UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE PROJETO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA JUIZ DE FORA

2 INTRODUÇÃO A Faculdade de Odntlgia da Universidade Federal de Juiz de Fra está situada n CIS - Centr Integrad de Saúde, n Campus da UFJF n municípi de Juiz de Fra, na Zna da Mata Mineira. Para Curs de Graduaçã de Odntlgia, mdalidade em bacharelad, sã ferecidas 80 vagas pr an, cm entrada de 40 aluns pr semestre, através d cncurs públic de vestibular, PISM (Prgrama de Ingress Seletiv Mist) e sistema de ctas. O currícul d curs de Odntlgia é desenvlvid em 05 (cinc) ans e rganizad em disciplinas semestrais, envlvend ensin teóric e prátic nas áreas temáticas de Ciências Bilógicas e da Saúde, Ciências Humanas e Sciais, Ciências Odntlógicas além de Estágis Supervisinads. Além, s aluns da Faculdade de Odntlgia têm prtunidade de participar de atividades de Extensã Universitária, Prgramas de Mnitria, Prgrama de Iniciaçã Científica, Estuds Cmplementares e curss realizads em utras áreas afins, pdend ainda cursar disciplinas que fazem parte da grade curricular ds demais curss que cmpõem a Universidade Federal de Juiz de Fra. Além diss, a Faculdade de Odntlgia ferece Prgrama de Treinament Prfissinal (PTP) - permite a alun, desde 1º semestre, a realizaçã de atividades práticas que sã acrescidas a seu currícul e experiência prfissinal. Nesta instituiçã sã ministrad s curss de pós-graduaçã Latu Sensu nas áreas de Dentística, Disfunçã Temprmandibular e Dr Orfacial, Enddntia, Implantdntia, Odntlgia Legal, Ortdntia, Peridntia, Prótese Dentária, Radilgia Odntlógica e Imaginlgia, Saúde Cletiva, Odntpediatria, Odntgeriatria, Odntlgia para Pacientes cm Necessidades Especiais, e Residência em Cirurgia Bucmaxilfacial. Ressalta-se ainda Mestrad Acadêmic em Clínicas Odntlógica implantad em Diante d expst, a Faculdade de Odntlgia, demnstrand seu empenh e desempenh, bteve n últim ENADE a classificaçã nível A, cm 19 (dezenve) pnts acima da média nacinal, send classificada cm a 2ª (segunda) melhr Faculdade d país. OBJETIVOS Objetiv Geral Frmar um prfissinal qualificad para exercíci em saúde bucal, cm visã generalista, humanista, crítica e reflexiva, cm espírit empreendedr e invadr, capaz de atuar em tds s níveis de atençã à saúde, de frma integral e integralizada, cm base n rigr técnic-científic, cnhecend e cmpreendend a realidade scial de md a intervir ns prblemas de saúde bucal da ppulaçã, pautand-se em princípis étics e legais da prfissã. Objetivs específics Desenvlver a capacidade de atuar em tds s níveis de atençã à saúde, integrand-se em prgramas de prmçã, prevençã, prteçã, recuperaçã, reabilitaçã e manutençã da saúde bucal da ppulaçã; Pssibilitar a graduand atuar ns diferentes cenáris da prática prfissinal e cmpreender a plítica de saúde n cntext scial, recnhecend s perfis e s pressupsts ds mdels clínics e epidemilógics; Recnhecer a saúde cm direit d hmem, atuand de md a garantir a integralidade da assistência; Participar de investigaçã científica, educaçã cntinuada e educaçã permanente relativas à dntlgia, cm vistas à aplicaçã de resultads de pesquisas e d cnheciment n enfrentament ds desafis apresentads. Prmver cresciment pessal d acadêmic para que ele pssa perceber usuári em tda a sua dimensã bi-psic-scial. Cntribuir para a valrizaçã e aperfeiçament prfissinal, através de uma pstura ética, humanística e scial, despertand para a frmaçã de pesquisadres, dcentes e prfissinais cm cmpetência assistencial em saúde bucal.

3 PROPOSTA DE ACORDO COM OS EIXOS E OS VETORES DO PRÓ-SAÚDE EIXO A: ORIENTAÇÃO TEÓRICA Operações visand às mudanças EIXO A (vetres 01, 02 e 03) Frmalizar pactuações de cperaçã entre as Instituições Frmadra / Gestã - SUS / JF através de cnvênis para estabelecer vínculs, respnsabilidades de gerenciament e execuçã, custs e avaliações; Garantir repasse ds recurss financeirs pela Gestã SUS / JF referentes as serviçs prestads pela Instituiçã Frmadra as pacientes d SUS; Frmalizar e garantir repasse de recurss financeirs através de prjets previamente aprvads, que viabilizem as pesquisas garantind a execuçã, a cnclusã, a aplicabilidade e a cntinuidade das mesmas; Indicar preceptres para viabilizar a vivência acadêmica ns serviçs d SUS, tant pela Instituiçã Frmadra quant da rede SUS; O acadêmic será rientad desde iníci d curs para desenvlver análise crítica / reflexiva acerca ds diverss determinantes d prcess saúde / dença: Primeir períd d curs: Seminári semestral para s acadêmics de dntlgia FO / UFJF para iniciaçã à abrdagem da relaçã saúde / dença dentr d cntext bi-psic-scial d cidadã usuári e a evluçã das plíticas públicas n Brasil; Segund e quint períds d curs: Semináris semestrais cm prfessres e acadêmics ds segund e quint períds para a sensibilizaçã da imprtância d aclhiment e d enfque d atendiment humanizad a fim de que desenvlvam uma visã crítica, buscand entendiment das questões sciais, culturais e ecnômicas que influenciam diretamente n prcess saúde / dença preparaçã para ingress a estági clínica integrada I Atençã Primária, que bjetiva também estabelecer el entre cicl básic e prfissinalizante; Terceir períd d curs: Oficinas semestrais cm prfessres e acadêmics abrdand s cnteúds vivenciads e prblematizads; Cnstituir grups temátics de trabalh cm representantes da Instituiçã Frmadra / Gestã SUS / JF para avaliaçã ds acadêmics n que tange a atuaçã e aprendizad destes, através de relatóris e avaliaçã d impact crrid ns serviçs cm a presença ds acadêmics; A disciplina de saúde cletiva ficará respnsável pel acmpanhament e rientaçã ds acadêmics durante a sua atuaçã junt a serviç SUS, n 4º, 5º e 6º períds; Realizar uma ficina cm gestres d SUS de váris níveis para facilitar trabalh interinstitucinal e interdisciplinar; A Instituiçã Frmadra e Gestã / SUS - JF prmverã, anualmente, em parceria, prcess de educaçã permanente ds prfessres e ds prfissinais da rede SUS / Instituiçã Frmadra, em saúde cletiva, através de curs de capacitaçã cm carga hrária ttal de 72 h; Seminári semestral para s acadêmics d 8º períd que iniciarã a atuaçã / assistência diretamente ns serviçs da rede SUS, cm fc n relacinament interpessal; Capacitar de frma integrada e articulada ACD, THD e Prtétics para atuarem na assistência junt a serviç SUS; Oficina semestral para trca de experiências entre acadêmics, preceptres, crdenadres de estágis e prfissinais SUS; Prduzir material de divulgaçã d trabalh científic e investigativ realizad pr dcentes e discentes, ntadamente na área de Saúde Cletiva.

4 EIXO B: CENÁRIO DE PRÁTICAS Operações visand às mudanças EIXO B (vetres 04, 05 e 06) Infrmatizaçã d sistema para que haja cntrle na marcaçã de cnsultas, referência / cntra-referência, acmpanhament de prntuáris (qualidade / prdutividade); Aquisiçã de catracas cm leitura de códig de barra, tarja magnética e bimétrica. TCP / IP, cm sftware de cmunicaçã; Cnvênis para adequar sistema de infrmatizaçã para que a infrmaçã seja acessada tant pela Instituiçã Frmadra quant pela Gestã / SUS; Prpr a Gestã / SUS a adequaçã ds cenáris de prática para que s acadêmics trabalhem de acrd cm grau de cnheciment técnic-científic prmvid pela Instituiçã Frmadra; O acmpanhament e avaliaçã ds acadêmics serã realizads pela Instituiçã Frmadra / Gestã SUS / JF, cm relaçã as atendiments prátics, através ds preceptres e crdenadres de estági; Semináris e ficinas semestrais para intrduçã ds acadêmics as desafis da prática assistencial, levand em cnsideraçã a rganizaçã e a execuçã d serviç em equipe, e, a prmçã, prteçã e recuperaçã da saúde da ppulaçã usuária; Frmalizar e garantir repasse financeir pr parte da Gestã / SUS JF diretamente para a FO / UFJF pels serviçs prestads (cnvênis e prcediments realizads); Equipar e adequar um labratóri de prótese para atender a demanda d SUS de próteses ttais e parciais d municípi de Juiz de Fra e regiã plarizada; Incentivar s acadêmics de dntlgia da FO / UFJF a se aprximarem ds mecanisms de participaçã ppular e a participarem de reuniões d cnselh de saúde municipal, lcal e reginal, e, de cnferências municipais de saúde, bem cm de reuniões nas UBS; Cntar cm a assessria de dis prfissinais cm recnhecid cnheciment da estrutura e funcinament d serviç / SUS para serem el entre a Instituiçã Frmadra e Gestã / SUS, pssibilitand as acadêmics a inserçã à prática scial; Aquisiçã de material didátic e insums necessáris para viabilizar funcinament efetiv ds prjets de extensã; Prprcinar atendiment dntlógic dmiciliar a cidadã acamad, cm impssibilidade de se deslcar a serviç, mediante avaliaçã da necessidade pr prfissinal habilitad, dand suprte à saúde da família; Viabilizar a cntinuidade e expansã d Prgrama Atençã à Saúde Bucal (As Bucal). Expandir a assistência às crianças n entrn da Faculdade de Odntlgia, através d prjet Escva-açã. EIXO C: ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Operações visand às mudanças - EIXO C (vetres 07, 08 e 09) Manter a participaçã da FO / UFJF em póls de Educaçã Permanente NATES (Núcle de Assessrament Técnic e Estuds em Saúde) / HU (Hspital Universitári); Prestar assessria a PEPS (Pól de Frmaçã e Educaçã Permanente em Saúde da Macr-regiã Sudeste de MG) nas demandas para capacitaçã de recurss humans; Oficinas semestrais para fmentar discussões entre s acadêmics d 7º períd e s prfissinais que estã vivenciand prcess de trabalh, ntadamente em atençã primária, ns serviçs de saúde, cm bjetiv de desenvlver espírit crític, a interdisciplinaridade e a transdiscipliraridade; Prduçã e sistematizaçã de relatóris resultantes d prcess de prblematizaçã e a análise crítica da rede de serviçs, para subsidiar a mudança na frmaçã de recurss humans; Realizar avaliaçã semestral para averiguar a efetividade d aclhiment e da participaçã ds acadêmics ns serviçs / SUS, a qualidade d serviç prestad e grau de satisfaçã ds assistids; Infrmatizar para prprcinar acess e análise ds dads prduzids e melhrar a cmunicaçã efetiva entre a Instituiçã Frmadra e Gestã SUS; Cnvidar especialistas diverss para assessrament da implementaçã das áreas d currícul, subsidiand núcle didátic-pedagógic da FO;

5 Instrumentalizar crp dcente da FO / UFJF para trabalhar s três vetres prevists n PRÓ-SAÚDE junt as acadêmics; Seminári cm participaçã de tdas as áreas da saúde da UFJF e prfissinais ds serviçs da Gestã / SUS para trabalhar a integralidade da atençã; Prpr fórum de debates destinad à cmunidade acadêmica (dcente e discente) ds curss de graduaçã da área de saúde, prfissinais (gestã e assistência) e representantes d cntrle scial em saúde fcand trabalh interdisciplinar e intersetrial interferind n prcess saúde-dença da ppulaçã. Aquisiçã de material que viabilize a atualizaçã ds dcentes/discentes e prfissinais sbre a prduçã técnic-científica em saúde bucal; Estruturar api administrativ necessári à implementaçã e cnduçã d PRO- SAÚDE; Indicar 02 crdenadres lcais respnsáveis pela articulaçã, implementaçã, cnduçã, avaliaçã e mnitrament d PRÓ-SAÚDE FO / UFJF, send 01 da Instituiçã Frmadra e 01 representante d SUS; Executar cmprmiss da IES previst n item letra D, da Cnvcatória Pública nº. 01 de 16 de nvembr de 2005.

Edital 08/2010. Poderão se inscrever no processo candidatos que preencham os requisitos conforme relacionados abaixo:

Edital 08/2010. Poderão se inscrever no processo candidatos que preencham os requisitos conforme relacionados abaixo: Faculdade de Administraçã Centr de Educaçã a Distância Edital de Seleçã de Tutres a Distância UAB, I/SEED/MEC Edital 08/2010 A Universidade Federal de Juiz de fra (UFJF) trna públic, pr mei deste Edital,

Leia mais

Seção II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS

Seção II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Seçã II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS 1. A seçã II deverá ser preenchida após realizaçã de visita técnica; 2. Este Instrumental de Visita Técnica cntém

Leia mais

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubro em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubro 2014 em Maputo

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubro em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubro 2014 em Maputo SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubr em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubr 2014 em Maput Intrduçã Esta prpsta prevê a realizaçã de um seminári avaliaçã

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina. Infrmaçã da Prva de Exame de Equivalência à Frequência de Prjet Tecnlógic Códig: 196 2013 Curs Tecnlógic de Infrmática/12.º Prva: Pr (Prjet) Nº de ans: 1 Duraçã: 30-45 minuts Decret-Lei n.º 139/2012, de

Leia mais

QUADRO DE PROGRAMAS e SERVIÇOS de PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA e ESPECIAL da FASC

QUADRO DE PROGRAMAS e SERVIÇOS de PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA e ESPECIAL da FASC QUADRO DE S e SERVIÇOS de PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA e ESPECIAL da FASC Nme d Prteções 101 Bem-Me-Quer Prgrama Municipal de Execuçã de Medidas Sóci- Educativas em Mei Abert - PEMSE Acmpanhament de adlescentes

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Período:

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Período: Universidade Federal d Ri Grande d Sul Plan de Gestã Períd: 2008-2012 Planejament de Atividades de Órgã da Administraçã Central Dirigentes: Reitr: Prf. Dr. Carls Alexandre Nett Vice-Reitr: Prf. Dr. Rui

Leia mais

Campanha Construindo Cidades Resilientes: minha cidade está se preparando!

Campanha Construindo Cidades Resilientes: minha cidade está se preparando! Campanha Cnstruind Cidades Resilientes: minha cidade está se preparand! Platafrma temática sbre risc urban nas Américas Frtaleciment da cperaçã e clabraçã entre gverns lcais Cnvite à apresentaçã de prpstas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Extensão - PROEX Pró-Reitoria Estudantil PROEST PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES/UFAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Extensão - PROEX Pró-Reitoria Estudantil PROEST PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES/UFAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitria de Extensã - PROEX Pró-Reitria Estudantil PROEST PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES/UFAL Edital PROEX - 04/2017 EDITAL PARA BOLSAS NO PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES

Leia mais

EDITAL Nº 001/2017 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA UNIDADE CLÍNICA AMBULATORIAL DE JUNDIAPEBA ÚNICA DR. ARTHUR DOMINGOS FAIS

EDITAL Nº 001/2017 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA UNIDADE CLÍNICA AMBULATORIAL DE JUNDIAPEBA ÚNICA DR. ARTHUR DOMINGOS FAIS Decret 93081 de 07.08.1986 Entidade Filantrópica Decret-Lei 1572 de 01.09.1977 CNPJ 44.690.238/0001-61 Registr Cartóri de Registr de Imóveis de Bariri N. 247 03.04.1923 www.svitalesaude.rg.br EDITAL Nº

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMPUS AVANÇADO ILHA SOLTEIRA

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMPUS AVANÇADO ILHA SOLTEIRA Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia de Sã Paul RELATÓRIO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMPUS Ilha Slteira - SP Dezembr de 2015 ÍNDICE 1. Intrduçã... 3 1.1 Cmissã de Audiências Públicas... 3 2. Cnsiderações

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014

PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014 Estad d Ri de Janeir Gabinete d Vereadr Jean Carls de Almeida PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014 Dispõe sbre O Prgrama de Treinament as Servidres Públics Municipal e Cargs Cmissinads, que exercem funções de atendiment

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I Ensino Fundamental Nível I (1º ao 5º ano)

Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I Ensino Fundamental Nível I (1º ao 5º ano) Clégi Viscnde de Prt Segur Unidade I Ensin Fundamental Nível I (1º a 5º an) Ensin Fundamental Nível I Sistema de Recuperaçã 2º an 1º e 2º períds Prezads Pais Pense sempre em sua meta e trabalhe para alcançá-la.

Leia mais

PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR (PRESSE)

PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR (PRESSE) PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR (PRESSE) Prject-Pilt 2008/2009 Administraçã Reginal de Saúde d Nrte- Departament de Saúde Pública Ministéri da Saúde Departament de Saúde Pública Prgrama

Leia mais

Atividades a desenvolver. 1º Período - 12 de setembro a 17 de setembro

Atividades a desenvolver. 1º Período - 12 de setembro a 17 de setembro Agrupament de Esclas da Caparica Planificaçã das Atividades d Cnselh Pedagógic e Estruturas de Gestã Intermédia Dcument Orientadr - 2013/2014 1 O Cnselh Pedagógic é órgã de crdenaçã e supervisã pedagógica

Leia mais

Ata 1ª Reunião Conselho Eco-Escola 13 dezembro 2013

Ata 1ª Reunião Conselho Eco-Escola 13 dezembro 2013 Ata 1ª Reuniã Cnselh Ec-Escla 13 dezembr 2013 As treze dias d mês de dezembr de 2013 realizu-se, n auditóri, a primeira reuniã d cnselh Ec-Esclas d Clégi Valsassina d presente an lectiv. A reuniã cntu

Leia mais

MAPA DE COMPETÊNCIAS PROGRAMA ENSINO INTEGRAL. Secretaria de Estado da Educação São Paulo ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

MAPA DE COMPETÊNCIAS PROGRAMA ENSINO INTEGRAL. Secretaria de Estado da Educação São Paulo ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO MAPA DE COMPETÊNCIAS PROGRAMA ENSINO INTEGRAL ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO Secretaria de Estad da Educaçã Sã Paul MODELO DE COMPETÊNCIAS Premissas d Prgrama Cmpetências Prtagnism Dmíni

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) CERCIAV

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) CERCIAV REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) CERCIAV Dezembr de 2015 A Direçã Marília Martins Maria Laima Emanuel Rcha Olga Figueired Antóni Silva 1 Preâmbul N âmbit d Rendiment

Leia mais

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional Preparaçã para a Certificaçã de Gestr da Qualidade - Excelência Organizacinal OBJETIVOS DO CURSO Apresentar as participantes s cnteúds d Crp de Cnheciment necessáris à certificaçã, pssibilitand que aprimrem

Leia mais

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda.

