Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc"

Transcrição

1 Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified

2 Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado em Engenharia de Sistemas de Computação UNESA Pós-Graduado em Gerência de Sistemas Cliente/Servidor UFRJ/NCE Pós-Graduado em Projeto de Software Orientado a Componentes PUC Pós-Graduado em Gestão (Programa Líderes Cariocas) UFRJ/COPPEAD Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em Risk Management Professional (PMI-RMP) PMI Certificado em Agile Certified Practitioner (PMI-ACP) PMI Certificado em Scrum Master (CSM) pela Star Alliance Certificado em IT Services Management ITIL Foundations Exin Certificado em ISO/IEC Foundations Exin Certificado em COBIT Foundations pelo ISACA Membro do Project Management Institute (PMI) Membro da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) Assessor-chefe do Escritório de Projetos da IplanRio (Prefeitura do Rio) Coordenador Acadêmico e Instrutor dos cursos de GP da Projectlab Professor de Cursos de MBA / Pós-Graduação da UFRJ Setembro/2013 Governança de TI 2

3 Objetivo Apresentar aos alunos dos cursos de MBA em Tecnologia da Informação Executivo os principais conceitos e aplicações relacionados à Governança de Tecnologia da Informação ; assim como os principais modelos e frameworks de melhores práticas aplicáveis na área, incluindo, mas não se limitando a: objetivos de controle de TI (COBIT), gerenciamento de serviços (ITIL), gerenciamento de projetos (PMI) e processos de desenvolvimento de software. Setembro/2013 Governança de TI 3

4 Sumário 1. Introdução 2. Conceitos de Governança de TI 3. Visão Geral do Framework COBIT 4. Planejamento Estratégico (PE, BSC, PDTI) 5. Visão Geral de Gerenciamento de Portfólios (PMI) 6. Visão Geral de Gerenciamento de Projetos (PMI) 7. Visão Geral do Gerenciamento de Serviços de TI 8. Visão Geral dos Processos de Software 9. Visão Geral da Segurança da Informação 10. Encerramento e Avaliação Setembro/2013 Governança de TI 4

5 Processos de Software

6 Estatísticas de projetos de desenvolvimento de sistemas 32% Não utilizados por problemas técnicos 2% 3% Precisou muito retrabalho para utilização Precisou modificações 10% Utilizável 53% Inacabado Setembro/2013 Governança de TI 6

7 Qualidade em Des. de SW Setembro/2013 Governança de TI 7

8 Setembro/2013 Governança de TI 8

9 CMM O modelo SW-CMM (Software Capability Maturity Model) foi definido no SEI (Software Engineering Institute) a pedido do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. A partir de 1991, foram desenvolvidos CMMs para várias disciplinas: Engenharia de Sistemas; Engenharia de Software; Aquisição de Software Gerência e Desenvolvimento da Força de Trabalho; Desenvolvimento Integrado do Processo e do Produto. Setembro/2013 Governança de TI 9

10 CMM Proliferação de Modelos e Padrões em diversas áreas SECM (EIA 731) Software CMM Systems Engineering CMM Integrated Product Development CMM Software Acquisition CMM Systems Security Engineering CMM People CMM Diferentes estruturas, formatos, termos, maneiras de medir maturidade Causa confusão, especialmente quando mais de um modelo é utilizado Difícil de integrar em um único programa de melhoria Setembro/2013 Governança de TI 10

11 CMMI O CMMI surgiu para resolver o problema de utilização de vários modelos, sendo o resultado da evolução dos seguintes: SW-CMM, SECM (System Engineering Capability Model) e IPD-CMM (Integrated Product Development Capability Maturity Model). Além disso, o framework CMMI-SM foi desenvolvido para ser consistente e compatível com a ISO/IEC ISO/IEC Framework para Avaliação de Processos de Software para Melhoria contínua e Determinação da capacidade). Setembro/2013 Governança de TI 11

12 CMM/CMMI: Histórico O CMMI (Capability Maturity Model Integration) foi criado, então, com a finalidade de integrar os diversos modelos CMM. Em 1999, é publicado o esboço (draft), versão 0.2: CMMI- SE/SW (Capability Maturity Model -Integrated System / Software Engineering). Versões do CMMI: Versão 1.0: Agosto de 2000 Versão 1.1: Março de 2002 Versão 1.2: Agosto de >CMMI-DEV (CMMI for Development) Versão 1.3: Novembro de 2010 Atualização CMMI-DEV Setembro/2013 Governança de TI 12

13 CMMI Objetivo principal: fornecer diretrizes baseadas em melhores práticas para a melhoria de processos e habilidades organizacionais, cobrindo o ciclo de vida de produtos e serviços completos, nas fases de concepção, desenvolvimento, aquisição, entrega e manutenção. Método de avaliação mais utilizado: SCAMPI SCAMPI (Standard CMMI Assessment Method for Process Improvement) Setembro/2013 Governança de TI 13

14 Objetivos do CMMI Além da integração dos modelos e redução dos custos com melhorias de processo, os seguintes objetivos também fazem parte do projeto CMMI: Aumento do foco das atividades Integração dos processos existentes Eliminar inconsitências Reduzir duplicações Fornecer terminologia comum Assegurar consistência com a norma ISO Flexibilidade e extensão para outras disciplinas Setembro/2013 Governança de TI 14

15 CMMI: Componentes da Estrutura Área de Processo Metas Específicas Metas Genéricas Práticas Específicas Práticas Genéricas Produtos de Trabalho Típicos Subpráticas Subpráticas Elaboração de Práticas genéricas Setembro/2013 Governança de TI 15

16 CMMI: Componentes da Estrutura Área de Processo (Process Area PA): práticas relacionadas em uma área que, quando executadas de forma coletiva, satisfazem um conjunto de metas consideradas importantes para trazer uma melhoria nessa área. Metas Específicas: se aplicam a uma PA e tratam de características que descrevem o que deve ser implementado para satisfazer essa PA. São utilizadas nas avaliações para auxiliar a determinar se a PA está sendo satisfeita. Práticas Específicas: atividades que são consideradas importantes na satisfação de uma meta específica associada. Setembro/2013 Governança de TI 16

17 CMMI: Componentes da Estrutura Metas Genéricas: aparecem em diversas PAs. Práticas genéricas: oferecem uma institucionalização que assegura que os processos associados com a PA serão eficientes, repetíveis e duráveis. Subpráticas: descrições detalhadas que fornecem um direcionamento para a interpretação de práticas específicas ou genéricas. Produtos de trabalho típicos: exemplos de saídas de uma prática específica ou genérica. Setembro/2013 Governança de TI 17

18 CMMI: Classificação dos Componentes Componentes exigidos do modelo. Esses componentes devem ser atingidos pelos processos planejados e implementados por uma organização. Ex: Metas específicas e metas genéricas ; Componentes esperados descrevem o que uma organização normalmente implementará para satisfazer um componente exigido. Ex: Práticas específicas e práticas genéricas ; Componentes informativos do modelo que auxiliam os usuários do modelo a entender as metas e práticas e a forma como elas podem ser implementadas. Os componentes informativos fornecem detalhes que auxiliam os usuários do modelo a começar a pensar em como abordar as metas e práticas. Ex: Subpráticas, produtos de trabalho típicos, entre outros. Setembro/2013 Governança de TI 18

19 Exemplo: Meta e Prática Específica PA: Gerência de Requisitos Meta Específica: Gerenciar Requisitos Requisitos são gerenciados e inconsistências com planos de projeto e produtos de trabalho são identificados. Prática Específica: Manter rastreabilidade bidirecional entre requisitos. Manter rastreabilidade bidirecional entre os requisitos e planos de projeto e produtos de trabalho. Produtos de Trabalho Típicos: Matriz de rastreabilidade, Sistema de Acompanhamento de Requisitos Setembro/2013 Governança de TI 19

20 Exemplo: Meta e Prática Genéricas Meta Genérica (do Nível 2 de Capacidade ou Maturidade) Institucionalizar um processo gerenciado. Prática Genérica (do Nível 2 de Capacidade ou Maturidade) Estabelecer uma política organizacional. Setembro/2013 Governança de TI 20

21 CMMI: Representações Contínua Níveis de Capacidade Agrupamento de Áreas de Processo por Categoria Avaliação da Capacidade nas Áreas de Processo Por Estágios Níveis de Maturidade Agrupamento de Áreas de Processo por Nível Avaliação da Organização / Unidade Organizacional As PAs do CMMI são as mesmas para ambas as representações. Setembro/2013 Governança de TI 21

22 Áreas de Processo do CMMI Seguindo uma estrutura baseada no inter-relacionamento funcional entre as metas, dentro de uma visão de melhoria corporativa de processos, as Áreas de Processo são organizadas em quatro categorias de processo: Gerenciamento de Processos Gerenciamento de Projetos Engenharia Suporte Setembro/2013 Governança de TI 22

23 Categorias x Áreas de Processos Gerenciamento Processo Gerenciamento Projeto Engenharia Suporte Foco no Processo Organizacional Planejamento de Projeto Desenvolvimento de Requisitos Gerenciamento de Configuração Definição do Processo Organizacional Treinamento Organizacional Desempenho do Processo Organizacional Gestão do Desempenho Organizacional Acompanhamento e Controle de Projeto Gerenciamento de Acordos com Fornecedores Gerenciamento Integrado de Projeto Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Risco Soluções Técnicas Integração de Produto Verificação Validação Garantia da Qualidade de Processo e de Produto Medições e Análise Análise de Decisões e Resoluções Análise e Resolução de Causas Gerenciamento Quantitativo de Projeto Setembro/2013 Governança de TI 23

24 Áreas de Processo: Gerenciamento de Processos Atividades relativas à definição, planejamento, distribuição de recursos, aplicação, implementação, monitoramento, controle, avaliação, medição e melhoria de processos. Envolve as seguintes PAs: Foco no Processo Organizacional Definição do Processo Organizacional Treinamento Organizacional Desempenho do Processo Organizacional Gestão do Desempenho Organizacional Setembro/2013 Governança de TI 24

25 Gerenciamento de Processos Área de Processo Foco no Processo Organizacional (OPF) Definição do Processo Organizacional (OPD) Treinamento Organizacional (OT) Desempenho do Processo Organizacional (OPP) Gestão do Desempenho Organizacional (OPM) Objetivo Planejar, implementar e entregar melhorias no processo organizacional (incluindo o processo padrão e os derivados de adaptações), com base no claro entendimento dos seus pontos fracos. Estabelecer e manter uma biblioteca (re)utilizável de componentes do processo organizacional, incluindo políticas, descrições de processos, modelos de ciclos de vida, critérios e diretrizes para adaptação do processo, repositório de métricas, e demais itens de documentação relacionados. Desenvolver as habilidades e o conhecimento das pessoas, de forma que elas possam desempenhar seus papéis no processo organizacional de forma efetiva. Estabelecer e manter uma visão quantitativa do desempenho dos processos padrões, e prover modelos e baselines de desempenho, visando melhorar a gestão dos projetos através de métricas de processo e produto. Selecionar e implantar melhorias incrementais e inovações nos processos e nas tecnologias que promovam, quantitativamente, o aumento da habilidade da organização para cumprir os seus objetivos de desempenho de processos e qualidade. Setembro/2013 Governança de TI 25

26 Áreas de Processo: Gerenciamento de Projetos Atividades de gerenciamento de projetos relacionadas ao planejamento, monitoramento e controle do projeto. Envolve as seguintes PAs: Planejamento do Projeto Monitoramento e Controle do Projeto Gerenciamento de Acordos com Fornecedores Gerenciamento Integrado do Projeto Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Riscos Gestão Quantitativa de Projetos Setembro/2013 Governança de TI 26

27 Áreas de Processo: Gerenciamento de Projetos Área de Processo Planejamento do Projeto (PP) Monitoramento e Controle do Projeto (PMC) Gerenciamento de Acordo com Fornecedores (SAM) Gerenciamento integrado do Projeto (IPM) Gerenciamento de Requisitos (REQM) Gestão de Riscos (RSKM) Gestão Quantitativa do Projeto (QMP) Objetivo Estabelecer e manter planos que definam as atividades dos projetos, envolvendo a elaboração de estimativas, o estabelecimento do nível adequado de interação com os grupos envolvidos e a obtenção de compromissos. Permitir uma visibilidade adequada do progresso do projeto, de forma que possam ser tomadas ações corretivas apropriadas quando o seu desempenho apresentar desvios significativos em relação ao planejado. Gerenciar a aquisição de produtos de fornecedores externos para os quais existe um acordo formal (produtos e/ou componentes entregáveis ao cliente, ou mesmo ferramentas e ambientes operacionais para o projeto). Planejar e gerenciar o projeto e o envolvimento dos principais grupos interessados, de acordo com um processo definido e integrado, derivado do processo padrão da organização. Gerenciar os requisitos técnicos e não técnicos absorvidos ou gerados por um projeto. Identificar problemas potenciais antes de sua ocorrência, para que possam ser planejadas e executadas ações de tratamento de riscos, visando a mitigação de impactos negativos nos objetivos, ao longo do ciclo de vida do projeto ou produto. Gerenciar quantitativamente (através de métricas) o processo definido do projeto, visando o atingimento dos objetivos preestabelecidos de desempenho de qualidade e processo. Setembro/2013 Governança de TI 27

28 Áreas de Processo: Engenharia Atividades relacionadas ao ciclo de vida de desenvolvimento e manutenção de produtos, assim como à garantia do seu funcionamento e da sua aderência às especificações. Envolve as seguintes PAs: Desenvolvimento de Requisitos Solução Técnica Integração do Produto Verificação - garantir que um determinado produto satisfaça os respectivos requisitos de desenvolvimento Validação - demonstrar que um determinado produto ou componente atinge os resultados esperados depois de colocado em operação no ambiente final. Setembro/2013 Governança de TI 28

29 Áreas de Processo: Engenharia Área de Processo Desenvolvimento de Requisitos (RD) Solução Técnica (TS) Integração do Produto (PI) Verificação (VER) Validação (VAL) Objetivo Gerar, analisar, definir e validar requisitos do cliente, assim como seus desdobramentos para os requisitos do produto e dos seus componentes, em conformidade com as necessidades dos grupos interessados. Projetar, desenvolver e implementar alternativas de soluções para o atendimento de requisitos preestabelecidos, podendo envolver a criação e/ou aquisição de produtos, componentes de produtos ou serviços relacionados. Montar o produto a partir dos seus componentes e entrega-lo ao cliente, garantindo o seu funcionamento de forma integrada em relação a todas as interfaces internas e externas. Garantir que um determinado produto satisfaça os respectivos requisitos para os quais foi desenvolvido Demonstrar que um determinado produto ou componente de produto atinge os resultados esperados depois de colocado em operação no ambiente final. Setembro/2013 Governança de TI 29

30 Áreas de Processo: Suporte Qualifica processos cujas atividades são distribuídas ao longo de um projeto de desenvolvimento ou manutenção de produto, cujos objetivos são atingidos indiretamente por meio de sua execução. Envolve as seguintes PAs: Gerência de Configuração Garantia da Qualidade do Processo e do Produto Medição e Análise Análise de Decisões e Resoluções Análise e Resoluções de Causas Setembro/2013 Governança de TI 30

31 Áreas de Processo: Suporte Área de Processo Gerenciamento de Configuração (CM) Garantia da Qualidade do Processo e do Produto (PPQA) Medição e Análise (MA) Análise de Decisões e Resoluções (DAR) Análise e Resolução de Causas (CAR) Objetivo Estabelecer e manter a integridade dos produtos de trabalho através da identificação, controle, verificação e monitoramento constante da situação da sua configuração. Prover aos integrantes das equipes uma visibilidade mais clara do andamento dos processos e dos produtos gerados, através de avaliações objetivas em relação às especificações, da identificação de não-conformidades e do acompanhamento de ações corretivas. Desenvolver e manter uma capacitação de medição para suportar as necessidade de informações gerenciais, em termos de conceitos, técnicas e mecanismos de execução. Analisar possíveis decisões utilizando um processo de avaliação formal, que considera alternativas identificadas em relação a critérios preestabelecidos. Identificar causas de defeitos e outros problemas e tomar ações corretivas para prevenir a sua ocorrência futura. Setembro/2013 Governança de TI 31

32 CMM x CMMI CMM 18 Áreas Chave de Processo (KPA) Representação por estágios (5 níveis) CMMI 22 Áreas de Processo(PA) Duas abordagens: Por estágios (4 níveis) - Semelhante a SW-CMM Contínua Semelhante a Norma As duas abordagens do CMMI contém basicamente a mesma informação organizadas de duas formas: por estágios: 4 níveis organizacionais, cada um com PAs contínua: 22 PAs, em 4 categorias, e 4 níveis de capacidade Setembro/2013 Governança de TI 32

33 Crescimento das Avaliações CMMI Ao longo dos anos Setembro/2013 Governança de TI 33

34 CMMI: Maturidade do Mercado Nacional Nível de Maturidade CMMI No. Empresas Fonte: em 15/06/2012 Setembro/2013 Governança de TI 34

35 CMMI Mercado Nacional Fonte: em 15/06/2012 Empresa Estado Nº Org. Modelo Nível 1. Tlantic SI RS 1 CMMI v T-Systems do Brasil SP e SC 2 CMMI v Politec DF 1 CMMI v PT Inovação S.A Portugal 1 CMMI v CWI Software Ltda. RS 1 CMMI v Sofhar Gestão e Tecnologia S.A. PR 1 CMMI v Fundação CPqD - Centro de Pesquisa e Desenv. em Telecom. SP 1 CMMI v BSI Tecnologia Ltda. PR e SP 2 CMMI v RESOURCE Tecnologia e Informática LTDA SP 1 CMMI v Itautec S/A SP 1 CMMI v CTIS Tecnologia S/A DF 1 CMMI v RESOURCE Tecnologia e Informática LTDA SP 1 CMMI v Cast Informática S.A SP 1 CMMI v DBA Engenharia de Sistemas RJ 1 CMMI v BRQ Soluções em Informática S.A PR 1 CMMI v Accenture Brazil SP 1 CMMI v Instituto Atlântico CE 1 CMMI v CPM Braxis BA 1 CMMI v1.2 5 Setembro/2013 Governança de TI 35

36 Avaliações SCAMPI no Mundo Fonte: em 15/06/2012 Setembro/2013 Governança de TI 36

37 Representação por Estágios Níveis de Maturidade Um nível de maturidade é um plano bem definido de um caminho para tornar a organização mais madura. Existem quatro níveis de maturidade. Cada nível representa uma camada na base para a melhoria contínua do processo. Setembro/2013 Governança de TI 37

38 Abordagem Por Estágios: Estrutura Área Process de Processo Area 1 1 Área Process de Processo Area 2 2 Área Process de Processo Area n n Metas Specific Específicas Goals Metas Generic Genéricas Goals Práticas Específicas Práticas Generic Genéricas Practices Estrutura do CMMI na abordagem por estágios adaptado do SEI (2010b) Setembro/2013 Governança de TI 38

39 Representação Por Estágios Setembro/2013 Governança de TI 39

40 Nível Foco Área de Processo 5 Otimizando Melhoria Contínua do Processo Gestão do Desempenho Organizacional Análise de Causa e Resolução 4 Gerenciado Quantativamente 3 Definido Gerenciamento Quantitativo Padronização do Processo Desempenho do Processo Organizacional Gerenciamento Quantitativo de Projeto Desenvolvimento de Requisitos Soluções Técnicas Integração de Produto Verificação Validação Foco no Processo Organizacional Definição do Processo Organizacional Treinamento Organizacional Gerenciamento Integrado de Projeto Gerenciamento de Riscos Análise de Decisão e Resolução 2 Gerenciado Gerenciamento Básico de Projeto Gerenciamento de Requisitos Planejamento de Projeto Acompanhamento e Controle de Projeto Gerenciamento de Acordo com Fornecedor Medições e Análise Garantia da Qualidade de Processo e de Produto Gerenciamento de Configuração Setembro/2013 Governança de TI 40

41 Representação por Estágio: PAs do Nível 2 Gerenciamento de Requisitos Planejamento do Projeto Monitoramento e Controle de Projeto Garantia da Qualidade do Processo e do Produto Gerenciamento de Acordo com Fornecedores Gerenciamento de Configuração Medição e Análise Setembro/2013 Governança de TI 41

42 PAs do Nível 2 Gerenciamento de Requisitos: gerenciar os requisitos dos produtos e componentes de produtos do projeto e identificar as inconsistências entre estes requisitos e os planos e os produtos de trabalho do projeto. Envolve: Assegurar que o conjunto de requisitos acordados é gerenciado para apoiar as necessidades de planejamento e execução do projeto. Documentar as mudanças nos requisitos e suas justificativas, e manter a rastreabilidade bidirecional entre os requisitos fonte e todos os requisitos de produtos e componentes de produtos. Setembro/2013 Governança de TI 42

43 PAs do Nível 2 Planejamento de Projetos: estabelecer e manter planos que definem as atividades do projeto. Envolve: Desenvolver o plano do projeto Interagir com os stakeholders de forma apropriada Obter compromissos com o plano Manter o plano Setembro/2013 Governança de TI 43

44 PAs do Nível 2 Monitoramento e Controle do Projeto: oferecer um entendimento do progresso do projeto, de maneira que as ações corretivas apropriadas possam ser tomadas quando o desempenho do projeto se desviar significativamente do plano. Envolve: Monitorar atividades, comunicar status e tomar as ações corretivas. O progresso é basicamente determinado pela comparação dos atributos reais de produtos de trabalho e tarefas, esforço, custo e cronograma com o que foi planejado. Setembro/2013 Governança de TI 44

45 PAs do Nível 2 Gerenciamento de Acordos com Fornecedores: gerenciar a aquisição de produtos de fornecedores para os quais existe um acordo formal. Envolve: Determinar o tipo de aquisição que será utilizada para os produtos a serem adquiridos Selecionar os fornecedores Estabelecer e manter acordos com fornecedores Executar o acordo com o fornecedor Aceitar a entrega dos produtos adquiridos Fazer a transição dos produtos adquiridos para o projeto Setembro/2013 Governança de TI 45

46 PAs do Nível 2 Medição e Análise: desenvolver e sustentar a capacidade de medições que é utilizada para apoiar as necessidades de gerenciamento de informações. Envolve: Especificar os objetivos de medições e análises, de forma que estes estejam alinhados com as necessidades e objetivos de informações identificados Especificar as medidas, mecanismos de coleta de dados e armazenamento, técnicas de análises e mecanismos de comunicação e de feedback Implementar a coleta, armazenagem, análise e relatórios sobre os dados Fornecer resultados objetivos que possam ser utilizados na tomada de decisões bem informadas e na tomada das ações corretivas apropriadas Setembro/2013 Governança de TI 46

47 PAs do Nível 2 Garantia da Qualidade do Processo e do Produto: fornecer à equipe e à gerência um entendimento objetivo dos processos e seus produtos de trabalho associados. Envolve: Avaliar objetivamente os processos, produtos de trabalho e serviços executados contra as descrições de processo, padrões e procedimentos aplicáveis Identificar e documentar questões de não conformidades Fornecer feedback para a equipe do projeto e gerentes sobre os resultados das atividades de garantia da qualidade Assegurar que as questões de não conformidades sejam tratadas Setembro/2013 Governança de TI 47

48 PAs do Nível 2 Gerenciamento de Configuração: estabelecer e manter a integridade dos produtos de trabalho, utilizando a identificação da configuração, controle da configuração, comunicação do status da configuração e auditorias de configurações. Envolve: Identificar a configuração de produtos de trabalho selecionados que compõem as baselines em determinados momentos no tempo Controlar as mudanças nos itens de configuração Construir ou fornecer especificações para construir produtos de trabalho a partir do sistema de gerenciamento de configurações Manter a integridade das baselines Fornecer um status preciso e os dados atuais de configurações para desenvolvedores, usuários finais e clientes Setembro/2013 Governança de TI 48

49 Representação por Estágio: PAs do Nível 3 Gerenciamento Integrado do Projeto Definição do Processo Organizacional Foco no Processo Organizacional Treinamento Organizacional Desenvolvimento de Requisitos Solução Técnica Integração do Produto Verificação Validação Gerenciamento de Riscos Análise de Decisão e Resolução Setembro/2013 Governança de TI 49

50 Representação por Estágio: PAs do Níveis 4 e 5 Nível 4: Nível 5: Gerência Quantitativa do Projeto Desempenho do Processo Organizacional Análise de Causas e Resolução Gestão do Desempenho Organizacional Setembro/2013 Governança de TI 50

51 Representação Contínua Um nível de capacidade é um plano bem definido que descreve a capacidade de uma área de processo. Existem 4 (quatro) níveis de capacidade. Cada nível representa uma camada na base para a melhoria contínua do processo. Assim, níves de capacidade são cumulativos, ou seja, um nível de capacidade mais alto inclui os atributos dos níveis mais baixos. Uma vez que os modelos CMMI são projetados para descrever níveis discretos de melhoria de processo, níveis de capacidade provêem uma ordem recomendada para abordar a melhoria de processo dentro de cada área de processo. Setembro/2013 Governança de TI 51

52 Abordagem Contínua: Estrutura Área Process de Processo Area 1 1 Área Process de Processo Area 2 2 Área Process de Processo Area n n Metas Specific Específicas Goals Metas Generic Genéricas Goals Práticas Specific Específicas Practices Níveis de Capacidade Práticas Generic Practices Genéricas Estrutura do CMMI na abordagem contínua adaptado do SEI (2010b) Setembro/2013 Governança de TI 52

53 Representação Contínua: Estrutura Metas específicas organizam práticas específicas; Metas genéricas organizam práticas genéricas; Cada prática (específica e genérica) corresponde a um nível de capacidade; Metas e práticas específicas aplicam-se a áreas de processo individuais; Metas e práticas genéricas aplicam-se a várias áreas de processo. Setembro/2013 Governança de TI 53

54 Representação Contínua: Níveis de Capacidade Incompleto Executado Gerenciado Definido Setembro/2013 Governança de TI 54

55 Representação Contínua: Vantagens Fornece maior flexibilidade focando em áreas de processo específicas de acordo com metas e objetivos de negócio Permite a comparação de áreas de processo entre diferentes organizações Estrutura familiar para aqueles que estão migrando da comunidade de engenharia de sistemas Foco bem definido nos riscos específicos de cada área de processo Estrutura compatível com a ISO/IEC Setembro/2013 Governança de TI 55

56 Representações Por Estágios: Vantagens Fornece uma rota de implementação através de: grupos de área de processo implementação em seqüência cada nível funciona como a fundação para o próximo Estrutura familiar para aqueles que estão migrando do SW- CMM. Habilidade de gerenciar processos através da organização. Em uma avaliação, atribui um nível de maturidade em que a organização se encontra, permitindo, assim, comparar organizações de forma direta. Setembro/2013 Governança de TI 56

57 MPS.br Setembro/2013 Governança de TI 58

58 MPS.br: Melhoria de processo do software Brasileiro Comparação da Maturidade do Processo de Software No Brasil, as empresas locais favoreceram a ISO 9000 Até 2003, na Índia, 32 empresas atingiram o nível 5 do CMM, no qual a China tinha 1 empresa e o Brasil nenhuma. Em relação ao CMM, como um todo, a maioria das empresas chinesas e brasileiras não está em um nível suficientemente alto de maturidade do processo para competir com as empresas indianas Ref: Slicing the Knowledge-based Economy in Brazil, China and India: a tale of 3 software industries [MIT, 2003] Setembro/2013 Governança de TI 59

59 NBR ISO/IEC e ISO/IEC Modelo MPS ISO/IEC CMMI ISO/IEC Referência para modelos e métodos para Modelo de Referência Modelo de Avaliação Modelo de Negócio avaliação e melhoria de processo (MR-MPS) (MA-MPS) (MN-MPS) Modelo para avaliação e melhoria de processo de software Guia Geral Guia de Aquisição Documento do Processos de Ciclo de Vida de Software MPS.BR Referência para contratação e fornecimento de serviços e produtos de software Guia Define de uma Implementação taxonomia para processos Guia de Avaliação de software Setembro/2013 Governança de TI 60

60 MPS.br: Estrutura Modelo MPS ISO/IEC CMMI ISO/IEC Modelo de Referência (MR-MPS) Modelo de Avaliação (MA-MPS) Modelo de Negócio (MN-MPS) Guia Geral Guia de Aquisição Documento do MPS.BR Guia de Implementação Guia de Avaliação Setembro/2013 Governança de TI 61

61 Modelo de Referência (MR-MPS): Processos Estrutura ISO/IEC Setembro/2013 Governança de TI 62

62 MPS.br: Melhoria de Processo do Software Brasileiro Setembro/2013 Governança de TI 63

63 CMMI x MPS.br CMMI 5 Otimizando 4 Gerenciado Quantitativamente 3 Definido 2 Gerenciado MPS.BR (EMPRES. CERT.) A Em Otimização B Gerenciado Quantitativamente C Definido D Largamente Definido E Parcialmente Definido F Gerenciado G Parcialmente Gerenciado Inovação e Implantação na Organização Análise e Resolução de Causas Gerência Quantitativa do Projeto Desempenho do Processo Organizacional Análise de Decisão e Resolução Gerência de Riscos Desenvolvimento de Requisitos / Solução Técnica / Integração do Produto/ Instalação do Produto / Liberação do Produto / Verificação / Validação Treinamento / Avaliação e Melhoria do Processo Org. / Definição do Processo Org. / Adaptação do Processo para Gerência de Projeto Medição e Análise / Gerência de Configuração Aquisição / Garantia da Qualidade do Proc. e do Prod. Gerência de Requisitos Gerência do Projeto Setembro/2013 Governança de TI 64

64 Equivalência entre MR-MPS e CMMI Existe uma equivalência entre o MR-MPS e o CMMI. Esta equivalência é total do ponto de vista do MR- MPS para o CMMI, isto é, todos os requisitos das áreas de processo do CMMI estão presentes no MR- MPS. Entretanto não existe equivalência total do ponto de vista do CMMI para o MR-MPS, pelas seguintes razões: (slide seguinte) Referência: Setembro/2013 Governança de TI 65

65 Não Equivalência entre CMMI e MR-MPS 1) no Nível F do MR-MPS, existe o processo Gerência de Portfólio de Projetos que não existe no CMMI. 2) no Nível E do MR-MPS, o processo Gerência de Recursos Humanos inclui os requisitos da área de processo Treinamento Organizacional, mas tem requisitos relacionados à Aquisição de Pessoal e Gerência de Conhecimento que não estão presentes na área Treinamento Organizacional do CMMI. 3) no Nível E do MR-MPS, existe o processo Gerência de Reutilização que não existe no CMMI. 4) no Nível C do MR-MPS, existe o processo Desenvolvimento para Reutilização que não existe no CMMI. Referência: Setembro/2013 Governança de TI 66

66 Avaliações MPS.br por Ano Fonte: em 15/06/2012 Setembro/2013 Governança de TI 67

67 MPS.br: Mercado Nacional Fonte: /avaliacoes_mpsbr_total.pdf Setembro/2013 Governança de TI 68

68 Avaliações MPS.br por Nível Fonte: em 15/06/2012 Setembro/2013 Governança de TI 69

69 Lista de avaliações MPS-br no Brasil 89 organizações CPM BRAXIS/UNITECH BA (válido até: 30.set.13) POLITEC DF (válido até: 27.mai.12) STEFANINI SP (válido até: 29.set.12) Nenhuma empresa nível B Fonte: em 15/06/2012 Setembro/2013 Governança de TI 70

70 Avaliação Nível F: Tempo e Custo Se a organização não tiver implementado e sido avaliada anteriormente no nível G do Modelo MPS, a implementação do nível F normalmente requer até 12 meses de esforço a um custo de referência por empresa de R$ ,00 (sessenta mil reais); mais R$ ,00 (doze mil reais) que é o custo de referência de uma avaliação MPS, nível F, a ser realizada no prazo de um a seis meses subseqüentes. Recomenda-se que a organização interessada faça pedido de propostas de implementação às Instituições Implementadoras credenciadas e, posteriormente, pedido de propostas de avaliação às Instituições Avaliadoras credenciadas. Setembro/2013 Governança de TI 71

71 Considerações Finais

72 Referências Bibliográficas PMP, PMBOK - São marcas registradas do Project Management Institute (PMI) ITIL - É marca registrada do Office of Government Commerce (OGC) CobiT - É marca registrada do ISACA / IT Governance Institute (ITGI)

73 Referências Bibliográficas Project Management Institute (PMI), PMBOK Project Management Body of Knowledge, 4ª ed, Project Management Institute (PMI), O Padrão para Gerenciamento de Portfólios, 2ª ed, CobiT 4.1, Rolling Meadows, 2007 (2007a). Fernandes, Aguinaldo Aragon; De Abreu, Vladimir Ferraz: Implantando a Governança de TI da Estratégia à Gestão dos Processos e Serviços. 2ª ed. Rio de Janeiro: Brasport, Well, Peter; Ross, Jeanne W.: Governança de Tecnologia da Informação. 1ª ed. São Paulo: M. Books do Brasil, Setembro/2013 Governança de TI 76

74 CONTATOS Carlos Henrique Santos da Silva, MSC, PMP Site: Setembro/2013 Governança de TI 77

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

A relação da Governança de TI (COBIT), Gerenciamento de Serviços (ITIL) e Gerenciamento de Projetos (PMI)

A relação da Governança de TI (COBIT), Gerenciamento de Serviços (ITIL) e Gerenciamento de Projetos (PMI) A relação da Governança de TI (COBIT), Gerenciamento de Serviços (ITIL) e Gerenciamento de Projetos (PMI) Os principais modelos de melhores práticas em TI Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP, ITIL

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM M P S. B R : M E L H O R I A D E P R O C E S S O D O S O F T W A R E B R A S I L E I R O A

Leia mais

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini Unidade VI GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Capability Maturity Model Integration CMMI SW-CMM (Software Capability Maturity Model): prove informações para o aprimoramento de processos de desenvolvimento

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

Qualidade do Processo de Software

Qualidade do Processo de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Qualidade do Processo de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais

Leia mais

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3 Objetivos Histórico Evolução da Qualidade Princípios de Deming CMMI Conceitos Vantagens Representações Detalhamento Gerenciamento Comparação Out/11 2 Histórico SW-CMM (Software Capability Maturity Model):

Leia mais

Governança de TI. Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc. PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified. Maio/2012 Governança de TI 1

Governança de TI. Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc. PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified. Maio/2012 Governança de TI 1 Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Maio/2012 Governança de TI 1 Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Garantia da Qualidade de Processo e Produto Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. É permitido o uso deste material

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Governança de Tecnologia da Informação

Governança de Tecnologia da Informação Governança de Tecnologia da Informação Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified Agosto/2012 Governança de TI 1 Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto Gerais Processo Produto Propostas NBR ISO 9000:2005 define principios e vocabulário NBR ISO 9001:2000 define exigências para sistema de gerência de qualidade NBR ISO 9004:2000 apresenta linha diretivas

Leia mais

Departamento de Produção POLI

Departamento de Produção POLI Departamento de Produção POLI Marcelo Pessoa Mauro Spinola Sarah Kohan Fevereiro 2004 Multiplicidade de Modelos Por que usar um modelo? Modelos atuam como referência para a obtenção de níveis adequados

Leia mais

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Eneida Rios¹ ¹http://www.ifbaiano.edu.br eneidarios@eafcatu.gov.br Campus Catu 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Conteúdos Fatores humanos de qualidade

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 2. Qualidade do

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Descrição das Áreas de Processo

Descrição das Áreas de Processo Descrição das Áreas de Processo Níveis 2 e 3 Foco em CMMI para SW INF326 - Modelos de Qualidade de SW - Mario L. Côrtes CMMI parte B 5B - 1 Convenções gráficas Repositório de Medições Repositório de Informações

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

Melhores Práticas em TI

Melhores Práticas em TI Melhores Práticas em TI Referências Implantando a Governança de TI - Da Estratégia à Gestão de Processos e Serviços - 2ª Edição Edição - AGUINALDO ARAGON FERNANDES, VLADIMIR FERRAZ DE ABREU. An Introductory

Leia mais

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Qualidade de Software Aula 6 / 2010 Prof. Dr. Luís Fernando Garcia luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Introdução As três dimensões críticas Introdução Começando MAL CMMI Impeditivos CMMI Desculpas CMMI

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

A Credencial de Gerenciamento de Riscos PMI-RMP

A Credencial de Gerenciamento de Riscos PMI-RMP A Credencial de Gerenciamento de Riscos PMI-RMP PMI e PMI-RMP são marcas registradas do Project Management Institute Pág. 1 Carlos Henrique, MSc, PMI-ACP, PMI-RMP, PMP Especializações Mestre em Informática

Leia mais

Modelo de Qualidade CMMI

Modelo de Qualidade CMMI Modelo de Qualidade CMMI João Machado Tarcísio de Paula UFF - Campus Rio das Ostras Resumo Este trabalho tem como objetivo explicar de forma simples o que é e como funciona o modelo de qualidade CMMI,

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Qualidade de software É cada dia maior o número de empresas que buscam melhorias em seus processos de desenvolvimento de software. Além do aumento da produtividade e da diminuição do retrabalho, elas buscam

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

Implantação de um Processo de Medições de Software

Implantação de um Processo de Medições de Software Departamento de Informática BFPUG Brazilian Function Point Users Group Implantação de um Processo de Medições de Software Claudia Hazan, MSc., CFPS claudinhah@yahoo.com Agenda Introdução Processo de Medições

Leia mais

Sistemas de Informação e Banco de Dados. Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified

Sistemas de Informação e Banco de Dados. Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified Sistemas de Informação e Banco de Dados Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática em Sistemas de Informação

Leia mais

Coletânea Gestão e Governança de TI TCU

Coletânea Gestão e Governança de TI TCU Coletânea Gestão e Governança de TI TCU (COBIT, ITIL, PMBOK, CMMI, Planejamento Estratégico e Modelagem de Processos) Professores: Hério Oliveira e Walter Cunha http://www.waltercunha.com http://heriooliveira.wordpress.com

Leia mais

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail. Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura O Modelo Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Agenda O que é? Motivação Organização do MPS.BR Estrutura

Leia mais

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G por Adriana Silveira de Souza Agenda Visão Geral do MPS.BR Processos e Capacidade de Processo Níveis de Maturidade Atributos de Processo Processo

Leia mais

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps)

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto mps Br: Modelo de Referência para Melhoria de Processo de Software CMMI SPICE SCAMPI MODELO PARA MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc. PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc. PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Gerenciamento de Projetos Tecnológicos Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática em Sistemas de Informação

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Apresentação Programa MPS.BR Reutilização no MPS.BR Gerência de reutilização Desenvolvimento para reutilização

Leia mais

Capability Maturity Model Integration - CMMI

Capability Maturity Model Integration - CMMI Capability Maturity Model Integration - CMMI Para Desenvolvimento Versão 1.2 M.Sc. Roberto Couto Lima ÍNDICE 1. Definição ------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Ana Regina Rocha Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Coordenadora da Equipe Técnica do Modelo MPS Uma Organização com bom desempenho gasta 80% de

Leia mais

Qualidade de Software MPS.BR - Questões CESPE (2010 a 2013)

Qualidade de Software MPS.BR - Questões CESPE (2010 a 2013) Qualidade de Software MPS.BR - Questões CESPE (2010 a 2013) Professor Gledson Pompeu gledson.pompeu@gmail.com Acesse nosso site em WWW.DOMINANDOTI.COM.BR Versões atualizadas de notas de aula e listas de

Leia mais

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-Estrutura do MPS-Br ( Softex, 2009) O MPS.BR1 é um programa mobilizador,

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR Fonte: http://www.softex.br/mpsbr/_home/default.asp Apostilas disponíveis no site 1 NORMAS: NBR ISO NBR ISO/IEC CMM SPICE Continuação... 2 NORMAS VISÃO GERAL NBR

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Introdução a CMMI Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Campina Grande, 29 de setembro de 2008 Agenda Processos Motivação Sintomas de falha de processo Aprimoramento de Processos O Framework

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo QUALIDADE DE SOFTWARE - PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 Planejar e Organizar Gerenciar Projetos Pedro Rocha http://rochapedro.wordpress.com RESUMO Este documento trás a tradução do objetivo de controle PO10 (Gerenciamento

Leia mais

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MODELOS DE MELHORES PRÁTICAS DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MELHORES PRÁTICAS PARA T.I. MODELO DE MELHORES PRÁTICAS COBIT Control Objectives for Information

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

Projeto mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Projeto mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Projeto mps Br melhoria de processo do software Brasileiro SUMÁRIO. Introdução 2. Projeto mps Br 3. Modelo MR mps 4. Conclusão Project: Bspi Brazilian software process improvement Comparação da Maturidade

Leia mais

Gerência de Configuração em Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Organização

Gerência de Configuração em Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Organização Gerência de Configuração em Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Organização Sávio Figueiredo, Gleison Santos, Ana Regina Rocha COPPE UFRJ {savio, gleison, darocha}@cos.ufrj.br SBQS 2004

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

Mini-Curso Gerência de Configuração Visão prática

Mini-Curso Gerência de Configuração Visão prática www.asrconsultoria.com.br Mini-Curso Gerência de Configuração Visão prática Copyright ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade 1 Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria

Leia mais

Definição do Framework

Definição do Framework Definição do Framework 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem por finalidade apresentar o mapeamento dos processos de Definição de Processo Organizacional e Avaliação e Melhoria do Processo dos

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Tecnológicos

Gerenciamento de Projetos Tecnológicos Gerenciamento de Projetos Tecnológicos Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática em Sistemas de Informação

Leia mais

do software Brasileiro

do software Brasileiro Projeto mps Br: melhoria de processo do software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. O Projeto mps Br 3. Conclusão Project: Bspi Brazilian software process improvement 1 Percepção da Qualidade dos Processos

Leia mais

Qualidade em TIC: Principais normas e modelos

Qualidade em TIC: Principais normas e modelos Qualidade em TIC: Principais normas e modelos "Falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de métodos." Albert Einstein CMMI Visão Geral Three Complementary Constellations CMMI-DEV fornece

Leia mais

Conhecimento em Tecnologia da Informação. CobiT 5. Apresentação do novo framework da ISACA. 2013 Bridge Consulting All rights reserved

Conhecimento em Tecnologia da Informação. CobiT 5. Apresentação do novo framework da ISACA. 2013 Bridge Consulting All rights reserved Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Apresentação do novo framework da ISACA Apresentação Este artigo tem como objetivo apresentar a nova versão do modelo de governança de TI, CobiT 5, lançado

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial Governança de Tecnologia da Informação parte 2 Fonte: Mônica C. Rodrigues Padrões e Gestão de TI ISO,COBIT, ITIL 3 International Organization for Standardization d -

Leia mais

Este programa tem como objetivo consolidar conhecimentos sobre as melhores práticas de Governança em TI com base nos modelos propostos pela

Este programa tem como objetivo consolidar conhecimentos sobre as melhores práticas de Governança em TI com base nos modelos propostos pela GOVERNANÇA EM TI Controles do COBIT v4.1 integrados às boas práticas da ITIL v3. Requisitos das principais Normas de TI (ISO 20000 e ISO 27000) no contexto da Governança. Frameworks para outsourcing (escm-cl

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil 1. Qualidade de Software: motivação para o foco no processo, características dos processos de software e abordagens para melhoria

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Visão Geral do Processo de Desenvolvimento de Software Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização:

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS Realização: Ademar Luccio Albertin Mais de 10 anos de experiência em Governança e Gestão de TI, atuando em projetos nacionais e internacionais

Leia mais

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Martim Chitto Sisson Centro Tecnológico Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis SC Brasil martim@inf.ufsc.br Abstract. This

Leia mais

Wesley Vaz, MSc., CISA

Wesley Vaz, MSc., CISA Wesley Vaz, MSc., CISA Objetivos Ao final da palestra, os participantes deverão ser capazes de: Identificar e compreender os princípios do Cobit 5; Identificar e conhecer as características dos elementos

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais