTRIAIS REGULAMENTO Artigo 1º Criação O Instituto Politécnico de Santarém, através da

Leia mais

LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO

LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

MESTRADO EM SEGURANÇA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO. CAPÍTULO I Estrutura. Artº 1º (Natureza, Objectivo e Perfil do Mestre)

MESTRADO EM SEGURANÇA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO. CAPÍTULO I Estrutura. Artº 1º (Natureza, Objectivo e Perfil do Mestre) UNIVERSIDADE CAT ÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE ENGENHARIA MESTRADO EM SEGURANÇA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO CAPÍTULO I Estrutura Artº 1º (Natureza, Objectivo e Perfil do Mestre) 1. A Universidade

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1.º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha,

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE DOUTOR EM CIÊNCIAS DO DESPORTO Artigo 1.º Criação 1. A Universidade da Beira

Leia mais

Artigo 4º (Grau de Mestre)

Artigo 4º (Grau de Mestre) REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE À OBTENÇÃO DO GRAU DE MESTRE EM FÍSICA Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao disposto no Regulamento do Ciclo

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus REGULAMENTO DO 2.º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Artigo 1.º Objetivos Os objetivos dos cursos de Mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior de Educação João de Deus

Leia mais

LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO

LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO NORMAS REGULAMENTARES Curso do do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo

Leia mais

REGULAMENTO DOS DOUTORAMENTOS PELA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Introdução No desenvolvimento da Lei

REGULAMENTO DOS DOUTORAMENTOS PELA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Introdução No desenvolvimento da Lei REGULAMENTO DOS DOUTORAMENTOS PELA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Introdução No desenvolvimento da Lei e do Regulamento dos Doutoramentos da Universidade de

Leia mais

REGULAMENTO DO DOUTORAMENTO PELA UNIVERSIDADE DO PORTO

REGULAMENTO DO DOUTORAMENTO PELA UNIVERSIDADE DO PORTO REGULAMENTO DO DOUTORAMENTO PELA UNIVERSIDADE DO PORTO (DR, II Série, nº 94, 22 de Abril de 1993, com as alterações introduzidas pela Resolução nº 19/SC/SG/95 - DR, II Série, nº 169, de 24 de Julho de

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Psicologia e Educação

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Psicologia e Educação UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Psicologia e Educação REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM EDUCAÇÃO SOCIAL E COMUNITÁRIA Artigo 1.º Criação A Universidade

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CURSO DE

Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CURSO DE Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA E GESTÃO INDUSTRIAL 3ª edição 2011-2013 Nos termos do artigo 26.º

Leia mais

Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia

Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia Regulamento do Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se ao Curso Pós-Graduado de Especialização em Endodontia, curso não conferente

Leia mais

Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos concursos especiais de acesso e ingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado

Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos concursos especiais de acesso e ingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos concursos especiais de acesso e ingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado Artigo 1.º Objecto e âmbito O presente regulamento estabelece

Leia mais

Regulamento da Disciplina de Dissertação/Estágio Mestrado em Engenharia Informática

Regulamento da Disciplina de Dissertação/Estágio Mestrado em Engenharia Informática FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA Regulamento da Disciplina de Dissertação/Estágio Mestrado em Engenharia Informática Rev. 7, Aprovado

Leia mais

Assunto: Projeto de Regulamento para Atribuição do Grau de Mestre da Universidade da Beira Interior

Assunto: Projeto de Regulamento para Atribuição do Grau de Mestre da Universidade da Beira Interior Assunto: Projeto de Regulamento para Atribuição do Grau de Mestre da Universidade da Beira Interior Foi elaborado o Projeto de Regulamento para Atribuição do Grau de Mestre da Universidade da Beira Interior,

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA PELA FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Cláusula 1ª. Área de especialização

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA PELA FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Cláusula 1ª. Área de especialização REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA PELA FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Cláusula 1ª Área de especialização A Universidade do Porto, através da Faculdade de Engenharia,

Leia mais

Regulamento dos ciclos de estudos de mestrado lecionados pela Escola Superior Agrária de Coimbra

Regulamento dos ciclos de estudos de mestrado lecionados pela Escola Superior Agrária de Coimbra Regulamento dos ciclos de estudos de mestrado lecionados pela Escola Superior Agrária de Coimbra Artigo 1.º Enquadramento jurídico e âmbito de aplicação 1. O presente regulamento visa desenvolver e complementar

Leia mais

DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CENTRO REGIONAL DAS BEIRAS DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Regulamento 1º CRIAÇÃO E OBJECTIVOS 1. A Universidade Católica Portuguesa, através da Faculdade de Educação

