SIP FIA Faculdade FIA de Administração e Negócios PRME. 1.1 Histórico da Faculdade FIA de Administração e Negócios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIP FIA Faculdade FIA de Administração e Negócios PRME. 1.1 Histórico da Faculdade FIA de Administração e Negócios"

Transcrição

1 1 1. Intrduçã SIP FIA Faculdade FIA de Administraçã e Negócis PRME 1.1 Históric da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, iniciu suas atividades ainda cm nme de Fundaçã Institut de Administraçã n camp d ensin de pós-graduaçã lat sensu em A Fundaçã Institut de Administraçã fi criada para cntribuir cm a frmaçã cntinuada n nível de pós-graduaçã lat sensu vist ter-se identificad uma demanda na área da Administraçã, na qual desenvlve estuds e presta serviçs que envlvem as mais variadas áreas de especializaçã, em tds s camps da Administraçã. As atividades da Fundaçã Institut de Administraçã para públic se cncentram em 03 (três) linhas de atuaçã: pesquisa, estuds e educaçã cntinuada: 1. Pesquisa: desenvlviment de nvs cnheciments na área de Administraçã, a melhria da base de infrmações para a tmada de decisões e a incrpraçã destes cnheciments a ensin de Administraçã sã s fruts das atividades de pesquisa. 2. Estuds: serviçs prestads cm intuit de auxiliar rganizações públicas e privadas na sluçã de prblemas administrativs, n aprimrament de sua gestã e n planejament de ações futuras. 3. Educaçã cntinuada: prgramas de frmaçã em tdas as áreas da Administraçã sempre fram um ds pnts frtes da atuaçã da FIA. A precupaçã é prmver desenvlviment de prfissinais, bjetivand elevar a capacitaçã das pessas envlvidas em atividades administrativas d país. A área de atuaçã acadêmica da FIA abrange prgramas de desenvlviment da Administraçã incluind as áreas de: Administraçã Geral, Marketing, Finanças, Métds Quantitativs, Tecnlgia da Infrmaçã, Gestã Educacinal, Gvernança, Empreendedrism, Sustentabilidade, Invaçã, Internacinalizaçã de Empresas, Infrmática e Prcessament de Dads, Plítica de Negócis e Ecnmia de Empresas, Prduçã e Operações, Recurss Humans e demais áreas afins. Desde a sua criaçã, cerca de prjets fram realizads nas 03 (três) linhas básicas de atuaçã da instituiçã, capacitand-a para desenvlver estuds e prestar serviçs ns mais variads camps da Administraçã. Nesse períd, fram atendidas mais de 1000 empresas da iniciativa privada nacinal e multinacinal (48%), empresas d setr públic e rganizações da administraçã pública direta (40%), e assciações de classe e entidades da sciedade civil (12%). Os trabalhs realizads pela Fundaçã Institut de Administraçã têm clabrad para que as rganizações, seus executivs e demais prfissinais estejam mais apts a respnder as crescentes desafis, cntribuind para a mdernizaçã e cmpetitividade das empresas, bem cm para avanç da sciedade brasileira. A lng da sua atuaçã na educaçã a FIA tem ampliad a ferta de curss n ensin superir cm imperativ diante da cntempraneidade e a Fundaçã Institut de Administraçã clca-se nesse cntext cm instituiçã atenta às transfrmações atuais cnstituind-se em pçã à demanda de frmaçã prfissinal.

2 2 Dentre s curss de especializaçã ferecids destacam-se: Administraçã para Pequenas e Médias Empresas; Administraçã Estratégica; Administraçã das Relações Internacinais; Análise de Dads e Data Mining; Capacitaçã para Gestã de Qualidade de Vida n Trabalh; Cmérci Internacinal; Cmunicaçã, Mercads e Tecnlgia da Infrmaçã; Cnsultria de Carreira; Cnsultria Empresarial; Cntrladria de Marketing; Crprate e Private Banking; Dcência d Ensin Superir da Administraçã; Engenharia de Marketing; Engenharia Financeira; Estruturaçã de Negócis Internacinal; Finanças Crprativas e Investment Banking; Gestã da Invaçã para a Cmpetitividade; Gestã de Negócis e Prjets; Gestã ds Negócis e Valrizaçã da Empresa; Gestã Estratégica de Marcas; Gestã Estratégica de Mercad n B2B; Gestã Glbal de Cmpras na Nva Ecnmia Digital; Gestã de Plíticas Públicas; Gestã de Risc ds Negócis; Gestã de Vendas e Negciaçã; Gestres de Organizações n Setr de Saúde; Gvernança ds Negócis: Direit, Ecnmia e Gestã; Inteligência de Mercad; Lgística e Distribuiçã; Marketing Farmacêutic; Mdels de Gestã Estratégica de Pessas; Mderna Cntrladria das Empresas; Negócis de Petróle, Gás e Bicmbustíveis; Negócis d Mercad Imbiliári (Real Estate); Operadr de Mercad Financeir; Prcesss para Gestã da Infrmaçã; Prduts Financeirs e Gestã de Risc; Segurs e Previdência e Varej e Mercad de Cnsum. Desde lançament d primeir curs de Master f Business Administratin, em 1993, mais de aluns já cncluíram suas pós-graduações lat sensu pela Fundaçã Institut de Administraçã. Diverss ex-aluns ds curss de MBA mantiveram, a lng deste períd, um intens relacinament cm s prgramas institucinais e as crdenações ds MBA, mediante a realizaçã de curss de aperfeiçament, viagens internacinais para esclas de negócis parceiras da FIA, prjets de pesquisa e de cnsultria, bem cm cnvites para palestras ns curss de MBA. Cntud, estes executivs enfrentam nvs desafis prfissinais que exigem um cntínu aprimrament para qual a FIA e as demais esclas de negócis brasileiras devem estar atentas e para qual pdem cntribuir decisivamente. Cm respsta a essa demanda fi implantad em 2006 Prgrama Pós-MBA para prprcinar a executiv as cndições e ambiente prpíci para desenvlver seu prjet de educaçã cntinuada, mediante a reflexã sbre ambiente de negócis e a trca de experiências, cntribuind para aumentar a cmpetitividade das rganizações brasileiras. Essa cnquista resultu da estratégia de desenvlviment institucinal elabrada pela FIA que incluiu a frmaçã de um qualificad grup de prfessres e pesquisadres, prjets pedagógics e de pesquisas cnsistentes, além das atividades e curss de MBAs recnhecids tant n Brasil cm exterir. Estas ações revelam a cnstante precupaçã da Fundaçã Institut de Administraçã em pssuir visã de integraçã cntínua entre as atividades de pesquisa, ensin e extensã. Na trajetória dessa açã educacinal que visa à cnsecuçã de ações que resultam n frtaleciment institucinal em âmbit administrativ, rganizacinal e, essencialmente, na melhria das atividades relacinadas a ensin, pesquisa e extensã, trnu-se imperativ à cnslidaçã d papel educacinal da entã Fundaçã Institut de Administraçã cm a ferta de curss de graduaçã. Assim, a Fundaçã Institut de Administraçã cnfiguru-se cm Mantenedra da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, implantada n municípi de Sã Paul, capital d Estad de Sã Paul, que atua em nível de educaçã superir, pdend ministrar s seguintes curss e prgramas:

3 3 Curss sequenciais pr camp d saber, de diferentes níveis de abrangência: aberts a candidats que atendam as requisits estabelecids pela instituiçã de ensin, desde que tenham cncluíd ensin médi u equivalente; Curs de graduaçã: abert a candidats que tenham cncluíd ensin médi u equivalente e tenham sid classificads em prcess seletiv; Curss de pós-graduaçã, cmpreendend prgramas de mestrad e dutrad, curss de especializaçã, aperfeiçament e utrs: aberts a candidats diplmads em curss de graduaçã e que atendem as exigências estabelecidas pels órgãs cmpetentes da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis; Curss de extensã: aberts a candidats que atendam as requisits estabelecids, em cada cas, pels órgãs cmpetentes da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, visand à frmaçã de prfissinais para s diferentes setres da Administraçã. O cmprmiss da Fundaçã Institut de Administraçã fi, prtant, desenvlver um prjet de educaçã que atendesse as sujeits e à sciedade, buscand cntribuir cm a frmaçã de prfissinais cm capacidade técnica, autnmia intelectual, sens de justiça e humanidade, a partir da cnstruçã d cnheciment pr mei d ensin, pesquisa e extensã. Em seus curss superires, a Faculdade FIA de Administraçã e Negócis ferta serviçs educacinais, cm padrã de excelência, estrutura física capaz de atender a tdas as necessidades ds crps dcentes e discentes e acerv bibligráfic que cntribua para uma educaçã cm qualidade, frmal e plítica, de maneira dinâmica e prgressiva. A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis tem cm missã realizar ações educacinais, cm vistas à frmaçã de prfissinais cm capacidade técnica, autnmia intelectual, sens de justiça e humanidade, a partir da cnstruçã d cnheciment pr mei d ensin, da pesquisa e da extensã. De acrd cm seu Regiment, a Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, cm instituiçã educacinal, destina-se a prmver ensin, a pesquisa e a extensã em nível superir, e tem pr finalidade: I - estimular a criaçã cultural e desenvlviment d espírit científic e d pensament reflexiv; II - diplmar graduads e pós-graduads nas diferentes áreas de cnheciment, apts para a inserçã em setres prfissinais e para a participaçã n desenvlviment da sciedade brasileira, e clabrar na sua frmaçã cntínua; III - incentivar trabalh de pesquisa e investigaçã científica, visand desenvlviment da ciência e da tecnlgia e da criaçã e difusã da cultura, e, desse md, desenvlver entendiment d hmem e d mei em que vive; IV - prmver a divulgaçã de cnheciments culturais, científics e técnics que cnstituem patrimôni da humanidade e cmunicar saber através d ensin, de publicações u de utras frmas de cmunicaçã; V - suscitar desej permanente de aperfeiçament cultural e prfissinal e pssibilitar a crrespndente cncretizaçã, integrand s cnheciments que vã send adquirids numa estrutura intelectual sistematizadra d cnheciment de cada geraçã; VI - estimular cnheciment ds prblemas d mund presente, em particular s nacinais e reginais, prestar serviçs especializads à cmunidade e estabelecer cm esta uma relaçã de reciprcidade;

4 4 VII - prmver a extensã, aberta à participaçã da ppulaçã, visand à difusã das cnquistas e benefícis resultantes da criaçã cultural e da pesquisa científica e tecnlógica geradas na Faculdade FIA. 1.2 A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis e as ações de respnsabilidade scial. Diversas sã as ações de respnsabilidade scial desenvlvidas pela Faculdade FIA de Administraçã e Negócis. Essas ações vã desde ações internas cmpreendend a educaçã inclusiva cm a adaptaçã das instalações, ds equipaments utilizads em salas de aula e das metdlgias educacinais para que pessas cm deficiências físicas, auditivas e visuais pssam frequentar as aulas em tds s níveis de curss ferecids pela instituiçã ind à ações desenvlvidas para cmunidades e rganizações d terceir setr. As ações em questã serã apresentadas de md prmenrizad a seguir Atendiment às pessas prtadras de necessidades educacinais especiais u cm mbilidade reduzida As unidades educacinais da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis pssuem cndições capazes de assegurar a alun prtadr de necessidades especiais, acess e a mbilidade, bem cm a utilizaçã de equipaments e instalações que permitam a participaçã ns curss. A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, em relaçã às instalações físicas, dispõem de ambientes cm rampas, elevadres, banheirs adaptads, carteiras especiais [i], cadeiras de rdas para lcmçã interna e a sluçã DOS VOX. A partir da implantaçã ds curss e de acrd cm a demanda dispnibilizará intérprete de LIBRAS (Linguagem Brasileira de Sinais) e especialista em Braile, e ainda trabalhará cm prva ampliada para as visões subnrmais. Em relaçã a seu plan de prmçã de acessibilidade e atendiment priritári, cm respeit a aluns prtadres de deficiência física as instalações físicas atendem as seguintes requisits: Eliminaçã de barreiras arquitetônicas para circulaçã d estudante, permitind acess as espaçs de us cletiv; Reserva de vagas em estacinament na prximidade da unidade educacinal; Rampas e/u elevadres, facilitand a circulaçã de cadeira de rdas; Adaptaçã de prtas e banheirs cm espaç suficiente para permitir acess de cadeira de rdas; Clcaçã de barras de api nas paredes ds banheirs; Instalaçã de lavabs, bebedurs e telefnes públics em altura acessível as usuáris de cadeira de rdas. N que cncerne a aluns prtadres de deficiência visual, assume cmprmiss frmal, n cas de vir a ser slicitada e até que alun cnclua curs de: Manter sala de api equipada cm equipament cm a sluçã DOS VOX;

5 5 Adtar um plan de aquisiçã gradual de acerv bibligráfic em braile e de fitas snras para us didátic. Quant a aluns prtadres de deficiência auditiva, assume cmprmiss frmal, n cas de vir a ser slicitada e até que alun cnclua curs, de: Prpiciar, sempre que necessári uma intérprete de língua de sinais/língua prtuguesa, especialmente quand da realizaçã e revisã de prvas, cmplementand a avaliaçã expressa em text escrit u quand este nã tenha expressad real cnheciment d alun; Adtar flexibilidade na crreçã das prvas escritas, valrizand cnteúd semântic; Estimular aprendizad da língua prtuguesa, principalmente na mdalidade escrita, para us de vcabulári pertinente às matérias d curs em que estudante estiver matriculad; Prprcinar as prfessres acess à literatura e infrmações sbre a especificidade linguística d prtadr de deficiência auditiva. Em relaçã as aluns prtadres de deficiência visual, a Faculdade está cmprmetida, desde acess até a cnclusã d curs, a prprcinar sala de api cntend: acerv bibligráfic em fitas de áudi; sftware de ampliaçã de tela; acerv bibligráfic ds cnteúds básics em Braille. Dispnibilizará também sinalizaçã tátil. Quant as aluns prtadres de deficiência auditiva, a Faculdade está igualmente cmprmetida, desde acess até a cnclusã d curs, a prprcinar intérpretes de língua de sinais, especialmente quand da realizaçã de prvas u sua revisã, cmplementand a avaliaçã expressa em text escrit u quand este nã tenha expressad real cnheciment d alun; flexibilidade na crreçã das prvas escritas, valrizand cnteúd semântic; aprendizad da língua prtuguesa, principalmente, na mdalidade escrita, (para us de vcabulári pertinente às matérias d curs em que estudante estiver matriculad); materiais de infrmações as prfessres para que se esclareça a especificidade linguística ds surds Plíticas de Inclusã Scial A plítica de inclusã scial estabelecida pela Faculdade FIA de Administraçã e Negócis tem cm bjetiv principal prprcinar cndições de acess a ensin superir a grups histricamente discriminads, tend cm perspectiva básica direits e prtunidades iguais para tds s cidadãs. Sã bjetivs da plítica de inclusã scial: Ampliar as pssibilidades de acess e a permanência de aluns negrs e afrdescendentes; aluns de baixa renda, que nã têm cndições de arcar integralmente cm s custs de sua frmaçã superir; e a aluns egresss de esclas públicas; Pssibilitar acess e a permanência de aluns prtadres de necessidade especiais, em igualdade de cndições cm as demais pessas; Atuar psitivamente na superaçã das barreiras educacinais que dificultam acess e a permanência a ensin superir. A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis:

