CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL"

Transcrição

1 CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

2 CLAS /2015 Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços 1 Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo Entidades/ Parceiros Metas Calendarização Dinamizar a Rede Social Atualizar os instrumentos de planeamento Atualização e aprovação do Diagnóstico Social e PDS Núcleo Executivo/ CLAS Núcleo Executivo/ CLAS Aprovação em CLAS do DS e PDS até final de Dezembro, de acordo com o Pano de Trabalho Operacionalizar a articulação das respostas sociais do Concelho Reunião Mensais do Grupo de Trabalho constituído por representantes das entidades com intervenção social Comunidade em Grupo de Trabalho Realizar 11 reuniões por ano Conclusão da Creche na freguesia de Finalização da construção e entrada em funcionamento Abranger 30 crianças dos 0 aos 3 anos Câmara Municipal Concluir a construção até final de e Abranger 30 crianças por ano letivo Alargamento de Respostas Sociais Conclusão da Creche na Localidade de Alandroal Melhorar os serviços da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Serviço de Apoio Terminar as obras da creche Melhoria dos serviços e da Qualidade de Vida e Bem- Estar dos utentes e da população-alvo Abranger 30 crianças dos 0 aos 3 anos Choupana - APDCA Concluir a Construção da Creche até 2015 População Sénior APIT Melhorar as respostas Sociais na área da

3 (cont.) Domiciliário e Centro de Dia Melhorar os serviços existentes na instituição Cantinho Amigo Melhorar os serviços existentes na instituição Melhoria das Respostas na área da Cozinha e Lavandaria Alargamento e melhoria das Respostas: - Residência Sénior, Centro de Dia e Apoio Domiciliário CLAS /2015 População Sénior até final de 2015 População Sénior Cantinho Amigo Melhorar as respostas Sociais na área da População Sénior até final de População Sénior SCMA Início de /2015 funcionamento da extensão Residência Sénior até Aumentar a rede de espaços de actividade lúdica e criativa Combate ao isolamento Teleassistência População Sénior SCMA Câmara Municipal APIT Cantinho Amigo G.N.R Dar continuidade ao Funcionamento da Oficina da Criança no Alandroal Assegurar o Funcionamento do Centro de Atividades Tempos Livres de Promover rede de espaços de actividade lúdica e criativa que contribua para o desenvolvimento educativo, cultural e social da comunidade Oficina da Criança Centro de Atividades Tempos Livres Centro de Convívio para Jovens e Adultos Abranger 42 crianças entre os 6 e os 12 anos Abranger 20 entre os 6 e os 12 anos Jovens e Adultos Implementar funcionamento até 2015 /2015 Câmara Municipal Abranger 42 crianças CMA, Casa do Povo de SCMA Câmara Municipal Abranger 30 crianças Até final de 2015 adaptar espaço Ex- CECAL para promoção da atividade /2015.

4 CLAS / Área de Intervenção: Família/ Comunidade Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo Entidades/ Parceiros Metas Calendarização Divulgar o papel da ELI na comunidade Promover uma maior aproximação da ELI á comunidade; Divulgação de folhetos informativos elaborados pela ELI e Ação de sensibilização: O papel da ElI na comunidade Comunidade em Parceiros da Rede Realizar 1 ação de sensibilização durante o ano de Assegurar o envolvimento das famílias no desenvolvimento global das crianças apoiadas Promover momentos de reflexão e partilha com as famílias Comemoração do Dia da família com um encontro entre famílias na sede do Concelho e exposição de trabalhos sugeridos e realizados pelas mesmas Famílias acompanhadas pelas entidades Intervenção Precoce, Centro Social Paroquial, CMA Realizar 1 Encontro Anual Maio Promover ciclos de ações de informação direcionadas para a comunidade sobre temáticas na área da família. Dinamizar sessões de sensibilização sobre diversas temáticas de forma a melhorar competências pessoais, sociais e Realização de sessões de esclarecimento/ Informação sobre: * Desenvolvimento Pessoal e Social; *Educação Parental Famílias/Indivíduos acompanhados pelas entidades Centro Social e Paroquial, Intervenção Precoce Realização de 2 sessões por ano

5 responsabilidades parentais das famílias Práticas parentais positivas; * Educação para a Saúde; *Gestão Doméstica e Economia familiar CLAS / Capacitar as Respostas sociais existentes Sinalizar o Ano Internacional do Combate ao Desperdício Alimentar Melhorar a qualidade de resposta da ECOLOJA Dinamizar ações alusivas á temática Promoção de campanhas de recolha de bens para as necessidades identificadas Elaboração e distribuição de panfletos alusivos ao tema Combate ao Desperdício Alimentar Indivíduos/Famílias com rendimento per capita igual e/ou inferior à pensão social Comunidade Escolar e Comunidade em Parceiros da Rede Social Grupo de Trabalho da Rede Social Promover 2 campanhas de recolha de bens por ano Realização de uma ação no mês de Abril Março/Abril Promover atividades alusivas ao dia Mundial da criança Evidenciar o papel da criança enquanto indivíduo com direitos e deveres Comemoração do Dia Mundial da Criança População escolar CLASA Promover atividades recreativas e lúdicas dirigidas às crianças e jovens na data em epígrafe 2 de Junho Promover o voluntariado Social no Concelho Angariar bens essenciais (agua e leite) para ação dos bombeiros na Época de fogos Conhecer o voluntariado social existente nas entidades Criar grupo de trabalho que operacionalize a campanha de recolha de bens * Levantamento do trabalho voluntário desenvolvido nas entidades do concelho; * Diagnosticar as necessidades das entidades; * Realização de um Comunidade em Entidades locais elegíveis CLASA Núcleo Executivo Realizar uma campanha de recolha anual Auscultar todas as entidades locais elegíveis e Dinamizar um Workshop sobre Voluntariado até final de Maio/Junho de e º Semestre de

6 Workshop Como Organizar o Voluntariado PLANO DE AÇÃO CLAS / Área de Intervenção: Emprego Objetivo Geral Objectivos Específicos Ação População - Alvo Entidades/Parceiros Metas Calendarização Manter em funcionamento a Empresa de Inserção da Casa do Povo de Dinamizar a Empresa de Inserção criando novos serviços Apoio aos Idosos em diversas áreas, nomeadamente: *Acompanhamento a Serviços de Saúde; *Liquidação de Despesas Correntes; *Aquisição de Bens Essenciais, etc. Idosos sem suporte familiar Empresa de Inserção da Casa do Povo de Câmara Municipal de Alandroal Abranger 15 idosos em e 20 idosos em 2015

REDE SOCIAL DE ALANDROAL

REDE SOCIAL DE ALANDROAL REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo Entidades/ Parceiros

Leia mais

Rede Social no Concelho de Azambuja Plano de Ação 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014

Rede Social no Concelho de Azambuja Plano de Ação 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014 1 EDUCAÇÃO ÁREA ATIVIDADES RESPONSAVEIS PARTICIPANTES/ INTERVENIENTES Calendarização Manter os projetos existentes nos Agrupamentos de Escolas (Fénix, tutorias, Aprender a Estudar,

Leia mais

Rede Social Plano de Ação 2015

Rede Social Plano de Ação 2015 Rede Social Plano de Ação 2015 1 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do Bispo PLANO DE AÇÃO 2015 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira. Núcleo Executivo

Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira. Núcleo Executivo Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira Núcleo Executivo 2 CLAS de Vila Nova de Cerveira Plano de Ação de 2015 Índice Nota Prévia... 6 Sumário... 7 Metodologia... 7 Planificação... 8 EIXO

Leia mais

Plano de Acção Ano 2011. Avaliação

Plano de Acção Ano 2011. Avaliação Rede Social de Pombal de Pombal Plano de Acção Ano 2011 Avaliação Prioridade 1- (PNAI) (Combater a pobreza das crianças e dos idosos, através de medidas que asseguremos seus direitos básicos de cidadania)

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS SOCIAIS

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS SOCIAIS EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS SOCIAIS Actividades Calendarização Recursos Humanos / Parceiros Recursos Materiais Organização Responsável 1. 1.1 Definição do projecto Centro de Recursos Educativos. 1.2 Contacto

Leia mais

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO Proposta de Plano de Ação 2012/ 1 Proposta de Plano de Ação 2012/ Eixo de Desenvolvimento: Promover a qualificação escolar/profissional, o empreendedorismo e a empregabilidade. Objetivo geral: Dinamização

Leia mais

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Maio de 2011 Preâmbulo As alterações demográficas que se têm verificado na população portuguesa

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006

PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006 PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006 Documento elaborado pelo: Conselho Local de Acção Social do Concelho do Núcleo

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram

Leia mais

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL 0 Plano de Ação I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL OBJETIVO GERAL: Dotar as Instituições do Município de competências na área da qualidade para melhorar a resposta

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2010 CPCJ

PLANO DE ACÇÃO 2010 CPCJ PLANO DE ACÇÃO 2010 CPCJ COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DO PESO DA RÉGUA Modalidade Alargada Divulgar os Direitos da Criança na Comunidade OBJECTIVOS ACÇÕES RECURSOS HUMANOS DA CPCJ RECURSOS

Leia mais

1. FUNCIONAMENTO DA REDE SOCIAL

1. FUNCIONAMENTO DA REDE SOCIAL 1. FUNCIONAMENTO DA REDE SOCIAL Objectivo Geral Objectivo Especifico Medida Meta Indicador de Eecução % Responsavel Prestar Apoio técnico às CSF Reuniões semestrais com CSF 3 CSF em funcionamento, com

Leia mais

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 1 1. ÁREA DE INTERVENÇÃO ACÇÃO SOCIAL Promover a integração social dos grupos socialmente mais vulneráveis * Romper

Leia mais

Fórum de Boas Práticas

Fórum de Boas Práticas Câmara Municipal de Torres Vedras Sandra Colaço Fórum de Boas Práticas Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis 28 de Outubro de 2009 TORRES VEDRAS População -72 259(2001) Área 407 Km2 O concelho no país Na

Leia mais

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL 2014 Aprovado na reunião do Plenário de 11.06.2014 16 de janeiro Workshop e assinatura de protocolo com CIG Público-alvo: comunidade no geral Local: Edifício Paço dos Concelho

Leia mais

F U N C I O N A M E N T O

F U N C I O N A M E N T O Plano de Ação 2015 ENQUADRAMENTO F U N C I O N A M E N T O» Regulamento Interno da CPCJ de S. P. Sul» Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo - Lei nº 147/99 de 1 de Setembro» Lei que altera a Lei

Leia mais

Plano de Ação MARÇO DE 2014

Plano de Ação MARÇO DE 2014 Plano de Ação 2014 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Ação do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram neste documento os seguintes autores:

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

II ENCONTRO DA CPCJ SERPA

II ENCONTRO DA CPCJ SERPA II ENCONTRO DA CPCJ SERPA Ninguém nasce ensinado!? A família, a Escola e a Comunidade no Desenvolvimento da criança Workshop: Treino de Competências com famílias um exemplo de intervenção e de instrumentos

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Conselho de Parceiros

Conselho de Parceiros Conselho de Parceiros 26 de Novembro de 2010 Centro Cultural e de Congressos de Aveiro 15 de Outubro de 2010 - Centro Cultural e de Congressos de Aveiro Acção 1 - Intervenção Psicossocial Acompanhamento

Leia mais

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo Plano de Acção Conselho Local de Acção Social de CLAS 2014-2015 2 EIXO 1 - PROMOVER A EMPREGABILIDADE E QUALIFICAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL E INTEGRAÇÃO DE GRUPOS SOCIAIS (PRÉ-) DESFAVORECIDOS Combate

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011 AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011 Eixo de Desenvolvimento I: Emprego/Desemprego Desenvolver medidas com vista à redução do desemprego, ao aumento da estabilidade no emprego e facilitadores do ingresso dos

Leia mais

Plano de Ação 2014 PROPOSTA

Plano de Ação 2014 PROPOSTA Plano de Ação 2014 PROPOSTA 0 Ficha Técnica: Titulo: Plano Ação 2014 Documento Elaborado Por: Núcleo Executivo do CLAS Coordenação: Cristina Farinha Presidente do Conselho Local de Ação Social Equipa Técnica:

Leia mais

Avaliação do Plano. de Ação. Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Castro Verde

Avaliação do Plano. de Ação. Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Castro Verde Avaliação do Plano 2014 de Ação Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Castro Verde Linhas Orientadoras do Plano de Ação 2014 Parcerias e Articulação Institucional Em 2014 trabalhámos e fizemos parcerias

Leia mais

RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015

RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015 RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015 Elaborado por: Rede Social de 0 Índice Sumário Executivo... 2 Capítulo I - Avaliação do Plano de Ação/2014... 4 Capítulo II - Plano de Ação de 2015... 10

Leia mais

PLANO DE AÇÃO. Aprovar o Diagnóstico Social e o Plano de Desenvolvimento Social 2015-2017

PLANO DE AÇÃO. Aprovar o Diagnóstico Social e o Plano de Desenvolvimento Social 2015-2017 PLANO DE AÇÃO O presente plano de ação engloba um conjunto de ações consideradas relevantes para a execução do Plano de Desenvolvimento Social 2015-2017 (PDS) e para o funcionamento da Rede Social de Aveiro,

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

Eixo 1 - Organização e Trabalho em Rede

Eixo 1 - Organização e Trabalho em Rede Eixo 1 - Organização e Trabalho em Rede E1_O1E1A1 E1_O2E1A1 E1_O2E2A1 E1_O3E1A1 E1_O3E1A2 E1_O3E1A3 E1_O3E1A4 Harmonizar os instrumentos de planeamento e avaliação, utilizados pelos diversos órgãos da

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES 2 ÍNDICE CARATERIZAÇÃO DO CENTRO DE REURSOS PARA A INCLUSÃO.. 3 FUNCIONAMENTO DO CENTRO DE RECUSOS PARA A INCLUSÃO 3 CARATERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

1.3. Envelhecimento Activo. 1.4. Plano de Actividades dirigido à população Idosa. 1.5. Semana Sénior

1.3. Envelhecimento Activo. 1.4. Plano de Actividades dirigido à população Idosa. 1.5. Semana Sénior Rede Social de Pombal de Pombal Largo do Cardal 3100-440 Pombal Plano de Acção Ano 2011 Prioridade 1- (PNAI) (Combater a pobreza das crianças e dos idosos, através de medidas que asseguremos seus direitos

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015 PLANO DE AÇÃO 2013. INDÍCE Pág. 1. Introdução. 2 2. Metodologia. 3 3. Eixos de Intervenção do P.D.S. 2013 a 2015. 5 4. Eixo I Grupos Sociais Desfavorecidos P.D.S.

Leia mais

Constituição dos Orgãos da Rede Social do Concelho de Valpaços 2. Constituição do Núcleo Executivo 4. Nota Introdutória 5

Constituição dos Orgãos da Rede Social do Concelho de Valpaços 2. Constituição do Núcleo Executivo 4. Nota Introdutória 5 ÍNDICE Constituição dos Orgãos da Rede Social do Concelho de Valpaços 2 Constituição do 4 Nota Introdutória 5 Eixo I Envelhecimento Populacional 7 Eixo II Qualificação e Integração Escolar e Sócio-Profissional

Leia mais

Distrito de Aveiro Concelho Ílhavo Freguesias: S. Salvador, Gafanha da Nazaré, Gafanha da Encarnação e Gafanha do Carmo

Distrito de Aveiro Concelho Ílhavo Freguesias: S. Salvador, Gafanha da Nazaré, Gafanha da Encarnação e Gafanha do Carmo IDENTIFICACÃO Atendimento Integrado e Núcleo Local de Inserção de Ílhavo Morada de Ílhavo Código Postal 3830-044 Ílhavo Localidade Ílhavo Distrito de Aveiro Concelho Ílhavo Freguesias: S. Salvador, Gafanha

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

Índice. 1. Nota Introdutória... 1. 2. Actividades a desenvolver...2. 3. Notas Finais...5

Índice. 1. Nota Introdutória... 1. 2. Actividades a desenvolver...2. 3. Notas Finais...5 Índice Pág. 1. Nota Introdutória... 1 2. Actividades a desenvolver...2 3. Notas Finais...5 1 1. Nota Introdutória O presente documento consiste no Plano de Acção para o ano de 2011 da Rede Social do concelho

Leia mais

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 Rede Social Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 2012 Índice Introdução... 3 1 - Eixo de Intervenção Famílias... 5 2 - Eixo de Intervenção Educação e Cidadania... 8 3- Eixo

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2010 O QUE É?

PLANO DE ACÇÃO 2010 O QUE É? O QUE É? O Plano de Acção é um documento anual que se desenha a partir das linhas de intervenção definidas no Plano de Desenvolvimento Social. Enquanto produto traduz-se num documento temporalmente finalizado

Leia mais

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL de ODEMIRA 2014-2015 EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação Promover o conhecimento e o acesso dos empresários aos apoios e incentivos no âmbito do empreendedorismo

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação Capacitar para Qualificação e Inovação das Redes Sociais do Minho-Lima (CQIRS-ML) Seminário Redes Sociais, Desenvolvimento e Coesão Social do Alto Minho: Diagnóstico, Perspetivas e Ações 2014-2020 19 de

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

Regulamento. Loja Social de Ourique

Regulamento. Loja Social de Ourique Regulamento Loja Social de Ourique Regulamento Loja Social de Ourique Nota Justificativa O presente Regulamento define as normas de funcionamento da Loja Social e faz parte integrante do projecto Espaço

Leia mais

Regulamento. Espaço Solidário de Ourique

Regulamento. Espaço Solidário de Ourique Regulamento Espaço Solidário de Ourique Regulamento Espaço Solidário de Ourique Nota justificativa O Espaço Solidário surge no âmbito da Rede Social, de acordo com o Diagnóstico Social do Concelho, constando

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data - 1 de Abril de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

Centro Paroquial do Estoril. Funchal, Junho, 2012

Centro Paroquial do Estoril. Funchal, Junho, 2012 Centro Paroquial do Estoril Funchal, Junho, 2012 Índice Quem Somos Como Estamos Organizados Recursos Mais Informação Quem Somos IPSS da Paróquia de Santo António do Estoril, no Concelho de Cascais Visão:

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015 Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis CAPÍTULO I AETP: A INSTITUIÇÃO 1. Introdução No decorrer do ano de 2015 prevê-se que a AETP

Leia mais

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta FICHA TÉCNICA Relatório do Plano de Acção de Freixo de Espada à Cinta Conselho

Leia mais

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto Eventos Eixo I Emprego, Formação e Qualificação Acção: Bom Porto - Gabinete de Empregabilidade e Empreendedorismo: Uma das acções do projecto consiste na criação de um Gabinete de atendimento na área da

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL OBJECTIVO DO PDSS ACTIVIDADE/ACÇÃO PARCEIROS ENVOLVIDOS PARCEIRO RESPONSÁVEL INDICADORES DE AVALIAÇÃO EXECUÇÃO TEMPORAL SOLIDARIEDADE SOCIAL Reforçar o apoio alimentar concelhio Melhorar o conhecimento

Leia mais

Plano de Atividades 2014-15. Gabinete de Serviço Social

Plano de Atividades 2014-15. Gabinete de Serviço Social Plano de Atividades 2014-15 Gabinete de Serviço Social 1. Voluntariado e Dinamização da Comunidade 1.1. Clube Social 1.2. Projeto Conhecer a Terceira Idade 1.3. Campanha de Natal 1.4. Campanha Papel por

Leia mais

CIDADE AMIGA DAS PESSOAS IDOSAS 2010-2013

CIDADE AMIGA DAS PESSOAS IDOSAS 2010-2013 CIDADE AMIGA DAS PESSOAS IDOSAS 2010-2013 A Sociedade e o Envelhecimento Em 2007, mais da metade da população mundial passou a morar em cidades e, em 2030, cerca de três em cada cinco pessoas viverão em

Leia mais

Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010. Conselho Local de Ação Social de Monção. Conselho Local de Ação Social de Monção

Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010. Conselho Local de Ação Social de Monção. Conselho Local de Ação Social de Monção Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010 Conselho Local de Ação Social de Monção Conselho Local de Ação Social de Monção CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Atualmente a Rede Social de Monção conta

Leia mais

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL Prólogo O CLDS SERPE EnReDe, consiste numa estratégia de desenvolvimento social integrado visando a criação de respostas sociais inovadoras e sustentáveis que atendem às

Leia mais

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010 Conselho Local de Acção Social de Monção Conselho Local de Acção Social de Monção CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Actualmente a Rede Social de Monção

Leia mais

Formação Geral de Voluntários Mês de Maio. Boletim Informativo 2013. O BLV de Barcelos colaborou com o Projeto Mediador Municipal Mês de Março

Formação Geral de Voluntários Mês de Maio. Boletim Informativo 2013. O BLV de Barcelos colaborou com o Projeto Mediador Municipal Mês de Março Gabinete de Ação Social e Saúde Pública O BLV de Barcelos colaborou com o Projeto Mediador Municipal Mês de Março Nas férias da Páscoa de 2013, na Casa da Juventude e na Biblioteca Municipal, decorreram

Leia mais

Plano de Acção 2014. Rede Social

Plano de Acção 2014. Rede Social Plano de Acção 2014 Rede Social Março/2014 Elaborado por: Núcleo Executivo do Conselho Local de Acção Social de Avis - Agrupamento de - Centro de Emprego e Formação Profissional de Portalegre/Serviço de

Leia mais

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica Data última atualização: 05 Novembro de 2012 Índice 1 - Entidades parceiras promotoras de voluntariado 2- Projetos específicos de voluntariado 1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma

Leia mais

1.1.1.1. Objectivo Especifico Garantir que os alunos de 1.º e 2.º Ciclo assistam a acções de prevenção primária da toxicodependência.

1.1.1.1. Objectivo Especifico Garantir que os alunos de 1.º e 2.º Ciclo assistam a acções de prevenção primária da toxicodependência. Conselho Local de Acção Social de de Ourique Cuba Plano de Acção 2008 - Rede Social Programação Anual. Prioridade Promover a melhoria das condições de vida das crianças, dos idosos e das famílias através

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2016. Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental

PROGRAMA DE AÇÃO 2016. Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental PROGRAMA DE AÇÃO 2016 Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 3 II EIXOS/OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 3 III AÇÕES E ATIVIDADES... 4 IV AVALIAÇÃO... 4 V

Leia mais

Introdução 2 Metodologia 3 Eixos temáticos 4-5 Problemáticas por eixo de intervenção 6 Objetivos e estratégias por eixos 7-8 Conclusão 9

Introdução 2 Metodologia 3 Eixos temáticos 4-5 Problemáticas por eixo de intervenção 6 Objetivos e estratégias por eixos 7-8 Conclusão 9 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL ÍNDICE Introdução 2 Metodologia 3 Eixos temáticos 4-5 Problemáticas por eixo de intervenção 6 Objetivos e estratégias por eixos 7-8 Conclusão 9 1 INTRODUÇÃO O plano de desenvolvimento

Leia mais

Eu leio+, tu lês+, nós lemos m@is!

Eu leio+, tu lês+, nós lemos m@is! Apresentação do Projeto Eu leio+, tu lês+, nós lemos m@is! 2014-2016 O projeto envolve toda a comunidade escolar e extraescolar. Assenta na paixão pela leitura que uns vão, certamente, transmitir a outros,

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO Área de intervenção - EMPREGO/FORMAÇÃO

CLUBE DE EMPREGO Área de intervenção - EMPREGO/FORMAÇÃO CLUBE DE EMPREGO Área de intervenção - EMPREGO/FORMAÇÃO Projeto Objetivos Metas Indicadores Ações - Preencher as fichas de inscrição no site http://empregar.ire.gov.p; População Alvo Recursos Humanos Materiais

Leia mais

PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14. Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA

PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14. Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14 Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA Ficha Técnica Responsáveis Técnicos: - Nélia Silva - Fundação S. Barnabé - Graça Loução Centro Distrital

Leia mais

Regulamento. Sorriso Solidário

Regulamento. Sorriso Solidário Regulamento Sorriso Solidário 0 Introdução A Santa Casa da Misericórdia de Mirandela, tem desenvolvido ao longo dos tempos, diversas iniciativas no sentido de criar condições que favoreçam o bem-estar

Leia mais

União das Freguesias de Carregado e Cadafais. Loja Social do Carregado. Regulamento Interno. Preâmbulo

União das Freguesias de Carregado e Cadafais. Loja Social do Carregado. Regulamento Interno. Preâmbulo Preâmbulo A, no enquadramento legal do artigo 241º, da Constituição da República Portuguesa, e da Lei 75/2013, de 18 de Setembro, é um espaço dinamizado por um corpo de voluntários, com o apoio e promoção

Leia mais

CLAS de CAMINHA Plano de Ação 2014. Plano de Ação 2014

CLAS de CAMINHA Plano de Ação 2014. Plano de Ação 2014 Plano de Ação 2014 Os Planos de Ação têm como objetivo operacionalizar os objetivos e as estratégias definidas em Plano de Desenvolvimento Social. O Plano 2014 procura reconhecer possíveis projetos e formas

Leia mais

Acção Sócio-Educativa

Acção Sócio-Educativa Acção Sócio-Educativa Dinamizar estratégias que visam prevenir situações de absentismo e abandono escolar, voltar a colocar os jovens no Sistema Educativo. Estruturar os cursos de Alfabetização e Formação

Leia mais

INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS

INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS Está em curso um inquérito, promovido pela ANMP, sobre as despesas municipais com acções de carácter social que ultrapassam as competências

Leia mais

Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060

Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 REFERÊNCIA: 090 DESIGNAÇÃO: Participar para Alimentar BIP/ZIP em que pretende intervir: 8. Ameixoeira (PER) ENTIDADES: Promotora: ANAFS - Associação Nacional dos Alistados das Formações Sanitárias Parceiras:

Leia mais

PAO 2013 Assembleia Geral 13 de Novembro de 2012

PAO 2013 Assembleia Geral 13 de Novembro de 2012 PAO 2013 Assembleia Geral 13 de Novembro de 2012 PAO 2013 1. NOTA DOS FUNDADORES 2. OBJECTIVOS 2013 a) INTERVENÇÃO SOCIAL b) ANGARIAÇÃO DE FUNDOS c) COMUNICAÇÃO d) VOLUNTÁRIOS ABO e) GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020

Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020 Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social de Gondomar 16 de março de 2015 Biblioteca Municipal de Gondomar Eixo 1 Capacitação,

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

Plano Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica 2008-2011

Plano Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica 2008-2011 Plano Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica 2008-2011 A violência doméstica é um fenómeno complexo que requer uma intervenção concertada e multidisciplinar. 1 PLANO MUNICIPAL CONTRA A VIOLÊNCIA

Leia mais

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos 1.º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos 18 a 21 abril 2012 Luísa Ribeiro Trigo*,

Leia mais

3 Newsletter. S e tembro-o u tu b r o 2015 RUA SOAR DE CIMA ( MUSEU ALMEIDA MOREIRA) 3500-211 VISEU

3 Newsletter. S e tembro-o u tu b r o 2015 RUA SOAR DE CIMA ( MUSEU ALMEIDA MOREIRA) 3500-211 VISEU 3 Newsletter 1. Beira Amiga na Plataforma Supraconcelhia do Douro 2. Sessão Plenária do CLAS 3. Início do Plano de Inclusão para a Formação Financeira em Viseu 4. Beira Amiga no Rotary Club de Viseu 5.

Leia mais

CLAS de Melgaço Plano de Desenvolvimento Social 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013

CLAS de Melgaço Plano de Desenvolvimento Social 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013 1 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013 2 ÍNDICE NOTA PRÉVIA Enquadramento e contextualização geográfica e temporal 3 Percurso dos documentos estratégicos 3 Metodologias utilizadas

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO

REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO INTRODUÇÃO A cultura Comunitária é a expressão concreta de tentar proporcionar aqueles que mais precisam a ajuda necessária para começar de novo a viver. O Centro

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES REALIZADAS NO ANO LETIVO 2014/15 NO ÂMBITO DOS OBJETIVOS DA GLOBAL COMPACT

RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES REALIZADAS NO ANO LETIVO 2014/15 NO ÂMBITO DOS OBJETIVOS DA GLOBAL COMPACT RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES REALIZADAS NO ANO LETIVO 2014/15 NO ÂMBITO DOS OBJETIVOS DA GLOBAL COMPACT Objetivos gerais: Promover os valores fundamentais nas áreas de direitos humanos, direito do trabalho,

Leia mais

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Plano de Atividades Programa de Educação para a Sustentabilidade O Programa de Educação para a Sustentabilidade para o ano letivo 2014/2015 integra

Leia mais

Teatro com Teias e Histórias

Teatro com Teias e Histórias Teatro com Teias e Histórias 3 em Pipa Associação de Criação Teatral e Animação Cultural Organização de um grupo de voluntários que, integrados num projecto comunitário de vertente artística, actuam junto

Leia mais

Rede Social PLANO DE AÇÃO

Rede Social PLANO DE AÇÃO Rede Social PLANO DE AÇÃO 2011 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO 1 Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do PLANO DE ACÇÃO 2011 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de Vila

Leia mais

Agrupamento de Escolas Manuel Ferreira Patrício;

Agrupamento de Escolas Manuel Ferreira Patrício; Introdução Um Plano de Desenvolvimento Social é um instrumento de definição conjunta e negociada de objetivos prioritários para a promoção do Desenvolvimento Social local. Tem em vista não só a produção

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013/14

PLANO DE AÇÃO 2013/14 Tema Diagnóstico (situações a melhorar) Objetivo(s) Meta(s) Ações e Atividades Previstas Sensibilizar a comunidade escolar para a necessidade crescente de reutilização de materiais; PLANO DE AÇÃO 2013/14

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Projecto co-financiado pelo FSE

Projecto co-financiado pelo FSE CLAS DE MONDIM DE BASTO PLANO DE ACÇÃO 2012 REDE SOCIAL DE MONDIM DE BASTO Projecto co-financiado pelo FSE ÍNDICE ÍNDICE DE TABELAS... 3 CAPÍTULO I... 4 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO II... 6 PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

Regulamento. Núcleo de Voluntariado de Ourique

Regulamento. Núcleo de Voluntariado de Ourique Regulamento Núcleo de Voluntariado de Ourique Regulamento da Núcleo de Voluntariado de Ourique Nota Justificativa O presente Regulamento define as normas de funcionamento do Núcleo de Voluntariado de Ourique,

Leia mais

1 Apresentação... 3. 2 - Resenha Histórica... 4. 3 - Objetivos... 5. 4 - Entidades envolvidas... 5. 5 - Planificação das atividades...

1 Apresentação... 3. 2 - Resenha Histórica... 4. 3 - Objetivos... 5. 4 - Entidades envolvidas... 5. 5 - Planificação das atividades... Projeto ÁGUA É VIDA Índice 1 Apresentação... 3 2 - Resenha Histórica... 4 3 - Objetivos... 5 4 - Entidades envolvidas... 5 5 - Planificação das atividades... 5 6 - Orçamento... 6 7 - Conclusão... 6 Página

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 II PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016... 6 1. EIXO 1 PROFISSIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 6

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 II PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016... 6 1. EIXO 1 PROFISSIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 6 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO 2016 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 1. Princípios de Ação.4 2. Recursos Organizacionais.4 3. Recursos Humanos 5 4. Recursos Físicos

Leia mais

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa

Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa Centro Social Paroquial de Lustosa Apresentação do Projeto do Centro Social Paroquial de Lustosa 1. Identificação da Instituição: Centro Social Paroquial de Lustosa, NPC: 502431440, com sede em Alameda

Leia mais