Ponto 8 do plano de ensino. Medidas de segurança:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ponto 8 do plano de ensino. Medidas de segurança:"

Transcrição

1 Ponto 8 do plano de ensino Medidas de segurança: Conceito, natureza, sistemas, pressupostos, espécies, duração, locais de internação e tratamento, duração, exame de verificação de cessação de periculosidade, desinternação ou liberação condicional, medida de segurança substitutiva. Medidas de Segurança A aplicação da pena decorre da culpabilidade do agente. Já no caso da medida de segurança é a sua periculosidade, que é conceituado como um estado subjetivo, mais ou menos duradouro, de antisociabilidade. 1

2 A medida de segurança é uma sanção penal e visa preservar a sociedade da ação de delinquentes temíveis e recuperá-los com tratamento adequado. Ao contrário do sistema legal anterior, (duplo binário), que permitia a aplicação conjunta de pena e medida de segurança, o sistema atual, (vicariante), prevê que somente poderá ser aplicada ou medida de segurança aos semi-imputáveis (se esta for a opção do juiz) e inimputáveis e pena aos imputáveis. Pressupostos: Os pressupostos para a aplicação da medida de segurança são a prática de fato previsto como crime e a periculosidade do agente. 2

3 A periculosidade do agente, presumida nos casos de inimputabilidade, ou reconhecida pelo juiz nos casos de semi-imputabilidade, não é suficiente para a aplicação da medida de segurança. É indispensável que o agente tenha cometido fato que a lei define como crime. Assim, não se aplicará a medida de segurança se não houver provas que confirmem a acusação, se o fato não for considerado como criminoso ou se o agente for absolvido pela ocorrência de excludente de antijuridicidade. 3

4 De igual modo, é pressuposto para a aplicação da medida de segurança a periculosidade, que é a possibilidade do agente criminoso voltar a delinquir. A lei presume a periculosidade dos agentes inimputáveis, e a aplicação da medida é obrigatória ao teor do artigo 97. Art Se o agente for inimputável, o juiz determinará sua internação (art. 26). Se, todavia, o fato previsto como crime for punível com detenção, poderá o juiz submetê-lo a tratamento ambulatorial. Nos casos dos semi-imputáveis, a periculosidade pode ser reconhecida pelo juiz, que poderá substituir a pena pela medida de segurança. 4

5 Aplicação: Reconhecidos os pressupostos, (fato definido como crime e periculosidade do agente), a medida é aplicada pelo juiz de conhecimento. Não deverá incidir nos casos de crime impossível, ou se não houver sido iniciado a execução de ato criminoso, necessitando, ao menos a forma tentada. Não há a aplicação provisória da medida de segurança, não se permitindo a internação ou tratamento ambulatorial sem a guia expedida por autoridade judiciária, que o fará após o trânsito em julgado da sentença. Extinta a punibilidade, não se impõe medida de segurança nem subsiste a que tenha sido imposta, (art. 96, único), que não mais se justiça pela própria extinção. Parágrafo único - Extinta a punibilidade, não se impõe medida de segurança nem subsiste a que tenha sido imposta. 5

6 O prazo mínimo a ser fixado pelo juiz é de um a três anos, (arts. 97, 1º, e 98), qualquer que seja o crime praticado. Prazo 1º - A internação, ou tratamento ambulatorial, será por tempo indeterminado, perdurando enquanto não for averiguada, mediante perícia médica, a cessação de periculosidade. O prazo mínimo deverá ser de 1 (um) a 3 (três) anos. Substituição da pena por medida de segurança para o semi-imputável Art Na hipótese do parágrafo único do art. 26 deste Código e necessitando o condenado de especial tratamento curativo, a pena privativa de liberdade pode ser substituída pela internação, ou tratamento ambulatorial, pelo prazo mínimo de 1 (um) a 3 (três) anos, nos termos do artigo anterior e respectivos 1º a 4º. Execução e revogação Em tese a medida de segurança é executada por tempo indeterminado, sendo fixado, apenas, seu prazo mínimo e persistirá enquanto não for constatada a cessação da periculosidade do agente em perícia médica, (art. 97, 1º). A perícia médica deve ser efetuada no fim do prazo mínimo e deverá ser repetida de ano em ano, ou a qualquer momento se houver determinação judicial, (art. 97, 2º). 6

7 Comprovada a cessação da periculosidade o juiz determinará a suspensão da execução da medida de segurança e, após o trânsito em julgado, expedirá ordem de desinternação ou liberação. Ao exemplo do livramento condicional, se houver pratica de fato indicativo da persistência da periculosidade, a suspensão será revogada, (art. 97 3º). Desinternação ou liberação condicional 3º - A desinternação, ou a liberação, será sempre condicional devendo ser restabelecida a situação anterior se o agente, antes do decurso de 1 (um) ano, pratica fato indicativo de persistência de sua periculosidade. A medida de segurança será extinta após um ano da suspensão se não houver fato que indique a permanência da periculosidade. 7

8 Espécies: São duas as espécies de medida de segurança: A internação e o tratamento ambulatorial. Internação A internação, de caráter detentivo, é efetuada em hospital de custódia e tratamento psiquiátrico, ou na sua ausência, de outro estabelecimento adequado, onde os inimputáveis, ou semi-imputáveis, serão submetidos a tratamento que assegure a custódia dos internados, e o fim terapêutico e pedagógico que assegure a ressocialização do internado, (art. 99). Direitos do internado Art O internado será recolhido a estabelecimento dotado de características hospitalares e será submetido a tratamento Tratamento ambulatorial É medida não detentiva que obriga o condenado ao tratamento nos dias que lhe forem determinados e se a conduta revelar necessidades de providências para fins curativos, poderá haver a internação nos termos do art. 97, 4º. 4º - Em qualquer fase do tratamento ambulatorial, poderá o juiz determinar a internação do agente, se essa providência for necessária para fins curativos. 8

9 Aplicação: Se houver a absolvição do acusado por sua inimputabilidade, nos termos do art. 26, é obrigatória a imposição da medida de segurança, (art. 97). Aos que forem reconhecidos como semi-imputáveis, art. 26, único, o juiz poderá aplicar a pena, com a redução prevista neste artigo, ou substituí-la pela medida de segurança se o sentenciado necessitar de tratamento curativo, art. 98. (...) Art É isento de pena o agente que, por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto ou retardado, Parágrafo único - A pena pode ser reduzida de um a dois terços, se o agente, em virtude de perturbação de saúde mental ou por desenvolvimento mental incompleto ou retardado não era inteiramente capaz (...) Se o crime for apenado com detenção poderá ser substituída a internação por tratamento ambulatorial. Se durante a execução de sentença sobrevier perturbação mental o juiz poderá substituir a pena por medida de segurança nos termos do artigo 183 da LEP. 9

10 Início da execução É indispensável que a execução da medida de segurança seja precedida de guia de execução expedida após o trânsito em julgado da condenação. Inimputáveis Art É isento de pena o agente que, por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto ou retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. (...) Redução de pena Parágrafo único - A pena pode ser reduzida de um a dois terços, se o agente, em virtude de perturbação de saúde mental ou por desenvolvimento mental incompleto ou retardado não era inteiramente capaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. 10

11 TÍTULO VI DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA Espécies de medidas de segurança Art. 96. As medidas de segurança são: I - Internação em hospital de custódia e tratamento psiquiátrico ou, à falta, em outro estabelecimento adequado; II - sujeição a tratamento ambulatorial. Parágrafo único - Extinta a punibilidade, não se impõe medida de segurança nem subsiste a que tenha sido imposta. Imposição da medida de segurança para inimputável Art Se o agente for inimputável, o juiz determinará sua internação (art. 26). Se, todavia, o fato previsto como crime for punível com detenção, poderá o juiz submetê-lo a tratamento ambulatorial. 11

12 Prazo 1º - A internação, ou tratamento ambulatorial, será por tempo indeterminado, perdurando enquanto não for averiguada, mediante perícia médica, a cessação de periculosidade. O prazo mínimo deverá ser de 1 (um) a 3 (três) anos. Perícia médica 2º - A perícia médica realizar-se-á ao termo do prazo mínimo fixado e deverá ser repetida de ano em ano, ou a qualquer tempo, se o determinar o juiz da execução. Desinternação ou liberação condicional 3º - A desinternação, ou a liberação, será sempre condicional devendo ser restabelecida a situação anterior se o agente, antes do decurso de 1 (um) ano, pratica fato indicativo de persistência de sua periculosidade. 4º - Em qualquer fase do tratamento ambulatorial, poderá o juiz determinar a internação do agente, se essa providência for necessária para fins curativos. 12

13 Substituição da pena por medida de segurança para o semi-imputável Art Na hipótese do parágrafo único do art. 26 deste Código e necessitando o condenado de especial tratamento curativo, a pena privativa de liberdade pode ser substituída pela internação, ou tratamento ambulatorial, pelo prazo mínimo de 1 (um) a 3 (três) anos, nos termos do artigo anterior e respectivos 1º a 4º. Direitos do internado Art O internado será recolhido a estabelecimento dotado de características hospitalares e será submetido a tratamento. 13

MEDIDA DE SEGURANÇA MACAPÁ 2011 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO MATERIAL DIDÁTICO

MEDIDA DE SEGURANÇA MACAPÁ 2011 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO MATERIAL DIDÁTICO MEDIDA DE SEGURANÇA DIREITO PENAL 4º SEMESTRE PROFESSORA PAOLA JULIEN OLIVEIRA DOS SANTOS ESPECIALISTA EM PROCESSO. MACAPÁ 2011 1 MEDIDA DE SEGURANÇA 1. Conceito: sanção penal imposta pelo Estado, na execução

Leia mais

Profª Ms. Simone Schroeder SANÇÕES PENAIS

Profª Ms. Simone Schroeder SANÇÕES PENAIS Profª Ms. Simone Schroeder SANÇÕES PENAIS PENAS PRIVATIVAS DE LIBERDADE DO CP Pena privativa de liberdade Art. 33 CP Reclusão CP Detenção CP Prisão Simples Dec. Lei 3688/41 Sanções penais Penas Art. 32

Leia mais

Ponto 12 do plano de ensino

Ponto 12 do plano de ensino Ponto 12 do plano de ensino Livramento condicional: conceito e natureza jurídica, requisitos (objetivos e subjetivos), concessão, condições, revogação obrigatória e revogação facultativa, prorrogação,

Leia mais

DA SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE PELA MEDIDA DE SEGURANÇA:

DA SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE PELA MEDIDA DE SEGURANÇA: DA SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE PELA MEDIDA DE SEGURANÇA: UMA VIA DE MÃO ÚNICA Humberto Fernandes de Moura * Resumo O presente artigo tem por objetivo analisar a substituição do cumprimento

Leia mais

SUMÁRIO I TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL

SUMÁRIO I TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL SUMÁRIO I TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL CAPÍTULO 1 DIREITO PENAL: NOÇÕES INTRODUTÓRIAS PARTE 1 Noções introdutórias 1 PARTE 2 Noções introdutórias 2 PARTE 3 Noções introdutórias 3 CAPÍTULO 2 PRINCÍPIOS

Leia mais

A CESSAÇÃO DA PERICULOSIDADE E A APLICABILIDADE DA MEDIDA DE SEGURANÇA POR PRAZO INDETERMINADO SOB AS ÓTICAS CONSTITUCIONAL E PENAL

A CESSAÇÃO DA PERICULOSIDADE E A APLICABILIDADE DA MEDIDA DE SEGURANÇA POR PRAZO INDETERMINADO SOB AS ÓTICAS CONSTITUCIONAL E PENAL A CESSAÇÃO DA PERICULOSIDADE E A APLICABILIDADE DA MEDIDA DE SEGURANÇA POR PRAZO INDETERMINADO SOB AS ÓTICAS CONSTITUCIONAL E PENAL Aurélia Carla Queiroga da Silva * Francisco de Assis Cabral Gomes Júnior

Leia mais

S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA

S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA arts. 77 a 82 do CP e 156 e s. da LEP. Deriva do verbo surseoir (suspender). Quer dizer suspensão. Expressão já utilizada pelo CP/1940. Conceitos: É o ato pelo

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Direito Penal II Código da Disciplina: JUR 213 Curso: Direito Faculdade responsável: Direito Programa em vigência a partir de: Número de créditos: 04 Carga Horária total:

Leia mais

A Lei 10.216/2001 e o Código Penal análise.

A Lei 10.216/2001 e o Código Penal análise. A Lei 10.216/2001 e o Código Penal análise. Luciana C. Paiotti Figueredo Juíza de Direito Responsável pelo julgamento das execuções das Medidas de Segurança e pelas visitas correicionais dos Hospitais

Leia mais

Direito Penal. Livramento Condicional. Professor Joerberth Nunes.

Direito Penal. Livramento Condicional. Professor Joerberth Nunes. Direito Penal Livramento Condicional Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Penal LIVRAMENTO CONDICIONAL CÓDIGO PENAL TÍTULO V DAS PENAS CAPÍTULO V DO LIVRAMENTO CONDICIONAL Requisitos

Leia mais

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11 Sumário Notas Preliminares Finalidade do Direito Penal...2 Bens que podem ser protegidos pelo Direito Penal...2 Códigos do Brasil...3 Código Penal atual...3 Direito Penal...3 Garantismo...3 Garantias...4

Leia mais

Sumário PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL NORMA PENAL... 33

Sumário PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL NORMA PENAL... 33 CAPÍTULO 1 PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL... 13 1. Noções preliminares...13 2. Peculiaridades dos princípios do Direito Penal...13 3. Princípio da legalidade ou da reserva legal...14 3.1 Abrangência do princípio

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Dr. Ubiali)

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Dr. Ubiali) PROJETO DE LEI Nº, DE 2011. (Do Sr. Dr. Ubiali) Altera a Lei nº. 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente para ampliar o prazo de internação do adolescente infrator, estabelecer

Leia mais

Profª. Ms Simone Schroeder

Profª. Ms Simone Schroeder Profª. Ms Simone Schroeder Base legal: Artigos 109 ao 119 do Código Penal Conceito: É a perda do poder de punir ou de executar a sanção imposta pelo Estado, causada pelo decurso de tempo fixado em Lei

Leia mais

FIXAÇÃO DE REGIME INICIAL

FIXAÇÃO DE REGIME INICIAL FIXAÇÃO DE REGIME INICIAL Regime Inicial de Cumprimento de Pena É estabelecido pelo conjunto do artigo 33, 2º, a, b, c (levam em conta o tempo de pena e a primariedade e a reincidência) e o artigo 59,

Leia mais

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 (Não dispensa a consulta do Diário da República) Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 Estabelece medidas de proteção de menores, em cumprimento do artigo 5.º da Convenção do Conselho da Europa contra a Exploração

Leia mais

AP A L P I L CA C Ç A Ã Ç O Ã O DA D A LE L I E P E P N E A N L A Art. 1º ao 12 do CP

AP A L P I L CA C Ç A Ã Ç O Ã O DA D A LE L I E P E P N E A N L A Art. 1º ao 12 do CP APLICAÇÃO DA LEI PENAL Art. 1º ao 12 do CP LEI PENAL NO TEMPO Princípio da Legalidade ou Reserva Legal Art. 5º, inciso XXXIX da CR/88: XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia

Leia mais

Capítulo 1 Noções Preliminares... 1 Capítulo 2 Aplicação da Lei Penal... 29

Capítulo 1 Noções Preliminares... 1 Capítulo 2 Aplicação da Lei Penal... 29 Sumário Capítulo 1 Noções Preliminares... 1 1. Introdução... 1 2. Princípios... 4 2.1. Princípio da legalidade... 5 2.2. Princípio da anterioridade da lei penal... 5 2.3. Princípio da irretroatividade

Leia mais

<<Direito Previdenciário>> - <<INSS>> Professor: Melissa Folmann Aulas: 11-13

<<Direito Previdenciário>> - <<INSS>> Professor: Melissa Folmann Aulas: 11-13 Aulas 11 13 - Professor: Melissa Folmann Aulas: 11-13 Prof > wwwaprovaconcursoscombr Página 1 de 15 Aulas 11 13 4 Benefícios previdenciários dos dependentes

Leia mais

1

1 TRF 2ª Região Analista Judiciário Área Judiciária (01/ julho/ 2007) 42. Réu não reincidente condenado à pena de 05 anos e 04 meses por crime de moeda falsa poderá cumpri la desde o início em (A) regime

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR PROVIMENTO N.º 28/2015

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR PROVIMENTO N.º 28/2015 PROVIMENTO N.º 28/2015 Regula a execução penal no âmbito a Justiça Militar do Estado do Estado e dá outras providências. O Juiz-Corregedor-Geral da Justiça Militar do Estado, no uso das atribuições legais

Leia mais

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade. Professor Adriano Kot.

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade.  Professor Adriano Kot. Direito Penal Causas de Extinc a o da Punibilidade Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br DIREITO PENAL CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE ROL CAUSAS DE EXTINÇÃO

Leia mais

DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO

DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO QUESTÃO 01 (PROVA PRF 2008 CESPE/UNB) De acordo com o CTB e acerca das ações penais por crimes

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Das questões e dos processos incidentes Alexandre Magno Fernandes Moreira* O processo penal tem por finalidade resolver uma dupla questão fundamental: se o delito realmente existiu

Leia mais

Tropa de Elite - Polícia Civil Legislação Penal Especial Crimes de Trânsito Liana Ximenes

Tropa de Elite - Polícia Civil Legislação Penal Especial Crimes de Trânsito Liana Ximenes Tropa de Elite - Polícia Civil Legislação Penal Especial Crimes de Trânsito Liana Ximenes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Arts. 291-301 do CTB - Parte Geral

Leia mais

CONHECIMENTOS DE LEGISLAÇÃO

CONHECIMENTOS DE LEGISLAÇÃO CONHECIMENTOS DE LEGISLAÇÃO TEORIA, LEGISLAÇÕES E 243 QUESTÕES POR TÓPICOS DIREITO PENAL Ricardo S. Pereira ( 76 Questões) DIREITO ADMINISTRATIVO Vítor Alves (167 Questões) Coordenação e Organização: Mariane

Leia mais

Aula 12. Conexão: Ocorre conexão quando há nexo entre dois ou mais delitos o que aconselha a unidade de processos e julgamento.

Aula 12. Conexão: Ocorre conexão quando há nexo entre dois ou mais delitos o que aconselha a unidade de processos e julgamento. Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Penal Professora: Elisa Pitarro Monitor: Raphael Santana Aula 12 Conexão: Ocorre conexão quando há nexo entre dois ou mais delitos o que aconselha

Leia mais

Revista de Criminologia e Ciências Penitenciárias p r u d e n t i a b o n i t a t i s o p e r a i u s t i t i a

Revista de Criminologia e Ciências Penitenciárias p r u d e n t i a b o n i t a t i s o p e r a i u s t i t i a Revista de Criminologia e Ciências Penitenciárias p r u d e n t i a b o n i t a t i s o p e r a i u s t i t i a C O N S E L H O P E N I T E N C I Á R I O D O E S T A D O S Ã O P A U L O C O P E N S P Ligado

Leia mais

O limite temporal no cumprimento da Medida de Segurança no âmbito do Direito Penal Brasileiro: uma análise da Doutrina e Jurisprudência dominante.

O limite temporal no cumprimento da Medida de Segurança no âmbito do Direito Penal Brasileiro: uma análise da Doutrina e Jurisprudência dominante. Centro Universitário de Brasília-UniCeub Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais-FAJS ANA CAROLINA SILVA TEIXEIRA O limite temporal no cumprimento da Medida de Segurança no âmbito do Direito Penal Brasileiro:

Leia mais

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940.

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: PARTE GERAL Anterioridade

Leia mais

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940.

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: PARTE GERAL Anterioridade

Leia mais

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 Código Penal. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: CÓDIGO PENAL

Leia mais

Vistos e examinados os autos.

Vistos e examinados os autos. CONCLUSÃO Em 08 de fevereiro de 2013, faço estes autos conclusos à MMª. Juíza Federal Titular da 3ª Vara Federal de Sorocaba, Drª SYLVIA MARLENE DE CASTRO FIGUEIREDO. Técnico Judiciário RF 5448 PROCESSO

Leia mais

DA expedição da guia de recolhimento

DA expedição da guia de recolhimento PROVIMENTO Nº. 02/2007 Dispõe sobre a execução de penas privativas de liberdade na Região Metropolitana de Belém. A Excelentíssima Senhora Desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento Corregedora Geral

Leia mais

Decreto-Lei n , de 7 de dezembro de Código Penal

Decreto-Lei n , de 7 de dezembro de Código Penal 2 Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: Anterioridade da Lei PARTE

Leia mais

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940

CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 Código Penal. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: Anterioridade

Leia mais

Direito Penal. Suspensão Condicional da Pena. Professor Joerberth Nunes.

Direito Penal. Suspensão Condicional da Pena. Professor Joerberth Nunes. Direito Penal Suspensão Condicional da Pena Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Penal SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA CÓDIGO PENAL TÍTULO V DAS PENAS CAPÍTULO IV DA SUSPENSÃO

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

TEORIA GERAL DA PENA PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES

TEORIA GERAL DA PENA PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES TEORIA GERAL DA PENA PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES 1 - Conceito de Pena: Uma das espécies de sanção penal, ao lado da medida de segurança. É a resposta estatal consistente na privação ou restrição de um

Leia mais

Datalegis - Sistema de acesso on-line à Legislação e Jurisprudências

Datalegis - Sistema de acesso on-line à Legislação e Jurisprudências Datalegis - Sistema de acesso on-line à Legislação e Jurisprudências Decreto-Lei 1.001/69: DECRETO-LEI Nº 1.001, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969 Os Ministros da Marinha de Guerra, do Exército e da Aeronáutica

Leia mais

Direito Penal. Regimes penitenciários. Fixação do regime inicial da pena privativa de liberdade. Professor Adriano Kot

Direito Penal. Regimes penitenciários. Fixação do regime inicial da pena privativa de liberdade.  Professor Adriano Kot Direito Penal Regimes penitenciários. Fixação do regime inicial da pena privativa de liberdade Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br DIREITO PENAL PENAS PRIVATIVAS

Leia mais

PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA. Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28

PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA. Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28 AULA AO VIVO PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28 Vimos o esquema da prisão em flagrante: - lavratura do flagrante; - em 24 horas, audiência de custódia: I - relaxar a prisão

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA VIII DIREITO PENAL II TEMA: LIVRAMENTO CONDICIONAL PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS Conceito: consiste em uma antecipação provisória da liberdade do condenado, satisfeitos certos requisitos e mediante

Leia mais

wiltonmoreira.com.br

wiltonmoreira.com.br Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940. CÓDIGO PENAL Atualizado pela lei n. 13.344, de 6 de outubro de 2016 wiltonmoreira.com.br 1 Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal O

Leia mais

ASSUNTO: PENAS E OS ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CRIME. OBJETIVO: IDENTIFICAR, ANALISAR AS ESPÉCIES DE PENA E OS ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CRIME.

ASSUNTO: PENAS E OS ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CRIME. OBJETIVO: IDENTIFICAR, ANALISAR AS ESPÉCIES DE PENA E OS ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CRIME. ASSUNTO: PENAS E OS ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CRIME. OBJETIVO: IDENTIFICAR, ANALISAR AS ESPÉCIES DE PENA E OS ELEMENTOS ACIDENTAIS DO CRIME. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - DESENVOLVIMENTO a. LEGITIMIDADE DA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI Nº 1.001, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969. Código Penal Militar Os Ministros da Marinha de Guerra, do Exército e da Aeronáutica

Leia mais

DECRETO N.º 378/X. Artigo 1.º Objecto

DECRETO N.º 378/X. Artigo 1.º Objecto DECRETO N.º 378/X Estabelece medidas de protecção de menores, em cumprimento do artigo 5.º da Convenção do Conselho da Europa contra a exploração sexual e o abuso sexual de crianças e procede à segunda

Leia mais

Direito Penal. Progressão de Regime Penitenciário. Professor Adriano Kot.

Direito Penal. Progressão de Regime Penitenciário.  Professor Adriano Kot. Direito Penal Progressão de Regime Penitenciário Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br DIREITO PENAL PROGRESSÃO E REGRESSÃO DE REGIME PROGRESSÃO DE REGIME Visa

Leia mais

Professora Simone Schroeder Home Page:

Professora Simone Schroeder Home Page: LEMBRETES DE EXECUÇÃO PENAL: ALGUNS ASPECTOS RELEVANTES. Instituto Legislação Requisitos Observações Progressão de Regime é um direito adquirido pelo preso, no sentido de ser transferido de um regime mais

Leia mais

CÓDIGO PENAL DECRETO LEI N o 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940

CÓDIGO PENAL DECRETO LEI N o 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 CÓDIGO PENAL DECRETO LEI N o 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 c Publicado no DOU de 31-12-1940 e retificado no DOU de 3-1-1941. Código Penal. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere

Leia mais

DA IMPUTABILIDADE PENAL

DA IMPUTABILIDADE PENAL 1 DA IMPUTABILIDADE PENAL Renata CONSTANTINO 1 Resumo: O que se pretende buscar com o presente trabalho é a discussão que gira em torno da redução menoridade penal, em virtude do aumento da criminalidade

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização: 2

Apoio: Patrocínio: Realização: 2 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CÓDIGO PENAL 3 CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI N.º 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 Código Penal. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da

Leia mais

CÓDIGO PENAL. (Decreto-lei nº de 07 de dezembro de 1940) Artigos diretamente relacionados com o Estatuto: arts. 312 a 327.

CÓDIGO PENAL. (Decreto-lei nº de 07 de dezembro de 1940) Artigos diretamente relacionados com o Estatuto: arts. 312 a 327. CÓDIGO PENAL (Decreto-lei nº 2.848 de 07 de dezembro de 1940) Artigos diretamente relacionados com o Estatuto: arts. 312 a 327 Título XI Dos Crimes Contra a Administração Pública Capítulo I Dos Crimes

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017

PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017 PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017 Súmula: Institui a Ficha Limpa Municipal na nomeação de secretários, diretores e cargos comissionados para a administração direta (Prefeitura e Câmara Municipal) e na administração

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA São Paulo fls. 1 Registro: 2013.0000071982 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Habeas Corpus nº 0243217-95.2012.8.26.0000, da Comarca de São José dos Campos, em que

Leia mais

TORRES PARECER Nº, DE

TORRES PARECER Nº, DE SENADO FEDERAL Gabinete do Senador DEMÓSTENES TORRES PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em caráter terminativo, sobre os Projetos de Lei do Senado n os 30, de 2008, que

Leia mais

Regime Contraordenacional

Regime Contraordenacional Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

Condições da Ação Penal -Possibilidade jurídica do pedido A pretensão do autor deve referir-se a providência admitida pelo direito objetivo. Para que

Condições da Ação Penal -Possibilidade jurídica do pedido A pretensão do autor deve referir-se a providência admitida pelo direito objetivo. Para que AÇÃO PENAL Ação é o direito subjetivo de se invocar do Estado- Juiz a aplicação do direito objetivo a um caso concreto. Tal direito é público, subjetivo, autônomo, específico, determinado e abstrato (TOURINHO

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0694.10.004212-6/001 Númeração 1034476- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Júlio César Lorens Des.(a) Júlio César Lorens 24/05/2016 02/06/2016 EMENTA:

Leia mais

(D) extinguem a punibilidade. (E) excluem a tipicidade.

(D) extinguem a punibilidade. (E) excluem a tipicidade. Maratona Fiscal ISS Direito penal 1. A regra que veda a interpretação extensiva das normas penais incriminadoras decorre do princípio constitucional da (A) culpabilidade. (B) igualdade. (C) legalidade.

Leia mais

ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO PENAL

ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO PENAL ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO PENAL Não pretendemos, dentro dos estreitos limites deste trabalho, tecer considerações críticas aprofundadas acerca da reforma do Sistema de Execução Penal Brasileiro, movendo-nos,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI N o 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. Texto compilado Código Penal. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que

Leia mais

TEMA 1 : Prisão Preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado (arts. 16 do PL) CPP PL 4.850/16 SUBSTITUTIVO Art (...

TEMA 1 : Prisão Preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado (arts. 16 do PL) CPP PL 4.850/16 SUBSTITUTIVO Art (... CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSULTORIA LEGISLATIVA ÁREA XXII - DIREITO PENAL, PROCESSUAL PENAL E PROCEDIMENTOS INVESTIGATÓRIOS PARLAMENTARES COMISSÃO ESPECIAL PL 4.850/16 10 MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO MEDIDA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI Nº 1.001, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969.

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI Nº 1.001, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI Nº 1.001, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969. Vide texto compilado (Vigência) Código Penal Militar Os Ministros da Marinha de Guerra,

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/01 DISCIPLINA: DIREITO PENAL II PROFESSOR: CARLOS EDUARDO RIBEIRO LEMOS TURMA: 4º EM / FN

Leia mais

<CABBCBBCCADACABAADBCAADCBAACDBBAACDAA DDADAAAD> A C Ó R D Ã O

<CABBCBBCCADACABAADBCAADCBAACDBBAACDAA DDADAAAD> A C Ó R D Ã O EMENTA: AGRAVO EM EXECUÇÃO PENAL CONDENAÇÃO SUPERVENIENTE HOMOLOGAÇÃO DO ATESTADO DE PENA REGIME ABERTO INCONFORMISMO MINISTERIAL IMPOSIÇÃO DO REGIME SEMIABERTO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE 2012 (Do Senhor João Campos)

PROJETO DE LEI Nº., DE 2012 (Do Senhor João Campos) PROJETO DE LEI Nº., DE 2012 (Do Senhor João Campos) Altera o caput e o 1º do art. 75 e os incisos I, II e V do art. 83, do Código Penal; altera o caput e o 1º do art. 112, da Lei nº 7.210, de 11 de julho

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DO EXAME CRIMINOLÓGICO NA PROGRESSÃO DE REGIME Carina Machado OCCHIENA 1 Luís Henrique de Moraes AFONSO 2

A OBRIGATORIEDADE DO EXAME CRIMINOLÓGICO NA PROGRESSÃO DE REGIME Carina Machado OCCHIENA 1 Luís Henrique de Moraes AFONSO 2 A OBRIGATORIEDADE DO EXAME CRIMINOLÓGICO NA PROGRESSÃO DE REGIME Carina Machado OCCHIENA 1 Luís Henrique de Moraes AFONSO 2 RESUMO: O presente trabalho teve por objetivo demonstrar a discussão acerca da

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.731, DE 2012 (Do Sr. Walter Tosta)

PROJETO DE LEI N.º 3.731, DE 2012 (Do Sr. Walter Tosta) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 3.731, DE 2012 (Do Sr. Walter Tosta) Altera a Lei nº 10.708, de 31 de julho de 2003, que institui o auxílioreabilitação psicossocial para pacientes acometidos de

Leia mais

Falta Grave. Prescrição: por ausência legal se utiliza o menor prazo: 3 anos (no caso de fuga conta-se da captura do preso).

Falta Grave. Prescrição: por ausência legal se utiliza o menor prazo: 3 anos (no caso de fuga conta-se da captura do preso). Falta Grave Prescrição: por ausência legal se utiliza o menor prazo: 3 anos (no caso de fuga conta-se da captura do preso). Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) Art. 52. A prática de fato previsto como

Leia mais

Aline dell Orto Carvalho Departamento de História PUC-Rio

Aline dell Orto Carvalho Departamento de História PUC-Rio PERES, Maria Fernanda Tourinho; NERY FILHO, Antônio. A doença mental no direito penal brasileiro: inimputabilidade, irresponsabilidade, periculosidade e medida de segurança. IN: História, ciências, saúde

Leia mais

INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO

INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO TERMO CIRCUNSTANCIADO TERMO CIRCUNSTANCIADO -Substitui o inquérito policial, é utilizado para crimes de menor potencial ofensivo (pena máxima

Leia mais

LEI DE CRIMES AMBIENTAIS -LCA

LEI DE CRIMES AMBIENTAIS -LCA LEI DE CRIMES AMBIENTAIS -LCA PARTE II A Desconsideração da P.J É o enfoque dado à figura do sócio para a ineficácia ou a regulamentação de um ato condenável praticado em nome da sociedade, ignorando-lhe

Leia mais

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Penal Período 2010 2016 1) CESPE - JF TRF2/TRF 2/2013 A respeito de aspectos diversos relacionados às penas, assinale a opção correta. a) No concurso formal perfeito,

Leia mais

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial.

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial. Senado Federal Subsecretaria de Informações Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial. DECRETO-LEI N. 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940 Código Penal O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando

Leia mais

PROJETO N A DE 1960

PROJETO N A DE 1960 PROJETO N. 1.926-A DE 1960 Dispõe sobre medidas aplicáveis aos menores de 18 anos pela prática de fatos definidos como infrações penais, e dá outras providências: tendo pareceres: da comissão de Constituição

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Associação ocasional (artigo 18, III, da Lei nº. 6.368/76) Eloísa de Souza Arruda, César Dario Mariano da Silva* Com o advento da nova Lei de Drogas (Lei 11.343/06) uma questão interessante

Leia mais

ARTIGO ARTIGO DE ATUALIZAÇÃO INDULTO PRESIDENCIAL, PSIQUIATRIA, SOCIEDADE E JUSTIÇA PRESIDENTIAL PARDON, PSYCHIATRY, SOCIETY, AND JUSTICE

ARTIGO ARTIGO DE ATUALIZAÇÃO INDULTO PRESIDENCIAL, PSIQUIATRIA, SOCIEDADE E JUSTIÇA PRESIDENTIAL PARDON, PSYCHIATRY, SOCIETY, AND JUSTICE DE ATUALIZAÇÃO INDULTO PRESIDENCIAL, PSIQUIATRIA, SOCIEDADE E JUSTIÇA PRESIDENTIAL PARDON, PSYCHIATRY, SOCIETY, AND JUSTICE Resumo O indulto para presos é uma prerrogativa presidencial prevista na Constituição

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS DO DISTRITO FEDERAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS DO DISTRITO FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS DO DISTRITO FEDERAL PROCESSO: 0034032-34.2011.807.0015 IZAQUIEL VERAS SANTOS, já devidamente qualificado nos autos, vem perante Vossa Excelência,

Leia mais

VISTOS, RELATADOS e DISCUTIDOS estes autos, em que são

VISTOS, RELATADOS e DISCUTIDOS estes autos, em que são XSTITle Fui PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR Luiz SILVIO RAMALHO JÚNIOR ACÓRDÃO AGRAVO EM EXECUÇÃO (PROCESSO N 010.1993.000005-31002). RELATOR: Dr. Marcos William

Leia mais

PRINCÍPIOS: b) Imparcialidade; c) Juiz natural; d) Indeclinabilidade da jurisdição; e) Indisponibilidade e tipicidade.

PRINCÍPIOS: b) Imparcialidade; c) Juiz natural; d) Indeclinabilidade da jurisdição; e) Indisponibilidade e tipicidade. Jurisdição e Competência Penal PRINCÍPIOS: a) Inércia da jurisdição (ne procedat iudex ex officio); b) Imparcialidade; c) Juiz natural; d) Indeclinabilidade da jurisdição; e) Indisponibilidade e tipicidade.

Leia mais

Legislação Penal Especial Lei de Tortura Liana Ximenes

Legislação Penal Especial Lei de Tortura Liana Ximenes Lei de Tortura Liana Ximenes 2014 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Lei de Tortura -A Lei não define o que é Tortura, mas explicita o que constitui tortura. -Equiparação

Leia mais

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação Código Penal Ficha Técnica Código Penal LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Da lei criminal CAPÍTULO ÚNICO - Princípios gerais TÍTULO II - Do facto CAPÍTULO I - Pressupostos da punição CAPÍTULO II - Formas

Leia mais

UFRJ REGIMENTO GERAL PARTE IV TÍTULO V DO REGIME DISCIPLINAR CAPÍTULO I DA INTRODUÇÃO

UFRJ REGIMENTO GERAL PARTE IV TÍTULO V DO REGIME DISCIPLINAR CAPÍTULO I DA INTRODUÇÃO UFRJ REGIMENTO GERAL PARTE IV TÍTULO V DO REGIME DISCIPLINAR CAPÍTULO I DA INTRODUÇÃO Art. 279 - O Regime Disciplinar da Universidade Federal do Rio de Janeiro é regido pelas normas especificadas neste

Leia mais

Prefeitura do Município de Tejupá CNPJ /

Prefeitura do Município de Tejupá CNPJ / CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2016 EDITAL DE ERRATA Nº 07/2016 Valdomiro José Mota, Prefeito Municipal de Tejupá, Estado de São Paulo, torna público na forma prevista no artigo 37 da Constituição Federal, o Edital

Leia mais

Petições Penais Anotadas

Petições Penais Anotadas Paulo Alves Franco Petições Penais Anotadas Questões e Testes para Concurso Sumário Prefácio... 13 Apresentação... 15 Abreviaturas... 17 DOUTRINA Definição... 23 O Direito Processual Penal como ramo do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 42 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO-LEI N o 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art.

Leia mais

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 Nome do Candidato: Nome do pai: Nome da mãe: Partido Político ou Coligação: Cargo a que concorre: ( ) Prefeito ( ) Vice-Prefeito ( ) Vereador Município: Declaro,

Leia mais

O PODER DISCIPLINAR REVISIONAL DELIMITADO NO REGULAMENTO DISCIPLINAR DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO E A

O PODER DISCIPLINAR REVISIONAL DELIMITADO NO REGULAMENTO DISCIPLINAR DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO E A O PODER DISCIPLINAR REVISIONAL DELIMITADO NO REGULAMENTO DISCIPLINAR DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO E A POSSIBILIDADE DA REFORMATIO IN PEJUS ET IN MELLIUS ALEXANDRE HENRIQUES DA COSTA 1º Tenente

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Quinta Câmara Criminal

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Quinta Câmara Criminal Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Quinta Câmara Criminal Agravo em Execução nº 0060927-73.2013.8.19.0000 Relator: Desembargador Paulo de Oliveira Lanzellotti Baldez Agravante:

Leia mais

EDITAL N.º 001/2016/DF

EDITAL N.º 001/2016/DF ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE POCONÉ/MT DIRETORIA DO FÓRUM EDITAL N.º 001/2016/DF O Doutor JORGE ALEXANDRE MARTINS FERREIRA, Juiz de Direito em Substituição Legal e Diretor do Foro

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Procedimento Comum e Ordinário Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PROCEDIMENTO COMUM E ORDINÁRIO LIVRO II Dos Processos em Espécie

Leia mais

TEMA: Aumento das Penas e Crime Hediondo para Corrupção de Altos Valores (arts. 5º, 3º e 7º do PL) MEDIDA 3 (Versão 05/11/16 às 10:40)

TEMA: Aumento das Penas e Crime Hediondo para Corrupção de Altos Valores (arts. 5º, 3º e 7º do PL) MEDIDA 3 (Versão 05/11/16 às 10:40) CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSULTORIA LEGISLATIVA ÁREA XXII - DIREITO PENAL, PROCESSUAL PENAL E PROCEDIMENTOS INVESTIGATÓRIOS PARLAMENTARES COMISSÃO ESPECIAL PL 4.850/16 10 MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO MEDIDA

Leia mais

MONITORAMENTO ELETRÔNICO DE PRESOS

MONITORAMENTO ELETRÔNICO DE PRESOS Rafael José Paduan 1 Walter Francisco Sampaio Filho 2 RESUMO A pesquisa versará sobre a utilização do monitoramento eletrônico em condenados, pela Lei 12.258 de 15 de junho de 2010 que altera o Código

Leia mais

I Congresso Internacional de Direito e Psiquiatria Forense. São Paulo, SP - 24 a 26 de fevereiro de 2011. Avaliação de Periculosidade

I Congresso Internacional de Direito e Psiquiatria Forense. São Paulo, SP - 24 a 26 de fevereiro de 2011. Avaliação de Periculosidade Congresso nternacional de Direito e Psiquiatria Forense São Paulo, SP - 24 a 26 de fevereiro de 2011 Avaliação de Periculosidade José G. V. Taborda Psiquiatra Forense Professor Associado, Departamento

Leia mais

DUCTOR ONLINE DIREITO PENAL

DUCTOR ONLINE DIREITO PENAL ONLINE CONCURSO PARA CARTÓRIOS EXTRAJUDICIAIS DIREITO PENAL DO (CP, artigos 13 a 25) O QUE É? Conceito analítico ANTIJURÍDICO ou ILÍCITO CULPÁVEL TIPICIDADE ANTIJURIDICIDADE ou ILICITUDE CULPABILIDADE

Leia mais

Direito Penal. Erro de Tipo, Erro de Proibição e Erro sobre a Pessoa. Professor Joerberth Nunes.

Direito Penal. Erro de Tipo, Erro de Proibição e Erro sobre a Pessoa. Professor Joerberth Nunes. Direito Penal Erro de Tipo, Erro de Proibição e Erro sobre a Pessoa Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Penal ERRO DE TIPO, ERRO DE PROIBIÇÃO E ERRO SOBRE A PESSOA TÍTULO II

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

SIMULADO RESPONSABILIDADE SERVIDOR PROFESSOR IVAN LUCAS

SIMULADO RESPONSABILIDADE SERVIDOR PROFESSOR IVAN LUCAS SIMULADO RESPONSABILIDADE SERVIDOR PROFESSOR IVAN LUCAS 1. (CESPE- 2016- DPU- Agente Administrativo) Caso o servidor público tenha causado danos ao poder público, a obrigação de reparar tais danos estende-se

Leia mais

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal 1 Quem, de modo reiterado ou não, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais: a) Ao cônjuge ou ex-cônjuge; b) A pessoa de outro ou

Leia mais