ANEXO III DADOS ESTATÍSTICOS DA CPEE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO III DADOS ESTATÍSTICOS DA CPEE"

Transcrição

1 ANEXO III DADOS ESTATÍSTICOS DA CPEE I. PARTICIPAÇÕES.) ANO DE 009 No período compreendido entre 3 de Março e 3 de Dezembro de 009, foram recebidas pela CPEE 7 (setenta e uma) participações/queixas FIG. : TIPO DE PARTICIPANTES / FREQUÊNCIA

2 3% % 3% 3% % % Tribunal 3% Executado 3% Exequente Mandatário Exequente 8% 3% Terceiro Mandatário Executado Agente de Execução Próprio Agente de Execução Via outros órgãos Relatório Substituto FIG. : UNIVERSO DOS PARTICIPANTES ARQUIVAMENTO PD REMESSA 0 FIG. 3 TIPO DE DECISÕES POR PARTICIPANTE (Em relação à mesma queixa, a CPEE pode decidir arquivar a queixa em relação a determinados factos, e instaurar processo disciplinar em relação a outros factos, por existirem indícios de infracção disciplinar. Em qualquer caso, a CPEE pode ainda CPEE remeter a queixa para a Câmara dos Solicitadores, por indícios de infracção disciplinar praticada antes de 3/03/009). /37

3 REMESSA % ARQUIVAMENTO 8% PD 67% FIG. DECISÕES DAS PARTICIPAÇÕES APRESENTADAS PELO TRIBUNAL REMESSA 9% ARQUIVAMENTO 8% PD 3% FIG. DECISÕES DAS PARTICIPAÇÕES APRESENTADAS PELO EXECUTADO 3/37

4 REMESSA 0% ARQUIVAMENTO 7% PD 33% FIG. 6 DECISÕES DAS PARTICIPAÇÕES APRESENTADAS PELO EXEQUENTE TRIBUNAL 0% % % 9% 33% EXEQUENTE EXECUTADO MANDATÁRIO EXEQUENTE MANDATÁRIO EXECUTADO TERCEIRO 9% AGENTE DE EXECUÇÃO PRÓPRIO AGENTE DE EXECUÇÃO RELATÓRIO SUBSTITUTO 9% VIA OUTROS ÓRGÃOS FIG. 7: DECISÕES DE ARQUIVAMENTO POR PARTICIPANTE /37

5 % 3% 6% 3% 3% TRIBUNAL % EXEQUENTE % EXECUTADO MANDATÁRIO EXEQUENTE MANDATÁRIO EXECUTADO TERCEIRO 7% AGENTE DE EXECUÇÃO PRÓPRIO AGENTE DE EXECUÇÃO % RELATÓRIO SUBSTITUTO FIG. 8: DECISÕES DE INSTAURAÇÃO DE PROCESSO DISCIPLINAR POR PARTICIPANTE MOVIMENTAÇÕES IRREGULARES DE QUANTIAS OUTROS OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / FORMALIDADES PROCESSUAIS FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA FIG. 9: FACTOS ALEGADOS PELOS PARTICIPANTES /37

6 7% 6% % % % % 33% ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS 8% FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / 8% FORMALIDADES PROCESSUAIS COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO 0% 7% NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES OUTROS MOVIMENTAÇÕES IRREGULARES DE QUANTIAS FIG. 0: FACTOS ALEGADOS PELOS PARTICIPANTES EXECUTIVO OUTRO 0 FIG. : RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE PARTICIPANTE E O PROCESSO JUDICIAL SUBJACENTE À QUEIXA 6/37

7 % 3% 0% PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS % ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA FIG. : FACTOS SUBJACENTES ÀS PARTICIPAÇÕES ENVIADAS AO MINISTÉRIO PÚBLICO MOVIMENTAÇÕES IRREGULARES DE QUANTIAS OUTROS OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / FORMALIDADES PROCESSUAIS FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA REMESSA PD ARQUIVAMENTO FIG. 3: DECISÕES DAS QUEIXAS POR TIPO DE FACTO ALEGADO 7/37

8 9% % % % % 7% ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / FORMALIDADES PROCESSUAIS PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS 9% 9% % % OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS OUTROS FIG. : DECISÕES DE ARQUIVAMENTO POR TIPO DE FACTO ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA 8% 3% 3% 3% 3% 3% % % FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS % 7% ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / FORMALIDADES PROCESSUAIS FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS OUTROS MOVIMENTAÇÕES IRREGULARES DE QUANTIAS FIG. : DECISÕES DE INSTAURAÇÃO DE PROCESSO DISCIPLINAR POR TIPO DE FACTO 8/37

9 N.º DE QUEIXAS 0 FIG. 6: EVOLUÇÃO DO N.º DE QUEIXAS ENTRADAS POR MÊS 9/37

10 .).º TRIMESTRE DE 00 Entre 0/0/00 e 3/03/00 a Comissão recebeu 7 (setenta e uma) queixas quanto à actuação de agente de execução FIG. 7: TIPO DE PARTICIPANTES / FREQUÊNCIA 0/37

11 MANDATÁRIO EXEQUENTE 0% % 3% 3% 3% % % % TRIBUNAL EXECUTADO TERCEIRO AGENTE DE EXECUÇÃO EXEQUENTE MANDATÁRIO EXECUTADO 3% MANDATÁRIO DO EXEQUENTE VIA OUTROS ÓRGÃOS FIG. 8: UNIVERSO DOS PARTICIPANTES (EM PERCENTAGEM) ARQUIVAMENTO PD REMESSA SUSPENSO TOTAL GERAL FIG. 9 TIPO DE DECISÕES POR PARTICIPANTE /37

12 8% 9% ARQUIVAMENTO PD REMESSA 83% FIG. 0 DECISÕES DAS PARTICIPAÇÕES APRESENTADAS PELO TRIBUNAL (EM PERCENTAGEM) 9% 9% 8% ARQUIVAMENTO PD REMESSA SUSPENSO 6% FIG. DECISÕES DAS PARTICIPAÇÕES APRESENTADAS PELO MANDATÁRIO DO EXEQUENTE (EM PERCENTAGEM) /37

13 0% 0% TRIBUNAL MANDATÁRIO EXEQUENTE 0% EXEQUENTE AGENTE DE EXECUÇÃO 0% FIG. : DECISÕES DE ARQUIVAMENTO POR PARTICIPANTE (EM PERCENTAGEM) % 9% 8% % % % TRIBUNAL MANDATÁRIO EXEQUENTE EXEQUENTE EXECUTADO TERCEIRO 9% MANDATÁRIO DO EXEQUENTE MANDATÁRIO EXECUTADO FIG. 3: DECISÕES DE INSTAURAÇÃO DE PROCESSO DISCIPLINAR POR PARTICIPANTE (EM PERCENTAGEM) 3/37

14 ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / FORMALIDADES PROCESSUAIS OUTROS FALTA DE REMESSA DE PROCESSO PARA DESPACHO PREJUDICAR DOLOSAMENTE UMA DAS PARTES 3 OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL 6 FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS 0 OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL 6 FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE FIG. : FACTOS ALEGADOS PELOS PARTICIPANTES 9% % % % % 3% % % 3% FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA % CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES PREJUDICAR DOLOSAMENTE UMA DAS PARTES % % FALTA DE REMESSA DE PROCESSO PARA DESPACHO OUTROS ERRO / INOBSERVÂNCIA DE NORMAS / FORMALIDADES PROCESSUAIS FIG. : FACTOS ALEGADOS PELOS PARTICIPANTES (EM PERCENTAGEM) /37

15 EXECUTIVO OUTRO FIG. 6: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE PARTICIPANTE E O PROCESSO JUDICIAL SUBJACENTE À QUEIXA PREJUDICAR DOLOSAMENTE UMA DAS PARTES OUTROS OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS SUSPENSO REMESSA PD ARQUIVAMENTO PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL 3 FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA 0 6 FIG. 7: DECISÕES DAS QUEIXAS POR TIPO DE FACTO ALEGADO /37

16 0% 0% ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE DILIGÊNCIA FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS 0% 0% COBRANÇA ILEGAL DE HONORÁRIOS 0% FALTA DE RESTITUIÇÃO DE QUANTIAS / OBJECTOS FIG. 8: DECISÕES DE ARQUIVAMENTO POR TIPO DE FACTO (EM PERCENTAGEM) ACTUAÇÃO PROCESSUAL COM INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE % % % 7% DILIGÊNCIA FALTA DE RESPOSTA AO TRIBUNAL % OMISSÃO DE REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS % FALTA DE RESPOSTA A PEDIDO INFORMAÇÕES DA PARTE 7% % PENHORA EXCESSIVA / ILEGAL OMISSÃO / IRREGULARIDADE / ATRASO NA CITAÇÃO/NOTIFICAÇÕES OUTROS PREJUDICAR DOLOSAMENTE UMA DAS PARTES FIG. 9: DECISÕES DE INSTAURAÇÃO DE PROCESSO DISCIPLINAR POR TIPO DE FACTO (EM PERCENTAGEM) 6/37

17 30 0 N.º DE QUEIXAS 0 0 JANEIRO FEVEREIRO MARÇO FIG. 30: QUEIXAS ENTRADAS POR MÊS 7/37

18 II. PROCESSOS DISCIPLINARES.) ANO DE 009 (.º TRIMESTRE DE 009) Entre 3 de Março e 3 de Dezembro de 009, foram instaurados (vinte e cinco) Processos Disciplinares a agentes de execução pelo Grupo de Gestão da CPEE. Na análise dos dados relativos à actividade disciplinar da CPEE no ano de 009 importa atender aos seguintes factores: a) A CPEE foi criada no dia 3/03/009; b) O Grupo de Gestão só ficou completamente constituído em /06/009; c) Apenas em finais de Setembro a CPEE recebeu o parecer jurídico elaborado pelo Professor Doutor Tiago Duarte, relativo ao âmbito de competência disciplinar da CPEE, o qual permitiu seguir o entendimento aí defendido, decidindo-se queixas que haviam chegado à CPEE, sobretudo a partir de Agosto de 009. Assim, a estatística adiante apresentada corresponde, em rigor, ao último trimestre de FIG. 3 - TIPO DE PARTICIPANTE VS. PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS NUMERICAMENTE 8/37

19 % 8% % % % % TRIBUNAL % EXECUTADO TERCEIRO MANDATÁRIO DO EXEQUENTE MANDATÁRIO DO EXEQUENTE/ TERCEIRO FISCALIZAÇÃO EXEQUENTE FIG. 3 - TIPO DE PARTICIPANTE VS. PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS PERCENTUALMENTE VIOLA DEVERES DEONTOLÓGICOS NÃO TEM CONTABILIDADE ORGANIZADA DE ACORDO COM O MODELO DO CS NÃO SUBMETE ACTOS À DECISÃO JUDICIAL NÃO UTILIZA MEIOS ELECTRÓNICOS NÃO APLICA HONORÁRIOS/ DESPESAS SEGUNDO A PORTARIA RECUSA O EXERCÍCIO DAS SUAS FUNÇÕES NÃO MANTÉM AS CONTAS-CLIENTES SEGUNDO O ECS PRATICA ACTOS SEM QUE PARA TAL TENHA SIDO DESIGNADO EXCEDE O ÂMBITO DA SUA COMPETÊNCIA VIOLA O REGISTO ELECTRÓNICO DE ACTOS NÃO CUMPRIU OU EXECUTOU DECISÕES JUDICIAIS VIOLA O DEVER DE ENTREGA PRONTA DE QUANTIAS VIOLA O DEVER DE PRESTAR ESCLARECIMENTOS ÀS PARTES NÃO PRESTA OS ESCLARECIMENTOS QUE LHE SEJAM SOLICITADOS PELAS NÃO ENTREGA AS QUANTIAS PRONTAMENTE VIOLA O DEVER DE DILIGÊNCIA E DE ZELO FIG INFRACÇÕES DISCIPLINARES IMPUTADAS E DEVERES INDICIARIAMENTE VIOLADOS VS. PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS 9/37

20 EM FASE DE INSTRUÇÃO DESPACHO DE ACUSAÇÃO DECISÃO DE ARQUIVAMENTO FIG. 3 - EVOLUÇÃO PROCESSUAL DOS PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS EM 009 ATÉ 30/0/00 FASE PROCESSUAL DOS PROCESSOS DISCIPLINARES 6% EM FASE DE INSTRUÇÃO 0% DESPACHO DE ACUSAÇÃO 6% DECISÃO DE ARQUIVAMENTO FIG. 3 - EVOLUÇÃO PROCESSUAL DOS PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS EM 009 ATÉ 30/0/00 FASE PROCESSUAL DOS PROCESSOS DISCIPLINARES 0/37

21 .) ENTRE 0/0/00 e 30/0/00 Entre de Janeiro de 00 e 30 de Abril de 00, foram instaurados 8 (vinte e oito) Processos Disciplinares. Cumprindo, ressalvar que num só trimestre, o número de processos disciplinares instaurados excede já o número de processos disciplinares instaurados no ano de FIG. 36 TOTAL DE PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS NUMERICAMENTE (ATÉ 30/0/00) FIG RELAÇÃO DO TIPO DE PARTICIPANTE COM OS PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS NUMERICAMENTE /37

22 % % % % % % 3% 3% 3% 3% 7% % 3% Tribunal Mandatário do Exequente Executada Tribunal e Particular Tribunal Terceiro Solicitador Relatório Substituto Particular Mandatário do Executado Fiscalização Executado Agente de Execução FIG RELAÇÃO DO TIPO DE PARTICIPANTE COM OS PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS PERCENTUALMENTE VIOLA O DEVER DE ENTREGA PRONTA DE QUANTIAS, OBJECTOS OU NÃO APLICA HONORÁRIOS/ DESPESAS SEGUNDO A PORTARIA PREJUDICA DOLOSAMENTE O EXEQUENTE RECUSA, SEM FUNDAMENTO, O EXERCÍCIO DAS SUAS FUNÇÕES NÃO AFIXA AS TARIFAS NÃO DEPOSITA OBRIGATORIAMENTE NA CONTA-CLIENTE NÃO REGISTA TODOS OS MOVIMENTOS DAS CONTAS-CLIENTES NO PE NÃO MANTÉM AS CONTAS - CLIENTES DE ACORDO COM O ECS MANTEM FUNCIONÁRIOS SEM CUMPRIR O REGULAMENTO DA CS FALTA DE PROVISÃO OU IRREGULARIDADE NA CONTA-CLIENTES VIOLA O REGISTO ELECTRÓNICO DE ACTOS NÃO CUMPRE OU EXECUTA DECISÕES JUDICIAIS VIOLA O DEVER DE PRESTAR ESCLARECIMENTOS AO TRIBUNAL NÃO ENTREGA PRONTAMENTE OS DOCUMENTOS NÃO PRESTA CONTAS DA ACTIVIDADE REALIZADA HONORÁRIOS E DESPESAS DE ACORDO COM A PORTARIA PREJUDICA DOLOSAMENTE O EXECUTADO VIOLA O DEVER DE PRESTAR ESCLARECIMENTO ÀS PARTES USA MEIOS OU EXPEDIENTES DESPROPORCIONAIS USA MEIOS OU EXPEDIENTES ILEGAIS NÃO ENTREGA PRONTAMENTE AS QUANTIAS NÃO PRESTA OS ESCLARECIMENTOS QUE LHE SEJAM SOLICITADOS PELAS NÃO PRESTA OS ESCLARECIMENTOS QUE LHE SEJAM SOLICITADOS PELO VIOLA O DEVER DE DILIGÊNCIA E ZELO FIG. 39 RELAÇÃO DAS INFRACÇÕES DISCIPLINARES IMPUTADAS E DEVERES INDICIARIAMENTE VIOLADOS COM OS PROCESSOS DISCIPLINARES INSTAURADOS (PRIMEIRO TRIMESTRE DE 00) /37

23 III. IMPEDIMENTOS, ESCUSAS E SUSPEIÇÕES.) ANO DE 009 No período compreendido entre 3 de Março e 3 de Dezembro de 009, foram recebidos pela CPEE trinta e quatro pedidos tendentes à apreciação de impedimentos, escusas e suspeições IMPEDIMENTO ESCUSA SUSPEIÇÃO FIG. 0 TIPO DE PEDIDOS NUMERICAMENTE 3/37

24 % 6% IMPEDIMENTO ESCUSA 79% SUSPEIÇÃO FIG. TIPO DE PEDIDOS - PERCENTUALMENTE CÔNJUGE REPRESENTA UMA DAS PARTES CONFLITO DE INTERESSES PARTICIPAÇÃO NA OBTENÇÃO DO TÍTULO QUE SERVE DE QUEBRA DE IMPARCIALIDADE INIMIZADE AMIZADE COM UMA PARTE OUTROS RELAÇÃO PROFISSIONAL COM UMA DAS PARTES RELAÇÃO FAMILIAR COM UMA PARTE INCOMPATIBILIDADES COM O EXEQUENTE E/OU O SEU REPRESENTAÇÃO JUDICIAL DE UMA DAS PARTES FIG. FUNDAMENTOS INVOCADOS NUMERICAMENTE /37

25 REPRESENTAÇÃO JUDICIAL DE UMA DAS PARTES INCOMPATIBILIDADES COM O EXEQUENTE E/OU O SEU MANDATÁRIO 6% 6% 6% 3% 3% 0% % RELAÇÃO FAMILIAR COM UMA PARTE RELAÇÃO PROFISSIONAL COM UMA DAS PARTES OUTROS 6% 9% AMIZADE COM UMA PARTE INIMIZADE % % QUEBRA DE IMPARCIALIDADE PARTICIPAÇÃO NA OBTENÇÃO DO TÍTULO QUE SERVE DE BASE À EXECUÇÃO CONFLITO DE INTERESSES CÔNJUGE REPRESENTA UMA DAS PARTES FIG. 3 FUNDAMENTOS INVOCADOS PERCENTUALMENTE IMPEDIMENTO DETECTADO PELA CPEE INUTILIDADE EXTINTO INDEFERIMENTO DEFERIMENTO FIG. TIPO DE DECISÕES - NUMERICAMENTE /37

26 DEFERIMENTO 9% 9% 3% INDEFERIMENTO 0% 9% EXTINTO INUTILIDADE IMPEDIMENTO DETECTADO PELA CPEE FIG. TIPO DE DECISÕES - PERCENTUALMENTE 6/37

27 .).º TRIMESTRE DE 00 REPRESENTAÇÃO JUDICIAL DE UMA DAS PARTES RELAÇÃO PROFISSIONAL COM UMA DAS PARTES QUEBRA DE IMPARCIALIDADE PARTICIPAÇÃO NA OBTENÇÃO DO TÍTULO QUE SERVE DE BASE À EXECUÇÃO INCOMPATIBILIDADES COM O EXEQUENTE E/OU O SEU MANDATÁRIO CONFLITO DE INTERESSES AMIZADE COM UMA PARTE OUTROS 0 6 FIG. 6 FUNDAMENTOS INVOCADOS NUMERICAMENTE OUTROS 8% 8% 8% % AMIZADE COM UMA PARTE CONFLITO DE INTERESSES INCOMPATIBILIDADES COM O EXEQUENTE 8% 8% 9% 9% E/OU O SEUMANDATÁRIO PARTICIPAÇÃO NA OBTENÇÃO DO TÍTULO QUE SERVE DE BASE À EXECUÇÃO QUEBRA DE IMPARCIALIDADE RELAÇÃO PROFISSIONAL COM UMA DAS PARTES REPRESENTAÇÃO JUDICIAL DE UMA DAS PARTES FIG. 7 FUNDAMENTOS INVOCADOS PERCENTUALMENTE 7/37

28 DEFERIMENTO INUTILIDADE INDEFERIMENTO FIG. 8 TIPO DE DECISÕES NUMERICAMENTE 9% INDEFERIMENTO 36% % INUTILIDADE DEFERIMENTO FIG. 9 TIPO DE DECISÕES - PERCENTUALMENTE 8/37

29 IV. PEDIDOS DE SUSPENSÃO DE ACEITAR NOVOS PROCESSOS.) ANO DE 009 PROJECTO DE INDEFERIMENTO INDEFERIMENTO DESISTÊNCIA DO PEDIDO INÚTIL INSTRUÇÃO DEFERIMENTO PARCIAL DEFERIMENTO FIG. 0 TIPO DE DECISÕES NUMERICAMENTE 0% 6% 6% % % % DEFERIMENTO DEFERIMENTO PARCIAL INSTRUÇÃO INÚTIL DESISTÊNCIA DO PEDIDO 63% INDEFERIMENTO PROJECTO DE INDEFERIMENTO FIG. TIPO DE DECISÕES PERCENTUALMENTE 9/37

30 MOTIVOS PESSOAIS GRAVIDEZ DESEMPENHO DE CARGO NA CÂMARA APOIO À FAMÍLIA PEDIDO DEFICIENTE NÃO INDICA AUSÊNCIA DO PAÍS ANDAMENTO AOS PROCESSOS ANTIGOS NECESSIDADE DE FORMAÇÃO PREPARAÇÃO DA CESSAÇÃO DA ACTIVIDADE COMO AE REORGANIZAÇÃO DO ESCRITÓRIO EXCESSO DE TRABALHO PROBLEMAS DE SAÚDE FÉRIAS FIG. N.º DE FUNDAMENTOS INVOCADOS COMO PRINCIPAL RAZÃO FÉRIAS PROBLEMAS DE SAÚDE 7% % 6% 3% % % % % % 33% EXCESSO DE TRABALHO REORGANIZAÇÃO DO ESCRITÓRIO PREPARAÇÃO DA CESSAÇÃO DA ACTIVIDADE COMO AE NECESSIDADE DE FORMAÇÃO 8% ANDAMENTO AOS PROCESSOS ANTIGOS 7% % % AUSÊNCIA DO PAÍS NÃO INDICA PEDIDO DEFICIENTE APOIO À FAMÍLIA DESEMPENHO DE CARGO NA CÂMARA GRAVIDEZ MOTIVOS PESSOAIS FIG. 3 N.º DE FUNDAMENTOS INVOCADOS COMO PRINCIPAL RAZÃO (PERCENTUAL) 30/37

31 DESEMPENHO DE CARGO NA CÂMARA AUSÊNCIA DO PAÍS ANDAMENTO AOS PROCESSOS ANTIGOS PREPARAÇÃO DA CESSAÇÃO DA ACTIVIDADE COMO AE NECESSIDADE DE FORMAÇÃO EXCESSO DE TRABALHO FÉRIAS PROBLEMAS DE SAÚDE APOIO À FAMÍLIA REORGANIZAÇÃO DO ESCRITÓRIO FIG. N.º DE FUNDAMENTOS INVOCADOS COMO SEGUNDA RAZÃO REORGANIZAÇÃO DO ESCRITÓRIO APOIO À FAMÍLIA PROBLEMAS DE SAÚDE 6% 6% 6% 3% 3% 3% 7% FÉRIAS EXCESSO DE TRABALHO 6% 9% % NECESSIDADE DE FORMAÇÃO PREPARAÇÃO DA CESSAÇÃO DA ACTIVIDADE COMO AE ANDAMENTO AOS PROCESSOS ANTIGOS AUSÊNCIA DO PAÍS DESEMPENHO DE CARGO NA CÂMARA FIG. N.º DE FUNDAMENTOS INVOCADOS COMO SEGUNDA RAZÃO (PERCENTUAL) 3/37

32 .).º TRIMESTRE DE DEFERIMENTO PARCIAL DEFERIMENTO FIG. 6 TIPO DE DECISÃO EM FUNÇÃO DO NÚMERO DE PEDIDOS 3% 7% DEFERIMENTO PARCIAL DEFERIMENTO FIG. 7 TIPO DE DECISÃO EM FUNÇÃO DO NÚMERO DE PEDIDOS (PERCENTUAL) 3/37

33 EXCESSO DE TRABALHO ACUMULAÇÃO DE SERVIÇO REORGANIZAÇÃO DO ESCRITÓRIO PREPARAÇÃO DA CESSAÇÃO DA ACTIVIDADE COMO AE 0 0,,, 3 3, FIG. 8 N.º DE FUNDAMENTOS INVOCADOS COMO PRINCIPAL RAZÃO % % 3% PREPARAÇÃO DA CESSAÇÃO DA ACTIVIDADE COMO AE REORGANIZAÇÃO DO ESCRITÓRIO ACUMULAÇÃO DE SERVIÇO 9% EXCESSO DE TRABALHO FIG. 9 N.º DE TIPOS DE FUNDAMENTO INVOCADO COMO PRINCIPAL RAZÃO (PERCENTAGEM) 33/37

34 V. PARECERES QUANTO À REINSCRIÇÃO COMO AGENTE DE EXECUÇÃO.) ANO DE 009 Todos os requerimentos de emissão de parecer relativamente à reinscrição de como Agente de Execução apresentados à CPEE no ano de 009 foram deferidos., 3, 3,, 0, 0 FIG. 60 EVOLUÇÃO MENSAL DOS PEDIDOS DE EMISSÃO DE PARECER PELA CPEE EM FUNÇÃO DO N.º DE REQUERIMENTOS APRESENTADOS 3/37

35 OUTUBRO 7% DEZEMBRO 7% MAIO 33% SETEMBRO 8% AGOSTO 8% JULHO 7% FIG. 6 EVOLUÇÃO MENSAL DOS PEDIDOS DE EMISSÃO DE PARECER PELA CPEE EM FUNÇÃO DO N.º DE REQUERIMENTOS APRESENTADOS (PERCENTAGEM) N.º DE PARECERES EMITIDOS PARECER FAVORÁVEL FIG. 6 NÚMERO DE PARECERES EMITIDOS 3/37

36 .).º TRIMESTRE DE 00,, 0, 0 JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO FIG. 63 EVOLUÇÃO MENSAL DOS PEDIDOS DE EMISSÃO DE PARECER PELA CPEE EM FUNÇÃO DO N.º DE REQUERIMENTOS APRESENTADOS MAIO 0% JANEIRO 0% ABRIL 0% MARÇO 0% FIG. 6 EVOLUÇÃO MENSAL DOS PEDIDOS DE EMISSÃO DE PARECER PELA CPEE EM FUNÇÃO DO N.º DE REQUERIMENTOS APRESENTADOS (PERCENTAGEM) 36/37

37 3, 3 3,, 0, 0 PARECER FAVORÁVEL PENDENTE FIG. 6 RELAÇÃO ENTRE OS REQUERIMENTOS ENTRADOS E OS PARECERES JÁ EMITIDOS (.º TRIMESTRE DE 00) NUMÉRICO PARECER FAVORÁVEL 0% PENDENTE 60% FIG. 66 RELAÇÃO ENTRE OS REQUERIMENTOS ENTRADOS E OS PARECERES JÁ EMITIDOS (.º TRIMESTRE DE 00) PERCENTAGEM 37/37

Um projecto com resultados

Um projecto com resultados Um projecto com resultados 11/08/2008 CITIUS Desmaterialização de Processos Judiciais Perguntas & Respostas 1. O CITIUS é um projecto de sucesso? Em matéria de serviços judiciais e tribunais as medidas

Leia mais

ESTATUTO DO PROVEDOR DO CLIENTE

ESTATUTO DO PROVEDOR DO CLIENTE ESTATUTO DO PROVEDOR DO CLIENTE Princípios Gerais Artigo 1º Funções O Provedor do Cliente é um órgão independente da APAVT, que tem por função principal a defesa e promoção dos direitos e interesses legítimos

Leia mais

PROPOSTA DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS APOIO REMOTO À EXECUÇÃO DA CONTABILIDADE POC-EDUCAÇÃO

PROPOSTA DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS APOIO REMOTO À EXECUÇÃO DA CONTABILIDADE POC-EDUCAÇÃO PROPOSTA DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS (DESIGNAÇÃO DA ESCOLA) dia de mês de ano SNN SERVIÇOS DE GESTÃO APLICADA, LDA ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS... 3 METODOLOGIA E CRONOGRAMA... 5 Metodologia...

Leia mais

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários:

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários: CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL Proposta de programa a desenvolver em sumários: I Do inicio do processo o crime e sua natureza. - Crimes públicos, semi-públicos e particulares;

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 As importações de vegetais, seus produtos, derivados e partes, subprodutos,

Leia mais

REGULAMENTO SANCIONATÓRIO. (Normas Complementares às Previstas no Compromisso da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santarém)

REGULAMENTO SANCIONATÓRIO. (Normas Complementares às Previstas no Compromisso da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santarém) REGULAMENTO SANCIONATÓRIO (Normas Complementares às Previstas no Compromisso da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santarém) Página 2 de 11 Índice Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º - Âmbito

Leia mais

RESOLUGÃO CFP N 002/98 de 19 de abril de 1998. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUGÃO CFP N 002/98 de 19 de abril de 1998. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUGÃO CFP N 002/98 de 19 de abril de 1998 "Altera a Consolidação das Resoluções do Conselho Federal de Psicologia, aprovada pela Resolução CFP N 004/86, de 19 de outubro de 1986." O CONSELHO FEDERAL

Leia mais

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL 2.1. INSTRUÇÃO NORMATIVA 2. ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA DE 7 DE MARÇO DE 2010 O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho

Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho O Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil, assinado em Porto Seguro em 22 de Abril de 2000, aprovado,

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Executivo

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Executivo Conselho de Faculdade da da Universidade Nova de Lisboa REGIMENTO Artigo 1º Composição 1. O Conselho de Faculdade da FCM é constituído por treze membros, sendo oito docentes e investigadores, um estudante,

Leia mais

REGULAMENTO DAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE CONTABILISTAS CERTIFICADOS E SOCIEDADES DE CONTABILIDADE

REGULAMENTO DAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE CONTABILISTAS CERTIFICADOS E SOCIEDADES DE CONTABILIDADE REGULAMENTO DAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE CONTABILISTAS CERTIFICADOS E SOCIEDADES DE CONTABILIDADE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento estabelece as regras de constituição

Leia mais

4.º RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES (JANEIRO 2012/ DEZEMBRO 2012)

4.º RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES (JANEIRO 2012/ DEZEMBRO 2012) 4.º RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES (JANEIRO 202/ DEZEMBRO 202) SIGLAS UTILIZADAS ACOP - Associação de Consumidores de Portugal APDSI - Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação

Leia mais

COMPARATIVO ENTRE OS ARTIGOS ALTERADOS

COMPARATIVO ENTRE OS ARTIGOS ALTERADOS COMPARATIVO ENTRE OS ARTIGOS ALTERADOS PORTARIA RFB Nº 3.518 DE 30 DE SETEMBRO DE 2011 (DOU 03/10/2011) Art. 1º - Os procedimentos para o alfandegamento de locais e recintos devem observar o disposto nesta

Leia mais

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 Estabelece normas gerais de consolidação das contas dos consórcios públicos a serem observadas na gestão

Leia mais

Planeamento. Avaliação

Planeamento. Avaliação Planeamento e Avaliação Planeamento e Avaliação Definição de Planeamento Fases de Planeamento Plano vs Projecto Relatório O quê? PLANEAMENTO Planear uma actividade, evento ou projecto, significa responder

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO PREPARAÇÃO PARA O EXAME DE ADMISSÃO A ESTÁGIO DE AGENTES DE EXECUÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO PREPARAÇÃO PARA O EXAME DE ADMISSÃO A ESTÁGIO DE AGENTES DE EXECUÇÃO Coordenadora: Prof.ª Mestre Cláudia Boloto Secretário Pedagógico: Prof. Dr. Jorge Gregório Corpo Docente: Prof.ª Mestre Cláudia Boloto PÓS-GRADUAÇÃO PREPARAÇÃO PARA O EXAME DE ADMISSÃO A ESTÁGIO DE AGENTES

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Questões de Prática Processual Penal, Direito Constitucional e Direitos Humanos. Teórica. (10 valores)

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Questões de Prática Processual Penal, Direito Constitucional e Direitos Humanos. Teórica. (10 valores) ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação 4 de Maio de 2012 PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Questões de Prática Processual Penal, Direito Constitucional e Direitos Humanos Teórica (10 valores) I -

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município, e

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município, e DECRETO Nº 9.540, DE 17 DE AGOSTO DE 2009. Disciplina a emissão da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e e dá outras providências, nos termos que especifica. O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS EDITAL PRAE Nº 04/2015 PROGRAMA DE AUXÍLIO PARA ESTUDANTES PAPE/UNIFESP PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA PBP/MEC (2016) BAIXADA SANTISTA, DIADEMA, GUARULHOS, OSASCO, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS E SÃO PAULO. A Pró-Reitoria

Leia mais

Dispõe sobre procedimentos para o licenciamento ambiental no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente.

Dispõe sobre procedimentos para o licenciamento ambiental no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente. RESOLUÇÃO Nº 49, DE 28 DE SETEMBRO DE 2004 DOE SP DE 29/09/2004 Dispõe sobre procedimentos para o licenciamento ambiental no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente. O Secretário de Estado do Meio Ambiente,

Leia mais

FREGUESIA DE QUIAIOS NIPC 510 833 535

FREGUESIA DE QUIAIOS NIPC 510 833 535 PROGRAMA DE HASTA PÚBLICA Para atribuição do direito de ocupação efetiva de natureza precária da loja n.º 4 no Mercado de Quiaios Artigo 1.º Identificação A loja objeto de hasta pública localiza-se no

Leia mais

PARECER N.º 2/CITE/2010

PARECER N.º 2/CITE/2010 PARECER N.º 2/CITE/2010 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora grávida, nos termos do n.º 1 e da alínea a) do n.º 3 do artigo 63.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009,

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 11 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

Marco regulatório da Educação a Distância

Marco regulatório da Educação a Distância Marco regulatório da Educação a Distância João Roberto Moreira Alves CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO Marco principal Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes

Leia mais

Pedido de Consulta de Processo/Fotocópias/2ª Vias Alvarás/Certidões

Pedido de Consulta de Processo/Fotocópias/2ª Vias Alvarás/Certidões Ex.mo(a) Senhor(a) Presidente da Câmara Municipal de Odivelas (A preencher pelos serviços) Processo n.º / / Pedido de Consulta de Processo/Fotocópias/2ª Vias Alvarás/Certidões Identificação do Requerente

Leia mais

O exame de processos de outorga de concessão deve conter em sua introdução as informações básicas relativas ao tipo de processo.

O exame de processos de outorga de concessão deve conter em sua introdução as informações básicas relativas ao tipo de processo. Tribunal de Contas da União MANUAL PARA INSTRUÇÃO DE PROCESSOS DE LICITAÇÃO PARA OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS E DE LINHAS DE TRANSMISSÃO 1 - INTRODUÇÃO 1.1. CARACTERÍSTICAS GERAIS O exame de

Leia mais

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO

CPCJ P E N A C O V A C O M I S S Ã O D E P R O T E C Ç Ã O D E C R I A N Ç A S E J O V E N S REGULAMENTO INTERNO Aprovado em: 24-11-2006 Alterado em: 04-12-2007 (Introduzidas alterações alínea e), artigo 9º) REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em

Leia mais

O problema do Apoio aos Direitos do Funcionário Público e Seu Apoio Jurídico no Interior da China

O problema do Apoio aos Direitos do Funcionário Público e Seu Apoio Jurídico no Interior da China Administração n.º 92, vol. XXIV, 2011-2.º, 575-582 575 O problema do Apoio aos Direitos do Funcionário Público e Seu Apoio Jurídico no Interior da China Ren Jin* I. Direitos e Responsabilidades do Funcionário

Leia mais

A REFORMA TRIBUTÁRIA EM ANGOLA

A REFORMA TRIBUTÁRIA EM ANGOLA www.fbladvogados.com A REFORMA TRIBUTÁRIA EM ANGOLA As Principais Linhas de Orientação ÍNDICE 1. O PERT: Missão e Objectivos 2. O Sistema Fiscal Angolano 2.1. A Tributação dos Rendimentos 2.2. A Tributação

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS AOS MEMBROS DA ORDEM DOS ENFERMEIROS,

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BENEFÍCIOS AOS MEMBROS DA ORDEM DOS ENFERMEIROS, Preâmbulo Foi aprovado em Assembleia Geral da Ordem dos Enfermeiros de 25 de Maio de 2002, sob proposta do Conselho Diretivo, o Regulamento de Acesso a Benefícios aos Membros, em cumprimento do desígnio

Leia mais

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:96665-2013:text:pt:html D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665 Anúncio

Leia mais

Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS

Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101,

Leia mais

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA Preâmbulo No processamento da política de reorganização dos serviços municipais e no caso particular do Arquivo do Município de Fronteira, pretende-se com

Leia mais

Arquivo de retorno Boleto Bancário Formato XML

Arquivo de retorno Boleto Bancário Formato XML Arquivo de retorno Boleto Bancário Formato XML Índice Capítulo 1... 3 Introdução... 3 Capítulo 2... 4 Arquivo Retorno Pedidos em Lote... 4 Capítulo 3... 6 Arquivo Retorno Pedido Individual... 6 Anexo 1...

Leia mais

GO ALINHAMENTO ESTRATÉGICO

GO ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Versão 01 - Página 1/24 PROCESSO: Acompanhamento e controle das obras nas sedes do MP-GO PROCEDIMENTO: Acompanhamento e controle das obras nas sedes do MP- GO ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Objetivo estratégico:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO DOS MEMBROS DA SOCIEDADE CIVIL DO CONSELHO ESTADUAL DE DEFESA DOS DIREITOS DA PESSOA COM

Leia mais

Estatuto da Corte Interamericana de Direitos Humanos UNISIM 2015

Estatuto da Corte Interamericana de Direitos Humanos UNISIM 2015 Estatuto da Corte Interamericana de Direitos Humanos UNISIM 2015 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1. Natureza e regime jurídico A Corte Interamericana de Direitos humanos é uma instituição judiciária

Leia mais

Deliberação do Conselho Geral da Câmara dos Solicitadores de 07/01/2011

Deliberação do Conselho Geral da Câmara dos Solicitadores de 07/01/2011 Deliberação do Conselho Geral da Câmara dos Solicitadores de 07/01/2011 Considerando que: a) Quando um agente de execução cessa funções é essencial transferir os bens de que seja fiel depositário e apurar

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS - IIP PROGEPE Nº 001/2016 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS - IIP PROGEPE Nº 001/2016 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS - IIP PROGEPE Nº 001/2016 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Dispõe sobre os procedimentos para afastamento parcial, no país, ou integral, no país ou no

Leia mais

TRATADO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E O REINO DE ESPANHA PARA A REPRESSÃO DO TRÁFICO ILÍCITO DE DROGA NO MAR.

TRATADO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E O REINO DE ESPANHA PARA A REPRESSÃO DO TRÁFICO ILÍCITO DE DROGA NO MAR. Resolução da Assembleia da República n.º 9/2000 Tratado entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha para a Repressão do Tráfico Ilícito de Droga no Mar, assinado em Lisboa em 2 de Março de 1998 Aprova

Leia mais

Termos e Condições. Bem-vindo ao site de Internet da Telemedia - Promoção 20% - que disponibiliza descontos em equipamentos de televisão Samsung.

Termos e Condições. Bem-vindo ao site de Internet da Telemedia - Promoção 20% - que disponibiliza descontos em equipamentos de televisão Samsung. Termos e Condições Bem-vindo ao site de Internet da Telemedia - Promoção 20% - que disponibiliza descontos em equipamentos de televisão Samsung. 1. Condições Gerais 1.1 A utilização do site: http://www.campanha.telemediaportugal.com,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação) Regulamenta o art. 52, inciso I da Lei 9.394, de 1996, e dispõe sobre normas e

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO PF/SC n 9, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010

ORDEM DE SERVIÇO PF/SC n 9, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010 ORDEM DE SERVIÇO PF/SC n 9, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010 Disciplina a rotina a ser observada pelos procuradores federais e pela Unidade de Apoio Processual na utilização do Sistema Rito Ordinário da Justiça

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.

GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I. GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Medidas excecionais de apoio

Leia mais

Sessão de 02 de fevereiro de 2016 RECURSO Nº - 60.305 ACÓRDÃO Nº - 14.767 REDATOR CONSELHEIRO PAULO EDUARDO DE NAZARETH MESQUITA

Sessão de 02 de fevereiro de 2016 RECURSO Nº - 60.305 ACÓRDÃO Nº - 14.767 REDATOR CONSELHEIRO PAULO EDUARDO DE NAZARETH MESQUITA PUBLICAÇÃO DA DECISÃO DO ACÓRDÃO No D.O. 01 / 03 / 2016 Fls.: 17 SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL Sessão de 02 de fevereiro de 2016 PRIMEIRA CAMARA RECURSO Nº - 60.305 ACÓRDÃO Nº - 14.767 INSCRIÇÃO ESTADUAL Nº

Leia mais

Regime fiscal das fundações. Guilherme W. d Oliveira Martins FDL

Regime fiscal das fundações. Guilherme W. d Oliveira Martins FDL Regime fiscal das fundações Guilherme W. d Oliveira Martins FDL DUP e benefícios fiscais O regime fiscal das Fundações/IPSS depende da atribuição da declaração de utilidade pública a essas pessoas coletivas.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal TUTELA ANTECIPADA NA AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 2.602 MATO GROSSO RELATORA AUTOR(A/S)(ES) PROC.(A/S)(ES) RÉU(É)(S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :ESTADO DE MATO GROSSO :PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO

Leia mais

BB Crédito Imobiliário

BB Crédito Imobiliário Selecione a Linha de Crédito Aquisição PF PMCMV Aquisição PF PMCMV Convênios Aquisição PF FGTS Pró-Cotista Aquisição FGTS PF Aquisição PF FGTS Convênios Dados da Agência acolhedora / condutora da Operação

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS

NORMAS E PROCEDIMENTOS NORMAS E PROCEDIMENTOS Compensação dos atos gratuitos Com o objetivo de informar nossos colegas responsáveis pelos Cartórios de Registro Civil das Pessoas Naturais, a Comissão Gestora do Fundo de Custeio

Leia mais

2.2 - São condições para nomeação:

2.2 - São condições para nomeação: A Prefeitura Municipal de Matão Estado de São Paulo, usando de suas atribuições legais nos termos do artigo 37, inciso IX, da Constituição Federal, sob a organização da empresa Instituto Excelência Ltda

Leia mais

Cursos Profissionais - nível Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural

Cursos Profissionais - nível Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural Cursos Profissionais - nível Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural REGULAMENTO DA FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO Despacho nº 14758/2004 (2ª série), de 23 de Julho, Portaria nº 550-C/2004, de 21

Leia mais

Lei Municipal Nº 143/2010 De 07 de Junho de 2010

Lei Municipal Nº 143/2010 De 07 de Junho de 2010 Lei Municipal Nº 143/2010 De 07 de Junho de 2010 Autoriza a criação da Junta Médica Oficial do Município de São Francisco do Conde e regulamenta a Concessão de Licença para tratamento de saúde e dá outras

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS Contrato que entre si fazem, na melhor forma de direito, de um lado (nome da operadora), com sede na rua..., nº..., bairro..., em (nome da cidade), (Estado), inscrita

Leia mais

Instruções para os trabalhadores a recibo verde da. Câmara Municipal de Lisboa

Instruções para os trabalhadores a recibo verde da. Câmara Municipal de Lisboa Instruções para os trabalhadores a recibo verde da Câmara Municipal de Lisboa Os trabalhadores a recibo verde que configuram verdadeiros contratos de trabalho deverão proceder da seguinte forma: 1- Elaborar

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0003763-53.2013.8.19.0000 1º CARTÓRIO UNIFICADO CÍVEL DA COMARCA DE NITERÓI AGRAVANTE: ESTADO DO RIO DE JANEIRO AGRAVADO: ESPÓLIO DE FRANKLIN CLARO JÚNIOR REP/P/S INVENTARIANTE

Leia mais

RECEPÇÃO DE EMAIL E FAX P - DAG - 04

RECEPÇÃO DE EMAIL E FAX P - DAG - 04 OBJECTIVO: Definir o processo de recepção de emails e faxs no contexto da Câmara Municipal de Beja RESPONSÁVEL PELO PROCESSO: Responsável do Expediente ÂMBITO: Aplica-se a todos os email e fax recebidos

Leia mais

Prestação de Contas do Programa Nacional de Alimentação Escolar

Prestação de Contas do Programa Nacional de Alimentação Escolar Prestação de Contas do Programa Nacional de Alimentação Escolar Orvalina Ornelas Nascimento Santos Coordenadora-Geral de Contabilidade e Acompanhamento de Prestação de Contas Prestação de Contas: Quem

Leia mais

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ALJEZUR

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ALJEZUR ALJEZUR, 4 DE DEZEMBRO DE 7 INTRODUÇÃO Desde a sua criação até aos dias de hoje, a formação interna dos elementos que constituem o Corpo de Bombeiros Voluntários de Aljezur, tem sido uma constante, na

Leia mais

Orçamento Participativo. Carta de Princípios

Orçamento Participativo. Carta de Princípios Orçamento Participativo Carta de Princípios A Câmara Municipal de Leiria reconhece, com a criação e implementação do Orçamento Participativo, o imperativo de partilhar com os cidadãos a definição de um

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DE FRONTEIRA

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DE FRONTEIRA REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DE FRONTEIRA Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo, nº 147/99, de 1 de Setembro, regula

Leia mais

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2014 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através de concurso, vai conceder apoio à organização

Leia mais

Fundação Educacional de Andradina Edital - 2015

Fundação Educacional de Andradina Edital - 2015 Fundação Educacional de Andradina Edital - 2015 EDITAL DE REQUERIMENTO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA ALUNOS DE CURSOS SUPERIORES E TÉCNICOS DA FEA PARA O ANO 2015 A Comissão Permanente de Análise de Bolsa de

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PORTARIA Nº 276/2012

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PORTARIA Nº 276/2012 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO PORTARIA Nº 276/2012 Dispõe sobre a requisição de técnicos para realização do exame das prestações de contas de candidatos e de comitês financeiros nas campanhas

Leia mais

VOTO. INTERESSADO: Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda.

VOTO. INTERESSADO: Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda. FL. 1 de 6 VOTO PROCESSO: 00000.746624/1983-22. INTERESSADO: Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda. RELATOR: Diretor André Pepitone da Nóbrega RESPONSÁVEL: SUPERINTENDÊNCIA DE CONCESSÕES

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 12/2013 - (BO N.º 6, 17.06.2013) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO II FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto

Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU. Regulamento de Atribuição da. Bolsa para Estudos sobre Macau. Artigo 1.º. Objecto Anexo 1 FUNDAÇÃO MACAU Regulamento de Atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento define as regras de atribuição da Bolsa para Estudos sobre Macau, adiante designada

Leia mais

Colégio de Especialidade de Agentes de Execução

Colégio de Especialidade de Agentes de Execução Artigo 241.º Sempre que a citação se mostre efectuada em pessoa diversa do citando, em consequência do disposto no nº 2 do artigo 236º e na alínea b) do nº 2 do artigo anterior, ou haja consistido na afixação

Leia mais

Regulamento das Bolsas PARSUK Xperience 2014

Regulamento das Bolsas PARSUK Xperience 2014 Regulamento das Bolsas PARSUK Xperience 2014 1. Parte 1 Objectivos, valor e designação das bolsas 1.1. O programa PARSUK Xperience pretende dar a oportunidade a alunos de licenciatura ou mestrado em Portugal

Leia mais

EDITAL - DPU/DIEAD DPGU - Nº 02/2016 CURSO DE CURTA DURAÇÃO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL - SUAS ALTERAÇÕES E POLÊMICAS

EDITAL - DPU/DIEAD DPGU - Nº 02/2016 CURSO DE CURTA DURAÇÃO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL - SUAS ALTERAÇÕES E POLÊMICAS EDITAL - DPU/DIEAD DPGU - Nº 02/2016 CURSO DE CURTA DURAÇÃO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL - SUAS ALTERAÇÕES E POLÊMICAS O Diretor da Escola Superior da Defensoria Pública da União - ESDPU torna pública

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos STDA Declaração do Simples Nacional relativa à Substituição Tributária e ao Diferencial de Alíquota no

Parecer Consultoria Tributária Segmentos STDA Declaração do Simples Nacional relativa à Substituição Tributária e ao Diferencial de Alíquota no STDA Declaração do Simples Nacional relativa à Substituição Tributária 11/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4.

Leia mais

PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO

PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS Processo TCM nº 07970-14 Exercício Financeiro de 2013 Prefeitura Municipal de POÇÕES Gestor: Otto Wagner de Magalhães Relator Cons. Paolo Marconi PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO O Parecer

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA DE NOVE LUGARES Preâmbulo Tendo em conta a nova realidade politica administrativa existente no território da União

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, serviço público independente, dotada de personalidade

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014)

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014) ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS Artigo Primeiro A Fundação dos Lions de Portugal é uma

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 022/2009

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 022/2009 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 022/2009 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

atualização gratuita *para clientes Solutio com contrato de manutenção ativo.

atualização gratuita *para clientes Solutio com contrato de manutenção ativo. novidades da versão 2.2 Obrigações fiscais 2013 o Comunicação das faturas para a AT através do Serviço Online Ficheiros do processo o Atualizadas as designações dos tipos de ficheiro o Acrescentadas as

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 12/2013 - (BO N.º 6, 17.06.2013) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO I FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

Leia mais

Sistema Nacional de Compras Públicas e Centrais de compras

Sistema Nacional de Compras Públicas e Centrais de compras 17 de Novembro de 2008 Sistema Nacional de Compras Públicas e Centrais de compras Gisela Xavier Martins Gisela.martins@mirandalawfirm.com SNCP e ANCP Decreto-Lei n.º 37/2007, de 19 de Fevereiro O Sistema

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO DOS JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

Ponto 10.1. Proposta das Normas do Orçamento Participativo de Pombal

Ponto 10.1. Proposta das Normas do Orçamento Participativo de Pombal Cópia de parte da ata da Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Pombal nº0014/cmp/15, celebrada em 25 de Junho de 2015 e aprovada em minuta para efeitos de imediata execução. Ponto 10.1. Proposta das

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 011 Declaração de Isenção de Licenciamento Ambiental DILA

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 011 Declaração de Isenção de Licenciamento Ambiental DILA INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 011 Declaração de Isenção de Licenciamento Ambiental DILA Disciplina o processo de dispensa de licenciamento ambiental das atividades localizadas no município de Blumenau, e passíveis

Leia mais

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL TERCEIRO SETOR, CULTURA E RESPONSABILIDADE SOCIAL 18/10/2013 PUBLICAÇÃO DA LEI Nº 12.868/2013 QUE ALTERA A LEI Nº 12.101/2009 E A LEI Nº 9.532/1997 No último dia 16.10.2013, entrou em vigor a Lei nº 12.868/2013

Leia mais

1 DOCUMENTOS PROCESSO LEGISLATIVO

1 DOCUMENTOS PROCESSO LEGISLATIVO 303/2014 18/12/2014 INDÍCE 1 DOCUMENTOS PROCESSO LEGISLATIVO 1.1 - PAUTA DAS REUNIÕES ORDINÁRIAS, EXTRAORDINÁRIAS E SOLENES.. 03 1.2 - PROJETOS DE LEIS ORDINÁRIAS E COMPLEMENTARES.. 03 1.3 - PROJETOS DE

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTABILÍSTICOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTABILÍSTICOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTABILÍSTICOS FREGUESIA DE BANDEIRAS - CONCELHO DE MADALENA Índice Introdução 3 1. Organograma da 4 2. Discriminação de tarefas e funções desempenhadas ao nível contabilístico

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA O Tribunal de Relação de Lisboa, remeteu a este Conselho uma cópia do ofício n.º 48486, de 20-04-04, da ADSE, referente à deliberação da Junta Médica, a que tinha sido submetido o DR. (...). É do seguinte

Leia mais

Prática Processual Civil. 1º Curso de Estágio de 2011 Ana Alves Pires Advogada Formadora OA

Prática Processual Civil. 1º Curso de Estágio de 2011 Ana Alves Pires Advogada Formadora OA Prática Processual Civil Ana Alves Pires Advogada Formadora OA 1 I. Actos das partes Prazos processuais II. Contagem dos prazos III. Prazo supletivo legal IV. Modalidades de prazos: peremptório e dilatório

Leia mais

Formulário de Controle de Frequência e Jornada de Trabalho

Formulário de Controle de Frequência e Jornada de Trabalho Formulário de Controle de Frequência e Jornada de Trabalho V1.9 Introdução O FCF é o meio pelo qual funcionários justificam eventuais anormalidades na marcação regular obrigatória do registro eletrônico

Leia mais

DIVISÃO DE RECURSOS HUMANOS (DRH)

DIVISÃO DE RECURSOS HUMANOS (DRH) MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO DIVISÃO DE RECURSOS HUMANOS (DRH) A Divisão de Recursos Humanos (DRH) e suas Seções são responsáveis pelas demandas referentes

Leia mais

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico Credenciada pela portaria: MEC 292, de 15.02.2001 DOU Nº 35-E, de 19.02.2001, Seção 1 RESOLUÇÃO

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno NOTIFICAÇÃO UCCI N 002/06 ÓRGÃO: GABINETE DO PREFEITO ASSUNTO: PRESTAÇÃO

Leia mais

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. CAMPO GRANDE-MS, 6 DE MAIO DE 2015.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. CAMPO GRANDE-MS, 6 DE MAIO DE 2015. GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA- SEJUSP/MS AGÊNCIA ESTADUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA PENITENCIÁRIO-AGEPEN/MS PORTARIA AGEPEN Nº 4, DE 6 DE

Leia mais

Programa Incentivo 2014. Normas de execução financeira. 1. Âmbito do financiamento

Programa Incentivo 2014. Normas de execução financeira. 1. Âmbito do financiamento Programa Incentivo 2014 Normas de execução financeira 1. Âmbito do financiamento As verbas atribuídas destinam-se a financiar o funcionamento da instituição de investigação científica e desenvolvimento

Leia mais

Governação dos laboratórios: papel da regulação

Governação dos laboratórios: papel da regulação Governação dos laboratórios: papel da regulação César Carneiro Director do Departamento de Estudos e Regulação Económica Lisboa, 20 de Maio de 2016 Agenda 1. A Entidade Reguladora da Saúde 2. As actividades

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 18/XII Exposição de Motivos Nos últimos anos, os serviços e órgãos da administração directa e indirecta do Estado, bem como as Regiões Autónomas e as autarquias locais, têm, no âmbito

Leia mais

COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE

COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE Considerando que a,s.a. ( Sociedade Interessada ) tem interesse em analisar a eventual participação no projecto de da sociedade ( Promotora ), vem a Sociedade Interessada

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2466 DE 20 DE MARÇO DE 2014

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2466 DE 20 DE MARÇO DE 2014 RESOLUÇÃO SMTR Nº 2466 DE 20 DE MARÇO DE 2014 REGULAMENTA O CARTÃO DE ESTACIONAMENTO PARA DEFICIENTE FÍSICO DE ÂMBITO NACIONAL. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições que lhe são

Leia mais