NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO"

Transcrição

1 NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO

2 PRESSUPOSTOS Pontos fortes Norma extremamente avançada quando da sua concepção; Inovadora na criação do diálogo tripartite CPN; Proporcionou alta capilaridade e a maior produtividade das discussões; Norma de fácil aplicação, concebida num formato semelhante a uma lista de verificação; Harmonizada com as etapas da construção de edifícios

3 PRESSUPOSTOS Pontos fracos Dificuldade de compatibilização com a Construção pesada; Incompatível com alguns conceitos e dispositivos de normas regulamentadoras recentes e demais instrumentos normativos; Existência de dispositivos repetidos na norma ou em outras normas regulamentadoras; Por determinar algumas soluções técnicas, dificulta a adoção de soluções alternativas compatíveis; Dificuldade de contemplar novas tecnologias e processos construtivos

4 PROPOSTAS Inclusão da Construção pesada Abarcando a Construção em detrimento de CNAES específicos da Construção de edifícios; Inclusão do trabalho realizado pelo GT da Construção pesada; Inclusão de informações levantadas pelo GMAI

5 PROPOSTAS Enxugamento do texto Evitando repetições de dispositivos na própria norma; Adequando o texto aos dispositivos presentes em normas regulamentadoras sobre temas específicos Espaços Confinados, Trabalho em Altura etc Retirando dispositivos já regulados por normas técnicas Retirando itens que não possuem natureza normativo regulamentar, como funcionamento do CPN e procedimentos do Órgão fiscalizador em caso de análise de acidentes.

6 PROPOSTAS Compatibilização do texto e conceitos com sistema normativo Evitando conceitos conflitantes com normas regulamentadoras mais recentes. Harmonizando conceitos presentes em normas técnicas

7 PROPOSTAS Atualização Técnica Aprimoramento das ferramentas de gestão Previsão de conceitos e não somente das medidas técnicas, possibilitando a implementação de inovações tecnológicas Incorporação ou compatibilização com novas tecnologias e processos construtivos

8 PLANO DE TRABALHO Pressupostos e metas Participação do CPN no processo de discussão Conclusão dos trabalhos em doze meses - primeiro trimestre de 2014

9 Processo de Regulamentação Definição de prioridades Formulação de texto técnico básico Consulta pública Discussão tripartite Análise final Publicação Acompanhamento da implementação

10 PLANO DE TRABALHO 1-Elaboração e apresentação do texto base O plano de trabalho proposto à CTPP deve ser apresentado ao CPN na reunião de dezembro. Uma proposta em andamento, que está sendo elaborada por representantes da SIT, será apresentada ao CPN em março de 2013 anteriormente à disponibilização em consulta pública.

11 PLANO DE TRABALHO 2-Consulta Pública Realizada por 60 dias no período de abril e maio, com harmonização das sugestões em junho.

12 PLANO DE TRABALHO 3-Elaboração de proposta de texto regulamentar O texto normativo será elaborado por 4 GTTscom reuniões mensais de três dias cada sob acompanhamento do CPN e gestão por dois coordenadores da CGNOR, possibilitando em cinco meses a estruturação de proposta de norma. Cada GTT, formado por três representantes de cada bancada, discutirá determinados temas da Norma

13 PLANO DE TRABALHO GTT GTT1 Organização do Canteiro -DF 18.4 Área de vivência; Transporte de Trabalhadores; Sinalização Treinamento; Ordem e Limpeza

14 PLANO DE TRABALHO GTT GTT2 Eletricidade -DF 18.5 Demolição; Serviços em Flutuantes; Instalações Elétricas; EPI; Armazenagem e Estocagem de Materiais; Proteção contra Incêndio; Tapumes e Galerias.

15 PLANO DE TRABALHO GTT GTT3 Máquinas e Equipamentos -SP 18.6 Escavações, Fundações e Desmonte de rochas; 18.7 Carpintaria; 18.8 Armações de Aço; 18.9 Estruturas de Concreto; Trabalho a Quente; Alvenaria; Máquinas e Equipamentos

16 PLANO DE TRABALHO GTT GTT4 Trabalho em Altura -SP Estruturas Metálicas; Escadas, Rampas e Passarelas; Queda de Altura, Andaimes; Cabos de Aço; Serviços em Telhados

17 CRONOGRAMA DE TRABALHO -GTT 08-12/07 DF Participação de todos os integrantes e dos dois coordenaodres da CGNOR Discussão do procedimento de trabalho dos GTT; Discussãodos itens18.1, 18.2 e Início dos trabalhos dos grupos em separado.

18 CRONOGRAMA DE TRABALHO -GTT Agosto 05, 06 e 07 DF GTT1 07, 08 e 09 DF GTT2 19, 20 e 21 SP GTT3 21, 22 e 23 SP GTT4 Setembro 02, 03 e 04 DF GTT1 04, 05 e 06 DF GTT2 16, 17 e 18 SP GTT3 18, 19 e 20 SP GTT4

19 CRONOGRAMA DE TRABALHO -GTT Outubro 30/09, 01 e 02 DF GTT1 02, 03 e 04 DF GTT2 14, 15 e 16 SP GTT3 16, 17 e 18 SP GTT4 Novembro Participação de todos os integrantes e dos dois coordenadores da CGNOR Discussão do item 18.36; Fechamento das pendências. Harmonização final.

20 PLANO DE TRABALHO 3- Elaboração de proposta de texto regulamentar Os trabalhos serão conduzidos nos meses de julho, agosto, setembro, outubro e novembro. O texto final será harmonizado pela CGNOR no final de novembro e apresentado ao CPN em dezembro.

21 PLANO DE TRABALHO 4-Aprovação e Publicação A proposta de norma será apresentada à CTPP na primeira reunião de 2014 para aprovação.

22 MuitoObrigado! SRTE/RJ

Panorama da Construção civil no Brasil e os avanços na Legislação em Saúde, Segurança no Trabalho

Panorama da Construção civil no Brasil e os avanços na Legislação em Saúde, Segurança no Trabalho 15º CONGRESSO NACIONAL DA ANAMT 2013 Panorama da Construção civil no Brasil e os avanços na Legislação em Saúde, Segurança no Trabalho Haruo Ishikawa Vice-presidente de Relações Capital-Trabalho do SindusCon-SP

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral A NR18 é a norma que regulamenta a Segurança e Medicina do Trabalho na Indústria da Construção

Leia mais

Processo de Normatização de SST no Brasil e Acordo de Cooperação Brasil x União Europeia

Processo de Normatização de SST no Brasil e Acordo de Cooperação Brasil x União Europeia Processo de Normatização de SST no Brasil e Acordo de Cooperação Brasil x União Europeia Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Setembro de 2014 Processo de Regulamentação

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DAS NR NA CTPP - COMISSÃO TRIPARTITE PARITÁRIA PERMANENTE. Luiz Carlos Lumbreras Rocha SRTE/RJ

ATUALIZAÇÃO DAS NR NA CTPP - COMISSÃO TRIPARTITE PARITÁRIA PERMANENTE. Luiz Carlos Lumbreras Rocha SRTE/RJ ATUALIZAÇÃO DAS NR NA CTPP - COMISSÃO TRIPARTITE PARITÁRIA PERMANENTE Luiz Carlos Lumbreras Rocha SRTE/RJ Revisão das NR 2010-2016 Realizadas 58 alterações compreendendo: 3 Novas Normas NR 34, NR35 e NR36

Leia mais

NR 18. Segurança na Construção Civil

NR 18. Segurança na Construção Civil NR 18 Segurança na Construção Civil Tópicos da NR 18 Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT Áreas de Vivência

Leia mais

A Inspeção do Trabalho na Construção Civil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Abril de 2012

A Inspeção do Trabalho na Construção Civil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Abril de 2012 A Inspeção do Trabalho na Construção Civil Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Abril de 2012 Inspeção em SST - Construção Civil Ações 2007 2008 2009 2010 2011

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA N.º

NORMA REGULAMENTADORA N.º SUMÁRIO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NORMA REGULAMENTADORA N.º 10 2. Formação profissional 2.1 Qualificação 2.2 Habilitação 2.3 Capacitação 2.4 Autorização 3. Medidas de controle

Leia mais

Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Carla Martins Paes AFT da SRTE/RJ

Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Carla Martins Paes AFT da SRTE/RJ Revisões nas Normas Regulamentadoras de Segurança e Saúde no Trabalho Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Carla Martins Paes AFT da SRTE/RJ O Processo de Regulamentação

Leia mais

FUNDAMENTOS E PRÁTICA PROFISSIONAL I. Slide 8 Prof Eng. e Arq. Marcos R. Frois

FUNDAMENTOS E PRÁTICA PROFISSIONAL I. Slide 8 Prof Eng. e Arq. Marcos R. Frois FUNDAMENTOS E PRÁTICA PROFISSIONAL I Slide 8 Prof Eng. e Arq. Marcos R. Frois Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Leia mais

NR18- PROCESSO DE REVISÃO. Luiz Carlos Lumbreras Rocha AFT-SRTE-RJ

NR18- PROCESSO DE REVISÃO. Luiz Carlos Lumbreras Rocha AFT-SRTE-RJ NR18- PROCESSO DE REVISÃO Luiz Carlos Lumbreras Rocha AFT-SRTE-RJ CRONOGRAMA DE TRABALHO Junho de 2012 a maio de 2013 Elaboração do texto-base por representantes da SIT Maio de 2013 a agosto de 2013 Consulta

Leia mais

Inspeção de Segurança

Inspeção de Segurança Inspeção de Segurança Disciplina: Segurança do Trabalho Professora: Elizabeth Spengler Cox de Moura Acadêmicos: Daniel Baldasso Rolón Daniel Humberto Carvalho Conceito Atividade que busca identificar condições

Leia mais

Migrar os dados pertinentes aos levantamentos ambientais para os campos do item 15 do PPP.

Migrar os dados pertinentes aos levantamentos ambientais para os campos do item 15 do PPP. Guia de Estudo Professora Autora: Maria Beatriz de Freitas Lanza Professora Telepresencial: Maria Beatriz de Freitas Lanza Coordenador de Conteúdo: Pedro Sérgio Zuchi Objetivos Após o estudo da Aula, esperamos

Leia mais

INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO?

INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO? INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO? Esta proposta de texto trata-se do Anexo II (REVISÃO DO ITEM 35.5 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, ACESSÓRIOS E SISTEMAS DE ANCORAGEM)

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 01. Procedimento para fundações, escavações e desmonte de rocha.

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 01. Procedimento para fundações, escavações e desmonte de rocha. Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. Objetivo Este Manual de Recomendação, tem como objetivo, assegurar que todas as obras efetuem proteção coletiva que prever a adoção de medidas que evitem a ocorrência de desmoronamento,

Leia mais

O QUE QUEREMOS DA CONSTRUÇÃO NO BRASIL? Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho

O QUE QUEREMOS DA CONSTRUÇÃO NO BRASIL? Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Engº José Carlos de Arruda Sampaio Diretor da JDL Qualidade, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente Brasília: 10/05/2015 O Mercado Crescimento vai depender da disponibilidade

Leia mais

ÍNDICE CAPÍTULO 1 EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO COLECTIVA ÍNDICE DE SIGLAS E ABREVIATURAS 15 INTRODUÇÃO 17

ÍNDICE CAPÍTULO 1 EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO COLECTIVA ÍNDICE DE SIGLAS E ABREVIATURAS 15 INTRODUÇÃO 17 ÍNDICE ÍNDICE DE SIGLAS E ABREVIATURAS 15 INTRODUÇÃO 17 CAPÍTULO 1 EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO COLECTIVA 1. EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO CONTRA QUEDAS EM ALTURA 23 1.1. Introdução 23 1.2. Guarda-corpos 25 1.3.

Leia mais

NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO. PLANO DE TRABALHO AprovadopeloCPN em15 MAI 201

NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO. PLANO DE TRABALHO AprovadopeloCPN em15 MAI 201 NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO AprovadopeloCPN em15 MAI 201 Processo de Regulamentação Definição de prioridades Formulação de texto técnico básico Consulta pública Discussão tripartite Análise

Leia mais

SOLUÇÕES TÉCNICAS, CUSTO E QUALIDADE

SOLUÇÕES TÉCNICAS, CUSTO E QUALIDADE VISÃO GLOBAL CONSULTORIA EM GESTÃO INDUSTRIAL; ADEQUAÇÕES AS NORMAS REGULAMENTADORAS; CONSULTORIA INDUSTRIAL RELAÇÃO SINDICAL E COM O M.T.E. GESTÃO DE PESSOAS EFICIÊNCIA PRODUTIVIDADE ORGANIZAÇÃO PRODUÇÃO

Leia mais

GESTÃO DE SSMA EM CANTEIROS DE OBRAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PREDIAL

GESTÃO DE SSMA EM CANTEIROS DE OBRAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PREDIAL GESTÃO DE SSMA EM CANTEIROS DE OBRAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PREDIAL Título Fonte Calibri 20 Negrito Branca xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. Floriano Costa Eng.º de Segurança do Trabalho Julho de 2016 TIPOS DE OBRAS

Leia mais

Indústria da Construção Civil:

Indústria da Construção Civil: Indústria da Construção Civil: Introdução - Parte I Grupo de Materiais de Construção 1 Construção Civil É uma indústria? Indústria: toda atividade humana que, através do trabalho, transforma matéria-prima

Leia mais

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 69 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM. GUILHOTINA ELÉTRICA (Armação de Aço)

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 69 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM. GUILHOTINA ELÉTRICA (Armação de Aço) LISTA DE CHECAGEM GUILHOTINA ELÉTRICA (Armação de Aço) 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras de construções:

Leia mais

NR-22 - DDS - Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração DDS - NR 22. Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração

NR-22 - DDS - Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração DDS - NR 22. Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração DDS - NR 22 Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração 1 A NR 22, determina métodos e procedimentos, nos locais de trabalho, que proporcionem aos empregados satisfatórias condições de segurança e saúde

Leia mais

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO 3ª EDIÇÃO ÍNDICE GERAL P/ 1/5 0 DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO, ORÇAMENTO... 2/39 CONTRATO, SUBCONTRATAÇÃO... 6/39 PRAZO DE EXECUÇÃO, GARANTIA DE SERVIÇO... 7/39 INST. DA OBRA, PESSOAL DA CONTRATADA... 8/39

Leia mais

NR-18 - Comitê Permanente Regional - MG SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CPR MG

NR-18 - Comitê Permanente Regional - MG SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CPR MG CONSTITUIÇÃO DO CPR - MG No dia 06/01/1993, na DRT-MG Divisão de Relações do Trabalho, é criada a COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NAS INDUSTRIAS DA CONSTRUÇÃO. Tendo como participantes: - DRT-MG - FUNDACENTRO

Leia mais

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Documentos legais: PPRA, LTCAT, PPP, PCMSO, E social; Monitoramento de Ruído, vibração, calor e químicos (NR 15) Emissão de laudos técnicos em atendimento a NR 15 e NR 16 Assistência técnica Pericial;

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA

AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA AVALIAÇÃO GLOBAL AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA 2014 / 2015 Empresa: SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE- SUSAM- HPS 28 DE AGOSTO Responsável Técnica: Reginaldo Beserra Alves Eng.º Segurança no Trabalho CREA 5.907-D/PB

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS Saúde e Seguranca Ocupacional Prof. Carlos William de Carvalho 1 NR-1 Disposições Gerais Determina a aplicabilidade de todas as normas regulamentadoras, assim como os direitos e

Leia mais

Aula 3. Normas Regulamentadoras de Segurança, Medicina e Higiene do Trabalho

Aula 3. Normas Regulamentadoras de Segurança, Medicina e Higiene do Trabalho Aula 3 Normas Regulamentadoras de Segurança, Medicina e Higiene do Trabalho São normas que definem os parâmetros legais de atuação da sociedade sobre as condições de trabalho. Fiscalização Penalidades

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Prezados (as) Senhores (as), Para conhecimento, reproduzimos informações de diversas fontes, referentes à área de Segurança, Saúde e Medicina no Trabalho. INFORMATIVO 00117 PORTARIA SECRETARIA DE INSPEÇÃO

Leia mais

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s)

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) http://www.mte.gov.br/ NR 01 Disposições Gerais 02 Inspeção Prévia 03 Embargo ou Interdição TEMA 04 Serviços Especializados em Eng. de Segurança

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENG EDIFICAÇÕES I TRABALHO PRÁTICO /1 PROF. RUY ALBERTO CREMONINI

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENG EDIFICAÇÕES I TRABALHO PRÁTICO /1 PROF. RUY ALBERTO CREMONINI 1. INTRODUÇÃO O trabalho tem como objetivo o acompanhamento da execução de uma obra de edifício de múltiplos pavimentos (mais de 04 pavimentos) com estrutura em concreto armado moldado no local e vedações

Leia mais

SGi. SOLUÇÃO GESTÃO INTELIGENTE

SGi. SOLUÇÃO GESTÃO INTELIGENTE RELAÇÃO DE TREINAMENTOS 2017 www.sginteligente.com.br TREINAMENTOS PARA SUA EMPRESA - 1º SEMESTRE DE 2017 1 QUALIDADE Empresas e Profissionais interessados na ISO 9001 1.1 Interpretação da ISO 9001:2015

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 277 DE 06 DE OUTUBRO DE 2011 (D.O.U. de 10/10/2011 - Seção 1 - págs. 82 a 88) (Retificada no D.O.U. de 1º/11/11 - Seção

Leia mais

TECNICAS CONSTRUTIVAS I

TECNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TECNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br O que é canteiro de obras? Área de trabalho

Leia mais

1.1 Indústria da Construção Civil É UMA INDÚSTRIA? 1.1 Indústria da Construção Civil. 1.1 Indústria da Construção Civil

1.1 Indústria da Construção Civil É UMA INDÚSTRIA? 1.1 Indústria da Construção Civil. 1.1 Indústria da Construção Civil 1.1 Indústria da Construção Civil Disciplina: Planejamento e Controle de Obras Aula 01 Introdução ao Planejamento de Obras Professora: Engª Civil Moema Castro, MSc. É UMA INDÚSTRIA? Indústria: toda atividade

Leia mais

Regulamentos, Normas Técnicas e Certificações Aplicáveis

Regulamentos, Normas Técnicas e Certificações Aplicáveis Regulamentos, Normas Técnicas e Certificações Aplicáveis Roberto Odilon Horta Gerente de Certificação IBP 14.09.2017 A formação de Inspetores de Equipamentos, no Brasil, não têm sido objeto de ações sistemáticas

Leia mais

Equipamentos Mecânicos Industriais. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

Equipamentos Mecânicos Industriais. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Equipamentos Mecânicos Industriais Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Equipamentos Mecânicos Industriais PERÍODO LETIVO: 8º CARGA HORÁRIA: 30 h OBJETIVOS GERAL: Saber os fundamentos e informações essenciais

Leia mais

Canteiro de Obras - Conceito

Canteiro de Obras - Conceito Canteiro de Obras Canteiro de Obras - Conceito Segundo a norma NR-18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção, define-se canteiro de obras como: Área de trabalho fixa e temporária

Leia mais

Como integrar os treinamentos. nas questões de Segurança e Saúde do. Trabalho na Indústria da Construção

Como integrar os treinamentos. nas questões de Segurança e Saúde do. Trabalho na Indústria da Construção Como integrar os treinamentos nas questões de Segurança e Saúde do Trabalho na Indústria da Construção TREINAR Dicionário Aurélio: Tornar apto, capaz, para determinada tarefa ou atividade; habilitar. Vídeo:

Leia mais

Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), destacando que a parte técnica dos Anexos VI e VII foi aprovada por consenso entre as bancadas, com

Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), destacando que a parte técnica dos Anexos VI e VII foi aprovada por consenso entre as bancadas, com RELAÇÕES DO TRABALHO Órgão Ministério do Trabalho (MT) Representação Efetiva Comissão Nacional Tripartite Temática - NR 12 (Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos) Representante Titular Marcio

Leia mais

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA 1. Tem direito ao adicional de periculosidade os trabalhadores das empresas que operam em instalações ou equipamentos

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 93 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM. SERRA POLICORTE DE BANCADA (Armação de Aço)

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 93 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM. SERRA POLICORTE DE BANCADA (Armação de Aço) LISTA DE CHECAGEM DE SERRA POLICORTE DE BANCADA (Armação de Aço) 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras

Leia mais

Segurança em escavações e fundações. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Segurança em escavações e fundações. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Segurança em escavações e fundações Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho A área de trabalho deve ser previamente limpa, devendo ser retirados ou escorados solidamente árvores,

Leia mais

PORTFOLIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA O SEGMENTO SEGURANÇA

PORTFOLIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA O SEGMENTO SEGURANÇA PORTFOLIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA O SEGMENTO SEGURANÇA Senac Rondônia APRESENTAÇÃO A concepção educacional do Senac visa atender à missão de "Educar para o trabalho em atividades do Comércio de Bens,

Leia mais

Nº 53, terça-feira, 24 de maio de Nº 53, 24 de maio de 2016

Nº 53, terça-feira, 24 de maio de Nº 53, 24 de maio de 2016 Nº 53, 24 de maio de 2016 Nº 1 De 30 de julho de 2013 EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - EBSERH HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS UFGD Rua Ivo Alves da Rocha,

Leia mais

NR 12 EVOLUÇÃO. Clovis Veloso de Queiroz Neto. Confederação Nacional da Indústria CNI. Sidney esteves Peinado

NR 12 EVOLUÇÃO. Clovis Veloso de Queiroz Neto. Confederação Nacional da Indústria CNI. Sidney esteves Peinado NR 12 EVOLUÇÃO Clovis Veloso de Queiroz Neto Confederação Nacional da Indústria CNI Sidney esteves Peinado Confederação Nacional da Indústria CNI Fiesp OBRIGAÇÕES LEGAIS Obrigação legal para o empregador

Leia mais

ABNT NBR 16156:2013 Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos Requisitos para atividade de manufatura reversa

ABNT NBR 16156:2013 Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos Requisitos para atividade de manufatura reversa ABNT NBR 16156:2013 Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos Requisitos para atividade de manufatura reversa Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer CTI Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Leia mais

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA)

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA) Capítulo 4 Riscos ambientais empresariais Segundo o artigo 9.1.5 da Portaria n 25, de 29.12.94, do Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, considera-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos

Leia mais

André Silva Saint-Gobain Weber Portugal, S.A. Contratação de Empresas Externas Aspectos da SHST

André Silva Saint-Gobain Weber Portugal, S.A. Contratação de Empresas Externas Aspectos da SHST André Silva Saint-Gobain Weber Portugal, S.A. Contratação de Empresas Externas Aspectos da SHST Escola Profissional de Aveiro Auditório Eng.º Victor Matos 4 de Maio de 2011 Aspectos da SHST na Contratação

Leia mais

PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE PROPOSTA NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE Texto base apresentado pelo MTE como proposta de atualização da Regulamentação Normativa atual em segurança e saúde no trabalho com atividades

Leia mais

Elaboração, Aprovação e Implementação das Normas Regulamentadoras - NR

Elaboração, Aprovação e Implementação das Normas Regulamentadoras - NR Elaboração, Aprovação e Implementação das Normas Regulamentadoras - NR Clovis Veloso de Queiroz Neto Confederação Nacional da Indústria - CNI MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO ELABORAÇÃO APROVAÇÃO CENÁRIO

Leia mais

Ações Reunião Ordinária realizada no dia 18 de julho de 2014

Ações Reunião Ordinária realizada no dia 18 de julho de 2014 R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Grupo de Trabalho Tripartite para Implementação da Agenda Nacional de Trabalho Decente Representante

Leia mais

Exames Médicos Complementares na Construção Civil

Exames Médicos Complementares na Construção Civil Exames Médicos Complementares na Construção Civil Fundamentação Legal Conforme, o art. 200 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT cabe ao Ministério do Trabalho estabelecer as disposições complementares

Leia mais

12 INFORMATIVO DE ANDAMENTO DA OBRA ED. COMERCIAL HD SETEMBRO /2016. RUA HENRI DUNANT, SÃO PAULO/SP.

12 INFORMATIVO DE ANDAMENTO DA OBRA ED. COMERCIAL HD SETEMBRO /2016. RUA HENRI DUNANT, SÃO PAULO/SP. São Paulo, 30 setembro de 2016. 12. Informativo de Andamento de Obra. 1) Geral O HD873 foi matéria de capa da conceituada revista "Buildings" neste terceiro trimestre de 2016. Neste informativo reproduzimos

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 01: Núcleo RH Área de espera do setor de admissão (idem para demissão). Foto 02: Núcleo RH Área de realização de exames admissionais (idem

Leia mais

Indústria da Construção Civil:

Indústria da Construção Civil: Indústria da Construção Civil: Introdução Industria da Construção Civil 1 Construção Civil A construção civil divide-se em três subsetores: 1. edificações, responsável pela construção de edifícios; 2.

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017 PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017 Andamento das Obras Serviços concluídos até 31/05/2017 Fachadas Instalações hidráulicas, elétricas, interfones, alarme de incêndio, sistema de monitoramento e controle de acesso;

Leia mais

SOLUÇÕES EM ACESSO SEJA QUAL FOR O SEU DESAFIO EM ACESSO, A MILLS TEM A SOLUÇÃO.

SOLUÇÕES EM ACESSO SEJA QUAL FOR O SEU DESAFIO EM ACESSO, A MILLS TEM A SOLUÇÃO. SOLUÇÕES EM ACESSO SEJA QUAL FOR O SEU DESAFIO EM ACESSO, A MILLS TEM A SOLUÇÃO. PLATAFORMA CREMALHEIRA Sistema versátil que permite acesso a fachadas com produtividade e segurança. O equipamento não ocupa

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

Estrutura da GGMED e Perspectivas Regulatórias para Registro e Pós-registro de Medicamentos

Estrutura da GGMED e Perspectivas Regulatórias para Registro e Pós-registro de Medicamentos Estrutura da GGMED e Perspectivas Regulatórias para Registro e Pós-registro de Medicamentos Patrícia Ferrari Andreotti Gerência Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos GGMED/DIARE/ANVISA Brasília,

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 29/02/16: Estacas Escavadas são as paredes de concreto, composta por estacas executadas

Leia mais

GT Construção Industrializada Subgrupo Tributação. 28 de julho de 2016

GT Construção Industrializada Subgrupo Tributação. 28 de julho de 2016 GT Construção Industrializada Subgrupo Tributação 28 de julho de 2016 Objetivo Promover a isonomia tributária entre os Sistemas Construtivos Industrializados x Sistema Construtivo Convencional, demonstrando

Leia mais

HPS 28 DE AGOSTO RELATÓRIO DO SERVIÇO DE LIMPEZA DA FACHADA DO HPS 28 DE AGOSTO

HPS 28 DE AGOSTO RELATÓRIO DO SERVIÇO DE LIMPEZA DA FACHADA DO HPS 28 DE AGOSTO HPS 28 DE AGOSTO RELATÓRIO DO SERVIÇO DE LIMPEZA DA FACHADA DO HPS 28 DE AGOSTO Elaborado pelo SESMT: Gilvandro da Silva Pereira Téc. de Seg. Registro: SRTE/AM 0003571 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 06/05/2014:

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 3 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 3 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 3 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Aplicar os conhecimentos e as recomendações

Leia mais

LISTA DE EXERCÌCIOS 1

LISTA DE EXERCÌCIOS 1 Faculdade Anhanguera de Guarulhos Rua do Rosário, 300, Centro - Guarulhos SP. Data: / / 2014 Nota: Nome RA Assinatura Ergonomia e Segurança do Trabalho José Jorge Alcoforado Curso/Turma Disciplina Professor

Leia mais

PCMAT. Programa de Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção

PCMAT. Programa de Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção PCMAT Programa de Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção Características da atividade Heterogeneidade do produto final Temporariedade do estabelecimento Transitoriedade de processos, instalações

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

Gerenciamento e Custo de Treinamento Título da Boa Prática GESTÃO EM SST

Gerenciamento e Custo de Treinamento Título da Boa Prática GESTÃO EM SST Gerenciamento e Custo de Treinamento Título da Boa Prática GESTÃO EM SST Objetivo da Boa Prática: 1. Gerenciar os treinamentos ; 2. Garantir que os trabalhadores estão desenvolvendo atividade para a qual

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES Engº Wilmar Fratini Comissão Metroferroviária - GT de Gestão Integrada São Paulo - 29.08.07 Norma Regulamentadora nº 10 SEGURANÇA

Leia mais

INFORMATIVO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO

INFORMATIVO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Prezados (as) Senhores (as), Para conhecimento, reproduzimos informações de diversas fontes, referentes à área de Segurança, Saúde e Medicina no Trabalho. INFORMATIVO 008-17 DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO NR18-CONSTRUÇÃO

Leia mais

Segurança do Trabalho na Construção Civil. Enga. Civil Olivia O. da Costa

Segurança do Trabalho na Construção Civil. Enga. Civil Olivia O. da Costa Segurança do Trabalho na Construção Civil Enga. Civil Olivia O. da Costa Qual a importância da Segurança do Trabalho na Construção Civil? A construção civil é o quinto setor econômico em número de acidentes

Leia mais

3º Relatório de Monitoramento Socioambiental UHE Belo Monte

3º Relatório de Monitoramento Socioambiental UHE Belo Monte (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 1. Sítio Belo / Casa de Força Canteiro avançado com instalações administrativas em fase final de mobilização. Foto 2. Sítio Belo / Casa

Leia mais

CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MISSÃO DA UNIDADE: Fomentar a atividade acadêmica, promover o intercâmbio da Universidade com órgãos públicos, empresas privadas e

Leia mais

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto (Modelo I)

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto (Modelo I) Identificação do Projeto OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto (Modelo I) Rede de Cooperação Técnica em Saúde da União de Nações

Leia mais

Validação das avaliações setoriais do Plano Plurianual - PPA por unidade orçamentária - por dia (4)

Validação das avaliações setoriais do Plano Plurianual - PPA por unidade orçamentária - por dia (4) PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO Decreto nº.13.528, de 2 de maio de 2014 QUADRO DE DETALHAMENTO DE TAREFAS QDT (ANEXO I) CÓDIGO ATIVIDADE NÍVEL 1 2 3 4 5 6 7 8 Análise e validação das propostas setoriais

Leia mais

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Aula Norma NR 12 Eletromecânica Módulo 1 Professor: Sergio Luis Brockveld Junior Objetivo da aula Informar, formar e orientar Engenheiros e técnicos no que diz

Leia mais

Intervenção preventiva e inspetiva da ACT

Intervenção preventiva e inspetiva da ACT Exposição ocupacional a agentes químicos Meios de Proteção Individual Intervenção preventiva e inspetiva da ACT Auditório IPQ, Caparica 8 maio 2017 Centro Local da Península de Setúbal ÁREA DE JURISDIÇÃO

Leia mais

Procedimento para trabalho em Altura NR 35

Procedimento para trabalho em Altura NR 35 Procedimento para trabalho em Altura NR 35 Trabalho em Altura NR 35 - SST Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Máquinas e Equipamentos NR - 12

Máquinas e Equipamentos NR - 12 Máquinas e Equipamentos NR - 12 Publicação - Portaria GM N. 3.214, de 08 de julho de 1978 06/07/78. Atualizações - Portaria SIT N. 197, de 17 de dezembro de 2010 24/12/10. Entra em vigor - 01 de julho

Leia mais

PANORAMA GERAL DA NR 12 - SENAI MARIO AMATO

PANORAMA GERAL DA NR 12 - SENAI MARIO AMATO PANORAMA GERAL DA NR 12 - SENAI MARIO AMATO Dia 13.09.2017 JURÍDICO ESTRATÉGICO Aspectos Legais Relevantes Constituição Federal de 1988 Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de

Leia mais

Proposta de diretrizes para elaboração de Plano Diretor de Ocupação da Área 2 do Campus de São Carlos

Proposta de diretrizes para elaboração de Plano Diretor de Ocupação da Área 2 do Campus de São Carlos 1 Comissão de Implantação do Campus 2 USP S. Carlos Proposta de diretrizes para elaboração de Plano Diretor de Ocupação da Área 2 do Campus de São Carlos Prof. Carlos Martins, Arq. Sérgio Assumpção, Prof.

Leia mais

PROCESSO Nº AUTORA : ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE REFRIGERANTES E DE BEBIDAS NÃO ACOOLICAS - ABTR : UNIÃO FEDERAL

PROCESSO Nº AUTORA : ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE REFRIGERANTES E DE BEBIDAS NÃO ACOOLICAS - ABTR : UNIÃO FEDERAL DECISÃO 2014 PROCESSO Nº 78075-82.2014.4.01.3400 AUTORA : ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE REFRIGERANTES E DE BEBIDAS NÃO ACOOLICAS - ABTR RÉ : UNIÃO FEDERAL DECISÃO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS

Leia mais

ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I

ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I Prof. Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 05 06: Movimentação de Terra, Contenções e Canteiro 24/02/2015 FATORES QUE INFLUENCIAM O PROJETO DO MOVIMENTO DE TERRA Sondagem do terreno:

Leia mais

1. EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA

1. EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA 1. EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA 1.1 INTRODUÇÃO As construções são diferenciadas uma das outras por suas características. Essas características são classificadas quanto a: 1 - localização; 2 -

Leia mais

CBIC Projeto de Inovação Tecnológica / 2010

CBIC Projeto de Inovação Tecnológica / 2010 CBIC Projeto de Inovação Tecnológica / 2010 MODULO 4 - CÓDIGO DE OBRAS NACIONAL Contribuições AsBEA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Fase preliminar das questões a serem abordadas)

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃO

EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃO EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃO Atualmente existe no Brasil a introdução de uma grande variedade de MATERIAIS, COMPONENTES E EQUIPAMENTOS voltados à indústria da construção. Para as empresas que desejam INOVAR

Leia mais

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto outubro/2001 AULA 11 CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto PCC-2302: Gestão da Produção na Construção Civil II Profs. Silvio Melhado e Mercia Barros Assistentes de Ensino: Rita Medeiros; Janayna Aquino;

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 12/02/16: Estacas Escavadas são as paredes de concreto com profundidade de 11 metros

Leia mais

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO . NOME DA ATIVIDADE: RESULTADOS ESPERADOS: - VERIFICAR SE A EMPRESA ESTÁ ATENDENDO ÀS EXIGÊNCIAS LEGAIS. - MANTER O EMPREGADOR INFORMADO SOBRE AS EXIGÊNCIAS LEGAIS APLICÁVEIS AO SEU NEGÓCIO. - ORIENTAR

Leia mais

Direitos autorais 2000 pelo Grupo de Trabalho de Harmonização Global GHTF/SG1/N29R16:2005 DOCUMENTO FINAL

Direitos autorais 2000 pelo Grupo de Trabalho de Harmonização Global GHTF/SG1/N29R16:2005 DOCUMENTO FINAL GHTF/SG1/N29R16:2005 DOCUMENTO FINAL Título: Documento informativo acerca da definição do termo produto médico Grupo de autoria: Grupo de Estudo 1 do GHTF Respaldado por: Grupo de Trabalho de Harmonização

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ ANTÔNIO VIÉGAS DA SILVA

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ ANTÔNIO VIÉGAS DA SILVA Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO LUIZ ANTÔNIO VIÉGAS DA SILVA luizviegasrj@gmail.com DISCIPLINA Prevenção em Máquinas e Equipamentos I Aula 11 Slides

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia. NR-34 e 35. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira

Instituto Superior de Tecnologia. NR-34 e 35. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Instituto Superior de Tecnologia NR-34 e 35 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-34 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval NR-34 Tem por finalidade estabelecer

Leia mais

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág.

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág. Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2016 Segunda Feira Tempo estável Continuidade no trabalho de escavação Sendo executado estruturas de canteiro tais como: banheiro, vestiário e depósito de cimento Arrumação

Leia mais

ATA DA REUNIÃO DO CPN 8 DEZ 2011

ATA DA REUNIÃO DO CPN 8 DEZ 2011 Página: 1 de 7 Presentes: MEMBROS DO CPN: Bancada dos Empregadores: Haruo Ishikawa (CBIC)/(Coordenador); (SECONCI BRASIL/CBIC)/(Secretário Executivo), Andréia Kaucher (SECONCI BRASIL/CBIC), Sergio Ussan

Leia mais

Eng.º Ricardo Toscani Bairro Novo S.A.

Eng.º Ricardo Toscani Bairro Novo S.A. Eng.º Ricardo Toscani Bairro Novo S.A. Economia Mundial (PIB 2010) Economia Mundial (Taxa de Desemprego) Economia Mundial e Brasileira 2,0 % Economia Brasileira (Empregos Formais) Fonte: MTE Economia Brasileira

Leia mais

NORMALIZAÇÃO OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Eng. Fernando Matos Gerente da Qualidade Instituto Aço Brasil

NORMALIZAÇÃO OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Eng. Fernando Matos Gerente da Qualidade Instituto Aço Brasil NORMALIZAÇÃO OPORTUNIDADES E DESAFIOS Eng. Fernando Matos Gerente da Qualidade Instituto Aço Brasil Sumário Princípios e objetivos da Normalização Objetivos e estrutura do CB-28 Conceitos / terminologia

Leia mais

16/03/2017. Cuiabá/MT Março

16/03/2017. Cuiabá/MT Março Cuiabá/MT Março - 2017 1 Projetos ART Código de Obras Normas Regulamentadoras - NR18 Matrícula Imobiliária Legalização da Obra Anotação de Responsabilidade Técnica, documento do CREA (Conselho Regional

Leia mais