6 6 Mediante api às iniciativas vltadas a acess de estudantes negrs e afrdescendentes a ensin superir, desenvlviment de curss cmplementares e a elabraçã de estratégias para acmpanhament d desempenh acadêmic de estudantes negrs e afr-descendentes, pretende auxiliar n Prjet Nacinal de Inclusã Scial d gvern federal. Também desenvlve uma plítica de api as aluns carentes. Pr mei de várias ações, a Instituiçã facilita a cntinuidade de estuds de seus aluns mediante um plan de incentivs financeirs, que abrange uma plítica de cncessã de blsas de estuds e descnts diverss. Tds s descnts e benefícis cncedids pela Instituiçã serã vinculads a desempenh acadêmic d alun e seguem regras próprias para cada cas. Apóia seus aluns em suas dificuldades de aprendizagem, rientand-s e estimuland-s a superá-las mediante acmpanhament de prfessres, Crdenadres de Curs, Núcle de Acmpanhament Psicpedagógic NAP e também pr mei de fereciment de curss e ficinas de nivelament e recuperaçã. Em sintnia cm as nvas demandas apresentadas pel avanç da tecnlgia da infrmaçã e cm as plíticas gvernamentais para setr, desenvlverá uma plítica de inclusã digital, cm estratégia específica de inclusã scial. A plítica de inclusã digital da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis pssui s seguintes bjetivs: Cntribuir para prcess de inclusã digital de frma integradra, envlvend a cnstruçã d cnheciment e desenvlviment da pessa; Garantir direit à cmunicaçã em redes de cmputadres as cidadãs que nã pssuam cndições financeiras para adquirir equipaments e serviçs que a prpiciem; Estabelecer mecanisms demcrátics de acess à infrmaçã e às nvas tecnlgias; Incentivar prcess permanente de aut-aprendizad e de aprendizad cletiv em tecnlgias de tratament da infrmaçã; Frtalecer a rganizaçã de cmunidade e a demcracia participativa, mediante a criaçã de listas de discussã, sítis para a divulgaçã de infrmações e ntícias, fóruns eletrônics para debate e utras mdalidades de interaçã da cmunidade; Capacitar para a frmaçã de multiplicadres, apts a atuar em prgramas de inclusã digital desenvlvids n ambiente intern e extern da Instituiçã, envlvend sindicats, assciações, entre utrs; Oferecer, as aluns ingressantes, curss de capacitaçã para us de ferramentas básicas em infrmática, crrei eletrônic institucinal, acess à Internet e ambiente para digitaçã de trabalhs acadêmics. O trabalh desenvlvid pela Faculdade FIA de Administraçã e Negócis na área educacinal reflete seu cmprmiss cm a respnsabilidade scial. A Instituiçã tem cm cmpnentes da sua funçã scial, entre utrs:

7 7 i. A precupaçã quant à qualidade da frmaçã ds seus aluns e ds serviçs prestads; ii. A permanente prmçã de valres étics; iii. A realizaçã de prgramas de incentivs à cmunidade acadêmica; iv. O estabeleciment de parcerias cm instituições públicas. O tema está inserid nas atividades de ensin, pesquisa e extensã. Nas atividades de ensin sã incluídas, sempre que pertinente, n cnteúd ds cmpnentes curriculares, temas de respnsabilidade scial. Além diss, sã realizads curss e events diverss versand sbre a temática. As atividades de pesquisa sã vltadas para a resluçã de prblemas e de demandas da cmunidade na qual a Instituiçã está inserida, frtalecend cmprmiss institucinal cm desenvlviment da regiã. Na extensã, a Faculdade FIA de Administraçã e Negócis desenvlve atividades sbre temas relevantes que tenham impact de melhria na sciedade quant à inclusã scial; desenvlviment ecnômic e scial; defesa d mei ambiente e memória cultural. A prpsta de inclusã scial da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis fundamenta-se, priritariamente, na mair demcratizaçã d acess ds segments mens favrecids da sciedade a seus curss, sem cmprmetiment d critéri de mérit cm legitimadr desse acess. Dessa frma, a inclusã scial nã se refere apenas à questã racial e, pr esta razã, tem de ser vista de frma mais abrangente, envlvend padrã ecnômic e necessidades especiais. A Instituiçã tem um firme cmprmiss de cntribuir para a diminuiçã das desigualdades sciais e para a ferta de nvas perspectivas de vida e carreira a jvens e prfissinais. Esse cmprmiss está express em iniciativas que cntemplam, dentre utrs, api financeir e/u de infra-estrutura a rganizações parceiras, a realizaçã de prjets de assessria e também a cntinuidade ds prjets sciais, cm CAPJOVEM e CAPEXECUTIVO Parceria FIA e Institut GESC A FIA é parceira majritária d Institut GESC - Gestã para Organizações da Sciedade Civil, cuja missã é prmver a qualidade da gestã d terceir setr, pr mei da capacitaçã e articulaçã de prfissinais e vluntáris ds diverss setres da sciedade. Através dessa parceria a FIA ferece espaç de sala de aula e infraestrutura para a realizaçã d prgrama de treinament gerencial para dirigentes de rganizações nã gvernamentais. Pr mei desse prgrama capacitaçã GESC alia, de frma harmônica, s aspects cnceituais e prátics referentes a nve áreas da gestã de rganizações. Cm duraçã de três meses, prgrama tem cm núcle um curs cm 80 hras de atividades em sala de aula. O grande diferencial d GESC é trabalh de cnsultria scial, desenvlvid a lng d curs, cm carga hrária em trn de 40 hras, que tem pr bjetiv auxiliar a rganizaçã participante a desenvlver um prjet vltad para suas necessidades. Esse

