Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX. Profª Ms. Ariane Pereira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX. Profª Ms. Ariane Pereira"

Transcrição

1 Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX Profª Ms. Ariane Pereira

2 As transformações na Europa final do século XVIII Ideias Iluministas: liberdade e igualdade; Revolução Francesa estabeleceu a burguesia no poder, encerrando a sociedade estamental; Era Napoleônica (1799/1815): Código Civil estabelecia a propriedade privada, base da sociedade burguesa;

3 Congresso de Viena (1814/1815) As grandes potências tentaram restabelecer o Antigo Regime e abafar as ideias liberais burguesas. No entanto, o processo de consolidação da burguesia na política, na sociedade e na economia não acabou.

4 As Revoluções de 1830 entre liberais, radicais e socialistas Defesa do liberalismo; As aspirações burguesas levaram os movimentos liberais de 1830 e 1848; Luta contra o absolutismo de Carlos X na França;

5

6 A razão do movimento de 1830

7 Efeitos da revolução de 1830 Sentimento nacionalista; Luta pela independência; Afirmação de uma identidade nacional; Liberalismo;

8 Foi notável na França o triunfo da burguesia, que conseguiu estabelecer suas ideias liberais contra o governo aristocrático-absolutista. Na prática, essa corrente de pensamento político remonta às propostas de iluministas como Locke, Montesquieu, Voltaire, Adam Smith...

9 O liberalismo representou o domínio burguês na política e na economia. Apesar de colocar em pauta que os governos deveriam atuar com base em constituições e na representação política e defender as liberdades (de imprensa, de expressão, econômica e de ir e vir), a igualdade perante a lei e o direito à propriedade privada, essa linha de pensamento evitava a participação popular na política.

10 O radicalismo Surgiu da insatisfação das pessoas não poderem participar da vida política (Voto Censitário); Radicais tentavam a democratização do ambiente político - o aumento da representação nos parlamentos e a separação entre Igreja e Estado;

11 Teorias Liberalismo defendia o regime constitucional para assegurar a liberdade de pensamento, de culto e de imprensa. Escolha de representantes pelo voto; Nacionalismo defendia a ideia de que cada nação deveria constituir um Estado independente;

12 A industrialização e o socialismo A industrialização repensou a relação da humanidade com a propriedade, o trabalho e a organização em classes sociais; Os socialistas interpretavam o trabalho como a principal forma de gerar riqueza e problematizavam as más condições de vida e atuação dos operários; Socialismo versus capitalismo;

13

14

15

16 As Revoluções de 1848 Confronto ao regime absolutista; Busca por melhorias econômicas; Preservam pelo: Nacionalismo e Liberalismo; Movimentos políticos por toda Europa "onda revolucionária ;

17 Primavera a esperança de mudança Luta operária por melhorias sociais e econômicas; Anterior a 1848 a Europa enfrentou superprodução têxtil, com redução dos salários e empregos; Produção agrícola enfrentou uma redução - alimentos mais caros e empregos mais raros;

18 Surge a alternativa Aprofundamento do liberalismo; Ideias nacionalistas; Defesa do socialismo como forma de melhorar a situação dos trabalhadores

19 O movimento de 1848 na França Movimento popular contra o rei Luís Felipe; Luís Felipe se mantinha no poder e garantia os interesses burgueses; Quando o governo tentou impedir o movimento socialista, o povo foi às ruas; O rei abdica;

20

21

22

23 O pensamento socialista entra em cena A sociedade industrial produziu novas ideias; Críticas ao capitalismo; Teorias de transformações econômica e social; Diferentes teóricos denunciaram os problemas que consideram que provinham do capitalismo industrial;

24 Marx ( ) e Engels ( ) Origem ao marxismo Socialismo científico; Contrários ao capitalismo, concentração de renda e poder da burguesia; Sociedade nova operários por meio do socialismo;

25 A Revolução Socialista promoveria? Abolição da propriedade privada burguesa; Ditadura do Proletariado estes deteriam o controle do Estado e dos meios de produção; O fim da divisão da sociedade em classes, com todos obtendo acesso aos bens produzido ;

26 Fonte: d24fb78f4a13&v=default&b=&from_search=1

27 A comuna de Paris Napoleão III buscou conquistar o apoio popular às suas ações; A expansão de seus domínios territoriais levaram a conflitos que o enfraqueceram; Quando a Prússia venceu a França para garantir sua unificação, Paris se insurgiu a partir de ideias socialistas;

28 Oposição da classe operária em 1871 Deposição de Napoleão III; Ocupação da Comuna (prefeitura de Paris) pelos operários; Bandeira vermelha símbolo da luta operaria; Comuna reprimida violentamente;

29 A Comuna de Paris foi, como a maior parte da história revolucionária de nosso período, importante não tanto pelo que realizou como pelo que anunciou; era mais formidável como um símbolo de que como um fato. [...] Ela foi extraordinária, heróica, dramática e trágica, mas em termos concretos foi breve, e na opinião da maioria dos observadores mais sérios condenada, um governo insurrecional de trabalhadores em uma única cidade, cuja realização maior foi o fato de ser realmente um governo, ainda que tenha durado menos de dois meses(hobsbawn, 2004, p 236).

30 Referências OBJETIVO, Fundamental. Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX FIRMINO, Celso. Revoluções liberais de 1830 e Disponível em: ?qid=1690a5c3-a202-4c2a d24fb78f4a13&v=default&b=&from_search=1. Acesso em: 25. Out GABRIEL, Maria Martim. As revoluções de Disponível em: ?qid=1690a5c3-a202-4c2a d24fb78f4a13&v=default&b=&from_search=3. Acesso em: 25. Out HISTIC ASA. Liberalismo, Nacionalismo, Socialismo. Disponível em: Acesso em: 25. Out MARIA40. Novos modelos culturais no século XIX. Disponível em: xix?qid=382e7ea0-eb51-414c d6af62a7042e&v=qf1&b=&from_search=2. Acesso em: 25. Out

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - julho 2006-1ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51

Processo Seletivo/UFU - julho 2006-1ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 Quanto ao contexto do surgimento da Sociologia, marque a alternativa correta. A) A Sociologia nasceu como ciência a partir da consolidação da sociedade burguesa urbana-industrial

Leia mais

O iluminismo ou Século das luzes

O iluminismo ou Século das luzes O iluminismo ou Século das luzes Início O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo Burguesia e Iluminismo As luzes da razão O que o iluminismo defendia O que o iluminismo combatia Os pensadores iluministas

Leia mais

IDEOLOGIAS DA ERA INDUSTRIAL

IDEOLOGIAS DA ERA INDUSTRIAL Com o desenvolvimento industrial surgiram várias correntes ideológicas que pretendiam justificar e apoiar o capitalismo (doutrinas liberais), ou condená-lo e destruí-lo (doutrinas socialistas). CAPITALISMO

Leia mais

Formação da Economia Global

Formação da Economia Global Formação da Economia Global *Capitalismo Comercial Séculos XV e XVI Expansão Comercial Renascimento (arte, cultura, filosofia e ciências, século XIII a XVI) Matéria- prima MercanGlismo metais preciosos

Leia mais

Principais causas para revolução francesa

Principais causas para revolução francesa Revolução Francesa Principais causas para revolução francesa -Empobrecimento do povo francês guerras, luxo, empréstimos. -Cerca de 80% do povo viviam no campo em situação precária. -Os anos que antecederam

Leia mais

Objetivo da aula: Origens da ciência econômica. A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith)

Objetivo da aula: Origens da ciência econômica. A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith) Ciências Sociais (P.I) A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith) Temática: Economia e funcionamento social: fundamentos Adam Smith. Profa. Luci Praun Objetivo da aula: Conhecer as formulações

Leia mais

CVM CENTRO DE ESTUDOS VICTOR MEYER

CVM CENTRO DE ESTUDOS VICTOR MEYER CVM CENTRO DE ESTUDOS VICTOR MEYER Projeto: Recuperação do acervo da ORM Política Operária PROGRAMAÇÃO DE FORMAÇÃO DE QUADROS Documento da ORM - PO, publicado em: Set/1977 Documento digitalizado em: 20.04.2009

Leia mais

Unificação da Itália, Alemanha e EUA

Unificação da Itália, Alemanha e EUA Material de apoio para Monitoria 1. (PUC-SP) Na base do processo das unificações italiana e alemã, que alteraram o quadro político da Europa no século XIX, estavam os movimentos a) sociais, acentuadamente

Leia mais

Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica

Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica José Luis Oreiro Departamento de Economia UNB Pesquisador Nível N I do CNPq Reação a Filosofia Moral de Hobbes Hobbes: as ações a humanas são governadas

Leia mais

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772)

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772) O Iluminismo Movimento cultural e filosófico que se desenvolveu na Europa, no século XVIII (Século das Luzes), e que se caracterizou pela afirmação do valor da Razão e do conhecimento para atingir o progresso;

Leia mais

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado 1 JEAN-JACQUES ROUSSEAU: A VONTADE GERAL. Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado Rousseau e a democracia direta 2 Assim como os demais pensadores políticos

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

O que é Comunicação?

O que é Comunicação? O que é Comunicação? Comunicar-se é mais do que expressar ideias ou trocar pontos de vista. É o processo pelo qual nos relacionamos com os outros e buscamos informações essenciais para nossa vida diária,

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA Fixação 1) Em perfeita sintonia com o espírito restaurador do Congresso de Viena, a criação da Santa Aliança tinha por objetivo: a)

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus Direitos iguais e inalienáveis é o fundamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 30 DE JANEIRO SEDE DA PREFEITURA

Leia mais

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil Aparecido Hojaij Presidente da Assemae XV Assembleia da Assemae Regional de Santa Catarina 25 de agosto de 2015 Sobre a Assemae

Leia mais

01/09/2009. Entrevista do Presidente da República

01/09/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de encerramento do 27º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA) Vitória-ES, 1º de setembro de 2009

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR MONITOR PAUTA DE FREQUENCIA DOS EXAMES DE 08 A 16 DE FEVEREIRO 2016 PROVISÓRIA

INSTITUTO SUPERIOR MONITOR PAUTA DE FREQUENCIA DOS EXAMES DE 08 A 16 DE FEVEREIRO 2016 PROVISÓRIA Matric Disciplina T1 T2 T3 T4 NF Situa 15-470 Direito Constitucional I 14,00 17,50 15,00 14,00 15,12 Admit 15-470 Introdução ao Direito I *9,00 13,50 13,50 11,00 11,75 Admit 15-470 Economia Política I

Leia mais

A Lei das Sociedades por Ações (LSA) é tiete da Constituição Federal (CF). Tenta imitá-la de todas as formas...

A Lei das Sociedades por Ações (LSA) é tiete da Constituição Federal (CF). Tenta imitá-la de todas as formas... Caro aluno, I. A Lei das Sociedades por Ações (LSA) é tiete da Constituição Federal (CF). Tenta imitá-la de todas as formas... Relanceie o índice sistemático da Constituição Federal: TÍTULO II Dos Direitos

Leia mais

Acordo de Acionistas. do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Política de da Investimento CPFL Energia Social S.A. do Grupo CPFL Energia Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário 1. Introdução 3 2. Objetivo 4 3. Âmbito

Leia mais

VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO. Instruções Gerais: Instruções para a prova de Redação:

VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO. Instruções Gerais: Instruções para a prova de Redação: Instruções Gerais: VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO Hoje você deverá elaborar uma Redação e responder às questões de Língua Portuguesa e de Inglês. Você terá 4 horas para realizar as três provas. O verso

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 33, DE 2011

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 33, DE 2011 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 33, DE 2011 Altera a quantidade mínima de votos de membros de tribunais para declaração de inconstitucionalidade de

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade,

Leia mais

ANUALIZAÇÃO 2015/2016

ANUALIZAÇÃO 2015/2016 ESCOLA EB 3,3/S DE VILA FLOR HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO ANUALIZAÇÃO 2015/2016 OBJETIVOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO GESTÃO LETIVA (POR PERÍODO) - Conhecer a sociedade portuguesa no século XVIII -

Leia mais

Professor de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas.

Professor de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas. * Os socialistas devem posicionar-se politicamente a favor de medidas (Projetos de Lei com cotas para estudantes negros e oriundos da escola pública, bem como o Estatuto da Igualdade Racial), na medida

Leia mais

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

COMPROMISSO COM A FAMILIA

COMPROMISSO COM A FAMILIA Rua Bela Vista, 220 Vila Camisão COMPROMISSO COM A FAMILIA A família é o objetivo central da Democracia Cristã, ação politica inspirada nos ideais do Cristianismo. Fomos nós, Social-Democrata-Cristãos,

Leia mais

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE FORUM DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE Recife,

Leia mais

www.autoresespiritasclassicos.com

www.autoresespiritasclassicos.com www.autoresespiritasclassicos.com A Importância da Bíblia para a Doutrina Espírita Astrid Sayegh Filósofa, é Diretora de Cursos Básicos da Federação Espírita do Estado de São Paulo A Humanidade já foi

Leia mais

Unidade II Poder, Estado e Instituições Aula 8.2 Conteúdo O processo de independência; A Constituição dos Estados Unidos.

Unidade II Poder, Estado e Instituições Aula 8.2 Conteúdo O processo de independência; A Constituição dos Estados Unidos. A A Unidade II Poder, Estado e Instituições Aula 8.2 Conteúdo O processo de independência; A Constituição dos Estados Unidos. 2 A A Habilidades: Relacionar o processo de independência dos Estados Unidos

Leia mais

I ENCONTRO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NOS CURSOS DE LICENCIATURA LICENCIATURA EM PEDAGOGIA: EM BUSCA DA IDENTIDADE PROFISSIONAL DO PEDAGOGO

I ENCONTRO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NOS CURSOS DE LICENCIATURA LICENCIATURA EM PEDAGOGIA: EM BUSCA DA IDENTIDADE PROFISSIONAL DO PEDAGOGO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA: EM BUSCA DA IDENTIDADE PROFISSIONAL DO PEDAGOGO Palavras-chave: Identidade do Pedagogo. Formação de Professores. Licenciatura em Pedagogia. LDB 9394/96. Introdução Este trabalho

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais

Sociedade, Estado e Mercado. Aula 5 Imperialismo da Ciência Econômica e Teoria da Escolha Pública. Prof.: Rodrigo Cantu

Sociedade, Estado e Mercado. Aula 5 Imperialismo da Ciência Econômica e Teoria da Escolha Pública. Prof.: Rodrigo Cantu Sociedade, Estado e Mercado Aula 5 Imperialismo da Ciência Econômica e Teoria da Escolha Pública Prof.: Rodrigo Cantu Progresso técnico e capitalismo são problemáticos? 1ª Modernidade 2ª Modernidade Promessas

Leia mais

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL Ideias Centrais Metodologia de Construção do Programa Quatro instâncias: 1. Fóruns de discussão regionalizados Um coordenador regional; Espaço de discussão permanente; Diálogo

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.2.2016 COM(2016) 89 final 2016/0053 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO que estabelece a posição a adotar pela União na 54.ª sessão do comité de peritos da OTIF para o

Leia mais

Prof. Dra. Michelly L Wiese Assistente Social

Prof. Dra. Michelly L Wiese Assistente Social Prof. Dra. Michelly L Wiese Assistente Social 1988: Constituição Federal do Brasil Carta Cidadã do Brasil. Art. 194 - A Seguridade Social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes

Leia mais

Cotas raciais nas universidades, a contradição do Brasil!

Cotas raciais nas universidades, a contradição do Brasil! Cotas raciais nas universidades, a contradição do Brasil! Nathália Norgi Weller 1 RESUMO: A partir do ano de 2001, entra em vigor a lei 3.708, que assegura a negros e pardos 20% das vagas nas universidades

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

Parlamento dos Jovens 2015

Parlamento dos Jovens 2015 Parlamento dos Jovens 2015 Ensino público e privado: Que desafios? REPORTAGEM SESSÃO NACIONAL 25 & 26 MAIO 2015 Lorène Gonçalves Parlamento dos Jovens 2015 No dia 2 de Abril de 1976 foi aprovada a Constituição

Leia mais

Gestão ambiental e gerenciamento de resíduos. Prof. ª Karen Wrobel Straub

Gestão ambiental e gerenciamento de resíduos. Prof. ª Karen Wrobel Straub Gestão ambiental e gerenciamento de resíduos Prof. ª Karen Wrobel Straub MEIO AMBIENTE De acordo com a definição contida na norma NBR ISO 14001:1996- Sistemas de Gestão Ambiental Meio ambiente é a circunvizinhança

Leia mais

R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9

R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9 R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9 A bandeira francesa - o azul representa o poder legislativo/liberdade (Liberté), branco o poder Executivo/Igualdade, (Égalité) e o vermelho o Povo/Fraternidade

Leia mais

Do Congresso de Viena à Primavera dos Povos

Do Congresso de Viena à Primavera dos Povos Do Congresso de Viena à Primavera dos Povos Liberalismo Conceitos Importantes A palavra liberal é um adjetivo derivado do latim liberale, termo que se designava o homem livre na antiguidade romana. Uma

Leia mais

GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho - Painel. Ana Lúcia Kraiewski Ana Patrícia Nalesso **

GT 3. Classes sociais e transformações no mundo do trabalho - Painel. Ana Lúcia Kraiewski Ana Patrícia Nalesso ** Anais do IV Simpósio Lutas Sociais na América Latina ISSN: 2177-9503 Imperialismo, nacionalismo e militarismo no Século XXI 14 a 17 de setembro de 2010, Londrina, UEL GT 3. Classes sociais e transformações

Leia mais

O COOPERATIVISMO E A REFORMA AGRÁRIA POPULAR

O COOPERATIVISMO E A REFORMA AGRÁRIA POPULAR O COOPERATIVISMO E A REFORMA AGRÁRIA POPULAR Universidad Nacional Mayor de San Marcos Lima Perú 24 y 25 de junio de 2015 Luis Carlos Costa Eng. Agrônomo MST Paraná/Brasil MST 31 anos de luta! Apresentação

Leia mais

Índice. Fetichismo da mercadoria. A vida. As classes sociais Mais-valia. Materialismo histórico. Comunismo. Estrutura e superestrutura ALIENAÇÃO

Índice. Fetichismo da mercadoria. A vida. As classes sociais Mais-valia. Materialismo histórico. Comunismo. Estrutura e superestrutura ALIENAÇÃO karl marx Índice A vida Materialismo histórico Estrutura e superestrutura As classes sociais Mais-valia ALIENAÇÃO Fetichismo da mercadoria Comunismo Karl Heinrich Marx (1818-1883) foi o terceiro dos 7

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Me: Edson Fasano Sociedade Capitalista: REVOLUÇÃO FRANCESA A Organização da Aula 1º Bloco: Iluminismo e Independência dos EUA. 2º Bloco: - Antecedentes da Revolução Francesa.

Leia mais

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú Catalogação: Cleide de Albuquerque Moreira Bibliotecária/CRB 1100 Revisão: Elias Januário Revisão Final: Karla Bento de Carvalho Consultor: Luís Donisete Benzi Grupioni Projeto Gráfico/Diagramação: Fernando

Leia mais

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia 1 Conteúdos selecionados: Nome: nº Recuperação Final de História Profª Patrícia Lista de atividades 8º ano Apostila 1: O Absolutismo; Revoluções Inglesas e colonização da América do Norte Apostila 2: Revolução

Leia mais

Conselho Municipal de Habitação

Conselho Municipal de Habitação Conselho Municipal de Habitação O que é o Conselho Municipal de Habitação? Canal institucional de participação da população na gestão habitacional da cidade. Caráter deliberativo, fiscalizador e consultivo.

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca

Leia mais

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72. Política de Responsabilidade Social

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72. Política de Responsabilidade Social Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72 Política de Responsabilidade Social Dezembro de 2011 1 PREÂMBULO O IPSPMP-PIRAPREV, sendo uma

Leia mais

Carta de Brasília II

Carta de Brasília II 2 Carta de Brasília II O II Fórum Nacional de TVs Públicas, ancorado pela Carta de Brasília, afirma seu compromisso com o processo de democratização da comunicação social brasileira. Visando a conquista

Leia mais

ESTADO, DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO E PROPRIEDADE. A busca no campo das idéias sobre a melhor forma de organização societal é de

ESTADO, DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO E PROPRIEDADE. A busca no campo das idéias sobre a melhor forma de organização societal é de ESTADO, DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO E PROPRIEDADE PRIVADA EM MÉSZÁROS WALLACE MORARES A busca no campo das idéias sobre a melhor forma de organização societal é de longa data. Quase todas as escolas de

Leia mais

APRESENTAÇÃO...3. Crime de Racismo...4. Crime de Injúria Racial...6. Crimes de Ódio na Internet...8 DIFERENÇAS ENTRE RACISMO E INJÚRIA RACIAL...

APRESENTAÇÃO...3. Crime de Racismo...4. Crime de Injúria Racial...6. Crimes de Ódio na Internet...8 DIFERENÇAS ENTRE RACISMO E INJÚRIA RACIAL... 1 Sumário APRESENTAÇÃO...3 COMO DENUNCIAR? Crime de Racismo...4 Crime de Injúria Racial...6 Crimes de Ódio na Internet...8 DIFERENÇAS ENTRE RACISMO E INJÚRIA RACIAL...10 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...12

Leia mais

Atividade Discursiva 1-2013

Atividade Discursiva 1-2013 Atividade Discursiva 1-201 Estudo Dirigido: Multiculturalismo e Cidadania. Habilidade: Raciocinar de forma crítica e analítica Professor: Me. Emanuel Santana Tema: Relações de gênero violência contra a

Leia mais

Mobilidade: implicações económicas. Prof. João Confraria ( UCP )

Mobilidade: implicações económicas. Prof. João Confraria ( UCP ) Mobilidade Uma presença pervasiva no quotidiano das sociedades modernas 21 de Outubro de 2004 Hotel Le Meridien Mobilidade: implicações económicas Prof. João Confraria ( UCP ) Patrocínio Organização Mobilidade:

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2016

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2016 PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2016 O programa Talentos da Educação é uma iniciativa da Fundação Lemann para apoiar pessoas talentosas e comprometidas com a melhoria da educação no Brasil. A proposta é

Leia mais

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa 1 A Revolução Francesa representou uma ruptura da ordem política (o Antigo Regime) e sua proposta social desencadeou a) a concentração do poder nas mãos

Leia mais

Cap. 12- Independência dos EUA

Cap. 12- Independência dos EUA Cap. 12- Independência dos EUA 1. Situação das 13 Colônias até meados do séc. XVIII A. As colônias inglesas da América do Norte (especialmente as do centro e norte) desfrutavam da negligência salutar.

Leia mais

Tensões Separatistas na Bélgica

Tensões Separatistas na Bélgica Tensões Separatistas na Bélgica Resenha Integração Regional Diego Cristóvão Alves de Souza Paes 18 de fevereiro de 2008 Tensões Separatistas na Bélgica Resenha Integração Regional Diego Cristóvão Alves

Leia mais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948)

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) PREÂMBULO Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui

Leia mais

Maquiavel ( 1469 1527 )

Maquiavel ( 1469 1527 ) Maquiavel ( 1469 1527 ) Maquiavel tentou ir ao cerne da questão e tratar a política não como uma parte da filosofia moral ou ética, mas simplesmente em termos práticos e realistas. Ao colocar a utilidade

Leia mais

Professora Erlani. Apostila 3 Capítulo 1

Professora Erlani. Apostila 3 Capítulo 1 Apostila 3 Capítulo 1 No continente africano, muitos focos de tensão e destruição demonstram as instabilidades geradas por guerras civis em diversos países africanos. A história colonial e o passado de

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

CLIPPING EVENTO DO DIA 18/04 SOBRE AS EXPECTATIVAS PARA A RIO+20

CLIPPING EVENTO DO DIA 18/04 SOBRE AS EXPECTATIVAS PARA A RIO+20 CLIPPING EVENTO DO DIA 18/04 SOBRE AS EXPECTATIVAS PARA A RIO+20 17 de abril de 2012 Amcham-Rio promove debate sobre Rio + 20 Faltando quase dois meses para a Rio + 20, a Câmara de Comércio Americana promove

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Reveja esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor: Danilo Borges - Sociologia Aula de hoje... Aprofundamento do problema do trabalho

Leia mais

Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade

Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade Código: SSO- Semestre: 2013.1 Créditos: 04 - Carga Horária: 60 hs Horário 6ª feira 08:20 11:50hs. Professores: Hélder

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL l REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA A MINISTRA DO TRABALHO, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL NA 105ª CONFERÊNCIA DA OIT, EM GENEBRA, SUÍÇA

Leia mais

O QUE ORIENTA O PROGRAMA

O QUE ORIENTA O PROGRAMA O QUE ORIENTA O PROGRAMA A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres estabeleceu um diálogo permanente com as mulheres brasileiras por meio de conferências nacionais que constituíram um marco na

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2014 Reconhece a essencialidade do serviço de acesso à internet em banda larga e altera a Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, para prever sua prestação em regime público.

Leia mais

08/11/2004. Discurso do Presidente da República

08/11/2004. Discurso do Presidente da República Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na abertura da 4ª reunião do Grupo de Alto Nível do Programa Educação para Todos da Unesco Palácio Itamaraty, 08 de novembro de 2004 Senhor

Leia mais

DECLARAÇÃO DA PRAIA DECLARARAM:

DECLARAÇÃO DA PRAIA DECLARARAM: DECLARAÇÃO DA PRAIA Os Procuradores Gerais da República dos Estados Membros da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa, reunidos por ocasião do XIII Encontro, entre 13 e 16 de Julho de 2015,

Leia mais

ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo

ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo SINDSAÚDE-SP 17/10/2008 COMPORTAMENTO DOS PREÇOS No período 2001-2008, presenciamos

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO KAY RALA XANANA GUSMÃO POR OCASIÃO DO SEMINÁRIO SOBRE INFORMAÇÕES Dili, 2 de Julho de 2009

Leia mais

BREVE ANÁLISE SOBRE O SISTEMA DE COTAS PARA NEGROS NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS DO BRASIL E SUA INCONSTITUCIONALIDADE

BREVE ANÁLISE SOBRE O SISTEMA DE COTAS PARA NEGROS NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS DO BRASIL E SUA INCONSTITUCIONALIDADE BREVE ANÁLISE SOBRE O SISTEMA DE COTAS PARA NEGROS NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS DO BRASIL E SUA INCONSTITUCIONALIDADE Marcel VERA PEREIRA 1 RESUMO: O objetivo do trabalho consiste na análise quanto ao sistema

Leia mais

A Propriedade Intelectual

A Propriedade Intelectual Maria do Rosário Dias Camelo A Propriedade Intelectual REFERE-SE ÀS CRIAÇÕES DO ESPÍRITO HUMANO CONCEBIDAS PELA IMAGINAÇÃO E PELA CAPACIDADE CRIATIVA DO HOMEM, APOIADA NO CONHECIMENTO E NOS INVESTIMENTOS

Leia mais

Impactos das mudanças climáticas em cidades brasileiras

Impactos das mudanças climáticas em cidades brasileiras Impactos das mudanças climáticas em cidades brasileiras Wagner Costa Ribeiro Depto. de Geografia, IEA e PROCAM Universidade de São Paulo Objetivos Sugerir ações para a adaptação às mudanças climáticas

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

A Revolução Industrial inaugurou uma nova era, caracterizada pela produção em massa e pela expansão da vida urbana.

A Revolução Industrial inaugurou uma nova era, caracterizada pela produção em massa e pela expansão da vida urbana. A Revolução Industrial inaugurou uma nova era, caracterizada pela produção em massa e pela expansão da vida urbana. O QUE É INDÚSTRIA? Indústria é todo o esforço empreendido pela humanidade para transformar

Leia mais

China. A história da China é marcada por ciclos econômicos cuja crise provocava a ascensão de uma nova dinastia.

China. A história da China é marcada por ciclos econômicos cuja crise provocava a ascensão de uma nova dinastia. China à Antes de 1949 A história da China é marcada por ciclos econômicos cuja crise provocava a ascensão de uma nova dinastia. Durante a última dinastia, a Qing, a China sofreu muita pressão dos países

Leia mais

Mercado de idéias O GESTÃO. por Alexandre Faria FGV-Ebape

Mercado de idéias O GESTÃO. por Alexandre Faria FGV-Ebape GESTÃO Mercado de idéias O fenômeno da globalização popularizou a crença de que vivemos em um mundo onde idéias, informação e conhecimento circulam de forma livre e democrática. Na área de conhecimento

Leia mais

SOBRE UM IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA MAIS PROGRESSIVO

SOBRE UM IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA MAIS PROGRESSIVO SOBRE UM IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA MAIS PROGRESSIVO Claudio Antonio Tonegutti Professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) tonegutti@ufpr.br A arrecadação tributária é a principal fonte de receitas

Leia mais

GABARITO DA PROVA BIMESTRAL DE HISTÓRIA 1º BIMESTRE

GABARITO DA PROVA BIMESTRAL DE HISTÓRIA 1º BIMESTRE HISTÓRIA PROF. LEANDRO 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO GABARITO DA PROVA BIMESTRAL DE HISTÓRIA 1º BIMESTRE 1. O acordo de paz imposto à Alemanha após a Primeira Guerra Mundial foi o tratado de Versalhes, assinado

Leia mais

Os sistemas capitalista e socialista

Os sistemas capitalista e socialista Os sistemas capitalista e socialista Na Europa durante o Renascimento Comercial e Urbano nos sec. XIII e XIV quando os habitantes dos burgos firmam os primeiros princípios como a busca do lucro, acumulação

Leia mais

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdo O Consulado: Economia, Educação

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

Conteúdo para recuperação do I Semestre

Conteúdo para recuperação do I Semestre Conteúdo para recuperação do I Semestre I Bimestre II Bimestre 8 ANO Antigo Regime; Iluminismo. Ideias Iluministas na América; Revolução Francesa ANTIGO REGIME Conceito foi a denominação atribuída ao período

Leia mais

1. Uma sociedade anacrónica

1. Uma sociedade anacrónica 1. Uma sociedade anacrónica 2.1. A França nas vésperas da Revolução Antigo Regime sociedade de ordens e de privilégios da nobreza e do clero Rei: Luís XVI nobreza: propriedade (e rendas) de ¼ das terras

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS A Secretaria de Estado da Gestão Pública do Governo de Alagoas torna público o 3º CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS NA GESTÃO DO PODER EXECUTIVO DE ALAGOAS que será

Leia mais

Organização da Disciplina. Técnicas de Negociação e Mediação. Aula 1. Contextualização. O Conflito. Instrumentalização

Organização da Disciplina. Técnicas de Negociação e Mediação. Aula 1. Contextualização. O Conflito. Instrumentalização Técnicas de Negociação e Mediação Aula 1 Prof. Me. Fernando Eduardo Mesadri Organização da Disciplina Conceitos de conflitos Dificuldades para lidar com os conflitos Movimentos de rompimento dos paradigmas

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

A CRIAÇÃO DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA: PERSPECTIVAS PARA O ENSINO SUPERIOR

A CRIAÇÃO DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA: PERSPECTIVAS PARA O ENSINO SUPERIOR 939 A CRIAÇÃO DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA: PERSPECTIVAS PARA O ENSINO SUPERIOR Priscila Caetano Bentin Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) Eixo Temático:

Leia mais

Evolução do Orçamento Público

Evolução do Orçamento Público Evolução do Público Evolução do Público Clássico ou Tradicional Desempenho ou Realizações Programa Pode-se dizer que foi na Inglaterra em 1217 que começou a surgir o orçamento público. Desde então as técnicas

Leia mais