REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1.1: Equipamentos Sociais no Contexto Distrital

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1.1: Equipamentos Sociais no Contexto Distrital"

Transcrição

1 REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1.1: Equipamentos Sociais no Contexto Distrital

2 Parte Equipamentos sociais no contexto distrital (Carta social / Reapn - Bragança) Apresentam-se seguidamente alguns dados recolhidos pela REAPN - Bragança relativos a uma visão comparativa da realidade distrital na Região Norte do país e explorando as diferentes variáveis que caracterizam os equipamentos e respostas sociais, e partindo das conclusões da Carta Social realizada em Serviços e Equipamentos Quadro 1: Serviços e Equipamentos para Crianças e Jovens. Serviços/ Equipamentos Distritos Creche ATL Lar de Crianças e Jovens Centros de Acolhimento Braga Unidade de Emergência Bragança Porto Viana do Castelo Fonte: DGEEP, Carta Social

3 Quadro 2: Serviços e Equipamentos de Reabilitação e Integração de Pessoas com Deficiência. Serviços/ Equipamentos Distritos Transporte de Pessoas com Deficiência Apoio em Regime Ambulatório para Deficientes Intervenção Precoce Lar de Apoio Centro de Actividades Ocupacionais Lar Residencial Serviço de Apoio Domiciliário Braga Bragança Porto Viana Castelo Fonte: DGEEP, Carta Social Quadro 3: Serviços e Equipamentos para Idosos. Serviços/ Equipamentos Centro de Centro Residência Convívio de Dia para Idosos Lara para idosos Serviço de Apoio Domiciliário Centro de Acolhimento Temporário de emergência para Idosos (CATEI) Centro de Noite Distritos Braga Bragança Porto Viana do Castelo Fonte: DGEEP, Carta Social Quadro 4: Serviços e Equipamentos para Família e Comunidade. Serviços/ Equipamentos Atendimento Centro de Comunidades Centro Centro Distritos Acompanham. Alojamento de Inserção Comunitário de Social Temporário (Intervenção Férias Refeitório/ Cantina Social Casa de Abrigo Banco Alimentar Comunitária) Braga Indisponível - Bragança Indisponível - Porto Indisponível 1 Viana do Castelo Fonte: DGEEP, Carta Social

4 Quadro 5: Serviços e Equipamentos para Toxicodependentes. Serviços/ Equipamentos Distritos Equipa de Intervenção directa (ex. - equipa de Apoio Social Apartamento de Reinserção Social Directo) Braga 1 3 Bragança - - Porto Viana Castelo 1 - Fonte: DGEEP, Carta Social Quadro 6: Serviços e Equipamentos para Pessoas Infectadas por VIH/ Sida e suas Famílias Serviços/ Equipamentos Distritos Centro de Atendimento e Serviço de Apoio Residência para HIV/ Sida Acompanhamento Domiciliário HIV/ Sida Psicossocial Braga Bragança Porto Viana Castelo Fonte: DGEEP, Carta Social Quadro 7: Serviços e Equipamentos para a Área da Saúde Mental. Serviços/ Equipamentos Distritos Unidade de Vida Unidade de Vida Unidade de Vida Fórum Sócio Ocupacional Protegida Apoiada Autónoma Braga Bragança Porto Viana Castelo Fonte: DGEEP, Carta Social Quadro 8: Respostas Sociais Integradas. Serviços/ Equipamentos Distritos Unidade de Apoio Integrado (UAI) Apoio Domiciliário Integrado (ADI) Braga - - Bragança 4 15 Porto Viana do Castelo 1 12 Fonte: DGEEP, Carta Social

5 parceiros sociais no contexto distrital da reapn-bragança ASSOCIAÇÃO DE SOCORROS MÚTUOS DOS ARTISTAS DE BRAGANÇA Centro de Dia Centro de Convívio Refeitório Social Creche Familiar Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança Praça Camões, s/n Bragança Telefones: Telemóvel: Fax: ASSOCIAÇÃO REAPRENDER A VIVER UNIVA Centro Dia para pessoas em risco Famílias Anónimas Equipa de Rua Associação Reaprender a Viver Rua Dr.ª Laura Torres, 19 Bairro da Estação Bragança Telefone: Fax: ASSOCIAÇÃO SOCIO-CULTURAL DOS DEFICIENTES DE TRÁS-OS-MONTES Centro de Actividades Ocupacionais para Deficientes Apoio Domiciliário Lar Residencial 245

6 ASCUDT Av. das Cantarias, Ed. Kolping Apartado Bragança Telefone: Telemóvel: CASA DE TRABALHO DR. OLIVEIRA SALAZAR Lar Crianças e Jovens ATL Oficinas Serralharia, Carpintaria, Tipografia, Posto de Abastecimento. Casa de Trabalho Dr. Oliveira Salazar Av.ª Cidade de Zamora Bragança Apartado 128 Telefone: / Fax: CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DE IZEDA Centro Dia Lar de Idosos Centro Social e Paroquial de Izeda Praça S. Sebastião Izeda Bragança Telefone: Fax:

7 CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DE SANTA COMBA DE ROSSAS Centro de Dia Lar de Idosos Apoio Domiciliário Centro Social e Paroquial de Santa Comba de Rossas Rua Santa Luzia Santa Comba de Rossas Telefone: Fax: CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DE SANTO ANTÓNIO Lar de Idosos Centro Dia Apoio Domiciliário Formação para a Qualificação Profissional Centro Social e Paroquial de Santo António Av. São Domingos S/N Coelhoso Bragança Telefone: Fax: CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DE SANTO ESTÊVÃO PINELA Centro de Dia Centro Social e Paroquial de Santo Estêvão Pinela Estrada Municipal Pinela Telefone: Fax:

8 CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DE SÃO ROQUE Centro de Dia Apoio Domiciliário Integrado Centro Social e Paroquial de São Roque Salsas 5315 Santa Comba de Rossas Telefone: CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DO STO CONDESTÁVEL Balneários Públicos Centro de Armazenagem e Recursos A.T.L. Jovem Gabinete de Atendimento Lavandaria Pública Centro de Acolhimento Temporário Actividades de Tempos Livres Centro Dia Centro de Convívio Apoio Domiciliário Refeitório Social Creche Familiar Lar de Menores Formação Profissional Rendimento Social de Inserção Centro Social e Paroquial de Santo Condestável Av. Dr. Águedo de Oliveira Bragança Telefone: Fax: Site: 248

9 CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DOS SANTOS MÁRTIRES Jardim de Infância Actividades de Tempos Livres Centro Dia Refeitório Social Centro Social e Paroquial dos Santos Mártires Bairro Fundo Fomento Habitação, Bloco F, R/chão, entrada 1 Bairro da Coxa Bragança Telefone: Fax: CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL SÃO BENTO E SÃO FRANCISCO Apoio Domiciliário Centro de Dia Centro de Convívio A.T.L. com refeição A.T.L. sem refeição Centro Social e Paroquial S. Bento e S. Francisco Rua de S. Francisco, nº Bragança Telefones: Fax: FUNDAÇÃO BETÂNIA Lar de Idosos Apoio Domiciliário Fundação Betânia Quinta do Seixo, Cabeça Boa Bragança Telefones: / / Fax:

10 OBRA SOCIAL PADRE MIGUEL Apoio Domiciliário Centro de Acolhimento Temporário Refeitório Social Centro Dia A.T.L. com e sem refeição para crianças Empresa de Inserção Clique Solidário Lavandaria Centro de Armazenamento e Distribuição de Recursos Obra Social Padre Miguel Largo das Amendoeiras Padre Miguel Bragança Telefone: Fax: SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BRAGANÇA Lar Santa Teresa D Ávila Lar Imaculada Conceição Lar de Santa Isabel ATL s Apoio Domiciliário Apoio Domiciliário Integrado Centro de Dia Escola Primária Dr. Albino Sá Vargas Centro Infantil S. João de Deus Centro Infantil Cinderela Centro Infantil da Coxa Centro de Atendimento a Jovens Museu Etnográfico Dr. Belarmino Afonso Amas/ Creche Familiar Centro de Medicina Física e Reabilitação Lavandaria Empresa de Inserção Q. de S. Jorge Casa de Apoio a Mulheres Vítimas de Violência Doméstica Santa Casa da Misericórdia de Bragança Rua Emídio Navarro Apartado Bragança Telefone: Fax:

11 Objectivos e finalidades Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança Objectivos da Intervenção: Desenvolvimento de acções de protecção e apoio nas áreas da segurança social e da saúde e a contribuição para a promoção da cultura e melhoria da qualidade de vida da população do concelho. Principais destinatários: crianças, idosos e população desfavorecida. N.º de utentes: Centro de dia: 20 - Centro de Convívio: 70 - Refeitório Social: Creche familiar: 48 APPACDM Mirandela Objectivos da Intervenção: Promover a integração psicossocial, a valorização pessoal, a integração sócio-profissional e a melhoria da qualidade de vida do cidadão com deficiência mental. Principais destinatários: Cidadãos portadores de deficiência mental. N.º de utentes: 34 Associação Reaprender a Viver Objectivos da Intervenção: Apoio Social e psicológico a população desfavorecida. Principais destinatários: Toxicodependentes, alcoólicos, famílias disfuncionais, vítimas de maus-tratos e desempregados. N.º de utentes: Associação Sócio-Cultural dos Deficientes de Trás-os-Montes Objectivos da Intervenção: Promoção e integração pessoal, social e profissional da pessoa portadora de deficiência. Principais destinatários: portadores de deficiência. N.º de utentes:

12 Casa de Trabalho Dr. Oliveira Salazar Objectivos da Intervenção: Acolhimento de menores em risco. Principais destinatários: jovens do sexo masculino dos 6 aos 21 anos. N.º de utentes: 65 Casa do Menino Jesus Objectivos da Intervenção: Promover os direitos e a protecção das crianças e jovens em perigo de forma a garantir o seu bem-estar e desenvolvimento integral. Principais destinatários: crianças e idosos. N.º de utentes: - Lar: 55 - Centro de dia: 20 - Apoio domiciliário: 26 Capacidade: - Lar: 60 utentes. - Centro de dia e apoio domiciliário: 30 utentes. Centro D. Abílio Vaz das Neves Objectivos da Intervenção: Acolhimento de crianças e jovens provenientes de contextos familiares desfavorecidos, às quais foi imposta uma situação de institucionalização pelas entidades competentes. Principais destinatários: Crianças e jovens privados do meio familiar normal. N.º de utentes: 62 Centro Social e Paroquial de Izeda Objectivos da Intervenção: Prestar apoio e desenvolver actividades na área da população idosa; Principais destinatários: População idosa N.º de utentes:

13 Centro Social e Paroquial de Santa Comba de Rossas Objectivos da Intervenção: Apoio à Terceira Idade. Principais destinatários: Idosos e indivíduos socialmente desfavorecidos. N.º de utentes: 49 Centro Social e Paroquial de Sto. António Objectivos da Intervenção: Apoio à Terceira Idade. Principais destinatários: Idosos N.º de utentes: 57 Centro Social e Paroquial de Sto Estêvão Pinela Objectivos da Intervenção: Desenvolver actividades de apoio social dirigidas à comunidade, nomeadamente população idosa, reformada ou dependente. Principais destinatários: Idosos N.º de utentes: 30 Centro Social e Paroquial de S. Bartolomeu Objectivos da Intervenção: Principais destinatários: N.º de utentes: Centro Social e Paroquial de S. Geraldo Objectivos da Intervenção: Apoio à Terceira Idade. Principais destinatários: População idosa. N.º de utentes: 51 Centro Social e Paroquial de S. Roque Objectivos da Intervenção: Apoio Social à Terceira Idade e comunidade desfavorecida em geral. Principais destinatários: Terceira Idade. N.º de utentes:

14 Centro Social e Paroquial de Talhas Objectivos da Intervenção: Apoiar as classes desfavorecidas, nomeadamente idosos, jovens e pessoas com deficiência. Principais destinatários: População socialmente desfavorecida. N.º de utentes: 53 Centro Social e Paroquial do Romeu Objectivos da Intervenção: Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas idosas, bem como promover o desenvolvimento pessoal das crianças. Principais destinatários: População idosa e crianças. N.º de utentes: 125 Centro Social e Paroquial do Santo Condestável Objectivos da Intervenção: Assistência social à população desfavorecida. Principais destinatários: População carenciada. N.º de utentes: 600 Centro Social e Paroquial dos Santos Mártires Objectivos da Intervenção: Apoiar os indivíduos socialmente desfavorecidos, promover o desenvolvimento global da criança, bem como garantir bem-estar e qualidade de vida no processo de envelhecimento. Principais destinatários: crianças e idosos. N.º de utentes: 135 Centro Social e Paroquial S. Bento e S. Francisco Objectivos da Intervenção: Apoio social. Principais destinatários: idosos e crianças desfavorecidas. N.º de utentes: 50 Centro Social e Paroquial Torre D. Chama Objectivos da Intervenção: Contribuir para a promoção integral de todos os paroquianos, coadjuvando os serviços públicos competentes ou as instituições particulares num espírito de solidariedade humana, cristã e social. 254

15 Principais destinatários: Idosos. N.º de utentes: 72 Centro Social e Paroquial Monsenhor Júlio Martins Objectivos da Intervenção: Principais destinatários: N.º de utentes: Fundação Betânia Objectivos da Intervenção: Apoio à população idosa. Principais destinatários: Idosos N.º de utentes: 130 Obra Social Pe. Miguel Objectivos da Intervenção: Promover acções de solidariedade social, nomeadamente de luta contra a pobreza e exclusão social, acções de carácter cultural, recreativo, desportivo e de ocupação dos tempos livres. Principais destinatários: Idosos, crianças e população carenciada em geral. N.º de utentes: 105 Santa Casa da Misericórdia de Alfândega da Fé Objectivos da Intervenção: Apoio social à comunidade em geral, nomeadamente a crianças e idosos. Principais destinatários: Crianças, jovens, idosos e população socialmente desfavorecida. N.º de utentes: 200 Santa Casa da Misericórdia de Bragança Objectivos da Intervenção: Apoio social à Terceira Idade e à Infância, no sentido de fazer face a fenómenos de carência e exclusão social, através da disponibilidade de uma diversidade de serviços de carácter social prestados à comunidade. Principais destinatários: Idosos e crianças e comunidade desfavorecida em geral. N.º de utentes: cerca de

16 Santa Casa da Misericórdia de Vimioso Objectivos da Intervenção: Apoio à Infância, Juventude e Terceira Idade. Principais destinatários: Crianças e idosos. N.º de utentes:

Instituições. Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade. Disciplina Ação Social VAS - 2014/15

Instituições. Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade. Disciplina Ação Social VAS - 2014/15 Instituições Módulo II Organizações de Apoio à Comunidade Disciplina Ação Social VAS - 2014/15 Instituições O que é uma instituição? Estabelecimento de utilidade pública, organização ou fundação Organização

Leia mais

REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1: Equipamentos Sociais e Respostas da Acção por Freguesia

REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1: Equipamentos Sociais e Respostas da Acção por Freguesia REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1: Equipamentos Sociais e Respostas da Acção por Freguesia Parte 6.1 Equipamentos sociais e respostas da acção por freguesia Acção Social A acção social é um

Leia mais

EDP Solidária Barragens 2010

EDP Solidária Barragens 2010 Menção Honrosa Entidade: LÉRIAS ASSOCIAÇÃO CULTURAL Escola de Música Tradicional a música que nos pertence formar 70 jovens em música tradicional do concelho de Miranda do Douro e divulgar as tradições

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS

SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS SEGURANÇA SOCIAL SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS Continente e Regiões Autónomas Agosto/2015 Direção-Geral da Segurança Social Instituto de Informática, I.P. Í NDICE PÁGINA Pirâmide etária da população residente

Leia mais

BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SINTRA APRESENTAÇÃO DE PROJECTO POR ORGANIZAÇÃO

BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SINTRA APRESENTAÇÃO DE PROJECTO POR ORGANIZAÇÃO 1/5 BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SINTRA APRESENTAÇÃO DE PROJECTO POR ORGANIZAÇÃO REGº SM Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra Solicito a inserção do presente projecto no Banco Local de Voluntariado

Leia mais

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS POPULAÇÃO ADULTA PESSOAS IDOSAS

GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS POPULAÇÃO ADULTA PESSOAS IDOSAS GUIA PRÁTICO RESPOSTAS SOCIAIS POPULAÇÃO ADULTA PESSOAS IDOSAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/10 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Respostas Sociais População

Leia mais

Flash RH Responsabilidade Social

Flash RH Responsabilidade Social Flash RH Responsabilidade Social No seguimento da nossa campanha de recolha de bens interna, inserida no âmbito da responsabilidade social, a SPIE conseguiu recolher bens para chegar a 8 instituições de

Leia mais

(n.º/lote), (andar), (localidade) (cód. Postal), Freguesia de, com o telefone n.º, telemóvel n.º fax n.º e-mail Site (WWW):.

(n.º/lote), (andar), (localidade) (cód. Postal), Freguesia de, com o telefone n.º, telemóvel n.º fax n.º e-mail Site (WWW):. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Ano a que respeita a candidatura I. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE GESTORA (Designação da Entidade/Organização) n.º de contribuinte, com sede na (Rua, Av.) (n.º/lote), (andar), (localidade)

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO):

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO): GRUPO DE TRABALHO: ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE VALE DA PEDRA PAULA FERREIRA ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ANA OLIVEIRA ASSOCIAÇÃO OPERAÇÃO SAMARITANO CARINA CRENA CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO

Leia mais

CARTA DO ASSOCIATIVISMO DA ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ESTREMOZ ANEXOS

CARTA DO ASSOCIATIVISMO DA ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ESTREMOZ ANEXOS Carta do Associativismo da Acção Social 2007 - Anexos CARTA DO ASSOCIATIVISMO DA ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ESTREMOZ ANEXOS 2007 Carta do Associativismo da Acção Social 2007 - Anexos CARTA DO ASSOCIATIVISMO

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS FAMÍLIA E COMUNIDADE EM GERAL

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS FAMÍLIA E COMUNIDADE EM GERAL Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS FAMÍLIA E COMUNIDADE EM GERAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios Sociais Pessoas com Deficiência

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais

REDE SOCIAL CONCELHO DA MARINHA GRANDE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Definido 5 anos

REDE SOCIAL CONCELHO DA MARINHA GRANDE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Definido 5 anos REDE SOCIIAL CONCELHO DA MARIINHA GRANDE 2010 PLANO DE SOCIAL Dezembro 2010 a Dezembro 2015 Rede Social 1 No âmbito da Lei que regulamenta a Rede Social, de acordo com o ponto 1, do artigo n.º36, do capítulo

Leia mais

Matosinhos Câmara Municipal

Matosinhos Câmara Municipal Matosinhos Câmara Municipal RESPOSTAS SOCIAIS O que é: Resposta social, desenvolvida em equipamento, de apoio a actividades sócio-recreativas e culturais, organizadas e dinamizadas com participação activa

Leia mais

9- Projectos e Parcerias

9- Projectos e Parcerias Novembro 2003 9 Projectos e Parcerias Projectos e parcerias na área da Saúde Parceria entre o Centro de Saúde e o Centro de Solidariedade Social de Nossa Senhora da Luz no âmbito do projecto de cuidados

Leia mais

BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SINTRA APRESENTAÇÃO DE PROJETO POR ORGANIZAÇÃO

BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SINTRA APRESENTAÇÃO DE PROJETO POR ORGANIZAÇÃO 1/5 BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SINTRA APRESENTAÇÃO DE PROJETO POR ORGANIZAÇÃO (nº SM) Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra Solicito a inserção do presente projeto no Banco Local de Voluntariado

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

guia de recursos I equipamentos sociais

guia de recursos I equipamentos sociais I santo tirso câmara municipal santo tirso câmara municipal O trabalho em rede que o tecido institucional do nosso concelho tem vindo a preconizar implica um conhecimento profundo da realidade social.

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

Estatuto das Instituições Particulares de Solidariedade Social

Estatuto das Instituições Particulares de Solidariedade Social TÍTULO DO CAPÍTULO CORRESPONDENTE Estatuto das Instituições Particulares de Solidariedade Social ANOTADO REGIME JURÍDICO DAS ENTIDADES DA ECONOMIA SOCIAL 2015 2ª Edição Apelles J. B. Conceição Atualização

Leia mais

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março EXPLORAÇÃO DE JOGOS SOCIAIS (DISTRIBUIÇÃO DOS RESULTADOS LÍQUIDOS) (LOTARIAS - TOTOBOLA TOTOLOTO TOTOGOLO LOTO 2 JOKER - EUROMILHÕES) A afectação das receitas dos

Leia mais

Carta social Concelho Bragança

Carta social Concelho Bragança Carta social Concelho Bragança Rede Social de Bragança Câmara Municipal de Bragança Ficha Técnica Título Carta Social do Concelho de Bragança Edição Câmara Municipal de Bragança Direção António Jorge Nunes

Leia mais

VOLUNTARIADO REGULAR NO BLVO

VOLUNTARIADO REGULAR NO BLVO Entidade Actividade a Desenvolver Freguesia Público Alvo Santa Casa da Misericórdia de - Elaboração de cabazes e distribuição dos bens do Banco Alimentar (no armazém da Santa Casa). População em geral

Leia mais

REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.6.1: Caracterização da População Toxicodependente no Concelho de Bragança

REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.6.1: Caracterização da População Toxicodependente no Concelho de Bragança REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.6.1: Caracterização da População Toxicodependente no Concelho de Bragança Parte 6.6.1 Caracterização da população toxicodependente no concelho de Bragança (Dados

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA

Leia mais

Motivos de cancelamento do RMG em Santarém em 2001 e 2002 (dez. a dez.)- % Motivos de Cancelamento 2001 2002 Não celebração de acordo de inserção

Motivos de cancelamento do RMG em Santarém em 2001 e 2002 (dez. a dez.)- % Motivos de Cancelamento 2001 2002 Não celebração de acordo de inserção CADERNO N.º 8 RMG Motivos de cancelamento do RMG em Santarém em 2001 e 2002 (dez. a dez.)- % Motivos de Cancelamento 2001 2002 Não celebração de acordo de inserção 4 0.4 4 0.3 Incumprimento do programa

Leia mais

Equipamentos / Valências / Serviços

Equipamentos / Valências / Serviços Equipamentos / Valências / Serviços Regime Residencial Infância, Juventude e Família Residência Ternura Lar de Apoio à Mulher e à Vida Residência Fraternidade Lar de Infância e Juventude Deficiência Residência

Leia mais

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005 Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Senhor Presidente da ALRAA Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo

Leia mais

Centro Paroquial do Estoril. Funchal, Junho, 2012

Centro Paroquial do Estoril. Funchal, Junho, 2012 Centro Paroquial do Estoril Funchal, Junho, 2012 Índice Quem Somos Como Estamos Organizados Recursos Mais Informação Quem Somos IPSS da Paróquia de Santo António do Estoril, no Concelho de Cascais Visão:

Leia mais

MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA. Loja Social de Paredes de Coura. Regulamento

MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA. Loja Social de Paredes de Coura. Regulamento MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Loja Social de Paredes de Coura Regulamento Preâmbulo A pobreza e a exclusão social têm fortes efeitos no desenvolvimento da comunidade local e implicam o empobrecimento de

Leia mais

Instituições Particulares de Solidariedade Social ou equiparadas, respetivas valências, capacidade e frequência, por ilha e concelho - Açores - 2011

Instituições Particulares de Solidariedade Social ou equiparadas, respetivas valências, capacidade e frequência, por ilha e concelho - Açores - 2011 Instituições Particulares de Solidariedade Social ou equiparadas, respetivas valências, capacidade e frequência, por ilha e concelho - Açores - 2011 IlHA CONCELHO INSTITUIÇÃO SERVIÇO/EQUIPAMENTO CAP. FREQ.

Leia mais

Estudos de Caracterização

Estudos de Caracterização Estudos de Caracterização Carta Social Junho de 2013 II.4.9.4 ÍNDICE 1. EQUIPAMENTOS DE SOLIDARIEDADE SOCIAL E SEGURANÇA SOCIAL...3 1.1. INTRODUÇÃO... 3 1.2. EQUIPAMENTOS DE SOLIDARIEDADE SOCIAL E SEGURANÇA

Leia mais

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se! Uma mão, um amigo Casa do Povo de Relíquias Através da realização de atividades lúdicas, visitas domiciliárias, apoio na alimentação e acompanhamento

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data - 1 de Abril de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

Teatro com Teias e Histórias

Teatro com Teias e Histórias Teatro com Teias e Histórias 3 em Pipa Associação de Criação Teatral e Animação Cultural Organização de um grupo de voluntários que, integrados num projecto comunitário de vertente artística, actuam junto

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO EQUIPA DE INTERVENÇÃO DIRECTA

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO EQUIPA DE INTERVENÇÃO DIRECTA Artigo 1º Âmbito 1. Este regulamento aplica-se à resposta social Equipa de Intervenção Directa (EID) resposta social dirigida à população toxicodependente, da Unidade de Apoio a Toxicodependentes e Seropositivos

Leia mais

Rede Social Plano de Ação 2015

Rede Social Plano de Ação 2015 Rede Social Plano de Ação 2015 1 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do Bispo PLANO DE AÇÃO 2015 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de

Leia mais

Departamento de Administração e Desenvolvimento Organizacional Divisão de Recursos Humanos e Organização F r e g u e s i a d e P i n h a l N o v o

Departamento de Administração e Desenvolvimento Organizacional Divisão de Recursos Humanos e Organização F r e g u e s i a d e P i n h a l N o v o Mapa 1. Freguesia de Pinhal Novo Área 54,4 km 2 Fonte: DGT, CAOP 213 População 25.3 habitantes 211 Fonte: CMP, DRHO-SIG População e Famílias Quadro 1. População residente 1991 21 211 Variação (%) 43.857

Leia mais

ARAGÃOPINTO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL VAMOS AJUDAR QUEM PRECISA!

ARAGÃOPINTO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL VAMOS AJUDAR QUEM PRECISA! A ESSENCIALIDADE DE CUIDAR DAS NOSSAS CRIANÇAS INVESTIR A TEMPO PARA EVITAR... E PERSISTIRMOS NA BUSCA DE FAZER SEMPRE MELHOR PARA NÓS A PREVENÇÃO NÃO É UMA OPÇÃO... É UMA OBRIGATORIEDADE MISSÃO A Fundação

Leia mais

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta FICHA TÉCNICA Relatório do Plano de Acção de Freixo de Espada à Cinta Conselho

Leia mais

- ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro

- ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro - ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro Área de Intervenção: Idosos - Centros de Convívio, Centros de Dia e Apoio Domiciliário a idosos. NIF: 503776084

Leia mais

1. Equipamentos Sociais no Concelho de Pinhel (Instituições Particulares de Solidariedade Social)

1. Equipamentos Sociais no Concelho de Pinhel (Instituições Particulares de Solidariedade Social) 1. Equipamentos Sociais no Concelho de Pinhel (Instituições Particulares de Solidariedade Social) O estudo até aqui realizado mostra-nos que o concelho de Pinhel segue a mesma tendência do resto do País,

Leia mais

PONTO DE SITUAÇÃO DA EXECUÇÃO DOS PLANOS DE ACÇÃO DOS CLAS 2º Semestre 2009

PONTO DE SITUAÇÃO DA EXECUÇÃO DOS PLANOS DE ACÇÃO DOS CLAS 2º Semestre 2009 UNIDADE DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL PONTO DE SITUAÇÃO DA EXECUÇÃO DOS PLANOS DE ACÇÃO DOS CLAS 2º Semestre 2009 CLAS de Torres Novas EIXO DE INTERVENÇÃO ACÇÕES CONCLUIDAS ACÇÕES EM CURSO ACÇÕES SUPRIMIDAS

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL 2014 Aprovado na reunião do Plenário de 11.06.2014 16 de janeiro Workshop e assinatura de protocolo com CIG Público-alvo: comunidade no geral Local: Edifício Paço dos Concelho

Leia mais

Grelha de Análise SWOT (Strengths (forças); Weaknesses (fraquezas); Opportunities (oportunidades), Threats (ameaças))... Factores Endógenos

Grelha de Análise SWOT (Strengths (forças); Weaknesses (fraquezas); Opportunities (oportunidades), Threats (ameaças))... Factores Endógenos Problemática Essencial I Envelhecimento Demográfico - Apoio Domiciliário do Centro de Saúde com viatura cedida pela Câmara Municipal. - Iniciativas da Câmara Municipal com o objectivo de proporcionar momentos

Leia mais

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Apresentação Plenário Comissão Social de Freguesia www.observatorio-lisboa.eapn.pt observatoriopobreza@eapn.pt Agenda I. Objectivos OLCPL e Principais Actividades/Produtos

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 1 1. ÁREA DE INTERVENÇÃO ACÇÃO SOCIAL Promover a integração social dos grupos socialmente mais vulneráveis * Romper

Leia mais

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa

Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Observatório Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Apresentação desenvolvida para a Rede Social de Lisboa Plataforma para a Área do Envelhecimento Zona Sul www.observatorio-lisboa.eapn.pt observatoriopobreza@eapn.pt

Leia mais

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica Data última atualização: 05 Novembro de 2012 Índice 1 - Entidades parceiras promotoras de voluntariado 2- Projetos específicos de voluntariado 1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma

Leia mais

PROFISSIONAIS CURSOS. Oferta Formativa ANO LECTIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA

PROFISSIONAIS CURSOS. Oferta Formativa ANO LECTIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA CURSOS PROFISSIONAIS Oferta Formativa ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA CONTACTOS MORADA: AV. 25 DE ABRIL TORRE DA MARINHA 2840-400 SEIXAL TELEFONE: 21 227 63 60 FAX: 21 227 63 68 E-MAIL:ce@esars.pt

Leia mais

Relação de órgãos e entidades locais que prestam assistência às mulheres vítimas de tráfico, exploração laboral e violência doméstica

Relação de órgãos e entidades locais que prestam assistência às mulheres vítimas de tráfico, exploração laboral e violência doméstica Relação de órgãos e entidades locais que prestam assistência às mulheres vítimas de tráfico, exploração laboral e violência doméstica Linhas nacionais de emergência 1) Linha Nacional de Emergência Social

Leia mais

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO NOME DA ENTIDADE: TIPO DE SERVIÇO: ( ) de convivência para crianças de 3

Leia mais

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO NOME DA ENTIDADE: TIPO DE SERVIÇO: ( ) de convivência para crianças de 3

Leia mais

Rácios de pessoal para Estrutura Residencial para Pessoas Idosas

Rácios de pessoal para Estrutura Residencial para Pessoas Idosas Área dos Idosos Rácios de pessoal para Serviço de Apoio Domiciliário Portaria nº38/2013, 30 de janeiro Número de Percentagem de Diretor técnico a) 1 50% 60 a) Diretor técnico pode ser comum às restantes

Leia mais

DIVISÃO DE AÇÃO SOCIAL CARTA SOCIAL DE PONTA DELGADA 2012 1

DIVISÃO DE AÇÃO SOCIAL CARTA SOCIAL DE PONTA DELGADA 2012 1 CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA DELGADA Carta Social 2012 DIVISÃO DE AÇÃO SOCIAL 1 2 ÍNDICE 3 ÍNDICE... 3 INTRODUÇÃO... 7 CARACTERIZAÇÃO SOCIO-DEMOGRÁFICA... 9 1. PRINCIPAIS RESPOSTAS SOCIAIS PARA CRIANÇAS...

Leia mais

Palmela Rede Social. Recursos da Rede Social Palmela

Palmela Rede Social. Recursos da Rede Social Palmela Palmela Rede Social Recursos da Rede Social Palmela Junho de 2011 1 I Nota introdutória A Rede Social Palmela é actualmente composta por associações, escolas, juntas de freguesia, instituições particulares

Leia mais

Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional. Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010

Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional. Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010 Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional e Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010 Nome: Centro Social de Cultura e Recreio da Silva Natureza Jurídica: Associação - Instituição

Leia mais

CURRICULUM VITAE PAULA CRISTINA ALVES SILVA TORRES

CURRICULUM VITAE PAULA CRISTINA ALVES SILVA TORRES CURRICULUM VITAE PAULA CRISTINA ALVES SILVA TORRES Índice 1. Objectivos do Curriculum Vitae 2. Dados Biográficos 3. Habilitações Literárias 4. Experiência Profissional 5. Formação Profissional 6. Competências

Leia mais

As Politicas Sociais em Moçambique: A Componente de Assistência Social

As Politicas Sociais em Moçambique: A Componente de Assistência Social As Politicas Sociais em Moçambique: A Componente de Assistência Social Por: Miguel A. Maússe Maputo, 19 de Junho de 2009 1 Conceitos Básicos Protecção social: conjunto de medidas visando atenuar, na medida

Leia mais

Acção Sócio-Educativa

Acção Sócio-Educativa Acção Sócio-Educativa Dinamizar estratégias que visam prevenir situações de absentismo e abandono escolar, voltar a colocar os jovens no Sistema Educativo. Estruturar os cursos de Alfabetização e Formação

Leia mais

APOIO AO INVESTIMENTO EM EQUIPAMENTOS SOCIAIS. Porto 30-01-2008

APOIO AO INVESTIMENTO EM EQUIPAMENTOS SOCIAIS. Porto 30-01-2008 APOIO AO INVESTIMENTO EM EQUIPAMENTOS SOCIAIS Porto 30-01-2008 AGENDA AS MARCAS DO POPH I INVESTIMENTO EM EQUIPAMENTOS SOCIAIS CANDIDATURAS II III I AS MARCAS DO POPH AS MARCAS DO POPH 1 O MAIOR PROGRAMA

Leia mais

CRIANÇAS E JOVENS. Rua Bernardo Francisco da Costa, 6-1º, Almada. Almada. Rua D. Maria da Silva, 1A, Almada. Almada

CRIANÇAS E JOVENS. Rua Bernardo Francisco da Costa, 6-1º, Almada. Almada. Rua D. Maria da Silva, 1A, Almada. Almada do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de do Concelho de Casa Pia de Lisboa Designação

Leia mais

EU SOU VOLUNTÁRIO! EU SOU CIDADÃO SOLIDÁRIO! Ser voluntário é um ato de cidadania ativa e responsável.

EU SOU VOLUNTÁRIO! EU SOU CIDADÃO SOLIDÁRIO! Ser voluntário é um ato de cidadania ativa e responsável. Mais informações em www.cm-leiria.pt/pages/431, através do email accao.social@cm-leiria.pt ou nos Serviços de ação social do Município de Leiria EU SOU VOLUNTÁRIO! EU SOU CIDADÃO SOLIDÁRIO! Ser voluntário

Leia mais

1 DONATIVO = 1 POSTAL ELECTRÓNICO

1 DONATIVO = 1 POSTAL ELECTRÓNICO A campanha Prenda AMIga tem como objectivo angariar fundos para os projectos nacionais, internacionais e ambientais da AMI. Pretende-se sensibilizar e incentivar o espírito solidário das empresas e da

Leia mais

BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME DE VISEU

BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME DE VISEU BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME DE VISEU A NOSSA MISSÃO Lutar contra o desperdício, recuperando excedentes alimentares, para os levar a quem tem carências alimentares, mobilizando pessoas e empresas que

Leia mais

. Protocolo de Cooperação 2011-2012.. Programa de Emergência Alimentar. Centro Distrital de Viseu Março de 2012

. Protocolo de Cooperação 2011-2012.. Programa de Emergência Alimentar. Centro Distrital de Viseu Março de 2012 . Protocolo de Cooperação 2011-2012. Programa de Emergência Alimentar Centro Distrital de Viseu Março de 2012 Celebrado em 17 de Janeiro 2012 entre o Ministério da Solidariedade e Segurança Social e as

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CLAS /2015 Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços 1 Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

Rede Social PRÉ DIAGNÓSTICO PARTICIPADO

Rede Social PRÉ DIAGNÓSTICO PARTICIPADO PRÉ DIAGNÓSTICO PARTICIPADO PRÉ DIAGNÓSTICO SOCIAL PARTICIPADO CONCELHO DE FAFE Com este documento pretende-se, antes de mais, efectuar uma breve e sucinta caracterização do Concelho de Fafe seguido de

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ESPINHO - INSTITUIÇÕES ADERENTES E RESPECTIVOS CONTACTOS -

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ESPINHO - INSTITUIÇÕES ADERENTES E RESPECTIVOS CONTACTOS - CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ESPINHO - INSTITUIÇÕES ADERENTES E RESPECTIVOS CONTACTOS - Data da última atualização: maio 2015 1 Agrupamento de Centros de Saúde do Grande Porto IX - Espinho/Gaia (ACES

Leia mais

REDE SOCIAL DIAGNÓSTICO SOCIAL

REDE SOCIAL DIAGNÓSTICO SOCIAL REDE SOCIAL INQUÉRITOS POR QUESTIONÁRIO ASSOCIAÇÕES INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO ÁS ASSOCIAÇÕES DO CONCELHO DE A pobreza e a exclusão social embora não sendo fenómenos recentes, têm vindo a surgir nas nossas

Leia mais

Rede Escolar Particular do Concelho de Sintra

Rede Escolar Particular do Concelho de Sintra Rede Escolar Particular do Concelho de Sintra Instituições sem fins lucrativos Escolas Moradas / Contactos Creche Rua da Lagoa, n.º 15 S. Carlos 2725-355 Mem Martins Tel.: 219214466 / Fax: 219221910 E-mail:

Leia mais

Projecto de Apoio ao

Projecto de Apoio ao Projecto de Apoio ao O Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro presta serviços dedicados a crianças e idosos, promovendo igualmente o apoio ao emprego e o auxílio a famílias carenciadas. O Centro

Leia mais

rita.matos@portugalmail.com BI nº 11367602 Contribuinte nº 214217183

rita.matos@portugalmail.com BI nº 11367602 Contribuinte nº 214217183 1 DADOS PESSOAIS Nome Ana Rita da Eira Matos Naturalidade Braga Data de nascimento 19 / 05 / 1978 Nacionalidade Portuguesa Estado Civil Solteira Morada Rua Dr. José Vilaça, Apt. 31, nº49, 6ºandar, 4705-094

Leia mais

Associação de Apoio à Trissomia 21

Associação de Apoio à Trissomia 21 I- Instituição Promotora NOME: AMAR 21 Associação de Apoio à Trissomia 21 MORADA: Rua Tomé de Sousa, nº 19 Edifício Leal, Apt 403 4750-217Arcozelo Barcelos DISTRITO: Braga CONTATOS: 933852811 TIPO DE INSTITUIÇÃO:

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO

APRESENTAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO APRESENTAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO Quem Somos Uma Instituição Particular de Solidariedade Social Uma Associação de direito privado, sem fins lucrativos, (sem qualquer ligação directa ou indirecta com a Junta de

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

disciplinar parcerias grupos específicos e/ou vulneráveis grupos específicos e/ou vulneráveis

disciplinar parcerias grupos específicos e/ou vulneráveis grupos específicos e/ou vulneráveis Publicitação dos benefícios concedidos pela Administração Pública a particulares Lei nº 64/2013 de 27 de agosto, de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2013 Entidade Liga Portuguesa de Higiene Mental 501395547

Leia mais

Formação Geral de Voluntários Mês de Maio. Boletim Informativo 2013. O BLV de Barcelos colaborou com o Projeto Mediador Municipal Mês de Março

Formação Geral de Voluntários Mês de Maio. Boletim Informativo 2013. O BLV de Barcelos colaborou com o Projeto Mediador Municipal Mês de Março Gabinete de Ação Social e Saúde Pública O BLV de Barcelos colaborou com o Projeto Mediador Municipal Mês de Março Nas férias da Páscoa de 2013, na Casa da Juventude e na Biblioteca Municipal, decorreram

Leia mais

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010 Conselho Local de Acção Social de Monção Conselho Local de Acção Social de Monção CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Actualmente a Rede Social de Monção

Leia mais

Projeto de Voluntariado para a Cooperação: MUITO MAIS MUNDO. Plano de acção para o Município de Santa Cruz, Santiago, Cabo Verde.

Projeto de Voluntariado para a Cooperação: MUITO MAIS MUNDO. Plano de acção para o Município de Santa Cruz, Santiago, Cabo Verde. Projeto de Voluntariado para a Cooperação: MUITO MAIS MUNDO Plano de acção para o Município de Santa Cruz, Santiago, Cabo Verde Versão concisa Coordenadores: Dr. José Mendes Alves, Câmara Municipal de

Leia mais

Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04

Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04 Índice de Quadros, Gráficos, Imagens, Figuras e Diagramas Introdução 01 Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04 Parte I: Enquadramentos da Intervenção Social no Concelho de Bragança 08 Quadro

Leia mais

CARTA SOCIAL REDE DE SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS 2011

CARTA SOCIAL REDE DE SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS 2011 72 Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), Ministério da Solidariedade e da Segurança Social (MSSS) CARTA SOCIAL REDE DE SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS 2011 Coordenação do GEP / MSSS E-mail: cartasocial@gep.msss.gov.pt

Leia mais

c u r r i c u l u m v i t a e

c u r r i c u l u m v i t a e c u r r i c u l u m v i t a e Informação pessoal Nome Morada Telefone 912079346 Fax Sousa, Cláudia Cristina Assunção Rua Miguel Bombarda, n.º 3, 4ºDto Viseu Correio electrónico floresdelivro@gmail.com

Leia mais

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa Centro Social Paroquial de Lustosa Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa 1. Identificação da Instituição: Centro Social Paroquial de Lustosa, NPC: 502431440, com sede em Alameda

Leia mais

Plano Gerontológico de Monchique Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011

Plano Gerontológico de Monchique Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011 Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011 Trajectórias de envelhecimento Após os 65 anos de idade a estimulação cognitiva diminui significativamente. A diminuição da estimulação desencadeia/agrava o declínio

Leia mais

Q U E R E S S E R V O L U N T Á R I O?

Q U E R E S S E R V O L U N T Á R I O? Q U E R E S S E R V O L U N T Á R I O? Da importância do desenvolvimento de competências interpessoais na prática, da necessidade de uma formação mais humana, da crescente consciencialização da injustiça

Leia mais

PROGRAMA TODOS COM A NOTA

PROGRAMA TODOS COM A NOTA GRUPO - A DATA: SEGUNDA 18/11/2013 10 09.981.341/0001-60 MATA NORTE AÇÃO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA - CARPINA 21 28988.000596/94-81 40 16.630.030/0003-83 MATA NORTE DESAFIO JOVEM PENIEL 112001 2.535.067.680

Leia mais

CONSTRANGIMENTOS DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS NA ADMISSÃO DE PESSOAS IDOSAS DO FORO MENTAL

CONSTRANGIMENTOS DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS NA ADMISSÃO DE PESSOAS IDOSAS DO FORO MENTAL CONSTRANGIMENTOS DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS NA ADMISSÃO DE PESSOAS IDOSAS DO FORO MENTAL Associação Amigos da Grande Idade Inovação e Desenvolvimento Posição Institucional 1 LARES DE IDOSOS Desde inicio

Leia mais

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015 Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis CAPÍTULO I AETP: A INSTITUIÇÃO 1. Introdução No decorrer do ano de 2015 prevê-se que a AETP

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado O Programa de Voluntariado do Centro Solidariedade e Cultura de Peniche pretende ir ao encontro do ideário desta instituição, numa linha da

Leia mais

> MENSAGEM DE BOAS VINDAS

> MENSAGEM DE BOAS VINDAS > MENSAGEM DE BOAS VINDAS A (DPE), da (DREQP), inicia, com o primeiro número desta Newsletter, um novo ciclo de comunicação e aproximação ao público em geral e, de forma particular, aos seus parceiros

Leia mais

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva Às sextas na Cidade Águeda - cidade inclusiva Índice Águeda - cidade inclusiva: Como pode a cidade ser mais inclusiva? idosos, crianças, pessoas com necessidades especiais A cidade é de TODOS! Índice INCLUSÃO

Leia mais