Leia mais

MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO EDITAL Apresentação O Mestrado em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico é um curso de 2º Ciclo de estudos com um total de 120 ECTS, duração

Leia mais

(Preâmbulo) Artigo 1.º Objecto e âmbito

(Preâmbulo) Artigo 1.º Objecto e âmbito Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e de reingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado (Preâmbulo) A legislação decorrente da

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO LABORATORIAL. (Edição 2010 2012)

EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO LABORATORIAL. (Edição 2010 2012) EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO LABORATORIAL (Edição 2010 2012) Nos termos dos Decretos Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO (Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO (Edição 2012/2014) 1/9 EDITAL MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO (Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações

Leia mais

Normas regulamentares do doutoramento em Português como Língua Estrangeira/Língua Segunda

Normas regulamentares do doutoramento em Português como Língua Estrangeira/Língua Segunda Normas regulamentares do doutoramento em Português como Língua Estrangeira/Língua Segunda I. Regulamento a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos 1. Condições de natureza académica e curricular São

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 14 de Fevereiro de 2011 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA Artigo 1.º Objecto e âmbito 1) O presente Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PLANEAMENTO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PLANEAMENTO AMBIENTAL UNIVERSIDADE DOS AÇORES REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PLANEAMENTO AMBIENTAL Art.º 1.º Âmbito O Curso de Mestrado em Ordenamento do Território e Planeamento Ambiental,

Leia mais

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Normas regulamentares do doutoramento em Teoria da Literatura

Normas regulamentares do doutoramento em Teoria da Literatura Normas regulamentares do doutoramento em Teoria da Literatura I. Regulamento a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos 1. Condições de natureza académica e curricular São admitidos como candidatos

Leia mais

REGULAMENTO do 2º. Ciclo. «Mestrado em Comunicação Integrada» Artigo 1º. PRINCIPAIS OBJECTIVOS

REGULAMENTO do 2º. Ciclo. «Mestrado em Comunicação Integrada» Artigo 1º. PRINCIPAIS OBJECTIVOS REGULAMENTO do 2º. Ciclo «Mestrado em Comunicação Integrada» Artigo 1º. PRINCIPAIS OBJECTIVOS 1. O Curso de 2º Ciclo/Mestrado em Comunicação Integrada, do Instituto Superior de Novas Profissões tem por

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 1.º

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 1.º REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 1.º APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE CRIAÇÃO OU RENOVAÇÃO DE CURSOS DE MESTRADO 1. As propostas de criação ou renovação de

Leia mais

MESTRADO EM ECOTURISMO Edição

MESTRADO EM ECOTURISMO Edição INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL (EDIÇÃO 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº2/2005, de 22 de fevereiro e do Decreto-Lei nº7/200, de 2 de março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO. (edição )

EDITAL MESTRADO EM SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO. (edição ) EDITAL MESTRADO EM SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO (edição 2016-) Nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de março, com as alterações introduzidas pelo

Leia mais

Instituto Politécnico de Bragança. Normas Regulamentares dos Mestrados

Instituto Politécnico de Bragança. Normas Regulamentares dos Mestrados Instituto Politécnico de Bragança Nos termos do Capítulo III do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, a Instituto Politécnico de Bragança (IPB) confere o grau de Mestre aos estudantes que frequentem

Leia mais

Assim, o regulamento de provas de Agregação da Universidade Católica Portuguesa rege-se pelas seguintes normas:

Assim, o regulamento de provas de Agregação da Universidade Católica Portuguesa rege-se pelas seguintes normas: DESPACHO NR/R/0094/2008 ASSUNTO: Regulamento de provas de agregação Na sequência da publicação do Decreto-Lei nº 239/2007, de 19 de Junho e ao fim de alguns meses de aplicação na UCP, considerou-se conveniente

Leia mais

MESTRADO EM AGRICULTURA BIOLÓGICA Edição

MESTRADO EM AGRICULTURA BIOLÓGICA Edição INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL (EDIÇÃO 2016-2018) Nos termos do Decreto-Lei nº42/2005, de 22 de fevereiro e do Decreto-Lei nº74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO URBANA

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO URBANA INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO URBANA Edição 2016-2018 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005,

Leia mais

Curso de Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º Ciclo do Ensino Básico e no Secundário da Universidade da Madeira. Edital

Curso de Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º Ciclo do Ensino Básico e no Secundário da Universidade da Madeira. Edital Curso de Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º Ciclo do Ensino Básico e no Secundário da Universidade da Madeira Edital 5 de Setembro de 2008 Curso de Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º Ciclo do

