Elog, Columbia e EADI Sul se unem para formar uma nova empresa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Elog, Columbia e EADI Sul se unem para formar uma nova empresa"

Transcrição

1 15 de Março de 2011

2 Elog, Columbia e EADI Sul se unem para formar uma nova empresa As experiências se somam e os resultados, para os clientes, se multiplicam A sinergia de estrutura e serviços gera soluções integradas e inteligentes, com mais eficiência e valor agregado

3 MISSÃO: OTIMIZAR A CADEIA LOGÍSTICA DE SEUS CLIENTES

4 ÁREA DE COBERTURA Elog, Columbia e EADI Sul

5 EMPRESAS

6 ELOG Elog é a subholding de logística do grupo EcoRodovias Controla os negócios atuais de logística do Grupo, além das recém-adquiridas Columbia e EADI Sul

7 ESTRUTURA Ecopátio Imigrantes Total m² Ecopátio Cubatão Total m² Ecopátio Viracopos Total m²

8 COLUMBIA Fundada em 1942, tem como marcas: 1º Terminal Retroportuário Alfandegado do país 1º Operações de Logística Integrada (Centros Logísticos) 1º Identificação e coleta de dados por rádio-freqüência 1º Certificação ISO 9002

9 ESTRUTURA Centro de Distribuição Barueri - SP Total m2 Armazéns m2 Porto Seco Barueri - SP Total m2 Armazéns m2 Centro de Distribuição Cajamar - SP Total m2 Armazéns m2 Porto Seco São Paulo -SP Total m2 Armazéns m2 Porto Seco Campinas - SP Total 2.950m2 Armazéns m2 CLIA Santos - SP Total m2 Armazéns 7.600m2 Centro de Distribuição Rio de Janeiro Total m2 Armazéns m2

10 EADI SUL Oferece serviços logísticos no sul do Brasil Integra as operações com o Mercosul e demais regiões brasileiras

11 ESTRUTURA Porto Seco Jaguarão - RS Total m² Armazéns 1.500m² Porto Seco Sant Ana do Livramento - RS Total m² Armazém 1.000m² Porto Seco Uruguaiana - RS Total m² Armazéns 6.600m² Porto Seco Foz do Iguaçu - PR Total m² Armazéns 2.000m² Porto Seco Curitiba I - PR Total m² Armazéns 8.100m² Porto Seco Curitiba II - PR Total m² Armazéns m² CD Curitiba - PR Total m² Armazéns m²

12 PANORAMA GERAL DO SETOR

13 COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO BRASIL OCUPOU O 26º LUGAR DENTRE OS MAIORES IMPORTADORES MUNDIAIS EM 2009 IMPORTAÇÕES 2010: US$ 181,6 BILHÕES (CRESC. 42,3% EM RELAÇÃO A 2009) EXPORTAÇÕES 2010: US$ 201,9 BILHÕES (CRESC. 32,0% EM RELAÇÃO A 2009) ESTE ALTO VOLUME CIRCULA DIARIAMENTE POR DIVERSOS RECINTOS ALFANDEGADOS: I - DE ZONA PRIMÁRIA: PÁTIOS, ARMAZÉNS, TERMINAIS E OUTROS LOCAIS DESTINADOS À MOVIMENTAÇÃO E DEPÓSITO DE MERCADORIAS IMPORTADAS OU DESTINADAS À EXPORTAÇÃO, QUE DEVAM MOVIMENTAR-SE OU PERMANECER SOB CONTROLE ADUANEIRO, ASSIM COMO AS ÁREAS RESERVADAS À VERIFICAÇÃO DE BAGAGENS DESTINADAS AO EXTERIOR OU DELE PROCEDENTES; II - DE ZONA SECUNDÁRIA: ENTREPOSTOS, DEPÓSITOS, TERMINAIS OU OUTRAS UNIDADES DESTINADAS AO ARMAZENAMENTO DE MERCADORIAS NAS CONDIÇÕES DO INCISO ANTERIOR. Fonte: SECEX/ MDIC

14 PORTO DE SANTOS Participação dos Principais Portos na Corrente de Comércio Porto de Santos 32%. Passaram pelo Porto de Santos em 2010 o total de contêineres. Fonte: Aliceweb MDIC Participação por Valor em US$ Fob Fonte: Porto de Santos Valores em unidades de Contêineres

15 TRANSPORTE Matriz Brasileira de Transporte % TKU Movimentado Modais Utilizados Importação e Exportação Valor FOB (US$Bi) Aquaviário e Dutoviário 15% Aéreo 0% Rodoviário 63% Ferroviário 22% Fonte: Instituto ILOS, CSCMP s Annual State of Logistics Report E Ministério dos Transportes TKU - Toneladas por quilômetros úteis Fonte: Alice Web base 2010 Valor FOB (US$Bi)

