Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral"

Transcrição

1 Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral

2 A NR18 é a norma que regulamenta a Segurança e Medicina do Trabalho na Indústria da Construção Civil, instituída pela lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977, regulamentada pela portaria nº de 8 de junho de 1978, que altera o capítulo V do Título II da consolidação das Leis do trabalho, relativo à Segurança e Medicina do trabalho. a) Garantir, por ações preventivas, a integridade física e a saúde do trabalhador da construção, funcionários terceirizados, fornecedores, contratantes, visitantes, etc. Enfim, as pessoas que atuam direta ou indiretamente na realização de uma obra ou serviço; b) Estabelecer um sistema de gestão em Segurança do Trabalho nos serviços relacionados à construção, através da definição de atribuições e responsabilidades à equipe que irá administrar a obra.

3 NR 18 Áreas de Vivência Demolição Escavações, Fundações e Desmonte de Rochas Carpintaria Armações de Aço Estruturas de Concreto Estruturas Metálicas Operações de Soldagem e Corte a Quente Escadas, Rampas e Passarelas Medidas de Proteção Contra Quedas de Altura Movimentação e Transporte de Materiais e Pessoas Andaimes Cabos de Aço NR 18 Alvenaria, Revestimento e Acabamentos Serviços em Telhado Serviços em Flutuantes Instalações Elétricas Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Diversas Equipamentos de Proteção Individual Armazenamento e Estocagem de Materiais Transporte de Trabalhadores em Veíc. Automotores Proteção Contra Incêndios Sinalização de Segurança Treinamento Ordem e Limpeza Tapume e Galerias

4 NR 18 Acidentes Dados Estatísticos CIPA Comitês Permanentes Nacionais/Regionais Disposições Gerais Disposições Finais Disposições Transitórias ComitÄ Permanente Nacional CPN O CPN foi criado pela NR-18, promulgada pela Portaria N 3.214, de 08 de junho de 1978, modificada pela Portaria N 4, de 04 de julho de 1995, em especial para seu item e seus subitens. Instituído em 1995 tem como objetivo deliberar a respeito das propostas apresentadas pelo CPR; reunindo as 3 bancadas - empregado, empregador e governo para as discussões/ negociações dos assuntos relativos a segurança e saúde do trabalho na indústria da construção. ComitÄ Permanente Regional CPR Formado em 1996, na capital, e a partir de 2001, no interior do estado, reúne as 3 bancadas - empregado, empregador e governo para as discussões/negociações dos assuntos relativos a segurança e saúde do trabalho na indústria da construção.

5

6 Consideram-se atividades da Indústria da Construção as constantes do Quadro I, Código da Atividade Específica, da NR 4 - Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho e as atividades e serviços de demolição, reparo, pintura, limpeza e manutenção de edifícios em geral, de qualquer número de pavimentos ou tipo de construção, inclusive manutenção de obras de urbanização e paisagismo. (18.1.2) É obrigatória a comunicação à Delegacia Regional do Trabalho, antes do início das atividades, das seguintes informações: (18.2.1) a) endereço correto da obra; b) endereço correto e qualificação (CEI,CGC ou CPF) do contratante, empregador ou condomínio; c) tipo de obra; d) datas previstas do início e conclusão da obra; e) número máximo previsto de trabalhadores na obra.

7 A matrícula da obra de construção civil deve ser efetuada no prazo máximo de até 30 dias do início de sua atividade, junto ao INSS. Os documentos e informações necessárias para proceder a matrícula de obra de construção civil, para obra de pessoa jurídica: a) dados cadastrais da empresa (razão social, endereço, CNPJ, etc.); b) dados do representante legal da empresa (nome, endereço, CPF, etc.); c) dados da obra (tipo, características, área, endereço, etc.) e d) cópia do instrumento de constituição e respectivas alterações, comprovante de inscrição no CNPJ, projeto devidamente aprovado pelo CREA, anotações de responsabilidade técnica - ART, alvará de concessão de licença para construção e outros que se fizerem necessários.

8 São obrigatórios a elaboração e o cumprimento do PCMAT nos estabelecimentos com 20 (vinte) trabalhadores ou mais, contemplando os aspectos desta NR e outros dispositivos complementares de segurança. (18.3.1) O PCMAT deve contemplar as exigências contidas na NR 9 - Programa de Prevenção e Riscos Ambientais. ( ) O PCMAT deve ser mantido no estabelecimento à disposição do órgão regional do Ministério do Trabalho - MTb. ( ) O PCMAT deve ser elaborado e executado por profissional legalmente habilitado na área de segurança do trabalho. (18.3.2)

9 A implementação do PCMAT nos estabelecimentos é de responsabilidade do empregador ou condomínio. (18.3.3) Documentos que integram o PCMAT: (18.3.4) 1) memorial sobre condições e meio ambiente de trabalho nas atividades e operações, levando-se em consideração riscos de acidentes e de doenças do trabalho e suas respectivas medidas preventivas; 2) projeto de execução das proteções coletivas em conformidade com as etapas de execução da obra; 3) especificação técnica das proteções coletivas e individuais a serem utilizadas; 4) cronograma de implantação das medidas preventivas definidas no PCMAT; 5) layout inicial do canteiro de obras, contemplando, inclusive, previsão de dimensionamento das áreas de vivência; 6) programa educativo contemplando a temática de prevenção de acidentes e doenças do trabalho, com sua carga horária.

10 A elaboração do PCMAT é realizada em 5 etapas: 1. Análise de projetos - É a verificação dos projetos que serão utilizados para a construção, com o intuito de conhecer quais serão os métodos construtivos, instalações e equipamentos que farão parte da execução da obra. 2. Vistoria do local - A vistoria no local da futura construção serve para complementar a análise de projetos. Esta visita fornecerá informações sobre as condições de trabalho que efetivamente serão encontradas na execução da obra. Por exemplo: verificar o quanto e em que local haverá escavação, se há demolições a serem feitas, quais as condições de acesso do empreendimento, quais as características do terreno, etc. 3. Reconhecimento e avaliação dos riscos - Nesta etapa é feito o diagnóstico das condições de trabalho encontradas no local da obra. Surgem, então, a avaliação qualitativa e quantitativa dos riscos, para melhor adoção das medidas de controle.

11 A elaboração do PCMAT é realizada em 5 etapas: 4. Elaboração do documento base - É a elaboração do PCMAT propriamente dito. É o momento onde todo o levantamento anterior é descrito e são especificadas as fases do processo de produção. Na etapa do desenvolvimento do programa têm de ser demonstradas quais serão as técnicas e instalações para a eliminação e controle dos riscos. 5. Implantação do programa - É a transformação de todo o material escrito e detalhado no programa para as situações de campo.

NR 18. Segurança na Construção Civil

NR 18. Segurança na Construção Civil NR 18 Segurança na Construção Civil Tópicos da NR 18 Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT Áreas de Vivência

Leia mais

NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO

NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO PLANO DE TRABALHO PRESSUPOSTOS Pontos fortes Norma extremamente avançada quando da sua concepção; Inovadora na criação do diálogo tripartite CPN; Proporcionou alta capilaridade

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Desenvolver e aplicar os conceitos de

Leia mais

FUNDAMENTOS E PRÁTICA PROFISSIONAL I. Slide 8 Prof Eng. e Arq. Marcos R. Frois

FUNDAMENTOS E PRÁTICA PROFISSIONAL I. Slide 8 Prof Eng. e Arq. Marcos R. Frois FUNDAMENTOS E PRÁTICA PROFISSIONAL I Slide 8 Prof Eng. e Arq. Marcos R. Frois Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA N.º

NORMA REGULAMENTADORA N.º SUMÁRIO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NORMA REGULAMENTADORA N.º 10 2. Formação profissional 2.1 Qualificação 2.2 Habilitação 2.3 Capacitação 2.4 Autorização 3. Medidas de controle

Leia mais

Programa obrigatório em qualquer empresa que possua funcionários regidos pela CLT, independente da quantidade. Deve ser coordenado por Médico com

Programa obrigatório em qualquer empresa que possua funcionários regidos pela CLT, independente da quantidade. Deve ser coordenado por Médico com Saúde e Segurança no Trabalho Gestão de Segurança na Construção Civil e Seus Pontos Positivos PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional O que é? Programa obrigatório em qualquer empresa que

Leia mais

Panorama da Construção civil no Brasil e os avanços na Legislação em Saúde, Segurança no Trabalho

Panorama da Construção civil no Brasil e os avanços na Legislação em Saúde, Segurança no Trabalho 15º CONGRESSO NACIONAL DA ANAMT 2013 Panorama da Construção civil no Brasil e os avanços na Legislação em Saúde, Segurança no Trabalho Haruo Ishikawa Vice-presidente de Relações Capital-Trabalho do SindusCon-SP

Leia mais

PCMAT. Programa de Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção

PCMAT. Programa de Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção PCMAT Programa de Condições e Meio Ambiente na Indústria da Construção Características da atividade Heterogeneidade do produto final Temporariedade do estabelecimento Transitoriedade de processos, instalações

Leia mais

A Inspeção do Trabalho na Construção Civil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Abril de 2012

A Inspeção do Trabalho na Construção Civil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Abril de 2012 A Inspeção do Trabalho na Construção Civil Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Abril de 2012 Inspeção em SST - Construção Civil Ações 2007 2008 2009 2010 2011

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 01. Procedimento para fundações, escavações e desmonte de rocha.

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 01. Procedimento para fundações, escavações e desmonte de rocha. Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. Objetivo Este Manual de Recomendação, tem como objetivo, assegurar que todas as obras efetuem proteção coletiva que prever a adoção de medidas que evitem a ocorrência de desmoronamento,

Leia mais

Inspeção de Segurança

Inspeção de Segurança Inspeção de Segurança Disciplina: Segurança do Trabalho Professora: Elizabeth Spengler Cox de Moura Acadêmicos: Daniel Baldasso Rolón Daniel Humberto Carvalho Conceito Atividade que busca identificar condições

Leia mais

Migrar os dados pertinentes aos levantamentos ambientais para os campos do item 15 do PPP.

Migrar os dados pertinentes aos levantamentos ambientais para os campos do item 15 do PPP. Guia de Estudo Professora Autora: Maria Beatriz de Freitas Lanza Professora Telepresencial: Maria Beatriz de Freitas Lanza Coordenador de Conteúdo: Pedro Sérgio Zuchi Objetivos Após o estudo da Aula, esperamos

Leia mais

ITENS MAIS AUTUADOS PELA SRTE-RJ E AS RECENTES ALTERAÇÕES DA NR-06 E NR-18

ITENS MAIS AUTUADOS PELA SRTE-RJ E AS RECENTES ALTERAÇÕES DA NR-06 E NR-18 ITENS MAIS AUTUADOS PELA SRTE-RJ E AS RECENTES ALTERAÇÕES DA NR-06 E NR-18 Itens mais autuados pela Superintendência Regional do Trabalho SRTE-RJ relativos à Saúde Ocupacional Norma Item da norma Nome

Leia mais

LISTA DE EXERCÌCIOS 1

LISTA DE EXERCÌCIOS 1 Faculdade Anhanguera de Guarulhos Rua do Rosário, 300, Centro - Guarulhos SP. Data: / / 2014 Nota: Nome RA Assinatura Ergonomia e Segurança do Trabalho José Jorge Alcoforado Curso/Turma Disciplina Professor

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES. Jeferson Seidler

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES. Jeferson Seidler CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Objetivo A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar

Leia mais

Segurança do Trabalho na Construção Civil. Enga. Civil Olivia O. da Costa

Segurança do Trabalho na Construção Civil. Enga. Civil Olivia O. da Costa Segurança do Trabalho na Construção Civil Enga. Civil Olivia O. da Costa Qual a importância da Segurança do Trabalho na Construção Civil? A construção civil é o quinto setor econômico em número de acidentes

Leia mais

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA)

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA) Capítulo 4 Riscos ambientais empresariais Segundo o artigo 9.1.5 da Portaria n 25, de 29.12.94, do Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, considera-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos

Leia mais

Normativas Gerais da NR-18

Normativas Gerais da NR-18 Normativas Gerais da NR-18 18.12 - ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS 2 ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS - A transposição de pisos com diferença de nível superior a 40cm deve ser feita por meio de escadas ou rampas.

Leia mais

PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração

PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração XXXI Jornada Paranaense de Saúde Ocupacional, IV Congresso Paranaense de Medicina do Trabalho II Encontro Iberoamericano II Simpósio Paranaense de Higiene Ocupacional PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração

Leia mais

TECNICAS CONSTRUTIVAS I

TECNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TECNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br O que é canteiro de obras? Área de trabalho

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES OBJETIVO Este anexo estabelece requisitos mínimos de segurança

Leia mais

LAUDO DE PERICULOSIDADE. Elaboração: Reginaldo Beserra Alves Eng. de Seg. do Trabalho CREA D/PB

LAUDO DE PERICULOSIDADE. Elaboração: Reginaldo Beserra Alves Eng. de Seg. do Trabalho CREA D/PB LAUDO DE PERICULOSIDADE Elaboração: Reginaldo Beserra Alves Eng. de Seg. do Trabalho CREA 5.907 D/PB Manaus Amazonas Fevereiro / 2013 APRESENTAÇÃO A elaboração do Laudo Técnico de Periculosidade cumpre

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes 04/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009 SEGURANÇA NO TRABALHO E A NR-10 PALESTRA PARA OS COLABORADORES DA RHMED RJ 13/03/2009 NR-10 PORTARIA M.T.E 598 DE 07-12-2004 IMPLANTAÇÃO DO PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OBJETIVO IMPLEMENTAÇÃO DE

Leia mais

Plano de gerenciamento de resíduos sólidos - PGRS

Plano de gerenciamento de resíduos sólidos - PGRS Plano de gerenciamento de resíduos sólidos - PGRS Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil Marco mundial: Agenda 21 (ECO-92): busca do desenvolvimento sustentável e é o principal

Leia mais

Prevenção de Riscos de Acidentes: Saúde e Segurança no Meio Ambiente da Indústria da Construção Civil PCMAT

Prevenção de Riscos de Acidentes: Saúde e Segurança no Meio Ambiente da Indústria da Construção Civil PCMAT Prevenção de Riscos de Acidentes: Saúde e Segurança no Meio Ambiente da Indústria da Construção Civil PCMAT Tânia Regina Dias Silva Pereira (UNEB) tanreg@uneb.br Autimio Batista Guimarães Filho (UNEB)

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA

AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA AVALIAÇÃO GLOBAL AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA 2014 / 2015 Empresa: SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE- SUSAM- HPS 28 DE AGOSTO Responsável Técnica: Reginaldo Beserra Alves Eng.º Segurança no Trabalho CREA 5.907-D/PB

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE RESPOSTA A EMERGÊNCIAS PRE PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA NOVA NR-20

COMO ELABORAR UM PLANO DE RESPOSTA A EMERGÊNCIAS PRE PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA NOVA NR-20 COMO ELABORAR UM PLANO DE RESPOSTA A EMERGÊNCIAS PRE PARA ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA NOVA NR-20 A nova Norma Regulamentadora NR-20, em seu item 20.14.2, determina que a empresa deve elaborar o plano de resposta

Leia mais

SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO. Professor: Gleison Renan Inácio Curso: Tecnólogo Mecatrônica

SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO. Professor: Gleison Renan Inácio Curso: Tecnólogo Mecatrônica SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO Professor: Gleison Renan Inácio gleison.renan@ifsc.edu.br Curso: Tecnólogo Mecatrônica NR-4 - SERVIÇOS - Aula ESPECIALIZADOS 02 EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO

Leia mais

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Documentos legais: PPRA, LTCAT, PPP, PCMSO, E social; Monitoramento de Ruído, vibração, calor e químicos (NR 15) Emissão de laudos técnicos em atendimento a NR 15 e NR 16 Assistência técnica Pericial;

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Obrigatoriedade de capacitação e autorização para trabalhos em altura e com eletricidade

Orientações Consultoria de Segmentos Obrigatoriedade de capacitação e autorização para trabalhos em altura e com eletricidade Orientações Consultoria de Segmentos trabalhos em altura e com eletricidade 08/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

Aula 3. Normas Regulamentadoras de Segurança, Medicina e Higiene do Trabalho

Aula 3. Normas Regulamentadoras de Segurança, Medicina e Higiene do Trabalho Aula 3 Normas Regulamentadoras de Segurança, Medicina e Higiene do Trabalho São normas que definem os parâmetros legais de atuação da sociedade sobre as condições de trabalho. Fiscalização Penalidades

Leia mais

Exames Médicos Complementares na Construção Civil

Exames Médicos Complementares na Construção Civil Exames Médicos Complementares na Construção Civil Fundamentação Legal Conforme, o art. 200 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT cabe ao Ministério do Trabalho estabelecer as disposições complementares

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 806, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016.

LEI COMPLEMENTAR Nº 806, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016. LEI COMPLEMENTAR Nº 806, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre a realização de inspeção predial em edificações no Município de Porto Alegre. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber que a Câmara

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Arranjo Físico e Instalações, Aspectos Ergonômicos, Sinalização, Procedimentos de Trabalho e Segurança e Capacitação Clarice I. Lorenzi Eng. de

Leia mais

D O P A R A N Á C O N S T R U Ç Ã O D O F Ó R U M E L E I T O R A L D E

D O P A R A N Á C O N S T R U Ç Ã O D O F Ó R U M E L E I T O R A L D E N o v e m b r o / 2 0 1 4 M E M O R I A L D E S C R I T I V O P R O J E T O A R Q U I T E T Ô N I C O E C O M P L E M E N T A R E S C O N S T R U Ç Ã O D O F Ó R U M E L E I T O R A L D E P O N T A G R

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS Saúde e Seguranca Ocupacional Prof. Carlos William de Carvalho 1 NR-1 Disposições Gerais Determina a aplicabilidade de todas as normas regulamentadoras, assim como os direitos e

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

NORMAS REGULAMENTADORAS DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NORMAS REGULAMENTADORAS DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NR 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS (101.000-0) Publicado pela Portaria GM nº 3.214, de 08/06/1978 - DOU de 06/07/1978 Alterado pela Portaria SIT nº 84, de

Leia mais

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 04 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 - dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s)

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) http://www.mte.gov.br/ NR 01 Disposições Gerais 02 Inspeção Prévia 03 Embargo ou Interdição TEMA 04 Serviços Especializados em Eng. de Segurança

Leia mais

Normas Regulamentadoras (NR)

Normas Regulamentadoras (NR) Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Normas Regulamentadoras (NR) Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR Relativas à segurança e medicina do trabalho;

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA PASSARELA

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA PASSARELA MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA PASSARELA INDICE 1.0-APRESENTAÇÃO 2.0-MEMORIAL DESCRITIVO- PROJETO ESTRUTURAL 2.1-Dados geral 2.2-Disposições gerais 2.3-Omissões 2.4-Execução 2.5-Responsabilidades da empresa

Leia mais

DIRETRIZES DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO

DIRETRIZES DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO Normas NR: NO 1 Pág: 1/8 DIRETRIZES DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO 1. Objetivo Determinar as diretrizes do Sistema Brasileiro de Acreditação desenvolvido sob a égide e orientação da Organização Nacional

Leia mais

CASTELINHOS REFEIÇÕES LTDA UNIDADE: HOSPITAL GETÚLIO VARGAS

CASTELINHOS REFEIÇÕES LTDA UNIDADE: HOSPITAL GETÚLIO VARGAS Serviço de Assessoria em Segurança e Medicina do Trabalho Laboratório de análises e patologia clínica Av. Ayrão, 518 Centro Fone: 3637 77 65 Manaus / Amazonas CASTELINHOS REFEIÇÕES LTDA UNIDADE: HOSPITAL

Leia mais

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES A sigla CIPA significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, isto é, trata-se de um grupo de pessoas que atua no interior da empresa com o objetivo

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

OS DESAFIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PPP E DO CONSTRUÇÃO

OS DESAFIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PPP E DO CONSTRUÇÃO OS DESAFIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PPP E DO LTCAT NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO P P P (PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO) E LTCAT (LAUDO TÉCNICO DE CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO) PPP E LTCAT FUNDAMENTAÇÃO

Leia mais

DECRETO Nº , DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014.

DECRETO Nº , DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014. DECRETO Nº 18.574, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014. Regulamenta o art. 10 da Lei Complementar nº 284, de 27 de outubro de 1992, que dispõe sobre as regras gerais e específicas a serem obedecidas na manutenção

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES

IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES IMPLANTAÇÃO DA NR-10 NAS OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS IMPACTOS E OPORTUNIDADES Engº Wilmar Fratini Comissão Metroferroviária - GT de Gestão Integrada São Paulo - 29.08.07 Norma Regulamentadora nº 10 SEGURANÇA

Leia mais

NR-18 - Comitê Permanente Regional - MG SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CPR MG

NR-18 - Comitê Permanente Regional - MG SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CPR MG CONSTITUIÇÃO DO CPR - MG No dia 06/01/1993, na DRT-MG Divisão de Relações do Trabalho, é criada a COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NAS INDUSTRIAS DA CONSTRUÇÃO. Tendo como participantes: - DRT-MG - FUNDACENTRO

Leia mais

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1. Norma Regulamentadora 04 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.0 - jun/13 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

NR18- PROCESSO DE REVISÃO. Luiz Carlos Lumbreras Rocha AFT-SRTE-RJ

NR18- PROCESSO DE REVISÃO. Luiz Carlos Lumbreras Rocha AFT-SRTE-RJ NR18- PROCESSO DE REVISÃO Luiz Carlos Lumbreras Rocha AFT-SRTE-RJ CRONOGRAMA DE TRABALHO Junho de 2012 a maio de 2013 Elaboração do texto-base por representantes da SIT Maio de 2013 a agosto de 2013 Consulta

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DO SUBSTITUTIVO Nº 01

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DO SUBSTITUTIVO Nº 01 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DO SUBSTITUTIVO Nº 01 Toda a edificação sofre com o passar do tempo envelhecimento de seus componentes, que precisam ser acompanhados e corrigidos, para que sejam mantidas as características

Leia mais

Canteiro de Obras - Conceito

Canteiro de Obras - Conceito Canteiro de Obras Canteiro de Obras - Conceito Segundo a norma NR-18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção, define-se canteiro de obras como: Área de trabalho fixa e temporária

Leia mais

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO 3ª EDIÇÃO ÍNDICE GERAL P/ 1/5 0 DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO, ORÇAMENTO... 2/39 CONTRATO, SUBCONTRATAÇÃO... 6/39 PRAZO DE EXECUÇÃO, GARANTIA DE SERVIÇO... 7/39 INST. DA OBRA, PESSOAL DA CONTRATADA... 8/39

Leia mais

São Paulo, 18 de Novembro de CP-954VV-11/11

São Paulo, 18 de Novembro de CP-954VV-11/11 São Paulo, 18 de Novembro de 2011. CP-954VV-11/11 ASSUNTO: Proposta técnica e financeira para prestação dos serviços de consultoria na recuperação da impermeabilização do térreo do empreendimento Condomínio

Leia mais

NR 7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. 29 de dezembro de 1994

NR 7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. 29 de dezembro de 1994 NR 7 PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL 29 de dezembro de 1994 Objetivo Estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam

Leia mais

PORTFOLIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA O SEGMENTO SEGURANÇA

PORTFOLIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA O SEGMENTO SEGURANÇA PORTFOLIO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PARA O SEGMENTO SEGURANÇA Senac Rondônia APRESENTAÇÃO A concepção educacional do Senac visa atender à missão de "Educar para o trabalho em atividades do Comércio de Bens,

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL DO PPRA

AVALIAÇÃO GLOBAL DO PPRA AVALIAÇÃO GLOBAL DO VIGÊNCIA: NOVEMBRO DE 2015 à NOVEMBRO DE 2016. Empresa: P.M.F TRANSPORTES ESPECIAIS LTDA. Responsável Técnico: REGINALDO BESERRA ALVES Engº Segurança no Trabalho CREA 5907-D/ PB Avaliação

Leia mais

1.1 Indústria da Construção Civil É UMA INDÚSTRIA? 1.1 Indústria da Construção Civil. 1.1 Indústria da Construção Civil

1.1 Indústria da Construção Civil É UMA INDÚSTRIA? 1.1 Indústria da Construção Civil. 1.1 Indústria da Construção Civil 1.1 Indústria da Construção Civil Disciplina: Planejamento e Controle de Obras Aula 01 Introdução ao Planejamento de Obras Professora: Engª Civil Moema Castro, MSc. É UMA INDÚSTRIA? Indústria: toda atividade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 Justificativa: Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os Geradores para a elaboração

Leia mais

OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO.

OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO. OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO www.grupomednet.com.br [ quem somos? ] 550 7100 MIL VIDAS CLIENTES 30 UNIDADES 22 ANOS 11 ESTADOS SISTEMA PRÓPRIO DE

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO Unidade I ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO Prof. Ricardo Calasans As organizações Conceito de organização: a organização, segundo Barnard (1997), é um sistema de atividades conscientemente

Leia mais

Plano de Gerenciamento de resíduos da construção civil

Plano de Gerenciamento de resíduos da construção civil 1 Plano de Gerenciamento de resíduos da construção civil 2 Definição PGRS é parte integrante da Lei 12.305, de 2010, que instituiu o PNRS Plano Nacional de Resíduos Sólidos; PGRCC é um documento que aponta

Leia mais

CURSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO. Normas Regulamentadoras

CURSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO. Normas Regulamentadoras CURSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Normas Regulamentadoras Conteúdo programático O que são NRś Quais as NRś Vigentes NR -1 Disposições Gerais NR 2 Inspeção Prévia NR 3 Embargo ou Interdição NR 4 Serviços

Leia mais

GESTÃO DE SSMA EM CANTEIROS DE OBRAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PREDIAL

GESTÃO DE SSMA EM CANTEIROS DE OBRAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PREDIAL GESTÃO DE SSMA EM CANTEIROS DE OBRAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PREDIAL Título Fonte Calibri 20 Negrito Branca xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. Floriano Costa Eng.º de Segurança do Trabalho Julho de 2016 TIPOS DE OBRAS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO REV. 01 Rodovia PR-317 Km 106+200m Maringá PR Tel.: (44) 3033-6000 Fax: (44) 3033-6060 CEP 87065-005 http://www.viapar.com.br SUMÁRIO 1. FLUXOGRAMA

Leia mais

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades CLT Consolidação das Leis do Trabalho É de obrigação legal para os empregadores a Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977 relativa a segurança e medicina do trabalho

Leia mais

Roteiro de Solicitação

Roteiro de Solicitação Roteiro de Solicitação Número Roteiro.LP. 6-01 Nome Roteiro: Licença Prévia para comércio varejista de produtos farmacêuticos sem manipulação de fórmulas Objetivo: Requerer a Licença Prévia para comércio

Leia mais

Disciplina: Engenharia de Segurança. Tema: Introdução à Engenharia de Segurança. NR 1 - Disposições Gerais

Disciplina: Engenharia de Segurança. Tema: Introdução à Engenharia de Segurança. NR 1 - Disposições Gerais Disciplina: Engenharia de Segurança Tema: Introdução à Engenharia de Segurança NR 1 - Disposições Gerais 1.1. As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE PERICULOSIDADE.

LAUDO TÉCNICO DE PERICULOSIDADE. LAUDO TÉCNICO DE PERICULOSIDADE. VIGÊNCIA: JANEIRO DE 2016 à JANEIRO DE 2017 Empresa: PANIFICADORA CONDE LTDA FILIAL 03 Responsável Técnico: Reginaldo Beserra Alves Engº Segurança do Trabalho CREA 5907

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENG EDIFICAÇÕES I TRABALHO PRÁTICO /1 PROF. RUY ALBERTO CREMONINI

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENG EDIFICAÇÕES I TRABALHO PRÁTICO /1 PROF. RUY ALBERTO CREMONINI 1. INTRODUÇÃO O trabalho tem como objetivo o acompanhamento da execução de uma obra de edifício de múltiplos pavimentos (mais de 04 pavimentos) com estrutura em concreto armado moldado no local e vedações

Leia mais

Norma Regulamentadora 07. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 07. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 07 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 - dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA

RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA RESUMO DA PAUTA REUNIÃO NR 16, ANEXO IV ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM ENERGIA ELÉTRICA 1. Tem direito ao adicional de periculosidade os trabalhadores das empresas que operam em instalações ou equipamentos

Leia mais

Acidentes do Trabalho e suas Consequências Sociais e Econômicas

Acidentes do Trabalho e suas Consequências Sociais e Econômicas Acidentes do Trabalho e suas Consequências Sociais e Econômicas Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho Trabalhador é selecionado na sociedade e encaminhado à empresa, com seu estado atual físico e de

Leia mais

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto outubro/2001 AULA 11 CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto PCC-2302: Gestão da Produção na Construção Civil II Profs. Silvio Melhado e Mercia Barros Assistentes de Ensino: Rita Medeiros; Janayna Aquino;

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO Ref.: IT 001/Seg

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO Ref.: IT 001/Seg Página 1 de 5 1. Objetivo Promover a permanente melhoria e contínua compatibilização do trabalho com a prevenção da vida, integridade e patrimônio do SAAE Sorocaba, e a promoção da saúde e segurança dos

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS. Data: 30/03/2015 Rev.: 04. Ação Quem faz Por que faz Como faz Quanto ($) Prazo Status Comentário

PLANO DE AÇÃO - PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS. Data: 30/03/2015 Rev.: 04. Ação Quem faz Por que faz Como faz Quanto ($) Prazo Status Comentário Data: 3/3/ Rev.: 4 1 Contratação de empresa realização de serviços limpeza de caixa SAO Para evitar transbordamento/cont aminação Contratação - licitação 2 de CFTV Monitoramento e vigilância Contratado

Leia mais

Gabinete do Vereador Rodrigo Farah

Gabinete do Vereador Rodrigo Farah Lei n.º 2.963/2012 Ementa: Determina a realização periódica de inspeções em edificações no âmbito do Município de Niterói e dá outras providências. Art. 1º Ficam dispostas, nos termos desta Lei, regras

Leia mais

OBRA: EXECUÇÃO DE PAISAGISMO ESCOLA: LICEU DE CAUCAIA ASSUNTO: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

OBRA: EXECUÇÃO DE PAISAGISMO ESCOLA: LICEU DE CAUCAIA ASSUNTO: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: EXECUÇÃO DE PAISAGISMO ESCOLA: LICEU DE CAUCAIA ASSUNTO: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 01. OBJETO: 01.01. Estas especificações dizem respeito à execução do paisagismo. 01.02. Ela tem por finalidade definir

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 277 DE 06 DE OUTUBRO DE 2011 (D.O.U. de 10/10/2011 - Seção 1 - págs. 82 a 88) (Retificada no D.O.U. de 1º/11/11 - Seção

Leia mais

Equipamentos Mecânicos Industriais. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

Equipamentos Mecânicos Industriais. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Equipamentos Mecânicos Industriais Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Equipamentos Mecânicos Industriais PERÍODO LETIVO: 8º CARGA HORÁRIA: 30 h OBJETIVOS GERAL: Saber os fundamentos e informações essenciais

Leia mais

indústria da fundição e estratégias para atendimento da norma

indústria da fundição e estratégias para atendimento da norma Aspectos da NR 12 aplicáveis à indústria da fundição e estratégias para atendimento da norma João Campos Joinville outubro de 2014 Quem mexeu na minha máquina NR-12 Máquinas e equipamentos (1978) NR 12

Leia mais

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro.

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro. Aberturas em pisos e paredes. Revisão: 00 Folha: 1 de 5 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras efetuem a montagem e a colocação das proteções de acordo com as especificações da NR -18 e

Leia mais

Como integrar os treinamentos. nas questões de Segurança e Saúde do. Trabalho na Indústria da Construção

Como integrar os treinamentos. nas questões de Segurança e Saúde do. Trabalho na Indústria da Construção Como integrar os treinamentos nas questões de Segurança e Saúde do Trabalho na Indústria da Construção TREINAR Dicionário Aurélio: Tornar apto, capaz, para determinada tarefa ou atividade; habilitar. Vídeo:

Leia mais

O X da questão: como ter um PCMAT proativo

O X da questão: como ter um PCMAT proativo João Pessoa, 23 e 24 de fevereiro de 2016 O X da questão: como ter um PCMAT proativo Soraia di Cavalcanti Pinheiro Auditora Fiscal do Trabalho / MTPS Membro CPR PROATIVIDADE habilidade de "prever" uma

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO MOBILIÁRIO BLOCOS 100,200 E 300

MEMORIAL DESCRITIVO MOBILIÁRIO BLOCOS 100,200 E 300 FOLHA 1/5 MEMORIAL DESCRITIVO MOBILIÁRIO BLOCOS 100,200 E 300 FOLHA 2/5 INDICE 1 OBJETIVO... 3 2 DEFINIÇÕES... 3 3 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 3 4 MATERIAIS E ACABAMENTOS... 3 5 INSTALAÇÃO... 5 6 DESCRIÇÃO

Leia mais

MPT. Ministério Público do Trabalho RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS OCUPACIONAIS

MPT. Ministério Público do Trabalho RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS OCUPACIONAIS MPT Ministério Público do Trabalho RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS OCUPACIONAIS JULIANA BORTONCELLO FERREIRA Procuradora do Trabalho EXEMPLOS DE FATORES OCUPACIONAIS DE RISCO

Leia mais

Montagem de Mezaninos Metálicos em Estações da Fase II da Linha 4 Amarela do Metrô/SP, em Convivência com a Operação Comercial AEAMESP

Montagem de Mezaninos Metálicos em Estações da Fase II da Linha 4 Amarela do Metrô/SP, em Convivência com a Operação Comercial AEAMESP Montagem de Mezaninos Metálicos em Estações da Fase II da Linha 4 Amarela do Metrô/SP, em Convivência com a Operação Comercial Jean José de Lima Vanessa Alessandra Salvador 21ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

Leia mais

Anexo I Análise Técnica (POI nº 27) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado.

Anexo I Análise Técnica (POI nº 27) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado. Anexo I Análise Técnica (POI nº 7) Legislação: Resolução ANP nº 0, de 9/06/009. Requerente: CNPJ: Processo nº: Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou

Leia mais

Terceirização e Trabalho Temporário

Terceirização e Trabalho Temporário Terceirização e Trabalho Temporário Lei 13.429, de 31/03/2017 que promove alterações na Lei 6019 que disciplina as relações de trabalho na empresa de trabalho temporário, na empresa de prestação de serviços

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ARTES E ARQUITETURA - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ARTES E ARQUITETURA - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ARTES E ARQUITETURA - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO PROF. EDGAR ALBUQUERQUE GRAEFF Mauro César de Brito e Silva maurocesarbsilva@gmail.com

Leia mais

NR4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho

NR4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho NR4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho A NR 4 diz respeito aos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT)e tem como finalidade

Leia mais

Lideres - IBJO 07/09/2014

Lideres - IBJO 07/09/2014 IGREJA BATISTA JARDIM DAS OLIVEIRAS PLANO DE AÇÃO PLANEJAMENTO 2014/2020 Lideres - IBJO 07/09/2014 PLANO DE AÇÃO (PA) Objetivo: Alvará de Funcionamento Definitivo e Aprovação do Projeto Construtivo do

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON

FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO CP 318/15 Contratação de empresa especializada para substituição de telhas metálicas e manutenção de estrutura metálica da cobertura do Hemocentro Regional de Joinville. 2.

Leia mais