8 8 trabalh permite que se leve para a prática d dia a dia cnheciment btid em sala de aula. O prgrama de capacitaçã de rganizações d terceir setr está em sua 50º. Ediçã e já capacitu cerca de 600 rganizações e cntu cm trabalh de cerca de 800 cnsultres sciais, ex-aluns ds MBAs da FIA que atuaram cm vluntáris. Abaix seguem as mdalidades de prgramas ferecids pel GESC: GESC Presencial: Cm duraçã de três meses, prgrama tem cm núcle um curs cm 80 hras de atividades em sala de aula, durante as quais sã abrdads cnceits e técnicas referentes a nve áreas da gestã de rganizações. GESC Empresa: É GESC patrcinad pr uma empresa, que pde, assim, indicar as rganizações que devem participar d prgrama, segund critéri que cnsidere mais relevante. Além diss, a empresa patrcinadra pde ferecer a seus clabradres a prtunidade de realizarem um trabalh vluntári, atuand cm cnsultres sciais, sb a crdenaçã de prfissinais d IGESC. GESC Mdular: É GESC realizad em um espaç menr de temp e que trabalha um únic tema, definid pela empresa patrcinadra, junt às ONGs pr ela indicadas. Já tivems GESC mdular trabalhand s temas da Estratégia e da Qualidade e estams prnts a ferecer um GESC para discutir imprtante tema da Gvernança Crprativa para rganizações sciais. GESC NET: Em 2006, Institut GESC apstu n e-learning e lançu curs à distância para capacitaçã de gestres de Organizações Nã-Gvernamentais. A prpsta d GESC Net é levar, pr mei de parcerias cm empresas patrcinadras, curs de Gestã para Organizações da Sciedade Civil a lcalidades distantes d Brasil. 2. A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis e s Princípis para a Gestã da Educaçã Respnsável. 2.1 Princípi 1: Prpósit (Principle 1 Purpse): We will develp the capabilities f students t be future generatrs f sustainable value fr business and sciety at large and t wrk fr an inclusive and sustainable glbal ecnmy) A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis prcura cntinuamente realizar suas cntribuições sciais, que sã expressas pel cumpriment de sua missã, pr mei da frmaçã de recurss humans em suas atividades educacinais e para aprimrament das plíticas públicas, cnstatads na realizaçã de seus prgramas e prjets, que devem ser avaliads na sua essência, pis s quadrs a seguir demnstram alguns aspects relevantes em cumpriment a exercíci da sua missã. A FIA reafirma seu cmprmiss n sentid de cntribuir para a diminuiçã das desigualdades sciais e para a ferta de nvas perspectivas de vida e carreira a jvens e prfissinais. Esse cmprmiss está express em iniciativas que cntemplam, dentre utrs, api financeir e de infraestrutura a rganizações parceiras, a realizaçã de

9 9 prjets de assessria e também à cntinuidade ds prjets sciais, cm CAPJOVEM e CAPEXECUTIVO. O Prjet Scial de Capacitaçã Acadêmica e Prfissinal CAPJOVEM fi idealizadem 2002 e, nesse períd, já atendeu a 425 jvens de baixa renda. Os númers cmprvam a sua eficiência cm elevads índices de aprvaçã em vestibulares cncrrids para universidades públicas e particulares, através d PrUni. O prjet visa preparar alun carente para cmpetir, em igualdade de cndições, ns cncurss de vestibular. Cm alternativa a um eventual sistema de ctas para acess à universidade, a Fundaçã acredita que jvem necessita ser preparad para a vida acadêmica, pssibilitand a ele ter um bm desempenh e cnclua curs n qual ingressará. O candidat deve ter cursad ensin médi integralmente em uma instituiçã da rede pública de educaçã; pssuir renda bruta familiar mensal de 01 salári mínim pr mradr e estar na faixa etária de 17 a 23 ans. O prcess seletiv é feit pr mei de avaliaçã sciecnômica, prva de cnheciments gerais e redaçã, avaliaçã psiclógica e entrevista. A FIA tem buscad multiplicar esse prjet, estimuland ações de respnsabilidade scial na área da educaçã, a partir de parcerias cm rganizações em geral para a frmaçã de nvas turmas d cursinh pré-vestibular. Para iss, prjet que tem dad excelentes resultads, necessita de api e dações para se manter e cntinuar a realizar s snhs de jvens carentes. As empresas e rganizações interessadas pdem participar adtand uma turma u cntribuind cm ctas de patrcíni para frmá-las. Em 2010, prjet atendeu 30 aluns e s resultads btids mstram 90% de aluns aprvads em curss vestibulares, send 15 aprvações em universidades públicas e 12 aprvações em faculdades privadas através d PrUni. A cada an s resultads, em cnsnância cm a experiência d prgrama, atingem resultads expressivs, cnfrme pde ser bservad a seguir. An Aluns Aprvads % O CAP Executiv, pr sua vez é realizad em parceria cm a ABA Assciaçã Beneficente Anhembi, é um prgrama scial da FIA cm a prpsta de prprcinar melhres cndições de empregabilidade as prfissinais que aspiram retrnar a mercad de trabalh.

10 10 O curs é gratuit e destinad a prfissinais em dispnibilidade n mercad de trabalh há mais de quatr meses, graduads em quaisquer áreas de cnheciment e que atendam as pré-requisits d prcess de seleçã de avaliaçã para ingress. O curs privilegia abrdagens práticas vltadas para a tmada de decisões n âmbit das empresas e instituições em geral. A revisã da estrutura curricular para a terceira turma ampliu curs de seis para sete móduls, ttalizand 252 hras aula ministradas a lng de dez meses. O crp dcente é frmad pr prfessres da FIA e da FEA/USP, cm experiência em treinament de executivs e cm vivência empresarial, além de cnvidads selecinads. A quarta turma d Curs de Aperfeiçament Prfissinal Prjet FIA-Scial teve iníci em 2009 e cnclusã em 2010, cm 37 aluns (12 mulheres e 25 hmens). A média etária era de 42 ans. Durante curs 11 aluns cnseguiram a reclcaçã e acabaram desistind d curs. Dentre s 26 aluns cncluintes, 50% já estavam empregads até final de Outrs prjets, atividades acadêmicas que assciam u evidenciam ações de respnsabilidade scial sã citads a seguir: O GESC apresenta em nve móduls e em um prjet prátic s cnceits e experiências empresariais que servirã cm ferramenta para a administraçã das ONGs. Cnheça abaix cnteúd ds móduls. Estratégia - desafi de snhar futur. Tem cm bjetivs desmistificar planejament estratégic e apresentar uma ferramenta útil para repensar e validar a missã. O módul também prcura ensinar cm identificar ameaças e prtunidades, e cm desenvlver plans, metas e bjetivs. Oferece ainda às entidades um instrumental teóric que pssibilita mair eficiência em sua atuaçã e a mantém fcada e cesa n seu ideal scial de lng praz. Cnceit de missã e visã Análise e validaçã da missã Cntext intern e extern da rganizaçã e análise de necessidades/prtunidades Métd FOFA (u SWOT analysis) - análise das fraquezas, prtunidades, frças e ameaças da rganizaçã Desenvlviment de plans, metas e bjetivs Abrdagem de cm atingir mair eficiência na atuaçã n lng praz Planejament Estratégic - rientaçã e direcinament Plan de açã Captaçã e viabilizaçã de recurss: Oferece embasament teóric sbre captaçã de recurss n terceir setr e ensina cm tentar reduzir as barreiras que transfrmam a questã em tarefa para pucs. Prcura dar instruments para desenvlviment de um plan cnsistente de captaçã de recurss, estimuland a invaçã e a criatividade n prcess. Dinâmicas de grup sã bastante utilizadas durante curs n exercíci ds prcesss de captaçã. Desmistificand captaçã de recurss n terceir setr

11 11 Instruments para desenvlviment de um plan de captaçã cnsistente Cm estimular a invaçã e criatividade n prcess Exercícis prátics Marketing - princípis e práticas: Este módul pretende mstrar a imprtância d cnheciment de cnceits de marketing e as diversas ferramentas existentes n mercad. Tud cm a finalidade de fazer uma melhr análise, planejament, implantaçã e cntrle das ações mercadlógicas da entidade. O curs ensina ainda que além de acmpanhar mercad - adaptand prduts e serviçs às suas necessidades e expectativas -, marketing também tem cmprmiss cm a melhria da qualidade da vida das pessas. Cnceits de marketing n terceir setr Análise, planejament e implementaçã de ferramentas mercadlógicas da entidade Imprtância de acmpanhar "mercad" Marketing e cmprmiss cm a melhria da qualidade da vida Pessas - descbrind pssibilidades: Tem cm bjetiv discutir a imprtância da gestã de pessas nas entidades sciais. Se s recurss humans representam a grande diferença numa empresa cnvencinal, em uma ONG a mtivaçã, cmprmetiment, prepar e criatividade sã ainda mais necessáris. Cabe a gestr entender e administrar esse valis capital, que nã tem receita prnta, mas é frut de bservaçã e entendiment d ambiente nde se cnvive e se busca resultads. Particularidades da gestã de pessas nas entidades sciais Desafis d gestr empreendedr - prtunidade x necessidades Gestã d capital mais valis nas rganizações: ser human Aspects e impacts da cultura rganizacinal Reestruturaçã rganizacinal: busca pela excelência administrativa Mtivaçã e fc em resultads Prjets - transfrmand idéias em ações: Oferece cnheciment metdlógic de cm gerenciar um prjet, desde desenvlviment até mnitrament de sua execuçã. Mais d que nvas frmas de trabalhar, apresenta, de maneira rganizada, as práticas necessárias para se bter sucess em um prjet. O módul abrda cnceits para definiçã de bjetivs e seus indicadres de medida, e frnece ferramentas para acmpanhament das atividades d prjet. Também discute a frmaçã d rçament e d crngrama e dá dicas para a frmaçã da equipe. Transfrmand deias em ações: definiçã de prjet Etapas d gerenciament de um prjet Cnceit e metdlgia gestã efetiva de um prjet Orçament de um prjet Plan de trabalh: execuçã de um crngrama Ferramentas de gestã A imprtância da equipe Tips de avaliaçã Mnitrament e avaliaçã Cnquista da qualidade: A prpsta d módul é de mstrar a imprtância da qualidade nã só na prestaçã de serviçs, mas também cm filsfia de vida e de trabalh. Apresenta um puc da evluçã histórica d cnceit, e também as ferramentas que auxiliam na implementaçã da cultura de qualidade na rganizaçã scial e em nssas vidas.

12 12 Cnceit de qualidade na prestaçã de serviçs Imprtância da cultura da qualidade Organizaçã scial cm prestadra de serviç Gestã Financeira: Prcura ensinar nções básicas de cntabilidade e finanças e desenvlver sens de respnsabilidade e prestaçã de cntas. O participante aprende a elabrar prjets e rçaments cm base nas estratégias e estrutura das rganizações sciais. Ainda descbre cm analisar e criar indicadres de desempenh, tant financeirs quant nã financeirs. Cntrlar prjets pr centrs de resultads e manter visã crítica sbre s resultads financeirs e sua integraçã cm utras áreas também sã tópics d aprendizad. Nções básicas de cntabilidade e finanças Frmalizaçã da prestaçã de cntas Elabraçã de prjets e rçament Criaçã e análise de indicadres de desempenh Indicadres financeirs e nã financeirs Cntrle d prjet pr centr de resultads Resultads financeirs e integraçã cm utras áreas de atuaçã da rganizaçã Tecnlgia da infrmaçã e internet: Este módul tem cm prpsta frnecer uma visã geral da tecnlgia da infrmaçã e debater sua utilizaçã n terceir setr. As pssibilidades educacinais e de cmunicaçã pela internet também fazem parte d cnteúd das discussões. Infrmaçã da tecnlgia para rganizações d terceir setr Ferramentas básicas para dia-a-dia Sftwares livres (sem cust) Sistemas de api Cm rganizar arquivs O us da internet - as prtunidades Demnstrações práticas Infrmações necessárias para site da sua rganizaçã Trabalh em rede - s desafis tecnlógics e exempls Marc Legal:Apresenta um panrama geral d terceir setr, cm suas tendências e algumas pesquisas ilustrativas. O bjetiv é de rientar as ONGs na cmpreensã d cntext atual e auxiliá-las a prmver ações de impact relevante em suas cmunidades. Também mstra aplicações práticas da legislaçã d terceir setr, enfatizand s benefícis que a lei ferece. Nã é prpósit d curs discutir a essência das leis. Panrama geral d terceir setr e suas tendências Apresentaçã de pesquisas ilustrativas Orientaçã às ONGs na cmpreensã d cntext legal Aplicações práticas da legislaçã benefícis que a lei ferece Prjet prátic - cnsultria scial: Cm iníci d GESC se estabelece um prcess de reflexã sbre as necessidades da rganizaçã. Cada entidade, entã, esclherá desenvlver um prjet, que será rientad pr um cnsultr vluntári, após visita à rganizaçã e elabraçã de um diagnóstic sbre suas práticas gerenciais. O prjet é desenvlvid prgressivamente n decrrer d curs pels aluns, que pderã aplicar s temas gerenciais aprendids durante a capacitaçã teórica.

13 Princípi 2: Valres (Principle 2 Values): We will incrprate int ur academic activities and curricula the values f glbal scial respnsibility as prtrayed in internatinal initiatives such as the United Natins Glbal Cmpact). Na Faculdade FIA de Administraçã e Negócis há uma cnstante precupaçã em incrprar em seus currículs, aulas cm discussões e reflexões sbre valres cncernentes a Respnsabilidade Scial Crprativa. Prva diss é a relaçã de disciplinas apresentadas a seguir. É pssível perceber desde a graduaçã as MBAs disciplinas que assciam u evidenciam ações de Respnsabilidade Scial. Sã elas: MBA Gestã e Empreendedrism Scial: Respnsabilidade Scial e Sustentabilidade Empreendedrism e Sustentabilidade Gestã de Organizações e Iniciativas Sciais Desenvlviment Cmpetências para Empreendedrism Scial MBA Executiv Internacinal: Gvernança e sustentabilidade Internacinal MBA Full-Time: Gvernança e sustentabilidade Internacinal MBA Part-time: Gvernança e sustentabilidade MBA Recurss Humans Ética,Cidadania e Respnsabilidade Scial na Empresa Pós-Graduaçã Gestã de Vendas e Negciaçã: Respnsabilidade Scial e Sustentabilidade Pós-Graduaçã Inteligência de mercad: Sustentabilidade e Respnsabilidade scial Gvernança Crprativa e Ética Empresarial Pós-Graduaçã Gestã Sciambiental para a Sustentabilidade: Direit,Mei Ambiente e Sciedade Gestã de Pessas n Cntext da Sustentabilidade Ecnmia,Questões Sciais e Mei Ambiente Finanças e Sustentabilidade Sustentabilidade e Respnsabilidade scial Operações e Sustentabilidade Terceir Setr e Prjets Sciambientais Gestã da Invaçã ante Desafi da Sustentabilidade Pós-Graduaçã Mderna cntrladria das Empresas Sustentabilidade Pós-Graduaçã Operadr de Mercad Financeir Gvernança Crprativa e Ética Empresarial

14 14 Sustentabilidade e Respnsabilidade scial Pós-Graduaçã Varej e Mercad de Cnsum Gvernança Crprativa e Ética Empresarial Sustentabilidade e Respnsabilidade Scial Pós-Graduaçã Ánalise,Prevençã,Detecçã e Riscs de fraudes Empresáriais Ética Pós-Graduaçã Gestã de Negócis e Valrizaçã da Empresa Gvernança Crprativa e Ética Empresarial Sustentabilidade e Respnsabilidade Scial Pós-Graduaçã de Vendas e Negciaçã Gvernança Crprativa e Ética Empresarial Pós-Graduaçã Gestã Estratégica de Marcas Gvernança Crprativa e Ética Empresarial Sustentabilidade e Respnsabilidade scial Extensã-Gestã Avançada de Qualidade de Vida n Trabalh Sustentabilidade e Qualidade de Vida Faculdade FIA de Administraçã e Negócis - Graduaçã Gestã da Sustentabilidade Ética Empresarial Além das disciplinas acima apresentadas a Faculdade FIA de Administraçã e Negócis desenvlveu n âmbit d curs de graduaçã um códig de cnduta cm a participaçã da crdenaçã, quadr dcente e aluns para nrtear as ações empreendidas durante curs e após seu términ. 2.3 Princípi 3: Métd (Methd): We will create educatinal framewrks, materials, prcesses and envirnments that enable effective learning experiences fr respnsible leadership. O cmprmiss da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis é prtant, desenvlver um prjet de educaçã que atenda as sujeits e à sciedade, buscand cntribuir cm a frmaçã de prfissinais cm capacidade técnica, autnmia intelectual, sens de justiça e humanidade, a partir da cnstruçã d cnheciment pr mei d ensin, pesquisa e extensã. O Curs de Graduaçã em Administraçã e s de Pós-Graduaçã cntemplam prjets pedagógics que garantem uma frmaçã básica sólida, cm espaçs ampls e permanentes de ajustament às rápidas transfrmações sciais geradas pel desenvlviment d cnheciment, das ciências e da tecnlgia, apntand para a criatividade e a invaçã, cndições básicas para atendiment das diferentes vcações e para desenvlviment de cmpetências, para atuaçã scial e prfissinal em um mund exigente de prdutividade e de qualidade ds prduts e serviçs. Os currículs buscam frmaçã plural, dinâmica e multicultural, fundamentad ns filsófic-pedagógics, em cnsnância cm perfil de egress desejad.

15 15 Os cnteúds sã selecinads tend em vista perfil d egress, as cmpetências e habilidades a serem desenvlvidas. Para a implementaçã e execuçã da matriz curricular, Crdenadr d Curs de Graduaçã em Administraçã, pr exempl, e Núcle Dcente Estruturante trabalham cm s prfessres, rganizand reuniões semanais antes d iníci de cada semestre, cm intuit de tds discutirem sbre s cnteúds a serem abrdads em cada cmpnente curricular, s que serã trabalhads, metdlgia de ensin, crngrama cm base na articulaçã ds cnteúds, e metdlgia de avaliaçã. A final das reuniões s prfessres entregam s Plans de Ensin cntend: ementa, carga hrária, bjetivs, cnteúd, crngrama, metdlgia, avaliaçã e referências bibligráficas. A cncepçã está de acrd cm a Missã, cm bjetivs e finalidades da Instituiçã, bem cm está de acrd cm as diretrizes curriculares d curs. As práticas implantadas n ensin de graduaçã sã cerentes cm as plíticas cnstantes ns dcuments ficiais da IES. Para atingir s bjetivs prpsts s trabalhs sã centrads n alun, cm atividades teóric/práticas crdenadas diretamente pels prfessres pr mei de trabalhs individuais u em grups, cm pesquisa, estuds de cass e resluçã de prblemas prpsts. A mairia ds dcentes assume a psiçã de mediadres, rientadres, prblematizadres, em busca das infrmações para que s estudantes cmpreendam s cnteúds de frma glbal, num prcess de participaçã e de cnstruçã de cnheciment. Na IES trabalha-se na cnstruçã de um quadr referência para a área, centrad em uma ciência humanizadra, que entende e traduz as necessidades de indivídus, grups sciais e cmunidades. Ns curss de pós-graduaçã nã é diferente, seus currículs estã em cnsnância cm as diretrizes curriculares, cm s bjetivs da instituiçã e cm as demandas sciais e as necessidades individuais. Na elabraçã ds currículs prcura-se cnsiderar as afinidades entre as disciplinas fertadas a cada semestre, de frma que a frmaçã d alun pssa ser realizada de maneira gradual e integrada, sem uma ruptura entre s principais Eixs de Frmaçã. Na Instituiçã lugar, pr excelência, de realizaçã da interdisciplinaridade sã as atividades de pesquisa e extensã. É nelas que realmente se pde clcar em prática esse tip de abrdagem. A Instituiçã estimula a invaçã, prmvend Semináris e grups de estuds para melhria d ensin e a prmçã da interdisciplinaridade. Incentiva us de nvas tecnlgias. Os estímuls (u incentivs) prfissinais encntram-se prevists n Plan de Capacitaçã Dcente, send realizads sistematicamente pela IES. Os critéris para desenvlviment da pesquisa, participaçã ds pesquisadres em events acadêmics, publicaçã e divulgaçã ds trabalhs encntram-se definidas Plan de Capacitaçã Dcente. Há mecanisms implementads de estímul à realizaçã de

