SNC AP. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SNC AP. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente"

Transcrição

1 SNC AP Desafio da Mudança António Monteiro Presidente V Congresso dos TOC - Lisboa 17 de Setembro de

2 Síntese As Contas Públicas enquanto elemento determinante do grau de confiança na gestão dos dinheiros públicos Evolução da Contabilidade Pública em Portugal A CNC e as novas competências Desafios a nível internacional Recentes alterações legislativas SNC AP O Desafio da transição Conclusão 2

3 Contas Públicas Sistema Contabilístico do Estado Avaliação do desempenho Melhoria da governação Reforço do controlo Universo das Administrações Públicas Contas Públicas Credíveis Transparência Comparabilidade Fiabilidade Confiança dos Cidadãos 3

4 Evolução da Contabilidade Pública em Portugal Até Sistema contabilístico unigráfico Lei de bases da Contabilidade Pública (Lei n.º 8/90) Novo Regime da Administração Financeira do Estado (DL 155 / 92) Criada a CNCAP 1997 a Aprovados o POCP e os Planos Setoriais A Administração Pública não prosseguiu a modernização adotada pelo setor Empresarial aquando da implementação do SNC (DL 158/2009) A CNCAP é extinta 4

5 A CNC Novas Competências Decreto-Lei 134/2012, de 29 de Junho Aprova o regime jurídico da organização e funcionamento da CNC Estabelece: Missão genérica Missão específica emitir normas, pareceres e recomendações para o conjunto de entidades do setor empresarial e do setor público, de modo a estabelecer e assegurar procedimentos contabilísticos harmonizados com as normas europeias e internacionais da mesma natureza realizar os trabalhos técnicos com vista à aprovação de um único Sistema de Normalização Contabilística Público adaptado às IPSAS Resulta de compromisso com o FMI 5

6 A CNC Presidente Secretariado Conselho Geral Representado por : Presidente Preparadores da informação financeira (14) OROC (2) Escolas superiores de contabilidade (2) Utilizadores da informação financeira (12) Personalidades de mérito em contabilidade (5) Tomada de posse em 29/04/2013 Comissão Executiva Comité Empresarial Comité Público Representado por : Inspeção Geral de Finanças (1) Preparadores da informação financeira (2) OTOC (1) OROC (1) Autoridade Tributária e Aduaneira (1) CMVM (1) Escolas superiores de contabilidade (1) Personalidade de mérito em contabilidade (1) Representado por : Inspeção Geral de Finanças (1) Direção-Geral do Orçamento (2) Instituto Nacional de Estatística (1) Direção-Geral das Autarquias Locais (1) Escolas superiores de contabilidade (1) OTOC (1) OROC (1) Personalidade de mérito em contabilidade (1) 6

7 O papel da CNC na reforma da contabilidade pública Fomentar a harmonização contabilística nacional Promover a convergência com as normas internacionais Institucionalizar o Estado como entidade de relato Melhorar a qualidade da informação orçamental e financeira Facilitar os procedimentos de consolidação e a sua fiabilidade Contribuir para a satisfação das necessidades dos utilizadores (contribuintes) 7

8 Desafios a nível internacional IPSAS? Normativos nacionais inspirados nas IPSAS? EPSAS? 8

9 O IPSASB e as IPSAS As IPSAS são baseadas nas IAS/IFRS emitidas pelo IASB Normas baseadas nas IAS/IFRS sem alterações significativas Estrutura conceptual Normas baseadas nas IAS/IFRS com particularidades do setor público Normas desenvolvidas especificamente para o setor público 9

10 Recentes Alterações Legislativas Lei n.º 151/2015, de 11/09 - Lei de Enquadramento Orçamental Estabelece: - Os princípios e as regras orçamentais de contabilidade e de report aplicáveis ao setor das administrações públicas Âmbito Institucional: - Administração Central, Regional, Local e da Segurança Social e ainda entidades públicas reclassificadas Âmbito Orçamental e Contabilístico: - É criada a Entidade Contabilística do Estado (ECE) que é responsável por um conjunto de operações contabilísticas da responsabilidade do Estado Dec.Lei n.º 192/2015, de 11/09 Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas (SNC AP) 10

11 Contabilidade, Relato, Controlo e Transparência (LEO art.º 62 76) Sistema Contabilístico do Estado NCP 26 Contabilidade Orçamental Receitas e Despesas Demonstrações Orçamentais Execução Orçamental NCP 1 25 Contabilidade Financeira Ativos e Passivos Rendimentos e Gastos Demonstrações Financeiras Posição financeira, alterações, desempenho e fluxos de caixa NCP 27 Contabilidade de Gestão Avaliação da eficiência das ações desenvolvidas 11

12 O Desafio da transição para o SNC - AP Fatores influenciadores: Reconhecimento generalizado da necessidade de mudança Apoio político Liderança para assegurar a transição Âmbito da reforma (parcial ou completa) Tecnologias de informação disponíveis Competências técnicas Manual de implementação (CNC) Implementação por fases: Entidades piloto em 2016 Aplicação geral em 2017 O balanço de abertura (apoio FMI) O exemplo da Áustria 12

13 OBRIGADO 13

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA Desafio da Mudança António Monteiro Presidente XII Congresso da OROC - Lisboa 15 de Setembro de 2016 1 Síntese 1. Introdução 2. Contas Públicas Credíveis 3. As principais

Leia mais

Introdução do SNC-AP. Conferência Internacional Reforma das Finanças Públicas em Portugal Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Introdução do SNC-AP. Conferência Internacional Reforma das Finanças Públicas em Portugal Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Conferência Internacional Reforma das Finanças Públicas em Portugal Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Introdução do SNC-AP Lúcia Lima Rodrigues Professora na Universidade do Minho Membro da

Leia mais

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA Desafio da Mudança António Monteiro Presidente XII Congresso da OROC - Lisboa 15 de Setembro de 2016 1 Senhor Bastonário Senhor Presidente da Comissão Organizadora do XII

Leia mais

Desafios da reforma da contabilidade pública

Desafios da reforma da contabilidade pública Introdução e contexto Entidade Contabilística Estado: Criação e projeto em curso Implementação do SNC-AP: Estratégia e concretização Sistema Central de Contabilidade e Contas Públicas (S3CP) Nova informação

Leia mais

Senhor Secretário de Estado do Orçamento. Senhores Convidados. Colegas da CNC

Senhor Secretário de Estado do Orçamento. Senhores Convidados. Colegas da CNC Senhor Secretário de Estado do Orçamento Senhores Convidados Colegas da CNC Quero começar por agradecer a presença do Senhor Secretário de Estado do Orçamento nesta sessão de apresentação do Portal do

Leia mais

Tribunal de Contas. António Marta Cristina Mendes Teresa Ferreira Setembro

Tribunal de Contas. António Marta Cristina Mendes Teresa Ferreira Setembro António Marta Cristina Mendes Teresa Ferreira Setembro 2017 1 A aprovação do SNC -AP permite ( ) contribuir para a satisfação das necessidades dos utilizadores da informação do sistema de contabilidade

Leia mais

Reforma da Contabilidade Pública

Reforma da Contabilidade Pública O novo Sistema de Normalização Contabilística para Administração Pública (SNC-AP) Reforma da Contabilidade Pública JUNHO 2016 WWW.GESNORT.PT Reforma da Contabilidade Pública Introdução Porquê mudar? Quais

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA DA REALIDADE ATUAL À REALIDADE FUTURA Maria José Fernandes TÓPICOS O que temos. Porquê mudar. Novo modelo de Gestão Pública e Governação NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA Uma visão prática

Leia mais

Contabilidade Pública - da realidade atual à realidade futura

Contabilidade Pública - da realidade atual à realidade futura realidade atual à realidade futura Lúcia Lima Rodrigues Universidade do Minho Membro da CNC, CNC Pública, onde representa a OCC Agenda Breve evolução histórica da Contabilidade Pública no século XX O que

Leia mais

Apresentar o sistema contabilísitico em vigor e decorrente do Plano Oficial de Contabilidade do Setor Público

Apresentar o sistema contabilísitico em vigor e decorrente do Plano Oficial de Contabilidade do Setor Público CONTABILIDADE PÚBLICA [12012] GERAL Ano Letivo: 201617 Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 6,0 Regime: D, PL Semestre: S1 OBJETIVOS Com a unidade curricular de Contabilidade Pública pretende-se

Leia mais

O Novo Modelo de Gestão das Finanças Públicas

O Novo Modelo de Gestão das Finanças Públicas O Novo Modelo de Gestão das Finanças Públicas Reforma em Curso Unidade de Implementação da Lei de Enquadramento Orçamental Luís Viana Responsável Técnico Lisboa, 29 de junho de 2017 Agenda 1. Necessidade

Leia mais

A evolução da normalização contabilística e a sua contribuição para a transparência dos mercados

A evolução da normalização contabilística e a sua contribuição para a transparência dos mercados Os contributos da investigação e da normalização para a transparência dos mercados Lúcia Lima Rodrigues Professora Catedrática de Contabilidade UMinho CNC EFRAG Academic Panel Agenda Evolução da normalização

Leia mais

Contributos da CNC para a Reforma da Gestão das Finanças Públicas Contabilidade

Contributos da CNC para a Reforma da Gestão das Finanças Públicas Contabilidade Contributos da CNC para a Reforma da Gestão das Finanças Públicas Contabilidade Óscar Figueiredo revisor oficial de contas EPSAS-MINFIN-LISBOA ABRIL2017 (Discurso) Exmos. Senhoras e Senhores, Esta iniciativa

Leia mais

A CONTABILIDADE PÚBLICA NO PRINCÍPIO DO ACRÉSCIMO

A CONTABILIDADE PÚBLICA NO PRINCÍPIO DO ACRÉSCIMO A CONTABILIDADE PÚBLICA NO PRINCÍPIO DO ACRÉSCIMO Índice 1. Introdução 2. A Contabilidade Pública 2.1 Enquadramento Legal 2.2 Âmbito, Objecto e Características 3. O sistema Contabilístico do Estado 4.

Leia mais

A Nova Visão Financeira do Estado. Conferência Serviços Partilhados e Compras Públicas

A Nova Visão Financeira do Estado. Conferência Serviços Partilhados e Compras Públicas A Nova Visão Financeira do Estado Conferência Serviços Partilhados e Compras Públicas A Nova Visão Financeira do Estado AGENDA 1. Enquadramento 2. Perspetiva sobre a situação atual 3. Elementos da nova

Leia mais

Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas

Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas Decreto-Lei n.º 192/2015, de 11 de setembro Aprova do Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas (SNC-AP) Índice Preambulo... 2 Artigo 1º - Objeto... 4 Artigo 2.º - Sistema

Leia mais

O SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA PARA AS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS

O SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA PARA AS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS O SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA PARA AS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS Gabinete de Finanças Públicas / Secção de Formação Foi publicado no dia 11 de setembro o Decreto-lei nº 192/2015, que aprova a implementação

Leia mais

LEO: oportunidade para melhorar o processo orçamental e as contas públicas

LEO: oportunidade para melhorar o processo orçamental e as contas públicas LEO: oportunidade para melhorar o processo orçamental e as contas públicas Conferência sobre a Nova LEO Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa 10 novembro 2015 LEO: oportunidade para

Leia mais

Os Desafios. Contabilidade e Relato. António Gonçalves Monteiro

Os Desafios. Contabilidade e Relato. António Gonçalves Monteiro Os Desafios do Snc-Ap Contabilidade e Relato António Gonçalves Monteiro PRESIDENTE DA COMISSÃO DE NORMALIZAÇÃO CONTABILISTICA / Revisor Oficial de contas Introdução O novo Sistema de Normalização Contabilística

Leia mais

A aplicação da Normalização Contabilística para as Microentidades - NCM

A aplicação da Normalização Contabilística para as Microentidades - NCM Normalização Contabilística: Presente e Futuro - CNC A aplicação da Normalização Contabilística para as Microentidades - NCM Carlos Martins Lisboa, 15 de Dezembro de 2011 ÍNDICE Enquadramento e alguns

Leia mais

DSAJAL/ 2/2017. novembro DAAL

DSAJAL/ 2/2017. novembro DAAL Nota Informativa 2/2017 novembro DSAJAL/ DAAL SNC-AP Autarquias Locais Regime de Transição Regime Geral 1. INTRODUÇÃO Durante o ano de 2017, todas as entidades públicas devem assegurar as condições e tomar

Leia mais

Conferência Anual 2017 da OPACC Lidiane Nascimento Rocha

Conferência Anual 2017 da OPACC Lidiane Nascimento Rocha Contabilidade Pública Situação Atual em Cabo Verde Conferência Anual 2017 da OPACC Lidiane Nascimento Rocha Sumário 1. CONTEXTUALIZAÇÃO 2. LEGISLAÇÃO 3. SISTEMA DE CONTABILIDADE PÚBLICA 4. NOTAS FINAIS

Leia mais

Desafios profissionais: Os profissionais e o SNC. Lúcia Lima Rodrigues

Desafios profissionais: Os profissionais e o SNC. Lúcia Lima Rodrigues Desafios profissionais: Os profissionais e o SNC Lúcia Lima Rodrigues Introdução Breve caracterização do sistema contabilístico português: o SNC Os profissionais e o SNC Desafios/Oportunidades da adopção

Leia mais

Controlo das Administrações Públicas Novo Paradigma

Controlo das Administrações Públicas Novo Paradigma das Administrações Públicas Novo Paradigma Pressupostos: Reforço da base de acréscimo na nova Lei de Enquadramento Orçamental (LEO) Introdução da adaptação das normas internacionais de contabilidade para

Leia mais

Os objetivos fundamentais da disciplina de Contabilidade e Finanças Públicas consistem na análise e compreensão:

Os objetivos fundamentais da disciplina de Contabilidade e Finanças Públicas consistem na análise e compreensão: CONTABILIDADE E FINANÇAS PÚBLICAS [12505] GERAL Ano Letivo: 201617 Grupo Disciplinar: Administração e Finanças Públicas ECTS: 4,5 Regime: D, PL Semestre: S1 OBJETIVOS Os objetivos fundamentais da disciplina

Leia mais

Contabilidade Geral Carga horária: 52 horas

Contabilidade Geral Carga horária: 52 horas Contabilidade Geral Carga horária: 52 horas PROGRAMA 1. Fundamentos da Contabilidade Financeira (1 hora: Sandra Alves) 1.1. A Contabilidade Financeira 1.1.1. Conceito e divisões da Contabilidade 1.1.2.

Leia mais

Contabilidade Geral Carga horária: 52 horas

Contabilidade Geral Carga horária: 52 horas Contabilidade Geral Carga horária: 52 horas PROGRAMA 1. Fundamentos da Contabilidade Financeira (1 hora: Sandra Alves) 1.1. A Contabilidade Financeira 1.1.1. Conceito e divisões da Contabilidade 1.1.2.

Leia mais

Pretende-se que os estudantes adquiram os seguintes conhecimentos e competências:

Pretende-se que os estudantes adquiram os seguintes conhecimentos e competências: CONTABILIDADE ANALÍTICA APLICADA [14003] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Considerando que os estudantes da licenciatura em Gestão Pública deverão desempenhar funções de gestão, ao mais alto nível, em

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES ORÇAMENTAIS E FINANCEIRAS CONSOLIDADAS COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DESEMPENHO DO ESTADO. Pedro Soutelinho Correia Ribeiro

DEMONSTRAÇÕES ORÇAMENTAIS E FINANCEIRAS CONSOLIDADAS COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DESEMPENHO DO ESTADO. Pedro Soutelinho Correia Ribeiro 77F DEMONSTRAÇÕES ORÇAMENTAIS E FINANCEIRAS CONSOLIDADAS COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DESEMPENHO DO ESTADO Pedro Soutelinho Correia Ribeiro Profissão: Docente Universitário / Universidade Lusófona Área

Leia mais

40 Anos do Plano Oficial de Contabilidade - POC. Lisboa, Auditório do ISCAL, 22/05/2017 João Cipriano 1

40 Anos do Plano Oficial de Contabilidade - POC. Lisboa, Auditório do ISCAL, 22/05/2017 João Cipriano 1 Lisboa, Auditório do ISCAL, 22/05/2017 João Cipriano 1 Tendências que se sentem e se irão acentuar a Caminho dos Princípios de Contabilidade Geralmente Aceites (PCGA) a Convergência com as IFRS do IASB

Leia mais

Aula 08 http://www.webx.ubi.pt/~fantunes Início Normalização contabilística Dentro setorial do país já há segmentação Se pensarmos nas num ambiente empresarial distribuído geograficamente é fácil perceber

Leia mais

A Reforma das Finanças Públicas em Portugal

A Reforma das Finanças Públicas em Portugal A Reforma das Finanças Públicas em Portugal Lei de Enquadramento Orçamental Hélder Reis [1] Conferência organizada pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 29.06.2017 [1]As opiniões e posições

Leia mais

Recortes de imprensa. Novo Sistema de Normalização Contabilística e Ordem dos TOC

Recortes de imprensa. Novo Sistema de Normalização Contabilística e Ordem dos TOC Recortes de imprensa Novo Sistema de Normalização Contabilística e Ordem dos TOC ID: 24793160 24-04-2009 Tiragem: 64388 Âmbito: Informação Geral Pág: 7 Cores: Cor Área: 7,86 x 4,76 cm² Corte: 1 de 1 3

Leia mais

A CONTABILIDADE PÚBLICA EM PORTUGAL A EVOLUÇÃO CONTABILIDADE PÚBLICA. Ana Teresa Vaz. Estudante. Bairro do Carvalhal, Vinhais

A CONTABILIDADE PÚBLICA EM PORTUGAL A EVOLUÇÃO CONTABILIDADE PÚBLICA. Ana Teresa Vaz. Estudante. Bairro do Carvalhal, Vinhais 100F A CONTABILIDADE PÚBLICA EM PORTUGAL A EVOLUÇÃO CONTABILIDADE PÚBLICA Ana Teresa Vaz Estudante Bairro do Carvalhal, Vinhais Submissão para Estudantes ÁREA TEMÁTICA: F) SECTOR PÚBLICO Palavras-chave:

Leia mais

RELATÓRIO (2016/C 449/20)

RELATÓRIO (2016/C 449/20) 1.12.2016 PT Jornal Oficial da União Europeia C 449/107 RELATÓRIO sobre as contas anuais da Autoridade Europeia dos Seguros e Pensões Complementares de Reforma relativas ao exercício de 2015 acompanhado

Leia mais

Informação Empresarial Simplificada (IES)

Informação Empresarial Simplificada (IES) www.pwc.pt/academy Informação Empresarial PwC s Academy 2ª Edição Um curso intensivo para compreensão dos principais elementos da Informação Empresarial Venha partilhar esta experiência connosco! Informação

Leia mais

Decreto-Lei n. o 36-A/

Decreto-Lei n. o 36-A/ Decreto-Lei n. o 36-A/2011 09-03-2011 Diploma consolidado Assunto: Aprova os regimes da normalização contabilística para microentidades e para as entidades do sector não lucrativo e transpõe para o direito

Leia mais

Tribunal de Contas. Nota Introdutória

Tribunal de Contas. Nota Introdutória Nota Introdutória NOTA INTRODUTÓRIA O presente Volume, cuja estrutura reflecte o conteúdo genérico previsto no artigo 41.º da Lei n.º 98/97, de 26 de Agosto, contém os resultados das acções de verificação

Leia mais

Sistema de Normalização Contabilística (SNC) A sua implementação na Indústria Farmacêutica

Sistema de Normalização Contabilística (SNC) A sua implementação na Indústria Farmacêutica Formação Profissional Sistema de Normalização Contabilística (SNC) A sua implementação na Indústria Farmacêutica Oportunidade única para apreender os principais aspectos do novo modelo de normalização

Leia mais

Publicado no Diário da República, I Série, nº 102, de 22 de Junho AVISO N.º 06/2016

Publicado no Diário da República, I Série, nº 102, de 22 de Junho AVISO N.º 06/2016 Publicado no Diário da República, I Série, nº 102, de 22 de Junho AVISO N.º 06/2016 ASSUNTO: ADOPÇÃO PLENA DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE/NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATO FINANCEIRO Havendo

Leia mais

Dezembro 2016 FORMAÇÃO. Normativo SNC-AP DIS6416. João Baptista da Costa Carvalho Vitor Simões.

Dezembro 2016 FORMAÇÃO. Normativo SNC-AP DIS6416. João Baptista da Costa Carvalho Vitor Simões. Dezembro 2016 FORMAÇÃO Normativo SNC-AP DIS6416 João Baptista da Costa Carvalho Vitor Simões www.occ.pt FICHA TÉCNICA Título: Normativo SNC-AP Autores: João Baptista da Costa Carvalho; Vitor Simões Capa

Leia mais

CURSO BREVE. Impacto fiscal da adopção do Sistema de Normalização Contabilística

CURSO BREVE. Impacto fiscal da adopção do Sistema de Normalização Contabilística CURSO BREVE Impacto fiscal da adopção do Sistema de Normalização Contabilística JUSTIFICAÇÃO DO CURSO Na sequência do Projecto de linhas de orientação para um novo modelo de normalização contabilística,

Leia mais

Analisar e implementar as disposições das normas específicas sobre a preparação e a elaboração de demonstrações financeiras consolidadas;

Analisar e implementar as disposições das normas específicas sobre a preparação e a elaboração de demonstrações financeiras consolidadas; CONTABILIDADE DE GRUPOS ECONÓMICOS [9393121] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Compreender e problematizar noções e pressupostos associados ao processo de elaboração e de apresentação de demonstrações

Leia mais

O INTERESSE PÚBLICO DA AUDITORIA

O INTERESSE PÚBLICO DA AUDITORIA O INTERESSE PÚBLICO DA AUDITORIA José F.F. Tavares Diretor-Geral do Tribunal de Contas XII Congresso, setembro 2016 1 SUMÁRIO 1. Introdução 2. Gestão pública 3. Sistemas de contabilidade 4. Auditoria 5.

Leia mais

2004 Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Empresarial (INEDEM) Curso de Contabilidade e Análise de Balanços

2004 Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Empresarial (INEDEM) Curso de Contabilidade e Análise de Balanços Amândio Fernandes Silva 15 de novembro de 1975. Formação e Percurso Académico 2015 Instituto Politécnico de Lisboa Título de Especialista em Direito Fiscal e Fiscalidade 2014 (em curso) Doutorando em Ciências

Leia mais

O futuro da normalização contabilística para o sector público João Baptista da Costa Carvalho

O futuro da normalização contabilística para o sector público João Baptista da Costa Carvalho conferência Normalização contabilística: presente e futuro O futuro da normalização contabilística para o sector público João Baptista da Costa Carvalho Lisboa,15/12/2011 Índice Reforma da Contabilidade

Leia mais

SNC Casos Práticos Lisboa, 28 de Junho 6, 12 e 19 de Julho

SNC Casos Práticos Lisboa, 28 de Junho 6, 12 e 19 de Julho www.pwcacademy.pt SNC Casos Práticos Lisboa, 28 de Junho 6, 12 e 19 de Julho Academia da PwC 4ª Edição Líderes na formação de executivos no SNC, tendo mais de 90 % dos nossos formandos, considerado a formação

Leia mais

O Parecer do Tribunal de Contas sobre a Conta Geral do Estado no Âmbito da Prestação de Contas

O Parecer do Tribunal de Contas sobre a Conta Geral do Estado no Âmbito da Prestação de Contas Transparência Orçamental e os principais documentos orçamentais na fase de Auditoria das Contas Públicas O Parecer do Tribunal de Contas sobre a Conta Geral do Estado no Âmbito da Prestação de Contas Luanda,

Leia mais

Controlo de Despesa, Défice e Dívida

Controlo de Despesa, Défice e Dívida A nova Lei de Enquadramento Orçamental Controlo de Despesa, Défice e Dívida Unidade Técnica de Apoio Orçamental Artigo 107.º da Constituição da República Portuguesa Fiscalização A execução do Orçamento

Leia mais

A transição para o SNC

A transição para o SNC Formação para Executivos A Aplicação das Normas Internacionais de Contabilidade A transição para o SNC Abril de 2010 4ª Edição Porto -------------- ----------- 1ª sessão: 20 e 22 de Abril 2ª sessão: 27

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Monteiro da Silva, Carlos Alberto Morada(s) Telefone(s) Correio(s) eletrónico(s) Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento

Leia mais

Relatório do Conselho de Auditoria Sumário Executivo

Relatório do Conselho de Auditoria Sumário Executivo Relatório do Conselho de Auditoria 2015 Sumário Executivo Relatório do Conselho de Auditoria -2015 Sumário Executivo Lisboa, 2016 www.bportugal.pt 1. Sumário executivo Introdução O presente Sumário Executivo

Leia mais

SNC Casos Práticos. Lisboa, 29 de Setembro, 6, 11 e 18 de Outubro. Academia da PwC. 4ªEdição

SNC Casos Práticos. Lisboa, 29 de Setembro, 6, 11 e 18 de Outubro.  Academia da PwC. 4ªEdição www.pwcacademy.pt SNC Casos Práticos Lisboa, 29 de Setembro, 6, 11 e 18 de Outubro Academia da PwC 4ªEdição Lideres na formação de executivos no SNC, tendo mais de 90% dos nossos formandos, considerado

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Contabilidade Sectorial e Consolidação de Contas

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Contabilidade Sectorial e Consolidação de Contas INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 30/3/2016 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 20/4/2016 Ficha de Unidade

Leia mais

A contabilidade em Cabo Verde. Adelino Fonseca Francisco Teixeira

A contabilidade em Cabo Verde. Adelino Fonseca Francisco Teixeira A contabilidade em Cabo Verde Adelino Fonseca Francisco Teixeira O País Cabo Verde é um pais insular situado no Oceano Atlântico, a cerca de 455 km da costa ocidental africana. Tem uma economia aberta

Leia mais

Princípio da Unidade e Universalidade. Aprovação do orçamento das entidades que integram o perímetro local.

Princípio da Unidade e Universalidade. Aprovação do orçamento das entidades que integram o perímetro local. Princípio da Unidade e Universalidade. Aprovação do orçamento das entidades que integram o perímetro local. Aplicação do SNC-AP ao Orçamento Municipal para 2017. Solicita-nos o Município ( ) a análise

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE AUDITORIA DO BANCO CENTRAL DE S. TOMÉ E PRÍNCIPE (BCSTP)

REGULAMENTO DO CONSELHO DE AUDITORIA DO BANCO CENTRAL DE S. TOMÉ E PRÍNCIPE (BCSTP) REGULAMENTO DO CONSELHO DE AUDITORIA DO BANCO CENTRAL DE S. TOMÉ E PRÍNCIPE (BCSTP) Considerando a necessidade de se definir políticas, regras e procedimentos para o funcionamento do Conselho de Auditoria

Leia mais

Contabilidade pública e IPSAS em Portugal: o sistema de normalização contabilística para as administrações públicas

Contabilidade pública e IPSAS em Portugal: o sistema de normalização contabilística para as administrações públicas Contabilidade pública e IPSAS em Portugal: o sistema de normalização contabilística para as administrações públicas Maria da Conceição da Costa Marques Professora Coordenadora, ISCAC Instituto Superior

Leia mais

Resolução do Conselho de Ministros n.º 88/2015

Resolução do Conselho de Ministros n.º 88/2015 Resolução do Conselho de Ministros n.º 88/2015. Por forma a responder à preocupação crescente com o problema do branqueamento de capitais, a Cimeira dos Países do Grupo dos 7 (G-7) criou, em 1989, o Grupo

Leia mais

Resolução do Conselho de Ministros n. o 88/

Resolução do Conselho de Ministros n. o 88/ Resolução do Conselho de Ministros n. o 88/2015 01-10-2015 Assunto: Cria a Comissão de Coordenação das Políticas de Prevenção e Combate ao Branqueamento de Capitais e ao Financiamento do Terrorismo Por

Leia mais

Programa. Finanças Públicas 2.º Ano Turmas A/B/Noite Ano Lectivo 2012/2013. Professor Doutor Eduardo Paz Ferreira. Introdução

Programa. Finanças Públicas 2.º Ano Turmas A/B/Noite Ano Lectivo 2012/2013. Professor Doutor Eduardo Paz Ferreira. Introdução Programa Finanças Públicas 2.º Ano Turmas A/B/Noite Ano Lectivo 2012/2013 Professor Doutor Eduardo Paz Ferreira Introdução I. Aspectos gerais 1. As Finanças Públicas. Questões de ordem geral 2. Fixação

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais da Agência de Execução para a Investigação relativas ao exercício de 2016

Relatório sobre as contas anuais da Agência de Execução para a Investigação relativas ao exercício de 2016 Relatório sobre as contas anuais da Agência de Execução para a Investigação relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta da Agência 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg T (+352) 4398

Leia mais

A Contabilidade como fator de transparência na Administração Pública. Oportunidades do SNC - AP. Paula Gomes dos Santos

A Contabilidade como fator de transparência na Administração Pública. Oportunidades do SNC - AP. Paula Gomes dos Santos A Contabilidade como fator de transparência na Administração Pública Oportunidades do SNC - AP Paula Gomes dos Santos Oportunidades do SNC AP Implementar a base de acréscimo na contabilidade e relato financeiro

Leia mais

RESUMO PARA OS CIDADÃOS

RESUMO PARA OS CIDADÃOS RESUMO PARA OS CIDADÃOS Relatório Anual de Execução 2015 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO DO PROGRAMA Para o Programa Operacional de Assistência Técnica 2014-2020 (POAT2020) foi determinante a aprovação do Acordo

Leia mais

Dissertação - Implicações da adequação da Contabilidade pública brasileira às normas internacionais de contabilidade

Dissertação - Implicações da adequação da Contabilidade pública brasileira às normas internacionais de contabilidade Acadêmica : Nara Cristina Elias Dissertação - Implicações da adequação da Contabilidade pública brasileira às normas internacionais de contabilidade A Contabilidade, na qualidade de metodologia especialmente

Leia mais

CURSO CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS

CURSO CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS CURSO CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy Consolidação

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados,

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, 1 Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, De acordo com o Estatuto Político Administrativo e a Lei de Enquadramento Orçamental,

Leia mais

Pretende-se com o programa apresentado obter os seguintes resultados:

Pretende-se com o programa apresentado obter os seguintes resultados: CONTABILIDADE FINANCEIRA II [12001] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Tendo em conta que os alunos deste curso poderão, num futuro próximo, exercer a função de Contabilista Certificado nas empresas do

Leia mais

Conteúdo e datas da formação

Conteúdo e datas da formação Conteúdo e datas da formação Módulo I A importância da Prestação de Contas nas ESNL O processo de Prestação de Contas nas ESNL Módulo II Referencial contabilístico vigente para as ESNL A Prestação de Contas

Leia mais

I. Enquadramento da Atividade do Banco de Portugal

I. Enquadramento da Atividade do Banco de Portugal RELATÓRIO DE ATIVIDADE - 2014 Estrutura da Apresentação I. Enquadramento da Atividade do Banco de Portugal Missão e Valores Plano Estratégico 2014-2016 II. Atividade em 2014 Três destaques Estabilidade

Leia mais

PLANO TRIENAL 2008/2010

PLANO TRIENAL 2008/2010 Tribunal de Contas PLANO TRIENAL 2008/2010 (EXTRACTO) Departamento de Consultadoria e Planeamento LISBOA / 2007 ÍNDICE 1 Missão do Tribunal de Contas... 3 2. Valores... 3 3. Visão... 3 4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS

Leia mais

PROCEDIMENTO DOS DÉFICES EXCESSIVOS (2ª NOTIFICAÇÃO DE 2017)

PROCEDIMENTO DOS DÉFICES EXCESSIVOS (2ª NOTIFICAÇÃO DE 2017) 22 de setembro de 2017 Procedimento dos Défices Excessivos 2ª Notificação 2017 PROCEDIMENTO DOS DÉFICES EXCESSIVOS (2ª NOTIFICAÇÃO DE 2017) Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao

Leia mais

Implicações da Lei /14 na inter-relação entre a Contabilidade e o Direito. Marcelo Coletto Pohlmann

Implicações da Lei /14 na inter-relação entre a Contabilidade e o Direito. Marcelo Coletto Pohlmann Implicações da Lei 12.973/14 na inter-relação entre a e o Direito Marcelo Coletto Pohlmann 1)Panorama normativo contábil: evolução Abordagem proposta 2)Análise quanto ao alcance da neutralidade tributária

Leia mais

a) consolidação de conceitos contabilísticos e de terminologias contabilísticas.

a) consolidação de conceitos contabilísticos e de terminologias contabilísticas. RELATO FINANCEIRO [12017] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Pretende-se, com esta unidade curricular, em complemento com os conhecimentos e as competências apreendidos em outras unidades curriculares,

Leia mais

Crise e finanças locais e regionais

Crise e finanças locais e regionais Crise e finanças locais e regionais Crise e Desenvolvimento Regional : Mesa-redonda promovida pela APDR Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Regional Rui Nuno Baleiras Vogal Executivo Conselho

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais do Centro de Tradução dos Organismos da União Europeia relativas ao exercício de 2016

Relatório sobre as contas anuais do Centro de Tradução dos Organismos da União Europeia relativas ao exercício de 2016 Relatório sobre as contas anuais do Centro de Tradução dos Organismos da União Europeia relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta do Centro 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg

Leia mais

MISSÃO VISÃO VALORES 1/5

MISSÃO VISÃO VALORES 1/5 A Administração Central do Sistema de Saúde, I.P. (ACSS, IP) é um Instituto Público, criado em 2007, integrado na administração indireta do Estado, dotado de autonomia administrativa, financeira e patrimonial

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia relativas ao exercício de 2016

Relatório sobre as contas anuais da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia relativas ao exercício de 2016 Relatório sobre as contas anuais da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta da Agência 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS NºNº/MÊS/08

NORMA DE PROCEDIMENTOS NºNº/MÊS/08 NORMA DE PROCEDIMENTOS NºNº/MÊS/08 AL/3 Fevereiro de 203 TRAMITAÇÃO PARA ACOMPANHAMENTO DOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS E DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS MUNICIPIOS DA REGIÃO CENTRO ÍNDICE:. APRESENTAÇÃO 2. LEGISLAÇÃO

Leia mais

Inspeção-Geral das Atividades em Saúde. Mª do Rosário Raposo

Inspeção-Geral das Atividades em Saúde. Mª do Rosário Raposo Inspeção-Geral das Atividades em Saúde Mª do Rosário Raposo Lisboa, 28 de maio de 2015 Controle Interno, Auditoria Interna e Sustentabilidade do Sistema Nacional de Saúde Despesa corrente em cuidados de

Leia mais

Tribunal de Contas ENTIDADES PÚBLICAS PARTICIPANTES RESOLUÇÃO

Tribunal de Contas ENTIDADES PÚBLICAS PARTICIPANTES RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO ENTIDADES PÚBLICAS PARTICIPANTES Resolução n.º 6/2013 2ª Secção Alteração à Resolução n. o 4/2001 2. a Secção. Instruções n. o 1/2001 2. a Secção instruções para a organização e documentação

Leia mais

acompanhado da resposta do Centro

acompanhado da resposta do Centro Relatório sobre as contas anuais do Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta do Centro 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615

Leia mais

O DL 35/2005 Alterações ao Plano Oficial de Contabilidade

O DL 35/2005 Alterações ao Plano Oficial de Contabilidade O DL 35/2005 Alterações ao Plano Oficial de Contabilidade Introdução O DL 35/2005, de 17 de Fevereiro, transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2003/51/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho,

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 20 de janeiro de Série. Número 11

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 20 de janeiro de Série. Número 11 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Aviso n.º 8/2016 Consolidação definitiva

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 Aprovado pelo Conselho Geral, na reunião de 11 de abril de 2012 A VICE PRESIDENTE DA COMISSÃO EXECUTIVA DA COMISSÃO DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA (Maria Isabel Castelão Silva)

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) 14.6.2014 L 175/9 REGULAMENTO (UE) N. o 634/2014 DA COMISSÃO de 13 de junho de 2014 que altera o Regulamento (CE) n. o 1126/2008, que adota certas normas internacionais de contabilidade nos termos do Regulamento

Leia mais

RELATÓRIO (2016/C 449/25)

RELATÓRIO (2016/C 449/25) C 449/138 PT Jornal Oficial da União Europeia 1.12.2016 RELATÓRIO sobre as contas anuais da Agência da União Europeia para a Segurança das Redes e da Informação relativas ao exercício de 2015 acompanhado

Leia mais

Grupos económicos - Obrigatoriedade de elaborar demonstrações financeiras consolidadas a partir do exercício de 2016

Grupos económicos - Obrigatoriedade de elaborar demonstrações financeiras consolidadas a partir do exercício de 2016 Grupos económicos - Obrigatoriedade de elaborar demonstrações financeiras consolidadas a partir do exercício de 2016 O Decreto-Lei n.º 98/2015, de 2 de junho, com entrada em vigor a partir de 1 de janeiro

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 20 de outubro de Série. Número 161

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 20 de outubro de Série. Número 161 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 20 de outubro de 2015 Série Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA, TURISMO E CULTURA Portaria n.º 195/2015

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais do Serviço Europeu de Polícia relativas ao exercício de acompanhado da resposta do Serviço

Relatório sobre as contas anuais do Serviço Europeu de Polícia relativas ao exercício de acompanhado da resposta do Serviço Relatório sobre as contas anuais do Serviço Europeu de Polícia relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta do Serviço 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg T (+352) 4398 1 E eca-info@eca.europa.eu

Leia mais

Resolução n. 3/ a S. ASSUNTO: Prestação de contas ao Tribunal relativas ao ano de 2016 e gerências partidas de 2017

Resolução n. 3/ a S. ASSUNTO: Prestação de contas ao Tribunal relativas ao ano de 2016 e gerências partidas de 2017 - Resolução n. 3/2016-2.a S ASSUNTO: Prestação de contas ao Tribunal relativas ao ano de 2016 e gerências partidas de 2017 O Tribunal de Contas, em reunião do Plenário da 2.a Secção, de 13 de dezembro

Leia mais

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G1)

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G1) PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G1) A duração desta prova é de 30 minutos MATERIAL O material desta prova é constituído por este caderno de questões e pela folha de respostas para

Leia mais

META 2017 Tolerância Valor crítico PESO Mês RESULTADO TAXA REALIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO 80% 80% 80% 10% 100% 20% 90% 90% 90% 0% 100% 50%

META 2017 Tolerância Valor crítico PESO Mês RESULTADO TAXA REALIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO 80% 80% 80% 10% 100% 20% 90% 90% 90% 0% 100% 50% ANO: 2017 Ministério da Justiça Direção-Geral da Política de Justiça MISSÃO: A DGPJ tem por missão prestar apoio técnico, acompanhar e monitorizar políticas, organizar e fomentar o recurso aos tribunais

Leia mais

UMA VISÃO SOBRE AUDITORIA INTERNA

UMA VISÃO SOBRE AUDITORIA INTERNA III FÓRUM DOS AUDITORES INTERNOS DA SAÚDE UMA VISÃO SOBRE AUDITORIA INTERNA Entre Douro e Vouga, EPE Rita Moutinho Vogal Executivo Lisboa, 28 de Maio de 2015 2 AGENDA Introdução A Auditoria Interna nos

Leia mais

- FUTURA NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA NACIONAL -

- FUTURA NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA NACIONAL - XIII JORNADAS DE CONTABILIDADE E FISCALIDADE DA APOTEC - LISBOA / CULTURGEST / 1 DE MARÇO DE 2007 - - FUTURA NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA NACIONAL - 1 TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS... E NÓS SEC IOSCO PORTUGAL

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO PÚBLICO

DIREITO FINANCEIRO PÚBLICO DIREITO FINANCEIRO PÚBLICO PROGRAMA 2015/2016 INFORMAÇÕES GERAIS Cordenador: JORGE BACELAR GOUVEIA Regente: RITA CALÇADA PIRES Ano letivo: 2015/2016 Curso: 1º CICLO Semestre: 1º SEMESTRE ECTS: 6 Contacto

Leia mais

Texto de Apoio Exercícios Resolvidos Exercícios Propostos. Ana Fialho António Guerreiro

Texto de Apoio Exercícios Resolvidos Exercícios Propostos. Ana Fialho António Guerreiro Exercícios Resolvidos Exercícios Propostos Ana Fialho António Guerreiro Escola de Ciências Sociais Departamento de Gestão 2015/2016 Índice Nota Prévia 1. Introdução 1.1. A Empresa e a Contabilidade 1.2.

Leia mais

MANUAL DECLARAÇÃO IES NO TOCONLINE

MANUAL DECLARAÇÃO IES NO TOCONLINE MANUAL DECLARAÇÃO IES NO TOCONLINE ÍNDICE 1. Enquadramento e instruções gerais; 2. Apresentação do interface; 3. Configuração e preenchimento dos anexos; 4. Validações a partir dos Mapas de Conferência

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais da Agência Ferroviária Europeia relativas ao exercício de acompanhado da resposta da Agência

Relatório sobre as contas anuais da Agência Ferroviária Europeia relativas ao exercício de acompanhado da resposta da Agência Relatório sobre as contas anuais da Agência Ferroviária Europeia relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta da Agência 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg T (+352) 4398 1 E eca-info@eca.europa.eu

Leia mais