16 MÉTRICAS

17 PARTICIPAÇÃO DE MERCADO ELOG NA MOVIMENTAÇÃO DE CONTÊINERES NO PORTO DE SANTOS

18 IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE CHEIOS E VAZIOS - LONGO CURSO EXCETO TRANSBORDO UNIDADE: QUANTIDADE DE CONTÊINERES SERVIÇOS: CLIA (IMPORTAÇÃO), DEPOT (VAZIOS) E REDEX (EXPORTAÇÃO) ANO PORTO DE SANTOS* CLIA SANTOS + ECOPÁTIO CUBATÃO ,9% Participação da Elog na Movimentação de Containers no Porto de Santos 1,9% 4,9% 4,9% 6,6% 8,7% PROJEÇÃO DE MARKET-SHARE MARKET-SHARE EFETIVO Variação 2010/ / /2011 Porto de Santos 22,1% 7,7% 5,0% Clia+Ecopátio 207,3% 44,9% 38,7% Fonte: CODESP - Mensário Estatístico Dados Internos CLIA Santos e Ecopátio Cubatão (REDEX, DEPOT e IMPORTAÇÃO) * Projeção de crescimento baseado no Plano de Expansão do Porto de Santos até 2024

19 PARTICIPAÇÃO DE MERCADO DOS PORTOS SECOS INTERIOR ELOG ZONA SECUNDÁRIA

20 PARTICIPAÇÃO NO VALOR TOTAL IMPORTADO POR SP E PR EXCETO SANTOS E FRONTEIRAS UNIDADE: VALOR FOB (US$ MIL) SERVIÇOS: PORTO SECO DO INTERIOR ANO TOTAL (SP+PR)* PORTOS SECOS¹ INTERIOR** ,2% 7,2% Participação dos Portos Secos da Elog no valor total importado em SP e PR 6,7% 6,7% 7,4% 7,6% PROJEÇÃO MARKET-SHARE MARKET-SHARE EFETIVO Variação 2010/ / /2011 Total Importação 38,6% 8,6% 15,4% Portos Secos Interior 29,1% 20,2% 18,0% 1- Unidades: Campinas, Barueri, São Paulo, Curitiba I e Curitiba II. Excluí-se: Santos e Fronteiras. Fonte: Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior SECEX - Base de Importação: apenas de produtos industrializados, exclui-se produtos básicos. Relatório SARA - Valor FOB (US$) dos documentos saída registrados no regime importação * Taxa de crescimento da importação baseada nas previsões da "Tendências Consultorias" ** Taxa de crescimento baseada nas projeções de faturamento do orçamento ELOG.

21 PARTICIPAÇÃO DE MERCADO ELOG FRONTEIRAS

22 INTERCÂMBIO COMERCIAL ENTRE BRASIL, URUGUAI, ARGENTINA, PARAGUAI E CHILE VALOR: FOB US$ MIL SERVIÇO: PORTO SECO DE FRONTEIRA ANO INTERCAMBIO COMERCIAL ENTRE OS PAÍSES¹ FRONTEIRAS² Intercâmbio Comercial entre Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile 32,3% 33,5% 30,1% ,3% 33,5% 30% PROJEÇÃO DE CONTRIBUIÇAO CONTRIBUIÇÃO EFETIVO Indicadores 2009/ /2009 Intercâmbio Comercial -24,5% 38,8% Fronteiras¹ -21,6% 24,6% Fonte: AliceWeb (MDIC) e Relatórios Internos. 1- Soma da Corrente de Comércio dos países: Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil 2- Unidades: Foz do Iguaçu, Uruguaiana, Jaguarão e Sant ana do Livramento

23 TRANSPORTE ELOG

24 PARTICIPAÇÃO DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE NO FATURAMENTO TOTAL DA ELOG UNIDADE: R$ MIL SERVIÇOS: TRANSPORTE RODOVIÁRIO Informação / Ano Faturamento Total Faturamento Transporte Participação do Transporte no Faturamento Total da Elog 13,5% 13,5% 17,1% 17,1% Projeção Partic. Transporte Partic. Efetiva Transporte Fonte: Dados Internos de Projeção de Faturamento em Transportes baseado na movimentação entre unidades Elog Crescimento: renovação de contratos pelo INCT

25 CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO ELOG

26 % DE PARTICIPAÇÃO DO SETOR NO FATURAMENTO DOS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO DA ELOG CLASSIFICAÇÃO* % PARTICIPAÇÃO NO FATURAMENTO DO CD¹ BRINQUEDOS 17,8% 11,8% COURO E CALÇADOS 15,4% 9,9% VESTUÁRIO 14,2% 11,6% PRODUTOS QUIMICOS 12,0% 11,5% ELETRICIDADE E GAS 10,4% 8,0% TECNOLOGIA 7,6% 18,6% FARMACEUTICO 7,1% 7,3% MAQUINAS E EQUIPAMENTOS 4,0% 5,6% ALIMENTOS, BEBIDAS E FUMO 3,0% 6,2% TELECOMUNICAÇÕES 1,7% 1,4% ELETRODOMÉSTICOS 1,0% 4,7% OUTRAS ATIV. E SERVIÇOS 5,8% 3,9% TOTAL 100% 100% OUTRAS ATIV. E SERVIÇOS ELETRODOMÉSTICOS TELECOMUNICAÇÕES ALIMENTOS, BEBIDAS E FUMO MAQUINAS E EQUIPAMENTOS FARMACEUTICO TECNOLOGIA ELETRICIDADE E GAS PRODUTOS QUIMICOS VESTUÁRIO COURO E CALÇADOS BRINQUEDOS 0% 5% 10% 15% 20% Unidades: Barueri, Cajamar, Curitiba e São Paulo Classificação baseada na classe correspondente ao CNPJ do cliente - CNAE 2.0 (Classificação Nacional de Atividades Econômicas); Exceto Brinquedos.

27 TAXA DE OCUPAÇÃO Informação / Ano Taxa (%) M2 Disponível (mil) Taxa (%) M2 Disponível (mil) Taxa (%) M2 Disponível (mil) Taxa (%) M2 Disponível (mil) Taxa (%) M2 Disponível (mil) CD Alphaville 66% 55 96% 55 85% 55 85% 55 85% 55 CD Cajamar 84% 33 74% 33 85% 33 85% 33 85% 33 CD Curitiba 58% 8 88% 16 85% 16 85% 20 85% 30 CD Imigrantes % 29 CD Viracopos % 25* 83% 35 TOTAL - M² disponível Crescimento M² disponível TOTAL - M² disponível Fonte: Dados Internos * Janeiro de mil m² e Julho de mil m². Ampliações futuras sempre previstas em julho

28 GLOSSÁRIO

29 GLOSSÁRIO LOGÍSTICO ABTI - Associação Brasileira dos Transportadores de Cargas Internacionais. ALADI Associação Latino-Americana de Integração. CIF - Cost, Insurance and Freight ou Custo, Seguro e Frete. Neste caso, o material cotado já tem tudo embutido no preço, ou seja, é posto no destino. CODESP - Companhia de Docas de São Paulo - Empresa que administra o Porto de Santos. CLIA Centros Logísticos e Industriais Aduaneiros. CNAE Classificação Nacional de Atividades Econômicas. DEPOT - Depósito para contêineres vazios. FOB - Free On Board ou Preço sem Frete Incluso (posto a bordo). Denominação da cláusula de contrato segundo a qual o frete não está incluído no custo da mercadoria. INCT - Índice Nacional do Custo do Transporte. MDIC - Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. NCM Nomenclatura Comercial do Mercosul. TEU Twenty Foot Equivalent Unit - Tamanho padrão de contêiner intermodal de 20 pés. TKU - Toneladas por quilômetros úteis - A produção em TKU é obtida multiplicando-se a tonelage transportada pela distância percorrida. REDEX - Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação. SARA WMS Sistema de Gerenciamento de informações Alfandegadas. SECEX - Serviços de Comercio Exterior. SICOEX - Sistema de Informações de Comércio Exterior.

30 RELAÇÕES COM INVESTIDORES Website Endereço Av. Brigadeiro Faria Lima, º andar - CEP São Paulo-SP BRASIL Telefone (11)

31 DISCLAIMER Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros e perspectivas de crescimento da EcoRodovias. Estas são apenas projeções e, como tais, baseiam-se exclusivamente nas expectativas da administração da EcoRodovias em relação ao futuro do negócio e seu contínuo acesso a capitais para financiar o plano de negócios da Companhia. Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças das condições de mercado e das regras governamentais, de pressões da concorrência, do desempenho do setor e da economia brasileira, entre outros fatores, além dos riscos apresentados nos documentos de divulgação arquivados pela EcoRodovias, estando, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio.

23 DE NOVEMBRO DE 2010

23 DE NOVEMBRO DE 2010 Reunião APIMEC - MG 23 DE NOVEMBRO DE 2010 ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos de logística

Leia mais

Reunião Pública APIMEC-SP NOVEMBRO DE 2011

Reunião Pública APIMEC-SP NOVEMBRO DE 2011 Reunião Pública APIMEC-SP NOVEMBRO DE 2011 Maringá Armazéns Gerais Ltda. e Maringá Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo Ltda. Porto Seco Maringá -67.000 m² de área total -7.000 m² de armazéns -760m³

Leia mais

Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10

Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10 Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10 EcoRodovias A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos de logísticas intermodal, concessões

Leia mais

Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10

Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10 Reunião APIMEC - RJ Resultados 2T10 EcoRodovias A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos de logísticas intermodal, concessões

Leia mais

REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-NE FORTALEZA/CE. Vida e desenvolvimento em equilíbrio

REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-NE FORTALEZA/CE. Vida e desenvolvimento em equilíbrio REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-NE FORTALEZA/CE Vida e desenvolvimento em equilíbrio 03/04/2012 Vida e desenvolvimento em equilíbrio A Companhia Oportunidades Concessões Rodoviárias Logística Desempenho Financeiro

Leia mais

DESPACHOS ADUANEIROS. Suprindo a necessidade cada vez mais exigente e dinâmica do Comercio Exterior.

DESPACHOS ADUANEIROS. Suprindo a necessidade cada vez mais exigente e dinâmica do Comercio Exterior. DESPACHOS ADUANEIROS Suprindo a necessidade cada vez mais exigente e dinâmica do Comercio Exterior. EMPRESA Nosso objetivo é personalizar o atendimento para cada empresa, dando-as exclusividade com células

Leia mais

Aquisição da Armazéns Gerais Columbia e EADI Sul

Aquisição da Armazéns Gerais Columbia e EADI Sul Aquisição da Armazéns Gerais Columbia e EADI Sul 2 de junho de 2010 1 Aquisição da Armazéns Gerais Columbia e EADI Sul pela ELOG Assinatura do contrato de compromisso de compra e venda da Armazéns Gerais

Leia mais

Agenda. Por que Elog? Sobre a Elog. Prêmios e certificações. Elog fazendo a diferença. Unidades: São Paulo

Agenda. Por que Elog? Sobre a Elog. Prêmios e certificações. Elog fazendo a diferença. Unidades: São Paulo Agenda Por que Elog? Sobre a Elog Nossas capacidades Prêmios e certificações Elog fazendo a diferença Unidades: São Paulo Agenda Por que Elog? Sobre a Elog Nossas capacidades Prêmios e certificações Elog

Leia mais

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre BM&FBOVESPA: ECOR3 Relações com Investidores Roberto Koiti Nakagome Diretor de Relações com Investidores Raquel Turano de Souza

Leia mais

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre

Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre Divulgação de Resultados do 1T11 Crescimento de tráfego de 21,1% no trimestre BM&FBOVESPA: ECOR3 Relações com Investidores Roberto Koiti Nakagome Diretor de Relações com Investidores Raquel Turano de Souza

Leia mais

REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-SP. Vida e desenvolvimento em equilíbrio

REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-SP. Vida e desenvolvimento em equilíbrio REUNIÃO PÚBLICA APIMEC-SP Vida e desenvolvimento em equilíbrio 12/06/2012 Vida e desenvolvimento em equilíbrio ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura

Leia mais

EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Divulgação de Resultados do 4T12 e 2012

EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Divulgação de Resultados do 4T12 e 2012 EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A Divulgação de Resultados do 4T12 e 2012 Tráfego consolidado cresceu 3,5% em 2012 Receita Bruta Operacional cresceu 32,1% em 2012 São Paulo, 14 de março de 2013

Leia mais

Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres

Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres Seminário Terminais, Ferrovias e Contêineres Terminal de contêiner é bom negócio? São Paulo 25 de Maio de 2009 José Eduardo Bechara Diretor Comercial e Marketing E Grupo Libra Nossa atuação em Contêineres

Leia mais

PLATAFORMA LOGÍSTICA Instrumento Importante para maior eficiência logística dos Portos Brasileiros O Caso do Porto de Santos

PLATAFORMA LOGÍSTICA Instrumento Importante para maior eficiência logística dos Portos Brasileiros O Caso do Porto de Santos PLATAFORMA LOGÍSTICA Instrumento Importante para maior eficiência logística dos Portos Brasileiros O Caso do Porto de Santos José Newton Barbosa Gama Assessor Especial Dezembro de 2011 SUMÁRIO Problemática

Leia mais

SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS - ALADI

SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS - ALADI SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS ALADI 2014 Secretaria de Comércio e Serviços Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Vendas do Brasil (US$ mil) 2.172.864 Aquisições pelo Brasil

Leia mais

ULG LOGISTICA BRASIL LTDA

ULG LOGISTICA BRASIL LTDA ULG LOGISTICA BRASIL LTDA Histórico Formado por gestores de carreiras internacionais e profundos conhecedores no que diz respeito à logística, a ULG visa à redução de custos logísticos aos seus clientes

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Divulgação de Resultados do 1T13

EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A. Divulgação de Resultados do 1T13 EcoRodovias Infraestrutura e Logística S.A Divulgação de Resultados do 1T13 Tráfego comercial cresce 3,0% no 1T13 Receita Bruta Operacional cresce 35,5% no 1T13 ECO101 assina Contrato de Concessão para

Leia mais

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos 2012 Apresentação Luiz José de Souza Neto Union Modal Logística Integrada Rua Teixeira de Freitas, 72, cj. 23 Santos / SP - Tel.: 13 30613387 luiz@unionmodal.com.br A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA.

Leia mais

Press Release 9 de dezembro de 2007

Press Release 9 de dezembro de 2007 GOL Atualiza Projeções para Investidores São Paulo, - A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. (Bovespa: GOLL4 e NYSE: GOL), controladora das companhias aéreas brasileiras de baixo custo GOL Transportes Aéreos

Leia mais

ANEXO 3 INDICADORES SETORIAIS SOBRE MODA E TÊXTIL

ANEXO 3 INDICADORES SETORIAIS SOBRE MODA E TÊXTIL ANEXO 3 INDICADORES SETORIAIS SOBRE MODA E TÊXTIL PRINCIPAIS FONTES DE DADOS: CONCLA (Comissão nacional de classificação) Órgão administrado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão criado em

Leia mais

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13 ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A Divulgação de Resultados do 3T13 e 9M13 DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS Em 03 de outubro, foi concluída a venda de participação de 10% na empresa Serviços

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

NEW WORLD. Comercio Exterior e Logística Ltda.

NEW WORLD. Comercio Exterior e Logística Ltda. NEW WORLD Comercio Exterior e Logística Ltda. New World Logística A New World Logística é uma empresa especializada em Comércio Exterior e logística Internacional. New World Logística Fundada em 2004,

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

As melhores condições para os seus melhores negócios. www.integracaologistica.com.br. Integração Logística

As melhores condições para os seus melhores negócios. www.integracaologistica.com.br. Integração Logística Transporte e Armazéns e Armazéns Gerais Gerais As melhores condições para os seus melhores negócios www.integracaologistica.com.br Integração Logística A Empresa Transporte e Armazéns Gerais consistência

Leia mais

ESTUDO DA CRIAÇÃO DE UMA PLATAFORMA MULTIMODAL Prof. Ph.D. Cláudio Farias Rossoni Área delimitada onde em um mesmo local se encontram disponibilizados: DUTOVIAS HIDROVIAS RODOVIAS AEROVIAS FERROVIAS Área

Leia mais

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 0 1. Visão Geral Setor de Ensino Superior no Brasil Visão Geral Estratégia Empresarial Destaques Financeiros

Leia mais

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO Teleconferência e Webcast de Resultados Sexta-feira, 5 de novembro de 2010 Horário: 12:00 p.m. (Brasil) 10:00 a.m. (US EDT) Telefone: +55 (11) 4688.6361 Código:

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo CURSO: Administração DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas,

Leia mais

Uruguai, Seu Parceiro de Confiança. Infraestrutura e Serviços. 15.000 m² de área fechada com armazém alfandegado;

Uruguai, Seu Parceiro de Confiança. Infraestrutura e Serviços. 15.000 m² de área fechada com armazém alfandegado; Abril / 2013 Infraestrutura e Serviços 15.000 m² de área fechada com armazém alfandegado; 10.000 m² de para armazenagem em área aberta; Salas de refrigeração; Sistema de frequência de rádio WMS; Empilhadeiras

Leia mais

Embarcando Algodão com o Real Valorizado - Oportunidades e Desafios nas Exportações Brasileiras

Embarcando Algodão com o Real Valorizado - Oportunidades e Desafios nas Exportações Brasileiras Embarcando Algodão com o Real Valorizado - Oportunidades e Desafios nas Exportações Brasileiras VI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALGODÃO 2007 MR13 LOGÍSTICA DE EXPORTAÇÃO 16 de Agosto de 2007 Fabiano Bardauil

Leia mais

2015 GC8 do Brasil Todos Direitos Reservados All Rights Reserved www.gc8.us. Expandindo Fronteiras

2015 GC8 do Brasil Todos Direitos Reservados All Rights Reserved www.gc8.us. Expandindo Fronteiras 2015 GC8 do Brasil Todos Direitos Reservados All Rights Reserved www.gc8.us Expandindo Fronteiras GC8 do Basil 1. Quem somos 2. Diferencial 3. Onde Atuamos 4. Internacionalização 5. O que fazemos 6. Entre

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS c Custos Logísticos no Brasil - 2014 - Apresentação O tema custos é uma preocupação recorrente dos executivos de logística no Brasil. Por isso, de dois em dois anos, o ILOS vai

Leia mais

Número de operações: 93

Número de operações: 93 APIMEC Maio de 2010 PRESENÇA GEOGRÁFICA 2 Número de operações: 93 Principais cidades São Paulo Rio de Janeiro Belo Horizonte Recife Brasília Manaus Curitiba Florianópolis Porto Alegre Guarulhos Ponta Grossa

Leia mais

O Uso dos Incoterms na Exportação

O Uso dos Incoterms na Exportação O Uso dos Incoterms na Exportação Por JOSÉ ELIAS ASBEG Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Belém - Pará Nas exportações brasileiras, são aceitas quaisquer condições de venda praticadas no comércio

Leia mais

Unidade: Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional e do Comércio Exterior. Revisor Textual: Profa. Esp.

Unidade: Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional e do Comércio Exterior. Revisor Textual: Profa. Esp. Unidade: Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional e do Comércio Exterior Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Papel dos Transportes Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

Fundada em 29 de novembro de 1976, a ABTTC congregava empresas que atuavam no seguimento de transporte rodoviário de contêineres Passados 33 anos, a

Fundada em 29 de novembro de 1976, a ABTTC congregava empresas que atuavam no seguimento de transporte rodoviário de contêineres Passados 33 anos, a Fundada em 29 de novembro de 1976, a ABTTC congregava empresas que atuavam no seguimento de transporte rodoviário de contêineres Passados 33 anos, a ABTTC representa um grupo de empresas e profissionais

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007 Apresentação dos Resultados de 2T07 15 de agosto de 2007 1 Equipe da Cyrela Brazil Realty Diretor Presidente Elie Horn Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luis Largman Diretor de Controle

Leia mais

DOCUMENTOS UTILIZADOS NA EXPORTAÇÃO

DOCUMENTOS UTILIZADOS NA EXPORTAÇÃO 1 DOCUMENTOS UTILIZADOS NA EXPORTAÇÃO Introdução D. Maria de Lourdes tem uma indústria de brindes que se tornou bastante conhecida no Brasil, principalmente pela criatividade com que desenvolve seus produtos.

Leia mais

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions Yusen Logistics do Brazil Supply Chain Solutions Yusen Logistics Group NYK A YUSEN LOGISTICS é uma empresa do Grupo NYK (fundada em Tóquio em 1885), que atua na gestão do fluxo de bens, serviços e informações

Leia mais

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Agosto

Leia mais

16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS

16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS 16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2010. SOUZA, José Meireles de

Leia mais

SEMINÁRIO TEMÁTICO VII: COMÉRCIO EXTERIOR EXEMPLO 1 EXEMPLO 2 AULA 02: OS FLUXOS COMERCIAIS BRASILEIROS

SEMINÁRIO TEMÁTICO VII: COMÉRCIO EXTERIOR EXEMPLO 1 EXEMPLO 2 AULA 02: OS FLUXOS COMERCIAIS BRASILEIROS SEMINÁRIO TEMÁTICO VII: COMÉRCIO EXTERIOR AULA 02: OS FLUXOS COMERCIAIS BRASILEIROS TÓPICO 04: TERMOS INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO No tópico anterior você teve a oportunidade de conhecer os órgãos responsáveis

Leia mais

Manual de Exportação e Formação de Preço

Manual de Exportação e Formação de Preço Manual de e Formação de Preço. Sumário FASE 1ª 1 - Planejamento de 2 - Planejamento Estratégico 3 - Canais de Distribuição FASE 2ª 4 - Procedimentos Operacionais de FASE 3ª 5 - Formação de Preço O sumário

Leia mais

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Noções básicas de Comércio Exterior Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Regimes Aduaneiros É o conjunto de procedimentos ou regras previstas em lei para efetivar uma importação

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Analista de Logística em Comércio Exterior - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Habilitar o participante para trabalhar com as rotinas da logística

Leia mais

Fato Relevante. conferir ao Grupo Cosan a capacidade de aproveitar as oportunidades de crescimento em diferentes mercados e regiões;

Fato Relevante. conferir ao Grupo Cosan a capacidade de aproveitar as oportunidades de crescimento em diferentes mercados e regiões; Fato Relevante São Paulo, 25 de junho de 2007 - Nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) n.º 358, de 30 de janeiro de 2002, e alterações posteriores e com a finalidade de informar

Leia mais

Curso Analista de Comércio Exterior

Curso Analista de Comércio Exterior Curso Analista de Comércio Exterior Curso Presencial em Belo Horizonte Aviso: O curso presencial é bem mais completo do que o curso de analista à distância Objetivo: Capacitar o aluno para atuar como analista

Leia mais

Confiança. Diversidade. Competência. Seu desejo é o nosso estilo.

Confiança. Diversidade. Competência. Seu desejo é o nosso estilo. Confiança. Diversidade. Competência. Seu desejo é o nosso estilo. O CLIENTE EM PRIMEIRO LUGAR Nossos clientes são tão exclusivos quanto os nossos serviços. Por isto, a O. Lisboa é grande o suficiente para

Leia mais

GUIA DE EMISSÃO DO CERTIFICADO DE ORIGEM. Este guia esclarece os principais procedimentos a serem adotados para a emissão do Certificado de Origem.

GUIA DE EMISSÃO DO CERTIFICADO DE ORIGEM. Este guia esclarece os principais procedimentos a serem adotados para a emissão do Certificado de Origem. 01/2012 CERTIFICADO DE ORIGEM GUIA DE EMISSÃO DO CERTIFICADO DE ORIGEM Este guia esclarece os principais procedimentos a serem adotados para a emissão do Certificado de Origem. APRESENTAÇÃO O Certificado

Leia mais

Curso Gestão de Importação

Curso Gestão de Importação Curso Gestão de Importação Curso Presencial em Belo Horizonte Leia até o final da página todas as informações deste curso Objetivo: Ensina o aluno a planejar e a gerenciar as etapas do processo de importação.

Leia mais

Introdução. Um 2013 difícil

Introdução. Um 2013 difícil Aetecno MBA Blogs Revista Rankings Últimas Notícias Contato Login H O M E I N T R O D U Ç Ã O R A N K I N G D A S 5 0 0 S E T O R E S A N Á L I S E E R A N K I N G S M E T O D O L O G I A Introdução Home

Leia mais

DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues

DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues DESPACHO ADUANEIRO Procedimento Fiscal por intermédio do qual o exportador desembaraça a mercadoria para o exterior (Faro, 2007). É

Leia mais

O QUE É O HUB LOGÍSTICO? O que é o Hub Logístico? Uruguai Tradicional Reconhecido como produtor e exportador de alimentos. Por inserir-se num alto número de mercados. Por produtos de excelente qualidade.

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS Vigência: 15/03/2014 a 14/03/2015 ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS OPERAÇÃO PORTUÁRIA - Tarifas devidas pelo armador, agente de navegação ou requisitante - A. OPERAÇÃO

Leia mais

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA POR QUE ESCOLHER O DHL OCEAN DIRECT (FCL) EXPERIÊNCIA EM LOGÍSTICA PARA NEGÓCIOS DE TODOS OS TAMANHOS Nossa experiência

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

Teleconferência BR - 101 19 DE JANEIRO DE 2012

Teleconferência BR - 101 19 DE JANEIRO DE 2012 Teleconferência BR - 101 19 DE JANEIRO DE 2012 RESUMO DA CONCESSÃO Em 18 de janeiro de 2012, o Consórcio Rodovia da Vitória foi declarado vencedor da Concorrência Pública da rodovia BR 101 Composição do

Leia mais

Disciplina: Comércio Internacional

Disciplina: Comércio Internacional COORDENADORIA DE TRANSPORTES Sumário 2 Disciplina: Comércio Internacional CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE COMÉRCIO INTERNACIONAL Exportação e Importação Conceitos Cambiais, Aduaneiros e Comerciais Formas de

Leia mais

MÓDULO 5 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS)

MÓDULO 5 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS) MÓDULO 5 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS) Os INCOTERMS são regras criadas pela Câmara de Comércio Internacional (CCI) para administrar conflitos que possam existir através da interpretação

Leia mais

Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação

Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação Objetivo: Capacitar o participante para gerir as rotinas e operações logísticas em um porto ou terminal portuário voltado para a movimentação interna, importação

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

SILBRAN Comércio Exterior. 13/1/2009 Silbran Comércio Exterior

SILBRAN Comércio Exterior. 13/1/2009 Silbran Comércio Exterior SILBRAN Comércio Exterior 1 Decisões em Negócios Globalizados Importadores Exportadores 2 SILBRAN Comércio Exterior Desafio Global Distância Documentos Diversidade Demanda Disponibilidade Velocidade Consistência

Leia mais

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO 1º Passo - Habilitação Legal A inscrição no Registro de Exportadores e Importadores (REI) da Secretaria de Comércio Exterior constitui condição preliminar

Leia mais

SEGURANÇA E AGILIDADE EM TODAS AS SUAS ENTREGAS

SEGURANÇA E AGILIDADE EM TODAS AS SUAS ENTREGAS SEGURANÇA E AGILIDADE EM TODAS AS SUAS ENTREGAS TNT EFICIÊNCIA EM TRANSPORTES A TNT, uma das líderes mundiais em transporte expresso, possui hoje a maior rede de distribuição expressa rodoviária de toda

Leia mais

A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. www.atres.org.

A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. www.atres.org. A T R E S ASSOCIAÇÃO DO TERMINAIS PORTUÁRIOS E RETROPORTUÁRIOS E DOS USUÁRIOS DOS PORTOS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO A ATRES - Associação dos Terminais Retroportuários, Portuários e dos Usuários dos Portos

Leia mais

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo.

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Comércio exterior Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Janeiro 2015 Sindusfarma Gerência de Regulação de Mercados Índice Brasil...

Leia mais

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 1T13

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 1T13 Estar Mais Próximo do Cliente B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 1T13 Considerações Gerais Considerações referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros,

Leia mais

Termos Internacionais de Comércio EXW FCA FAS FOB CFR CIF CPT CIP DAP DAT DDP

Termos Internacionais de Comércio EXW FCA FAS FOB CFR CIF CPT CIP DAP DAT DDP Termos Internacionais de Comércio EXW FCA FAS FOB CFR CIF CPT CIP DAP DAT DDP Aspectos Gerais Cada vez mais as empresas recorrem às potencialidades do mercado global. Neste contexto é necessária a perfeita

Leia mais

Formação de Analista em Comércio Exterior

Formação de Analista em Comércio Exterior Formação de Analista em Comércio Exterior com Pós Graduação Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista de Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento,

Leia mais

Fiscal Exercício Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo

Fiscal Exercício Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo Fiscal Exercício Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. (ESAF/AFTN/1989 - ADAPTADA) Apurando-se o dano ou avaria: a)

Leia mais

FORMAÇÃO Gestão de Operações Portuárias - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

FORMAÇÃO Gestão de Operações Portuárias - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Gestão de Operações Portuárias - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Capacitar o participante para gerir as rotinas e operações logísticas em um porto

Leia mais

B2W DIGITAL Divulgação de Resultados 4T12/2012

B2W DIGITAL Divulgação de Resultados 4T12/2012 Estar Mais Próximo do Cliente B2W DIGITAL Divulgação de Resultados 4T12/2012 Considerações Gerais Considerações referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros,

Leia mais

VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia MG. Panorama: Logística Portuária

VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia MG. Panorama: Logística Portuária VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia MG Panorama: Logística Portuária Bacharel em Comércio Exterior pela Unicenp (Curitiba/PR) Rodrigo FONSECA rodrigo.fonseca@tcp.com.br +55 41 3420.3334 +55 41

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 1T14

ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. Divulgação de Resultados do 1T14 X ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A Divulgação de Resultados do 1T14 DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS Em 20 de março de 2014, foi concluída a operação de venda de 11,41% da Serviços e Tecnologia

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO orienta na implantação e desenvolvimento do seu negócio de forma estratégica e inovadora O QUE SÃO PALESTRAS

Leia mais

Análise da Balança Comercial

Análise da Balança Comercial Análise da Balança Comercial Produtos Transformados de Plástico Acumulado e Mensal Editado em: Março/2015 www.abiplast.org.br Notas Explicativas 1. Introdução A ABIPLAST tem divulgado dados estatísticos

Leia mais

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 SOBRE LOG-IN QUEM SOMOS? Quem Somos Números 96% 96% DE REDUÇÃO EM EMISSÕES DE CO 2 EM RELAÇÃO AO

Leia mais

INCOTERMS A importância da ferramenta no comércio internacional (revisão de 2010)

INCOTERMS A importância da ferramenta no comércio internacional (revisão de 2010) Universidade Tuiuti do Paraná Artigo de conclusão de curso MBA em Relações internacionais, negociação e comércio exterior INCOTERMS A importância da ferramenta no comércio internacional (revisão de 2010)

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

Teleconferência e Webcast de Resultados 2T12

Teleconferência e Webcast de Resultados 2T12 Teleconferência e Webcast de Resultados 2T12 Quarta-feira, 15 de agosto de 2012 Horário: 12:00 p.m. (Brasil) - 11:00 a.m. (US EDT) Telefone: +55 (11) 4688.6361 - Código: B2W Webcast: www.b2winc.com/webcast2t12

Leia mais

Histórico. Empresa multinacional fundada em 2002 em São Paulo, Brasil.

Histórico. Empresa multinacional fundada em 2002 em São Paulo, Brasil. Logistica Integrada para Transpor te Rodoviário Internacional & Nacional Freight Forward NVOCC Histórico Empresa multinacional fundada em 2002 em São Paulo, Brasil. Durante 9 anos de existência, XCOMEX

Leia mais

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

MATRIZ: RUA DR. ALBERT SCHWEITZER, 1901 ALEMOA - SANTOS/SP - CEP 11095 520 T: 13 2101.2400 - F: 13 3296.4407 WWW.TRANSMODAL.COM.BR

MATRIZ: RUA DR. ALBERT SCHWEITZER, 1901 ALEMOA - SANTOS/SP - CEP 11095 520 T: 13 2101.2400 - F: 13 3296.4407 WWW.TRANSMODAL.COM.BR Ref. Transporte Rodoviário, Movimentação e Armazenagem de Mercadorias, Importação, Exportação, Mercado Interno e Limpeza Interna especializada de tanques (food grade). Prezados Senhores, Apresentamos um

Leia mais

Apresentação dos Resultados 3T06

Apresentação dos Resultados 3T06 Apresentação dos Resultados 3T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

PORTO 24 HORAS. Complexo portuário santista

PORTO 24 HORAS. Complexo portuário santista FIESP/CONSIC PORTO 24 HORAS Complexo portuário santista José Cândido Senna, Coordenador do Comitê de Usuários dos Portos e. Aeroportos do Estado de São Paulo - COMUS São Paulo, 16 de agosto de 2011 Participação

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Soluções Qualilog para Comércio Exterior

Soluções Qualilog para Comércio Exterior Soluções Qualilog para Comércio Exterior Visão Geral Temos atuado, com sucesso, no apoio a empresas brasileiras que já exportam ou têm como projeto exportar seus produtos para os Estados Unidos, assessorandoas

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Exportar e Internacionalizar, Como?

Exportar e Internacionalizar, Como? Exportar e Internacionalizar, Como? WORKSHOP Ferramentas de Apoio à Internacionalização de Empresas 13 de Junho 2012 1 António Trigueiros de Aragão Uma moda? Uma tendência? Uma estratégia? Um novo mundo?

Leia mais

Quem Somos. A FAST BRAZIL é uma empresa 100% brasileira, especializada em agenciamento de cargas e despacho aduaneiro.

Quem Somos. A FAST BRAZIL é uma empresa 100% brasileira, especializada em agenciamento de cargas e despacho aduaneiro. Quem Somos A FAST BRAZIL é uma empresa 100% brasileira, especializada em agenciamento de cargas e despacho aduaneiro. Contamos com profissionais altamente qualificados no comércio internacional e uma rede

Leia mais

Logística e infraestrutura: entendendo e superando os desafios e as barreiras.

Logística e infraestrutura: entendendo e superando os desafios e as barreiras. Logística e infraestrutura: entendendo e superando os desafios e as barreiras. Câncer Por que o Brasil tem vocação agrícola? Capricórnio Zona quente ou Intertropical Quatro fatores são fundamentais para

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

Soluções em Comércio Exterior e Logística Internacional

Soluções em Comércio Exterior e Logística Internacional IMPERA Comércio Internacional Soluções em Comércio Exterior e Logística Internacional A Impera é uma Trading Company que presta serviço no segmento de comércio exterior, atuando tanto na importação quanto

Leia mais