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL

EDITAL MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL MESTRADO EM GESTÃO AMBIENTAL () Nos termos do Decreto-Lei n.º42/2005, de 22 de fevereiro, e do Decreto-Lei n.º74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

Artigo 1º. Âmbito. a) Os titulares de um curso superior de bacharelato, licenciatura, mestrado ou doutoramento;

Artigo 1º. Âmbito. a) Os titulares de um curso superior de bacharelato, licenciatura, mestrado ou doutoramento; Regulamento do Concurso Especial de Acesso aos Cursos da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para Titulares de Cursos Médios, Superiores e Pós-Secundários Tendo por base o

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICO-PRIVADA DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA CAPÍTULO I. Objeto e conceitos. Artigo 1.º.

REGULAMENTO DO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICO-PRIVADA DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA CAPÍTULO I. Objeto e conceitos. Artigo 1.º. REGULAMENTO DO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICO-PRIVADA DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA CAPÍTULO I Objeto e conceitos Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas aplicáveis ao Curso

Leia mais

DESPACHO N.º GR.01/04/2014. Aprova o Regulamento de Aplicação do Estatuto de Estudante Internacional da Universidade do Porto

DESPACHO N.º GR.01/04/2014. Aprova o Regulamento de Aplicação do Estatuto de Estudante Internacional da Universidade do Porto DESPACHO N.º GR.01/04/2014 Aprova o Regulamento de Aplicação do Estatuto de Estudante Internacional da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o), do n.º 1, do artigo

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM INFORMÁTICA E SISTEMAS.

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM INFORMÁTICA E SISTEMAS. INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM INFORMÁTICA E SISTEMAS Edição 2016-2018 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de Fevereiro,

Leia mais

DESPACHO Nº 60/VR/DC/2016

DESPACHO Nº 60/VR/DC/2016 DESPACHO Nº 60/VR/DC/2016 MESTRADO EM GESTÃO / MBA Sob proposta do Conselho Científico e ao abrigo do disposto nos Decretos-Leis n.º 42/2005 de 22 de fevereiro e n.º 74/2006 de 24 de março, alterado pelos

Leia mais

Direção do ciclo de estudos Duração e organização do ciclo de estudos Estrutura curricular e plano de estudos

Direção do ciclo de estudos Duração e organização do ciclo de estudos Estrutura curricular e plano de estudos 1 Regulamento do Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Temas de Psicologia da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto Artigo 1º Criação A Universidade do Porto,

Leia mais

Exma. Senhora Presidente do Conselho Directivo Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Porto DA.SAPE.45 4

Exma. Senhora Presidente do Conselho Directivo Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Porto DA.SAPE.45 4 Exma. Senhora Presidente do Conselho Directivo Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Porto DA.SAPE.45 4 v.referência v.comunicação n.referência data assunto Proposta de Regulamento do 2 ciclo

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Regulamento do ciclo de estudos conducentes ao grau de mestre em Engenharia Química

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Regulamento do ciclo de estudos conducentes ao grau de mestre em Engenharia Química Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento do ciclo de estudos conducentes ao grau de mestre em Engenharia Química Artigo 1º - Âmbito --------------------------------------- 1) O presente Regulamento

Leia mais

Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010

Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010 Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010 Nos termos do artigo 10.º do Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso

Leia mais

Cursos de Pós-Graduação REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão

Cursos de Pós-Graduação REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão REGULAMENTO Cursos de Pós-Graduação Elaborado por: Aprovado por: Versão Gabinete Apoio Reitoria Reitor 2.0 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação Inicial Secretário-Geral

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA N.º 22 Data: 2016/07/08 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e Não docente ASSUNTO: - Regulamento dos Concursos Especiais da ESTeSL. Informa-se a comunidade académica de

Leia mais

Instituto Superior de Educação e Ciências. Instituto Superior de Educação e Ciências Escola de Tecnologias, Engenharias e Aeronáutica

Instituto Superior de Educação e Ciências. Instituto Superior de Educação e Ciências Escola de Tecnologias, Engenharias e Aeronáutica Instituto Superior de Educação e Ciências Escola de Tecnologias, Engenharias e Aeronáutica Regulamento do Mestrado em Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Artigo 1 Objetivos do ciclo de estudos Tratando-se

Leia mais

7. Regulamento de unidades curriculares de dissertação

7. Regulamento de unidades curriculares de dissertação 7. Regulamento de unidades curriculares de dissertação 1. Preâmbulo De acordo com o estipulado no artigo 20 do Decreto-Lei n 74/2006 de 24 de março, na versão republicada pelo Decreto de Lei nº 115/2013

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Nos termos do disposto no artº 10º da Portaria nº 401/2007, de 5 de Abril, é aprovado o Regulamento dos

Leia mais

Regulamento. Pós Graduação e Mestrado em Segurança e Saúde do Trabalho

Regulamento. Pós Graduação e Mestrado em Segurança e Saúde do Trabalho Homologado por despacho do Sr. Presidente em 03/08/2012 (gestão documental) Regulamento Pós Graduação e Mestrado em Segurança e Saúde do Página 1 de 14 CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Enquadramento

Leia mais

Regulamento do curso de Pós-Graduação em Ciências da Educação especialização em Administração Educacional da Universidade da Madeira

Regulamento do curso de Pós-Graduação em Ciências da Educação especialização em Administração Educacional da Universidade da Madeira 1 Regulamento do curso de Pós-Graduação em Ciências da Educação especialização em Administração Educacional da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente articulado baseia-se

Leia mais

Regulamento Geral dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa. Capitulo 1 Disposições gerais.

Regulamento Geral dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa. Capitulo 1 Disposições gerais. Regulamento Geral dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capitulo 1 Disposições gerais Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação 1. O presente regulamento estabelece

Leia mais

Artigo 2º Área científica Os 1º Ciclos de Estudos ministrados na ESSEM enquadram-se na área científica das Ciências da Saúde.

Artigo 2º Área científica Os 1º Ciclos de Estudos ministrados na ESSEM enquadram-se na área científica das Ciências da Saúde. A entrada em vigor de nova legislação e procedimentos, expressa nos Decreto-Lei nº 74/2006, sujeita a nova redação decorrente do Decreto-Lei nº 107/2008, implica a necessária adequação da regulamentação

Leia mais

Ciclo de Estudos de Mestrado em Bioquímica Estrutural e Funcional

Ciclo de Estudos de Mestrado em Bioquímica Estrutural e Funcional Ciclo de Estudos de Mestrado em Bioquímica Estrutural e Funcional Normas Regulamentares Artigo 1º Criação A Universidade Nova de Lisboa, através da Faculdade de Ciências e Tecnologia confere o grau de

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES LICENCIATURA EM ARTES PLÁSTICAS E MULTIMÉDIA

NORMAS REGULAMENTARES LICENCIATURA EM ARTES PLÁSTICAS E MULTIMÉDIA PREÂMBULO As presentes Normas visam dar cumprimento ao artigo n.º 14º do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março. Distinta informação relativa a matérias mencionadas nas presentes Normas integram os Estatutos

Leia mais

Regulamento das Unidades Curriculares de Dissertação dos Mestrados Integrados Lecionadas no Departamento de Engenharia Civil

Regulamento das Unidades Curriculares de Dissertação dos Mestrados Integrados Lecionadas no Departamento de Engenharia Civil Regulamento das Unidades Curriculares de Dissertação dos Mestrados Integrados Lecionadas no Departamento de Engenharia Civil 1. Condições de Inscrição a) Os estudantes para se inscreverem à Dissertação,

Leia mais

PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENFERMAGEM

PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENFERMAGEM PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENFERMAGEM REGULAMENTO 1 - Justificação As Ciências da Saúde têm registado nos últimos anos um progresso assinalável em múltiplos domínios. Este progresso assenta, em grande

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa. Regulamento do Programa de Doutoramento em Ciência e Engenharia de Materiais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa. Regulamento do Programa de Doutoramento em Ciência e Engenharia de Materiais Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa Regulamento do Programa de Doutoramento em Ciência e Engenharia de Materiais PREÂMBULO No cumprimento da sua missão, a Faculdade de Ciências

Leia mais

Regulamentos. É aprovado o Regulamento de creditação de formação anterior e de experiência profissional da Universidade do Porto

Regulamentos. É aprovado o Regulamento de creditação de formação anterior e de experiência profissional da Universidade do Porto Regulamentos CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Aprovado pelo Despacho Reitoral GR.01/04/ 2012 de 5 de abril de 2012 Considerando que, nos termos do n. 3 do artigo 45. do Decreto -Lei

Leia mais

REGULAMENTO Acesso e Ingresso nos Ciclos de Estudo Conducentes ao Grau de Doutor

REGULAMENTO Acesso e Ingresso nos Ciclos de Estudo Conducentes ao Grau de Doutor REGULAMENTO Acesso e Ingresso nos Ciclos de Estudo Conducentes ao Grau de Doutor Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.0 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Instituto Politécnico de Viseu

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA DE MADEIRAS Primeira Edição Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006

Leia mais