EDUCAÇÃO PELO CINEMA XI: CINEMA CONTEMPORÂNEO E INCLUSÃO SOCIAL 1. Palavras-Chave: Educação, Inclusão social, Educação Especial.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDUCAÇÃO PELO CINEMA XI: CINEMA CONTEMPORÂNEO E INCLUSÃO SOCIAL 1. Palavras-Chave: Educação, Inclusão social, Educação Especial."

Transcrição

1 EDUCAÇÃO PELO CINEMA XI: CINEMA CONTEMPORÂNEO E INCLUSÃO SOCIAL 1 SILVA, Andreone de Amorim 2 NASCIMENTO, Grazielly Vilhalva Silva SILVA, Aline Maira 3 Palavras-Chave: Educação, Inclusão social, Educação Especial. Introdução O projeto Educação pelo Cinema foi desenvolvido pelo Departamento de Educação da UFMS no ano de 2000 e, atualmente, é implementado pela Faculdade de Educação da UFGD. Desde sua criação, o projeto caracteriza-se como um espaço de debates e uma oportunidade de análise crítica sobre a conjuntura geral e a educação, em especial. Embora realizado com filmes comerciais, entendemos que estes têm trazido elementos para uma discussão sobre a realidade, porque, mesmo que retrate a perspectiva do diretor, a ficção é percebida pelo espectador como realidade. Ou seja, entendemos o cinema como uma arte expressiva de uma determinada visão sobre o mundo, com conteúdo filosófico, estético, ético e educativo, que possibilita e privilegia diferentes apreensões dessa realidade situada num contexto histórico-social. Os filmes têm sido muito usados na escola, mas '[...] sempre como um recurso para 'passar uma mensagem' ou ilustrar uma aula; [...]' (MORAES, 1998, p.37). A proposta do presente projeto, sem desconsiderar a importância do filme como 'recurso didático' foi fazer uso do filme '[...] como objeto de análise, como uma reflexão sobre a realidade, [...] que permite senão o conhecimento da 'verdade educacional' ao menos da verdade do imaginário social sobre a escola' (MORAES, 1998, p.37). Todavia não tivemos a intenção de didatizar ou escolarizar o cinema, mas sim utilizá-lo como meio de explorarmos e entendermos os problemas complexos de nosso tempo e da nossa existência, questionando a realidade e compreendendo o texto e o contexto apresentado. 1 Resumo revisado pelos Coordenadores da Ação de Extensão: Grazielly Vilhalva Silva do Nascimento e Aline Maira da Silva. Educação pelo cinema XI: Cinema contemporâneo e inclusão social. Código: Acadêmico do curso de Psicologia da Universidade Federal da Grande Dourados. 3 Docentes da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Grande Dourados.

2 A décima primeira edição do projeto teve como foco a exibição e discussão de filmes que abordam os obstáculos enfrentados pelas pessoas com deficiências assim como a forma como as mesmas os superam, buscando uma relação entre o cinema contemporâneo e a inclusão social. Julgamos pertinente para o momento atual em que vivemos, promover reflexão e discussão sobre a importância de garantir e de como garantir, a igualdade de direitos e a consequente inclusão social de grupos excluídos de nossa sociedade, devido à deficiência. A inclusão social pode ser considerada um movimento que, historicamente, foi marcado por lutas sociais realizadas por grupos minoritários, assim como por seus representantes, com o objetivo de conquistar a possibilidade de exercer seus direitos e ter acesso a todos os ambientes que são comuns para a vida em sociedade (ARANHA, 2004). O projeto não contou com procedimento metodológico originário de conteúdos e procedimentos avaliativos fixos. Pretendeu-se que todos os participantes pudessem cultivar momentos lúdicos de entretenimento, prazer, reflexão e aprendizagem. Segundo Almeida (1994) filmes não são somente recursos didáticos, eles propõem uma forte absorção de visão de mundo. Em vista disso, o projeto teve como objetivo geral oferecer um espaço de discussões e reflexões sobre a inclusão social das pessoas com deficiência, por meio do cinema. Os objetivos específicos foram: a) tornar possível um exercício de reflexão para além do cinema como lazer e entretenimento; b) criar um espaço de debate por meio da interação com o filme como recurso didático, para além dos espaços acadêmicos e de sala de aula; c) propor reflexão e debate sobre as necessidades e potencialidades das pessoas com deficiência, as dificuldades que as mesmas enfrentam para conseguir participar efetivamente da sociedade e os exemplos de superação. Metodologia O projeto teve início no mês maio de 2011 e foi encerrado no mês de dezembro do mesmo ano. Participaram acadêmicos da Universidade Federal da Grande Dourados, professores das estadual e municipal de ensino, assim como demais interessados no filme cinematográfico para além do simples entretenimento. No total, o projeto contou com a participação de 54 pessoas.

3 Foram realizados oito encontros de cinco horas cada, que aconteciam mensalmente, aos sábados, no Cine Auditório da Unidade I da Universidade Federal da Grande Dourados. Os filmes selecionados para exibição foram: 1. Como estrelas na terra toda criança é especial (Índia, 2007); 2. Filhos do silêncio (Estados Unidos, 1986); 3. E seu nome é Jonas (Estados Unidos, 1979); 4. Vermelho como o céu (Itália, 2006); 5. Gaby: uma história verdadeira (Estados Unidos, 1987); 6. O oitavo dia (Bélgica, França, Reino Unido, 1996); 7. Uma família especial (Estados Unidos, 2005); 8. Simples como amar (Estados Unidos, 1999). No início da sessão acontecia a exibição do filme, e posteriormente era realizada uma discussão com um professor convidado. Todos os debatedores são professores da Universidade Federal da Grande Dourados, envolvidos direta com a área de Educação Especial. As sessões da atividade de extensão foram avaliadas por meio de um questionário fechado entregue aos participantes ao final de cada encontro. O objetivo do questionário foi levantar a opinião dos participantes sobre: a) opinião sobre o filme selecionado; b) pertinência da escolha do filme; c) opinião sobre a discussão realizada; d) utilidade da discussão para ampliar o conhecimento sobre o tema da inclusão social e/ou questões relacionadas. Resultado e Discussão Os dados levantados pelos questionários podem ser observados nas Figuras 1, 2, 3 e 4. Em relação à opinião sobre o filme, a maioria dos participantes (81,4%) avaliou como ótima a qualidade dos filmes exibidos. Ruim Razoável Bom Ótimo Figura 1: Opinião dos participantes sobre os filmes exibidos.

4 Quanto à pertinência do filme em relação à temática da inclusão social, a maior parte dos participantes (96,5%) avaliou que os filmes selecionados muito pertinentes. Nada Pouco Muito Figura 2: Opinião dos participantes quanto à pertinência dos filmes exibidos. No que diz respeito à opinião sobre a discussão realizada após a exibição dos filmes, os aspectos positivos foram indicados com maior frequência: interessante (55,7%), instigadora (23,9%) e relevante (17,1%). Cabe destacar que, nessa questão, havia a possibilidade de selecionar mais de um item como resposta. Pouco Produtiva Relevante Instigadora Cansativa Interessante Figura 3: Opinião dos participantes as discussões realizadas. Quanto à relevância das discussões realizadas, a maioria dos participantes (91,6%) julgou que o projeto de extensão foi útil para ampliar o conhecimento sobre o tema da inclusão social e/ou questões relacionadas.

5 Não Mais ou Menos Sim Figura 4: Opinião sobre a relevância das discussões. Com base nesses resultados podemos observar que os filmes foram de grande valia para atingir o objetivo do projeto que era a discussão e reflexão da inclusão social das pessoas com deficiência (suas necessidades e potencialidades), por meio do cinema. Conclusões O projeto alcançou seu objetivo e trouxe um melhor entendimento para acadêmicos, docentes e a comunidade externa sobre a inclusão social das pessoas com deficiência. Além disso, o projeto evidenciou e debateu sobre as dificuldades que as pessoas com deficiência enfrentam para viver em sociedade e forneceu vários exemplos de como tais dificuldades podem ser superadas. Referências Bibliográficas ALMEIDA, M. J. de. Imagem e sons, a nova cultura oral. Coleção questões da nossa época, v. 32. São Paulo: Cortez, ARANHA, M. S. F. Educação inclusiva: transformação social ou retórica? In: Inclusão: intenção e realidade. OMOTE, S. (org.) Marília: Fundepe, MORAES, R. C. C. de. Universidade hoje - Ensino, pesquisa, extensão. Educação e Sociedade, v.19, n.63, 1998, p

A PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REGIÃO CENTRO-OESTE: MAPEAMENTO DE TESES E DISSERTAÇÕES

A PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REGIÃO CENTRO-OESTE: MAPEAMENTO DE TESES E DISSERTAÇÕES A PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REGIÃO CENTRO-OESTE: MAPEAMENTO DE TESES E DISSERTAÇÕES Etiene Paula da Silva Diniz/FAED-UFGD 1 Aline Maira da Silva/FAED-UFGD 2 Leonardo Santos Amâncio Cabral/ FAED-UFGD

Leia mais

PROGRAMA CINEMA E TEATRO À SERVIÇO DA CIDADANIA E DO COMPORTAMENTO SUSTENTÁVEL

PROGRAMA CINEMA E TEATRO À SERVIÇO DA CIDADANIA E DO COMPORTAMENTO SUSTENTÁVEL PROGRAMA CINEMA E TEATRO À SERVIÇO DA CIDADANIA E DO COMPORTAMENTO SUSTENTÁVEL Oficinas de Cine Clube O projeto pretende oferecer aos jovens a oportunidade de atuarem como agentes culturais da comunidade

Leia mais

PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO

PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO - 2013 PORTARIA Nº 1.566 DE 18/03/08 Nome da Unidade Educacional EMEI MÁRIO SETTE Diretoria Regional de Educação CAMPO LIMPO Modalidade (art.2º): A tematização das práticas desenvolvidas

Leia mais

O USO DO CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O USO DO CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O USO DO CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Emanuela Suassuna de Araújo (1); Vanessa da Silva Santos (1) Universidade Federal da Paraíba, suassuna.emanuela@gmail.com (1); Universidade Federal

Leia mais

MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA

MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA Adriana Letícia Torres da Rosa adrianarosa100@gmail.com Cristina Lúcia de Almeida krisluci@yahoo.com.br José Batista de Barros Instituto

Leia mais

TGD - O POSICIONAMENTO DA ESCOLA REGULAR NA INCLUSÃO DE ALUNOS COM AUTISMO. PALAVRAS - CHAVE: Autismo. Ações pedagógicas. Escola inclusiva.

TGD - O POSICIONAMENTO DA ESCOLA REGULAR NA INCLUSÃO DE ALUNOS COM AUTISMO. PALAVRAS - CHAVE: Autismo. Ações pedagógicas. Escola inclusiva. TGD - O POSICIONAMENTO DA ESCOLA REGULAR NA INCLUSÃO DE ALUNOS COM AUTISMO Aletéia Cristina Bergamin¹ Célia Regina Fialho Bortolozo² Profª Dra Eliana Marques Zanata³ Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 224 aprovado pela portaria Cetec nº 168 de 07/05/2013 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

Semana do Conhecimento - 16 a 20 de outubro de Orientações para o XX Encontro de Extensão

Semana do Conhecimento - 16 a 20 de outubro de Orientações para o XX Encontro de Extensão Semana do Conhecimento - 16 a 20 de outubro de 2017 Orientações para o XX Encontro de Extensão O XX Encontro de Extensão objetiva promover a divulgação dos trabalhos de extensão desenvolvidos na Universidade

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFG, CAMPUS JATAÍ: A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E FORMAÇÃO.

II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFG, CAMPUS JATAÍ: A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E FORMAÇÃO. II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFG, CAMPUS JATAÍ: A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E FORMAÇÃO. PACHECO 1, Jade Alves de Souza; SOARES 2, Nayana Carvalho; SILVA 3, Bianca Fernandes

Leia mais

O ensino de Sociologia e a temática Afro-Brasileira: aproximações. Estevão Marcos Armada Firmino SEE/SP

O ensino de Sociologia e a temática Afro-Brasileira: aproximações. Estevão Marcos Armada Firmino SEE/SP O ensino de Sociologia e a temática Afro-Brasileira: aproximações. Estevão Marcos Armada Firmino SEE/SP estevão.armada@yahoo.com.br 1. Introdução De acordo com a Lei Federal n 11.645/08, torna-se obrigatório

Leia mais

2. AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS

2. AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS 1. ORIENTAÇÕES GERAIS 1.1 As submissões dos trabalhos e vídeos deverão ser feitas após inscrição e pagamento de pelo menos um dos autores no XII ENEX. Este autor será responsável pelo preenchimento da

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E ABRANGÊNCIA ART. 1º - Denomina-se

Leia mais

EDITAL PROEXT Nº 04/2017 Seleção de voluntários para o Projeto Universidade Aberta à Maturidade

EDITAL PROEXT Nº 04/2017 Seleção de voluntários para o Projeto Universidade Aberta à Maturidade EDITAL PROEXT Nº 04/2017 Seleção de voluntários para o Projeto Universidade Aberta à Maturidade A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, por intermédio da Pró-Reitoria de Extensão - PROEXT,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Contabilidade

Leia mais

REGULAMENTO - INSCRIÇÃO DE FILMES

REGULAMENTO - INSCRIÇÃO DE FILMES REGULAMENTO - INSCRIÇÃO DE FILMES 1 SOBRE O PROGRAMA CINEMA Cinema sem Fronteiras é um programa nacional de audiovisual que reúne as três mostras anuais diferenciadas e complementares que a Universo Produção

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

O USO DE VÍDEOS NAS AULAS DE GEOGRAFIA NA SEGUNDA FASE DO ENSINO FUNDAMENTAL

O USO DE VÍDEOS NAS AULAS DE GEOGRAFIA NA SEGUNDA FASE DO ENSINO FUNDAMENTAL O USO DE VÍDEOS NAS AULAS DE GEOGRAFIA NA SEGUNDA FASE DO ENSINO FUNDAMENTAL Silvani Gomes Messias¹. Wânia Chagas Faria Cunha². 1 Graduanda do Curso de Geografia do Campus Anápolis de CCSEH/UEG. E-mail:

Leia mais

IFG Departamento De Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

IFG Departamento De Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas IFG Departamento De Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas PROJETO PRÁTICA CURRICULAR Projeto desenvolvido em atendimento parcial à demanda estabelecida no Curso de Licenciatura Plena em História

Leia mais

O lúdico e o fictício como conteúdos de extensão à história da arte

O lúdico e o fictício como conteúdos de extensão à história da arte O lúdico e o fictício como conteúdos de extensão à história da arte Autor: Tiago Henrique Ribeiro Aluno do curso de Design Gráfico da Universidade Federal de Pelotas Orientadora: Profª. Drª. Mônica Lima

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos

Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos Regulamento do I Curso de Verão de Farmacologia PPgPNSB/CCS/UFPB Realização:

Leia mais

II CONGRESSO BRASILEIRO DE PRODUÇÃO DE VÍDEO ESTUDANTIL REGULAMENTO

II CONGRESSO BRASILEIRO DE PRODUÇÃO DE VÍDEO ESTUDANTIL REGULAMENTO II CONGRESSO BRASILEIRO DE PRODUÇÃO DE VÍDEO ESTUDANTIL 1. O EVENTO REGULAMENTO As escolas ainda estão centradas no discurso escrito deixando de lado o poder das imagens; e os alunos vivenciam um novo

Leia mais

AI - RESULTADO ALUNOS GERAL - POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS

AI - RESULTADO ALUNOS GERAL - POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS AUTO AVALIAÇÃO 2010 A Avaliação Institucional é um dos pilares na construção de uma instituição de Ensino Superior democrática comprometida com os desafios que são impostos pela sociedade, portanto é importante

Leia mais

Relatório da Palestra: Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho

Relatório da Palestra: Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho Assembleia Legislativa do Estado de Goiás Relatório da Palestra: Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho Goiânia Maio de 2016 1. Descrição geral da atividade A, da Assembleia Legislativa do

Leia mais

II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia

II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia 24 a 27 de Julho de 2012 Instituto de Física, Universidade de São Paulo, São Paulo (SP) 1ª Circular e Chamada de Trabalhos O II Simpósio Nacional de Educação

Leia mais

PIBID - RECURSOS DE ATIVIDADES LÚDICAS PARA ENSINAR APRENDER HISTÓRIA

PIBID - RECURSOS DE ATIVIDADES LÚDICAS PARA ENSINAR APRENDER HISTÓRIA PIBID - RECURSOS DE ATIVIDADES LÚDICAS PARA ENSINAR APRENDER HISTÓRIA Paulo Célio Soares 1 Luciano Alves Pereira, Flaviane Rezende De Almeida, Daniele Ouverney Francisco 2 Resumo Este artigo tem como objetivo

Leia mais

RELATOS DE EXPERIÊNCIA: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES-PNAIC

RELATOS DE EXPERIÊNCIA: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES-PNAIC RELATOS DE EXPERIÊNCIA: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES-PNAIC Juscinária Tavares da Silva Universidade Estadual de Roraima- UERR RESUMO O presente trabalho trata-se de um relato de experiência

Leia mais

Avaliação dos Trabalhos ENEC Encontro de Extensão e Cultura e ENAF Encontro de Atividades Formativas

Avaliação dos Trabalhos ENEC Encontro de Extensão e Cultura e ENAF Encontro de Atividades Formativas Avaliação dos Trabalhos ENEC Encontro de Extensão e Cultura e ENAF Encontro de Atividades Formativas A apresentação de trabalhos pelos bolsistas e voluntários dos diferentes programas e projetos de extensão

Leia mais

Tainah VERAS 1 Maria Eugênia PORÉM 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, SP

Tainah VERAS 1 Maria Eugênia PORÉM 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, SP Atuação multidisciplinar em atividades de comunicação na Televisão Universitária Unesp: relato de experiência do NRPTVU 1 Tainah VERAS 1 Maria Eugênia PORÉM 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

Relatório da Avaliação pela CPA

Relatório da Avaliação pela CPA FACULDADES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA E INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA de novembro Relatório da Avaliação pela CPA 00 Visando atender a abrangência necessária

Leia mais

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM)

IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM) IX Seminário de Ensino de Línguas Estrangeiras (SELES) V Seminário de Ensino de Língua Materna (SELM) I Seminário Nacional Integrado da Área das Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Língua Portuguesa,

Leia mais

INCLUSÃO: UMA PRÁTICA POSSÍVEL NA ESCOLA JOÃO BATISTA LIPPO NETO NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DO RECIFE.

INCLUSÃO: UMA PRÁTICA POSSÍVEL NA ESCOLA JOÃO BATISTA LIPPO NETO NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DO RECIFE. INCLUSÃO: UMA PRÁTICA POSSÍVEL NA ESCOLA JOÃO BATISTA LIPPO NETO NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DO Introdução RECIFE. Eliana Ferreira Banja Fernandes PCR e-mail: elainebanja@hotmail.com Edielson

Leia mais

Retratos do Mundo: a humanidade em perspectiva

Retratos do Mundo: a humanidade em perspectiva Retratos do Mundo: a humanidade em perspectiva É necessário cultivar a capacidade crítica, a compreensão do mundo e do homem para que efetivamente valha a pena viver. As Humanidades possuem essa função.

Leia mais

Didática e Formação de Professores: provocações. Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas

Didática e Formação de Professores: provocações. Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Didática e Formação de Professores: provocações Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Vivemos tensões nas propostas e concretizações da formação inicial de professores, com padrões culturais formativos

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de História, Currículo, Currículo do Estado de São Paulo.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de História, Currículo, Currículo do Estado de São Paulo. O CURRÍCULO E O ENSINO DE HISTÓRIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? José Antonio Gonçalves Caetano- UEL 1 zg_caetano@hotmail.com CAPES-Cnpq Marlene Rosa Cainelli - UEL 2 RESUMO Este

Leia mais

PROJETO DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR

PROJETO DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR PROJETO DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR Augustinópolis 2017.2 1 - NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Docência do Ensino Superior, com carga horária de

Leia mais

Falar em público Uma competência Transversal no Ensino

Falar em público Uma competência Transversal no Ensino Ação de Formação Falar em público Uma competência Transversal no Ensino Formadora: Doutora Carla Gerardo Modalidade: Curso de Formação Duração: 16 horas 1- Créditos: 0,6 créditos N.º de acreditação: CCPFC/ACC-80730/15

Leia mais

EDITAL Nº 001/17- ST

EDITAL Nº 001/17- ST EDITAL Nº 001/17- ST A Comissão Organizadora da Semana Transdisciplinar 2017 da Faculdade Pitágoras São Luís/MA torna público a abertura de inscrições e estabelece normas relativas à participação e apresentações

Leia mais

PROGRAMAÇÃO 28/07 Quinta-Feira 1º Momento (9h): Abertura oficial representantes do Instituto SOS Pequeninos, PELC e controle social.

PROGRAMAÇÃO 28/07 Quinta-Feira 1º Momento (9h): Abertura oficial representantes do Instituto SOS Pequeninos, PELC e controle social. Entidade: Instituto SOS Pequeninos Local: Rua Dr. Silvio de Moraes Sales, 101 Campinas/SP Representante: Eliana de Toledo Ishibashi Datas de realização: 28 a 31 de julho de 2011. Formador: André Capi Objetivos:

Leia mais

O PROJETO SALA DE EDUCADORES: UMA REFLEXÃO E UM DIÁLOGO POR MEIO DA ETNOMATEMÁTICA

O PROJETO SALA DE EDUCADORES: UMA REFLEXÃO E UM DIÁLOGO POR MEIO DA ETNOMATEMÁTICA O PROJETO SALA DE EDUCADORES: UMA REFLEXÃO E UM DIÁLOGO POR MEIO DA ETNOMATEMÁTICA Clécio Rodrigues de Souza SENAC Penha souzaclecio@gmail.com Fabio Pereira da Silva SENAC Penha fabio.psilva@sp.senac.br

Leia mais

O CINEMA COMO DISPOSITIVO FORMATIVO: CONTRIBUIÇÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA DOCENTE

O CINEMA COMO DISPOSITIVO FORMATIVO: CONTRIBUIÇÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA DOCENTE O CINEMA COMO DISPOSITIVO FORMATIVO: CONTRIBUIÇÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA DOCENTE Vanessa Alves da Silveira de Vasconcellos Caroline Ferreira Brezolin Valeska Fortes de Oliveira Universidade Federal

Leia mais

NOTAS 2 BIMESTRE 1 ANO

NOTAS 2 BIMESTRE 1 ANO 1,5 PORTIFOLIO 1,5 SEMINARIOS 1,5 PORTIFOLIO 1,5 SEMINARIOS A Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, em parceria com a Secretaria de Cultura do Distrito Federal, realizará o 2º Festival

Leia mais

Apresentação da Edição Temática Especial da Revista Tecnologias na Educação para o I Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação

Apresentação da Edição Temática Especial da Revista Tecnologias na Educação para o I Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação 1 Apresentação da Edição Temática Especial da Revista Tecnologias na Educação para o I Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação Esta edição temática da Revista Tecnologias na Educação é fruto

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1 Em resposta ao Of. Circular Nº 170/2014, da Secretaria de

Leia mais

EXPERIÊNCIA TEATRAL NAS ATIVIDADES DO PIBID: A VIDA DE MALBA TAHAN E O HOMEM QUE CALCULAVA

EXPERIÊNCIA TEATRAL NAS ATIVIDADES DO PIBID: A VIDA DE MALBA TAHAN E O HOMEM QUE CALCULAVA ISSN 2316-7785 EXPERIÊNCIA TEATRAL NAS ATIVIDADES DO PIBID: A VIDA DE MALBA TAHAN E O HOMEM QUE CALCULAVA Eduardo Post edupost32@hotmail.com Tatiane Fontana Ribeiro URI Universidade Regional Integrada

Leia mais

A MONITORIA COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DE APRENDIZAGEM

A MONITORIA COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DE APRENDIZAGEM A MONITORIA COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DE APRENDIZAGEM Andre Reuel Vieira Gomes (Bolsista); Karla Katiuscia Nóbrega de Almeida (Professor Coordenador/Orientador) Centro de Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

PARALISIA CEREBRAL: UM ESTUDO DE CASO DE SOUZA, M.M.¹, CAMARGO, F.N.P.²

PARALISIA CEREBRAL: UM ESTUDO DE CASO DE SOUZA, M.M.¹, CAMARGO, F.N.P.² PARALISIA CEREBRAL: UM ESTUDO DE CASO DE SOUZA, M.M.¹, CAMARGO, F.N.P.² ¹ Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSUL) Bagé RS Brasil. Email: duisouza07@gmail.com ² Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSUL)

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Educação Inclusiva Código da Disciplina: EDU 319 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 2015/1 Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU519 DISCIPLINA: PRATICA EDUCATIVA I - DIDÀTICA CARGA HORÁRIA: 75h EMENTA: OBJETIVOS:

Leia mais

14 a 18 de Novembro de 2017

14 a 18 de Novembro de 2017 CHAMADA PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS CONFAEB 2017 XXVII CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DE ARTE/EDUCADORES DO BRASIL V CONGRESSO INTERNACIONAL DOS ARTE/EDUCADORES II SEMINÁRIO DE CULTURA E EDUCAÇÃO DE MATO

Leia mais

Aspectos desta Avaliação

Aspectos desta Avaliação Avaliação do Evento Realização Aspectos desta Avaliação Opinião dos Participantes sobre o Evento Opiniões, Sugestões e Comentários Opinião dos Participantes sobre o Evento Compilação de avaliações feitas

Leia mais

EXPERIÊNCIAS A CERCA DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO

EXPERIÊNCIAS A CERCA DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO EXPERIÊNCIAS A CERCA DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO Wilian Schmidt wstschmidt@hotmail.com Lidiane Buligon buligon.l@ufsm.br Carmen Vieira Mathias carmen@ufsm.br

Leia mais

Edital: Concurso de Artigos do Curso de Direito da Faculdade Ruy Barbosa

Edital: Concurso de Artigos do Curso de Direito da Faculdade Ruy Barbosa Edital: Concurso de Artigos do Curso de Direito da Faculdade Ruy Barbosa As Coordenações do Curso de Direito da Faculdade Ruy Barbosa, campi Rio Vermelho e Paralela, no intuito de fomentar a produção acadêmica

Leia mais

AS BRINCADEIRAS COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

AS BRINCADEIRAS COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL AS BRINCADEIRAS COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria de Lourdes do Nascimento Marques Graduanda em Pedagogia pelo PARFOR da Universidade Federal do Piauí E-mail: lourdesmarques1327@gmail.com

Leia mais

PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA

PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 RESUMO PROJETO CINEMAPSI: ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM PSICOLOGIA Monique Santos Ysmael Rocha Fátima

Leia mais

III Encontro sobre Biodiversidade e Biologia de Organismos Neotropicais

III Encontro sobre Biodiversidade e Biologia de Organismos Neotropicais NORMAS PARA CONFECÇÃO E SUBMISSÃO DOS RESUMOS 1. MODALIDADES DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DISPONÍVEIS E PROCEDIMENTOS DE SUBMISSÃO DE RESUMOS -No III BIOBON é possível apresentar os resultados de seu trabalho

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Palavras-Chave: Prática Formativa. Desenvolvimento Profissional. Pibid.

Palavras-Chave: Prática Formativa. Desenvolvimento Profissional. Pibid. O SUBPROJETO DO CURSO DE PEDAGOGIA NO PIBID/ CAPES/UFAC COMO PRÁTICA FORMATIVA E SUAS REPERCUSSÕES NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE: APROXIMAÇÕES INICIAIS Lúcia de Fátima Melo Universidade Federal

Leia mais

Education and Cinema. Valeska Fortes de Oliveira * Fernanda Cielo **

Education and Cinema. Valeska Fortes de Oliveira * Fernanda Cielo ** Educação e Cinema Education and Cinema Valeska Fortes de Oliveira * Fernanda Cielo ** Rosália Duarte é professora do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação, da PUC do Rio de

Leia mais

A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DO GÊNERO BILHETE: UM CAMINHO DE APRENDIZAGEM PARA O ALUNO SURDO

A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DO GÊNERO BILHETE: UM CAMINHO DE APRENDIZAGEM PARA O ALUNO SURDO A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DO GÊNERO BILHETE: UM CAMINHO DE APRENDIZAGEM PARA O ALUNO SURDO RESUMO Sonia Maria Deliberal Professora da rede estadual Mestranda de língua portuguesa PUC SP e-mail: Kamilio.deliberal@terra.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO NAUODONTO Janeiro a Dezembro de 2015 Professores do NAUODONTO: Ramona Fernanda

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO FÍSICA DOS DEFICIÊNTES FÍSICOS E VISUAIS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE LONDRINA Guilherme Sanches Valverde Rosangela Marques Busto Universidade Estadual de

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Relatório de Autoavaliação às Unidades Curriculares EDUCAÇÃO BÁSICA (Licenciatura) - 2016/2017 1.º Semestre 1. Introdução A avaliação está intimamente ligada ao processo de qualidade, de desenvolvimento

Leia mais

HUMANISMO EM NOVE LIÇÕES QUARTA EDIÇÃO

HUMANISMO EM NOVE LIÇÕES QUARTA EDIÇÃO HUMANISMO EM NOVE LIÇÕES QUARTA EDIÇÃO A quarta edição do curso Humanismo em Nove Lições foi realizada no início do mês de agosto em Belém, no Pará, tendo sido promovida pelo CEDES em associação com a

Leia mais

EDITAL III SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS DOCENTES DO UGB

EDITAL III SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS DOCENTES DO UGB EDITAL III SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS DOCENTES DO UGB 1. APRESENTAÇÃO Os que se encantam com a prática sem a ciência são como os timoneiros que entram no navio sem timão nem bússola,

Leia mais

IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES?

IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? Inaiana Costa Gama (1); Jakson Luís Galdino Dourado (2); Thiego Barros de Almeida Brandão (3); Maiara Pessoa Bispo (4) (1) Universidade

Leia mais

Edital de Inscrição no V Seminário Pibid História Ufac: direitos, humanidades e história Apresentação

Edital de Inscrição no V Seminário Pibid História Ufac: direitos, humanidades e história Apresentação Edital de Inscrição no V Seminário Pibid História Ufac: direitos, humanidades e história Apresentação O V Seminário Pibid História Ufac: direitos, humanidades e história, que será realizado no período

Leia mais

ATIVIDADES DO PROJETO CINEMAS E TEMAS EM 2016

ATIVIDADES DO PROJETO CINEMAS E TEMAS EM 2016 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( X ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

I CONGRESSO BRASILEIRO DE PRODUÇÃO DE VÍDEO ESTUDANTIL REGULAMENTO

I CONGRESSO BRASILEIRO DE PRODUÇÃO DE VÍDEO ESTUDANTIL REGULAMENTO I CONGRESSO BRASILEIRO DE PRODUÇÃO DE VÍDEO ESTUDANTIL REGULAMENTO 1 O EVENTO As escolas ainda estão centradas no discurso escrito deixando de lado o poder das imagens; e os alunos vivenciam um novo mundo

Leia mais

A RELEVÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A RELEVÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL A RELEVÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Rita Maria Luz Freitas Soares (1) ; Luciana Rocha Paula (2) ; Ernandes Damasceno da Costa (2) ; João da Paixão

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2017) Biblioteconomia e Ciência SEMESTRE 1 o semestre

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2017) Biblioteconomia e Ciência SEMESTRE 1 o semestre Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2017) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA TIPOLOGIA DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO CARGA HORÁRIA 72 h CURSO Biblioteconomia e Ciência SEMESTRE

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

I. APRESENTAÇÃO. Científica na FMSJC e tem por objetivo a divulgação das atividades de pesquisa

I. APRESENTAÇÃO. Científica na FMSJC e tem por objetivo a divulgação das atividades de pesquisa III ENCONTRO CIENTÍFICO INTERDISCIPLINAR DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS Tema: Alavancando a Pesquisa Científica na FMSJC EDITAL CP Nº 010 / 2016 Timon-MA, 22, 23 e 24 de novembro de 2016 I.

Leia mais

O ENSINO DE DIREITOS HUMANOS NOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO DO IFRS: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Laura, D. A. 1 ; Letícia S.F. 2

O ENSINO DE DIREITOS HUMANOS NOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO DO IFRS: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Laura, D. A. 1 ; Letícia S.F. 2 O ENSINO DE DIREITOS HUMANOS NOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO DO IFRS: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Laura, D. A. 1 ; Letícia S.F. 2 RESUMO- A temática dos direitos humanos é uma pauta cada vez mais presente no

Leia mais

Pesquisa Mestrado Alunos Regulares. Turma 2017/ º semestre de Metodologia e Análise do Discurso Jurídico

Pesquisa Mestrado Alunos Regulares. Turma 2017/ º semestre de Metodologia e Análise do Discurso Jurídico Pesquisa Mestrado Alunos Regulares Turma 2017/2019 1º semestre de 2017 Metodologia e Análise do Discurso Jurídico 1 Análise dos dados Pesquisa Mestrado Alunos Regulares Turma 2017/2019 1º semestre de 2017

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA RECREAÇÃO REABILITADORA: Uma intervenção na sociedade

PROGRAMA DE EXTENSÃO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA RECREAÇÃO REABILITADORA: Uma intervenção na sociedade PROGRAMA DE EXTENSÃO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA RECREAÇÃO REABILITADORA: Uma intervenção na sociedade ANGÉLICA DIAS DA ROSA 1 TATIANA VALÉRIA TREVISAN 2 SILMAR ZANON 3 RESUMO O Programa de Extensão

Leia mais

PROJETO CINECLUBE BAMAKO

PROJETO CINECLUBE BAMAKO PROJETO CINECLUBE BAMAKO Responsável: Gabriel Muniz Endereço e Contato: Rua João Guimarães,198, Casa 8, Santa Cecília, Porto Alegre-RS Fone: +55 51 99202 9983 E-mail: cineclubebamako@gmail.com Página:

Leia mais

EDITAL Nº 007/2017 POSEDUC/UERN

EDITAL Nº 007/2017 POSEDUC/UERN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN FACULDADE DE EDUCAÇÃO FE / DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO DE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO POSEDUC Campus Central BR 110 KM 46 Rua Prof. Antônio Campos,

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL O conhecimento como estratégia para o desenvolvimento Realização: INTRODUÇÃO A realidade socioeconômica, que aponta a valorização do capital humano nas

Leia mais

Primeira Circular e Chamada de Trabalhos Objetivos Atividades do Evento Público Alvo

Primeira Circular e Chamada de Trabalhos Objetivos Atividades do Evento Público Alvo Primeira Circular e Chamada de Trabalhos O V Simpósio Nacional de Educação em Astronomia (V SNEA) será realizado na Universidade Estadual de Londrina, PR, no período de 24 a 27 de julho de 2018. Objetivos

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA

PROGRAMA DE MONITORIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PROGRAMA DE MONITORIA Agosto/2010 2 1. O QUE É MONITORIA A Monitoria é a modalidade de ensino-aprendizagem,

Leia mais

COMPREENSÃO DE LICENCIANDOS EM BIOLOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

COMPREENSÃO DE LICENCIANDOS EM BIOLOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA COMPREENSÃO DE LICENCIANDOS EM BIOLOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA Rafaela Rocha-Oliveira 1 Maíra Souza Machado¹ Maxwell Siqueira¹ Viviane Borges Dias¹ Ana Cristina Santos Duarte 2 Palavras- chave: Educação

Leia mais

PROGRAMA MARISTÃO FAZ CIÊNCIA EDITAL 01/2017 SELEÇÃO DE PROJETOS

PROGRAMA MARISTÃO FAZ CIÊNCIA EDITAL 01/2017 SELEÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA MARISTÃO FAZ CIÊNCIA EDITAL 01/2017 SELEÇÃO DE PROJETOS A Comissão Organizadora do PROGRAMA MARISTÃO FAZ CIÊNCIA, do Colégio Marista de Brasília Ensino Médio, torna público pelo presente edital,

Leia mais

MANUAL SOBRE CURSO E OFICINA

MANUAL SOBRE CURSO E OFICINA DIRETORIA DE EXTENSÃO RURAL DER DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - DEED MANUAL SOBRE CURSO E OFICINA CURSO O que é: Método que produz conhecimentos de natureza teórica e prática, com programação específica,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COLEGIADO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COLEGIADO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COLEGIADO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO Professora: Dra. Elda Gomes Araújo e-mail: eldaaraujo@unifap.br Colegiado de origem: Pedagogia Disciplina: Pesquisa em Educação II Carga

Leia mais

CONHECENDO AS NECESSIDADES INFORMACIONAIS DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM FÍSICA DO IFRN CAMPUS JOÃO CÂMARA: ESTUDO DE CASO

CONHECENDO AS NECESSIDADES INFORMACIONAIS DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM FÍSICA DO IFRN CAMPUS JOÃO CÂMARA: ESTUDO DE CASO Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) CONHECENDO AS NECESSIDADES INFORMACIONAIS DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM FÍSICA DO IFRN CAMPUS JOÃO CÂMARA: ESTUDO DE CASO Vanessa Oliveira de Macêdo Cavalcanti

Leia mais

Alunos, professores, demais profissionais da educação e de outras áreas interessadas nos temas.

Alunos, professores, demais profissionais da educação e de outras áreas interessadas nos temas. A Educação Especial é definida pela LDBEN 9394/96 como modalidade de educação escolar que permeia todas as etapas e níveis do ensino. As escolas especiais assumem um papel importante, no sentido de apoiar

Leia mais

O que são os Núcleos Temáticos?

O que são os Núcleos Temáticos? O que são os Núcleos Temáticos? Dispositivos acadêmicos grupais de natureza multidisciplinar e transdisciplinar voltados para a ampliação e aprofundamento de temas de relevância social, cultural e científica

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO FACULDADE GUILHERME GUIMBALA CURSO DE PSICOLOGIA CLAUDIA RIOS NILSETE CAMPOS BRANCO NOELI MARTINS

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO FACULDADE GUILHERME GUIMBALA CURSO DE PSICOLOGIA CLAUDIA RIOS NILSETE CAMPOS BRANCO NOELI MARTINS ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO FACULDADE GUILHERME GUIMBALA CURSO DE PSICOLOGIA CLAUDIA RIOS NILSETE CAMPOS BRANCO NOELI MARTINS PROJETO DE ESTÁGIO CASA BRASIL NORTE PROFESSORA ROSNELDA PONICK JOINVILLE

Leia mais

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS 1. REGRAS GERAIS: REGRAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS - A programação do VII JUBRA será composta por Conferência de Abertura, Simpósios, Mesas Redondas (MR), Grupos de Trabalho (GTs), Comunicações Orais

Leia mais

ENTRE ESCOLA, FORMAÇÃO DE PROFESSORES E SOCIEDADE, organizados na seguinte sequência: LIVRO 1 DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO NA RELAÇÃO COM A ESCOLA

ENTRE ESCOLA, FORMAÇÃO DE PROFESSORES E SOCIEDADE, organizados na seguinte sequência: LIVRO 1 DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO NA RELAÇÃO COM A ESCOLA APRESENTAÇÃO Apresentar os resultados do XVII ENDIPE tem para nós o significado especial de dever cumprido. É a alegria de fazermos parte desta história, de estarmos juntos nesta caminhada de mais uma

Leia mais

CONCURSO O nosso Amigo

CONCURSO O nosso Amigo CONCURSO O nosso Amigo Elaboração de mascote da Consulta da Diabetes Infantil do Hospital Vila Franca de Xira e do Agrupamento de Saúde (ACES) Estuário do Tejo, a partir de desenhos realizados por alunos

Leia mais

ATIVIDADE LÚDICA "CRUZADA DOS PROTOZOÁRIOS": UMA ALTERNATIVA DIDÁTICA NO ENSINO DE BIOLOGIA.

ATIVIDADE LÚDICA CRUZADA DOS PROTOZOÁRIOS: UMA ALTERNATIVA DIDÁTICA NO ENSINO DE BIOLOGIA. ATIVIDADE LÚDICA "CRUZADA DOS PROTOZOÁRIOS": UMA ALTERNATIVA DIDÁTICA NO ENSINO DE BIOLOGIA. Maykon Rodrigues de Barros Moura¹; Ana Valéria Costa da Cruz²; Patrícia da Silva Sousa³; Renata Silva Santos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS - UNILAGO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS - UNILAGO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS - UNILAGO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO São José do Rio Preto 2015 REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS iii LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS Capítulo I Tabela nº 1 Composição da amostragem: professores e alunos em relação às quantidades de questionários enviados/recebidos na pesquisa.. 6 Tabela

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS E OS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA MUNICIPAL SILVESTRE FERNANDES ROCHA, EM ZÉ DOCA (MA).

A RELAÇÃO ENTRE A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS E OS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA MUNICIPAL SILVESTRE FERNANDES ROCHA, EM ZÉ DOCA (MA). A RELAÇÃO ENTRE A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS E OS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA MUNICIPAL SILVESTRE FERNANDES ROCHA, EM ZÉ DOCA (MA). Rosy Caroline Sousa Amorim Lima (1); Vera Rejane Gomes (2); Mailson Martinho

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro Universitário do Cerrado - Patrocínio (UNICERP) fundamenta a ação pedagógica, a ser desenvolvida junto aos alunos, na

Leia mais

CURSO: MÚSICA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: MÚSICA EMENTAS º PERÍODO CURSO: MÚSICA EMENTAS - 2017.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: TEORIA E PERCEPÇÃO MUSICAL II Desenvolvimento da percepção dos elementos da organização musical, através de atividades práticas; utilização de elementos

Leia mais

A apresentação de trabalhos será através de comunicação oral ou pôster.

A apresentação de trabalhos será através de comunicação oral ou pôster. TRABALHOS DISCENTES O 30º ENEBD pretende ampliar a contribuição científica dos participantes do evento, visando aproveitar o momento de reunião e confraternização de estudantes de diversas escolas e regiões

Leia mais