16 16 prgramas, prjets, curss, prestaçã de serviçs, events prduçã e publicaçã rganizads, priritariamente, nas áreas de atuaçã d dcente. 2.4 Princípi 4: Pesquisa (Research): We will engage in cnceptual and empirical research that advances ur understanding abut the rle, dynamics, and impact f crpratins in the creatin f sustainable scial, envirnmental and ecnmic value. A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, desenvlve atividades de pesquisa, prmvend ações que prprcinem cntribuições teóricas e práticas às atividades de ensin e extensã integrand tdas as suas atividades educacinais às demandas da sciedade. A pesquisa é desenvlvida cm princípi educativ, cultural e científic, integrada a ensin e à extensã. Mediante casament entre pesquisa e ensin, espera-se trnar crp dcente cada vez mais atualizad e eficaz, bem cm, pr um lad, manter crp discente em cntat cm estad da arte em cada matéria, e, de utr, mantê-l mais envlvid na sua própria frmaçã. As atividades de pesquisa estã vltadas para a resluçã de prblemas e de demandas da cmunidade na qual a instituiçã está inserida; e alinhadas a um mdel de desenvlviment que privilegia, além d cresciment ecnômic, a prmçã da qualidade de vida. A plítica de pesquisa se vlta à geraçã de cnheciment na área de Administraçã e s dissemina em padrões elevads de qualidade, seja através d ensin, publicações técnicas e científicas u utras frmas de divulgaçã e que atendam as demandas sóci-ecnômicas lcal, reginal, nacinal u internacinal. Este bjetiv é atingid através d frtaleciment da pesquisa, cm ênfase na cnslidaçã de grups de pesquisa. As atividades de pesquisa pdem ser desenvlvidas tant vinculadas a grups de pesquisa, cm em prjets individuais. O prcess de cnslidaçã e desenvlviment da pesquisa traz cnsig uma nva mentalidade científica fundamentada em valres étics e legislações específicas internas e externas. Há na IES plíticas implementadas que explicitam claramente sua cncepçã de Pesquisa, cerentes cm as plíticas cnstantes ns dcuments ficiais da IES. As linhas de pesquisa estabelecidas pela Faculdade FIA de Administraçã e Negócis se articulam cm aquelas desenvlvidas pela Fundaçã Institut de Administraçã, que tem cm principal bjetiv api à disseminaçã d cnheciment n camp da Administraçã. A cada biêni a Instituiçã revisa suas principais linhas de pesquisa para desenvlviment de prjets externs, de acrd cm as áreas de cmpetência e atuaçã ds crdenadres de prjets. Na definiçã das linhas de pesquisa, prcura-se avaliar impact scial ds prjets e estuds e a capacidade de mbilizaçã ds recurss da Instituiçã, bjetivand absrver crp de técnics e prfessres especializads, dentr de suas áreas de cmpetência, ns trabalhs desenvlvids. A Faculdade pssui plíticas implantadas que explicitam claramente sua cncepçã de Iniciaçã Científica e detalham, entre utrs, s seguintes elements:

17 17 critéris definids para a seleçã de aluns e cncessã de blsas; rientaçã dada pr prfessres qualificads, cntribuind para a frmaçã de nvs pesquisadres e cnslidaçã de um espírit investigativ e crític; mecanisms implementads de difusã da prduçã científica ds aluns, através da realizaçã de semanas acadêmicas e events similares; articulaçã sistemática cm s eixs/linhas de pesquisa institucinais, cm Ensin e as atividades de Extensã; e frmas de sua peracinalizaçã. O Prjet Pedagógic d Curs de Graduaçã em Administraçã busca a frmaçã integral pr mei da articulaçã entre ensin, a pesquisa e a extensã. A matriz curricular d Curs pssui um eix temátic de pesquisa e as ementas das disciplinas cntemplam a articulaçã cm a pesquisa e extensã. Estã explicitadas na Faculdade FIA de Administraçã e Negócis as frmas de desenvlviment e participaçã d crp dcente ns Prgramas e Prjets de Pesquisa e Iniciaçã Científica e em events acadêmics, publicaçã e divulgaçã ds trabalhs. Observa-se: - atribuiçã de carga hrária pela IES; - apresentaçã de prduçã científica; - apresentaçã de resultads em events científics. A Entidade Mantenedra destina recurss para desenvlviment de tais Prjets. A seguir sã apresentads alguns prjets de pesquisa e extensã desenvlvids ns últims três ans referentes à respnsabilidade scial Capacitaçã dcente e de funcináris sbre tema Respnsabilidade Scial: O grande diferencial d GESC é trabalh de cnsultria scial, desenvlvid a lng d prgrama de capacitaçã de rganizações d terceir setr, cm carga hrária em trn de 40 hras, que tem pr bjetiv auxiliar a rganizaçã participante a desenvlver um prjet vltad para suas necessidades. Este trabalh permite que se leve para a prática d dia-a-dia, cnheciment que está send btid em sala de aula.td trabalh de cnsultria é realizad pr prfissinais que militam na gestã das rganizações. Estes pdem ser vluntáris d própri IGESC, u executivs que integram quadr funcinal ds parceirs empresariais. Mei Ambiente: A experiência da FIA na área de mei ambiente se expressa em ações de preservaçã e cnscientizaçã em relaçã a us de recurss hídrics e energétics. Em tdas as suas unidades sã realizadas campanhas para ecnmia n us de água e cuidads para us de energia elétrica, cm lembretes as usuáris e treinament dirigid as funcináris da Fundaçã. Outra frma de atuaçã nessa área é prgrama de cleta seletiva, a qual já se trnu hábit na Fundaçã. O prgrama de cleta seletiva FIA Recicla tem cm principal bjetiv minimizar impacts ambientais a partir das atividades desenvlvidas. A reciclagem e a cleta seletiva têm um papel fundamental, pis diminuem a quantidade de lix encaminhada as aterrs sanitáris, preservand mei ambiente e a qualidade de vida. A equipe respnsável pela limpeza das unidades da Fundaçã recebeu treinament para fazer a seleçã e armazenagem ds recicláveis cletads. A Flacipel empresa d grup Multilix, respnsável pel reclhiment d lix rgânic fi cntratada para retirada, triagem e cmercializaçã ds materiais para a indústria recicladra.

18 Princípi 5: Parceria (Partnership): We will interact with managers f business crpratins t extend ur knwledge f their challenges in meeting scial and envirnmental respnsibilities and t explre jintly effective appraches t meeting these challenges. A Faculdade FIA de Administraçã e Negócis mantém cnvênis cm entidades e instituições da regiã, cm bjetiv de prmver intercâmbi de experiência nas áreas científica, técnica e cultural, bem cm, nas atividades de ensin, pesquisa, extensã e de frmaçã de pessal. Além de a Faculdade FIA de Administraçã e Negócis cntar cm parcerias estabelecidas cm esclas de negócis da Eurpa, EUA e Ásia, buscand ferecer as seus aluns uma cmplementaçã de estuds mediante atividades didáticas realizadas nessas universidades e visitas a empresas de classe mundial em diverss setres, a instituiçã cnta cm parcerias cm rganizações d Setr Públic e Privad. Esta interaçã da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis cm rganizações tant d setr públic cm d setr privad é muit rica e intensa. Iss tem favrecid sbremaneira s cnteúds didátics e de pesquisa. A FIA cnta também cm instituições parceiras para desenvlviment de prjets sciais, pr mei de sua assciaçã ds Aluns e Ex-Aluns ds MBAs da FIA é uma rganizaçã sem fins lucrativs, frmada pr empresáris, executivs e prfissinais liberais, que desde 1993 atua na transferência de tecnlgia de gestã às instituições sciais. Esta assciaçã tem pr missã prmver desenvlviment pessal e prfissinal ds seus assciads valrizand a açã vluntária cm prática da cidadania e respnsabilidade scial. A Assciaçã trabalha para que executiv seja um empreendedr scial, cntribuind na cnstruçã de uma sciedade inclusiva. A FIA ferece diversas frmas de api a desenvlviment das atividades d Alumni FIA, tais cm api à rganizaçã, divulgaçã e realizaçã de events; api administrativ e assessria a desenvlviment ds diverss prjets executads pela Assciaçã. Abaix seguem algumas empresas cm as quais a FIA, pr mei de sua assciaçã de Aluns e Ex-aluns desenvlve prjets sciais.

19 19 Quadr 01 - Empresas Patrcinadras ds Prjets Sciais desenvlvids pela Assciaçã de aluns e ex-aluns da FIA 2.6 Principle 6: (Dialgue): We will facilitate and supprt dialg and debate amng educatrs, students, business, gvernment, cnsumers, media, civil sciety rganizatins and ther interested grups and stakehlders n critical issues related t glbal scial respnsibility and sustainability. O diálg sbre as questões sciais está presente cm uma das atividades básicas da Faculdade FIA de Administraçã e Negócis, tant n Plan de Desenvlviment Institucinal (PDI), cm s demais dcuments de divulgaçã. A IES pssui plíticas implantadas que explicitam claramente sua cncepçã d diálg cm as agentes da sciedade. Estas ações sã cerentes cm as plíticas cnstantes ns dcuments ficiais da IES. A Faculdade ferece a educaçã superir na qual ensin e a extensã, envlvend a cmunidade, cnstituem s alicerces de sua funçã scial. A Faculdade, cnhecida e respeitada pela qualidade d ensin que ferece, busca a interaçã cm a sciedade, cumprind seu verdadeir papel e cntribuind para a transfrmaçã de cmprtaments, crenças, valres, habilidades e atitude. Este diálg se cnfigura cm uma frma de intervençã que favrece uma visã abrangente e integradra da sciedade, cnstituind-se em espaç privilegiad n prcess de frmaçã prfissinal. Suas ações se vltam para atendiment de demandas sciais clhidas n cnfrnt diret cm a realidade próxima, cntribuind, significativamente, na prduçã d cnheciment.

20 20 A IES ferta atividades de extensã envlvend discentes e bservand s seguintes aspects: extensã cm açã cultural; extensã cm prestaçã de serviç cmunitári; extensã de desenvlviment cmunitári e da frmaçã da cnsciência scial. Os aluns que participam destes prjets sã precupads cm a melhria da qualidade de vida ds mradres de suas cidades e cm a frmaçã de cidadãs cnscientes de seus direits e deveres. Na Faculdade FIA de Administraçã e Negócis cnstatu-se que as atividades de extensã relacinam mund acadêmic a desej ds aluns de transfrmar espaç n qual vivem, gerand uma crrente de mudança cm cnseqüências psitivas para tds s envlvids. Para estímul a diálg cm a sciedade, sã realizadas semanas acadêmicas, semináris e utrs encntrs envlvend s curss da Faculdade Fia de Administraçã e Negócis, caracterizand açã sistemática destinada a incentiv e envlviment de discentes, dcentes e demais membrs da sciedade cm intuit de divulgar s resultads btids em prl d ensin, da pesquisa e da extensã para cm esta sciedade.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Curso de Extensão: Finanças Corporativas

Curso de Extensão: Finanças Corporativas 1. Apresentaçã Curs de Extensã: Finanças Crprativas Uma crpraçã é, genericamente, caracterizada pela tmada de duas decisões fundamentais, a de financiament e a de investiment. O prcess de seleçã, análise

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS Julh 2007 INTRODUÇÃO As amplas, prfundas e rápidas transfrmações pr que passa a nssa sciedade prvcaram, frçsamente,

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul A Estratégia d Tribunal de Justiça d Ri Grande D Sul PODER JUDICIÁRIO Missã: De acrd cm fundament d Estad, Pder Judiciári tem a Missã de, perante a sciedade, prestar a tutela jurisdicinal, a tds e a cada

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE PROJETO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

PROGRAMAS/PROJECTOS. Indicador de Avaliaçã o. Programa /Projecto Objectivo Resultado

PROGRAMAS/PROJECTOS. Indicador de Avaliaçã o. Programa /Projecto Objectivo Resultado PROGRAMAS/PROJECTOS Prgrama /Prject Objectiv Resultad Indicadr de 1. Prgrama - Inserçã de Jvens na Vida Activa em particular s Candidats a Primeir Empreg Prmçã da inserçã de jvens n mercad de trabalh e

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Intrduçã A Faculdade Santa Marcelina é recnhecida nacinalmente pel seu pineirism pr lançar a primeira graduaçã de mda

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

PASTORAL DA JUVENTUDE ARQUIDIOCESE DE LONDRINA PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO

PASTORAL DA JUVENTUDE ARQUIDIOCESE DE LONDRINA PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO 1) Justificativa: A lharms para a realidade ds nsss grups de Pastral de Juventude, percebems a necessidade de reafirmaçã metdlógica d pnt de vista da açã eclesial.

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional. Integralização Curricular

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional. Integralização Curricular ANO ANO Missã d Curs É missã d Curs de Arquitetura e Urbanism da UFC frmar prfissinais capacitads a pesquisar, cnceber e cnstruir, cm visã crítica da realidade sci-ecnômica e cnheciment aprfundad d cntext

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa III Seminári d Agrnegóci Financiament e Marketing 24 e 25 de nvembr de 2005 Auditóri da Bibliteca Central Universidade Federal de Viçsa RELATÓRIO FINAL O EVENTO O III Seminári d Agrnegóci fi realizad dias

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

PLANEJAMENTO - 2012 GESTÃO 2012-2015

PLANEJAMENTO - 2012 GESTÃO 2012-2015 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia Catarinense Câmpus Santa Rsa d Sul PLANEJAMENTO - 2012 GESTÃO 2012-2015 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia Catarinense Câmpus Santa Rsa d Sul

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE Institut Instituiçã fcada na geraçã de sluções para a implementaçã e gestã pedagógica de Núcles de Treinament e Capacitaçã de prfissinais e acadêmics

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana de Parnaíba Cmpnente Curricular: Cntabilidade Cmercial Eix Tecnlógic: Gestã e Negócis Módul: II C.

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmi Brazta de Sustentabilidade Sã Paul - 2014 Seja bem vind a 3 Prêmi Brazta de Sustentabilidade É ntória as crescentes demandas que setr de turism tem cm tema

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

Prefeitura Municipal

Prefeitura Municipal Prefeitura Municipal Publicad autmaticamente n Diári de / / Divisã de Prtcl Legislativ Dê-se encaminhament regimental. Sala das Sessões, / / Presidente Curitiba, 22 de julh de 2015. MENSAGEM Nº 049 Excelentíssim

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CICLO DE ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk A partir d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American de Adaptaçã

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP A Cperaçã para a Saúde n Espaç da CPLP Ainda antes da I Reuniã de Ministrs da Saúde da CPLP, realizada em Abril de 2008, em Cab Verde, fram adptads s seguintes instruments que, n quadr da saúde, pretenderam

Leia mais

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento Interbrs Tecnlgia e Sluções de Internet Ltda. Rua Dr. Guilherme Bannitz, 126 2º andar Cnj. 21 /179 Itaim Bibi - Sã Paul- SP - 04532-060 Fne: 55 11 9209-3717 / 55 11 8162-0161 Pr favr, cnsidere a prteçã

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil,

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL...

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... Respnsável pela elabraçã d trabalh: Fernanda Juli Barbsa Camps

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira CAPÍTULO IV Valres, Crenças, Missã, Visã.e Plítica da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira Há alguns ans, quand tínhams ótims atletas, perdíams a Cpa d Mund de futebl, as Olimpíadas, errand em cisas básicas.

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

Advisory. Audit. Corporate. BPO / Accounting

Advisory. Audit. Corporate. BPO / Accounting BPO / Accunting Audit Advisry TAX Labr Crprate A JCG Cnsultria Para se trnarem cmpetitivas n mund glbalizad e se estabelecerem num mercad em crescente evluçã, a tendência atual nas empresas é a terceirizaçã

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais