MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA"

Transcrição

1 MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA MAIO 2009

2 2 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE Prject encmendad pela Títul: Autres: Ediçã: Mnitrizaçã da satisfaçã ds utilizadres da ULSNA Pedr Lpes Ferreira Centr de Estuds e Investigaçã em Saúde da Universidade de Cimbra (CEISUC) Data: Mai de 2009 Cntacts: CEISUC Av Dias da Silva Cimbra Telef Internet:

3 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 3 ÍNDICE 1. Enquadrament metdlógic Centrs de saude da ULSNA Amstra Sex Idade Esclaridade Experiência Indicadres chave Eurpep Satisfaçã glbal Eurpep Relaçã e cmunicaçã Cuidads médics Infrmaçã e api Cntinuidade e cperaçã Organizaçã ds serviçs Áreas específicas Satisfaçã em áreas específicas Oferta de utrs serviçs Respsta Recurss humans Instalações Satisfaçã glbal Mai de 2009

4 4 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE.....

5 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 5 1. ENQUADRAMENTO METODOLÓGICO Este relatóri diz respeit as resultads da Onda Invern 2008 d questinári "Qual a sua piniã sbre seu Centr de Saúde" inserid n Prject Eurpep, de autria d Centr de Estuds e Investigaçã em Saúde da Universidade de Cimbra (CEISUC). Os dads crrespndem a um inquérit aplicad as utilizadres ds centrs de saúde da Unidade Lcal de Saúde d Nrte Alentejan, EPE n mês de Dezembr, de um univers de utilizadres. Fram recebidas 915 respstas cnsideradas úteis e psterirmente tratadas estatisticamente. O err máxim deste estud, para um interval de cnfiança de 95% e p=50% é de 2,5%. O mdel cnceptual seguid neste estud para a avaliaçã da satisfaçã ds utilizadres fi seguinte: Mai de 2009

6 6 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE

7 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 7 2. CENTROS DE SAÚDE DA UNLSA Ds questináris entregues as utilizadres ds 16 centrs de saúde estudads, fram devlvids 915 questináris devidamente preenchids, a que crrespnde uma taxa glbal de respstas de 2,5%. Apresentase a seguir a sua distribuiçã pr centr de saúde: Centr de Saúde Alter d Chã Arrnches Avis Camp Mair Castel de Vide Crat Elvas Frnteira Gaviã Marvã Mnfrte Mntargil Nisa Pnte de Sr Prtalegre Susel Questináris Entregues Questináris Respndids Taxas de Respstas 97,0% 48,1% 16,7% 71,5% 83,0% 44,2% 27,3% 30,0% 79,7% 91,3% 16,7% 84,0% 11,9% 14,1% 20,9% 80,0% ULSNA ,9% Mai de 2009

8 8 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE

9 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 9 3. AMOSTRA 3.1 Sex Feminin Masculin nã respstas ,8% 36,2% Feminin Masculin 3.2 Idade Ans >= 75 nã respstas % 8% 18% 18% 21% 16% 15% média desvi padrã mínim máxim 49,8 16, Esclaridade Nã sabe ler nem escrever Só sabe ler e escrever 1º Cicl d ensin básic 2º Cicl d ensin básic 3º Cicl d ensin básic Ensin secundári Ensin médi Ensin superir nã respstas % 3% 4% 11% 15% 20% 21% 22% Mai de 2009

10 10 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 3.4 Experiência Primeira cnsulta Sim Nã nã respstas ,0% 98,0% Sim Nã Númer de cnsultas ns últims 6 meses Nenhuma Uma Duas Três Quatr Cinc Seis Mais de seis nã respstas % 9% 7% 9% 17% 15% 12% 27%

11 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE INDICADORES CHAVE EUROPEP 4.1 SATISFAÇÃO GLOBAL EUROPEP Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 34,8% 44,4% 16,5% 4,3% 4,6% Média 70,0% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Relaçã e cmunicaçã 74,1% Cuidads médics 71,1% Infrmaçã e api 69,9% Cntinuidade e cperaçã 68,4% Organizaçã ds serviçs 65,5% Mai de 2009

12 12 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE Satisfaçã glbal Eurpep Relaçã e cmunicaçã Satisfeit Insatisfeit ,1% 45,8% 13,1% 2,1% Média 74,1% Cuidads médics 35,4% 46,0% 14,6% 3,9% 71,1% Infrmaçã e api Cntinuidade e cperaçã Organizaçã ds serviçs 34,4% 45,4% 15,5% 4,7% 69,9% 32,7% 44,7% 17,6% 5,1% 68,4% 30,8% 41,1% 21,7% 6,4% 65,5%

13 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE RELAÇÃO E COMUNICAÇÃO Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 39,1% 45,8% 13,1% 2,1% Média 74,1% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Temp para cuidar 67,9% Humanidade 75,0% Envlviment ds dentes 76,9% Cnfidencialidade d prcess 79,2% Temp para cuidar Temp em que esteve cm seu médic durante as cnsultas Temp dedicad a si pel pessal de enfermagem Humanidade Frma cm s prfissinais se interessam pels seus prblemas de saúde Facilidade cm que se sentiu à vntade para cntar s seus prblemas a seu médic Envlviment ds dentes Frma cm fi envlvid/a nas decisões sbre s cuidads que seu médic lhe prestu Frma cm seu médic /a uviu Cnfidencialidade d prcess Cnfidencialidade da infrmaçã d seu prcess Mai de 2009

14 14 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE Temp em que esteve cm seu médic durante as cnsultas Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 27,3% 49,9% 21,1% 1,6% 2,4% Média 67,7% Temp dedicad a si pel pessal de enfermagem Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 29,4% 47,7% 20,0% 2,9% 3,5% Média 68,0% Frma cm s prfissinais se interessam pels seus prblemas de saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 36,3% 46,7% 14,3% 2,6% 17% 1,7% Média 72,4% Facilidade cm que se sentiu à vntade para cntar s seus prblemas a seu médic Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 46,3% 42,0% 9,7% 2,1% 1,3% Média 77,6% Frma cm fi envlvid/a nas decisões sbre s cuidads que seu médic lhe prestu Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 36,4% 50,1% 11,6% 1,9% 2,2% Média 73,8%

15 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 15 Frma cm seu médic /a uviu Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 50,0% 40,7% 8,1% 1,2% 1,0% Média 80,0% Cnfidencialidade da infrmaçã d seu prcess Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 48,2% 43,1% 6,3% 2,4% 9,4% Média 79,2% Mai de 2009

16 16 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 4.3 CUIDADOS MÉDICOS Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 35,4% 46,0% 14,6% 3,9% 3,5% Média 71,1% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Efectividade 69,2% Cmpetência / Precisã 73,9% Efectividade Alívi rápid ds seus sintmas Ajuda que recebeu para se sentir suficientemente bem para desempenhar as suas tarefas diárias Oferta de serviçs de prevençã de denças (pr exempl, rastrei, exame médic periódic e vacinas) Cmpetência / Precisã Atençã dispensada Exame que médic lhe fez

17 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 17 Alívi rápid ds seus sintmas Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 28,5% 47,2% 21,2% 3,1% 3,2% Média 67,2% Ajuda que recebeu para se sentir suficientemente bem para desempenhar as suas tarefas diárias Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 32,8% 48,2% 14,3% 4,6% 5,1% Média 69,8% Oferta de serviçs de prevençã de denças (pr exempl, rastrei, exame médic periódic e vacinas) Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 38,0% 42,1% 13,5% 6,4% 4,7% Média 70,7% Atençã dispensada Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 38,8% 47,4% 11,6% 2,3% 2,0% Média 74,3% Exame que médic lhe fez Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 38,9% 45,3% 12,7% 3,2% 2,5% Média 73,4% Mai de 2009

18 18 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 4.4 INFORMAÇÃO E APOIO Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 34,4% 45,4% 15,5% 4,7% 4,3% Média 69,9% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Tip de infrmaçã 70,9% Acnselhament 68,8% Tip de infrmaçã Explicaçã ds bjectivs ds exames e ds trataments prescrits Infrmações sbre que queria saber ds seus sintmas e da sua dença Acnselhament Ajuda que recebeu para enfrentar s prblemas emcinais relacinads cm s seus prblemas de saúde Api que recebeu para cmpreender a imprtância de seguir s cnselhs d seu médic