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda. RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO BRACING PT2020 PDR2020 (Jvens agricultres) Página 1 de 7 Bracing Cnsulting, Lda. Rua d Tâmega, S/N. 4200 502 Prt Prtugal +351 917 000 020 inf@bracing

Leia mais

1-Objeto da avaliação

1-Objeto da avaliação Pretende-se que a avaliaçã seja um element integrante e reguladr da prática educativa que visa: apiar prcess educativ prmver sucess de tds s aluns reajustar s Prjet Curricular de Escla certificar cmpetências

Leia mais

PRODUTOS/SERVIÇOS O QUE ESPERAM E COMO PODEM OS ASSOCIADOS CONTRIBUIR PARA A SUA PRODUÇÃO/DIFUSÃO?"

PRODUTOS/SERVIÇOS O QUE ESPERAM E COMO PODEM OS ASSOCIADOS CONTRIBUIR PARA A SUA PRODUÇÃO/DIFUSÃO? 1ª JORNADA DE REFLEXÃO A prfissã e assciativism na área da Infrmaçã e da Dcumentaçã Bibliteca Municipal da Nazaré, 9 de Abril de 2011 PRODUTOS/SERVIÇOS O QUE ESPERAM E COMO PODEM OS ASSOCIADOS CONTRIBUIR

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO

DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO Inscrevase até 3 de Fevereir e btenha descnts Seminári Prátic Ferramentas, Técnicas e Metdlgias de Luanda, 13 e 14 de Fevereir de 2017 - Htel**** DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO para elabrar um

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Seminári 100% prátic Cm cmbinar técnicas e ferramentas para Luanda, 28, 29 e 30 de Març de 2016 - Htel**** COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Atendiment Telefónic - Atendiment Presencial Cmunicaçã Escrita descnt

Leia mais

I Simpósio de Educação (Evento Regional) Reflexões para uma Educação Integrativa

I Simpósio de Educação (Evento Regional) Reflexões para uma Educação Integrativa I Simpósi de Educaçã (Event Reginal) Reflexões para uma Educaçã Integrativa O Institut Bate-pap Acadêmic tem desenvlvid um trabalh de n âmbit da educaçã científica, inicialmente pr mei da prduçã de um

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. para garantir cuidados imediatos de qualidade. Saber que dados comunicar por via telefónica ao Centro de Orientação e

PRIMEIROS SOCORROS. para garantir cuidados imediatos de qualidade. Saber que dados comunicar por via telefónica ao Centro de Orientação e descnt Inscrevend-se até dia 10 de Fevereir Curs Prátic de 2017 - Htel**** Prcediments, técnicas e manbras de PRIMEIROS SOCORROS para garantir cuidads imediats de qualidade 16 hras de Frmaçã Intensiva

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geraçã de Guias para ST, DIFAL e FCP 1. Objetivs Gerar títuls n cntas a pagar cm ttal de ICMS-ST, DIFAL e/u FCP das ntas fiscais de saída. Página 2 de 6 2. Requisits 2.1. RF01 Geraçã

Leia mais

Manual de Convivência Escolar. Informativo acadêmico, pedagógico e administrativo

Manual de Convivência Escolar. Informativo acadêmico, pedagógico e administrativo Manual de Cnvivência Esclar Infrmativ acadêmic, pedagógic e administrativ 27/01/2014 Índice 1 Apresentaçã... 3 2- Lcalizaçã e Cntats... 4 3 Diretria... 4 4 - Pessal de Api... 4 5 Prcess de Avaliaçã da

Leia mais

Qualidade de Software 5ºSemestre

Qualidade de Software 5ºSemestre Qualidade de Sftware 5ºSemestre Aula 14 Prf. Gladimir Cerni Catarin gladimir@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Metdlgias Ágeis Metdlgias Servem para

Leia mais

Regulamento de Frequência Conselheiros de Segurança

Regulamento de Frequência Conselheiros de Segurança Regulament de Frequência Cnselheirs de Segurança www.academiadprfissinal.cm email: academiadprfissinal@ltm.pt V06 31.10.2016 Regulament de Frequência Cnselheirs de Segurança Índice 1- Enquadrament... 3

Leia mais

INSTALADOR HIDRÁULICO RESIDENCIAL 160 horas

INSTALADOR HIDRÁULICO RESIDENCIAL 160 horas PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO INSTALADOR HIDRÁULICO RESIDENCIAL 160 hras EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA ÁREA: CONSTRUÇÃO MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE (S) HABILITADA (S): CFP TAQUARALTO

Leia mais

SOBRE O ENVIO E A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

SOBRE O ENVIO E A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS SOBRE O ENVIO E A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS Os trabalhs a serem submetids para apresentaçã em cmunicaçã ral, pôster e mesas temáticas crdenadas, deverã ser encaminhads à Secretaria d XV ENPESS até dia

Leia mais

como grande compositor de música erudita contemporânea, com um importante acervo musical de cerca de quinhentas obras.

como grande compositor de música erudita contemporânea, com um importante acervo musical de cerca de quinhentas obras. APRESENTAÇÃO O Auditóri Claudi Santr, lcalizad em Camps d Jrdã (SP), equipament públic estadual, principal palc d mair event da música erudita da América Latina, tem seu surgiment e a sua trajetória institucinal

Leia mais

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS. Eixo Prioritário 3

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS. Eixo Prioritário 3 PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS Avis Nº ACORES-51-2017-14 PROGRAMA OPERACIONAL PARA OS AÇORES 2020 Eix Priritári 3 Cmpetitividade das Empresas Reginais Priridade

Leia mais

Nome do programa ou pesquisa: Pesquisa de Informações Básicas Municipais (MUNIC) Perfil dos Municípios Brasileiros Cultura 2006

Nome do programa ou pesquisa: Pesquisa de Informações Básicas Municipais (MUNIC) Perfil dos Municípios Brasileiros Cultura 2006 IBGE - Institut Brasileir de Gegrafia e Estatística Data de elabraçã da ficha: Set 2007 Dads da rganizaçã: Nme: IBGE - Institut Brasileir de Gegrafia e Estatística Endereç: (várias unidades em td Brasil)

Leia mais

DE CONFISSÃO LUTERANA: seguimos os princípios da Reforma Protestante, liderada por Martim Lutero.

DE CONFISSÃO LUTERANA: seguimos os princípios da Reforma Protestante, liderada por Martim Lutero. Igreja Evangélica de Cnfissã Luterana n Brasil IGREJA: é a cmunhã de pessas que cnfessam a mesma fé n trin Deus e assumem mesm bjetiv de vivenciar e testemunhar a palavra de Deus. EVANGÉLICA: nssa fé é

Leia mais

FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA FEIRA TECNOLÓGICA. TEMA: Cidades Inteligentes

FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA FEIRA TECNOLÓGICA. TEMA: Cidades Inteligentes X FEIRA TECNOLÓGICA DA FGF. NORMAS DOS TRABALHOS CIENTÍFICOS II MOSTRA CIENTÍFICA FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA Períd: 02, 03 e 04 de Març de 2017 FEIRA TECNOLÓGICA TEMA: Cidades Inteligentes

Leia mais

GESTÃO DE TESOURARIA

GESTÃO DE TESOURARIA Seminári Especializad Luanda, 27, 28 e 29 de Junh de 2016 - Htel**** Técnicas, Metdlgias e Instruments de GESTÃO DE TESOURARIA para enfrentar nvs desafis e rentabilizar recurss Especialize-se, dminand

Leia mais

Regulamento de Propinas dos Programas de Formação da Universidade da Madeira

Regulamento de Propinas dos Programas de Formação da Universidade da Madeira Regulament de Prpinas ds Prgramas de Frmaçã da Universidade da Madeira Capítul I Dispsições Gerais Artig 1.º Âmbit 1. O presente Regulament aplica se a tds s aluns inscrits na Universidade da Madeira em

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA FACULDADE SANT ANA Recredenciada pela Prtaria MEC nº 1473 de 07 de Outubr de 2011. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SANT ANA Credenciad pela Prtaria MEC nº 2812 de

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Missã da Fean Frmar prfissinais cmpetentes e eficientemente preparads para atuar n mercad, apts a prever, antecipar e intervir psitivamente nas mudanças e prtunidades. 1. Dads de

Leia mais

Como a construção de planos de negócio para as unidades de serviço pode trazer mais assertividade à gestão?

Como a construção de planos de negócio para as unidades de serviço pode trazer mais assertividade à gestão? Cm a cnstruçã de plans de negóci para as unidades de serviç pde trazer mais assertividade à gestã? Sérgi Lpez Bent Diretr Técnic Executiv Planisa 15.03.2017 Sumári Cnceituaçã Principais aspects d Plan

Leia mais

NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDORES

NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDORES 1º Seminari Prátic Técnicas e Ferramentas de Luanda, 13,14 e 15 de Fevereir de 2017 - Htel**** NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDORES para planificar a melhr estratégia e alcançar melhr resultad 24 hras de Frmaçã

Leia mais

FICHA DE CURSO. Curso de Especialização Pós-Graduada em Gestão e Manutenção de Equipamentos de Elevação - Elevadores

FICHA DE CURSO. Curso de Especialização Pós-Graduada em Gestão e Manutenção de Equipamentos de Elevação - Elevadores 1. Designaçã d Curs: Curs de Especializaçã Pós-Graduada em Gestã e Manutençã de Equipaments de Elevaçã - Elevadres 2. Denminaçã d Diplma u Certificad Diplma de Pós-Graduaçã em Gestã e Manutençã de Equipaments

Leia mais

Colégio de Nossa Senhora de Fátima - Leiria. Geografia. Planificação a longo prazo. Filipe Miguel Botelho

Colégio de Nossa Senhora de Fátima - Leiria. Geografia. Planificação a longo prazo. Filipe Miguel Botelho Clégi de Nssa Senhra de Fátima - Leiria Gegrafia Planificaçã a lng praz Filipe Miguel Btelh 01-01 Planificaçã a lng praz 7º an - Gegrafia 1º Períd Temps º Períd Temps º Períd Temps TEMA A A TERRA: ESTUDOS

Leia mais

TREINADORES CURSO DE TREINADOR DE GRAU I]

TREINADORES CURSO DE TREINADOR DE GRAU I] 2015 [FORMAÇÃO DE TREINADORES CURSO DE TREINADOR DE GRAU I] FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO 1 CALENDARIZAÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO DE TREINADORES DE GRAU I 1. Lcal de realizaçã Lisba Aulas Teóricas:

Leia mais

Regulamento de Frequência Capacidade Profissional Gerentes

Regulamento de Frequência Capacidade Profissional Gerentes Regulament de Frequência Capacidade Prfissinal www.academiadprfissinal.cm email: academiadprfissinal@ltm.pt V02 31.10.2016 Regulament de Frequência Capacidade Prfissinal [Esclha a data] Índice 1- Enquadrament...

Leia mais

Regulamento Interno Ano letivo 2016/17 (Revisto em julho de 2016)

Regulamento Interno Ano letivo 2016/17 (Revisto em julho de 2016) Regulament Intern An letiv 2016/17 (Revist em julh de 2016) Índice 1 Intrduçã 2 Órgãs da Escla 3 Secretaria 4 Regime de funcinament a) An letiv b) Hrári de funcinament c) Pagaments d) Autrizações e) Bens

Leia mais

Módulo 1: Gestão e organização da informação (UFCD 0822)

Módulo 1: Gestão e organização da informação (UFCD 0822) Planificaçã anual Curs Vcacinal de Ensin Secundári An letiv 2016 / 2017 CURSO EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO OPERADOR DE INFORMÁTICA DISCIPLINA: GESTÃO DE BASES DE DADOS Módul 1: Gestã e rganizaçã da infrmaçã (UFCD

Leia mais

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale SIC 2013 Gerenciand Através s da Cnfiabilidade Fabiana Pereira da Silva Vale Intrduçã Atualmente as empresas de mineraçã vivem num cenári parecid cm s estudads e bservads pr Adam Smith e Frederick Taylr

Leia mais

Estratégia Nacional de Especialização Inteligente. Lisboa, 2 de fevereiro de 2017 José Carlos Caldeira

Estratégia Nacional de Especialização Inteligente. Lisboa, 2 de fevereiro de 2017 José Carlos Caldeira Estratégia Nacinal de Especializaçã Inteligente Lisba, 2 de fevereir de 2017 Jsé Carls Caldeira Estrutura da Apresentaçã I. ENEI: prcess em Prtugal II. Mnitrizaçã e avaliaçã III. Primeirs resultads I.

Leia mais

- Minuta Pesquisa CREPOP - Centro de Referência da Assistência Social CRAS/BA. Em maio de 2010 foi realizada a pesquisa CREPOP com psicólogas(os)

- Minuta Pesquisa CREPOP - Centro de Referência da Assistência Social CRAS/BA. Em maio de 2010 foi realizada a pesquisa CREPOP com psicólogas(os) - Minuta Pesquisa CREPOP - Centr de Referência da Assistência Scial CRAS/BA Em mai de 2010 fi realizada a pesquisa CREPOP cm psicólgas(s) que atuavam ns Centrs de Referência da Assistência Scial. As infrmações

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - UBI MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Ano lectivo ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - UBI MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Ano lectivo ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA An lectiv 2015-16 ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA Os estudantes de Medicina, enquant prfissinais de saúde em prcess de frmaçã, devem recnhecer s aspets culturais e sciais da saúde,

Leia mais

Regulamento. Programa Olivais em Férias Jovem. Ano 2017

Regulamento. Programa Olivais em Férias Jovem. Ano 2017 Regulament Prgrama Olivais em Férias Jvem An 2017 Cntribuinte: 507 001 460 Rua General Silva Freire, Lte C, 1849-029 Olivais, Lisba Telefne 218540690 Fax 218520687 E-mail geral@jf-livais.pt Cnteúd 1. Intrduçã...

Leia mais

FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS

FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS Curs Prátic Luanda, 21, 22, 23 e 24 de Junh de 2016 - Htel**** Guia Prática de FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS Frmaçã cmpleta, ágil e sem tecnicisms descnt Inscrevend-se até dia 10 de Junh Um MUST para prfissinais

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DO GRUPO TIM NO BRASIL

RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DO GRUPO TIM NO BRASIL RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DO GRUPO TIM NO BRASIL PREMISSA Cnectar e cuidar de cada um para que tds pssam fazer mais Esse é prpósit da TIM que, além de traduzir sua atuaçã invadra, também se

Leia mais

ANÁLISE DE MARGENS E REDUÇÃO DE CUSTOS

ANÁLISE DE MARGENS E REDUÇÃO DE CUSTOS Inscreva-se até 12 de Outubr e btenha descnts especiais Seminári Prátic Técnicas, Ferramentas e Metdlgias de Luanda, 26, 27 e 28 de Outubr de 2016 - Htel**** ANÁLISE DE MARGENS E REDUÇÃO DE CUSTOS para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UFOP DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UFOP DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS OFÍCIO CIRCULAR CSU nº 001, de 05 de fevereir de 2016. ASSUNTO: Infrme sbre implementaçã da metdlgia de Centrs de Custs, mdificações ns Sistemas Integrads, Treinament e demais rientações Prezads Senhres,

Leia mais

1. DO PROCESSO SELETIVO

1. DO PROCESSO SELETIVO EDITAL PTB Nº.21/2016 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA MATRÍCULA NO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) OPERADOR DE COMPUTADOR DO IFSP - CÂMPUS PIRITUBA O Câmpus Pirituba d Institut Federal de Educaçã,

Leia mais

CÁLCULO DE COMPENSAÇÕES INDEMNIZAÇÕES

CÁLCULO DE COMPENSAÇÕES INDEMNIZAÇÕES Inscreva-se até 8 de Julh e btenha descnts especiais Seminári Prátic Luanda, 18 e 19 de Julh de 2016 - Htel**** revist e actualizad CÁLCULO DE COMPENSAÇÕES E INDEMNIZAÇÕES de acrd cm a Nva Lei Geral d

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL A eticadata sftware, pela sua visã, missã e valres cnsidera a frmaçã e desenvlviment prfissinal ds seus recurss humans cm uma pedra fundamental e diferenciadra

Leia mais

MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY

MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY 1. INTRODUÇÃO: O DESAFIO DE CONTROLAR A PRODUÇÃO ALUVIAL

Leia mais

EDITAL N 010/2016 TÉCNICOS SOCIAIS DO PPDDH/MG

EDITAL N 010/2016 TÉCNICOS SOCIAIS DO PPDDH/MG EDITAL N 010/2016 TÉCNICOS SOCIAIS DO PPDDH/MG 1. PREÂMBULO 1.1. O Institut DH: Prmçã, Pesquisa e Intervençã em Direits Humans e Cidadania, rganizaçã privada de interesse públic, sem fins lucrativs, através

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL ASSISTÊNCIA INTERPROFISSIONAL A GESTANTE, NATAL, RN CAMPUS NATAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL ASSISTÊNCIA INTERPROFISSIONAL A GESTANTE, NATAL, RN CAMPUS NATAL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2016.2 ASSISTÊNCIA INTERPROFISSIONAL A GESTANTE, NATAL, RN CAMPUS NATAL A Universidade Potiguar UnP, através da Direção da Escola da Saúde,

Leia mais

GESTÃO DE STOCKS. A para a racionalização de custos e melhoria de procedimentos. 3 dias de Formação Intensiva para analisar em

GESTÃO DE STOCKS. A para a racionalização de custos e melhoria de procedimentos. 3 dias de Formação Intensiva para analisar em Seminári Prátic APROVISIONAMENTO E Luanda, 23, 24 e 25 de Mai de 2017 - Htel**** GESTÃO DE STOCKS A para a racinalizaçã de custs e melhria de prcediments 3 dias de Frmaçã Intensiva para analisar em A Quantidade

Leia mais

Dados Gerais. 14/02/12 Catálogo de Curso. simec.mec.gov.br/catalogocurso/catalogocurso.php?modulo=principal/impressaocurso&acao=a&c PARTE 1

Dados Gerais. 14/02/12 Catálogo de Curso. simec.mec.gov.br/catalogocurso/catalogocurso.php?modulo=principal/impressaocurso&acao=a&c PARTE 1 Curs(Códig) Status Escla que Prtege - Especializaçã(112) Ativ Dads Gerais PARTE 1 Códig / Área Temática Códig / Nme d Curs 3 / Direits Humans 112 / Escla que Prtege - Especializaçã Etapa de ensin a que

Leia mais

CÁLCULO DE REMUNERAÇÕES ADICIONAIS

CÁLCULO DE REMUNERAÇÕES ADICIONAIS Seminári 100% Prátic Luanda, 26 e 27 de Mai de 2016 - Htel**** Cnheça em prmenr tdas as fórmulas aplicáveis a CÁLCULO DE REMUNERAÇÕES ADICIONAIS para evitar gasts desnecessáris 16 Hras de Frmaçã Especializada

Leia mais

Escolas Públicas de Danbury Procedimentos/Orientações sobre a Frequência do Aluno

Escolas Públicas de Danbury Procedimentos/Orientações sobre a Frequência do Aluno Esclas Públicas de Danbury Prcediments/Orientações sbre a Frequência d Alun Pesquisas mstram que as famílias ds estudantes estã mais precupadas em cntrlar sucess acadêmic de seus filhs que à frequência

Leia mais

Conselho Coordenador da Avaliação dos Serviços. Orientação Técnica

Conselho Coordenador da Avaliação dos Serviços. Orientação Técnica Cnselh Crdenadr da Avaliaçã ds Serviçs Orientaçã Técnica Aut-Avaliaçã ds Serviçs Elabraçã (pels GPEARI s) d Relatóri da Análise Cmparada da Avaliaçã d Desempenh ds Serviçs I. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Sistema

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA 4º bimestre

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA 4º bimestre ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA 4º bimestre Nme: Nº 3 a. Série Data: / /2015 Prfessres: Adriana e Nelsn Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre A - Intrduçã Neste semestre, sua nta fi inferir

Leia mais

Legislação Laboral e Segurança Social 2017

Legislação Laboral e Segurança Social 2017 Inscrevase até 10 de Fevereir e btenha descnts Seminári Prátic Luanda, 20,21 e 22 de Fevereir de 2017 - Htel**** 7ªEdiçã, revist e actualizad Legislaçã Labral e Segurança Scial 2017 de acrd cm a Legislaçã

Leia mais

CAMPANHA DE INCENTIVO DESAFIO 2,99 4º TRIMESTRE DE 2016

CAMPANHA DE INCENTIVO DESAFIO 2,99 4º TRIMESTRE DE 2016 CAMPANHA DE INCENTIVO DESAFIO 2,99 4º TRIMESTRE DE 2016 1. OBJETIVOS GERAIS 1.1 Cntribuir para a melhria d resultad peracinal da CAIXA, pr intermédi da reversã de perações em prejuíz e da reduçã d Prvisinament

Leia mais

Coordenadora: Profa. Dra. Lidia de Oliveira Xavier

Coordenadora: Profa. Dra. Lidia de Oliveira Xavier CURSO DE MESTRADO EM DIREITOS HUMANOS, CIDADANIA E VIOLÊNCIA (PPGDHCV) ÁREA BÁSICA: CIÊNCIA POLÍTICA, DO CENTRO UNIVERSITÁRIO EURO AMERICANA UNIEURO, RECONHECIDO PELA PORTARIA 1.077, DE 31 DE OUTUBRO DE

Leia mais

REVITALIZADOR DE PISOS CERÂMICOS 200 horas

REVITALIZADOR DE PISOS CERÂMICOS 200 horas PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO REVITALIZADOR DE PISOS CERÂMICOS 200 hras EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA ÁREA: CONSTRUÇÃO MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE (S) HABILITADA (S): CENTRO DE FORMAÇÃO

Leia mais

Legislação Laboral e Segurança Social 2016

Legislação Laboral e Segurança Social 2016 Inscrevase até 28 de Setembr e btenha descnts Seminári Prátic de 2016 - Htel**** revist e actualizad Legislaçã Labral e Segurança Scial 2016 de acrd cm a Legislaçã vigente e de cumpriment brigatóri 3 dias

Leia mais

A POSSILIDADE DE CRIANÇAS COM AUTISMO ESTUDAR NUMA ESCOLA REGULAR

A POSSILIDADE DE CRIANÇAS COM AUTISMO ESTUDAR NUMA ESCOLA REGULAR A POSSILIDADE DE CRIANÇAS COM AUTISMO ESTUDAR NUMA ESCOLA REGULAR Autr (1); Izabelle de Paula Braga Mendnça. C-autr (1); Lilian rdrigues da Silva (2); Thacymara Gmes Filgueira Universidade d Estad d Ri

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR Prgrama de Higiene, Saúde e Segurança n Trabalh Curss de Educaçã e Frmaçã MÓDULO 3 Intrduçã à Higiene, Segurança e Saúde n Trabalh II 1 Apresentaçã Tend já

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTAS DE CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTAS DE CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

HACKSUS. Maratona Tecnoeducacional para Saúde. Natal, Rio Grande do Norte 12 a 14/07

HACKSUS. Maratona Tecnoeducacional para Saúde. Natal, Rio Grande do Norte 12 a 14/07 HACKSUS Maratna Tecneducacinal para Saúde Este dcument cmpreende guia de trabalh d participante. Ele descreve a metdlgia d event e traz infrmações sbre bjetiv, s prduts finais esperads e a rganizaçã. Leia

Leia mais

2 Fórum Comunitário. Selo UNICEF Município Aprovado Edição

2 Fórum Comunitário. Selo UNICEF Município Aprovado Edição 2 Fórum Cmunitári Guia de Orientaçã para s Municípis d Semiárid Sel UNICEF Municípi Aprvad Ediçã 2009-2012 FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA 2 Fórum Cmunitári Guia de Orientaçã par a s Municí pis

Leia mais

Boletim Estatístico Janeiro Março 2014 Cuidados de Saúde Primários (CSP)

Boletim Estatístico Janeiro Março 2014 Cuidados de Saúde Primários (CSP) Bletim Estatístic Janeir Març 2014 Cuidads de Saúde Primáris (CSP) Fnte - SIARS: Dads extraíds a 22/04/2014, s dads pdem estar sujeits a crreçã. Glssári Enquadrament - cnceits Cuidads de saúde primáris

Leia mais

Termo de Referência TdR Assessor(a) de Comunicação

Termo de Referência TdR Assessor(a) de Comunicação Term de Referência TdR Assessr(a) de Cmunicaçã x Cnsultria Capacitaçã Serviç Técnic Especializad PRAZO PARA ENTREGA DE PROPOSTAS: 10 DE FEVEREIRO DE 2015 EMAIL: ctacapradaptaserta@gmail.cm 01 Númer BID-05-2014

Leia mais

TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS

TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS Seminári Prátic Luanda, 20,21,22,23 e 24 de Junh de 2016 - Htel**** Ferramentas, metdlgias e chaves para TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS Agilize s prcesss administrativs da rganizaçã e cnsiga equipas

Leia mais

PROJETO 24ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 24ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 24ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

Tecnologia & Inovação em Santa Catarina

Tecnologia & Inovação em Santa Catarina Tecnlgia & Invaçã em Santa Catarina Evertn Gubert Vice-Presidente Assciaçã Catarinense de Empresas de Tecnlgia Flrianóplis, 19 de nvembr de 2012. Pls Reginais de Tecnlgia e Invaçã Jinville (Sftville) Jaraguá

Leia mais

Para que serve o Capital Social? o Permite a realização de investimentos em tecnologia e outros recursos para o funcionamento da cooperativa.

Para que serve o Capital Social? o Permite a realização de investimentos em tecnologia e outros recursos para o funcionamento da cooperativa. Glssári At Cperativ Denminam-se ats cperativs aqueles praticads entre a cperativa e seus assciads, entre estes e aquelas e pelas cperativas entre si quand assciads, para cnsecuçã ds bjetivs sciais, ns

Leia mais

Mara Isabel Martins Rodrigues. Auxiliar de Acção Educativa

Mara Isabel Martins Rodrigues. Auxiliar de Acção Educativa Curriculum Vitae INFORMAÇÃO PESSOAL Mara Isabel Martins Rdrigues Rua da Agra 300, 4795-387 Sant Tirs (Prtugal) 917643038 m2ra.rdrigues@gmail.cm https://www.cvitt.pt/prfessinal/mara-isabel-martins-rdrigues/

Leia mais

Requerimentos de Divisórias Esportivas: Requerimentos Mandatórios:

Requerimentos de Divisórias Esportivas: Requerimentos Mandatórios: Requeriments de Divisórias Esprtivas: Requeriments Mandatóris: Assinar e seguir a Declaraçã de Cnduta Sustentável desenvlvida pel Cmitê Organizadr ds Jgs Olímpics e Paralímpics Ri 2016; O frnecedr deverá

Leia mais

QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE GUIA PARA CANDIDATURA

QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE GUIA PARA CANDIDATURA QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes para publicidade das rganizações

Leia mais

Comissão Organizadora da Imagem

Comissão Organizadora da Imagem Cmissã Organizadra da Manual de Execuçã Manual de execuçã CO 2017 Intrduçã Cm a nva da ANEM, prende-se a necessidade de cumprir as nrmas gráficas estabelecidas e desenvlver estratégias para, além de aumentar

Leia mais

CAOMZ06 PT:

CAOMZ06  PT: Curs de Especializaçã de Lgística Planeament Estratégic Crdenadr: Eng.º Vasc Carvalh Índice Duraçã Ttal... 2 Destinatáris... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisits... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics...

Leia mais

Gestão e Fiscalização de Contratos Atuação Eficaz do Gestor e Fiscal de Contratos

Gestão e Fiscalização de Contratos Atuação Eficaz do Gestor e Fiscal de Contratos Gestã e Fiscalizaçã de Cntrats Atuaçã Eficaz d Gestr e Fiscal de Cntrats Aplicaçã Prática de Prcediments n Prcess Cntrataçã e Fiscalizaçã Apresentaçã O event fi especialmente desenvlvid cm bjetiv de melhr

Leia mais

VERSÃO REVISTA N.º 1 DA ORDEM DO DIA PROVISÓRIA

VERSÃO REVISTA N.º 1 DA ORDEM DO DIA PROVISÓRIA Cnselh da Uniã Eurpeia Bruxelas, 14 de fevereir de 2017 (OR. en) 6234/1/17 REV 1 OJ CRP2 6 COMIX 110 ORDEM DO DIA PROVISÓRIA Assunt: 2616.ª reuniã d COMITÉ DE REPRESENTANTES PERMANENTES (2.ª Parte) Data:

Leia mais

SECRETARIADO EXECUTIVO

SECRETARIADO EXECUTIVO Seminári Prátic Luanda, 26,27 e 28 de Outubr de 2016 - Htel**** Cm cmbinar técnicas e ferramentas para um SECRETARIADO EXECUTIVO Mais Eficaz 3 dias cmplets de Frmaçã Intensiva e Prática: Funções, tarefas,

Leia mais

Assistente de Desenvolvimento

Assistente de Desenvolvimento O Caminh das pedras Prcess de Cnstruçã e Implementaçã Assistente de Desenvlviment Descriçã d prcess históric e um guia para a implementaçã da funçã d Assistente de Desenvlviment para s núcles de Aclhiment.

Leia mais

* Rua 15 de Março, 50 Bongi - CEP XXXXX-XXX - Recife - PE - BRASIL Tel.: (081) Fax: (081)

* Rua 15 de Março, 50 Bongi - CEP XXXXX-XXX - Recife - PE - BRASIL Tel.: (081) Fax: (081) SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versã 1.0 XXX.YY 19 a 24 Outubr de 2003 Uberlândia - Minas Gerais GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS GOP

Leia mais

ÉTICA EMPRESARIAL CÓDIGO ÉTICO DE FORNECEDORES DO GRUPO CEPSA. Rev 0 / Dezembro 2014 Gere: Unidade de Compras Data vigor: Dezembro 2014 Pág.

ÉTICA EMPRESARIAL CÓDIGO ÉTICO DE FORNECEDORES DO GRUPO CEPSA. Rev 0 / Dezembro 2014 Gere: Unidade de Compras Data vigor: Dezembro 2014 Pág. CÓDIGO ÉTICO DE FORNECEDORES DO GRUPO CEPSA Rev 0 / Dezembr 2014 Gere: Unidade de Cmpras Data vigr: Dezembr 2014 Pág. 1 de 7 CÓDIGO ÉTICO DE FORNECEDORES DO GRUPO CEPSA A décima segunda Nrma de Cnduta

Leia mais

Sondagem do Bem-Estar

Sondagem do Bem-Estar 1 PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS NO RIO DE JANEIRO E EM SÃO PAULO A crescente demanda pr melhria ds serviçs públics n Brasil ganhu ainda mair evidência ns dis últims ans, quand a recessã

Leia mais

Fórum Social Temático - Reforma Política: Pela Democratização do Poder

Fórum Social Temático - Reforma Política: Pela Democratização do Poder Text base de Metdlgia Fórum Scial Temátic Refrma Plítica Fevereir de 2015 Fórum Scial Temátic - Refrma Plítica: Pela Demcratizaçã d Pder Etapa descentralizada: de 27 de junh a 2 de julh, em td país Etapa

Leia mais

Termo de Referencia. 1. Apresentação

Termo de Referencia. 1. Apresentação Term de Referencia OBJETO: EPECIALISTA PARA APOIAR O PGTA XIKRIN NA CADEIA PRODUTIVA NO PERÍODO DE SAFRA DA CASTANHA DO PARÁ NA TERRA INDÍGENA APYTEREWA. 1. Apresentaçã A The Nature Cnservancy (TNC) é

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 03/2015

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 03/2015 Classificaçã: Dcument stensiv Unidade Gestra: AC/DEPOG BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 03/2015 Atualiza a Lista de Prduts, Linhas e Prgramas Passíveis de Outrga

Leia mais