Monitores. Tecnologias de Computadores. Trabalho realizado por: Universidade da Beira Interior. Prof.Pedro Araújo. -Diogo Fernandes nº27097

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Monitores. Tecnologias de Computadores. Trabalho realizado por: Universidade da Beira Interior. Prof.Pedro Araújo. -Diogo Fernandes nº27097"

Transcrição

1 Monitores Universidade da Beira Interior Tecnologias de Computadores Prof.Pedro Araújo Trabalho realizado por: -Diogo Fernandes nº Gonçalo Paiva nº Tiago Silva nº27144

2 Introdução Com o aparecimento dos primeiros computadores, houve necessidade de estabelecer comunicação entre homem-máquina, foi criada então a interface gráfica de utilizador (GUI), no entanto, trouxe alguns problemas, e em 1982, foi então criado o monitor fósforo verde, utilizando a cor verde, tornando-se então no símbolo da computação moderna, que mais tarde viria a torna-se obsoleto, mas que de alguma forma serviu de solução para esses problemas iniciais da GUI. A necessidade de melhorar a GUI, implicou novas mudanças. O monitor fósforo verde, também precisou de um melhoramento, eis então, que com uma tecnologia mais avançada, surgem os monitores CRT coloridos, aparecendo depois os monitores LCD e Plasma, e finalmente os monitores do futuro, os OLED e TouchScreen.

3 Monitor CRT Significa Tubo de Raios Catódicos, e é um tubo de imagem convencional dos monitores e aparelhos de TV. É um dispositivo analógico, constituído por um ecrã de vidro recoberto no seu lado interno por uma camada de substância (fósforo), que se torna luminosa ao ser bombardeada por um feixe de electrões. Com o canhão de electrões situado na parte traseira do ecrã do vidro, direcciona o feixe num traçado formado por linhas horizontais, de baixo para cima. Elementos: - Painel de Vidro - Máscara de Sombra - Cone de Vidro - Canhão Electrónico - Cone Metálico Interno - Bobina de Deflexão

4 Funcionamento O princípio de funcionamento de um CRT, é usar um canhão de electrões, montado na parte de trás do tubo de imagem para acender as células de fósforo que compõe a imagem, o canhão emite electrões, que possuem carga negativa. Para serem atraídos até a parte frontal do tubo é utilizada uma cinta metálica Anodo, carregada com cargas positivas. O canhão bombardeia as células, esquerda para direita, cima para baixo, ao chegar à última célula, volta à posição inicial.

5 Monitor CRT Vantagens Desvantagens Longa vida útil Dimensões Baixo custo de produção Consumo elevado de energia Grande Versatilidade (resolução/distorções) Distorção Geométrica (Côncavidade dos Monitores)

6 Monitor LCD Os LCD (Liquid Crystal Display) são formados por um componente que se denomina cristal líquido, onde as moléculas desse material são capazes de orientar a luz entre duas lâminas transparentes polarizadas. O LCD é iluminado por uma lâmpada CCFL ou um conjunto de LEDS, que ao incidir nas duas láminas fará o liquido iluminar-se e ao incidir num filtro colorido onde as diferentes tonalidades do RGB farão todas as cores.

7 Funcionamento

8 Monitor LCD Vantagens Desvantagens Baixo consumo de energia Maior Custo de Fabricação Dimensões Reduzidas Não-Emissão de radiações nocivas Degrada a qualidade de imagem se usar uma resolução diferente para aquela que foi concebida

9 Monitor Touch Screen O ecrã táctil (touch screen), é um tipo de ecrã sensível à pressão, dispensando assim a necessidade de outro periférico de entrada de dados, como o teclado ou o rato. Existem dois tipos de Touchscreens: - O Resistivo que é o mais barato do mercado, apresenta 75% a 85% de precisão mas, necessita de estar constantemente a ser calibrado devido ao desgaste do material. - O Capacitivo que tem um custo superior, mas apresenta 100% de precisão. No entanto este tipo de ecrân não pode trabalhar em ambientes muito frios ou muito quentes.

10 Monitor Touch Screen Vantagens Desvantagens Facilidade e Agilidade no uso do equipamento Enorme capacidade de interacção com utilizador Mais caros que os equipamentos que usem periféricos de entrada de dados Rápido degradamento dos ecrãs

11 Monitor Plasma É um dispositivo que foi criado e desenvolvido para o mercado de televisão de alta definição (HDTV). Como funciona? - O plasma é um gás ionizado que contém, em proporções variadas, electrões, iões e átomos neutros. Isto é a chave para a activação dos pontos de fósforo responsáveis pela formação da imagem nos monitores de TV.

12 Monitor Plasma Vantagens Desvantagens Melhor definição de imagens (aproveitamento da cor) Ângulo de visão mais amplo Cansa mais a visão Resolução do ecrã vai depender do tamanho do plasma

13 Monitor OLED OLED (Organic Light-Emitting Diode ) foi criado e desenvolvido pela empresa multifuncional KODAC, que se dedica ao desenvolvimento de telas mais finas, flexíveis, leves e baratas que as actuais telas LCD. O que diferencia este tipo de monitor de todos os outros, é que este possui luz própria graças ao uso de diodos orgânicos, compostos por moléculas de carbono que emitem luz ao receberem carga eléctrica.

14 Monitor OLED Vantagens Desvantagens Maior brilho e contraste (1000x superior ao LCD) Maior durabilidade Menor consumo de energia Custo elevado Pode-se estragar facilmente (ex: entrar água, choque)

15 Futuro? 06Rtp36NiXU t4asmiqw9w&feature=related

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias de computadores Trabalho realizado por: Carlos Aguilar nº 27886 Miguel Xavier nº 26705 Bruno Esteves nº 26975 ECRÃS Introdução Servem basicamente para mostrar

Leia mais

Monitores. Introdução

Monitores. Introdução Monitores Introdução Até os dias de hoje, o principal método para exibição de vídeos em computadores é o tradicional monitor CRT (Catodic Ray Tube - Tubo de Raios Catódicos). Comparando de uma forma grosseira,

Leia mais

aceitável. A própria imagem nestes monitores apresenta uma qualidade inferior, devido ao baixo contraste. Os LCDs de matriz ativa já apresentam uma

aceitável. A própria imagem nestes monitores apresenta uma qualidade inferior, devido ao baixo contraste. Os LCDs de matriz ativa já apresentam uma Monitores O monitor tem uma importância vital, pois em conjunto com a placa de vídeo forma o principal meio de comunicação entre a máquina e nós. Os factores que diferenciam os inúmeros modelos de monitores

Leia mais

PARTES DO COMPUTADOR, HARDWARE,

PARTES DO COMPUTADOR, HARDWARE, 1 UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA Ibrahim Yasin Patricia Massaque Anelize Filvoch Camila Pereira Lucas Pando Everton Silva Bruno Tito PARTES DO COMPUTADOR, HARDWARE, SOFTWARE E COMPONENTES SANTANA DO

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

CONGRESSO SET 2012 FUCAPI

CONGRESSO SET 2012 FUCAPI CONGRESSO SET 2012 FUCAPI CONGRESSO SET 2012 TECNOLOGIA DE TELAS PARA RECEPTORES DE TV Características da FUCAPI FUCAPI é uma abreviatura para Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica;

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Equipamentos informáticos Hardware e Software Hardware refere-se aos dispositivos físicos (electrónicos, mecânicos e electromecânicos) que constituem

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com Fonte: Material do Prof. Robson Pequeno de Sousa e do Prof. Robson Lins Dispositivos de Entrada Teclado, Mouse, Trackball,

Leia mais

Atualmente trabalha como Analista de Suporte em Telecomunicações no Teleco.

Atualmente trabalha como Analista de Suporte em Telecomunicações no Teleco. Painel de Plasma Esse tutorial apresenta os conceitos básicos da tecnologia empregada em painéis de plasma e suas principais características. Anderson Clayton de Oliveira Graduado em Engenharia Elétrica

Leia mais

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe Computação Gráfica Dispositivos de Visualização Profa. Carolina Watanabe Material elaborado pela Profa. Marcela X. Ribeiro, UFSCar, Atualizado pela Profa. Carolina Watanabe, UNIR 1 Dispositivos de Visualização/Exibição

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN Eduardo Reis Tomiassi¹, Wyllian Fressatti 2 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí -Paraná- Brasil tomiassi88@hotmail.com, wyllian@unipar.br Resumo: Neste trabalho

Leia mais

Procedimentos de Garantia Empório Shop

Procedimentos de Garantia Empório Shop Procedimentos de Garantia Empório Shop Instruções e normas referentes ao procedimento de garantia: 1) Devolução e/ou arrependimento da compra Devolução do produto e o ressarcimento só serão aceitos para

Leia mais

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo Se ouço o esqueço, se vejo recordo, se faço o aprendo Meios de Armazenamento Secundário Principais Dispositivos de Entrada Principais Dispositivos de Saída Outros Dispositivos de Entrada/Saída Meios de

Leia mais

Eletrônica Orgânica. João Pedro Scarton Weber

Eletrônica Orgânica. João Pedro Scarton Weber 2 Tópicos Motivação Contexto tecnológico Eletrônica Orgânica Semicondutores Dispositivos Aplicações Perspectiva de futuro 3 Motivação Por quê eletrônica orgânica? Perspectiva de crescimento Interesse pessoal

Leia mais

1. Analisa a seguinte imagem e responde às questões que se seguem:

1. Analisa a seguinte imagem e responde às questões que se seguem: C.F.Q. 8ºA Outubro 1 1. Analisa a seguinte imagem e responde às questões que se seguem: 1.1. Qual é o detetor de luz? O olho. 1.2. Qual é o recetor de luz? A bola. 1.3. De que cor veremos a bola se ela

Leia mais

T52WA Monitor panorâmico LCD de 15 polegadas Manual do Utilizador

T52WA Monitor panorâmico LCD de 15 polegadas Manual do Utilizador T52WA Monitor panorâmico LCD de 15 polegadas Manual do Utilizador Tabela de conteúdos Conteúdo da embalagem...3 Instalação...4 Para ligar o monitor ao seu computador... 4 Para ligar o monitor à fonte de

Leia mais

Televisores e Monitores de Plasma e LCD

Televisores e Monitores de Plasma e LCD Televisores e Monitores de Plasma e LCD Marcelo de Souza Freitas Mestrado em Telecomunicações Universidade Federal Fluminense (UFF) Niterói RJ Brasil msfreitas1@oi.com.br Resumo. Este artigo descreve o

Leia mais

Prof. Fernando V. Paulovich http://www.icmc.usp.br/~paulovic paulovic@icmc.usp.br. 3 de maio de 2011. SCC0250 - Computação Gráca

Prof. Fernando V. Paulovich http://www.icmc.usp.br/~paulovic paulovic@icmc.usp.br. 3 de maio de 2011. SCC0250 - Computação Gráca Dispositivos de Entrada e Saída SCC0250 - Computação Gráca Prof. Fernando V. Paulovich http://www.icmc.usp.br/~paulovic paulovic@icmc.usp.br Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) Universidade

Leia mais

O Polarímetro na determinação de concentrações de soluções

O Polarímetro na determinação de concentrações de soluções O Polarímetro na determinação de concentrações de soluções 1. O polarímetro Polarímetros são aparelhos que medem directamente a rotação de polarização, através da medição do ângulo de rotação de um analisador.

Leia mais

CEFET-RS Curso de Eletrônica

CEFET-RS Curso de Eletrônica CEFET-RS Curso de Eletrônica 7 - Vídeo Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche.br Unidade 07.1 Vídeo Principal periférico de saída desde o final da década de 70;

Leia mais

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais:

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: A COR DE UM CORPO MÓDULO 9 A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: luz branca vermelho alaranjado amarelo verde azul anil violeta A cor que um corpo iluminado

Leia mais

Lâmpadas LED. Rua Joaquim Galvão, 198 CEP. 05627-010 - SP. Telefone: 55 (11) 3501-2886 Fax: 55 (11) 2338-1050

Lâmpadas LED. Rua Joaquim Galvão, 198 CEP. 05627-010 - SP. Telefone: 55 (11) 3501-2886 Fax: 55 (11) 2338-1050 Lâmpadas LED Lâmpadas LED da Technosol Modernidade e simplicidade numa infindável variedade Está à procura de cor e ambiente? Anseia acentuar os seus espaços favoritos e imagens? Deseja decorar a sua casa

Leia mais

PRÁTICA 1: MICROSCOPIA DE LUZ

PRÁTICA 1: MICROSCOPIA DE LUZ PRÁTICA 1: MICROSCOPIA DE LUZ INTRODUÇÃO: O microscópio de luz é um aparelho que destina-se a observação de objetos muito pequenos, difíceis de serem examinados em detalhes a olho nu. O tipo de microscópio

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE UM SISTEMA INFORMÁTICO

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE UM SISTEMA INFORMÁTICO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE UM SISTEMA INFORMÁTICO Nesta apresentação, aprenderá a reconhecer os principais periféricos ou dispositivos de entrada/saída de dados/informação. 23-10-2008 1 DISPOSITIVOS

Leia mais

Interação Humana com Computador

Interação Humana com Computador Interação Humana com Computador Tecnologias de Computadores André Ferraz N.º24881 Jason Costa N.º25231 Ana Pereira N.º25709 IHC Estudo, planeamento e desenho de uma interação entre o utilizador e computadores.

Leia mais

DIODO SEMICONDUTOR. íon negativo. elétron livre. buraco livre. região de depleção. tipo p. diodo

DIODO SEMICONDUTOR. íon negativo. elétron livre. buraco livre. região de depleção. tipo p. diodo DIODO SEMICONDUOR INRODUÇÃO Materiais semicondutores são a base de todos os dispositivos eletrônicos. Um semicondutor pode ter sua condutividade controlada por meio da adição de átomos de outros materiais,

Leia mais

Sistema Gráfico Dispositivos de Exibição

Sistema Gráfico Dispositivos de Exibição Sistema Gráfico Dispositivos de Exibição Profa. M. Cristina Rosane março 27 março 29 Processador Memória Frame buffer Dispositivos de saída Dispositivos de entrada 2 Monitor de Vídeo Tecnologia tradicional

Leia mais

Prof. Célio Conrado 1

Prof. Célio Conrado 1 O usuário se comunica com o núcleo do computador (composto por CPU e memória principal) através de dispositivos de entrada e saída (dispositivos de E/S). Todo objeto que faz parte do sistema e tem por

Leia mais

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Também conhecido por digitalizador Scanner é um periférico de entrada Leitura de textos e imagens

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Displays

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Displays Displays Versão 2015 1. Displays em Circuitos Digitais É inegável a importância de displays, pois são muito utilizados nos mais variados equipamentos de todas as áreas, como por exemplo, de instrumentação

Leia mais

Características do vídeo. Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo. Características do vídeo analógico. Características do vídeo analógico

Características do vídeo. Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo. Características do vídeo analógico. Características do vídeo analógico Características do vídeo Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo Vídeo media dinâmico Vídeo corresponde a um movimento sequencial de um conjunto de imagens, chamados fotogramas ou frames. Frame

Leia mais

ANEXO 14- PILHAS DE COMBUSTÍVEL

ANEXO 14- PILHAS DE COMBUSTÍVEL ANEXO 14- PILHAS DE COMBUSTÍVEL 198 Conteúdo 1 Pilha de combustível... 199 1.1 O que é um elemento a combustível... 199 1.2 Princípio de funcionamento... 200 1.3 Tipos básicos de elementos a combustível...

Leia mais

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD )tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD Óptica Geométrica ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD Exercício 1: Um feixe de luz cujo comprimento de onda é 650 nm propaga-se no vazio. a) Qual é a velocidade da luz desse feixe ao propagar-se num

Leia mais

Introdução. Criar um sistema capaz de interagir com o ambiente. Um transdutor é um componente que transforma um tipo de energia em outro.

Introdução. Criar um sistema capaz de interagir com o ambiente. Um transdutor é um componente que transforma um tipo de energia em outro. SENSORES Introdução Criar um sistema capaz de interagir com o ambiente. Num circuito eletrônico o sensor é o componente que sente diretamente alguma característica física do meio em que esta inserido,

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GO GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORGANIZAÇÃO DE COPUTADORES HELIAS ANTONIO TAVARES PEREIRA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GO GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORGANIZAÇÃO DE COPUTADORES HELIAS ANTONIO TAVARES PEREIRA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GO CURSO UNIDADE CURRICULAR PROFESSOR ALUNO GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORGANIZAÇÃO DE COPUTADORES HELIAS ANTONIO TAVARES PEREIRA DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAIDA -Como

Leia mais

Produção de Energia Alternativa

Produção de Energia Alternativa Produção de Energia Alternativa Prof.Pedro Araújo Realizado por: - Diogo Fernandes nº27097 - Gonçalo Paiva nº26743 - José Silva nº27144 Introdução A produção de energias alternativas, tem vindo a ganhar

Leia mais

Constituição do Microscópio Ótico Composto (M.O.C.)

Constituição do Microscópio Ótico Composto (M.O.C.) Constituição do Microscópio Ótico Composto (M.O.C.) O microscópio ótico composto (M.O.C.) é um instrumento usado para ampliar, com uma série de lentes, estruturas pequenas impossíveis de visualizar a olho

Leia mais

Automação industrial Sensores

Automação industrial Sensores Automação industrial Sensores Análise de Circuitos Sensores Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina O que são sensores?

Leia mais

Curso de Projetos de Iluminação Eficiente Professor Tomaz Nunes Cavalcante

Curso de Projetos de Iluminação Eficiente Professor Tomaz Nunes Cavalcante Curso de Projetos de Iluminação Eficiente Professor Tomaz Nunes Cavalcante Conteúdo do Curso Introdução. Conceito de Eficiência Energética. Conceitos de Iluminação. Luminotécnica. Avaliação financeira

Leia mais

Prof. Wanderlei Paré PROCESSOS DE IMPRESSÃO

Prof. Wanderlei Paré PROCESSOS DE IMPRESSÃO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DIRETA QUANDO A MATRIZ IMPRIME DIRETAMENTE SOBRE O PAPEL. INDIRETA QUANDO A MATRIZ IMPRIME SOBRE UMA SUPERFÍCIE E DESTA PARA O PAPEL. PLANA QUANDO TODA A SUPERFÍCIE DA MATRIZ TOMA

Leia mais

Placa Principal (Motherboard)

Placa Principal (Motherboard) Placa Principal (Motherboard) Placa mãe placa de circuito impresso. Slots de expansão conectores onde se ligam as placas de expansão. Barramento ou bus fios condutores dispostos em paralelo. Constituição

Leia mais

Introdução à Informática e Sistemas Operacionais Prof. Henrique Cordeiro. Aula 2 Componentes de Hardware

Introdução à Informática e Sistemas Operacionais Prof. Henrique Cordeiro. Aula 2 Componentes de Hardware Introdução à Informática e Sistemas Operacionais Prof. Henrique Cordeiro Aula 2 Componentes de Hardware Gabinete - caixa normalmente metálica ou plástica para montagem de diversos componentes de um computador.

Leia mais

Detectores de incêndio Apollo

Detectores de incêndio Apollo Detector iónico de fumos Pág. 1 de 5 A parte sensível do detector consiste em duas câmaras uma câmara exterior aberta com uma câmara de referência semi-selada lá dentro. Montada dentro da câmara de referência,

Leia mais

Pedro Barquinha. e-mail: pmcb@fct.unl.pt

Pedro Barquinha. e-mail: pmcb@fct.unl.pt Óxidos(semi) (semi)condutores: uma(r) (r)evoluçãonaelectrónica Pedro Barquinha Departamentode Ciênciados Materiais, CENIMAT/I3N, Faculdadede Ciênciase TecnologiadaUniversidadeNova de Lisboa, Campus de

Leia mais

Como funciona a tela de plasma por Tom Harris - traduzido por HowStuffWorks Brasil

Como funciona a tela de plasma por Tom Harris - traduzido por HowStuffWorks Brasil Como funciona a tela de plasma por Tom Harris - traduzido por HowStuffWorks Brasil Introdução Nos últimos 75 anos, a grande maioria das televisões foi fabricada com a mesma tecnologia: o tubo de raios

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

FÍSICA NUCLEAR E PARTÍCULAS

FÍSICA NUCLEAR E PARTÍCULAS FÍSICA NUCLEAR E PARTÍCULAS Apêndice - O Tubo de Geiger - Müller 1 - Descrição sumária O tubo de Geiger é constituido essencialmente por dois eléctrodos, o cátodo e o ânodo, encerrados num recipiente de

Leia mais

Estrutura e Funcionamento de um Computador

Estrutura e Funcionamento de um Computador Estrutura e Funcionamento de um Computador ESE Viseu 2009/2010 Docente: Maribel Miranda Pinto O hardware é a parte física do computador, a parte palpável do computador, ou seja, é o conjunto de componentes

Leia mais

SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO

SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO MODELOS VIS 200 / VIS 250 Generalidades: Os sistemas de inspeção VIS 200 e VIS 250 são equipamentos de grande robustez, a preço económico, mas de elevada

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR TECNOLOGIA LED EM UMA EMPRESA DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS

ANÁLISE ECONÔMICA DA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR TECNOLOGIA LED EM UMA EMPRESA DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS ANÁLISE ECONÔMICA DA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR TECNOLOGIA LED EM UMA EMPRESA DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS Thiago de Carvalho Sousa (UVV) thiagocs01@hotmail.com Lucca de Carvalho De Biase

Leia mais

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa Setor 3210 ÓPTICA GEOMÉTRICA Prof. Calil A Óptica estuda a energia denominada luz. 1- Quando nos preocupamos em estudar os defeitos da visão e como curá-los, estamos estudando a Óptica Fisiológica. Estudar

Leia mais

PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE FILMES FINOS DE ÓXIDO DE ÍNDIO DOPADO COM ESTANHO (ITO) PARA APLICAÇÕES EM OPTOELETRÔNICA MOLECULAR

PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE FILMES FINOS DE ÓXIDO DE ÍNDIO DOPADO COM ESTANHO (ITO) PARA APLICAÇÕES EM OPTOELETRÔNICA MOLECULAR PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE FILMES FINOS DE ÓXIDO DE ÍNDIO DOPADO COM ESTANHO (ITO) PARA APLICAÇÕES EM OPTOELETRÔNICA MOLECULAR Aluno: Denis Lage Ferreira da Silva Orientador: Marco Cremona Introdução

Leia mais

478 a.c. Leucipo e seu discípulo Demócrito

478 a.c. Leucipo e seu discípulo Demócrito MODELOS ATÔMICOS 478 a.c. Leucipo e seu discípulo Demócrito - A matéria após sofrer várias subdivisões, chegaria a uma partícula indivisível a que chamaram de átomo. - ÁTOMO a = sem tomos = divisão - Esta

Leia mais

Introdução. Em se tratando de computador, entendemos que memória são dispositivos que armazenam dados com os quais o processador trabalha.

Introdução. Em se tratando de computador, entendemos que memória são dispositivos que armazenam dados com os quais o processador trabalha. Memorias Introdução Em se tratando de computador, entendemos que memória são dispositivos que armazenam dados com os quais o processador trabalha. Necessariamente existe dois tipos de memórias: -Memória

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DA SILVA CURSO PROFISSIONAL DE ELECTRÓNICA AUTOMAÇÃO E COMANDO DISCIPLINA: ELECTRICIDADE E ELECTRÓNICA

ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DA SILVA CURSO PROFISSIONAL DE ELECTRÓNICA AUTOMAÇÃO E COMANDO DISCIPLINA: ELECTRICIDADE E ELECTRÓNICA --------------------- O OSCILOSCÓPIO Definição: É um aparelho que nos permite: Visualizar as formas de onda das tensões aplicadas Medir frequências e períodos dessas ondas Medir desfasagens entre duas

Leia mais

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO DISCIPLINA Física II 2º ANO ENSINO MÉDIO MÓDULO DE RECUPERAÇÃO ALUNO(A) Nº TURMA TURNO Manhã 1º SEMESTRE DATA / / 01- A figura representa um feixe de raios paralelos incidentes numa superfície S e os correspondentes

Leia mais

Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista. Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com

Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista. Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com Produção dos raios X Na Cardiologia Intervencionista não existem fontes naturais

Leia mais

Lista de exercícios 04 Modelos atômicos incluindo Böhr - Revisão

Lista de exercícios 04 Modelos atômicos incluindo Böhr - Revisão Lista de exercícios 04 Modelos atômicos incluindo Böhr - Revisão Observação teórica - Os postulados de Böhr A partir das suas descobertas científicas, Niels Böhr propôs cinco postulados: 1 o.) Um átomo

Leia mais

Monitores Profissionais LFD

Monitores Profissionais LFD Monitores Profissionais LFD A linha de Monitores LFD (Large Format Display) com tamanhos de 32, 40, 46" e 55 dispõe de alto MTBF, dissipação de calor interno, tecnologia de prevenção anti-marcas, bloqueio

Leia mais

Computação Gráfica - 03

Computação Gráfica - 03 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Computação Gráfica - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Detectores de Partículas. Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009

Detectores de Partículas. Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009 Detectores de Partículas Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009 Sumário Modelo geral de um detector. Medidas destrutivas e não-destrutivas. Exemplos de detectores. Tempo de vôo. Detectores a gás. Câmara de

Leia mais

04-05-2010. Propósito. A ONLY foi criada com o objectivo de fornecer soluções de domótica simples para edifícios. ONLY 2010

04-05-2010. Propósito. A ONLY foi criada com o objectivo de fornecer soluções de domótica simples para edifícios. ONLY 2010 ONLY 2010 Propósito A ONLY foi criada com o objectivo de fornecer soluções de domótica simples para edifícios. 1 Integração A ONLY integra: Segurança Automação Climatização Som ambiente Exemplo: Um botão

Leia mais

Laboratório Virtual Kit Óptico

Laboratório Virtual Kit Óptico Laboratório Virtual Kit Óptico Reflexão A luz nem sempre se propaga indefinidamente em linha reta: em algumas situações eles podem se quebrar, como acontece quando um espelho é colocado em seu caminho.

Leia mais

Monitores de vídeo CRT

Monitores de vídeo CRT 14 Monitores de vídeo CRT Na história da evolução dos monitores, uma união de idéias inovadoras à utilização das propriedades químicas de determinados elementos propiciaram a produção em massa destes utilíssimos

Leia mais

Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves

Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves Evolução da ideia do átomo 1) Partícula maciça, indivisível e indestrutível; 2)

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA. TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA. TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS Como tudo em nossa vida e em nosso mundo evolui, com a tecnologia não é diferente, agora você pode contar com alta definição

Leia mais

Formato dos Dados Gráficos. Características Funcionais. Modo de Utilização. Raster. Vetorial. Vetorial Raster. Entrada Processamento Saída

Formato dos Dados Gráficos. Características Funcionais. Modo de Utilização. Raster. Vetorial. Vetorial Raster. Entrada Processamento Saída Critérios de Classificação Formato dos Dados Gráficos Vetorial Raster Características Funcionais Entrada Processamento Saída Modo de Utilização Não Interativo (passivo) Interativo Dispositivos Anselmo

Leia mais

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores.

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores. ESTADOS DA MATÉRIA A matéria que temos a nossa volta é formada de moléculas que são constituídas por átomos. Uma combinação destes átomos forma as substâncias que conhecemos, porém, devemos salientar que

Leia mais

Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz

Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz Polarização Polarização: Propriedade das ondas transversais Ondas em uma corda Oscilação no plano vertical. Oscilação no plano horizontal. Onda

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída E/S E/S E/S E/S E/S

Dispositivos de Entrada e Saída E/S E/S E/S E/S E/S Dispositivos de Entrada e Saída Também chamados de: Periféricos Unidades de Entrada e Saída Destinam-se à captação de informações necessárias ao processamento pelo computador e na disponibilização da informação

Leia mais

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Armando Cristóvão Adaptado de "The Tools of Biochemistry" de Terrance G. Cooper Como funciona um espectrofotómetro O espectrofotómetro é um aparelho

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 8

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 8 TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONFORTO AMBIENTAL Aula 8 Permite o uso noturno das edificações e da cidade. Um bom projeto de iluminação deve garantir a possibilidade de executar uma tarefa visual

Leia mais

Diodo semicondutor. Índice. Comportamento em circuitos

Diodo semicondutor. Índice. Comportamento em circuitos semicondutor Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. (Redirecionado de ) [1][2] semicondutor é um dispositivo ou componente eletrônico composto de cristal semicondutor de silício ou germânio numa película

Leia mais

(www.inpe.br/webelat/homepage/menu/el.atm/perguntas.e.respostas.php. Acesso em: 30.10.2012.)

(www.inpe.br/webelat/homepage/menu/el.atm/perguntas.e.respostas.php. Acesso em: 30.10.2012.) 1. (G1 - ifsp 2013) Raios são descargas elétricas de grande intensidade que conectam as nuvens de tempestade na atmosfera e o solo. A intensidade típica de um raio é de 30 mil amperes, cerca de mil vezes

Leia mais

Conceitos importantes

Conceitos importantes Conceitos importantes Informática Informação + Automática Tratamento ou processamento da informação, utilizando meios automáticos. Computador (Provem da palavra latina: computare, que significa contar)

Leia mais

Moldura Digital para Fotografias

Moldura Digital para Fotografias DENVER DPF 741 Manual do Utilizador Moldura Digital para Fotografias ATENÇÃO O cabo de alimentação com adaptador/dispositivo para desligar o aparelho deve estar facilmente acessível e deve poder ser desligado

Leia mais

5/Dez/2012 Aula 21. 21. Polarização das ondas EM 21.1 Por absorção 21.2 Por reflexão 21.3 Por birrefringência 21.4 Equações de Fresnell

5/Dez/2012 Aula 21. 21. Polarização das ondas EM 21.1 Por absorção 21.2 Por reflexão 21.3 Por birrefringência 21.4 Equações de Fresnell 5/Dez/2012 Aula 21 21. Polarização das ondas EM 21.1 Por absorção 21.2 Por reflexão 21.3 Por birrefringência 21.4 Equações de Fresnell 7/Dez/2012 Aula 22 22. Óptica geométrica 22.1 Espelhos planos 22.2

Leia mais

AOM-7694 MONITOR DE OBSERVAÇÃO COLORIDO TELA PLANA DE 7 POLEGADAS MANUAL DO PROPRIETÁRIO. Características do modelo AOM-7694: www.asaelectronics.

AOM-7694 MONITOR DE OBSERVAÇÃO COLORIDO TELA PLANA DE 7 POLEGADAS MANUAL DO PROPRIETÁRIO. Características do modelo AOM-7694: www.asaelectronics. MONITOR DE OBSERVAÇÃO COLORIDO TELA PLANA DE 7 POLEGADAS MANUAL DO PROPRIETÁRIO Características do modelo AOM-7694: Painel de LCD colorido padrão automotivo de alto desempenho de 7 polegadas Entrada A/V

Leia mais

O SEGMENTO DE CINESCÓPIOS NO BRASIL

O SEGMENTO DE CINESCÓPIOS NO BRASIL O SEGMENTO DE CINESCÓPIOS NO BRASIL 1 - INTRODUÇÃO Os cinescópios, também denominados tubos de imagem, constituem-se nos componentes mais importantes dos receptores de televisão e dos monitores de vídeo

Leia mais

Sistema de domótica flexível. para eficiência energética, segurança e conforto

Sistema de domótica flexível. para eficiência energética, segurança e conforto Sistema de domótica flexível para eficiência energética, segurança e conforto AO RITMO DA SUA FAMÍLIA CONTROLO TOTAL DA SUA CASA 3 SAIR PARA O TRABALHO RAPIDAMENTE! Active o cenário Sair de casa. O sistema

Leia mais

Detectores de Radiação Ionizante

Detectores de Radiação Ionizante Detectores de Radiação Ionizante As radiações ionizantes por si só não podem ser medida diretamente, a detecção é realizada pelo resultado produzido da interação da radiação com um meio sensível (detector).

Leia mais

E.2 Instrumentos e técnicas de medida II

E.2 Instrumentos e técnicas de medida II E.2 Instrumentos e técnicas de medida II E.2.1 Preparação O osciloscópio é um elemento essencial na gama de instrumentos de medida utilizados em laboratórios de electrónica. A função essencial do osciloscópio

Leia mais

Comutador USB KVM Comutador USB KVM com áudio, 2 portas Comutador USB KVM com áudio, 4 portas Manual

Comutador USB KVM Comutador USB KVM com áudio, 2 portas Comutador USB KVM com áudio, 4 portas Manual Comutador USB KVM Comutador USB KVM com áudio, 2 portas Comutador USB KVM com áudio, 4 portas Manual DS-11403 (2 portas) DS-12402 (4 portas) NOTA Este equipamento foi testado e está em conformidade com

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20 Sumário: Os subsistemas vídeo. A RAM vídeo. Aula Teórica 20 Leitura Recomendada: Capítulo 37 - Hans-Peter Messmer, The Indispensable PC Hardware Book, Addison-Wesley. Capítulos 4 e 11 - Peter Norton, Peter

Leia mais

Física e Química A. Relatório da actividade prático laboratorial. Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1.

Física e Química A. Relatório da actividade prático laboratorial. Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1. Física e Química A Relatório da actividade prático laboratorial Relatório realizado por: Adriana Botelho/10ºA Professora: Alcinda Anacleto APL 1.2 Vila real, 26 de Abril de 2009 Índice Sumário...3 Introdução

Leia mais

PROJETO DE TROCA DE LÂMPADAS INCANDESCENTES E FLUORESCENTES COMPACTAS POR LÂMPADAS LED

PROJETO DE TROCA DE LÂMPADAS INCANDESCENTES E FLUORESCENTES COMPACTAS POR LÂMPADAS LED PROJETO DE TROCA DE LÂMPADAS INCANDESCENTES E FLUORESCENTES COMPACTAS POR LÂMPADAS LED PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA CELPE, COELBA E COSERN. ECONOMIZE ENERGIA COM LÂMPADA LED A substituição de lâmpadas

Leia mais

Átomo e Modelos Atómicos

Átomo e Modelos Atómicos Átomo e Modelos Atómicos Demócrito (Sec. V a.c.) defendeu a ideia de que a matéria era composta por pequeníssimas partículas. Átomo Demócrito (460 370 A.C.) Modelo baseado apenas na intuição e na lógica.

Leia mais

O mais barato é o melhor

O mais barato é o melhor O mais barato é o melhor Se pesquisar bem e comprar a nossa escolha certa, você pode economizar o suficiente para pagar até duas anuidades da Associação PRO TESTE. Getty Images Em tempos de alta rotatividade

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE ILUMINAÇÃO À LED S EM RESIDÊNCIAS. Rodrigo Evandro da Mota, Tiago Augusto da Silva, José Ricardo Abalde Guede

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE ILUMINAÇÃO À LED S EM RESIDÊNCIAS. Rodrigo Evandro da Mota, Tiago Augusto da Silva, José Ricardo Abalde Guede ANÁLISE DA VIABILIDADE DE ILUMINAÇÃO À LED S EM RESIDÊNCIAS. Rodrigo Evandro da Mota, Tiago Augusto da Silva, José Ricardo Abalde Guede FEAU/UNIVAP, Avenida Shisima Hifumi 2911, São José dos Campos - SP

Leia mais

Guia Rápido do TVR 12

Guia Rápido do TVR 12 Guia Rápido do TVR 12 Figura 1: Ligações do painel traseiro 1. "Loop through" para um máximo de 16 câmaras analógicas (consoante o modelo de DVR). 2. Ligar a um dispositivo RS-232. 3. Ligar até quatro

Leia mais

Manual do usuário da impressora Xerox Phaser 6180MFP

Manual do usuário da impressora Xerox Phaser 6180MFP Manual do usuário da impressora Xerox Phaser 6180MFP IMPORTANTE - Evite abrir a impressora.. Há várias peças sensíveis neste equipamento e qualquer dano à integridade física do mesmo não será coberto pela

Leia mais

SISTEMA DE MEDIÇÃO DE HIDROGÊNIO EM AÇO LÍQUIDO

SISTEMA DE MEDIÇÃO DE HIDROGÊNIO EM AÇO LÍQUIDO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE HIDROGÊNIO EM AÇO LÍQUIDO O Sistema de Medição de Hidrogênio da ECIL MET TEC foi limpeza a fim de evitar qualquer influência por umidade e/ou poeira. desenvolvido para promover medições

Leia mais

DIODOS. Professor João Luiz Cesarino Ferreira

DIODOS. Professor João Luiz Cesarino Ferreira DIODOS A união de um cristal tipo p e um cristal tipo n, obtém-se uma junção pn, que é um dispositivo de estado sólido simples: o diodo semicondutor de junção. Figura 1 Devido a repulsão mútua os elétrons

Leia mais

Monitor Serie E11 E2011P. Monitor LED LCD

Monitor Serie E11 E2011P. Monitor LED LCD Monitor Serie E2011P Monitor LED LCD Setembro 2011 Introdução de Produto: Conceito Monitor que compartilha praticidade, conforto e custo benefício Publico Alvo Empresas e pessoas que procuram por um produto

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas LIGADORES DE VIDEO: VGA, DVI, S-VIDEO E COMPONENTE VIDEO José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução

Leia mais

Mecânica e Ondas. Introdução ao Osciloscópio e ao Gerador de sinais

Mecânica e Ondas. Introdução ao Osciloscópio e ao Gerador de sinais Mecânica e Ondas Introdução ao Osciloscópio e ao Gerador de sinais 1. Osciloscópio O osciloscópio é um aparelho destinado à visualização e caracterização de sinais eléctricos, em particular tensões eléctricas

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção Fenómenos Ondulatórios Reflexão, refracção, difracção Natureza dualística da radiação electromagnética A radiação electromagnética é um fenómeno ondulatório envolvendo a propagação de um campo magnético

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA EQUIPAMENTOS

COMPUTAÇÃO GRÁFICA EQUIPAMENTOS COMPUTAÇÃO GRÁFICA EQUIPAMENTOS Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA EQUIPAMENTOS Antigamente, designers gráficos

Leia mais