19 - (FCC TJ-AP - TITULAR DE SERVIÇOS DE NOTAS E DE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "19 - (FCC TJ-AP - TITULAR DE SERVIÇOS DE NOTAS E DE"

Transcrição

1 19 - (FCC TJ-AP - TITULAR DE SERVIÇOS DE NOTAS E DE REGISTROS) O juiz A) só poderá atribuir definição jurídica diversa, mesmo sem modificar a descrição do fato contido na denúncia, se implicar na aplicação de pena igual à do delito previsto na definição jurídica dela constante. B) sem modificar a descrição do fato contida na denúncia, poderá atribuir-lhe definição jurídica diversa, ainda que, em consequência, tenha de aplicar pena mais grave. C) para aplicar pena mais grave, mesmo sem modificar a descrição do fato contida na denúncia, atribuindo- lhe definição jurídica diversa, deverá baixar os autos para o Ministério Público aditar a denúncia.

2 D) para aplicar pena mais grave, mesmo sem modificar a descrição do fato contida na denúncia, atribuindo- lhe definição jurídica diversa, deverá encaminhar os autos à Procuradoria-Geral de Justiça, para que outro representante do Ministério Público analise eventual aditamento. E) só poderá atribuir definição jurídica diversa, mesmo sem modificar a descrição do fato contido na denúncia, se implicar na aplicação de pena mais branda que a do delito previsto na definição jurídica dela constante.

3 COMENTÁRIOS: O Juiz poderá dar ao fato narrado definição jurídica diversa, ainda que disso possa resultar PENALIDADE MAIS GRAVE. Trata-se da EMENDATIO LIBELLI. Vejamos o art. 383 do CPP: Art O juiz, sem modificar a descrição do fato contida na denúncia ou queixa, poderá atribuir-lhe definição jurídica diversa, ainda que, em conseqüência, tenha de aplicar pena mais grave. (Redação dada pela Lei nº , de 2008). Assim, a alternativa correta é a letra B.

4 20 - (FCC TRE-AC - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA) No caso de ação penal por crime cometido contra vítima maior de sessenta anos, em que o Ministério Público não pediu a aplicação de agravante por tal circunstância, o Juiz, ao proferir sentença, A) não considerará a circunstância, porque não prevista na lei penal. B) pode levar em conta a agravante, desde que não contestada pela defesa na primeira oportunidade de manifestação nos autos.

5 C) não pode reconhecer a agravante, porque não invocada pela acusação, em face do princípio do contraditório. D) pode levar em conta a agravante e aumentar a pena. E) não pode reconhecer a agravante, pois se trata de circunstância qualificadora, que implica em mutatio libelli.

6 COMENTÁRIOS: A prática de infração penal contra pessoa maior de 60 anos é uma agravante genérica, prevista no Código Penal. Ainda que o MP não tenha pedido a aplicação desta agravante, o Juiz poderá aplicá-la, por expressa previsão no art. 385 do CPP. Vejamos: Art Nos crimes de ação pública, o juiz poderá proferir sentença condenatória, ainda que o Ministério Público tenha opinado pela absolvição, bem como reconhecer agravantes, embora nenhuma tenha sido alegada. Portanto, a alternativa correta é a letra D.

7 21 - (FCC TJ-PA - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA) Sentença absolutória imprópria é a que A) concede ao acusado a suspensão condicional da pena. B) impõe ao acusado somente medida de segurança. C) substitui a pena privativa da liberdade por multa. D) substitui a pena privativa da liberdade por pena restritiva de direitos. E) estabelece o regime prisional aberto para o cumprimento da pena

8 COMENTÁRIOS: A sentença que absolve o réu tem como conseqüência a ausência de reflexos penais negativos. A essa sentença (normal) se dá o nome de sentença absolutória própria. Pode ocorrer, no entanto, de o réu ser absolvido mas lhe ser imposta medida de segurança, em razão de sua periculosidade. Essa medida de segurança é aplicada quando o réu é absolvido por ser inimputável à época do fato, em razão de doença mental ou desenvolvimento mental retardado ou incompleto. Havendo a absolvição do réu em razão de sua inimputabilidade, e sendo-lhe aplicada medida de segurança, estaremos diante de uma sentença absolutória imprópria. Assim, a alternativa correta é a letra B.

9 GABARITO 1. ALTERNATIVA C 2. ALTERNATIVA E 3. ALTERNATIVA E 4. ALTERNATIVA B 5. ALTERNATIVA E 6. ALTERNATIVA D 7. ALTERNATIVA E 8. ALTERNATIVA B 9. ALTERNATIVA C 10. ALTERNATIVA C 11. ALTERNATIVA A 12. ALTERNATIVA C 13. ALTERNATIVA D 14. ALTERNATIVA C 15. ALTERNATIVA D

10 16. ALTERNATIVA D 17. ALTERNATIVA D 18. ALTERNATIVA C 19. ALTERNTATIVA B 20. ALTERNATIVA D 21. ALTERNATIVA B

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Correlação entre acusação e sentença Gustavo Badaró aula de 11.08.2015 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Distinção entre fato penal e fato processual penal

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 02/03 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV dias. i)- Sentença em audiência ou no prazo de 10 - Prazo para encerramento da Primeira Fase do

Leia mais

Conceito. Emendatio e mutatio libelli.

Conceito. Emendatio e mutatio libelli. Conceito. Emendatio e mutatio libelli. O OBJETIVO DESSE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SERÁ A REALIZAÇÃO DA APRESENTAÇÃO DA SENTENÇA NO PROCESSO PENAL Sentença CONCEITO E REQUISITOS DA SENTENÇA A sentença

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sentença Penal Gustavo Badaró aula de 04.08.2015 1. Conceito PLANO DA AULA 2. Classificação e denominações 3. Elementos da sentença 4. Sentença penal absolutória

Leia mais

DISPOSIÇÕES PENAIS. CRIMES ELEITORAIS São todas condutas que, durante o

DISPOSIÇÕES PENAIS. CRIMES ELEITORAIS São todas condutas que, durante o CRIMES ELEITORAIS São todas condutas que, durante o processo eleitoral atingem ou maculam a liberdade do direito ao voto, os procedimentos das atividades eleitorais, desde o alistamento até a diplomação

Leia mais

Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA

Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA DESPACHOS, DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS E SENTENÇA A) DESPACHOS DE MERO EXPEDIENTE artigo 93, XIV, CF B)DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS *SIMPLES: questões controvertidas no processo

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM 1ª QUESTÃO José Augusto foi preso em flagrante delito pela suposta prática do crime de receptação (Art. 180 do Código Penal pena: 01 a 04 anos de reclusão

Leia mais

AÇÃO PENAL. Noções preliminares e conceito. Características:

AÇÃO PENAL. Noções preliminares e conceito. Características: AÇÃO PENAL Noções preliminares e conceito Características: 1 Condições para o exercício da ação penal 1.1 Condições genéricas a) Possibilidade jurídica do pedido Art. 395. A denúncia ou queixa será rejeitada

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Associação ocasional (artigo 18, III, da Lei nº. 6.368/76) Eloísa de Souza Arruda, César Dario Mariano da Silva* Com o advento da nova Lei de Drogas (Lei 11.343/06) uma questão interessante

Leia mais

Ponto 8 do plano de ensino. Medidas de segurança:

Ponto 8 do plano de ensino. Medidas de segurança: Ponto 8 do plano de ensino Medidas de segurança: Conceito, natureza, sistemas, pressupostos, espécies, duração, locais de internação e tratamento, duração, exame de verificação de cessação de periculosidade,

Leia mais

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS QUESTÃO Capacidade de expressão na modalidade escrita e do uso das normas do registro formal culto da língua portuguesa 2. Responsabilidade do juiz, do Estado ou de ambos por ato jurisdicional doloso.00

Leia mais

LEI Nº , DE 20 JUNHO DE 2008.

LEI Nº , DE 20 JUNHO DE 2008. LEI Nº 11.719, DE 20 JUNHO DE 2008. Altera dispositivos do Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 - Código de Processo Penal, relativos à suspensão do processo, emendatio libelli, mutatio libelli

Leia mais

Procedimento dos crimes dolosos contra a vida Tribunal do Júri I

Procedimento dos crimes dolosos contra a vida Tribunal do Júri I Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento dos crimes dolosos contra a vida Tribunal do Júri I Gustavo Badaró aulas de 3, 10 e 17 de maio de 2017 PLANO DA AULA Tribunal do Júri 1. Noções

Leia mais

COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO AGRADECIMENTOS NOTA À 5ª EDIÇÃO APRESENTAÇÃO PREFÁCIO...

COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO AGRADECIMENTOS NOTA À 5ª EDIÇÃO APRESENTAÇÃO PREFÁCIO... Sumário Sumário COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS... 19 GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 21 AGRADECIMENTOS... 23 NOTA À 5ª EDIÇÃO... 25 APRESENTAÇÃO... 27 PREFÁCIO... 29 Capítulo I SUJEITOS NO PROCESSO PENAL...

Leia mais

SUJEITOS NO PROCESSO PENAL...

SUJEITOS NO PROCESSO PENAL... Sumário CapítuloI SUJEITOS NO PROCESSO PENAL... 29 1. NOÇÕES GERAIS... 29 2. JUIZ... 30 2.1. Breves noções... 30 2.2. O papel do juiz moderno... 30 2.3. O princípio da identidade física do juiz (art. 399,

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Procedimento Comum e Ordinário Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PROCEDIMENTO COMUM E ORDINÁRIO LIVRO II Dos Processos em Espécie

Leia mais

Olá, amigos! Valeu! 1. Apresentação e estrutura textual (0,40). 2. Endereçamento à Vara Criminal da Comarca de São Paulo (0,20),

Olá, amigos! Valeu! 1. Apresentação e estrutura textual (0,40). 2. Endereçamento à Vara Criminal da Comarca de São Paulo (0,20), Olá, amigos! A peça do simulado é a prova prática do Exame de Ordem 2009.3 (CESPE). Percebam que o gabarito elaborado pela banca é bastante simples em comparação àquele da queixa do ciclo de correções.

Leia mais

SUMÁRIO 2. CLASSIFICAÇÃO REQUISITOS RELATÓRIO FUNDAMENTAÇÃO PARTE AUTENTICATIVA... 98

SUMÁRIO 2. CLASSIFICAÇÃO REQUISITOS RELATÓRIO FUNDAMENTAÇÃO PARTE AUTENTICATIVA... 98 SUMÁRIO PREFÁCIO... 9 ANOTAÇÕES INICIAIS... 11 CAPÍTULO I TEORIA DA SENTENÇA PENAL... 23 1. CONCEITO E GENERALIDADES... 23 2. CLASSIFICAÇÃO... 24 3. REQUISITOS... 25 4. RELATÓRIO... 27 5. FUNDAMENTAÇÃO...

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA. Profa. Luanna Tomaz

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA. Profa. Luanna Tomaz SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA Profa. Luanna Tomaz INTRODUÇÃO Origem: Surge na França em 1884. Medida judicial que determina o sobrestamento da pena, preenchidos determinados requisitos. Natureza Jurídica:

Leia mais

Em primeiro lugar, deverá o examinando requerer, em preliminar, o desentranhamento das provas ilícitas.

Em primeiro lugar, deverá o examinando requerer, em preliminar, o desentranhamento das provas ilícitas. OAB 2010.3 GABARITO COMENTADO SEGUNDA FASE PENAL PEÇA PRÁTICO PROFISSIONAL O recurso cabível é o recurso em sentido estrito, na forma do art. 581, IV, do Código de Processo Penal, dirigido ao Juiz da 1ª

Leia mais

RECURSOS CRIMINAIS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS

RECURSOS CRIMINAIS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS RECURSOS TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL CRIMINAIS Conceito Vem do latim recursos, é o oposto de processo (procedere caminhar para frente), significa caminho de volta, caminhar para trás. É o mecanismo processual destinado

Leia mais

Sumário CAPÍTULO I CAPÍTULO II

Sumário CAPÍTULO I CAPÍTULO II Sumário CAPÍTULO I Introdução ao processo penal... 17 1. Conceito e função do processo penal... 17 2. Ação. Processo. Procedimento... 18 3. Princípios do processo penal... 19 3.1. Devido processo legal...

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Coisa julgada penal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Coisa julgada penal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Coisa julgada penal Gustavo Badaró aula de 18.08.2015 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Coisa julgada formal 3. Coisa julgada material 4. Limites objetivos

Leia mais

1. Sobre as medidas cautelares pessoais no processo penal, é correto afirmar que:

1. Sobre as medidas cautelares pessoais no processo penal, é correto afirmar que: P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO PROCESSUAL PENAL 1. Sobre as medidas cautelares pessoais no processo penal, é correto afirmar que: I - De acordo com o Código de Processo Penal, as

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL III. AULA DIA 03 DE MARÇO DE 2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA

DIREITO PROCESSUAL PENAL III. AULA DIA 03 DE MARÇO DE 2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA DIREITO PROCESSUAL PENAL III AULA DIA 03 DE MARÇO DE 2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com - Superada a questão da rejeição da peça inaugural acusatória, caberá ao magistrado,

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Revisão Criminal Gustavo Badaró aula de 10.11.2015 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Condições da ação 3. Pressupostos processuais 4. Procedimento 1. NOÇÕES

Leia mais

4. AÇÃO CIVIL EX DELICTO 4.1 Questões

4. AÇÃO CIVIL EX DELICTO 4.1 Questões SUMÁRIO 1. APLICAÇÃO DO DIREITO PROCESSUAL PENAL 1.1 A lei processual no espaço 1.2 A lei processual no tempo (irretroatividade) 1.3 A lei processual em relação às pessoas 1.3.1 Imunidades 1.3.2 Imunidade

Leia mais

PONTOS INICIAS: Procedimentos a) COMUM: a.1) Ordinário (395/405) pena máxima igual ou sup. a 4 anos

PONTOS INICIAS: Procedimentos a) COMUM: a.1) Ordinário (395/405) pena máxima igual ou sup. a 4 anos Prof. Vinícius Abdala Me. em Ciências Criminais pela Universidade de Lisboa Juiz da Inter-American Human Rigthts Moot Court Competition, Washington, DC. Advogado Criminalista. Resposta à Acusação PONTOS

Leia mais

Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA

Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com 1. Procedimentos 1.1. Procedimento Ordinário. Considerações Preliminares * Processo e Procedimento: Enquanto o processo é uma sequência de

Leia mais

Ação Penal continuação

Ação Penal continuação Ação Penal continuação 7. Peças acusatórias A. Requisitos (art. 41 do CPP): Essenciais: narração do fato delituoso e qualificação do acusado; Acidentais: classificação legal do delito e rol de testemunhas

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PENAL III PERÍODO CURSADO: 4

DISCIPLINA: DIREITO PENAL III PERÍODO CURSADO: 4 CURSO: DIREITO, BACHARELADO. SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail:

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 04/05 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV 1.2. Procedimento dos crimes contra a propriedade imaterial - Os crimes contra a propriedade imaterial

Leia mais

Juizados Especiais Criminais

Juizados Especiais Criminais Direito Processual Penal Juizados Especiais Criminais Constituição Federal Art. 98. A União, no Distrito Federal e nos Territórios, e os Estados criarão: I - juizados especiais, providos por juízes togados,

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I Código de PROCESSO PENAL Comentado DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 LIVRO I DO PROCESSO EM GERAL

SUMÁRIO. Parte I Código de PROCESSO PENAL Comentado DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 LIVRO I DO PROCESSO EM GERAL Parte I Código de PROCESSO PENAL Comentado DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 LIVRO I DO PROCESSO EM GERAL Título I Disposições preliminares (Arts. 1º a 3º)... 3 Título II Do inquérito policial

Leia mais

Capítulo 1 Introdução...1. Capítulo 2 Inquérito Policial (IP)...5

Capítulo 1 Introdução...1. Capítulo 2 Inquérito Policial (IP)...5 S u m á r i o Capítulo 1 Introdução...1 Capítulo 2 Inquérito Policial (IP)...5 2.1. Início do IP... 17 2.2. Indiciamento... 24 2.3. Identificação Criminal a Nova Lei nº 12.037/2009... 27 2.4. Demais Providências...

Leia mais

19/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II

19/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II II 4ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 II Acessem!!!!!! www.rubenscorreiajr.blogspot.com 2 1 Conteúdo programático UNIDADE I PROCESSOS E PROCEDIMENTOS PENAIS: Tribunal do júri, comum, sumário,

Leia mais

26/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II

26/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II II 5ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 II Acessem!!!!!! www.rubenscorreiajr.blogspot.com 2 1 RASCUNHAO DO PROFESSOR RUBENS 2 Lei 9.099 de setembro de 1995; Todas as contravenções penais; Os crimes

Leia mais

PONTO 1: Procedimentos

PONTO 1: Procedimentos 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Procedimentos PROCEDIMENTOS Procedimento/rito é a forma pela qual se desenvolve o processo. Indicações bibliográficas: Nucci e Avena, ambos edição de 2009. Art. 394 do CPP. Hoje,

Leia mais

ROTEIRO REVISÃO. Prof. Nidal Ahmad

ROTEIRO REVISÃO. Prof. Nidal Ahmad ROTEIRO REVISÃO Prof. Nidal Ahmad 1) RELAXAMENTO DE PRISÃO I) BASE LEGAL: art. 310, inciso I, CPP e art. 5º, LXV da Constituição Federal/88 II) CONTEÚDO: A) DA ILEGALIDADE MATERIAL Exemplos: * Ausência

Leia mais

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO 1)Cabe recurso de apelação das decisões em que a) julgarem procedentes as exceções, salvo a de suspeição b) decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 Processo Penal Capítulo 3 Ação Penal... 5

Sumário. Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 Processo Penal Capítulo 3 Ação Penal... 5 Sumário Capítulo 1 Introdução... 1 Capítulo 2 Processo Penal... 3 Capítulo 3 Ação Penal... 5 3.1. Considerações Gerais...5 3.1.1. Ação penal pública incondicionada...5 3.1.2. Ação penal pública condicionada

Leia mais

EMENTA Agressão Física após término da partida. Assumir

EMENTA Agressão Física após término da partida. Assumir Processo n. 34/2017 Auditor (a) Relator (a): Arlete Mesquita Recorrente: MOTO CLUBE DE SÃO LUIS, em favor de seu atleta RAIMUNDO JOSE CUTRIM MARTINS Recorrido: Primeira Comissão Disciplinar do STJD EMENTA

Leia mais

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS QUESTÃO 2. Foro competente (ECA, art. 209) 0.75 2.2 Legitimidade para a propositura da ação civil pública (ECA, art. 20) 0.75 2.3 Cabimento da ação mandamental / objetivo da ação (ECA, art. 22) 0.75 QUESTÃO

Leia mais

b) as medidas de segurança e as penas são aplicáveis tanto aos inimputáveis como aos semi-imputáveis;

b) as medidas de segurança e as penas são aplicáveis tanto aos inimputáveis como aos semi-imputáveis; DIREITO PENAL II - CCJ0032 Título SEMANA 16 Descrição 1) As medidas de segurança diferem das penas nos seguintes pontos: a) as penas são proporcionais à periculosidade do agente; b) as medidas de segurança

Leia mais

Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de Processo Penal...8. Sistema Acusatório...

Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de Processo Penal...8. Sistema Acusatório... Sumário Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de 1988...2 Contexto Político e Histórico... 2 Características da Constituição de 1937... 4 Código de Processo Penal de

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento comum: ordinário e sumário Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 PLANO DA AULA 1. Comparação dos procedimentos ordinários 2. Procedimento

Leia mais

Tratado nos artigos a a do d o CP C. P

Tratado nos artigos a a do d o CP C. P AÇÃO PENAL Tratado nos artigos 100 a 106 do CP. Conceito: Direito de exigir do Estado a aplicação da norma penal ao infrator. É o ius puniendi do Estado. CLASSIFICAÇÃO Conhecimento Cautelar Execução Art.

Leia mais

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr.

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr. PODER EXECUTIVO 3ª aula Prof. Raul de Mello Franco Jr. SUBSÍDIOS do PRESIDENTE, do VICE e dos MINISTROS São fixados pelo CN, por decreto-legislativo (art. 49, VIII, CF). Devem ser fixados em parcela única.

Leia mais

CLEITON LOPES DA SILVA,

CLEITON LOPES DA SILVA, Comarca de Taquara 3ª Vara Judicial Processo nº 070/204.0001920-8 Capitulação do Delito: art. 168, caput, do Código Penal Autor: Ministério Público Réu: Cleiton Lopes da Silva Juíza: Luciana Barcellos

Leia mais

PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de )

PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de ) PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de 7-12-1940) Contagem Art. 10. O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, os meses e os anos pelo calendário comum. Imposição

Leia mais

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal Das penas restritivas de direito As penas restritivas de direito são sanções autônomas, que substituem as penas privativas de liberdade por certas restrições ou obrigações, quando preenchidas as condições

Leia mais

Ação civil ex delicto

Ação civil ex delicto Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Ação civil ex delicto Gustavo Badaró aula de 02.08.2016 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Formas de satisfação do dano causado pelo crime 3. Sistemas de

Leia mais

CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER. Período

CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER. Período CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Processual Penal Jurisdição e Competência Promotor de Justiça Período 2006 2016 1) CESPE - PJ (MPE TO)/MPE TO/2012 Assunto: Jurisdição e competência A respeito

Leia mais

23/09/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I

23/09/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I I 10ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Processo penal I 2 1 CLASSIFICAÇÃO - Quanto ao titular; A ação penal pública é condicionada sempre que houver exigência de alguma observância formal à sua

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL PIETRO PONTO 1: SENTENÇA ABSOLUTÓRIA PONTO 2: SENTENÇA CONDENATÓRIA

DIREITO PROCESSUAL PENAL PIETRO PONTO 1: SENTENÇA ABSOLUTÓRIA PONTO 2: SENTENÇA CONDENATÓRIA 1 PROCESSO PENAL DIREITO PROCESSUAL PENAL PONTO 1: SENTENÇA ABSOLUTÓRIA PONTO 2: SENTENÇA CONDENATÓRIA SENTENÇA ABSOLUTÓRIA a absolvição será, sempre, embasada em algum dos incisos do art. 386 1 CPP. **transitada

Leia mais

Pós Penal e Processo Penal. Legale

Pós Penal e Processo Penal. Legale Pós Penal e Processo Penal Legale PROCEDIMENTOS JUDICIAIS PROCEDIMENTOS Procedimento é uma série de atos seqüenciados cronologicamente. PROCEDIMENTOS Existem procedimentos extrajudiciais (p. ex.: IP, fiscal,

Leia mais

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios Sumário 1 A REDAÇÃO JURÍDICA 1.1 A nova redação jurídica 1.2 Síntese, clareza e objetividade 1.3 Orações intercaladas 1.4 Introdução, desenvolvimento e conclusão 1.5 Redação impessoal 1.6 Copiar e colar

Leia mais

Direito Penal X - 31 de outubro. Pena de multa (art. 49 a 52,CP). Conceito. Classificação - originária. Classificação - subsidiária.

Direito Penal X - 31 de outubro. Pena de multa (art. 49 a 52,CP). Conceito. Classificação - originária. Classificação - subsidiária. 1 Direito Penal Sala 207 UNIP Professor: Otávio Serra Negra Direito Penal X - 31 de outubro Pena de multa (art. 49 a 52,CP). Conceito Classificação - originária Classificação - subsidiária Dosimetria *Critério

Leia mais

Sumário NÃO CREEM NA TEORIA GERAL DO PROCESSO, MAS QUE ELA EXISTE, EXISTE... AS BRUXAS ESTÃO SOLTAS... 73

Sumário NÃO CREEM NA TEORIA GERAL DO PROCESSO, MAS QUE ELA EXISTE, EXISTE... AS BRUXAS ESTÃO SOLTAS... 73 Sumário Capítulo 1 NOTAS SOBRE A TEORIA DA JURISDIÇÃO... 53 1. O Estado... 53 1º O Estado como criação do homem... 53 2º O escopo do Estado... 54 3º O Estado e o Direito como instrumentos para a realização

Leia mais

QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende

QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende 1- Aplicada em: 2008 Banca: CESPE Órgão: OAB Prova: Exame de Ordem Acerca do instituto da prescrição penal e seus efeitos,

Leia mais

LIVRAMENTO CONDICIONAL

LIVRAMENTO CONDICIONAL LIVRAMENTO CONDICIONAL Arts. 83 a 90 do CP e 131 e s. da LEP. Consagrado no CP de 1890, mas com efetiva aplicação pelo Decreto 16.665 de 1924. É mais uma tentativa de diminuir os efeitos negativos da prisão.

Leia mais

NO PROCESSO PENAL. Nota: A juntada de documentos pode ocorrer em qualquer fase do processo (CPP, art. 231).

NO PROCESSO PENAL. Nota: A juntada de documentos pode ocorrer em qualquer fase do processo (CPP, art. 231). NO PROCESSO PENAL No processo penal todos os prazos correrão em cartório e serão contínuos e peremptórios, não se interrompendo por férias, domingo ou feriado (CPP, art. 798). Não se computará, no prazo,

Leia mais

SALA DE ESTUDO CONCURSOS JURÍDICOS

SALA DE ESTUDO  CONCURSOS JURÍDICOS CONCURSOS JURÍDICOS SALA DE ESTUDO www.concursosjuridicos.com.br Prática Jurídica da Ação Penal A Ação Penal Pública Noções Gerais Recebendo os autos do inquérito policial ou outra peça de informação,

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL I. Princípios que Regem o Processo Penal... 002 II. Lei Processual Penal e Sistemas do Processo Penal... 007 III. Inquérito Policial... 009 IV. Processo e Procedimento... 015 V.

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL Ribeirão Preto 2015 GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o EMENTA - Sentença em Geral; - Sentença Absolutória; - Sentença Condenatória; - Publicação e Intimação de Sentença; - Coisa Julgada de Sentença; - Instrução Criminal dos Procedimentos Ordinário e Sumário;

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o EMENTA - Sentença em Geral; - Sentença Absolutória; - Sentença Condenatória; - Publicação e Intimação de Sentença; - Coisa Julgada de Sentença; - Instrução Criminal dos Procedimentos Ordinário e Sumário;

Leia mais

Direito processual penal Conceito e finalidade

Direito processual penal Conceito e finalidade Direito processual penal Conceito e finalidade O Direito é uno, logo não devemos interpretar as disciplinas do direito de forma isolada, mas sim em um sistema único que se comunica com as outras disciplinas

Leia mais

Polícia Civil Legislação Penal Especial Liana Ximenes

Polícia Civil Legislação Penal Especial Liana Ximenes Polícia Civil Legislação Penal Especial Liana Ximenes Crimes de Trânsito- Lei 9503/97 Arts. 291-301 do CTB - Parte Geral Arts.302-312 do CTB Crimes em espécie Parte Geral Art. 291. Aos crimes cometidos

Leia mais

6 - Réu Lídio Laurindo: restou absolvido de todas as acusações; 7 - Réu Cildo Ananias: restou absolvido de todas as acusações.

6 - Réu Lídio Laurindo: restou absolvido de todas as acusações; 7 - Réu Cildo Ananias: restou absolvido de todas as acusações. PROCEDIMENTO ESP.DOS CRIMES DE COMPETÊNCIA DO JÚRI Nº 2004.71.04.005970-2/RS AUTOR : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ACUSADO : IRENI FRANCO : ZIGOMAR TEODORO : LEOMAR CORREIA : CILDO ANANIAS : SERGIO ANANIAS

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Direito Penal II Código da Disciplina: JUR 213 Curso: Direito Faculdade responsável: Direito Programa em vigência a partir de: Número de créditos: 04 Carga Horária total:

Leia mais

a) descrição do fato em todas as suas circunstâncias;

a) descrição do fato em todas as suas circunstâncias; DENÚNCIA Requisitos - art. 41 do CPP a) descrição do fato em todas as suas circunstâncias; O autor deve indicar na peça inicial, todas as circunstâncias que cercaram o fato...o processo penal do tipo acusatório

Leia mais

Pesquisa Tráfico de drogas na cidade do Rio de Janeiro: Prisão provisória e direito de defesa. Novembro de 2015

Pesquisa Tráfico de drogas na cidade do Rio de Janeiro: Prisão provisória e direito de defesa. Novembro de 2015 Pesquisa Tráfico de drogas na cidade do Rio de Janeiro: Prisão provisória e direito de defesa Novembro de 2015 Prisões em flagrante por tráfico de drogas na cidade do Rio 1.437 casos distribuídos em 2013

Leia mais

L. dos Crimes Ambientais 9605/98

L. dos Crimes Ambientais 9605/98 L. dos Crimes Ambientais 9605/98 Penas aplicáveis às PJs: I - multa; II - restritivas de direitos; III - prestação de serviços à comunidade. L. dos Crimes Ambientais 9605/98 PRDs para PJs I - suspensão

Leia mais

Caros amigos, trago hoje a resolução da prova de Direito Penal aplicada pela Fundação Carlos Chagas no último domingo, dia 4 de março de 2007.

Caros amigos, trago hoje a resolução da prova de Direito Penal aplicada pela Fundação Carlos Chagas no último domingo, dia 4 de março de 2007. Caros amigos, trago hoje a resolução da prova de Direito Penal aplicada pela Fundação Carlos Chagas no último domingo, dia 4 de março de 2007. Nesta prova, a FCC elaborou questões um pouco mais difíceis

Leia mais

SUMÁRIO. PREFÁCIO (Rogerio Schietti Cruz) LISTA DE ABREVIATURAS... 23

SUMÁRIO. PREFÁCIO (Rogerio Schietti Cruz) LISTA DE ABREVIATURAS... 23 SUMÁRIO PREFÁCIO (Rogerio Schietti Cruz)... 11 LISTA DE ABREVIATURAS... 23 À GUISA DE INTRODUÇÃO: POR QUE UM CURSO DE SENTENÇA PENAL? (Fabrício Castagna Lunardi)... 27 Capítulo I ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Processo Penal I Código

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000699565 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0008772-23.2006.8.26.0072, da Comarca de Bebedouro, em que é apelante/apelado PAULO HENRIQUE FRANÇA DE BRITO,

Leia mais

SUMÁRIO I TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL

SUMÁRIO I TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL SUMÁRIO I TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL CAPÍTULO 1 DIREITO PENAL: NOÇÕES INTRODUTÓRIAS PARTE 1 Noções introdutórias 1 PARTE 2 Noções introdutórias 2 PARTE 3 Noções introdutórias 3 CAPÍTULO 2 PRINCÍPIOS

Leia mais

Índice Geral. Índice Sistemático do Código de Processo Penal

Índice Geral. Índice Sistemático do Código de Processo Penal Índice Geral Código de Processo Penal Decreto-lei 3.689, de 3 de outubro de 1941... 13 Súmulas Criminais do STF e do STJ Comentadas... 1645 Índice Alfabético-Remissivo... 1905 Bibliografia... 1923 Índice

Leia mais

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários:

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários: CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL Proposta de programa a desenvolver em sumários: I Do inicio do processo o crime e sua natureza. - Crimes públicos, semi-públicos e particulares;

Leia mais

PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente. 1. Prescrição em abstrato:

PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente. 1. Prescrição em abstrato: 1 PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente 1. Prescrição em abstrato: Causas suspensivas da PA art. 116 1, CP: I Questões prejudiciais: previstas

Leia mais

Júri moderno: Inglaterra - Willian o conquistador/ jurados. *Papa Inocente III, 1215, 4º Concílio de Latrão, proibiu o uso das ordálias

Júri moderno: Inglaterra - Willian o conquistador/ jurados. *Papa Inocente III, 1215, 4º Concílio de Latrão, proibiu o uso das ordálias PROCEDIMENTO DO TRIBUNAL DO JÚRI Histórico Tribunal da Heliéia: Grécia antiga Heliastas Júri moderno: Inglaterra - Willian o conquistador/1066-12 jurados *Papa Inocente III, 1215, 4º Concílio de Latrão,

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sujeitos Processuais Gustavo Badaró aula de 11.10.2016 1. Noções Gerais 2. Juiz PLANO DA AULA Peritos, interpretes e auxiliares da justiça 3. Ministério

Leia mais

PONTO 1: Conceito e Princípios PONTO 2: Destinatários e Finalidades PONTO 3: Espécies de Penas PONTO 4: Aplicação da Pena

PONTO 1: Conceito e Princípios PONTO 2: Destinatários e Finalidades PONTO 3: Espécies de Penas PONTO 4: Aplicação da Pena 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Conceito e Princípios PONTO 2: Destinatários e Finalidades PONTO 3: Espécies de Penas PONTO 4: Aplicação da Pena PENAS: ESPÉCIES, COMINAÇÃO E APLICAÇÃO 1. CONCEITO E PRINCÍPIOS

Leia mais

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11 Sumário Notas Preliminares Finalidade do Direito Penal...2 Bens que podem ser protegidos pelo Direito Penal...2 Códigos do Brasil...3 Código Penal atual...3 Direito Penal...3 Garantismo...3 Garantias...4

Leia mais

SUMÁRIO PARTE 1 PEÇAS PRÁTICO-PROFISSIONAIS E TEORIA ASSOCIADA CAPÍTULO 1. PEÇAS DE LIBERDADE...

SUMÁRIO PARTE 1 PEÇAS PRÁTICO-PROFISSIONAIS E TEORIA ASSOCIADA CAPÍTULO 1. PEÇAS DE LIBERDADE... SUMÁRIO PARTE 1 PEÇAS PRÁTICO-PROFISSIONAIS E TEORIA ASSOCIADA CAPÍTULO 1. PEÇAS DE LIBERDADE... 19 1. Primeiro passo: identificar qual a peça ou instituto o caso concreto apresenta ou requer... 19 1.1.

Leia mais

ALEGAÇÕES FINAIS POR MEMORIAIS

ALEGAÇÕES FINAIS POR MEMORIAIS ALEGAÇÕES FINAIS POR MEMORIAIS ALEGAÇÕES FINAIS POR MEMORIAIS EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA XX VARA CRIMINAL DA COMARCA DE CURITIBA / PR. Pular 3 linhas Processo n Pular 10 linhas JORGE,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2012.0000095124 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0016383-39.2005.8.26.0047, da Comarca de Assis, em que é apelante

Leia mais

PONTO 1: Procedimento do Júri. Artigoss 406 ao 429, CPP. 1) PROCEDIMENTO DO JÚRI. 1º fase 2ª fase decisão

PONTO 1: Procedimento do Júri. Artigoss 406 ao 429, CPP. 1) PROCEDIMENTO DO JÚRI. 1º fase 2ª fase decisão 1 DIREITO PROCESSUAL PENAL PONTO 1: Procedimento do Júri. Artigoss 406 ao 429, CPP. 1) PROCEDIMENTO DO JÚRI 1º fase 2ª fase decisão denuncia pronúncia jus acussations jus causae Fases: - 1ª fase inicia

Leia mais

SUMÁRIO 1. PEÇAS DE LIBERDADE, 17 PREFÁCIO, 5 SUMÁRIO, 7

SUMÁRIO 1. PEÇAS DE LIBERDADE, 17 PREFÁCIO, 5 SUMÁRIO, 7 SUMÁRIO PREFÁCIO, 5 SUMÁRIO, 7 1. PEÇAS DE LIBERDADE, 17 1. Primeiro passo: identificar qual a peça ou instituto o caso concreto apresenta ou requer, 17 1.1. Peças práticas que podem ser requeridas a qualquer

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Processo Penal II Código

Leia mais

antes da Lei /08 após a Lei /08 antes da Lei /08 após a Lei /08

antes da Lei /08 após a Lei /08 antes da Lei /08 após a Lei /08 antes da Lei 11.719/08 após a Lei 11.719/08 Art. 383 CPP O juiz poderá dar ao fato definição jurídica diversa da que constar da queixa ou da denúncia, ainda que, em consequência, tenha de aplicar pena

Leia mais

IUS RESUMOS. Da Ação Civil Ex Delicto. Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante

IUS RESUMOS. Da Ação Civil Ex Delicto. Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante Da Ação Civil Ex Delicto Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante SUMÁRIO I DA AÇÃO CIVIL EX DELICTO... 3 1. Noções introdutórias... 3 1.1 Modalidades de ação civil ex delicto... 4 2. Legitimidade...

Leia mais

Rio de Janeiro, 17 de dezembro de 2013.

Rio de Janeiro, 17 de dezembro de 2013. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL APELAÇÃO CRIMINAL nº. 0033935-38.2010.8.19.0014 APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO APELADO: JOSÉ MARCOS DA SILVA PACHECO RELATOR: DESEMBARGADOR

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.318.596 - GO (2012/0082777-4) RELATOR : MINISTRO LEOPOLDO DE ARRUDA RAPOSO (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/PE) RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS RECORRIDO : SINÉZIO

Leia mais

DA expedição da guia de recolhimento

DA expedição da guia de recolhimento PROVIMENTO Nº. 02/2007 Dispõe sobre a execução de penas privativas de liberdade na Região Metropolitana de Belém. A Excelentíssima Senhora Desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento Corregedora Geral

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 18/05 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV 2.3 PROCEDIMENTO DA LEI DE DROGAS (Lei 11.343/06) - Procedimento Previsto nos artigos 54 a 59 da

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS DECISÕES

CLASSIFICAÇÃO DAS DECISÕES SENTENÇA NATUREZA JURÍDICA A sentença é uma manifestação intelectual lógica e formal emitida pelo Estado, por meio de seus órgãos jurisdicionais, com a finalidade de encerrar um conflito de interesses,

Leia mais