19 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 19 Explicaçã ds bjectivs ds exames e ds trataments prescrits Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 35,4% 46,5% 15,2% 2,9% 2,6% Média 71,6% Infrmações sbre que queria saber ds seus sintmas e da sua dença Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 35,1% 44,0% 17,1% 3,7% 3,1% Média 70,3% Ajuda que recebeu para enfrentar s prblemas emcinais relacinads cm s seus prblemas de saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,1% 46,0% 15,6% 7,2% 7,0% Média 67,1% Api que recebeu para cmpreender a imprtância de seguir s cnselhs d seu médic Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 35,8% 44,9% 14,2% 5,2% 4,6% Média 70,5% Mai de 2009

20 20 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 4.5 CONTINUIDADE E COOPERAÇÃO Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 32,7% 44,7% 17,6% 5,1% 7,5% Média 68,4% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Cntinuidade 74,5% Cperaçã entre prestadres 61,9% Cntinuidade Cnheciment que seu médic tem sbre que fi feit e dit em cnsultas anterires Cperaçã entre prestadres Preparaçã sbre que esperar de especialistas e ds cuidads hspitalares

21 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 21 Cnheciment que seu médic tem sbre que fi feit e dit em cnsultas anterires Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 39,7% 46,4% 11,4% 2,5% 5,3% Média 74,5% Preparaçã sbre que esperar de especialistas e ds cuidads hspitalares Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 25,2% 42,9% 24,0% 7,8% 9,8% Média 61,9% Mai de 2009

22 22 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 4.6 ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 30,8% 41,1% 21,7% 6,4% 6,3% Média 65,5% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Acessibilidade e espera 62,8% Api em geral 71,9% Acessibilidade e espera Facilidade em marcar uma cnsulta que lhe sirva n Centr de Saúde Facilidade em falar pel telefne para Centr de Saúde Pssibiidade de falar pel telefne cm médic de família Temp que esperu na sala de espera Rapidez cm que s prblemas aguds fram reslvids Api em geral Organizaçã geral ds serviçs ferecids pr este Centr de Saúde Api, em geral, d pessal deste Centr de Saúde

23 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 23 Facilidade em marcar uma cnsulta que lhe sirva n Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 27,0% 38,3% 25,6% 9,1% 2,2% Média 61,1% Facilidade em falar pel telefne para Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 34,7% 44,4% 17,3% 3,6% 7,0% Média 70,1% Pssibiidade de falar pel telefne cm médic de família Muit satisfeit/a ## 25,7% Bastante satisfeit/a ## 34,3% Puc satisfeit/a ## 26,5% Nada satisfeit/a ## 13,5% 16,7% Média 57,4% Temp que esperu na sala de espera Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 23,6% 32,4% 37,6% 6,4% 2,2% Média 57,7% Rapidez cm que s prblemas aguds fram reslvids Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,3% 44,8% 18,1% 5,8% 8,4% Média 67,3% Mai de 2009

24 24 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE Organizaçã geral ds serviçs ferecids pr este Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,3% 50,1% 14,8% 3,8% 6,1% Média 69,8% Api, em geral, d pessal deste Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 41,0% 43,2% 11,9% 3,9% 1,6% Média 73,9%

25 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE ÁREAS ESPECÍFICAS 5.1 SATISFAÇÃO EM ÁREAS ESPECÍFICAS Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a 32,7% 46,0% 15,8% 5,5% 6,9% Média 68,7% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Oferta de utrs serviçs 64,8% Respsta 66,9% Recurss humans 73,5% Instalações 67,3% Mai de 2009

26 26 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 5.2 OFERTA DE OUTROS SERVIÇOS ## ## ## ## ## Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 27,4% 48,3% 15,5% 8,9% 16,6% Média 64,8% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Serviçs a dmicíli 62,9% Respsta a necessidades especiais 65,0% Cntact para prevençã 66,0% Serviçs a dmicíli Serviçs a dmicíli frnecids pel Centr de Saúde Respsta a necessidades especiais Respsta às necessidades especiais ds utilizadres d Centr de Saúde (pr exempl, de crianças, idss, prtadres de deficiência) Cntact para prevençã Frma cm fi cntactad/a para utilizar s serviçs de prevençã de denças

27 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 27 Serviçs a dmicíli frnecids pel Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,8% 39,4% 14,2% 14,6% 32,2% Média 62,9% Respsta às necessidades especiais ds utilizadres d Centr de Saúde (pr exempl, de crianças, idss, prtadres de deficiência) Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 19,8% 60,1% 14,9% 5,2% 12,7% Média 65,0% Frma cm fi cntactad/a para utilizar s serviçs de prevençã de denças Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,2% 43,7% 16,9% 8,2% 5,5% Média 66,0% Mai de 2009

28 28 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 5.2 RESPOSTA ## ## ## ## ## Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 30,5% 45,5% 18,0% 5,9% 6,4% Média 66,9% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Rapidez de atendiment 63,0% Respeit 74,2% Liberdade de esclha 63,4% Rapidez de atendiment Rapidez cm que fi atendid/a Respeit Respeit cm que fi tratad/a e a frma cm a sua privacidade fi mantida Liberdade de esclha Liberdade de esclha de prfissinal de saúde e pssibilidade de segunda piniã

29 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 29 Rapidez cm que fi atendid/a Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 27,0% 40,9% 26,1% 6,0% 2,6% Média 63,0% Respeit cm que fi tratad/a e a frma cm a sua privacidade fi mantida Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 35,3% 54,0% 8,4% 2,4% 4,3% Média 74,2% Liberdade de esclha de prfissinal de saúde e pssibilidade de segunda piniã Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 29,2% 41,5% 19,5% 98% 9,8% 12,4% Média 63,4% Mai de 2009

30 30 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 5.3 RECURSOS HUMANOS ## ## ## ## ## Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 38,7% 45,8% 12,4% 3,1% 3,8% Média 73,5% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Médics 75,8% Enfermeirs 76,8% Administrativs 73,0% Pntualidade 68,3% Médics Cmpetência, crtesia e carinh d pessal médic Enfermeirs Cmpetência, crtesia e carinh d pessal de enfermagem Administrativs Cmpetência, crtesia e carinh d pessal administrativ Pntualidade Pntualidade ds prfissinais

31 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 31 Cmpetência, crtesia e carinh d pessal médic Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 42,2% 45,3% 9,9% 2,6% 1,7% Média 75,8% Cmpetência, crtesia e carinh d pessal de enfermagem Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 42,8% 46,2% 9,2% 1,8% 2,8% Média 76,8% Cmpetência, crtesia e carinh d pessal administrativ Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 38,2% 45,4% 13,1% 33% 3,3% 3,4% Média 73,0% Pntualidade ds prfissinais Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,4% 46,3% 17,7% 4,6% 7,2% Média 68,3% Mai de 2009

32 32 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 5.4 INSTALAÇÕES ## ## ## ## ## Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 31,1% 44,9% 18,5% 5,5% 2,3% Média 67,3% Muit satisfeit/a Bastante satisfeit/a Puc satisfeit/a Nada satisfeit/a média Cnfrt 68,5% Limpeza 77,0% Hrári 56,5% Cnfrt Cnfrt d Centr de Saúde Limpeza Limpeza d Centr de Saúde Hrári Hrári de atendiment

33 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE 33 Cnfrt d Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 32,1% 45,8% 17,2% 4,8% 2,0% Média 68,5% Limpeza d Centr de Saúde Muit satisfeit/a ## Bastante satisfeit/a ## Puc satisfeit/a ## Nada satisfeit/a ## 39,7% 52,4% 6,5% 1,3% 2,0% Média 77,0% Hrári de atendiment Muit satisfeit/a ## 21,6% Bastante satisfeit/a ## 36,5% Puc satisfeit/a ## 31,6% Nada satisfeit/a ## 10,3% 29% 2,9% Média 56,5% 5% Mai de 2009

34 34 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE

35 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE SATISFAÇÃO GLOBAL Recmend frtemente este Centr de Saúde as meus amigs. ## ## Cncrd muit ## Cncrd ## Discrd ## Discrd muit ## ,4% 4,4% 21,3% 62,8% Nã vej qualquer razã para mudar para utr Centr de Saúde ## ## Cncrd muit ## Cncrd ## Discrd ## Discrd muit ## ,1% 8,7% 24,5% 55,6% Mai de 2009

36 36 RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DA ULSNA, EPE

Em qualquer caso, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução

Em qualquer caso, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução Âmbit d Dcument Mdel de Cmunicaçã Platafrma de Dads de Saúde - Prtal d Prfissinal Revisã 1 O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Platafrma de Dads da Saúde

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

NOTA DE INFORMAÇÃO PRÉVIA VICTORIA CARTÃO DE SAÚDE

NOTA DE INFORMAÇÃO PRÉVIA VICTORIA CARTÃO DE SAÚDE QUAL A IMPORTÂNCIA DE TER UM CARTÃO DE Vivems temps de incerteza e austeridade financeira, que tem frçad Serviç Nacinal de Saúde a reduzir substancialmente as cmparticipações cm despesas de saúde e a aumentar

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technlgies samaritan PAD 500P (Desfibrilhadr de Acess Públic) Actualizaçã d Sftware Cars Prprietáris d samaritan PAD 500P, O bjectiv desta carta é infrmar-vs sbre uma

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Promover a Cidadania numa cultura de saúde e bem-estar para a realização dos projetos de vida pessoais, familiares e das comunidades.

Promover a Cidadania numa cultura de saúde e bem-estar para a realização dos projetos de vida pessoais, familiares e das comunidades. 4 EIXOS ESTRATÉGICOS 4.1 CIDADANIA EM SAÚDE Prmver a Cidadania numa cultura de saúde e bem-estar para a realizaçã ds prjets de vida pessais, familiares e das cmunidades. 4.1.1 Intrduçã Cnceits Cidadania

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

Competências Clínicas para a Prática de Profissionais com Certificado Internacional de Consultor em Amamentação

Competências Clínicas para a Prática de Profissionais com Certificado Internacional de Consultor em Amamentação Cmpetências Clínicas para a Prática de Prfissinais cm Certificad Internacinal de Cnsultr em Amamentaçã Prfissinais cm Certificad Internacinal de Cnsultr em Amamentaçã (Cnsultres em Amamentaçã) demnstram

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2008/2009, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 Inserir data e Hra 08/10/2012 N.º PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: Técnic De Turism 2010/2013 DISCIPLINA: Operações Técnicas em Empresas Turísticas An: 3º N.º TOTAL

Leia mais

1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL REGULAMENTO OFICIAL

1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL REGULAMENTO OFICIAL 1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL A 1 Crrida Nturna Unimed Cascavel é uma nva prpsta de lazer, diversã, prmçã da saúde e da qualidade de vida ds mradres de Cascavel e Regiã. O event é cmpst pr crrida,

Leia mais

Situação Atual da EFTP no Afeganistão

Situação Atual da EFTP no Afeganistão Data: 8 de mai de 2015 Situaçã Atual da EFTP n Afeganistã Dr. Enayatullah Mayel Diretr Executiv d Prgrama Prgrama Nacinal de Desenvlviment de Cmpetências Ministéri d Trabalh, Assunts Sciais, Mártires e

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO EA.TAS.6.1.13 HELPCARE CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO Prpsta Curs de Tripulante de Ambulância de Scrr Fundamentaçã O scrr e transprte de vítimas de dença súbita e/u trauma é executad pr váris

Leia mais

SEGURANÇA DE DADOS CLÍNICOS

SEGURANÇA DE DADOS CLÍNICOS SEGURANÇA DE DADOS CLÍNICOS 6/16/2005 HSM/SSIT-07062005/CA Carls Ferreira Hspital de Santa Maria Serviç de Sistemas de Infrmaçã e Telecmunicações Av. Prf. Egas Mniz 1649-035 Lisba Tel.: (+351) 217805327

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt Versã 1.1.1.3 Descriçã d prdut, 2009 www.graycell.pt 1 ENQUADRAMENTO A platafrma ask-it! é uma aplicaçã web-based que permite criar inquérits dinâmics e efectuar a sua dispnibilizaçã n-line. A facilidade

Leia mais

ÍNDICE. 1. Introdução... 3. 2. Objectivos... 3. 3. Metodologia... 4. 3.1 Estudo de Painel... 4. 3.2. Definição e selecção da amostra...

ÍNDICE. 1. Introdução... 3. 2. Objectivos... 3. 3. Metodologia... 4. 3.1 Estudo de Painel... 4. 3.2. Definição e selecção da amostra... BARÓMETRO * * * * Observatóri de Luta Cntra a Pbreza na Cidade de Lisba REAPN Rede Eurpeia Anti-Pbreza / Prtugal Núcle Distrital de Lisba Rua Seir Pereira Gmes, n.º 7 Apartament 311 1600-196 Lisba Tel:

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã SIDC-Sistema Infrmaçã Descentralizad Cntabilidade Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema de Infrmaçã Descentralizad

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP A Cperaçã para a Saúde n Espaç da CPLP Ainda antes da I Reuniã de Ministrs da Saúde da CPLP, realizada em Abril de 2008, em Cab Verde, fram adptads s seguintes instruments que, n quadr da saúde, pretenderam

Leia mais

MONITORIA & AVALIAÇÃO:

MONITORIA & AVALIAÇÃO: MONITORIA & AVALIAÇÃO: Os fundaments para bter resultads Bénédicte de la Briere O Banc Mundial Os bjetivs desta sessã 1 2 3 4 5 Prquê cncentrar-se ns resultads Mnitria u Avaliaçã Utilizar uma cadeia de

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Directivas Antecipadas de Vontade. Ana Duarte, Andreia Leite, João Lopes e Ricardo Macau

Directivas Antecipadas de Vontade. Ana Duarte, Andreia Leite, João Lopes e Ricardo Macau Directivas Antecipadas de Vntade Ana Duarte, Andreia Leite, Jã Lpes e Ricard Macau 27 de Mai de 2010 Intrduçã Histórica 1969: Luis Kutner Living wills 1990: Aprvaçã d Patient Self-Determinatin Act pel

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2012-2016 3.1. EIXO ESTRATÉGICO - CIDADANIA EM SAÚDE

Plano Nacional de Saúde 2012-2016 3.1. EIXO ESTRATÉGICO - CIDADANIA EM SAÚDE Plan Nacinal de Saúde 2012-2016 3.1. EIXO ESTRATÉGICO - CIDADANIA EM SAÚDE Plan Nacinal de Saúde 2012-2016 3.1. CIDADANIA EM SAÚDE 3.1.1. CONCEITOS... 2 3.1.2. ENQUADRAMENTO... 8 3.1.3. ORIENTAÇÕES E EVIDÊNCIA...

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi Benefícis ds serviçs de transprte de táxis cmpartilhads Shared-transprt / Shared-taxi Reuniã de Especialistas sbre Transprte Urban Sustentável: Mdernizand e Trnand Eclógicas as Frtas de Táxis nas Cidades

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

Apresentação. Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho

Apresentação. Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho Apresentaçã Higiene, Segurança e Medicina n Trabalh 2011 Autrizações: ACT nº 697 07 1 01 11 DGS nº 065/2011 easymed Av. Clumban Brdal Pinheir, nº61c, 1º - Esc. 13 Tel: +351 21 301 01 00 1070-061 LISBOA

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Plano de Recuperação - Inglês

Plano de Recuperação - Inglês Escla: 9º 2005/2006 Prf. I- APOIO PEDAGÓGICO ACRESCIDO Plan de Recuperaçã - Inglês Existência de dis níveis diferenciads: Nível I aluns cm graves deficiências de base. N.º Nme Nível II aluns cm algumas

Leia mais

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências O desafi da regulaçã ecnômic-financeira ds peradres públics de serviçs de saneament básic n Brasil: primeiras experiências Karla Bertcc Trindade VI Fr Iber American de Regulación 11/11/2013 - Mntevide,

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

Apresentação Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho

Apresentação Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho Apresentaçã Higiene, Segurança e Medicina n Trabalh 2009 easymed Rua Jrge Barradas, nº 34 Lj 4/5 Tel: +351 21 301 01 00 1400-319 LISBOA Fax: +351 21 301 11 16 PORTUGAL http://www.easymed.pt A Easymed A

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AO SERVIÇO DO CIDADÃO. Lisboa, 18 de Setembro de 2009. Fundação Calouste Gulbenkian

A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AO SERVIÇO DO CIDADÃO. Lisboa, 18 de Setembro de 2009. Fundação Calouste Gulbenkian A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AO SERVIÇO DO CIDADÃO Lisba, 18 de Setembr de 2009 Fundaç Caluste Gulbenkian A satisfaç ds estudantes em primeir lugar A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA AO SERVIÇO DO CIDADÃO

Leia mais

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ADMINISTRAÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ADMINISTRAÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ADMINISTRAÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM As Práticas Educativas serã realizadas em hráris pré-determinads n períd diurn para aluns regularmente

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 05/2015 SEMANA EPIDEMIOLÓGICA 50 (13 A 19/12/2015) MONITORAMENTO DOS CASOS DE MICROCEFALIAS NO BRASIL Este infrme d COES Micrcefalias visa dcumentar e divulgar infrmações atualizadas

Leia mais

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P A Pessas e Sistemas, empresa de Cnsultria na área da Gestã e ds Recurss Humans e cm atividade nas áreas de Recrutament e Seleçã, Frmaçã e Cnsultria, prcura para a Câmara Municipal de Amarante - Agência

Leia mais

Guide to Comenius Individual Pupil Mobility

Guide to Comenius Individual Pupil Mobility Guide t Cmenius Individual Pupil Mbility 1 2 Guia 2012 da Mbilidade Individual de Aluns COMENIUS 3 4 Guia da Mbilidade Individual de Aluns COMENIUS Índice/Estrutura da apresentaçã em linha ds dcuments

Leia mais

CENTROS DE ALTO RENDIMENTO DESPORTIVO ABORDAGEM ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO 29 Maio 2012

CENTROS DE ALTO RENDIMENTO DESPORTIVO ABORDAGEM ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO 29 Maio 2012 CENTROS DE ALTO RENDIMENTO DESPORTIVO ABORDAGEM ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO 29 Mai 2012 CENTRO DE ALTO RENDIMENTO (CAR) DESPORTIVO Unidade perativa que cnjuga um cnjunt específic e diversificad de instalações

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

Capítulo 17. Sistema de Gestão Ambiental e Social e Plano de Gestão Ambiental e Social

Capítulo 17. Sistema de Gestão Ambiental e Social e Plano de Gestão Ambiental e Social Capítul 17 Sistema de Gestã Ambiental e Scial e Plan de Gestã Ambiental e Scial ÍNDICE 17 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL E SOCIAL E PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL E SOCIAL 17-1 17.1 INTRODUÇÃO 17-1 17.2 VISÃO

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro Apresentaçã a mercad d crngrama d prcess de adpçã plena das IAS/IFRS n sectr financeir DEPARTAMENTO DE SUPERVISÃO PRUDENCIAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 12 de Junh de 2014 Departament de Supervisã Prudencial

Leia mais

Urbanidade, sustentabilidade, saúde - uma relação evidente e persistente

Urbanidade, sustentabilidade, saúde - uma relação evidente e persistente - uma relaçã evidente e persistente Os Lugares e a Saúde Uma abrdagem da Gegrafia às variações em saúde na Área Metrplitana de Lisba Helena Ngueira Faculdade de Letras da Universidade de Cimbra Lisba,

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

Flávia Cristina Gonçalves de Aquino Graciella Calsolari Figueiredo RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE: UMA AMIZADE?

Flávia Cristina Gonçalves de Aquino Graciella Calsolari Figueiredo RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE: UMA AMIZADE? Flávia Cristina Gnçalves de Aquin Graciella Calslari Figueired RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE: UMA AMIZADE? Sã Paul 2014 1 Flávia Cristina Gnçalves de Aquin Graciella Calslari Figueired RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE:

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1 Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL Nvas funcinalidades d Sftware ALERT versã 261 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, SA Tds s direits reservads A ALERT Life Sciences Cmputing, SA dispnibiliza presente

Leia mais

SITAF - Manual de Utilizador

SITAF - Manual de Utilizador SITAF - Manual de Utilizadr Entrega de Peças Prcessuais Nvembr 2009 SITAF Sistema de Infrmaçã ds Tribunais Administrativs e Fiscais Manual de Utilizadr Entrega de Peças Prcessuais Apresentaçã O frmulári

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

Plano de Formação 2012

Plano de Formação 2012 1 INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALGARVE Plan de Frmaçã 2012 Centr de Empreg e Frmaçã Prfissinal de Prtimã 2 APRENDIZAGEM nível IV SAÍDA PROFISSIONAL INICIO FINAL

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique III Jrnadas de Cperaçã n Sectr de Saúde em Mçambique Planificaçã n Sectr da Saude em Mçambique Maput, Març de 2013 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO # Jrnadas de Cperaçã d Sectr da Saúde cnstituem um event anual:

Leia mais

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos As ferramentas SIG na análise e planeament da inclusã Jã Pereira Sants 1 Agenda Apresentaçã Intergraph Evluçã SIGs Prjects SIGs Exempls Questões 2 Apresentaçã Intergraph Fundada em 1969, cm nme de M&S

Leia mais

Como participar em feiras nos mercados

Como participar em feiras nos mercados Câmara d Cmérci de Angra d Herísm Assciaçã Empresarial das ilhas Terceira, Gracisa e Sã Jrge Cm participar em feiras ns mercads Feiras e glbalizaçã Cm a liberalizaçã d cmérci internacinal e à luz d fenómen

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

Projecto de Dinamização dos Sistemas de Produção Pecuários nos Sectores de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (contrato DCI-NSAPVD 2010 / 257 105)

Projecto de Dinamização dos Sistemas de Produção Pecuários nos Sectores de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (contrato DCI-NSAPVD 2010 / 257 105) Prject de Dinamizaçã ds Sistemas de Prduçã Pecuáris ns Sectres de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (cntrat DCI-NSAPVD 2010 / 257 105) Terms de referência para a selecçã de um Perit para a realizaçã d Estud:

Leia mais

Integração do POPH no SIIFSE

Integração do POPH no SIIFSE Integraçã d POPH n SIIFSE Manual de Utilizadr Frmulári de Candidatura as Estágis Prfissinais na Administraçã Pública Lcal - 18 de Fevereir de 2008-1ª Versã ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 ENQUADRAMENTO E

Leia mais

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito 0 Aplicações Clinicas Patlgia Clínica Luís Lit 1 Evluçã 1. 1993 - Infrmatizaçã parcial d Lab. de Química Clinica 2. 1996 - Inici da infrmatizaçã d Serviç de Patlgia Clínica Clinidata (sistema UNIX/COBOL

Leia mais

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM As Práticas Educativas serã realizadas em hráris pré-determinads n períd

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centr de Referência: Universidade Federal d Ri Grande d Nrte Edital para Seleçã de Preceptres de internat, estágis e residência em saúde. EDITAL 01/2015 A Universidade Federal d Ri Grande d Nrte, pr mei

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO DA GESTÃO DE STOCKS E APROVISIONAMENTO, FARMÁCIA E PRESCRIÇÃO ELECTRÓNICA PARA HOSPITAIS DA SNS LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO

INFORMATIZAÇÃO DA GESTÃO DE STOCKS E APROVISIONAMENTO, FARMÁCIA E PRESCRIÇÃO ELECTRÓNICA PARA HOSPITAIS DA SNS LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO Ministéri da Saúde Institut de Gestã Infrmática e Financeira da Saúde FARMÁCIA E PRESCRIÇÃO ELECTRÓNICA PARA HOSPITAIS DA SNS LINHAS BÁSICAS DE ORIENTAÇÃO Ministéri da Saúde Institut de Gestã Infrmática

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2010/2011, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais