Características do vídeo. Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo. Características do vídeo analógico. Características do vídeo analógico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Características do vídeo. Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo. Características do vídeo analógico. Características do vídeo analógico"

Transcrição

1 Características do vídeo Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo Vídeo media dinâmico Vídeo corresponde a um movimento sequencial de um conjunto de imagens, chamados fotogramas ou frames. Frame rate número de frames por segundo (fps) (valores de 24, 25, 30).Um varrimento completo corresponde a uma frame. Aspect ratio é a razão entre a largura e a altura das imagens mostradas. (4:3)(16:9) O vídeo analógico éum sinal eléctrico que varia no tempo. A informação visual é codificada ou representada através de alterações na amplitude desse sinal. sinal analógico - o sinal de vídeo é gerado a partir da leitura sequencial, da esquerda para a direita e de cima para baixo, da intensidade da voltagem de cada ponto do chip sensor ( CCD ) onde a imagem é projectada através das lentes da câmara. Quanto maior a intensidade de luz em determinado ponto, maior a voltagem produzida pelo mesmo, ou seja, existe uma analogia directa entre o brilho da imagem e a voltagem produzida, por isso o sinal é dito analógico. Os formatos de vídeo analógico especificam o número de linhas horizontais, ou linhas de varrimento horizontal, que estão contidas em cada trama. A apresentação de cada trama de video no ecrã é um processo que se realiza apresentando sucessivamente cada linha de varrimento horizontal, à medida que se efectua o varrimento horizontal do ecrã, desde do topo até ao fundo. O formato PAL utiliza 625 linhas de varrimento. E o formato NTSC utiliza apenas 525 linhas.

2 Scan Rate é uma característica que determina o número de linhas que são apresentadas no ecrã por segundo. Este pode ser obtido através do produto do frame rate pelo número de linhas de varrimento horizontal. Scan rate = frame rate x número de linhas de varrimento horizontal Aspect ratio é a característica do vídeo que determina a razão, ou o quociente, entre a largura e altura das imagens de vídeo, sendo obtido do seguinte modo: Aspect ratio = largura altura Os formatos de difusão de vídeo PAL e NTSC utilizam um aspect ratio de 4:3. O formato PAL Plus já possui um aspect ratio de 16:9, o que significa que a imagem resultante possui 16 unidades de largura por cada 9 de altura. Pode-se ainda designar o aspect ratio de 16:9 por 1,85:1, o que permite concluir que o aspect ratio da imagem resultante é muito semelhante ao aspecto da imagem produzida em cinema (aspect ratio de 1,85:1). Métodos Formatos de vídeo Taxa de refrescamento do ecrã corresponde à frequência com que o ecrã é actualizado com nova informação. A taxa de refrescamento determina então a velocidade com que a nova informação de imagem substitui a já existente no ecrã, de forma a dar a sensação de movimento. Taxa de refrescamento para o PAL é de 50 Hz Enquanto que a taxa de refrescamento para o NTSC é de 60 Hz. Pode-se ainda encontrar taxas de refrescamento de 100 Hz em televisão e de 75 Hz nos monitores de computador. Há uma ligação entre a taxa de refrescamento e a frequência de distribuição de corrente eléctrica.

3 Métodos Entrelaçamento (interlacing) é um esquema de varrimento ou de apresentação de informação visual no ecrã que foi desenvolvido para permitir respeitar a frequência de fusão característica do sistema visual humano. O olho humano é estimulado por imagens que são apresentadas a velocidade próximas das 40 imagens por segundo. O formato PAL utiliza apenas 25 fps (frames por segundo), um valor que se situa abaixo da frequência de fusão necessária para criar a ilusão do movimento. Para resolver este problema, o formato PAL, à semelhança de outro formatos, utiliza um factor de entrelaçamento de 2:1, isto é, a divisão de cada trama de vídeo em dois campos que contêm metade das linhas de cada trama, respectivamente, as linhas impares e as linhas pares da mesma trama. Entrelaçamento Progressivos vs Interlaçados Sinal vs Qualidade Progressive video on a progressive display Interlaced video on an interlaced display Progressive video on an interlaced display Interlaced video on a progressive display A qualidade do sinal de vídeo mede-se em termos de rácio sinal-ruído (quociente entre a potência do sinal e a potência do ruído) em termos de resolução da imagem. Câmaras profissionais vs câmaras domésticas.

4 Resolução do vídeo O tamanho da imagem de vídeo é medido em pixels, para vídeo digital ou linhas horizontais para vídeo analógico. Na televisão usual (SDTV) está especificada como 640x480i60 para resoluções NTSC e 720x560i50 para resoluções PAL ou SECAM. Uma nova definição está a tornar-se usual que é (HDTV High Definition Television) que é capaz de ter resoluções até p60, ex: 1920 pixels por linha por um conjunto de 1080 linhas, progressivo a 60 frames por segundo. O vídeo também pode ser video-3d, é medido em voxels (volume picture element, que representa um valor tridimensional de espaço). Por ex: 512x512x512 voxels de resolução, é usado para o video 3D simples. Tipos de sinais de vídeo analógico O sinal de vídeo analógico por ser de dois tipos: Vídeo composto. Sinais de crominância e luminância combinados num único sinal. Vídeo por componentes Sinais de crominância e luminância em sinais independentes. (este tipo fornece maior qualidade mas exige maior complexidade electrónica). Tipos de sinais de vídeo analógico Existem 4 formas principais de vídeo por componentes: YUV três componente (ou sinais), um de luminância (Y) e dois de crominância (U e V) S-Video (Separate video) dois componentes um de luminância e outro de crominância. Y/C Video dois componentes, um de luminância (Y) e outro de crominância (C). RGB Três componentes de cor, Red, Green e Blue.

5 Formatos de vídeo analógico Para Visitar se tiverem algum tempo NTSC National Television Systems Committee PAL Phase Alternation Line SECAM Sequentiel Couleur avec Mémoire RGB red, green, blue HDTV analógico High Definition Television.

Video Analógico. Pedro Alípio Telemédia

Video Analógico. Pedro Alípio Telemédia Video Analógico Pedro Alípio Telemédia 1 Medias Dinâmicos Medias Dinâmicos Também designados por Temporais ou Contínuos As dependências temporais entre os elementos que constituem a informação fazem parte

Leia mais

Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames)

Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames) 6.2. Compressão 6.3. Software Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames) FRAME RATE = nº de frames por segundo (fps) Os valores mais utilizados pelas

Leia mais

Codec. Finalização de audiovisual. Bit Rate (Taxa de Bits) formatos de exportação. Pro res. ProRes 16/05/13. Sigla de COmpressor/DEcompressor.

Codec. Finalização de audiovisual. Bit Rate (Taxa de Bits) formatos de exportação. Pro res. ProRes 16/05/13. Sigla de COmpressor/DEcompressor. Codec Finalização de audiovisual Sigla de COmpressor/DEcompressor. Conjunto de instruções que permite comprimir um sinal de vídeo ou áudio, para armazenamento, e descomprimir, para reprodução. Bit Rate

Leia mais

Visão Computacional. Alessandro L. Koerich. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Visão Computacional. Alessandro L. Koerich. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR) Visão Computacional Alessandro L. Koerich Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR) Câmeras para Visão Computacional Agenda Tipos de Câmeras Câmeras Lentes

Leia mais

Multimédia. 3.4. Video. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Multimédia. 3.4. Video. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Multimédia 3.4. Video Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt O que é? Consiste de um conjunto de imagens que quando visualizadas sequencialmente dão a sensação de movimento à semelhança do

Leia mais

O vídeo. O vídeo. Sistemas analógicos de vídeo. O vídeo. 2001 Wilson de Pádua Paula Filho

O vídeo. O vídeo. Sistemas analógicos de vídeo. O vídeo. 2001 Wilson de Pádua Paula Filho O vídeo O vídeo Interfaces de vídeo Sistemas de televisão: as características do sinal de vídeo são determinadas pelos padrões de televisão principais padrões existentes: televisão em preto-e-branco televisão

Leia mais

Câmera de vídeo PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 1 MOURA LACERDA

Câmera de vídeo PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 1 MOURA LACERDA MATÉRIA: STRS 1 MOURA LACERDA Câmera de vídeo Filmadora, câmera de vídeo ou câmara de filmar, também conhecida simplesmente por câmara ou câmera, é um dispositivo dotado de mecanismos que capturam imagens

Leia mais

FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL. Objetivos do Sistema Digital. Digital. Comparação. (NTSC x ATSC) Transmissão simultânea de várias programações

FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL. Objetivos do Sistema Digital. Digital. Comparação. (NTSC x ATSC) Transmissão simultânea de várias programações PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL Prof. Alexandre A. P. Pohl Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial - CPGEI 1 Objetivos do Sistema

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas LIGADORES DE VIDEO: VGA, DVI, S-VIDEO E COMPONENTE VIDEO José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução

Leia mais

Módulo 6 Compressão Vídeo Sistemas Multimédia

Módulo 6 Compressão Vídeo Sistemas Multimédia Módulo 6 Compressão Vídeo Sistemas Multimédia Universidade de Aveiro 1 Sumário O sinal vídeo O vídeo digital- CCITT 601 Os formatos de vídeo Compressão de vídeo Redução de informação Redundância temporal

Leia mais

Formatos de Áudio e Vídeo Digital Introdução ao Vídeo

Formatos de Áudio e Vídeo Digital Introdução ao Vídeo Redes Multimídia 2016.2 Formatos de Áudio e Introdução ao Vídeo Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.4T Redes Multimídia Conteúdo Programático :: 1 a Unidade 1. Aplicações

Leia mais

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS ALCANCE DINÂMICO Nos sensores de imagem CCD (charge-coupled device) ou CMOS (complementary metal oxide semiconductor), o alcance dinâmico (ou dinâmica) é especificado tipicamente como a razão entre o sinal

Leia mais

PARTE I SISTEMA DE TV DIGITAL

PARTE I SISTEMA DE TV DIGITAL PARTE I SISTEMA DE TV DIGITAL Sistema de TV Digital 1 INTRODUÇÃO 1.1 Histórico Em julho de 1941, a Comissão Federal de Comunicações Norte-Americana, Federal Communications Commission (FCC), autorizou o

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/7 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 1.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O Grupo I (Utilização de Sistemas Multimédia) 1. Indique os atributos elementares das imagens 2. Complete as seguintes afirmações de forma a torná-las verdadeiras: a. A resolução de uma imagem digital é

Leia mais

GUIA DE FORMATOS DE TELA E RESOLUÇÕES DE VÍDEO DIGITAL

GUIA DE FORMATOS DE TELA E RESOLUÇÕES DE VÍDEO DIGITAL Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Belas Artes Departamento de Fotografia, Teatro e Cinema GUIA DE FORMATOS DE TELA E RESOLUÇÕES DE VÍDEO DIGITAL Primeira Edição por Daniel Poeira Documento

Leia mais

Medias Dinâmicos. Vídeo Digital

Medias Dinâmicos. Vídeo Digital Medias Dinâmicos Vídeo Digital Vídeo Digital O vídeo digital em vez de ter uma representação electrónica analógica (nº infinito de estados) usa uma representação finita de estados (dois: zero e um). O

Leia mais

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez Sistema de Cores Guillermo Cámara-Chávez Conceitos Motivação - poderoso descritor de característica que simplifica identificação e extração de objetos da cena; - humanos podem distinguir milhares de tonalidades

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com Fonte: Material do Prof. Robson Pequeno de Sousa e do Prof. Robson Lins Dispositivos de Entrada Teclado, Mouse, Trackball,

Leia mais

Introdução à Multimédia conceitos

Introdução à Multimédia conceitos 1. Introdução à Multimédia conceitos Popularidade mercado potencial aparece nos anos 90 Avanços Tecnológicos que motivaram o aparecimento/ desenvolvimento da MULTIMÉDIA Indústrias envolvidas - Sistemas

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Dispositivos e Periféricos de Computador

Dispositivos e Periféricos de Computador Dispositivos e Periféricos de Computador Ecrãs - Visual Display Unit - VDU Píxel picture element (plural em pt. é píxeis) Tamanho: diagonal do ecrã Resolução (número de píxeis no ecrã) VGA: 480 x 640 SVGA:

Leia mais

5.1 Surround: tecnologia de som Surround mais comum, que utiliza cinco alto-falantes em conjunto a um subwoofer para gerar os efeitos desejados.

5.1 Surround: tecnologia de som Surround mais comum, que utiliza cinco alto-falantes em conjunto a um subwoofer para gerar os efeitos desejados. 3D Ativo: tecnologia de imagem tridimensional mais utilizada na atualidade, que usa óculos com lentes LCD que ligam e desligam várias vezes por segundo para gerar o efeito 3D. imagem: Divulgação/Sony)

Leia mais

Hardware para Visão Computacional. Introdução a Visão Computacional. Agenda. O Que é Visão Computacional?

Hardware para Visão Computacional. Introdução a Visão Computacional. Agenda. O Que é Visão Computacional? Agenda Hardware para Visão Computacional Alessandro L. Koerich Alceu de Souza Britto Jr. InviSys Sistemas de Visão Computacional Ltda Programa de Pós-Graduação em Informática (PPGIa PUCPR) Seminário TVGlobo

Leia mais

A IMAGEM ELETRÔNICA: O VÍDEO Por Filipe Salles

A IMAGEM ELETRÔNICA: O VÍDEO Por Filipe Salles A IMAGEM ELETRÔNICA: O VÍDEO Por Filipe Salles 1. O que é Vídeo Existe uma grande diferença entre a imagem fotográfica convencional, de suporte químico (que é a base tradicional do cinema), e a imagem

Leia mais

Aspectos básicos do vídeo

Aspectos básicos do vídeo Vídeo Aspectos básicos do vídeo Codec: quer dizer compressor e descompressor. É um algoritmo que controla a forma como os ficheiros de vídeo são comprimidos durante a codificação e descomprimidos durante

Leia mais

Padrões ITU-T H.261 e H.263

Padrões ITU-T H.261 e H.263 Padrões ITU-T H.261 e H.263 Acadêmicos: Orlando L. Pelosi Jr. Rodrigo Matheus da Costa Vinicius Mariano de Lima Professor: Prof. Adair Santa Catarina Vídeo Digital Vídeos são compostos por frames que contém

Leia mais

Tamanho e resolução da imagem

Tamanho e resolução da imagem Tamanho e resolução da imagem Para se produzir imagens de alta qualidade, é importante compreender como é que os dados dos pixels da imagem são medidos e mostrados. Dimensões dos pixels O número de pixels

Leia mais

Cátia Homem, 9 de Janeiro de 2008 Página 1

Cátia Homem, 9 de Janeiro de 2008 Página 1 Escola Secundária Vitorino Nemésio Física e Química A Componente de física 11º ano Actividade Laboratorial 2.1 Osciloscópio Nome: Turma: Nº: Classificação: docente: 1. Questão problema: Perante o aumento

Leia mais

Vídeo. Introdução à Ciência da Informação

Vídeo. Introdução à Ciência da Informação Vídeo Introdução à Ciência da Informação Vídeo O vídeo, do latim eu vejo, é uma a tecnologia de processamento de sinais eletrônicos analógicos ou digitais para capturar, armazenar, transmitir ou apresentar

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de

Leia mais

Willard Boyle (esquerda) e George Smith, inventores do sensor CCD. 1975 primeira camera video de qualidade

Willard Boyle (esquerda) e George Smith, inventores do sensor CCD. 1975 primeira camera video de qualidade Sensores CCD e CMOS CCD Willard Boyle (esquerda) e George Smith, inventores do sensor CCD. 1975 primeira camera video de qualidade Desde a sua invenção nos laboratórios Bell (EUA), nos anos 70 do século

Leia mais

+O O ESTADO DA ARTE NA RADIOLOGIA NO SÉC. XXI

+O O ESTADO DA ARTE NA RADIOLOGIA NO SÉC. XXI + V JORNADAS DE RADIOLOGIA +O O ESTADO DA ARTE NA RADIOLOGIA NO SÉC. XXI 21-10-2011 Joana Santos + Introdução A evolução tecnológica na Radiologia tem sido exponencial; Faz parte do Perfil Profissional

Leia mais

Monitores. Tecnologias de Computadores. Trabalho realizado por: Universidade da Beira Interior. Prof.Pedro Araújo. -Diogo Fernandes nº27097

Monitores. Tecnologias de Computadores. Trabalho realizado por: Universidade da Beira Interior. Prof.Pedro Araújo. -Diogo Fernandes nº27097 Monitores Universidade da Beira Interior Tecnologias de Computadores Prof.Pedro Araújo Trabalho realizado por: -Diogo Fernandes nº27097 -Gonçalo Paiva nº26743 -Tiago Silva nº27144 Introdução Com o aparecimento

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR

SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR Sistemas de unidades do computador Unidade de Armazenamento e informação Unidade de Frequência Unidade de Transmissão Unidade de velocidade de transmissão Unidade de

Leia mais

o tratamento do sinal de vídeo no âmbito da televisão digital

o tratamento do sinal de vídeo no âmbito da televisão digital 1 o tratamento do sinal de vídeo no âmbito da televisão digital é indiscutível o fato de que a televisão tenha se tornado o principal meio de comunicação em massa do ponto de vista técnico, desde o estabelecimento

Leia mais

Compressão de Imagens

Compressão de Imagens Compressão de Imagens Compressão de Imagens Geradas por Computador (Gráficos) Armazenamento (e transmissão) como um conjunto de instruções (formato de programa) que geram a imagem Utilização de algum esquema

Leia mais

Monitores. Introdução

Monitores. Introdução Monitores Introdução Até os dias de hoje, o principal método para exibição de vídeos em computadores é o tradicional monitor CRT (Catodic Ray Tube - Tubo de Raios Catódicos). Comparando de uma forma grosseira,

Leia mais

ENCODER MPEG2 MOD. SE-1000

ENCODER MPEG2 MOD. SE-1000 ENCODER MPEG2 MOD. SE-1000 SATSUL ELETRÔNICA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Rua Harry Feeken, nº 152 - SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PR CEP: 83040-000 - FONE/FAX (41) 3383-1677 E-mail: satsul@satsul.com.br / www.satsul.com.br

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias de computadores Trabalho realizado por: Carlos Aguilar nº 27886 Miguel Xavier nº 26705 Bruno Esteves nº 26975 ECRÃS Introdução Servem basicamente para mostrar

Leia mais

Interação Humana com Computador

Interação Humana com Computador Interação Humana com Computador Tecnologias de Computadores André Ferraz N.º24881 Jason Costa N.º25231 Ana Pereira N.º25709 IHC Estudo, planeamento e desenho de uma interação entre o utilizador e computadores.

Leia mais

Recomendação H.261 para serviços audiovisuais a taxas de transmissão p*64 kbit/s

Recomendação H.261 para serviços audiovisuais a taxas de transmissão p*64 kbit/s 1. Introdução A compressão digital de imagem tem vindo a ganhar uma importância crescente, em especial nos sistemas de transmissão, uma vez que a capacidade dos canais é normalmente limitada e muito inferior

Leia mais

Imagem digital. Configuração de 640 x 480 e 24 bits/pixel (RGB) 7,37 Mbits Solução compactação

Imagem digital. Configuração de 640 x 480 e 24 bits/pixel (RGB) 7,37 Mbits Solução compactação Imagem digital Configuração de 640 x 480 e 24 bits/pixel (RGB) 7,37 Mbits Solução compactação Imagem digital - compactação - JPEG Joint Photographic Experts Group Definido no padrão internacional 10918

Leia mais

Capítulo II Imagem Digital

Capítulo II Imagem Digital Capítulo II Imagem Digital Proc. Sinal e Imagem Mestrado em Informática Médica Miguel Tavares Coimbra Resumo 1. Formação de uma imagem 2. Representação digital de uma imagem 3. Cor 4. Histogramas 5. Ruído

Leia mais

Hardware Básico. Conectores de Vídeo. Professor: Wanderson Dantas

Hardware Básico. Conectores de Vídeo. Professor: Wanderson Dantas Hardware Básico Conectores de Vídeo Professor: Wanderson Dantas Introdução Nesta aula nós discutiremos os tipos mais comuns de conectores de vídeo existentes. A conexão da placa de vídeo pode ser feita

Leia mais

Atualmente trabalha como Analista de Suporte em Telecomunicações no Teleco.

Atualmente trabalha como Analista de Suporte em Telecomunicações no Teleco. Painel de Plasma Esse tutorial apresenta os conceitos básicos da tecnologia empregada em painéis de plasma e suas principais características. Anderson Clayton de Oliveira Graduado em Engenharia Elétrica

Leia mais

SUPLEMENTO Nº 02 ANEXO DO EDITAL INSTRUÇÕES TÉCNICAS. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE FORNECIMENTO (Configuração Mínima Obrigatória)

SUPLEMENTO Nº 02 ANEXO DO EDITAL INSTRUÇÕES TÉCNICAS. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE FORNECIMENTO (Configuração Mínima Obrigatória) SUPLEMENTO Nº 02 1. Com referência a Tomada de Preços TP.DAQ.G.0078.2004, temos a informar que estamos alterando as especificações de cada objeto desta licitação, descritas no anexo do edital, que passam

Leia mais

1. Vídeo Analógico. SCC0261 - Multimídia. 1. Vídeo Analógico. 1. Vídeo Analógico. 1. Vídeo Analógico. 1. Vídeo Analógico

1. Vídeo Analógico. SCC0261 - Multimídia. 1. Vídeo Analógico. 1. Vídeo Analógico. 1. Vídeo Analógico. 1. Vídeo Analógico SCC0261 - Multimídia Prof.: Dr. Rudinei Goularte (rudinei@icmc.usp.br) Aula 9 - Vídeo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação - ICMC Sala 4-234 Por quê estudar vídeo analógico? Indústria da TV.

Leia mais

Modelo de VTR S-VHS Panasonic lançado na década de 1990

Modelo de VTR S-VHS Panasonic lançado na década de 1990 Camcorder Betacam SP. VTR Betacam SP São décadas de desenvolvimento e centenas de produtos e formatos diferentes, segue abaixo alguns dos formatos de vídeo domésticos e profissionais mais comuns: VHS -

Leia mais

Divar - Archive Player. Manual de Utilização

Divar - Archive Player. Manual de Utilização Divar - Archive Player PT Manual de Utilização Leitor de Arquivo Divar Manual de Utilização PT 1 Divar Digital Versatile Recorder Leitor de Arquivo Divar Manual de Utilização Índice Começar.....................................................

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

Agenda. Definição História Características Compressão Delivery

Agenda. Definição História Características Compressão Delivery Agenda Definição História Características Compressão Delivery DEFINIÇÃO Definição O vídeo, do latim videre, eu vejo É uma tecnologia de processamento de sinais eletrônicos analógicos ou digitais para capturar,

Leia mais

Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30

Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30 Tecnologias PowerShot G1 X Mark II, PowerShot SX700 HS, IXUS 155 e PowerShot D30 EMBARGO: 12 de fevereiro de 2014, 04:00 (UCT) Este documento explica as novas tecnologias que não se encontram nos modelos

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Informática Arquitectura de Computadores 2 João Eurico Rosa Pinto jepinto@student.dei.uc.pt Filipe Duarte da Silva

Leia mais

Segundo a NBR ISO/IEC 17799:2005,: Objetivo: Prevenir o acesso físico não autorizado, danos e interferências com as instalações e informações da

Segundo a NBR ISO/IEC 17799:2005,: Objetivo: Prevenir o acesso físico não autorizado, danos e interferências com as instalações e informações da 2. Importância da Segurança Física - Monitoramento Segundo a NBR ISO/IEC 17799:2005,: Objetivo: Prevenir o acesso físico não autorizado, danos e interferências com as instalações e informações da organização.

Leia mais

GRAVADOR VÍDEO 4CH MANUAL DO UTILIZADOR QANDA MOD. TA-412

GRAVADOR VÍDEO 4CH MANUAL DO UTILIZADOR QANDA MOD. TA-412 GRAVADOR VÍDEO 4CH MANUAL DO UTILIZADOR QANDA MOD. TA-412 1 INDEX 1.CARACTERISTICAS... 3 INSTALAÇÃO... 5 PAINEL TRASEIRO... 5 PAINEL FRONTAL... 6 MANUAL DE OPERAÇÃO (MENU PRINCIPAL)... 7 AJUSTE DO SISTEMA...

Leia mais

Novo cabo HDMI AVIS da Discabos

Novo cabo HDMI AVIS da Discabos sac@discabos.com.br www.discabos.com.br Novo cabo HDMI AVIS da Discabos O primeiro cabo HDMI High Speed (1.4) com Ethernet e retorno de áudio. O padrão HDMI acaba de se tornar muito mais poderoso, com

Leia mais

Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada

Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada reprodução de tom reprodução de cor resolução ruído e luz parasita aberrações e erros de registo. Principais parâmetros na definição

Leia mais

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Maio de 2004 Sumário 1 2 TV Cabo Bragatel Sapo Clix OniNet Telepac Tipos de ligações actualmente disponibilizadas

Leia mais

Série DS-2AE4023. Câmera Analógica Mini Dome PTZ série E

Série DS-2AE4023. Câmera Analógica Mini Dome PTZ série E Série DS-2AE4023 Câmera Analógica Mini Dome PTZ série E Principais Características Funções do sistema: CCD de alto desempenho D Precisão de Preset de ±0.1 Protocolo de comunicação HIKVISION e Pelco-P/D,

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

Especificações SMART Document Camera. Modelo SDC-330. Especificações de hardware. Recursos padrão. Simplificando o extraordinário.

Especificações SMART Document Camera. Modelo SDC-330. Especificações de hardware. Recursos padrão. Simplificando o extraordinário. PENSE ANTES DE IMPRIMIR Especificações SMART Document Camera Modelo SDC-330 Especificações de hardware Dimensões Configurar Dobrada Peso 28,9 cm 41,7 cm 37 cm (11 3/8" L 16 3/8" A 14 5/8" P) 28,9 cm 9,5

Leia mais

Visão Computacional. Alessandro L. Koerich. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Visão Computacional. Alessandro L. Koerich. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR) Visão Computacional Alessandro L. Koerich Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR) Interfaces Câmera PC Analógica, Firewire, GigE, Camera Link, USB Introdução

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Família de Produtos de Controle de Acesso

Família de Produtos de Controle de Acesso 30 W Alimentação Consumo de Energia (Max) Conector de Sinal 45W 40W 40 W Universal, 50/60Hz ; 12VDC/4.1A ; 12VDC/3.5A Estéreo,, 2 2 Estéreo,, 2 2 2 entradas, PC,, YPbPr; 2 entradas, PC,, YPbPr; de Vídeo

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Câmeras. Internas. www.foscam.com.br

Câmeras. Internas. www.foscam.com.br Câmeras Internas IP WIRELESS FOSCAM FI9821W A câmera IP FOSCAM FI9821W é uma solução para clientes que procuram um equipamento de alto desempenho, com compressão de imagem H.264 e resolução Megapixel.

Leia mais

DLP de 3 chips de alta resolução Suporta todos os padrões de cores

DLP de 3 chips de alta resolução Suporta todos os padrões de cores A série F80 apresenta nossos projetores profissionais topo de linha, e acreditamos que eles são os melhores projetores de 3 chips em que você pode investir seu dinheiro! DLP de 3 chips de alta resolução

Leia mais

Introdução à Redes de Computadores

Introdução à Redes de Computadores Introdução à Redes de Computadores 1 Agenda Camada 1 do modelo OSI (continuação) 2 1 Camada 1 do modelo OSI Continuação 3 Sinais Analógicos e Digitais Os sinais são uma voltagem elétrica, um padrão de

Leia mais

Codificação/Compressão de Vídeo. Tópico: Vídeo (Codificação + Compressão)

Codificação/Compressão de Vídeo. Tópico: Vídeo (Codificação + Compressão) Tópico: Vídeo (Codificação + Compressão) Um vídeo pode ser considerado como uma seqüência de imagens estáticas (quadros). Cada um desses quadros pode ser codificado usando as mesmas técnicas empregadas

Leia mais

Hardware. Dispositivos de saída

Hardware. Dispositivos de saída 1 Dispositivos de saída Os dispositivos de saída permitem a comunicação no sentido do computador para o utilizador No quadro 3, são apresentados os principais dispositivos de saída relacionados com a reprodução

Leia mais

DESCOMPLICANDO OS FORMATOS. para tornar nosso dia a dia mais simples!

DESCOMPLICANDO OS FORMATOS. para tornar nosso dia a dia mais simples! DESCOMPLICANDO OS FORMATOS para tornar nosso dia a dia mais simples! Nosso objetivo é ter um filme lindo no ar. Nosso objetivo é ter um filme lindo no ar. Pra isso, ter atenção aos detalhes é fundamental.

Leia mais

Circuito electrónico incorporado na íris da lente para ajudar a compensar grandes amplitudes do nível deluminosidade.

Circuito electrónico incorporado na íris da lente para ajudar a compensar grandes amplitudes do nível deluminosidade. GLOSSÁRIO CCTV AGC ou CGA Circuito electrónico para manter constante o mesmo sinal de vídeo. Mais útil em câmaras em baixas condições de luz. Quanto maior o número, melhor. Valores típicos de 12 a 20dB

Leia mais

Capítulo 1 Definição de Sinais e Sistemas

Capítulo 1 Definição de Sinais e Sistemas Capítulo 1 Definição de Sinais e Sistemas 1.1 Introdução 1.2 Representação dos sinais como funções 1.3 Representação dos sistemas como funções 1.4 Definições básicas de funções 1.5 Definição de sinal 1.6

Leia mais

Mónica Isabel Teixeira da Costa TÉCNICAS DE RECONSTRUÇÃO DE SINAL APLICADAS A SEQUÊNCIAS DE ALTA RESOLUÇÃO TEMPORAL

Mónica Isabel Teixeira da Costa TÉCNICAS DE RECONSTRUÇÃO DE SINAL APLICADAS A SEQUÊNCIAS DE ALTA RESOLUÇÃO TEMPORAL Mónica Isabel Teixeira da Costa TÉCNICAS DE RECONSTRUÇÃO DE SINAL APLICADAS A SEQUÊNCIAS DE ALTA RESOLUÇÃO TEMPORAL Departamento de Engenharias Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Vila Real, 2005

Leia mais

B. Piropo. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo

B. Piropo. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo B. Piropo Computadores usam internamente o sistema binário. O sistema binário adota apenas dois algarismos com os quais pode representar qualquer número. Portanto: Computadores só podem trabalhar com números.

Leia mais

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Aula 02 Componentes de um GIS (SIE, ou SIG) Ideias dependem de pessoas. Pessoas trazem o conhecimento para uma equipe, que engendra ideias.

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens Fundamentos de Imagens Digitais Aquisição e Serão apresentadas as principais características de uma imagem digital: imagem do ponto de vista matemático processo de aquisição e digitalização de uma imagem

Leia mais

O Guia Introdutório Rápido do Kdenlive

O Guia Introdutório Rápido do Kdenlive O Guia Introdutório Rápido do Kdenlive Esta documentação foi convertida a partir da página da Base de Utilizadores do KDE Kdenlive/Manual/QuickStart. Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Criar um novo projecto

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20 Sumário: Os subsistemas vídeo. A RAM vídeo. Aula Teórica 20 Leitura Recomendada: Capítulo 37 - Hans-Peter Messmer, The Indispensable PC Hardware Book, Addison-Wesley. Capítulos 4 e 11 - Peter Norton, Peter

Leia mais

Aula de Hoje. Sistemas e Sinais Sinais e Sistemas. Sinal em Tempo Contínuo. Sinal Acústico

Aula de Hoje. Sistemas e Sinais Sinais e Sistemas. Sinal em Tempo Contínuo. Sinal Acústico Aula de Hoje Sistemas e Sinais Sinais e Sistemas lco@ist.utl.pt Instituto Superior Técnico O que é um sinal? Como representamos matematicamente um sinal? Qual a diferença entre um sinal contínuo e um sinal

Leia mais

Conectores de Vídeo Radiofreqüência (RF)

Conectores de Vídeo Radiofreqüência (RF) 15 Conectores de Vídeo Existem vários tipos de conexões de vídeo que você pode encontrar no PC e em aparelhos eletrônicos como TVs, aparelhos de DVD e videoprojetores. Apesar de a finalidade geral desses

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA. TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA. TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS Como tudo em nossa vida e em nosso mundo evolui, com a tecnologia não é diferente, agora você pode contar com alta definição

Leia mais

Motic Images Plus Versão 2.0 ML Guia de Consulta Rápida. Português

Motic Images Plus Versão 2.0 ML Guia de Consulta Rápida. Português Motic Images Plus Versão 2.0 ML Guia de Consulta Rápida Português Índice Instalação do Software... 1 Instalação do Controlador e Actualização do Controlador... 4 Motic Images Plus 2.0 ML...11 Calibração

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o da d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a AnimatorDV M a

Leia mais

MOTO LINK VÍDEO MONITORAMENTO DIGITAL. Divisão Relm Monitoramento. Divisão Relm Monitoramento

MOTO LINK VÍDEO MONITORAMENTO DIGITAL. Divisão Relm Monitoramento. Divisão Relm Monitoramento MOTO LINK VÍDEO MONITORAMENTO DIGITAL 3G NOV/2014 MULTI-APLICAÇÕES OPERADORA CDMA/EDGE/GPRS/3G INTERNET CENTRAL DE MONITORAMENTO Evento / Foto ilustrativa Evento / Foto ilustrativa Software de Reprodução

Leia mais

O GPS IKE 1000 oferece velocidade, segurança e verificação. Com este equipamento a carga de trabalho e tempo dispendidos são minimizados devido a:

O GPS IKE 1000 oferece velocidade, segurança e verificação. Com este equipamento a carga de trabalho e tempo dispendidos são minimizados devido a: Os equipamentos IKE 1000 são equipamentos GPS de elevada precisão, robustos, adequados para recolher diferentes tipos de informação no campo, tais como dados geoespaciais com informação alfanumérica associada,

Leia mais

Espectro da Voz e Conversão A/D

Espectro da Voz e Conversão A/D INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES GUIA DO 1º TRABALHO DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES I Espectro da Voz e Conversão A/D Ano Lectivo de

Leia mais

Moldura Digital para Fotografias

Moldura Digital para Fotografias DENVER DPF 741 Manual do Utilizador Moldura Digital para Fotografias ATENÇÃO O cabo de alimentação com adaptador/dispositivo para desligar o aparelho deve estar facilmente acessível e deve poder ser desligado

Leia mais

Processamento de Sinais Áudio-Visuais

Processamento de Sinais Áudio-Visuais Processamento de Sinais Áudio-Visuais Parte III Imagem e Video Prof. Celso Kurashima Introdução à Engenharia da Informação Fevereiro/2011 1 A Picture is worth a thousand words Uma imagem vale mil palavras

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Equipamentos informáticos Hardware e Software Hardware refere-se aos dispositivos físicos (electrónicos, mecânicos e electromecânicos) que constituem

Leia mais

Prof. Marcelo Correia

Prof. Marcelo Correia APOSTILA ADOBE PREMIERE 2.0 UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO MULTIMÍDIA EDIÇÃO E MONTAGEM DE VÍDEO V 1 PROFESSOR MARCELO CORREIA Settings Criação de Novo Projeto Padrão de Vídeo V Digital

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Blu-Ray. Introdução. O que é Blu-ray? Marco Mapa www.marcomapa.xpg.com.br

Blu-Ray. Introdução. O que é Blu-ray? Marco Mapa www.marcomapa.xpg.com.br Blu-Ray Introdução O Blu-ray é o padrão de disco óptico que veio com a proposta de substituir o DVD, tanto em reprodutores de vídeo quanto em computadores. As medidas de um disco Blu-ray (ou BD, de Blu-ray

Leia mais

T52WA Monitor panorâmico LCD de 15 polegadas Manual do Utilizador

T52WA Monitor panorâmico LCD de 15 polegadas Manual do Utilizador T52WA Monitor panorâmico LCD de 15 polegadas Manual do Utilizador Tabela de conteúdos Conteúdo da embalagem...3 Instalação...4 Para ligar o monitor ao seu computador... 4 Para ligar o monitor à fonte de

Leia mais

Dispositivos de Vídeo. Prof. Rafael Sandim

Dispositivos de Vídeo. Prof. Rafael Sandim Dispositivos de Vídeo Prof. Rafael Sandim Roteiro Conceitos Básicos Adaptadores de Vídeo Placas de Vídeo Tipos de Monitores Frequência Vertical e Frequência Horizontal Conceitos Básicos Pixel Resolução

Leia mais